SlideShare uma empresa Scribd logo
O envelhecimento é
processo biológico natural,
no qual as funções de
diferentes órgãos tornam-
se deficientes, alterando a
atividade               dos
medicamentos.
Hidroclorotiazida;
                   Enalapril;
 Insuficiência     Furosemida;
   Cardíaca        Espironolactona;
                   Digoxina;
                   Metoprolol;
                   Atenolol;
  Hipertensão      Terazosina;
    Arterial       Nifedipina;
                   Captopril;
                   Losartan;
                   Metildopa;
Infarto Agudo do   Dobutamina;
    Miocárdio      Adrenalina;
                   Noradrenalina.
Úlceras
  Duodenais e
   gástricas
                   Antiulcerosos;
                   Antidiarréicos;
C.A de Estômago,   Hepatoprotetores;
     Cólon         Antiácidos;
                   Antieméticos;
                   Laxantes .


Prisão de Ventre
Hipertrofia e
   câncer de         Cefalexina;
   próstata;         Cefadroxil;
                     Cefixima;
                     Ácido pipemídico;
                     Nitrofurantoína;
Infecção urinária;   Sulfametoxazol-trimetoprima;
                     Amoxicilina;
                     Ampicilina.
Anemia;
              Suplementação de ácido
              fólico;
              Vitamina B12 ;
              Ferro;
              Citotóxicos
  Anemia;
Leucemias e
 linfomas;
Demências: doença de Alzheimer,
                                      Acidente Vascular Cerebral:
demência vascular e doença de
                                      trombose e embolia cerebral.
Parkinson




                       Hipnóticos e sedativos;
                       Antidepressivos;
                       Desagregadores plaquetários;
                       Heparina;
                       Aas.
Diabetes melittus;


                     Insulina e outros
                     antidiabéticos;
  Alterações da       Hormônios da
     tireoide;       Tireóide;
                     Puran T4 .


  Desidratação;
Artrose;                            Carbonato de cálcio +
                                    vitamina D;
                                    Paracetamol;
                                    Ibuprofeno;
Osteoporose;                        Diclofenac;
                                    Analgésicos e
                                    Antiinflamatórios não--
                                    esteróides (AINES)
Artrite reumatóide;



Fraturas (quadris, rádio, úmero);
Alterações Fisiológicas na Terceira Idade
                                                DISTRIBUIÇÃO:
ABSORÇÃO:
- número de células de absorção                 - albumina sérica
                                                - volume de água corporal
- volume sanguíneo
                                                total
- ritmo de esvaziamento gástrico
                                                - massa muscular
- liberação de ácido ( pH)
                                                - tecido adiposo
* afeta a solubilização de drogas
                                                * fração livre
* pode encontrar-se alterada.
                                                * acúmulo tecidual
                                                *pode levar a intoxicação
                                                *necessidade de ajustar a dose


                                        EXCREÇÃO:
                                        - número total de glomérulos
BIOTRANSFORMAÇÃO:                       - fluxo sanguíneo
- tamanho e peso do                     - filtração glomerular
fígado                                  - função tubular
- fluxo sanguíneo                       - processos de reabsorção
* metabolismo de                        * função renal
fármacos                                * capacidade de eliminação
                                        * Ajuste de dose e do intervalo entre
                                        doses.
Um idoso com vários distúrbios
ou sintomas pode usar fármacos
prescritos por vários médicos ao
mesmo tempo, com o objetivo de
tratar suas queixas agudas e crônicas.
Além disso, ele pode automedicar-se
com fármacos vendidos sem
prescrição para aliviar queixas
comuns, como indigestão,
constipação, tonteira, insônia.
Fatores de risco para polifarmácia
• Idade avançada;
• Sintomas múltiplos ( confusão, tonteira, anorexia, incontinência,
  fraqueza, imobilidade, erupções);

• Várias prescrições por médicos diferentes;
• Uso de várias farmácias;
• Autotratamento;
• Estocagem de fármacos.
Alguns cuidados devem ser sempre tomados quando
 se utilizar qualquer medicamento na terceira idade
    Evitar uso de medicação não necessária, procurando usar, sempre que possível,
    formas de tratamento que não utilizem medicamentos, como fisioterapia, por ex.
    Sempre iniciar tratamento com medicamentos utilizando doses inferiores aquelas
    utilizadas por jovens.
   O aumento da dose deve ser sempre feito vagarosamente e deve ser evitado,
    quando possível, o seu fracionamento ( várias tomadas ao dia ).
   Sempre definir o tempo de tratamento junto ao médico. Nunca tomar medicação por
    longo prazo sem conhecimento do médico.
   Sempre procurar saber com detalhes os possíveis efeitos colaterais do
    medicamento.
     Informar sempre ao médico todos os medicamentos que estão sendo utilizados e
    procurar saber eventuais reações entre os mesmos.
    Evitar sempre que possível a utilização prolongada de medicamentos sintomáticos,
    como por ex, laxantes, tranquilizantes, soníferos, vasoconstritores nasais,
    vasodilatadores, etc.
    Não existe medicamento que deve ser tomado sempre, continuamente, "para o
    resto da vida". Toda medicação deve ser reavaliada periodicamente tanto em função
    do tipo de medicamento como também de sua dosagem.
É importante que a Enfermagem aprenda a
manter-se informada e vigilante a respeito das interações
medicamentosas, hábitos, noções de conhecimento e
entendimento do paciente idoso, pois reconhecendo os
medicamentos, as deficiências e capacidade do idoso em
interpretar informações a ele fornecidas corretamente à
equipe poderá agir em favor do idoso realizando a supervisão
necessária aos cuidados relacionados com a medicação,
assim poderá reduzir a incidência de problemas sérios de
interações medicamentosas potenciais no idoso.


                    • Usar vários fármacos ( em geral 10 ou mais),
                    sem qualquer razão lógica – ex: laxantes que não
                    são necessários;
                    • Ingerir fármacos constantemente, como
                    indutores do sono;
                    • Usar doses inadequadas;
                    • Usar fármacos contra-indicados;
                    • Usar fármacos para tratar reações adversas.
Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fisiologia do envelhecimento
Fisiologia do envelhecimentoFisiologia do envelhecimento
Fisiologia do envelhecimento
André Fidelis
 
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria   Saúde do IdosoEnfermagem em Geriatria   Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
Maria Dias
 
Organização, estrutura e funcionamento hospitalar
Organização, estrutura e funcionamento hospitalarOrganização, estrutura e funcionamento hospitalar
Organização, estrutura e funcionamento hospitalar
NEELLITON SANTOS
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagem
Ana Hollanders
 
Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019
Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019
Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019
Angelo Bos
 
Enfermagem atencao saude idoso
Enfermagem atencao saude idosoEnfermagem atencao saude idoso
Enfermagem atencao saude idoso
Cíntia Monique
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
Rodrigo Abreu
 
Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
Tania Jesus
 
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Aula 04   farmacologia - prof. clara motaAula 04   farmacologia - prof. clara mota
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Clara Mota Brum
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
Alexandre Donha
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
Rafaela Amanso
 
Saúde do idoso
 Saúde do idoso Saúde do idoso
Saúde do idoso
Marcos Figueiredo
 
Administração medicamentos via subcutanea
Administração  medicamentos via subcutaneaAdministração  medicamentos via subcutanea
Administração medicamentos via subcutanea
Viviane da Silva
 
Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentos
Janaína Lassala
 
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva MuñozReações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
morgausesp
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Centro Universitário Ages
 
Enfermagem clínica SLIDE.pptx
Enfermagem clínica SLIDE.pptxEnfermagem clínica SLIDE.pptx
Enfermagem clínica SLIDE.pptx
MirnaKathary1
 
Afecções cardiovasculares
Afecções cardiovascularesAfecções cardiovasculares
Afecções cardiovasculares
A_pri
 
Conceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatriaConceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatria
Madaisa Sousa
 

Mais procurados (20)

Fisiologia do envelhecimento
Fisiologia do envelhecimentoFisiologia do envelhecimento
Fisiologia do envelhecimento
 
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria   Saúde do IdosoEnfermagem em Geriatria   Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
 
Organização, estrutura e funcionamento hospitalar
Organização, estrutura e funcionamento hospitalarOrganização, estrutura e funcionamento hospitalar
Organização, estrutura e funcionamento hospitalar
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagem
 
Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019
Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019
Uso inapropriado de medicamentos em idosos 2019
 
Enfermagem atencao saude idoso
Enfermagem atencao saude idosoEnfermagem atencao saude idoso
Enfermagem atencao saude idoso
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
 
Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)Aula 2   cuidados de saúde do idoso (2)
Aula 2 cuidados de saúde do idoso (2)
 
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Aula 04   farmacologia - prof. clara motaAula 04   farmacologia - prof. clara mota
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
 
Saúde do idoso
 Saúde do idoso Saúde do idoso
Saúde do idoso
 
Administração medicamentos via subcutanea
Administração  medicamentos via subcutaneaAdministração  medicamentos via subcutanea
Administração medicamentos via subcutanea
 
Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentos
 
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva MuñozReações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
Reações Medicamentosas Adversas em Idosos - Profa. Rilva Muñoz
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
Enfermagem clínica SLIDE.pptx
Enfermagem clínica SLIDE.pptxEnfermagem clínica SLIDE.pptx
Enfermagem clínica SLIDE.pptx
 
Afecções cardiovasculares
Afecções cardiovascularesAfecções cardiovasculares
Afecções cardiovasculares
 
Conceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatriaConceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatria
 

Semelhante a Medicamentos mais utilizados pelos idosos

Anabolizantes (1)
Anabolizantes (1)Anabolizantes (1)
Anabolizantes (1)
dalvinhabiomania
 
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdf
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdfINTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdf
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdf
Raquel Souza
 
Cuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressorasCuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressoras
Nayara Dávilla
 
Cuidador de idoso_15
Cuidador de idoso_15Cuidador de idoso_15
Cuidador de idoso_15
Liberty Ensino
 
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptxAULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
ProfYasminBlanco
 
Tontura no idoso e doença de Ménière
Tontura no idoso e doença de MénièreTontura no idoso e doença de Ménière
Tontura no idoso e doença de Ménière
Dario Hart
 
Aula sedacao.pptx
Aula sedacao.pptxAula sedacao.pptx
Aula sedacao.pptx
FrancielleConstantin
 
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptxaula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
PedroNabarrete
 
Idosos semiologia
Idosos semiologiaIdosos semiologia
Idosos semiologia
Adriana Chami
 
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptxAULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
ProfYasminBlanco
 
Benzodiazepínico sppt
Benzodiazepínico spptBenzodiazepínico sppt
Benzodiazepínico sppt
Marjorie Belanno
 
Iatrogenia nos idosos
Iatrogenia nos idososIatrogenia nos idosos
Iatrogenia nos idosos
Eli Oliveira
 
Anti.hipertensivos.2014.pdf
Anti.hipertensivos.2014.pdfAnti.hipertensivos.2014.pdf
Anti.hipertensivos.2014.pdf
FranciscoFlorencio6
 
Paciente de risco
Paciente de riscoPaciente de risco
Paciente de risco
Luanna Melo
 
Farmacos detalhes
Farmacos detalhesFarmacos detalhes
Farmacos detalhes
Brenda Soares
 
Anabolizantes.ppt
Anabolizantes.pptAnabolizantes.ppt
Anabolizantes.ppt
JooBatistaFerreiraCo
 
Farmacoterapia em geriatria
Farmacoterapia em geriatriaFarmacoterapia em geriatria
Farmacoterapia em geriatria
Cristina Nassis
 
AINES e GLICOCOTICÓIDES Anti inflamatorios
AINES e GLICOCOTICÓIDES Anti inflamatoriosAINES e GLICOCOTICÓIDES Anti inflamatorios
AINES e GLICOCOTICÓIDES Anti inflamatorios
LuaraGarcia3
 
Estudo de Caso - Hepatopata
Estudo de Caso - HepatopataEstudo de Caso - Hepatopata
Estudo de Caso - Hepatopata
Cíntia Costa
 
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).pptAULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
MarcoAurlioSoaresFer1
 

Semelhante a Medicamentos mais utilizados pelos idosos (20)

Anabolizantes (1)
Anabolizantes (1)Anabolizantes (1)
Anabolizantes (1)
 
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdf
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdfINTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdf
INTRODUCAO A FARMACOLOGIA ENFERMAGEM.pdf
 
Cuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressorasCuidados com drogas_imunossupressoras
Cuidados com drogas_imunossupressoras
 
Cuidador de idoso_15
Cuidador de idoso_15Cuidador de idoso_15
Cuidador de idoso_15
 
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptxAULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
 
Tontura no idoso e doença de Ménière
Tontura no idoso e doença de MénièreTontura no idoso e doença de Ménière
Tontura no idoso e doença de Ménière
 
Aula sedacao.pptx
Aula sedacao.pptxAula sedacao.pptx
Aula sedacao.pptx
 
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptxaula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
aula 4 - Dispensação e prescrição de medicamentos.pptx
 
Idosos semiologia
Idosos semiologiaIdosos semiologia
Idosos semiologia
 
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptxAULA 1 FARMACOS QUE ATUAM  SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
AULA 1 FARMACOS QUE ATUAM SOBRE O APARELHO CARDIOVASCULAR.pptx
 
Benzodiazepínico sppt
Benzodiazepínico spptBenzodiazepínico sppt
Benzodiazepínico sppt
 
Iatrogenia nos idosos
Iatrogenia nos idososIatrogenia nos idosos
Iatrogenia nos idosos
 
Anti.hipertensivos.2014.pdf
Anti.hipertensivos.2014.pdfAnti.hipertensivos.2014.pdf
Anti.hipertensivos.2014.pdf
 
Paciente de risco
Paciente de riscoPaciente de risco
Paciente de risco
 
Farmacos detalhes
Farmacos detalhesFarmacos detalhes
Farmacos detalhes
 
Anabolizantes.ppt
Anabolizantes.pptAnabolizantes.ppt
Anabolizantes.ppt
 
Farmacoterapia em geriatria
Farmacoterapia em geriatriaFarmacoterapia em geriatria
Farmacoterapia em geriatria
 
AINES e GLICOCOTICÓIDES Anti inflamatorios
AINES e GLICOCOTICÓIDES Anti inflamatoriosAINES e GLICOCOTICÓIDES Anti inflamatorios
AINES e GLICOCOTICÓIDES Anti inflamatorios
 
Estudo de Caso - Hepatopata
Estudo de Caso - HepatopataEstudo de Caso - Hepatopata
Estudo de Caso - Hepatopata
 
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).pptAULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
 

Último

D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 

Último (20)

D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 

Medicamentos mais utilizados pelos idosos

  • 1.
  • 2. O envelhecimento é processo biológico natural, no qual as funções de diferentes órgãos tornam- se deficientes, alterando a atividade dos medicamentos.
  • 3. Hidroclorotiazida; Enalapril; Insuficiência Furosemida; Cardíaca Espironolactona; Digoxina; Metoprolol; Atenolol; Hipertensão Terazosina; Arterial Nifedipina; Captopril; Losartan; Metildopa; Infarto Agudo do Dobutamina; Miocárdio Adrenalina; Noradrenalina.
  • 4.
  • 5. Úlceras Duodenais e gástricas Antiulcerosos; Antidiarréicos; C.A de Estômago, Hepatoprotetores; Cólon Antiácidos; Antieméticos; Laxantes . Prisão de Ventre
  • 6. Hipertrofia e câncer de Cefalexina; próstata; Cefadroxil; Cefixima; Ácido pipemídico; Nitrofurantoína; Infecção urinária; Sulfametoxazol-trimetoprima; Amoxicilina; Ampicilina.
  • 7. Anemia; Suplementação de ácido fólico; Vitamina B12 ; Ferro; Citotóxicos Anemia; Leucemias e linfomas;
  • 8. Demências: doença de Alzheimer, Acidente Vascular Cerebral: demência vascular e doença de trombose e embolia cerebral. Parkinson Hipnóticos e sedativos; Antidepressivos; Desagregadores plaquetários; Heparina; Aas.
  • 9. Diabetes melittus; Insulina e outros antidiabéticos; Alterações da Hormônios da tireoide; Tireóide; Puran T4 . Desidratação;
  • 10. Artrose; Carbonato de cálcio + vitamina D; Paracetamol; Ibuprofeno; Osteoporose; Diclofenac; Analgésicos e Antiinflamatórios não-- esteróides (AINES) Artrite reumatóide; Fraturas (quadris, rádio, úmero);
  • 11. Alterações Fisiológicas na Terceira Idade DISTRIBUIÇÃO: ABSORÇÃO: - número de células de absorção - albumina sérica - volume de água corporal - volume sanguíneo total - ritmo de esvaziamento gástrico - massa muscular - liberação de ácido ( pH) - tecido adiposo * afeta a solubilização de drogas * fração livre * pode encontrar-se alterada. * acúmulo tecidual *pode levar a intoxicação *necessidade de ajustar a dose EXCREÇÃO: - número total de glomérulos BIOTRANSFORMAÇÃO: - fluxo sanguíneo - tamanho e peso do - filtração glomerular fígado - função tubular - fluxo sanguíneo - processos de reabsorção * metabolismo de * função renal fármacos * capacidade de eliminação * Ajuste de dose e do intervalo entre doses.
  • 12. Um idoso com vários distúrbios ou sintomas pode usar fármacos prescritos por vários médicos ao mesmo tempo, com o objetivo de tratar suas queixas agudas e crônicas. Além disso, ele pode automedicar-se com fármacos vendidos sem prescrição para aliviar queixas comuns, como indigestão, constipação, tonteira, insônia.
  • 13. Fatores de risco para polifarmácia • Idade avançada; • Sintomas múltiplos ( confusão, tonteira, anorexia, incontinência, fraqueza, imobilidade, erupções); • Várias prescrições por médicos diferentes; • Uso de várias farmácias; • Autotratamento; • Estocagem de fármacos.
  • 14. Alguns cuidados devem ser sempre tomados quando se utilizar qualquer medicamento na terceira idade  Evitar uso de medicação não necessária, procurando usar, sempre que possível, formas de tratamento que não utilizem medicamentos, como fisioterapia, por ex.  Sempre iniciar tratamento com medicamentos utilizando doses inferiores aquelas utilizadas por jovens.  O aumento da dose deve ser sempre feito vagarosamente e deve ser evitado, quando possível, o seu fracionamento ( várias tomadas ao dia ).  Sempre definir o tempo de tratamento junto ao médico. Nunca tomar medicação por longo prazo sem conhecimento do médico.  Sempre procurar saber com detalhes os possíveis efeitos colaterais do medicamento. Informar sempre ao médico todos os medicamentos que estão sendo utilizados e procurar saber eventuais reações entre os mesmos.  Evitar sempre que possível a utilização prolongada de medicamentos sintomáticos, como por ex, laxantes, tranquilizantes, soníferos, vasoconstritores nasais, vasodilatadores, etc.  Não existe medicamento que deve ser tomado sempre, continuamente, "para o resto da vida". Toda medicação deve ser reavaliada periodicamente tanto em função do tipo de medicamento como também de sua dosagem.
  • 15. É importante que a Enfermagem aprenda a manter-se informada e vigilante a respeito das interações medicamentosas, hábitos, noções de conhecimento e entendimento do paciente idoso, pois reconhecendo os medicamentos, as deficiências e capacidade do idoso em interpretar informações a ele fornecidas corretamente à equipe poderá agir em favor do idoso realizando a supervisão necessária aos cuidados relacionados com a medicação, assim poderá reduzir a incidência de problemas sérios de interações medicamentosas potenciais no idoso. • Usar vários fármacos ( em geral 10 ou mais), sem qualquer razão lógica – ex: laxantes que não são necessários; • Ingerir fármacos constantemente, como indutores do sono; • Usar doses inadequadas; • Usar fármacos contra-indicados; • Usar fármacos para tratar reações adversas.
  • 16.