SlideShare uma empresa Scribd logo
MAPEAMENTO
E IMPACTO ECONÔMICO
DO SETOR AUDIOVISUAL
NO BRASIL
2016
Erick Krulikowski
Coordenador geral da pesquisa
COMO ACESSAR A PESQUISA COMPLETA?
www.objetivaaudiovisual.com.br
www.sebrae.com.br
O setor Audiovisual está em
crescimento no Brasil e a tendência é
continuar crescendo
Parte I
O Mercado
Audiovisual no
Brasil
Fonte: Elaboração própria com dados de assinaturas da ANATEL (2016), referentes ao mês de Outubro de 2015, e dados de
faturamento da ABTA (2016), referentes ao mês de Julho.
6.3 7.2
9.4
12.2
15.7
17.8
19.7 19.4
9.3
10.7
12.7
18.1
23.8
27.9
32
N/D
0
5
10
15
20
25
30
35
2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015
Assinaturas (Milhões) Faturamento (R$ Bilhões)
Número de Assinantes e Faturamento no Segmento
de Operadoras de TV por Assinatura
Cinema 2015
172,9
milhões
Público total com
crescimento de 53% entre
2009 e 2015
R$2,3
bilhões
Apresentando um crescimento
de 142% entre 2009 e 2015
3.005
salas
de exibição no país com
um crescimento de 42%
entre 2009 e 2015
Filmes nacionais no cinema (2015)
209exibidos
22,5 milhões de pessoas
R$ 277,7 milhões de bilheteria
Produção de conteúdo não publicitário
registrado na Ancine (com CPB)
Maior
crescimento:
153%
de crescimento
(de 1.690 para 4.288 horas).
536%
produção de obras brasileiras
independentes passou de 303 horas
em 2008 para 1.930 horas em 2014
* 2009-14
Recursos públicos federais para o
financiamento audiovisual
R$356
milhões
em recursos públicos
federais liberados em 2014
139%
de crescimento
entre 2009 e
2014 (R$1,3
bilhão no total)*
Publicidade
121 Bi (2014) 132 bi (2015)
TV por assinatura:
R$11,4 bilhões
(9% do total gasto com publicidade).
TV aberta (publicidade +
merchandising) -
R$73,9 bilhões,
61% do montante gasto com
publicidade no país
Fonte: IBOPE Media – Monitor Evolution (2016)
Publicidade veiculada na internet:
R$5,2 bilhões em 2014, o
equivalente a 4% do total gasto com
publicidade.
Publicidade exibida nos cinemas:
R$132,5 milhões
VOD
US$ 21
bilhões
Receita mundial (2014)
< 15%
do total mundial de serviços
audiovisuais até 2018
US$ 40
bilhões
Estimativa 2018 (IDATE)
Brasil CAGR
33% até 2018
Passando de US$ 260 milhões (2015)
para US$ 462 milhões em receitas
esperadas de serviços OTT
– Uma vez que o Audiovisual está em
crescimento, seu impacto econômico
também aumenta –
Parte II
Impacto Econômico
do Setor Audiovisual
no Brasil
NO BRASIL - 2016
IMPACTO ECONÔMICO
DO SETOR
AUDIOVISUAL
PANORAMA GERAL
10%
Crescimento
do setor que passou
de 0,4%, em 2010, para
0,44%,
em 2014.
R$ 42,7
bilhões
Foi a receita
das empresas
do setor em
2015
R$ 20,8
bilhões
Foi o valor
adicionado
do setor na
economia
R$ 2,13
bilhões
Valor recolhido
em impostos
diretos.
R$ 1,25
bilhões
Em impostos
indiretos.
Remuneração
direta:
R$ 6,6
bilhões
Fonte: Elaboração própria com dados do MTE (2015).
Estabelecimentos e Massa Salarial por Segmentos do Setor
Audiovisual
Segmentos Estabelecimentos Empregos Massa salarial Remuneração média
TV Aberta 23% 34% 43% 7%
Exibição Cinematográfica 4% 71% 111% 23%
Produção e Pós-produção 129% 115% 127% 6%
Comércio Varejista e Aluguel de DVD e
Similares
-55% -48% -33% 29%
Operadoras de TV Por Assinatura 43% -46% -39% 15%
Programadoras e TV Por Assinatura -31% -24% 24% 62%
Distribuição -68% -55% -7% 105%
Fonte: Elaboração própria com dados do MTE (2015).
Evolução no Número de Estabelecimentos, Empregos e Massa
Salarial por Segmentos do Setor Audiovisual (2007-2014)
– Além de crescer no país, a indústria
audiovisual brasileira cresce
significativamente se comparada ao
restante do mercado mundial –
Parte III
Audiovisual
Internacional
Países selecionados para a pesquisa
Brasil, Índia, Estados Unidos, China, Japão, Reino Unido, França, Alemanha,
Espanha, Argentina, Canadá, Austrália, Portugal e Colômbia
1,417
768
597
488
305 262 212 200
110 94 91 36 23 20
0
200
400
600
800
1,000
1,200
1,400
1,600
Fonte: Elaboração própria com dados do UIS (2015)
Média de Longas-Metragens com Participação Nacional (2009-2013)
Brasil -
2º maior crescimento
(54%) do nº de
longas-metragens
produzidos
Reino Unido -
queda de 23%
Fonte: OFCOM (2015)
Indicadores da Indústria de TV nos Países Selecionados (2014)
Receita TV (US$ Bilhões) Receita per capita total (US$) Penetração TV digital (%) Penetração TV paga (%)
Reino Unido 23,0 356 100 59,5
França 13,8 214 95 76,9
Alemanha
33,5 407 72 55,2
EUA 169,2 531 96 87,2
Japão 31,4 247 100 69
Austrália
6,7 287 100 31,6
Espanha 5,1 108 99 28,8
Brasil 18,7 93 72 32,8
Índia
8,4 8 70 85,2
China 36,0 23,3 84 62,5
CAGR Brasil - 14%
Publicidade
Ranking
Publicidade na TV Publicidade na Internet
2014 CAGR (2009-2014) 2014 CAGR (2009-2014)
1 Estados Unidos 68,0 5,3% Estados Unidos 40,4 15,2%
2 China 18,4 16,1% China 11,6 28,0%
3 Japão 14,3 1,4% Reino Unido 9,8 14,6%
4 Brasil 8,7 10,9% Japão 8,2 8,3%
5 Reino Unido 5,9 4,7% Alemanha 5,6 9,4%
6 Alemanha 5,6 3,2% Austrália 4,2 20,2%
7 Austrália 3,7 3,4% Canadá 3,4 15,4%
8 França 3,5 0,4% França 3,1 7,2%
9 Canadá 3,1 2,1% Espanha 1,3 7,9%
10 Espanha 2,2 -6,8% Brasil 0,6 10,2%
11 Argentina 1,9 30,0% Índia 0,4 44,9%
12 Índia 1,7 6,1% Argentina 0,4 53,4%
13 Colômbia 1,4 15,8% Colômbia 0,1 33,3%
14 Portugal 0,3 -8,4% Portugal 0,06 20,1%
Gasto com publicidade em TV e internet nos países selecionados (US$ bilhões)
Fonte: EUROMONITOR, 2015.
Brasil:
Maior variação no ranking
– O setor Audiovisual está em crescimento no
Brasil e a tendência é continuar crescendo –
Parte I
O Mercado
Audiovisual no Brasil
– Além de crescer no país, a indústria audiovisual
brasileira cresce significativamente se comparada
ao restante do mercado mundial –
Parte III
Audiovisual
Internacional
– Uma vez que o Audiovisual está em
crescimento, seu impacto econômico também
aumenta –
Parte II
Impacto Econômico do
Setor Audiovisual no
Brasil
• O mercado audiovisual cresce no mundo todo, independente da existência de produção
nacional ou não
• A questão principal é: como fazer com que a indústria de produção de conteúdo
nacional gere valor, consiga exportar e mantenha o lucro com a produção de conteúdo
no país?
• Neste sentido, um dos nós está na ponta da produção audiovisual – ou seja, nas produtoras
de conteúdo
• Por isso é fundamental voltar nossos olhos e esforços para as produtoras
independentes
– O Perfil da “empresa representativa” –
Parte IV
Uma Visão
Qualitativa sobre as
Empresas de
Produção Audiovisual
Independente no
Brasil
PERFIL DA EMPRESA
EMPRESA
REPRESENTATIVA DE
PRODUÇÃO DE CONTEÚDO
AUDIOVISUAL
INDEPENDENTE
REPRESENTATIVA DE PRODUÇÃO DE CONTEÚDO
AUDIOVISUAL INDEPENDENTE
EMPRESA
REPRESENTATIVA DE
PRODUÇÃO DE CONTEÚDO
AUDIOVISUAL
INDEPENDENTE
EMPRESA
REPRESENTATIVA DE
PRODUÇÃO DE CONTEÚDO
AUDIOVISUAL
INDEPENDENTE
INVESTIMENTO EM
CAPACITAÇÃO
TÉCNICA
TIPOS DE
CAPACITAÇÃO EM
GESTÃO
EMPRESA
REPRESENTATIVA DE
PRODUÇÃO DE CONTEÚDO
AUDIOVISUAL
INDEPENDENTE
MERCADO
AUDIOVISUAL: alto
investimento inicial,
produtos com tempo
longo de maturação
e retorno financeiro,
alto grau de
especialização
PRODUTORAS
BRASILEIRAS:
cineastas que abrem
suas próprias
produtoras, sem
visão de negócios
adequada
A EMPRESA MÉDIA:
equipe pequena fixa,
faturamento menor
que 720 mil/ano -
pouca margem para
investimento.
PARA CONSEGUIR
COMPETIR: carteira
grande de projetos
com diferentes
formatos e gêneros
Dificuldades em
qualificar a carteira de
projetos, falta
especialização -
perdem
competitividade
CENÁRIO TOTAL:
existem milhares de
empresas pequenas,
cada uma com uma
carteira de 7 a 10
projetos pouco
qualificados e com
pouco espaço de
chegarem ao mercado.
Qual o ciclo?
Como fazer
mais pelo
audiovisual?
Para
mais informações
erick@isetor.com.br
Para
acessar a pesquisa
www.objetivaaudiovisual.com.br
www.sebrae.com.br

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Mapeamento e impacto economico do audiovisual erick krulikowski 2016

INDICADORES DE MERCADO Atualizado em novembro de 2010
INDICADORES DE MERCADO Atualizado em novembro de 2010INDICADORES DE MERCADO Atualizado em novembro de 2010
INDICADORES DE MERCADO Atualizado em novembro de 2010
Leonardo Diogo Silva
 
Indicador Internet Nov 2010
Indicador Internet Nov 2010Indicador Internet Nov 2010
Indicador Internet Nov 2010
Daniel Winter
 
Producao de conteudo para WEB TV
Producao de conteudo para WEB TVProducao de conteudo para WEB TV
Producao de conteudo para WEB TV
Cristina Felix
 
Apresentação amcham rio filme - final
Apresentação amcham   rio filme - finalApresentação amcham   rio filme - final
Apresentação amcham rio filme - final
RioFilme_Com
 
Palestra: Panorama econômico do entretenimento. Perspectiva do mercado 2015-2...
Palestra: Panorama econômico do entretenimento. Perspectiva do mercado 2015-2...Palestra: Panorama econômico do entretenimento. Perspectiva do mercado 2015-2...
Palestra: Panorama econômico do entretenimento. Perspectiva do mercado 2015-2...
Cultura e Mercado
 
Palestra Em Santa Maria Alunos
Palestra Em Santa Maria AlunosPalestra Em Santa Maria Alunos
Palestra Em Santa Maria Alunos
Larissa Pereira Mayer
 
Brasil de Todas as Telas
Brasil de Todas as TelasBrasil de Todas as Telas
Brasil de Todas as Telas
Rafael Beck Andrade
 
Desafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PDF
Desafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PDFDesafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PDF
Desafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PDF
Associação Nacional dos Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental - ANESP
 
Microsoft power point magnesita-apres_tele_port_1t10
Microsoft power point   magnesita-apres_tele_port_1t10Microsoft power point   magnesita-apres_tele_port_1t10
Microsoft power point magnesita-apres_tele_port_1t10
Magnesita_ri
 
Apresentação dos resultados 1 t10
Apresentação dos resultados 1 t10Apresentação dos resultados 1 t10
Apresentação dos resultados 1 t10
MagnesitaRI
 
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
eticademocracia
 
2019 panorama-s-m
2019 panorama-s-m2019 panorama-s-m
2019 panorama-s-m
Rodrigo Lucarini
 
Perspectivas internet br_2015_coutinho
Perspectivas internet br_2015_coutinhoPerspectivas internet br_2015_coutinho
Perspectivas internet br_2015_coutinho
Marcelo Coutinho Lima
 
Roadshow canal rural
Roadshow canal ruralRoadshow canal rural
Roadshow canal rural
CanalRural
 
Canal Rural C2 Rural Road show 2014
Canal Rural C2 Rural Road show 2014Canal Rural C2 Rural Road show 2014
Canal Rural C2 Rural Road show 2014
FAIR PLAY AD / @VeronicaRRSouza
 
Apresentacao apimec 2010(sp)site
Apresentacao apimec 2010(sp)siteApresentacao apimec 2010(sp)site
Apresentacao apimec 2010(sp)site
Marcopolo
 
Helder Quiroga, Coordenador da ONG Contato
Helder Quiroga, Coordenador da ONG ContatoHelder Quiroga, Coordenador da ONG Contato
Helder Quiroga, Coordenador da ONG Contato
LilianMilena
 
Palestra Break Digital - Carlos Biedermann - PWC
Palestra Break Digital - Carlos Biedermann - PWCPalestra Break Digital - Carlos Biedermann - PWC
Palestra Break Digital - Carlos Biedermann - PWC
Break Digital
 
Institucional CR_Abril 2014
Institucional CR_Abril 2014Institucional CR_Abril 2014
Institucional CR_Abril 2014
comcorp_crural
 
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
24x7 COMUNICAÇÃO
 

Semelhante a Mapeamento e impacto economico do audiovisual erick krulikowski 2016 (20)

INDICADORES DE MERCADO Atualizado em novembro de 2010
INDICADORES DE MERCADO Atualizado em novembro de 2010INDICADORES DE MERCADO Atualizado em novembro de 2010
INDICADORES DE MERCADO Atualizado em novembro de 2010
 
Indicador Internet Nov 2010
Indicador Internet Nov 2010Indicador Internet Nov 2010
Indicador Internet Nov 2010
 
Producao de conteudo para WEB TV
Producao de conteudo para WEB TVProducao de conteudo para WEB TV
Producao de conteudo para WEB TV
 
Apresentação amcham rio filme - final
Apresentação amcham   rio filme - finalApresentação amcham   rio filme - final
Apresentação amcham rio filme - final
 
Palestra: Panorama econômico do entretenimento. Perspectiva do mercado 2015-2...
Palestra: Panorama econômico do entretenimento. Perspectiva do mercado 2015-2...Palestra: Panorama econômico do entretenimento. Perspectiva do mercado 2015-2...
Palestra: Panorama econômico do entretenimento. Perspectiva do mercado 2015-2...
 
Palestra Em Santa Maria Alunos
Palestra Em Santa Maria AlunosPalestra Em Santa Maria Alunos
Palestra Em Santa Maria Alunos
 
Brasil de Todas as Telas
Brasil de Todas as TelasBrasil de Todas as Telas
Brasil de Todas as Telas
 
Desafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PDF
Desafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PDFDesafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PDF
Desafios para o Crescimento da do Brasil - Mansueto Almeida PDF
 
Microsoft power point magnesita-apres_tele_port_1t10
Microsoft power point   magnesita-apres_tele_port_1t10Microsoft power point   magnesita-apres_tele_port_1t10
Microsoft power point magnesita-apres_tele_port_1t10
 
Apresentação dos resultados 1 t10
Apresentação dos resultados 1 t10Apresentação dos resultados 1 t10
Apresentação dos resultados 1 t10
 
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
 
2019 panorama-s-m
2019 panorama-s-m2019 panorama-s-m
2019 panorama-s-m
 
Perspectivas internet br_2015_coutinho
Perspectivas internet br_2015_coutinhoPerspectivas internet br_2015_coutinho
Perspectivas internet br_2015_coutinho
 
Roadshow canal rural
Roadshow canal ruralRoadshow canal rural
Roadshow canal rural
 
Canal Rural C2 Rural Road show 2014
Canal Rural C2 Rural Road show 2014Canal Rural C2 Rural Road show 2014
Canal Rural C2 Rural Road show 2014
 
Apresentacao apimec 2010(sp)site
Apresentacao apimec 2010(sp)siteApresentacao apimec 2010(sp)site
Apresentacao apimec 2010(sp)site
 
Helder Quiroga, Coordenador da ONG Contato
Helder Quiroga, Coordenador da ONG ContatoHelder Quiroga, Coordenador da ONG Contato
Helder Quiroga, Coordenador da ONG Contato
 
Palestra Break Digital - Carlos Biedermann - PWC
Palestra Break Digital - Carlos Biedermann - PWCPalestra Break Digital - Carlos Biedermann - PWC
Palestra Break Digital - Carlos Biedermann - PWC
 
Institucional CR_Abril 2014
Institucional CR_Abril 2014Institucional CR_Abril 2014
Institucional CR_Abril 2014
 
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
A micro e pequena empresa exportadora no Brasil – desafios e oportunidades - ...
 

Mais de Erick Krulikowski

Relatorio missao internacional
Relatorio missao internacionalRelatorio missao internacional
Relatorio missao internacional
Erick Krulikowski
 
Relatorio rede audiovisual bh abr2015
Relatorio rede audiovisual bh abr2015Relatorio rede audiovisual bh abr2015
Relatorio rede audiovisual bh abr2015
Erick Krulikowski
 
Empreendedorismo criativo e gestão de negócios no mercado audiovisual
Empreendedorismo criativo e gestão de negócios no mercado audiovisualEmpreendedorismo criativo e gestão de negócios no mercado audiovisual
Empreendedorismo criativo e gestão de negócios no mercado audiovisual
Erick Krulikowski
 
Ferramentas gestao erick krulikowski cemec 2013
Ferramentas gestao erick krulikowski cemec 2013Ferramentas gestao erick krulikowski cemec 2013
Ferramentas gestao erick krulikowski cemec 2013
Erick Krulikowski
 
Desenvolvimento e modelagem de negócios criativos erick krulikowski
Desenvolvimento e modelagem de negócios criativos erick krulikowskiDesenvolvimento e modelagem de negócios criativos erick krulikowski
Desenvolvimento e modelagem de negócios criativos erick krulikowski
Erick Krulikowski
 
Plano de negócios criativos
Plano de negócios criativosPlano de negócios criativos
Plano de negócios criativos
Erick Krulikowski
 

Mais de Erick Krulikowski (6)

Relatorio missao internacional
Relatorio missao internacionalRelatorio missao internacional
Relatorio missao internacional
 
Relatorio rede audiovisual bh abr2015
Relatorio rede audiovisual bh abr2015Relatorio rede audiovisual bh abr2015
Relatorio rede audiovisual bh abr2015
 
Empreendedorismo criativo e gestão de negócios no mercado audiovisual
Empreendedorismo criativo e gestão de negócios no mercado audiovisualEmpreendedorismo criativo e gestão de negócios no mercado audiovisual
Empreendedorismo criativo e gestão de negócios no mercado audiovisual
 
Ferramentas gestao erick krulikowski cemec 2013
Ferramentas gestao erick krulikowski cemec 2013Ferramentas gestao erick krulikowski cemec 2013
Ferramentas gestao erick krulikowski cemec 2013
 
Desenvolvimento e modelagem de negócios criativos erick krulikowski
Desenvolvimento e modelagem de negócios criativos erick krulikowskiDesenvolvimento e modelagem de negócios criativos erick krulikowski
Desenvolvimento e modelagem de negócios criativos erick krulikowski
 
Plano de negócios criativos
Plano de negócios criativosPlano de negócios criativos
Plano de negócios criativos
 

Mapeamento e impacto economico do audiovisual erick krulikowski 2016

  • 1. MAPEAMENTO E IMPACTO ECONÔMICO DO SETOR AUDIOVISUAL NO BRASIL 2016 Erick Krulikowski Coordenador geral da pesquisa
  • 2. COMO ACESSAR A PESQUISA COMPLETA? www.objetivaaudiovisual.com.br www.sebrae.com.br
  • 3. O setor Audiovisual está em crescimento no Brasil e a tendência é continuar crescendo Parte I O Mercado Audiovisual no Brasil
  • 4. Fonte: Elaboração própria com dados de assinaturas da ANATEL (2016), referentes ao mês de Outubro de 2015, e dados de faturamento da ABTA (2016), referentes ao mês de Julho. 6.3 7.2 9.4 12.2 15.7 17.8 19.7 19.4 9.3 10.7 12.7 18.1 23.8 27.9 32 N/D 0 5 10 15 20 25 30 35 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 Assinaturas (Milhões) Faturamento (R$ Bilhões) Número de Assinantes e Faturamento no Segmento de Operadoras de TV por Assinatura
  • 5. Cinema 2015 172,9 milhões Público total com crescimento de 53% entre 2009 e 2015 R$2,3 bilhões Apresentando um crescimento de 142% entre 2009 e 2015 3.005 salas de exibição no país com um crescimento de 42% entre 2009 e 2015
  • 6. Filmes nacionais no cinema (2015) 209exibidos 22,5 milhões de pessoas R$ 277,7 milhões de bilheteria
  • 7. Produção de conteúdo não publicitário registrado na Ancine (com CPB) Maior crescimento: 153% de crescimento (de 1.690 para 4.288 horas). 536% produção de obras brasileiras independentes passou de 303 horas em 2008 para 1.930 horas em 2014
  • 8. * 2009-14 Recursos públicos federais para o financiamento audiovisual R$356 milhões em recursos públicos federais liberados em 2014 139% de crescimento entre 2009 e 2014 (R$1,3 bilhão no total)*
  • 9. Publicidade 121 Bi (2014) 132 bi (2015) TV por assinatura: R$11,4 bilhões (9% do total gasto com publicidade). TV aberta (publicidade + merchandising) - R$73,9 bilhões, 61% do montante gasto com publicidade no país Fonte: IBOPE Media – Monitor Evolution (2016) Publicidade veiculada na internet: R$5,2 bilhões em 2014, o equivalente a 4% do total gasto com publicidade. Publicidade exibida nos cinemas: R$132,5 milhões
  • 10. VOD US$ 21 bilhões Receita mundial (2014) < 15% do total mundial de serviços audiovisuais até 2018 US$ 40 bilhões Estimativa 2018 (IDATE) Brasil CAGR 33% até 2018 Passando de US$ 260 milhões (2015) para US$ 462 milhões em receitas esperadas de serviços OTT
  • 11. – Uma vez que o Audiovisual está em crescimento, seu impacto econômico também aumenta – Parte II Impacto Econômico do Setor Audiovisual no Brasil
  • 12. NO BRASIL - 2016 IMPACTO ECONÔMICO DO SETOR AUDIOVISUAL PANORAMA GERAL 10% Crescimento do setor que passou de 0,4%, em 2010, para 0,44%, em 2014. R$ 42,7 bilhões Foi a receita das empresas do setor em 2015 R$ 20,8 bilhões Foi o valor adicionado do setor na economia R$ 2,13 bilhões Valor recolhido em impostos diretos. R$ 1,25 bilhões Em impostos indiretos. Remuneração direta: R$ 6,6 bilhões
  • 13. Fonte: Elaboração própria com dados do MTE (2015). Estabelecimentos e Massa Salarial por Segmentos do Setor Audiovisual
  • 14. Segmentos Estabelecimentos Empregos Massa salarial Remuneração média TV Aberta 23% 34% 43% 7% Exibição Cinematográfica 4% 71% 111% 23% Produção e Pós-produção 129% 115% 127% 6% Comércio Varejista e Aluguel de DVD e Similares -55% -48% -33% 29% Operadoras de TV Por Assinatura 43% -46% -39% 15% Programadoras e TV Por Assinatura -31% -24% 24% 62% Distribuição -68% -55% -7% 105% Fonte: Elaboração própria com dados do MTE (2015). Evolução no Número de Estabelecimentos, Empregos e Massa Salarial por Segmentos do Setor Audiovisual (2007-2014)
  • 15. – Além de crescer no país, a indústria audiovisual brasileira cresce significativamente se comparada ao restante do mercado mundial – Parte III Audiovisual Internacional
  • 16. Países selecionados para a pesquisa Brasil, Índia, Estados Unidos, China, Japão, Reino Unido, França, Alemanha, Espanha, Argentina, Canadá, Austrália, Portugal e Colômbia
  • 17. 1,417 768 597 488 305 262 212 200 110 94 91 36 23 20 0 200 400 600 800 1,000 1,200 1,400 1,600 Fonte: Elaboração própria com dados do UIS (2015) Média de Longas-Metragens com Participação Nacional (2009-2013) Brasil - 2º maior crescimento (54%) do nº de longas-metragens produzidos Reino Unido - queda de 23%
  • 18. Fonte: OFCOM (2015) Indicadores da Indústria de TV nos Países Selecionados (2014) Receita TV (US$ Bilhões) Receita per capita total (US$) Penetração TV digital (%) Penetração TV paga (%) Reino Unido 23,0 356 100 59,5 França 13,8 214 95 76,9 Alemanha 33,5 407 72 55,2 EUA 169,2 531 96 87,2 Japão 31,4 247 100 69 Austrália 6,7 287 100 31,6 Espanha 5,1 108 99 28,8 Brasil 18,7 93 72 32,8 Índia 8,4 8 70 85,2 China 36,0 23,3 84 62,5 CAGR Brasil - 14%
  • 19. Publicidade Ranking Publicidade na TV Publicidade na Internet 2014 CAGR (2009-2014) 2014 CAGR (2009-2014) 1 Estados Unidos 68,0 5,3% Estados Unidos 40,4 15,2% 2 China 18,4 16,1% China 11,6 28,0% 3 Japão 14,3 1,4% Reino Unido 9,8 14,6% 4 Brasil 8,7 10,9% Japão 8,2 8,3% 5 Reino Unido 5,9 4,7% Alemanha 5,6 9,4% 6 Alemanha 5,6 3,2% Austrália 4,2 20,2% 7 Austrália 3,7 3,4% Canadá 3,4 15,4% 8 França 3,5 0,4% França 3,1 7,2% 9 Canadá 3,1 2,1% Espanha 1,3 7,9% 10 Espanha 2,2 -6,8% Brasil 0,6 10,2% 11 Argentina 1,9 30,0% Índia 0,4 44,9% 12 Índia 1,7 6,1% Argentina 0,4 53,4% 13 Colômbia 1,4 15,8% Colômbia 0,1 33,3% 14 Portugal 0,3 -8,4% Portugal 0,06 20,1% Gasto com publicidade em TV e internet nos países selecionados (US$ bilhões) Fonte: EUROMONITOR, 2015. Brasil: Maior variação no ranking
  • 20. – O setor Audiovisual está em crescimento no Brasil e a tendência é continuar crescendo – Parte I O Mercado Audiovisual no Brasil – Além de crescer no país, a indústria audiovisual brasileira cresce significativamente se comparada ao restante do mercado mundial – Parte III Audiovisual Internacional – Uma vez que o Audiovisual está em crescimento, seu impacto econômico também aumenta – Parte II Impacto Econômico do Setor Audiovisual no Brasil
  • 21. • O mercado audiovisual cresce no mundo todo, independente da existência de produção nacional ou não • A questão principal é: como fazer com que a indústria de produção de conteúdo nacional gere valor, consiga exportar e mantenha o lucro com a produção de conteúdo no país? • Neste sentido, um dos nós está na ponta da produção audiovisual – ou seja, nas produtoras de conteúdo • Por isso é fundamental voltar nossos olhos e esforços para as produtoras independentes
  • 22. – O Perfil da “empresa representativa” – Parte IV Uma Visão Qualitativa sobre as Empresas de Produção Audiovisual Independente no Brasil
  • 23. PERFIL DA EMPRESA EMPRESA REPRESENTATIVA DE PRODUÇÃO DE CONTEÚDO AUDIOVISUAL INDEPENDENTE REPRESENTATIVA DE PRODUÇÃO DE CONTEÚDO AUDIOVISUAL INDEPENDENTE
  • 24. EMPRESA REPRESENTATIVA DE PRODUÇÃO DE CONTEÚDO AUDIOVISUAL INDEPENDENTE
  • 25. EMPRESA REPRESENTATIVA DE PRODUÇÃO DE CONTEÚDO AUDIOVISUAL INDEPENDENTE
  • 26. INVESTIMENTO EM CAPACITAÇÃO TÉCNICA TIPOS DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO EMPRESA REPRESENTATIVA DE PRODUÇÃO DE CONTEÚDO AUDIOVISUAL INDEPENDENTE
  • 27. MERCADO AUDIOVISUAL: alto investimento inicial, produtos com tempo longo de maturação e retorno financeiro, alto grau de especialização PRODUTORAS BRASILEIRAS: cineastas que abrem suas próprias produtoras, sem visão de negócios adequada A EMPRESA MÉDIA: equipe pequena fixa, faturamento menor que 720 mil/ano - pouca margem para investimento. PARA CONSEGUIR COMPETIR: carteira grande de projetos com diferentes formatos e gêneros Dificuldades em qualificar a carteira de projetos, falta especialização - perdem competitividade CENÁRIO TOTAL: existem milhares de empresas pequenas, cada uma com uma carteira de 7 a 10 projetos pouco qualificados e com pouco espaço de chegarem ao mercado. Qual o ciclo?
  • 29. Para mais informações erick@isetor.com.br Para acessar a pesquisa www.objetivaaudiovisual.com.br www.sebrae.com.br