SlideShare uma empresa Scribd logo
LITERATURA
NEGRA:
INFANTOJUVENIL
INICIANDO A CONVERSA
A literatura afro-brasileira é
tema de importância
relevante a ser discutido e que está cada vez mais
ganhando espaço no campo literário brasileiro. O estudo
relacionado a esse assunto tem repercutido e tornado
evidente por parte de vários autores afro-brasileiros das
mais diversas áreas de estudos e pesquisas. Essa arte
literária é constituída de uma fonte riquíssima de saber e
conhecimento que abrange tanto a história e cultura afrobrasileira como também africana. Esses conhecimentos
foram trazidos pelos escravos africanos no período colonial
brasileiro, e consequentemente, incorporado pelos afrobrasileiros.
A PASSOS LENTOS
A arte literária afro-brasileira ainda é pouco divulgada
entre o povo brasileiro, mesmo a partir do
surgimento de várias políticas públicas afirmativas
tentarem tornar obrigatória sua inserção nos
conteúdos escolares das instituições de ensino. Ainda
assim, mesmo após alguns anos da lei 10.639/03 ter
passado a vigorar, a discussão com base na questão
que envolve a afro descendência continua quase no
mesmo patamar na realidade das escolas públicas,
pois estes estabelecimentos, e até mesmo os
educadores colocam obstáculos na execução das
políticas públicas afirmativas.
O PAPEL DA ESCOLA
Criar
condições
para
o
desenvolvimento de atitudes de
respeito à diversidade é uma das
responsabilidades
das
escolas
durante toda a Educação Básica.
Para que as crianças aprendam a
valorizar o diferente, é preciso,
desde cedo, trabalhar a questão
rotineiramente e não apenas em
datas comemorativas.
SOB O OLHAR DO EDUCADOR
• Para que haja uma mudança de atitude
referente a esse problema os educadores
precisam enxergar o ambiente escolar como
um espaço de representação e aprendizagem
multicultural que visa, principalmente,
desenvolver e construir relações sociais
positivas para a formação de uma sociedade
mais justa e igualitária em termos de direitos
e cidadania.
• A educação escolar deve ajudar
professor
e
alunos
a
compreenderem que a diferença
entre pessoas, povos e nações é
saudável e enriquecedora; que é
preciso valorizá-la para garantir
a democracia que, entre outros,
significa respeito pelas pessoas e
nações tais como são, com suas
características
próprias
e
individualizadoras; que buscar
soluções e fazê-las vigorar é uma
questão de direitos humanos e
cidadania. (LOPES, 2005, p.189)
• Nessa perspectiva, a
literatura afro-brasileira
representa
um
importante papel na
construção da identidade
étnica brasileira. A partir
dessa reconstrução o
negro tenta resgatar o
máximo de sua dignidade
étnica e racial negada
pelo meio social.
Ao longo do século 20, as
representações dos negros nos
livros
infanto-juvenis
brasileiros
foram
muito
limitadas, refletindo
e, às
vezes, denunciando
as
condições dessas pessoas na
sociedade. "Na literatura, os
papéis reservados aos negros
eram
de
personagens
escravizados, folclóricos ou
submetidos a situações de
exploração e miséria, como as
empregadas domésticas e os
meninos
de
rua".
Se, por um lado, essas figuras
retratam
parte
da
triste
realidade social do país, por
outro, a ausência de negros no
papel de heróis, princesas,
fadas, vilões e outros tantos
arquétipos literários dificulta a
valorização da diversidade. "Para
uma criança negra, é importante
ter referências positivas da
autoimagem. E para todas
as crianças, isso também é
positivo, pois possibilita a
construção de uma imagem
mais plural da sociedade“.
APENAS UMA CONQUISTA...

• No final da década de 80 os livros
infanto-juvenis, publicados no Brasil,
passaram a valorizar a personagem
negra feminina, reforçando seu direito à
existência e à individualidade. Nessas
obras, também, as crianças negras de
diferentes classes e contextos, e não
exclusivamente as crianças brancas,
passaram a ter um papel de
protagonistas sociais. Eis uma conquista
na qual o movimento negro brasileiro
(incluindo o movimento de mulheres
negras), teve papel preponderante.
Uma das possibilidades de ter o respeito às diferentes
etnias presente no cotidiano das crianças é incluir na
atividade permanente de leitura histórias vividas por
representantes dos variados grupos étnicos
desempenhando os mais diversos papéis.
Vale um alerta. Não basta ler histórias
politicamente corretas e terrivelmente chatas.
Os livros têm que ter qualidade literária e trazer
ilustrações bem feitas, afinal, "eles servem como
espelhos para a construção da identidade,
principalmente a das crianças“.
Encontrar um livro com
essas características na
década de 1990 era
difícil. Porém, a partir de
2003, com a lei 10.639
(que inclui o ensino de
história
e
cultura
africanas
e
afrobrasileiras nas escolas),
dezenas
de
obras
interessantes
com
personagens
negros
passaram
a
ser
produzidas.
FINALIZANDO A CONVERSA
• Mesmo que a política social não exerça seu papel
como deveria, cabe a todos os cidadãos
brasileiros fazer valer sua cidadania, quanto a
essa questão tão conflitante para a maioria da
população.
• “No entanto, cremos que a educação é capaz de
oferecer tanto aos jovens como aos adultos a
possibilidade de questionar e desconstruir os
mitos de superioridade e inferioridade entre
grupos humanos que foram introjetado neles
pela cultura racista na qual foram socializados.”
(MUNANGA, 2005, p. 17)
• Enfim, para tornar efetivo o
ensino da literatura afrobrasileira, tendo como base a
relação étnica e racial em sala
de aula, o educador precisa ter
conhecimento das questões que
envolvem o referido assunto,
colocando a discussão para os
alunos de forma positiva e
numa perspectiva inovadora
para que a partir desse ponto
eles reflitam e criem suas
próprias conclusões.
• Relações Étnicos
Raciais;
• OrientadorCristiano Almeida;
• Componentes:
• Ana Maria Cruz;
• Juciara Brito;
• Paula Rauédys.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

"Pedagogia dos Multiletramentos"
"Pedagogia dos Multiletramentos""Pedagogia dos Multiletramentos"
"Pedagogia dos Multiletramentos"
Denise Oliveira
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
Naysa Taboada
 
DIDATICA Didática i aula
DIDATICA Didática i   aulaDIDATICA Didática i   aula
DIDATICA Didática i aula
Leandro Pereira
 
Generos e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais pptGeneros e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais ppt
pnaicdertsis
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
Magda Marques
 
BNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENSBNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENS
Sandra Lourenco
 
Power point, leitura é...
Power point, leitura é...Power point, leitura é...
Power point, leitura é...
Fan Santos
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
Flávio Ferreira
 
Editorial
EditorialEditorial
Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º ano
ClaudiaAdrianaSouzaS
 
Fundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramento
Fundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramentoFundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramento
Fundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramento
Susanne Messias
 
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTOSlides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Edna Monteiro
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Instituto Consciência GO
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
Susanne Messias
 
Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
Jose Arnaldo Silva
 
Características do anúncio publicitário
Características do anúncio publicitárioCaracterísticas do anúncio publicitário
Características do anúncio publicitário
IFMS - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul
 
Currículo escolar
Currículo escolarCurrículo escolar
fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
 fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto) fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
Taty Cruz
 
Multiletramentos: conceitos e concepções, enfoques social, histórico e cultural
Multiletramentos: conceitos e concepções, enfoques social, histórico e culturalMultiletramentos: conceitos e concepções, enfoques social, histórico e cultural
Multiletramentos: conceitos e concepções, enfoques social, histórico e cultural
Denise Oliveira
 

Mais procurados (20)

"Pedagogia dos Multiletramentos"
"Pedagogia dos Multiletramentos""Pedagogia dos Multiletramentos"
"Pedagogia dos Multiletramentos"
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
DIDATICA Didática i aula
DIDATICA Didática i   aulaDIDATICA Didática i   aula
DIDATICA Didática i aula
 
Generos e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais pptGeneros e tipos textuais ppt
Generos e tipos textuais ppt
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Curriculo
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
 
BNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENSBNCC - LINGUAGENS
BNCC - LINGUAGENS
 
Power point, leitura é...
Power point, leitura é...Power point, leitura é...
Power point, leitura é...
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
 
Editorial
EditorialEditorial
Editorial
 
Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º ano
 
Fundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramento
Fundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramentoFundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramento
Fundamentos teoricos e metodologicos da alfabetização e do letramento
 
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTOSlides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
 
Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
 
Características do anúncio publicitário
Características do anúncio publicitárioCaracterísticas do anúncio publicitário
Características do anúncio publicitário
 
Currículo escolar
Currículo escolarCurrículo escolar
Currículo escolar
 
fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
 fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto) fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
 
Multiletramentos: conceitos e concepções, enfoques social, histórico e cultural
Multiletramentos: conceitos e concepções, enfoques social, histórico e culturalMultiletramentos: conceitos e concepções, enfoques social, histórico e cultural
Multiletramentos: conceitos e concepções, enfoques social, histórico e cultural
 

Destaque

O cabelo de lelê
O cabelo de lelêO cabelo de lelê
O cabelo de lelê
professoraneves
 
Explorando o texto a princesa e a ervilha
 Explorando o texto a princesa e a ervilha Explorando o texto a princesa e a ervilha
Explorando o texto a princesa e a ervilha
pipatcleopoldina
 
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilha
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilhaGrelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilha
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilha
Luísa Marques
 
O preconceito nos contos de fadas
O preconceito nos contos de fadasO preconceito nos contos de fadas
O preconceito nos contos de fadas
Clarice-Borges
 
História da princesa Violeta
História da princesa VioletaHistória da princesa Violeta
História da princesa Violetajinfcorredoura
 
Princesas africanas livros
Princesas africanas   livrosPrincesas africanas   livros
Princesas africanas livros
Regina Celi Rocha
 
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilhaSequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
Roseli Aparecida Tavares
 
Histórias infantis e contos power point
Histórias infantis e contos power pointHistórias infantis e contos power point
Histórias infantis e contos power point
dione mompean fernandes
 

Destaque (8)

O cabelo de lelê
O cabelo de lelêO cabelo de lelê
O cabelo de lelê
 
Explorando o texto a princesa e a ervilha
 Explorando o texto a princesa e a ervilha Explorando o texto a princesa e a ervilha
Explorando o texto a princesa e a ervilha
 
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilha
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilhaGrelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilha
Grelha de análise de trabalhos a princesa e a ervilha
 
O preconceito nos contos de fadas
O preconceito nos contos de fadasO preconceito nos contos de fadas
O preconceito nos contos de fadas
 
História da princesa Violeta
História da princesa VioletaHistória da princesa Violeta
História da princesa Violeta
 
Princesas africanas livros
Princesas africanas   livrosPrincesas africanas   livros
Princesas africanas livros
 
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilhaSequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
 
Histórias infantis e contos power point
Histórias infantis e contos power pointHistórias infantis e contos power point
Histórias infantis e contos power point
 

Semelhante a Literatura negra infanto juvenil

cultura afro
cultura afrocultura afro
cultura afro
Adriana Chaves Magri
 
Literatura afrobrasileira
Literatura afrobrasileiraLiteratura afrobrasileira
Literatura afrobrasileira
Rosangela Nascimento
 
Literaturaafrobrasileira 130902150849-phpapp01 (1)
Literaturaafrobrasileira 130902150849-phpapp01 (1)Literaturaafrobrasileira 130902150849-phpapp01 (1)
Literaturaafrobrasileira 130902150849-phpapp01 (1)
Maria Anunciada Nery Rodrigues
 
Florentina Souza
Florentina SouzaFlorentina Souza
Florentina Souza
RODRIGO ORION
 
Monografia Ângela Pedagogia 2009
Monografia Ângela Pedagogia 2009Monografia Ângela Pedagogia 2009
Monografia Ângela Pedagogia 2009
Biblioteca Campus VII
 
Gt1 racismo e_infância
Gt1 racismo e_infânciaGt1 racismo e_infância
Gt1 racismo e_infância
Poliana Rezende
 
A chegada dos portugueses por simone helen drumond
A chegada dos portugueses por simone helen drumondA chegada dos portugueses por simone helen drumond
A chegada dos portugueses por simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Ensino de história e diversidade cultural ricardo oriá
Ensino de história e diversidade cultural   ricardo oriáEnsino de história e diversidade cultural   ricardo oriá
Ensino de história e diversidade cultural ricardo oriá
Eduardo Dantas
 
Artigo de karem e tonia
Artigo de karem  e toniaArtigo de karem  e tonia
Artigo de karem e tonia
Karem Leidiane
 
Artigo de karem e tonia
Artigo de karem  e toniaArtigo de karem  e tonia
Artigo de karem e tonia
Karem Leidiane
 
O ensino de História da África e dos Africanos no Brasil
O ensino de História da África e dos Africanos no Brasil O ensino de História da África e dos Africanos no Brasil
O ensino de História da África e dos Africanos no Brasil
Historia_da_Africa
 
11 cultura afro brasileira e cultura indígena
11 cultura afro brasileira e cultura indígena11 cultura afro brasileira e cultura indígena
11 cultura afro brasileira e cultura indígena
primeiraopcao
 
Inclusao da historia cultura afro-brasileira e indigena nos currículos
Inclusao da historia cultura afro-brasileira e indigena nos currículosInclusao da historia cultura afro-brasileira e indigena nos currículos
Inclusao da historia cultura afro-brasileira e indigena nos currículos
Wilson
 
Historia afro
Historia afroHistoria afro
Historia afro
Aline Oliveira Vieira
 
Relações Étnico Raciais
Relações Étnico RaciaisRelações Étnico Raciais
Relações Étnico Raciais
Junior Ozono
 
Artigo RIBEIRO, A. Lei 10.639 e o PEPIR-GO
Artigo RIBEIRO, A. Lei 10.639 e o PEPIR-GOArtigo RIBEIRO, A. Lei 10.639 e o PEPIR-GO
Artigo RIBEIRO, A. Lei 10.639 e o PEPIR-GO
Mara Ribeiro
 
A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA AFRICANA NAS AULAS DE HISTÓRIA: ABORDAGENS DE AMK...
A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA AFRICANA NAS AULAS DE HISTÓRIA: ABORDAGENS DE AMK...A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA AFRICANA NAS AULAS DE HISTÓRIA: ABORDAGENS DE AMK...
A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA AFRICANA NAS AULAS DE HISTÓRIA: ABORDAGENS DE AMK...
Josedalva Farias Dos Santos
 
história e cultura afro brasileira e africana
história e cultura afro brasileira e africanahistória e cultura afro brasileira e africana
história e cultura afro brasileira e africana
culturaafro
 
Monografia Noêmia Pedagogia 2009
Monografia Noêmia Pedagogia 2009Monografia Noêmia Pedagogia 2009
Monografia Noêmia Pedagogia 2009
Biblioteca Campus VII
 
Os mitos e lendas na dinâmica das religiões de matriz africana.
Os mitos e lendas na dinâmica das religiões de matriz africana.Os mitos e lendas na dinâmica das religiões de matriz africana.
Os mitos e lendas na dinâmica das religiões de matriz africana.
Aline Sesti Cerutti
 

Semelhante a Literatura negra infanto juvenil (20)

cultura afro
cultura afrocultura afro
cultura afro
 
Literatura afrobrasileira
Literatura afrobrasileiraLiteratura afrobrasileira
Literatura afrobrasileira
 
Literaturaafrobrasileira 130902150849-phpapp01 (1)
Literaturaafrobrasileira 130902150849-phpapp01 (1)Literaturaafrobrasileira 130902150849-phpapp01 (1)
Literaturaafrobrasileira 130902150849-phpapp01 (1)
 
Florentina Souza
Florentina SouzaFlorentina Souza
Florentina Souza
 
Monografia Ângela Pedagogia 2009
Monografia Ângela Pedagogia 2009Monografia Ângela Pedagogia 2009
Monografia Ângela Pedagogia 2009
 
Gt1 racismo e_infância
Gt1 racismo e_infânciaGt1 racismo e_infância
Gt1 racismo e_infância
 
A chegada dos portugueses por simone helen drumond
A chegada dos portugueses por simone helen drumondA chegada dos portugueses por simone helen drumond
A chegada dos portugueses por simone helen drumond
 
Ensino de história e diversidade cultural ricardo oriá
Ensino de história e diversidade cultural   ricardo oriáEnsino de história e diversidade cultural   ricardo oriá
Ensino de história e diversidade cultural ricardo oriá
 
Artigo de karem e tonia
Artigo de karem  e toniaArtigo de karem  e tonia
Artigo de karem e tonia
 
Artigo de karem e tonia
Artigo de karem  e toniaArtigo de karem  e tonia
Artigo de karem e tonia
 
O ensino de História da África e dos Africanos no Brasil
O ensino de História da África e dos Africanos no Brasil O ensino de História da África e dos Africanos no Brasil
O ensino de História da África e dos Africanos no Brasil
 
11 cultura afro brasileira e cultura indígena
11 cultura afro brasileira e cultura indígena11 cultura afro brasileira e cultura indígena
11 cultura afro brasileira e cultura indígena
 
Inclusao da historia cultura afro-brasileira e indigena nos currículos
Inclusao da historia cultura afro-brasileira e indigena nos currículosInclusao da historia cultura afro-brasileira e indigena nos currículos
Inclusao da historia cultura afro-brasileira e indigena nos currículos
 
Historia afro
Historia afroHistoria afro
Historia afro
 
Relações Étnico Raciais
Relações Étnico RaciaisRelações Étnico Raciais
Relações Étnico Raciais
 
Artigo RIBEIRO, A. Lei 10.639 e o PEPIR-GO
Artigo RIBEIRO, A. Lei 10.639 e o PEPIR-GOArtigo RIBEIRO, A. Lei 10.639 e o PEPIR-GO
Artigo RIBEIRO, A. Lei 10.639 e o PEPIR-GO
 
A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA AFRICANA NAS AULAS DE HISTÓRIA: ABORDAGENS DE AMK...
A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA AFRICANA NAS AULAS DE HISTÓRIA: ABORDAGENS DE AMK...A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA AFRICANA NAS AULAS DE HISTÓRIA: ABORDAGENS DE AMK...
A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA AFRICANA NAS AULAS DE HISTÓRIA: ABORDAGENS DE AMK...
 
história e cultura afro brasileira e africana
história e cultura afro brasileira e africanahistória e cultura afro brasileira e africana
história e cultura afro brasileira e africana
 
Monografia Noêmia Pedagogia 2009
Monografia Noêmia Pedagogia 2009Monografia Noêmia Pedagogia 2009
Monografia Noêmia Pedagogia 2009
 
Os mitos e lendas na dinâmica das religiões de matriz africana.
Os mitos e lendas na dinâmica das religiões de matriz africana.Os mitos e lendas na dinâmica das religiões de matriz africana.
Os mitos e lendas na dinâmica das religiões de matriz africana.
 

Mais de Juciara Brito

Relevo
RelevoRelevo
Atividades Lúdicas Auxiliando a Aprendizagem da matemática do 5 ano.
Atividades Lúdicas Auxiliando a Aprendizagem da matemática do 5 ano.Atividades Lúdicas Auxiliando a Aprendizagem da matemática do 5 ano.
Atividades Lúdicas Auxiliando a Aprendizagem da matemática do 5 ano.
Juciara Brito
 
plano de aula detalhado " Bruna e a galinha D'angola"
plano de aula detalhado " Bruna e a galinha D'angola"plano de aula detalhado " Bruna e a galinha D'angola"
plano de aula detalhado " Bruna e a galinha D'angola"
Juciara Brito
 
Há cor na educação ( projeto elaborado para o pacto 2013)
Há cor na educação ( projeto elaborado para o pacto 2013)Há cor na educação ( projeto elaborado para o pacto 2013)
Há cor na educação ( projeto elaborado para o pacto 2013)
Juciara Brito
 
ANIMAIS VERTEBRADOS E INVERTEBRADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ANIMAIS VERTEBRADOS E INVERTEBRADOS NA EDUCAÇÃO INFANTILANIMAIS VERTEBRADOS E INVERTEBRADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ANIMAIS VERTEBRADOS E INVERTEBRADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Juciara Brito
 
MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTAL
MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTALMODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTAL
MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTAL
Juciara Brito
 
Slide escola trad. e nova
Slide escola trad. e novaSlide escola trad. e nova
Slide escola trad. e nova
Juciara Brito
 
Slide fundef x fundeb
Slide fundef x fundebSlide fundef x fundeb
Slide fundef x fundeb
Juciara Brito
 
As pessoasquefazempartedenossavida
As pessoasquefazempartedenossavidaAs pessoasquefazempartedenossavida
As pessoasquefazempartedenossavida
Juciara Brito
 
Lenda chinesa
Lenda chinesaLenda chinesa
Lenda chinesa
Juciara Brito
 
Painel comparativo
Painel comparativoPainel comparativo
Painel comparativo
Juciara Brito
 
Revista slide
Revista slideRevista slide
Revista slide
Juciara Brito
 
O problema da afetividade
O problema da afetividade O problema da afetividade
O problema da afetividade
Juciara Brito
 
Slide do projeto
Slide do projetoSlide do projeto
Slide do projeto
Juciara Brito
 
Seminário
SeminárioSeminário
Seminário
Juciara Brito
 
Há cor na educação
Há cor na educaçãoHá cor na educação
Há cor na educação
Juciara Brito
 
Apresentação do projeto
Apresentação do projetoApresentação do projeto
Apresentação do projeto
Juciara Brito
 
Novo(a) apresentação do microsoft power point
Novo(a) apresentação do microsoft power pointNovo(a) apresentação do microsoft power point
Novo(a) apresentação do microsoft power point
Juciara Brito
 

Mais de Juciara Brito (18)

Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
Atividades Lúdicas Auxiliando a Aprendizagem da matemática do 5 ano.
Atividades Lúdicas Auxiliando a Aprendizagem da matemática do 5 ano.Atividades Lúdicas Auxiliando a Aprendizagem da matemática do 5 ano.
Atividades Lúdicas Auxiliando a Aprendizagem da matemática do 5 ano.
 
plano de aula detalhado " Bruna e a galinha D'angola"
plano de aula detalhado " Bruna e a galinha D'angola"plano de aula detalhado " Bruna e a galinha D'angola"
plano de aula detalhado " Bruna e a galinha D'angola"
 
Há cor na educação ( projeto elaborado para o pacto 2013)
Há cor na educação ( projeto elaborado para o pacto 2013)Há cor na educação ( projeto elaborado para o pacto 2013)
Há cor na educação ( projeto elaborado para o pacto 2013)
 
ANIMAIS VERTEBRADOS E INVERTEBRADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ANIMAIS VERTEBRADOS E INVERTEBRADOS NA EDUCAÇÃO INFANTILANIMAIS VERTEBRADOS E INVERTEBRADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ANIMAIS VERTEBRADOS E INVERTEBRADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTAL
MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTALMODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTAL
MODELOS EDUCACIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS SURDOS - COMUNICAÇÃO TOTAL
 
Slide escola trad. e nova
Slide escola trad. e novaSlide escola trad. e nova
Slide escola trad. e nova
 
Slide fundef x fundeb
Slide fundef x fundebSlide fundef x fundeb
Slide fundef x fundeb
 
As pessoasquefazempartedenossavida
As pessoasquefazempartedenossavidaAs pessoasquefazempartedenossavida
As pessoasquefazempartedenossavida
 
Lenda chinesa
Lenda chinesaLenda chinesa
Lenda chinesa
 
Painel comparativo
Painel comparativoPainel comparativo
Painel comparativo
 
Revista slide
Revista slideRevista slide
Revista slide
 
O problema da afetividade
O problema da afetividade O problema da afetividade
O problema da afetividade
 
Slide do projeto
Slide do projetoSlide do projeto
Slide do projeto
 
Seminário
SeminárioSeminário
Seminário
 
Há cor na educação
Há cor na educaçãoHá cor na educação
Há cor na educação
 
Apresentação do projeto
Apresentação do projetoApresentação do projeto
Apresentação do projeto
 
Novo(a) apresentação do microsoft power point
Novo(a) apresentação do microsoft power pointNovo(a) apresentação do microsoft power point
Novo(a) apresentação do microsoft power point
 

Último

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 

Último (20)

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 

Literatura negra infanto juvenil

  • 2. INICIANDO A CONVERSA A literatura afro-brasileira é tema de importância relevante a ser discutido e que está cada vez mais ganhando espaço no campo literário brasileiro. O estudo relacionado a esse assunto tem repercutido e tornado evidente por parte de vários autores afro-brasileiros das mais diversas áreas de estudos e pesquisas. Essa arte literária é constituída de uma fonte riquíssima de saber e conhecimento que abrange tanto a história e cultura afrobrasileira como também africana. Esses conhecimentos foram trazidos pelos escravos africanos no período colonial brasileiro, e consequentemente, incorporado pelos afrobrasileiros.
  • 3. A PASSOS LENTOS A arte literária afro-brasileira ainda é pouco divulgada entre o povo brasileiro, mesmo a partir do surgimento de várias políticas públicas afirmativas tentarem tornar obrigatória sua inserção nos conteúdos escolares das instituições de ensino. Ainda assim, mesmo após alguns anos da lei 10.639/03 ter passado a vigorar, a discussão com base na questão que envolve a afro descendência continua quase no mesmo patamar na realidade das escolas públicas, pois estes estabelecimentos, e até mesmo os educadores colocam obstáculos na execução das políticas públicas afirmativas.
  • 4. O PAPEL DA ESCOLA Criar condições para o desenvolvimento de atitudes de respeito à diversidade é uma das responsabilidades das escolas durante toda a Educação Básica. Para que as crianças aprendam a valorizar o diferente, é preciso, desde cedo, trabalhar a questão rotineiramente e não apenas em datas comemorativas.
  • 5. SOB O OLHAR DO EDUCADOR • Para que haja uma mudança de atitude referente a esse problema os educadores precisam enxergar o ambiente escolar como um espaço de representação e aprendizagem multicultural que visa, principalmente, desenvolver e construir relações sociais positivas para a formação de uma sociedade mais justa e igualitária em termos de direitos e cidadania.
  • 6. • A educação escolar deve ajudar professor e alunos a compreenderem que a diferença entre pessoas, povos e nações é saudável e enriquecedora; que é preciso valorizá-la para garantir a democracia que, entre outros, significa respeito pelas pessoas e nações tais como são, com suas características próprias e individualizadoras; que buscar soluções e fazê-las vigorar é uma questão de direitos humanos e cidadania. (LOPES, 2005, p.189)
  • 7. • Nessa perspectiva, a literatura afro-brasileira representa um importante papel na construção da identidade étnica brasileira. A partir dessa reconstrução o negro tenta resgatar o máximo de sua dignidade étnica e racial negada pelo meio social.
  • 8. Ao longo do século 20, as representações dos negros nos livros infanto-juvenis brasileiros foram muito limitadas, refletindo e, às vezes, denunciando as condições dessas pessoas na sociedade. "Na literatura, os papéis reservados aos negros eram de personagens escravizados, folclóricos ou submetidos a situações de exploração e miséria, como as empregadas domésticas e os meninos de rua".
  • 9. Se, por um lado, essas figuras retratam parte da triste realidade social do país, por outro, a ausência de negros no papel de heróis, princesas, fadas, vilões e outros tantos arquétipos literários dificulta a valorização da diversidade. "Para uma criança negra, é importante ter referências positivas da autoimagem. E para todas as crianças, isso também é positivo, pois possibilita a construção de uma imagem mais plural da sociedade“.
  • 10. APENAS UMA CONQUISTA... • No final da década de 80 os livros infanto-juvenis, publicados no Brasil, passaram a valorizar a personagem negra feminina, reforçando seu direito à existência e à individualidade. Nessas obras, também, as crianças negras de diferentes classes e contextos, e não exclusivamente as crianças brancas, passaram a ter um papel de protagonistas sociais. Eis uma conquista na qual o movimento negro brasileiro (incluindo o movimento de mulheres negras), teve papel preponderante.
  • 11. Uma das possibilidades de ter o respeito às diferentes etnias presente no cotidiano das crianças é incluir na atividade permanente de leitura histórias vividas por representantes dos variados grupos étnicos desempenhando os mais diversos papéis.
  • 12. Vale um alerta. Não basta ler histórias politicamente corretas e terrivelmente chatas. Os livros têm que ter qualidade literária e trazer ilustrações bem feitas, afinal, "eles servem como espelhos para a construção da identidade, principalmente a das crianças“.
  • 13. Encontrar um livro com essas características na década de 1990 era difícil. Porém, a partir de 2003, com a lei 10.639 (que inclui o ensino de história e cultura africanas e afrobrasileiras nas escolas), dezenas de obras interessantes com personagens negros passaram a ser produzidas.
  • 14. FINALIZANDO A CONVERSA • Mesmo que a política social não exerça seu papel como deveria, cabe a todos os cidadãos brasileiros fazer valer sua cidadania, quanto a essa questão tão conflitante para a maioria da população. • “No entanto, cremos que a educação é capaz de oferecer tanto aos jovens como aos adultos a possibilidade de questionar e desconstruir os mitos de superioridade e inferioridade entre grupos humanos que foram introjetado neles pela cultura racista na qual foram socializados.” (MUNANGA, 2005, p. 17)
  • 15. • Enfim, para tornar efetivo o ensino da literatura afrobrasileira, tendo como base a relação étnica e racial em sala de aula, o educador precisa ter conhecimento das questões que envolvem o referido assunto, colocando a discussão para os alunos de forma positiva e numa perspectiva inovadora para que a partir desse ponto eles reflitam e criem suas próprias conclusões.
  • 16. • Relações Étnicos Raciais; • OrientadorCristiano Almeida; • Componentes: • Ana Maria Cruz; • Juciara Brito; • Paula Rauédys.