SlideShare uma empresa Scribd logo
Literatura
Literatura
A literatura contemporânea, que alguns
chamam de pós-moderna, é resultado das grandes
mudanças ocorridas da metade do século XX para
cá. Desde os anos 50, houve no mundo todo,
profundas transformações na economia, na política
e, especialmente, na área tecnológica.
Evidentemente, tudo isso se refletiu nas artes em
geral.
Na literatura contemporânea há uma grande
mistura de tendências que conserva muito do
Modernismo, tanto nas artes plásticas quanto na
literatura. Hoje, o dia-a-dia das pessoas é invadido
pela tecnologia de massa – TV, computador,
telefonia celular – o que provocou o que alguns
estudiosos a chamar o mundo de “uma grande
aldeia global”.
Posições do corpo
Sob o azul
sobre o azul
subazul
subsol
subsolo
(Cassiano Ricardo)
Literatura
O desenvolvimento de novas tecnologias de
reprodução e difusão da arte (fotografia,
rádio, cinema, televisão, vídeo,
computador) fez com que a separação entre a
arte considerada culta e a denominada arte
popular fosse desaparecendo.
Um dos objetivos da arte pós-moderna é a
sua comunicabilidade. Por isso, ela promove
a incorporação de todas as estéticas
passadas, combinando-as de modo inovador.
Literatura
A ficção portuguesa contemporânea é marcada
pela heterogeneidade de correntes literárias,não
é possível distinguirmos ou agruparmos os
diferentes escritores em correntes literárias, hoje
em dia é impossível catalogar alguém: "Talvez
daqui a uns anos e com um recuo suficiente se
consigam detectar melhor determinados
parentescos entre autores que depois os levem a
arrumar em determinadas categorias; por
enquanto não há realmente correntes literárias
salientes, cada um cria o seu próprio mundo..."
Contudo existem influências literárias, no caso
de Teolinda Gersão tudo quanto leu a influenciou
de algum modo.
Literatura
Literatura
Literatura
Proveniente de uma família da alta burguesia, foi
criado na freguesia lisboeta de Benfica e seguiu
o exemplo do pai, João Alfredo Lobo Antunes, ao
licenciar-se em Medicina, na Universidade de
Lisboa. Optando pela especialidade de
Psiquiatria, exerceu a profissão no Hospital
Miguel Bombarda, em Lisboa, até 1985. Entre
1970 e 1973 cumpriu o serviço militar em Angola,
onde participou, como tenente médico do
Exército, na Guerra do Ultramar.
O mais conhecido romance de Lobo Antunes
sobre o pesadelo colonial é Os cus de Judas,
publicado em 1979.
[...] eu pensei que vivia há um ano no arame com
os mesmos homens sem os conhecer sequer,
comendo a mesma comida e dormindo sono
inquieto entrecortado de sobressaltos e suores,
unidos por uma esquisita solidariedade idêntica
a que irmana os doentes nas enfermarias de
hospital [...]
Literatura
Literatura
Primeiro escritor de língua portuguesa a ser
agraciado com o Prêmio Nobel de Literatura,
em 1998, José Saramago tornou-se
mundialmente famoso com o romance
Memorial do convento, no qual traça um
retrato do Portugal Barroco, durante o
reinado de D. João IV.
Os homens estão apenas em redor da cidade
tão incapazes de entrarem nela como de se
afastarem para longe definitivamente
São como borboletas da noite atraídas não
pelas luzes da cidade que já se apagaram há
muito
De dia uma enorme ausência guarda as
portas da cidade
E as ruas têm aquele excesso de silêncio
que há no que foi habitado e agora não [..]
Literatura
1968
Literatura
Literatura
1975
Literatura
1979
Literatura
1981
Literatura
1983
Literatura
1984
Literatura
1989
Literatura
1991
Literatura
1997
Literatura
Literatura
O conto é umas obra de ficção que cria um
universo de seres, de fantasia ou
acontecimentos. Como todos os textos de
ficção, o conto apresenta um narrador,
personagens, ponto de vista e enredo
Fabrico uma caixa mágica
para guardar o que não
cabe em nenhum lugar:
a minha sombra
em dias de muito sol,
o amarelo que sobra
do girassol,
um suspiro de beija-flor,
invisíveis lágrimas de amor.
Literatura
Na literatura e no jornalismo, ou crônica é uma
narração curta, produzida essencialmente para
ser veiculada na imprensa, seja nas páginas de
uma revista, seja nas páginas de um jornal ou
mesmo na rádio. Possui assim uma finalidade
utilitária e pré-determinada: agradar aos leitores
dentro de um espaço sempre igual e com a
mesma localização, criando-se assim, no
transcurso dos dias ou das semanas, uma
familiaridade entre o escritor e aqueles que o
leem.
Interessante pois precisei de uma sugestão de
uma amiga para escolher esse tema. Solidão.
Uns a evitam, outros a desejam. Não a vejo com
menosprezo. Se pensar no sol como exemplo
maior de sua expressão, é a sua distância que
me mantém vivo. Tem momentos que necessito
ficar só. Busco energia para só depois atrair os
outros para perto de mim. Se bem que assim
diferencio-me da estrela maior porque, no final,
quero todos comigo; no final, não quero ficar só.
Literatura
O termo romance pode referir-se a dois gêneros
literários. O primeiro deles é uma composição
poética popular, histórica ou lírica, transmitida pela
tradição oral, sendo geralmente de autor anônimo;
corresponde aproximadamente à balada medieval.
Como forma literária moderna, o termo designa uma
composição em prosa.
Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói, e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.
É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.
É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata, lealdade.
Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?
Luís de Camões

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
Cláudia Heloísa
 
1 fase do modernismo
1 fase do modernismo1 fase do modernismo
1 fase do modernismo
Laboratório de Informática
 
Principais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismoPrincipais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismo
Miquéias Vitorino
 
Literatura Brasileira Contemporaneidade
Literatura Brasileira ContemporaneidadeLiteratura Brasileira Contemporaneidade
Terceira geração modernista
Terceira geração modernista Terceira geração modernista
Terceira geração modernista
Claudio Soares
 
Vanguardas européias
Vanguardas européiasVanguardas européias
Vanguardas européias
Walace Cestari
 
Modernismo 1ª fase
Modernismo 1ª faseModernismo 1ª fase
Modernismo 1ª fase
Dani Bertollo
 
3ª Fase Modernista
3ª Fase Modernista   3ª Fase Modernista
3ª Fase Modernista
Ruth L
 
Modernismo.
Modernismo.Modernismo.
Modernismo.
Bruna
 
Uma breve abordagem do neo realismo
Uma breve abordagem do neo realismoUma breve abordagem do neo realismo
Uma breve abordagem do neo realismo
becresforte
 
Terceira fase do modernismo no Brasil
Terceira fase do modernismo no BrasilTerceira fase do modernismo no Brasil
Terceira fase do modernismo no Brasil
Gusthavo Batista
 
Modernismo: FASE HERÓICA
Modernismo: FASE HERÓICAModernismo: FASE HERÓICA
Modernismo: FASE HERÓICA
Letícia Gonçalves
 
Para o blog
Para o blogPara o blog
Para o blog
Luciene Gomes
 
Hipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_d
Hipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_dHipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_d
Hipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_d
Vera Pinho
 
Realismo no brasil
Realismo no brasilRealismo no brasil
Realismo no brasil
Karoline Tavares
 
Apresentação sobre modernismo e pós modernismo
Apresentação sobre modernismo e pós modernismo Apresentação sobre modernismo e pós modernismo
Apresentação sobre modernismo e pós modernismo
MariaPiedadeSILVA
 
Prosa e poema de 30
Prosa e poema de 30 Prosa e poema de 30
Prosa e poema de 30
Claudio Soares
 
Primeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismoPrimeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismo
Elaine Blogger
 
Primeira Fase do Modernismo
Primeira Fase do ModernismoPrimeira Fase do Modernismo
Primeira Fase do Modernismo
Camila Jamyly
 
O Pré-Modernismo
O Pré-ModernismoO Pré-Modernismo
O Pré-Modernismo
Luciene Gomes
 

Mais procurados (20)

Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
 
1 fase do modernismo
1 fase do modernismo1 fase do modernismo
1 fase do modernismo
 
Principais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismoPrincipais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismo
 
Literatura Brasileira Contemporaneidade
Literatura Brasileira ContemporaneidadeLiteratura Brasileira Contemporaneidade
Literatura Brasileira Contemporaneidade
 
Terceira geração modernista
Terceira geração modernista Terceira geração modernista
Terceira geração modernista
 
Vanguardas européias
Vanguardas européiasVanguardas européias
Vanguardas européias
 
Modernismo 1ª fase
Modernismo 1ª faseModernismo 1ª fase
Modernismo 1ª fase
 
3ª Fase Modernista
3ª Fase Modernista   3ª Fase Modernista
3ª Fase Modernista
 
Modernismo.
Modernismo.Modernismo.
Modernismo.
 
Uma breve abordagem do neo realismo
Uma breve abordagem do neo realismoUma breve abordagem do neo realismo
Uma breve abordagem do neo realismo
 
Terceira fase do modernismo no Brasil
Terceira fase do modernismo no BrasilTerceira fase do modernismo no Brasil
Terceira fase do modernismo no Brasil
 
Modernismo: FASE HERÓICA
Modernismo: FASE HERÓICAModernismo: FASE HERÓICA
Modernismo: FASE HERÓICA
 
Para o blog
Para o blogPara o blog
Para o blog
 
Hipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_d
Hipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_dHipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_d
Hipertexto modernismo semana_da_arte_moderna_d
 
Realismo no brasil
Realismo no brasilRealismo no brasil
Realismo no brasil
 
Apresentação sobre modernismo e pós modernismo
Apresentação sobre modernismo e pós modernismo Apresentação sobre modernismo e pós modernismo
Apresentação sobre modernismo e pós modernismo
 
Prosa e poema de 30
Prosa e poema de 30 Prosa e poema de 30
Prosa e poema de 30
 
Primeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismoPrimeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismo
 
Primeira Fase do Modernismo
Primeira Fase do ModernismoPrimeira Fase do Modernismo
Primeira Fase do Modernismo
 
O Pré-Modernismo
O Pré-ModernismoO Pré-Modernismo
O Pré-Modernismo
 

Destaque

Manifestacoes artisticas contemporaneas
Manifestacoes artisticas contemporaneasManifestacoes artisticas contemporaneas
Manifestacoes artisticas contemporaneas
Crícia Silva
 
Literatura contemporanea
Literatura contemporaneaLiteratura contemporanea
Literatura contemporanea
Bruno Spiri
 
Manifestacoes aritisticas e literarias
Manifestacoes aritisticas e literariasManifestacoes aritisticas e literarias
Manifestacoes aritisticas e literarias
FernandoMarques
 
Literatura Contemporânea
Literatura  ContemporâneaLiteratura  Contemporânea
Literatura Contemporânea
clemildapetrolina
 
Teolinda gersão
Teolinda gersãoTeolinda gersão
Teolinda gersão
Luís Reguengo
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
De Longe; Noites Africanas Langorosas, Alda Lara
De Longe; Noites Africanas Langorosas, Alda LaraDe Longe; Noites Africanas Langorosas, Alda Lara
De Longe; Noites Africanas Langorosas, Alda Lara
catiasgs
 
Trabalho de lingua portuguesa
Trabalho de lingua portuguesaTrabalho de lingua portuguesa
Trabalho de lingua portuguesa
Ayrton Lucas
 
Arte e cultura contemporânea - Agência Khamai
Arte e cultura contemporânea - Agência KhamaiArte e cultura contemporânea - Agência Khamai
Arte e cultura contemporânea - Agência Khamai
Nadiene Araujo Oliveira
 
Primeiras manifestações literárias no Brasil (séc. xvi xviii)
Primeiras manifestações literárias no Brasil (séc. xvi   xviii)Primeiras manifestações literárias no Brasil (séc. xvi   xviii)
Primeiras manifestações literárias no Brasil (séc. xvi xviii)
Márcio Hilário
 
Angola!
Angola!Angola!
Tudo Sobre Angola
Tudo Sobre AngolaTudo Sobre Angola
Tudo Sobre Angola
José Karllos
 
Powerpoint sobre angola
Powerpoint sobre angolaPowerpoint sobre angola
Powerpoint sobre angola
guestf281b3
 
Angola
AngolaAngola
Literatura Contemporánea
Literatura ContemporáneaLiteratura Contemporánea
Literatura Contemporánea
Francisco Erick Márquez Sánchez
 
Build Features, Not Apps
Build Features, Not AppsBuild Features, Not Apps
Build Features, Not Apps
Natasha Murashev
 

Destaque (16)

Manifestacoes artisticas contemporaneas
Manifestacoes artisticas contemporaneasManifestacoes artisticas contemporaneas
Manifestacoes artisticas contemporaneas
 
Literatura contemporanea
Literatura contemporaneaLiteratura contemporanea
Literatura contemporanea
 
Manifestacoes aritisticas e literarias
Manifestacoes aritisticas e literariasManifestacoes aritisticas e literarias
Manifestacoes aritisticas e literarias
 
Literatura Contemporânea
Literatura  ContemporâneaLiteratura  Contemporânea
Literatura Contemporânea
 
Teolinda gersão
Teolinda gersãoTeolinda gersão
Teolinda gersão
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
De Longe; Noites Africanas Langorosas, Alda Lara
De Longe; Noites Africanas Langorosas, Alda LaraDe Longe; Noites Africanas Langorosas, Alda Lara
De Longe; Noites Africanas Langorosas, Alda Lara
 
Trabalho de lingua portuguesa
Trabalho de lingua portuguesaTrabalho de lingua portuguesa
Trabalho de lingua portuguesa
 
Arte e cultura contemporânea - Agência Khamai
Arte e cultura contemporânea - Agência KhamaiArte e cultura contemporânea - Agência Khamai
Arte e cultura contemporânea - Agência Khamai
 
Primeiras manifestações literárias no Brasil (séc. xvi xviii)
Primeiras manifestações literárias no Brasil (séc. xvi   xviii)Primeiras manifestações literárias no Brasil (séc. xvi   xviii)
Primeiras manifestações literárias no Brasil (séc. xvi xviii)
 
Angola!
Angola!Angola!
Angola!
 
Tudo Sobre Angola
Tudo Sobre AngolaTudo Sobre Angola
Tudo Sobre Angola
 
Powerpoint sobre angola
Powerpoint sobre angolaPowerpoint sobre angola
Powerpoint sobre angola
 
Angola
AngolaAngola
Angola
 
Literatura Contemporánea
Literatura ContemporáneaLiteratura Contemporánea
Literatura Contemporánea
 
Build Features, Not Apps
Build Features, Not AppsBuild Features, Not Apps
Build Features, Not Apps
 

Semelhante a Literatura

Literatura pos modernismo
Literatura pos modernismo Literatura pos modernismo
Literatura pos modernismo
samuelmuller
 
modernismo 2ª fase poesia e prosa.pptx
modernismo 2ª fase poesia e prosa.pptxmodernismo 2ª fase poesia e prosa.pptx
modernismo 2ª fase poesia e prosa.pptx
prefeitura municipal de miguel pereira
 
Romanticismo base.ppt
Romanticismo base.pptRomanticismo base.ppt
Romanticismo base.ppt
AldenoraMarciaChaves
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
edvaldo63
 
História da Arte: Semana de 22
História da Arte: Semana de 22História da Arte: Semana de 22
História da Arte: Semana de 22
Raphael Lanzillotte
 
Romantismo parte 1
Romantismo parte 1Romantismo parte 1
Romantismo parte 1
bruna danielle carvalho
 
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...
Phillipe Xavier
 
Pós-modernismo e a arte de definir a contemporaneidade
Pós-modernismo e a arte de definir a contemporaneidadePós-modernismo e a arte de definir a contemporaneidade
Pós-modernismo e a arte de definir a contemporaneidade
Amanda Guerra
 
Biogrfia de saramago preparada para pdf.
Biogrfia de saramago preparada para pdf.Biogrfia de saramago preparada para pdf.
Biogrfia de saramago preparada para pdf.
stcnsaidjv
 
A língua e a literatura portuguesas
A língua e a literatura portuguesasA língua e a literatura portuguesas
A língua e a literatura portuguesas
Licínio Rocha
 
Cronicas de rubens
Cronicas de rubensCronicas de rubens
Cronicas de rubens
Heráclito Hallyson
 
O modernismo no brasil
O modernismo no brasilO modernismo no brasil
O modernismo no brasil
Claudinei Jesus
 
Biografia
BiografiaBiografia
Biografia
becresforte
 
Seminario de portugues poesia marginal
Seminario de portugues poesia marginalSeminario de portugues poesia marginal
Seminario de portugues poesia marginal
Carolayne Carvalho dos Santos
 
A geração de 90 literatura na virada
A geração de 90    literatura na viradaA geração de 90    literatura na virada
A geração de 90 literatura na virada
Jean Daiane Chiumento
 
Pre-modernismo.pptx
Pre-modernismo.pptxPre-modernismo.pptx
Pre-modernismo.pptx
NunaMedeiros
 
Segunda fase do modernismo . trabalho de portugues
Segunda fase do modernismo . trabalho de portuguesSegunda fase do modernismo . trabalho de portugues
Segunda fase do modernismo . trabalho de portugues
Alenice01
 
Carolina Mabele e Hilda Lemos - Memorial Dr. Agostinho Neto e Seu Percurso hi...
Carolina Mabele e Hilda Lemos - Memorial Dr. Agostinho Neto e Seu Percurso hi...Carolina Mabele e Hilda Lemos - Memorial Dr. Agostinho Neto e Seu Percurso hi...
Carolina Mabele e Hilda Lemos - Memorial Dr. Agostinho Neto e Seu Percurso hi...
Development Workshop Angola
 
Romantismo Parte 1
Romantismo Parte 1Romantismo Parte 1
Romantismo Parte 1
Marina Alessandra
 
todorov-o-que-pode-a-literatura.pdf
todorov-o-que-pode-a-literatura.pdftodorov-o-que-pode-a-literatura.pdf
todorov-o-que-pode-a-literatura.pdf
Bonfim Queiroz Lima
 

Semelhante a Literatura (20)

Literatura pos modernismo
Literatura pos modernismo Literatura pos modernismo
Literatura pos modernismo
 
modernismo 2ª fase poesia e prosa.pptx
modernismo 2ª fase poesia e prosa.pptxmodernismo 2ª fase poesia e prosa.pptx
modernismo 2ª fase poesia e prosa.pptx
 
Romanticismo base.ppt
Romanticismo base.pptRomanticismo base.ppt
Romanticismo base.ppt
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
História da Arte: Semana de 22
História da Arte: Semana de 22História da Arte: Semana de 22
História da Arte: Semana de 22
 
Romantismo parte 1
Romantismo parte 1Romantismo parte 1
Romantismo parte 1
 
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...
Muito Além do Final Feliz: A Trajetória e a Consolidação da Telenovela como P...
 
Pós-modernismo e a arte de definir a contemporaneidade
Pós-modernismo e a arte de definir a contemporaneidadePós-modernismo e a arte de definir a contemporaneidade
Pós-modernismo e a arte de definir a contemporaneidade
 
Biogrfia de saramago preparada para pdf.
Biogrfia de saramago preparada para pdf.Biogrfia de saramago preparada para pdf.
Biogrfia de saramago preparada para pdf.
 
A língua e a literatura portuguesas
A língua e a literatura portuguesasA língua e a literatura portuguesas
A língua e a literatura portuguesas
 
Cronicas de rubens
Cronicas de rubensCronicas de rubens
Cronicas de rubens
 
O modernismo no brasil
O modernismo no brasilO modernismo no brasil
O modernismo no brasil
 
Biografia
BiografiaBiografia
Biografia
 
Seminario de portugues poesia marginal
Seminario de portugues poesia marginalSeminario de portugues poesia marginal
Seminario de portugues poesia marginal
 
A geração de 90 literatura na virada
A geração de 90    literatura na viradaA geração de 90    literatura na virada
A geração de 90 literatura na virada
 
Pre-modernismo.pptx
Pre-modernismo.pptxPre-modernismo.pptx
Pre-modernismo.pptx
 
Segunda fase do modernismo . trabalho de portugues
Segunda fase do modernismo . trabalho de portuguesSegunda fase do modernismo . trabalho de portugues
Segunda fase do modernismo . trabalho de portugues
 
Carolina Mabele e Hilda Lemos - Memorial Dr. Agostinho Neto e Seu Percurso hi...
Carolina Mabele e Hilda Lemos - Memorial Dr. Agostinho Neto e Seu Percurso hi...Carolina Mabele e Hilda Lemos - Memorial Dr. Agostinho Neto e Seu Percurso hi...
Carolina Mabele e Hilda Lemos - Memorial Dr. Agostinho Neto e Seu Percurso hi...
 
Romantismo Parte 1
Romantismo Parte 1Romantismo Parte 1
Romantismo Parte 1
 
todorov-o-que-pode-a-literatura.pdf
todorov-o-que-pode-a-literatura.pdftodorov-o-que-pode-a-literatura.pdf
todorov-o-que-pode-a-literatura.pdf
 

Último

A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 

Último (20)

A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 

Literatura

  • 3. A literatura contemporânea, que alguns chamam de pós-moderna, é resultado das grandes mudanças ocorridas da metade do século XX para cá. Desde os anos 50, houve no mundo todo, profundas transformações na economia, na política e, especialmente, na área tecnológica. Evidentemente, tudo isso se refletiu nas artes em geral. Na literatura contemporânea há uma grande mistura de tendências que conserva muito do Modernismo, tanto nas artes plásticas quanto na literatura. Hoje, o dia-a-dia das pessoas é invadido pela tecnologia de massa – TV, computador, telefonia celular – o que provocou o que alguns estudiosos a chamar o mundo de “uma grande aldeia global”.
  • 4. Posições do corpo Sob o azul sobre o azul subazul subsol subsolo (Cassiano Ricardo)
  • 6. O desenvolvimento de novas tecnologias de reprodução e difusão da arte (fotografia, rádio, cinema, televisão, vídeo, computador) fez com que a separação entre a arte considerada culta e a denominada arte popular fosse desaparecendo. Um dos objetivos da arte pós-moderna é a sua comunicabilidade. Por isso, ela promove a incorporação de todas as estéticas passadas, combinando-as de modo inovador.
  • 8. A ficção portuguesa contemporânea é marcada pela heterogeneidade de correntes literárias,não é possível distinguirmos ou agruparmos os diferentes escritores em correntes literárias, hoje em dia é impossível catalogar alguém: "Talvez daqui a uns anos e com um recuo suficiente se consigam detectar melhor determinados parentescos entre autores que depois os levem a arrumar em determinadas categorias; por enquanto não há realmente correntes literárias salientes, cada um cria o seu próprio mundo..." Contudo existem influências literárias, no caso de Teolinda Gersão tudo quanto leu a influenciou de algum modo.
  • 12. Proveniente de uma família da alta burguesia, foi criado na freguesia lisboeta de Benfica e seguiu o exemplo do pai, João Alfredo Lobo Antunes, ao licenciar-se em Medicina, na Universidade de Lisboa. Optando pela especialidade de Psiquiatria, exerceu a profissão no Hospital Miguel Bombarda, em Lisboa, até 1985. Entre 1970 e 1973 cumpriu o serviço militar em Angola, onde participou, como tenente médico do Exército, na Guerra do Ultramar. O mais conhecido romance de Lobo Antunes sobre o pesadelo colonial é Os cus de Judas, publicado em 1979.
  • 13. [...] eu pensei que vivia há um ano no arame com os mesmos homens sem os conhecer sequer, comendo a mesma comida e dormindo sono inquieto entrecortado de sobressaltos e suores, unidos por uma esquisita solidariedade idêntica a que irmana os doentes nas enfermarias de hospital [...]
  • 16. Primeiro escritor de língua portuguesa a ser agraciado com o Prêmio Nobel de Literatura, em 1998, José Saramago tornou-se mundialmente famoso com o romance Memorial do convento, no qual traça um retrato do Portugal Barroco, durante o reinado de D. João IV.
  • 17. Os homens estão apenas em redor da cidade tão incapazes de entrarem nela como de se afastarem para longe definitivamente São como borboletas da noite atraídas não pelas luzes da cidade que já se apagaram há muito De dia uma enorme ausência guarda as portas da cidade E as ruas têm aquele excesso de silêncio que há no que foi habitado e agora não [..]
  • 19. 1968
  • 22. 1975
  • 24. 1979
  • 26. 1981
  • 28. 1983
  • 30. 1984
  • 32. 1989
  • 34. 1991
  • 36. 1997
  • 39. O conto é umas obra de ficção que cria um universo de seres, de fantasia ou acontecimentos. Como todos os textos de ficção, o conto apresenta um narrador, personagens, ponto de vista e enredo
  • 40. Fabrico uma caixa mágica para guardar o que não cabe em nenhum lugar: a minha sombra em dias de muito sol, o amarelo que sobra do girassol, um suspiro de beija-flor, invisíveis lágrimas de amor.
  • 42. Na literatura e no jornalismo, ou crônica é uma narração curta, produzida essencialmente para ser veiculada na imprensa, seja nas páginas de uma revista, seja nas páginas de um jornal ou mesmo na rádio. Possui assim uma finalidade utilitária e pré-determinada: agradar aos leitores dentro de um espaço sempre igual e com a mesma localização, criando-se assim, no transcurso dos dias ou das semanas, uma familiaridade entre o escritor e aqueles que o leem.
  • 43. Interessante pois precisei de uma sugestão de uma amiga para escolher esse tema. Solidão. Uns a evitam, outros a desejam. Não a vejo com menosprezo. Se pensar no sol como exemplo maior de sua expressão, é a sua distância que me mantém vivo. Tem momentos que necessito ficar só. Busco energia para só depois atrair os outros para perto de mim. Se bem que assim diferencio-me da estrela maior porque, no final, quero todos comigo; no final, não quero ficar só.
  • 45. O termo romance pode referir-se a dois gêneros literários. O primeiro deles é uma composição poética popular, histórica ou lírica, transmitida pela tradição oral, sendo geralmente de autor anônimo; corresponde aproximadamente à balada medieval. Como forma literária moderna, o termo designa uma composição em prosa.
  • 46. Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói, e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; É um andar solitário entre a gente; É nunca contentar-se de contente; É um cuidar que se ganha em se perder. É querer estar preso por vontade; É servir a quem vence, o vencedor; É ter com quem nos mata, lealdade. Mas como causar pode seu favor Nos corações humanos amizade, Se tão contrário a si é o mesmo Amor? Luís de Camões