SlideShare uma empresa Scribd logo
ELGIN S.A. Divisão Refrigeração
Rua Barão de Campinas, 305
CEP: 01201-901 – São Paulo – SP
Tel: (011) 3383-5900 - Fax: (011) 3383-5940
Email: refrigeracao@elginsp.com.br
Site: www.elgin.com.br
1. Embalagem do compressor e/ou unidade condensadora ............... 2
2. Verificação preliminar ............................................................................ 2
3. Características de funcionamento do compressor........................... 2
4. Tipos de aplicações ............................................................................... 3
6. Cuidados no local de instalação.......................................................... 4
5. Estrutura de código ................................................................................ 4
7. Acessórios mínimos necessários num sistema de refrigeração ... 5
8. Tubulação da linha de sucção e linha de líquido ............................. 6
9. Formas de instalação ............................................................................ 9
10. Procedimentos de soldagem ..............................................................10
11. Verificação de vazamento................................................................... 11
12. Procedimentos para vácuo ................................................................. 11
13. Procedimentos para carga de fluido refrigerante ........................... 12
14. Medições dos principais parâmetros ................................................ 12
15. Balanceamento de sistemas ..............................................................13
16. Substituição adequada de um compressor avariado.....................14
17. Sistema elétrico ....................................................................................14
18. Esquemas elétricos ..............................................................................15
19. Tabela de Dimensionamento de Fios ...............................................18
20. Análise de problemas / Causas Prováveis / Ação Corretiva ........ 18
21. Causas de Falhas / Ação Corretiva .................................................. 23
ÍNDICE
Os produtos de que trata este manual deverão ser instalados e
operados somente por técnicos de refrigeração devidamente qua-
lificados e que possuam as ferramentas e equipamentos neces-
sários para tal serviço. IMPORTANTE
Este manual tem como finalidade fornecer e sugerir as me-
lhores opções e cuidados na instalação e operação dos com-
pressores e unidades condensadoras Elgin.
Para se obter um elevado rendimento e prolongada vida útil
do seu Compressor e/ou Unidade Condensadora Elgin, siga
rigorosamente as instruções contidas neste manual e, em
caso de dúvidas, consulte-nos
2 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
O compressor e/ou a unidade condensadora deve
sempre ser transportado(a) na posição vertical, isto
é, com pés voltados para baixo e nunca deitados ou
de cabeça para baixo. Evitam-se assim possíveis va-
zamentos de lubrificante (óleo) ou golpe de líquido
devido à migração do lubrificante para dentro do cilin-
dro ou do caracol (Scroll).
O compressor e/ou unidade condensadora deve
1. EMBALAGEM DO COMPRESSOR E/OU UNIDADE CONDENSADORA:
ser removido(a) cuidadosamente da embalagem, para
não serem danificados.
Não levantar a unidade condensadora segurando-
a pelas tubulações. Isso evitará deformações e pos-
síveis vazamentos pela ruptura das soldas.
Os compressores e unidades condensadoras são
fornecidos de fábrica pressurizados(as) com carga de
Nitrogênio (N2
).
2. VERIFICAÇÃO PRELIMINAR:
Antes de instalar o produto, verificar a compatibili-
dade do compressor com a tensão (V) e freqüência
(Hz) de alimentação, o tipo de aplicação desejada
(alta, média ou baixa temperatura de evaporação), a
capacidade frigorífica, o tipo de fluido refrigerante e o
tipo de lubrificante (óleo).
Nos casos de substituição, comparar as caracte-
rísticas do compressor retirado com o modelo novo a
fim de certificar-se da real equivalência.
3. CARACTERÍSTICAS DE FUNCIONAMENTO DO COMPRESSOR:
Compressor Alternativo ou Recíproco:
Este modelo possui basicamente 05 elementos
móveis: pistão, anel, pino, biela e virabrequim.
Os anéis de compressão en-
contram-se no pistão, o qual é
interligado à biela através do
pino e todo este conjunto está
montado no virabrequim que
executa movimentos excêntricos
gerando 02 ciclos por volta com-
pleta, isto é, admissão e com-
pressão.
O contato contínuo das su-
perfícies com o filme de óleo é
feita através dos anéis montados no pistão e as pare-
des do cilindro.
O compressor alternativo ou recíproco possui ain-
da a vantagem de ter baixo custo de fabricação com-
parado a modelos mais modernos.
Compressor Scroll:
O funcionamento deste modelo é baseado em duas
peças no formato de caracol (em inglês “scroll”) que,
num conjunto, uma das peças
permanece fixa e a outra se mo-
vimenta de maneira orbital e de
forma excêntrica, formando “bol-
sas ou células” de compressão
que diminuem gradativamente o
seu volume e aumentam pro-
gressivamente a pressão.
O contato contínuo das su-
perfícies com o filme de óleo tem
um poder de vedação maior,
quando comparado aos modelos de pistão.
O compressor Scroll possui somente 2 peças mó-
veis, enquanto que os modelos de pistão ou alternati-
vos, possuem no mínimo 5 componentes móveis tra-
zendo maiores probabilidades de falhas.
As principais vantagens do compressor Scroll são:
menor nível de ruído, de vibrações e de consumo de
energia.
3MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
Modelo da
Unidade
Condensadora
UCM/ESM
UCB/ESB
USM
USB
Aplicação
Temperatura de
Evaporação
(Pressão de Baixa)
Média Temperatura
+10°C até -15°C
(84 psig ~ 28 psig)
Baixa Temperatura
-15°C até -30°C
(35 psig ~ 15 psig)
Média Temperatura
+10°C até -15°C
(84 psig ~ 28 psig)
Baixa Temperatura
-15°C até -40°C
(28 psig ~ 1 psig)
Tipo
de
Compressor
Alternativo
(Hermético)
Alternativo
(Hermético)
Scroll
Scroll
Fluido
Refrigerante
R-22
R-404A
HP-81
R-402B
R-408A
R-22
R-22
Temperatura de
Condensação
(Pressão de Alta)
Máxima: +65°C
(380 psig)
Máxima: +65°C
(380 psig)
Máxima: +65°C
(380 psig)
Máxima: +65°C
(380 psig)
Tipo
de Óleo
Lubrificante
Mineral ou
Alquilbenzeno
ISO 32
Polyol Ester
ISO 32
Mineral ou
Alquilbenzeno
ISO 32
Mineral ou
Alquilbenzeno
ISO 32
4. TIPOS DE APLICAÇÕES:
OBS: Para aplicações com elevadas variações de
temperatura, tais como, máquinas de fabricar gelo /
sorveteiras por imersão (álcool) / câmaras de banana
/ câmaras de baixa temperatura com degelo a gás
quente ou elétrico, recomendamos o uso de um regu-
lador de pressão de sucção e/ou válvula de expan-
são com MOP (Máxima Pressão de Operação) para
que se possa limitar a pressão de baixa do compres-
sor, não permitindo que o mesmo trabalhe fora da fai-
xa de aplicação, isto é, com pressão de baixa, acima
dos valores de tabela desta página.
Exemplo: para UCB/ESB, a pressão de baixa má-
xima é de 35 psig, evitando principalmente, sobrecar-
ga do motor elétrico (queima).
Recomendamos também o uso de acumulador de
sucção ou separador de líquido para evitar golpe de
líquido principalmente no final do processo (aplica-
ções em baixa temperatura).
Observação importante:
O compressor Scroll só comprimirá o fluido refrigerante se girar no sentido correto.
O compressor Scroll pode girar nos dois sentidos (horário e anti-horário), dependendo da
ordem da conexão dos três cabos elétricos. Se o sentido de rotação estiver incorreto os seguin-
tes fatos ocorrem:
As pressões de baixa e de alta não se alteram (compressor não comprime).
A operação é extremamente ruidosa.
A corrente elétrica será muito baixa.
Neste caso, o técnico deverá inverter a posição de dois dos três cabos elétricos para que o
compressor gire no sentido correto.
A operação do compressor Scroll no sentido inverso de rotação por período prolongado,
causará a quebra do mesmo devido à falta de lubrificação.
4 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
5. ESTRUTURA DE CÓDIGO
6. CUIDADOS NO LOCAL DE INSTALAÇÃO:
A instalação da unidade condensadora deve ser
feita de modo que não bloqueie a entrada de ar fres-
co para o condensador (Ex: condensador colocado
junto à parede).
Não instale a unidade condensadora em um ambi-
ente fechado. Para obter melhor rendimento e bom
funcionamento, a unidade condensadora deve ser ins-
talada em um ambiente arejado e bem ventilado para
que haja a renovação de ar fresco na entrada do con-
densador e saída livre do ar quente. Use algum meio
de exaustão para evitar a recirculação de ar quente
dentro da casa de máquinas.
Recomendamos a limpeza preventiva do conden-
sador para evitar o acúmulo de sujeira que poderá
prejudicar seriamente o rendimento e causar proble-
mas ao compressor.
Sem ventilação adicional Ventilação natural insuficiente Sem ventilação natural
UC M 2 150 E T L
CÓDIGO DO PRODUTO
COMPRESSOR
COMPOSIÇÃO DO PRODUTO
ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA
REFERÊNCIA COMERCIAL
TIPO DE REFRIGERANTE/ÓLEO
Observar faixa de aplicação
APLICAÇÃO
TIPO DE PRODUTO
L’ Unite Hermetique
Copeland
Com tanque de líquido
Sem tanque de líquido
220 V - 1F - 60 Hz
220 V - 1F - 50 Hz (mediante consulta)
220 V - 3F - 50/60 Hz
380 V - 3F - 50/60 Hz
1,5 HP
2,0 HP
2,5 HP
3,0 HP
3,5 HP
4,0 HP
5,0 HP
6,0 HP
7,5 HP
9,0 HP
10,0 HP
R-22 - Óleo Mineral ou Alquilbenzeno - ISO32
R-404A - Óleo Poliolester - ISO 32
R-404A / R-402A / R-402B / R-408A - Óleo Poliolester - ISO 32
Média / Alta Temp. de Evaporação (-15o
C a +10o
C).
Baixa Temp. de Evaporação (-40o
C/-30o
C a -15o
C).
Unidade Condensadora a ar, com compressor alternativo
Unidade Condensadora a ar, com compressor scroll de refrigeração.
Elgin Split ou Elgin Silenciosa ou Unidade Condensadora Silensiosa.
L
0
T
S
E
F
T
J
150
200
250
300
350
400
500
600
750
900
1000
2
4
5
M
B
UC
US
ES
5MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
Nas unidades condensadoras ESM e ESB siga as distâncias abaixo:
C = Comprimento do condensador
Nas unidades condensadoras UCM, UCB, USM e USB, siga as distâncias abaixo:
• Filtro secador da linha de líquido: instalado na
linha de líquido. Sua função é filtrar a sujeira e,
principalmente, retirar, na medida do possível, a
umidade do sistema.
• Válvula solenóide da linha de líquido: instala-
da na linha de líquido, antes e o mais próximo
possível da válvula de expansão. Tem a função
de desligar a unidade condensadora através do
recolhimento do refrigerante (pump-down).
• Visor de líquido: instalado na linha de líquido. É
utilizado para visualizar a carga de refrigerante e
permitir a verificação da presença de umidade no
sistema através do indicador de umidade.
• Válvula de expansão / Capilar: instalado na li-
nha de líquido, na entrada do evaporador, o mais
próximo possível do mesmo. Sua finalidade é pro-
mover a queda de pressão e alimentar correta-
mente o evaporador. Para isso deve ser dimensi-
7. ACESSÓRIOS MÍNIMOS NECESSÁRIOS NUM SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO:
onado corretamente.
• Tanque de líquido: instalado na linha de liquido,
logo após o condensador. Sua utilização é obri-
gatória quando se utiliza válvula de expansão.
• Acumulador de sucção (Separador de líquido):
instalado na linha de sucção, antes do compressor.
Sua função é evitar o retorno de líquido para o com-
pressor, o que poderia causar “golpe de líquido”.
Sua utilização é obrigatória em temperaturas de
evaporação abaixo de -5o
C (menos cinco graus
Celsius) e em sistemas onde é realizado degelo
(gás quente ou elétrico).
• Filtro de sucção: instalado na linha de sucção
antes do compressor. Sua função é filtrar possí-
veis sujeiras da própria linha de sucção e do eva-
porador, o filtro de sucção é utilizado normalmente
em sistemas grandes ou instalações que sofre-
ram queima elétrica severa.
C
C
C
CC
C
C
CC
Medidas em mm Medidas em mm
6 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
• Separador de óleo: instalado na linha de des-
carga, logo após o compressor. Seu retorno é co-
nectado na linha de sucção ou no próprio cárter
do compressor. É utilizado para reter o óleo de
lubrificação que sai do compressor. Durante o fun-
cionamento normal do compressor, uma peque-
na parcela de óleo é “bombeada” para o sistema
de refrigeração e deve retornar ao compressor.
O uso do separador de óleo é obrigatório nas se-
guintes condições:
1- Em sistemas com temperatura de evaporação
abaixo de -10o
C (menos dez graus Celsius).
2- Em unidades condensadoras instaladas aci-
ma do evaporador.
3- Em sistemas onde o comprimento da tubula-
ção de sucção for superior a 3 metros. Neste
caso, a cada 10 metros de comprimento da
tubulação devem-se acrescentar 100 ml de
óleo no compressor. Utilize somente o tipo de
óleo especificado na tabela da pág. 3. Não es-
quecer de acrescentar óleo no separador de
óleo, conforme indicação do fabricante.
• Pressostato de alta pressão: instalado no lado
de alta pressão é conectado à tomada de pres-
são da descarga. Sua função é proteger o com-
pressor contra alta pressão de descarga, em si-
tuações adversas como, por exemplo: condensa-
dor sujo, ventilador do condensador avariado,
ambiente muito quente ou com recirculação de
ar quente no condensador.
• Pressostato de baixa pressão: instalado no
lado de baixa pressão é conectado à tomada de
pressão da sucção. Uma de suas funções é pro-
teger o compressor contra baixa pressão de suc-
ção, como por exemplo, vazamento da carga de
fluido refrigerante, ajuste incorreto da válvula de
expansão e filtro secador obstruído (entupido).
Pode ser utilizado, também, em conjunto com o
termostato e a válvula solenóide da linha de lí-
quido para desligar o compressor através do re-
colhimento (pump down) do fluido refrigerante
quando o sistema atingir a temperatura ideal.
8. TUBULAÇÃO DA LINHA DE SUCÇÃO E LINHA DE LÍQUIDO:
As linhas de líquido e sucção, principalmente em
longas distâncias ou grandes desníveis, devem ter o
diâmetro das tubulações adequadamente dimensio-
nado para garantir um bom retorno de óleo para o
compressor. Para isso, utilize uma tabela de dimen-
sionamento de tubulações e selecione corretamente
os diâmetros recomendados, obtendo assim, veloci-
dades adequadas na linha de sucção e na linha de
líquido e conseqüentemente o eficiente retorno do
óleo ao compressor. Para utilizar a tabela de dimen-
sionamento das tubulações deve-se calcular primei-
ramente o comprimento equivalente que é a soma do
comprimento da tubulação mais o comprimento equi-
valente dos acessórios, curvas, ramificações (T) e
demais singularidades presentes no decorrer destes
trechos.
Abaixo temos uma tabela com comprimentos equi-
valentes para algumas singularidades:
3/8 0,3 0,2 2,2 1,7 0,7 0,9
1/2 0,4 0,2 3,3 2,1 0,8 1,1
5/8 0,5 0,2 4,8 2,7 1,0 1,4
3/4 0,6 0,3 5,7 3,2 1,1 1,7
7/8 0,7 0,3 6,7 3,8 1,3 2,0
1 1/8 0,9 0,4 8,6 4,9 1,7 2,6
1 3/8 1,1 0,5 10,5 5,9 2,1 3,1
1 5/8 1,3 0,6 12,4 7,0 2,5 3,7
2 1/8 1,7 0,8 16,2 9,2 3,2 4,9
2 5/8 2,1 1,0 20,0 11,3 4,0 6.0
3 1/8 2,5 1,2 23,8 13,5 4,8 7,1
3 5/8 2,9 1,4 27,6 15,7 5,5 8,3
Comprimento Equivalente de Conexões de Cobre
Diâmetro do
tubo de
cobre (pol.)
Comprimento Equivalente (m)
Curva 90o
Curva 45o Válvula Globo
e Solenóide
Válvula
em ângulo
(T) para
Ramificação
(T) para
Bifurcação
7MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
BTU/h Kcal/h W 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m
1000 252 293 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
3000 756 879 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 3/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
4000 1008 1172 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
6000 1512 1758 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
9000 2268 2637 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 5/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
12000 3024 3516 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
15000 3780 4395 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2
18000 4536 5274 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2
24000 6048 7032 5/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2
30000 7560 8790 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2
36000 9072 10548 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2
42000 10584 12306 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8
48000 12096 14064 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8
54000 13608 15822 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8
60000 15120 17580 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8
66000 16632 19338 7/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8
72000 18144 21096 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8
78000 19656 22854 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 1/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8 7/8
84000 21168 24612 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8
90000 22680 26370 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8
120000 30240 35160 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8
150000 37800 43950 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8
180000 45360 52740 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 2 5/8 3 1/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8
210000 52920 61530 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 2 5/8 3 1/8 3 1/8 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8 1 1/8
Diâmetro da Linha de Líquido
R-22. Do tanque de líquido
para a válvula de expansão
Comprimento Equivalente (m)
Capacidade Frigorífica
Temperatura de Evaporação
5°C
Comprimento Equivalente (m)
Temperatura de Evaporação
-12°C
Comprimento Equivalente (m)
Temperatura de Evaporação
-29°C
Comprimento Equivalente (m)
DIÂMETRO DA LINHA DE SUCÇÃO R-22
BTU/h Kcal/h W 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m
1000 252 293 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 5/8 3/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
3000 756 879 1/2 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 1/2 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 1/2 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
4000 1008 1172 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
6000 1512 1758 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 11/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
9000 2268 2637 5/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 5/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 5/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
12000 3024 3516 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2
15000 3780 4395 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 13/8 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 13/8 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 1 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2
18000 4536 5274 7/8 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 7/8 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 7/8 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2
24000 6048 7032 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 15/8 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 13/8 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 13/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2
30000 7560 8790 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 15/8 11/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 11/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2
36000 9072 10548 11/8 11/8 13/8 13/8 15/8 15/8 11/8 13/8 13/8 13/8 13/8 15/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8
42000 10584 12306 11/8 13/8 13/8 15/8 15/8 15/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 11/8 13/8 13/8 1 3/8 15/8 15/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8
48000 12096 14064 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 11/8 13/8 13/8 1 3/8 15/8 15/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8
54000 13608 15822 13/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 21/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 21/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8
60000 15120 17580 13/8 13/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 13/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 13/8 15/8 15/8 15/8 21/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8
66000 16632 19338 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8
72000 18144 21096 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8 5/8
78000 19656 22854 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 5/8 5/8 5/8 5/8 5/8 7/8
84000 21168 24612 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 15/8 15/8 1 5/8 21/8 21/8 21/8 5/8 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8
90000 22680 26370 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 25/8 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 25/8 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 5/8 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8
120000 30240 35160 15/8 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 15/8 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 15/8 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8
150000 37800 43950 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 25/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8
180000 45360 52740 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 3 1/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 11/8
210000 52920 61530 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 31/8 21/8 25/8 25/8 25/8 3 1/8 3 1/8 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 31/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 11/8 11/8
Diâmetro da Linha de Líquido
R-404A e R-507. Do tanque de
líquido para a válvula de expansão
Comprimento Equivalente (m)
Capacidade Frigorífica
Temperatura de Evaporação
-29°C
Comprimento Equivalente (m)
Temperatura de Evaporação
-34°C
Comprimento Equivalente (m)
Temperatura de Evaporação
-40°C
Comprimento Equivalente (m)
DIÂMETRO DA LINHA DE SUCÇÃO R-404A e R-507
8 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
BTU/h Kcal/h W 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m
1000 252 293 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 3/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
3000 756 879 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
4000 1008 1172 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2
6000 1512 1758 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 5/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 7/8 7/8 7/8 11/8 1 1/8 11/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2
9000 2268 2637 7/8 7/8 7/8 1 1/8 11/8 11/8 7/8 11/8 11/8 11/8 11/8 11/8 7/8 1 1/8 1 1/8 11/8 11/8 13/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2
12000 3024 3516 7/8 11/8 11/8 11/8 11/8 13/8 7/8 11/8 11/8 11/8 11/8 13/8 11/8 1 1/8 1 1/8 13/8 13/8 13/8 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2
15000 3780 4395 11/8 11/8 11/8 11/8 11/8 13/8 11/8 11/8 11/8 11/8 1 3/8 13/8 11/8 1 1/8 13/8 13/8 13/8 15/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2
18000 4536 5274 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 13/8 11/8 11/8 13/8 13/8 1 3/8 13/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8
24000 6048 7032 11/8 13/8 13/8 13/8 13/8 15/8 11/8 13/8 13/8 13/8 1 5/8 15/8 11/8 13/8 13/8 15/8 15/8 21/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8
30000 7560 8790 11/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 11/8 13/8 1 5/8 15/8 1 5/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 15/8 15/8 2 1/8 21/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8
36000 9072 10548 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 2 1/8 13/8 13/8 1 5/8 15/8 21/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 15/8 2 1/8 2 1/8 21/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8
42000 10584 12306 13/8 13/8 15/8 15/8 21/8 2 1/8 13/8 15/8 1 5/8 2 1/8 21/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 21/8 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8
48000 12096 14064 13/8 15/8 15/8 21/8 21/8 2 1/8 13/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8
54000 13608 15822 13/8 15/8 15/8 21/8 21/8 2 1/8 13/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 1/2 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8
60000 15120 17580 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8
66000 16632 19338 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 2 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8
72000 18144 21096 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 5/8 2 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 2 5/8 25/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8
78000 19656 22854 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 5/8 25/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 25/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8
84000 21168 24612 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 25/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 5/8 25/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 25/8 3 1/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8
90000 22680 26370 15/8 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 21/8 21/8 21/8 25/8 2 5/8 2 5/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 25/8 3 1/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8
120000 30240 35160 2 1/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 21/8 21/8 2 5/8 25/8 2 5/8 3 1/8 2 1/8 25/8 25/8 3 1/8 3 1/8 3 1/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 11/8
150000 37800 43950 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 21/8 2 5/8 2 5/8 25/8 3 1/8 3 1/8 2 5/8 25/8 3 1/8 3 1/8 3 1/8 3 5/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 11/8
180000 45360 52740 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 31/8 21/8 2 5/8 3 1/8 3 1/8 3 1/8 3 5/8 2 5/8 3 1/8 3 1/8 3 1/8 3 5/8 3 5/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 11/8
210000 52920 61530 21/8 25/8 25/8 3 1/8 31/8 35/8 2 5/8 2 5/8 3 1/8 3 1/8 3 5/8 3 5/8 2 5/8 3 1/8 3 1/8 3 5/8 35/8 4 1/8 7/8 11/8 7/8 1 1/8 11/8 13/8
Diâmetro da Linha de Líquido
R-502*. Do tanque de líquido
para a válvula de expansão
Comprimento Equivalente (m)
Capacidade Frigorífica
Temperatura de Evaporação
-29°C
Comprimento Equivalente (m)
Temperatura de Evaporação
-34°C
Comprimento Equivalente (m)
Temperatura de Evaporação
-40°C
Comprimento Equivalente (m)
DIÂMETRO DA LINHA DE SUCÇÃO R-502*
NOTA:
• Fluidos refrigerantes equivalentes ao R-502: HP-81 / FX-10 / R-408A
• Os diâmetros em destaque indicam as dimensões máximas para trechos verticais ascendentes.
• O diâmetro do trecho vertical ascendente não deve ser maior que o diâmetro do trecho horizontal.
• O diâmetro da linha de sucção está dimensionada para perda de temperatura correspondente a 1°C. Deve-
se estimar a perda de capacidade do sistema em função dessa perda de temperatura.
• Prever o uso de sifão na saída do evaporador e isolar adequadamente a linha de sucção a fim de evitar alto
superaquecimento, o que elevaria também a temperatura de descarga do compressor.
• Prever um trecho horizontal na saída do evaporador para instalar o bulbo e o equalizador externo da válvula
de expansão.
• As linhas de sucção na horizontal devem ter uma pequena queda no sentido favorável ao compressor (no
mínimo um centímetro por metro de tubulação).
9MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
3000 756
15 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
30 1/2 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8
6000 1512
15 1/2 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 3/8
30 1/2 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8
9000 2268
15 5/8 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8
30 5/8 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8 5/8 3/8
12000 3024
15 5/8 1/2 1/2 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8
30 7/8 1/2 5/8 3/8 5/8 3/8 5/8 3/8
18000 4536
15 7/8 1/2 1/2 3/8 5/8 1/2 5/8 1/2
30 7/8 1/2 5/8 3/8 5/8 1/2 5/8 1/2
24000 6048
15 7/8 5/8 5/8 1/2 5/8 5/8 7/8 5/8
30 7/8 5/8 5/8 1/2 7/8 5/8 7/8 5/8
36000 9072
15 7/8 5/8 5/8 5/8 7/8 5/8 7/8 5/8
30 1 1/8 5/8 7/8 5/8 7/8 5/8 7/8 5/8
48000 12096
15 1 1/8 7/8 7/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8
30 1 1/8 7/8 7/8 5/8 7/8 7/8 1 1/8 7/8
60000 15120
15 1 1/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 7/8 7/8 7/8
30 1 3/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 7/8 1 1/8 7/8
DIÂMETRO RECOMENDADO PARA CONDENSADORES REMOTOS
Capacidade Frigorífica
BTU/h Kcal/h
Linha de
Descarga
Linha de
Líquido
Condensador
até o Tanque
Linha de
Líquido
Condensador
até o Tanque
Linha de
Líquido
Condensador
até o Tanque
Linha de
Líquido
Condensador
até o Tanque
Linha de
Descarga
Linha de
Descarga
Linha de
Descarga
Compri-
mento
Equivalente
(m)
R-12 / R-134a R-22 R-502 R-507 / R-404A
9. FORMAS DE INSTALAÇÃO:
Compressor acima do evaporador Compressor abaixo do evaporador
10 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
Compressor no mesmo nível do evaporador com inclinação favorável
Compressor no mesmo nível do evaporador com inclinação desfavorável
10. PROCEDIMENTOS DE SOLDAGEM:
• Assegure-se de que a tubulação esteja limpa e
isenta de contaminantes;
• Faça a soldagem nas tubulações e conexões cir-
culando o Nitrogênio numa pressão em torno de 1
a 2 psig no interior das mesmas. Tal procedimento
reduz a formação de óxidos e fuligem nas pare-
des internas da tubulação.
• Não utilize fluxo de solda em excesso, para evitar
que o mesmo contamine a tubulação. O fluxo deve
ser aplicado somente no lado macho da união, isto
é, na parte de menor diâmetro.
• Utilize algum tipo de dissipador de calor (pano
úmido, por exemplo) para evitar a propagação
de calor pela tubulação, protegendo as partes
sensíveis do sistema.
• Não aqueça a tubulação em excesso durante o
processo de solda, pois isto facilita a oxidação in-
terna da mesma.
• Use sempre solda do tipo prata ou foscoper de-
pendendo dos materiais a serem soldados:
Em ferro/cobre: use solda prata.
Em cobre/cobre: use solda foscoper
• O compressor e o filtro secador devem ser aber-
tos somente no momento de se executar a instala-
ção. Isso evita a entrada de sujeira e principalmente
de umidade nos mesmos.
OBS: Em compressores com a válvula Rotalock,
deve-se retirar a válvula do compressor, e também
o anel de teflon da mesma. Envolva a válvula em
um pano úmido (para evitar o empenamento da
sede) e realize a soldagem na tubulação de cobre.
Reinstale a válvula no compressor, não esquecen-
do de posicionar corretamente o anel de teflon.
11MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
11. VERIFICAÇÃO DE VAZAMENTO:
Nos dois primeiros casos é necessária a presença
do fluído refrigerante no sistema.
Para utilizar somente a espuma de sabão deve-se
pressurizar o sistema com nitrogênio, detectando a
presença de bolhas de sabão nos locais a serem ve-
rificados.
ATENÇÃO:
a) No teste de vazamento, nunca pressurize o siste-
ma acima da pressão de 150 psig, principalmente
do lado de baixa pressão, para não danificar ou pre-
judicar o funcionamento do pressostato de baixa.
b) Jamais introduza oxigênio, acetileno ou outros ga-
ses inflamáveis em testes de vazamento.
c) Não trabalhe ou instale mangueiras ou manôme-
tros em cilindros (nitrogênio, oxigênio, acetileno ou
outros gases) sem válvulas reguladoras de pres-
são em perfeito estado de funcionamento. O uso
inadequado destes equipamentos poderá colocar
em risco a vida do equipamento e a sua.
Realizada a instalação e com todas as verificações
já efetuadas (inclusive as de ordem elétrica), subme-
ta o sistema a um teste de vazamento.
Para isso pode-se utilizar um detector eletrônico
de vazamentos, uma lamparina ou espuma de sabão.
12. PROCEDIMENTOS PARA VÁCUO:
Nunca aplique tensão enquanto o sistema estiver
em vácuo.
A partida do compressor sob vácuo causa a quei-
ma instantânea do mesmo.
Para evacuar o sistema, utilize uma bomba de vá-
cuo juntamente com um vacuômetro.
Efetue vácuo na instalação em duas etapas. Na
primeira, deve-se atingir 1000 µ (mil mícrons) medi-
dos no vacuômetro, quebrar o vácuo com o próprio
fluido refrigerante, efetuar novo vácuo até que se atin-
ja 200 µ (duzentos mícrons) medidos no vacuômetro
e manter este vácuo por, pelo menos, uma hora, após
certificar-se que não há vazamentos, quebre o vá-
cuo com o refrigerante até atingir pressão positiva e
equalização de pressão nos manômetros de alta e
baixa.
Lembre-se que vácuo não se mede com um reló-
gio ou cronômetro (por tempo) e sim com um vacuô-
metro.
ATENÇÃO:
Em hipótese alguma utilize o próprio compressor
para fazer a evacuação na instalação.
12 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
Superaquecimento (útil) – Também conhecido
como superaquecimento do evaporador, este parâ-
metro serve para obter-se o máximo de aproveitamen-
to da área de troca do evaporador ou seja, verificar se
o evaporador está com um bom preenchimento de flui-
13. PROCEDIMENTOS PARA CARGA DE FLUIDO REFRIGERANTE:
A carga de fluido refrigerante deve sempre ser re-
alizada no tanque de líquido com o compressor desli-
gado. Se o sistema não possuir tanque de líquido, re-
alize a carga através da linha de líquido.
A forma da carga (líquido ou vapor) depende do
fluido refrigerante que está sendo utilizado. Lembra-
mos que, para os fluidos refrigerantes chamados de
“blends”, como por exemplo, MP39, HP81, R-404A,
entre outros, a carga deve ser feita sempre na fase
líquida. Já para os refrigerantes puros, como por exem-
plo, R-22 e R-134a, a carga pode ser feita na fase
líquida ou vapor.
Realizada a carga inicial através da linha de líqui-
do ou do tanque de líquido, caso seja necessário com-
plementar a carga de fluido refrigerante, esta deve
ser realizada com o compressor ligado, através da
sucção, com o fluido refrigerante na fase vapor para
os refrigerantes puros e, na fase líquida, para os “blen-
ds”. Para complementar a carga de fluido refrigerante
“blends”, aconselhamos a utilização de um tubo capi-
lar com 0,050” de diâmetro e 3 metros de comprimen-
to. Isto promoverá a expansão do fluido refrigerante,
fazendo com que ele chegue ao compressor como
uma mistura de líquido + vapor, minimizando a dilui-
ção do lubrificante e evitando o golpe de líquido.
14. MEDIÇÕES DOS PRINCIPAIS PARÂMETROS:
Superaquecimento / Sub-resfriamento / Temperatura de sucção / Temperatura da linha de líquido /
Temperatura de descarga:
do refrigerante. O superaquecimento é medido pela
diferença da temperatura de evaporação e tempera-
tura da saída do evaporador (na tubulação, junto ao
bulbo da válvula de expansão termostática). A tem-
peratura de evaporação é obtida medindo-se a pres-
Válvula de
Expansão
Sifão
Condensador
Equalização
Externa
Bulbo
Compressor
Evaporador
T entrada do
evaporador
P alta P baixa
T descarga
T sucção
15 cm 15 cm
T linha de líquido
T saída do
evaporador
13MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
são de baixa e através de uma régua PxT, encontra-
se a temperatura correspondente.
Um outro método possível é medir a diferença en-
tre a temperatura da tubulação na entrada do evapo-
rador e a temperatura da saída do evaporador (na tu-
bulação, junto ao bulbo da válvula de expansão ter-
mostática). As válvulas de expansão termostática pos-
suem uma regulagem específica para cada fabrican-
te. Pelo padrão adotado pelos fabricantes de válvula
de expansão, o superaquecimento útil varia entre 4°C
e 8°C que são os valores recomendados:
SUPERAQUECIMENTO DO EVAPORADOR (ÚTIL):
ENTRE 4°C E 8°C (DEPENDE DO FABRICANTE DE
VÁLVULA DE EXPANSÃO).
Exemplo:
P sucção = 28,2 psig R-22 (régua P x T)
T evaporação = -15°C
T saída do evaporador = -9°C
SUPERAQUECIMENTO DO EVAPORADOR (ÚTIL) = T
SAÍDA DO EVAPORADOR – T EVAPORAÇÃO
Superaquecimento do evaporador (útil) = -9 – (-15)
Superaquecimento do evaporador (útil) = 6°C
Superaquecimento total (global) – (Também co-
nhecido como superaquecimento do compressor). A
importância deste parâmetro é permitir que a tempe-
ratura do gás de retorno que vai para o compressor
seja suficiente para suprir o resfriamento do conjunto
mecânico e elétrico, mas principalmente evitar que a
temperatura de descarga atinja valores acima da que
o óleo tolere. É medido pela diferença da temperatura
de evaporação e temperatura de sucção, na entrada
do compressor (na tubulação de sucção, 15 cm antes
do compressor). A temperatura de evaporação é obti-
da medindo-se a pressão de baixa para através de uma
régua PxT, encontrar a temperatura correspondente.
Valores recomendados:
SUPERAQUECIMENTO TOTAL (GLOBAL): MENOR
QUE 20°C
Exemplo:
P sucção = 28,2 psig R-22 (régua PxT)
T evaporação = -15°C
T sucção = -5°C
SUPERAQUECIMENTO TOTAL (GLOBAL) = T SUCÇÃO
– T EVAPORAÇÃO
Superaquecimento total (global) = -5 – (-15)
Superaquecimento total (global) = 10°C
Sub-resfriamento – este parâmetro serve para
verificar não só se a carga no sistema está adequa-
da, mas também para verificar principalmente se o
condensador está cumprindo o seu objetivo que é re-
jeitar o calor do sistema e condensar todo o fluido
refrigerante de vapor superaquecido em líquido sub-
resfriado. A válvula de expansão deve receber somen-
te líquido e não uma mistura de líquido + vapor que
causa perda de ajuste e referência de regulagem no
sistema de refrigeração. O sub-resfriamento é calcu-
lado pela diferença entre a temperatura de conden-
sação e a temperatura da linha de líquido próximo à
válvula de expansão (fora do ambiente condiciona-
do). A temperatura de condensação é obtida medin-
do-se a pressão de alta e através de uma régua PxT,
encontrar a temperatura correspondente
Valores recomendados:
SUB-RESFRIAMENTO: ENTRE 2°C E 8°C
Exemplo:
P descarga = 181,8 psig R-22 (régua PxT)
T condensação = 35°C
T linha de líquido = 30°C
Sub-resfriamento = T condensação –
T linha de líquido
Superaquecimento total (global) = 35 - 30
Superaquecimento total (global) = 5°C
Temperatura de descarga – este parâmetro é um
alerta para que a temperatura na tubulação de des-
carga, a 15 cm da conexão de descarga do compres-
sor, não ultrapasse 120°C para que não ocorra a per-
da de propriedades de lubrificação por causa da car-
bonização do óleo lubrificante.
TEMPERATURA DE DESCARGA: MÁX: 120°C
15. BALANCEAMENTO DE SISTEMAS:
PROVIDÊNCIA SUPERAQUECIMENTO SUB-RESFRIAMENTO
ABRIR A VÁLVULA DE EXPANÇÃO DIMINUI DIMINUI
FECHAR VÁLVULA DE EXPANSÃO AUMENTA AUMENTA
COLOCAR FLUIDO REFRIGERANTE DIMINUI AUMENTA
RETIRAR FLUIDO REFRIGERANTE AUMENTA DIMINUI
14 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
16. SUBSTITUIÇÃO ADEQUADA DE UM COMPRESSOR AVARIADO:
g) Efetue vácuo na instalação até que se atinja 1000
µ (mil mícrons). Quebre o vácuo com o próprio flui-
do refrigerante, efetue novo vácuo até atingir 200
µ (duzentos mícrons) e mantenha este vácuo pelo
menos por uma hora, certificando-se que não haja
vazamentos. O nível de vácuo deve ser medido
com vacuômetro.
h) Faça a carga de fluido refrigerante novo e faça os
ajustes necessários.
i) Após 72 horas de funcionamento, troque o óleo do
compressor e o filtro secador na linha de líquido.
Meça a acidez no óleo. Persistindo a acidez no sis-
tema, substituir o filtro secador de sucção e o da
linha de líquido até que o nível de acidez no siste-
ma fique de acordo com o recomendado. Neste
momento, o filtro de sucção deverá ser retirado,
minimizando a perda de carga na sucção.
Se for constatada a queima do compressor siga
as seguintes recomendações:
a) Recolha o fluido refrigerante através de bomba
recolhedora apropriada (não deixar o refrigerante
vazar para a atmosfera, evitando assim, danos eco-
lógicos).
b) Faça a circulação forçada, em todo o sistema, uti-
lizando refrigerante R-141b.
c) Substitua o filtro secador da linha de líquido.
d) Substitua todo o lubrificante da instalação, inclusi-
ve aquele contido no separador de óleo.
e) Não esqueça de completar o óleo da instalação.
Lembre-se que, quando da limpeza do sistema com
R141b, todo óleo retirado, deverá ser reposto.
f) Instale um filtro secador na linha de sucção com
um elemento filtrante para retenção dos ácidos,
ceras e filtragem das impurezas, comercialmente
conhecidos como tipo HH.
17. SISTEMA ELÉTRICO:
O esquema de ligação elétrica acompanha a uni-
dade condensadora e encontra-se no interior da cai-
xa de ligação.
Nos modelos monofásicos tenha o cuidado de uti-
lizar os capacitores de marcha especificados que
acompanham o produto e são recomendados pela El-
gin. Elementos de proteções recomendados:
Monofásicos: Disjuntor + monitor de tensão + relé
térmico de sobrecarga.
Trifásicos: Disjuntor motor + monitor de tensão +
relé térmico de sobrecarga + relé falta de fase +
rele seqüenciador de fase*
*Nos compressores do tipo Scroll recomendamos a
utilização de um relé seqüenciador de fase para evi-
tar que o motor gire ao contrário, dando assim sinto-
mas de compressor sem compressão ou com ruído.
Disjuntor: Tem a função de interromper a corrente
de acionamento (desarmar), quando este valor atin-
gir sua capacidade limite, não deixando o compres-
sor ligar.
Monitor de tensão: Tem a função de interromper
a tensão de acionamento (desarmar), quando este
valor atingir variações acima de +/- 10% da nomi-
nal (Ex: 220 V: 198 V ~ 242 V), não deixando o
compressor ligar.
Relé térmico de sobrecarga: Tem a mesma fun-
ção do disjuntor mas permite o ajuste de sensibili-
dade da corrente de desarme.
Relé falta de fase: Tem a função de interromper a
corrente de acionamento (desarmar), quando uma
das fases da rede trifásica é interrompida, não dei-
xando o compressor operar.
Relé seqüenciador fase: É utilizado para evitar in-
versão de rotação dos compressores do tipo Scroll.
Disjuntor motor: É um componente composto que
possui o relé falta de fase + disjuntor.
15MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
18. ESQUEMAS ELÉTRICOS:
ESQUEMA ELÉTRICO - UCM e UCB - Monofásico (1F) 220V
ESQUEMA ELÉTRICO - UCM e UCB - Trifásico (3F) 380V
PA - Pressostato de Alta
PB - Pressostato de Baixa
CN - Contator
MV - Motor Ventilador
CP - Capacitor
Entrada
380V
ALIMENTAÇÃO
MARROM (AZUL)
COMPRESSOR
PRESSOSTATOS
ATENÇÃO!!
Ligar os pontos A e C
desta ponte em série
com a bobina do contator
SAÍDA P/
COMPRESSOR
T
S
C
C
PA PB 1980 90 5472 00
CN
B
B
A
A
VERMELHO (PRETO)
AZUL (MARROM)
AZUL
(VERMELHO)
C A
CP
R
MV
N R S T
}
ESQUEMA ELÉTRICO - UCM e UCB - Trifásico (3F) 220V
ESQUEMA ELÉTRICO - USM e USB - Trifásico (3F) 220V e 380V
16 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
ESQUEMA ELÉTRICO - ESM 2 150
Monofásico (1F) 220V
ESQUEMA ELÉTRICO - ESM 2 200 A
ESM 2 500 - Trifásico (3F) 380V
ESQUEMA ELÉTRICO - ESM 2 200 A
ESM 2 300 - Monofásico (1F) 220V
ESQUEMA ELÉTRICO - ESM 2 150
Trifásico (3F) 220V e 380V
17MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
ESQUEMA ELÉTRICO - ESM 2 200 A 2 500
Trifásico (3F) 220V
18 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
19. TABELA DE DIMENSIONAMENTO DE FIOS:
Tabela de Bitolas (Diâmetros) de Fios
Corrente Escala de Série Métrica
Disjuntor Contador
Relé Térmico
Nominal Bitola Seção Nominal de Sobrecarga
(A) (AWG) (mm) (A) (A) (A)
Até 5 14 1,5 10 10 2,7 - 6,0
6 à 10 12 2,5 15 15 6,0 - 15,0
11 à 15 10 4,0 20 20 11,0 - 20,0
16 à 20 8 6,0 25 25 15,0 - 25,0
21 à 30 6 10,0 35 30 19,0 - 35,0
31 à 40 4 16,0 45 40 30,0 - 45,0
41 à 50 4 16,0 55 50 40,0 - 55,0
Compressor não funciona.
Compressor barulhento ou
vibrando.
20. ANÁLISE DE PROBLEMAS / CAUSAS PROVÁVEIS / AÇÃO CORRETIVA
Causas Prováveis
Disjuntor desligado.
Fusível queimado.
Protetor térmico aberto.
Defeito no contator.
Sistema desligado por algum contro-
le de segurança.
Problemas com o motor do com-
pressor.
Cabos elétricos soltos.
Válvula solenóide da linha de líquido
não abre.
Compressor inundado de líquido ou
de óleo.
Fixações e suportes de tubulações
inadequados.
Compressor Scroll com rotação
invertida.
Compressor no fim da vida útil.
Ação Corretiva
Ligue o Disjuntor.
Verifique, identifique e corrija possí-
ves falhas no circuito elétrico e de
comando. Verifique se o compressor
está queimado. Após as correções,
Substitua o fusível.
Verifique na coluna Problema: “Pro-
tetor térmico do compressor aberto”.
Repare ou Substitua o contator
Identifique qual dispositivo desligou
o sistema, corrija possíveis falhas e
religue o sistema.
Verifique o aperto dos cabos elétri-
cos e as suas ligações ou se o com-
pressor está queimado.
Reaperte os cabos de ligação.
Verifique se a bobina está queima-
da ou se a haste está empenada.
Verifique o funcionamento do ter-
mostato.
Verifique a regualgem da válvula de
expansão, o superaquecimento e o
nível de óleo.
Adicione, remova ou mude de posi-
ção os suportes.
Inverta duas das três fases de ali-
mentação elétrica.
Substitua o compressor.
Problema
19MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
Causas Prováveis Ação CorretivaProblema
Pressão de descarga
muito alta.
Pressão de descarga
muito baixa.
Pressão de sucção muito
alta.
Pressão de sucção muito
baixa.
Não condensáveis no sistema.
Excesso de fluído refrigerante.
Recirculação de ar no condensador.
Vazão de água insuficiente no
condensador.
Válvula de serviço de descarga
parcialmente fechada.
Ventilador do condensador inoperan-
te.
Pressostato de alta desregulado.
Sujeira no condensador.
Válvula de serviço de sucção parci-
almente fechada.
Falta de fluido refrigerante.
Baixa pressão de sucção.
Regulagem incorreta do controle de
condensação.
Bulbo da válvula de expansão sem
contato.
Temperatura ambiente muito baixa.
Válvula de expansão dando passa-
gem em excesso.
Carga térmica do sistema muito
grande.
Excesso de fluido refrigerante.
Válvula de expansão muito aberta
ou muito grande.
Evaporador sujo ou congelado.
Ventilador do evaporador inoperante.
Filtro secador da linha de líquido
obstruido.
Remova os não condensáveis.
Recolha o fluido refrigerante em ex-
cesso. OBS.: Não jogá-lo na atmos-
fera.
Reposicione o condensador ou pro-
videncie ventilação adicional na casa
de máquinas.
Verifique o dimensionamento e o fun-
cionamento da bomba de água de
condensação e se a tubulação de
água de condensação não esteja
parcialmente entupida.
Abra a válvula de serviço de descar-
ga.
Verifique se o ventilador está quei-
mado.
Regule o pressostato de alta pres-
são
Limpe o condensador. Para conden-
sador a água promova o varetamen-
to dos tubos.
Abra a válvula de serviço de sucção.
Corrija possíveis vazamentos e
acrescente fluido refrigerante.
Verifique no item Problema: “Baixa
pressão de sucção”.
Regule corretamente o controle de
condensação.
Posicione corretamente o bulbo da
válvula de expansão e isolá-lo ter-
micamente.
Instale o controle de pressão de con-
densação.
Regule a válvula de expansão. Se
necessário Substitua.
Reduza a carga térmica ou aumen-
te o tamanho do evaporador.
Recolha o fluido refrigerante em ex-
cesso. OBS.: Não o jogue na atmos-
fera.
Verifique e Corrija a posição do bul-
bo, Regule a válvula de expansão.
Se necessário Substitua.
Limpe o evaporador. Verifique o fun-
cionamento do sistema de degelo e
regule-o .
Verifique se o ventilador está quei-
mado.
Substitua o filtro secador da línha de
líquido.
20 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
Causas Prováveis Ação CorretivaProblema
Pressão de sucção muito bai-
xa. (continuação)
Sistema não refrigera
Visor de líquido borbulhando.
Compressor com perda de
óleo.
Linha de sucção obstruida ou com
perda de carga excessiva.
Temperatura de condensação muito
baixa.
Vazamento da carga do bulbo da
válvula de expansão.
Falta de fluido refrigerante.
Temperatura ambiente muito baixa.
Excesso de óleo no sistema.
Válvula de expansão muito fechada
ou muito pequena.
Válvula de expansão com defeito.
Válvula de expansão entupida por
sujeira ou gelo.
Termostato com defeito.
Não condensáveis no sistema.
Falta de fluido refrigerante.
Bulbo da válvula de expansão sem
contato.
Filtro secador da linha de líquido
obstruido.
Vazamento da carga do bulbo da
válvula de expansão.
Temperatura ambiente muito baixa.
Falta de fluido refrigerante.
Compressor operando em vácuo.
Retorno de fluido refrigerante
líquido.
Tubulações dimensionadas incorre-
tamente, sifões ausentes ou instala-
dos incorretamente.
Verifique se o diâmetro da tubula-
ção de sucção está correto. Verifi-
que se não há excesso de solda
obstruindo a tubulação. Verifique a
perda de carga do filtro de sucção,
preferencialmente utilizando ele-
mento de feltro.
Verifique se o condensador não seja
muito grande para o sistema. Instale
um controle de condensação. Verifi-
que o funcionamento do controle de
condensação.
Substitua a válvula de expansão.
Corrija possíveis vazamentos e
acrescente fluido refrigerante.
Instale válvula reguladora de pres-
são de sucção.
Recolha o excesso de óleo. OBS.:
Não jogue no ambiente.
Regule a válvula de expansão se
necessário substituí-la.
Substitua a válvula de expansão.
Limpe a válvula de expansão
Substitua o termostato.
Remova os não condensáveis.
Corrija possíveis vazamentos e
acrescente fluido refrigerante.
Posicione corretamente o bulbo da
válvula de expansão e isole-o termi-
camente.
Substitua o filtro secador da línha de
líquido.
Substitua a válvula de expansão.
Instale controle de pressão de con-
densação.
Corrija possíveis vazamentos e
acrescente fluido refrigerante.
Verifique e regule o pressostato de bai-
xa pressão, se necessário, substitua-
o. Verifique se há falta de fluido refri-
gerante, corrija possíveis vazamentos
e acrescente fluido refrigerante.
Regule o superaquecimento.
Redimencione o diâmetro das tubu-
lações, principalmente a tubulação
de sucção e substitua-a. Instale e
posicione corretamente os sifões.
21MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
Causas Prováveis Ação CorretivaProblema
Compressor com perda de
óleo. (continuação)
Protetor térmico do
compressor “aberto”.
Sub-resfriamento muito alto.
Sub-resfriamento muito baixo.
Número excessivo de partidas.
Falta de separador de óleo ou
separador de óleo pequeno.
Falta de fluido refrigerante.
Compressor operando fora da faixa
de trabalho.
Excesso de fluído refrigerante.
Válvula de serviço de descarga
parcialmente fechada.
Ventilador do condensador inoperan-
te.
Pressostato de alta desregulado.
Sujeira no condensador.
Válvula de expansão muito fechada
ou muito pequena.
Válvula de expansão com defeito.
Válvula de expansão entupida por
sujeira ou gelo.
Excesso de fluido refrigerante.
Válvula de expansão muito fechada
ou muito pequena.
Válvula de expansão com defeito.
Válvula de expansão entupida por
sujeira ou gelo.
Falta de fluido refrigerante.
Válvula de expansão com defeito.
Bulbo da válvula de expansão sem
contato.
Válvula de expansão muito aberta ou
muito grande.
Regule o pressostato de baixa pres-
são. Verifique se há vazamento de flu-
ído refrigerante, corrija possíves va-
zamentos e acrescente fluido refrige-
rante. Verifique se o compressor é
muito grande para o sistema. Substi-
tua-o por um menor, se necessário.
Verifique o tamanho do separador de
óleo. Substitua se necessário. OBS.:
Acrescente óleo no separador de
óleo de acordo com a orientação do
fabricante.
Corrija possíveis vazamentos e
acrescente fluido refrigerante.
Regule o sistema para operar nas
condições de projeto. Caso o com-
pressor selecionado não seja adequa-
do para a faixa de trabalho do projeto,
substitua-o pelo modelo correto.
Recolha o fluido refrigerante em ex-
cesso. OBS.: Não jogá-lo na atmos-
fera
Abrir a válvula de serviço de descar-
ga.
Verifique se o ventilador está quei-
mado.
Regule o pressostato de alta pressão.
Se necessário, substitua-o .
Limpe o condensador.
Regule a válvula de expansão. Se ne-
cessário, substitua-o.
Substitua a válvula de expansão.
Limpe a válvula de expansão.
Recolha o fluido refrigerante em exces-
so. OBS.: Não o jogue na atmosfera.
Regule a válvula de expansão. Se ne-
cessário substitua-a.
Substitua a válvula de expansão.
Limpe a válvula de expansão.
Corrija possíveis vazamentos e
acrescente fluido refrigerante.
Substitua a válvula de expansão.
Posicione corretamente o bulbo da
válvula de expansão e isole-o termi-
camente.
Verifique e corrija a posição do bul-
bo, regule a válvula de expansão. Se
necessário, substitua-a.
22 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
Causas Prováveis Ação CorretivaProblema
Sub-resfriamento muito
baixo. (continuação)
Temperatura de descarga
muito alta.
Tubulações dimensionadas incorre-
tamente.
Superaquecimento muito alto.
Alta pressão de descarga.
Baixo sub-resfriamento.
Baixa pressão de sucção.
Compressor operando fora da faixa
de trabalho.
Falta ou insuficiência de resfriamen-
to externo no compressor.
Injeção de refrigerante líquido
inoperante ou com defeito.
Redimensione o diâmetro das tubu-
laçoes, principalmente a tubulação
de sucção e substitua-a.
Verifique no item Problema: “Supe-
raquecimento muito alto”.
Verifique no item Problema: “Pressão
de descarga muito alta”.
Verifique no item Problema: “Sub-res-
friamento muito baixo”
Verifique no item Problema: “Pressão
de sucção muito baixa”.
Regule o sistema para operar nas
condições de projeto. Caso o com-
pressor selecionado não seja ade-
quado para a faixa de trabalho do
projeto, Substitua-o pelo modelo cor-
reto.
Instale um ventilador para promover
o resfriamento externo do compres-
sor.
Verifique possíveis problemas no sis-
tema de injeção de refrigerante líqui-
do.
23MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
21. CAUSAS DE FALHAS / AÇÃO CORRETIVA
Superaquecimento
muito baixo.
Retorno de refrige-
rante líquido (com-
pressor ligado).
Excesso de fluido refri-
gerante.
Carregar o sistema com
fluido refrigerante na
fase líquida através da
sucção do compressor.
Bulbo da válvula de ex-
pansão sem contato.
Válvula de expansão
muito aberta ou muito
grande.
Evaporador sujo ou con-
gelado.
Ventilador do evapora-
dor inoperante.
Evaporador muito pe-
queno.
Temperatura de conden-
sação muito baixa.
Tubulações dimensiona-
das incorretamente.
Recolha o fluido refrigerante em
excesso. OBS.: Não o jogue na
atmosfera.
Carga de fluido refrigerante na
fase líquida somente no tanque
de líquido ou na linha de líquido.
Posicione corretamente o bulbo
da válvula de expansão e isole-o
termicamente.
Verifique e corrija a posição do
bulbo, Regule a válvula de expan-
são. Se necessário substitua-a .
Limpe o evaporador. Verifique o
funcionamento do sistema de
degelo e Regule-o.
Verifique se o ventilador está
queimado.
Substitua-o pelo modelo correto.
Verifique se o condensador não
é muito grande para o sistema.
instale um controle de condensa-
ção. Verifique o funcionamento do
controle de condensação.
Redimensione o diâmetro das tu-
bulações, principalmente a tubu-
lação de sucção e substitua-as.
MIGRAÇÃO DE REFRIGERANTE LÍQUIDO
Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências
GOLPE DE LÍQUIDO
Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências
Provoca o calço hidráu-
lico, gerando:
Quebra de palhetas de
sucção;
Quebra de palhetas de
descarga;
Danos nos pistões;
Danos nos cilindros;
Quebra de juntas;
Danos nas placa de
válvulas;
Danos nas buchas;
Danos no virabrequim;
Queima do estator.
Partida
inundada.
Migração de
refrigerante
(compressor
desligado).
Excesso de fluido
refrigerante.
Aquecedor de carter
com defeito ou ausente.
Carregar o sistema com
fluido refrigerante na
fase líquida através da
sucção do compressor,
com o mesmo desligado
e ligá-lo imediatamente
após a carga.
Ausência ou funciona-
mento incorreto do reco-
lhimento de refrigerante
(pump-down).
Recolha o fluido refrigerante em
excesso. OBS.: Não o jogue na
atmosfera.
Verifique o funcionamento ou ins-
tale um aquecedor de carter.
Carga de fluido refrigerante na
fase líquida somente no tanque
de líquido ou na linha de líquido.
Acione o aquecedor de carter al-
gumas horas antes de ligar o
compressor.
Verifique o funcionamento ou ins-
tale um sistema de “pump-down”.
Provoca a diluição do lubrifican-
te, prejudicando a lubrificação do
compressor podendo ocasionar
seu travamento.
Provoca o arraste de óleo para
os cilindros causando calço hi-
dráulico gerando:
Quebra de palhetas de sucção
Quebra de palhetas de descarga
Danos nos pistões
Danos nos cilindros
Quebra de juntas
Danos nas placa de válvulas
Danos nas buchas
Danos no virabrequim
Queima do estator
24 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
ALTA TEMPERATURA DE DESCARGA
Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências
Superaqueci-
mento muito
alto.
Pressão de
descarga muito
alta.
Sub-resfria-
mento muito
baixo.
Falta de fluido refrigerante.
Válvula de expansão mui-
to fechada ou muito peque-
na.
Válvula de expansão com
defeito.
Válvula de expansão entu-
pida por sujeira ou gelo.
Evaporador muito grande.
Tubulações dimensionadas
incorretamente.
Não condensáveis no sis-
tema.
Excesso de fluido refrige-
rante.
Recirculação de ar no con-
densador.
Vazão de água insuficien-
te no condensador.
Válvula de serviço de des-
carga parcialmente fecha-
da.
Ventilador do condensador
inoperante.
Pressostato de alta desre-
gulado.
Sujeira no condensador.
Falta de fluido refrigerante.
Válvula de expansão com
defeito.
Bulbo da válvula de expan-
são sem contato.
Válvula de expansão mui-
to aberta ou muito grande.
Tubulações dimensionadas
incorretamente.
Condensador pequeno.
Corrija possíveis vazamentos e acres-
cente fluido refrigerante.
Regule a válvula de expansão se ne-
cessário substitua-a.
Substitua-o a válvula de expansão.
Limpe a válvula de expansão.
Substitua-a pelo modelo correto.
Redimencione o diâmetro das tubula-
ções, principalmente a tubulação de
sucção e substitua-as.
Remova os não condensáveis.
Recolha o fluido refrigerante em exces-
so. OBS.: Não o jogue na atmosfera.
Reposicione o condensador ou provi-
dencie ventilação adicional na casa de
máquinas.
Verifique o dimensionamento e o fun-
cionamento da bomba de água de con-
densação. Verifique se a tubulação de
água de condensação não está parci-
almente entupida.
Abra a válvula de serviço de descarga.
Verifique se o ventilador está queima-
do.
Regule o pressostato de alta pressão.
Limpe o condensador. Para condensar
água, promova o varetamento dos tu-
bos.
Corrija possíveis vazamentos e acres-
cente fluido refrigerante.
Substitua a válvula de expansão.
Posicione corretamente o bulbo da vál-
vula de expansão e isole-o termicamen-
te.
Verifique e corrija a posição do bulbo,
regule a válvula de expansão. Se ne-
cessário substitua-a .
Redimensione o diâmetro das tubula-
ções e substitua-as.
Redimensione o condensador e subs-
titua-o.
Provoca a deteriora-
ção do lubrificante,
desgaste prematuro
das peças móveis e
travamento do com-
pressor, gerando:
Quebra de palhetas
de sucção;
Quebra de palhetas
de descarga;
Danos nos pistões;
Danos nos cilindros;
Quebra de juntas;
Danos nas placa de
válvulas;
Danos nas buchas;
Danos no virabre-
quim;
Queima do estator.
25MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
ALTA TEMPERATURA DE DESCARGA
Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências
Filtro secador da linha de
líquido obstruido.
Válvula de expansão mui-
to aberta ou muito grande.
Evaporador sujo ou conge-
lado.
Ventilador do evaporador
inoperante.
Filtro secador da linha de
líquido obstruido.
Linha de sucção obstruida
ou com perda de carga ex-
cessiva.
Temperatura de condensa-
ção muito baixa.
Vazamento da carga do
bulbo da válvula de expan-
são.
Falta de fluido refrigerante.
Temperatura ambiente mui-
to baixa.
Substitua o filtro secador da línha de
líquido.
Verifique e corrija a posição do bulbo,
regule a válvula de expansão. Se ne-
cessário substitua-a .
Limpe o evaporador. Verifique o funci-
onamento do sistema de degelo e re-
gule-o.
Verifique se o ventilador está queima-
do.
Substitua o filtro secador da línha de
líquido.
Verifique se o diâmetro da tubulação
de sucção está correto. Verifique se não
há excesso de solda obstruindo a tu-
bulação. Verifique a perda de carga do
filtro de sucção, preferencialmente uti-
lizando elemento de feltro.
Verifique se o condensador não é mui-
to grande para o sistema. Instale um
controle de condensação. Verifique o
funcionamento do controle de conden-
sação.
Substitua a válvula de expansão.
Corrija possíveis vazamentos e acres-
cente fluido refrigerante.
Instale válvula reguladora de pressão
de sucção.
Provoca a deteriora-
ção do lubrificante,
desgaste prematuro
das peças móveis e
travamento do com-
pressor, gerando:
Quebra de palhetas
de sucção;
Quebra de palhetas
de descarga;
Danos nos pistões;
Danos nos cilindros;
Quebra de juntas;
Danos nas placa de
válvulas;
Danos nas buchas;
Danos no virabre-
quim;
Queima do estator.
Pressão de
sucção muito
baixa.
26 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
FALTA DE ÓLEO
Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências
Compressor
com perda de
óleo.
Compressor operando em
vácuo.
Retorno de fluido refrige-
rante líquido.
Tubulações dimensionadas
incorretamente, sifões au-
sentes ou instalados incor-
retamente.
Número excessivo de par-
tidas.
Falta de separador de óleo
ou separador de óleo pe-
queno.
Falta de fluido refrigerante.
Verifique e regule o pressostato de bai-
xa pressão, caso necessário substitua-
o. Verifique se há falta de fluido refrige-
rante, corrija possíveis vazamentos e
acrescente fluido refrigerante.
Regule o superaquecimento.
Redimensione o diâmetro das tubula-
ções, principalmente a tubulação de
sucção e substitua-as. Instar e Posici-
one corretamente os sifões.
Regule o pressostato de baixa pressão.
Verifique se há vazamento de fluído
refrigerante, corrija possíves vazamen-
tos e acrescente fluido refrigerante.
Verifique se o compressor é muito gran-
de para o sistema, substiua-o por um
menor caso necessário.
Verifique o tamanho do separador de
óleo, subistitua-o, caso necessário.
OBS.: acrescente óleo no separador de
óleo de acordo com o orientado pelo
fabricante.
Corrija possíveis vazamentos e acres-
cente fluido refrigerante.
Provoca o travamen-
to do compressor, ge-
rando:
Danos nos pistões;
Danos nos cilindros;
Danos nas placa de
válvulas;
Danos nas buchas;
Danos no virabre-
quim;
Queima do estator.
27MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
SISTEMA CONTAMINADO
Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências
A presença de umidade no siste-
ma causa a formação de óxido de
cobre, óxido de ferro, corrosão, de-
compõe o lubrificante e o refrige-
rante gerando acidez, que atacará
o vernis do enrolamento do motor.
As consequências acima provo-
cam: Queima do estator; Queda do
rendimento do sistema; Deteriora-
ção do óleo; Travamento do com-
pressor.
A presença de não condensáveis
no sistema provoca alta pressão de
descarga e degradação do óleo,
gerando alta temperatura de des-
carga, provocando: Queima do
estator; Queda do rendimento do
sistema; Deterioração do óleo; Tra-
vamento do compressor.
A presença de impureza no siste-
ma provoca a contaminação do lu-
brificante, gerando: Queima do
estator; Queda do rendimento do
sistema; Deterioração do óleo; Tra-
vamento do compressor.
A utilização de óleo incorreto pro-
voca: Falta de lubrificação; Quei-
ma do estator; Travamento do com-
pressor.
Faça o vácuo no sistema até 1000
micros, quebrar o vácuo com o
próprio refrigerante, fazer o vácuo
novamente até 200 microns, des-
ligar a bomba de vácuo. O nível
de vácuo deve permanecer sem
alteração por pelo menos uma
para garantir-se que não há va-
zamentos na instalação. OBS.: O
vácuo deve ser medido com va-
cuômetro.
Realize limpeza do sistema atra-
vés de circulação forçada de R-
141B. Após fazer vácuo conforme
descrito acima.
Realizar limpeza do sistema atra-
vés de circulação forçada de R-
141B. Após fazer o vácuo confor-
me descrito acima.
Realize limpeza do sistema atra-
vés de circulação forçada de R-
141B. Substitua o lubrificante,
pelo indicado pelo fabricante.
Após fazer o vácuo conforme des-
crito acima.
Negligência na
realização de
vácuo ideal.
Negligência na
realização de
limpeza ideal.
Negligência na
realização de
limpeza ideal.
Negligência na
aplicação do
compressor ou do
óleo.
Umidade
Excessiva.
Não condensá-
veis no siste-
ma.
Impurezas no
sistema.
Óleo incorreto.
28 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS
Anotações

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema booster
Sistema boosterSistema booster
Sistema booster
rossiano renato casarin
 
Motor Scania DC 12
Motor Scania DC 12 Motor Scania DC 12
Motor Scania DC 12
Luiz Antonio da Silva
 
Apostila de segurança na operação de caldeiras
Apostila de segurança na operação de caldeirasApostila de segurança na operação de caldeiras
Apostila de segurança na operação de caldeiras
Jb Alves
 
Aulas psicrometria jesue
Aulas  psicrometria jesueAulas  psicrometria jesue
Aulas psicrometria jesue
David Chacón
 
Manual de-reparacao-gol
Manual de-reparacao-golManual de-reparacao-gol
Manual de-reparacao-gol
Adilson Amorim
 
Powerpoint de Sistema de Refrigeração
Powerpoint de Sistema de RefrigeraçãoPowerpoint de Sistema de Refrigeração
Powerpoint de Sistema de Refrigeração
Edimilson de Jesus Lana
 
Codigos falha vw constelation
Codigos falha vw constelationCodigos falha vw constelation
Codigos falha vw constelation
Geraldo Sebastian
 
07 dispositivos de expansão
07 dispositivos de expansão07 dispositivos de expansão
07 dispositivos de expansão
Luiz Carlos Martinelli Júnior
 
Psicrometria
PsicrometriaPsicrometria
Psicrometria
Francisco Bertini
 
plano-de-manutencao-escavadeira
 plano-de-manutencao-escavadeira plano-de-manutencao-escavadeira
plano-de-manutencao-escavadeira
Weberson Barcellos
 
Ciclo refrigeracao refrigerantes
Ciclo refrigeracao refrigerantesCiclo refrigeracao refrigerantes
Ciclo refrigeracao refrigerantes
Alan de Souza
 
188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania
deltatecnologia
 
Manual de sintomas e falhas
Manual de sintomas e falhasManual de sintomas e falhas
Manual de sintomas e falhas
Geraldo Sebastian
 
Curso compressores
Curso compressoresCurso compressores
Curso compressores
Ailton De Sousa Gonçalves
 
Tabela de torque
Tabela de torqueTabela de torque
Sistema elétrico constelation
Sistema elétrico constelationSistema elétrico constelation
Sistema elétrico constelation
ANDRE APARECIDO VENEZIAN
 
Aire acondicionado introduccion componentes y funcionamiento
Aire acondicionado introduccion componentes y funcionamientoAire acondicionado introduccion componentes y funcionamiento
Aire acondicionado introduccion componentes y funcionamiento
David Morales
 
Compressores
CompressoresCompressores
Compressores
Marcelo Arcanjo
 
Medição de nível
Medição de nívelMedição de nível
Medição de nível
Fabiano Sales
 
Compressores parafuso
Compressores parafusoCompressores parafuso
Compressores parafuso
Bárbara Ostrosky de Oliveira
 

Mais procurados (20)

Sistema booster
Sistema boosterSistema booster
Sistema booster
 
Motor Scania DC 12
Motor Scania DC 12 Motor Scania DC 12
Motor Scania DC 12
 
Apostila de segurança na operação de caldeiras
Apostila de segurança na operação de caldeirasApostila de segurança na operação de caldeiras
Apostila de segurança na operação de caldeiras
 
Aulas psicrometria jesue
Aulas  psicrometria jesueAulas  psicrometria jesue
Aulas psicrometria jesue
 
Manual de-reparacao-gol
Manual de-reparacao-golManual de-reparacao-gol
Manual de-reparacao-gol
 
Powerpoint de Sistema de Refrigeração
Powerpoint de Sistema de RefrigeraçãoPowerpoint de Sistema de Refrigeração
Powerpoint de Sistema de Refrigeração
 
Codigos falha vw constelation
Codigos falha vw constelationCodigos falha vw constelation
Codigos falha vw constelation
 
07 dispositivos de expansão
07 dispositivos de expansão07 dispositivos de expansão
07 dispositivos de expansão
 
Psicrometria
PsicrometriaPsicrometria
Psicrometria
 
plano-de-manutencao-escavadeira
 plano-de-manutencao-escavadeira plano-de-manutencao-escavadeira
plano-de-manutencao-escavadeira
 
Ciclo refrigeracao refrigerantes
Ciclo refrigeracao refrigerantesCiclo refrigeracao refrigerantes
Ciclo refrigeracao refrigerantes
 
188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania188051609 manual-tecnico-motor-scania
188051609 manual-tecnico-motor-scania
 
Manual de sintomas e falhas
Manual de sintomas e falhasManual de sintomas e falhas
Manual de sintomas e falhas
 
Curso compressores
Curso compressoresCurso compressores
Curso compressores
 
Tabela de torque
Tabela de torqueTabela de torque
Tabela de torque
 
Sistema elétrico constelation
Sistema elétrico constelationSistema elétrico constelation
Sistema elétrico constelation
 
Aire acondicionado introduccion componentes y funcionamiento
Aire acondicionado introduccion componentes y funcionamientoAire acondicionado introduccion componentes y funcionamiento
Aire acondicionado introduccion componentes y funcionamiento
 
Compressores
CompressoresCompressores
Compressores
 
Medição de nível
Medição de nívelMedição de nível
Medição de nível
 
Compressores parafuso
Compressores parafusoCompressores parafuso
Compressores parafuso
 

Destaque

Manual modernitt totaline
Manual modernitt totalineManual modernitt totaline
Manual modernitt totaline
Agassis Rodrigues
 
Manual instalacao kop 36_qc
Manual instalacao kop 36_qcManual instalacao kop 36_qc
Manual instalacao kop 36_qc
Agassis Rodrigues
 
Manual tecnico kos g2
Manual tecnico kos g2Manual tecnico kos g2
Manual tecnico kos g2
Agassis Rodrigues
 
Acessoexclusivohomeoffice arcondicionado condicionador de ar mai_2011_autorizada
Acessoexclusivohomeoffice arcondicionado condicionador de ar mai_2011_autorizadaAcessoexclusivohomeoffice arcondicionado condicionador de ar mai_2011_autorizada
Acessoexclusivohomeoffice arcondicionado condicionador de ar mai_2011_autorizada
Agassis Rodrigues
 
Manual bomba de_calor_1
Manual bomba de_calor_1Manual bomba de_calor_1
Manual bomba de_calor_1
Comarx Equipamentos e Serviços
 
Gree split bee - tabela comparativa
Gree   split bee - tabela comparativaGree   split bee - tabela comparativa
Gree split bee - tabela comparativa
Guilherme Gugelmin
 
Mt koj fme-fce_g1
Mt koj fme-fce_g1Mt koj fme-fce_g1
Mt koj fme-fce_g1
Agassis Rodrigues
 
Manual bomba de calor vulcano
Manual bomba de calor vulcanoManual bomba de calor vulcano
Manual bomba de calor vulcano
worldpiscinas
 
Gree linha gmv - manual de instalação
Gree   linha gmv - manual de instalaçãoGree   linha gmv - manual de instalação
Gree linha gmv - manual de instalação
Guilherme Gugelmin
 
Compressores elgin
Compressores elginCompressores elgin
Compressores elgin
manodorosa
 
Tabela de potências
Tabela de potênciasTabela de potências
Tabela de potências
Everton BDN
 
Manual tecnico kos g1
Manual tecnico kos g1Manual tecnico kos g1
Manual tecnico kos g1
Agassis Rodrigues
 
Mt kom g1
Mt kom g1Mt kom g1
Aplicação para em f_eg_para r 600a_r 134a_misturas_e
Aplicação para  em f_eg_para r 600a_r 134a_misturas_eAplicação para  em f_eg_para r 600a_r 134a_misturas_e
Aplicação para em f_eg_para r 600a_r 134a_misturas_e
manodorosa
 
Capitulo1 a
Capitulo1 aCapitulo1 a
Capitulo1 a
CaetanoJoseMaria
 
Resumo todas as injeções
Resumo todas as injeçõesResumo todas as injeções
Resumo todas as injeções
Andre Cardoso
 
Simbologia elétrica
Simbologia elétricaSimbologia elétrica
Simbologia elétrica
luizbraz
 
Treinamento d Ar condicionados LG
Treinamento d Ar condicionados LGTreinamento d Ar condicionados LG
Treinamento d Ar condicionados LG
Renata Tuccimei
 
Eletricista instalador predial
Eletricista instalador predialEletricista instalador predial
Eletricista instalador predial
alessandro oliveira
 

Destaque (20)

Manual modernitt totaline
Manual modernitt totalineManual modernitt totaline
Manual modernitt totaline
 
Manual instalacao kop 36_qc
Manual instalacao kop 36_qcManual instalacao kop 36_qc
Manual instalacao kop 36_qc
 
Manual tecnico kos g2
Manual tecnico kos g2Manual tecnico kos g2
Manual tecnico kos g2
 
Acessoexclusivohomeoffice arcondicionado condicionador de ar mai_2011_autorizada
Acessoexclusivohomeoffice arcondicionado condicionador de ar mai_2011_autorizadaAcessoexclusivohomeoffice arcondicionado condicionador de ar mai_2011_autorizada
Acessoexclusivohomeoffice arcondicionado condicionador de ar mai_2011_autorizada
 
Manual bomba de_calor_1
Manual bomba de_calor_1Manual bomba de_calor_1
Manual bomba de_calor_1
 
Gree split bee - tabela comparativa
Gree   split bee - tabela comparativaGree   split bee - tabela comparativa
Gree split bee - tabela comparativa
 
Mt koj fme-fce_g1
Mt koj fme-fce_g1Mt koj fme-fce_g1
Mt koj fme-fce_g1
 
Mt koc g1
Mt koc g1Mt koc g1
Mt koc g1
 
Manual bomba de calor vulcano
Manual bomba de calor vulcanoManual bomba de calor vulcano
Manual bomba de calor vulcano
 
Gree linha gmv - manual de instalação
Gree   linha gmv - manual de instalaçãoGree   linha gmv - manual de instalação
Gree linha gmv - manual de instalação
 
Compressores elgin
Compressores elginCompressores elgin
Compressores elgin
 
Tabela de potências
Tabela de potênciasTabela de potências
Tabela de potências
 
Manual tecnico kos g1
Manual tecnico kos g1Manual tecnico kos g1
Manual tecnico kos g1
 
Mt kom g1
Mt kom g1Mt kom g1
Mt kom g1
 
Aplicação para em f_eg_para r 600a_r 134a_misturas_e
Aplicação para  em f_eg_para r 600a_r 134a_misturas_eAplicação para  em f_eg_para r 600a_r 134a_misturas_e
Aplicação para em f_eg_para r 600a_r 134a_misturas_e
 
Capitulo1 a
Capitulo1 aCapitulo1 a
Capitulo1 a
 
Resumo todas as injeções
Resumo todas as injeçõesResumo todas as injeções
Resumo todas as injeções
 
Simbologia elétrica
Simbologia elétricaSimbologia elétrica
Simbologia elétrica
 
Treinamento d Ar condicionados LG
Treinamento d Ar condicionados LGTreinamento d Ar condicionados LG
Treinamento d Ar condicionados LG
 
Eletricista instalador predial
Eletricista instalador predialEletricista instalador predial
Eletricista instalador predial
 

Semelhante a Manual instalacao-operacao-compressores-condensadoras-elgin

MANUAL SERVIÇO COMPRESSOR.pdf
MANUAL SERVIÇO COMPRESSOR.pdfMANUAL SERVIÇO COMPRESSOR.pdf
MANUAL SERVIÇO COMPRESSOR.pdf
Erisson4
 
Manual-Compressor.pdf
Manual-Compressor.pdfManual-Compressor.pdf
Manual-Compressor.pdf
Eduardo Tanaka
 
025.0947-0-025.0940-0-Manual-Compressor-de-Pistao-Schulz-Pratic-Air-CSA-7.5-2...
025.0947-0-025.0940-0-Manual-Compressor-de-Pistao-Schulz-Pratic-Air-CSA-7.5-2...025.0947-0-025.0940-0-Manual-Compressor-de-Pistao-Schulz-Pratic-Air-CSA-7.5-2...
025.0947-0-025.0940-0-Manual-Compressor-de-Pistao-Schulz-Pratic-Air-CSA-7.5-2...
DaniloDonizeteCndido
 
Prévia - Apostila Pneumática Partners Treinamentos - Resumida
Prévia - Apostila Pneumática Partners Treinamentos - ResumidaPrévia - Apostila Pneumática Partners Treinamentos - Resumida
Prévia - Apostila Pneumática Partners Treinamentos - Resumida
Partners Treinamentos
 
Automacao
AutomacaoAutomacao
Automacao
Jeziel Rodrigues
 
Catalogo embraco
Catalogo embracoCatalogo embraco
Catalogo embraco
Lucas Cardoso Pinheiro
 
Manual de aplicação de compressores embraco 2
Manual de aplicação de compressores embraco 2Manual de aplicação de compressores embraco 2
Manual de aplicação de compressores embraco 2
Denis Palheiro
 
412 03 - ar-condicionado
412 03 - ar-condicionado412 03 - ar-condicionado
412 03 - ar-condicionado
Fernando Rodrigues
 
412 03 - ar-condicionado
412 03 - ar-condicionado412 03 - ar-condicionado
412 03 - ar-condicionado
Fernando Rodrigues
 
Manual de aplicação de compressores EMBRACO
Manual de aplicação de compressores EMBRACOManual de aplicação de compressores EMBRACO
Manual de aplicação de compressores EMBRACO
assistecrefrigeracao
 
valvulas y accesorios
valvulas y accesoriosvalvulas y accesorios
Curso compressores
Curso compressoresCurso compressores
Curso compressores
Jefferson Farias
 
25feslv manual2010 02
25feslv manual2010 0225feslv manual2010 02
25feslv manual2010 02
Show de Piscinas
 
25feslv manual2010 02
25feslv manual2010 0225feslv manual2010 02
25feslv manual2010 02
Cocab Pools
 
manual iom-springer
manual iom-springermanual iom-springer
manual iom-springer
pantani_1994
 
Compressores e Reservatórios de Ar
Compressores e Reservatórios de ArCompressores e Reservatórios de Ar
Compressores e Reservatórios de Ar
Renato Pagel
 
Compressores manutenção
Compressores manutençãoCompressores manutenção
Bomba dágua agua quente pequena meganorm
Bomba dágua agua quente   pequena meganormBomba dágua agua quente   pequena meganorm
Bomba dágua agua quente pequena meganorm
José Alves
 
Meganorm
MeganormMeganorm
Meganorm
josé Faustino
 
Abjgmanaul bms
Abjgmanaul bmsAbjgmanaul bms
Abjgmanaul bms
Show de Piscinas
 

Semelhante a Manual instalacao-operacao-compressores-condensadoras-elgin (20)

MANUAL SERVIÇO COMPRESSOR.pdf
MANUAL SERVIÇO COMPRESSOR.pdfMANUAL SERVIÇO COMPRESSOR.pdf
MANUAL SERVIÇO COMPRESSOR.pdf
 
Manual-Compressor.pdf
Manual-Compressor.pdfManual-Compressor.pdf
Manual-Compressor.pdf
 
025.0947-0-025.0940-0-Manual-Compressor-de-Pistao-Schulz-Pratic-Air-CSA-7.5-2...
025.0947-0-025.0940-0-Manual-Compressor-de-Pistao-Schulz-Pratic-Air-CSA-7.5-2...025.0947-0-025.0940-0-Manual-Compressor-de-Pistao-Schulz-Pratic-Air-CSA-7.5-2...
025.0947-0-025.0940-0-Manual-Compressor-de-Pistao-Schulz-Pratic-Air-CSA-7.5-2...
 
Prévia - Apostila Pneumática Partners Treinamentos - Resumida
Prévia - Apostila Pneumática Partners Treinamentos - ResumidaPrévia - Apostila Pneumática Partners Treinamentos - Resumida
Prévia - Apostila Pneumática Partners Treinamentos - Resumida
 
Automacao
AutomacaoAutomacao
Automacao
 
Catalogo embraco
Catalogo embracoCatalogo embraco
Catalogo embraco
 
Manual de aplicação de compressores embraco 2
Manual de aplicação de compressores embraco 2Manual de aplicação de compressores embraco 2
Manual de aplicação de compressores embraco 2
 
412 03 - ar-condicionado
412 03 - ar-condicionado412 03 - ar-condicionado
412 03 - ar-condicionado
 
412 03 - ar-condicionado
412 03 - ar-condicionado412 03 - ar-condicionado
412 03 - ar-condicionado
 
Manual de aplicação de compressores EMBRACO
Manual de aplicação de compressores EMBRACOManual de aplicação de compressores EMBRACO
Manual de aplicação de compressores EMBRACO
 
valvulas y accesorios
valvulas y accesoriosvalvulas y accesorios
valvulas y accesorios
 
Curso compressores
Curso compressoresCurso compressores
Curso compressores
 
25feslv manual2010 02
25feslv manual2010 0225feslv manual2010 02
25feslv manual2010 02
 
25feslv manual2010 02
25feslv manual2010 0225feslv manual2010 02
25feslv manual2010 02
 
manual iom-springer
manual iom-springermanual iom-springer
manual iom-springer
 
Compressores e Reservatórios de Ar
Compressores e Reservatórios de ArCompressores e Reservatórios de Ar
Compressores e Reservatórios de Ar
 
Compressores manutenção
Compressores manutençãoCompressores manutenção
Compressores manutenção
 
Bomba dágua agua quente pequena meganorm
Bomba dágua agua quente   pequena meganormBomba dágua agua quente   pequena meganorm
Bomba dágua agua quente pequena meganorm
 
Meganorm
MeganormMeganorm
Meganorm
 
Abjgmanaul bms
Abjgmanaul bmsAbjgmanaul bms
Abjgmanaul bms
 

Mais de andydurdem

Material de-apoio-lide
Material de-apoio-lideMaterial de-apoio-lide
Material de-apoio-lide
andydurdem
 
Calça conica
Calça conicaCalça conica
Calça conica
andydurdem
 
Apostila auto cad 2000 2d
Apostila auto cad 2000   2dApostila auto cad 2000   2d
Apostila auto cad 2000 2d
andydurdem
 
Refrigeracao i
Refrigeracao iRefrigeracao i
Refrigeracao i
andydurdem
 
29 mec mf auto cad 2d e 3d
29 mec mf auto cad 2d e 3d29 mec mf auto cad 2d e 3d
29 mec mf auto cad 2d e 3d
andydurdem
 
10 mec mb 1 auto cad 2000 dimensionamento
10 mec mb 1 auto cad 2000 dimensionamento10 mec mb 1 auto cad 2000 dimensionamento
10 mec mb 1 auto cad 2000 dimensionamento
andydurdem
 
04 manutenção em refrigeração domiciliar
04 manutenção em refrigeração domiciliar04 manutenção em refrigeração domiciliar
04 manutenção em refrigeração domiciliar
andydurdem
 
09 manutenção do ar condicionado de janela guia completo
09 manutenção do ar condicionado de janela   guia completo09 manutenção do ar condicionado de janela   guia completo
09 manutenção do ar condicionado de janela guia completo
andydurdem
 
11 perguntas e respostas sobre ar condicionado split
11 perguntas e respostas sobre ar condicionado split11 perguntas e respostas sobre ar condicionado split
11 perguntas e respostas sobre ar condicionado split
andydurdem
 
10 manutenção preventiva para o ar condicionado split
10 manutenção preventiva para o ar condicionado split10 manutenção preventiva para o ar condicionado split
10 manutenção preventiva para o ar condicionado split
andydurdem
 
09 manutenção do ar condicionado de janela guia completo
09 manutenção do ar condicionado de janela   guia completo09 manutenção do ar condicionado de janela   guia completo
09 manutenção do ar condicionado de janela guia completo
andydurdem
 
06 componentes eletricos do refrigerador (manual tecumseh)
06 componentes eletricos do refrigerador (manual tecumseh)06 componentes eletricos do refrigerador (manual tecumseh)
06 componentes eletricos do refrigerador (manual tecumseh)
andydurdem
 
07 como instalar um ar condicionado split passo a passo
07 como instalar um ar condicionado split passo a passo07 como instalar um ar condicionado split passo a passo
07 como instalar um ar condicionado split passo a passo
andydurdem
 
08 erros na instalação do ar condicionado, aprenda como reparar
08 erros na instalação do ar condicionado, aprenda como reparar08 erros na instalação do ar condicionado, aprenda como reparar
08 erros na instalação do ar condicionado, aprenda como reparar
andydurdem
 
02 mecânico de refrigeração domiciliar i
02 mecânico de refrigeração domiciliar i02 mecânico de refrigeração domiciliar i
02 mecânico de refrigeração domiciliar i
andydurdem
 
Ar condicionado e refrigeração
Ar condicionado e refrigeraçãoAr condicionado e refrigeração
Ar condicionado e refrigeração
andydurdem
 
03 mecânico de refrigeração domiciliar ii
03 mecânico de refrigeração domiciliar ii03 mecânico de refrigeração domiciliar ii
03 mecânico de refrigeração domiciliar ii
andydurdem
 
Refrigeração comercial sem split system
Refrigeração comercial sem split   systemRefrigeração comercial sem split   system
Refrigeração comercial sem split system
andydurdem
 
Sistemas e equipamentos de climatizacao
Sistemas e equipamentos de climatizacaoSistemas e equipamentos de climatizacao
Sistemas e equipamentos de climatizacao
andydurdem
 
Manual de boas práticas em refrigeracao
Manual de boas práticas em refrigeracaoManual de boas práticas em refrigeracao
Manual de boas práticas em refrigeracao
andydurdem
 

Mais de andydurdem (20)

Material de-apoio-lide
Material de-apoio-lideMaterial de-apoio-lide
Material de-apoio-lide
 
Calça conica
Calça conicaCalça conica
Calça conica
 
Apostila auto cad 2000 2d
Apostila auto cad 2000   2dApostila auto cad 2000   2d
Apostila auto cad 2000 2d
 
Refrigeracao i
Refrigeracao iRefrigeracao i
Refrigeracao i
 
29 mec mf auto cad 2d e 3d
29 mec mf auto cad 2d e 3d29 mec mf auto cad 2d e 3d
29 mec mf auto cad 2d e 3d
 
10 mec mb 1 auto cad 2000 dimensionamento
10 mec mb 1 auto cad 2000 dimensionamento10 mec mb 1 auto cad 2000 dimensionamento
10 mec mb 1 auto cad 2000 dimensionamento
 
04 manutenção em refrigeração domiciliar
04 manutenção em refrigeração domiciliar04 manutenção em refrigeração domiciliar
04 manutenção em refrigeração domiciliar
 
09 manutenção do ar condicionado de janela guia completo
09 manutenção do ar condicionado de janela   guia completo09 manutenção do ar condicionado de janela   guia completo
09 manutenção do ar condicionado de janela guia completo
 
11 perguntas e respostas sobre ar condicionado split
11 perguntas e respostas sobre ar condicionado split11 perguntas e respostas sobre ar condicionado split
11 perguntas e respostas sobre ar condicionado split
 
10 manutenção preventiva para o ar condicionado split
10 manutenção preventiva para o ar condicionado split10 manutenção preventiva para o ar condicionado split
10 manutenção preventiva para o ar condicionado split
 
09 manutenção do ar condicionado de janela guia completo
09 manutenção do ar condicionado de janela   guia completo09 manutenção do ar condicionado de janela   guia completo
09 manutenção do ar condicionado de janela guia completo
 
06 componentes eletricos do refrigerador (manual tecumseh)
06 componentes eletricos do refrigerador (manual tecumseh)06 componentes eletricos do refrigerador (manual tecumseh)
06 componentes eletricos do refrigerador (manual tecumseh)
 
07 como instalar um ar condicionado split passo a passo
07 como instalar um ar condicionado split passo a passo07 como instalar um ar condicionado split passo a passo
07 como instalar um ar condicionado split passo a passo
 
08 erros na instalação do ar condicionado, aprenda como reparar
08 erros na instalação do ar condicionado, aprenda como reparar08 erros na instalação do ar condicionado, aprenda como reparar
08 erros na instalação do ar condicionado, aprenda como reparar
 
02 mecânico de refrigeração domiciliar i
02 mecânico de refrigeração domiciliar i02 mecânico de refrigeração domiciliar i
02 mecânico de refrigeração domiciliar i
 
Ar condicionado e refrigeração
Ar condicionado e refrigeraçãoAr condicionado e refrigeração
Ar condicionado e refrigeração
 
03 mecânico de refrigeração domiciliar ii
03 mecânico de refrigeração domiciliar ii03 mecânico de refrigeração domiciliar ii
03 mecânico de refrigeração domiciliar ii
 
Refrigeração comercial sem split system
Refrigeração comercial sem split   systemRefrigeração comercial sem split   system
Refrigeração comercial sem split system
 
Sistemas e equipamentos de climatizacao
Sistemas e equipamentos de climatizacaoSistemas e equipamentos de climatizacao
Sistemas e equipamentos de climatizacao
 
Manual de boas práticas em refrigeracao
Manual de boas práticas em refrigeracaoManual de boas práticas em refrigeracao
Manual de boas práticas em refrigeracao
 

Manual instalacao-operacao-compressores-condensadoras-elgin

  • 1. ELGIN S.A. Divisão Refrigeração Rua Barão de Campinas, 305 CEP: 01201-901 – São Paulo – SP Tel: (011) 3383-5900 - Fax: (011) 3383-5940 Email: refrigeracao@elginsp.com.br Site: www.elgin.com.br 1. Embalagem do compressor e/ou unidade condensadora ............... 2 2. Verificação preliminar ............................................................................ 2 3. Características de funcionamento do compressor........................... 2 4. Tipos de aplicações ............................................................................... 3 6. Cuidados no local de instalação.......................................................... 4 5. Estrutura de código ................................................................................ 4 7. Acessórios mínimos necessários num sistema de refrigeração ... 5 8. Tubulação da linha de sucção e linha de líquido ............................. 6 9. Formas de instalação ............................................................................ 9 10. Procedimentos de soldagem ..............................................................10 11. Verificação de vazamento................................................................... 11 12. Procedimentos para vácuo ................................................................. 11 13. Procedimentos para carga de fluido refrigerante ........................... 12 14. Medições dos principais parâmetros ................................................ 12 15. Balanceamento de sistemas ..............................................................13 16. Substituição adequada de um compressor avariado.....................14 17. Sistema elétrico ....................................................................................14 18. Esquemas elétricos ..............................................................................15 19. Tabela de Dimensionamento de Fios ...............................................18 20. Análise de problemas / Causas Prováveis / Ação Corretiva ........ 18 21. Causas de Falhas / Ação Corretiva .................................................. 23 ÍNDICE Os produtos de que trata este manual deverão ser instalados e operados somente por técnicos de refrigeração devidamente qua- lificados e que possuam as ferramentas e equipamentos neces- sários para tal serviço. IMPORTANTE Este manual tem como finalidade fornecer e sugerir as me- lhores opções e cuidados na instalação e operação dos com- pressores e unidades condensadoras Elgin. Para se obter um elevado rendimento e prolongada vida útil do seu Compressor e/ou Unidade Condensadora Elgin, siga rigorosamente as instruções contidas neste manual e, em caso de dúvidas, consulte-nos
  • 2. 2 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS O compressor e/ou a unidade condensadora deve sempre ser transportado(a) na posição vertical, isto é, com pés voltados para baixo e nunca deitados ou de cabeça para baixo. Evitam-se assim possíveis va- zamentos de lubrificante (óleo) ou golpe de líquido devido à migração do lubrificante para dentro do cilin- dro ou do caracol (Scroll). O compressor e/ou unidade condensadora deve 1. EMBALAGEM DO COMPRESSOR E/OU UNIDADE CONDENSADORA: ser removido(a) cuidadosamente da embalagem, para não serem danificados. Não levantar a unidade condensadora segurando- a pelas tubulações. Isso evitará deformações e pos- síveis vazamentos pela ruptura das soldas. Os compressores e unidades condensadoras são fornecidos de fábrica pressurizados(as) com carga de Nitrogênio (N2 ). 2. VERIFICAÇÃO PRELIMINAR: Antes de instalar o produto, verificar a compatibili- dade do compressor com a tensão (V) e freqüência (Hz) de alimentação, o tipo de aplicação desejada (alta, média ou baixa temperatura de evaporação), a capacidade frigorífica, o tipo de fluido refrigerante e o tipo de lubrificante (óleo). Nos casos de substituição, comparar as caracte- rísticas do compressor retirado com o modelo novo a fim de certificar-se da real equivalência. 3. CARACTERÍSTICAS DE FUNCIONAMENTO DO COMPRESSOR: Compressor Alternativo ou Recíproco: Este modelo possui basicamente 05 elementos móveis: pistão, anel, pino, biela e virabrequim. Os anéis de compressão en- contram-se no pistão, o qual é interligado à biela através do pino e todo este conjunto está montado no virabrequim que executa movimentos excêntricos gerando 02 ciclos por volta com- pleta, isto é, admissão e com- pressão. O contato contínuo das su- perfícies com o filme de óleo é feita através dos anéis montados no pistão e as pare- des do cilindro. O compressor alternativo ou recíproco possui ain- da a vantagem de ter baixo custo de fabricação com- parado a modelos mais modernos. Compressor Scroll: O funcionamento deste modelo é baseado em duas peças no formato de caracol (em inglês “scroll”) que, num conjunto, uma das peças permanece fixa e a outra se mo- vimenta de maneira orbital e de forma excêntrica, formando “bol- sas ou células” de compressão que diminuem gradativamente o seu volume e aumentam pro- gressivamente a pressão. O contato contínuo das su- perfícies com o filme de óleo tem um poder de vedação maior, quando comparado aos modelos de pistão. O compressor Scroll possui somente 2 peças mó- veis, enquanto que os modelos de pistão ou alternati- vos, possuem no mínimo 5 componentes móveis tra- zendo maiores probabilidades de falhas. As principais vantagens do compressor Scroll são: menor nível de ruído, de vibrações e de consumo de energia.
  • 3. 3MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS Modelo da Unidade Condensadora UCM/ESM UCB/ESB USM USB Aplicação Temperatura de Evaporação (Pressão de Baixa) Média Temperatura +10°C até -15°C (84 psig ~ 28 psig) Baixa Temperatura -15°C até -30°C (35 psig ~ 15 psig) Média Temperatura +10°C até -15°C (84 psig ~ 28 psig) Baixa Temperatura -15°C até -40°C (28 psig ~ 1 psig) Tipo de Compressor Alternativo (Hermético) Alternativo (Hermético) Scroll Scroll Fluido Refrigerante R-22 R-404A HP-81 R-402B R-408A R-22 R-22 Temperatura de Condensação (Pressão de Alta) Máxima: +65°C (380 psig) Máxima: +65°C (380 psig) Máxima: +65°C (380 psig) Máxima: +65°C (380 psig) Tipo de Óleo Lubrificante Mineral ou Alquilbenzeno ISO 32 Polyol Ester ISO 32 Mineral ou Alquilbenzeno ISO 32 Mineral ou Alquilbenzeno ISO 32 4. TIPOS DE APLICAÇÕES: OBS: Para aplicações com elevadas variações de temperatura, tais como, máquinas de fabricar gelo / sorveteiras por imersão (álcool) / câmaras de banana / câmaras de baixa temperatura com degelo a gás quente ou elétrico, recomendamos o uso de um regu- lador de pressão de sucção e/ou válvula de expan- são com MOP (Máxima Pressão de Operação) para que se possa limitar a pressão de baixa do compres- sor, não permitindo que o mesmo trabalhe fora da fai- xa de aplicação, isto é, com pressão de baixa, acima dos valores de tabela desta página. Exemplo: para UCB/ESB, a pressão de baixa má- xima é de 35 psig, evitando principalmente, sobrecar- ga do motor elétrico (queima). Recomendamos também o uso de acumulador de sucção ou separador de líquido para evitar golpe de líquido principalmente no final do processo (aplica- ções em baixa temperatura). Observação importante: O compressor Scroll só comprimirá o fluido refrigerante se girar no sentido correto. O compressor Scroll pode girar nos dois sentidos (horário e anti-horário), dependendo da ordem da conexão dos três cabos elétricos. Se o sentido de rotação estiver incorreto os seguin- tes fatos ocorrem: As pressões de baixa e de alta não se alteram (compressor não comprime). A operação é extremamente ruidosa. A corrente elétrica será muito baixa. Neste caso, o técnico deverá inverter a posição de dois dos três cabos elétricos para que o compressor gire no sentido correto. A operação do compressor Scroll no sentido inverso de rotação por período prolongado, causará a quebra do mesmo devido à falta de lubrificação.
  • 4. 4 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS 5. ESTRUTURA DE CÓDIGO 6. CUIDADOS NO LOCAL DE INSTALAÇÃO: A instalação da unidade condensadora deve ser feita de modo que não bloqueie a entrada de ar fres- co para o condensador (Ex: condensador colocado junto à parede). Não instale a unidade condensadora em um ambi- ente fechado. Para obter melhor rendimento e bom funcionamento, a unidade condensadora deve ser ins- talada em um ambiente arejado e bem ventilado para que haja a renovação de ar fresco na entrada do con- densador e saída livre do ar quente. Use algum meio de exaustão para evitar a recirculação de ar quente dentro da casa de máquinas. Recomendamos a limpeza preventiva do conden- sador para evitar o acúmulo de sujeira que poderá prejudicar seriamente o rendimento e causar proble- mas ao compressor. Sem ventilação adicional Ventilação natural insuficiente Sem ventilação natural UC M 2 150 E T L CÓDIGO DO PRODUTO COMPRESSOR COMPOSIÇÃO DO PRODUTO ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA REFERÊNCIA COMERCIAL TIPO DE REFRIGERANTE/ÓLEO Observar faixa de aplicação APLICAÇÃO TIPO DE PRODUTO L’ Unite Hermetique Copeland Com tanque de líquido Sem tanque de líquido 220 V - 1F - 60 Hz 220 V - 1F - 50 Hz (mediante consulta) 220 V - 3F - 50/60 Hz 380 V - 3F - 50/60 Hz 1,5 HP 2,0 HP 2,5 HP 3,0 HP 3,5 HP 4,0 HP 5,0 HP 6,0 HP 7,5 HP 9,0 HP 10,0 HP R-22 - Óleo Mineral ou Alquilbenzeno - ISO32 R-404A - Óleo Poliolester - ISO 32 R-404A / R-402A / R-402B / R-408A - Óleo Poliolester - ISO 32 Média / Alta Temp. de Evaporação (-15o C a +10o C). Baixa Temp. de Evaporação (-40o C/-30o C a -15o C). Unidade Condensadora a ar, com compressor alternativo Unidade Condensadora a ar, com compressor scroll de refrigeração. Elgin Split ou Elgin Silenciosa ou Unidade Condensadora Silensiosa. L 0 T S E F T J 150 200 250 300 350 400 500 600 750 900 1000 2 4 5 M B UC US ES
  • 5. 5MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS Nas unidades condensadoras ESM e ESB siga as distâncias abaixo: C = Comprimento do condensador Nas unidades condensadoras UCM, UCB, USM e USB, siga as distâncias abaixo: • Filtro secador da linha de líquido: instalado na linha de líquido. Sua função é filtrar a sujeira e, principalmente, retirar, na medida do possível, a umidade do sistema. • Válvula solenóide da linha de líquido: instala- da na linha de líquido, antes e o mais próximo possível da válvula de expansão. Tem a função de desligar a unidade condensadora através do recolhimento do refrigerante (pump-down). • Visor de líquido: instalado na linha de líquido. É utilizado para visualizar a carga de refrigerante e permitir a verificação da presença de umidade no sistema através do indicador de umidade. • Válvula de expansão / Capilar: instalado na li- nha de líquido, na entrada do evaporador, o mais próximo possível do mesmo. Sua finalidade é pro- mover a queda de pressão e alimentar correta- mente o evaporador. Para isso deve ser dimensi- 7. ACESSÓRIOS MÍNIMOS NECESSÁRIOS NUM SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO: onado corretamente. • Tanque de líquido: instalado na linha de liquido, logo após o condensador. Sua utilização é obri- gatória quando se utiliza válvula de expansão. • Acumulador de sucção (Separador de líquido): instalado na linha de sucção, antes do compressor. Sua função é evitar o retorno de líquido para o com- pressor, o que poderia causar “golpe de líquido”. Sua utilização é obrigatória em temperaturas de evaporação abaixo de -5o C (menos cinco graus Celsius) e em sistemas onde é realizado degelo (gás quente ou elétrico). • Filtro de sucção: instalado na linha de sucção antes do compressor. Sua função é filtrar possí- veis sujeiras da própria linha de sucção e do eva- porador, o filtro de sucção é utilizado normalmente em sistemas grandes ou instalações que sofre- ram queima elétrica severa. C C C CC C C CC Medidas em mm Medidas em mm
  • 6. 6 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS • Separador de óleo: instalado na linha de des- carga, logo após o compressor. Seu retorno é co- nectado na linha de sucção ou no próprio cárter do compressor. É utilizado para reter o óleo de lubrificação que sai do compressor. Durante o fun- cionamento normal do compressor, uma peque- na parcela de óleo é “bombeada” para o sistema de refrigeração e deve retornar ao compressor. O uso do separador de óleo é obrigatório nas se- guintes condições: 1- Em sistemas com temperatura de evaporação abaixo de -10o C (menos dez graus Celsius). 2- Em unidades condensadoras instaladas aci- ma do evaporador. 3- Em sistemas onde o comprimento da tubula- ção de sucção for superior a 3 metros. Neste caso, a cada 10 metros de comprimento da tubulação devem-se acrescentar 100 ml de óleo no compressor. Utilize somente o tipo de óleo especificado na tabela da pág. 3. Não es- quecer de acrescentar óleo no separador de óleo, conforme indicação do fabricante. • Pressostato de alta pressão: instalado no lado de alta pressão é conectado à tomada de pres- são da descarga. Sua função é proteger o com- pressor contra alta pressão de descarga, em si- tuações adversas como, por exemplo: condensa- dor sujo, ventilador do condensador avariado, ambiente muito quente ou com recirculação de ar quente no condensador. • Pressostato de baixa pressão: instalado no lado de baixa pressão é conectado à tomada de pressão da sucção. Uma de suas funções é pro- teger o compressor contra baixa pressão de suc- ção, como por exemplo, vazamento da carga de fluido refrigerante, ajuste incorreto da válvula de expansão e filtro secador obstruído (entupido). Pode ser utilizado, também, em conjunto com o termostato e a válvula solenóide da linha de lí- quido para desligar o compressor através do re- colhimento (pump down) do fluido refrigerante quando o sistema atingir a temperatura ideal. 8. TUBULAÇÃO DA LINHA DE SUCÇÃO E LINHA DE LÍQUIDO: As linhas de líquido e sucção, principalmente em longas distâncias ou grandes desníveis, devem ter o diâmetro das tubulações adequadamente dimensio- nado para garantir um bom retorno de óleo para o compressor. Para isso, utilize uma tabela de dimen- sionamento de tubulações e selecione corretamente os diâmetros recomendados, obtendo assim, veloci- dades adequadas na linha de sucção e na linha de líquido e conseqüentemente o eficiente retorno do óleo ao compressor. Para utilizar a tabela de dimen- sionamento das tubulações deve-se calcular primei- ramente o comprimento equivalente que é a soma do comprimento da tubulação mais o comprimento equi- valente dos acessórios, curvas, ramificações (T) e demais singularidades presentes no decorrer destes trechos. Abaixo temos uma tabela com comprimentos equi- valentes para algumas singularidades: 3/8 0,3 0,2 2,2 1,7 0,7 0,9 1/2 0,4 0,2 3,3 2,1 0,8 1,1 5/8 0,5 0,2 4,8 2,7 1,0 1,4 3/4 0,6 0,3 5,7 3,2 1,1 1,7 7/8 0,7 0,3 6,7 3,8 1,3 2,0 1 1/8 0,9 0,4 8,6 4,9 1,7 2,6 1 3/8 1,1 0,5 10,5 5,9 2,1 3,1 1 5/8 1,3 0,6 12,4 7,0 2,5 3,7 2 1/8 1,7 0,8 16,2 9,2 3,2 4,9 2 5/8 2,1 1,0 20,0 11,3 4,0 6.0 3 1/8 2,5 1,2 23,8 13,5 4,8 7,1 3 5/8 2,9 1,4 27,6 15,7 5,5 8,3 Comprimento Equivalente de Conexões de Cobre Diâmetro do tubo de cobre (pol.) Comprimento Equivalente (m) Curva 90o Curva 45o Válvula Globo e Solenóide Válvula em ângulo (T) para Ramificação (T) para Bifurcação
  • 7. 7MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS BTU/h Kcal/h W 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 1000 252 293 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3000 756 879 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 3/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 4000 1008 1172 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 6000 1512 1758 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 9000 2268 2637 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 5/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 12000 3024 3516 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 15000 3780 4395 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 18000 4536 5274 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 24000 6048 7032 5/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 30000 7560 8790 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 36000 9072 10548 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 42000 10584 12306 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 48000 12096 14064 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 54000 13608 15822 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 60000 15120 17580 7/8 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 66000 16632 19338 7/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8 72000 18144 21096 1 1/8 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8 78000 19656 22854 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 1/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8 7/8 84000 21168 24612 1 1/8 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 90000 22680 26370 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 120000 30240 35160 1 1/8 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 150000 37800 43950 1 3/8 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 1 5/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 180000 45360 52740 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 2 5/8 3 1/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 210000 52920 61530 1 3/8 1 5/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 2 1/8 2 5/8 2 5/8 2 5/8 3 1/8 3 1/8 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8 1 1/8 Diâmetro da Linha de Líquido R-22. Do tanque de líquido para a válvula de expansão Comprimento Equivalente (m) Capacidade Frigorífica Temperatura de Evaporação 5°C Comprimento Equivalente (m) Temperatura de Evaporação -12°C Comprimento Equivalente (m) Temperatura de Evaporação -29°C Comprimento Equivalente (m) DIÂMETRO DA LINHA DE SUCÇÃO R-22 BTU/h Kcal/h W 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 1000 252 293 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 5/8 3/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3000 756 879 1/2 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 1/2 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 1/2 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 4000 1008 1172 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 6000 1512 1758 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 11/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 9000 2268 2637 5/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 5/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 5/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 12000 3024 3516 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 15000 3780 4395 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 13/8 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 13/8 7/8 7/8 11/8 11/8 11/8 1 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 18000 4536 5274 7/8 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 7/8 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 7/8 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 24000 6048 7032 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 15/8 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 13/8 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 13/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 30000 7560 8790 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 15/8 11/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 11/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 36000 9072 10548 11/8 11/8 13/8 13/8 15/8 15/8 11/8 13/8 13/8 13/8 13/8 15/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 1/2 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 42000 10584 12306 11/8 13/8 13/8 15/8 15/8 15/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 11/8 13/8 13/8 1 3/8 15/8 15/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 48000 12096 14064 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 11/8 13/8 13/8 1 3/8 15/8 15/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 54000 13608 15822 13/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 21/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 21/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 60000 15120 17580 13/8 13/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 13/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 13/8 15/8 15/8 15/8 21/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8 66000 16632 19338 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8 72000 18144 21096 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8 5/8 78000 19656 22854 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 15/8 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 5/8 5/8 5/8 5/8 5/8 7/8 84000 21168 24612 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 15/8 15/8 1 5/8 21/8 21/8 21/8 5/8 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 90000 22680 26370 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 25/8 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 25/8 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 5/8 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 120000 30240 35160 15/8 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 15/8 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 15/8 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 150000 37800 43950 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 25/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8 180000 45360 52740 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 3 1/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 11/8 210000 52920 61530 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 31/8 21/8 25/8 25/8 25/8 3 1/8 3 1/8 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 31/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 11/8 11/8 Diâmetro da Linha de Líquido R-404A e R-507. Do tanque de líquido para a válvula de expansão Comprimento Equivalente (m) Capacidade Frigorífica Temperatura de Evaporação -29°C Comprimento Equivalente (m) Temperatura de Evaporação -34°C Comprimento Equivalente (m) Temperatura de Evaporação -40°C Comprimento Equivalente (m) DIÂMETRO DA LINHA DE SUCÇÃO R-404A e R-507
  • 8. 8 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS BTU/h Kcal/h W 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 8m 15m 23m 30m 45m 61m 1000 252 293 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 3/8 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3000 756 879 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 4000 1008 1172 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 6000 1512 1758 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 5/8 7/8 7/8 7/8 11/8 11/8 7/8 7/8 7/8 11/8 1 1/8 11/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 9000 2268 2637 7/8 7/8 7/8 1 1/8 11/8 11/8 7/8 11/8 11/8 11/8 11/8 11/8 7/8 1 1/8 1 1/8 11/8 11/8 13/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 12000 3024 3516 7/8 11/8 11/8 11/8 11/8 13/8 7/8 11/8 11/8 11/8 11/8 13/8 11/8 1 1/8 1 1/8 13/8 13/8 13/8 3/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 15000 3780 4395 11/8 11/8 11/8 11/8 11/8 13/8 11/8 11/8 11/8 11/8 1 3/8 13/8 11/8 1 1/8 13/8 13/8 13/8 15/8 3/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 18000 4536 5274 11/8 11/8 11/8 13/8 13/8 13/8 11/8 11/8 13/8 13/8 1 3/8 13/8 11/8 13/8 13/8 13/8 15/8 15/8 3/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 24000 6048 7032 11/8 13/8 13/8 13/8 13/8 15/8 11/8 13/8 13/8 13/8 1 5/8 15/8 11/8 13/8 13/8 15/8 15/8 21/8 1/2 1/2 1/2 1/2 5/8 5/8 30000 7560 8790 11/8 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 11/8 13/8 1 5/8 15/8 1 5/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 15/8 15/8 2 1/8 21/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 5/8 36000 9072 10548 13/8 15/8 15/8 15/8 15/8 2 1/8 13/8 13/8 1 5/8 15/8 21/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 15/8 2 1/8 2 1/8 21/8 1/2 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8 42000 10584 12306 13/8 13/8 15/8 15/8 21/8 2 1/8 13/8 15/8 1 5/8 2 1/8 21/8 2 1/8 1 3/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 21/8 1/2 5/8 5/8 5/8 7/8 7/8 48000 12096 14064 13/8 15/8 15/8 21/8 21/8 2 1/8 13/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 1/2 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 54000 13608 15822 13/8 15/8 15/8 21/8 21/8 2 1/8 13/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 1/2 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 60000 15120 17580 15/8 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 1/8 1 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 66000 16632 19338 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 2 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 5/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 72000 18144 21096 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 5/8 2 5/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 2 5/8 25/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 78000 19656 22854 15/8 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 5/8 25/8 2 1/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 25/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 84000 21168 24612 15/8 21/8 21/8 21/8 21/8 25/8 15/8 21/8 21/8 21/8 2 5/8 25/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 25/8 3 1/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 7/8 90000 22680 26370 15/8 21/8 21/8 21/8 25/8 25/8 21/8 21/8 21/8 25/8 2 5/8 2 5/8 2 1/8 2 1/8 25/8 25/8 25/8 3 1/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 11/8 120000 30240 35160 2 1/8 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 21/8 21/8 2 5/8 25/8 2 5/8 3 1/8 2 1/8 25/8 25/8 3 1/8 3 1/8 3 1/8 7/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 11/8 150000 37800 43950 21/8 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 21/8 2 5/8 2 5/8 25/8 3 1/8 3 1/8 2 5/8 25/8 3 1/8 3 1/8 3 1/8 3 5/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 11/8 180000 45360 52740 21/8 25/8 25/8 25/8 31/8 31/8 21/8 2 5/8 3 1/8 3 1/8 3 1/8 3 5/8 2 5/8 3 1/8 3 1/8 3 1/8 3 5/8 3 5/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 1 1/8 11/8 210000 52920 61530 21/8 25/8 25/8 3 1/8 31/8 35/8 2 5/8 2 5/8 3 1/8 3 1/8 3 5/8 3 5/8 2 5/8 3 1/8 3 1/8 3 5/8 35/8 4 1/8 7/8 11/8 7/8 1 1/8 11/8 13/8 Diâmetro da Linha de Líquido R-502*. Do tanque de líquido para a válvula de expansão Comprimento Equivalente (m) Capacidade Frigorífica Temperatura de Evaporação -29°C Comprimento Equivalente (m) Temperatura de Evaporação -34°C Comprimento Equivalente (m) Temperatura de Evaporação -40°C Comprimento Equivalente (m) DIÂMETRO DA LINHA DE SUCÇÃO R-502* NOTA: • Fluidos refrigerantes equivalentes ao R-502: HP-81 / FX-10 / R-408A • Os diâmetros em destaque indicam as dimensões máximas para trechos verticais ascendentes. • O diâmetro do trecho vertical ascendente não deve ser maior que o diâmetro do trecho horizontal. • O diâmetro da linha de sucção está dimensionada para perda de temperatura correspondente a 1°C. Deve- se estimar a perda de capacidade do sistema em função dessa perda de temperatura. • Prever o uso de sifão na saída do evaporador e isolar adequadamente a linha de sucção a fim de evitar alto superaquecimento, o que elevaria também a temperatura de descarga do compressor. • Prever um trecho horizontal na saída do evaporador para instalar o bulbo e o equalizador externo da válvula de expansão. • As linhas de sucção na horizontal devem ter uma pequena queda no sentido favorável ao compressor (no mínimo um centímetro por metro de tubulação).
  • 9. 9MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS 3000 756 15 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 30 1/2 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 6000 1512 15 1/2 3/8 3/8 3/8 3/8 3/8 1/2 3/8 30 1/2 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8 9000 2268 15 5/8 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8 30 5/8 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8 5/8 3/8 12000 3024 15 5/8 1/2 1/2 3/8 1/2 3/8 1/2 3/8 30 7/8 1/2 5/8 3/8 5/8 3/8 5/8 3/8 18000 4536 15 7/8 1/2 1/2 3/8 5/8 1/2 5/8 1/2 30 7/8 1/2 5/8 3/8 5/8 1/2 5/8 1/2 24000 6048 15 7/8 5/8 5/8 1/2 5/8 5/8 7/8 5/8 30 7/8 5/8 5/8 1/2 7/8 5/8 7/8 5/8 36000 9072 15 7/8 5/8 5/8 5/8 7/8 5/8 7/8 5/8 30 1 1/8 5/8 7/8 5/8 7/8 5/8 7/8 5/8 48000 12096 15 1 1/8 7/8 7/8 5/8 7/8 7/8 7/8 7/8 30 1 1/8 7/8 7/8 5/8 7/8 7/8 1 1/8 7/8 60000 15120 15 1 1/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 7/8 7/8 7/8 30 1 3/8 7/8 7/8 7/8 1 1/8 7/8 1 1/8 7/8 DIÂMETRO RECOMENDADO PARA CONDENSADORES REMOTOS Capacidade Frigorífica BTU/h Kcal/h Linha de Descarga Linha de Líquido Condensador até o Tanque Linha de Líquido Condensador até o Tanque Linha de Líquido Condensador até o Tanque Linha de Líquido Condensador até o Tanque Linha de Descarga Linha de Descarga Linha de Descarga Compri- mento Equivalente (m) R-12 / R-134a R-22 R-502 R-507 / R-404A 9. FORMAS DE INSTALAÇÃO: Compressor acima do evaporador Compressor abaixo do evaporador
  • 10. 10 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS Compressor no mesmo nível do evaporador com inclinação favorável Compressor no mesmo nível do evaporador com inclinação desfavorável 10. PROCEDIMENTOS DE SOLDAGEM: • Assegure-se de que a tubulação esteja limpa e isenta de contaminantes; • Faça a soldagem nas tubulações e conexões cir- culando o Nitrogênio numa pressão em torno de 1 a 2 psig no interior das mesmas. Tal procedimento reduz a formação de óxidos e fuligem nas pare- des internas da tubulação. • Não utilize fluxo de solda em excesso, para evitar que o mesmo contamine a tubulação. O fluxo deve ser aplicado somente no lado macho da união, isto é, na parte de menor diâmetro. • Utilize algum tipo de dissipador de calor (pano úmido, por exemplo) para evitar a propagação de calor pela tubulação, protegendo as partes sensíveis do sistema. • Não aqueça a tubulação em excesso durante o processo de solda, pois isto facilita a oxidação in- terna da mesma. • Use sempre solda do tipo prata ou foscoper de- pendendo dos materiais a serem soldados: Em ferro/cobre: use solda prata. Em cobre/cobre: use solda foscoper • O compressor e o filtro secador devem ser aber- tos somente no momento de se executar a instala- ção. Isso evita a entrada de sujeira e principalmente de umidade nos mesmos. OBS: Em compressores com a válvula Rotalock, deve-se retirar a válvula do compressor, e também o anel de teflon da mesma. Envolva a válvula em um pano úmido (para evitar o empenamento da sede) e realize a soldagem na tubulação de cobre. Reinstale a válvula no compressor, não esquecen- do de posicionar corretamente o anel de teflon.
  • 11. 11MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS 11. VERIFICAÇÃO DE VAZAMENTO: Nos dois primeiros casos é necessária a presença do fluído refrigerante no sistema. Para utilizar somente a espuma de sabão deve-se pressurizar o sistema com nitrogênio, detectando a presença de bolhas de sabão nos locais a serem ve- rificados. ATENÇÃO: a) No teste de vazamento, nunca pressurize o siste- ma acima da pressão de 150 psig, principalmente do lado de baixa pressão, para não danificar ou pre- judicar o funcionamento do pressostato de baixa. b) Jamais introduza oxigênio, acetileno ou outros ga- ses inflamáveis em testes de vazamento. c) Não trabalhe ou instale mangueiras ou manôme- tros em cilindros (nitrogênio, oxigênio, acetileno ou outros gases) sem válvulas reguladoras de pres- são em perfeito estado de funcionamento. O uso inadequado destes equipamentos poderá colocar em risco a vida do equipamento e a sua. Realizada a instalação e com todas as verificações já efetuadas (inclusive as de ordem elétrica), subme- ta o sistema a um teste de vazamento. Para isso pode-se utilizar um detector eletrônico de vazamentos, uma lamparina ou espuma de sabão. 12. PROCEDIMENTOS PARA VÁCUO: Nunca aplique tensão enquanto o sistema estiver em vácuo. A partida do compressor sob vácuo causa a quei- ma instantânea do mesmo. Para evacuar o sistema, utilize uma bomba de vá- cuo juntamente com um vacuômetro. Efetue vácuo na instalação em duas etapas. Na primeira, deve-se atingir 1000 µ (mil mícrons) medi- dos no vacuômetro, quebrar o vácuo com o próprio fluido refrigerante, efetuar novo vácuo até que se atin- ja 200 µ (duzentos mícrons) medidos no vacuômetro e manter este vácuo por, pelo menos, uma hora, após certificar-se que não há vazamentos, quebre o vá- cuo com o refrigerante até atingir pressão positiva e equalização de pressão nos manômetros de alta e baixa. Lembre-se que vácuo não se mede com um reló- gio ou cronômetro (por tempo) e sim com um vacuô- metro. ATENÇÃO: Em hipótese alguma utilize o próprio compressor para fazer a evacuação na instalação.
  • 12. 12 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS Superaquecimento (útil) – Também conhecido como superaquecimento do evaporador, este parâ- metro serve para obter-se o máximo de aproveitamen- to da área de troca do evaporador ou seja, verificar se o evaporador está com um bom preenchimento de flui- 13. PROCEDIMENTOS PARA CARGA DE FLUIDO REFRIGERANTE: A carga de fluido refrigerante deve sempre ser re- alizada no tanque de líquido com o compressor desli- gado. Se o sistema não possuir tanque de líquido, re- alize a carga através da linha de líquido. A forma da carga (líquido ou vapor) depende do fluido refrigerante que está sendo utilizado. Lembra- mos que, para os fluidos refrigerantes chamados de “blends”, como por exemplo, MP39, HP81, R-404A, entre outros, a carga deve ser feita sempre na fase líquida. Já para os refrigerantes puros, como por exem- plo, R-22 e R-134a, a carga pode ser feita na fase líquida ou vapor. Realizada a carga inicial através da linha de líqui- do ou do tanque de líquido, caso seja necessário com- plementar a carga de fluido refrigerante, esta deve ser realizada com o compressor ligado, através da sucção, com o fluido refrigerante na fase vapor para os refrigerantes puros e, na fase líquida, para os “blen- ds”. Para complementar a carga de fluido refrigerante “blends”, aconselhamos a utilização de um tubo capi- lar com 0,050” de diâmetro e 3 metros de comprimen- to. Isto promoverá a expansão do fluido refrigerante, fazendo com que ele chegue ao compressor como uma mistura de líquido + vapor, minimizando a dilui- ção do lubrificante e evitando o golpe de líquido. 14. MEDIÇÕES DOS PRINCIPAIS PARÂMETROS: Superaquecimento / Sub-resfriamento / Temperatura de sucção / Temperatura da linha de líquido / Temperatura de descarga: do refrigerante. O superaquecimento é medido pela diferença da temperatura de evaporação e tempera- tura da saída do evaporador (na tubulação, junto ao bulbo da válvula de expansão termostática). A tem- peratura de evaporação é obtida medindo-se a pres- Válvula de Expansão Sifão Condensador Equalização Externa Bulbo Compressor Evaporador T entrada do evaporador P alta P baixa T descarga T sucção 15 cm 15 cm T linha de líquido T saída do evaporador
  • 13. 13MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS são de baixa e através de uma régua PxT, encontra- se a temperatura correspondente. Um outro método possível é medir a diferença en- tre a temperatura da tubulação na entrada do evapo- rador e a temperatura da saída do evaporador (na tu- bulação, junto ao bulbo da válvula de expansão ter- mostática). As válvulas de expansão termostática pos- suem uma regulagem específica para cada fabrican- te. Pelo padrão adotado pelos fabricantes de válvula de expansão, o superaquecimento útil varia entre 4°C e 8°C que são os valores recomendados: SUPERAQUECIMENTO DO EVAPORADOR (ÚTIL): ENTRE 4°C E 8°C (DEPENDE DO FABRICANTE DE VÁLVULA DE EXPANSÃO). Exemplo: P sucção = 28,2 psig R-22 (régua P x T) T evaporação = -15°C T saída do evaporador = -9°C SUPERAQUECIMENTO DO EVAPORADOR (ÚTIL) = T SAÍDA DO EVAPORADOR – T EVAPORAÇÃO Superaquecimento do evaporador (útil) = -9 – (-15) Superaquecimento do evaporador (útil) = 6°C Superaquecimento total (global) – (Também co- nhecido como superaquecimento do compressor). A importância deste parâmetro é permitir que a tempe- ratura do gás de retorno que vai para o compressor seja suficiente para suprir o resfriamento do conjunto mecânico e elétrico, mas principalmente evitar que a temperatura de descarga atinja valores acima da que o óleo tolere. É medido pela diferença da temperatura de evaporação e temperatura de sucção, na entrada do compressor (na tubulação de sucção, 15 cm antes do compressor). A temperatura de evaporação é obti- da medindo-se a pressão de baixa para através de uma régua PxT, encontrar a temperatura correspondente. Valores recomendados: SUPERAQUECIMENTO TOTAL (GLOBAL): MENOR QUE 20°C Exemplo: P sucção = 28,2 psig R-22 (régua PxT) T evaporação = -15°C T sucção = -5°C SUPERAQUECIMENTO TOTAL (GLOBAL) = T SUCÇÃO – T EVAPORAÇÃO Superaquecimento total (global) = -5 – (-15) Superaquecimento total (global) = 10°C Sub-resfriamento – este parâmetro serve para verificar não só se a carga no sistema está adequa- da, mas também para verificar principalmente se o condensador está cumprindo o seu objetivo que é re- jeitar o calor do sistema e condensar todo o fluido refrigerante de vapor superaquecido em líquido sub- resfriado. A válvula de expansão deve receber somen- te líquido e não uma mistura de líquido + vapor que causa perda de ajuste e referência de regulagem no sistema de refrigeração. O sub-resfriamento é calcu- lado pela diferença entre a temperatura de conden- sação e a temperatura da linha de líquido próximo à válvula de expansão (fora do ambiente condiciona- do). A temperatura de condensação é obtida medin- do-se a pressão de alta e através de uma régua PxT, encontrar a temperatura correspondente Valores recomendados: SUB-RESFRIAMENTO: ENTRE 2°C E 8°C Exemplo: P descarga = 181,8 psig R-22 (régua PxT) T condensação = 35°C T linha de líquido = 30°C Sub-resfriamento = T condensação – T linha de líquido Superaquecimento total (global) = 35 - 30 Superaquecimento total (global) = 5°C Temperatura de descarga – este parâmetro é um alerta para que a temperatura na tubulação de des- carga, a 15 cm da conexão de descarga do compres- sor, não ultrapasse 120°C para que não ocorra a per- da de propriedades de lubrificação por causa da car- bonização do óleo lubrificante. TEMPERATURA DE DESCARGA: MÁX: 120°C 15. BALANCEAMENTO DE SISTEMAS: PROVIDÊNCIA SUPERAQUECIMENTO SUB-RESFRIAMENTO ABRIR A VÁLVULA DE EXPANÇÃO DIMINUI DIMINUI FECHAR VÁLVULA DE EXPANSÃO AUMENTA AUMENTA COLOCAR FLUIDO REFRIGERANTE DIMINUI AUMENTA RETIRAR FLUIDO REFRIGERANTE AUMENTA DIMINUI
  • 14. 14 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS 16. SUBSTITUIÇÃO ADEQUADA DE UM COMPRESSOR AVARIADO: g) Efetue vácuo na instalação até que se atinja 1000 µ (mil mícrons). Quebre o vácuo com o próprio flui- do refrigerante, efetue novo vácuo até atingir 200 µ (duzentos mícrons) e mantenha este vácuo pelo menos por uma hora, certificando-se que não haja vazamentos. O nível de vácuo deve ser medido com vacuômetro. h) Faça a carga de fluido refrigerante novo e faça os ajustes necessários. i) Após 72 horas de funcionamento, troque o óleo do compressor e o filtro secador na linha de líquido. Meça a acidez no óleo. Persistindo a acidez no sis- tema, substituir o filtro secador de sucção e o da linha de líquido até que o nível de acidez no siste- ma fique de acordo com o recomendado. Neste momento, o filtro de sucção deverá ser retirado, minimizando a perda de carga na sucção. Se for constatada a queima do compressor siga as seguintes recomendações: a) Recolha o fluido refrigerante através de bomba recolhedora apropriada (não deixar o refrigerante vazar para a atmosfera, evitando assim, danos eco- lógicos). b) Faça a circulação forçada, em todo o sistema, uti- lizando refrigerante R-141b. c) Substitua o filtro secador da linha de líquido. d) Substitua todo o lubrificante da instalação, inclusi- ve aquele contido no separador de óleo. e) Não esqueça de completar o óleo da instalação. Lembre-se que, quando da limpeza do sistema com R141b, todo óleo retirado, deverá ser reposto. f) Instale um filtro secador na linha de sucção com um elemento filtrante para retenção dos ácidos, ceras e filtragem das impurezas, comercialmente conhecidos como tipo HH. 17. SISTEMA ELÉTRICO: O esquema de ligação elétrica acompanha a uni- dade condensadora e encontra-se no interior da cai- xa de ligação. Nos modelos monofásicos tenha o cuidado de uti- lizar os capacitores de marcha especificados que acompanham o produto e são recomendados pela El- gin. Elementos de proteções recomendados: Monofásicos: Disjuntor + monitor de tensão + relé térmico de sobrecarga. Trifásicos: Disjuntor motor + monitor de tensão + relé térmico de sobrecarga + relé falta de fase + rele seqüenciador de fase* *Nos compressores do tipo Scroll recomendamos a utilização de um relé seqüenciador de fase para evi- tar que o motor gire ao contrário, dando assim sinto- mas de compressor sem compressão ou com ruído. Disjuntor: Tem a função de interromper a corrente de acionamento (desarmar), quando este valor atin- gir sua capacidade limite, não deixando o compres- sor ligar. Monitor de tensão: Tem a função de interromper a tensão de acionamento (desarmar), quando este valor atingir variações acima de +/- 10% da nomi- nal (Ex: 220 V: 198 V ~ 242 V), não deixando o compressor ligar. Relé térmico de sobrecarga: Tem a mesma fun- ção do disjuntor mas permite o ajuste de sensibili- dade da corrente de desarme. Relé falta de fase: Tem a função de interromper a corrente de acionamento (desarmar), quando uma das fases da rede trifásica é interrompida, não dei- xando o compressor operar. Relé seqüenciador fase: É utilizado para evitar in- versão de rotação dos compressores do tipo Scroll. Disjuntor motor: É um componente composto que possui o relé falta de fase + disjuntor.
  • 15. 15MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS 18. ESQUEMAS ELÉTRICOS: ESQUEMA ELÉTRICO - UCM e UCB - Monofásico (1F) 220V ESQUEMA ELÉTRICO - UCM e UCB - Trifásico (3F) 380V PA - Pressostato de Alta PB - Pressostato de Baixa CN - Contator MV - Motor Ventilador CP - Capacitor Entrada 380V ALIMENTAÇÃO MARROM (AZUL) COMPRESSOR PRESSOSTATOS ATENÇÃO!! Ligar os pontos A e C desta ponte em série com a bobina do contator SAÍDA P/ COMPRESSOR T S C C PA PB 1980 90 5472 00 CN B B A A VERMELHO (PRETO) AZUL (MARROM) AZUL (VERMELHO) C A CP R MV N R S T } ESQUEMA ELÉTRICO - UCM e UCB - Trifásico (3F) 220V ESQUEMA ELÉTRICO - USM e USB - Trifásico (3F) 220V e 380V
  • 16. 16 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS ESQUEMA ELÉTRICO - ESM 2 150 Monofásico (1F) 220V ESQUEMA ELÉTRICO - ESM 2 200 A ESM 2 500 - Trifásico (3F) 380V ESQUEMA ELÉTRICO - ESM 2 200 A ESM 2 300 - Monofásico (1F) 220V ESQUEMA ELÉTRICO - ESM 2 150 Trifásico (3F) 220V e 380V
  • 17. 17MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS ESQUEMA ELÉTRICO - ESM 2 200 A 2 500 Trifásico (3F) 220V
  • 18. 18 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS 19. TABELA DE DIMENSIONAMENTO DE FIOS: Tabela de Bitolas (Diâmetros) de Fios Corrente Escala de Série Métrica Disjuntor Contador Relé Térmico Nominal Bitola Seção Nominal de Sobrecarga (A) (AWG) (mm) (A) (A) (A) Até 5 14 1,5 10 10 2,7 - 6,0 6 à 10 12 2,5 15 15 6,0 - 15,0 11 à 15 10 4,0 20 20 11,0 - 20,0 16 à 20 8 6,0 25 25 15,0 - 25,0 21 à 30 6 10,0 35 30 19,0 - 35,0 31 à 40 4 16,0 45 40 30,0 - 45,0 41 à 50 4 16,0 55 50 40,0 - 55,0 Compressor não funciona. Compressor barulhento ou vibrando. 20. ANÁLISE DE PROBLEMAS / CAUSAS PROVÁVEIS / AÇÃO CORRETIVA Causas Prováveis Disjuntor desligado. Fusível queimado. Protetor térmico aberto. Defeito no contator. Sistema desligado por algum contro- le de segurança. Problemas com o motor do com- pressor. Cabos elétricos soltos. Válvula solenóide da linha de líquido não abre. Compressor inundado de líquido ou de óleo. Fixações e suportes de tubulações inadequados. Compressor Scroll com rotação invertida. Compressor no fim da vida útil. Ação Corretiva Ligue o Disjuntor. Verifique, identifique e corrija possí- ves falhas no circuito elétrico e de comando. Verifique se o compressor está queimado. Após as correções, Substitua o fusível. Verifique na coluna Problema: “Pro- tetor térmico do compressor aberto”. Repare ou Substitua o contator Identifique qual dispositivo desligou o sistema, corrija possíveis falhas e religue o sistema. Verifique o aperto dos cabos elétri- cos e as suas ligações ou se o com- pressor está queimado. Reaperte os cabos de ligação. Verifique se a bobina está queima- da ou se a haste está empenada. Verifique o funcionamento do ter- mostato. Verifique a regualgem da válvula de expansão, o superaquecimento e o nível de óleo. Adicione, remova ou mude de posi- ção os suportes. Inverta duas das três fases de ali- mentação elétrica. Substitua o compressor. Problema
  • 19. 19MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS Causas Prováveis Ação CorretivaProblema Pressão de descarga muito alta. Pressão de descarga muito baixa. Pressão de sucção muito alta. Pressão de sucção muito baixa. Não condensáveis no sistema. Excesso de fluído refrigerante. Recirculação de ar no condensador. Vazão de água insuficiente no condensador. Válvula de serviço de descarga parcialmente fechada. Ventilador do condensador inoperan- te. Pressostato de alta desregulado. Sujeira no condensador. Válvula de serviço de sucção parci- almente fechada. Falta de fluido refrigerante. Baixa pressão de sucção. Regulagem incorreta do controle de condensação. Bulbo da válvula de expansão sem contato. Temperatura ambiente muito baixa. Válvula de expansão dando passa- gem em excesso. Carga térmica do sistema muito grande. Excesso de fluido refrigerante. Válvula de expansão muito aberta ou muito grande. Evaporador sujo ou congelado. Ventilador do evaporador inoperante. Filtro secador da linha de líquido obstruido. Remova os não condensáveis. Recolha o fluido refrigerante em ex- cesso. OBS.: Não jogá-lo na atmos- fera. Reposicione o condensador ou pro- videncie ventilação adicional na casa de máquinas. Verifique o dimensionamento e o fun- cionamento da bomba de água de condensação e se a tubulação de água de condensação não esteja parcialmente entupida. Abra a válvula de serviço de descar- ga. Verifique se o ventilador está quei- mado. Regule o pressostato de alta pres- são Limpe o condensador. Para conden- sador a água promova o varetamen- to dos tubos. Abra a válvula de serviço de sucção. Corrija possíveis vazamentos e acrescente fluido refrigerante. Verifique no item Problema: “Baixa pressão de sucção”. Regule corretamente o controle de condensação. Posicione corretamente o bulbo da válvula de expansão e isolá-lo ter- micamente. Instale o controle de pressão de con- densação. Regule a válvula de expansão. Se necessário Substitua. Reduza a carga térmica ou aumen- te o tamanho do evaporador. Recolha o fluido refrigerante em ex- cesso. OBS.: Não o jogue na atmos- fera. Verifique e Corrija a posição do bul- bo, Regule a válvula de expansão. Se necessário Substitua. Limpe o evaporador. Verifique o fun- cionamento do sistema de degelo e regule-o . Verifique se o ventilador está quei- mado. Substitua o filtro secador da línha de líquido.
  • 20. 20 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS Causas Prováveis Ação CorretivaProblema Pressão de sucção muito bai- xa. (continuação) Sistema não refrigera Visor de líquido borbulhando. Compressor com perda de óleo. Linha de sucção obstruida ou com perda de carga excessiva. Temperatura de condensação muito baixa. Vazamento da carga do bulbo da válvula de expansão. Falta de fluido refrigerante. Temperatura ambiente muito baixa. Excesso de óleo no sistema. Válvula de expansão muito fechada ou muito pequena. Válvula de expansão com defeito. Válvula de expansão entupida por sujeira ou gelo. Termostato com defeito. Não condensáveis no sistema. Falta de fluido refrigerante. Bulbo da válvula de expansão sem contato. Filtro secador da linha de líquido obstruido. Vazamento da carga do bulbo da válvula de expansão. Temperatura ambiente muito baixa. Falta de fluido refrigerante. Compressor operando em vácuo. Retorno de fluido refrigerante líquido. Tubulações dimensionadas incorre- tamente, sifões ausentes ou instala- dos incorretamente. Verifique se o diâmetro da tubula- ção de sucção está correto. Verifi- que se não há excesso de solda obstruindo a tubulação. Verifique a perda de carga do filtro de sucção, preferencialmente utilizando ele- mento de feltro. Verifique se o condensador não seja muito grande para o sistema. Instale um controle de condensação. Verifi- que o funcionamento do controle de condensação. Substitua a válvula de expansão. Corrija possíveis vazamentos e acrescente fluido refrigerante. Instale válvula reguladora de pres- são de sucção. Recolha o excesso de óleo. OBS.: Não jogue no ambiente. Regule a válvula de expansão se necessário substituí-la. Substitua a válvula de expansão. Limpe a válvula de expansão Substitua o termostato. Remova os não condensáveis. Corrija possíveis vazamentos e acrescente fluido refrigerante. Posicione corretamente o bulbo da válvula de expansão e isole-o termi- camente. Substitua o filtro secador da línha de líquido. Substitua a válvula de expansão. Instale controle de pressão de con- densação. Corrija possíveis vazamentos e acrescente fluido refrigerante. Verifique e regule o pressostato de bai- xa pressão, se necessário, substitua- o. Verifique se há falta de fluido refri- gerante, corrija possíveis vazamentos e acrescente fluido refrigerante. Regule o superaquecimento. Redimencione o diâmetro das tubu- lações, principalmente a tubulação de sucção e substitua-a. Instale e posicione corretamente os sifões.
  • 21. 21MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS Causas Prováveis Ação CorretivaProblema Compressor com perda de óleo. (continuação) Protetor térmico do compressor “aberto”. Sub-resfriamento muito alto. Sub-resfriamento muito baixo. Número excessivo de partidas. Falta de separador de óleo ou separador de óleo pequeno. Falta de fluido refrigerante. Compressor operando fora da faixa de trabalho. Excesso de fluído refrigerante. Válvula de serviço de descarga parcialmente fechada. Ventilador do condensador inoperan- te. Pressostato de alta desregulado. Sujeira no condensador. Válvula de expansão muito fechada ou muito pequena. Válvula de expansão com defeito. Válvula de expansão entupida por sujeira ou gelo. Excesso de fluido refrigerante. Válvula de expansão muito fechada ou muito pequena. Válvula de expansão com defeito. Válvula de expansão entupida por sujeira ou gelo. Falta de fluido refrigerante. Válvula de expansão com defeito. Bulbo da válvula de expansão sem contato. Válvula de expansão muito aberta ou muito grande. Regule o pressostato de baixa pres- são. Verifique se há vazamento de flu- ído refrigerante, corrija possíves va- zamentos e acrescente fluido refrige- rante. Verifique se o compressor é muito grande para o sistema. Substi- tua-o por um menor, se necessário. Verifique o tamanho do separador de óleo. Substitua se necessário. OBS.: Acrescente óleo no separador de óleo de acordo com a orientação do fabricante. Corrija possíveis vazamentos e acrescente fluido refrigerante. Regule o sistema para operar nas condições de projeto. Caso o com- pressor selecionado não seja adequa- do para a faixa de trabalho do projeto, substitua-o pelo modelo correto. Recolha o fluido refrigerante em ex- cesso. OBS.: Não jogá-lo na atmos- fera Abrir a válvula de serviço de descar- ga. Verifique se o ventilador está quei- mado. Regule o pressostato de alta pressão. Se necessário, substitua-o . Limpe o condensador. Regule a válvula de expansão. Se ne- cessário, substitua-o. Substitua a válvula de expansão. Limpe a válvula de expansão. Recolha o fluido refrigerante em exces- so. OBS.: Não o jogue na atmosfera. Regule a válvula de expansão. Se ne- cessário substitua-a. Substitua a válvula de expansão. Limpe a válvula de expansão. Corrija possíveis vazamentos e acrescente fluido refrigerante. Substitua a válvula de expansão. Posicione corretamente o bulbo da válvula de expansão e isole-o termi- camente. Verifique e corrija a posição do bul- bo, regule a válvula de expansão. Se necessário, substitua-a.
  • 22. 22 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS Causas Prováveis Ação CorretivaProblema Sub-resfriamento muito baixo. (continuação) Temperatura de descarga muito alta. Tubulações dimensionadas incorre- tamente. Superaquecimento muito alto. Alta pressão de descarga. Baixo sub-resfriamento. Baixa pressão de sucção. Compressor operando fora da faixa de trabalho. Falta ou insuficiência de resfriamen- to externo no compressor. Injeção de refrigerante líquido inoperante ou com defeito. Redimensione o diâmetro das tubu- laçoes, principalmente a tubulação de sucção e substitua-a. Verifique no item Problema: “Supe- raquecimento muito alto”. Verifique no item Problema: “Pressão de descarga muito alta”. Verifique no item Problema: “Sub-res- friamento muito baixo” Verifique no item Problema: “Pressão de sucção muito baixa”. Regule o sistema para operar nas condições de projeto. Caso o com- pressor selecionado não seja ade- quado para a faixa de trabalho do projeto, Substitua-o pelo modelo cor- reto. Instale um ventilador para promover o resfriamento externo do compres- sor. Verifique possíveis problemas no sis- tema de injeção de refrigerante líqui- do.
  • 23. 23MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS 21. CAUSAS DE FALHAS / AÇÃO CORRETIVA Superaquecimento muito baixo. Retorno de refrige- rante líquido (com- pressor ligado). Excesso de fluido refri- gerante. Carregar o sistema com fluido refrigerante na fase líquida através da sucção do compressor. Bulbo da válvula de ex- pansão sem contato. Válvula de expansão muito aberta ou muito grande. Evaporador sujo ou con- gelado. Ventilador do evapora- dor inoperante. Evaporador muito pe- queno. Temperatura de conden- sação muito baixa. Tubulações dimensiona- das incorretamente. Recolha o fluido refrigerante em excesso. OBS.: Não o jogue na atmosfera. Carga de fluido refrigerante na fase líquida somente no tanque de líquido ou na linha de líquido. Posicione corretamente o bulbo da válvula de expansão e isole-o termicamente. Verifique e corrija a posição do bulbo, Regule a válvula de expan- são. Se necessário substitua-a . Limpe o evaporador. Verifique o funcionamento do sistema de degelo e Regule-o. Verifique se o ventilador está queimado. Substitua-o pelo modelo correto. Verifique se o condensador não é muito grande para o sistema. instale um controle de condensa- ção. Verifique o funcionamento do controle de condensação. Redimensione o diâmetro das tu- bulações, principalmente a tubu- lação de sucção e substitua-as. MIGRAÇÃO DE REFRIGERANTE LÍQUIDO Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências GOLPE DE LÍQUIDO Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências Provoca o calço hidráu- lico, gerando: Quebra de palhetas de sucção; Quebra de palhetas de descarga; Danos nos pistões; Danos nos cilindros; Quebra de juntas; Danos nas placa de válvulas; Danos nas buchas; Danos no virabrequim; Queima do estator. Partida inundada. Migração de refrigerante (compressor desligado). Excesso de fluido refrigerante. Aquecedor de carter com defeito ou ausente. Carregar o sistema com fluido refrigerante na fase líquida através da sucção do compressor, com o mesmo desligado e ligá-lo imediatamente após a carga. Ausência ou funciona- mento incorreto do reco- lhimento de refrigerante (pump-down). Recolha o fluido refrigerante em excesso. OBS.: Não o jogue na atmosfera. Verifique o funcionamento ou ins- tale um aquecedor de carter. Carga de fluido refrigerante na fase líquida somente no tanque de líquido ou na linha de líquido. Acione o aquecedor de carter al- gumas horas antes de ligar o compressor. Verifique o funcionamento ou ins- tale um sistema de “pump-down”. Provoca a diluição do lubrifican- te, prejudicando a lubrificação do compressor podendo ocasionar seu travamento. Provoca o arraste de óleo para os cilindros causando calço hi- dráulico gerando: Quebra de palhetas de sucção Quebra de palhetas de descarga Danos nos pistões Danos nos cilindros Quebra de juntas Danos nas placa de válvulas Danos nas buchas Danos no virabrequim Queima do estator
  • 24. 24 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS ALTA TEMPERATURA DE DESCARGA Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências Superaqueci- mento muito alto. Pressão de descarga muito alta. Sub-resfria- mento muito baixo. Falta de fluido refrigerante. Válvula de expansão mui- to fechada ou muito peque- na. Válvula de expansão com defeito. Válvula de expansão entu- pida por sujeira ou gelo. Evaporador muito grande. Tubulações dimensionadas incorretamente. Não condensáveis no sis- tema. Excesso de fluido refrige- rante. Recirculação de ar no con- densador. Vazão de água insuficien- te no condensador. Válvula de serviço de des- carga parcialmente fecha- da. Ventilador do condensador inoperante. Pressostato de alta desre- gulado. Sujeira no condensador. Falta de fluido refrigerante. Válvula de expansão com defeito. Bulbo da válvula de expan- são sem contato. Válvula de expansão mui- to aberta ou muito grande. Tubulações dimensionadas incorretamente. Condensador pequeno. Corrija possíveis vazamentos e acres- cente fluido refrigerante. Regule a válvula de expansão se ne- cessário substitua-a. Substitua-o a válvula de expansão. Limpe a válvula de expansão. Substitua-a pelo modelo correto. Redimencione o diâmetro das tubula- ções, principalmente a tubulação de sucção e substitua-as. Remova os não condensáveis. Recolha o fluido refrigerante em exces- so. OBS.: Não o jogue na atmosfera. Reposicione o condensador ou provi- dencie ventilação adicional na casa de máquinas. Verifique o dimensionamento e o fun- cionamento da bomba de água de con- densação. Verifique se a tubulação de água de condensação não está parci- almente entupida. Abra a válvula de serviço de descarga. Verifique se o ventilador está queima- do. Regule o pressostato de alta pressão. Limpe o condensador. Para condensar água, promova o varetamento dos tu- bos. Corrija possíveis vazamentos e acres- cente fluido refrigerante. Substitua a válvula de expansão. Posicione corretamente o bulbo da vál- vula de expansão e isole-o termicamen- te. Verifique e corrija a posição do bulbo, regule a válvula de expansão. Se ne- cessário substitua-a . Redimensione o diâmetro das tubula- ções e substitua-as. Redimensione o condensador e subs- titua-o. Provoca a deteriora- ção do lubrificante, desgaste prematuro das peças móveis e travamento do com- pressor, gerando: Quebra de palhetas de sucção; Quebra de palhetas de descarga; Danos nos pistões; Danos nos cilindros; Quebra de juntas; Danos nas placa de válvulas; Danos nas buchas; Danos no virabre- quim; Queima do estator.
  • 25. 25MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS ALTA TEMPERATURA DE DESCARGA Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências Filtro secador da linha de líquido obstruido. Válvula de expansão mui- to aberta ou muito grande. Evaporador sujo ou conge- lado. Ventilador do evaporador inoperante. Filtro secador da linha de líquido obstruido. Linha de sucção obstruida ou com perda de carga ex- cessiva. Temperatura de condensa- ção muito baixa. Vazamento da carga do bulbo da válvula de expan- são. Falta de fluido refrigerante. Temperatura ambiente mui- to baixa. Substitua o filtro secador da línha de líquido. Verifique e corrija a posição do bulbo, regule a válvula de expansão. Se ne- cessário substitua-a . Limpe o evaporador. Verifique o funci- onamento do sistema de degelo e re- gule-o. Verifique se o ventilador está queima- do. Substitua o filtro secador da línha de líquido. Verifique se o diâmetro da tubulação de sucção está correto. Verifique se não há excesso de solda obstruindo a tu- bulação. Verifique a perda de carga do filtro de sucção, preferencialmente uti- lizando elemento de feltro. Verifique se o condensador não é mui- to grande para o sistema. Instale um controle de condensação. Verifique o funcionamento do controle de conden- sação. Substitua a válvula de expansão. Corrija possíveis vazamentos e acres- cente fluido refrigerante. Instale válvula reguladora de pressão de sucção. Provoca a deteriora- ção do lubrificante, desgaste prematuro das peças móveis e travamento do com- pressor, gerando: Quebra de palhetas de sucção; Quebra de palhetas de descarga; Danos nos pistões; Danos nos cilindros; Quebra de juntas; Danos nas placa de válvulas; Danos nas buchas; Danos no virabre- quim; Queima do estator. Pressão de sucção muito baixa.
  • 26. 26 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS FALTA DE ÓLEO Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências Compressor com perda de óleo. Compressor operando em vácuo. Retorno de fluido refrige- rante líquido. Tubulações dimensionadas incorretamente, sifões au- sentes ou instalados incor- retamente. Número excessivo de par- tidas. Falta de separador de óleo ou separador de óleo pe- queno. Falta de fluido refrigerante. Verifique e regule o pressostato de bai- xa pressão, caso necessário substitua- o. Verifique se há falta de fluido refrige- rante, corrija possíveis vazamentos e acrescente fluido refrigerante. Regule o superaquecimento. Redimensione o diâmetro das tubula- ções, principalmente a tubulação de sucção e substitua-as. Instar e Posici- one corretamente os sifões. Regule o pressostato de baixa pressão. Verifique se há vazamento de fluído refrigerante, corrija possíves vazamen- tos e acrescente fluido refrigerante. Verifique se o compressor é muito gran- de para o sistema, substiua-o por um menor caso necessário. Verifique o tamanho do separador de óleo, subistitua-o, caso necessário. OBS.: acrescente óleo no separador de óleo de acordo com o orientado pelo fabricante. Corrija possíveis vazamentos e acres- cente fluido refrigerante. Provoca o travamen- to do compressor, ge- rando: Danos nos pistões; Danos nos cilindros; Danos nas placa de válvulas; Danos nas buchas; Danos no virabre- quim; Queima do estator.
  • 27. 27MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS SISTEMA CONTAMINADO Problema Causas Prováveis Ação Corretiva Consequências A presença de umidade no siste- ma causa a formação de óxido de cobre, óxido de ferro, corrosão, de- compõe o lubrificante e o refrige- rante gerando acidez, que atacará o vernis do enrolamento do motor. As consequências acima provo- cam: Queima do estator; Queda do rendimento do sistema; Deteriora- ção do óleo; Travamento do com- pressor. A presença de não condensáveis no sistema provoca alta pressão de descarga e degradação do óleo, gerando alta temperatura de des- carga, provocando: Queima do estator; Queda do rendimento do sistema; Deterioração do óleo; Tra- vamento do compressor. A presença de impureza no siste- ma provoca a contaminação do lu- brificante, gerando: Queima do estator; Queda do rendimento do sistema; Deterioração do óleo; Tra- vamento do compressor. A utilização de óleo incorreto pro- voca: Falta de lubrificação; Quei- ma do estator; Travamento do com- pressor. Faça o vácuo no sistema até 1000 micros, quebrar o vácuo com o próprio refrigerante, fazer o vácuo novamente até 200 microns, des- ligar a bomba de vácuo. O nível de vácuo deve permanecer sem alteração por pelo menos uma para garantir-se que não há va- zamentos na instalação. OBS.: O vácuo deve ser medido com va- cuômetro. Realize limpeza do sistema atra- vés de circulação forçada de R- 141B. Após fazer vácuo conforme descrito acima. Realizar limpeza do sistema atra- vés de circulação forçada de R- 141B. Após fazer o vácuo confor- me descrito acima. Realize limpeza do sistema atra- vés de circulação forçada de R- 141B. Substitua o lubrificante, pelo indicado pelo fabricante. Após fazer o vácuo conforme des- crito acima. Negligência na realização de vácuo ideal. Negligência na realização de limpeza ideal. Negligência na realização de limpeza ideal. Negligência na aplicação do compressor ou do óleo. Umidade Excessiva. Não condensá- veis no siste- ma. Impurezas no sistema. Óleo incorreto.
  • 28. 28 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE COMPRESSORES E UNIDADES CONDENSADORAS Anotações