SlideShare uma empresa Scribd logo
LIÇÃO 7
Erberson R. Pinheiro dos Santos
A ORDENANÇA DO BATISMO
EM ÁGUAS
www.ebdemfoco.com
“De sorte que fomos sepultados com ele pelo
batismo na morte; para que, como Cristo
ressuscitou dos mortos pela glória do Pai,
assim andemos nós também em novidade de
vida” (Rm 6.4).
TEXTO ÁUREO
O batismo em água é uma
ordenança de Jesus que
simboliza o que já aconteceu na
vida de quem foi regenerado.
VERDADE APLICADA
Mateus 3.13, 16
13 — Então, veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do
Jordão, para ser batizado por ele.
16 — E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que
se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo
como pomba e vindo sobre ele.
TEXTOS DE REFERÊNCIA
Mateus 3.13, 16; 28.19; At 2.38
Mateus 28.19
19 — Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em
nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
Atos 2.38
38 — E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja
batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e
recebereis o dom do Espírito Santo.
TEXTOS DE REFERÊNCIA
Mateus 3.13, 16; 28.19; At 2.38
INTRODUÇÃO
www.ebdemfoco.com
INTRODUÇÃO
Encontramos no Novo
Testamento
Dezenas de referências à prática do batismo em
águas, indicando que se trata de um rito presente
desde o início da Igreja (At 2.37-41)
1
ASPECTOS GERAIS
SOBRE O BATISMO
www.ebdemfoco.com
ASPECTOS GERAIS SOBRE O BATISMO
O rito batismal compõe o grupo geral de normas vinculadas com o lavar.
Há vários relatos bíblicos, e também em outras fontes, sobre o uso da
água em cerimônias de purificação, tanto de pessoas como de objetos,
inclusive entre algumas religiões pagãs e na comunidade judaica.
1.1 Aspectos históricos.
1.1 Aspectos históricos.
Fastos históricos
O Antigo Testamento faz menção de pessoas que ficavam impedidas de participar de
atos religiosos por se encontrarem impuras (Lv 11, 17; Nm 19).
O historiador judeu Flávio Josefo atesta que entre os essênios haviam vários tipos de
purificação.
1.1 Aspectos históricos.
Fastos históricos
Os arqueólogos encontraram nas ruínas de Massada construções que indicavam
serem utilizadas para banho de imersão ritual.
A comunidade judaica submetia o convertido gentio o judaísmo a um banho ritual,
após a circuncisão, identificado como “batismo do prosélito”.
O precursor de Jesus, João Batista, “apareceu batizando no deserto e pregando o
batismo de arrependimento” (Mc 1.4), em cumprimento a um mandado de Deus
(Jo 1.33).
1.2 Definição da palavra batismo.
1.2 Definição da palavra batismo.
“Bapto”
do grego
Submergir
βαπτο
“Baptizo”
do grego Imergir
Tornar submerso
βαπτισμω
1.2 Definição da palavra batismo.
A própria exposição feita pelo
apóstolo Paulo em Romanos 6, como
sendo a união do discípulo com
Cristo em Sua morte, sepultamento e
ressurreição, concorda com este
pensamento desde os primórdios.
Tanto em contextos judaicos ou cristãos, o pensamento de imersão permanece.
1.3 Importância do batismo.
1.3 Importância do batismo.
Em contraste com o judaísmo, a Igreja no Novo Testamento não era caracterizada
por rituais, contudo, há duas cerimônias que estão presentes na caminhada da
Igreja desde os primórdios por terem sido instituídas pelo mandamento de Cristo
Batismo em águas
Por esta causa, são consideradas no estudo da Teologia Sistemática sobre
Eclesiologia (A doutrina da Igreja) como ordenanças da Igreja.
Ceia do Senhor
1.3 Importância do batismo.
Assim, o batismo é importante
Porque o que foi ordenado
pelo Senhor Jesus Cristo (Mc
16.15-16; Mt 28.18-19).
Porque os apóstolos e os primeiros
discípulos ensinavam e praticavam
essa ordenança (At 2.37-38, 41;
8.12-13; 36-38; 9.18; 10.47-48;
16.14-15, 32-33; 18.8; 19.5).
2
BATISMO: FORMA,
FÓRMULA E CONDIÇÃO.
www.ebdemfoco.com
BATISMO: FORMA, FÓRMULA E CONDIÇÃO.
Considerando as controvérsias existentes quanto a estes aspectos e a
pluralidade das denominações evangélicas no Brasil, refletiremos nestes
assuntos por conterem ensinos preciosos para enfatizar verdades
espirituais presentes nesta doutrina.
2.1. A forma de batismo.
2.1. A forma de batismo.
A própria etimologia da palavra, registrada no tópico anterior, indica a forma
IMERSÃO
É atestada pelos estudiosos da língua
grega e pelos historiadores da Igreja
Essa conclusão
Mesmo aqueles que advogam
outras formas (aspersão ou
fusão)
Reconhecem a imersão como a forma usada
pela Igreja Primitiva
2.1. A forma de batismo.
Inclusive, a exposição do apóstolo
Paulo em Romanos 6.3-4, quando
relaciona o batismo em água como
símbolo de sepultamento e
ressurreição, deixa claro a forma que
era utilizada.
2.1. A forma de batismo.
2.2 A fórmula do batismo.
2.2 A fórmula do batismo.
O próprio Senhor Jesus deu a fórmula
“[...] batizando-as em nome do
Pai, e do Filho e do Espírito
Santo” (Mt 28.19).
2.2 A fórmula do batismo.
Encontramos, também, neste texto, a participação de três Pessoas da
Trindade na obra de salvação do ser humano
O Pai amou e
planejou
O Filho a consumou; e o Espírito
Santo aplica a salvação no homem
E o Espírito Santo aplica
a salvação no homem
2.2 A fórmula do batismo.
Assim, quando lemos em Atos 2.38; 10.48, não se trata de uma “outra
fórmula”, mas uma afirmação da “autoridade concedida” pelo Senhor de
acordo com o
Seu mandamento O reconhecimento e a submissão
do novo convertido a Jesus
Cristo como Salvador e Senhor
2.3 Condição para ser batizado
No mandamento do Senhor
encontramos
Que o batismo seria administrado
2.3 Condição para ser batizado
Aos que se tornam discípulos (Mt 28.19)
“Portanto ide, fazei discípulos de
todas as nações, batizando-os em
nome do Pai, e do Filho, e do
Espírito Santo” (Mt 28.19).
2.3 Condição para ser batizado
Nos registros em Atos, o batismo em águas foi precedido de
Pregação Arrependimento InstruçãoAceitação da Palavra Fé
Atos 18.8: “[...] ouvindo-o, creram e foram batizados”.
3
O SIGNIFICADO DO
BATISMO
www.ebdemfoco.com
“Sepultados com ele no
batismo, nele também
ressuscitastes pela fé
no poder de Deus, que
o ressuscitou dentre os
mortos” (Cl 2.12).
O SIGNIFICADO DO BATISMO
É de grande importância para nossa edificação, amadurecimento e
firmeza espiritual que conheçamos o significado desta ordenança da
Igreja, conforme encontramos na Palavra de Deus
(Rm 6.3-14; Gl 3.27; Cl 2.12).
“Ou não sabeis que
todos quantos fomos
batizados em Jesus
Cristo fomos batizados
na sua morte? ”
(Rm 6.3).
“Porque todos quantos
fostes batizados em
Cristo já vos revestistes
de Cristo”
(Gl 3.27).
3.1 União com Cristo.
Quando o discípulo do
Senhor Jesus
É batizado em água
3.1 União com Cristo.
Ele está testemunhando publicamente que
está unido a Cristo
3.1 União com Cristo.
O apóstolo Paulo usa a expressão
“ [...] vos revestistes de Cristo” (Gl 3.27).
Paulo
Fomos incorporados nEle pela fé
3.1 União com Cristo.
Unidos, identificados e participantes em
Sua morte Sua ressurreiçãoSeu sepultamento
(Rm 6.3-5).
O batismo não efetua esta identificação, mas simboliza algo que já aconteceu pela fé.
“Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte?
De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi
ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.
Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o
seremos na da sua ressurreição” (Rm 6.3-5).
3.1 União com Cristo.
Importante notar as expressões
“Batizados na sua morte” “Seremos na da sua
ressurreição”
“Sepultados com ele”
batizados na sua morte
sepultados com ele
seremos na da sua ressurreição
“Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma
não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim
também vós, se não estiverdes em mim” (Jo 15.4).
3.1 União com Cristo.
“Estai em mim, e eu,
em vós;...”, declarou
Jesus (Jo 15.4a).
Somos ramos e Cristo é a
videira
A sobrevivência e produção dos ramos dependem
da união com a videira verdadeira, Jesus Cristo
Estai em mim e eu em vós
NÓS
NÓS
NÓS
NÓS
3.2 Morte e sepultamento do nosso
velho homem.
3.2 Morte e sepultamento do nosso velho homem.
Esta é a mensagem que o batizando está proclamando ao descer às águas batismais
“[...] o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que
não sirvamos mais ao pecado” (Rm 6.6).
Para isso é necessário
Que tenha ocorrido a conversão E receba ensino acerca das
doutrinas fundamentais da salvação
3.2 Morte e sepultamento do nosso velho homem.
Para viver em novidade de vida
“Sepultados com ele no
batismo, nele também
ressuscitastes pela fé no
poder de Deus, que o
ressuscitou dentre os
mortos”
(Cl 2.12).
O sepultamento sela a morte (Cl 2.12)
Não apenas morrer
Primeiro é preciso passar pela cruz de Cristo
Mas sepultar
3.2 Morte e sepultamento do nosso velho homem.
O apóstolo Paulo fala desta experiência em Gálatas 6.14
“Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz
de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está
crucificado para mim e eu para o mundo” (Gl 6.14).
Não se trata de morte e
sepultamento no aspecto físico
Mas de não mais viver sob o domínio
da natureza pecaminosa
3.2 Morte e sepultamento do nosso velho homem.
O sepultamento trata-se do
resultado da nossa união com Cristo
pela fé (Cl 3.3; Rm 6.11, 14)
Fomos libertos do poder do pecado pelo
poder de Jesus Cristo
SALVAÇÃO
3.3 Andar em novidade de vida.
O discípulo de Jesus Liberto do poder do pecado,
não mais dominado pela
natureza pecaminosa
3.3 Andar em novidade de vida.
Agora com “ele
viveremos” para que
“andemos nós também
em novidade de vida”
(Rm 6.4, 8).
Também em Sua ressurreição
E unido a
Cristo
O batismo em água É um anúncio público sobre o novo viver
3.3 Andar em novidade de vida.
“[...] como instrumento de
justiça” (Rm 6.13b).
Agora debaixo do senhorio de Jesus Cristo,
apresentando a Deus o nosso corpo
“[...] mas apresentai-vos a Deus, como vivos
dentre mortos, e os vossos membros a Deus,
como instrumentos de justiça” (Rm 6.13b).como instrumentos de justiça
www.ebdemfoco.com
CONCLUSÃO
CONCLUSÃO
Enquanto estivermos neste mundo, precisamos
perseverar na proclamação do Evangelho, fazendo
discípulos e batizando em água, pois são mandamentos
deixados pelo Senhor da Igreja.
Que a mão do Senhor continue sobre nós e, assim, “grande
número creia e se converta ao Senhor” (At 11.21), para a
glória de Deus.
1. Quais as duas ordenanças da Igreja?
R: Batismo em águas e a Ceia do Senhor (Mc 16.15-16).
2. Qual a forma do batismo?
R: A imersão (Rm 6.3-4).
3. Nos registros em Atos, do que o batismo em
águas foi precedido?
R: De pregação, arrependimento, receber a Palavra,
instrução e fé (At 2.37-38).
QUESTIONÁRIO
4. Qual é a mensagem que o batizando está
proclamando ao descer às águas batismais?
R: “O nosso homem velho foi com ele crucificado...para
que não sirvamos mais ao pecado” (Rm 6.6).
5. O que o sepultamento sela?
R: A morte (Cl 2.12).
QUESTIONÁRIO
Cursos do EBD em Foco
Baixe em Power Point
Slide em PowerPoint Slide em PDF
Você pode editar
Tem animações
É interativo
O slide em PowerPoint é muito melhor.
www.ebdemfoco.com
Cursos do EBD em Foco
Fique por dentro do conteúdo da Escola
Bíblica Dominical. Acesse o site
www.ebdemfoco.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
Moisés Sampaio
 
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasLição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Éder Tomé
 
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Éder Tomé
 
Estudo biblico 24 dons espirituais - part2
Estudo biblico 24  dons espirituais - part2Estudo biblico 24  dons espirituais - part2
Estudo biblico 24 dons espirituais - part2
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Lição 1 - O que é Evangelização
Lição 1 - O que é EvangelizaçãoLição 1 - O que é Evangelização
Lição 1 - O que é Evangelização
I.A.D.F.J - SAMAMABAIA SUL
 
7. arrebatamento
7. arrebatamento7. arrebatamento
7. arrebatamento
Moisés Sampaio
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da Fé
Wander Sousa
 
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUSA NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
Sandra Dias
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
Respirando Deus
 
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoasLição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
Erberson Pinheiro
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
faculdadeteologica
 
1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)
Daniel Junior
 
Lição 1 - Duas Importantes Mulheres na História de um Povo.pptx
Lição 1 - Duas Importantes Mulheres na História de um Povo.pptxLição 1 - Duas Importantes Mulheres na História de um Povo.pptx
Lição 1 - Duas Importantes Mulheres na História de um Povo.pptx
Celso Napoleon
 
O Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da IgrejaO Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da Igreja
Márcio Martins
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
André Rocha
 
Evangelismo estudo pratico
Evangelismo   estudo pratico Evangelismo   estudo pratico
Evangelismo estudo pratico
Prof Edilson Porfírio
 
Eclesiologia ana
Eclesiologia anaEclesiologia ana
Eclesiologia ana
Eraldo Luciano
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
Ednilson do Valle
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Éder Tomé
 
Curso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPCurso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEP
Moisés Sampaio
 

Mais procurados (20)

O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
 
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasLição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
 
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
 
Estudo biblico 24 dons espirituais - part2
Estudo biblico 24  dons espirituais - part2Estudo biblico 24  dons espirituais - part2
Estudo biblico 24 dons espirituais - part2
 
Lição 1 - O que é Evangelização
Lição 1 - O que é EvangelizaçãoLição 1 - O que é Evangelização
Lição 1 - O que é Evangelização
 
7. arrebatamento
7. arrebatamento7. arrebatamento
7. arrebatamento
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da Fé
 
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUSA NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
 
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoasLição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
 
1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)
 
Lição 1 - Duas Importantes Mulheres na História de um Povo.pptx
Lição 1 - Duas Importantes Mulheres na História de um Povo.pptxLição 1 - Duas Importantes Mulheres na História de um Povo.pptx
Lição 1 - Duas Importantes Mulheres na História de um Povo.pptx
 
O Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da IgrejaO Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da Igreja
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
 
Evangelismo estudo pratico
Evangelismo   estudo pratico Evangelismo   estudo pratico
Evangelismo estudo pratico
 
Eclesiologia ana
Eclesiologia anaEclesiologia ana
Eclesiologia ana
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
 
Curso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPCurso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEP
 

Destaque

Lição 7 - A salvação pela graça
Lição 7 - A salvação pela graçaLição 7 - A salvação pela graça
Lição 7 - A salvação pela graça
Erberson Pinheiro
 
Lição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã
Lição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristãLição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã
Lição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã
Erberson Pinheiro
 
LBA LIÇÃO 8 - Salvação e livre-arbítrio
LBA LIÇÃO 8 - Salvação e livre-arbítrioLBA LIÇÃO 8 - Salvação e livre-arbítrio
LBA LIÇÃO 8 - Salvação e livre-arbítrio
Natalino das Neves Neves
 
Lição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-ArbítrioLição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Éder Tomé
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Erberson Pinheiro
 
Lição 2 - Pecado uma realidade humana
Lição 2 - Pecado uma realidade humanaLição 2 - Pecado uma realidade humana
Lição 2 - Pecado uma realidade humana
Erberson Pinheiro
 
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deusLição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
Erberson Pinheiro
 
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelouLição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
Erberson Pinheiro
 
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deusLição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Erberson Pinheiro
 
Lição 12 - A IGREJA E A SALVAÇÃO DOS PERDIDOS
Lição 12 - A IGREJA E A SALVAÇÃO DOS PERDIDOSLição 12 - A IGREJA E A SALVAÇÃO DOS PERDIDOS
Lição 12 - A IGREJA E A SALVAÇÃO DOS PERDIDOS
Erberson Pinheiro
 
Lição 13 - Sobre a família e a sua natureza
Lição 13 - Sobre a família e a sua naturezaLição 13 - Sobre a família e a sua natureza
Lição 13 - Sobre a família e a sua natureza
Erberson Pinheiro
 
Lição 1 - Uma promessa de salvação
Lição 1 - Uma promessa de salvaçãoLição 1 - Uma promessa de salvação
Lição 1 - Uma promessa de salvação
Erberson Pinheiro
 
Lição 3 - O problema da fome no mundo contemporâneo
Lição 3 - O problema da fome no mundo contemporâneoLição 3 - O problema da fome no mundo contemporâneo
Lição 3 - O problema da fome no mundo contemporâneo
Erberson Pinheiro
 
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo
Erberson Pinheiro
 
Lição 4 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 4 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutíferoLição 4 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 4 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Erberson Pinheiro
 
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICALição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Erberson Pinheiro
 
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus CristoLição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Erberson Pinheiro
 
Lição 13 - O tempo de deus está próximo
Lição 13 - O tempo de deus está próximoLição 13 - O tempo de deus está próximo
Lição 13 - O tempo de deus está próximo
Erberson Pinheiro
 
Lição 1 - Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz
Lição 1 - Relevantes como o sal, resplandecentes como a luzLição 1 - Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz
Lição 1 - Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz
Erberson Pinheiro
 
LBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graça
LBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graçaLBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graça
LBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graça
Natalino das Neves Neves
 

Destaque (20)

Lição 7 - A salvação pela graça
Lição 7 - A salvação pela graçaLição 7 - A salvação pela graça
Lição 7 - A salvação pela graça
 
Lição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã
Lição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristãLição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã
Lição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã
 
LBA LIÇÃO 8 - Salvação e livre-arbítrio
LBA LIÇÃO 8 - Salvação e livre-arbítrioLBA LIÇÃO 8 - Salvação e livre-arbítrio
LBA LIÇÃO 8 - Salvação e livre-arbítrio
 
Lição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-ArbítrioLição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a Deus
 
Lição 2 - Pecado uma realidade humana
Lição 2 - Pecado uma realidade humanaLição 2 - Pecado uma realidade humana
Lição 2 - Pecado uma realidade humana
 
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deusLição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
 
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelouLição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
 
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deusLição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
 
Lição 12 - A IGREJA E A SALVAÇÃO DOS PERDIDOS
Lição 12 - A IGREJA E A SALVAÇÃO DOS PERDIDOSLição 12 - A IGREJA E A SALVAÇÃO DOS PERDIDOS
Lição 12 - A IGREJA E A SALVAÇÃO DOS PERDIDOS
 
Lição 13 - Sobre a família e a sua natureza
Lição 13 - Sobre a família e a sua naturezaLição 13 - Sobre a família e a sua natureza
Lição 13 - Sobre a família e a sua natureza
 
Lição 1 - Uma promessa de salvação
Lição 1 - Uma promessa de salvaçãoLição 1 - Uma promessa de salvação
Lição 1 - Uma promessa de salvação
 
Lição 3 - O problema da fome no mundo contemporâneo
Lição 3 - O problema da fome no mundo contemporâneoLição 3 - O problema da fome no mundo contemporâneo
Lição 3 - O problema da fome no mundo contemporâneo
 
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo
 
Lição 4 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 4 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutíferoLição 4 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 4 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
 
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICALição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
 
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus CristoLição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
Lição 5 - A obra salvífica de Jesus Cristo
 
Lição 13 - O tempo de deus está próximo
Lição 13 - O tempo de deus está próximoLição 13 - O tempo de deus está próximo
Lição 13 - O tempo de deus está próximo
 
Lição 1 - Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz
Lição 1 - Relevantes como o sal, resplandecentes como a luzLição 1 - Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz
Lição 1 - Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz
 
LBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graça
LBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graçaLBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graça
LBA LIÇÃO 7 - A salvação pela graça
 

Semelhante a Lição 7 - A ordenança do batismo em águas

A_ordenanca_do_batismo_em_aguas-1644030335.pptx
A_ordenanca_do_batismo_em_aguas-1644030335.pptxA_ordenanca_do_batismo_em_aguas-1644030335.pptx
A_ordenanca_do_batismo_em_aguas-1644030335.pptx
deivid silva
 
Batismo
BatismoBatismo
Batismo
Antonio Filho
 
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxLição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Celso Napoleon
 
Batismo em aguas
Batismo em aguasBatismo em aguas
Batismo em aguas
jonasfreitasdejesus
 
Unidade 12 - Descobrindo o Plano de Salvação - Aspecto 2
Unidade 12 - Descobrindo o Plano de Salvação - Aspecto 2Unidade 12 - Descobrindo o Plano de Salvação - Aspecto 2
Unidade 12 - Descobrindo o Plano de Salvação - Aspecto 2
Ramón Zazatt
 
Batismo nas aguas
Batismo nas aguasBatismo nas aguas
Batismo nas aguas
jgnascimento3
 
A importância de ser Batizado.pdf
A importância de ser Batizado.pdfA importância de ser Batizado.pdf
A importância de ser Batizado.pdf
JooAlbertoSoaresdaSi
 
lição 9 - Batismo.pptx kkkkkkkkkkkkkkkkkk
lição 9 - Batismo.pptx kkkkkkkkkkkkkkkkkklição 9 - Batismo.pptx kkkkkkkkkkkkkkkkkk
lição 9 - Batismo.pptx kkkkkkkkkkkkkkkkkk
sheylarocha10
 
A Ressurreição de Jesus - Lição 13 - 2º Trimestre de 2015
A Ressurreição de Jesus - Lição 13 - 2º Trimestre de 2015A Ressurreição de Jesus - Lição 13 - 2º Trimestre de 2015
A Ressurreição de Jesus - Lição 13 - 2º Trimestre de 2015
Pr. Andre Luiz
 
Aula resumo batismo em águas
Aula resumo   batismo em águasAula resumo   batismo em águas
Aula resumo batismo em águas
Patrícia Souza
 
Lição 13
Lição 13Lição 13
Lição 13
Jose Geniberto
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
O batismo em nome de jesus
O batismo em nome de jesusO batismo em nome de jesus
O batismo em nome de jesus
ASD Remanescentes
 
O Verdadeiro Batismo Biblico
O Verdadeiro Batismo BiblicoO Verdadeiro Batismo Biblico
O Verdadeiro Batismo Biblico
ASD Remanescentes
 
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito SantoLição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Igreja Evangélica Assembléia de Deus
 
Apostila treinamento-para-batismo
Apostila treinamento-para-batismoApostila treinamento-para-batismo
Apostila treinamento-para-batismo
Marcos Luiz DA Silva
 
O Batismo nas Águas.pdf
O Batismo nas Águas.pdfO Batismo nas Águas.pdf
O Batismo nas Águas.pdf
JooAlbertoSoaresdaSi
 
O batismo em águas
O batismo em águasO batismo em águas
O batismo em águas
Edmilson Fernandes
 
Os sacramento do batismo
Os sacramento do batismoOs sacramento do batismo
Os sacramento do batismo
torrasko
 
Aula 01 o batismo nas águas
Aula 01   o batismo nas águasAula 01   o batismo nas águas
Aula 01 o batismo nas águas
pbmarcelo
 

Semelhante a Lição 7 - A ordenança do batismo em águas (20)

A_ordenanca_do_batismo_em_aguas-1644030335.pptx
A_ordenanca_do_batismo_em_aguas-1644030335.pptxA_ordenanca_do_batismo_em_aguas-1644030335.pptx
A_ordenanca_do_batismo_em_aguas-1644030335.pptx
 
Batismo
BatismoBatismo
Batismo
 
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxLição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
 
Batismo em aguas
Batismo em aguasBatismo em aguas
Batismo em aguas
 
Unidade 12 - Descobrindo o Plano de Salvação - Aspecto 2
Unidade 12 - Descobrindo o Plano de Salvação - Aspecto 2Unidade 12 - Descobrindo o Plano de Salvação - Aspecto 2
Unidade 12 - Descobrindo o Plano de Salvação - Aspecto 2
 
Batismo nas aguas
Batismo nas aguasBatismo nas aguas
Batismo nas aguas
 
A importância de ser Batizado.pdf
A importância de ser Batizado.pdfA importância de ser Batizado.pdf
A importância de ser Batizado.pdf
 
lição 9 - Batismo.pptx kkkkkkkkkkkkkkkkkk
lição 9 - Batismo.pptx kkkkkkkkkkkkkkkkkklição 9 - Batismo.pptx kkkkkkkkkkkkkkkkkk
lição 9 - Batismo.pptx kkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
A Ressurreição de Jesus - Lição 13 - 2º Trimestre de 2015
A Ressurreição de Jesus - Lição 13 - 2º Trimestre de 2015A Ressurreição de Jesus - Lição 13 - 2º Trimestre de 2015
A Ressurreição de Jesus - Lição 13 - 2º Trimestre de 2015
 
Aula resumo batismo em águas
Aula resumo   batismo em águasAula resumo   batismo em águas
Aula resumo batismo em águas
 
Lição 13
Lição 13Lição 13
Lição 13
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
O batismo em nome de jesus
O batismo em nome de jesusO batismo em nome de jesus
O batismo em nome de jesus
 
O Verdadeiro Batismo Biblico
O Verdadeiro Batismo BiblicoO Verdadeiro Batismo Biblico
O Verdadeiro Batismo Biblico
 
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito SantoLição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
 
Apostila treinamento-para-batismo
Apostila treinamento-para-batismoApostila treinamento-para-batismo
Apostila treinamento-para-batismo
 
O Batismo nas Águas.pdf
O Batismo nas Águas.pdfO Batismo nas Águas.pdf
O Batismo nas Águas.pdf
 
O batismo em águas
O batismo em águasO batismo em águas
O batismo em águas
 
Os sacramento do batismo
Os sacramento do batismoOs sacramento do batismo
Os sacramento do batismo
 
Aula 01 o batismo nas águas
Aula 01   o batismo nas águasAula 01   o batismo nas águas
Aula 01 o batismo nas águas
 

Mais de Erberson Pinheiro

A bíblia: origem e propósito
A bíblia: origem e propósitoA bíblia: origem e propósito
A bíblia: origem e propósito
Erberson Pinheiro
 
Lição 6 - A abrangência universal da salvação
Lição 6 - A abrangência universal da salvaçãoLição 6 - A abrangência universal da salvação
Lição 6 - A abrangência universal da salvação
Erberson Pinheiro
 
Lutero e a reforma protestante
Lutero e a reforma protestanteLutero e a reforma protestante
Lutero e a reforma protestante
Erberson Pinheiro
 
Lição 4 - O cristão diante da pobreza e da desigualdade social
Lição 4 - O cristão diante da pobreza e da desigualdade socialLição 4 - O cristão diante da pobreza e da desigualdade social
Lição 4 - O cristão diante da pobreza e da desigualdade social
Erberson Pinheiro
 
Lição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do SalvadorLição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Erberson Pinheiro
 
Lição 12 - O mundo vindouro
Lição 12 - O mundo vindouroLição 12 - O mundo vindouro
Lição 12 - O mundo vindouro
Erberson Pinheiro
 
Lição 12 - Milagres no nosso tempo
Lição 12 - Milagres no nosso tempo Lição 12 - Milagres no nosso tempo
Lição 12 - Milagres no nosso tempo
Erberson Pinheiro
 
Lição 12 - O processo de formação do discípulo II
Lição 12 - O processo de formação do discípulo IILição 12 - O processo de formação do discípulo II
Lição 12 - O processo de formação do discípulo II
Erberson Pinheiro
 
Lição 11 - O processo de formação do discipulado i
Lição 11 - O processo de formação do discipulado iLição 11 - O processo de formação do discipulado i
Lição 11 - O processo de formação do discipulado i
Erberson Pinheiro
 
Lição 11 - Crenças religiosas
Lição 11 - Crenças religiosasLição 11 - Crenças religiosas
Lição 11 - Crenças religiosas
Erberson Pinheiro
 
Lição 11 - A segunda vinda de cristo
Lição 11 - A segunda vinda de cristoLição 11 - A segunda vinda de cristo
Lição 11 - A segunda vinda de cristo
Erberson Pinheiro
 
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipuladoLição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Erberson Pinheiro
 
Lição 10 - O perigo do materialismo
Lição 10 - O perigo do materialismoLição 10 - O perigo do materialismo
Lição 10 - O perigo do materialismo
Erberson Pinheiro
 
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santoLição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
Erberson Pinheiro
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Erberson Pinheiro
 
Lição 9 - Hedonismo, um perigo do nosso tempo
Lição 9 - Hedonismo, um perigo do nosso tempo Lição 9 - Hedonismo, um perigo do nosso tempo
Lição 9 - Hedonismo, um perigo do nosso tempo
Erberson Pinheiro
 

Mais de Erberson Pinheiro (16)

A bíblia: origem e propósito
A bíblia: origem e propósitoA bíblia: origem e propósito
A bíblia: origem e propósito
 
Lição 6 - A abrangência universal da salvação
Lição 6 - A abrangência universal da salvaçãoLição 6 - A abrangência universal da salvação
Lição 6 - A abrangência universal da salvação
 
Lutero e a reforma protestante
Lutero e a reforma protestanteLutero e a reforma protestante
Lutero e a reforma protestante
 
Lição 4 - O cristão diante da pobreza e da desigualdade social
Lição 4 - O cristão diante da pobreza e da desigualdade socialLição 4 - O cristão diante da pobreza e da desigualdade social
Lição 4 - O cristão diante da pobreza e da desigualdade social
 
Lição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do SalvadorLição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do Salvador
 
Lição 12 - O mundo vindouro
Lição 12 - O mundo vindouroLição 12 - O mundo vindouro
Lição 12 - O mundo vindouro
 
Lição 12 - Milagres no nosso tempo
Lição 12 - Milagres no nosso tempo Lição 12 - Milagres no nosso tempo
Lição 12 - Milagres no nosso tempo
 
Lição 12 - O processo de formação do discípulo II
Lição 12 - O processo de formação do discípulo IILição 12 - O processo de formação do discípulo II
Lição 12 - O processo de formação do discípulo II
 
Lição 11 - O processo de formação do discipulado i
Lição 11 - O processo de formação do discipulado iLição 11 - O processo de formação do discipulado i
Lição 11 - O processo de formação do discipulado i
 
Lição 11 - Crenças religiosas
Lição 11 - Crenças religiosasLição 11 - Crenças religiosas
Lição 11 - Crenças religiosas
 
Lição 11 - A segunda vinda de cristo
Lição 11 - A segunda vinda de cristoLição 11 - A segunda vinda de cristo
Lição 11 - A segunda vinda de cristo
 
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipuladoLição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
 
Lição 10 - O perigo do materialismo
Lição 10 - O perigo do materialismoLição 10 - O perigo do materialismo
Lição 10 - O perigo do materialismo
 
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santoLição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
 
Lição 9 - Hedonismo, um perigo do nosso tempo
Lição 9 - Hedonismo, um perigo do nosso tempo Lição 9 - Hedonismo, um perigo do nosso tempo
Lição 9 - Hedonismo, um perigo do nosso tempo
 

Último

Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 

Último (20)

Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 

Lição 7 - A ordenança do batismo em águas

  • 1. LIÇÃO 7 Erberson R. Pinheiro dos Santos A ORDENANÇA DO BATISMO EM ÁGUAS www.ebdemfoco.com
  • 2. “De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida” (Rm 6.4). TEXTO ÁUREO
  • 3. O batismo em água é uma ordenança de Jesus que simboliza o que já aconteceu na vida de quem foi regenerado. VERDADE APLICADA
  • 4. Mateus 3.13, 16 13 — Então, veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. 16 — E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. TEXTOS DE REFERÊNCIA Mateus 3.13, 16; 28.19; At 2.38
  • 5. Mateus 28.19 19 — Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Atos 2.38 38 — E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. TEXTOS DE REFERÊNCIA Mateus 3.13, 16; 28.19; At 2.38
  • 7. INTRODUÇÃO Encontramos no Novo Testamento Dezenas de referências à prática do batismo em águas, indicando que se trata de um rito presente desde o início da Igreja (At 2.37-41)
  • 8. 1 ASPECTOS GERAIS SOBRE O BATISMO www.ebdemfoco.com
  • 9. ASPECTOS GERAIS SOBRE O BATISMO O rito batismal compõe o grupo geral de normas vinculadas com o lavar. Há vários relatos bíblicos, e também em outras fontes, sobre o uso da água em cerimônias de purificação, tanto de pessoas como de objetos, inclusive entre algumas religiões pagãs e na comunidade judaica.
  • 11. 1.1 Aspectos históricos. Fastos históricos O Antigo Testamento faz menção de pessoas que ficavam impedidas de participar de atos religiosos por se encontrarem impuras (Lv 11, 17; Nm 19). O historiador judeu Flávio Josefo atesta que entre os essênios haviam vários tipos de purificação.
  • 12. 1.1 Aspectos históricos. Fastos históricos Os arqueólogos encontraram nas ruínas de Massada construções que indicavam serem utilizadas para banho de imersão ritual. A comunidade judaica submetia o convertido gentio o judaísmo a um banho ritual, após a circuncisão, identificado como “batismo do prosélito”. O precursor de Jesus, João Batista, “apareceu batizando no deserto e pregando o batismo de arrependimento” (Mc 1.4), em cumprimento a um mandado de Deus (Jo 1.33).
  • 13. 1.2 Definição da palavra batismo.
  • 14. 1.2 Definição da palavra batismo. “Bapto” do grego Submergir βαπτο “Baptizo” do grego Imergir Tornar submerso βαπτισμω
  • 15. 1.2 Definição da palavra batismo. A própria exposição feita pelo apóstolo Paulo em Romanos 6, como sendo a união do discípulo com Cristo em Sua morte, sepultamento e ressurreição, concorda com este pensamento desde os primórdios. Tanto em contextos judaicos ou cristãos, o pensamento de imersão permanece.
  • 17. 1.3 Importância do batismo. Em contraste com o judaísmo, a Igreja no Novo Testamento não era caracterizada por rituais, contudo, há duas cerimônias que estão presentes na caminhada da Igreja desde os primórdios por terem sido instituídas pelo mandamento de Cristo Batismo em águas Por esta causa, são consideradas no estudo da Teologia Sistemática sobre Eclesiologia (A doutrina da Igreja) como ordenanças da Igreja. Ceia do Senhor
  • 18. 1.3 Importância do batismo. Assim, o batismo é importante Porque o que foi ordenado pelo Senhor Jesus Cristo (Mc 16.15-16; Mt 28.18-19). Porque os apóstolos e os primeiros discípulos ensinavam e praticavam essa ordenança (At 2.37-38, 41; 8.12-13; 36-38; 9.18; 10.47-48; 16.14-15, 32-33; 18.8; 19.5).
  • 19. 2 BATISMO: FORMA, FÓRMULA E CONDIÇÃO. www.ebdemfoco.com
  • 20. BATISMO: FORMA, FÓRMULA E CONDIÇÃO. Considerando as controvérsias existentes quanto a estes aspectos e a pluralidade das denominações evangélicas no Brasil, refletiremos nestes assuntos por conterem ensinos preciosos para enfatizar verdades espirituais presentes nesta doutrina.
  • 21. 2.1. A forma de batismo.
  • 22. 2.1. A forma de batismo. A própria etimologia da palavra, registrada no tópico anterior, indica a forma IMERSÃO É atestada pelos estudiosos da língua grega e pelos historiadores da Igreja Essa conclusão
  • 23. Mesmo aqueles que advogam outras formas (aspersão ou fusão) Reconhecem a imersão como a forma usada pela Igreja Primitiva 2.1. A forma de batismo.
  • 24. Inclusive, a exposição do apóstolo Paulo em Romanos 6.3-4, quando relaciona o batismo em água como símbolo de sepultamento e ressurreição, deixa claro a forma que era utilizada. 2.1. A forma de batismo.
  • 25. 2.2 A fórmula do batismo.
  • 26. 2.2 A fórmula do batismo. O próprio Senhor Jesus deu a fórmula “[...] batizando-as em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28.19).
  • 27. 2.2 A fórmula do batismo. Encontramos, também, neste texto, a participação de três Pessoas da Trindade na obra de salvação do ser humano O Pai amou e planejou O Filho a consumou; e o Espírito Santo aplica a salvação no homem E o Espírito Santo aplica a salvação no homem
  • 28. 2.2 A fórmula do batismo. Assim, quando lemos em Atos 2.38; 10.48, não se trata de uma “outra fórmula”, mas uma afirmação da “autoridade concedida” pelo Senhor de acordo com o Seu mandamento O reconhecimento e a submissão do novo convertido a Jesus Cristo como Salvador e Senhor
  • 29. 2.3 Condição para ser batizado
  • 30. No mandamento do Senhor encontramos Que o batismo seria administrado 2.3 Condição para ser batizado Aos que se tornam discípulos (Mt 28.19) “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mt 28.19).
  • 31. 2.3 Condição para ser batizado Nos registros em Atos, o batismo em águas foi precedido de Pregação Arrependimento InstruçãoAceitação da Palavra Fé Atos 18.8: “[...] ouvindo-o, creram e foram batizados”.
  • 33. “Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos” (Cl 2.12). O SIGNIFICADO DO BATISMO É de grande importância para nossa edificação, amadurecimento e firmeza espiritual que conheçamos o significado desta ordenança da Igreja, conforme encontramos na Palavra de Deus (Rm 6.3-14; Gl 3.27; Cl 2.12). “Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? ” (Rm 6.3). “Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo” (Gl 3.27).
  • 34. 3.1 União com Cristo.
  • 35. Quando o discípulo do Senhor Jesus É batizado em água 3.1 União com Cristo. Ele está testemunhando publicamente que está unido a Cristo
  • 36. 3.1 União com Cristo. O apóstolo Paulo usa a expressão “ [...] vos revestistes de Cristo” (Gl 3.27). Paulo Fomos incorporados nEle pela fé
  • 37. 3.1 União com Cristo. Unidos, identificados e participantes em Sua morte Sua ressurreiçãoSeu sepultamento (Rm 6.3-5).
  • 38. O batismo não efetua esta identificação, mas simboliza algo que já aconteceu pela fé. “Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição” (Rm 6.3-5). 3.1 União com Cristo. Importante notar as expressões “Batizados na sua morte” “Seremos na da sua ressurreição” “Sepultados com ele” batizados na sua morte sepultados com ele seremos na da sua ressurreição
  • 39. “Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim” (Jo 15.4). 3.1 União com Cristo. “Estai em mim, e eu, em vós;...”, declarou Jesus (Jo 15.4a). Somos ramos e Cristo é a videira A sobrevivência e produção dos ramos dependem da união com a videira verdadeira, Jesus Cristo Estai em mim e eu em vós NÓS NÓS NÓS NÓS
  • 40. 3.2 Morte e sepultamento do nosso velho homem.
  • 41. 3.2 Morte e sepultamento do nosso velho homem. Esta é a mensagem que o batizando está proclamando ao descer às águas batismais “[...] o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que não sirvamos mais ao pecado” (Rm 6.6). Para isso é necessário Que tenha ocorrido a conversão E receba ensino acerca das doutrinas fundamentais da salvação
  • 42. 3.2 Morte e sepultamento do nosso velho homem. Para viver em novidade de vida “Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos” (Cl 2.12). O sepultamento sela a morte (Cl 2.12) Não apenas morrer Primeiro é preciso passar pela cruz de Cristo Mas sepultar
  • 43. 3.2 Morte e sepultamento do nosso velho homem. O apóstolo Paulo fala desta experiência em Gálatas 6.14 “Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo” (Gl 6.14). Não se trata de morte e sepultamento no aspecto físico Mas de não mais viver sob o domínio da natureza pecaminosa
  • 44. 3.2 Morte e sepultamento do nosso velho homem. O sepultamento trata-se do resultado da nossa união com Cristo pela fé (Cl 3.3; Rm 6.11, 14) Fomos libertos do poder do pecado pelo poder de Jesus Cristo SALVAÇÃO
  • 45. 3.3 Andar em novidade de vida.
  • 46. O discípulo de Jesus Liberto do poder do pecado, não mais dominado pela natureza pecaminosa 3.3 Andar em novidade de vida. Agora com “ele viveremos” para que “andemos nós também em novidade de vida” (Rm 6.4, 8). Também em Sua ressurreição E unido a Cristo
  • 47. O batismo em água É um anúncio público sobre o novo viver 3.3 Andar em novidade de vida. “[...] como instrumento de justiça” (Rm 6.13b). Agora debaixo do senhorio de Jesus Cristo, apresentando a Deus o nosso corpo “[...] mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça” (Rm 6.13b).como instrumentos de justiça
  • 49. CONCLUSÃO Enquanto estivermos neste mundo, precisamos perseverar na proclamação do Evangelho, fazendo discípulos e batizando em água, pois são mandamentos deixados pelo Senhor da Igreja. Que a mão do Senhor continue sobre nós e, assim, “grande número creia e se converta ao Senhor” (At 11.21), para a glória de Deus.
  • 50. 1. Quais as duas ordenanças da Igreja? R: Batismo em águas e a Ceia do Senhor (Mc 16.15-16). 2. Qual a forma do batismo? R: A imersão (Rm 6.3-4). 3. Nos registros em Atos, do que o batismo em águas foi precedido? R: De pregação, arrependimento, receber a Palavra, instrução e fé (At 2.37-38). QUESTIONÁRIO
  • 51. 4. Qual é a mensagem que o batizando está proclamando ao descer às águas batismais? R: “O nosso homem velho foi com ele crucificado...para que não sirvamos mais ao pecado” (Rm 6.6). 5. O que o sepultamento sela? R: A morte (Cl 2.12). QUESTIONÁRIO
  • 52. Cursos do EBD em Foco
  • 53. Baixe em Power Point Slide em PowerPoint Slide em PDF Você pode editar Tem animações É interativo O slide em PowerPoint é muito melhor. www.ebdemfoco.com
  • 54. Cursos do EBD em Foco
  • 55. Fique por dentro do conteúdo da Escola Bíblica Dominical. Acesse o site www.ebdemfoco.com