SlideShare uma empresa Scribd logo
Dubai, 30/03/2014
Estudo de O Livro dos Espíritos
e do Evangelho Segundo o Espiritismo
L.E. – Questão 230
Evangelho Cap. XVII – item 04
Parte 2ª. - Cap. VI – RITA
GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 2
230. Na erraticidade, o Espírito progride?
“Pode melhorar-se muito, tais sejam a vontade e o desejo que
tenha de consegui-lo. Todavia, na existência corporal é que põe
em prática as idéias que adquiriu.”
231. São felizes ou desgraçados os Espíritos errantes?
“Mais ou menos, conforme seus méritos.
Sofrem por efeito das paixões cuja essência conservaram, ou são felizes,
de conformidade com o grau de desmaterialização a que hajam chegado.
Na erraticidade, o Espírito percebe o que lhe falta para ser mais feliz e,
desde então, procura os meios de alcançá-lo. Nem sempre, porém, é
permitido reencarnar como fora de seu agrado, representando isso, para ele,
uma punição.”
Parte 2ª. - Cap. VI – RITA
GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 3
Esta é a terceira obra da série do autor
espiritual André Luiz, composta de 16 livros,
subdividida em duas partes: Coleção A Vida no
Mundo Espiritual e Obras Complementares.
Neste livro, André Luiz em companhia de seu
instrutor Alexandre, desvenda os segredos da
reencarnacao atraves da tarefa dos Espiritos
Missionarios encarregados do processo de
renascimento. É explicado que a morte física
não é o fim e destaca a importância do esforço
próprio na luta pelo auto-aperfeiçoamento…
Parte 2ª. - Cap. VI – RITA
GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 4
• “os processos de
reencarnação, tanto
quanto os da morte
física, diferem ao
infinito, não existindo,
segundo cremos, dois
absolutamente iguais.
As facilidades e
obstáculos estão
subordinados a fatores
numerosos, muitas
vezes relativos ao
estado consciencial dos
próprios interessados
no regresso à Crosta ou
na libertação dos
veículos carnais”.
• “Há companheiros
de grande elevação
que, ao voltarem à
esfera mais densa
em apostolado de
serviço e
iluminação, quase
dispensam o nosso
concurso. Outros
irmãos nossos,
contudo,
procedentes de
zonas inferiores,
necessitam de
cooperação muito
mais complexa”.
• a reencarnação é
o curso repetido
de lições
necessárias. A
esfera da Crosta
é uma escola
divina. E o amor,
por intermédio
das atividades
«intercessórias»,
reconduz
diariamente ao
banco escolar da
carne milhões de
aprendizes.
Parte 2ª. - Cap. VI – RITA
GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 5
A Reencarnação de Segismundo
Seguido pelos amigos, Alexandre aproximou-se de
Segismundo e falou-lhe, bem-humorado:
- Então? Mais forte?
E, acariciando-lhe a face, acrescentou:
- Você deve estar satisfeito: é chegado o momento decisivo.
Todas as nossas expressões de reconhecimento a Deus são
insignificantes, diante da nova oportunidade recebida.
- Sim... - falou Segismundo, arquejante - estou grato... Não se
esqueçam de mim... Com o auxilio necessário.
Parte 2ª. - Cap. VI – RITA
GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 6
E olhando angustiosamente para o meu orientador,
observou, inquieto:
- Tenho receio... Muito receio...
Alexandre sentou-se paternalmente ao lado dele e disse-lhe,
com ternura:
- Não asile o monstro do medo no coração. A hora é de
confiança e coragem. Ouça, Segismundo! Se você guarda
alguma preocupação, divida conosco os seus pesares, fale de
tudo o que constitua dificuldade em seu intimo! Abra sua
alma, querido amigo! Lembre-se de que o instante da
passagem definitiva de plano se aproxima. Torna-se
indispensável manter o pensamento puro, lavado de todos os
detritos!
Parte 2ª. - Cap. VI – RITA
GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 7
O interlocutor deixou cair algumas lágrimas e conversou
com esforço:
- Sabe que empreendi pequenina obra de socorro, nas
cercanias de nossa colônia espiritual... A obra foi autorizada
pelos nossos Maiores e... Apesar do bom funcionamento...
Sinto que não está terminada e que tenho em sua estrutura
grandes responsabilidades... Não sei se fiz bem... Pedindo
agora o retorno à Crosta do Mundo, antes de consolidar meu
trabalho... Entretanto... Reconheci que para seguir além...
Precisava reconciliar-me com a própria consciência, buscando
os adversários de outro tempo... A fim de resgatar minhas
faltas...
Parte 2ª. - Cap. VI – RITA
GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 8
E enquanto o instrutor e os demais amigos o acompanhavam,
em silêncio, Segismundo prosseguia:
- Foi por isto... Que insisti tanto pela obtenção de minha
volta... Como poderia conduzir os outros à plena conversão
espiritual... Diante dos ensinamentos do Cristo... Sem haver
pago minhas próprias dívidas? Como ensinar os irmãos
sofredores... Sofrendo eu mesmo... Dolorosas chagas em
virtude do passado cruel? Agora, porém... Que se aproxima o
recomeço difícil... Tortura-me o receio de errar novamente...
Quando Raquel e Adelino voltaram... Prometeram-me
amparos fraternais e estou certo... De que serão dois
benfeitores para mim... No entanto... Afligem-me receios e
ansiedades ante o futuro desconhecido...
Parte 2ª. - Cap. VI – RITA
GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 9
Alexandre:
_Não adianta inquietar-se tanto, meu amigo! Desprenda-se de suas criações
aqui. Todas as nossas obras, efetuadas de acordo com as leis divinas, sustentam-
se por si mesmas e esperam-nos em qualquer tempo para a colheita de
saborosos frutos de alegria eterna.
Esteja, portanto, calmo e feliz. Sua insistência
pelo regresso atual aos círculos terrenos foi
muito bem lembrado. O resgate do desvio de
outra época concederá ao seu espírito uma luz
nova e mais brilhante.
Persevere no seu propósito. Valer-se
da escola, receber-lhe a orientação
sublime, assenhorear-se-lhe dos
benefícios, representa a maior
felicidade do aluno fiel.
Assim, pois, Segismundo, a sua felicidade de voltar agora à esfera carnal é muito
grande. Lave a sua mente na água viva da confiança em Deus, e caminhe. Para a nova
experiência você não pode levar senão o patrimônio divino já adquirido com o seu
esforço para a vida eterna, constituída pelas idéias enobrecedoras e pelas luzes
intimas que o seu espírito já conquistou.
Parte 2ª. - Cap. VI – RITA
GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 10
Se a leitura te assombra, se as afirmativas do Mensageiro te
parecem revolucionárias, recorre à oração e agradece ao
Senhor o aprendizado, pedindo-lhe te esclareça e ilumine, para
que a ilusão não te retenha em suas malhas.
Lembra-te de que a revelação da verdade é progressiva e,
rogando o socorro divino para o teu coração, atende aos
sagrados deveres que a Terra te designou para cada dia,
EMMANUEL
Pedro Leopoldo, 13 de maio de 1945.
(Prefacio do Livro Missionários da Luz
consciente de que a morte do corpo não te conduzirá à
estagnação e sim a novos campos de aperfeiçoamento e
trabalho, de renovação e luta bendita, onde viverás
muito mais, e mais intensamente.
Dubai, 05/02/2013
O Evangelho Segundo o Espiritismo
Cap. XVII – SEDE PERFEITOS
Item 4 – Os bons espíritas
Cap. XVII – SEDE PERFEITOS
GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 12
Item 4 – Os bons espíritas
Bem compreendido, mas sobretudo bem sentido, o Espiritismo leva aos resultados
acima expostos (o homem de bem), que caracterizam o verdadeiro espírita, como o
cristão verdadeiro, pois que um o mesmo é que outro. O Espiritismo não institui
nenhuma nova moral; apenas facilita aos homens a inteligência e a prática da do Cristo,
facultando fé inabalável e esclarecida aos que duvidam ou vacilam.
Aquele que pode ser, com razão,
qualificado de espírita verdadeiro
e sincero, se acha em grau
superior de adiantamento moral.
O Espírito, que nele domina de
modo mais completo a matéria,
dá-lhe uma percepção mais clara
do futuro; os princípios da
Doutrina lhe fazem vibrar fibras
que nos outros se conservam
inertes.
Em suma: é tocado no coração, pelo
que inabalável se lhe torna a fé. Um é qual
músico que alguns acordes bastam para
comover, ao passo que outro apenas ouve
sons.
Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua
transformação moral e pelos esforços que
emprega para domar suas inclinações más.
Enquanto um se contenta com o seu horizonte
limitado, outro, que apreende alguma coisa de
melhor, se esforça por desligar-se dele e
sempre o consegue, se tem firme a vontade.
Cap. XVII – SEDE PERFEITOS
O homem que uma vez
compreendeu toda a grandez dessa
Doutrina, não mais poderá acusar Deus de
injustica e parcialidade. Sabera que cada
qual, no mundo, ocupa o seu lugar, que
toda a alma esta sujeita às provaçoes que
mereceu ou desejou.
A religião de Jesus nao é exclusivista:
une todas as almas crentes num vinvulo
comum, prende todos os seres que pensam,
sentem, amam e sofrem,
num mesmo amplexo e
uma so comununhão de AMOR.
Leon Denis, Livro Cristianismo e Espiritismo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olhoO argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olho
home
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
JulianoCarvalho29
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Izabel Cristina Fonseca
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
Denise Aguiar
 
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Denise Aguiar
 
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
igmateus
 
ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espíritoESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
grupodepaisceb
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
Jose Luiz Maio
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
Norberto Tomasini Jr
 
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na práticaPalestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Divulgador do Espiritismo
 
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Divulgador do Espiritismo
 
Reconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.pptReconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.ppt
Vanda Machado
 
Palestra dai de graça...
Palestra  dai de graça...Palestra  dai de graça...
Palestra dai de graça...
virginiacarisioscalia
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
Unesp
 
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda... Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Tiburcio Santos
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
Jorge Luiz dos Santos
 
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos PrudentesMistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
Grupo Espírita Cristão
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
Sergio Menezes
 

Mais procurados (20)

O argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olhoO argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olho
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
 
Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
 
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
 
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
 
ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espíritoESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
ESE - Capítulo VII - Bem-aventurados os pobres de espírito
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 24 a 33
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
 
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na práticaPalestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
 
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
Palestra Espírita - Ação da prece (transmissão do pensamento)
 
Reconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.pptReconhece cristao l.ppt
Reconhece cristao l.ppt
 
Palestra dai de graça...
Palestra  dai de graça...Palestra  dai de graça...
Palestra dai de graça...
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
 
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda... Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos PrudentesMistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
MistéRios Ocultos Aos Doutos E Aos Prudentes
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
 

Semelhante a Livro dos Espiritos Q. 230 Evangelho Cap 17 4

Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 02 Aniceto
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 02 AnicetoEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 02 Aniceto
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 02 Aniceto
Jose Luiz Maio
 
Segunda parte iv iluminação - trabalho
Segunda parte   iv iluminação - trabalhoSegunda parte   iv iluminação - trabalho
Segunda parte iv iluminação - trabalho
Fatoze
 
Estudo do livro Roteiro lição 40
Estudo do livro Roteiro lição 40Estudo do livro Roteiro lição 40
Estudo do livro Roteiro lição 40
Candice Gunther
 
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Patricia Farias
 
Os Mensageiros Estudo do Capitulo 02
Os Mensageiros  Estudo do Capitulo 02Os Mensageiros  Estudo do Capitulo 02
Os Mensageiros Estudo do Capitulo 02
Patricia Farias
 
Estudo do livro Roteiro lição 39
Estudo do livro Roteiro lição 39Estudo do livro Roteiro lição 39
Estudo do livro Roteiro lição 39
Candice Gunther
 
Entusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidadeEntusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidade
Helio Cruz
 
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de UrântiaUma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
Estudiantes Urantia
 
O homem e as bem aventuranças
O homem e as bem aventurançasO homem e as bem aventuranças
O homem e as bem aventuranças
Helio Cruz
 
Voltei irmao jacob
Voltei irmao jacobVoltei irmao jacob
Voltei irmão jacob
Voltei irmão jacobVoltei irmão jacob
Voltei irmão jacob
Antonio SSantos
 
O homem e as bem aventuranças
O homem e as bem aventurançasO homem e as bem aventuranças
O homem e as bem aventuranças
Helio Cruz
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço CristãoEvangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
Ricardo Azevedo
 
Livro dos espiritos Q225 Evangelho16 12
Livro dos espiritos Q225 Evangelho16 12Livro dos espiritos Q225 Evangelho16 12
Livro dos espiritos Q225 Evangelho16 12
Patricia Farias
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 RenovaçãoEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
Jose Luiz Maio
 
Osbem aventurados pg
Osbem aventurados pgOsbem aventurados pg
Osbem aventurados pg
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Livro dos Espíritos 196 Evangelho13 20
Livro dos Espíritos 196 Evangelho13 20Livro dos Espíritos 196 Evangelho13 20
Livro dos Espíritos 196 Evangelho13 20
Patricia Farias
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos IssoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Ricardo Azevedo
 
Chama de luz 95
Chama de luz 95Chama de luz 95
Chama de luz 95
Neusa Brotto
 
Transformacao interior e regeneracao 2013
Transformacao interior e regeneracao 2013Transformacao interior e regeneracao 2013
Transformacao interior e regeneracao 2013
Fatima Carvalho
 

Semelhante a Livro dos Espiritos Q. 230 Evangelho Cap 17 4 (20)

Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 02 Aniceto
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 02 AnicetoEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 02 Aniceto
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 02 Aniceto
 
Segunda parte iv iluminação - trabalho
Segunda parte   iv iluminação - trabalhoSegunda parte   iv iluminação - trabalho
Segunda parte iv iluminação - trabalho
 
Estudo do livro Roteiro lição 40
Estudo do livro Roteiro lição 40Estudo do livro Roteiro lição 40
Estudo do livro Roteiro lição 40
 
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
 
Os Mensageiros Estudo do Capitulo 02
Os Mensageiros  Estudo do Capitulo 02Os Mensageiros  Estudo do Capitulo 02
Os Mensageiros Estudo do Capitulo 02
 
Estudo do livro Roteiro lição 39
Estudo do livro Roteiro lição 39Estudo do livro Roteiro lição 39
Estudo do livro Roteiro lição 39
 
Entusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidadeEntusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidade
 
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de UrântiaUma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
Uma Liderança Sábia Para a Promoção eficaz da Revelação de Urântia
 
O homem e as bem aventuranças
O homem e as bem aventurançasO homem e as bem aventuranças
O homem e as bem aventuranças
 
Voltei irmao jacob
Voltei irmao jacobVoltei irmao jacob
Voltei irmao jacob
 
Voltei irmão jacob
Voltei irmão jacobVoltei irmão jacob
Voltei irmão jacob
 
O homem e as bem aventuranças
O homem e as bem aventurançasO homem e as bem aventuranças
O homem e as bem aventuranças
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço CristãoEvangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
 
Livro dos espiritos Q225 Evangelho16 12
Livro dos espiritos Q225 Evangelho16 12Livro dos espiritos Q225 Evangelho16 12
Livro dos espiritos Q225 Evangelho16 12
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 RenovaçãoEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
 
Osbem aventurados pg
Osbem aventurados pgOsbem aventurados pg
Osbem aventurados pg
 
Livro dos Espíritos 196 Evangelho13 20
Livro dos Espíritos 196 Evangelho13 20Livro dos Espíritos 196 Evangelho13 20
Livro dos Espíritos 196 Evangelho13 20
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos IssoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
 
Chama de luz 95
Chama de luz 95Chama de luz 95
Chama de luz 95
 
Transformacao interior e regeneracao 2013
Transformacao interior e regeneracao 2013Transformacao interior e regeneracao 2013
Transformacao interior e regeneracao 2013
 

Mais de Patricia Farias

evangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptxevangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptxevangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptxevangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptxevangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptxevangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptxevangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptxevangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptxevangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptx
Patricia Farias
 
Evangelho cap14 item1
Evangelho cap14 item1Evangelho cap14 item1
Evangelho cap14 item1
Patricia Farias
 
Evangelho cap14 item7
Evangelho cap14 item7Evangelho cap14 item7
Evangelho cap14 item7
Patricia Farias
 
Evangelho Cap14 item9
Evangelho Cap14 item9 Evangelho Cap14 item9
Evangelho Cap14 item9
Patricia Farias
 
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da ViuvaEvangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Patricia Farias
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
Patricia Farias
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
Patricia Farias
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
Patricia Farias
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
Patricia Farias
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
Patricia Farias
 
Evangelho cap12 item1
Evangelho cap12 item1Evangelho cap12 item1
Evangelho cap12 item1
Patricia Farias
 
Evangelho cap11 item13
Evangelho cap11 item13Evangelho cap11 item13
Evangelho cap11 item13
Patricia Farias
 
Evangelho cap11 item11
Evangelho cap11 item11Evangelho cap11 item11
Evangelho cap11 item11
Patricia Farias
 

Mais de Patricia Farias (20)

evangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptxevangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptx
 
evangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptxevangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptx
 
evangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptxevangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptx
 
evangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptxevangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptx
 
evangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptxevangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptx
 
evangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptxevangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptx
 
evangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptxevangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptx
 
evangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptxevangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptx
 
Evangelho cap14 item1
Evangelho cap14 item1Evangelho cap14 item1
Evangelho cap14 item1
 
Evangelho cap14 item7
Evangelho cap14 item7Evangelho cap14 item7
Evangelho cap14 item7
 
Evangelho Cap14 item9
Evangelho Cap14 item9 Evangelho Cap14 item9
Evangelho Cap14 item9
 
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da ViuvaEvangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
 
Evangelho cap12 item1
Evangelho cap12 item1Evangelho cap12 item1
Evangelho cap12 item1
 
Evangelho cap11 item13
Evangelho cap11 item13Evangelho cap11 item13
Evangelho cap11 item13
 
Evangelho cap11 item11
Evangelho cap11 item11Evangelho cap11 item11
Evangelho cap11 item11
 

Último

12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 

Último (15)

12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 

Livro dos Espiritos Q. 230 Evangelho Cap 17 4

  • 1. Dubai, 30/03/2014 Estudo de O Livro dos Espíritos e do Evangelho Segundo o Espiritismo L.E. – Questão 230 Evangelho Cap. XVII – item 04
  • 2. Parte 2ª. - Cap. VI – RITA GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 2 230. Na erraticidade, o Espírito progride? “Pode melhorar-se muito, tais sejam a vontade e o desejo que tenha de consegui-lo. Todavia, na existência corporal é que põe em prática as idéias que adquiriu.” 231. São felizes ou desgraçados os Espíritos errantes? “Mais ou menos, conforme seus méritos. Sofrem por efeito das paixões cuja essência conservaram, ou são felizes, de conformidade com o grau de desmaterialização a que hajam chegado. Na erraticidade, o Espírito percebe o que lhe falta para ser mais feliz e, desde então, procura os meios de alcançá-lo. Nem sempre, porém, é permitido reencarnar como fora de seu agrado, representando isso, para ele, uma punição.”
  • 3. Parte 2ª. - Cap. VI – RITA GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 3 Esta é a terceira obra da série do autor espiritual André Luiz, composta de 16 livros, subdividida em duas partes: Coleção A Vida no Mundo Espiritual e Obras Complementares. Neste livro, André Luiz em companhia de seu instrutor Alexandre, desvenda os segredos da reencarnacao atraves da tarefa dos Espiritos Missionarios encarregados do processo de renascimento. É explicado que a morte física não é o fim e destaca a importância do esforço próprio na luta pelo auto-aperfeiçoamento…
  • 4. Parte 2ª. - Cap. VI – RITA GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 4 • “os processos de reencarnação, tanto quanto os da morte física, diferem ao infinito, não existindo, segundo cremos, dois absolutamente iguais. As facilidades e obstáculos estão subordinados a fatores numerosos, muitas vezes relativos ao estado consciencial dos próprios interessados no regresso à Crosta ou na libertação dos veículos carnais”. • “Há companheiros de grande elevação que, ao voltarem à esfera mais densa em apostolado de serviço e iluminação, quase dispensam o nosso concurso. Outros irmãos nossos, contudo, procedentes de zonas inferiores, necessitam de cooperação muito mais complexa”. • a reencarnação é o curso repetido de lições necessárias. A esfera da Crosta é uma escola divina. E o amor, por intermédio das atividades «intercessórias», reconduz diariamente ao banco escolar da carne milhões de aprendizes.
  • 5. Parte 2ª. - Cap. VI – RITA GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 5 A Reencarnação de Segismundo Seguido pelos amigos, Alexandre aproximou-se de Segismundo e falou-lhe, bem-humorado: - Então? Mais forte? E, acariciando-lhe a face, acrescentou: - Você deve estar satisfeito: é chegado o momento decisivo. Todas as nossas expressões de reconhecimento a Deus são insignificantes, diante da nova oportunidade recebida. - Sim... - falou Segismundo, arquejante - estou grato... Não se esqueçam de mim... Com o auxilio necessário.
  • 6. Parte 2ª. - Cap. VI – RITA GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 6 E olhando angustiosamente para o meu orientador, observou, inquieto: - Tenho receio... Muito receio... Alexandre sentou-se paternalmente ao lado dele e disse-lhe, com ternura: - Não asile o monstro do medo no coração. A hora é de confiança e coragem. Ouça, Segismundo! Se você guarda alguma preocupação, divida conosco os seus pesares, fale de tudo o que constitua dificuldade em seu intimo! Abra sua alma, querido amigo! Lembre-se de que o instante da passagem definitiva de plano se aproxima. Torna-se indispensável manter o pensamento puro, lavado de todos os detritos!
  • 7. Parte 2ª. - Cap. VI – RITA GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 7 O interlocutor deixou cair algumas lágrimas e conversou com esforço: - Sabe que empreendi pequenina obra de socorro, nas cercanias de nossa colônia espiritual... A obra foi autorizada pelos nossos Maiores e... Apesar do bom funcionamento... Sinto que não está terminada e que tenho em sua estrutura grandes responsabilidades... Não sei se fiz bem... Pedindo agora o retorno à Crosta do Mundo, antes de consolidar meu trabalho... Entretanto... Reconheci que para seguir além... Precisava reconciliar-me com a própria consciência, buscando os adversários de outro tempo... A fim de resgatar minhas faltas...
  • 8. Parte 2ª. - Cap. VI – RITA GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 8 E enquanto o instrutor e os demais amigos o acompanhavam, em silêncio, Segismundo prosseguia: - Foi por isto... Que insisti tanto pela obtenção de minha volta... Como poderia conduzir os outros à plena conversão espiritual... Diante dos ensinamentos do Cristo... Sem haver pago minhas próprias dívidas? Como ensinar os irmãos sofredores... Sofrendo eu mesmo... Dolorosas chagas em virtude do passado cruel? Agora, porém... Que se aproxima o recomeço difícil... Tortura-me o receio de errar novamente... Quando Raquel e Adelino voltaram... Prometeram-me amparos fraternais e estou certo... De que serão dois benfeitores para mim... No entanto... Afligem-me receios e ansiedades ante o futuro desconhecido...
  • 9. Parte 2ª. - Cap. VI – RITA GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 9 Alexandre: _Não adianta inquietar-se tanto, meu amigo! Desprenda-se de suas criações aqui. Todas as nossas obras, efetuadas de acordo com as leis divinas, sustentam- se por si mesmas e esperam-nos em qualquer tempo para a colheita de saborosos frutos de alegria eterna. Esteja, portanto, calmo e feliz. Sua insistência pelo regresso atual aos círculos terrenos foi muito bem lembrado. O resgate do desvio de outra época concederá ao seu espírito uma luz nova e mais brilhante. Persevere no seu propósito. Valer-se da escola, receber-lhe a orientação sublime, assenhorear-se-lhe dos benefícios, representa a maior felicidade do aluno fiel. Assim, pois, Segismundo, a sua felicidade de voltar agora à esfera carnal é muito grande. Lave a sua mente na água viva da confiança em Deus, e caminhe. Para a nova experiência você não pode levar senão o patrimônio divino já adquirido com o seu esforço para a vida eterna, constituída pelas idéias enobrecedoras e pelas luzes intimas que o seu espírito já conquistou.
  • 10. Parte 2ª. - Cap. VI – RITA GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 10 Se a leitura te assombra, se as afirmativas do Mensageiro te parecem revolucionárias, recorre à oração e agradece ao Senhor o aprendizado, pedindo-lhe te esclareça e ilumine, para que a ilusão não te retenha em suas malhas. Lembra-te de que a revelação da verdade é progressiva e, rogando o socorro divino para o teu coração, atende aos sagrados deveres que a Terra te designou para cada dia, EMMANUEL Pedro Leopoldo, 13 de maio de 1945. (Prefacio do Livro Missionários da Luz consciente de que a morte do corpo não te conduzirá à estagnação e sim a novos campos de aperfeiçoamento e trabalho, de renovação e luta bendita, onde viverás muito mais, e mais intensamente.
  • 11. Dubai, 05/02/2013 O Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. XVII – SEDE PERFEITOS Item 4 – Os bons espíritas
  • 12. Cap. XVII – SEDE PERFEITOS GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 12 Item 4 – Os bons espíritas Bem compreendido, mas sobretudo bem sentido, o Espiritismo leva aos resultados acima expostos (o homem de bem), que caracterizam o verdadeiro espírita, como o cristão verdadeiro, pois que um o mesmo é que outro. O Espiritismo não institui nenhuma nova moral; apenas facilita aos homens a inteligência e a prática da do Cristo, facultando fé inabalável e esclarecida aos que duvidam ou vacilam. Aquele que pode ser, com razão, qualificado de espírita verdadeiro e sincero, se acha em grau superior de adiantamento moral. O Espírito, que nele domina de modo mais completo a matéria, dá-lhe uma percepção mais clara do futuro; os princípios da Doutrina lhe fazem vibrar fibras que nos outros se conservam inertes. Em suma: é tocado no coração, pelo que inabalável se lhe torna a fé. Um é qual músico que alguns acordes bastam para comover, ao passo que outro apenas ouve sons. Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más. Enquanto um se contenta com o seu horizonte limitado, outro, que apreende alguma coisa de melhor, se esforça por desligar-se dele e sempre o consegue, se tem firme a vontade.
  • 13. Cap. XVII – SEDE PERFEITOS O homem que uma vez compreendeu toda a grandez dessa Doutrina, não mais poderá acusar Deus de injustica e parcialidade. Sabera que cada qual, no mundo, ocupa o seu lugar, que toda a alma esta sujeita às provaçoes que mereceu ou desejou. A religião de Jesus nao é exclusivista: une todas as almas crentes num vinvulo comum, prende todos os seres que pensam, sentem, amam e sofrem, num mesmo amplexo e uma so comununhão de AMOR. Leon Denis, Livro Cristianismo e Espiritismo.