SlideShare uma empresa Scribd logo
MAPA – Material de Avaliação Prática da Aprendizagem
Acadêmico: R.A.
Curso: Nutrição
Disciplina: Dietoterapia
Valor da atividade: Prazo:
Instruções para Realização da Atividade
1. Todos os campos acima deverão ser devidamente preenchidos;
2. É obrigatória a utilização deste formulário para a realização do MAPA;
3. Esta é uma atividade individual. Caso identificado cópia de colegas, o trabalho
de ambos sofrerá decréscimo de nota;
4. Utilizando este formulário, realize sua atividade, salve em seu computador,
renomeie e envie em forma de anexo;
5. Formatação exigida para esta atividade: documento Word, Fonte Arial ou Times
New Roman tamanho 12, Espaçamento entre linhas 1,5, texto justificado;
6. Ao utilizar quaisquer materiais de pesquisa referencie conforme as normas da
ABNT;
7. Na Sala do Café do ambiente virtual da disciplina você encontrará
orientações importantes para elaboração desta atividade (Vídeo
Explicativo). Confira!
8. Critérios de avaliação: Utilização do template; Atendimento ao Tema;
Constituição dos argumentos e organização das Ideias; Correção Gramatical e
atendimento às ormas ABNT.
9. Procure argumentar de forma clara e objetiva, de acordo com o conteúdo da
disciplina.
10.As escritas em vermelho podem ser apagadas, dando lugar as respostas
do Mapa.
11.O formato da atividade a ser enviada pode ser em pdf ou docx.
Em caso de dúvidas, entre em contato com seu Professor Mediador.
Bons estudos!
A inadequação da dieta via oral no ambiente hospitalar pode levar a
desnutrição?
A revisão sistemática mais recente sobre desnutrição hospitalar, publicada por
Correia e colaboradores em 2016 que avaliou 66 publicações latino-americanas (12
países, aproximadamente 30.000 pacientes) confirmou a manutenção da alta
prevalência de desnutrição em pacientes hospitalizados, dados que corroboram com
os achados em 1998 pelo inquérito brasileiro (IBRANUTRI) que avaliou 4 mil
pacientes internados na rede pública hospitalar de vários estados brasileiros e
identificou a prevalência da desnutrição em 48,1% dos pacientes.
Fonte: CORREIA, M.I.T.D.; PERMAN, M.I.; WAITZBERG, D.L. Hospital malnutrition in Latin America: a
systematic review. Clin Nutr. 2017;36(4):958-67.
Fonte: CORREIA, M.I.T.D; CAIAFFA, W.T.; WAITZBERG, D.L. Inquérito brasileiro de avaliação nutricional
(IBRANUTRI): metodologia do estudo multicêntrico. Rev Bras Nutr Clín. 1998;13(1):30-40
Faça a leitura do caso abaixo:
Ao passar visita no setor de enfermaria do hospital que você trabalha como
nutricionista, se depara com uma paciente do sexo feminino, com 69 anos,
deambulando com apoio, que veio transferida de outro serviço de saúde de atenção
secundária, devido quadro recente (há 3 meses) de lesão hemorrágica frontal
esquerda (AVE – Acidente vascular encefálico), que ocasionou uma disfagia
moderada-grave, na qual a paciente teve como prescrição, terapia nutricional enteral
como via de alimentação única nos primeiros 15 dias após o ocorrido.
Durante a internação, com o trabalho em conjunto do profissional de nutrição e
fonoaudiologia teve alta para casa após 30 dias de internação (15 dias com terapia
enteral e 15 dias com evolução de consistência da dieta), na alta apresentava disfagia
leve-moderada e prescrição de dieta via oral pastosa. Contudo a paciente foi
reinternada (internação atual) devido quadro de pneumonia, decorrente de uma
broncoaspiração (condição em que substâncias estranhas, alimentos, líquidos, saliva
ou vômito são aspirados pela via respiratória). Paciente sem déficits neurológicos e
sem agravamento clínico.
Quando questionada sobre a alimentação ofertada em casa durante esse período pós
alta da primeira internação, a filha (cuidadora) referiu que modificaram por conta
própria há 10 dias a alimentação da paciente, composta por: água, suco de fruta, água
de coco, gelatina semi-líquida, sopa de legumes com carne batida e coada, iogurte
na consistência fluida e leite com café.
Ao realizar a avaliação antropométrica identificou-se: Peso habitual (6 meses -
relatado): 69,3 kg; Peso (aferido na alta da primeira internação – há 2 meses): 66,5kg;
Peso (aferido e atual): 61,7kg; Altura (aferida): 1,62 m; Circunferência da panturrilha:
30cm. No exame físico: perda leve de gordura subcutânea, depleção leve de bola
gordurosa de bichat, não há presença de edema. Nega vômitos, diarreia e
constipação.
Com base nos conhecimentos adquiridos na disciplina de Dietoterapia você consegue
identificar como pode ter sido a evolução da consistência da dieta com base no quadro
clínico da paciente logo após a suspensão da Terapia nutricional enteral? De acordo
com os dados antropométricos e de exame físico é possível determinar o diagnóstico
nutricional da paciente? A prescrição da dieta é um ato privativo do nutricionista,
reforçando a necessidade do profissional no ambiente hospitalar em quantidade
suficiente para avaliação e acompanhamento dos pacientes (perguntas reflexivas).
Sabe-se que a desnutrição está presente em 30% a 50% dos pacientes internados e
que este quadro não mudou nos últimos 20 anos, e a baixa ingestão da dieta oral,
inadequação da dieta contribui para este estado nutricional. Uma ingestão em torno
de 50% da dieta oral está associada à desnutrição e é fator de risco independente do
tempo de internação. Contudo mesmo diante desses dados a dieta via oral ainda é
muito negligenciada no ambiente hospitalar. É fundamental que o paciente tenha
acesso a avaliação nutricional, contemplada por uma avalição do consumo alimentar
e a realização de adaptações na conduta profissional de acordo com o percentual
ingerido para adequação da prescrição dietética de acordo com a necessidade
nutricional do paciente.
Com todas as informações expostas acima agora é o momento de agir! Pensando
que você é o Nutricionista do hospital mencionado acima, imagine que a paciente
precisa ser avaliada de forma correta para posterior conduta com prescrição dietética
adequada.
Para realizar esta atividade você deverá realizar a leitura das Unidades 1 e 2 do
livro da disciplina e verificar os MATERIAIS EXTRAS - SEMANA 02 na sala do
café.
Com este objetivo, você deverá analisar, pesquisar e responder cada item
apresentado a seguir, com a finalidade de fazer o diagnóstico nutricional e
prescrição dietética adequada a paciente. Utilize os conhecimentos adquiridos
através da leitura do livro da disciplina de Dietoterapia e reprodução das aulas
conceituais e ao vivo. Apresente as respostas de forma sequencial nos locais
indicados neste formulário padrão:
1) EXPLIQUE como deve ser o manejo terapêutico da disfagia orofaríngea e quais as
manifestações clínicas frequentemente associadas.
2) APRESENTE o diagnóstico nutricional da paciente (considere antropometria,
exame físico e avaliação dietética).
3) APONTE quais os principais objetivos no tratamento dietoterápico da disfagia.
4) CITE qual a prática dietética relacionada com a ocorrência da broncoaspiração
nessa paciente com diagnóstico de disfagia.
5) DESCREVA quais as características das consistências dos líquidos com o uso de
espessantes recomendados para pacientes com disfagia.
6) INDIQUE qual a dieta via oral recomendada para a paciente, de acordo com o seu
nível de disfagia, APONTE quais são os alimentos recomendados e ELABORE um
exemplo de almoço com descrição dos alimentos/preparações, não há
necessidade de estabelecer quantidades (considere consistência e especificidade
de acordo com quadro clínico e diagnóstico nutricional).
7) DESCREVA 6 orientações para dieta via oral indicadas para a alta hospitalar do
paciente com disfagia (Utilize o material complementar I Consenso Brasileiro de
Nutrição e Disfagia em Idosos hospitalizados – disponível em: https://sbgg.org.br/wp-
content/uploads/2014/10/Consenso_Brasileiro_de_Nutricao1.pdf )
Responda as questões nos campos indicados abaixo
CAMPO DE RESPOSTAS DA ATIVIDADE

Mais conteúdo relacionado

Destaque

How to Prepare For a Successful Job Search for 2024
How to Prepare For a Successful Job Search for 2024How to Prepare For a Successful Job Search for 2024
How to Prepare For a Successful Job Search for 2024
Albert Qian
 
Social Media Marketing Trends 2024 // The Global Indie Insights
Social Media Marketing Trends 2024 // The Global Indie InsightsSocial Media Marketing Trends 2024 // The Global Indie Insights
Social Media Marketing Trends 2024 // The Global Indie Insights
Kurio // The Social Media Age(ncy)
 
Trends In Paid Search: Navigating The Digital Landscape In 2024
Trends In Paid Search: Navigating The Digital Landscape In 2024Trends In Paid Search: Navigating The Digital Landscape In 2024
Trends In Paid Search: Navigating The Digital Landscape In 2024
Search Engine Journal
 
5 Public speaking tips from TED - Visualized summary
5 Public speaking tips from TED - Visualized summary5 Public speaking tips from TED - Visualized summary
5 Public speaking tips from TED - Visualized summary
SpeakerHub
 
ChatGPT and the Future of Work - Clark Boyd
ChatGPT and the Future of Work - Clark Boyd ChatGPT and the Future of Work - Clark Boyd
ChatGPT and the Future of Work - Clark Boyd
Clark Boyd
 
Getting into the tech field. what next
Getting into the tech field. what next Getting into the tech field. what next
Getting into the tech field. what next
Tessa Mero
 
Google's Just Not That Into You: Understanding Core Updates & Search Intent
Google's Just Not That Into You: Understanding Core Updates & Search IntentGoogle's Just Not That Into You: Understanding Core Updates & Search Intent
Google's Just Not That Into You: Understanding Core Updates & Search Intent
Lily Ray
 
How to have difficult conversations
How to have difficult conversations How to have difficult conversations
How to have difficult conversations
Rajiv Jayarajah, MAppComm, ACC
 
Introduction to Data Science
Introduction to Data ScienceIntroduction to Data Science
Introduction to Data Science
Christy Abraham Joy
 
Time Management & Productivity - Best Practices
Time Management & Productivity -  Best PracticesTime Management & Productivity -  Best Practices
Time Management & Productivity - Best Practices
Vit Horky
 
The six step guide to practical project management
The six step guide to practical project managementThe six step guide to practical project management
The six step guide to practical project management
MindGenius
 
Beginners Guide to TikTok for Search - Rachel Pearson - We are Tilt __ Bright...
Beginners Guide to TikTok for Search - Rachel Pearson - We are Tilt __ Bright...Beginners Guide to TikTok for Search - Rachel Pearson - We are Tilt __ Bright...
Beginners Guide to TikTok for Search - Rachel Pearson - We are Tilt __ Bright...
RachelPearson36
 
Unlocking the Power of ChatGPT and AI in Testing - A Real-World Look, present...
Unlocking the Power of ChatGPT and AI in Testing - A Real-World Look, present...Unlocking the Power of ChatGPT and AI in Testing - A Real-World Look, present...
Unlocking the Power of ChatGPT and AI in Testing - A Real-World Look, present...
Applitools
 
12 Ways to Increase Your Influence at Work
12 Ways to Increase Your Influence at Work12 Ways to Increase Your Influence at Work
12 Ways to Increase Your Influence at Work
GetSmarter
 
ChatGPT webinar slides
ChatGPT webinar slidesChatGPT webinar slides
ChatGPT webinar slides
Alireza Esmikhani
 
More than Just Lines on a Map: Best Practices for U.S Bike Routes
More than Just Lines on a Map: Best Practices for U.S Bike RoutesMore than Just Lines on a Map: Best Practices for U.S Bike Routes
More than Just Lines on a Map: Best Practices for U.S Bike Routes
Project for Public Spaces & National Center for Biking and Walking
 
Ride the Storm: Navigating Through Unstable Periods / Katerina Rudko (Belka G...
Ride the Storm: Navigating Through Unstable Periods / Katerina Rudko (Belka G...Ride the Storm: Navigating Through Unstable Periods / Katerina Rudko (Belka G...
Ride the Storm: Navigating Through Unstable Periods / Katerina Rudko (Belka G...
DevGAMM Conference
 
Barbie - Brand Strategy Presentation
Barbie - Brand Strategy PresentationBarbie - Brand Strategy Presentation
Barbie - Brand Strategy Presentation
Erica Santiago
 
Good Stuff Happens in 1:1 Meetings: Why you need them and how to do them well
Good Stuff Happens in 1:1 Meetings: Why you need them and how to do them wellGood Stuff Happens in 1:1 Meetings: Why you need them and how to do them well
Good Stuff Happens in 1:1 Meetings: Why you need them and how to do them well
Saba Software
 
Introduction to C Programming Language
Introduction to C Programming LanguageIntroduction to C Programming Language
Introduction to C Programming Language
Simplilearn
 

Destaque (20)

How to Prepare For a Successful Job Search for 2024
How to Prepare For a Successful Job Search for 2024How to Prepare For a Successful Job Search for 2024
How to Prepare For a Successful Job Search for 2024
 
Social Media Marketing Trends 2024 // The Global Indie Insights
Social Media Marketing Trends 2024 // The Global Indie InsightsSocial Media Marketing Trends 2024 // The Global Indie Insights
Social Media Marketing Trends 2024 // The Global Indie Insights
 
Trends In Paid Search: Navigating The Digital Landscape In 2024
Trends In Paid Search: Navigating The Digital Landscape In 2024Trends In Paid Search: Navigating The Digital Landscape In 2024
Trends In Paid Search: Navigating The Digital Landscape In 2024
 
5 Public speaking tips from TED - Visualized summary
5 Public speaking tips from TED - Visualized summary5 Public speaking tips from TED - Visualized summary
5 Public speaking tips from TED - Visualized summary
 
ChatGPT and the Future of Work - Clark Boyd
ChatGPT and the Future of Work - Clark Boyd ChatGPT and the Future of Work - Clark Boyd
ChatGPT and the Future of Work - Clark Boyd
 
Getting into the tech field. what next
Getting into the tech field. what next Getting into the tech field. what next
Getting into the tech field. what next
 
Google's Just Not That Into You: Understanding Core Updates & Search Intent
Google's Just Not That Into You: Understanding Core Updates & Search IntentGoogle's Just Not That Into You: Understanding Core Updates & Search Intent
Google's Just Not That Into You: Understanding Core Updates & Search Intent
 
How to have difficult conversations
How to have difficult conversations How to have difficult conversations
How to have difficult conversations
 
Introduction to Data Science
Introduction to Data ScienceIntroduction to Data Science
Introduction to Data Science
 
Time Management & Productivity - Best Practices
Time Management & Productivity -  Best PracticesTime Management & Productivity -  Best Practices
Time Management & Productivity - Best Practices
 
The six step guide to practical project management
The six step guide to practical project managementThe six step guide to practical project management
The six step guide to practical project management
 
Beginners Guide to TikTok for Search - Rachel Pearson - We are Tilt __ Bright...
Beginners Guide to TikTok for Search - Rachel Pearson - We are Tilt __ Bright...Beginners Guide to TikTok for Search - Rachel Pearson - We are Tilt __ Bright...
Beginners Guide to TikTok for Search - Rachel Pearson - We are Tilt __ Bright...
 
Unlocking the Power of ChatGPT and AI in Testing - A Real-World Look, present...
Unlocking the Power of ChatGPT and AI in Testing - A Real-World Look, present...Unlocking the Power of ChatGPT and AI in Testing - A Real-World Look, present...
Unlocking the Power of ChatGPT and AI in Testing - A Real-World Look, present...
 
12 Ways to Increase Your Influence at Work
12 Ways to Increase Your Influence at Work12 Ways to Increase Your Influence at Work
12 Ways to Increase Your Influence at Work
 
ChatGPT webinar slides
ChatGPT webinar slidesChatGPT webinar slides
ChatGPT webinar slides
 
More than Just Lines on a Map: Best Practices for U.S Bike Routes
More than Just Lines on a Map: Best Practices for U.S Bike RoutesMore than Just Lines on a Map: Best Practices for U.S Bike Routes
More than Just Lines on a Map: Best Practices for U.S Bike Routes
 
Ride the Storm: Navigating Through Unstable Periods / Katerina Rudko (Belka G...
Ride the Storm: Navigating Through Unstable Periods / Katerina Rudko (Belka G...Ride the Storm: Navigating Through Unstable Periods / Katerina Rudko (Belka G...
Ride the Storm: Navigating Through Unstable Periods / Katerina Rudko (Belka G...
 
Barbie - Brand Strategy Presentation
Barbie - Brand Strategy PresentationBarbie - Brand Strategy Presentation
Barbie - Brand Strategy Presentation
 
Good Stuff Happens in 1:1 Meetings: Why you need them and how to do them well
Good Stuff Happens in 1:1 Meetings: Why you need them and how to do them wellGood Stuff Happens in 1:1 Meetings: Why you need them and how to do them well
Good Stuff Happens in 1:1 Meetings: Why you need them and how to do them well
 
Introduction to C Programming Language
Introduction to C Programming LanguageIntroduction to C Programming Language
Introduction to C Programming Language
 

Mapa Dietoterapia.docx

  • 1.
  • 2. MAPA – Material de Avaliação Prática da Aprendizagem Acadêmico: R.A. Curso: Nutrição Disciplina: Dietoterapia Valor da atividade: Prazo: Instruções para Realização da Atividade 1. Todos os campos acima deverão ser devidamente preenchidos; 2. É obrigatória a utilização deste formulário para a realização do MAPA; 3. Esta é uma atividade individual. Caso identificado cópia de colegas, o trabalho de ambos sofrerá decréscimo de nota; 4. Utilizando este formulário, realize sua atividade, salve em seu computador, renomeie e envie em forma de anexo; 5. Formatação exigida para esta atividade: documento Word, Fonte Arial ou Times New Roman tamanho 12, Espaçamento entre linhas 1,5, texto justificado; 6. Ao utilizar quaisquer materiais de pesquisa referencie conforme as normas da ABNT; 7. Na Sala do Café do ambiente virtual da disciplina você encontrará orientações importantes para elaboração desta atividade (Vídeo Explicativo). Confira! 8. Critérios de avaliação: Utilização do template; Atendimento ao Tema; Constituição dos argumentos e organização das Ideias; Correção Gramatical e atendimento às ormas ABNT. 9. Procure argumentar de forma clara e objetiva, de acordo com o conteúdo da disciplina. 10.As escritas em vermelho podem ser apagadas, dando lugar as respostas do Mapa. 11.O formato da atividade a ser enviada pode ser em pdf ou docx. Em caso de dúvidas, entre em contato com seu Professor Mediador. Bons estudos!
  • 3. A inadequação da dieta via oral no ambiente hospitalar pode levar a desnutrição? A revisão sistemática mais recente sobre desnutrição hospitalar, publicada por Correia e colaboradores em 2016 que avaliou 66 publicações latino-americanas (12 países, aproximadamente 30.000 pacientes) confirmou a manutenção da alta prevalência de desnutrição em pacientes hospitalizados, dados que corroboram com os achados em 1998 pelo inquérito brasileiro (IBRANUTRI) que avaliou 4 mil pacientes internados na rede pública hospitalar de vários estados brasileiros e identificou a prevalência da desnutrição em 48,1% dos pacientes. Fonte: CORREIA, M.I.T.D.; PERMAN, M.I.; WAITZBERG, D.L. Hospital malnutrition in Latin America: a systematic review. Clin Nutr. 2017;36(4):958-67. Fonte: CORREIA, M.I.T.D; CAIAFFA, W.T.; WAITZBERG, D.L. Inquérito brasileiro de avaliação nutricional (IBRANUTRI): metodologia do estudo multicêntrico. Rev Bras Nutr Clín. 1998;13(1):30-40 Faça a leitura do caso abaixo: Ao passar visita no setor de enfermaria do hospital que você trabalha como nutricionista, se depara com uma paciente do sexo feminino, com 69 anos, deambulando com apoio, que veio transferida de outro serviço de saúde de atenção secundária, devido quadro recente (há 3 meses) de lesão hemorrágica frontal esquerda (AVE – Acidente vascular encefálico), que ocasionou uma disfagia moderada-grave, na qual a paciente teve como prescrição, terapia nutricional enteral como via de alimentação única nos primeiros 15 dias após o ocorrido. Durante a internação, com o trabalho em conjunto do profissional de nutrição e fonoaudiologia teve alta para casa após 30 dias de internação (15 dias com terapia enteral e 15 dias com evolução de consistência da dieta), na alta apresentava disfagia leve-moderada e prescrição de dieta via oral pastosa. Contudo a paciente foi reinternada (internação atual) devido quadro de pneumonia, decorrente de uma broncoaspiração (condição em que substâncias estranhas, alimentos, líquidos, saliva ou vômito são aspirados pela via respiratória). Paciente sem déficits neurológicos e sem agravamento clínico.
  • 4. Quando questionada sobre a alimentação ofertada em casa durante esse período pós alta da primeira internação, a filha (cuidadora) referiu que modificaram por conta própria há 10 dias a alimentação da paciente, composta por: água, suco de fruta, água de coco, gelatina semi-líquida, sopa de legumes com carne batida e coada, iogurte na consistência fluida e leite com café. Ao realizar a avaliação antropométrica identificou-se: Peso habitual (6 meses - relatado): 69,3 kg; Peso (aferido na alta da primeira internação – há 2 meses): 66,5kg; Peso (aferido e atual): 61,7kg; Altura (aferida): 1,62 m; Circunferência da panturrilha: 30cm. No exame físico: perda leve de gordura subcutânea, depleção leve de bola gordurosa de bichat, não há presença de edema. Nega vômitos, diarreia e constipação. Com base nos conhecimentos adquiridos na disciplina de Dietoterapia você consegue identificar como pode ter sido a evolução da consistência da dieta com base no quadro clínico da paciente logo após a suspensão da Terapia nutricional enteral? De acordo com os dados antropométricos e de exame físico é possível determinar o diagnóstico nutricional da paciente? A prescrição da dieta é um ato privativo do nutricionista, reforçando a necessidade do profissional no ambiente hospitalar em quantidade suficiente para avaliação e acompanhamento dos pacientes (perguntas reflexivas). Sabe-se que a desnutrição está presente em 30% a 50% dos pacientes internados e que este quadro não mudou nos últimos 20 anos, e a baixa ingestão da dieta oral, inadequação da dieta contribui para este estado nutricional. Uma ingestão em torno de 50% da dieta oral está associada à desnutrição e é fator de risco independente do tempo de internação. Contudo mesmo diante desses dados a dieta via oral ainda é muito negligenciada no ambiente hospitalar. É fundamental que o paciente tenha acesso a avaliação nutricional, contemplada por uma avalição do consumo alimentar e a realização de adaptações na conduta profissional de acordo com o percentual ingerido para adequação da prescrição dietética de acordo com a necessidade nutricional do paciente.
  • 5. Com todas as informações expostas acima agora é o momento de agir! Pensando que você é o Nutricionista do hospital mencionado acima, imagine que a paciente precisa ser avaliada de forma correta para posterior conduta com prescrição dietética adequada. Para realizar esta atividade você deverá realizar a leitura das Unidades 1 e 2 do livro da disciplina e verificar os MATERIAIS EXTRAS - SEMANA 02 na sala do café. Com este objetivo, você deverá analisar, pesquisar e responder cada item apresentado a seguir, com a finalidade de fazer o diagnóstico nutricional e prescrição dietética adequada a paciente. Utilize os conhecimentos adquiridos através da leitura do livro da disciplina de Dietoterapia e reprodução das aulas conceituais e ao vivo. Apresente as respostas de forma sequencial nos locais indicados neste formulário padrão: 1) EXPLIQUE como deve ser o manejo terapêutico da disfagia orofaríngea e quais as manifestações clínicas frequentemente associadas. 2) APRESENTE o diagnóstico nutricional da paciente (considere antropometria, exame físico e avaliação dietética). 3) APONTE quais os principais objetivos no tratamento dietoterápico da disfagia. 4) CITE qual a prática dietética relacionada com a ocorrência da broncoaspiração nessa paciente com diagnóstico de disfagia. 5) DESCREVA quais as características das consistências dos líquidos com o uso de espessantes recomendados para pacientes com disfagia. 6) INDIQUE qual a dieta via oral recomendada para a paciente, de acordo com o seu nível de disfagia, APONTE quais são os alimentos recomendados e ELABORE um exemplo de almoço com descrição dos alimentos/preparações, não há necessidade de estabelecer quantidades (considere consistência e especificidade de acordo com quadro clínico e diagnóstico nutricional). 7) DESCREVA 6 orientações para dieta via oral indicadas para a alta hospitalar do paciente com disfagia (Utilize o material complementar I Consenso Brasileiro de
  • 6. Nutrição e Disfagia em Idosos hospitalizados – disponível em: https://sbgg.org.br/wp- content/uploads/2014/10/Consenso_Brasileiro_de_Nutricao1.pdf ) Responda as questões nos campos indicados abaixo CAMPO DE RESPOSTAS DA ATIVIDADE