SlideShare uma empresa Scribd logo
Manual de Sobrevivência na Terra

       Daremos como exemplo um desastre aéreo, onde os sobreviventes encontram-se em
lugar ermo e inóspito, sem sinais de civilização:

1 – Primeiros Procedimentos

        a) verifique, no caso de acidente, se há pessoas inconscientes, feridas e a gravidade
das lesões; geralmente, os que gritam estão em melhor estado aos que apresentam-se
inconscientes; tome muito cuidado com o combustível da aeronave, e só tenha certeza da
segurança quando o combustível derramado evaporar-se por completo;
        b) providencie os primeiros socorros; as vítimas mais graves deverão sêr atendidas
prioritariamente (como as que apresentam grandes hemorragias). Procure deitar ou recostar
os feridos em posição que lhes dêem alívio ou conforto;
        c) a remoção dos feridos do objeto do acidente (avião) será feita com todo o cuidado,
principalmente tratando-se de casos de traumas, quando deverá atentar-se para a
integridade da coluna do acidentado;
        d) providencie logo após proteção contra o vento, chuva, frio e insetos para todos,
mas priorizando os feridos;
        e) arme, o mais rápido que puder, com o auxílio de outros integrantes da jornada, um
abrigo temporário, onde poderão sêr usados materiais do objeto do acidente ou bagagem
dos passageiros, ou, na ausência deles, galhos ramados, pedras, madeira, etc.; procure
indícios de civilização pelo local;
        f) verifique o estado do rádio, GPS, bússola e baterias da aeronave;
        g) Procure e estoque todo tipo de provisão, como água e comida;
        h) se necessário for fazer uma fogueira, não perca tempo, tomando os devidos
cuidados com a mata e com os destroços do objeto sinistrado, que ainda contém
combustível;
        i) trate de organizar o acampamento; a cada indivíduo válido, dê um encargo ou
encargos a cumprir (isto fará que os mantenham ocupados, amenizando o medo). Coloque
toda a provisão de boca e o equipamento a cargo de um só indivíduo;
        j) procure juntar todo o material combustível que puder;
        k) procure uma fonte d’água potável;
        l) descubra se nas vizinhanças do local sinistrado existem animais ou plantas
comestíveis;
        m) de início a um diário. Registre a data, as condições do tempo e causas prováveis
do acidente; o local estimado; nome dos integrantes do sinistro; as provisões existentes,
assim como a água e equipamentos;
        n) montar acampamento próximo ao objeto do sinistro é sempre a melhor opção, por
ser mais fácil de ser encontrado por equipes de busca. Só abandone o local quando tiver
certeza de que se encontra a pouca distância (a pé) do socorro.




   Manual de Sobrevivência na Terra.sxw                                        Página 1 de 3
1.1 - Sinalização

        É muito difícil avistar do ar um homem ou um grupo no mato. Por isso, os
procedimentos de sinalização é um tópico vital para pessoas perdidas ou sinistradas. Sendo
assim, procure entrar em contato com o “mundo exterior” sem perda de tempo.
• espelho: sempre que uma aeronave de busca estiver com o sol atrás de si, é grande a
   possibilidade da equipe avistar o reflexo de um espelho emitindo sinais; na falta de um
   espelho, pode-se usar uma lata polida;
• fogueira: procure manter uma fogueira sempre acesa, para o caso de uma equipe de
   salvamento aparecer de repente, podendo avistá-lo durante o dia (fumaça) ou noite
   (chama);
• sinais terra-ar: os sinais deverão sêr construídos em local aberto e, preferencialmente,
   livre de vegetação. Pode-se usar panos, madeira, destroços, sulcos na terra, etc. Ao
   dispor de sinais (símbolos) no chão, faça-os em dimensões avantajadas, para poderem
   sêr vistos do ar.

1.3 - Provisões

Água

       A água será uma das necessidades mais importantes. A primeira providência após
cuidar dos feridos e estabelecer os abrigos, será a de procurar água; o ser-humano pode
viver semanas sem alimento, mas, sem água, vive-se muito pouco. Para manter-se, mesmo
em baixas temperaturas, o organismo humano precisa de pelo menos dois litros de água
diários; sua falta leva o homem à falta de eficiência física, baixando consideravelmente sua
resistência, induzindo-o à desidratação acelerada e, consequentemente, à morte.
       Toda água deverá ser purificada antes de consumida:
       Fervura: ferver durante pelo menos um minuto;
       Iodo: adicionar pelo menos oito gotas de tintura de iodo para cada litro d’água e
esperar durante trinta minutos, antes de beber. A água da chuva, quando captada por meio
de vasílhas limpas ou por plantas, geralmente pode ser ingerida sem qualquer purificação.
       A urina e a água do mar não servem para beber. O conteúdo de sal nelas presentes é
demasiadamente alto, agravando consideravelmente a situação do sobrevivente.

Alimentos

       Se a quantidade de água disponível for de um cantil diário por homem, será
necessário evitar o consumo de alimentos farinhosos, secos e condimentados;
       Procure comer pelo menos uma vez ao dia (o ideal é duas);
procure alimentos silvestres, que deverão sêr ingeridos quentes (alimentos cozidos oferecem
menor risco), pois são fáceis de digerir e de melhor sabor. O tempo que passar no preparo
dos alimentos ajuda a descansar o corpo e a mente.
       Todo alimento que contém amido deve ser cozido, pois cru é indigesto.




   Manual de Sobrevivência na Terra.sxw                                       Página 2 de 3
Fogo

       Você necessitará do fogo para cozer e também sinalizar.
       Não faça uma fogueira grande demais; as pequenas exigem pouco combustível e são
fáceis de controlar.
       No tempo frio, pequenas fogueiras dispostas em volta de um indivíduo produzem
efeito muito melhor que uma só grande fogueira.
       Se a fogueira tiver de ser acesa sobre solo molhado, prepare uma plataforma de
pedras chatas.
       No caso de você não possuir fósforos, utilize galhos secos, friccionando-os junto à
folhagem ou papel também secos. Pode-se usar também pedras duras e lisas para obter
fogo através de faíscas.

Utensílios

      Se você não tiver a disposição panelas ou outros utensílios para preparar alimentos,
pode-se improvisá-los por meio de pedras chatas ou destroços.
      É possível também fabricar panelas com barro, modelando-o ainda úmido e, após sua
secagem, queimando-o para endurecer.

Vestuário

       Não se desfaça de qualquer tipo de roupa ou pano. A roupa pode proteger do frio, do
calor, da chuva, de queimaduras pelo sol e de insetos.
       Mantenha sua roupa sempre limpa, pois assim ela durará mais e terá maior poder de
isolamento.




   Manual de Sobrevivência na Terra.sxw                                      Página 3 de 3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRAApresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
ecolealcamara
 
Tartarugas marinhas
Tartarugas marinhasTartarugas marinhas
Tartarugas marinhas
Luis Torre
 
Fatores abióticos - humidade
  Fatores abióticos - humidade  Fatores abióticos - humidade
Fatores abióticos - humidade
Ana Castro
 
Sobreviver nos tropicos e no deserto
Sobreviver nos tropicos e no desertoSobreviver nos tropicos e no deserto
Sobreviver nos tropicos e no deserto
Daniel Cepa
 
Ler o mar diogo e pedro 5ºc
Ler o mar   diogo e pedro 5ºcLer o mar   diogo e pedro 5ºc
Ler o mar diogo e pedro 5ºc
ruthgms
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Paula Oliveira Cruz
 

Mais procurados (6)

Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRAApresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
Apresentação peixes SERMÃO Pd ANTÓNIO VIEIRA
 
Tartarugas marinhas
Tartarugas marinhasTartarugas marinhas
Tartarugas marinhas
 
Fatores abióticos - humidade
  Fatores abióticos - humidade  Fatores abióticos - humidade
Fatores abióticos - humidade
 
Sobreviver nos tropicos e no deserto
Sobreviver nos tropicos e no desertoSobreviver nos tropicos e no deserto
Sobreviver nos tropicos e no deserto
 
Ler o mar diogo e pedro 5ºc
Ler o mar   diogo e pedro 5ºcLer o mar   diogo e pedro 5ºc
Ler o mar diogo e pedro 5ºc
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 

Destaque

Manual de Sobrevivência na Selva
Manual de Sobrevivência na SelvaManual de Sobrevivência na Selva
Manual de Sobrevivência na Selva
Paulo Mello
 
R.o relatório de ocorrência operacional
R.o   relatório de ocorrência operacionalR.o   relatório de ocorrência operacional
R.o relatório de ocorrência operacional
Paulo Mello
 
Exercito Brasileiro - Manual de Sobrevivencia na Selva
Exercito Brasileiro - Manual de Sobrevivencia na SelvaExercito Brasileiro - Manual de Sobrevivencia na Selva
Exercito Brasileiro - Manual de Sobrevivencia na Selva
Jeferson Espindola
 
Armas Improvisadas
Armas ImprovisadasArmas Improvisadas
Armas Improvisadas
Paulo Mello
 
Manual de sobrevivência - Vol: 1
Manual de sobrevivência - Vol: 1Manual de sobrevivência - Vol: 1
Manual de sobrevivência - Vol: 1
Francis Monteiro da Rocha
 
Arma filipina
Arma filipinaArma filipina
Arma filipina
Paulo Mello
 
Manual de Padrões de Seguranca 5 s
Manual de Padrões de Seguranca 5 sManual de Padrões de Seguranca 5 s
Manual de Padrões de Seguranca 5 s
Paulo Mello
 
Cartilha do 1º DP Polícia Civil Dicas de Segurança
Cartilha do 1º DP Polícia Civil Dicas de SegurançaCartilha do 1º DP Polícia Civil Dicas de Segurança
Cartilha do 1º DP Polícia Civil Dicas de Segurança
Paulo Mello
 
Cartilha da Polícia Federal
Cartilha da Polícia FederalCartilha da Polícia Federal
Cartilha da Polícia Federal
Paulo Mello
 
Manual de Arma Branca de Combate Sotai Fighter
Manual de Arma Branca de Combate   Sotai FighterManual de Arma Branca de Combate   Sotai Fighter
Manual de Arma Branca de Combate Sotai Fighter
Paulo Mello
 
Manual de Facatanto
Manual de FacatantoManual de Facatanto
Manual de Facatanto
Paulo Mello
 
Manual do guerreiro urbano
Manual do guerreiro  urbanoManual do guerreiro  urbano
Manual do guerreiro urbano
Paulo Mello
 
Teste palo
Teste paloTeste palo
Teste palo
luisaevitor
 
Kit de Sobrevivência do Guerreiro
Kit de Sobrevivência do GuerreiroKit de Sobrevivência do Guerreiro
Kit de Sobrevivência do Guerreiro
Paulo Mello
 
Defesa pessoal comentatada parte i e ii
Defesa pessoal comentatada parte i e iiDefesa pessoal comentatada parte i e ii
Defesa pessoal comentatada parte i e ii
Paulo Mello
 
Combate com Facas ( dicas )
Combate com Facas ( dicas )Combate com Facas ( dicas )
Combate com Facas ( dicas )
Paulo Mello
 
Bastão retrátil
Bastão retrátilBastão retrátil
Bastão retrátil
Paulo Mello
 
Filosofia do Combate
Filosofia do CombateFilosofia do Combate
Filosofia do Combate
Paulo Mello
 
Manhas e Artimanhas para psicotéstes
Manhas e Artimanhas para psicotéstesManhas e Artimanhas para psicotéstes
Manhas e Artimanhas para psicotéstes
E ai?
 
Direitos do consumidor lei 8078 09 90 atualizado 280709.
Direitos do consumidor lei 8078 09 90 atualizado 280709.Direitos do consumidor lei 8078 09 90 atualizado 280709.
Direitos do consumidor lei 8078 09 90 atualizado 280709.
Paulo Mello
 

Destaque (20)

Manual de Sobrevivência na Selva
Manual de Sobrevivência na SelvaManual de Sobrevivência na Selva
Manual de Sobrevivência na Selva
 
R.o relatório de ocorrência operacional
R.o   relatório de ocorrência operacionalR.o   relatório de ocorrência operacional
R.o relatório de ocorrência operacional
 
Exercito Brasileiro - Manual de Sobrevivencia na Selva
Exercito Brasileiro - Manual de Sobrevivencia na SelvaExercito Brasileiro - Manual de Sobrevivencia na Selva
Exercito Brasileiro - Manual de Sobrevivencia na Selva
 
Armas Improvisadas
Armas ImprovisadasArmas Improvisadas
Armas Improvisadas
 
Manual de sobrevivência - Vol: 1
Manual de sobrevivência - Vol: 1Manual de sobrevivência - Vol: 1
Manual de sobrevivência - Vol: 1
 
Arma filipina
Arma filipinaArma filipina
Arma filipina
 
Manual de Padrões de Seguranca 5 s
Manual de Padrões de Seguranca 5 sManual de Padrões de Seguranca 5 s
Manual de Padrões de Seguranca 5 s
 
Cartilha do 1º DP Polícia Civil Dicas de Segurança
Cartilha do 1º DP Polícia Civil Dicas de SegurançaCartilha do 1º DP Polícia Civil Dicas de Segurança
Cartilha do 1º DP Polícia Civil Dicas de Segurança
 
Cartilha da Polícia Federal
Cartilha da Polícia FederalCartilha da Polícia Federal
Cartilha da Polícia Federal
 
Manual de Arma Branca de Combate Sotai Fighter
Manual de Arma Branca de Combate   Sotai FighterManual de Arma Branca de Combate   Sotai Fighter
Manual de Arma Branca de Combate Sotai Fighter
 
Manual de Facatanto
Manual de FacatantoManual de Facatanto
Manual de Facatanto
 
Manual do guerreiro urbano
Manual do guerreiro  urbanoManual do guerreiro  urbano
Manual do guerreiro urbano
 
Teste palo
Teste paloTeste palo
Teste palo
 
Kit de Sobrevivência do Guerreiro
Kit de Sobrevivência do GuerreiroKit de Sobrevivência do Guerreiro
Kit de Sobrevivência do Guerreiro
 
Defesa pessoal comentatada parte i e ii
Defesa pessoal comentatada parte i e iiDefesa pessoal comentatada parte i e ii
Defesa pessoal comentatada parte i e ii
 
Combate com Facas ( dicas )
Combate com Facas ( dicas )Combate com Facas ( dicas )
Combate com Facas ( dicas )
 
Bastão retrátil
Bastão retrátilBastão retrátil
Bastão retrátil
 
Filosofia do Combate
Filosofia do CombateFilosofia do Combate
Filosofia do Combate
 
Manhas e Artimanhas para psicotéstes
Manhas e Artimanhas para psicotéstesManhas e Artimanhas para psicotéstes
Manhas e Artimanhas para psicotéstes
 
Direitos do consumidor lei 8078 09 90 atualizado 280709.
Direitos do consumidor lei 8078 09 90 atualizado 280709.Direitos do consumidor lei 8078 09 90 atualizado 280709.
Direitos do consumidor lei 8078 09 90 atualizado 280709.
 

Semelhante a Manual de Sobrevivência na Terra

Acampamento 1 com alguns erros espc.pptx
Acampamento 1 com alguns erros espc.pptxAcampamento 1 com alguns erros espc.pptx
Acampamento 1 com alguns erros espc.pptx
nicollascavy91
 
Guia de minimo impacto em ambientes naturais
Guia de minimo impacto em ambientes naturaisGuia de minimo impacto em ambientes naturais
Guia de minimo impacto em ambientes naturais
Celso Denis de Lima
 
biossegurança saida de campo
biossegurança saida de campobiossegurança saida de campo
biossegurança saida de campo
Adila Trubat
 
Conhecimentos basico de sobrevivencia
Conhecimentos basico de sobrevivenciaConhecimentos basico de sobrevivencia
Conhecimentos basico de sobrevivencia
Daniel Cepa
 
Manual de sobrevivência_02
Manual de sobrevivência_02Manual de sobrevivência_02
Manual de sobrevivência_02
Jorge Silva
 
Mnl sv2
Mnl sv2Mnl sv2
Mnl sv2
Felipe Rocha
 
Excursionismo pedestre com mochila respostas
Excursionismo pedestre com mochila respostasExcursionismo pedestre com mochila respostas
Excursionismo pedestre com mochila respostas
Ismael Rosa
 
Manual de sobrevivência - Vol: 2
Manual de sobrevivência - Vol: 2Manual de sobrevivência - Vol: 2
Manual de sobrevivência - Vol: 2
Francis Monteiro da Rocha
 
Acampamento
AcampamentoAcampamento
Acampamento 1
Acampamento 1Acampamento 1
Acampamento 1
Ismael Rosa
 
Especialidade Arte de Acampar- Memes Desbravadores
Especialidade Arte de Acampar- Memes Desbravadores Especialidade Arte de Acampar- Memes Desbravadores
Especialidade Arte de Acampar- Memes Desbravadores
Lucas Mymo
 
A descoberta de si mesmo a segurana do corpo
A descoberta de si mesmo a segurana do corpoA descoberta de si mesmo a segurana do corpo
A descoberta de si mesmo a segurana do corpo
Ana Ribeiro
 
Dinâmica de salvamento
Dinâmica de salvamentoDinâmica de salvamento
Dinâmica de salvamento
Home Office Oxe!
 
Terrrio 121127005022-phpapp01
Terrrio 121127005022-phpapp01Terrrio 121127005022-phpapp01
Terrrio 121127005022-phpapp01
Luiza Kmaz
 
Dinâmica de abertura
Dinâmica de aberturaDinâmica de abertura
Dinâmica de abertura
Shirley Lauria
 
fdocumentos.tips_sobrevivencia-no-mar.ppt
fdocumentos.tips_sobrevivencia-no-mar.pptfdocumentos.tips_sobrevivencia-no-mar.ppt
fdocumentos.tips_sobrevivencia-no-mar.ppt
sampagamerbr
 
Matéria de Especialidade - Acampamento 1
Matéria de Especialidade - Acampamento 1Matéria de Especialidade - Acampamento 1
Matéria de Especialidade - Acampamento 1
Filhos da Rocha
 
Inundacoes aut
Inundacoes autInundacoes aut
Inundacoes aut
becastanheiradepera
 
Dicas para caminhadas
Dicas para caminhadasDicas para caminhadas
Dicas para caminhadas
Ismael Rosa
 
Especialidade Excursionismo Pedestre com Mochila
Especialidade Excursionismo Pedestre com MochilaEspecialidade Excursionismo Pedestre com Mochila
Especialidade Excursionismo Pedestre com Mochila
Filhos da Rocha
 

Semelhante a Manual de Sobrevivência na Terra (20)

Acampamento 1 com alguns erros espc.pptx
Acampamento 1 com alguns erros espc.pptxAcampamento 1 com alguns erros espc.pptx
Acampamento 1 com alguns erros espc.pptx
 
Guia de minimo impacto em ambientes naturais
Guia de minimo impacto em ambientes naturaisGuia de minimo impacto em ambientes naturais
Guia de minimo impacto em ambientes naturais
 
biossegurança saida de campo
biossegurança saida de campobiossegurança saida de campo
biossegurança saida de campo
 
Conhecimentos basico de sobrevivencia
Conhecimentos basico de sobrevivenciaConhecimentos basico de sobrevivencia
Conhecimentos basico de sobrevivencia
 
Manual de sobrevivência_02
Manual de sobrevivência_02Manual de sobrevivência_02
Manual de sobrevivência_02
 
Mnl sv2
Mnl sv2Mnl sv2
Mnl sv2
 
Excursionismo pedestre com mochila respostas
Excursionismo pedestre com mochila respostasExcursionismo pedestre com mochila respostas
Excursionismo pedestre com mochila respostas
 
Manual de sobrevivência - Vol: 2
Manual de sobrevivência - Vol: 2Manual de sobrevivência - Vol: 2
Manual de sobrevivência - Vol: 2
 
Acampamento
AcampamentoAcampamento
Acampamento
 
Acampamento 1
Acampamento 1Acampamento 1
Acampamento 1
 
Especialidade Arte de Acampar- Memes Desbravadores
Especialidade Arte de Acampar- Memes Desbravadores Especialidade Arte de Acampar- Memes Desbravadores
Especialidade Arte de Acampar- Memes Desbravadores
 
A descoberta de si mesmo a segurana do corpo
A descoberta de si mesmo a segurana do corpoA descoberta de si mesmo a segurana do corpo
A descoberta de si mesmo a segurana do corpo
 
Dinâmica de salvamento
Dinâmica de salvamentoDinâmica de salvamento
Dinâmica de salvamento
 
Terrrio 121127005022-phpapp01
Terrrio 121127005022-phpapp01Terrrio 121127005022-phpapp01
Terrrio 121127005022-phpapp01
 
Dinâmica de abertura
Dinâmica de aberturaDinâmica de abertura
Dinâmica de abertura
 
fdocumentos.tips_sobrevivencia-no-mar.ppt
fdocumentos.tips_sobrevivencia-no-mar.pptfdocumentos.tips_sobrevivencia-no-mar.ppt
fdocumentos.tips_sobrevivencia-no-mar.ppt
 
Matéria de Especialidade - Acampamento 1
Matéria de Especialidade - Acampamento 1Matéria de Especialidade - Acampamento 1
Matéria de Especialidade - Acampamento 1
 
Inundacoes aut
Inundacoes autInundacoes aut
Inundacoes aut
 
Dicas para caminhadas
Dicas para caminhadasDicas para caminhadas
Dicas para caminhadas
 
Especialidade Excursionismo Pedestre com Mochila
Especialidade Excursionismo Pedestre com MochilaEspecialidade Excursionismo Pedestre com Mochila
Especialidade Excursionismo Pedestre com Mochila
 

Mais de Paulo Mello

Manual de Vigilante - Curso de Formação
Manual de Vigilante - Curso de FormaçãoManual de Vigilante - Curso de Formação
Manual de Vigilante - Curso de Formação
Paulo Mello
 
Cartilha de Escolta Armada
Cartilha de Escolta ArmadaCartilha de Escolta Armada
Cartilha de Escolta Armada
Paulo Mello
 
Cartilha Casa Segura inmetro
Cartilha Casa Segura inmetroCartilha Casa Segura inmetro
Cartilha Casa Segura inmetro
Paulo Mello
 
Manual Prático de Afiação de Lâminas
Manual Prático de Afiação de LâminasManual Prático de Afiação de Lâminas
Manual Prático de Afiação de Lâminas
Paulo Mello
 
Manual do Guerreiro Urbano
Manual do Guerreiro UrbanoManual do Guerreiro Urbano
Manual do Guerreiro Urbano
Paulo Mello
 
Manual de Sobrevivência.
Manual de Sobrevivência.Manual de Sobrevivência.
Manual de Sobrevivência.
Paulo Mello
 
Kombato
KombatoKombato
Kombato
Paulo Mello
 
Kit de Sobrevivência
Kit de SobrevivênciaKit de Sobrevivência
Kit de Sobrevivência
Paulo Mello
 
Defesa com Facas
Defesa com FacasDefesa com Facas
Defesa com Facas
Paulo Mello
 
Armas FBI
Armas FBIArmas FBI
Armas FBI
Paulo Mello
 
Apostila defessa pessoal
Apostila defessa pessoalApostila defessa pessoal
Apostila defessa pessoal
Paulo Mello
 
Defesa pessoal comentada para profissionais de segurança privada
Defesa pessoal comentada   para profissionais de segurança privadaDefesa pessoal comentada   para profissionais de segurança privada
Defesa pessoal comentada para profissionais de segurança privada
Paulo Mello
 
Boletim de Ocorrência de Acidente de Trânsito
Boletim de Ocorrência de Acidente de TrânsitoBoletim de Ocorrência de Acidente de Trânsito
Boletim de Ocorrência de Acidente de Trânsito
Paulo Mello
 

Mais de Paulo Mello (13)

Manual de Vigilante - Curso de Formação
Manual de Vigilante - Curso de FormaçãoManual de Vigilante - Curso de Formação
Manual de Vigilante - Curso de Formação
 
Cartilha de Escolta Armada
Cartilha de Escolta ArmadaCartilha de Escolta Armada
Cartilha de Escolta Armada
 
Cartilha Casa Segura inmetro
Cartilha Casa Segura inmetroCartilha Casa Segura inmetro
Cartilha Casa Segura inmetro
 
Manual Prático de Afiação de Lâminas
Manual Prático de Afiação de LâminasManual Prático de Afiação de Lâminas
Manual Prático de Afiação de Lâminas
 
Manual do Guerreiro Urbano
Manual do Guerreiro UrbanoManual do Guerreiro Urbano
Manual do Guerreiro Urbano
 
Manual de Sobrevivência.
Manual de Sobrevivência.Manual de Sobrevivência.
Manual de Sobrevivência.
 
Kombato
KombatoKombato
Kombato
 
Kit de Sobrevivência
Kit de SobrevivênciaKit de Sobrevivência
Kit de Sobrevivência
 
Defesa com Facas
Defesa com FacasDefesa com Facas
Defesa com Facas
 
Armas FBI
Armas FBIArmas FBI
Armas FBI
 
Apostila defessa pessoal
Apostila defessa pessoalApostila defessa pessoal
Apostila defessa pessoal
 
Defesa pessoal comentada para profissionais de segurança privada
Defesa pessoal comentada   para profissionais de segurança privadaDefesa pessoal comentada   para profissionais de segurança privada
Defesa pessoal comentada para profissionais de segurança privada
 
Boletim de Ocorrência de Acidente de Trânsito
Boletim de Ocorrência de Acidente de TrânsitoBoletim de Ocorrência de Acidente de Trânsito
Boletim de Ocorrência de Acidente de Trânsito
 

Último

Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 

Último (7)

Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 

Manual de Sobrevivência na Terra

  • 1. Manual de Sobrevivência na Terra Daremos como exemplo um desastre aéreo, onde os sobreviventes encontram-se em lugar ermo e inóspito, sem sinais de civilização: 1 – Primeiros Procedimentos a) verifique, no caso de acidente, se há pessoas inconscientes, feridas e a gravidade das lesões; geralmente, os que gritam estão em melhor estado aos que apresentam-se inconscientes; tome muito cuidado com o combustível da aeronave, e só tenha certeza da segurança quando o combustível derramado evaporar-se por completo; b) providencie os primeiros socorros; as vítimas mais graves deverão sêr atendidas prioritariamente (como as que apresentam grandes hemorragias). Procure deitar ou recostar os feridos em posição que lhes dêem alívio ou conforto; c) a remoção dos feridos do objeto do acidente (avião) será feita com todo o cuidado, principalmente tratando-se de casos de traumas, quando deverá atentar-se para a integridade da coluna do acidentado; d) providencie logo após proteção contra o vento, chuva, frio e insetos para todos, mas priorizando os feridos; e) arme, o mais rápido que puder, com o auxílio de outros integrantes da jornada, um abrigo temporário, onde poderão sêr usados materiais do objeto do acidente ou bagagem dos passageiros, ou, na ausência deles, galhos ramados, pedras, madeira, etc.; procure indícios de civilização pelo local; f) verifique o estado do rádio, GPS, bússola e baterias da aeronave; g) Procure e estoque todo tipo de provisão, como água e comida; h) se necessário for fazer uma fogueira, não perca tempo, tomando os devidos cuidados com a mata e com os destroços do objeto sinistrado, que ainda contém combustível; i) trate de organizar o acampamento; a cada indivíduo válido, dê um encargo ou encargos a cumprir (isto fará que os mantenham ocupados, amenizando o medo). Coloque toda a provisão de boca e o equipamento a cargo de um só indivíduo; j) procure juntar todo o material combustível que puder; k) procure uma fonte d’água potável; l) descubra se nas vizinhanças do local sinistrado existem animais ou plantas comestíveis; m) de início a um diário. Registre a data, as condições do tempo e causas prováveis do acidente; o local estimado; nome dos integrantes do sinistro; as provisões existentes, assim como a água e equipamentos; n) montar acampamento próximo ao objeto do sinistro é sempre a melhor opção, por ser mais fácil de ser encontrado por equipes de busca. Só abandone o local quando tiver certeza de que se encontra a pouca distância (a pé) do socorro. Manual de Sobrevivência na Terra.sxw Página 1 de 3
  • 2. 1.1 - Sinalização É muito difícil avistar do ar um homem ou um grupo no mato. Por isso, os procedimentos de sinalização é um tópico vital para pessoas perdidas ou sinistradas. Sendo assim, procure entrar em contato com o “mundo exterior” sem perda de tempo. • espelho: sempre que uma aeronave de busca estiver com o sol atrás de si, é grande a possibilidade da equipe avistar o reflexo de um espelho emitindo sinais; na falta de um espelho, pode-se usar uma lata polida; • fogueira: procure manter uma fogueira sempre acesa, para o caso de uma equipe de salvamento aparecer de repente, podendo avistá-lo durante o dia (fumaça) ou noite (chama); • sinais terra-ar: os sinais deverão sêr construídos em local aberto e, preferencialmente, livre de vegetação. Pode-se usar panos, madeira, destroços, sulcos na terra, etc. Ao dispor de sinais (símbolos) no chão, faça-os em dimensões avantajadas, para poderem sêr vistos do ar. 1.3 - Provisões Água A água será uma das necessidades mais importantes. A primeira providência após cuidar dos feridos e estabelecer os abrigos, será a de procurar água; o ser-humano pode viver semanas sem alimento, mas, sem água, vive-se muito pouco. Para manter-se, mesmo em baixas temperaturas, o organismo humano precisa de pelo menos dois litros de água diários; sua falta leva o homem à falta de eficiência física, baixando consideravelmente sua resistência, induzindo-o à desidratação acelerada e, consequentemente, à morte. Toda água deverá ser purificada antes de consumida: Fervura: ferver durante pelo menos um minuto; Iodo: adicionar pelo menos oito gotas de tintura de iodo para cada litro d’água e esperar durante trinta minutos, antes de beber. A água da chuva, quando captada por meio de vasílhas limpas ou por plantas, geralmente pode ser ingerida sem qualquer purificação. A urina e a água do mar não servem para beber. O conteúdo de sal nelas presentes é demasiadamente alto, agravando consideravelmente a situação do sobrevivente. Alimentos Se a quantidade de água disponível for de um cantil diário por homem, será necessário evitar o consumo de alimentos farinhosos, secos e condimentados; Procure comer pelo menos uma vez ao dia (o ideal é duas); procure alimentos silvestres, que deverão sêr ingeridos quentes (alimentos cozidos oferecem menor risco), pois são fáceis de digerir e de melhor sabor. O tempo que passar no preparo dos alimentos ajuda a descansar o corpo e a mente. Todo alimento que contém amido deve ser cozido, pois cru é indigesto. Manual de Sobrevivência na Terra.sxw Página 2 de 3
  • 3. Fogo Você necessitará do fogo para cozer e também sinalizar. Não faça uma fogueira grande demais; as pequenas exigem pouco combustível e são fáceis de controlar. No tempo frio, pequenas fogueiras dispostas em volta de um indivíduo produzem efeito muito melhor que uma só grande fogueira. Se a fogueira tiver de ser acesa sobre solo molhado, prepare uma plataforma de pedras chatas. No caso de você não possuir fósforos, utilize galhos secos, friccionando-os junto à folhagem ou papel também secos. Pode-se usar também pedras duras e lisas para obter fogo através de faíscas. Utensílios Se você não tiver a disposição panelas ou outros utensílios para preparar alimentos, pode-se improvisá-los por meio de pedras chatas ou destroços. É possível também fabricar panelas com barro, modelando-o ainda úmido e, após sua secagem, queimando-o para endurecer. Vestuário Não se desfaça de qualquer tipo de roupa ou pano. A roupa pode proteger do frio, do calor, da chuva, de queimaduras pelo sol e de insetos. Mantenha sua roupa sempre limpa, pois assim ela durará mais e terá maior poder de isolamento. Manual de Sobrevivência na Terra.sxw Página 3 de 3