SlideShare uma empresa Scribd logo
MÓDULO 7 –
TRATAMENTO
DE FICHEIROS
Branca Silva
OBJETIVOS
• Conhecer as regras da declaração de ficheiros
• Identificar as operações definidas para a manipulação
de ficheiros
• Dominar técnicas de processamento de ficheiros
• Elaborar programas que recorram a ficheiros como
suporte de dados
• Conhecer as operações específicas para manipular
ficheiros de texto
• Dominar as técnicas de processamento de ficheiros
de texto
• Elaborar programas que recorram a ficheiros de texto
como suporte de dados
• Ser capaz de tornar persistente a informação
necessária a execução do programa
2
CONTEÚDO
S
1. Conceitos Gerais
2. Criação de Ficheiros
2.1. Ficheiros de Dados
2.2. Ficheiros de Texto
3. Instruções de controlo de ficheiros
4. Manipulação de informação em ficheiros
5. Manipulação de ficheiros com recurso a
estruturas dinâmicas
3
CONCEITO DE FICHEIRO
Em informática, um ficheiro (ou arquivo) é
uma unidade básica de armazenamento
de informações num dispositivo de
armazenamento de dados, como um
disco rígido, uma unidade flash USB, um
CD-ROM ou um DVD.
4
CONCEITO DE FICHEIRO
Um ficheiro é composto por dados e
metadados.
Os dados são as informações que o
ficheiro contém.
Os metadados são informações que
descrevem os dados, como o nome do
ficheiro, a data em que foi criado, o
tamanho do ficheiro e outras informações
relevantes.
5
CONCEITO DE FICHEIRO
Os ficheiros podem ser de diferentes
tipos, como texto, imagem, vídeo, áudio,
folhas de cálculo, apresentações, entre
outros.
Eles podem ser criados, editados,
copiados, movidos ou eliminados por
meio de programas ou ferramentas
específicas, como editores de texto,
editores de imagem, players de vídeo ou
gestores de ficheiros.
6
TIPOS DE FICHEIROS
Ficheiros de
multimédia
Contêm vários tipos de
conteúdo, incluindo áudio,
vídeo, imagens, animações
e interatividade.
Um exemplo de ficheiro de
multimédia é o formato
MP4, WAV, AVI, MOV, MKV,
FLAC….
7
Ficheiros de Som
Ficheiros de som: Esses
ficheiros contêm som
gravado, como música, voz
ou efeitos sonoros.
Um exemplo de ficheiro de
som é o formato MP3, WAV,
FLAC, WMA, AAC…
TIPOS DE FICHEIROS
Ficheiros de texto
Esses ficheiros contêm texto
simples ou formatado, como
documentos, scripts e
código fonte.
Um exemplo de ficheiro de
texto é o formato TXT, RTF,
DOC/DOCX, PDF, HTML,
XML…
8
Ficheiros de
Imagem
Esses ficheiros contêm
imagens digitais, como
fotografias, ilustrações e
gráficos.
Um exemplo de ficheiro de
imagem é o formato JPEG,
PNG, IMG, GIF, BMP,
SVG….
CONCEITO DE PASTAS
Uma pasta é uma forma de organização de ficheiros e outros itens de
informação num espaço de armazenamento.
As pastas permitem que os utilizadores agrupem e organizem os
seus ficheiros de acordo com um critério específico, facilitando a
localização e a gestão dos mesmos.
9
CONCEITO DE PASTAS
As pastas são criadas dentro de um sistema de ficheiros e
normalmente possuem um nome que as identifica e as diferencia das
outras pastas.
Os utilizadores podem criar pastas dentro de outras pastas, criando
assim uma hierarquia de pastas, o que ajuda a organizar os ficheiros
de forma mais clara e lógica. 10
CAMINHOS
• Em sistemas da informação, os softwares podem usar dois tipos de
caminhos para a localização das pastas nos sistemas de
armazenamento:
o Caminhos Absolutos
o Caminhos Relativos
CAMINHOS
ABSOLUTOS
Um caminho absoluto é uma forma de
descrever a localização exata de um ficheiro
ou pasta a partir da raiz do sistema de
ficheiros.
Inclui todas as pastas e subpastas necessárias
para chegar ao ficheiro ou pasta em questão,
começando pelo diretório raiz do sistema de
ficheiros.
12
CAMINHOS
RELATIVOS
Um caminho relativo é uma forma de
descrever a localização de um ficheiro ou
pasta em relação à localização do ficheiro
que o está a referenciar.
Descreve o caminho para o ficheiro ou
pasta pretendido a partir do local onde o
ficheiro referenciante está localizado.
13
CAMINHOS ABSULTOS VS
RELATIVOS
Caminho Absoluto
Suponhamos que temos um
ficheiro denominado
"documento.txt" que está
localizado na pasta "relatórios",
que está dentro da pasta
"empresa". Se estivermos a
trabalhar num sistema de ficheiros
baseado em Windows, um
caminho absoluto para este
ficheiro pode ser:
"C:utilizadoresnome_do_utiliza
dordocumentosempresarelatór
iosdocumento.txt"
Caminho Relativo
Suponhamos que estamos a
trabalhar no mesmo sistema de
ficheiros do exemplo anterior e
temos um ficheiro denominado
"análise.xlsx" na pasta
"planilhas", que está na mesma
pasta "relatórios" onde está o
ficheiro "documento.txt".
O caminho relativo para o ficheiro
"análise.xlsx" a partir do ficheiro
"documento.txt" seria
"../planilhas/análise.xlsx".
14
CAMINHOS
ABSULTOS VS
RELATIVOS
15
Tanto os caminhos absolutos como os relativos
são úteis em sistemas de informação para
localizar e referenciar ficheiros e pastas em
diferentes contextos.
Os caminhos absolutos são mais precisos e
universais, enquanto os caminhos relativos são
mais flexíveis e portáteis.
SISTEMA DE FICHEIROS
Gere a forma como os
ficheiros são
armazenados,
organizados e acedidos
num dispositivo de
armazenamento, como
um disco rígido ou um
dispositivo de
armazenamento em
nuvem.
ajuda a organizar os
dados em unidades
lógicas, como ficheiros e
pastas, tornando mais
fácil encontrar, aceder e
gerir informações.
permitem que os
utilizadores criem,
editem, apaguem e
movam ficheiros e
pastas num dispositivo
de armazenamento, e
garantem que essas
operações sejam
realizadas com
segurança e eficiência.
16
TIPOS DE SISTEMAS
DE FICHEIROS
FAT (FILE ALLOCATION TABLE)
foi um sistema de ficheiros amplamente
utilizado em sistemas operativos como MS-
DOS e Windows. É um sistema de ficheiros
simples e de baixo custo que usa uma tabela
de alocação de ficheiros para gerenciar o
espaço em disco.
NTFS (NEW TECHNOLOGY FILE
SYSTEM)
é um sistema de ficheiros mais avançado e
robusto usado em sistemas operativos
Windows mais recentes. Oferece recursos
avançados, como segurança de arquivos,
criptografia e compressão de ficheiros.
17
TIPOS DE SISTEMAS
DE FICHEIROS
HFS+ (HIERARCHICAL FILE
SYSTEM PLUS)
é o sistema de ficheiros padrão usado em
sistemas operativos Mac OS X. É um sistema
de ficheiros com recursos avançados, como
suporte a arquivos grandes e journalling para
maior confiabilidade e recuperação de dados.
APFS (APPLE FILE SYSTEM)
é o sistema de ficheiros padrão usado em
sistemas operativos Mac OS X mais recentes.
É um sistema de ficheiros moderno e
otimizado para unidades de estado sólido
(SSDs), oferecendo recursos como segurança
de arquivos, journalling, snapshots e 18
TIPOS DE SISTEMAS
DE FICHEIROS
EXT (EXTENDED FILE SYSTEM)
é o sistema de ficheiros usado em
sistemas operativos Linux. Existem várias
versões do sistema de ficheiros EXT,
como EXT2, EXT3 e EXT4, que oferecem
diferentes recursos e desempenho.
19
PROPRIEDADES DE UM FICHEIRO
20
As propriedades de um ficheiro podem variar de acordo com o sistema operativo
e o tipo de ficheiro em questão. No entanto, algumas das propriedades mais
comuns incluem:
1. Nome: o nome do ficheiro, que normalmente inclui uma extensão indicando o tipo de
ficheiro.
2. Tamanho: o tamanho do ficheiro em bytes, kilobytes, megabytes, ou outro tipo de
medida.
3. Localização: o caminho ou diretório onde o ficheiro está armazenado.
4. Data de criação: a data em que o ficheiro foi criado.
5. Data de modificação: a data em que o ficheiro foi modificado pela última vez.
6. Permissões: as permissões de acesso ao ficheiro, que determinam quem pode ler,
escrever ou executar o ficheiro.
7. Tipo de ficheiro: o tipo de ficheiro, que pode ser de texto, imagem, som, vídeo, entre
outros.
ATRIBUTOS DE UM FICHEIRO
21
Os atributos de um ficheiro são características que definem o comportamento e o
estado de um ficheiro num sistema operativo. Alguns dos atributos mais comuns
incluem:
1.Somente leitura: quando este atributo é aplicado a um ficheiro, ele não pode ser
modificado ou apagado, apenas lido.
2.Oculto: um ficheiro com este atributo não será exibido na listagem de ficheiros do
sistema operativo, a menos que as opções de visualização sejam ajustadas.
3.Arquivo de sistema: um ficheiro com este atributo é parte do sistema operativo e pode
ser necessário para o seu funcionamento adequado.
4.Comprimido: este atributo indica que o ficheiro foi compactado para economizar
espaço em disco.
5.Criptografado: quando este atributo é aplicado a um ficheiro, ele é protegido por um
código de acesso para garantir que só possa ser aberto por utilizadores autorizados.
6.Backup: este atributo indica que o ficheiro é parte de um conjunto de cópias de
segurança do sistema operativo.
OPERAÇÕES SOBRE FICHEIROS
22
Sobre os ficheiros, podem ser realizadas diversas operações, dependendo das
permissões de acesso do utilizador e do sistema operativo utilizado. Algumas das
operações mais comuns incluem:
1.Criar um ficheiro: criar um novo ficheiro vazio, que pode ser preenchido
posteriormente com informação.
2.Ler um ficheiro: abrir um ficheiro existente para ler o seu conteúdo, sem alterá-lo.
3.Editar um ficheiro: abrir um ficheiro existente para editar o seu conteúdo e guardá-lo
com as alterações efetuadas.
4.Copiar um ficheiro: criar uma cópia de um ficheiro existente, que pode ser utilizada
para fins de backup ou para compartilhar informações.
5.Mover um ficheiro: deslocar um ficheiro existente de uma localização para outra dentro
do sistema de arquivos.
6.Eliminar um ficheiro: apagar um ficheiro existente do sistema de arquivos.
7.Mudar o nome de um ficheiro: alterar o nome de um ficheiro existente, sem modificar
o seu conteúdo.
OBRIGADO
Branca Silva
brancasilva@epinfante.com
brancasofiasilva@gmail.com
23

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistemas Operacionais - Aula 06 (Estrutura do S.O)
Sistemas Operacionais - Aula 06 (Estrutura do S.O)Sistemas Operacionais - Aula 06 (Estrutura do S.O)
Sistemas Operacionais - Aula 06 (Estrutura do S.O)
Leinylson Fontinele
 
PostgreSQL
PostgreSQLPostgreSQL
Aula 09 instalação de hardware
Aula 09 instalação de hardwareAula 09 instalação de hardware
Aula 09 instalação de hardware
Jorge Ávila Miranda
 
Aula 1 - Introdução a POO
Aula 1 -  Introdução a POOAula 1 -  Introdução a POO
Aula 1 - Introdução a POO
Daniel Brandão
 
Aula sobre Linux.
Aula sobre Linux. Aula sobre Linux.
Aula sobre Linux.
Armando Rivarola
 
Aula 04 arquitetura de computadores
Aula 04   arquitetura de computadoresAula 04   arquitetura de computadores
Aula 04 arquitetura de computadores
Daniel Moura
 
Introdução à Arquitetura de Computadores
Introdução à Arquitetura de ComputadoresIntrodução à Arquitetura de Computadores
Introdução à Arquitetura de Computadores
Mauro Pereira
 
Módulo 1 de PSI
Módulo 1 de PSIMódulo 1 de PSI
Módulo 1 de PSI
Hilário Santos Russo
 
Aula Introdução a Arquitetura e Organização de Computadores
Aula Introdução a Arquitetura e Organização de ComputadoresAula Introdução a Arquitetura e Organização de Computadores
Aula Introdução a Arquitetura e Organização de Computadores
Gilvan Latreille
 
O paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetosO paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetos
Nécio de Lima Veras
 
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de OliveiraSistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
Wellington Oliveira
 
Banco de Dados I - Aula 06 - Banco de Dados Relacional (Modelo Lógico)
Banco de Dados I - Aula 06 - Banco de Dados Relacional (Modelo Lógico)Banco de Dados I - Aula 06 - Banco de Dados Relacional (Modelo Lógico)
Banco de Dados I - Aula 06 - Banco de Dados Relacional (Modelo Lógico)
Leinylson Fontinele
 
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de ComputadoresIntrodução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Wellington Oliveira
 
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DER
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DERBanco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DER
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DER
Rangel Javier
 
Atividade fundamentos-de-redes
Atividade fundamentos-de-redesAtividade fundamentos-de-redes
Atividade fundamentos-de-redes
Arlimar Jacinto
 
Introdução a JavaScript
Introdução a JavaScriptIntrodução a JavaScript
Introdução a JavaScript
Bruno Catão
 
Estrutura de dados
Estrutura de dadosEstrutura de dados
Estrutura de dados
Daniel Fernandes Costa
 
Aula 04-gerenciamento-basico-de-memoria
Aula 04-gerenciamento-basico-de-memoriaAula 04-gerenciamento-basico-de-memoria
Aula 04-gerenciamento-basico-de-memoria
Cristiano Pires Martins
 
Sistema operativo servidor
Sistema operativo servidorSistema operativo servidor
Sistema operativo servidor
Sandu Postolachi
 
Aula 06-oac-memoria-principal
Aula 06-oac-memoria-principalAula 06-oac-memoria-principal
Aula 06-oac-memoria-principal
Cristiano Pires Martins
 

Mais procurados (20)

Sistemas Operacionais - Aula 06 (Estrutura do S.O)
Sistemas Operacionais - Aula 06 (Estrutura do S.O)Sistemas Operacionais - Aula 06 (Estrutura do S.O)
Sistemas Operacionais - Aula 06 (Estrutura do S.O)
 
PostgreSQL
PostgreSQLPostgreSQL
PostgreSQL
 
Aula 09 instalação de hardware
Aula 09 instalação de hardwareAula 09 instalação de hardware
Aula 09 instalação de hardware
 
Aula 1 - Introdução a POO
Aula 1 -  Introdução a POOAula 1 -  Introdução a POO
Aula 1 - Introdução a POO
 
Aula sobre Linux.
Aula sobre Linux. Aula sobre Linux.
Aula sobre Linux.
 
Aula 04 arquitetura de computadores
Aula 04   arquitetura de computadoresAula 04   arquitetura de computadores
Aula 04 arquitetura de computadores
 
Introdução à Arquitetura de Computadores
Introdução à Arquitetura de ComputadoresIntrodução à Arquitetura de Computadores
Introdução à Arquitetura de Computadores
 
Módulo 1 de PSI
Módulo 1 de PSIMódulo 1 de PSI
Módulo 1 de PSI
 
Aula Introdução a Arquitetura e Organização de Computadores
Aula Introdução a Arquitetura e Organização de ComputadoresAula Introdução a Arquitetura e Organização de Computadores
Aula Introdução a Arquitetura e Organização de Computadores
 
O paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetosO paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetos
 
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de OliveiraSistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
Sistemas Operacionais Processos e Threads - Wellington Pinto de Oliveira
 
Banco de Dados I - Aula 06 - Banco de Dados Relacional (Modelo Lógico)
Banco de Dados I - Aula 06 - Banco de Dados Relacional (Modelo Lógico)Banco de Dados I - Aula 06 - Banco de Dados Relacional (Modelo Lógico)
Banco de Dados I - Aula 06 - Banco de Dados Relacional (Modelo Lógico)
 
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de ComputadoresIntrodução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
 
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DER
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DERBanco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DER
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DER
 
Atividade fundamentos-de-redes
Atividade fundamentos-de-redesAtividade fundamentos-de-redes
Atividade fundamentos-de-redes
 
Introdução a JavaScript
Introdução a JavaScriptIntrodução a JavaScript
Introdução a JavaScript
 
Estrutura de dados
Estrutura de dadosEstrutura de dados
Estrutura de dados
 
Aula 04-gerenciamento-basico-de-memoria
Aula 04-gerenciamento-basico-de-memoriaAula 04-gerenciamento-basico-de-memoria
Aula 04-gerenciamento-basico-de-memoria
 
Sistema operativo servidor
Sistema operativo servidorSistema operativo servidor
Sistema operativo servidor
 
Aula 06-oac-memoria-principal
Aula 06-oac-memoria-principalAula 06-oac-memoria-principal
Aula 06-oac-memoria-principal
 

Semelhante a Módulo 7 – Tratamento de ficheiros.pptx

SO04 - Sistemas-Operacionais - Gerencia de Arquivos.pdf
SO04 - Sistemas-Operacionais - Gerencia de Arquivos.pdfSO04 - Sistemas-Operacionais - Gerencia de Arquivos.pdf
SO04 - Sistemas-Operacionais - Gerencia de Arquivos.pdf
Silvano Oliveira
 
FACULDADE DE CIÊNCIAS EXACTAS E TECNOLÓGICAS SLIDE 4 GRUPO.pptx
FACULDADE DE CIÊNCIAS EXACTAS E TECNOLÓGICAS SLIDE 4 GRUPO.pptxFACULDADE DE CIÊNCIAS EXACTAS E TECNOLÓGICAS SLIDE 4 GRUPO.pptx
FACULDADE DE CIÊNCIAS EXACTAS E TECNOLÓGICAS SLIDE 4 GRUPO.pptx
RolleynMachoco
 
1ª Unidade Sistemas de arquivos
1ª Unidade Sistemas de arquivos1ª Unidade Sistemas de arquivos
1ª Unidade Sistemas de arquivos
Cleiton Cunha
 
Apostila 8 sistema de arquivos
Apostila 8   sistema de arquivosApostila 8   sistema de arquivos
Apostila 8 sistema de arquivos
Paulo Fonseca
 
Sistemas de arquivos artigo
Sistemas de arquivos   artigoSistemas de arquivos   artigo
Sistemas de arquivos artigo
Daiana de Ávila
 
Sgf
SgfSgf
Sistemas de arquivos cap 04 (iii unidade)
Sistemas de arquivos cap 04 (iii unidade)Sistemas de arquivos cap 04 (iii unidade)
Sistemas de arquivos cap 04 (iii unidade)
Faculdade Mater Christi
 
ADS e GTI
ADS e GTIADS e GTI
ADS e GTI
Marcellus Dutra
 
Aula 3: Introdução a sistema de arquivos
Aula 3: Introdução a sistema de arquivosAula 3: Introdução a sistema de arquivos
Aula 3: Introdução a sistema de arquivos
camila_seixas
 
Artigo ipiranga
Artigo ipirangaArtigo ipiranga
Artigo ipiranga
lobotutb
 
Unidade 3.3 Estrutura de Diretórios Linux
Unidade 3.3 Estrutura de Diretórios LinuxUnidade 3.3 Estrutura de Diretórios Linux
Unidade 3.3 Estrutura de Diretórios Linux
Juan Carlos Lamarão
 
Sistemas de arquivos
Sistemas de arquivosSistemas de arquivos
Sistemas de arquivos
Ivani Nascimento
 
Introdução ao linux
Introdução ao linuxIntrodução ao linux
Introdução ao linux
Filipe Jesus
 
Material sobre sistemas de arquivos do Windows,como é a organização e o supor...
Material sobre sistemas de arquivos do Windows,como é a organização e o supor...Material sobre sistemas de arquivos do Windows,como é a organização e o supor...
Material sobre sistemas de arquivos do Windows,como é a organização e o supor...
Julio Oliveira
 
Sistemas de arquivos feito em latex
Sistemas de arquivos feito em latexSistemas de arquivos feito em latex
Sistemas de arquivos feito em latex
Bruno Teixeira
 
teAula 11
teAula 11teAula 11
Ft3 Res
Ft3 ResFt3 Res
Sd01 (si) sistemas de arquivos
Sd01 (si)   sistemas de arquivosSd01 (si)   sistemas de arquivos
Sd01 (si) sistemas de arquivos
Computação Depressão
 
Sistema de ficheiros
Sistema de ficheirosSistema de ficheiros
Sistema de ficheiros
ATEC
 
Sis arqlinux
Sis arqlinuxSis arqlinux
Sis arqlinux
zirimbas
 

Semelhante a Módulo 7 – Tratamento de ficheiros.pptx (20)

SO04 - Sistemas-Operacionais - Gerencia de Arquivos.pdf
SO04 - Sistemas-Operacionais - Gerencia de Arquivos.pdfSO04 - Sistemas-Operacionais - Gerencia de Arquivos.pdf
SO04 - Sistemas-Operacionais - Gerencia de Arquivos.pdf
 
FACULDADE DE CIÊNCIAS EXACTAS E TECNOLÓGICAS SLIDE 4 GRUPO.pptx
FACULDADE DE CIÊNCIAS EXACTAS E TECNOLÓGICAS SLIDE 4 GRUPO.pptxFACULDADE DE CIÊNCIAS EXACTAS E TECNOLÓGICAS SLIDE 4 GRUPO.pptx
FACULDADE DE CIÊNCIAS EXACTAS E TECNOLÓGICAS SLIDE 4 GRUPO.pptx
 
1ª Unidade Sistemas de arquivos
1ª Unidade Sistemas de arquivos1ª Unidade Sistemas de arquivos
1ª Unidade Sistemas de arquivos
 
Apostila 8 sistema de arquivos
Apostila 8   sistema de arquivosApostila 8   sistema de arquivos
Apostila 8 sistema de arquivos
 
Sistemas de arquivos artigo
Sistemas de arquivos   artigoSistemas de arquivos   artigo
Sistemas de arquivos artigo
 
Sgf
SgfSgf
Sgf
 
Sistemas de arquivos cap 04 (iii unidade)
Sistemas de arquivos cap 04 (iii unidade)Sistemas de arquivos cap 04 (iii unidade)
Sistemas de arquivos cap 04 (iii unidade)
 
ADS e GTI
ADS e GTIADS e GTI
ADS e GTI
 
Aula 3: Introdução a sistema de arquivos
Aula 3: Introdução a sistema de arquivosAula 3: Introdução a sistema de arquivos
Aula 3: Introdução a sistema de arquivos
 
Artigo ipiranga
Artigo ipirangaArtigo ipiranga
Artigo ipiranga
 
Unidade 3.3 Estrutura de Diretórios Linux
Unidade 3.3 Estrutura de Diretórios LinuxUnidade 3.3 Estrutura de Diretórios Linux
Unidade 3.3 Estrutura de Diretórios Linux
 
Sistemas de arquivos
Sistemas de arquivosSistemas de arquivos
Sistemas de arquivos
 
Introdução ao linux
Introdução ao linuxIntrodução ao linux
Introdução ao linux
 
Material sobre sistemas de arquivos do Windows,como é a organização e o supor...
Material sobre sistemas de arquivos do Windows,como é a organização e o supor...Material sobre sistemas de arquivos do Windows,como é a organização e o supor...
Material sobre sistemas de arquivos do Windows,como é a organização e o supor...
 
Sistemas de arquivos feito em latex
Sistemas de arquivos feito em latexSistemas de arquivos feito em latex
Sistemas de arquivos feito em latex
 
teAula 11
teAula 11teAula 11
teAula 11
 
Ft3 Res
Ft3 ResFt3 Res
Ft3 Res
 
Sd01 (si) sistemas de arquivos
Sd01 (si)   sistemas de arquivosSd01 (si)   sistemas de arquivos
Sd01 (si) sistemas de arquivos
 
Sistema de ficheiros
Sistema de ficheirosSistema de ficheiros
Sistema de ficheiros
 
Sis arqlinux
Sis arqlinuxSis arqlinux
Sis arqlinux
 

Módulo 7 – Tratamento de ficheiros.pptx

  • 1. MÓDULO 7 – TRATAMENTO DE FICHEIROS Branca Silva
  • 2. OBJETIVOS • Conhecer as regras da declaração de ficheiros • Identificar as operações definidas para a manipulação de ficheiros • Dominar técnicas de processamento de ficheiros • Elaborar programas que recorram a ficheiros como suporte de dados • Conhecer as operações específicas para manipular ficheiros de texto • Dominar as técnicas de processamento de ficheiros de texto • Elaborar programas que recorram a ficheiros de texto como suporte de dados • Ser capaz de tornar persistente a informação necessária a execução do programa 2
  • 3. CONTEÚDO S 1. Conceitos Gerais 2. Criação de Ficheiros 2.1. Ficheiros de Dados 2.2. Ficheiros de Texto 3. Instruções de controlo de ficheiros 4. Manipulação de informação em ficheiros 5. Manipulação de ficheiros com recurso a estruturas dinâmicas 3
  • 4. CONCEITO DE FICHEIRO Em informática, um ficheiro (ou arquivo) é uma unidade básica de armazenamento de informações num dispositivo de armazenamento de dados, como um disco rígido, uma unidade flash USB, um CD-ROM ou um DVD. 4
  • 5. CONCEITO DE FICHEIRO Um ficheiro é composto por dados e metadados. Os dados são as informações que o ficheiro contém. Os metadados são informações que descrevem os dados, como o nome do ficheiro, a data em que foi criado, o tamanho do ficheiro e outras informações relevantes. 5
  • 6. CONCEITO DE FICHEIRO Os ficheiros podem ser de diferentes tipos, como texto, imagem, vídeo, áudio, folhas de cálculo, apresentações, entre outros. Eles podem ser criados, editados, copiados, movidos ou eliminados por meio de programas ou ferramentas específicas, como editores de texto, editores de imagem, players de vídeo ou gestores de ficheiros. 6
  • 7. TIPOS DE FICHEIROS Ficheiros de multimédia Contêm vários tipos de conteúdo, incluindo áudio, vídeo, imagens, animações e interatividade. Um exemplo de ficheiro de multimédia é o formato MP4, WAV, AVI, MOV, MKV, FLAC…. 7 Ficheiros de Som Ficheiros de som: Esses ficheiros contêm som gravado, como música, voz ou efeitos sonoros. Um exemplo de ficheiro de som é o formato MP3, WAV, FLAC, WMA, AAC…
  • 8. TIPOS DE FICHEIROS Ficheiros de texto Esses ficheiros contêm texto simples ou formatado, como documentos, scripts e código fonte. Um exemplo de ficheiro de texto é o formato TXT, RTF, DOC/DOCX, PDF, HTML, XML… 8 Ficheiros de Imagem Esses ficheiros contêm imagens digitais, como fotografias, ilustrações e gráficos. Um exemplo de ficheiro de imagem é o formato JPEG, PNG, IMG, GIF, BMP, SVG….
  • 9. CONCEITO DE PASTAS Uma pasta é uma forma de organização de ficheiros e outros itens de informação num espaço de armazenamento. As pastas permitem que os utilizadores agrupem e organizem os seus ficheiros de acordo com um critério específico, facilitando a localização e a gestão dos mesmos. 9
  • 10. CONCEITO DE PASTAS As pastas são criadas dentro de um sistema de ficheiros e normalmente possuem um nome que as identifica e as diferencia das outras pastas. Os utilizadores podem criar pastas dentro de outras pastas, criando assim uma hierarquia de pastas, o que ajuda a organizar os ficheiros de forma mais clara e lógica. 10
  • 11. CAMINHOS • Em sistemas da informação, os softwares podem usar dois tipos de caminhos para a localização das pastas nos sistemas de armazenamento: o Caminhos Absolutos o Caminhos Relativos
  • 12. CAMINHOS ABSOLUTOS Um caminho absoluto é uma forma de descrever a localização exata de um ficheiro ou pasta a partir da raiz do sistema de ficheiros. Inclui todas as pastas e subpastas necessárias para chegar ao ficheiro ou pasta em questão, começando pelo diretório raiz do sistema de ficheiros. 12
  • 13. CAMINHOS RELATIVOS Um caminho relativo é uma forma de descrever a localização de um ficheiro ou pasta em relação à localização do ficheiro que o está a referenciar. Descreve o caminho para o ficheiro ou pasta pretendido a partir do local onde o ficheiro referenciante está localizado. 13
  • 14. CAMINHOS ABSULTOS VS RELATIVOS Caminho Absoluto Suponhamos que temos um ficheiro denominado "documento.txt" que está localizado na pasta "relatórios", que está dentro da pasta "empresa". Se estivermos a trabalhar num sistema de ficheiros baseado em Windows, um caminho absoluto para este ficheiro pode ser: "C:utilizadoresnome_do_utiliza dordocumentosempresarelatór iosdocumento.txt" Caminho Relativo Suponhamos que estamos a trabalhar no mesmo sistema de ficheiros do exemplo anterior e temos um ficheiro denominado "análise.xlsx" na pasta "planilhas", que está na mesma pasta "relatórios" onde está o ficheiro "documento.txt". O caminho relativo para o ficheiro "análise.xlsx" a partir do ficheiro "documento.txt" seria "../planilhas/análise.xlsx". 14
  • 15. CAMINHOS ABSULTOS VS RELATIVOS 15 Tanto os caminhos absolutos como os relativos são úteis em sistemas de informação para localizar e referenciar ficheiros e pastas em diferentes contextos. Os caminhos absolutos são mais precisos e universais, enquanto os caminhos relativos são mais flexíveis e portáteis.
  • 16. SISTEMA DE FICHEIROS Gere a forma como os ficheiros são armazenados, organizados e acedidos num dispositivo de armazenamento, como um disco rígido ou um dispositivo de armazenamento em nuvem. ajuda a organizar os dados em unidades lógicas, como ficheiros e pastas, tornando mais fácil encontrar, aceder e gerir informações. permitem que os utilizadores criem, editem, apaguem e movam ficheiros e pastas num dispositivo de armazenamento, e garantem que essas operações sejam realizadas com segurança e eficiência. 16
  • 17. TIPOS DE SISTEMAS DE FICHEIROS FAT (FILE ALLOCATION TABLE) foi um sistema de ficheiros amplamente utilizado em sistemas operativos como MS- DOS e Windows. É um sistema de ficheiros simples e de baixo custo que usa uma tabela de alocação de ficheiros para gerenciar o espaço em disco. NTFS (NEW TECHNOLOGY FILE SYSTEM) é um sistema de ficheiros mais avançado e robusto usado em sistemas operativos Windows mais recentes. Oferece recursos avançados, como segurança de arquivos, criptografia e compressão de ficheiros. 17
  • 18. TIPOS DE SISTEMAS DE FICHEIROS HFS+ (HIERARCHICAL FILE SYSTEM PLUS) é o sistema de ficheiros padrão usado em sistemas operativos Mac OS X. É um sistema de ficheiros com recursos avançados, como suporte a arquivos grandes e journalling para maior confiabilidade e recuperação de dados. APFS (APPLE FILE SYSTEM) é o sistema de ficheiros padrão usado em sistemas operativos Mac OS X mais recentes. É um sistema de ficheiros moderno e otimizado para unidades de estado sólido (SSDs), oferecendo recursos como segurança de arquivos, journalling, snapshots e 18
  • 19. TIPOS DE SISTEMAS DE FICHEIROS EXT (EXTENDED FILE SYSTEM) é o sistema de ficheiros usado em sistemas operativos Linux. Existem várias versões do sistema de ficheiros EXT, como EXT2, EXT3 e EXT4, que oferecem diferentes recursos e desempenho. 19
  • 20. PROPRIEDADES DE UM FICHEIRO 20 As propriedades de um ficheiro podem variar de acordo com o sistema operativo e o tipo de ficheiro em questão. No entanto, algumas das propriedades mais comuns incluem: 1. Nome: o nome do ficheiro, que normalmente inclui uma extensão indicando o tipo de ficheiro. 2. Tamanho: o tamanho do ficheiro em bytes, kilobytes, megabytes, ou outro tipo de medida. 3. Localização: o caminho ou diretório onde o ficheiro está armazenado. 4. Data de criação: a data em que o ficheiro foi criado. 5. Data de modificação: a data em que o ficheiro foi modificado pela última vez. 6. Permissões: as permissões de acesso ao ficheiro, que determinam quem pode ler, escrever ou executar o ficheiro. 7. Tipo de ficheiro: o tipo de ficheiro, que pode ser de texto, imagem, som, vídeo, entre outros.
  • 21. ATRIBUTOS DE UM FICHEIRO 21 Os atributos de um ficheiro são características que definem o comportamento e o estado de um ficheiro num sistema operativo. Alguns dos atributos mais comuns incluem: 1.Somente leitura: quando este atributo é aplicado a um ficheiro, ele não pode ser modificado ou apagado, apenas lido. 2.Oculto: um ficheiro com este atributo não será exibido na listagem de ficheiros do sistema operativo, a menos que as opções de visualização sejam ajustadas. 3.Arquivo de sistema: um ficheiro com este atributo é parte do sistema operativo e pode ser necessário para o seu funcionamento adequado. 4.Comprimido: este atributo indica que o ficheiro foi compactado para economizar espaço em disco. 5.Criptografado: quando este atributo é aplicado a um ficheiro, ele é protegido por um código de acesso para garantir que só possa ser aberto por utilizadores autorizados. 6.Backup: este atributo indica que o ficheiro é parte de um conjunto de cópias de segurança do sistema operativo.
  • 22. OPERAÇÕES SOBRE FICHEIROS 22 Sobre os ficheiros, podem ser realizadas diversas operações, dependendo das permissões de acesso do utilizador e do sistema operativo utilizado. Algumas das operações mais comuns incluem: 1.Criar um ficheiro: criar um novo ficheiro vazio, que pode ser preenchido posteriormente com informação. 2.Ler um ficheiro: abrir um ficheiro existente para ler o seu conteúdo, sem alterá-lo. 3.Editar um ficheiro: abrir um ficheiro existente para editar o seu conteúdo e guardá-lo com as alterações efetuadas. 4.Copiar um ficheiro: criar uma cópia de um ficheiro existente, que pode ser utilizada para fins de backup ou para compartilhar informações. 5.Mover um ficheiro: deslocar um ficheiro existente de uma localização para outra dentro do sistema de arquivos. 6.Eliminar um ficheiro: apagar um ficheiro existente do sistema de arquivos. 7.Mudar o nome de um ficheiro: alterar o nome de um ficheiro existente, sem modificar o seu conteúdo.