SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
WWW.REBIF. NET

REBIF. NET                                                                     Você vai encontrar recursos e ferramentas que vão lhe ajudar de maneira prática,
Seu novo parceiro de informação sobre Esclerose Múltipla                       na sua rotina clínica. CADASTRE-SE.

Este canal interativo de comunicação foi criado para fornecer as informações      Novidades e Eventos
mais atuais sobre Esclerose Múltipla. Para você ficar a par
das últimas pesquisas, saber o que elas apontam                                   Guia Esclerose Múltipla
e conhecer profundamente a betainterferona-1a, droga
modificadora da doença e sua nova formulação.                                      Livros e Artigos recomendados

                                                                                  Perguntas Pacientes

                                                                                  Ferramentas Médicas

                                                                                  Sobre o Rebif

                                                                                  Atenção aos pacientes

                                                                                                                                                Pacientes diferentes. Necessidades diferentes.
MAIS QUE UM PROGRAMA, UMA
                                                                                                                                                                                                               ATITUDE POSITIVA FAZENDO
                                                                                                                                                                                                               A DIFERENÇA!
                                                                                                                                                                                pap@merckserono.net
Referências
1. Kraus J, Oschmann P. The impact of interferon-beta treatment on the blood-brain barrier. Drug Discov Today. 2006;11:755-62. 2. Chofflon M. Mechanisms of Action for Treatments in Multiple Sclerosis. BioDrugs. 2005;19(5):299-308. 3. Hartung HP. High-dose, high-frequency recombinant interferon
beta-1a in the treatment of multiple sclerosis. Expert Opin Pharmacother. 2009;10:291-309 4. Bula do produto 5. Cohen JA. The future of multiple sclerosis treatment. J Neurol Sci.2009;277:S55-61 6. kappos L, Traboulsee A, Constantinescu C, et al. Long-term subcutaneous interferon beta 1a therapy
in patients with Relapsing-remitting MS. Neurology 2006; 67:944-53. 7. Vukusic S, Hutchinson M, Hours M, et al. Pregnancy and multiple sclerosis (the PRIMS study): clinical redictors of post-partum relapse. Brain. 2004;127:1353-60 8. Bennett K. Pregnancy and Multiple Sclerosis. CLINICAL
OBSTETRICS AND GYNECOLOGY 2005, 48(1): 38-47 9. Waubant E, Sadovnick AD, Interferon beta babies. Neurology 2005. 27;65:788-789 10. Munafo A, Trinchard-Lugan I I, Nguyen TX, Buraglio M. Comparative pharmacokinetics and pharmacodynamics of recombinant human interferon beta-1a after
intramuscular and subcutaneous administration. Eur J Neurol. 1998;5:187-193. 11. Rothuizen LE, Buclin T, Spertini F, et al. Influence of interferon beta-1a dose frequency on PBMC cytokine secretion and biological effect markers. J Neuroimmunol. 1999;99:131-41.

REBIF® betainterferona-1a Para uso subcutâneo USO ADULTO - Nova Formulação livre de soro fetal bovino e albumina humana
USO ADULTO Indicação: O Rebif® (betainterferona-1a) é indicado para o tratamento da Esclerose Múltipla caracterizada pela presença de surtos e demonstrou eficácia na redução do número e gravidade destes, assim como na estabilização da progressão da doença. Contraindicações: A
betainterferona-1a está contraindicadaem pacientes com hipersensibilidade conhecida à betainterferona recombinante ou natural ou a qualquer outro excipiente da formulação; gravidez; e em pacientes com distúrbios depressivos graves e/ou ideação suicida. Advertências: Rebif® deve ser utilizado
com precaução nos pacientes com histórico anterior ou atual de depressão, em particular naqueles com antecedentes de ideação suicida. Rebif® deve ser administrado com cuidado em pacientes com história clínica de convulsões ou em tratamento com antiepiléticos, especialmente se a epilepsia
não está adequadamente controlada. Pacientes com patologias cardíacas, tais como angina, insuficiência cardíaca congestiva ou arritmias, devem ser cuidadosamente monitorizados quanto ao agravamento da sua situação clínica durante o início da terapêutica com betainterferona-1a. Foi relatada
necrose no local da injeção nos pacientes em tratamento com Rebif®. Para minimizar possível risco de necrose no local da injeção, os pacientes devem utilizar uma técnica asséptica de injeção e alternar os locais de injeção em cada administração. Os ensaios clínicos com Rebif® foram frequentes a
elevação assintomática das transaminases hepáticas (particularmente a ALT), desenvolvendo-se em 1-3% dos pacientes aumentos das transaminases hepáticas 5 vezes acima do limite superior normal (LSN). Na ausência de sintomas clínicos, os níveis séricos de ALT devem ser monitorizados antes de
se iniciar a terapêutica, no decurso dos meses 1, 3 e 6, e depois periodicamente. Deve ser considerada a redução da dose de Rebif® se a ALT se elevar 5 vezes acima do LSN, procedendo-se ao re-escalonamento gradual da dose logo que os níveis das enzimas estejam normalizados. O tratamento
com Rebif® deve ser iniciado com precaução em pacientes com uma história de doença hepática significativa, evidência clínica de doença hepática ativa, abuso de álcool ou ALT sérica elevada (> 2,5 vezes LSN). O tratamento com Rebif® deve ser suspenso se ocorrer icterícia ou outros sintomas
clínicos de distúrbios hepáticos. Rebif®, como qualquer outra betainterferona, apresenta potencial para induzir lesão hepática grave, incluindo insuficiência hepática aguda. Os pacientes em tratamento com Rebif® podem ocasionalmente desenvolver ou agravar distúrbios da tireoide. Deve-se ter
precaução e manter uma rigorosa vigilância quando se administra betainterferona-1a em pacientes com insuficiência renal e/ou hepática graves e em pacientes com mielossupressão grave. Pode-se desenvolver anticorpos séricos neutralizantes da betainterferona-1a. Gravidez e aleitamento: Durante
a gravidez, está contraindicado o início do tratamento. Não se sabe se o Rebif® é excretado no leite humano. Devido ao potencial de reações adversas graves em crianças a serem amamentadas, deve ser suspenso o aleitamento ou a terapêutica com Rebif®. Efeitos sobre a capacidade de conduzir e
utilizar máquinas: Efeitos adversos, menos frequentemente referidos, relacionados com o sistema nervoso central, associados com o uso de betainterferonas, podem influenciar a capacidade de o paciente conduzir ou utilizar máquinas. Interações medicamentosas e outras formas de interação:
Foi relatado que as interferonas reduzem a atividade das enzimas hepáticas dependentes do citocromo P-450 no homem e nos animais. Os estudos clínicos indicam que os pacientes com esclerose múltipla podem receber Rebif® e corticosteroides ou ACTH durante as recidivas. Superdosagem: Em
caso de superdosagem, os pacientes devem ser hospitalizados para observação e tratamento apropriado. Reações adversas: A incidência mais elevada de reações adversas associadas à terapêutica com Rebif® está relacionada aos sintomas típicos da gripe. Aproximadamente 30% dos pacientes
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  * Necessidades individuais podem variar.
podem também apresentar reações no local da injeção, predominantemente inflamação ligeira ou eritema. Elevações assintomáticas nos parâmetros laboratoriais da função hepática e da contagem leucocitária também são frequentes. A maioria das reações adversas observadas com a betainterferona-1a
é habitualmente ligeira e reversível e regride com a redução da dose. Em caso de efeitos indesejáveis graves ou persistentes, a dose de Rebif® pode ser temporariamente reduzida ou interrompida, segundo o critério médico. Muito frequentes: Neutropenia, linfopenia, leucopenia, trombocitopenia,
anemia, cefaleia, inflamação no local da injeção, reação no local da injeção, sintomas típicos da gripe, elevação assintomática das transaminases. Frequentes: Depressão, insônia, diarreia, vômitos, náuseas, prurido, rash cutâneo, rash eritematoso, rash máculo-papular, mialgias, artralgias, dor no local
da injeção, fadiga, calafrios, febre. Pouco frequentes: Abcesso no local de injeção, disfunção da tireoide, geralmente apresentada como hipo ou hipertiroidismo, necrose no local da infecção, massa no local da injeção. Posologia: A posologia recomendada de Rebif® é de 44 µg, três vezes por semana,
por injeção subcutânea. Nos pacientes que não podem tolerar a dose mais elevada, recomenda-se a administração de Rebif® 22 µg, três vezes por semana, por injeção subcutânea, de acordo com o critério médico. Quando se inicia o tratamento com Rebif®, a fim de reduzir as reações adversas,
recomenda-se a administração de 8,8 µg (0,1 mL da seringa de 44 µg ou 0,2 mL da seringa de 22 µg) durante as duas primeiras semanas de tratamento, 22 µg (0,25 mL da seringa de 44 µg ou a seringa de 22 µg na sua totalidade) nas semanas 3 e 4 e o conteúdo total da seringa de 44 µg a partir
da quinta semana. Crianças e adolescentes: Dados publicados, embora limitados, sugerem que o perfil de segurança em adolescentes de 12 a 16 anos de idade, que receberam Rebif® por via subcutânea, 3 vezes por semana, é semelhante ao observado em adultos. São escassas as informações
sobre a utilização de Rebif® em crianças com menos de 12 anos de idade, portanto não deve ser utilizado nessa população. Cuidados de conservação: Conservar sob refrigeração (2°C-8°C). Não congelar. Conservar na embalagem de origem para proteger da luz.
Ao persistirem os sintomas , o médico deverá ser consultado . VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 Contraindicação: Gravidez Interação medicamentosa: Antiepiléticos
 Registro MS: Rebif® 44 µg: 1.0089.0351.003-1 Rebif® 22 µg: 1.0089.0351.002-3                         MERCK SERONO                                                                                                                                                                                                                                           Pacientes diferentes. Necessidades diferentes.
 Serviço de Atendimento ao Consumidor - SAC Merck Serono - 0800-113320                                Av. das Nações Unidas, 12.995 - 30º andar - Brooklin Novo - São Paulo - SP - 04578-000




                                                                                                                                                                                                                                                    Merck Serono é uma                                                                                                  Merck Serono é uma
                                                                                                                                                                                                                                                    divisão de Merck S.A.                                                                                               divisão de Merck S.A.




                                                                                                                                                                                                      O material destina-se ao treinamento da equipe de enfermagem, não tendo nenhuma função
                                                                                                                                                                                                       promocional. Material confidencial de uso exclusivo dos profissionais de saúde Merck S.A.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Medicamentos mais utilizados pelos idosos
Medicamentos mais utilizados pelos idososMedicamentos mais utilizados pelos idosos
Medicamentos mais utilizados pelos idosos
 
Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019
Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019
Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019
 
Apostila - Oncologia Veterinária
Apostila - Oncologia VeterináriaApostila - Oncologia Veterinária
Apostila - Oncologia Veterinária
 
1 tpm fameplac
1 tpm fameplac1 tpm fameplac
1 tpm fameplac
 
Caderno farmacologia-terapeutica
Caderno farmacologia-terapeuticaCaderno farmacologia-terapeutica
Caderno farmacologia-terapeutica
 
Infliximab
InfliximabInfliximab
Infliximab
 
Opióides
OpióidesOpióides
Opióides
 
Neurologia – caso clínico
Neurologia – caso clínicoNeurologia – caso clínico
Neurologia – caso clínico
 
Adalimumab
AdalimumabAdalimumab
Adalimumab
 
Cetolizumab
CetolizumabCetolizumab
Cetolizumab
 
Farmacologia interações e RAM
Farmacologia interações e RAMFarmacologia interações e RAM
Farmacologia interações e RAM
 
Alergia em Anestesia
Alergia em AnestesiaAlergia em Anestesia
Alergia em Anestesia
 
Aula 09 farmacologia - prof. clara mota
Aula 09   farmacologia - prof. clara motaAula 09   farmacologia - prof. clara mota
Aula 09 farmacologia - prof. clara mota
 
Enxaqueca Aguda Tratamento
Enxaqueca Aguda Tratamento   Enxaqueca Aguda Tratamento
Enxaqueca Aguda Tratamento
 
Anticonvulsivantes
AnticonvulsivantesAnticonvulsivantes
Anticonvulsivantes
 
Farmacodinâmica
FarmacodinâmicaFarmacodinâmica
Farmacodinâmica
 
Etanercept
EtanerceptEtanercept
Etanercept
 
Interacoes medicamentosas
Interacoes medicamentosasInteracoes medicamentosas
Interacoes medicamentosas
 
Fármacos analgésicos e antipiréticos
Fármacos analgésicos e antipiréticosFármacos analgésicos e antipiréticos
Fármacos analgésicos e antipiréticos
 
Principais medicamentos utilizados pelos idosos.
Principais medicamentos utilizados pelos idosos.Principais medicamentos utilizados pelos idosos.
Principais medicamentos utilizados pelos idosos.
 

Destaque

Bilan invest r%26_d_260112
Bilan invest r%26_d_260112Bilan invest r%26_d_260112
Bilan invest r%26_d_260112Association LIR
 
Agence Bruxelloise pour l'Entreprise: présentation corporate
Agence Bruxelloise pour l'Entreprise: présentation corporateAgence Bruxelloise pour l'Entreprise: présentation corporate
Agence Bruxelloise pour l'Entreprise: présentation corporateimpulse.brussels
 
Conhecimento na palma da mão - PDAs na prática clínica
Conhecimento na palma da mão - PDAs na prática clínicaConhecimento na palma da mão - PDAs na prática clínica
Conhecimento na palma da mão - PDAs na prática clínicaMgfamiliar Net
 
Les entrepreneurs: premiers acteurs du changement sociétal et priorité du gou...
Les entrepreneurs: premiers acteurs du changement sociétal et priorité du gou...Les entrepreneurs: premiers acteurs du changement sociétal et priorité du gou...
Les entrepreneurs: premiers acteurs du changement sociétal et priorité du gou...UStart Belgium
 
Flyer AudiSEC Sàrl
Flyer AudiSEC SàrlFlyer AudiSEC Sàrl
Flyer AudiSEC Sàrlvalerienaef
 
Curriculum vitae de sarah machado
Curriculum vitae de sarah machadoCurriculum vitae de sarah machado
Curriculum vitae de sarah machadoSarah Machado
 
La chanson de_la_gastro
La chanson de_la_gastroLa chanson de_la_gastro
La chanson de_la_gastroourbothy
 
Formation autoclave.mcm emballages (korimat)
Formation autoclave.mcm emballages (korimat)Formation autoclave.mcm emballages (korimat)
Formation autoclave.mcm emballages (korimat)Jean-bernard Casanove
 
Medicamentos De ReferêNcia Anvisa
Medicamentos De ReferêNcia AnvisaMedicamentos De ReferêNcia Anvisa
Medicamentos De ReferêNcia Anvisadocanto
 
Enfermedades asociadas al cristalino por Dra. Karen Sanabria
Enfermedades asociadas al cristalino por Dra. Karen  SanabriaEnfermedades asociadas al cristalino por Dra. Karen  Sanabria
Enfermedades asociadas al cristalino por Dra. Karen SanabriaNELSON HERNANDEZ
 
Sermão o justo viverá pela fé 13.03
Sermão o justo viverá pela fé   13.03Sermão o justo viverá pela fé   13.03
Sermão o justo viverá pela fé 13.03Rigoni Robson
 

Destaque (20)

Brainchip
BrainchipBrainchip
Brainchip
 
B3 64-05
B3 64-05B3 64-05
B3 64-05
 
Human probiotics
Human probioticsHuman probiotics
Human probiotics
 
Consciência Limitada
Consciência LimitadaConsciência Limitada
Consciência Limitada
 
Bilan invest r%26_d_260112
Bilan invest r%26_d_260112Bilan invest r%26_d_260112
Bilan invest r%26_d_260112
 
Agence Bruxelloise pour l'Entreprise: présentation corporate
Agence Bruxelloise pour l'Entreprise: présentation corporateAgence Bruxelloise pour l'Entreprise: présentation corporate
Agence Bruxelloise pour l'Entreprise: présentation corporate
 
Conhecimento na palma da mão - PDAs na prática clínica
Conhecimento na palma da mão - PDAs na prática clínicaConhecimento na palma da mão - PDAs na prática clínica
Conhecimento na palma da mão - PDAs na prática clínica
 
Les entrepreneurs: premiers acteurs du changement sociétal et priorité du gou...
Les entrepreneurs: premiers acteurs du changement sociétal et priorité du gou...Les entrepreneurs: premiers acteurs du changement sociétal et priorité du gou...
Les entrepreneurs: premiers acteurs du changement sociétal et priorité du gou...
 
Flyer AudiSEC Sàrl
Flyer AudiSEC SàrlFlyer AudiSEC Sàrl
Flyer AudiSEC Sàrl
 
Case Cultura Organizacional
Case   Cultura OrganizacionalCase   Cultura Organizacional
Case Cultura Organizacional
 
Curriculum vitae de sarah machado
Curriculum vitae de sarah machadoCurriculum vitae de sarah machado
Curriculum vitae de sarah machado
 
La chanson de_la_gastro
La chanson de_la_gastroLa chanson de_la_gastro
La chanson de_la_gastro
 
Real MS Voices
Real MS VoicesReal MS Voices
Real MS Voices
 
Referência anvisa
Referência anvisaReferência anvisa
Referência anvisa
 
Curriculum Vitae
Curriculum VitaeCurriculum Vitae
Curriculum Vitae
 
Formation autoclave.mcm emballages (korimat)
Formation autoclave.mcm emballages (korimat)Formation autoclave.mcm emballages (korimat)
Formation autoclave.mcm emballages (korimat)
 
Medicamentos De ReferêNcia Anvisa
Medicamentos De ReferêNcia AnvisaMedicamentos De ReferêNcia Anvisa
Medicamentos De ReferêNcia Anvisa
 
Enfermedades asociadas al cristalino por Dra. Karen Sanabria
Enfermedades asociadas al cristalino por Dra. Karen  SanabriaEnfermedades asociadas al cristalino por Dra. Karen  Sanabria
Enfermedades asociadas al cristalino por Dra. Karen Sanabria
 
Sermão o justo viverá pela fé 13.03
Sermão o justo viverá pela fé   13.03Sermão o justo viverá pela fé   13.03
Sermão o justo viverá pela fé 13.03
 
Inovação Aberta
Inovação AbertaInovação Aberta
Inovação Aberta
 

Semelhante a Folder Divulgação Site - Merck Serono

7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitáriaCassyano Correr
 
Farmacêutico Na UTI
Farmacêutico Na UTIFarmacêutico Na UTI
Farmacêutico Na UTIsbrassica
 
farmacoterapêutica, bomba de prótons.....
farmacoterapêutica, bomba de prótons.....farmacoterapêutica, bomba de prótons.....
farmacoterapêutica, bomba de prótons.....JulianaAparecidadeSo4
 
Liliana Mendes Hepatotoxicidade na DII
Liliana Mendes Hepatotoxicidade na DIILiliana Mendes Hepatotoxicidade na DII
Liliana Mendes Hepatotoxicidade na DIILiliana Mendes
 
Manual terapia nutricional
Manual terapia nutricionalManual terapia nutricional
Manual terapia nutricionalEduarda Emanuela
 
Cuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressorasCuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressorasNayara Dávilla
 
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêuticaGuias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêuticaangelitamelo
 
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptxAULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptxProfYasminBlanco
 
Farmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPSFarmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPSTiago Sampaio
 
Atribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoAtribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoCassyano Correr
 
Iatrogenia nos idosos
Iatrogenia nos idososIatrogenia nos idosos
Iatrogenia nos idososEli Oliveira
 
Assistência de enfermagem a portadores de doenças endócrinas.
Assistência de enfermagem a portadores de doenças endócrinas.Assistência de enfermagem a portadores de doenças endócrinas.
Assistência de enfermagem a portadores de doenças endócrinas.Andréa Ribeiro
 
Tuberculose - Aula 02 - Tratamento e Controle dos Contatos
Tuberculose - Aula 02 - Tratamento e Controle dos ContatosTuberculose - Aula 02 - Tratamento e Controle dos Contatos
Tuberculose - Aula 02 - Tratamento e Controle dos ContatosFlávia Salame
 
Farmacologia em pacientes especiais
Farmacologia em pacientes especiaisFarmacologia em pacientes especiais
Farmacologia em pacientes especiaisLarissa Ramalho
 
MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂN...
MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂN...MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂN...
MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂN...Vagner Machado
 
Cuidados Intensivos Em Terapia Intensiva PediáTrica
Cuidados Intensivos Em Terapia Intensiva PediáTricaCuidados Intensivos Em Terapia Intensiva PediáTrica
Cuidados Intensivos Em Terapia Intensiva PediáTricaRenato Bach
 
Trabalho de quimica a
Trabalho de quimica aTrabalho de quimica a
Trabalho de quimica alaizepires
 

Semelhante a Folder Divulgação Site - Merck Serono (20)

7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
7 passos para a implementação de serviços farmacêuticos na farmácia comunitária
 
Farmacêutico Na UTI
Farmacêutico Na UTIFarmacêutico Na UTI
Farmacêutico Na UTI
 
farmacoterapêutica, bomba de prótons.....
farmacoterapêutica, bomba de prótons.....farmacoterapêutica, bomba de prótons.....
farmacoterapêutica, bomba de prótons.....
 
EUM
EUMEUM
EUM
 
Liliana Mendes Hepatotoxicidade na DII
Liliana Mendes Hepatotoxicidade na DIILiliana Mendes Hepatotoxicidade na DII
Liliana Mendes Hepatotoxicidade na DII
 
Manual terapia nutricional
Manual terapia nutricionalManual terapia nutricional
Manual terapia nutricional
 
Cuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressorasCuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressoras
 
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêuticaGuias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
 
Anestesia Ambulatorial
Anestesia Ambulatorial Anestesia Ambulatorial
Anestesia Ambulatorial
 
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptxAULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
 
Farmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPSFarmacologia Clínica dos MIPS
Farmacologia Clínica dos MIPS
 
Atribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêuticoAtribuições clínicas do farmacêutico
Atribuições clínicas do farmacêutico
 
Iatrogenia nos idosos
Iatrogenia nos idososIatrogenia nos idosos
Iatrogenia nos idosos
 
Assistência de enfermagem a portadores de doenças endócrinas.
Assistência de enfermagem a portadores de doenças endócrinas.Assistência de enfermagem a portadores de doenças endócrinas.
Assistência de enfermagem a portadores de doenças endócrinas.
 
Nutrição
NutriçãoNutrição
Nutrição
 
Tuberculose - Aula 02 - Tratamento e Controle dos Contatos
Tuberculose - Aula 02 - Tratamento e Controle dos ContatosTuberculose - Aula 02 - Tratamento e Controle dos Contatos
Tuberculose - Aula 02 - Tratamento e Controle dos Contatos
 
Farmacologia em pacientes especiais
Farmacologia em pacientes especiaisFarmacologia em pacientes especiais
Farmacologia em pacientes especiais
 
MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂN...
MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂN...MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂN...
MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂN...
 
Cuidados Intensivos Em Terapia Intensiva PediáTrica
Cuidados Intensivos Em Terapia Intensiva PediáTricaCuidados Intensivos Em Terapia Intensiva PediáTrica
Cuidados Intensivos Em Terapia Intensiva PediáTrica
 
Trabalho de quimica a
Trabalho de quimica aTrabalho de quimica a
Trabalho de quimica a
 

Mais de Samantha Lima

Com que roupa eu vou?
Com que roupa eu vou?Com que roupa eu vou?
Com que roupa eu vou?Samantha Lima
 
Acessórios Maxi-Femininos
Acessórios Maxi-FemininosAcessórios Maxi-Femininos
Acessórios Maxi-FemininosSamantha Lima
 
Revista Alquimia - Ache
Revista Alquimia - AcheRevista Alquimia - Ache
Revista Alquimia - AcheSamantha Lima
 
Coluna Moda - Sapatos outono-inverno
Coluna Moda - Sapatos outono-invernoColuna Moda - Sapatos outono-inverno
Coluna Moda - Sapatos outono-invernoSamantha Lima
 
Coluna Moda - Tendências primavera-verão
Coluna Moda - Tendências primavera-verãoColuna Moda - Tendências primavera-verão
Coluna Moda - Tendências primavera-verãoSamantha Lima
 
Coluna Moda - Pele bonita
Coluna Moda - Pele bonitaColuna Moda - Pele bonita
Coluna Moda - Pele bonitaSamantha Lima
 
Coluna Moda - Luxo Sustentável
Coluna Moda - Luxo Sustentável Coluna Moda - Luxo Sustentável
Coluna Moda - Luxo Sustentável Samantha Lima
 
Coluna Moda - Bons Negócios
Coluna Moda - Bons NegóciosColuna Moda - Bons Negócios
Coluna Moda - Bons NegóciosSamantha Lima
 
Coluna Moda - Camisa Xadrez
Coluna Moda - Camisa XadrezColuna Moda - Camisa Xadrez
Coluna Moda - Camisa XadrezSamantha Lima
 
Coluna Moda - O Estado RJ
Coluna Moda - O Estado RJColuna Moda - O Estado RJ
Coluna Moda - O Estado RJSamantha Lima
 
Cobertura de Evento - Solvay Pharma
Cobertura de Evento - Solvay PharmaCobertura de Evento - Solvay Pharma
Cobertura de Evento - Solvay PharmaSamantha Lima
 
Coluna Moda - O Estado RJ
Coluna Moda - O Estado RJColuna Moda - O Estado RJ
Coluna Moda - O Estado RJSamantha Lima
 

Mais de Samantha Lima (12)

Com que roupa eu vou?
Com que roupa eu vou?Com que roupa eu vou?
Com que roupa eu vou?
 
Acessórios Maxi-Femininos
Acessórios Maxi-FemininosAcessórios Maxi-Femininos
Acessórios Maxi-Femininos
 
Revista Alquimia - Ache
Revista Alquimia - AcheRevista Alquimia - Ache
Revista Alquimia - Ache
 
Coluna Moda - Sapatos outono-inverno
Coluna Moda - Sapatos outono-invernoColuna Moda - Sapatos outono-inverno
Coluna Moda - Sapatos outono-inverno
 
Coluna Moda - Tendências primavera-verão
Coluna Moda - Tendências primavera-verãoColuna Moda - Tendências primavera-verão
Coluna Moda - Tendências primavera-verão
 
Coluna Moda - Pele bonita
Coluna Moda - Pele bonitaColuna Moda - Pele bonita
Coluna Moda - Pele bonita
 
Coluna Moda - Luxo Sustentável
Coluna Moda - Luxo Sustentável Coluna Moda - Luxo Sustentável
Coluna Moda - Luxo Sustentável
 
Coluna Moda - Bons Negócios
Coluna Moda - Bons NegóciosColuna Moda - Bons Negócios
Coluna Moda - Bons Negócios
 
Coluna Moda - Camisa Xadrez
Coluna Moda - Camisa XadrezColuna Moda - Camisa Xadrez
Coluna Moda - Camisa Xadrez
 
Coluna Moda - O Estado RJ
Coluna Moda - O Estado RJColuna Moda - O Estado RJ
Coluna Moda - O Estado RJ
 
Cobertura de Evento - Solvay Pharma
Cobertura de Evento - Solvay PharmaCobertura de Evento - Solvay Pharma
Cobertura de Evento - Solvay Pharma
 
Coluna Moda - O Estado RJ
Coluna Moda - O Estado RJColuna Moda - O Estado RJ
Coluna Moda - O Estado RJ
 

Folder Divulgação Site - Merck Serono

  • 1. WWW.REBIF. NET REBIF. NET Você vai encontrar recursos e ferramentas que vão lhe ajudar de maneira prática, Seu novo parceiro de informação sobre Esclerose Múltipla na sua rotina clínica. CADASTRE-SE. Este canal interativo de comunicação foi criado para fornecer as informações Novidades e Eventos mais atuais sobre Esclerose Múltipla. Para você ficar a par das últimas pesquisas, saber o que elas apontam Guia Esclerose Múltipla e conhecer profundamente a betainterferona-1a, droga modificadora da doença e sua nova formulação. Livros e Artigos recomendados Perguntas Pacientes Ferramentas Médicas Sobre o Rebif Atenção aos pacientes Pacientes diferentes. Necessidades diferentes.
  • 2. MAIS QUE UM PROGRAMA, UMA ATITUDE POSITIVA FAZENDO A DIFERENÇA! pap@merckserono.net Referências 1. Kraus J, Oschmann P. The impact of interferon-beta treatment on the blood-brain barrier. Drug Discov Today. 2006;11:755-62. 2. Chofflon M. Mechanisms of Action for Treatments in Multiple Sclerosis. BioDrugs. 2005;19(5):299-308. 3. Hartung HP. High-dose, high-frequency recombinant interferon beta-1a in the treatment of multiple sclerosis. Expert Opin Pharmacother. 2009;10:291-309 4. Bula do produto 5. Cohen JA. The future of multiple sclerosis treatment. J Neurol Sci.2009;277:S55-61 6. kappos L, Traboulsee A, Constantinescu C, et al. Long-term subcutaneous interferon beta 1a therapy in patients with Relapsing-remitting MS. Neurology 2006; 67:944-53. 7. Vukusic S, Hutchinson M, Hours M, et al. Pregnancy and multiple sclerosis (the PRIMS study): clinical redictors of post-partum relapse. Brain. 2004;127:1353-60 8. Bennett K. Pregnancy and Multiple Sclerosis. CLINICAL OBSTETRICS AND GYNECOLOGY 2005, 48(1): 38-47 9. Waubant E, Sadovnick AD, Interferon beta babies. Neurology 2005. 27;65:788-789 10. Munafo A, Trinchard-Lugan I I, Nguyen TX, Buraglio M. Comparative pharmacokinetics and pharmacodynamics of recombinant human interferon beta-1a after intramuscular and subcutaneous administration. Eur J Neurol. 1998;5:187-193. 11. Rothuizen LE, Buclin T, Spertini F, et al. Influence of interferon beta-1a dose frequency on PBMC cytokine secretion and biological effect markers. J Neuroimmunol. 1999;99:131-41. REBIF® betainterferona-1a Para uso subcutâneo USO ADULTO - Nova Formulação livre de soro fetal bovino e albumina humana USO ADULTO Indicação: O Rebif® (betainterferona-1a) é indicado para o tratamento da Esclerose Múltipla caracterizada pela presença de surtos e demonstrou eficácia na redução do número e gravidade destes, assim como na estabilização da progressão da doença. Contraindicações: A betainterferona-1a está contraindicadaem pacientes com hipersensibilidade conhecida à betainterferona recombinante ou natural ou a qualquer outro excipiente da formulação; gravidez; e em pacientes com distúrbios depressivos graves e/ou ideação suicida. Advertências: Rebif® deve ser utilizado com precaução nos pacientes com histórico anterior ou atual de depressão, em particular naqueles com antecedentes de ideação suicida. Rebif® deve ser administrado com cuidado em pacientes com história clínica de convulsões ou em tratamento com antiepiléticos, especialmente se a epilepsia não está adequadamente controlada. Pacientes com patologias cardíacas, tais como angina, insuficiência cardíaca congestiva ou arritmias, devem ser cuidadosamente monitorizados quanto ao agravamento da sua situação clínica durante o início da terapêutica com betainterferona-1a. Foi relatada necrose no local da injeção nos pacientes em tratamento com Rebif®. Para minimizar possível risco de necrose no local da injeção, os pacientes devem utilizar uma técnica asséptica de injeção e alternar os locais de injeção em cada administração. Os ensaios clínicos com Rebif® foram frequentes a elevação assintomática das transaminases hepáticas (particularmente a ALT), desenvolvendo-se em 1-3% dos pacientes aumentos das transaminases hepáticas 5 vezes acima do limite superior normal (LSN). Na ausência de sintomas clínicos, os níveis séricos de ALT devem ser monitorizados antes de se iniciar a terapêutica, no decurso dos meses 1, 3 e 6, e depois periodicamente. Deve ser considerada a redução da dose de Rebif® se a ALT se elevar 5 vezes acima do LSN, procedendo-se ao re-escalonamento gradual da dose logo que os níveis das enzimas estejam normalizados. O tratamento com Rebif® deve ser iniciado com precaução em pacientes com uma história de doença hepática significativa, evidência clínica de doença hepática ativa, abuso de álcool ou ALT sérica elevada (> 2,5 vezes LSN). O tratamento com Rebif® deve ser suspenso se ocorrer icterícia ou outros sintomas clínicos de distúrbios hepáticos. Rebif®, como qualquer outra betainterferona, apresenta potencial para induzir lesão hepática grave, incluindo insuficiência hepática aguda. Os pacientes em tratamento com Rebif® podem ocasionalmente desenvolver ou agravar distúrbios da tireoide. Deve-se ter precaução e manter uma rigorosa vigilância quando se administra betainterferona-1a em pacientes com insuficiência renal e/ou hepática graves e em pacientes com mielossupressão grave. Pode-se desenvolver anticorpos séricos neutralizantes da betainterferona-1a. Gravidez e aleitamento: Durante a gravidez, está contraindicado o início do tratamento. Não se sabe se o Rebif® é excretado no leite humano. Devido ao potencial de reações adversas graves em crianças a serem amamentadas, deve ser suspenso o aleitamento ou a terapêutica com Rebif®. Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas: Efeitos adversos, menos frequentemente referidos, relacionados com o sistema nervoso central, associados com o uso de betainterferonas, podem influenciar a capacidade de o paciente conduzir ou utilizar máquinas. Interações medicamentosas e outras formas de interação: Foi relatado que as interferonas reduzem a atividade das enzimas hepáticas dependentes do citocromo P-450 no homem e nos animais. Os estudos clínicos indicam que os pacientes com esclerose múltipla podem receber Rebif® e corticosteroides ou ACTH durante as recidivas. Superdosagem: Em caso de superdosagem, os pacientes devem ser hospitalizados para observação e tratamento apropriado. Reações adversas: A incidência mais elevada de reações adversas associadas à terapêutica com Rebif® está relacionada aos sintomas típicos da gripe. Aproximadamente 30% dos pacientes * Necessidades individuais podem variar. podem também apresentar reações no local da injeção, predominantemente inflamação ligeira ou eritema. Elevações assintomáticas nos parâmetros laboratoriais da função hepática e da contagem leucocitária também são frequentes. A maioria das reações adversas observadas com a betainterferona-1a é habitualmente ligeira e reversível e regride com a redução da dose. Em caso de efeitos indesejáveis graves ou persistentes, a dose de Rebif® pode ser temporariamente reduzida ou interrompida, segundo o critério médico. Muito frequentes: Neutropenia, linfopenia, leucopenia, trombocitopenia, anemia, cefaleia, inflamação no local da injeção, reação no local da injeção, sintomas típicos da gripe, elevação assintomática das transaminases. Frequentes: Depressão, insônia, diarreia, vômitos, náuseas, prurido, rash cutâneo, rash eritematoso, rash máculo-papular, mialgias, artralgias, dor no local da injeção, fadiga, calafrios, febre. Pouco frequentes: Abcesso no local de injeção, disfunção da tireoide, geralmente apresentada como hipo ou hipertiroidismo, necrose no local da infecção, massa no local da injeção. Posologia: A posologia recomendada de Rebif® é de 44 µg, três vezes por semana, por injeção subcutânea. Nos pacientes que não podem tolerar a dose mais elevada, recomenda-se a administração de Rebif® 22 µg, três vezes por semana, por injeção subcutânea, de acordo com o critério médico. Quando se inicia o tratamento com Rebif®, a fim de reduzir as reações adversas, recomenda-se a administração de 8,8 µg (0,1 mL da seringa de 44 µg ou 0,2 mL da seringa de 22 µg) durante as duas primeiras semanas de tratamento, 22 µg (0,25 mL da seringa de 44 µg ou a seringa de 22 µg na sua totalidade) nas semanas 3 e 4 e o conteúdo total da seringa de 44 µg a partir da quinta semana. Crianças e adolescentes: Dados publicados, embora limitados, sugerem que o perfil de segurança em adolescentes de 12 a 16 anos de idade, que receberam Rebif® por via subcutânea, 3 vezes por semana, é semelhante ao observado em adultos. São escassas as informações sobre a utilização de Rebif® em crianças com menos de 12 anos de idade, portanto não deve ser utilizado nessa população. Cuidados de conservação: Conservar sob refrigeração (2°C-8°C). Não congelar. Conservar na embalagem de origem para proteger da luz. Ao persistirem os sintomas , o médico deverá ser consultado . VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA Contraindicação: Gravidez Interação medicamentosa: Antiepiléticos Registro MS: Rebif® 44 µg: 1.0089.0351.003-1 Rebif® 22 µg: 1.0089.0351.002-3 MERCK SERONO Pacientes diferentes. Necessidades diferentes. Serviço de Atendimento ao Consumidor - SAC Merck Serono - 0800-113320 Av. das Nações Unidas, 12.995 - 30º andar - Brooklin Novo - São Paulo - SP - 04578-000 Merck Serono é uma Merck Serono é uma divisão de Merck S.A. divisão de Merck S.A. O material destina-se ao treinamento da equipe de enfermagem, não tendo nenhuma função promocional. Material confidencial de uso exclusivo dos profissionais de saúde Merck S.A.