SlideShare uma empresa Scribd logo
LEI N. 2.855/PMC/2011
Twcet
por rosana — publicado 11/01/2018 12h32, última modificação 11/01/2018 12H32
LEI N. 2.855/PMC/2011
DISPÕE SOBRE A NOMEAÇÃO DE CARGOS DE CONFIANÇA NO ÂMBITO DO PODER
EXECUTIVO E LEGISLATIVO NO MUNICÍPIO DE CACOAL E DÁ OUTRAS
PROVIDÊNCIAS.
O PREFEITO MUNICIPAL DE CACOAL. Faço saber que o Poder Legislativo Municipal aprovou
e eu sanciono a seguinte lei:
Alt Io Esta Lei cognominada "Lei da Ficha Limpa Municipal", estabelece critérios para o
provimento de cargos de confiança com o intuito de proteger a moralidade administrativa, evitar
abuso do poder econômico e político, aplicando-se de forma complementar aos demais critérios
gerais e especiais de provimento estabelecidos nas legislações municipal, estadual e federal.
Art. 2° Fica o Poder Legislativo e Executivo vedados de nomear, pelo prazo de 5 (cinco) anos, aos
cargos ou funções, mesmo que com outra nomenclatura de: Secretários Municipais e Adjuntos,
Presidentes de Autarquias e Vice, Presidentes da Comissão Permanente de Licitação e Vice, Chefes
de Gabinete, Procurador Geral, Sub-Procurador Geral, Ordenadores de Despesa e Diretores, os que
tiverem incluídos nas seguintes hipóteses:
I - Os que tenham contra si julgada procedente representação formulada perante a Justiça Eleitoral,
em decisão transitada em julgado, em processo de apuração de abuso do poder econômico ou
político, desde a decisão.
II - Osque forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida, desdea condenação,
e somente apóso cumprimento da pena imposta ousua absolvição, pelos seguintes crimes, desde
que a pena em concreto arbitrada seja privativa de liberdade superior a 3 anos:
a) Contra a economia popular, a fé pública, a administração pública e o patrimônio público;
b)Contra o patrimônio privado, osistema financeiro, o mercado de capitais e os previstos na Lei que
regula a falência.
c) Contra o meio ambiente e a saúde pública;
d) De abuso de autoridade, nos casos em que houver condenação à perda docargo ou à inabilitação
para o exercício de função pública;
e) De lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores;
f) Eleitorais;
g)Corrupção eleitoral, captação ilícita de sufrágio, de doação, captação ou gastos ilícitos de recursos
de campanha ou porconduta vedada aos agentes públicos em campanhas eleitorais que impliquem
cassação do registro ou do diploma, a contar da decisão;
h)Detráficode entorpecentes e drogas afins, racismo, tortura, terrorismo e hediondos;
i) De redução à condição análoga à de escravo;
j) Contra a vida e a dignidade sexual;
k)Praticados por organização criminosa, quadrilha ou bando.
III - os que forem declarados indignos do oficialato, ou com ele incompatíveis,
IV - os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas
rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e
por decisão irrecorrível do órgão competente, salvo se esta houver sido suspensa ou anulada pelo
Poder Judiciário, contados a partir da data da decisão, aplicando-se o disposto no inciso II do art. 71
da Constituição Federal, a todos os ordenadores de despesa, sem exclusão de mandatários que
houverem agido nessa condição;
V - Os que forem demitidos do serviço público em decorrência de processo
administrativo ou judicial, contados da decisão, salvo se o ato houver sido suspenso ou anulado pelo
Poder Judiciário ou pela própria Administração.
VI - os detentores de cargo na administração pública direta, indireta ou fundacional, que
beneficiarem a si ou a terceiros, pelo abuso do poder econômico ou político, que forem condenados
em decisão transitada em julgado,
VII - Os políticos que renunciarem a seus mandatos eletivos desde o oferecimento de
representação ou petição capaz de autorizar a abertura de processo por infringência a dispositivo da
Constituição Federal, da Constituição Estadual ou da Lei Orgânica do Município,
VIII - os que forem condenados em decisão transitada em julgado, por ato doloso de
improbidade administrativa que importe lesão ao patrimônio público, enriquecimento ilícito ou
violação aos princípios da administração, desde a condenação ou o trânsito em julgado, somente
após o cumprimento da pena ou absolvição;
IX - os que forem excluídos do exercício da profissão, por decisão sancionatória do
órgão profissional competente, em decorrência de infração ético-profissional, salvo se o ato houver
sido anulado ou suspenso pelo Poder Judiciário;
X - a pessoa física e os dirigentes de pessoas jurídicas responsáveis por doações
eleitorais tidas por ilegais por decisão transitada em julgado,
XI - os magistrados e os membros do Ministério Público que forem aposentados
compulsoriamente por decisão sancionatória, que tenham perdido o cargo por sentença ou que
tenham pedidoexoneraçãoou aposentadoria voluntária na pendência de processo administrativo
disciplinar.
§ 1 ° Não estão inclusos no caputos Diretores das Escolas Municipais;
Art. 3°Todos os atos praticados por aquele que não deveria ter sido nomeado serão
considerados nulos, bem como sua nomeação, devendo restituiraos cofres públicos todos os valores
percebidosdevidamente corrigidose acrescido dosjuros legais.
Parágrafo Único. Oadministrador responsável pela nomeação indevida deverá arcar
solidariamente com a devolução dessesvalores, independente de culpa.
Art. 4o O Administrador que tendo ou devendo ter ciênciada incompatibilidade do
servidor nomeado indevidamente incorrerá na quebra dodecoro funcional a serjulgado pela
Câmara Municipal, nos termos do Regimento Interno e da Lei Orgânica.
Art. 5°Caberá ao Poder Executivo e Legislativo Municipal, de forma individualizada, a
fiscalização de seusatosem obediência a presente Lei, com a possibilidade de requerer aos órgãos
competentes informações e documentos que entenderem necessários para o cumprimento de suas
disposições.
Art. 6°As autoridades competentes, dentro do prazo de 90 (noventa) dias, contados da
publicação da Lei, promoverão a exoneração dos ocupantes de cargosse inseridos na presente Lei
que se enquadrem nas situações previstas no Art. 2o, sob pena das sanções previstas nos artigos 3o e
4o.
Parágrafo Único. Os atos deexoneração produzirão efeitos acontar de suas respectivas
publicações.
Art. 7"As denúncias de descumprimento da presente Lei poderão ser formuladas por
qualquer pessoa, por escrito ou verbalmente, caso em que deverão ser reduzidas a termo, sendo
vedado, todavia, o anonimato, devendo ser protocolada junto à Câmara Municipal, endereçada ao
Presidente da Casa de Leis.
§ Io A denúncia deverá ser processada mesmo se vier desacompanhada de prova ou
indicação da forma como obtê-la, não podendo ser desconsiderada em qualquer hipótese.
§ 2o Encaminhada a denúncia para funcionário incompetente para conhecê-la, esta será
imediatamente enviada para a autoridade competente, sob pena de responsabilidade.
§ 3o A autoridade que não tomar as providências cabíveis, ou, de qualquer forma,
frustrar a aplicação das disposições da presente Lei, responderá pelo ato na forma da legislação
municipal.
Art. 8o Uma vez protocolizada a denúncia na Câmara Municipal, o Presidente ordenará
a citação do servidor indicado, bem como de quem lhe nomeou para que exerça seu direito de
ampla defesa e contraditório no prazo de 30 dias a contar da citação.
Parágrafo Único. Caso o servidor tenha sido nomeado pelo Presidente da Casa de Leis,
o processo será encaminhado automaticamente para o Vice-Presidente e tomará todas as medidas
cabíveis na qualidade de Presidente.
Art. 9oCaso os denunciados quedem inertes, será decretada sua revelia, devendo,
contudo o Presidente diligenciar em busca de informações oficiais acerca das imputações feitas,
com a chegada dessas informações será posto em julgamento na primeira sessão ordinária
subseqüente.
Art. 10. Com a apresentação das defesas devidamente acompanhada da documentação
necessária será posto em julgamento na primeira sessão ordinária subseqüente.
Parágrafo Único. Caso as defesas não venham acompanhada dos documentos
necessários, será feita as diligências do artigo anterior.
Art. 11. O julgamento será feito na Sessão Ordinária subsequente após o Grande
Expediente, mediante a leitura integral a denúncia e da defesa, bem como análise das provas contida
nos autos.
Art. 12. A decisão será por maioria simples, independente do quorum, indicará se a
contratação foi legal ou não.
Art. 13. Em sendo considerada ilegal a contratação o Administrador que nomeou o
servidor deverá entregar no prazo de 10 dias memória de cálculo descritivo de todos os valores
percebidos devidamente atualizados e acrescido dos juros legais.
Art. 14. No prazo de 90 dias o servidor, bem como o administrado que lhe nomeou
deverá efetuar a devolução desses valores aos cofres públicos, podendo para tanto efetuar o
parcelamento do débito junto ao Município, tal parcelamento não pode ser superior a 12 vezes.
Art. 15. Em não sendo pago no prazo assinalado, ou mesmo não havendo o
parcelamento do débito, este será inscrito em Dívida Ativa, após Procuradoria Geral do Município
deverá fazer a devida cobrança judicial no prazo de 30 dias, sob pena de responsabilidade.
Parágrafo Único. Após o prazo estipulado no art. 13, não caberá mais possibilidade de
parcelamento, nem mesmo na esfera judicial.
Art. 16. Em entendendo que houve quebra do decoro funcional nos termos do art. 4o,
será realizado processo especifico de cassação por quebra de decoro, nos termos do Regimento
Interno e Lei Orgânica.
Art. 17. Após o julgamento em sessão ordinária, serão enviados cópias dos autos ao
Ministério Público e ao Tribunal de Contas para que se averigúe a responsabilidade criminal ou
possível improbidade administrativa.
Art. 18. O candidato ao ser contratado no Executivo e Legislativo municipal de Caçoai,
deverá apresentar, antes da investidura do cargo, todas as Certidões Judiciais Estadual, Federal e
Militar, das esferas: civil, criminal e eleitoral.
Art. 19.Além dessascertidões, deveráapresentar certidão de regularidade com seu
órgãode classe, declaração que informe todos seus locais de serviçoanterior mediante declaração
com reconhecimento de firma.
Art. 20. De posse dessas certidões e informações o Administrador contratante deverá
efetuar as diligências necessárias para que se dê a contratação nos termos dessa lei.
Art. 21. Esta Lei da Ficha Limpa Municipal entra em vigor na data de sua publicação e
terá validade a partir de 01 de janeiro de 2013.
Cacoal/RO, 30 de agosto de 2011.
FRANCESCO VIALETTO
Prefeito
ARNALDO ESTEVES DOS REIS
Procurador-Geral do Município - OAB/MG 57594 - OAB/RO 4946

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lei 75
Lei 75 Lei 75
Regime juridico unico canindé
Regime juridico unico canindéRegime juridico unico canindé
Regime juridico unico canindé
SINDSEC
 
Cópia de noções de direito aula 03
Cópia de noções de direito   aula 03Cópia de noções de direito   aula 03
Cópia de noções de direito aula 03
Nadsonea Azevedo
 
Lei 700 94 estatuto do servidor público de macau
Lei 700  94  estatuto do servidor público de macauLei 700  94  estatuto do servidor público de macau
Lei 700 94 estatuto do servidor público de macau
antonio carlos medeiros
 
Estatuto servidor do maranhão
Estatuto servidor do maranhãoEstatuto servidor do maranhão
Estatuto servidor do maranhão
Geralda Carvalho
 
Constituição estadual sp
Constituição estadual  spConstituição estadual  sp
Constituição estadual sp
Giovana Silva
 
Leicomplementar 64-18-maio-1990-363991-normaatualizada-pl
Leicomplementar 64-18-maio-1990-363991-normaatualizada-plLeicomplementar 64-18-maio-1990-363991-normaatualizada-pl
Leicomplementar 64-18-maio-1990-363991-normaatualizada-pl
Narciso Oliveira
 
Constituicaofederaltituloiii
ConstituicaofederaltituloiiiConstituicaofederaltituloiii
Constituicaofederaltituloiii
Gledson Machado
 
Prot. 1509 15 mensagem-veto_015_2015 autógrafo 3399-15
Prot. 1509 15   mensagem-veto_015_2015 autógrafo 3399-15Prot. 1509 15   mensagem-veto_015_2015 autógrafo 3399-15
Prot. 1509 15 mensagem-veto_015_2015 autógrafo 3399-15
Claudio Figueiredo
 
Direito Constitucional - Art. 74 e 75 da CF 88
Direito Constitucional - Art. 74 e 75 da CF 88Direito Constitucional - Art. 74 e 75 da CF 88
Direito Constitucional - Art. 74 e 75 da CF 88
Mentor Concursos
 
Lei organica ministério público
Lei organica   ministério públicoLei organica   ministério público
Lei organica ministério público
Isabela Bastos
 
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobbyRomero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
Portal NE10
 
Responsabilidade dos prefeitos e vereadores
Responsabilidade dos prefeitos e vereadoresResponsabilidade dos prefeitos e vereadores
Responsabilidade dos prefeitos e vereadores
ACS PM RN
 
Prot. 3086 17 mensagem de veto 025 - integral ao autógrafo de lei nº 3661-17
Prot. 3086 17   mensagem de veto 025 - integral ao autógrafo de lei nº 3661-17Prot. 3086 17   mensagem de veto 025 - integral ao autógrafo de lei nº 3661-17
Prot. 3086 17 mensagem de veto 025 - integral ao autógrafo de lei nº 3661-17
Claudio Figueiredo
 
Deputada federal Jaqueline Roriz e a voz do povo na lei ficha limpa
Deputada federal Jaqueline Roriz e a voz do povo na lei ficha limpaDeputada federal Jaqueline Roriz e a voz do povo na lei ficha limpa
Deputada federal Jaqueline Roriz e a voz do povo na lei ficha limpa
Sérgio Henrique da Silva Pereira
 
197 2000 lei_complementar
197 2000 lei_complementar197 2000 lei_complementar
197 2000 lei_complementar
Guastavo sales silva
 
Resumao Etica
Resumao EticaResumao Etica
Professor Rdo Ibiapina
Professor Rdo IbiapinaProfessor Rdo Ibiapina
Professor Rdo Ibiapina
ibiapinajus
 
Capítulo i1
Capítulo i1Capítulo i1
Lei n.º 7.502 90- estatuto do servidor público do município de belém
Lei n.º 7.502 90- estatuto do servidor público do município de belémLei n.º 7.502 90- estatuto do servidor público do município de belém
Lei n.º 7.502 90- estatuto do servidor público do município de belém
Katia Calandrine
 

Mais procurados (20)

Lei 75
Lei 75 Lei 75
Lei 75
 
Regime juridico unico canindé
Regime juridico unico canindéRegime juridico unico canindé
Regime juridico unico canindé
 
Cópia de noções de direito aula 03
Cópia de noções de direito   aula 03Cópia de noções de direito   aula 03
Cópia de noções de direito aula 03
 
Lei 700 94 estatuto do servidor público de macau
Lei 700  94  estatuto do servidor público de macauLei 700  94  estatuto do servidor público de macau
Lei 700 94 estatuto do servidor público de macau
 
Estatuto servidor do maranhão
Estatuto servidor do maranhãoEstatuto servidor do maranhão
Estatuto servidor do maranhão
 
Constituição estadual sp
Constituição estadual  spConstituição estadual  sp
Constituição estadual sp
 
Leicomplementar 64-18-maio-1990-363991-normaatualizada-pl
Leicomplementar 64-18-maio-1990-363991-normaatualizada-plLeicomplementar 64-18-maio-1990-363991-normaatualizada-pl
Leicomplementar 64-18-maio-1990-363991-normaatualizada-pl
 
Constituicaofederaltituloiii
ConstituicaofederaltituloiiiConstituicaofederaltituloiii
Constituicaofederaltituloiii
 
Prot. 1509 15 mensagem-veto_015_2015 autógrafo 3399-15
Prot. 1509 15   mensagem-veto_015_2015 autógrafo 3399-15Prot. 1509 15   mensagem-veto_015_2015 autógrafo 3399-15
Prot. 1509 15 mensagem-veto_015_2015 autógrafo 3399-15
 
Direito Constitucional - Art. 74 e 75 da CF 88
Direito Constitucional - Art. 74 e 75 da CF 88Direito Constitucional - Art. 74 e 75 da CF 88
Direito Constitucional - Art. 74 e 75 da CF 88
 
Lei organica ministério público
Lei organica   ministério públicoLei organica   ministério público
Lei organica ministério público
 
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobbyRomero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
 
Responsabilidade dos prefeitos e vereadores
Responsabilidade dos prefeitos e vereadoresResponsabilidade dos prefeitos e vereadores
Responsabilidade dos prefeitos e vereadores
 
Prot. 3086 17 mensagem de veto 025 - integral ao autógrafo de lei nº 3661-17
Prot. 3086 17   mensagem de veto 025 - integral ao autógrafo de lei nº 3661-17Prot. 3086 17   mensagem de veto 025 - integral ao autógrafo de lei nº 3661-17
Prot. 3086 17 mensagem de veto 025 - integral ao autógrafo de lei nº 3661-17
 
Deputada federal Jaqueline Roriz e a voz do povo na lei ficha limpa
Deputada federal Jaqueline Roriz e a voz do povo na lei ficha limpaDeputada federal Jaqueline Roriz e a voz do povo na lei ficha limpa
Deputada federal Jaqueline Roriz e a voz do povo na lei ficha limpa
 
197 2000 lei_complementar
197 2000 lei_complementar197 2000 lei_complementar
197 2000 lei_complementar
 
Resumao Etica
Resumao EticaResumao Etica
Resumao Etica
 
Professor Rdo Ibiapina
Professor Rdo IbiapinaProfessor Rdo Ibiapina
Professor Rdo Ibiapina
 
Capítulo i1
Capítulo i1Capítulo i1
Capítulo i1
 
Lei n.º 7.502 90- estatuto do servidor público do município de belém
Lei n.º 7.502 90- estatuto do servidor público do município de belémLei n.º 7.502 90- estatuto do servidor público do município de belém
Lei n.º 7.502 90- estatuto do servidor público do município de belém
 

Semelhante a Limpe

O Melhor do Direito:Material de Assimilação - Lei 4.717
O Melhor do Direito:Material de Assimilação - Lei 4.717O Melhor do Direito:Material de Assimilação - Lei 4.717
O Melhor do Direito:Material de Assimilação - Lei 4.717
omelhordodireito
 
Palestra Direito Eleitoral - Faculdade Anhanguera Taboão da Serra
Palestra Direito Eleitoral - Faculdade Anhanguera Taboão da SerraPalestra Direito Eleitoral - Faculdade Anhanguera Taboão da Serra
Palestra Direito Eleitoral - Faculdade Anhanguera Taboão da Serra
Romildo Andrade de Souza Junior ∴
 
Pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de cabo f...
Pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de cabo f...Pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de cabo f...
Pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de cabo f...
drtaylorjr
 
2011 pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de...
2011   pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de...2011   pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de...
2011 pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de...
drtaylorjr
 
Parecer mudanca de carreira por concurso direitos
Parecer mudanca de carreira por concurso direitosParecer mudanca de carreira por concurso direitos
Parecer mudanca de carreira por concurso direitos
chrystianlima
 
Lei n 7-502-90-estatuto-do_servidor_do_municpio_de_belem
Lei n 7-502-90-estatuto-do_servidor_do_municpio_de_belemLei n 7-502-90-estatuto-do_servidor_do_municpio_de_belem
Lei n 7-502-90-estatuto-do_servidor_do_municpio_de_belem
Antonio Carmona
 
Apostila de legislação agente de organização escolar
Apostila de legislação   agente de organização escolarApostila de legislação   agente de organização escolar
Apostila de legislação agente de organização escolar
philosophical01
 
Lei 8.429 lei de improbidade administrativa
Lei 8.429   lei de improbidade administrativaLei 8.429   lei de improbidade administrativa
Lei 8.429 lei de improbidade administrativa
Antônio Carlos Zeferino
 
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência Social
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência SocialResponsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência Social
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência Social
APEPREM
 
Lei organica
Lei organicaLei organica
Lei de ação civil pública
Lei de ação civil públicaLei de ação civil pública
Lei de ação civil pública
Juuh Rodrigues
 
Mpu.mpe.2018 tecnico - legislacao
Mpu.mpe.2018   tecnico - legislacaoMpu.mpe.2018   tecnico - legislacao
Mpu.mpe.2018 tecnico - legislacao
Débora Queiroz
 
Novos tipos de improbidade administrativa - Prof. Mateus Bertoncini
Novos tipos de improbidade administrativa - Prof. Mateus BertonciniNovos tipos de improbidade administrativa - Prof. Mateus Bertoncini
Novos tipos de improbidade administrativa - Prof. Mateus Bertoncini
Editora Fórum
 
Normas constitucionais sobre a administração pública
Normas constitucionais sobre a administração públicaNormas constitucionais sobre a administração pública
Normas constitucionais sobre a administração pública
Paulo Oliveira
 
2051 doe 19766_manual_conduta_eleições
2051 doe 19766_manual_conduta_eleições2051 doe 19766_manual_conduta_eleições
2051 doe 19766_manual_conduta_eleições
Governo de Santa Catarina
 
Manual de Conduta do Agente Público para as Eleições 2014
Manual de Conduta do Agente Público para as Eleições 2014Manual de Conduta do Agente Público para as Eleições 2014
Manual de Conduta do Agente Público para as Eleições 2014
Governo de Santa Catarina
 
Lei no 5.810_-_rju_dos_servidores_publicos_do_estado_do_para_-diario_oficial_...
Lei no 5.810_-_rju_dos_servidores_publicos_do_estado_do_para_-diario_oficial_...Lei no 5.810_-_rju_dos_servidores_publicos_do_estado_do_para_-diario_oficial_...
Lei no 5.810_-_rju_dos_servidores_publicos_do_estado_do_para_-diario_oficial_...
Antonio Carmona
 
Código de posturas de guarulhos
Código de posturas de guarulhosCódigo de posturas de guarulhos
Código de posturas de guarulhos
Francisco Brito
 
Resumo para provas e concursos
Resumo para provas e concursosResumo para provas e concursos
Resumo para provas e concursos
Antônio Carlos Zeferino
 
Lei 8112 regime jurídico dos servidores públicos civis da união
Lei 8112   regime jurídico dos servidores públicos civis da uniãoLei 8112   regime jurídico dos servidores públicos civis da união
Lei 8112 regime jurídico dos servidores públicos civis da união
Maynara de Oliveira
 

Semelhante a Limpe (20)

O Melhor do Direito:Material de Assimilação - Lei 4.717
O Melhor do Direito:Material de Assimilação - Lei 4.717O Melhor do Direito:Material de Assimilação - Lei 4.717
O Melhor do Direito:Material de Assimilação - Lei 4.717
 
Palestra Direito Eleitoral - Faculdade Anhanguera Taboão da Serra
Palestra Direito Eleitoral - Faculdade Anhanguera Taboão da SerraPalestra Direito Eleitoral - Faculdade Anhanguera Taboão da Serra
Palestra Direito Eleitoral - Faculdade Anhanguera Taboão da Serra
 
Pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de cabo f...
Pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de cabo f...Pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de cabo f...
Pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de cabo f...
 
2011 pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de...
2011   pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de...2011   pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de...
2011 pl dispõe sobre o combate às práticas discriminatórias no município de...
 
Parecer mudanca de carreira por concurso direitos
Parecer mudanca de carreira por concurso direitosParecer mudanca de carreira por concurso direitos
Parecer mudanca de carreira por concurso direitos
 
Lei n 7-502-90-estatuto-do_servidor_do_municpio_de_belem
Lei n 7-502-90-estatuto-do_servidor_do_municpio_de_belemLei n 7-502-90-estatuto-do_servidor_do_municpio_de_belem
Lei n 7-502-90-estatuto-do_servidor_do_municpio_de_belem
 
Apostila de legislação agente de organização escolar
Apostila de legislação   agente de organização escolarApostila de legislação   agente de organização escolar
Apostila de legislação agente de organização escolar
 
Lei 8.429 lei de improbidade administrativa
Lei 8.429   lei de improbidade administrativaLei 8.429   lei de improbidade administrativa
Lei 8.429 lei de improbidade administrativa
 
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência Social
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência SocialResponsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência Social
Responsabilidades dos Administradores do Regime Próprio de Previdência Social
 
Lei organica
Lei organicaLei organica
Lei organica
 
Lei de ação civil pública
Lei de ação civil públicaLei de ação civil pública
Lei de ação civil pública
 
Mpu.mpe.2018 tecnico - legislacao
Mpu.mpe.2018   tecnico - legislacaoMpu.mpe.2018   tecnico - legislacao
Mpu.mpe.2018 tecnico - legislacao
 
Novos tipos de improbidade administrativa - Prof. Mateus Bertoncini
Novos tipos de improbidade administrativa - Prof. Mateus BertonciniNovos tipos de improbidade administrativa - Prof. Mateus Bertoncini
Novos tipos de improbidade administrativa - Prof. Mateus Bertoncini
 
Normas constitucionais sobre a administração pública
Normas constitucionais sobre a administração públicaNormas constitucionais sobre a administração pública
Normas constitucionais sobre a administração pública
 
2051 doe 19766_manual_conduta_eleições
2051 doe 19766_manual_conduta_eleições2051 doe 19766_manual_conduta_eleições
2051 doe 19766_manual_conduta_eleições
 
Manual de Conduta do Agente Público para as Eleições 2014
Manual de Conduta do Agente Público para as Eleições 2014Manual de Conduta do Agente Público para as Eleições 2014
Manual de Conduta do Agente Público para as Eleições 2014
 
Lei no 5.810_-_rju_dos_servidores_publicos_do_estado_do_para_-diario_oficial_...
Lei no 5.810_-_rju_dos_servidores_publicos_do_estado_do_para_-diario_oficial_...Lei no 5.810_-_rju_dos_servidores_publicos_do_estado_do_para_-diario_oficial_...
Lei no 5.810_-_rju_dos_servidores_publicos_do_estado_do_para_-diario_oficial_...
 
Código de posturas de guarulhos
Código de posturas de guarulhosCódigo de posturas de guarulhos
Código de posturas de guarulhos
 
Resumo para provas e concursos
Resumo para provas e concursosResumo para provas e concursos
Resumo para provas e concursos
 
Lei 8112 regime jurídico dos servidores públicos civis da união
Lei 8112   regime jurídico dos servidores públicos civis da uniãoLei 8112   regime jurídico dos servidores públicos civis da união
Lei 8112 regime jurídico dos servidores públicos civis da união
 

Mais de Jornal Tudorondonia

20220125204 nr15 sinjur
20220125204 nr15 sinjur20220125204 nr15 sinjur
20220125204 nr15 sinjur
Jornal Tudorondonia
 
Portaria n° 5, 17 de janeiro de 2022
Portaria n° 5, 17 de janeiro de 2022Portaria n° 5, 17 de janeiro de 2022
Portaria n° 5, 17 de janeiro de 2022
Jornal Tudorondonia
 
Tutorial de matrícula
Tutorial de matrículaTutorial de matrícula
Tutorial de matrícula
Jornal Tudorondonia
 
Genial+quaest+dez+jornalistas
Genial+quaest+dez+jornalistasGenial+quaest+dez+jornalistas
Genial+quaest+dez+jornalistas
Jornal Tudorondonia
 
Edital normativo nº 01 2009 – seplag detran-df, de xx de julho de 2009 - 1_cr...
Edital normativo nº 01 2009 – seplag detran-df, de xx de julho de 2009 - 1_cr...Edital normativo nº 01 2009 – seplag detran-df, de xx de julho de 2009 - 1_cr...
Edital normativo nº 01 2009 – seplag detran-df, de xx de julho de 2009 - 1_cr...
Jornal Tudorondonia
 
1 creci ro-concurso_publico_2021_edital_1
1 creci ro-concurso_publico_2021_edital_11 creci ro-concurso_publico_2021_edital_1
1 creci ro-concurso_publico_2021_edital_1
Jornal Tudorondonia
 
Edital de 1ª chamada ps unir 2021 enem
Edital de 1ª chamada ps unir 2021   enemEdital de 1ª chamada ps unir 2021   enem
Edital de 1ª chamada ps unir 2021 enem
Jornal Tudorondonia
 
Decisão (3) saulo
Decisão (3)   sauloDecisão (3)   saulo
Decisão (3) saulo
Jornal Tudorondonia
 
Mensagem nº 042 2021 piso salarial magistério - 09.00069-2021
Mensagem nº 042 2021 piso salarial magistério - 09.00069-2021Mensagem nº 042 2021 piso salarial magistério - 09.00069-2021
Mensagem nº 042 2021 piso salarial magistério - 09.00069-2021
Jornal Tudorondonia
 
1crmv roconcursopublico2021edital11-210823232025
1crmv roconcursopublico2021edital11-2108232320251crmv roconcursopublico2021edital11-210823232025
1crmv roconcursopublico2021edital11-210823232025
Jornal Tudorondonia
 
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1 (1)
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1 (1)1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1 (1)
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1 (1)
Jornal Tudorondonia
 
1 crmv ro-concurso_publico_2020_cronograma
1 crmv ro-concurso_publico_2020_cronograma1 crmv ro-concurso_publico_2020_cronograma
1 crmv ro-concurso_publico_2020_cronograma
Jornal Tudorondonia
 
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_11 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1
Jornal Tudorondonia
 
Tce heuro
Tce heuroTce heuro
Lei de combate a violencia domestica cacoal - autor ver. paulo henrique
Lei de combate a violencia domestica   cacoal - autor ver. paulo henriqueLei de combate a violencia domestica   cacoal - autor ver. paulo henrique
Lei de combate a violencia domestica cacoal - autor ver. paulo henrique
Jornal Tudorondonia
 
Decisão joelna tse
Decisão joelna tseDecisão joelna tse
Decisão joelna tse
Jornal Tudorondonia
 
A decisao
A decisaoA decisao
Bo 180621120131
Bo 180621120131Bo 180621120131
Bo 180621120131
Jornal Tudorondonia
 
Protocolo do pros
Protocolo do prosProtocolo do pros
Protocolo do pros
Jornal Tudorondonia
 
Protocolo cb jhony
Protocolo cb jhonyProtocolo cb jhony
Protocolo cb jhony
Jornal Tudorondonia
 

Mais de Jornal Tudorondonia (20)

20220125204 nr15 sinjur
20220125204 nr15 sinjur20220125204 nr15 sinjur
20220125204 nr15 sinjur
 
Portaria n° 5, 17 de janeiro de 2022
Portaria n° 5, 17 de janeiro de 2022Portaria n° 5, 17 de janeiro de 2022
Portaria n° 5, 17 de janeiro de 2022
 
Tutorial de matrícula
Tutorial de matrículaTutorial de matrícula
Tutorial de matrícula
 
Genial+quaest+dez+jornalistas
Genial+quaest+dez+jornalistasGenial+quaest+dez+jornalistas
Genial+quaest+dez+jornalistas
 
Edital normativo nº 01 2009 – seplag detran-df, de xx de julho de 2009 - 1_cr...
Edital normativo nº 01 2009 – seplag detran-df, de xx de julho de 2009 - 1_cr...Edital normativo nº 01 2009 – seplag detran-df, de xx de julho de 2009 - 1_cr...
Edital normativo nº 01 2009 – seplag detran-df, de xx de julho de 2009 - 1_cr...
 
1 creci ro-concurso_publico_2021_edital_1
1 creci ro-concurso_publico_2021_edital_11 creci ro-concurso_publico_2021_edital_1
1 creci ro-concurso_publico_2021_edital_1
 
Edital de 1ª chamada ps unir 2021 enem
Edital de 1ª chamada ps unir 2021   enemEdital de 1ª chamada ps unir 2021   enem
Edital de 1ª chamada ps unir 2021 enem
 
Decisão (3) saulo
Decisão (3)   sauloDecisão (3)   saulo
Decisão (3) saulo
 
Mensagem nº 042 2021 piso salarial magistério - 09.00069-2021
Mensagem nº 042 2021 piso salarial magistério - 09.00069-2021Mensagem nº 042 2021 piso salarial magistério - 09.00069-2021
Mensagem nº 042 2021 piso salarial magistério - 09.00069-2021
 
1crmv roconcursopublico2021edital11-210823232025
1crmv roconcursopublico2021edital11-2108232320251crmv roconcursopublico2021edital11-210823232025
1crmv roconcursopublico2021edital11-210823232025
 
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1 (1)
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1 (1)1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1 (1)
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1 (1)
 
1 crmv ro-concurso_publico_2020_cronograma
1 crmv ro-concurso_publico_2020_cronograma1 crmv ro-concurso_publico_2020_cronograma
1 crmv ro-concurso_publico_2020_cronograma
 
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_11 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1
1 crmv ro-concurso_publico_2021_edital_1
 
Tce heuro
Tce heuroTce heuro
Tce heuro
 
Lei de combate a violencia domestica cacoal - autor ver. paulo henrique
Lei de combate a violencia domestica   cacoal - autor ver. paulo henriqueLei de combate a violencia domestica   cacoal - autor ver. paulo henrique
Lei de combate a violencia domestica cacoal - autor ver. paulo henrique
 
Decisão joelna tse
Decisão joelna tseDecisão joelna tse
Decisão joelna tse
 
A decisao
A decisaoA decisao
A decisao
 
Bo 180621120131
Bo 180621120131Bo 180621120131
Bo 180621120131
 
Protocolo do pros
Protocolo do prosProtocolo do pros
Protocolo do pros
 
Protocolo cb jhony
Protocolo cb jhonyProtocolo cb jhony
Protocolo cb jhony
 

Limpe

  • 1. LEI N. 2.855/PMC/2011 Twcet por rosana — publicado 11/01/2018 12h32, última modificação 11/01/2018 12H32 LEI N. 2.855/PMC/2011 DISPÕE SOBRE A NOMEAÇÃO DE CARGOS DE CONFIANÇA NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO E LEGISLATIVO NO MUNICÍPIO DE CACOAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CACOAL. Faço saber que o Poder Legislativo Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte lei: Alt Io Esta Lei cognominada "Lei da Ficha Limpa Municipal", estabelece critérios para o provimento de cargos de confiança com o intuito de proteger a moralidade administrativa, evitar abuso do poder econômico e político, aplicando-se de forma complementar aos demais critérios gerais e especiais de provimento estabelecidos nas legislações municipal, estadual e federal. Art. 2° Fica o Poder Legislativo e Executivo vedados de nomear, pelo prazo de 5 (cinco) anos, aos cargos ou funções, mesmo que com outra nomenclatura de: Secretários Municipais e Adjuntos, Presidentes de Autarquias e Vice, Presidentes da Comissão Permanente de Licitação e Vice, Chefes de Gabinete, Procurador Geral, Sub-Procurador Geral, Ordenadores de Despesa e Diretores, os que tiverem incluídos nas seguintes hipóteses: I - Os que tenham contra si julgada procedente representação formulada perante a Justiça Eleitoral, em decisão transitada em julgado, em processo de apuração de abuso do poder econômico ou político, desde a decisão.
  • 2. II - Osque forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida, desdea condenação, e somente apóso cumprimento da pena imposta ousua absolvição, pelos seguintes crimes, desde que a pena em concreto arbitrada seja privativa de liberdade superior a 3 anos: a) Contra a economia popular, a fé pública, a administração pública e o patrimônio público; b)Contra o patrimônio privado, osistema financeiro, o mercado de capitais e os previstos na Lei que regula a falência. c) Contra o meio ambiente e a saúde pública; d) De abuso de autoridade, nos casos em que houver condenação à perda docargo ou à inabilitação para o exercício de função pública; e) De lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores; f) Eleitorais; g)Corrupção eleitoral, captação ilícita de sufrágio, de doação, captação ou gastos ilícitos de recursos de campanha ou porconduta vedada aos agentes públicos em campanhas eleitorais que impliquem cassação do registro ou do diploma, a contar da decisão; h)Detráficode entorpecentes e drogas afins, racismo, tortura, terrorismo e hediondos; i) De redução à condição análoga à de escravo; j) Contra a vida e a dignidade sexual; k)Praticados por organização criminosa, quadrilha ou bando. III - os que forem declarados indignos do oficialato, ou com ele incompatíveis,
  • 3. IV - os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente, salvo se esta houver sido suspensa ou anulada pelo Poder Judiciário, contados a partir da data da decisão, aplicando-se o disposto no inciso II do art. 71 da Constituição Federal, a todos os ordenadores de despesa, sem exclusão de mandatários que houverem agido nessa condição; V - Os que forem demitidos do serviço público em decorrência de processo administrativo ou judicial, contados da decisão, salvo se o ato houver sido suspenso ou anulado pelo Poder Judiciário ou pela própria Administração. VI - os detentores de cargo na administração pública direta, indireta ou fundacional, que beneficiarem a si ou a terceiros, pelo abuso do poder econômico ou político, que forem condenados em decisão transitada em julgado, VII - Os políticos que renunciarem a seus mandatos eletivos desde o oferecimento de representação ou petição capaz de autorizar a abertura de processo por infringência a dispositivo da Constituição Federal, da Constituição Estadual ou da Lei Orgânica do Município, VIII - os que forem condenados em decisão transitada em julgado, por ato doloso de improbidade administrativa que importe lesão ao patrimônio público, enriquecimento ilícito ou violação aos princípios da administração, desde a condenação ou o trânsito em julgado, somente após o cumprimento da pena ou absolvição; IX - os que forem excluídos do exercício da profissão, por decisão sancionatória do órgão profissional competente, em decorrência de infração ético-profissional, salvo se o ato houver sido anulado ou suspenso pelo Poder Judiciário; X - a pessoa física e os dirigentes de pessoas jurídicas responsáveis por doações eleitorais tidas por ilegais por decisão transitada em julgado, XI - os magistrados e os membros do Ministério Público que forem aposentados compulsoriamente por decisão sancionatória, que tenham perdido o cargo por sentença ou que tenham pedidoexoneraçãoou aposentadoria voluntária na pendência de processo administrativo disciplinar. § 1 ° Não estão inclusos no caputos Diretores das Escolas Municipais;
  • 4. Art. 3°Todos os atos praticados por aquele que não deveria ter sido nomeado serão considerados nulos, bem como sua nomeação, devendo restituiraos cofres públicos todos os valores percebidosdevidamente corrigidose acrescido dosjuros legais. Parágrafo Único. Oadministrador responsável pela nomeação indevida deverá arcar solidariamente com a devolução dessesvalores, independente de culpa. Art. 4o O Administrador que tendo ou devendo ter ciênciada incompatibilidade do servidor nomeado indevidamente incorrerá na quebra dodecoro funcional a serjulgado pela Câmara Municipal, nos termos do Regimento Interno e da Lei Orgânica. Art. 5°Caberá ao Poder Executivo e Legislativo Municipal, de forma individualizada, a fiscalização de seusatosem obediência a presente Lei, com a possibilidade de requerer aos órgãos competentes informações e documentos que entenderem necessários para o cumprimento de suas disposições. Art. 6°As autoridades competentes, dentro do prazo de 90 (noventa) dias, contados da publicação da Lei, promoverão a exoneração dos ocupantes de cargosse inseridos na presente Lei que se enquadrem nas situações previstas no Art. 2o, sob pena das sanções previstas nos artigos 3o e 4o. Parágrafo Único. Os atos deexoneração produzirão efeitos acontar de suas respectivas publicações. Art. 7"As denúncias de descumprimento da presente Lei poderão ser formuladas por qualquer pessoa, por escrito ou verbalmente, caso em que deverão ser reduzidas a termo, sendo vedado, todavia, o anonimato, devendo ser protocolada junto à Câmara Municipal, endereçada ao Presidente da Casa de Leis. § Io A denúncia deverá ser processada mesmo se vier desacompanhada de prova ou indicação da forma como obtê-la, não podendo ser desconsiderada em qualquer hipótese. § 2o Encaminhada a denúncia para funcionário incompetente para conhecê-la, esta será imediatamente enviada para a autoridade competente, sob pena de responsabilidade.
  • 5. § 3o A autoridade que não tomar as providências cabíveis, ou, de qualquer forma, frustrar a aplicação das disposições da presente Lei, responderá pelo ato na forma da legislação municipal. Art. 8o Uma vez protocolizada a denúncia na Câmara Municipal, o Presidente ordenará a citação do servidor indicado, bem como de quem lhe nomeou para que exerça seu direito de ampla defesa e contraditório no prazo de 30 dias a contar da citação. Parágrafo Único. Caso o servidor tenha sido nomeado pelo Presidente da Casa de Leis, o processo será encaminhado automaticamente para o Vice-Presidente e tomará todas as medidas cabíveis na qualidade de Presidente. Art. 9oCaso os denunciados quedem inertes, será decretada sua revelia, devendo, contudo o Presidente diligenciar em busca de informações oficiais acerca das imputações feitas, com a chegada dessas informações será posto em julgamento na primeira sessão ordinária subseqüente. Art. 10. Com a apresentação das defesas devidamente acompanhada da documentação necessária será posto em julgamento na primeira sessão ordinária subseqüente. Parágrafo Único. Caso as defesas não venham acompanhada dos documentos necessários, será feita as diligências do artigo anterior. Art. 11. O julgamento será feito na Sessão Ordinária subsequente após o Grande Expediente, mediante a leitura integral a denúncia e da defesa, bem como análise das provas contida nos autos. Art. 12. A decisão será por maioria simples, independente do quorum, indicará se a contratação foi legal ou não. Art. 13. Em sendo considerada ilegal a contratação o Administrador que nomeou o servidor deverá entregar no prazo de 10 dias memória de cálculo descritivo de todos os valores percebidos devidamente atualizados e acrescido dos juros legais.
  • 6. Art. 14. No prazo de 90 dias o servidor, bem como o administrado que lhe nomeou deverá efetuar a devolução desses valores aos cofres públicos, podendo para tanto efetuar o parcelamento do débito junto ao Município, tal parcelamento não pode ser superior a 12 vezes. Art. 15. Em não sendo pago no prazo assinalado, ou mesmo não havendo o parcelamento do débito, este será inscrito em Dívida Ativa, após Procuradoria Geral do Município deverá fazer a devida cobrança judicial no prazo de 30 dias, sob pena de responsabilidade. Parágrafo Único. Após o prazo estipulado no art. 13, não caberá mais possibilidade de parcelamento, nem mesmo na esfera judicial. Art. 16. Em entendendo que houve quebra do decoro funcional nos termos do art. 4o, será realizado processo especifico de cassação por quebra de decoro, nos termos do Regimento Interno e Lei Orgânica. Art. 17. Após o julgamento em sessão ordinária, serão enviados cópias dos autos ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas para que se averigúe a responsabilidade criminal ou possível improbidade administrativa. Art. 18. O candidato ao ser contratado no Executivo e Legislativo municipal de Caçoai, deverá apresentar, antes da investidura do cargo, todas as Certidões Judiciais Estadual, Federal e Militar, das esferas: civil, criminal e eleitoral. Art. 19.Além dessascertidões, deveráapresentar certidão de regularidade com seu órgãode classe, declaração que informe todos seus locais de serviçoanterior mediante declaração com reconhecimento de firma. Art. 20. De posse dessas certidões e informações o Administrador contratante deverá efetuar as diligências necessárias para que se dê a contratação nos termos dessa lei. Art. 21. Esta Lei da Ficha Limpa Municipal entra em vigor na data de sua publicação e terá validade a partir de 01 de janeiro de 2013. Cacoal/RO, 30 de agosto de 2011.
  • 7. FRANCESCO VIALETTO Prefeito ARNALDO ESTEVES DOS REIS Procurador-Geral do Município - OAB/MG 57594 - OAB/RO 4946