SlideShare uma empresa Scribd logo
A Nova Ortografia
Prof° Fábio Garcia
            Aula 1
   “O campo da derrota não está povoado de
    fracassos, mas de homens que tombaram
    antes de vencer”.
   Abraham Lincoln
   O Novo Acordo Ortográfico da Língua
    Portuguesa foi assinado em 1990, em Lisboa, e
    segundo novo decreto assinado pelo presidente Lula,
    passa a ser instituído em 2009, no Brasil. O novo
    acordo atinge 0,5 % da escrita brasileira, e 1,6 % das
    palavras usadas na Língua Portuguesa de Portugal, São
    Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Angola,
    Moçambique e Timor-Leste.
    O Brasil e estes países formam a CPLP _ Comunidade
    de Países de Língua Portuguesa. Profissionais liberais,
    professores,    jornalistas,  tradutores,    escritores
    e revisores terão até o dia 31 de dezembro de 2012
    para se adaptarem a reforma linguística, instituída
    com a finalidade de padronizar e universalizar a língua
    portuguesa em todos os países lusófonos.
   Cerca de 230 milhões de pessoas falam o idioma
    português no mundo, e o Brasil é a maior nação de
    língua portuguesa com mais falantes. A utilização do
    hífen é um dos grandes problemas da reforma em
    virtude dos critérios pouco esclarecidos.
    O novo acordo no mercado editorial e pedagógico
    abre novas oportunidades de trabalho para
    palestrantes, professores e monitores em cursos de
    reciclagem; e para revisores e gráficas nas empresas
    editoriais. As editoras brasileiras já estão imprimindo
    livros didáticos que seguem as novas normas
    ortográficas.
    (http://www.infoescola.com/portugues/novo-
    acordo-ortografico-da-lingua-portuguesa/)
   O alfabeto passa a ter 26 letras.
    Foram reintroduzidas as letras k, w e y. O
    alfabeto completo passa a ser:
    ABCDEFGHIJ
    KLMNOPQRS
    TUVWXYZ
   As letras k, w e y, que na verdade não tinham
    desaparecido da maioria dos dicionários da
    nossa língua, são usadas em várias situações.
    Por exemplo:
   na escrita de símbolos de unidades de
    medida: km (quilômetro), kg (quilograma), W
    (watt);
   na escrita de palavras e nomes estrangeiros
    (e seus derivados): show, playboy,
    playground, windsurf, kung fu, yin, yang,
    William, kaiser, Kafka, kafkiano.
   Não se usa mais o trema (¨), sinal colocado
    sobre a letra u para indicar que ela deve ser
    pronunciada nos grupos gue, gui, que, qui.

       Como era              Como fica
       agüenta               aguentar
       bilíngüe              bilíngue
       cinqüenta             cinquenta
   Atenção: o trema permanece apenas nas palavras
    estrangeiras e em suas derivadas. Exemplos: Müller,
    mülleriano
Não se usa mais o acento dos ditongos
abertos éi e ói das palavras paroxítonas
(palavras que têm acento tônico na penúltima
sílaba).
     Como era          Como fica
     alcatéia          alcateia
     andróide          androide
     assembléia        assembleia
Atenção
Essa regra é válida somente para palavras
paroxítonas. Assim, continuam a ser
acentuadas as palavras oxítonas terminadas
em éi, éu e ói: chapéu, herói, corrói, remói,
céu, véu, lençóis, anéis, fiéis, papéis,
Ilhéus.tônicos terminados em
Não se usa mais o acento das palavras
terminadas em êem e ôo(s).


   Como era          Como fica
   abençôo           abençoo
   crêem             creem
   enjôo             Enjoo
   dêem              deem
   Não se usa mais o acento que diferenciava os
    pares pára/para, péla(s)/pela(s), pêlo(s)/pelo(s),
    pólo(s)/polo(s) e pêra/pera.
   Como era : Ele pára o carro.
   Como fica: Ele para o carro.
   Com era : Ele foi ao pólo Norte.
   Como fica: Ele foi ao polo Norte.
   Como era : Ele gosta de jogar pólo.( jogo)
   Como fica:Ele gosta de jogar polo.(jogo)
   Como era : Esse gato tem pêlos brancos.
   Como fica :Esse gato tem pelos brancos.
   Como era : Comi uma pêra.
   Como fica :Comi uma pera.
Atenção
   Permanece o acento diferencial em
    pôde/pode. Pôde é a forma do passado do verbo
    poder (pretérito perfeito do indicativo), na 3ª
    pessoa do singular. Pode é a forma do presente
    do indicativo, na 3ª pessoa do singular.
    Exemplo: Ontem, ele não pôde sair mais cedo,
    mas hoje ele pode.
   Permanece o acento diferencial em pôr/por. Pôr é
    verbo. Por é preposição. Exemplo: Vou pôr o livro
    na estante que foi feita por mim.
    Permanecem os acentos que diferenciam o
    singular do plural dos verbos ter e vir, assim
    como de seus derivados (manter, deter, reter,
    conter, convir, intervir, advir etc.). Exemplos:
    Ele tem dois carros. / Eles têm dois carros.
    Ele vem de Sorocaba. / Eles vêm de Sorocaba.
    Ele mantém a palavra. / Eles mantêm a palavra.
    Ele convém aos estudantes. / Eles convêm aos
    estudantes.
    Ele detém o poder. / Eles detêm o poder.
    Ele intervém em todas as aulas. /
    Eles intervêm em todas as aulas.
    Usa-se o hífen nas palavras compostas que
    não apresentam elementos de ligação.
    Exemplos: guarda-chuva, arco-íris, boa-fé,
    segunda-feira, mesa-redonda, vaga-lume,
    joão-ninguém, porta-malas, porta-bandeira,
    pão-duro, bate-boca.
   Exceções: Não se usa o hífen em certas
    palavras que perderam a noção de
    composição, como
    girassol, madressilva, mandachuva, pontapé,
    paraquedas, paraquedista, paraquedismo.
Usa-se o hífen em compostos que têm palavras
iguais ou quase iguais, sem elementos de
ligação. Exemplos: reco-reco, blá-blá-blá, zum-
zum, tico-tico, tique-taque, cri-cri, glu-glu,
rom-rom, pingue-pongue, zigue-zague,
esconde-esconde, pega-pega, corre-corre.
Não se usa o hífen em compostos que
apresentam elementos de ligação. Exemplos: pé
de moleque, pé de vento, pai de todos, dia a dia,
fim de semana, cor de vinho, ponto e vírgula,
camisa de força, cara de pau, olho de sogra.
   Incluem-se nesse caso os compostos de base oracional.
    Exemplos: maria vai com as outras, leva e traz, diz que diz
    que, deus me livre, deus nos acuda, cor de burro quando
    foge, bicho de sete cabeças, faz de conta.
   * Exceções: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa,
    mais-que-perfeito, pé-de-meia, ao deus-dará, à queima-
    roupa, paraquedas, paraquedista,etc.

   Obs: para-brisa
    para-choque
    para-lama
    paraquedas
    paraquedismo
    paraquedista
    para-raios
    Usa-se o hífen nos compostos entre cujos
    elementos há o emprego do apóstrofo.
    Exemplos: gota-d'água, pé-d'água.
    Usa-se o hífen nas palavras compostas
    derivadas de topônimos (nomes próprios de
    lugares), com ou sem elementos de ligação.
    Exemplos:
    Belo Horizonte - belo-horizontino
    Porto Alegre - porto-alegrense
    Mato Grosso do Sul - mato-grossense-do-
    sul
    Rio Grande do Norte - rio-grandense-do-
    norte
    Á•frica do Sul - sul-africano
   Usa-se o hífen nos compostos que designam
    espécies animais e botânicas (nomes de
    plantas, flores, frutos, raízes, sementes),
    tenham ou não elementos de ligação.
    Exemplos: bem-te-vi, peixe-espada, peixe-
    do-paraíso, mico-leão-dourado, andorinha-
    da-serra, lebre-da-patagônia, erva-doce,
    ervilha-de-cheiro, pimenta-do-reino,
    peroba-do-campo, cravo-da-índia.
   Obs.: não se usa o hífen, quando os
    compostos que designam espécies botânicas
    e zoológicas são empregados fora de seu
    sentido original. Observe a diferença de
    sentido entre os pares:
    a) bico-de-papagaio (espécie de planta
    ornamental) - bico de papagaio(deformação
    nas vértebras).
    b) olho-de-boi (espécie de peixe) - olho de
    boi (espécie de selo postal).Uso do hífen com
    prefixos
   As observações a seguir referem-se ao uso
    do hífen em palavras formadas por prefixos
    (anti, super, ultra, sub etc.) ou por elementos
    que podem funcionar como prefixos (aero,
    agro, auto, eletro, geo, hidro, macro, micro,
    mini, multi, neo etc.).
   Usa-se o hífen diante de palavra iniciada
    por h. Exemplos:

    anti-higiênico
    anti-histórico
    macro-história
    mini-hotel
    macro-história
    sobre-humano
    super-homem
    ultra-humano
Usa-se o hífen se o prefixo terminar com a
mesma letra com que se inicia a outra
palavra.
Exemplos:
micro-ondas
anti-inflacionário
sub-bibliotecário
inter-regional
Não se usa o hífen se o prefixo terminar com
letra diferente daquela com que se inicia a outra
palavra. Exemplos:

autoescola
antiaéreo
intermunicipal
supersônico
superinteressante
agroindustrial
aeroespacial
semicírculo
Se o prefixo terminar por vogal e a outra
palavra começar por r ou s, dobram-se essas
letras. Exemplos:
minissaia
antirracismo
Casos particulares
 Com os prefixos sub e sob, usa-se o hífen
  também diante de palavra iniciada por r.
  Exemplos:
  sub-região
  sub-reitor
  sub-regional
   Com os prefixos circum e pan, usa-se o hífen
    diante de palavra iniciada por m, n e vogal.
    Exemplos:
    circum-murado
    circum-navegação
Usa-se o hífen com os prefixos ex, sem, além,
aquém, recém, pós, pré, pró, vice. Exemplos:
além-mar
além-túmulo
aquém-mar
ex-aluno
ex-diretor
ex-hospedeiro
ex-prefeito
ex-presidente
pós-graduação
    O prefixo co junta-se com o segundo elemento,
    mesmo quando este se inicia por o ou h. Neste
    último caso, corta-se o h. Se a palavra seguinte
    começar com r ou s, dobram-se essas letras.
    Exemplos:
    coobrigação
    coedição
    coeducar
    coordenação
    coabitação
    coerdeiro
    corresponsável
    cosseno
    cooperar
   Com os prefixos pre e re, não se usa o hífen,
    mesmo diante de palavras começadas por e.
    Exemplos:
    preexistente
    preelaborar
    reescrever
    reedição
Não se usa o hífen na formação de palavras
com não e quase. Exemplos:
(acordo de) não agressão
(isto é um) quase delito
Com mal*, usa-se o hífen quando a palavra
seguinte começar por vogal, h ou l. Exemplos:
mal-entendido
mal-estar
mal-humorado
mal-limpo
Quando mal significa doença, usa-se o hífen se
não houver elemento de ligação. Exemplo: mal-
francês. Se houver elemento de ligação, escreve-
se sem o hífen. Exemplos: mal de lázaro, mal de
sete dias.
Usa-se o hífen com sufixos de origem tupi-
guarani que representam formas adjetivas, como
açu, guaçu, mirim. Exemplos:
capim-açu
amoré-guaçu
anajá-mirim
Usa-se o hífen para ligar duas ou mais palavras
que ocasionalmente se combinam, formando não
propriamente vocábulos, mas encadeamentos
vocabulares. Exemplos:
ponte Rio-Niterói
eixo Rio-São Paulo
Para clareza gráfica, se no final da linha a
partição de uma palavra ou combinação de
palavras coincidir com o hífen, ele deve ser
repetido na linha seguinte. Exemplos:
Na cidade, conta-
-se que ele foi viajar.
O diretor foi receber os ex-
-alunos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Oficina ana
Oficina anaOficina ana
Oficina ana
Ana Cristina sousa
 
O acordo ortográfico da língua portuguesa
O acordo ortográfico da língua portuguesaO acordo ortográfico da língua portuguesa
O acordo ortográfico da língua portuguesa
Rita Teixeira d'Azevedo
 
Regras ortograficas (1)
Regras ortograficas (1)Regras ortograficas (1)
Regras ortograficas (1)
Sonia Beth
 
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
MkrH Uniesp
 
Apresentação nova ortografia
Apresentação nova ortografiaApresentação nova ortografia
Apresentação nova ortografia
Bianca Dias
 
Novo Acordo Ortográfico
Novo Acordo OrtográficoNovo Acordo Ortográfico
Novo Acordo Ortográfico
Escolanelda
 
Novo acordo ortográfico
Novo acordo ortográficoNovo acordo ortográfico
Novo acordo ortográfico
Claudia Pinheiro
 
Guia da Nova Ortografia 2015
Guia da Nova Ortografia 2015Guia da Nova Ortografia 2015
Guia da Nova Ortografia 2015
Rômulo Giacome
 
Português sem complicação dominando a nova ortografia
Português sem complicação   dominando a nova ortografiaPortuguês sem complicação   dominando a nova ortografia
Português sem complicação dominando a nova ortografia
Paulo Vitor Carneiro
 
Atenção
AtençãoAtenção
Nilza ativ5
Nilza ativ5Nilza ativ5
Nilza ativ5
Nilza Gomes
 
A reforma ortográfica slides
A reforma ortográfica   slidesA reforma ortográfica   slides
A reforma ortográfica slides
Franquilim Cerqueira
 
Reforma ortográfica e redação técnica
Reforma ortográfica e redação técnicaReforma ortográfica e redação técnica
Reforma ortográfica e redação técnica
Maria Lina
 
Nova ortografia
Nova ortografiaNova ortografia
Nova ortografia
katiaourives
 

Mais procurados (14)

Oficina ana
Oficina anaOficina ana
Oficina ana
 
O acordo ortográfico da língua portuguesa
O acordo ortográfico da língua portuguesaO acordo ortográfico da língua portuguesa
O acordo ortográfico da língua portuguesa
 
Regras ortograficas (1)
Regras ortograficas (1)Regras ortograficas (1)
Regras ortograficas (1)
 
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
 
Apresentação nova ortografia
Apresentação nova ortografiaApresentação nova ortografia
Apresentação nova ortografia
 
Novo Acordo Ortográfico
Novo Acordo OrtográficoNovo Acordo Ortográfico
Novo Acordo Ortográfico
 
Novo acordo ortográfico
Novo acordo ortográficoNovo acordo ortográfico
Novo acordo ortográfico
 
Guia da Nova Ortografia 2015
Guia da Nova Ortografia 2015Guia da Nova Ortografia 2015
Guia da Nova Ortografia 2015
 
Português sem complicação dominando a nova ortografia
Português sem complicação   dominando a nova ortografiaPortuguês sem complicação   dominando a nova ortografia
Português sem complicação dominando a nova ortografia
 
Atenção
AtençãoAtenção
Atenção
 
Nilza ativ5
Nilza ativ5Nilza ativ5
Nilza ativ5
 
A reforma ortográfica slides
A reforma ortográfica   slidesA reforma ortográfica   slides
A reforma ortográfica slides
 
Reforma ortográfica e redação técnica
Reforma ortográfica e redação técnicaReforma ortográfica e redação técnica
Reforma ortográfica e redação técnica
 
Nova ortografia
Nova ortografiaNova ortografia
Nova ortografia
 

Semelhante a Língua portuguesa 1

Nova ortografia
Nova ortografiaNova ortografia
Nova ortografia
hlemmur
 
Apresentaçao acordo ortográfico da língua portuguesa
Apresentaçao acordo ortográfico da língua portuguesaApresentaçao acordo ortográfico da língua portuguesa
Apresentaçao acordo ortográfico da língua portuguesa
robioprof
 
Slide Regras Acentuação Língua Portuguesa
Slide Regras Acentuação Língua PortuguesaSlide Regras Acentuação Língua Portuguesa
Slide Regras Acentuação Língua Portuguesa
Jomari
 
nova ortografia.pdf
nova ortografia.pdfnova ortografia.pdf
nova ortografia.pdf
ssuser6ee2851
 
Nova ortografia do português
Nova ortografia do portuguêsNova ortografia do português
Nova ortografia do português
luizcarmo
 
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
MkrH Uniesp
 
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
MkrH Uniesp
 
Aula 3 acordo ortográfico
Aula 3 acordo ortográficoAula 3 acordo ortográfico
Aula 3 acordo ortográfico
ProfFernandaBraga
 
Cefet/Coltec Aula 3 Acordo Ortográfico
Cefet/Coltec Aula 3   Acordo OrtográficoCefet/Coltec Aula 3   Acordo Ortográfico
Cefet/Coltec Aula 3 Acordo Ortográfico
ProfFernandaBraga
 
Reforma ortográfica
Reforma ortográficaReforma ortográfica
Reforma ortográfica
mfmpafatima
 
Acordo Ortográfico www.professorpalmito.com.br
Acordo Ortográfico www.professorpalmito.com.brAcordo Ortográfico www.professorpalmito.com.br
Acordo Ortográfico www.professorpalmito.com.br
Prof Palmito Rocha
 
Acordoortogrfico 090415083253-phpapp01
Acordoortogrfico 090415083253-phpapp01Acordoortogrfico 090415083253-phpapp01
Acordoortogrfico 090415083253-phpapp01
Marcus Muri
 
Fonética e Fonologia
Fonética e FonologiaFonética e Fonologia
Fonética e Fonologia
ProfFernandaBraga
 
Conteúdo - Fonética/Fonologia
Conteúdo - Fonética/FonologiaConteúdo - Fonética/Fonologia
Conteúdo - Fonética/Fonologia
ProfFernandaBraga
 
Atenção
AtençãoAtenção
Novo acordo
Novo acordoNovo acordo
Novo acordo
Amelia Barros
 
Reforma OrtográFica
Reforma OrtográFicaReforma OrtográFica
Reforma OrtográFica
guest5a4e95d
 
Novaortografiadalnguaportuguesaverso2003 100725183109-phpapp01
Novaortografiadalnguaportuguesaverso2003 100725183109-phpapp01Novaortografiadalnguaportuguesaverso2003 100725183109-phpapp01
Novaortografiadalnguaportuguesaverso2003 100725183109-phpapp01
Kellecampos Kelle Campos
 
Reforma OrtográFica
Reforma OrtográFicaReforma OrtográFica
Reforma OrtográFica
guest5a4e95d
 
Novo acordo ortográfico
Novo acordo ortográficoNovo acordo ortográfico
Novo acordo ortográfico
Eliane Sapiraim Durão
 

Semelhante a Língua portuguesa 1 (20)

Nova ortografia
Nova ortografiaNova ortografia
Nova ortografia
 
Apresentaçao acordo ortográfico da língua portuguesa
Apresentaçao acordo ortográfico da língua portuguesaApresentaçao acordo ortográfico da língua portuguesa
Apresentaçao acordo ortográfico da língua portuguesa
 
Slide Regras Acentuação Língua Portuguesa
Slide Regras Acentuação Língua PortuguesaSlide Regras Acentuação Língua Portuguesa
Slide Regras Acentuação Língua Portuguesa
 
nova ortografia.pdf
nova ortografia.pdfnova ortografia.pdf
nova ortografia.pdf
 
Nova ortografia do português
Nova ortografia do portuguêsNova ortografia do português
Nova ortografia do português
 
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
 
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
Slidesnovoacordoortogrfico 100125181718-phpapp01
 
Aula 3 acordo ortográfico
Aula 3 acordo ortográficoAula 3 acordo ortográfico
Aula 3 acordo ortográfico
 
Cefet/Coltec Aula 3 Acordo Ortográfico
Cefet/Coltec Aula 3   Acordo OrtográficoCefet/Coltec Aula 3   Acordo Ortográfico
Cefet/Coltec Aula 3 Acordo Ortográfico
 
Reforma ortográfica
Reforma ortográficaReforma ortográfica
Reforma ortográfica
 
Acordo Ortográfico www.professorpalmito.com.br
Acordo Ortográfico www.professorpalmito.com.brAcordo Ortográfico www.professorpalmito.com.br
Acordo Ortográfico www.professorpalmito.com.br
 
Acordoortogrfico 090415083253-phpapp01
Acordoortogrfico 090415083253-phpapp01Acordoortogrfico 090415083253-phpapp01
Acordoortogrfico 090415083253-phpapp01
 
Fonética e Fonologia
Fonética e FonologiaFonética e Fonologia
Fonética e Fonologia
 
Conteúdo - Fonética/Fonologia
Conteúdo - Fonética/FonologiaConteúdo - Fonética/Fonologia
Conteúdo - Fonética/Fonologia
 
Atenção
AtençãoAtenção
Atenção
 
Novo acordo
Novo acordoNovo acordo
Novo acordo
 
Reforma OrtográFica
Reforma OrtográFicaReforma OrtográFica
Reforma OrtográFica
 
Novaortografiadalnguaportuguesaverso2003 100725183109-phpapp01
Novaortografiadalnguaportuguesaverso2003 100725183109-phpapp01Novaortografiadalnguaportuguesaverso2003 100725183109-phpapp01
Novaortografiadalnguaportuguesaverso2003 100725183109-phpapp01
 
Reforma OrtográFica
Reforma OrtográFicaReforma OrtográFica
Reforma OrtográFica
 
Novo acordo ortográfico
Novo acordo ortográficoNovo acordo ortográfico
Novo acordo ortográfico
 

Último

Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
alphabarros2
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 

Último (20)

Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 

Língua portuguesa 1

  • 1. A Nova Ortografia Prof° Fábio Garcia Aula 1
  • 2. “O campo da derrota não está povoado de fracassos, mas de homens que tombaram antes de vencer”.  Abraham Lincoln
  • 3. O Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa foi assinado em 1990, em Lisboa, e segundo novo decreto assinado pelo presidente Lula, passa a ser instituído em 2009, no Brasil. O novo acordo atinge 0,5 % da escrita brasileira, e 1,6 % das palavras usadas na Língua Portuguesa de Portugal, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Angola, Moçambique e Timor-Leste. O Brasil e estes países formam a CPLP _ Comunidade de Países de Língua Portuguesa. Profissionais liberais, professores, jornalistas, tradutores, escritores e revisores terão até o dia 31 de dezembro de 2012 para se adaptarem a reforma linguística, instituída com a finalidade de padronizar e universalizar a língua portuguesa em todos os países lusófonos.
  • 4. Cerca de 230 milhões de pessoas falam o idioma português no mundo, e o Brasil é a maior nação de língua portuguesa com mais falantes. A utilização do hífen é um dos grandes problemas da reforma em virtude dos critérios pouco esclarecidos. O novo acordo no mercado editorial e pedagógico abre novas oportunidades de trabalho para palestrantes, professores e monitores em cursos de reciclagem; e para revisores e gráficas nas empresas editoriais. As editoras brasileiras já estão imprimindo livros didáticos que seguem as novas normas ortográficas. (http://www.infoescola.com/portugues/novo- acordo-ortografico-da-lingua-portuguesa/)
  • 5. O alfabeto passa a ter 26 letras. Foram reintroduzidas as letras k, w e y. O alfabeto completo passa a ser: ABCDEFGHIJ KLMNOPQRS TUVWXYZ
  • 6. As letras k, w e y, que na verdade não tinham desaparecido da maioria dos dicionários da nossa língua, são usadas em várias situações. Por exemplo:  na escrita de símbolos de unidades de medida: km (quilômetro), kg (quilograma), W (watt);  na escrita de palavras e nomes estrangeiros (e seus derivados): show, playboy, playground, windsurf, kung fu, yin, yang, William, kaiser, Kafka, kafkiano.
  • 7. Não se usa mais o trema (¨), sinal colocado sobre a letra u para indicar que ela deve ser pronunciada nos grupos gue, gui, que, qui. Como era Como fica agüenta aguentar bilíngüe bilíngue cinqüenta cinquenta  Atenção: o trema permanece apenas nas palavras estrangeiras e em suas derivadas. Exemplos: Müller, mülleriano
  • 8. Não se usa mais o acento dos ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas (palavras que têm acento tônico na penúltima sílaba). Como era Como fica alcatéia alcateia andróide androide assembléia assembleia
  • 9. Atenção Essa regra é válida somente para palavras paroxítonas. Assim, continuam a ser acentuadas as palavras oxítonas terminadas em éi, éu e ói: chapéu, herói, corrói, remói, céu, véu, lençóis, anéis, fiéis, papéis, Ilhéus.tônicos terminados em
  • 10. Não se usa mais o acento das palavras terminadas em êem e ôo(s). Como era Como fica abençôo abençoo crêem creem enjôo Enjoo dêem deem
  • 11. Não se usa mais o acento que diferenciava os pares pára/para, péla(s)/pela(s), pêlo(s)/pelo(s), pólo(s)/polo(s) e pêra/pera.  Como era : Ele pára o carro.  Como fica: Ele para o carro.  Com era : Ele foi ao pólo Norte.  Como fica: Ele foi ao polo Norte.  Como era : Ele gosta de jogar pólo.( jogo)  Como fica:Ele gosta de jogar polo.(jogo)  Como era : Esse gato tem pêlos brancos.  Como fica :Esse gato tem pelos brancos.  Como era : Comi uma pêra.  Como fica :Comi uma pera.
  • 12. Atenção  Permanece o acento diferencial em pôde/pode. Pôde é a forma do passado do verbo poder (pretérito perfeito do indicativo), na 3ª pessoa do singular. Pode é a forma do presente do indicativo, na 3ª pessoa do singular. Exemplo: Ontem, ele não pôde sair mais cedo, mas hoje ele pode.  Permanece o acento diferencial em pôr/por. Pôr é verbo. Por é preposição. Exemplo: Vou pôr o livro na estante que foi feita por mim.
  • 13. Permanecem os acentos que diferenciam o singular do plural dos verbos ter e vir, assim como de seus derivados (manter, deter, reter, conter, convir, intervir, advir etc.). Exemplos: Ele tem dois carros. / Eles têm dois carros. Ele vem de Sorocaba. / Eles vêm de Sorocaba. Ele mantém a palavra. / Eles mantêm a palavra. Ele convém aos estudantes. / Eles convêm aos estudantes. Ele detém o poder. / Eles detêm o poder. Ele intervém em todas as aulas. / Eles intervêm em todas as aulas.
  • 14. Usa-se o hífen nas palavras compostas que não apresentam elementos de ligação. Exemplos: guarda-chuva, arco-íris, boa-fé, segunda-feira, mesa-redonda, vaga-lume, joão-ninguém, porta-malas, porta-bandeira, pão-duro, bate-boca.  Exceções: Não se usa o hífen em certas palavras que perderam a noção de composição, como girassol, madressilva, mandachuva, pontapé, paraquedas, paraquedista, paraquedismo.
  • 15. Usa-se o hífen em compostos que têm palavras iguais ou quase iguais, sem elementos de ligação. Exemplos: reco-reco, blá-blá-blá, zum- zum, tico-tico, tique-taque, cri-cri, glu-glu, rom-rom, pingue-pongue, zigue-zague, esconde-esconde, pega-pega, corre-corre. Não se usa o hífen em compostos que apresentam elementos de ligação. Exemplos: pé de moleque, pé de vento, pai de todos, dia a dia, fim de semana, cor de vinho, ponto e vírgula, camisa de força, cara de pau, olho de sogra.
  • 16. Incluem-se nesse caso os compostos de base oracional. Exemplos: maria vai com as outras, leva e traz, diz que diz que, deus me livre, deus nos acuda, cor de burro quando foge, bicho de sete cabeças, faz de conta.  * Exceções: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, ao deus-dará, à queima- roupa, paraquedas, paraquedista,etc.  Obs: para-brisa para-choque para-lama paraquedas paraquedismo paraquedista para-raios
  • 17. Usa-se o hífen nos compostos entre cujos elementos há o emprego do apóstrofo. Exemplos: gota-d'água, pé-d'água.
  • 18. Usa-se o hífen nas palavras compostas derivadas de topônimos (nomes próprios de lugares), com ou sem elementos de ligação. Exemplos: Belo Horizonte - belo-horizontino Porto Alegre - porto-alegrense Mato Grosso do Sul - mato-grossense-do- sul Rio Grande do Norte - rio-grandense-do- norte Á•frica do Sul - sul-africano
  • 19. Usa-se o hífen nos compostos que designam espécies animais e botânicas (nomes de plantas, flores, frutos, raízes, sementes), tenham ou não elementos de ligação. Exemplos: bem-te-vi, peixe-espada, peixe- do-paraíso, mico-leão-dourado, andorinha- da-serra, lebre-da-patagônia, erva-doce, ervilha-de-cheiro, pimenta-do-reino, peroba-do-campo, cravo-da-índia.
  • 20. Obs.: não se usa o hífen, quando os compostos que designam espécies botânicas e zoológicas são empregados fora de seu sentido original. Observe a diferença de sentido entre os pares: a) bico-de-papagaio (espécie de planta ornamental) - bico de papagaio(deformação nas vértebras). b) olho-de-boi (espécie de peixe) - olho de boi (espécie de selo postal).Uso do hífen com prefixos
  • 21. As observações a seguir referem-se ao uso do hífen em palavras formadas por prefixos (anti, super, ultra, sub etc.) ou por elementos que podem funcionar como prefixos (aero, agro, auto, eletro, geo, hidro, macro, micro, mini, multi, neo etc.).
  • 22. Usa-se o hífen diante de palavra iniciada por h. Exemplos: anti-higiênico anti-histórico macro-história mini-hotel macro-história sobre-humano super-homem ultra-humano
  • 23. Usa-se o hífen se o prefixo terminar com a mesma letra com que se inicia a outra palavra. Exemplos: micro-ondas anti-inflacionário sub-bibliotecário inter-regional
  • 24. Não se usa o hífen se o prefixo terminar com letra diferente daquela com que se inicia a outra palavra. Exemplos: autoescola antiaéreo intermunicipal supersônico superinteressante agroindustrial aeroespacial semicírculo
  • 25. Se o prefixo terminar por vogal e a outra palavra começar por r ou s, dobram-se essas letras. Exemplos: minissaia antirracismo
  • 26. Casos particulares  Com os prefixos sub e sob, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada por r. Exemplos: sub-região sub-reitor sub-regional
  • 27. Com os prefixos circum e pan, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por m, n e vogal. Exemplos: circum-murado circum-navegação
  • 28. Usa-se o hífen com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, vice. Exemplos: além-mar além-túmulo aquém-mar ex-aluno ex-diretor ex-hospedeiro ex-prefeito ex-presidente pós-graduação
  • 29. O prefixo co junta-se com o segundo elemento, mesmo quando este se inicia por o ou h. Neste último caso, corta-se o h. Se a palavra seguinte começar com r ou s, dobram-se essas letras. Exemplos: coobrigação coedição coeducar coordenação coabitação coerdeiro corresponsável cosseno cooperar
  • 30. Com os prefixos pre e re, não se usa o hífen, mesmo diante de palavras começadas por e. Exemplos: preexistente preelaborar reescrever reedição
  • 31. Não se usa o hífen na formação de palavras com não e quase. Exemplos: (acordo de) não agressão (isto é um) quase delito
  • 32. Com mal*, usa-se o hífen quando a palavra seguinte começar por vogal, h ou l. Exemplos: mal-entendido mal-estar mal-humorado mal-limpo Quando mal significa doença, usa-se o hífen se não houver elemento de ligação. Exemplo: mal- francês. Se houver elemento de ligação, escreve- se sem o hífen. Exemplos: mal de lázaro, mal de sete dias.
  • 33. Usa-se o hífen com sufixos de origem tupi- guarani que representam formas adjetivas, como açu, guaçu, mirim. Exemplos: capim-açu amoré-guaçu anajá-mirim Usa-se o hífen para ligar duas ou mais palavras que ocasionalmente se combinam, formando não propriamente vocábulos, mas encadeamentos vocabulares. Exemplos: ponte Rio-Niterói eixo Rio-São Paulo
  • 34. Para clareza gráfica, se no final da linha a partição de uma palavra ou combinação de palavras coincidir com o hífen, ele deve ser repetido na linha seguinte. Exemplos: Na cidade, conta- -se que ele foi viajar. O diretor foi receber os ex- -alunos.