SlideShare uma empresa Scribd logo
ÁREA DE CONHECIMENTO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS  NucMat ENERGIA MATERIAIS  CONSTRUÇÃO CIVIL GERENCIAMENTO INTEGRADO RSU Caracterização Resíduos Sólidos Industriais P+L Eficiência Energética Valorização de RS Uso no Concreto Uso em Mat. Cerâmicos Gerenc. Municipal Compostagem Reciclagem Aterro Sanitário Tratamento Lixiviado Pirólise CURSO ENG.  CIVIL CURSO ENG.  MECÂNICA MESTRADO
Projeto de Pesquisa principal: GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS 1) Caracterização Ambiental, Química, e Estrutural de Resíduos Sólidos Metalúrgicos 2) Produção Mais Limpa: * Minimização de Descarte de Areia de Fundição * Reutilização de resíduos  no processo de origem * Minimização da geração de pó metalúrgicos * Valorização de resíduos sólidos (outras aplicações)
EQUIPE 2005 (14) ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
2005 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
EQUIPE 2006 (14) ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PRODUÇÃO EM 2006 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
EQUIPE 2007 (14 + 2 ou 7) ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PREVISÃO PARA 2007 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PROJETO PRINCIPAL – GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS 2006/2007 PROJETO AEP-INOVA FEV/2007 – JAN/2008 PROJETO GKN JAN-DEZ/2007 GERENCIAMENTO FUNDIÇÕES JAN/2007 – JAN/2008 GUSA X SUCATA P+L DESCASCA LODO FOS E FQ GESTÃO AMBIENTAL P+L PROF. CARLOS = WAGNER (LASID) PROF. CARLOS E  FELICIANE PESQUISADORA  ADM. LISIANE REGENERAÇÃO PROF. WALTER PESQUISADOR  Dr. FRANCISCO PROF. FELICIANE PROF. CARLOS PROF. CARLOS BIC - PAULO PESQUISADOR  Dr.. FRANCISCO BIC - RODRIGO UNIBIC- JOICE BIC - PAULO PIBIC - ROSÂNGELA DAIANE UNIBIC - JOICE DAIANE RODRIGO PROFA. ANA ADM LISIANE UNIBIC - JOICE PROFA. ANA CONSULTORA ESTAGIÁRIA DAIANE ESTAGIÁRIO MARCELO PROJETO SGA/ RECICLA ALUMÍNIO PROF. CARLOS CARLOS DUTRA DAIANE BIC - RODRIGO BIC - RODRIGO
Minimização de resíduos com implementação do programa de produção mais limpa na industria   Gerenciamento de Resíduos Siderúrgicos   GERDAU AEP
FASE 1  Março  Abril  Maio FASE 3 Julho - Novembro FASE 2  Maio  Junho  Julho Reunião de Apresentação Familiarização com o processo Levantamento de dados Apresentação da ferramenta P+L Análise de dados Relatório Parcial 1 PRODUÇÃO MAIS LIMPA – AEP GERDAU Estudo de viabilidade Banco de Idéias Capacitação de grupo Sensibilização de colaboradores Marketing Implementação e monitoramento das propostas Já realizado Em andamento Em elaboração Relatório Parcial 2 Material informativo e de apoio
PRODUÇÃO MAIS LIMPA MINIMIZAÇÃO DE  RESÍDUOS E EMISSÕES REUSO DE RESÍDUOS, EFLUENTES E EMISSÕES NÍVEL 1 NÍVEL 2 NÍVEL 3 REDUÇÃO NA FONTE RECICLAGEM INTERNA RECICLAGEM EXTERNA CICLOS BIOGÊNICOS MODIFICAÇÃO NO PRODUTO MODIFICAÇÃO  NO PROCESSO ESTRUTURAS MATERIAIS BOAS PRÁTICAS DE P+L SUBSTITUIÇÃO DE MATÉRIAS- PRIMAS MODIFICAÇÃO TECNOLÓGICA Fonte: CNTL, 2001 FERRAMENTAS DO PROGRAMA
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Metodologia Nucmat
[object Object],Metodologia Nucmat
Sensibilização ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],Metodologia Nucmat
 
[object Object],[object Object],[object Object]
CONSIDERAÇÕES ,[object Object],[object Object]
Minimização de resíduos com implementação do programa de produção mais limpa na industria   Diagnóstico Ambiental em   Fundição   21 empresas, SEBRAE
EQUIPE ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
DIAGNÓSTICO REALIZADO EM 21 FUNDIÇÕES DO VALE DOS SINOS  NO PERÍODO DE JULHO/2006 – MARÇO/2007 32,6 7,5 51,9 28 40 16 21 76,1 17,5 33,3 18 47,5 19 20 32,6 11 44,4 24 45 18 19 32,6 7,5 46,3 25 17,5 7 18 43,5 10 53,7 29 ---- ---- 17 26,1 6 50 27 25 10 16 17,4 4 27,8 15 32,5 13 15 41,3 9,5 81,5 44 67,5 27 14 69,6 16 59,3 32 37,5 15 13 67,4 15,5 68,5 37 42,5 17 12 47,8 11 50 27 27,5 11 11 41,3 9,5 50 27 45 18 10 50,0 11,5 55,6 30 50 20 9 28,3 6,5 64,8 35 37,5 15 8 41,3 9,5 51,9 28 35 14 7 45,7 10,5 51,9 28 52,5 21 6 21,7 5 57,4 31 37,5 15 5 19,6 4,5 66,7 36 50 20 4 17,4 4 51,9 28 35 14 3 23,9 5,5 59,3 32 27,5 11 2 28,3 6,5 64,8 35 60 24 1 % AMBIENTAL % TECNOLÓGICA % EMPRESARIAL EMPRESAS
CONSIDERAÇÕES ,[object Object],[object Object]
Minimização de resíduos com implementação do programa de produção mais limpa na industria   Regeneração Termomecânica de areia usada de fundição   Apoio: Fundição Lorscheitter
Rodrigo Crippa Gaspar, e-mail: rcgaspar@terra.com.br Daiane Calheiro, e-mai:l dcalheiro@gmail.com Kátia Ross de Oliveira, e-mail: kaka@gmail.com Feliciane Andrade Brehm, e-mail: felicianeb@unisinos.br Carlos Alberto Mendes Moraes, e-mail: cmoraes@unisinos.br EQUIPE
RECUPERAÇÃO DE AREIA REGENERAÇÃO DE AREIA MINIMIZAÇÃO DE PERDAS RECICLAGEM EXTERNA SEQUÊNCIA DA PESQUISA  RECICLAGEM INTERNA A SER INICIADO EM AGOSTO AREIA VERDE NA  CONSTRUÇÃO CIVIL DIAGNÓSTICO IMPLEMENTAÇÃO DO  PROGRAMA DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA TRABALHO EM  DESENVOLVI MENTO AREIA DE FUNDIÇÃO USADA EQUIVALE  A 90% DOS RESÍDUOS DESCARTADOS  NUMA FUNDIÇÃO
Regeneração  Termomecânica Areia Usada Destorroamento Areia Regenerada Regeneração Mecânica Regeneração Térmica Resfriamento Classificação Granulométrica Perda ao Fogo Caracterização estrutural Metodologia
DESTORROAMENTO (Peneiramento) REGENERAÇÃO MECÂNICA (Regeneração Parcial) AUMENTO DO TEOR DE FINOS   0,60% -   0,70% Resultado e Análise dos Dados
REGENERAÇÃO MECÂNICA (Regeneração Parcial) REGENERAÇÃO TÉRMICA (Regeneração Final) PERDA DE MASSA -  Média 1,20% 4.Resultado e Análise dos Dados
Conclusões ,[object Object],[object Object],[object Object]
Reciclagem de lodo de fosfatização como adição em cerâmica vermelha (tijolo).    Apoio:  GKN do Brasil Ltda
Equipe Executora ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Amostragem
Difração de raios-X - LF ,[object Object]
Difração de raios-X - LF 4. (Ca, Mn) CO 3  – Manganocalcita 5. FePO 4  - Fosfato de Ferro 6. Cu 5 P 2 O 10  – Fosfato de Cobre 1. CaO -Oxido de Cálcio.  2. CaCO 3   - Calcita 3. Na 2,5  (PO 4 !SO 4 ) – Sulfato Fosfato de Sódio 3,4 G 2,4 M 5 F 2,4 L 1,2,4,6 E 2,4 K 1,5 D 1,2,4 J 6 C 2 I 3 B 1,2,4 H 6 A Fases presentes Pico Fases presentes Pico
Determinação do teor de umidade do lodo de fosfato ,[object Object]
Metodologia para obtenção de corpos de prova cerâmicos contendo lodo de fosfatização em laboratório
Moagem Teste de plasticidade Moldagem Pesagem e medição dos corpos de prova Queima Pesagem e medição dos corpos de prova Ensaio de Resistência a Flexão Pesagem 24 horas sob água Obtenção peso Saturado Obtenção peso Submerso Estufa Pesagem Misturador Laminador Maromba Determinação da absorção de água Secagem  (estufa a 110°C) Pesagem e medição dos corpos de prova
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Formulação
Tensão Mínima de Ruptura à Flexão
Tensão Mínima de Ruptura à Flexão
Absorção de água (AA)
Perda ao fogo
Densidade Aparente
Retração Linear
Avaliação ambiental: argila, lodo de fosfatização e dos corpos-de-prova cerâmicos   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Resultados - ensaio de solubilização  1,5 Zero 0,065 0,056 0,63 0,085 Fluoreto (mg/L) 250,0 Zero 6,68 7,35 18,16 6,02 Cloreto (mg/L) 0,5 0,01 0,265 0,265 2,41 0,112 Surfactantes (mg/L) 400,0 1,0 202,2 226,42 1516,2 1,63 Sulfato (mg/L) 0,07 0,0003 < 0,0003 <0,0003 < 0,0003 < 0,0003 Cianeto (mg/L) 10,0 0,04 < 0,04 < 0,04 0,206 < 0,04 Nitrato (mg/L) 500,0 zero 450 221 976,21 7 Dureza (mg/L) 0,01 0,001 < 0,001 < 0,001 < 0,001 < 0,001 Fenol (mg/L) 0,1 0,0015 0,031 0,023 2,23 0,032 Manganês (mg/L) 0,3 0,03 0,528 0,602 0,714 0,392 Ferro (mg/L) 0,05 0,003 < 0,003 < 0,003 < 0,003 < 0,003 Cromo total (mg/L) 0,01 0,005 < 0,005 < 0,005 < 0,005 < 0,005 Chumbo (mg/L) 5,0 0,0015 < 0,0015 < 0,0015 1,348 < 0,0015 Zinco (mg/L) 2,0 0,0015 < 0,0015 < 0,0015 0,028 < 0,0015 Cobre (mg/L) 200 0,01 3,025 5,075 66,36 2,57 Sódio (mg/L) 0,005 0,005 < 0,005 < 0,005 < 0,005 < 0,005 Cádmio (mg/L) 0,7 0,5 < 0,5 < 0,5 < 0,5 < 0,5 Bário (mg/L) Limite Máximo  NBR 10004 (ABNT, 2004) Limite de detecção da técnica Adição (2,5%LF) 950°C Adição  (2,5% LF) 850°C Lodo de  Fosfatização Referência (0% LF) 850°C Parâmetros
Conclusões ,[object Object]
Conclusões ,[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a M O S T R A W E B X Y

Abate de Bovinos e Suinos
Abate de Bovinos e SuinosAbate de Bovinos e Suinos
Abate de Bovinos e Suinos
Andre Sotille Riedi
 
Papel e celulose
Papel e celulosePapel e celulose
Papel e celulose
Naor Sales
 
p+l_graxaria.pdf
p+l_graxaria.pdfp+l_graxaria.pdf
p+l_graxaria.pdf
AdrianaFachim1
 
Abateguia Tecnico
Abateguia TecnicoAbateguia Tecnico
Abateguia Tecnico
Samira Mantilla
 
Programas de Treinamentos Polilab
Programas de Treinamentos PolilabProgramas de Treinamentos Polilab
Programas de Treinamentos Polilab
Fernando Jose Novaes
 
Vicente figna prod-conhec_oferta-ago-2010
Vicente figna prod-conhec_oferta-ago-2010Vicente figna prod-conhec_oferta-ago-2010
Vicente figna prod-conhec_oferta-ago-2010
Vicente Figna
 
Material auxiliar tintas e vernizes
Material auxiliar tintas e vernizesMaterial auxiliar tintas e vernizes
Material auxiliar tintas e vernizes
profNICODEMOS
 
913230
913230913230
913230
afermartins
 
Artigo gestão
Artigo gestãoArtigo gestão
Artigo gestão
catty27
 
Manzan et al_work
Manzan et al_workManzan et al_work
Manzan et al_work
farbache
 
Mudanças Climáticas e Pecuária
Mudanças Climáticas e PecuáriaMudanças Climáticas e Pecuária
Mudanças Climáticas e Pecuária
Agricultura Sao Paulo
 
Relatório Anual 2014
Relatório Anual 2014Relatório Anual 2014
Relatório Anual 2014
Carlos Fernando Jung
 
001 appc - aulas senai agosto set 2013 marcio freire (1)
001   appc - aulas senai agosto set  2013 marcio freire  (1)001   appc - aulas senai agosto set  2013 marcio freire  (1)
001 appc - aulas senai agosto set 2013 marcio freire (1)
Josiane Prado
 
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpegAdubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
afermartins
 
15
1515
Coletanea habitare volume_4_parte_03
Coletanea habitare volume_4_parte_03Coletanea habitare volume_4_parte_03
Coletanea habitare volume_4_parte_03
Ely Barros
 
Usina de asfalta
Usina de asfaltaUsina de asfalta
Usina de asfalta
Cauê Vinicius Santos
 
Proc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introduçãoProc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introdução
leonardolepesqueur
 
Dis jose a_oliveira
Dis jose a_oliveiraDis jose a_oliveira
Dis jose a_oliveira
neymara costa
 
Ecodesign americo cti_maio_2010
Ecodesign americo cti_maio_2010Ecodesign americo cti_maio_2010
Ecodesign americo cti_maio_2010
grupogaia
 

Semelhante a M O S T R A W E B X Y (20)

Abate de Bovinos e Suinos
Abate de Bovinos e SuinosAbate de Bovinos e Suinos
Abate de Bovinos e Suinos
 
Papel e celulose
Papel e celulosePapel e celulose
Papel e celulose
 
p+l_graxaria.pdf
p+l_graxaria.pdfp+l_graxaria.pdf
p+l_graxaria.pdf
 
Abateguia Tecnico
Abateguia TecnicoAbateguia Tecnico
Abateguia Tecnico
 
Programas de Treinamentos Polilab
Programas de Treinamentos PolilabProgramas de Treinamentos Polilab
Programas de Treinamentos Polilab
 
Vicente figna prod-conhec_oferta-ago-2010
Vicente figna prod-conhec_oferta-ago-2010Vicente figna prod-conhec_oferta-ago-2010
Vicente figna prod-conhec_oferta-ago-2010
 
Material auxiliar tintas e vernizes
Material auxiliar tintas e vernizesMaterial auxiliar tintas e vernizes
Material auxiliar tintas e vernizes
 
913230
913230913230
913230
 
Artigo gestão
Artigo gestãoArtigo gestão
Artigo gestão
 
Manzan et al_work
Manzan et al_workManzan et al_work
Manzan et al_work
 
Mudanças Climáticas e Pecuária
Mudanças Climáticas e PecuáriaMudanças Climáticas e Pecuária
Mudanças Climáticas e Pecuária
 
Relatório Anual 2014
Relatório Anual 2014Relatório Anual 2014
Relatório Anual 2014
 
001 appc - aulas senai agosto set 2013 marcio freire (1)
001   appc - aulas senai agosto set  2013 marcio freire  (1)001   appc - aulas senai agosto set  2013 marcio freire  (1)
001 appc - aulas senai agosto set 2013 marcio freire (1)
 
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpegAdubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
Adubacao organica producao_mais_limpa_id-37h_fh1rpeg
 
15
1515
15
 
Coletanea habitare volume_4_parte_03
Coletanea habitare volume_4_parte_03Coletanea habitare volume_4_parte_03
Coletanea habitare volume_4_parte_03
 
Usina de asfalta
Usina de asfaltaUsina de asfalta
Usina de asfalta
 
Proc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introduçãoProc. produt. 01 introdução
Proc. produt. 01 introdução
 
Dis jose a_oliveira
Dis jose a_oliveiraDis jose a_oliveira
Dis jose a_oliveira
 
Ecodesign americo cti_maio_2010
Ecodesign americo cti_maio_2010Ecodesign americo cti_maio_2010
Ecodesign americo cti_maio_2010
 

Mais de semanact2007

Tutorial para acessar a Ilha Unisinos no Second Life
Tutorial para acessar a Ilha Unisinos no Second LifeTutorial para acessar a Ilha Unisinos no Second Life
Tutorial para acessar a Ilha Unisinos no Second Life
semanact2007
 
Mural Enade
Mural EnadeMural Enade
Mural Enade
semanact2007
 
Aprepesqui
AprepesquiAprepesqui
Aprepesqui
semanact2007
 
ApresentaçãO Projeto
ApresentaçãO ProjetoApresentaçãO Projeto
ApresentaçãO Projeto
semanact2007
 
Cibergeografia
CibergeografiaCibergeografia
Cibergeografia
semanact2007
 
Viol^Ncia De G^Nero Ihu
Viol^Ncia De G^Nero IhuViol^Ncia De G^Nero Ihu
Viol^Ncia De G^Nero Ihu
semanact2007
 
Projeto Mauricio Veronez
Projeto Mauricio VeronezProjeto Mauricio Veronez
Projeto Mauricio Veronez
semanact2007
 
Projeto Mpk Aditivos
Projeto Mpk AditivosProjeto Mpk Aditivos
Projeto Mpk Aditivos
semanact2007
 
Gonzalez Pesquisa
Gonzalez PesquisaGonzalez Pesquisa
Gonzalez Pesquisa
semanact2007
 
ApresentaçãO Web
ApresentaçãO WebApresentaçãO Web
ApresentaçãO Web
semanact2007
 
Redes Neurais Aplicacoes
Redes Neurais AplicacoesRedes Neurais Aplicacoes
Redes Neurais Aplicacoes
semanact2007
 
Mostra Cient(Ffica Talize Dia27oficialaiaia
Mostra Cient(Ffica  Talize Dia27oficialaiaiaMostra Cient(Ffica  Talize Dia27oficialaiaia
Mostra Cient(Ffica Talize Dia27oficialaiaia
semanact2007
 
Sisamo
SisamoSisamo
Sisamo
semanact2007
 

Mais de semanact2007 (13)

Tutorial para acessar a Ilha Unisinos no Second Life
Tutorial para acessar a Ilha Unisinos no Second LifeTutorial para acessar a Ilha Unisinos no Second Life
Tutorial para acessar a Ilha Unisinos no Second Life
 
Mural Enade
Mural EnadeMural Enade
Mural Enade
 
Aprepesqui
AprepesquiAprepesqui
Aprepesqui
 
ApresentaçãO Projeto
ApresentaçãO ProjetoApresentaçãO Projeto
ApresentaçãO Projeto
 
Cibergeografia
CibergeografiaCibergeografia
Cibergeografia
 
Viol^Ncia De G^Nero Ihu
Viol^Ncia De G^Nero IhuViol^Ncia De G^Nero Ihu
Viol^Ncia De G^Nero Ihu
 
Projeto Mauricio Veronez
Projeto Mauricio VeronezProjeto Mauricio Veronez
Projeto Mauricio Veronez
 
Projeto Mpk Aditivos
Projeto Mpk AditivosProjeto Mpk Aditivos
Projeto Mpk Aditivos
 
Gonzalez Pesquisa
Gonzalez PesquisaGonzalez Pesquisa
Gonzalez Pesquisa
 
ApresentaçãO Web
ApresentaçãO WebApresentaçãO Web
ApresentaçãO Web
 
Redes Neurais Aplicacoes
Redes Neurais AplicacoesRedes Neurais Aplicacoes
Redes Neurais Aplicacoes
 
Mostra Cient(Ffica Talize Dia27oficialaiaia
Mostra Cient(Ffica  Talize Dia27oficialaiaiaMostra Cient(Ffica  Talize Dia27oficialaiaia
Mostra Cient(Ffica Talize Dia27oficialaiaia
 
Sisamo
SisamoSisamo
Sisamo
 

Último

Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Gabriel de Mattos Faustino
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 

Último (7)

Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 

M O S T R A W E B X Y

  • 1. ÁREA DE CONHECIMENTO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS NucMat ENERGIA MATERIAIS CONSTRUÇÃO CIVIL GERENCIAMENTO INTEGRADO RSU Caracterização Resíduos Sólidos Industriais P+L Eficiência Energética Valorização de RS Uso no Concreto Uso em Mat. Cerâmicos Gerenc. Municipal Compostagem Reciclagem Aterro Sanitário Tratamento Lixiviado Pirólise CURSO ENG. CIVIL CURSO ENG. MECÂNICA MESTRADO
  • 2. Projeto de Pesquisa principal: GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS 1) Caracterização Ambiental, Química, e Estrutural de Resíduos Sólidos Metalúrgicos 2) Produção Mais Limpa: * Minimização de Descarte de Areia de Fundição * Reutilização de resíduos no processo de origem * Minimização da geração de pó metalúrgicos * Valorização de resíduos sólidos (outras aplicações)
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9. PROJETO PRINCIPAL – GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS 2006/2007 PROJETO AEP-INOVA FEV/2007 – JAN/2008 PROJETO GKN JAN-DEZ/2007 GERENCIAMENTO FUNDIÇÕES JAN/2007 – JAN/2008 GUSA X SUCATA P+L DESCASCA LODO FOS E FQ GESTÃO AMBIENTAL P+L PROF. CARLOS = WAGNER (LASID) PROF. CARLOS E FELICIANE PESQUISADORA ADM. LISIANE REGENERAÇÃO PROF. WALTER PESQUISADOR Dr. FRANCISCO PROF. FELICIANE PROF. CARLOS PROF. CARLOS BIC - PAULO PESQUISADOR Dr.. FRANCISCO BIC - RODRIGO UNIBIC- JOICE BIC - PAULO PIBIC - ROSÂNGELA DAIANE UNIBIC - JOICE DAIANE RODRIGO PROFA. ANA ADM LISIANE UNIBIC - JOICE PROFA. ANA CONSULTORA ESTAGIÁRIA DAIANE ESTAGIÁRIO MARCELO PROJETO SGA/ RECICLA ALUMÍNIO PROF. CARLOS CARLOS DUTRA DAIANE BIC - RODRIGO BIC - RODRIGO
  • 10. Minimização de resíduos com implementação do programa de produção mais limpa na industria Gerenciamento de Resíduos Siderúrgicos GERDAU AEP
  • 11. FASE 1 Março Abril Maio FASE 3 Julho - Novembro FASE 2 Maio Junho Julho Reunião de Apresentação Familiarização com o processo Levantamento de dados Apresentação da ferramenta P+L Análise de dados Relatório Parcial 1 PRODUÇÃO MAIS LIMPA – AEP GERDAU Estudo de viabilidade Banco de Idéias Capacitação de grupo Sensibilização de colaboradores Marketing Implementação e monitoramento das propostas Já realizado Em andamento Em elaboração Relatório Parcial 2 Material informativo e de apoio
  • 12. PRODUÇÃO MAIS LIMPA MINIMIZAÇÃO DE RESÍDUOS E EMISSÕES REUSO DE RESÍDUOS, EFLUENTES E EMISSÕES NÍVEL 1 NÍVEL 2 NÍVEL 3 REDUÇÃO NA FONTE RECICLAGEM INTERNA RECICLAGEM EXTERNA CICLOS BIOGÊNICOS MODIFICAÇÃO NO PRODUTO MODIFICAÇÃO NO PROCESSO ESTRUTURAS MATERIAIS BOAS PRÁTICAS DE P+L SUBSTITUIÇÃO DE MATÉRIAS- PRIMAS MODIFICAÇÃO TECNOLÓGICA Fonte: CNTL, 2001 FERRAMENTAS DO PROGRAMA
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.  
  • 18.
  • 19.
  • 20. Minimização de resíduos com implementação do programa de produção mais limpa na industria Diagnóstico Ambiental em Fundição 21 empresas, SEBRAE
  • 21.
  • 22. DIAGNÓSTICO REALIZADO EM 21 FUNDIÇÕES DO VALE DOS SINOS NO PERÍODO DE JULHO/2006 – MARÇO/2007 32,6 7,5 51,9 28 40 16 21 76,1 17,5 33,3 18 47,5 19 20 32,6 11 44,4 24 45 18 19 32,6 7,5 46,3 25 17,5 7 18 43,5 10 53,7 29 ---- ---- 17 26,1 6 50 27 25 10 16 17,4 4 27,8 15 32,5 13 15 41,3 9,5 81,5 44 67,5 27 14 69,6 16 59,3 32 37,5 15 13 67,4 15,5 68,5 37 42,5 17 12 47,8 11 50 27 27,5 11 11 41,3 9,5 50 27 45 18 10 50,0 11,5 55,6 30 50 20 9 28,3 6,5 64,8 35 37,5 15 8 41,3 9,5 51,9 28 35 14 7 45,7 10,5 51,9 28 52,5 21 6 21,7 5 57,4 31 37,5 15 5 19,6 4,5 66,7 36 50 20 4 17,4 4 51,9 28 35 14 3 23,9 5,5 59,3 32 27,5 11 2 28,3 6,5 64,8 35 60 24 1 % AMBIENTAL % TECNOLÓGICA % EMPRESARIAL EMPRESAS
  • 23.
  • 24. Minimização de resíduos com implementação do programa de produção mais limpa na industria Regeneração Termomecânica de areia usada de fundição Apoio: Fundição Lorscheitter
  • 25. Rodrigo Crippa Gaspar, e-mail: rcgaspar@terra.com.br Daiane Calheiro, e-mai:l dcalheiro@gmail.com Kátia Ross de Oliveira, e-mail: kaka@gmail.com Feliciane Andrade Brehm, e-mail: felicianeb@unisinos.br Carlos Alberto Mendes Moraes, e-mail: cmoraes@unisinos.br EQUIPE
  • 26. RECUPERAÇÃO DE AREIA REGENERAÇÃO DE AREIA MINIMIZAÇÃO DE PERDAS RECICLAGEM EXTERNA SEQUÊNCIA DA PESQUISA RECICLAGEM INTERNA A SER INICIADO EM AGOSTO AREIA VERDE NA CONSTRUÇÃO CIVIL DIAGNÓSTICO IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA TRABALHO EM DESENVOLVI MENTO AREIA DE FUNDIÇÃO USADA EQUIVALE A 90% DOS RESÍDUOS DESCARTADOS NUMA FUNDIÇÃO
  • 27. Regeneração Termomecânica Areia Usada Destorroamento Areia Regenerada Regeneração Mecânica Regeneração Térmica Resfriamento Classificação Granulométrica Perda ao Fogo Caracterização estrutural Metodologia
  • 28. DESTORROAMENTO (Peneiramento) REGENERAÇÃO MECÂNICA (Regeneração Parcial) AUMENTO DO TEOR DE FINOS 0,60% - 0,70% Resultado e Análise dos Dados
  • 29. REGENERAÇÃO MECÂNICA (Regeneração Parcial) REGENERAÇÃO TÉRMICA (Regeneração Final) PERDA DE MASSA - Média 1,20% 4.Resultado e Análise dos Dados
  • 30.
  • 31. Reciclagem de lodo de fosfatização como adição em cerâmica vermelha (tijolo). Apoio: GKN do Brasil Ltda
  • 32.
  • 34.
  • 35. Difração de raios-X - LF 4. (Ca, Mn) CO 3 – Manganocalcita 5. FePO 4 - Fosfato de Ferro 6. Cu 5 P 2 O 10 – Fosfato de Cobre 1. CaO -Oxido de Cálcio. 2. CaCO 3 - Calcita 3. Na 2,5 (PO 4 !SO 4 ) – Sulfato Fosfato de Sódio 3,4 G 2,4 M 5 F 2,4 L 1,2,4,6 E 2,4 K 1,5 D 1,2,4 J 6 C 2 I 3 B 1,2,4 H 6 A Fases presentes Pico Fases presentes Pico
  • 36.
  • 37. Metodologia para obtenção de corpos de prova cerâmicos contendo lodo de fosfatização em laboratório
  • 38. Moagem Teste de plasticidade Moldagem Pesagem e medição dos corpos de prova Queima Pesagem e medição dos corpos de prova Ensaio de Resistência a Flexão Pesagem 24 horas sob água Obtenção peso Saturado Obtenção peso Submerso Estufa Pesagem Misturador Laminador Maromba Determinação da absorção de água Secagem (estufa a 110°C) Pesagem e medição dos corpos de prova
  • 39.
  • 40. Tensão Mínima de Ruptura à Flexão
  • 41. Tensão Mínima de Ruptura à Flexão
  • 46.
  • 47. Resultados - ensaio de solubilização 1,5 Zero 0,065 0,056 0,63 0,085 Fluoreto (mg/L) 250,0 Zero 6,68 7,35 18,16 6,02 Cloreto (mg/L) 0,5 0,01 0,265 0,265 2,41 0,112 Surfactantes (mg/L) 400,0 1,0 202,2 226,42 1516,2 1,63 Sulfato (mg/L) 0,07 0,0003 < 0,0003 <0,0003 < 0,0003 < 0,0003 Cianeto (mg/L) 10,0 0,04 < 0,04 < 0,04 0,206 < 0,04 Nitrato (mg/L) 500,0 zero 450 221 976,21 7 Dureza (mg/L) 0,01 0,001 < 0,001 < 0,001 < 0,001 < 0,001 Fenol (mg/L) 0,1 0,0015 0,031 0,023 2,23 0,032 Manganês (mg/L) 0,3 0,03 0,528 0,602 0,714 0,392 Ferro (mg/L) 0,05 0,003 < 0,003 < 0,003 < 0,003 < 0,003 Cromo total (mg/L) 0,01 0,005 < 0,005 < 0,005 < 0,005 < 0,005 Chumbo (mg/L) 5,0 0,0015 < 0,0015 < 0,0015 1,348 < 0,0015 Zinco (mg/L) 2,0 0,0015 < 0,0015 < 0,0015 0,028 < 0,0015 Cobre (mg/L) 200 0,01 3,025 5,075 66,36 2,57 Sódio (mg/L) 0,005 0,005 < 0,005 < 0,005 < 0,005 < 0,005 Cádmio (mg/L) 0,7 0,5 < 0,5 < 0,5 < 0,5 < 0,5 Bário (mg/L) Limite Máximo NBR 10004 (ABNT, 2004) Limite de detecção da técnica Adição (2,5%LF) 950°C Adição (2,5% LF) 850°C Lodo de Fosfatização Referência (0% LF) 850°C Parâmetros
  • 48.
  • 49.