SlideShare uma empresa Scribd logo
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 1
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Definição
Linguagem cinematográfica é o conjunto de
¤ planos,
¤ ângulos,
¤ movimentos de câmera
¤ recursos de montagem
que compõem o universo de um filme.
www.fafich.ufmg.br/~labor/cursocinema/
Da Criação ao Roteiro – Doc Comparato
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 2
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Da mesma forma que na linguagem gramatical os
substantivos, adjetivos e advérbios exercem
funções específicas e são usados da maneira mais
inteligível possível, por exemplo, não se é bem
compreendido ao se dizer:
muito o quando feliz vi fiquei
Definição
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 3
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Assim, os aspectos da linguagem cinematográfica
devem ser planejados para se obter a melhor forma
de expressão.
Ao se escolher um enquadramento, deve-se levar em
conta o seu efeito visual individual e também como
ele se encaixa na continuidade do trabalho.
Definição
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 4
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
História
David Llewelyn Wark Griffith
(1875-1948)
The Birth of a Nation
(1915)
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 5
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
História
The Birth of a Nation
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 6
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
História
Sergei Mikhailovich Eisenstein
(1898-1948)
Encouraçado Pontenkin
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 7
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
História
Encouraçado
Pontenkin
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 8
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
CAMPO e EXTRA-CAMPO
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 9
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Campo e Extra-Campo
Campo
Extra-Campo
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 10
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Campo
Compreende tudo o que está presente na
imagem enquadrada pela câmera:
•  cenários
•  personagens
•  acessórios
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 11
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Remete ao que, embora perfeitamente
presente, não se vê.
É o que não se encontra na tela, mas que
complementa aquilo que vemos.
Designa o que existe além, ao lado ou em volta
do que está enquadrado.
Extra-Campo
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 12
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Definição
Classificação dos Planos (shots)
1.  Plano Geral (PG) - ambiente
2.  Plano de Conjunto (PC) - descritivo
3.  Plano Médio (PM)
4.  Plano Americano (PA)
5.  Primeiro Plano (PP) - Close up
6.  Primeiríssimo Plano (PPP) - Close up
7.  Plano de Detalhe - Close up
8.  Plano Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 13
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Definição
Posição de Câmera
1.  Ângulo Normal
2.  Plongée
3.  Contra-Plongée
4.  Inclinado
Movimentos de Câmera
(moving shots)
1.  Panorâmica (Pan)
2.  Travelling
3.  Zoom
4.  Ponto de vista
5.  Transparência
6.  Tela partida ou múltipla
7.  Desfocagem
8.  Halo desfocado
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 14
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Definição
Montagem
1.  Corte seco
2.  Cortina
3.  Cenas em Paralelo
4.  Fusão ou Encadeamento
5.  Fading in
6.  Fading out
7.  Congelamento
8.  Slow motion
9.  Câmera Rápida
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 15
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
PLANOS
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 16
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano
Plano
É a imagem-movimento.
É uma perspectiva temporal com uma modelação
espacial.
O enquadramento do objeto filmado, com a dimensão
humana como referência.
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 17
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano
O tamanho de um plano é determinado pela distância
entre a câmera e o objeto filmado.
Deve haver adequação entre o tamanho do plano, seu
conteúdo material (o plano é mais afastado quanto
mais coisas há para ver) e seu conteúdo dramático.
Plano
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 18
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano
Existem numerosos planos e eles raramente são
unívocos.
O plano geral de uma paisagem pode perfeitamente
enquadrar uma personagem entrando em primeiro
plano, e é possível dispor atores em diversas
distâncias.
Plano
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 19
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Contra-Plano
Contra-Plano
Dialoga com o plano e pode ser definido como
uma tomada feita com a câmera orientada em
direção oposta à posição da tomada anterior.
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 20
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano x Contra-Plano
Dialogo Plano x Contra Plano
Assista ao vídeo:
http://www.portalcentrosul.com/festvideo/
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 21
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Geral (PG) = personagens + cenário
Enquadra a cena em sua totalidade. É aberto e procura registrar o espaço
onde as personagens estão.
O corpo humano é enquadrado por inteiro e sempre temos o ambiente
(interno ou externo) ocupando grande parte da tela. Reduzindo o homem a
uma silhueta minúscula, este plano o reintegra no mundo, faz com que as
coisas o devorem, "objetivando-o".
Dá uma tonalidade psicológica pessimista, uma ambiência moral um tanto
negativa e, às vezes, também traz uma dominante dramática de exaltação,
lírica ou mesmo épica.
Plano Geral (PG)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 22
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Geral (PG)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 23
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Geral (PG)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 24
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Geral (PG)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 25
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano de Conjunto (PC)
Plano de conjunto (PC) = personagens + cenário
Plano mais fechado do que o plano geral.
O plano de conjunto localiza e identifica personagens
no cenário.
Serve para correlacionar personagens e cenário.
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 26
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano de Conjunto (PC)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 27
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano de Conjunto (PC)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 28
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Médio (PM)
Plano Médio (PM)
Mostra o personagem de corpo inteiro.
Permite que se tenha uma visão global do personagem.
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 29
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Médio (PM)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 30
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Médio (PM)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 31
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Médio (PM)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 32
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Americano (PA)
É o plano que enquadra a figura humana do joelho para cima.
Geralmente não comporta mais do que três personagens reunidas.
Tem esse nome devido à sua grande popularidade entre os diretores
de Hollywood das décadas de 30 e 40.
Plano Americano (PA)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 33
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Americano (PA)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 34
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Americano (PA)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 35
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Primeiro Plano (PP)
O personagem é mostrado da cintura para cima.
Utilizado em diálogo entre personagens.
Também conhecido como Close up
Primeiro Plano (PP)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 36
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Primeiro Plano (PP)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 37
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Primeiro Plano (PP)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 38
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Primeiro Plano (PP)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 39
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Primeiríssimo Plano (PPP)
É o plano enquadrado de uma maneira muito próxima do personagem.
O personagem é enquadrada do ombro para cima, mostrando apenas o
rosto do/a ator/atriz. Com isso, o cenário é praticamente eliminado e as
expressões tornam-se mais nítidas para o/a espectador/a.
Corresponde a uma invasão no plano da consciência, a uma tensão
mental considerável, a um modo de pensamento obsessivo.
Também conhecido como Close up
Primeiríssimo Plano (PPP)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 40
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Primeiríssimo Plano (PPP)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 41
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Primeiríssimo Plano (PPP)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 42
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Primeiríssimo Plano (PPP)
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 43
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano de Detalhe
Plano de Detalhe
Semelhante ao Primeiríssimo Plano, mas se refere a objetos.
Enquadra um objeto isolado ou parte dele ocupando todo o
espaço da tela.
Ressalta um aspecto visual, eliminando o que não é importante
no momento.
Também conhecido como Close up
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 44
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano de Detalhe
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 45
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano de Detalhe
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 46
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano de Detalhe
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 47
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Plano Seqüência
Registra a ação de uma seqüência inteira sem cortes.
Plano Seqüência
Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA)
Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano
Seqüência
Em 1948, Hitchcock tentou fazer um longa-metragem inteiro rodado num
único plano-sequência, "Festim diabólico". Como os maiores rolos de película
fabricados eram (e continuam sendo) de 1000 pés (aproximadamente 11
minutos), o filme acabou sendo rodado em 12 planos, com durações entre 4 e
10 minutos cada, e com cortes "invisíveis" entre eles, dando a impressão de
um único plano.
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 48
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Médio Americano Primeiro Plano Primeiríssimo Plano Detalhe
Planos - Comparação
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 49
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Planos - Comparação
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 50
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Combinação de Planos
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 51
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
POSIÇÃO DE CÂMERA
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 52
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Ângulos
São determinados pela posição da câmera
em relação ao objeto filmado.
Posição de Câmera
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 53
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Posição de Câmera
Vista em Ângulo Normal
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 54
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Vista em Picado (Plongée):
A câmera filma o objeto de cima para baixo, ficando a
objetiva acima do nível normal do olhar.
Tende a ter um efeito de diminuição da pessoa
filmada, de rebaixamento.
Posição de Câmera
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 55
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Posição de Câmera
Vista em Picado
(Plongée)
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 56
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Vista em Contra-Picado (Contra-plongée):
A câmera filma o objeto de baixo para cima, ficando a
objetiva abaixo do nível normal do olhar.
Geralmente, dá uma impressão de superioridade,
exaltação, triunfo, pois faz "crescer" o/a ator/atriz.
Posição de Câmera
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 57
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Vista em Contra-Picado (Contra-Plongée):
Posição de Câmera
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 58
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Posição de Câmera
Contra-Plongée Plongée
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 59
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Vista Inclinada
Tomada feita a partir de uma inclinação do eixo
vertical da câmera.
Pode ser empregada subjetivamente, materializando
aos olhos do/a espectador/a uma impressão sentida
por uma personagem, como uma inquietação ou um
desequilíbrio moral.
Posição de Câmera
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 60
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Posição de Câmera
z
x
y
Vista Inclinada
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 61
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
MOVIMENTO DE CÂMERA
(moving shots)
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 62
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Constituem a base técnica do plano em movimento.
São definidos levando-se em conta se o movimento
da câmera é de rotação (em torno do seu eixo) ou de
translação (locomovendo-se em avanço ou recuo,
subindo ou descendo).
Movimento de Câmera
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 63
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 64
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
-zz
y
x
TRANSLAÇÃO
Movimento de Câmera
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 65
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
DOLLY
Movimento de Câmera
Compare o efeito de Dolly com Zoom:
http://www.wonderhowto.com/how-to-zoom-dolly-effects-film-279384/
http://courses.csusm.edu/fmst300bc/kinetics.html
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 66
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
TRUCK
LEFT
RIGHT
PEDESTAL
UP
DOWN
Movimento de Câmera
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 67
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
-zz
y
x
ROTAÇÃO
Movimento de Câmera
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 68
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
A câmera se move em torno do seu eixo, fazendo um movimento
giratório, sem sair do lugar.
Trata-se de um movimento da câmera que pode ser horizontal (da
esquerda para a direita ou da direita para a esquerda), vertical (de cima
para baixo ou vice-versa) ou oblíquo.
A panorâmica vertical é também conhecida como tilt.
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
Panorâmica (Pan)
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 69
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
TILT
UP
DOWN
PAN (ORAMIC)
RIGHT
LEFT
Movimento de Câmera
(pan)
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 70
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
www.mnemocine.com.br/cinema/principindex%20.htm
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
Panorâmica (Pan)
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 71
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan)
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
www.mnemocine.com.br/cinema/principindex%20.htm
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 72
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Movimento onde a câmera anda sobre um caminho.
A câmera é movida sobre um carrinho (ou qualquer suporte móvel)
num eixo horizontal e paralelo ao movimento do objeto filmado.
Este acompanhamento pode ser lateral ou frontal, neste último caso
podendo ser de aproximação ou de afastamento.
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
Travelling
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 73
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 74
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 75
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Crane / Boom
GRUA / Braço
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 76
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Boom ou Crane Up
Boom ou Crane Down
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 77
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Tongue Right
Tongue Left
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 78
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Modelos de Gruas
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 79
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 80
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
ZOOM - Variação da distância de um conjunto de lentes
da câmera.
Zoom-IN - Efeito de Aproximação causado pelo
aumento da distância focal e diminuição da abertura
angular da lente.
Zoom-OUT - Efeito de Afastamento causado pela
diminuição da distância focal e aumento da abertura
angular da lente.
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 81
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Zoom
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
Compare o efeito de Dolly com Zoom:
http://www.wonderhowto.com/how-to-zoom-dolly-effects-film-279384/
http://courses.csusm.edu/fmst300bc/kinetics.html
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 82
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
SteadyCam
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
Assista ao vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=P7PZ8vGlFgw&feature=related
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 83
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
SteadyCam
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 84
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
SteadyCam
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 85
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
Vemos o que a personagem vê,
andamos quando ela anda e
agachamo-nos quando ela se
agacha.
Ponto de vista
Câmera situada no nível dos olhos = ponto de vista subjetivo.
Assista ao vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=_kbNv3vBvcI
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 86
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
Trata-se de um engenho técnico graças ao qual se
projeta uma cena pré-filmada por trás das
personagens.
Tipo de cena clássica: Personagens dentro de um
automóvel que se desloca; na realidade, o que se
move é a imagem projetada por trás.
Transparência (process shot)
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 87
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
A tela é dividida em partes. Por exemplo: duas personagens falam ao
telefone, cada uma em sua casa; no lado esquerdo estará a
personagem A, no direito a personagem B.
Mostra ações simultâneas.
Tela partida ou múltipla
Assista ao vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=ER_Qk3KLZ58
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 88
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
Diante de dois elementos, a camera concentra-se num só, definindo-o,
enquanto o outro fica desfocado.
Desfocagem
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 89
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Movimento de Câmera
Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista
Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
A câmera desfoca tudo o que rodeia o objeto com o fim de o pôr em
relevo (enaltecê-lo)
Halo Desfocado
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 90
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
RECURSOS de MONTAGEM
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 91
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Lev Vladimirovich Kuleshov
(1889-1970)
Montagem
Um grande estudioso de teorias
cinematográficas que ajudou a fundar e
ensinou na primeira escola de cinema do
mundo, a Escola de Cinema de Moscou.
O Efeito Kulechov consistiu em demonstrar
o poder da montagem cinematográfica, na
medida em que esta era plenamente
capaz de conseguir dar significados a uma
tomada pela justaposição com uma outra,
quando, a primeira, pura e simplesmente,
não significaria nada
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 92
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Ivan Ilyich Mozzhukhin
(1889-1939)
Montagem
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 93
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Montagem
Experimento de Kuleshov
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 94
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Montagem
Experimento de Kuleshov
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 95
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Montagem
Experimento de Kuleshov
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 96
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Efeito Kuleshov
A + B => C
Cena A Cena B Percep. C+ =>
Montagem
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 97
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Montagem
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 98
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Montagem
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 99
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Montagem
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 100
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
....
Montagem
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 101
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Conceito
Montagem
Montar ou editar consiste em escolher e justapor. Apenas isso. É uma
operação simples, comum a toda linguagem. No cinema não é
diferente. Quem se exprime por meio da linguagem cinematográfica
seleciona e combina imagens e sons".
Léo Vidigal
http://montagemparalela.blogspot.com.br/
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 102
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Transição de Cenas
Cena A
xxxx
Cena C
xxxx
Montagem
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 103
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Indica uma transição imediata, direta de uma cena para outra.
Foi um dos primeiros procedimentos da montagem, usado na hora
da transição de um filme para outro.
Usado quando se quer obter imagens que se sucedem dentro de um
enredo.
CORTE SECO
Montagem
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 104
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Cena A Cena C
Montagem
CORTE SECO
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 105
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Montagem
CORTINA
Forma de transição de planos que ocorre quando uma cena
encobre outra (geralmente entrando no eixo horizontal, mas
pode ocorrer também no sentido vertical, diagonal, em estrela e
em uma infinidade de formas).
Pode ocorrer também através de uma linha que corre o quadro,
mudando as ações.
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 106
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Cena ACena C
Montagem
CORTINA
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 107
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Cena A
Cena C
Montagem
CORTINA
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 108
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Empregada quando duas ou mais seqüências são
abordadas ao mesmo tempo, intercalando as cenas
pertencentes a cada uma, alternadamente, a fim de fazer
surgir uma significação de seu confronto.
Ocorre quando se quer fazer um paralelo, uma aproximação
simbólica entre as cenas, como por exemplo a aproximação
temporal.
CENAS EM PARALELO
Montagem
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 109
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
CENAS EM PARALELO
Montagem
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
Cena A Cena C
t1, t3, t5 ... t2, t4, t6 ...
http://montagemparalela.blogspot.com/
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 110
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Montagem
FUSÃO ou ENCADEAMENTO
Forma de transição onde uma cena desaparece simultaneamente ao
aparecimento da cena seguinte.
As cenas se superpõem: enquanto uma se apaga, a outra aparece.
Mantém a fluidez e a suavidade de uma seqüência.
Seu uso pode significar uma passagem de tempo.
Também é usada quando se quer suprimir ações que sejam dispensáveis
na narração (processo conhecido como elipse – fatos que se supõe
ocorrer, embora não sejam mostrados na tela).
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 111
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Cena A
Cena A/C
Cena C
Montagem
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
FUSÃO ou ENCADEAMENTO
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 112
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Fade-In: a imagem vai surgindo aos poucos de uma tela preta (ou de
outra cor qualquer).
Fade-Out: a imagem vai desaparecendo até que a tela fique preta.
A velocidade com que a imagem dá lugar à tela preta e vice-versa pode
ser controlada de acordo com o efeito desejado.
O fade-in é comumente usado no início de uma seqüência e o fade-out,
como conclusão.
Ambos podem denotar a passagem de tempo ou um deslocamento
espacial, assim como na fusão.
Montagem
FADE-IN e FADE-OUT
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 113
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Cena C
Cena C
Montagem
FADE-IN
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 114
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Montagem
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
Cena C
Cena C
FADE-OUT
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 115
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
Montagem
A imagem deixa de se mover, fica
momentaneamente imobilizada. Esse
efeito é utilizado para dar ênfase a um
determinado momento.
Por exemplo: imagens que um fotógrafo
capta ao disparar sua câmera.
CONGELAMENTO (freezing)
Assista ao vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=llXdTu7H6Cs
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 116
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
Montagem
Os movimentos se tornam lentos, a imagem perde velocidade. Com
isto, intensifica-se, acentua-se, sublinha-se uma ação; o tempo real é
alterado e transformado. Um uso abusivo desta técnica pode prejudicar
a ação.
SLOW MOTION (câmera lenta)
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 117
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Montagem
SLOW MOTION (câmera lenta)
Assista a um vídeos de Slow Motion:
http://www.youtube.com/watch?v=X0-TbUUXDtM
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 118
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento
Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
Montagem
CÂMERA RÁPIDA
A imagem adquire maior
velocidade; os movimentos
são mais rápidos.
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 119
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Efeitos Especiais
Efeito especial (abreviado como SPFX, SFX ou simplesmente FX, em
inglês) é o nome dado a qualquer uma de várias técnicas utilizadas
na indústria de entretenimento, cinema e televisão para realizar
cenas que não podem ser obtidas por meios normais ou por ação ao
vivo.
U
F
P
R
LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 120
Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica
Efeitos Especiais
Assista a um efeito especial do filme Matrix (1999):
http://www.youtube.com/watch?v=9wHi4xTnLk4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pré produção audiovisual
Pré produção audiovisualPré produção audiovisual
Pré produção audiovisual
Marcioveras
 
Animação 2 - Ciclo de Caminhada
Animação 2 - Ciclo de CaminhadaAnimação 2 - Ciclo de Caminhada
Animação 2 - Ciclo de Caminhada
profealbattaiola
 
Animação 1 - Roteiro (4) Decupagem e Formatacao do Roteiro
Animação 1 - Roteiro (4) Decupagem e Formatacao do RoteiroAnimação 1 - Roteiro (4) Decupagem e Formatacao do Roteiro
Animação 1 - Roteiro (4) Decupagem e Formatacao do Roteiro
profealbattaiola
 
2. Cinematografia
2. Cinematografia2. Cinematografia
2. Cinematografia
Cristiano Canguçu
 
Produção cinematógrafiaca
Produção cinematógrafiacaProdução cinematógrafiaca
Produção cinematógrafiaca
Camila Silva Fernandes
 
07. Narrativa clássica no cinema
07. Narrativa clássica no cinema07. Narrativa clássica no cinema
07. Narrativa clássica no cinema
Cristiano Canguçu
 
A arte do cinema: Como se faz um filme - Teresa Silva
A arte do cinema: Como se faz um filme - Teresa SilvaA arte do cinema: Como se faz um filme - Teresa Silva
A arte do cinema: Como se faz um filme - Teresa Silva
Teresa Silva
 
Edição e Montagem - Aulas 4 e 5
Edição e Montagem - Aulas 4 e 5Edição e Montagem - Aulas 4 e 5
Edição e Montagem - Aulas 4 e 5
Mauricio Fonteles
 
Introdução à linguagem audiovisual
Introdução à linguagem audiovisualIntrodução à linguagem audiovisual
Introdução à linguagem audiovisual
Thiago Assumpção
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Mauricio Mallet Duprat
 
Produção Audiovisual - A função do som pdf
Produção Audiovisual - A  função do som pdfProdução Audiovisual - A  função do som pdf
Produção Audiovisual - A função do som pdf
UNIP. Universidade Paulista
 
Animação 2 - Princípios de Animação
Animação 2 - Princípios de AnimaçãoAnimação 2 - Princípios de Animação
Animação 2 - Princípios de Animação
profealbattaiola
 
Introdução ao Audiovisual
Introdução ao Audiovisual Introdução ao Audiovisual
Introdução ao Audiovisual
Vinícius Souza
 
6. Forma e narrativa
6. Forma e narrativa6. Forma e narrativa
6. Forma e narrativa
Cristiano Canguçu
 
WORKSHOP DIREÇÃO DE PROGRAMAS DE TV 2ª PARTE
WORKSHOP DIREÇÃO DE PROGRAMAS DE TV 2ª PARTEWORKSHOP DIREÇÃO DE PROGRAMAS DE TV 2ª PARTE
WORKSHOP DIREÇÃO DE PROGRAMAS DE TV 2ª PARTE
RICARDO BARROS DE MIRANDA
 
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdf
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdfPRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdf
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdf
UNIP. Universidade Paulista
 
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL - Etapas da Produção pdf
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL - Etapas da Produção pdfPRODUÇÃO AUDIOVISUAL - Etapas da Produção pdf
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL - Etapas da Produção pdf
UNIP. Universidade Paulista
 
Animação 1 - Personagens - Expressões e Posturas
Animação 1 - Personagens - Expressões e PosturasAnimação 1 - Personagens - Expressões e Posturas
Animação 1 - Personagens - Expressões e Posturas
profealbattaiola
 
Film Editing Master
Film Editing MasterFilm Editing Master
Film Editing Master
Guy Stanley
 
Conceitos básicos da produção audio visual
Conceitos básicos da produção audio visualConceitos básicos da produção audio visual
Conceitos básicos da produção audio visual
Francisco Machado
 

Mais procurados (20)

Pré produção audiovisual
Pré produção audiovisualPré produção audiovisual
Pré produção audiovisual
 
Animação 2 - Ciclo de Caminhada
Animação 2 - Ciclo de CaminhadaAnimação 2 - Ciclo de Caminhada
Animação 2 - Ciclo de Caminhada
 
Animação 1 - Roteiro (4) Decupagem e Formatacao do Roteiro
Animação 1 - Roteiro (4) Decupagem e Formatacao do RoteiroAnimação 1 - Roteiro (4) Decupagem e Formatacao do Roteiro
Animação 1 - Roteiro (4) Decupagem e Formatacao do Roteiro
 
2. Cinematografia
2. Cinematografia2. Cinematografia
2. Cinematografia
 
Produção cinematógrafiaca
Produção cinematógrafiacaProdução cinematógrafiaca
Produção cinematógrafiaca
 
07. Narrativa clássica no cinema
07. Narrativa clássica no cinema07. Narrativa clássica no cinema
07. Narrativa clássica no cinema
 
A arte do cinema: Como se faz um filme - Teresa Silva
A arte do cinema: Como se faz um filme - Teresa SilvaA arte do cinema: Como se faz um filme - Teresa Silva
A arte do cinema: Como se faz um filme - Teresa Silva
 
Edição e Montagem - Aulas 4 e 5
Edição e Montagem - Aulas 4 e 5Edição e Montagem - Aulas 4 e 5
Edição e Montagem - Aulas 4 e 5
 
Introdução à linguagem audiovisual
Introdução à linguagem audiovisualIntrodução à linguagem audiovisual
Introdução à linguagem audiovisual
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
 
Produção Audiovisual - A função do som pdf
Produção Audiovisual - A  função do som pdfProdução Audiovisual - A  função do som pdf
Produção Audiovisual - A função do som pdf
 
Animação 2 - Princípios de Animação
Animação 2 - Princípios de AnimaçãoAnimação 2 - Princípios de Animação
Animação 2 - Princípios de Animação
 
Introdução ao Audiovisual
Introdução ao Audiovisual Introdução ao Audiovisual
Introdução ao Audiovisual
 
6. Forma e narrativa
6. Forma e narrativa6. Forma e narrativa
6. Forma e narrativa
 
WORKSHOP DIREÇÃO DE PROGRAMAS DE TV 2ª PARTE
WORKSHOP DIREÇÃO DE PROGRAMAS DE TV 2ª PARTEWORKSHOP DIREÇÃO DE PROGRAMAS DE TV 2ª PARTE
WORKSHOP DIREÇÃO DE PROGRAMAS DE TV 2ª PARTE
 
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdf
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdfPRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdf
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdf
 
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL - Etapas da Produção pdf
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL - Etapas da Produção pdfPRODUÇÃO AUDIOVISUAL - Etapas da Produção pdf
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL - Etapas da Produção pdf
 
Animação 1 - Personagens - Expressões e Posturas
Animação 1 - Personagens - Expressões e PosturasAnimação 1 - Personagens - Expressões e Posturas
Animação 1 - Personagens - Expressões e Posturas
 
Film Editing Master
Film Editing MasterFilm Editing Master
Film Editing Master
 
Conceitos básicos da produção audio visual
Conceitos básicos da produção audio visualConceitos básicos da produção audio visual
Conceitos básicos da produção audio visual
 

Semelhante a Animação 1 - Linguagem Cinematografica

Lc planos
Lc planosLc planos
Construção de um storyboard como roteiro de artes
Construção de um storyboard como roteiro de artesConstrução de um storyboard como roteiro de artes
Construção de um storyboard como roteiro de artes
Caitano José
 
Linguagem 1
Linguagem 1Linguagem 1
Linguagem 1
Augusto Parada
 
direc3a7ao-narrativa.ppt
direc3a7ao-narrativa.pptdirec3a7ao-narrativa.ppt
direc3a7ao-narrativa.ppt
WeslleyDias8
 
Animação 1 - Thumbnail
Animação 1 - ThumbnailAnimação 1 - Thumbnail
Animação 1 - Thumbnail
profealbattaiola
 
FOTOGRAFIA E AUDIOVISUAL
FOTOGRAFIA E AUDIOVISUALFOTOGRAFIA E AUDIOVISUAL
FOTOGRAFIA E AUDIOVISUAL
Tulio Drumond Chaves
 
Do roteiro ao plano visual / plano de produção
Do roteiro ao plano visual / plano de produçãoDo roteiro ao plano visual / plano de produção
Do roteiro ao plano visual / plano de produção
Armando Bulcao
 
Enquadramento - Ângulos de Filmagem - Movimentos de Câmera - Movimentos de Lente
Enquadramento - Ângulos de Filmagem - Movimentos de Câmera - Movimentos de LenteEnquadramento - Ângulos de Filmagem - Movimentos de Câmera - Movimentos de Lente
Enquadramento - Ângulos de Filmagem - Movimentos de Câmera - Movimentos de Lente
Conrado Melo
 
Como criar um_curta - ok2017-Dri
Como criar um_curta - ok2017-DriComo criar um_curta - ok2017-Dri
Como criar um_curta - ok2017-Dri
Adriana Bruno
 

Semelhante a Animação 1 - Linguagem Cinematografica (9)

Lc planos
Lc planosLc planos
Lc planos
 
Construção de um storyboard como roteiro de artes
Construção de um storyboard como roteiro de artesConstrução de um storyboard como roteiro de artes
Construção de um storyboard como roteiro de artes
 
Linguagem 1
Linguagem 1Linguagem 1
Linguagem 1
 
direc3a7ao-narrativa.ppt
direc3a7ao-narrativa.pptdirec3a7ao-narrativa.ppt
direc3a7ao-narrativa.ppt
 
Animação 1 - Thumbnail
Animação 1 - ThumbnailAnimação 1 - Thumbnail
Animação 1 - Thumbnail
 
FOTOGRAFIA E AUDIOVISUAL
FOTOGRAFIA E AUDIOVISUALFOTOGRAFIA E AUDIOVISUAL
FOTOGRAFIA E AUDIOVISUAL
 
Do roteiro ao plano visual / plano de produção
Do roteiro ao plano visual / plano de produçãoDo roteiro ao plano visual / plano de produção
Do roteiro ao plano visual / plano de produção
 
Enquadramento - Ângulos de Filmagem - Movimentos de Câmera - Movimentos de Lente
Enquadramento - Ângulos de Filmagem - Movimentos de Câmera - Movimentos de LenteEnquadramento - Ângulos de Filmagem - Movimentos de Câmera - Movimentos de Lente
Enquadramento - Ângulos de Filmagem - Movimentos de Câmera - Movimentos de Lente
 
Como criar um_curta - ok2017-Dri
Como criar um_curta - ok2017-DriComo criar um_curta - ok2017-Dri
Como criar um_curta - ok2017-Dri
 

Mais de profealbattaiola

Anim2 Aula11 Preço_Custo
Anim2 Aula11 Preço_CustoAnim2 Aula11 Preço_Custo
Anim2 Aula11 Preço_Custo
profealbattaiola
 
Anim2 aula10 softwares
Anim2 aula10 softwaresAnim2 aula10 softwares
Anim2 aula10 softwares
profealbattaiola
 
Anim2 aula0809 Cores_Background
Anim2 aula0809 Cores_BackgroundAnim2 aula0809 Cores_Background
Anim2 aula0809 Cores_Background
profealbattaiola
 
Anim2 Aula07 Temporizacao
Anim2 Aula07 TemporizacaoAnim2 Aula07 Temporizacao
Anim2 Aula07 Temporizacao
profealbattaiola
 
Anim2 Aula06 Sincronia
Anim2 Aula06 SincroniaAnim2 Aula06 Sincronia
Anim2 Aula06 Sincronia
profealbattaiola
 
Anim2 Aula05 Planejamento
Anim2 Aula05 PlanejamentoAnim2 Aula05 Planejamento
Anim2 Aula05 Planejamento
profealbattaiola
 
Anim2 Aula04 Ciclo de Caminhada
Anim2 Aula04 Ciclo de CaminhadaAnim2 Aula04 Ciclo de Caminhada
Anim2 Aula04 Ciclo de Caminhada
profealbattaiola
 
Anim2 Aula03 truques
Anim2 Aula03 truquesAnim2 Aula03 truques
Anim2 Aula03 truques
profealbattaiola
 
Anim2 aula02 tecnicas2
Anim2 aula02 tecnicas2Anim2 aula02 tecnicas2
Anim2 aula02 tecnicas2
profealbattaiola
 
Anim2 Aula01 Percepcao
Anim2 Aula01 PercepcaoAnim2 Aula01 Percepcao
Anim2 Aula01 Percepcao
profealbattaiola
 
NormasLegis - (4) Música - Plágio
NormasLegis - (4) Música - PlágioNormasLegis - (4) Música - Plágio
NormasLegis - (4) Música - Plágio
profealbattaiola
 
NormasLegis - (3) Fotografia - Caso Putz e Irmã Zuleide
NormasLegis - (3) Fotografia - Caso Putz e Irmã ZuleideNormasLegis - (3) Fotografia - Caso Putz e Irmã Zuleide
NormasLegis - (3) Fotografia - Caso Putz e Irmã Zuleide
profealbattaiola
 
NormasLegis - (2) Direito de Autor
NormasLegis - (2) Direito de AutorNormasLegis - (2) Direito de Autor
NormasLegis - (2) Direito de Autor
profealbattaiola
 
NormasLegis - (1) Criações Intelectuais
NormasLegis - (1) Criações IntelectuaisNormasLegis - (1) Criações Intelectuais
NormasLegis - (1) Criações Intelectuais
profealbattaiola
 
Ementa hd714 2013
Ementa hd714 2013Ementa hd714 2013
Ementa hd714 2013
profealbattaiola
 
NormasLegis - (6) Contrato
NormasLegis - (6) ContratoNormasLegis - (6) Contrato
NormasLegis - (6) Contrato
profealbattaiola
 
NormasLegis - (5) Questoes Juridicas
NormasLegis - (5) Questoes JuridicasNormasLegis - (5) Questoes Juridicas
NormasLegis - (5) Questoes Juridicas
profealbattaiola
 
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / PersonagemAnimação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
profealbattaiola
 
Animação 1 - Roteiro (2) Roteiro Literário
Animação 1 - Roteiro (2) Roteiro LiterárioAnimação 1 - Roteiro (2) Roteiro Literário
Animação 1 - Roteiro (2) Roteiro Literário
profealbattaiola
 
Animação 1 - Roteiro (1) Narrativa
Animação 1 - Roteiro (1) NarrativaAnimação 1 - Roteiro (1) Narrativa
Animação 1 - Roteiro (1) Narrativa
profealbattaiola
 

Mais de profealbattaiola (20)

Anim2 Aula11 Preço_Custo
Anim2 Aula11 Preço_CustoAnim2 Aula11 Preço_Custo
Anim2 Aula11 Preço_Custo
 
Anim2 aula10 softwares
Anim2 aula10 softwaresAnim2 aula10 softwares
Anim2 aula10 softwares
 
Anim2 aula0809 Cores_Background
Anim2 aula0809 Cores_BackgroundAnim2 aula0809 Cores_Background
Anim2 aula0809 Cores_Background
 
Anim2 Aula07 Temporizacao
Anim2 Aula07 TemporizacaoAnim2 Aula07 Temporizacao
Anim2 Aula07 Temporizacao
 
Anim2 Aula06 Sincronia
Anim2 Aula06 SincroniaAnim2 Aula06 Sincronia
Anim2 Aula06 Sincronia
 
Anim2 Aula05 Planejamento
Anim2 Aula05 PlanejamentoAnim2 Aula05 Planejamento
Anim2 Aula05 Planejamento
 
Anim2 Aula04 Ciclo de Caminhada
Anim2 Aula04 Ciclo de CaminhadaAnim2 Aula04 Ciclo de Caminhada
Anim2 Aula04 Ciclo de Caminhada
 
Anim2 Aula03 truques
Anim2 Aula03 truquesAnim2 Aula03 truques
Anim2 Aula03 truques
 
Anim2 aula02 tecnicas2
Anim2 aula02 tecnicas2Anim2 aula02 tecnicas2
Anim2 aula02 tecnicas2
 
Anim2 Aula01 Percepcao
Anim2 Aula01 PercepcaoAnim2 Aula01 Percepcao
Anim2 Aula01 Percepcao
 
NormasLegis - (4) Música - Plágio
NormasLegis - (4) Música - PlágioNormasLegis - (4) Música - Plágio
NormasLegis - (4) Música - Plágio
 
NormasLegis - (3) Fotografia - Caso Putz e Irmã Zuleide
NormasLegis - (3) Fotografia - Caso Putz e Irmã ZuleideNormasLegis - (3) Fotografia - Caso Putz e Irmã Zuleide
NormasLegis - (3) Fotografia - Caso Putz e Irmã Zuleide
 
NormasLegis - (2) Direito de Autor
NormasLegis - (2) Direito de AutorNormasLegis - (2) Direito de Autor
NormasLegis - (2) Direito de Autor
 
NormasLegis - (1) Criações Intelectuais
NormasLegis - (1) Criações IntelectuaisNormasLegis - (1) Criações Intelectuais
NormasLegis - (1) Criações Intelectuais
 
Ementa hd714 2013
Ementa hd714 2013Ementa hd714 2013
Ementa hd714 2013
 
NormasLegis - (6) Contrato
NormasLegis - (6) ContratoNormasLegis - (6) Contrato
NormasLegis - (6) Contrato
 
NormasLegis - (5) Questoes Juridicas
NormasLegis - (5) Questoes JuridicasNormasLegis - (5) Questoes Juridicas
NormasLegis - (5) Questoes Juridicas
 
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / PersonagemAnimação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
 
Animação 1 - Roteiro (2) Roteiro Literário
Animação 1 - Roteiro (2) Roteiro LiterárioAnimação 1 - Roteiro (2) Roteiro Literário
Animação 1 - Roteiro (2) Roteiro Literário
 
Animação 1 - Roteiro (1) Narrativa
Animação 1 - Roteiro (1) NarrativaAnimação 1 - Roteiro (1) Narrativa
Animação 1 - Roteiro (1) Narrativa
 

Animação 1 - Linguagem Cinematografica

  • 1. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 1 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Definição Linguagem cinematográfica é o conjunto de ¤ planos, ¤ ângulos, ¤ movimentos de câmera ¤ recursos de montagem que compõem o universo de um filme. www.fafich.ufmg.br/~labor/cursocinema/ Da Criação ao Roteiro – Doc Comparato
  • 2. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 2 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Da mesma forma que na linguagem gramatical os substantivos, adjetivos e advérbios exercem funções específicas e são usados da maneira mais inteligível possível, por exemplo, não se é bem compreendido ao se dizer: muito o quando feliz vi fiquei Definição
  • 3. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 3 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Assim, os aspectos da linguagem cinematográfica devem ser planejados para se obter a melhor forma de expressão. Ao se escolher um enquadramento, deve-se levar em conta o seu efeito visual individual e também como ele se encaixa na continuidade do trabalho. Definição
  • 4. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 4 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica História David Llewelyn Wark Griffith (1875-1948) The Birth of a Nation (1915)
  • 5. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 5 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica História The Birth of a Nation
  • 6. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 6 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica História Sergei Mikhailovich Eisenstein (1898-1948) Encouraçado Pontenkin
  • 7. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 7 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica História Encouraçado Pontenkin
  • 8. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 8 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica CAMPO e EXTRA-CAMPO
  • 9. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 9 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Campo e Extra-Campo Campo Extra-Campo
  • 10. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 10 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Campo Compreende tudo o que está presente na imagem enquadrada pela câmera: •  cenários •  personagens •  acessórios
  • 11. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 11 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Remete ao que, embora perfeitamente presente, não se vê. É o que não se encontra na tela, mas que complementa aquilo que vemos. Designa o que existe além, ao lado ou em volta do que está enquadrado. Extra-Campo
  • 12. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 12 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Definição Classificação dos Planos (shots) 1.  Plano Geral (PG) - ambiente 2.  Plano de Conjunto (PC) - descritivo 3.  Plano Médio (PM) 4.  Plano Americano (PA) 5.  Primeiro Plano (PP) - Close up 6.  Primeiríssimo Plano (PPP) - Close up 7.  Plano de Detalhe - Close up 8.  Plano Seqüência
  • 13. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 13 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Definição Posição de Câmera 1.  Ângulo Normal 2.  Plongée 3.  Contra-Plongée 4.  Inclinado Movimentos de Câmera (moving shots) 1.  Panorâmica (Pan) 2.  Travelling 3.  Zoom 4.  Ponto de vista 5.  Transparência 6.  Tela partida ou múltipla 7.  Desfocagem 8.  Halo desfocado
  • 14. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 14 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Definição Montagem 1.  Corte seco 2.  Cortina 3.  Cenas em Paralelo 4.  Fusão ou Encadeamento 5.  Fading in 6.  Fading out 7.  Congelamento 8.  Slow motion 9.  Câmera Rápida
  • 15. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 15 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica PLANOS
  • 16. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 16 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Plano É a imagem-movimento. É uma perspectiva temporal com uma modelação espacial. O enquadramento do objeto filmado, com a dimensão humana como referência.
  • 17. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 17 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano O tamanho de um plano é determinado pela distância entre a câmera e o objeto filmado. Deve haver adequação entre o tamanho do plano, seu conteúdo material (o plano é mais afastado quanto mais coisas há para ver) e seu conteúdo dramático. Plano
  • 18. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 18 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Existem numerosos planos e eles raramente são unívocos. O plano geral de uma paisagem pode perfeitamente enquadrar uma personagem entrando em primeiro plano, e é possível dispor atores em diversas distâncias. Plano
  • 19. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 19 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Contra-Plano Contra-Plano Dialoga com o plano e pode ser definido como uma tomada feita com a câmera orientada em direção oposta à posição da tomada anterior.
  • 20. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 20 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano x Contra-Plano Dialogo Plano x Contra Plano Assista ao vídeo: http://www.portalcentrosul.com/festvideo/
  • 21. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 21 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Geral (PG) = personagens + cenário Enquadra a cena em sua totalidade. É aberto e procura registrar o espaço onde as personagens estão. O corpo humano é enquadrado por inteiro e sempre temos o ambiente (interno ou externo) ocupando grande parte da tela. Reduzindo o homem a uma silhueta minúscula, este plano o reintegra no mundo, faz com que as coisas o devorem, "objetivando-o". Dá uma tonalidade psicológica pessimista, uma ambiência moral um tanto negativa e, às vezes, também traz uma dominante dramática de exaltação, lírica ou mesmo épica. Plano Geral (PG) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 22. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 22 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Geral (PG) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 23. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 23 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Geral (PG) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 24. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 24 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Geral (PG) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 25. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 25 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano de Conjunto (PC) Plano de conjunto (PC) = personagens + cenário Plano mais fechado do que o plano geral. O plano de conjunto localiza e identifica personagens no cenário. Serve para correlacionar personagens e cenário. Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 26. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 26 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano de Conjunto (PC) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 27. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 27 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano de Conjunto (PC) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 28. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 28 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Médio (PM) Plano Médio (PM) Mostra o personagem de corpo inteiro. Permite que se tenha uma visão global do personagem. Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 29. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 29 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Médio (PM) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 30. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 30 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Médio (PM) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 31. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 31 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Médio (PM) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 32. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 32 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Americano (PA) É o plano que enquadra a figura humana do joelho para cima. Geralmente não comporta mais do que três personagens reunidas. Tem esse nome devido à sua grande popularidade entre os diretores de Hollywood das décadas de 30 e 40. Plano Americano (PA) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 33. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 33 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Americano (PA) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 34. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 34 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Americano (PA) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 35. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 35 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Primeiro Plano (PP) O personagem é mostrado da cintura para cima. Utilizado em diálogo entre personagens. Também conhecido como Close up Primeiro Plano (PP) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 36. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 36 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Primeiro Plano (PP) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 37. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 37 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Primeiro Plano (PP) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 38. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 38 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Primeiro Plano (PP) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 39. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 39 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Primeiríssimo Plano (PPP) É o plano enquadrado de uma maneira muito próxima do personagem. O personagem é enquadrada do ombro para cima, mostrando apenas o rosto do/a ator/atriz. Com isso, o cenário é praticamente eliminado e as expressões tornam-se mais nítidas para o/a espectador/a. Corresponde a uma invasão no plano da consciência, a uma tensão mental considerável, a um modo de pensamento obsessivo. Também conhecido como Close up Primeiríssimo Plano (PPP) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 40. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 40 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Primeiríssimo Plano (PPP) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 41. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 41 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Primeiríssimo Plano (PPP) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 42. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 42 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Primeiríssimo Plano (PPP) Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 43. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 43 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano de Detalhe Plano de Detalhe Semelhante ao Primeiríssimo Plano, mas se refere a objetos. Enquadra um objeto isolado ou parte dele ocupando todo o espaço da tela. Ressalta um aspecto visual, eliminando o que não é importante no momento. Também conhecido como Close up Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 44. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 44 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano de Detalhe Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 45. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 45 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano de Detalhe Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 46. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 46 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano de Detalhe Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência
  • 47. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 47 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Plano Seqüência Registra a ação de uma seqüência inteira sem cortes. Plano Seqüência Plano Geral (PG) Plano de Conjunto (PC) Plano Médio (PM) Plano Americano (PA) Primeiro Plano (PP) Primeiríssimo Plano (PPP) Plano de Detalhe Plano Seqüência Em 1948, Hitchcock tentou fazer um longa-metragem inteiro rodado num único plano-sequência, "Festim diabólico". Como os maiores rolos de película fabricados eram (e continuam sendo) de 1000 pés (aproximadamente 11 minutos), o filme acabou sendo rodado em 12 planos, com durações entre 4 e 10 minutos cada, e com cortes "invisíveis" entre eles, dando a impressão de um único plano.
  • 48. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 48 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Médio Americano Primeiro Plano Primeiríssimo Plano Detalhe Planos - Comparação
  • 49. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 49 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Planos - Comparação
  • 50. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 50 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Combinação de Planos
  • 51. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 51 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica POSIÇÃO DE CÂMERA
  • 52. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 52 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Ângulos São determinados pela posição da câmera em relação ao objeto filmado. Posição de Câmera
  • 53. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 53 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Posição de Câmera Vista em Ângulo Normal
  • 54. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 54 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Vista em Picado (Plongée): A câmera filma o objeto de cima para baixo, ficando a objetiva acima do nível normal do olhar. Tende a ter um efeito de diminuição da pessoa filmada, de rebaixamento. Posição de Câmera
  • 55. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 55 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Posição de Câmera Vista em Picado (Plongée)
  • 56. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 56 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Vista em Contra-Picado (Contra-plongée): A câmera filma o objeto de baixo para cima, ficando a objetiva abaixo do nível normal do olhar. Geralmente, dá uma impressão de superioridade, exaltação, triunfo, pois faz "crescer" o/a ator/atriz. Posição de Câmera
  • 57. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 57 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Vista em Contra-Picado (Contra-Plongée): Posição de Câmera
  • 58. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 58 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Posição de Câmera Contra-Plongée Plongée
  • 59. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 59 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Vista Inclinada Tomada feita a partir de uma inclinação do eixo vertical da câmera. Pode ser empregada subjetivamente, materializando aos olhos do/a espectador/a uma impressão sentida por uma personagem, como uma inquietação ou um desequilíbrio moral. Posição de Câmera
  • 60. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 60 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Posição de Câmera z x y Vista Inclinada
  • 61. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 61 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica MOVIMENTO DE CÂMERA (moving shots)
  • 62. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 62 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Constituem a base técnica do plano em movimento. São definidos levando-se em conta se o movimento da câmera é de rotação (em torno do seu eixo) ou de translação (locomovendo-se em avanço ou recuo, subindo ou descendo). Movimento de Câmera
  • 63. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 63 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera
  • 64. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 64 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica -zz y x TRANSLAÇÃO Movimento de Câmera
  • 65. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 65 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica DOLLY Movimento de Câmera Compare o efeito de Dolly com Zoom: http://www.wonderhowto.com/how-to-zoom-dolly-effects-film-279384/ http://courses.csusm.edu/fmst300bc/kinetics.html
  • 66. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 66 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica TRUCK LEFT RIGHT PEDESTAL UP DOWN Movimento de Câmera
  • 67. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 67 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica -zz y x ROTAÇÃO Movimento de Câmera
  • 68. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 68 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera A câmera se move em torno do seu eixo, fazendo um movimento giratório, sem sair do lugar. Trata-se de um movimento da câmera que pode ser horizontal (da esquerda para a direita ou da direita para a esquerda), vertical (de cima para baixo ou vice-versa) ou oblíquo. A panorâmica vertical é também conhecida como tilt. Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado Panorâmica (Pan)
  • 69. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 69 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica TILT UP DOWN PAN (ORAMIC) RIGHT LEFT Movimento de Câmera (pan)
  • 70. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 70 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera www.mnemocine.com.br/cinema/principindex%20.htm Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado Panorâmica (Pan)
  • 71. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 71 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado www.mnemocine.com.br/cinema/principindex%20.htm
  • 72. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 72 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Movimento onde a câmera anda sobre um caminho. A câmera é movida sobre um carrinho (ou qualquer suporte móvel) num eixo horizontal e paralelo ao movimento do objeto filmado. Este acompanhamento pode ser lateral ou frontal, neste último caso podendo ser de aproximação ou de afastamento. Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado Travelling
  • 73. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 73 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
  • 74. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 74 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
  • 75. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 75 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Crane / Boom GRUA / Braço Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
  • 76. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 76 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Boom ou Crane Up Boom ou Crane Down Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
  • 77. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 77 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Tongue Right Tongue Left Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
  • 78. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 78 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Modelos de Gruas Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
  • 79. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 79 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
  • 80. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 80 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera ZOOM - Variação da distância de um conjunto de lentes da câmera. Zoom-IN - Efeito de Aproximação causado pelo aumento da distância focal e diminuição da abertura angular da lente. Zoom-OUT - Efeito de Afastamento causado pela diminuição da distância focal e aumento da abertura angular da lente. Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
  • 81. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 81 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Zoom Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado Compare o efeito de Dolly com Zoom: http://www.wonderhowto.com/how-to-zoom-dolly-effects-film-279384/ http://courses.csusm.edu/fmst300bc/kinetics.html
  • 82. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 82 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica SteadyCam Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado Assista ao vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=P7PZ8vGlFgw&feature=related
  • 83. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 83 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica SteadyCam Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado
  • 84. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 84 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado SteadyCam
  • 85. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 85 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado Vemos o que a personagem vê, andamos quando ela anda e agachamo-nos quando ela se agacha. Ponto de vista Câmera situada no nível dos olhos = ponto de vista subjetivo. Assista ao vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=_kbNv3vBvcI
  • 86. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 86 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado Trata-se de um engenho técnico graças ao qual se projeta uma cena pré-filmada por trás das personagens. Tipo de cena clássica: Personagens dentro de um automóvel que se desloca; na realidade, o que se move é a imagem projetada por trás. Transparência (process shot)
  • 87. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 87 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado A tela é dividida em partes. Por exemplo: duas personagens falam ao telefone, cada uma em sua casa; no lado esquerdo estará a personagem A, no direito a personagem B. Mostra ações simultâneas. Tela partida ou múltipla Assista ao vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=ER_Qk3KLZ58
  • 88. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 88 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado Diante de dois elementos, a camera concentra-se num só, definindo-o, enquanto o outro fica desfocado. Desfocagem
  • 89. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 89 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Movimento de Câmera Panorâmica (Pan) Travelling Zoom Ponto de vista Transparência Tela partida ou múltipla Desfocagem Halo desfocado A câmera desfoca tudo o que rodeia o objeto com o fim de o pôr em relevo (enaltecê-lo) Halo Desfocado
  • 90. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 90 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica RECURSOS de MONTAGEM
  • 91. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 91 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Lev Vladimirovich Kuleshov (1889-1970) Montagem Um grande estudioso de teorias cinematográficas que ajudou a fundar e ensinou na primeira escola de cinema do mundo, a Escola de Cinema de Moscou. O Efeito Kulechov consistiu em demonstrar o poder da montagem cinematográfica, na medida em que esta era plenamente capaz de conseguir dar significados a uma tomada pela justaposição com uma outra, quando, a primeira, pura e simplesmente, não significaria nada
  • 92. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 92 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Ivan Ilyich Mozzhukhin (1889-1939) Montagem
  • 93. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 93 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Montagem Experimento de Kuleshov
  • 94. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 94 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Montagem Experimento de Kuleshov
  • 95. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 95 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Montagem Experimento de Kuleshov
  • 96. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 96 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Efeito Kuleshov A + B => C Cena A Cena B Percep. C+ => Montagem
  • 97. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 97 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Montagem
  • 98. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 98 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Montagem
  • 99. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 99 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Montagem
  • 100. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 100 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica .... Montagem
  • 101. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 101 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Conceito Montagem Montar ou editar consiste em escolher e justapor. Apenas isso. É uma operação simples, comum a toda linguagem. No cinema não é diferente. Quem se exprime por meio da linguagem cinematográfica seleciona e combina imagens e sons". Léo Vidigal http://montagemparalela.blogspot.com.br/
  • 102. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 102 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Transição de Cenas Cena A xxxx Cena C xxxx Montagem
  • 103. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 103 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Indica uma transição imediata, direta de uma cena para outra. Foi um dos primeiros procedimentos da montagem, usado na hora da transição de um filme para outro. Usado quando se quer obter imagens que se sucedem dentro de um enredo. CORTE SECO Montagem Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
  • 104. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 104 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Cena A Cena C Montagem CORTE SECO Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
  • 105. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 105 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Montagem CORTINA Forma de transição de planos que ocorre quando uma cena encobre outra (geralmente entrando no eixo horizontal, mas pode ocorrer também no sentido vertical, diagonal, em estrela e em uma infinidade de formas). Pode ocorrer também através de uma linha que corre o quadro, mudando as ações. Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
  • 106. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 106 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Cena ACena C Montagem CORTINA Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
  • 107. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 107 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Cena A Cena C Montagem CORTINA Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
  • 108. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 108 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Empregada quando duas ou mais seqüências são abordadas ao mesmo tempo, intercalando as cenas pertencentes a cada uma, alternadamente, a fim de fazer surgir uma significação de seu confronto. Ocorre quando se quer fazer um paralelo, uma aproximação simbólica entre as cenas, como por exemplo a aproximação temporal. CENAS EM PARALELO Montagem Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
  • 109. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 109 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica CENAS EM PARALELO Montagem Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida Cena A Cena C t1, t3, t5 ... t2, t4, t6 ... http://montagemparalela.blogspot.com/
  • 110. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 110 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Montagem FUSÃO ou ENCADEAMENTO Forma de transição onde uma cena desaparece simultaneamente ao aparecimento da cena seguinte. As cenas se superpõem: enquanto uma se apaga, a outra aparece. Mantém a fluidez e a suavidade de uma seqüência. Seu uso pode significar uma passagem de tempo. Também é usada quando se quer suprimir ações que sejam dispensáveis na narração (processo conhecido como elipse – fatos que se supõe ocorrer, embora não sejam mostrados na tela). Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
  • 111. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 111 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Cena A Cena A/C Cena C Montagem Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida FUSÃO ou ENCADEAMENTO
  • 112. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 112 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Fade-In: a imagem vai surgindo aos poucos de uma tela preta (ou de outra cor qualquer). Fade-Out: a imagem vai desaparecendo até que a tela fique preta. A velocidade com que a imagem dá lugar à tela preta e vice-versa pode ser controlada de acordo com o efeito desejado. O fade-in é comumente usado no início de uma seqüência e o fade-out, como conclusão. Ambos podem denotar a passagem de tempo ou um deslocamento espacial, assim como na fusão. Montagem FADE-IN e FADE-OUT Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
  • 113. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 113 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Cena C Cena C Montagem FADE-IN Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida
  • 114. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 114 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Montagem Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida Cena C Cena C FADE-OUT
  • 115. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 115 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida Montagem A imagem deixa de se mover, fica momentaneamente imobilizada. Esse efeito é utilizado para dar ênfase a um determinado momento. Por exemplo: imagens que um fotógrafo capta ao disparar sua câmera. CONGELAMENTO (freezing) Assista ao vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=llXdTu7H6Cs
  • 116. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 116 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida Montagem Os movimentos se tornam lentos, a imagem perde velocidade. Com isto, intensifica-se, acentua-se, sublinha-se uma ação; o tempo real é alterado e transformado. Um uso abusivo desta técnica pode prejudicar a ação. SLOW MOTION (câmera lenta)
  • 117. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 117 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Montagem SLOW MOTION (câmera lenta) Assista a um vídeos de Slow Motion: http://www.youtube.com/watch?v=X0-TbUUXDtM
  • 118. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 118 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Corte seco Cortina Cenas em Paralelo Fusão ou Encadeamento Fading In Fading Out Congelamento Slow motion Câmera Rápida Montagem CÂMERA RÁPIDA A imagem adquire maior velocidade; os movimentos são mais rápidos.
  • 119. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 119 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Efeitos Especiais Efeito especial (abreviado como SPFX, SFX ou simplesmente FX, em inglês) é o nome dado a qualquer uma de várias técnicas utilizadas na indústria de entretenimento, cinema e televisão para realizar cenas que não podem ser obtidas por meios normais ou por ação ao vivo.
  • 120. U F P R LAI-DI – Dep. Design / UFPR – André Luiz Battaiola 120 / 120 Visualização CientíficaLinguagem Cinematográfica Efeitos Especiais Assista a um efeito especial do filme Matrix (1999): http://www.youtube.com/watch?v=9wHi4xTnLk4