SlideShare uma empresa Scribd logo
Latim - A Arte de Raciocinar
Naôr Rocha Guimarães
Todos os direitos reservados
1
2
Agradecimentos
A Deus,
pela vida e pelos meus talentos;
À Nilva, esposa e companheira,
pelo apoio, e compreensão;
Ao João Bosco, ao Domingos Sávio, filhos e amigos,
À Elaine, à Andréia, noras e amigas,
pelo incentivo e reconhecimento;
Ao Vitor, ao Gustavo e à Leandra, netos queridos,
pelo amor e carinho;
Ao Carlos Aureliano, cunhado-irmão,
pela formatação e trabalho de arte.
Dedico este trabalho a todos os colegas professores
e a todos os ex-alunos do Ensino Básico e do Ensino Superior.
3
Prefácio
De há muito é minha intenção escrever um manual de Língua Latina, destinado a alunos dos cursos de Letras, de
Filosofia, de Teologia, a estudiosos e amantes da Língua Portuguesa e, mesmo, para acadêmicos de Direito. O
objetivo precípuo é despertar o uso do raciocínio, hodiernamente, tão deixado de lado, em virtude do excesso de
recursos áudio-visuais, virtuais, com ênfase especial à Internet. Isso tudo é muito importante, simplesmente
enquanto meios, modos ou maneiras do processo ensino-aprendizagem. Com tantas facilidades, os alunos, em
sua grande maioria, em todo e qualquer curso, têm por obrigação e, infelizmente, constata-se muito tal
verossimilidade, fazer as pesquisas, os trabalhos escolares e trocá-los por uma nota ou conceito. Alguns
encomendam o trabalho ou pesquisa e nem sequer os lêem. Conseguem o almejado e passam de ano e... recebem
o diploma, formam-se. Então, para muitos, não se estuda para aprender, mas para passar de ano, para se formar.
O latim obriga o aluno a raciocinar. Com o passar das aulas, a obrigação vai sendo substituída por gosto, por
prazer. Depois é um prazer de arte. A arte de raciocinar. Daí o nome dado a este manual: Latim: a arte de
raciocinar. Não é possível que se investigue, que se aprenda, que se prossiga no aprendizado sem que se
raciocine. Aplica-se tal validade a qualquer aprendizagem. Se não se pondere, se não se reflita, se não se sirva da
razão não há como se ter conhecimento, como se ficar sabendo, como se instruir. O latim é fonte desse tirocínio.
Isso em virtude de que se não se pensar, com critérios lingüísticos, não se falará ou não se escreverá em latim,
dado que para tanto é mister que se analise, mentalmente, as funções sintáticas das palavras nas orações,
correlacionando cada função sintática com os casos correspondentes a cada declinação, dentro do seu número e
de seu gênero, levando-se em consideração que, na língua dos Césares, temos três gêneros: masculino, feminino
e neutro.
Diz-se que um bom aluno de latim será um bom matemático, um ótimo engenheiro civil, um excelente aprendiz
de línguas românicas ou neolatinas. É comum ouvir-se propalar que indivíduos, mesmo não gostando de
matemática, mas por terem sido bons alunos de latim, saíam-se sempre muito bem naquela disciplina, por força
de que esta os levava ao raciocínio. Assim, em alguns cursos de engenharia civil de certos países do primeiro
mundo, segundo pesquisas, ainda que a língua oficial não seja românica, é imprescindível que haja o ensino
obrigatório do latim, por um bom número de anos.
É notório que o aprendizado de línguas românicas tem no latim o seu elemento principal, ou seja, a sua raiz. A
estrutura lógica da gramática latina é a coerência das gramáticas daquelas línguas. Desta forma, quem é bem
estruturado na gramática latina, aprenderá com facilidade línguas como o português, o espanhol, o italiano, o
francês, o romeno e outras.
De modo especial, para os alunos de português que não conseguem entender a sintaxe da língua, máxime a
própria análise sintática, é recomendado que estudem e aprendam, pelo menos, algumas noções básicas de latim.
Conduzir-se-ão, com isso, por si próprios e de bom gosto ao aprendizado consciente e de coerência da língua
materna, desvendando-lhe a beleza, os inumeráveis recursos fonéticos, morfológicos, sintáticos, prosódicos,
semânticos, etimológicos, poéticos e outros tantos. Este é o meu desejo.
Enfatiza-se muito, neste manual, a análise sintática, quer na tradução quer na versão de frases, através de
inúmeros exercícios. Normalmente, antes dos exercícios, há um vocabulário e no final do livro estão um
pequeno dicionário latino-português e um pequeno dicionário português-latino. Isso para facilitar o estudante,
pois se for um exercício de tradução, ele consultará o primeiro dicionário; se for versão, o segundo. A primeira
parte da obra é Gramática Latina; a segunda, Provérbios e expressões latinas; a terceira, o Hymnus Brasiliensis
( Hino Nacional); a quarta, os dicionários mencionados; a quinta, a Bibliografia.
Naôr Rocha Guimarães
4
Introdução
A família lingüística indo-européia ou ariana é a mais importante entre as muitas famílias lingüísticas do
mundo. Os árias (segundo se consta, descendentes de Jafet, filho de Noé) saíram do centro da Ásia e invadiram
a Europa. Formaram-se e fixaram-se, em várias partes do continente, muitas tribos com línguas diferentes,
porém todas estruturadas na família lingüística indo-européia. A língua comum era o sânscrito (hoje língua
morta), com dois ramos: um , asiático (o indo); o outro, europeu.
No ramo asiático, destacam-se o índico e o irânico; no europeu, o heleno, o itálico, o célltico, o germânico, o
eslavo e o lético. O latim é formado do itálico, juntamente com o sabélico, o úmbrio, o volsco, o osco e o
falisco. As línguas indo-européias são flexivas, isto é, têm declinações e conjugações, diferentes daslínguas
monossilábicas (com raízes simples, justapostas) e das aglutinantes ( há apenas prefixos e sufixos, sem raízes,
em geral, línguas de selvagens).
O latim, com advento do Império Romano, absorveu todos os outros ramos oriundos do itálico, espalhando-se
por todas as províncias do vasto império. Havia o latim popular (sermo vulgāris), o latim puro ou clássico
(sermo erudītus) e o latim castrense ( língua usada nos acampamentos militares). Mais tarde, surgiu o latim
eclesiástico (língua usada pela Igreja Católica - um misto de latim clássico e adaptações próprias aos ritos
litúrgicos).
As línguas novilatinas surgiram do sermo vulgāris (latim popular), a língua do povo. Levada às mais distantes
regiões do império, aos poucos ela foi se adaptando a cada região, sofrendo influência das línguas naturais (no
início, deixadas de lado, por força das circunstâncias oferecidas pelos conquistadores), das condições
geográficas e do clima. Com o passar do tempo, aos poucos, o latim popular foi deixando de ser falado e foram
surgindo novas línguas, chamadas de românicas, ou neolatinas , ou novilatinas.
Em Roma e nos centros provincianos, a nobreza, as autoridades, os políticos e os escolarizados falavam e
escreviam o sermos erudītus. Surgiram e notabilizaram-se grandes e reconhecidos escritores, oradores e
historiadores.
É sobre o aprendizado, ainda que apenas básico do latim clássico (hoje língua morta, porque não é falada) que
este manual foi elaborado. Como já foi dito no prefácio, é dada muita ênfase na análise sintática, tanto na
tradução quanto na versão das frases, o que vai constituir-se na “chave” que abrirá o raciocínio.
5
Gramática Latina
1 - Alfabeto
O alfabeto do latim primitivo era formado por 21 letras, as mesmas do português, com a exclusão do J, do V e
do Z. Por influência do grego, incluíram-se o K, o Y e o Z. Mais tarde, com o advento das línguas neolatinas,
por seu prestígio e mesmo por seu crédito, já para as transcrições literárias, já para a evolução do próprio latim,
acresceram-se o J e o V.
2 - Pronúncia do Latim
A pronúncia romana do latim é quase igual à da língua portuguesa, com algumas poucas diferenças:
l. Ae e oe pronunciam-se e. Exs.: – rosae (pr. róse) = as rosas; poena (pr. péna) = castigo.
Obs.: a) Aē e oē pronunciam-se ae e oe. Exs.: poēta (pr. poeta) = poeta; aēr (pr. á-er) = ar.
b) Mesmo no fim das palavras a vogal e sempre se pronuncia e e a vogal o sempre se pronuncia o.
2. O c diante de e e diante de i tem quase o som de tch (o som de ch inglês em children). Exs.: cinis (pr.
tchinis) = cinza; cedĕre (pr. tchédere) = ceder; micae (pr. mitche) = migalhas.
Obs.: o grupo ch tem o som de k. Ex.: architectūra (pr. arkitectura) = arquitetura.
3. O g diante de e e de i soa dg (o som do g inglês em gentleman). Exs.: gero (pr. dgéro) = levo; gigas (pr.
dgigas) = gigante.
Obs.: O grupo gn soa como o nh português. Ex.: agnus (pr. ánhus) = cordeiro.
O h não soa nunca. Portanto homo (homem) pronuncia-se ómo; rythmus pronuncia-se ritmus, etc.
O j soa como i (era ignorado pelos romanos). Exs.: juvenis (pr. iuvenis) = jovem; adjutorĭum (pr. adiutórium)
= auxílio.
3 - A importância da Análise Sintática no Ensino do Latim
No latim, as palavras mudam a terminação conforme a função sintática que têm na oração. A mesma palavra
pode se apresentar de seis maneiras diferentes, pois são seis as funções sintáticas a que está subordinada, uma
por vez. Isso se considerarmos só o singular, pois no plural serão mais seis terminações diferentes. Vejam-se os
exemplos:
Português Latim
O aluno é aplicado. Discipŭlus diligens est.
O livro do aluno é bonito. Liber discipŭli pulcher est.
Os alunos são aplicados. Discipŭli diligentes sunt.
Os livros dos alunos são bonitos. Libri discipulōrum pulchri sunt.
Não se consegue falar ou escrever em latim se não se fizer a análise sintática, mesmo que seja apenas
mentalmente. Cada palavra tem que estar na sua função. É imprescindível que se tenha um bom conhecimento de
análise sintática para se aprender o latim.
Para alguns autores, mais que análise sintática seria análise lógica a ser usada na aprendizagem do latim. Uma
análise mais apurada, mais detalhada. Contudo uma análise sintática bem estruturada é o mesmo que a análise
lógica. As orações, ou proposições são elaboradas, devendo cada palavra estar em sua respectiva função
sintática. Isso leva à aplicação exata da terminação.
4 - As Funções Sintáticas e os Casos Latinos
São seis as funções sintáticas que uma palavra pode exercer em uma oração. É bom saber que oração (ou
proposição) é uma ou mais palavras que têm sentido completo. Ela é formada por elementos que vêm a ser as
funções sintáticas.
6
Para cada função sintática há, em latim, um caso. Caso é o modo de se escrever uma palavra de acordo com sua
função sintática. Há seis casos em latim, pois são seis as funções. Numa oração, podem-se encontrar seis
elementos:
• Sujeito
• Vocativo
• Adjunto adnominal restritivo
• Objeto direto
• Objeto indireto
• Adjunto adverbial
4.1 – Sujeito
É o elemento do qual se diz alguma coisa. É o agente de uma ação verbal ou o seu paciente. Em Pedro gosta de
análise sintática, Pedro é o elemento ou o agente da ação de gostar. É o sujeito da oração. Já em a análise
sintática da oração foi feita por Pedro; a análise sintática é o elemento ou paciente que sofre a ação verbal. É o
sujeito .Em latim, o sujeito vai para o nominativo . O nominativo é, então, o caso que indica a função sintática do
sujeito. Em Português, tem-se a flexão de gênero , de número e de grau, com terminações diferentes da palavra
para indicar o singular, o plural, o aumentativo e o diminutivo. Em latim, a flexão é de caso, com terminação
diferente para as diversas funções sintáticas.
4.2 – Vocativo
É um chamamento ou apelo. Toda vez que se se dirige a alguém, solicitando ou exigindo algo, tem-se vocativo.
Quando se diz: aluno, estude mais, há um apelo, um chamado. Aluno é o elemento que indica esse apelo ou
chamado. Aluno é vocativo. Outros exemplos: Quer estudar latim, Maria? Aprendam, meninos, a lição. Os
termos grifados são vocativos. O vocativo é andarilho, ou seja, pode vir no início , no meio ou no fim da oração.
Em latim, o caso do vocativo chama-se, também, vocativo. É bom notar –se que o vocativo vem sempre com um
indicador especial: é seguido de vírgula ou precedido de ó (nunca oh , que é usado em frases exclamativas): Ó
Deus, onde estais que não me ouvis?
4.3 - Adjunto adnominal restritivo ou complemento de especificação
Mais que um elemento,é um complemento. Indica sempre, através da preposição de , de quem é determinada
coisa ou objeto. Restringe a posse de algo. Em o livro de Pedro está encapado, de Pedro é o adjunto adnominal
restritivo. Não é todo livro que é encapado; o de Pedro é. Restringe e especifica o possuidor. Daí chamar-se
complemento de especificação. Outros exemplos: Comprou-se a fazenda de vovô. O estudo do latim exige
raciocínio. O prefeito da cidade é muito ativo. Os termos sublinhados são complementos de especificação.
Em latim, o caso desse complemento é o genitivo.
4.4 - Objeto direto e objeto indireto
Antes de mais nada, é bom recordar o que é predicação verbal. Em português, em latim e nas demais línguas o
verbo é a palavra mais importante da oração. Ou designa uma ação , ou um estado , ou um fenômeno natural. Na
análise sintática ou lógica, o verbo forma o predicado, o elemento essencial para que a frase seja oração. Ele
predica, atribui uma ação ou um estado a alguém. Quando a ação fica no sujeito, não transita, não passa para
outro elemento, diz-se que é de predicação completa. Em o pássaro canta muito, canta é um verbo de
predicação completa. Não exige nada. O significado está nele mesmo. É verbo intransitivo.
Já em preciso de amigos,; estudo latim, o significado verbal sai do sujeito, transita para outro elemento (de
amigos, latim). São verbos de significação incompleta. São verbos transitivos, distribuídos em quatro grupos
distintos:
a. Diretamente transitivos - a ação passa para a pessoa ou coisa sobre a qual recai, sem auxílio de
preposições: João matou o leão terrível; nossos soldados vencerão o inímigo; o lobo devora o
cordeiro A pessoa ou coisa sobre a qual recai a ação do verbo – complemento verbal -, chama-se
objeto direto. O leão terrível, o inimigo, o cordeiro são objetos diretos das orações acima. Em latim, o
objeto direto vai para o caso acusativo.
b. Indiretamente transitivos - pedem um complemento verbal através de preposições. É o objeto
indireto: o homem depende de Deus; o general gosta dos soldados; o aluno obedece ao
professor; recorremos a nossos pais. Dos soldados, ao professor, a nossos pais são objetos indiretos.
O objeto indireto em latim vai para o caso dativo. Também vai para o dativo o complemento nominal
em português, que é a seqüência de sentido – a integração – de um nome incompleto ( por nome
entendem-se o substantivo, o adjetivo e o advérbio). Os nomes incompletos são oriundos de verbos
transitivos: nada é difícil para Deus ( difícil = dificultar); o filho é agradecido ao pai ( agradecido
= agradecer); temos obstáculos ao ensino do latim ( obstáculos = obstacular). Os termos grifados
são complementos nominais; vão para o dativo.
7
Observação: entende-se por termo uma palavra ou uma expressão ( mais de uma palavra ) com uma função
sintática específica.
c. Duplamente transitivos - exigem não apenas um, mas dois complementos, um direto e outro indireto.
São os chamados verbos bitransitivos, ou seja, transitivos diretos e indiretos, simultaneamente:
“O educador diz coisas agradáveis e desagradáveis aos educandos” (quem diz, diz alguma coisa a
alguém – exige objeto direto / coisas agradáveis e desagradáveis /, e objeto indireto / aos educandos / ).
Outros exemplos: as crianças ofertam flores às mães; os romanos ofereciam sacrifícios de
animais aos seus deuses; dei um dicionário de latim ao aluno.
d. Verbos de ligação - são verbos de significação incompleta que exigem mais uma união do o que um
complemento, pois ligam ( unem ) um nome a outro ( são chamados, também, verbos unitivos ). Este nome
unido a outro ou é um estado ou uma qualidade: Pedro é estudioso (qualidade); ele está cansado (qualidade);
somos criaturas humanas (estado). Ser, estar, parecer, continuar e outros são verbos que, dependendo do seu
emprego, podem ser de ; ligação. O seu complemento ou união é o predicativo, que vai para o caso nominativo,
em latim. Exemplos: Pedro é pedra; João permanece calado; a lição continua difícil ( pedra, calado e difícil
são predicativos e estão no caso nominativo.
4.5 - Adjunto adverbial
É uma circunstância (situação, momento) que se acrescenta a uma ação verbal ou a um estado e ou qualidade. É
um auxiliar (daí ser adjunto - que está junto) do predicado, acrescentando-lhe idéias de situações diferentes,
momentos específicos. Há muitos tipos de adjuntos adverbiais:
• Lugar
onde = Estou na sala de aula . ( lugar em que se faz a ação)
donde = Vim de São Paulo. (procedência)
por onde = Passamos por caminhos difíceis. (através dos quais)
para onde = Vamos à escola. (lugar ao qual alguém se dirige)
• Tempo - No verão o sol é mais quente. (quando) Ele é estudioso desde a 1ª série.(há quanto tempo)
• Modo - O tribuno combatia com valor. (maneira)
• Companhia - Voltarei com os amigos. (pessoa com quem se faz uma ação)
• Instrumento ou meio - Trabalho com os braços. (coisa pela qual se faz alguma ação)
• Causa - “Chorai pelos vossos pecados”. (motivo pelo qual se faz alguma coisa)
• Matéria - Corrente de ouro. (substância com que se faz alguma coisa)
O adjunto adverbial tem como caso o ablativo. Nos exemplos supra os termos grifados, em cada exemplo, estão
todos no ablativo. Os adjuntos adverbiais são, também, chamados de complementos adverbiais.
4.6 - Predicado - Já se disse que o predicado é o elemento essencial da oração. Há oração sem sujeito, mas não
oração sem predicado. É tudo aquilo que é dito do sujeito. É o verbo com aquilo que o
acompanha(complemento, adjunto adverbial). É tudo aquilo na oração menos o sujeito. Exemplo: A
cibernética, hoje, domina o mundo, incontestavelmente. Tem-se aí: sujeito a cibernética; predicado: hoje,
domina o mundo, incontestavelmente.
Quando o sujeito é oculto (subentendido, elíptico), indeterminado (existe, mas não se sabe qual é – não-
identificado), inexistente (fenômenos naturais e outros casos específicos) o predicado é toda a oração: somos
alunos aplicados – predicado = somos alunos aplicados; vive-se feliz, aqui - predicado = vive-se feliz, aqui;
troveja, toda tarde, no verão – predicado = troveja, toda tarde , no verão.
Existem três tipos de predicado:
a) predicado verbal ( quando o verbo é importante – ação): O estudo do latim leva ao
conhecimento do português.
b) Predicado nominal (o importante é o nome, com verbo de ligação): O soldado romano
era valoroso.
8
c) Predicado verbo-nominal (uma ação e um estado ou qualidade ao mesmo tempo): O
comandante chegou ferido da guerra. (chegou = ação; ferido = estado).
4.7 – Aposto
É um complemento explicativo. Um termo que explica outro termo. Essa explicação vem com ou sem
preposição, com ou sem vírgula: Aristóteles, filósofo, é imortal; o general Caxias sempre venceu; a cidade
do Rio de Janeiro é maravilhosa. O aposto segue o mesmo caso do substantivo explicado, ou determinado. Em
João, aluno de latim, é estudioso, temos:
João = sujeito - caso nominativo
aluno de latim = aposto - caso nominativo
já em Pedro estuda com o colega Altevir, notam-se:
Pedro = sujeito - caso nominativo
com o colega = adjunto adverbial de companhia - caso ablativo
Altevir = aposto - caso ablativo.
4.8 - Adjunto adnominal
É todo artigo, adjetivo, pronome adjetivo, numeral que acompanham um substantivo em sua função sintática e
nos seus casos. Na oração o aluno José cumpre seus deveres escolares têm-se os seguintes adjuntos
adnominais:
o = adjunto adnominal de aluno (= sujeito – caso nominativo)
seus = adjunto adnominal de deveres ( = objeto direto - caso acusativo)
escolares = adjunto adnominal de deveres ( = objeto direto - caso acusativo)
Em latim, o adjunto adnominal é analisado por muitos como atributo (aqui também ele o será) das diversas
funções sintáticas. Estará sempre no mesmo caso dos substantivos que acompanha.
5 - Flexão - Declinação
Algumas classes de palavras (substantivos, adjetivos, pronomes, verbos e alguns numerais) mudam, sofrem
alteração no final, ou seja, na última sílaba. São palavras variáveis, pois têm terminações diferentes.
Invariável é a palavra que tem sempre a mesma terminação. A parte final das palavras variáveis chama-se
desinência. Radical é a parte da palavra sem a desinência. Na palavra teimoso a desinência “o” pode ser mudada
para “a”, “os”, “as”, fazendo teimosa, teimosos, teimosas. Em latim, obtém-se o radical de uma palavra tirando-
se-lhe a desinência do genitivo singular, conforme será visto adiante. Flexão de caso é a alteração que a palavra
recebe na desinência, conforme a função sintática que tem na oração.
Os substantivos , em latim, estão reunidos em cinco grupos, pois nem todos terminam da mesma maneira. Estes
grupos são denominados de declinação. A declinação é um conjunto de flexões de determinado grupo de
substantivos. São cinco as declinações, todas com singular e plural. Cada declinação tem um total de doze
flexões, seis para o singular e seis para o plural.
Para saber a que declinação pertence uma palavra basta verificar-lhe a desinência do genitivo singular. Os
dicionários trazem a palavra no nominativo, em seguida no genitivo, a palavra toda ou somente as letras da
desinência. Abaixo está o genitivo singular das cinco declinações:
Declinações 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª
Genitivo sing. ae i is us ei
Exemplos:
rosa, ae (=rosa) lª declinação
Petrus, i (=Pedro) 2ª declinação
fons, fontis (=fonte) 3ª declinação
domus, us (=casa) 4ª declinação
dies, ei (=dia) 5ª declinação
Como já foi visto, para encontrar-se o radical de uma palavra tira-se a desinência do genitivo singular. Assim,
tem-se:
nominativo singular genitivo singular radical
rosa rosae ros
Petrus Petri Petr
9
fons fontis font
domus domus dom
dies diēi di
Importante: ao dizer-se uma palavra, em latim, é necessário declará-la no nominativo e no genitivo. Portanto,
diz-se: fons, fontis (=fonte); Maria, Mariae (=Maria); manus, manus (=mão); res, rei (=coisa); dominus,
domini (=senhor).
6 - Como Analisar Sintaticamente
Analisar uma oração é decompô-la em sua estrutura sintática, ou seja, é fazer um exame do emprego das
palavras como termos essenciais (sujeito e predicado), integrantes (complementos) e acessórios (adjuntos). É ,
também, verificar-lhes o gênero, o número, o caso, a declinação, a desinência, a tradução (latim para o
português) e a versão (português para o latim).
Em latim há três gêneros: masculino, feminino e neutro. Se a palavra indicar ser animado é fácil saber se é
masculino ou feminino. Agora, se designa coisa pode ser masculina, feminina ou neutra. Por neutro pode-se
indicar “nem um nem outro “, nem masculino , nem feminino. Como exemplos notam-se malum, i (=mal);
mare, is (=mar); bellum, i (=guerra).
Um método prático, integral e eficiente para analisar uma oração é transcrevê-la verticalmente em suas funções
sintáticas e, em colunas paralelas, citar todos os componentes a serem analisados. São seis colunas em que, pela
ordem, serão citados: função sintática, gênero, número, caso, declinação, desinência e, no espaço final, a
tradução ou a versão. Embaixo do quadro da análise, coloca-se a oração na ordem direta (português) e na ordem
inversa (latim).
Eis o quadro:
Oração Funç.sintát. Gênero Número Caso Declinação Desinência Tradução
/versão
Observação: quando a palavra analisada for verbo, a ordem será: função sintática, pessoa, número, tempo e
modo, conjugação, desinência.
Até o presente momento, não é possível fazer-se a análise completa de uma oração, pois ainda não se estudaram
as declinações e as conjugações verbais. Far-se-á, então, uma série de exemplos sem que se complete o quadro e
tão somente do português para o latim. É bom frisar que o gênero da palavra a ser analisada é o gênero latino,
caso contrário, em muitas situações, as desinências dos casos estarão erradas. Caso específico da palavra guerra
que, em português, é feminina e em latim é neutra. Importante: em latim, não há artigos, razão de aparecerem
junto aos substantivos em suas funções.
A vida é um dom de Deus
A vida sujeito feminino singular nominativo
é pred.nominal 3ª pes. singular pres.indic.
um dom predic.sujeito neutro singular nominativo
de Deus compl.especif. masc. singular genitivo
As águas regam a terra
As águas sujeito feminino singular nominativo
regam pred. verbal 3ª pes. plural pres. ind.
a terra objeto direto feminino singular acusativo
10
A sombra dá alegria aos agricultores
A sombra sujeito feminino singular nominativo
dá pred.verbal 3ª pes. singular pres.indic..
alegria objeto dir. feminino singular acusativo
aos agricultores objeto ind. masculino plural dativo
A lua afugenta a sombra e ilumina a terra
A lua sujeito feminino singular nominativo
afugenta pred.verbal 3ª pes. singular pres. Indic.
a sombra objeto dir. feminino singular acusativo
e conjunção (conetivo ) - palavra invariável
ilumina pred.verbal 3ª pes. singular pres.indic
a terra objeto dir. feminino singular acusativo
Observação: neste exemplo têm-se duas orações, constituindo um período composto, o contrário dos exemplos
anteriores em que há somente uma oração, portanto um período simples.
Alunos, o latim é uma língua difícil
Alunos vocativo masc. plural vocativo
o latim sujeito masc. singular nominativo
é pred.nominal 3 ª pes. singular pres.indic.
língua predicativo/.suj. feminino singular nominativo
difícil atributo/pred.suj. feminino singular nominativo
Os meninos maus corrompem os bons ; por meio de péssimos exemplos
Os meninos sujeito masc. plural nominativo
maus atributo/sujeito masc. plural nominativo
corrompem pred. Verbal 3ª pes. plural pres.indic.
os bons objeto dir. masc. plural acusativo
por meio de péssimos atributo/c.meio neutro plural ablativo
exemplos compl. de meio neutro. plural ablativo
Os poetas celebram as glórias dos habitantes das ilhas da Itália
Os poetas sujeito masc.... plural nominativo
celebram pred.verbal 3ª pes. plural pres.indic.
as glórias objeto dir. feminino plural acusativo
dos habitantes complem.especif.masc. plural genitivo
das ilhas complem.especif. feminino plural genitivo
da Itália complem.especif. feminino plural genitivo
Os poetas cantarão os astros, ornamento do céu
Os poetas sujeito masc. plural nominativo
cantarão pred.verbal... 3ª pes. plural pres.indic.
os astros objeto dir. neutro plural acusativo
ornamento aposto/obj. dir. neutro singular acusativo
do céu complem.especif. neutro singular genitivo
Os professores narrarão aos alunos as guerras e as batalhas dos povos antigos
Os professores sujeito masc. plural nominativo
narrarão pred.verbal 3ª pes. plural pres.indic.
11
aos alunos objeto ind. masc. plural dativo
as guerras objeto dir. neutro plural acusativo
e conjunção (conetivo) palavra invariável
as batalhas objeto dir. feminino plural acusativo
dos povos complem.especif.masc. plural genitivo
antigos atributo/c.espec.. masc. plural genitivo
As pombas e as águias dão alegria aos habitantes das ilhas
As pombas sujeito feminino plural nominativo
e conjunção (conetivo ) palavra invariável
as águias sujeito feminino plural nominativo
dão pred.verbal 3ª pes. plural pres.indic
alegria objeto dir. feminino singular acusativo
aos habitantes objeto ind. masc. plural dativo
das ilhas compl.especif. feminino plural genitivo
Importante - O atributo (adjunto adnominal) vai para o mesmo gênero, o mesmo número e o mesmo caso das
funções dos substantivos.
7 - Primeira Declinação
Os substantivos latinos, como já foi explicado, estão distribuídos em cinco grupos. Afirmou-se, também, que
declinação é um conjunto de flexões de cada um destes grupos.
Todos substantivos cujo genitivo singular seja em æ pertencem à primeira declinação. Na sua grande maioria,
estes nomes são femininos, salvo alguns poucos do gênero masculino – nomes de homens, de seres do sexo
masculino e de alguns rios..
São as seguintes as desinências da 1ª declinação:
Singular Plural
Nominativo a æ
Genitivo æ arum
Dativo æ is
Acusativo am as
Vocativo a æ
Ablativo a is
Observe-se que há muitos casos cujas desinências são iguais no singular e no plural. Isso, contudo, não gera
confusão, pois a análise dos termos da oração indica qual o caso em que a palavra está. É muito importante que
se raciocine, se pense e se analise para aprender não só o latim, mas qualquer língua, principalmente a língua
pátria. Forçando o raciocínio, o latim contribui em muito para o aprimoramento da inteligência, da capacidade e
da valorização científica, com a concentração do espírito e da atenção, segundo Napoleão Mendes de Almeida.
Importante - Em latim, as palavras são pronunciadas ou com o acento tônico ( é a sílaba forte - não confundir
com acento gráfico) na penúltima sílaba ou na antepenúltima, nunca na última ou na transantepenúltima (antes
da antepenúltima). Muitas vezes, para facilitar-se a pronúncia figuram nas palavras os seguintes sinais:
¯ macron - colocado na penúltima sílaba; indica que o acento tônico recai , exatamente, na penúltima
sílaba: amābo (amábo = amarei); rosārum ( rosárum = das rosas); formīca (formíca = a formiga); corōna (coróna
= a coroa), etc.
˘ brachia (bráquia) - colocado na penúltima sílaba, indica que o acento recai sobre a antepenúltima
sílaba: optĭmus (óptimus = ótimo); Helĕna (Élena = Helena); Hippolĭtus (Hipólitus = Hipólito), etc.
Declinar um nome, como já foi dito, é recitá-lo em todos os casos, no singular e no plural. Declinar-se-ão,
abaixo, agricŏla, æ (masc. = agricultor); lacrĭma, æ (fem. = lágrima):
Singular Plural
Nom. agricŏl – a agricŏl – æ
Gen. agricŏl - æ, agricol – ārum
Dat agricŏl – æ agricŏl – is
12
Acus. agricŏl – am agricŏl - as
Voc. agricŏl – a agricŏl – æ
Ablat. agricŏl – a agricŏl - is
Nom. lacrĭm – a lacrĭm – ae
Gen. lacrĭm – æ lacrim – ārum
Dat. Lacrĭm– æ lacrĭm – is
Acus. lacrĭm – am lacrĭm – as
Voc. lacrĭm – a lacrĭm – æ
Ablat. lacrĭm – a lacrĭm – is
À guisa de exercício, declinem-se:
collēga, æ (masc.)= colega nauta, æ (masc.) = marinheiro
poēta, æ (masc.) = poeta incŏla, æ (masc.) = habitante
scurra, æ (masc.) = bobo via, æ (fem.) = rua, estrada
luna, æ (fem.) = lua rosa, æ (fem.) = rosa
ecclesĭa, æ (fem.) = igreja viŏla, æ (fem.) = violeta
tíbĭa , æ (fem.) = flauta porta, æ (fem) = porta
Algumas palavras da lª declinação, no singular, têm um significado e, no plural, podem ter outro significado ou
um sentido especial:
Singular Plural
angustĭa, æ = angústia, apuro angustĭæ, arum = desfiladeiro, garganta
cera, æ = cera ceræ, arum = tábuas escritas
copĭa, æ = abundância copĭæ, arum = exércitos, tropas
gratĭa, æ = graça, favor gratĭæ, arum = agradecimentos
opĕra, æ = obra, trabalho opĕræ, arum = operárias
vigĭlia, æ = véspera, (ficar acordado) vigilĭæ, arum = sentinela
Outros nomes, quer comuns, quer próprios, só se usam no plural:
divitĭæ, arum = riqueza indutĭæ, arum = trégua, armistício
nuptĭæ, arum = núpcias tenĕbræ, arum = trevas
Athēnæ, arum = Atenas Syracūsae, arum = Siracusa
Thebæ, arum = Tebas Venetĭæ, arum = Veneza
Observação: em português, também existem nomes usados só plural - óculos, núpcias, Campinas, primícias,
Atenas, víveres etc.
8 - Conjugação do Verbo ESSE: Ser, Estar
Modo indicativo
Presente Imperfeito Futuro I (ou imperfeito)
Sou/estou Era/estava Serei/estarei
(ego ) sum eram ero
(tu) es eras eris
(ille) est erat erit
(nos) sumus erāmus erĭmus
(vos) estis erātis erĭtis
(illi) sunt erant erunt
Perfeito Mais-que-perfeito Futuro II (ou anterior)
Fui/estive Fora/estivera Terei sido/terei estado
(ego) fui fuĕram fuĕro
13
(tu) fuīsti fuĕras fuĕris
(ille) fuit fuĕrat fuĕrit
(nos) fuĭmus fuerāmus fuerĭmus
(vos) fuīstis fuerātis fuerĭtis
(illi) fuērunt fuĕrant fuĕrint
Modo Subjuntivo
Presente Imperfeito
Seja/esteja Fosse/estivesse
(ego) sim essem
(tu) sis esses
(ille) sit esset
(nos) simus essēmus
(vos) sitis essētis
(illi) sint essent
Perfeito Mais –que –perfeito
Tenha sido Tivesse sido
(ego) fuĕrim fuīssem
(tu) fuĕris fuīsses
(ille) fuĕrit fuīsset
(nos) fuerīmus fuissēmus
(vos) fuerĭtis fuissētis
(illi) fuērint fuīssent
Imperativo Infinitivo presente Infinitivo perfeito
Sê/sede – Está/estai Ser/Estar Ter sido/Ter estado
Es (tu) esse fuīsse
Este (vos)
Em latim, os pronomes pessoais retos não são usados; em português, não são obrigatórios; aliás, a linguagem
formal evita-os, uma vez que a terminação verbal indica a pessoa (pronome pessoal reto).
9 - Tempos Primitivos (geral)
Em português, os verbos são encontrados no dicionário na forma nominal – infinitivo impessoal: ser, estar, amar,
fazer, partir etc. Em latim, o dicionário registra-os nos tempos primitivos (formas primitivas) que são:
1ª pessoa do presente indicativo - sum
2ª pessoa do presente indicativo - es
1ª pessoa do pretérito perfeito - fui
infinito (infinitivo) presente - esse
Assim, o verbo ser / estar aparece no dicionário da seguinte maneira: sum, es, fui, esse = ser, estar. Este
verbo, por ser unitivo (de ligação), em determinadas orações, vai exigir sempre o predicativo do sujeito, no caso
nominativo. Quando não-unitivo , geralmente, requer adjunto adverbial (complemento de lugar, de modo, de
companhia etc ). Obs,: Tempos primitivos serão vistos, de um modo específico, no item 12.
10 - Análise Sintática Completa
Agora, pode-se fazer a análise sintática completa, tanto na tradução (latim para o português), quanto na versão
(português para o latim). Vejam-se os seguintes exemplos:
a) versão
14
Vocabulário
rainha = regīna, æ (f)
prudência = prudentĭa, æ (f)
escrava = ancīlla, æ (f)
águia = aquĭla, æ (f)
pomba = colūmba, æ (f)
filha = filĭa, æ (f)
glória = glorĭa, æ (f)
habitante = incŏla, æ (m)
ilha = insŭla, æ (f)
alegria = lætitĭa, æ (f)
pátria = patrĭa, æ (f)
marinheiro = nauta, æ (m)
vitória = victorĭa, æ (f)
covardia = ignavĭa, æ (f)
vida = vita, æ (f)
fortuna = fortūna, æ (f)
rosa = rosa, æ (f)
tristeza = tristitĭa, æ (f)
e = et (conjunção)
A rainha está na ilha dos agricultores
.
A rainha suj. fem. sing. nom. lª decl. a regīna
está pred.verbal 3ª pes. sing. pres.ind v.esse st est
na ilha c.lugar(onde) fem. sing....... in+abl. 1ª.decl. a in insŭla
dos agricultores c.especif. masc. plur. gen. 1ª decl. arum agricolārum
Regina in insŭla agricolārum est. (ordem indireta)
Nota: O verbo ser/estar (esse) quando não é unitivo forma predicado verbal;
o complemento de lugar onde (adjunto adverbial) vai para o caso ablativo precedido da preposição in. Na
ordem inversa , no latim, o verbo fica no final da frase.
A filha do habitante da ilha é serva (criada) da rainha.
A filha sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a filĭa
do habitante c.especif. masc. sing. gen. 1ª decl. æ incŏlæ
da ilha c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ insŭlæ
é pred.nom. 3ª pes. sing. p..ind. v.esse st est
serva predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a ancīlla
da rainha c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ regīnæ
Filĭa incŏlae insŭlae regīnae ancīlla est.
A vitória será a glória dos marinheiros da pátria.
A vitória suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a victorĭa
será pred.nom. 3ª pes. sing. fut.I v.esse it erit
a glória predic.suj. fem.. sing. nom. 1ª decl. a glorĭa
dos marinheiros c.especif. masc. plur. gen. 1ªdecl. arum nautārum
da pátria c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ patrĭæ
Victoria nautarum patriae gloria erit.( o predicativo vem antes do verbo)
A águia e a pomba eram habitantes da ilha.
A águia suj. fem. sing. nom. 1ªdecl. a aquĭla
e conjunção palavra indeclinável et
a pomba. suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a colūmba
eram pred.nom. 3ª pes. plur. imp.ind. v.esse nt erant
15
habitantes predic.suj. masc. plur. nom. lª decl. æ incŏlæ
da ilha c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ insŭlæ
Aquĭla et colūmba insŭlae incŏlae erant.
A riqueza (fortuna) da rainha foi a alegria aos habitantes da pátria.
A riqueza suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a fortūna
da rainha c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ regĭna
foi pred.nom. 3ª pes. sing. perf.ind v.esse it fuit
a alegria predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a lætitĭa
aos habitantes c.nominal masc. plur. dat. 1ª decl. is incŏlis
da pátria c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ patrĭæ
Fortūna regīnae incolis patrĭae laetitĭa fuit.
b) tradução
Deve-se, sempre, começar a análise pelo verbo (predicado), pois indicará, além da pessoa, do tempo e do modo,
a predicação verbal (transitivo, intransitivo, unitivo), mostrará os casos: do sujeito (nominativo); dos
complementos verbais (acusativo, dativo). Daí a sua importância.
Vocabulário
experientĭa , æ (f) = experiência
magistra, æ (f) = mestra
sapientĭa, ae (f) = sabedoria
pugna, æ (f) = batalha, combate
puēlla, æ (f) = menina, moça
pigritĭa, æ (f) = preguiça
domĭna, æ (f) = senhora
lingŭa, æ (f) = língua
dea, æ (f) = deusa
præda, æ (f) = presa, vítima
ala, æ (f) = asa
fuga, æ (f) = fuga
umbra , æ (f) = sombra
luna, æ (f) = lua
terra, æ (f) = terra
justitĭa, æ (f) = justiça
vita, (f) = vida
sæpe = muitas vezes - palavra indeclinável
semper = sempre - palavra indeclinável
amicitĭa, æ (f) = amizade
discipŭla, æ (f) = aluna; discípula
schola, æ (f) = escola, aula
ac = e - conjunção/palavra indeclinável
silva, æ (f) = floresta, bosque
aqŭa , ae (f) = água
tuba, æ (f) = trombeta
Experientĭa magīstra vitae est.
Experientĭa sujeito. fem. sing. nom. 1ª decl. a a experiência
magīstra predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a a mestra
vitae c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da vida
est pred.nom 3ª pes. sing . p.ind . v.esse st é
A experiência é a mestra da vida (ordem direta)
Sapientĭa poetārum patrĭæ glorĭa erit
Sapientĭa suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a a sabedoria
16
poetārum c.especif. masc. plur. gen. 1ª decl. arum dos poetas
patrĭæ c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da pátria
glorĭa predic.suj. fem. plur. nom. 1ª decl. a glória
erit pred.nom. 3ª pes. sing. fut.I v.esse it será
A sabedoria dos poetas será a glória da pátria.
Sæpe colūmbæ aquilārum præda sunt
.
Sæpe c.advl.tempo palavra indeclinável muitas vezes
colūmbæ sujeito fem. plur. nom. 1ª decl. æ as pombas
aquilārum c.especif. fem. plur. gen. 1ª decl. arum das águias
præda predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a presa
sunt pred.nom. 3ª pes. plur. p.ind. v.esse unt são
Muitas vezes, as pombas são presa das águias.
Experientĭa dominārum insŭlæ puēllis sapientĭa et justitĭa est
.
Experientĭa sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a a experiência
dominārum c.especif. fem. plur. gen. 1ª decl. arum das senhoras
insŭlæ c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ. da ilha
puēllis c.nominal fem plur. dat. 1ª decl. is às moças
sapientĭa predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a sabedoria
et conjunção palavra indeclinável e
justitĭa predic.suj. fem. sing nom. 1ª decl a justiça
est pred.nom. 3ª pes. sing. p.ind. v.esse st é
A experiência das senhoras da ilha é sabedoria e justiça às moças.
Fuga umbræ lunæ incŏlis insŭlæ vita et lætitĭa est
Fuga sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a a fuga
umbræ c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da sombra
lunæ c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da lua
incŏlis c.nominal masc. plur. dat. 1ª decl. is aos habitantes
vita predic.suj. fem. sing. nom. 1ªdecl. a vida
et conjunção palavra indeclinável e
lætitĭa predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a alegria
est pred.nom. 3ª pes. sing. p.ind. v.esse st é
A fuga da sombra da lua é vida e alegria aos habitantes da ilha.
11 - Verbo e Conjugações
Em latim, existem quatro conjugações. A primeira tem o infinito presente (infinitivo impessoal) em āre; a
segunda em ēre; a terceira em ĕre; a quarta em īre.
Os verbos têm as conjugações ativa e passiva separadamente. A voz passiva tem a sua conjugação própria,
diferente do português. Assim as quatro conjugações são estudadas, separadamente, na voz ativa e na passiva.
1ª conjugação - amāre (17mare) = amar
2ª conjugação - delēre (delére) = destruir
3ª conjugação - legĕre (légere) = ler
4ª conjugação - audīre (audíre) = ouvir
12 - Tempos Primitivos (específico)
São os tempos básicos dos quais derivam os outros chamados primitivos. Como já foi visto no verbo Esse (sum),
os tempos primitivos são os encontrados no dicionário e são:
1ª pessoa singular do presente do indicativo;
2ª pessoa singular do presente do indicativo;
17
1ª pessoa singular do pretérito perfeito;
supino (não há no verbo Esse);
infinito presente (infinitivo impessoal).
Supino - é uma forma especial do infinitivo. Indica uma finalidade e é terminado em tum: amātum (para amar);
delētum (para destruir); lectum (para ler); audītum (para ouvir).
Veja-se o quadro abaixo dos tempos primitivos nas quatro conjugações:
Tempos primitivos 1ª conjug. 2ª conjug. 3ª conjug. 4ª conjug.
1ª pes.sing.do indic.presente amo delĕo lego / capĭo audĭo
2ª pes.sing.do indic.presente amas deles legis / capis audis
1ª pes.sing.do pret. perf. indic. amāvi delēvi legi / cepi audīvi
supino amātum delētum lectum / captum audītum
infinito presente (infin.impes.) amāre delēre legĕre / capĕre audīre
A terceira conjugação tem verbos também em io; razão de aparecer no quadro o verbo capĭo, capis, cepi,
captum, capĕre = tomar, apanhar.
13 - Primeira Conjugação Ativa
Um verbo está na voz ativa quando o seu sujeito pratica a ação. Ele é agente. Às vezes, no verbo ativo, o sujeito
tem característica de paciente, de sofrer a ação, mas o verbo se apresenta sem auxiliar passivo (ser, estar), ou
sem o pronome se. Portanto, para ser ativo, o verbo tem que se apresentar por si só: Pedro estuda latim (voz
ativa); Pedro recebe abraços da namorada (voz ativa, muito embora o verbo receber indique que o seu sujeito
seja paciente); o latim é estudado por Pedro (voz passiva); recebem-se abraços (voz passiva, o mesmo que
abraços são recebidos).
13.1 - Conjugação do verbo amo, as, āvi, ātum, āre = amar, gostar
Modo indicativo
Presente Imperfeito Futuro I
amo amava amarei
am-o am-ābam am-ābo
am-as am-ābas am-ābis
am-at am-ābat am-ābit
am-āmus am-abāmus am-abĭmus
am-ātis am-abātis am-abĭtis
am-ant am-ābant am-ābunt
Perfeito Mais-que-perfeito Futuro II
Amei amara terei amado
amav-i amav-ĕram amav-ĕro
amav-īsti amav-ĕras amav-ĕris
amav-it amav-ĕrat amav-ĕrit
amav-ĭmus amav-erāmus amav-erĭmus
amav-īstis amav-erātis amav-erĭtis
amav-ērunt amav-ĕrant amav-ĕrint
Modo subjuntivo
Presente Imperfeito Perfeito Mais-que-perfeito
ame amasse Tenha amado Tivesse amado
am-em am-ārem amav-ĕrim amav-īssem
am-es am-āres amav-ĕris amav-īsses
18
am-et am-āret amav-ĕrit amav-īsset
am-ĕmus am-arēmus amav-erĭmus amav-issēmus
am-ētis am-arētis amav-erĭtis amav-issētis
am-ent am-ārent aamav-ĕrint amav-īssent
Imperativo presente = am-a (ama /tu/); am-āte (amai /vós/)
Infinito presente (infinitivo) = am-āre (amar / gostar de)
Infinito perfeito = amav-īsse (ter amado)
Particípio presente = am-ans, -antis (amando)
Supino = am-ātum (para amar)
13.2 - Alguns verbos da 1ª conjugação (conjugam-se como amo, amāre)
nuntĭo, as, āvi, ātum, āre = comunicar, anunciar
ambŭlo, as, āvi, ātum, āre = passear, andar
paro, as, āvi, ātum, āre = preparar
servo, as āvi, ātum, āre = salvar
occŭpo, as, āvi, ātum, āre = ocupar
pugno, as, āvi, ātum, āre = combater, lutar
interrŏgo, as, āvi, ātum, āre = interrogar
voco, as, āvi, ātum, āre = chamar
invŏco, as, āvi, ātum, āre = invocar
supplĭco, as, āvi, ātum, āre = suplicar
elĕvo, as, āvi, ātum, āre = elevar
cogĭto, as, āvi, ātum, āre = pensar, cogitar
proflĭgo, as, āvi, ātum, āre = desbaratar, derrotar
suscĭto, as, āvi, ātum, āre = suscitar, provocar
obiūrgo, as, āvi, ātum, āre = repreender
persevēro, as, āvi, ātum, āre = perseverar
do, das, dedi, datum, āre = dar
fecūndo, as, āvi, ātum, āre = fecundar
vitŭpero, as, āvi, ātum, āre = censurar
13.3 - Observem-se as traduções e versões abaixo, com análise sintática completa e com base nos
vocabulários já estudados:
1) Traduções
Filĭas et ancīllas, domĭna vocat
Filĭas obj. direto. fem. plur. acus. 1ª decl. as as filhas
et conjunção palavra indeclinável e
ancillas obj. direto fem. plur. acus. 1ª decl. as as escravas
domĭna sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a a senhora
vocat pred.verbal 3ª pes. sing. p.ind. 1ª conj. at chama
A senhora chama as filhas e as escravas.
Poetārum sapientĭam amāmus.
Poetārum c.especif. masc. plur. gen. 1ª decl. arum dos poetas
sapientĭam obj. direto fem. sing. acus. 1ª decl. am a sabedoria
amāmus pred. verbal 1ª pes. plur p.ind. 1ª conj. amus amamos
Amamos a sabedoria dos poetas.
Puēllæ rosārum corōnas paravērunt.
Puēllæ sujeito fem. plur. nom. 1ª decl. æ as moças
19
rosārum c.especif. fem. plur. gen. 1ª decl. arum de rosas
coronas obj. direto fem. plur. acus. 1ª decl. as coroas
paravērunt pred. verbal 3ª pes. plur. p. perf. 1ª conj. erunt prepararam
As moças prepararam coroas de rosas.
Magīstra scholæ discipulārum pigritĭam vituperābat.
Magīstra sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a a mestra
scholæ c. especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da escola
discipulārum c. especif. fem. plur. gen. 1ª decl. ārum das alunas
pigritĭam obj. direto fem. sing. acus. 1ª decl. am a preguiça
vituperābat pred. verbal 3ª pes. plur. imp.ind. 1ª conj. ābat censurava
A mestra da escola censurava a preguiça das alunas.
Regīna cum puēllis ac ancīllis in insŭla ambulābit.
Regīna sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a a rainha
cum puēllis c.companhia fem. plur. cum+abl.1ª decl. is com as moças
ac conjunção palavra indeclinável e
ancīllis c.companhia fem. sing. abl. 1ª decl. is as escravas
in insŭla c.lugar/onde fem. sing. in+abl. 1ª decl. a na ilha
ambulābit pred.verbal 3ª pes. sing. fut.I 1ª conj. abit passeará
A rainha passeará, na ilha, com as moças e as escravas.
2) Versões
As águas regarão as terras da floresta.
As águas sujeito fem. plur. nom. 1ª decl. æ aquæ
regarão pred.verbal 3ª pes. plur. fut.I 1ª conj. ābunt rigābunt
as terras obj. dir. fem. plur. acus. 1ª decl. as terras
da floresta c. especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ silvæ
Aquæ rigābunt terras silvæ.
Louvemos as atividades dos agricultores das terras da ilha
Louvemos pred.verbal 1ª pes. plur. p. ind. 1ª conj. emus laudēmus
as atividades obj. dir. fem. plur. acus. 1ª decl. as industrĭas .
dos agricultores c. especif. masc. plur. gen. 1ª decl. arum agricolārum
das terras c. especif. fem. plur. gen. 1ª decl. arum terrārum
da ilha c. especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ insŭlæ
Agricolārum terrārum insŭlæ laudēmus.
A filha do agricultor doou rosas e pombas à rainha
A filha sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a filĭa
do agricultor c. especif. masc. sing. gen. 1ª decl. æ agricŏlæ
doou pred. verbal 3ª pes. sing. p. perf. 1ª conj. it donāvit
rosas obj. dir. fem. plur. acus. 1ª decl. as rosas
e conjunção palavra indeclinável ac
pombas obj. dir. fem. plur. acus. 1ª decl. as colūmbas
à rainha obj. Indir fem. sing. dat. 1ª decl. æ regīnæ
Agricŏlæ filĭa regīnæ rosas ac colūmbas donāvit.
20
As trombetas comunicam a batalha aos habitantes das ilhas.
As trombetas sujeito fem. plur. nom. 1ª decl. æ tubæ
comunicam pred.verbal 3ª pes. plur. p. ind. 1ª conj. ant nuntĭant
a batalha obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am pugnam
aos habitantes obj. indir masc. plur dat. 1ª decl. is incŏlis
das ilhas c. especif. fem. plur. gen. 1ª decl. ārum insulārum
Tubæ insulārum incŏlis pugnam nuntĭant.
Louvai a prudência dos marinheiros e a amizade dos agricultores
Louvai pred. verbal 2ª pes. plur. imper. 1ª conj. āte laudāte
a prudência obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am prudentĭam
dos marinheiros c. especif. masc. plur. gen. 1ª decl. ārum nautārum
e conjunção palavra indeclinável et
a amizade obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am amicitĭam
dos agricultores c. especif. masc. plur. gen. 1ª decl. ārum agricolārum
Nautārum prudentĭam et agricolārum amicitĭam laudāte.
13. 4 - Exercícios: (fazer a análise sintática completa, de acordo com os exemplos acima)
Tradução
Pugna nautārum est causa victorĭæ et glorĭæ.
Sapientĭa erit glorĭa incolārum Graeciae.
Lingŭa saepe est causa discordĭæ.
Statŭæ deārum sunt aurĕæ.
Umbra silvārum iucunda (agradável) poētis.
Versão
Minerva foi a deusa da sabedoria.
Ó poetas, sois a glória da pátria.
As filhas dos habitantes da terra são criadas da rainha.
A economia é a glória dos agricultores.
A audácia será freqüentes vezes (saepe) causa de discórdias.
14 - Segunda Declinação
Os nomes da segunda declinação têm no genitivo singular a desinência i , como romānus, i (masc.) = romano;
liber, libri (masc.) = livro; vir, i (masc.) = varão, homem; bellum, i (neutro) = guerra.
Pelos exemplos acima, percebe-se que o nominativo singular tem mais de uma terminação: us, er, ir, um. Às
três primeiras terminações pertencem, principalmente, nomes masculinos, salvo alguns femininos terminados em
us; a um pertencem os nomes neutros.
A maioria dos nomes desta declinação são terminados em us; um número menor termina em er; há uma só
palavra em ir ( vir, i = varão/homem) e muitos nomes neutros em um.
Os nomes neutros têm três casos iguais, no singular e no plural: nominativo, acusativo e vocativo ( um –
singular; a – plural).
O vocativo para os nomes em us é e; para os nomes em er, ir, um é a mesma terminação do nominativo.
Segue-se o quadro das desinências da segunda declinação, em que m = masculino; f = feminino; n = neutro:
Singular Plural
m.f. m. vir n. m.f. m. vir n.
21
Nominativo us er ir um i i i a
Genitivo i orum
Dativo o is
Acusativo um os os os a
Vocativo e er ir um i i i a
Ablativo o is
Para declinar um nome, basta saber-lhe o genitivo singular para identificar o radical (é só tirar a desinência i do
genitivo singular) e acrescentar as outras desinências.
Declinem-se: domĭnus, domĭni (m) = senhor - (radical = domin);
liber, libri (m) = livro – (radical = libr);
bellum, belli (n) = guerra – (radical = bell):
Singular Plural
Nom. domĭnus liber bellum domĭni libri bella
Gen. domĭni libri belli dominōrum librōrum bellōrum
Dat. domĭno libro bello domĭnis libris bellis
Acus. domĭnum librum bellum domĭnos libros bella
Voc. domĭne liber bellum domĭni libri bella
Abl. domĭno libro bello domĭnis libris bellis
Também, na segunda declinação, alguns nomes no plural podem ter mais de um significado:
auxilĭum, i (n) = auxílio auxilĭa, ōrum = tropas auxiliares
bonum, i (n) = bem bona, ōrum = propriedades, bens
castrum, i (n) = castelo castra, ōrum = acampamento militar
comitĭum, i (n) = lugar para comí- comitĭa, ōrum = reunião do povo
cio
hortus, i (m) = jardim horti, ōrum (m) = parque, jardim público
ludus i (m) = jogo, divertimento ludi, ōrum (m) = espetáculo público
rostrum, i (n) = bico de pássaro rostra, ōrum (n) = tribuna do orador
Outros são usados só no plural: arma, ōrum (n) = armas
libĕri, ōrum (m) = meninos, filhos
14.1- Particularidades:
Às vezes, o genitivo singular pode apresentar dois ii, pois um já está no radical:
fluvĭus, i (m) = rio radical = fluvi gen. sing. = fluvĭi
filius, i (m) = filho radical = fili gen. sing. = filĭi
auxilĭum, i (n) = auxílio radical = auxilĭ gen. sing. = auxilĭi
Deus, Dei (m) = Deus, agnus, agni (m) = cordeiro e chorus, chori (m) = coro
têm o vocativo igual ao nominativo.
Meus = meu; filĭus = filho; genĭus = gênio, têm o vocativo singular terminado em i: mi,
fili, geni.
Os nomes próprios de pessoas, cujo nominativo termina em ius, têm também o vocativo singular com um só i.
Exemplos: Vergīli (sem o macron no 1º i), vocativo de Vergilĭus (Virgílio); Antoni, vocativo de Antonĭus
(Antônio). Porém o vocativo de Darīus (Dario) e de Pius (Pio) será Darīe e Pie.
A palavra Deus tem a seguinte declinação:
Singular Plural
Nom. Deus Dei, dii ou di
Gen. Dei Deōrum ou deum
Dat. Deo Deis, diis ou dis
Acus. Deum Deos
Voc. Deus Dei, dii ou di
Abl. Deo Deis, diis ou dis
O dativo e o ablativo plural da 2ª declinação é igual da 1ª declinação: is. Isso traz confusão em alguns nomes,
como:
22
filĭa, æ (f) = filha - dativo e ablativo plural = filĭis
Filĭus, i (m) = filho – dativo e ablativo plural = filĭis
Como saber se filĭis refere-se a filhos ou a filhas? Adota-se, nesse caso, o emprego da desinência ābus para o
dativo e o ablativo plural da 1ª declinação. Assim, filiābus para filhas e filĭis para filhos. A seguir, outros nomes
que podem trazer dúvidas e que são resolvidos com a desinência ābus para o dativo e o ablativo plural:
1ª declinação dativo e ablativo plural
anĭma, æ (f) = alma animābus
dea, deæ (f) = deusa deābus
famŭla, æ (f) = serva famulābus
nata, æ (f) = filha natābus
mula, æ (f) = mula mulābus
2ª declinação dativo e ablativo plural
anĭmus, i (m) = espírito anĭmis
deus, dei (m) = deus diis ou deis
famŭlus, i (m) = servo famŭlis
natus, i (m) = filho natis
mulus, i (m) = mulo mulis
14.2 - Observem-se os vocabulários, as traduções e as versões (com análise sintática completa) a seguir:
Tradução
Vocabulário
fugo, as, āvi, ātum, āre = afugentar hortus, i (m) = jardim
alūmnus, i (m) = aluno lupus, i (m) = lobo
amīcus, i (m) = amigo herus, i (m) = patrão
eqŭus, i (m) = cavalo servus, i (m) = criado
recūso, as, āvi, ātum, āre = recusar rivus, i (m) = riacho
circūmdo, as, āvi, ātum, āre = circundar anĭmus, i (m) = disposição
inquĭno, as, āvi, ātum, āre = sujar præmium, i (n) = prêmio
impĭus, i (m) = ímpio ripa, æ (f) = margem
magīster, magīstri (m) = mestre, professor
Deus alūmnis ac magīstris anĭmum donat
Deus sujeito masc. sing. nom. 2ª decl. us Deus
alūmnis obj. indir. masc. plur. dat. 2ª decl. is aos alunos
ac conjunção palavra indeclinável e
magīstris obj. indir. masc. plur. dat. 2ª decl. is aos mestres
anĭmum obj. dir. masc. sing. acus. 2ª decl. um disposição
donat pred. verbal 3ª pes. sing. p. ind. 1ª conj. at dá
Deus dá disposição aos alunos e aos mestres.
Famŭli heri eqŭos fugant in ripa fluvĭi.
Famŭli sujeito masc. plur.. nom.. 2ª decl. i os servos
heri c. especif. masc. sing. gen. 2ª decl. i do patrão
eqŭos obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os os cavalos
fugant pred. verbal 3ª pes. plur. p. ind. 2ª conj. ant afugentam
in ripa c.lugar/onde fem. sing. in+abl. 1ª decl. a na margem
fluvĭi c. especif. masc. sing. gen. 2ª decl. i do rio
Os servos do patrão afugentam os cavalos na margem do rio.
Lupi rivōrum et fluviōrum aqŭas inquinābant. .
Lupi sujeito masc. plur. nom. 2ª decl. i os lobos
rivōrum c. especif. masc. plur. gen. 2ª decl. orum dos riachos
23
et conjunção palavra indeclinável e
fluviōrum c. especif. masc. plur. gen. 2ª decl. orum dos rios
aqŭas obj. ddir. fem. plur. acus. 1ª decl. as as águas
inquinābant pred. verbal 3ª pes. plur. imp.ind. 1ª conj. abant sujavam
Os lobos sujavam as águas dos riachos e dos rios.
Versão
Vocabulário
ornamento, enfeite = ornamentum, i (n) prata = argentum, i (n)
ouro = aurum, i (n) burro = asinus, i (m)
criar = creo, as, āvi, ātum, āre servo = servus, i (m)
apreciar = existĭmo, as, āvi, ātum, āre prudência = prudentĭa, æ (f)
gabar = prædĭco, as, āvi, ātum, āre paciência = patientĭa, æ (f)
surrar = verbēro, as, āvi, ātum, āre colega = socĭus, i (m)
cordeiro = agnus, i (m) romano = romānus, i (m)
senhor = domĭnus, i (m) amigo = amīcus, i (m)
Horácio = Horatĭus, i (m) Augusto = Augūstus, i (m)
erva = herba, æ (f)
Observação: romano, quando se refere ao povo, é com inicial maiúscula.
Horácio, poeta romano, foi amigo de Augusto.
Horácio sujeito masc. sing. nom. 2ª decl. us Horatĭus
poeta aposto/suj. masc. sing. nom. 1ª decl. a poēta
romano atributo/aposto masc. sing. nom. 2ª decl. us romānus
foi pred. nom. 3ª pes. sing. perf.ind v.Esse it fuĭt
amigo predic.suj. masc. sing. nom. 2ª decl. us amīcus
de Augusto c. especif. masc. sing. gen. 2ª decl. i Augūsti
Horatĭus, poēta romānus, Augūsti amicus fuit.
Deus dará prudência e paciência aos filhos e às filhas dos servos.
Deus sujeito masc. sing. nom. 2ª decl. us Deus
dará pred. verbal 3ª pes. sing. fut. I 1ª conj. abit dabit
prudência obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am prudentĭam
e conjunção palavra indeclinável et
paciência obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am patientĭam
aos filhos obj. ind. masc. plur. dat. 2ª decl. is filĭis
e conjunção palavra indeclinável et
às filhas obj. ind. fem. plur. dat. 1ª decl. abus filiābus
dos servos c. especif. masc. plur. gen. 2ª decl. orum servōrum
Servōrum filĭis et filiābus Deus prudentĭam et patientĭam dabit.
Senhor, criastes as rosas e as ervas dos jardins
Senhor vocativo masc. sing. voc. 2ª decl. e Domĭne
criastes pred. verbal 2ª pes. sing. perf.ind. 1ª conj. istis criavīstis
as rosas obj. dir. fem. plur. acus. 1ª decl. as rosas
e conjunção palavra indeclinável ac
as ervas obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. as herbas
dos jardins c. especif. masc. plur. gen. 2ª decl. orum hortōrum
Domĭne, hortōrum rosas ac herbas criavīstis.
15 - Adjetivos de Primeira Classe
24
Os adjetivos , em latim, estão distribuídos em dois grupos principais: primeira classe e segunda classe. Por
primeira classe endendem-se os adjetivos que seguem a primeira declinação no feminino e a segunda no
masculino e no neutro. Os adjetivos de segunda classe seguem a terceira declinação, como será estudado
posteriormente.
Declinação de bonus, a, um = bom
Singular Plural
m f n m f n
Nominativo bonus bona bonum boni bonæ bona
Genitivo boni bonæ boni bonōrum bonārum bonōrum
Dativo bono bonæ bono bonis bonis bonis
Acusativo bonum bonam bonum bonos bonas bona
Vocativo bone bona bonum boni bonæ bona
Ablativo bono bona bono bonis bonis bonis
15. 1 - Declinem-se como bonus, a, um:
tuus, a, um = teu purus, a, um = puro
rarus, a, um = raro insānus, a, um = louco, insano
altus, a, um = alto sanus, a, um = são
dignus, a, um = digno parvus, a, um = pequeno
sacer, sacra, sacrum = sagrado piger, pigra, pigrum = preguiçoso
multus, a, um = muito liber, libĕra, libĕrum = livre
pulcher, pulchra, pulchrum = belo vafer, vafra, vafrum = astuto
magnus, a, um = grande deprēssus, a, um = baixo
novus, a, um = novo notus, a, um = conhecido
antiqŭus, a, um = antigo pius, a, um = piedoso
suus, a, um = seu meus, a, um = meu
verus, a, um = verdadeiro carus, a, um = caro, querido
Nota: sempre a 1ª desinência (us) é masculino – segunda declinação; a 2ª (a) é feminino – primeira declinação; a 3ª
(um) é neutro – segunda declinação. Os neutros têm os três casos iguais – nom.; acus.; voc. – no singular em um e
no plural em a. O adjetivo concorda com o substantivo a que se refere em gênero, número e caso. É sempre um
atributo do nome.
15. 2 - Observem-se os exemplos a seguir:
O prêmio do bom aluno é causa de alegria aos grandes mestres, aos verdadeiros colegas e à digna família.
O prêmio sujeito neut. sing. nom. 2ª decl. um præmĭum
do bom atrib./c.esp. masc. sing. gen. 2ª decl. i boni
aluno c. especif. masc. sing. gen. 2ª decl. i alūmni
é pred. nom. 3ª pes. sing. pres.ind. v. Esse st est
causa predic./suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a causa
de alegria c. especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ lætitĭæ
aos grandes atrib./c.nom. masc. plur. dat. 2ª decl. is magnis
mestres compl.nom. masc. plur. dat. 2ª decl. is magīstris
aos verdadeiros atrib./c.nom. masc. plur. dat. 2ª decl. is veris
colegas compl.nom. masc. plur. dat. 2ª decl. is socĭis
e conjunção palavra indeclinável ac
à digna atrib./c.nom. fem. sing. dat. 1ª decl. æ dignæ
família compl.nom. fem. sing. dat. 1ª decl. ae familĭæ
Præmĭum boni alūmni magnis magīstris, veris socĭis ac dignæ familĭæ lætitĭa causa est.
Multa ac sacra ornamēnta auri et argenti in pulchris templis veri Dei sunt.
Multa atrib./suj. neut. plur. nom. 2ª decl. a muitos
25
ac conjunção palavra indeclinável e
sacra atrrib./suj. neut. plur. nom. 2ª decl. a sagrados
ornamēnta sujeito neut. plur. nom. 2ª decl. a ornamentos
auri c. especif. neut. sing. gen. 2ª decl. i de ouro
et conjunção palavra indeclinável e
argēnti c. especif. neut. sing. gen. 2ª decl. i de prata
in pulchris atrib./c.lug. neut. plur. in+abl. 2ª decl. is nos belos
templis c.lugar/onde neut. plur. abl. 2ª decl. is templos
veri atrib./c.esp. masc. sing. gen. 2ª decl. i do verdadeiro
Dei c. especif. masc. sing. gen. 2ª decl. i Deus
sunt pred. verbal 3ª pes. plur. pres.ind. v. Esse unt estão
Muitos e sagrados ornamentos de ouro e de prata estão nos belos templos do verdadeiro Deus.
16 - Complementos Adverbiais (adjuntos adverbiais)
1 ) Complemento de companhia
Indica a pessoa ou a coisa com que se faz algo. Traduz-se, em latim, com o caso ablativo, precedido da preposição
cum. Exemplos: Passeio com a minha professora = cum mea magīstra ambŭlo. Combatemos com os bons amigos =
cum bonis amīcis pugnāmus.
2 ) Complemento de meio ou de instrumento
Indica a pessoa, o animal ou a coisa por meio de quem ou por meio de que se faz alguma ação. Traduz-se pelo
caso ablativo (ablativo simples – sem preposição). Exemplos: Escrevo com a caneta = scribo calămo. Trabalho
com os braços = labōro brachĭis.
3 ) Complemento de modo
Indica a maneira de acordo com a qual se faz alguma ação, respondendo à pergunta como? ou de que modo?
Traduz-se com o caso ablativo, precedido pela preposição cum. Exemplos: Combatemos o mal com justiça =
cum justitĭa malum pugnāmus. Os santos toleram as injúrias com paciência = sancti iniūras tolĕrant cum
patientĭa.
Não há como confundir o complemento de modo com o complemento de companhia, pois somente aquele pode
converter-se em um advérbio: defendo a pátria com alegria = defendo a pátria alegremente ( cum lætitĭa
patriam defĕndo).
4 ) Complemento de causa
Indica a causa ou o motivo por que se faz algo, sempre respondendo a por quê? Por causa de quê? Há duas
maneiras de ser traduzido: com o ablativo simples (sem preposição) ou com o acusativo precedido por ob ou
propter. Exemplos: Choro por causa de tua negligência = ploro tua negligentĭa ou ploro propter (ob) tuam
negligentĭam. Os romanos eram valorosos por causa das guerras = Romāni bellis strenuĭ erant ou Romāni ob
(propter) bella strenuĭ erant.
5 ) Complemento de tempo: quando?
Indica o tempo em que se realiza a ação. Vai para o ablativo simples (sem preposição). Exemplos: Meu amigo
voltará no próximo ano = amīcus meus revertet anno ventūro. Antônio levanta-se na primeira hora = Antonĭus
surgit prima hora.
6 ) Complemento de tempo: por quanto tempo?
Indica o tempo que se gasta para fazer-se alguma coisa. Traduz-se com o acusativo simples ou com o acusativo
precedido pela preposição per. Exemplos: Lutei por quatro horas = pugnāvi quattŭor horas ou pugnāvi per
quattŭor horas. A aula continuou por muitas horas = aula continuāvit multas horas ou aula continuāvit per multas
horas.
7 ) Complemento de lugar: onde?
Indica onde se está ou onde se faz alguma coisa. Vai para o ablativo precedido pela preposição in. Exemplos:
Estamos na sala de aula = sumus in schola. Moro num quarto pequeno = habĭto in cubĭculo parvo.
Complemento de lugar: donde?
26
Indica procedência, ou seja, lugar do qual alguém vem ou se afasta. Traduz-se com o ablativo precedido por uma
das preposições: a (ab), e (ex), de.Nota: ab e ex quando a palavra seguinte começa por vogal ou h. Exemplos:
Fujo da floresta = fugĭo a (ou e, de) silva. Venho da Itália: Venĭo ab (ex) Italĭa.
9 ) Complemento de lugar: por onde?
Indica o lugar por meio do qual se passa, precedido, em português, pelas preposições através de ou por. Em
latim, vai para o acusativo com a preposição per. Exemplos: O mestre passa pelo pátio = magīster transit per
arĕam. Os caminhos atrravés das matas são difíceis = viæ per silvas ardŭæ sunt.
10 ) Complemento de lugar: para onde?
Indica o lugar para o qual alguém se dirige. Este complemento só acontece com verbos que expressam
movimento, havendo mudança de lugar. Em português, é precedido pelas preposições em, a, para. Em latim, vai
para o acusativo com a preposição in ou ad. Exemplos: Eles vêm ao Brasil = Illi venĭunt in (ad) Brasiliam.Vou
para o jardim = vado ad (in) hortum.
16. 1 A seguir, algumas traduções e versões de orações em que há complementos adverbiais.
Vocabulário
cubo, as, āvi, ātum, āre = descansar intro, as, āvi, ātum, āre = entrar
explĭco, as, āvi, ātum, āre = explicar pratum, i (n) = prado
ager, agri (m) = campo venēnum, i (n) = veneno
extermĭno, as, āvi, ātu, āre = exterminar labōro, as, āvi, ātum, āre = trabalhar
habĭto, as, āvi, ātum, āre = morar, habitar semper = sempre (advérbio)
sed = mas, porém (conjunção) canto, as, āvi, ātum, āre = cantar
longus, a, um = longo, extenso verbum, i (n) = palavra
incrĕpo, as, āvi, ātum, āre = repreender durus, a, um = duro
ploro, as, āvi, ātum, āre = chorar prospĕrus, a, um = próspero
duro, as, āvi, ātum, āre = durar sæcŭlum, i (n) = século
antiqŭus, a, um = antigo advĕna, æ (m) = estrangeiro
noster, nostra, nostrum = nosso lingŭa, æ (f) = língua
latinus, a, um = latino pecunĭa, æ (f) = dinheiro
gener, genĕri = genro benefĭcus, a, um = benéfico
præcēptum, i (n) = preceito eques, equĭtes (m) = cavaleiro
incĭto, as, āvi, ātum, āre = incitar, fustigar indecōrus, a, um, = indecoroso, inconveniente
inscĭus, a, um = ignorante molēstus, a, um = prejudicial
perniciōsus, a, um = perigoso, pernicioso frugĭfer, frugifĕra, frugifĕrum = útil, fértil
puer, i (m) = menino exspēto, as, āvi, ātum, āre = eperar
orno, as, āvi, ātum, āre = enfeitar, ornar calămus, i (m) = caneta
gladĭus, i (m) = espada aurum, i (n) = ouro
argēntum, i (n) = prata strenŭus, a, um = valoroso
multum = muito (advérbio) continŭus, a, um = contínuo
bellum, i (n) = guerra territorĭum, i (n) = território
expugnātus, a, um = conquistado immensus, a, um = imenso
secundus, a, um = segundo tribunus, i (m) = tribuno
signum, i (n) = sinal vallum, i (n) = trincheira
I - a ) Petrus cum amīcis suis in pulchra prata et in longos agros insŭlæ intravērunt cum multa lætitĭa.
Petrus sujeito masc. sing. nom. 2ª decl. us Pedro
cum amīcis compl. comp. masc. plur. cum+ac. 2ª decl. is com amigos
suis atrib./c.comp masc. plur. ablat. 2ª decl. is seus
in pulchra at.c.lug.p/onde neut. plur. in+acus. 2ª decl. a nos belos
prata c.lug.p/onde neut plur. acus. 2ª decl. a prados
et conjunção palavra indeclinável e
in longos at.c.lug.p/onde masc. plur. in+acus. 2ª decl. os extensos
agros c.lug.p/onde masc. plur. acus. 2ª decl. os campos
insŭlæ comp.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da ilha
intravērunt pred.verbal 3ª pes. plur. perf.ind. 1ª conj. ērunt entraram
cum multa atrib.c.modo fem. sing. cum+abl. 1ª decl. a com muita
lætitĭa comp.modo fem. sing. ablat. 1ª decl. a alegria
27
Pedro com seus amigos entraram nos belos prados e nos extensos campos da ilha, com muita alegria.
b) Ob negligentĭam magīster cum verbis duris pigros discipŭlos increpŭit.
Ob negligentĭam compl.causa fem. sing. ob+acus. 1ª decl. am por causa da negligência
magīster sujeito masc. sing. nom. 2ª decl. er o mestre
cum verbis compl.modo neut. plur. cum+abl. 2ª decl. is com palavras
duris atrib./c.modo neut. plur. ablat. 2ª decl. is duras
pigros atrib./obj.dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os preguiçosos
discipŭlos obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os alunos
increpŭit pred. verbal 3ª pes. sing. perf. ind. 1ª conj. it repreendeu
Por causa da negligência, o mestre repreendeu os alunos preguiçosos, com palavras duras
II - a) O Grande Império Romano durou muitos e prósperos séculos, no mundo antigo.
O Grande atrib.sujeito neut. sing. nom. 2ª decl. um Magnum
Império sujeito neut. sing. nom. 2ª decl. um Imperĭum
Romano atrib.sujeito neut. sing. nom. 2ª decl. um Romānum
durou pred. verbal 3ª pes. sing. perf. ind. 1ª conj. it durāvit
muitos atrib./obj.dir. neut. plur. acus. 2ª decl. a multa
e conjunção palavra indeclinável ac
prósperos atrib./obj. dir. neut. plur. acus. 2ª decl. a prospĕra
séculos obj. dir. neut. plur. acus. 2ª decl. a sæcŭla
no mundo compl. tempo masc. sing. ablat. 2ª decl. o mundo
antigo atrib./c. tempo masc. sing. ablat. 2ª decl. o antiqŭo
Magnum Imperĭum Romānum multa ac prospĕra sæcŭla durāvit, mundo antiqŭo.
b) Os estrangeiros exterminarão seus inimigos com veneno, na ilha dos agricultores.
Os estrangeiros sujeito masc. plur. nom. 1ª decl. æ advĕnæ
exterminarão pred. verbal 3ª pes. plur. fut. I 1ª conj. ābunt exterminābunt
seus atrib. obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os suos
inimigos obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os inīmicos
com veneno compl. meio neut. sing. ablat. 2ª decl. o venēno
na ilha c. lug.onde fem. sing. in+abl. 1ª decl. a in insŭla
dos agricu.ltores compl. especif. masc. plur. gen. 1ª decl. ārum agricolārum
Advĕnæ venēno suos inīmicos exterminābunt, in insŭla agricolārum.
17 - Segunda Conjugação Ativa
Conjugação de delĕo, es, delēvi, ētum, ēre = destruir
Modo indicativo
Presente Imperfeito Futuro I
destruo destruía destruirei
del-ĕo del-ēbam del-ēbo
del-es del-ēbas del-ēbis
del-et del-ēbat del-ēbit
del-ēmus del-ebāmus del-ebĭmus
del-ētis del-ebātis del-ebĭtis
del-ent del-ēbant del-ēbunt
Perfeito Mais-que-perfeito Futuro II
destruí destruíra terei destruído
delē-vi delev-ĕram delev-ēro
28
delev-īsti delev-ĕras delev-ĕris
delēv-i delev-ĕrat delev-ĕrit
delev-ĭmus delev-erāmus delev-erĭmus
delev-īstis delev-erātis delev-erĭtis
delev-ērunt delev-ĕrant delev-ĕrint
Modo subjuntivo
Presente Imperfeito
Destrua destruísse
del-ĕam del-ērem
del-ĕas del-ēres
del-ĕat del-ĕret
del-eāmus del-erēmus
del-eātis del-erētis
del-ĕant del-ērent
Perfeito Mais-que-perfeito
tenha destruído tivesse destruído
delev-ĕrim delev-īssem
delev-ĕris delev-īsses
delev-ĕrit delev-īsset
delev-erĭmus delev-issēmus
delev-erĭtis delev-issētis
delev-ĕrint delev-īssent
Imperativo presente - del-e = destrói (tu) - del-ēte = destruí (vós)
Infinito presente - del-ēre = destruir
Infinitivo perfeito - delev-īsse = ter destruído
Particípio presente - del-ens, -ēntis = destruindo
Supino - del-ētum = para destruir
17.1 - Verbos da 2ª conjugação
replĕo, es, ēvi, ētum, ēre = encher vidĕo, es, vidi, visum, ēre = ver
delĕo , es, ēvi, ētum, ēre = apagar, destruir augĕo, es, auxi, auctum, ēre = acrescentar,
aumentar
admonĕo, es, ŭi, ĭtum, ēre = admoestar placĕo, es, plācui, ĭtum, ēre = agradar
terrĕo, es, terrŭi, terrĭtum, ēre = amedrontar fleo, es, flevi, fletum, ēre = chorar
debĕo, es, debŭi, debĭtum, ēre = dever implĕo, es, ēvi, ētum, ēre = encher
abolĕo, es, ēvi, ĭtum, ēre = abolir, riscar ardĕo, es, arsi, arsum, ardēre = arder
cavĕo, es, cavi, cautum, cavēre = acautelar-se censĕo, es,censŭi, censum, ēre = recensear
docĕo, es, docŭi, doctum, ēre = ensinar (acusativo
duplo- coisa ensinada e pessoa a quem se ensina) favĕo, es, favi, fautum, ēre = favorecer
habĕo, es, habŭi, habĭtum, ēre = ter iubĕo, es, iūssi, iūssum, iubēre = mandar
indulgĕo, es, indulsi, indultum, ēre = perdoar
17.2 – Exercícios: fazer análise sintática completa
1 ) Tradução
- In schola, lingŭæ latīnæ magīster discipŭlos bonos habēbat.
- Genĕro meo pecunĭa non est benefĭca.
- Cum multa lætitĭa, puēllæ ac puĕri agricolārum insŭlæ cum regina ambŭlant.
- Lupus cum patientĭa agnum exspectāvit, per multas horas.
29
- Magīstræ ac magīstri alūmnos , calămis et libris, lingŭam latinam docēbant.
2 ) Versão
a) - o próximo ano, os mestres favorecerão os alunos diligentes e admoestarão os negligentes, com palavras
ásperas.
b) - Aboliremos os inimigos da pátria não com ouro e com prata, mas com a espada.
c) - Os romanos eram muito valorosos por causa dos grandes combates e das contínuas guerras, nos
imensos territórios conquistados.
d) - Na segunda hora, os tribunos darão o sinal da batalha, pelos campos e estradas do território inimigo.
e) - Na guerra, as mulheres, as meninas e os meninos entram nas trincheiras, nos jardins e nas florestas.
18 - Terceira Declinação
O genitivo singular da 3ª declinação é sempre terminado em is, com palavras masculinas, femininas e neutras.
Estes têm terminação especial; os masculinos e os femininos são declinados identicamente.
Masculinos e femininos
Os masculinos e os femininos da 3ª declinação podem ser parissílabos ou imparissílabos.
Parissílabos são os substantivos que no genitivo singular têm o mesmo número de sílabas que no nominativo.
Exemplos: nom. o-vis; gen. o-vis (f) = ovelha: nom. ci-vis; gen. ci-vis (m) = cidadão.
Imparissílabos são os substantivos que no genitivo singular não têm o mesmo número de sílabas que no
nominativo. Exemplos: nom. vir-tus; gen. vir-tu-tis (f) = virtude;nom. ar-bor; gen. ar-bo-ris (f) = árvore.
18.1 - Os imparissílabos têm as seguintes desinências:
Casos Singular Plural
Nom. várias terminações es
Gen. is um
Dat. i ibus
Acus. em es
Vocat igual ao nominativo es
Ablat. e ibus
Observações: a) O nominativo singular na 3ª declinação não têm uma desinência igual para todos os nomes. O
dicionário traz esta terminação.
b) O tema, como já foi dito, é obtido tirando-se a desinência do genitivo singular. Exemplos: homo, homĭnis
(homem) - tema = homin; miles, milĭtis (soldado) - tema = milit.
Declinação de virgo, virgĭnis (f) = virgem (imparrissílabo)
Casos Singular Plural
Nom. virgo virgĭnes
Gen. virgĭnis virgĭnum
Dat. virgĭni virginĭbus
Acus. virgĭni virgĭnes
Vocat. virgo virgĭnes
Ablat. virgĭne virginĭbus
Importante - Embora não sejam imparissílabos (são parissílabos), os substantivos abaixo são declinados como
virgo, virgĭnis:
pater, patris (m) = pai mater, matris (f) = mãe
frater, fratris (m) = irmão accipĭter, accipĭtris (m) = gavião
iuvĕnis, is (m) = jovem senex, senis (m) = velho
canis, canis (m) = cão panis, panis (m) = pão
sedes, sedis (f) = sede, morada vates, vatis (m) = profeta
30
Vocabulário
leo, leōnis (m) = leão orātor, oratōris (m) = orador
mos, moris (m) = costume odor, odōris (m) = odor
venātor, venatōris (m) = caçador nubes, nubis (f) = nuvem
hospes, hospēdis (m) = hóspede sol, solis (m) = sol
sermo, sermōnis (m) = sermão victor, victōris (m) = vencedor
potēstas, potestātis (f) = poder ars, artis (f) = arte
laus, laudis (f) = louvor custos, custōdis (m) = guarda
lex, legis (f) = lei dux, ducis (m) = comandante
actĭo, actiōnis (f) = ação obses, obsĭdis (m) = refém
scriptor, scriptōris (m) = escritor rex, regis (m) = rei
flos, floris (m) = flor sacērdos, sacerdōtis (m) = sacerdote
homo, homĭnis (m) = homem virtus, virtūtis (f) = virtude
imperātor, imperatōris (m) = imperador volūptas, voluptātis (m) = volúpia
18.2 - Genitivo plural em ium
Têm o genitivo plural em ium os seguintes substantivos da 3ª declinação:
• Os substantivos imparissílabos que têm duas consoantes diante da desinência:
gens, gentis (gente) - gen. pl. = gentĭum
nox, noctis (noite) - gen. pl. = noctĭum
ars, artis (arte) - gen. pl. = artĭum
urbs, urbis (cidade) - gen. pl. = urbĭum
• Os substantivos parissílabos (no genitivo singular têm o mesmo número de sílabas que no nominativo):
navis, navis (navio) - gen. pl. = navĭum
vulpes, vulpis (raposa) - gen. pl. = vulpĭum
avis, avis (ave) - gen. pl. = avĭum
civis, civis (cidadão) - gen. pl. = civĭum
18.3 - Acusativo em im e ablativo em i
Têm o acusativo singular em im e o ablativo singular em i:
• Os nomes próprios de cidades e rios cujo nominativo acaba em is:
Tibĕris, is (Tibre) - acus. sing. = Tibĕrim; abl. sing. = Tibĕri
Neapŏlis, is (Nápoles) – acus. sing. = Neapŏlim; abl. sing. = Neapŏli
• Estes cinco substantivos femininos:
amūssis, is = nível buris, is = rabiça (do arado)
ravis, is = rouquidão sitis, is = sede (sêde)
tussis is = tosse
18.4 - Declinação irregular
Iuppĭter (m) = Júpiter, declina-se:
Iuppĭter, Iōvis, Iōvi, Iōvem, Iuppĭter, Iove
Vis (f) = força, não tem nem genitivo, nem dativo singular, sendo substituída por robur, robŏris (n = força).
A declinação de vis é:
singular - vis, robŏris, robŏri, vim, vis, vi
plural - vires, virĭum, virĭbus, vires, vires, virĭbus
18.5 - Neutros
Declinação de tempus, tempōris (n) = tempo
31
Casos Singular Plural
nominativo tempus tempŏra
genitivo tempŏris tempŏrum
dativo tempŏri tempōribus
acusativo tempus tempŏra
vocativo tempus tempŏra
ablativo tempŏre tempōribus
Nota: Os neutros têm desinências iguais nos casos retos (nominativo, acusativo e vocativo).
Exercício: Declinem-se como tempus, tempŏris os seguintes substantivos neutros:
nomen, nomĭmis = nome caput, capĭtis = cabeça
iēcur, iēcuris = fígado iter, itinĕris = viagem, caminho
corpus, corpŏris = corpo robur, robŏris = força
18.6 - Particularidades dos neutros
• cor, cordis (= coração); ius, iūris (= direito); os, ossis (= osso) têm o genitivo plural em ium: cordĭum,
iurĭum, ossĭum.
• Os neutros , cujo nominativo singular termina em e, al, ar têm as seguintes variantes: ablativo singular em i;
casos retos do plural em ia;
genitivo plural em ium
Declinação de tribŭnal, tribunālis (=tribunal).
Casos Singular Plural
nominativo tribŭnal tribunalĭa
genitivo tribunālis tribunalĭum
dativo tribunāli tribunālibus
acusativo tribŭnal tribunalĭa
vocativo tribŭnal tribunalĭa
ablativo tribunāli tribunālibus
Seguem a declinação de tribŭnal, tribunālis:
cochlĕar, cochleāris = colher
pulvīnar, pulvināris = travesseiro
calcar, calcāris = espora
vectĭgal, vectigālis = imposto
mare, maris = mar
ovīle, ovīlis = redil
rete, retis = rede
18.7 - Exercícios: Observem-se as frases analisadas abaixo e faça-se a análise sintática completa das traduções e
versões que vêm em seguida:
1) - Os mares são causas das chcuvas
Os mares sujeito neut. plur. nom. 3ªdecl. ia marĭa
são pred. nom. 3ª pes. plur. p.ind. v. Esse nt sunt
causas predic. suj. fem. plur. nom. 1ª decl. æ causæ
das chuvas c. especif. fem. plur. gen. 1ª decl. arum pluviārum
Marĭa pluviārum causæ sunt.
As esporas dos cavaleiros incitam os grandes cavalos preguiçosos.
As esporas sujeito neut. plur nom.. 3ª decl. ia calcarĭa
32
dos cavaleiros c. especif. masc. plur. gen. 3ª decl. um equĭtum
incitam pred. verbal 3ª pes. plur. p. ind. 1ª conj. ant incĭtant
os grandes atrib./obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os magnos
cavalos obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os eqŭos
preguiçosos atrib./obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os pigros
Equĭtum calcarĭa magnos eqŭos pigros incĭtant.
2)- Magīstri non amant sermōnes stultōrum ac indecorōrum discipulōrum in schola.
Magīstri sujeito masc. plur. nom. 2ª decl. i os mestres
non advérbio de negação palavra indeclinável não
amant Pred. verbal 3ª pes. plur. p. ind. 1ª conj. ant amam (gostam)
sermōnes obj. dir. masc. plur. acus. 3ª decl. os os discursos
stultōrum atrib./c. esp. masc. plur. gen. 2ª decl. orum insensatos
ac conjunção palavra indeclinável e
indecorōrum atrib./c. esp. masc. plur. gen. 2ª decl. orum inconvenientes
discipulōrum c. especif. masc. plur. gen. 2ª decl. orum dos alunos
in schola c. lug.onde fem. sing. in+abl. 1ª decl. a na escola
Os mestres não gostam (dos) discursos dos alunos insensatos e inconvenientes, na escola.
Exempla et præcepta patris ac matris filĭis et filiābus frugĭfera sunt.
Exempla sujeito neut. plur. nom. 2ª dec l a os exemplos
et conjunção palavra indeclinável e
præcepta sujeito neut. plur. nom. 2ª decl. a os preceitos
patris c. especif. masc. sing. gen. 3ª decl. is do pai
ac conjunção palavra indeclinável e
matris c. especif. fem. sing. gen. 3ª decl. is da mãe
filĭis compl. nom. masc. plur. dativo 2ª decl. is aos filhos
et conjunção palavra indeclinável e
filiābus compl. nom. fem. plur. dativo 1ª decl. ābus às filhas
frugĭfera predic. sujeito neut. plur. nom. 2ª decl. a úteis
sunt pred. nom. 3ª pes. plur. p. ind. v. Esse nt são
Os exemplos e os preceitos do pai e da mãe são úteis aos filhos e às filhas.
Vocabulário
gens, gentis (f) = gente natio, natiōnis (f) = nação
orīgo, origĭnis (f) = origem obscūrus, a, um = obscuro,
tenĕbra, æ (f) = treva inscĭus, a, um = ignorante
molēstus, a, um = prejudicial perniciōsus, a, um = perigoso
historĭcus, i (m) = historiador mos, moris (m) = costume
urbs, urbis (f) = cidade avis, av is (f) = ave
pilum, i (n) = pêlo muto, as. āvi, ātum, āre = mudar
timĕo, es, timŭi, temēre = temer poena, æ (f) = castigo, pena
delīctum, i (n) = crime, delito somnus, i (m) = sono
imāgo, imagĭnis (f) = imagem mors, mortis (f) = morte
studiōsus, a, um = estudioso littĕra, æ (f) letra
venātor, is (m) = caçador notus, a, um = conhecido
astutĭa, æ (f) = astúcia paro, as, āvi, ātum, āre = causar
pericŭlum, i (n) = perigo Cicĕro, Cicerōnis (m) = Cícero
princeps, princĭpis (m) = príncipe orātor, oratōris (m) = orador
iūdex, iudĭcis (m) = juiz severus, a, um = severo
honor, honōris (m) = honra damnum, i (n) = dano, prejuízo
sed = mas (conjunção) opus, opĕris (n) = obra
æternus, a, um = eterno crux, crucis (f) = cruz
(a) Iudĭces justi leges severas semper amant.
(b) Cicĕro oratōrum romanōrum princeps fuĭt.
(c) Bella semper incŏlis urbĭum magna damna paravērunt.
(d) Homĭnis tempus opĕra delet, sed Dei opĕræ æternæ sunt.
33
(e) Ducum temerĭtas sæpe magnārum cladĭum causa fuit.
(a) A origem de muitas e de grandes cidades é obscura.
(b) A raposa muda o pêlo, não os costumes.
(c ) As astúcias de muitos animais são conhecidas aos grandes e aos bons caçadores.
(d) Os prazeres são redes perigosas para os jovens.
(e) Os homens malvados não temem os crimes, mas a pena dos crimes.
19 - Segunda Classe dos Adjetivos
Os adjetivos cujas desinências são as da 3ª declinação pertencem à Segunda Classe (segundo grupo). Têm as
três variantes dos neutros em e, al, ar, isto é:
ablativo singular em i;
casos retos do plural em ia;
genitivo plural em ium.
Importante:
• Se o dicionário traz o adjetivo com três terminações, a 1ª é do masculino ; a 2ª do feminino e a 3ª do neutro.
Exemplos: celer (m), celĕris (f), celĕre (n) = veloz; acer (m), acris (f), acre (n) = agudo.
• Se o dicinário traz o adjetivo com duas terminações, a 1ª é do masculino e do feminino, a 2ª do neutro.
Exemplos: bevis (m/f), breve (n) = breve, curto, estreito; omnis (m/f), omne (n) = todo.
• Se o dicionário traz o adjetivo e a 2ª terminação é is, significa que este is é genitivo singular e a 1ª terminação
serve para os três gêneros. Exemplos: velox (m/f/n), velōcis (genitivo singular) = veloz; prudens (m/f/n),
prudēntis (genitivo singular) = prudente.
Declinação de : acer, acris, acre = agudo
omnis, omne = todo
ferox, ferōcis = feroz
Casos Singular Plural
m f n m f n
nominativo acer acris acre acres acres acrĭa
genitivo acris acris acris acrĭum acrĭum acrĭum
dativo acri acri acri acrĭbus acrĭbus acrĭbus
acusativo acrem acrem acre acres acres acrĭa
vocativo acer acris acre acres acres acrĭa
ablativo acri acrfi acri acrĭbus acrĭbus acrĭbus
nominativo omnis omnis omne omnes omnes omnĭa
genitivo omnis omnis omnis omnĭum omnĭum omnĭum
dativo omni omni omni omnĭbus omnĭbus omnĭbus
acusativo omnem omnem omne omnes omnes omnĭa
vocativo omnis omnis omne omnes omnes omnĭa
ablativo omni omni omni omnĭbus omnĭbus omnĭbus
Casos Singular Plural
m f n m f n
nominativo ferox ferox ferox ferōces ferōces ferocĭa
genitivo ferōcis ferōcis ferōcis ferocĭum ferocĭum
ferocĭum
dativo ferōci ferōci ferōci ferocĭbus ferocĭbus ferocĭbus
acusativo ferōcem ferōcem ferox ferōces ferōces ferocĭa
vocativo ferox ferox ferox ferōces ferōces ferocĭa
ablativo ferōci ferōci ferōci ferocĭbus ferocĭbus ferocĭbus
34
19.1 - Adjetivos irregulares
Têm o ablativo singular em e e o genitivo plural em um os adjetivos:
compos, compŏtis = o que é senhor de, que goza de
partĭceps, particĭpis = participante
quadrŭpes, quadrupĕdis = quadrúpede
dives, divĭtis = rico
pauper, paupĕris = pobre
supplex, supplĭcis = suplicante
vetus, vetĕris = velho
cælebs, cælĭbis = solteiro
impos, impŏstis = que não é senhor de
impūbes, impubĕris = impúbere
reses, resĭdis = preguiçoso
sospes, sospĭdis = são e salvo
supērster, superstĭtis = supérstite, sobrevivente
teres, terĭtis = redondo
versicŏlor, versicolōris = furtacor
Já os seguintes adjetivos podem ter o ablativo singular em e ou em i:
ales, alĭtis = alado cicur, cicŭris = manso, domado
degĕner, degenĕris = vil, degenerado immĕmor, immemōris = esquecido
inops, inŏpis = pobre memor, memŏris = que se lembra
uber, ubĕris = fecundo vigel, vigĭlis = atento
19.2 - Exercícios:
• Declinem-se:
salūber, salūbris, salūbre = saudávl
alăcer, alăcris, alăcre = álacre, esperto, pronto
terrēster, terrēstris, terrēstre = terrestre
palūster, palūstris, palūstre = palustre, paludoso
silvēster, silvēstris, silvēstre = silvestre
celĕber, celĕbris, celĕbre = célebre
equēster, equēstris, equēstre = eqüestre
terribĭlis, terribĭle = tgerrível
fidēlis, fidēle = fiel
virĭdis, virĭde = verde
constans, constāntis = constante
audax, audācis = audaz
vehĕmens, vehemēntis = veemente
prudens, prudēntis = prudente
• Analisem-se as traduções e versões a seguir, observando-se os exemplos abaixo, após o vocabulário:
Vocabulário
carmen, carmĭnis (n) = poema sapĭens, sapiēntis = sábio
miles, milĭtis (m) = soldado commūnis, commūne = comum
vulnus, vulnĕris (n) = ferida civīlis, civīle = civil
iuvĕnes,iuvĕnis (m) = jovem proelĭum, i (n) = combate, batalha
fortitūdo, fortitudĭnis = (f) = força felix, felĭcis = feliz
infēlix, infelĭcis = infeliz nobĭlis, nobĭle = nobre
sæpe = muitas vezes (advérbio) tempĕstas, tempestātis (f) = tempestade
custos, custōdis (m) = guarda infērmus, a, um = enfermo
piscātor, piscatōris (m) = pescador piscis, piscis (m) = peixe
fortitūdo, fortitudĭnis (f) = coragem ruīna, æ (f) = ruína
homo, homĭnis (m) = homem mortālis, mortāle = mortal
35
immortālis, immortāle = imortal anĭma, æ (f) = alma
iūvo, as, āvi, ātum, āre = ajudar fortis, forte = forte
canis, is (m) = cão utĭlis, utĭle = útil
illūstris, illūstre = ilustre placĕo, es, placŭi, cĭtum, ēre = agradar
dulcis, dulce = doce taurus, i (m) = touro
1 - Mens homĭnis celĕris et acris est.
Mens sujeito fem. sing. nom. 3ª decl. - a mente
homĭnis c. especif. masc. sing. gen. 3ª decl. is do homem
celĕris predic. suj. fem. sing. nom. 3ª decl. is rápida
et conjunção palavra indeclinável e
acris predic. suj. fem. sing. nom. 3ª decl. is aguda
est pred. nom. 3ª pes. sing. p. ind. v. Esse st é
A mente do homem é rápida e aguda.
a) Bella civilĭa multārum ac celebrĭum urbĭum ruīna fuērunt.
b) Amicōrum fidelĭum ac constantĭum parvus numĕrus est.
c) Homo corpus mortāle et animam immortālem habĕt.
d) Fortūna homĭnes fortes ac audāces iŭvat.
e) Numĕrus homĭnum divĭtum magnus non est; magnus est numĕrus homĭnum
paupĕrum.
2 - A guarda dos cães fiéis é útil aos senhores.
A guarda sujeito masc. sing. nom. 3ª decl. - custos
dos cães c. especif. masc. plur. gen. 3ª decl. um canum
fiéis atrib./c. esp. masc. plur. gen. 3ª decl. ium fidelĭum
é pred. nom. 3ª pes. sing. p. ind. v. Esse st est
útil predic. suj. masc. sing. nom. 3ª decl. is utĭlis
aos senhores compl. nom. masc. plur. dat. 3ª decl. ibus hominĭbus
Fidelĭum canum custos hominĭbus utĭlis est.
a) Os exemplos dos homens ilustres e sábios são úteis aos jovens.
b) O tempo é breve para o homem feliz, longo para o infeliz.
c) Os doces poemas dos nobres poetas agradam a todos os alunos.
d) A vida dos homens ricos tem grandes desejos.
e) A mãe de todas as boas artes é a sabedoria.
20 - Terceira Conjugação Ativa
Conjugação do verbo lego, is, legi, lectum, ĕre = ler
Modo indicativo
Presente Imperfeito Futuro I
leio li lerei
leg-o leg-ēbam leg-am
leg-is leg-ēbas leg-es
leg-it leg-ēbat leg-et
leg-ĭmus leg-ebāmus leg-ēmus
leg-ĭtis leg-ebātis leg-ētis
leg-unt leg-ēbant leg-ent
Perfeito Mais-que-perfeito Futuro II
li lera terei lido
leg-i leg-ĕram leg-ĕro
leg-īsti leg-ĕras leg-ĕris
leg-it leg-ĕrat leg-ĕrit
leg-ĭmus leg-erāmus leg-erĭmus
36
leg-īstis leg-erātis leg-erĭtis
leg-ērunt leg-ĕrant leg-ĕrint
Modo subjuntivo
Presente Imperfeito
leia lesse
leg-am leg-ĕrem
leg-as leg-ĕres
leg-at leg-ĕret
leg-āmus leg-erēmus
leg-ātis leg-erētis
leg-ant leg-ĕrent
Perfeito Mais-que-perfeito
tenha lido tivesse lido
leg-ĕrim leg-īssem
leg-ĕris leg-īsses
leg-ĕrit leg-īsset
leg-erĭmus leg-issēmus
leg-erĭtis leg-issētis
leg-ĕrint leg-īssent
Imperativo presente - leg-e (lê/tu); leg-īte (lede/vós)
Infinito presente - leg-ĕre (ler)
Infinito perfeito - leg-īsse (ter lido)
Particípio presente - leg-ens, ēntis (lendo)
Supino - lect-um (para ler)
20.1 - Alguns verbos da 3ª conjugação
addo, addis, addĭti, addĭtum,addĕre = acrescentar
cado, cadis, cecĭdi, casum, cadĕre = cair
cædo, cædis, cæcīdi, cæsum, cædĕre = matar, cortar, imolar
præcīdo, præcīdis, præcīdi, præcīsum, præcidĕre = cortar
cedo, cedis, cessi, cessum, cedĕre = ceder
concēdo, concēdis, concēssi, concēssum, concedĕre = conceder
procēdo, procēdis, procēssum, procedĕre = proceder, adiantar-se
desĕro, desĕris, deserŭi,desertum, deserĕre = desertar
dico, dicis, dixi, dictum, dicĕre = dizer
disco, discis, didĭci, (não tem supino), discĕre = aprender
addūco, addūcis, addūxi, addūctum, adducĕre = levar, conduzir
erĭgo, erĭgis, erēxi, erēctum, erigĕre = erigir, erguer a prumo
indŭo, indŭis, indŭi, indūtum, induĕre = vestir
invādo, invādis, invādi, invāsum, invadĕre = invadir, assaltar
mitto, mittis, misi, missum, mittĕre = enviar, mandar
amitto, amittis, amīsi, amīssum, amittĕre = perder
promītto, promīttis, promīsi, promīssum, promittĕre = prometer
pono, ponis, posŭi, posĭtum, ponĕre = pôr
depōno, depōnis, deponŭi, deposĭtum, deponĕre = depor
impōno, impōnis, imposŭi, imposĭtum, imponĕre = impor
prostērno, prostērnis, prostāvi, prostātum, prosternĕre = prostar, lançar por terra
sumo, sumis, sumpsi, sumptum, sumĕre = apanhar, tomar
tego, tegis, texi, tectum, tegĕre = abrigar
traho, trahis, traxi, tractum, trahĕre = arrastar
detrăho, detrăhis, detrāxi, detrāctum, detrahĕre = tirar
Uro, uris, ussi, ustum, urĕre = queimar
37
Verto, vertis, verti, versum, vertĕre = voltar
Prodūco, prodūcis, prodūxi, prodūctum, producĕre = produzir
Lædo, lædis, læssi, læssum, lædĕre = ofender
21 - Quarta Declinação
A quarta declinação tem o genitivo singular terminado em us, com nomes masculinos, femininos e neutros. Os
neutros têm declinação especial; os masculinos e femininos são idênticos na declinação.
Masculinos e femininos
Declinação de exercĭtus, us (m) = exército
Casos Singular Plural
nominativo exercĭt-us exercĭt-us
genitivo exercĭt-us exercit-ŭum
dativo exercit-ŭi exercit-ĭbus
acusativo exercĭt-um exercĭt-us
vocativo exercĭt-us exercĭt-us
ablativo exercĭt-u exercit-ĭbus
Nota: O acento desloca-se no dativo singular, no genitivo, no dativo e no ablativo plurais.
Declinem-se os seguintes nomes:
manus, us (f) = mão redĭtus, us (m) = volta
fructus, us (m) = fruto gemĭtus, us (m) = gemido
nurus, us (f) = nora spirĭtus, us (m) = espírito
cantus, us (m) = canto equilātus, us (m) = cavalaria
exĭtus, us (m) = êxito socrus, us (f) = sogra
motus, us (m) = movimento metus, us (m) = medo
21.l - Neutros
Declinação de genu, u = joelho
Casos Singular Plural
nominativo gen-u gen-ŭa
genitivo gen-us gen-ŭum
dativo gen-u gen-ĭbus
acusativo gen-u gen-ŭa
vocativo gen-u gen-ŭa
ablativo gen-u genĭ-bus
Outros nomes neutros:
pecu, us = rebanho
veru, us = espeto
cornu, us = corno, chifre
gelu, us = gelo, geada
Estes nomes, às vezes, aparecem declinados como neutros da 2ª declinação (cornum, i; gelum, i), ou, ainda,
como masculinos da 2ª (gelus, i; cornus, i).
21.2 - Particularidades da quarta declinação
1) O nome de Jesus – Iēsus - declina-se assim:
38
Iēsus, Iēsu, Iēsu, Iēsum, Iēsu, Iēsu.
2) Domus, us (f) = casa, tem a seguinte declinação:
Casos Singular Plural
nominativo dom-us dom-us
genitivo dom-us dom-ŭum
dativo dom-ŭi dom-ĭbus
acusativo dom-um dom-us
vocativo dom-us dom-us
ablativo dom-u dom-ĭbus
Observação: Há as seguintes variantes em domus, us: gen. sing. domi; gen. plural domōrum; acus. plural
domos ; ablativo sing. domo.
3) Alguns nomes têm o dativo e o ablativo plurais em ŭbus:
nomes dativo e ablativo plurais
acus, us (f) = agulha acŭbus
arcus, us (m) = arco arcŭbus
artus, us (m) = membro artŭbus
lacus, us (m) = lago lacŭbus
partus, us (m) = parto partŭbus
pecu, us (n) = rebanho pecŭbus
quērcus, us (f) = carvalho quercŭbus
specus, us (m/f) = caverna specŭbus
tribus, us (f) = tribo tribŭbus
21. 3 - Exercícios:
De acordo com os exemplos abaixo, sejam analisadas as traduções e versões que vêm em seguida:
1) Insulārum incŏlæ arbōrum magnam copĭam præcidērunt, in silvis et in ripis lacŭum.
Insulārum c. especif. fem. plur. gen. 1ª dec l. arum das ilhas
incŏlæ sujeito masc. plur. nom. 1ª decl. æ os habitantes
arbōrum c. especif. fem. plur. gen. 3ª decl. um de árvores
magnam atrib. obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am grande
copĭam obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am quantidade
præcidērunt pred. verbal 3ª pes. plur. perf.ind. 3ª conj. erunt cortaram
in silvis c. lug. onde fem. plur. in+abl. 1ª decl. is nas florestas
et conjunção palavra indeclinável e
in ripis c. lug. onde fem. plur. in+abl. 1ª decl. is nas margens
lacŭum c. especif. masc. plur. gen. 4ª decl. uum dos lagos
Os habitantes das ilhas cortaram grande quantidade de árvores, nas florestas e na margens dos lagos.
2) Nos tempos antigos, os homens, muitas vezes, moravam nas cavernas, por causa dos animais ferozes e das
tempestades.
Nos tempos c.tempo/qdo neut. plur. ablat. 3ª decl. ibus temporĭbus
antigos atrib./c.tempo neut. plur ablat. 2ª decl. is antīquis
os homens sujeito masc. plur. nom. 3ª decl. es homĭnes
muitas vezes advérbio palavra indeclinável sæpe
moravam pred. verbal 3ª pes. plur. imp.ind. 1ª conj. abant habitābant
nas cavernas c. lug. onde fem. plur. in+abl. 4ª decl. ubus in specŭbus
por caus.animais c. causa neut. plur. ob+ac. 3ª decl. ia ob animalĭa
ferozes atrrib.c.causa neut. plur. acus. 3ª decl. ia ferocĭa
e conjunção palavra indeclinável ac
das tempestades c. causa fem. plur. ob+ac. 3ª decl. es ob tempestātes
39
Temporĭbus anatīquis , homĭnes sæpe in specŭbus habitābant ob animalĭa ferocĭa ac ob tempestātes.
1. a. Arbŏres fructŭum magnam copĭam prodūcunt.
b. Motus corpŏris semper homĭnis menti et spiritŭi vitam duxērunt.
c. Genŭa infīrma equōrum exercĭtus romani milites prosternēbant in bellis periculōsis.
d. Duces equitatŭum omnium populōrum Imperĭi Romāni imperatōri fidelitātem promitēbant.
e. Gelu piscatōrum manus ussit in lacŭbus.
2. a. Os touros impõem medo aos habitantes das cidades, com os chifres.
b. As cavernas abrigam muitos animais selvagens.
c. Os pescadores tiram os peixes dos lagos, com coragem.
d. Os êxitos de todas as guerras são incertos.
e. Muitos povos selvagens têm sua moradas na florestas e nas cavernas.
22 - Quarta Conjugação Ativa
Conjugação do verbo audĭo, is, audīvi, audītum, īre = ouvir
Modo indicativo
Presente Imperfeito Futuro I
ouço ouvia ouvirei
aud-ĭo aud-iēbam aud-ĭam
aud-is aud-iēbas aud-ĭes
aud-it aud-iēbat aud-ĭet
aud-īmus aud-iebāmus aud-iēmus
aud-ītes aud-iebātis aud-iētis
aud-ĭunt aud-iēbant aud-ĭent
Perfeito Mais-que-perfeito Futuro II
ouvi ouvira terei ouvido
audīv-i audiv-ĕram audiv-ĕro
audiv-īsti audiv-ĕras audiv-ĕris
audīv-it audiv-ĕrat audiv-ĕrit
audiv-ĭmus audiv-erāmus audiv-erĭmus
audiv-īstis audiv-erātis audiv-erĭtis
audiv-ērunt audiv-ĕrant audiv-ĕrint
Modo subjuntivo
Presente Imperfeito
ouça ouvisse
aud-ĭam aud-īrem
aud-ĭas aud-īres
aud-ĭat aud-īret
aud-iāmus aud-irēmus
aud-iātis aud-irētis
aud-ĭant aud-īrent
Perfeito Mais-que-perfeito
tenha ouvido tivesse ouvido
audiv-ĕrim audiv-īssem
audiv-ĕris audiv-īsses
audiv-ĕrit audiv-īsset
audiv-erĭmus audiv-issēmus
audiv-ĕritis audiv-issētis
audiv-ĕrint audiv-īssent
40
Imperativo presente - aud-i = ouve (tu); aud-īte = ouvi (vós)
Infinito presente - aud-īre = ouvir
Infinito perfeito - audiv-īsse = ter ouvido
Particípio presente - audiens, -iēntes = ouvindo
Supino - audītum = para ouvir
22.1 - Alguns verbos da quarta conjugação
aperĭo, apēris, aperŭi, apērtum, aperīre = abrir
salĭo, salis, salŭi, saltum, salīre = saltar
sancĭo, sancis, sanxi, sanctum, sancīre = sancionar
sentĭo, sentis, sensi, sensum, sentīre = sentir
sepelĭo, sepēlis, sepelīvi, sepūltum, sepelīre = sepultar
venĭo, venis, veni, ventum, venīre = vir
invenĭo, invēnis, invēni, invēntum, invenīre = achar, inventar, descobrir
vincĭo, vincis, vinxi, vinctum, vincīre = amarrar, atar
23 - Verbos Irregulares (geral)
Muitos verbos são irregulares. Essa irregularidade é conhecida quando:
a) Na 1ª. conjugação, os verbos, no perfeito e no supino, não terminarem em āvi e ātum:
do, das, dedi, dātum, dāre = dar, entregar
poto, as, āvi, potum, āre = beber
veto, as, vetŭi, āre = proibir
b) Na 2ª. conjugação, os verbos, no perfeito e no supino, não terminarem em ēvi e ētum:
vidĕo, vides, vidi, visum, vidēre = ver
mordĕo, es, momōrdi, morsum, mordēre = morder
tenĕo, es, tenŭi, tentum, tenēre = segurar
b) Na 4ª. conjugação, os verbos, no perfeito e no supino, não terminarem em īvi e ītum:
repĕrio, repēris, repēri, repertum, reperīre = tornar achar, descobrir, inventarr
haurĭo, is, haussi, haustum, haurīre = haurir, tirar
introĕo, introĭs, introĭi, introĭtum, introīre = introduzir, penetrar.
Importante: Todos os verbos da 3ª conjugação são irregulares, inclusive o verbo lego, is, i, lectum, legĕre (ler).
24 - Quinta Declinação
A desinência do genitivo singular da quinta declinação é ei. Só há nomes masculinos e femininos nesta
declinação, com as mesmas desinências.
Declinação de dies, diēi (m) = dia
Casos Singular Plural
Nominativo di-es di-es
Genitivo di-ēi di-ērum
Dativo di-ēi di-ēbus
Acusativo di-em di-es
Vocativo di-es di-es
Ablativo di-e di-ēbus
Declinem-se:
41
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar
Latim a arte de raciocinar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Noesis destacavel81 ao
Noesis destacavel81 aoNoesis destacavel81 ao
Noesis destacavel81 ao
Carlos Lima
 
Lingua portuguesa teoria e testes
Lingua portuguesa teoria e testesLingua portuguesa teoria e testes
Lingua portuguesa teoria e testes
Daniele Costa
 
Modelo de artigo
Modelo de artigoModelo de artigo
Modelo de artigo
Jan Carlos
 
Guia Reforma Ortografica - Melhoramentos
Guia Reforma Ortografica - MelhoramentosGuia Reforma Ortografica - Melhoramentos
Guia Reforma Ortografica - Melhoramentos
carlinhosreis
 
Dicionriokimbu00assiuoft
Dicionriokimbu00assiuoftDicionriokimbu00assiuoft
Dicionriokimbu00assiuoft
Ane Coelho
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 67-68Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 67-68
luisprista
 
Exerccios de ortografia
Exerccios de ortografiaExerccios de ortografia
Exerccios de ortografia
apolonianunes
 
Latim
LatimLatim
Sessão 1
Sessão 1Sessão 1
Sessão 1
Luis Salema
 
Reformaortografica 2009 Vanessa
Reformaortografica 2009 VanessaReformaortografica 2009 Vanessa
Reformaortografica 2009 Vanessa
Vanessa Dagostim
 
Apostila De Portugues Especifico Concurso
Apostila De Portugues Especifico ConcursoApostila De Portugues Especifico Concurso
Apostila De Portugues Especifico Concurso
mauricio souza
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 75-76
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 75-76Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 75-76
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 75-76
luisprista
 
Oficina ana
Oficina anaOficina ana
Oficina ana
Ana Cristina sousa
 
Portugues 1EM 1BIM
Portugues 1EM 1BIM Portugues 1EM 1BIM
Portugues 1EM 1BIM
Alice MLK
 
IV encontro de pesquisas do francês_gisele galafacci
IV encontro de pesquisas do francês_gisele galafacciIV encontro de pesquisas do francês_gisele galafacci
IV encontro de pesquisas do francês_gisele galafacci
Gisele Galafacci
 
Lpclassesgramaticais
LpclassesgramaticaisLpclassesgramaticais
Lpclassesgramaticais
marcobatista
 

Mais procurados (17)

Noesis destacavel81 ao
Noesis destacavel81 aoNoesis destacavel81 ao
Noesis destacavel81 ao
 
Lingua portuguesa teoria e testes
Lingua portuguesa teoria e testesLingua portuguesa teoria e testes
Lingua portuguesa teoria e testes
 
Modelo de artigo
Modelo de artigoModelo de artigo
Modelo de artigo
 
Guia Reforma Ortografica - Melhoramentos
Guia Reforma Ortografica - MelhoramentosGuia Reforma Ortografica - Melhoramentos
Guia Reforma Ortografica - Melhoramentos
 
Dicionriokimbu00assiuoft
Dicionriokimbu00assiuoftDicionriokimbu00assiuoft
Dicionriokimbu00assiuoft
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 67-68Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 67-68
 
Exerccios de ortografia
Exerccios de ortografiaExerccios de ortografia
Exerccios de ortografia
 
Latim
LatimLatim
Latim
 
Sessão 1
Sessão 1Sessão 1
Sessão 1
 
Reformaortografica 2009 Vanessa
Reformaortografica 2009 VanessaReformaortografica 2009 Vanessa
Reformaortografica 2009 Vanessa
 
Apostila De Portugues Especifico Concurso
Apostila De Portugues Especifico ConcursoApostila De Portugues Especifico Concurso
Apostila De Portugues Especifico Concurso
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 75-76
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 75-76Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 75-76
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 75-76
 
Oficina ana
Oficina anaOficina ana
Oficina ana
 
Portugues 1EM 1BIM
Portugues 1EM 1BIM Portugues 1EM 1BIM
Portugues 1EM 1BIM
 
IV encontro de pesquisas do francês_gisele galafacci
IV encontro de pesquisas do francês_gisele galafacciIV encontro de pesquisas do francês_gisele galafacci
IV encontro de pesquisas do francês_gisele galafacci
 
Lpclassesgramaticais
LpclassesgramaticaisLpclassesgramaticais
Lpclassesgramaticais
 

Semelhante a Latim a arte de raciocinar

Curso-de-latim-completo
 Curso-de-latim-completo Curso-de-latim-completo
Curso-de-latim-completo
Brazilian Air Force
 
A importância do latim na atualidade
A importância do latim na atualidadeA importância do latim na atualidade
A importância do latim na atualidade
Lewry Be
 
curso-de-latim
curso-de-latimcurso-de-latim
curso-de-latim
Saulo Gomes
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
BN Bernardo
 
Gramatica essencial de interlingua em portugues PLE
Gramatica essencial de interlingua em portugues PLEGramatica essencial de interlingua em portugues PLE
Gramatica essencial de interlingua em portugues PLE
Luisa Cristina Rothe Mayer
 
Apostila português
Apostila portuguêsApostila português
Apostila português
Mariana Cabral
 
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
Junior Ferreira
 
Língua pdf
Língua pdfLíngua pdf
2 a lingua_para_saussure
2 a lingua_para_saussure2 a lingua_para_saussure
2 a lingua_para_saussure
Fatima Mendonça
 
Parte 2- A lingua_para_Saussure Ivani Viotti
Parte 2- A lingua_para_Saussure Ivani ViottiParte 2- A lingua_para_Saussure Ivani Viotti
Parte 2- A lingua_para_Saussure Ivani Viotti
Mariana Correia
 
Slide ALFABETIZAÇÃO E LINGUÍSTICA.pptx
Slide ALFABETIZAÇÃO E LINGUÍSTICA.pptxSlide ALFABETIZAÇÃO E LINGUÍSTICA.pptx
Slide ALFABETIZAÇÃO E LINGUÍSTICA.pptx
rutilenepassarinho7
 
Breve história da língua portuguesa
Breve história da língua portuguesaBreve história da língua portuguesa
Breve história da língua portuguesa
Fabiana Pinto
 
Lingua e linguagem perini
Lingua e linguagem periniLingua e linguagem perini
Lingua e linguagem perini
Sâmara Lopes
 
TEXTO 04- ENSINO-COMO-LINGUA-MATERNA Rodolfo Ilari.pdf
TEXTO 04- ENSINO-COMO-LINGUA-MATERNA Rodolfo Ilari.pdfTEXTO 04- ENSINO-COMO-LINGUA-MATERNA Rodolfo Ilari.pdf
TEXTO 04- ENSINO-COMO-LINGUA-MATERNA Rodolfo Ilari.pdf
Bonfim Queiroz Lima
 
Bemvindo profesor
Bemvindo profesorBemvindo profesor
Bemvindo profesor
Hubert James Mendoza Rojas
 
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
Mariana Correia
 
Evolução da Língua e Literatura Portuguesa
Evolução da Língua e Literatura PortuguesaEvolução da Língua e Literatura Portuguesa
Evolução da Língua e Literatura Portuguesa
Ana Nunes
 
O alfabeto grego_
O alfabeto grego_O alfabeto grego_
O alfabeto grego_
Arthur Oliveira
 
Alfabeto grego classico - M. J. Cenatti
Alfabeto grego classico - M. J. CenattiAlfabeto grego classico - M. J. Cenatti
Alfabeto grego classico - M. J. Cenatti
Will Torget
 
Oficina de ortografia 3 ano
Oficina de ortografia 3 anoOficina de ortografia 3 ano
Oficina de ortografia 3 ano
pedagogicosjdelrei
 

Semelhante a Latim a arte de raciocinar (20)

Curso-de-latim-completo
 Curso-de-latim-completo Curso-de-latim-completo
Curso-de-latim-completo
 
A importância do latim na atualidade
A importância do latim na atualidadeA importância do latim na atualidade
A importância do latim na atualidade
 
curso-de-latim
curso-de-latimcurso-de-latim
curso-de-latim
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Gramatica essencial de interlingua em portugues PLE
Gramatica essencial de interlingua em portugues PLEGramatica essencial de interlingua em portugues PLE
Gramatica essencial de interlingua em portugues PLE
 
Apostila português
Apostila portuguêsApostila português
Apostila português
 
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
MELO, Iran Ferreira de. As contribuições da linguística para o ensino de líng...
 
Língua pdf
Língua pdfLíngua pdf
Língua pdf
 
2 a lingua_para_saussure
2 a lingua_para_saussure2 a lingua_para_saussure
2 a lingua_para_saussure
 
Parte 2- A lingua_para_Saussure Ivani Viotti
Parte 2- A lingua_para_Saussure Ivani ViottiParte 2- A lingua_para_Saussure Ivani Viotti
Parte 2- A lingua_para_Saussure Ivani Viotti
 
Slide ALFABETIZAÇÃO E LINGUÍSTICA.pptx
Slide ALFABETIZAÇÃO E LINGUÍSTICA.pptxSlide ALFABETIZAÇÃO E LINGUÍSTICA.pptx
Slide ALFABETIZAÇÃO E LINGUÍSTICA.pptx
 
Breve história da língua portuguesa
Breve história da língua portuguesaBreve história da língua portuguesa
Breve história da língua portuguesa
 
Lingua e linguagem perini
Lingua e linguagem periniLingua e linguagem perini
Lingua e linguagem perini
 
TEXTO 04- ENSINO-COMO-LINGUA-MATERNA Rodolfo Ilari.pdf
TEXTO 04- ENSINO-COMO-LINGUA-MATERNA Rodolfo Ilari.pdfTEXTO 04- ENSINO-COMO-LINGUA-MATERNA Rodolfo Ilari.pdf
TEXTO 04- ENSINO-COMO-LINGUA-MATERNA Rodolfo Ilari.pdf
 
Bemvindo profesor
Bemvindo profesorBemvindo profesor
Bemvindo profesor
 
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012Parte 2   linguística geral saussure - apresentação 2012
Parte 2 linguística geral saussure - apresentação 2012
 
Evolução da Língua e Literatura Portuguesa
Evolução da Língua e Literatura PortuguesaEvolução da Língua e Literatura Portuguesa
Evolução da Língua e Literatura Portuguesa
 
O alfabeto grego_
O alfabeto grego_O alfabeto grego_
O alfabeto grego_
 
Alfabeto grego classico - M. J. Cenatti
Alfabeto grego classico - M. J. CenattiAlfabeto grego classico - M. J. Cenatti
Alfabeto grego classico - M. J. Cenatti
 
Oficina de ortografia 3 ano
Oficina de ortografia 3 anoOficina de ortografia 3 ano
Oficina de ortografia 3 ano
 

Mais de Maluco Rafael

Gramática latina napoleão mendes de almeida
Gramática latina   napoleão mendes de almeidaGramática latina   napoleão mendes de almeida
Gramática latina napoleão mendes de almeida
Maluco Rafael
 
Gymnasivm latinvmsecvndvm text
Gymnasivm latinvmsecvndvm textGymnasivm latinvmsecvndvm text
Gymnasivm latinvmsecvndvm text
Maluco Rafael
 
Técnico em eletronica
Técnico em eletronicaTécnico em eletronica
Técnico em eletronica
Maluco Rafael
 
Apostila android
Apostila androidApostila android
Apostila android
Maluco Rafael
 
K19 k41-desenvolvimento-mobile-com-android
K19 k41-desenvolvimento-mobile-com-androidK19 k41-desenvolvimento-mobile-com-android
K19 k41-desenvolvimento-mobile-com-android
Maluco Rafael
 

Mais de Maluco Rafael (6)

Aula switches
Aula switchesAula switches
Aula switches
 
Gramática latina napoleão mendes de almeida
Gramática latina   napoleão mendes de almeidaGramática latina   napoleão mendes de almeida
Gramática latina napoleão mendes de almeida
 
Gymnasivm latinvmsecvndvm text
Gymnasivm latinvmsecvndvm textGymnasivm latinvmsecvndvm text
Gymnasivm latinvmsecvndvm text
 
Técnico em eletronica
Técnico em eletronicaTécnico em eletronica
Técnico em eletronica
 
Apostila android
Apostila androidApostila android
Apostila android
 
K19 k41-desenvolvimento-mobile-com-android
K19 k41-desenvolvimento-mobile-com-androidK19 k41-desenvolvimento-mobile-com-android
K19 k41-desenvolvimento-mobile-com-android
 

Último

EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 

Último (20)

EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 

Latim a arte de raciocinar

  • 1. Latim - A Arte de Raciocinar Naôr Rocha Guimarães Todos os direitos reservados 1
  • 2. 2
  • 3. Agradecimentos A Deus, pela vida e pelos meus talentos; À Nilva, esposa e companheira, pelo apoio, e compreensão; Ao João Bosco, ao Domingos Sávio, filhos e amigos, À Elaine, à Andréia, noras e amigas, pelo incentivo e reconhecimento; Ao Vitor, ao Gustavo e à Leandra, netos queridos, pelo amor e carinho; Ao Carlos Aureliano, cunhado-irmão, pela formatação e trabalho de arte. Dedico este trabalho a todos os colegas professores e a todos os ex-alunos do Ensino Básico e do Ensino Superior. 3
  • 4. Prefácio De há muito é minha intenção escrever um manual de Língua Latina, destinado a alunos dos cursos de Letras, de Filosofia, de Teologia, a estudiosos e amantes da Língua Portuguesa e, mesmo, para acadêmicos de Direito. O objetivo precípuo é despertar o uso do raciocínio, hodiernamente, tão deixado de lado, em virtude do excesso de recursos áudio-visuais, virtuais, com ênfase especial à Internet. Isso tudo é muito importante, simplesmente enquanto meios, modos ou maneiras do processo ensino-aprendizagem. Com tantas facilidades, os alunos, em sua grande maioria, em todo e qualquer curso, têm por obrigação e, infelizmente, constata-se muito tal verossimilidade, fazer as pesquisas, os trabalhos escolares e trocá-los por uma nota ou conceito. Alguns encomendam o trabalho ou pesquisa e nem sequer os lêem. Conseguem o almejado e passam de ano e... recebem o diploma, formam-se. Então, para muitos, não se estuda para aprender, mas para passar de ano, para se formar. O latim obriga o aluno a raciocinar. Com o passar das aulas, a obrigação vai sendo substituída por gosto, por prazer. Depois é um prazer de arte. A arte de raciocinar. Daí o nome dado a este manual: Latim: a arte de raciocinar. Não é possível que se investigue, que se aprenda, que se prossiga no aprendizado sem que se raciocine. Aplica-se tal validade a qualquer aprendizagem. Se não se pondere, se não se reflita, se não se sirva da razão não há como se ter conhecimento, como se ficar sabendo, como se instruir. O latim é fonte desse tirocínio. Isso em virtude de que se não se pensar, com critérios lingüísticos, não se falará ou não se escreverá em latim, dado que para tanto é mister que se analise, mentalmente, as funções sintáticas das palavras nas orações, correlacionando cada função sintática com os casos correspondentes a cada declinação, dentro do seu número e de seu gênero, levando-se em consideração que, na língua dos Césares, temos três gêneros: masculino, feminino e neutro. Diz-se que um bom aluno de latim será um bom matemático, um ótimo engenheiro civil, um excelente aprendiz de línguas românicas ou neolatinas. É comum ouvir-se propalar que indivíduos, mesmo não gostando de matemática, mas por terem sido bons alunos de latim, saíam-se sempre muito bem naquela disciplina, por força de que esta os levava ao raciocínio. Assim, em alguns cursos de engenharia civil de certos países do primeiro mundo, segundo pesquisas, ainda que a língua oficial não seja românica, é imprescindível que haja o ensino obrigatório do latim, por um bom número de anos. É notório que o aprendizado de línguas românicas tem no latim o seu elemento principal, ou seja, a sua raiz. A estrutura lógica da gramática latina é a coerência das gramáticas daquelas línguas. Desta forma, quem é bem estruturado na gramática latina, aprenderá com facilidade línguas como o português, o espanhol, o italiano, o francês, o romeno e outras. De modo especial, para os alunos de português que não conseguem entender a sintaxe da língua, máxime a própria análise sintática, é recomendado que estudem e aprendam, pelo menos, algumas noções básicas de latim. Conduzir-se-ão, com isso, por si próprios e de bom gosto ao aprendizado consciente e de coerência da língua materna, desvendando-lhe a beleza, os inumeráveis recursos fonéticos, morfológicos, sintáticos, prosódicos, semânticos, etimológicos, poéticos e outros tantos. Este é o meu desejo. Enfatiza-se muito, neste manual, a análise sintática, quer na tradução quer na versão de frases, através de inúmeros exercícios. Normalmente, antes dos exercícios, há um vocabulário e no final do livro estão um pequeno dicionário latino-português e um pequeno dicionário português-latino. Isso para facilitar o estudante, pois se for um exercício de tradução, ele consultará o primeiro dicionário; se for versão, o segundo. A primeira parte da obra é Gramática Latina; a segunda, Provérbios e expressões latinas; a terceira, o Hymnus Brasiliensis ( Hino Nacional); a quarta, os dicionários mencionados; a quinta, a Bibliografia. Naôr Rocha Guimarães 4
  • 5. Introdução A família lingüística indo-européia ou ariana é a mais importante entre as muitas famílias lingüísticas do mundo. Os árias (segundo se consta, descendentes de Jafet, filho de Noé) saíram do centro da Ásia e invadiram a Europa. Formaram-se e fixaram-se, em várias partes do continente, muitas tribos com línguas diferentes, porém todas estruturadas na família lingüística indo-européia. A língua comum era o sânscrito (hoje língua morta), com dois ramos: um , asiático (o indo); o outro, europeu. No ramo asiático, destacam-se o índico e o irânico; no europeu, o heleno, o itálico, o célltico, o germânico, o eslavo e o lético. O latim é formado do itálico, juntamente com o sabélico, o úmbrio, o volsco, o osco e o falisco. As línguas indo-européias são flexivas, isto é, têm declinações e conjugações, diferentes daslínguas monossilábicas (com raízes simples, justapostas) e das aglutinantes ( há apenas prefixos e sufixos, sem raízes, em geral, línguas de selvagens). O latim, com advento do Império Romano, absorveu todos os outros ramos oriundos do itálico, espalhando-se por todas as províncias do vasto império. Havia o latim popular (sermo vulgāris), o latim puro ou clássico (sermo erudītus) e o latim castrense ( língua usada nos acampamentos militares). Mais tarde, surgiu o latim eclesiástico (língua usada pela Igreja Católica - um misto de latim clássico e adaptações próprias aos ritos litúrgicos). As línguas novilatinas surgiram do sermo vulgāris (latim popular), a língua do povo. Levada às mais distantes regiões do império, aos poucos ela foi se adaptando a cada região, sofrendo influência das línguas naturais (no início, deixadas de lado, por força das circunstâncias oferecidas pelos conquistadores), das condições geográficas e do clima. Com o passar do tempo, aos poucos, o latim popular foi deixando de ser falado e foram surgindo novas línguas, chamadas de românicas, ou neolatinas , ou novilatinas. Em Roma e nos centros provincianos, a nobreza, as autoridades, os políticos e os escolarizados falavam e escreviam o sermos erudītus. Surgiram e notabilizaram-se grandes e reconhecidos escritores, oradores e historiadores. É sobre o aprendizado, ainda que apenas básico do latim clássico (hoje língua morta, porque não é falada) que este manual foi elaborado. Como já foi dito no prefácio, é dada muita ênfase na análise sintática, tanto na tradução quanto na versão das frases, o que vai constituir-se na “chave” que abrirá o raciocínio. 5
  • 6. Gramática Latina 1 - Alfabeto O alfabeto do latim primitivo era formado por 21 letras, as mesmas do português, com a exclusão do J, do V e do Z. Por influência do grego, incluíram-se o K, o Y e o Z. Mais tarde, com o advento das línguas neolatinas, por seu prestígio e mesmo por seu crédito, já para as transcrições literárias, já para a evolução do próprio latim, acresceram-se o J e o V. 2 - Pronúncia do Latim A pronúncia romana do latim é quase igual à da língua portuguesa, com algumas poucas diferenças: l. Ae e oe pronunciam-se e. Exs.: – rosae (pr. róse) = as rosas; poena (pr. péna) = castigo. Obs.: a) Aē e oē pronunciam-se ae e oe. Exs.: poēta (pr. poeta) = poeta; aēr (pr. á-er) = ar. b) Mesmo no fim das palavras a vogal e sempre se pronuncia e e a vogal o sempre se pronuncia o. 2. O c diante de e e diante de i tem quase o som de tch (o som de ch inglês em children). Exs.: cinis (pr. tchinis) = cinza; cedĕre (pr. tchédere) = ceder; micae (pr. mitche) = migalhas. Obs.: o grupo ch tem o som de k. Ex.: architectūra (pr. arkitectura) = arquitetura. 3. O g diante de e e de i soa dg (o som do g inglês em gentleman). Exs.: gero (pr. dgéro) = levo; gigas (pr. dgigas) = gigante. Obs.: O grupo gn soa como o nh português. Ex.: agnus (pr. ánhus) = cordeiro. O h não soa nunca. Portanto homo (homem) pronuncia-se ómo; rythmus pronuncia-se ritmus, etc. O j soa como i (era ignorado pelos romanos). Exs.: juvenis (pr. iuvenis) = jovem; adjutorĭum (pr. adiutórium) = auxílio. 3 - A importância da Análise Sintática no Ensino do Latim No latim, as palavras mudam a terminação conforme a função sintática que têm na oração. A mesma palavra pode se apresentar de seis maneiras diferentes, pois são seis as funções sintáticas a que está subordinada, uma por vez. Isso se considerarmos só o singular, pois no plural serão mais seis terminações diferentes. Vejam-se os exemplos: Português Latim O aluno é aplicado. Discipŭlus diligens est. O livro do aluno é bonito. Liber discipŭli pulcher est. Os alunos são aplicados. Discipŭli diligentes sunt. Os livros dos alunos são bonitos. Libri discipulōrum pulchri sunt. Não se consegue falar ou escrever em latim se não se fizer a análise sintática, mesmo que seja apenas mentalmente. Cada palavra tem que estar na sua função. É imprescindível que se tenha um bom conhecimento de análise sintática para se aprender o latim. Para alguns autores, mais que análise sintática seria análise lógica a ser usada na aprendizagem do latim. Uma análise mais apurada, mais detalhada. Contudo uma análise sintática bem estruturada é o mesmo que a análise lógica. As orações, ou proposições são elaboradas, devendo cada palavra estar em sua respectiva função sintática. Isso leva à aplicação exata da terminação. 4 - As Funções Sintáticas e os Casos Latinos São seis as funções sintáticas que uma palavra pode exercer em uma oração. É bom saber que oração (ou proposição) é uma ou mais palavras que têm sentido completo. Ela é formada por elementos que vêm a ser as funções sintáticas. 6
  • 7. Para cada função sintática há, em latim, um caso. Caso é o modo de se escrever uma palavra de acordo com sua função sintática. Há seis casos em latim, pois são seis as funções. Numa oração, podem-se encontrar seis elementos: • Sujeito • Vocativo • Adjunto adnominal restritivo • Objeto direto • Objeto indireto • Adjunto adverbial 4.1 – Sujeito É o elemento do qual se diz alguma coisa. É o agente de uma ação verbal ou o seu paciente. Em Pedro gosta de análise sintática, Pedro é o elemento ou o agente da ação de gostar. É o sujeito da oração. Já em a análise sintática da oração foi feita por Pedro; a análise sintática é o elemento ou paciente que sofre a ação verbal. É o sujeito .Em latim, o sujeito vai para o nominativo . O nominativo é, então, o caso que indica a função sintática do sujeito. Em Português, tem-se a flexão de gênero , de número e de grau, com terminações diferentes da palavra para indicar o singular, o plural, o aumentativo e o diminutivo. Em latim, a flexão é de caso, com terminação diferente para as diversas funções sintáticas. 4.2 – Vocativo É um chamamento ou apelo. Toda vez que se se dirige a alguém, solicitando ou exigindo algo, tem-se vocativo. Quando se diz: aluno, estude mais, há um apelo, um chamado. Aluno é o elemento que indica esse apelo ou chamado. Aluno é vocativo. Outros exemplos: Quer estudar latim, Maria? Aprendam, meninos, a lição. Os termos grifados são vocativos. O vocativo é andarilho, ou seja, pode vir no início , no meio ou no fim da oração. Em latim, o caso do vocativo chama-se, também, vocativo. É bom notar –se que o vocativo vem sempre com um indicador especial: é seguido de vírgula ou precedido de ó (nunca oh , que é usado em frases exclamativas): Ó Deus, onde estais que não me ouvis? 4.3 - Adjunto adnominal restritivo ou complemento de especificação Mais que um elemento,é um complemento. Indica sempre, através da preposição de , de quem é determinada coisa ou objeto. Restringe a posse de algo. Em o livro de Pedro está encapado, de Pedro é o adjunto adnominal restritivo. Não é todo livro que é encapado; o de Pedro é. Restringe e especifica o possuidor. Daí chamar-se complemento de especificação. Outros exemplos: Comprou-se a fazenda de vovô. O estudo do latim exige raciocínio. O prefeito da cidade é muito ativo. Os termos sublinhados são complementos de especificação. Em latim, o caso desse complemento é o genitivo. 4.4 - Objeto direto e objeto indireto Antes de mais nada, é bom recordar o que é predicação verbal. Em português, em latim e nas demais línguas o verbo é a palavra mais importante da oração. Ou designa uma ação , ou um estado , ou um fenômeno natural. Na análise sintática ou lógica, o verbo forma o predicado, o elemento essencial para que a frase seja oração. Ele predica, atribui uma ação ou um estado a alguém. Quando a ação fica no sujeito, não transita, não passa para outro elemento, diz-se que é de predicação completa. Em o pássaro canta muito, canta é um verbo de predicação completa. Não exige nada. O significado está nele mesmo. É verbo intransitivo. Já em preciso de amigos,; estudo latim, o significado verbal sai do sujeito, transita para outro elemento (de amigos, latim). São verbos de significação incompleta. São verbos transitivos, distribuídos em quatro grupos distintos: a. Diretamente transitivos - a ação passa para a pessoa ou coisa sobre a qual recai, sem auxílio de preposições: João matou o leão terrível; nossos soldados vencerão o inímigo; o lobo devora o cordeiro A pessoa ou coisa sobre a qual recai a ação do verbo – complemento verbal -, chama-se objeto direto. O leão terrível, o inimigo, o cordeiro são objetos diretos das orações acima. Em latim, o objeto direto vai para o caso acusativo. b. Indiretamente transitivos - pedem um complemento verbal através de preposições. É o objeto indireto: o homem depende de Deus; o general gosta dos soldados; o aluno obedece ao professor; recorremos a nossos pais. Dos soldados, ao professor, a nossos pais são objetos indiretos. O objeto indireto em latim vai para o caso dativo. Também vai para o dativo o complemento nominal em português, que é a seqüência de sentido – a integração – de um nome incompleto ( por nome entendem-se o substantivo, o adjetivo e o advérbio). Os nomes incompletos são oriundos de verbos transitivos: nada é difícil para Deus ( difícil = dificultar); o filho é agradecido ao pai ( agradecido = agradecer); temos obstáculos ao ensino do latim ( obstáculos = obstacular). Os termos grifados são complementos nominais; vão para o dativo. 7
  • 8. Observação: entende-se por termo uma palavra ou uma expressão ( mais de uma palavra ) com uma função sintática específica. c. Duplamente transitivos - exigem não apenas um, mas dois complementos, um direto e outro indireto. São os chamados verbos bitransitivos, ou seja, transitivos diretos e indiretos, simultaneamente: “O educador diz coisas agradáveis e desagradáveis aos educandos” (quem diz, diz alguma coisa a alguém – exige objeto direto / coisas agradáveis e desagradáveis /, e objeto indireto / aos educandos / ). Outros exemplos: as crianças ofertam flores às mães; os romanos ofereciam sacrifícios de animais aos seus deuses; dei um dicionário de latim ao aluno. d. Verbos de ligação - são verbos de significação incompleta que exigem mais uma união do o que um complemento, pois ligam ( unem ) um nome a outro ( são chamados, também, verbos unitivos ). Este nome unido a outro ou é um estado ou uma qualidade: Pedro é estudioso (qualidade); ele está cansado (qualidade); somos criaturas humanas (estado). Ser, estar, parecer, continuar e outros são verbos que, dependendo do seu emprego, podem ser de ; ligação. O seu complemento ou união é o predicativo, que vai para o caso nominativo, em latim. Exemplos: Pedro é pedra; João permanece calado; a lição continua difícil ( pedra, calado e difícil são predicativos e estão no caso nominativo. 4.5 - Adjunto adverbial É uma circunstância (situação, momento) que se acrescenta a uma ação verbal ou a um estado e ou qualidade. É um auxiliar (daí ser adjunto - que está junto) do predicado, acrescentando-lhe idéias de situações diferentes, momentos específicos. Há muitos tipos de adjuntos adverbiais: • Lugar onde = Estou na sala de aula . ( lugar em que se faz a ação) donde = Vim de São Paulo. (procedência) por onde = Passamos por caminhos difíceis. (através dos quais) para onde = Vamos à escola. (lugar ao qual alguém se dirige) • Tempo - No verão o sol é mais quente. (quando) Ele é estudioso desde a 1ª série.(há quanto tempo) • Modo - O tribuno combatia com valor. (maneira) • Companhia - Voltarei com os amigos. (pessoa com quem se faz uma ação) • Instrumento ou meio - Trabalho com os braços. (coisa pela qual se faz alguma ação) • Causa - “Chorai pelos vossos pecados”. (motivo pelo qual se faz alguma coisa) • Matéria - Corrente de ouro. (substância com que se faz alguma coisa) O adjunto adverbial tem como caso o ablativo. Nos exemplos supra os termos grifados, em cada exemplo, estão todos no ablativo. Os adjuntos adverbiais são, também, chamados de complementos adverbiais. 4.6 - Predicado - Já se disse que o predicado é o elemento essencial da oração. Há oração sem sujeito, mas não oração sem predicado. É tudo aquilo que é dito do sujeito. É o verbo com aquilo que o acompanha(complemento, adjunto adverbial). É tudo aquilo na oração menos o sujeito. Exemplo: A cibernética, hoje, domina o mundo, incontestavelmente. Tem-se aí: sujeito a cibernética; predicado: hoje, domina o mundo, incontestavelmente. Quando o sujeito é oculto (subentendido, elíptico), indeterminado (existe, mas não se sabe qual é – não- identificado), inexistente (fenômenos naturais e outros casos específicos) o predicado é toda a oração: somos alunos aplicados – predicado = somos alunos aplicados; vive-se feliz, aqui - predicado = vive-se feliz, aqui; troveja, toda tarde, no verão – predicado = troveja, toda tarde , no verão. Existem três tipos de predicado: a) predicado verbal ( quando o verbo é importante – ação): O estudo do latim leva ao conhecimento do português. b) Predicado nominal (o importante é o nome, com verbo de ligação): O soldado romano era valoroso. 8
  • 9. c) Predicado verbo-nominal (uma ação e um estado ou qualidade ao mesmo tempo): O comandante chegou ferido da guerra. (chegou = ação; ferido = estado). 4.7 – Aposto É um complemento explicativo. Um termo que explica outro termo. Essa explicação vem com ou sem preposição, com ou sem vírgula: Aristóteles, filósofo, é imortal; o general Caxias sempre venceu; a cidade do Rio de Janeiro é maravilhosa. O aposto segue o mesmo caso do substantivo explicado, ou determinado. Em João, aluno de latim, é estudioso, temos: João = sujeito - caso nominativo aluno de latim = aposto - caso nominativo já em Pedro estuda com o colega Altevir, notam-se: Pedro = sujeito - caso nominativo com o colega = adjunto adverbial de companhia - caso ablativo Altevir = aposto - caso ablativo. 4.8 - Adjunto adnominal É todo artigo, adjetivo, pronome adjetivo, numeral que acompanham um substantivo em sua função sintática e nos seus casos. Na oração o aluno José cumpre seus deveres escolares têm-se os seguintes adjuntos adnominais: o = adjunto adnominal de aluno (= sujeito – caso nominativo) seus = adjunto adnominal de deveres ( = objeto direto - caso acusativo) escolares = adjunto adnominal de deveres ( = objeto direto - caso acusativo) Em latim, o adjunto adnominal é analisado por muitos como atributo (aqui também ele o será) das diversas funções sintáticas. Estará sempre no mesmo caso dos substantivos que acompanha. 5 - Flexão - Declinação Algumas classes de palavras (substantivos, adjetivos, pronomes, verbos e alguns numerais) mudam, sofrem alteração no final, ou seja, na última sílaba. São palavras variáveis, pois têm terminações diferentes. Invariável é a palavra que tem sempre a mesma terminação. A parte final das palavras variáveis chama-se desinência. Radical é a parte da palavra sem a desinência. Na palavra teimoso a desinência “o” pode ser mudada para “a”, “os”, “as”, fazendo teimosa, teimosos, teimosas. Em latim, obtém-se o radical de uma palavra tirando- se-lhe a desinência do genitivo singular, conforme será visto adiante. Flexão de caso é a alteração que a palavra recebe na desinência, conforme a função sintática que tem na oração. Os substantivos , em latim, estão reunidos em cinco grupos, pois nem todos terminam da mesma maneira. Estes grupos são denominados de declinação. A declinação é um conjunto de flexões de determinado grupo de substantivos. São cinco as declinações, todas com singular e plural. Cada declinação tem um total de doze flexões, seis para o singular e seis para o plural. Para saber a que declinação pertence uma palavra basta verificar-lhe a desinência do genitivo singular. Os dicionários trazem a palavra no nominativo, em seguida no genitivo, a palavra toda ou somente as letras da desinência. Abaixo está o genitivo singular das cinco declinações: Declinações 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª Genitivo sing. ae i is us ei Exemplos: rosa, ae (=rosa) lª declinação Petrus, i (=Pedro) 2ª declinação fons, fontis (=fonte) 3ª declinação domus, us (=casa) 4ª declinação dies, ei (=dia) 5ª declinação Como já foi visto, para encontrar-se o radical de uma palavra tira-se a desinência do genitivo singular. Assim, tem-se: nominativo singular genitivo singular radical rosa rosae ros Petrus Petri Petr 9
  • 10. fons fontis font domus domus dom dies diēi di Importante: ao dizer-se uma palavra, em latim, é necessário declará-la no nominativo e no genitivo. Portanto, diz-se: fons, fontis (=fonte); Maria, Mariae (=Maria); manus, manus (=mão); res, rei (=coisa); dominus, domini (=senhor). 6 - Como Analisar Sintaticamente Analisar uma oração é decompô-la em sua estrutura sintática, ou seja, é fazer um exame do emprego das palavras como termos essenciais (sujeito e predicado), integrantes (complementos) e acessórios (adjuntos). É , também, verificar-lhes o gênero, o número, o caso, a declinação, a desinência, a tradução (latim para o português) e a versão (português para o latim). Em latim há três gêneros: masculino, feminino e neutro. Se a palavra indicar ser animado é fácil saber se é masculino ou feminino. Agora, se designa coisa pode ser masculina, feminina ou neutra. Por neutro pode-se indicar “nem um nem outro “, nem masculino , nem feminino. Como exemplos notam-se malum, i (=mal); mare, is (=mar); bellum, i (=guerra). Um método prático, integral e eficiente para analisar uma oração é transcrevê-la verticalmente em suas funções sintáticas e, em colunas paralelas, citar todos os componentes a serem analisados. São seis colunas em que, pela ordem, serão citados: função sintática, gênero, número, caso, declinação, desinência e, no espaço final, a tradução ou a versão. Embaixo do quadro da análise, coloca-se a oração na ordem direta (português) e na ordem inversa (latim). Eis o quadro: Oração Funç.sintát. Gênero Número Caso Declinação Desinência Tradução /versão Observação: quando a palavra analisada for verbo, a ordem será: função sintática, pessoa, número, tempo e modo, conjugação, desinência. Até o presente momento, não é possível fazer-se a análise completa de uma oração, pois ainda não se estudaram as declinações e as conjugações verbais. Far-se-á, então, uma série de exemplos sem que se complete o quadro e tão somente do português para o latim. É bom frisar que o gênero da palavra a ser analisada é o gênero latino, caso contrário, em muitas situações, as desinências dos casos estarão erradas. Caso específico da palavra guerra que, em português, é feminina e em latim é neutra. Importante: em latim, não há artigos, razão de aparecerem junto aos substantivos em suas funções. A vida é um dom de Deus A vida sujeito feminino singular nominativo é pred.nominal 3ª pes. singular pres.indic. um dom predic.sujeito neutro singular nominativo de Deus compl.especif. masc. singular genitivo As águas regam a terra As águas sujeito feminino singular nominativo regam pred. verbal 3ª pes. plural pres. ind. a terra objeto direto feminino singular acusativo 10
  • 11. A sombra dá alegria aos agricultores A sombra sujeito feminino singular nominativo dá pred.verbal 3ª pes. singular pres.indic.. alegria objeto dir. feminino singular acusativo aos agricultores objeto ind. masculino plural dativo A lua afugenta a sombra e ilumina a terra A lua sujeito feminino singular nominativo afugenta pred.verbal 3ª pes. singular pres. Indic. a sombra objeto dir. feminino singular acusativo e conjunção (conetivo ) - palavra invariável ilumina pred.verbal 3ª pes. singular pres.indic a terra objeto dir. feminino singular acusativo Observação: neste exemplo têm-se duas orações, constituindo um período composto, o contrário dos exemplos anteriores em que há somente uma oração, portanto um período simples. Alunos, o latim é uma língua difícil Alunos vocativo masc. plural vocativo o latim sujeito masc. singular nominativo é pred.nominal 3 ª pes. singular pres.indic. língua predicativo/.suj. feminino singular nominativo difícil atributo/pred.suj. feminino singular nominativo Os meninos maus corrompem os bons ; por meio de péssimos exemplos Os meninos sujeito masc. plural nominativo maus atributo/sujeito masc. plural nominativo corrompem pred. Verbal 3ª pes. plural pres.indic. os bons objeto dir. masc. plural acusativo por meio de péssimos atributo/c.meio neutro plural ablativo exemplos compl. de meio neutro. plural ablativo Os poetas celebram as glórias dos habitantes das ilhas da Itália Os poetas sujeito masc.... plural nominativo celebram pred.verbal 3ª pes. plural pres.indic. as glórias objeto dir. feminino plural acusativo dos habitantes complem.especif.masc. plural genitivo das ilhas complem.especif. feminino plural genitivo da Itália complem.especif. feminino plural genitivo Os poetas cantarão os astros, ornamento do céu Os poetas sujeito masc. plural nominativo cantarão pred.verbal... 3ª pes. plural pres.indic. os astros objeto dir. neutro plural acusativo ornamento aposto/obj. dir. neutro singular acusativo do céu complem.especif. neutro singular genitivo Os professores narrarão aos alunos as guerras e as batalhas dos povos antigos Os professores sujeito masc. plural nominativo narrarão pred.verbal 3ª pes. plural pres.indic. 11
  • 12. aos alunos objeto ind. masc. plural dativo as guerras objeto dir. neutro plural acusativo e conjunção (conetivo) palavra invariável as batalhas objeto dir. feminino plural acusativo dos povos complem.especif.masc. plural genitivo antigos atributo/c.espec.. masc. plural genitivo As pombas e as águias dão alegria aos habitantes das ilhas As pombas sujeito feminino plural nominativo e conjunção (conetivo ) palavra invariável as águias sujeito feminino plural nominativo dão pred.verbal 3ª pes. plural pres.indic alegria objeto dir. feminino singular acusativo aos habitantes objeto ind. masc. plural dativo das ilhas compl.especif. feminino plural genitivo Importante - O atributo (adjunto adnominal) vai para o mesmo gênero, o mesmo número e o mesmo caso das funções dos substantivos. 7 - Primeira Declinação Os substantivos latinos, como já foi explicado, estão distribuídos em cinco grupos. Afirmou-se, também, que declinação é um conjunto de flexões de cada um destes grupos. Todos substantivos cujo genitivo singular seja em æ pertencem à primeira declinação. Na sua grande maioria, estes nomes são femininos, salvo alguns poucos do gênero masculino – nomes de homens, de seres do sexo masculino e de alguns rios.. São as seguintes as desinências da 1ª declinação: Singular Plural Nominativo a æ Genitivo æ arum Dativo æ is Acusativo am as Vocativo a æ Ablativo a is Observe-se que há muitos casos cujas desinências são iguais no singular e no plural. Isso, contudo, não gera confusão, pois a análise dos termos da oração indica qual o caso em que a palavra está. É muito importante que se raciocine, se pense e se analise para aprender não só o latim, mas qualquer língua, principalmente a língua pátria. Forçando o raciocínio, o latim contribui em muito para o aprimoramento da inteligência, da capacidade e da valorização científica, com a concentração do espírito e da atenção, segundo Napoleão Mendes de Almeida. Importante - Em latim, as palavras são pronunciadas ou com o acento tônico ( é a sílaba forte - não confundir com acento gráfico) na penúltima sílaba ou na antepenúltima, nunca na última ou na transantepenúltima (antes da antepenúltima). Muitas vezes, para facilitar-se a pronúncia figuram nas palavras os seguintes sinais: ¯ macron - colocado na penúltima sílaba; indica que o acento tônico recai , exatamente, na penúltima sílaba: amābo (amábo = amarei); rosārum ( rosárum = das rosas); formīca (formíca = a formiga); corōna (coróna = a coroa), etc. ˘ brachia (bráquia) - colocado na penúltima sílaba, indica que o acento recai sobre a antepenúltima sílaba: optĭmus (óptimus = ótimo); Helĕna (Élena = Helena); Hippolĭtus (Hipólitus = Hipólito), etc. Declinar um nome, como já foi dito, é recitá-lo em todos os casos, no singular e no plural. Declinar-se-ão, abaixo, agricŏla, æ (masc. = agricultor); lacrĭma, æ (fem. = lágrima): Singular Plural Nom. agricŏl – a agricŏl – æ Gen. agricŏl - æ, agricol – ārum Dat agricŏl – æ agricŏl – is 12
  • 13. Acus. agricŏl – am agricŏl - as Voc. agricŏl – a agricŏl – æ Ablat. agricŏl – a agricŏl - is Nom. lacrĭm – a lacrĭm – ae Gen. lacrĭm – æ lacrim – ārum Dat. Lacrĭm– æ lacrĭm – is Acus. lacrĭm – am lacrĭm – as Voc. lacrĭm – a lacrĭm – æ Ablat. lacrĭm – a lacrĭm – is À guisa de exercício, declinem-se: collēga, æ (masc.)= colega nauta, æ (masc.) = marinheiro poēta, æ (masc.) = poeta incŏla, æ (masc.) = habitante scurra, æ (masc.) = bobo via, æ (fem.) = rua, estrada luna, æ (fem.) = lua rosa, æ (fem.) = rosa ecclesĭa, æ (fem.) = igreja viŏla, æ (fem.) = violeta tíbĭa , æ (fem.) = flauta porta, æ (fem) = porta Algumas palavras da lª declinação, no singular, têm um significado e, no plural, podem ter outro significado ou um sentido especial: Singular Plural angustĭa, æ = angústia, apuro angustĭæ, arum = desfiladeiro, garganta cera, æ = cera ceræ, arum = tábuas escritas copĭa, æ = abundância copĭæ, arum = exércitos, tropas gratĭa, æ = graça, favor gratĭæ, arum = agradecimentos opĕra, æ = obra, trabalho opĕræ, arum = operárias vigĭlia, æ = véspera, (ficar acordado) vigilĭæ, arum = sentinela Outros nomes, quer comuns, quer próprios, só se usam no plural: divitĭæ, arum = riqueza indutĭæ, arum = trégua, armistício nuptĭæ, arum = núpcias tenĕbræ, arum = trevas Athēnæ, arum = Atenas Syracūsae, arum = Siracusa Thebæ, arum = Tebas Venetĭæ, arum = Veneza Observação: em português, também existem nomes usados só plural - óculos, núpcias, Campinas, primícias, Atenas, víveres etc. 8 - Conjugação do Verbo ESSE: Ser, Estar Modo indicativo Presente Imperfeito Futuro I (ou imperfeito) Sou/estou Era/estava Serei/estarei (ego ) sum eram ero (tu) es eras eris (ille) est erat erit (nos) sumus erāmus erĭmus (vos) estis erātis erĭtis (illi) sunt erant erunt Perfeito Mais-que-perfeito Futuro II (ou anterior) Fui/estive Fora/estivera Terei sido/terei estado (ego) fui fuĕram fuĕro 13
  • 14. (tu) fuīsti fuĕras fuĕris (ille) fuit fuĕrat fuĕrit (nos) fuĭmus fuerāmus fuerĭmus (vos) fuīstis fuerātis fuerĭtis (illi) fuērunt fuĕrant fuĕrint Modo Subjuntivo Presente Imperfeito Seja/esteja Fosse/estivesse (ego) sim essem (tu) sis esses (ille) sit esset (nos) simus essēmus (vos) sitis essētis (illi) sint essent Perfeito Mais –que –perfeito Tenha sido Tivesse sido (ego) fuĕrim fuīssem (tu) fuĕris fuīsses (ille) fuĕrit fuīsset (nos) fuerīmus fuissēmus (vos) fuerĭtis fuissētis (illi) fuērint fuīssent Imperativo Infinitivo presente Infinitivo perfeito Sê/sede – Está/estai Ser/Estar Ter sido/Ter estado Es (tu) esse fuīsse Este (vos) Em latim, os pronomes pessoais retos não são usados; em português, não são obrigatórios; aliás, a linguagem formal evita-os, uma vez que a terminação verbal indica a pessoa (pronome pessoal reto). 9 - Tempos Primitivos (geral) Em português, os verbos são encontrados no dicionário na forma nominal – infinitivo impessoal: ser, estar, amar, fazer, partir etc. Em latim, o dicionário registra-os nos tempos primitivos (formas primitivas) que são: 1ª pessoa do presente indicativo - sum 2ª pessoa do presente indicativo - es 1ª pessoa do pretérito perfeito - fui infinito (infinitivo) presente - esse Assim, o verbo ser / estar aparece no dicionário da seguinte maneira: sum, es, fui, esse = ser, estar. Este verbo, por ser unitivo (de ligação), em determinadas orações, vai exigir sempre o predicativo do sujeito, no caso nominativo. Quando não-unitivo , geralmente, requer adjunto adverbial (complemento de lugar, de modo, de companhia etc ). Obs,: Tempos primitivos serão vistos, de um modo específico, no item 12. 10 - Análise Sintática Completa Agora, pode-se fazer a análise sintática completa, tanto na tradução (latim para o português), quanto na versão (português para o latim). Vejam-se os seguintes exemplos: a) versão 14
  • 15. Vocabulário rainha = regīna, æ (f) prudência = prudentĭa, æ (f) escrava = ancīlla, æ (f) águia = aquĭla, æ (f) pomba = colūmba, æ (f) filha = filĭa, æ (f) glória = glorĭa, æ (f) habitante = incŏla, æ (m) ilha = insŭla, æ (f) alegria = lætitĭa, æ (f) pátria = patrĭa, æ (f) marinheiro = nauta, æ (m) vitória = victorĭa, æ (f) covardia = ignavĭa, æ (f) vida = vita, æ (f) fortuna = fortūna, æ (f) rosa = rosa, æ (f) tristeza = tristitĭa, æ (f) e = et (conjunção) A rainha está na ilha dos agricultores . A rainha suj. fem. sing. nom. lª decl. a regīna está pred.verbal 3ª pes. sing. pres.ind v.esse st est na ilha c.lugar(onde) fem. sing....... in+abl. 1ª.decl. a in insŭla dos agricultores c.especif. masc. plur. gen. 1ª decl. arum agricolārum Regina in insŭla agricolārum est. (ordem indireta) Nota: O verbo ser/estar (esse) quando não é unitivo forma predicado verbal; o complemento de lugar onde (adjunto adverbial) vai para o caso ablativo precedido da preposição in. Na ordem inversa , no latim, o verbo fica no final da frase. A filha do habitante da ilha é serva (criada) da rainha. A filha sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a filĭa do habitante c.especif. masc. sing. gen. 1ª decl. æ incŏlæ da ilha c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ insŭlæ é pred.nom. 3ª pes. sing. p..ind. v.esse st est serva predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a ancīlla da rainha c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ regīnæ Filĭa incŏlae insŭlae regīnae ancīlla est. A vitória será a glória dos marinheiros da pátria. A vitória suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a victorĭa será pred.nom. 3ª pes. sing. fut.I v.esse it erit a glória predic.suj. fem.. sing. nom. 1ª decl. a glorĭa dos marinheiros c.especif. masc. plur. gen. 1ªdecl. arum nautārum da pátria c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ patrĭæ Victoria nautarum patriae gloria erit.( o predicativo vem antes do verbo) A águia e a pomba eram habitantes da ilha. A águia suj. fem. sing. nom. 1ªdecl. a aquĭla e conjunção palavra indeclinável et a pomba. suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a colūmba eram pred.nom. 3ª pes. plur. imp.ind. v.esse nt erant 15
  • 16. habitantes predic.suj. masc. plur. nom. lª decl. æ incŏlæ da ilha c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ insŭlæ Aquĭla et colūmba insŭlae incŏlae erant. A riqueza (fortuna) da rainha foi a alegria aos habitantes da pátria. A riqueza suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a fortūna da rainha c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ regĭna foi pred.nom. 3ª pes. sing. perf.ind v.esse it fuit a alegria predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a lætitĭa aos habitantes c.nominal masc. plur. dat. 1ª decl. is incŏlis da pátria c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ patrĭæ Fortūna regīnae incolis patrĭae laetitĭa fuit. b) tradução Deve-se, sempre, começar a análise pelo verbo (predicado), pois indicará, além da pessoa, do tempo e do modo, a predicação verbal (transitivo, intransitivo, unitivo), mostrará os casos: do sujeito (nominativo); dos complementos verbais (acusativo, dativo). Daí a sua importância. Vocabulário experientĭa , æ (f) = experiência magistra, æ (f) = mestra sapientĭa, ae (f) = sabedoria pugna, æ (f) = batalha, combate puēlla, æ (f) = menina, moça pigritĭa, æ (f) = preguiça domĭna, æ (f) = senhora lingŭa, æ (f) = língua dea, æ (f) = deusa præda, æ (f) = presa, vítima ala, æ (f) = asa fuga, æ (f) = fuga umbra , æ (f) = sombra luna, æ (f) = lua terra, æ (f) = terra justitĭa, æ (f) = justiça vita, (f) = vida sæpe = muitas vezes - palavra indeclinável semper = sempre - palavra indeclinável amicitĭa, æ (f) = amizade discipŭla, æ (f) = aluna; discípula schola, æ (f) = escola, aula ac = e - conjunção/palavra indeclinável silva, æ (f) = floresta, bosque aqŭa , ae (f) = água tuba, æ (f) = trombeta Experientĭa magīstra vitae est. Experientĭa sujeito. fem. sing. nom. 1ª decl. a a experiência magīstra predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a a mestra vitae c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da vida est pred.nom 3ª pes. sing . p.ind . v.esse st é A experiência é a mestra da vida (ordem direta) Sapientĭa poetārum patrĭæ glorĭa erit Sapientĭa suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a a sabedoria 16
  • 17. poetārum c.especif. masc. plur. gen. 1ª decl. arum dos poetas patrĭæ c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da pátria glorĭa predic.suj. fem. plur. nom. 1ª decl. a glória erit pred.nom. 3ª pes. sing. fut.I v.esse it será A sabedoria dos poetas será a glória da pátria. Sæpe colūmbæ aquilārum præda sunt . Sæpe c.advl.tempo palavra indeclinável muitas vezes colūmbæ sujeito fem. plur. nom. 1ª decl. æ as pombas aquilārum c.especif. fem. plur. gen. 1ª decl. arum das águias præda predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a presa sunt pred.nom. 3ª pes. plur. p.ind. v.esse unt são Muitas vezes, as pombas são presa das águias. Experientĭa dominārum insŭlæ puēllis sapientĭa et justitĭa est . Experientĭa sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a a experiência dominārum c.especif. fem. plur. gen. 1ª decl. arum das senhoras insŭlæ c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ. da ilha puēllis c.nominal fem plur. dat. 1ª decl. is às moças sapientĭa predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a sabedoria et conjunção palavra indeclinável e justitĭa predic.suj. fem. sing nom. 1ª decl a justiça est pred.nom. 3ª pes. sing. p.ind. v.esse st é A experiência das senhoras da ilha é sabedoria e justiça às moças. Fuga umbræ lunæ incŏlis insŭlæ vita et lætitĭa est Fuga sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a a fuga umbræ c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da sombra lunæ c.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da lua incŏlis c.nominal masc. plur. dat. 1ª decl. is aos habitantes vita predic.suj. fem. sing. nom. 1ªdecl. a vida et conjunção palavra indeclinável e lætitĭa predic.suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a alegria est pred.nom. 3ª pes. sing. p.ind. v.esse st é A fuga da sombra da lua é vida e alegria aos habitantes da ilha. 11 - Verbo e Conjugações Em latim, existem quatro conjugações. A primeira tem o infinito presente (infinitivo impessoal) em āre; a segunda em ēre; a terceira em ĕre; a quarta em īre. Os verbos têm as conjugações ativa e passiva separadamente. A voz passiva tem a sua conjugação própria, diferente do português. Assim as quatro conjugações são estudadas, separadamente, na voz ativa e na passiva. 1ª conjugação - amāre (17mare) = amar 2ª conjugação - delēre (delére) = destruir 3ª conjugação - legĕre (légere) = ler 4ª conjugação - audīre (audíre) = ouvir 12 - Tempos Primitivos (específico) São os tempos básicos dos quais derivam os outros chamados primitivos. Como já foi visto no verbo Esse (sum), os tempos primitivos são os encontrados no dicionário e são: 1ª pessoa singular do presente do indicativo; 2ª pessoa singular do presente do indicativo; 17
  • 18. 1ª pessoa singular do pretérito perfeito; supino (não há no verbo Esse); infinito presente (infinitivo impessoal). Supino - é uma forma especial do infinitivo. Indica uma finalidade e é terminado em tum: amātum (para amar); delētum (para destruir); lectum (para ler); audītum (para ouvir). Veja-se o quadro abaixo dos tempos primitivos nas quatro conjugações: Tempos primitivos 1ª conjug. 2ª conjug. 3ª conjug. 4ª conjug. 1ª pes.sing.do indic.presente amo delĕo lego / capĭo audĭo 2ª pes.sing.do indic.presente amas deles legis / capis audis 1ª pes.sing.do pret. perf. indic. amāvi delēvi legi / cepi audīvi supino amātum delētum lectum / captum audītum infinito presente (infin.impes.) amāre delēre legĕre / capĕre audīre A terceira conjugação tem verbos também em io; razão de aparecer no quadro o verbo capĭo, capis, cepi, captum, capĕre = tomar, apanhar. 13 - Primeira Conjugação Ativa Um verbo está na voz ativa quando o seu sujeito pratica a ação. Ele é agente. Às vezes, no verbo ativo, o sujeito tem característica de paciente, de sofrer a ação, mas o verbo se apresenta sem auxiliar passivo (ser, estar), ou sem o pronome se. Portanto, para ser ativo, o verbo tem que se apresentar por si só: Pedro estuda latim (voz ativa); Pedro recebe abraços da namorada (voz ativa, muito embora o verbo receber indique que o seu sujeito seja paciente); o latim é estudado por Pedro (voz passiva); recebem-se abraços (voz passiva, o mesmo que abraços são recebidos). 13.1 - Conjugação do verbo amo, as, āvi, ātum, āre = amar, gostar Modo indicativo Presente Imperfeito Futuro I amo amava amarei am-o am-ābam am-ābo am-as am-ābas am-ābis am-at am-ābat am-ābit am-āmus am-abāmus am-abĭmus am-ātis am-abātis am-abĭtis am-ant am-ābant am-ābunt Perfeito Mais-que-perfeito Futuro II Amei amara terei amado amav-i amav-ĕram amav-ĕro amav-īsti amav-ĕras amav-ĕris amav-it amav-ĕrat amav-ĕrit amav-ĭmus amav-erāmus amav-erĭmus amav-īstis amav-erātis amav-erĭtis amav-ērunt amav-ĕrant amav-ĕrint Modo subjuntivo Presente Imperfeito Perfeito Mais-que-perfeito ame amasse Tenha amado Tivesse amado am-em am-ārem amav-ĕrim amav-īssem am-es am-āres amav-ĕris amav-īsses 18
  • 19. am-et am-āret amav-ĕrit amav-īsset am-ĕmus am-arēmus amav-erĭmus amav-issēmus am-ētis am-arētis amav-erĭtis amav-issētis am-ent am-ārent aamav-ĕrint amav-īssent Imperativo presente = am-a (ama /tu/); am-āte (amai /vós/) Infinito presente (infinitivo) = am-āre (amar / gostar de) Infinito perfeito = amav-īsse (ter amado) Particípio presente = am-ans, -antis (amando) Supino = am-ātum (para amar) 13.2 - Alguns verbos da 1ª conjugação (conjugam-se como amo, amāre) nuntĭo, as, āvi, ātum, āre = comunicar, anunciar ambŭlo, as, āvi, ātum, āre = passear, andar paro, as, āvi, ātum, āre = preparar servo, as āvi, ātum, āre = salvar occŭpo, as, āvi, ātum, āre = ocupar pugno, as, āvi, ātum, āre = combater, lutar interrŏgo, as, āvi, ātum, āre = interrogar voco, as, āvi, ātum, āre = chamar invŏco, as, āvi, ātum, āre = invocar supplĭco, as, āvi, ātum, āre = suplicar elĕvo, as, āvi, ātum, āre = elevar cogĭto, as, āvi, ātum, āre = pensar, cogitar proflĭgo, as, āvi, ātum, āre = desbaratar, derrotar suscĭto, as, āvi, ātum, āre = suscitar, provocar obiūrgo, as, āvi, ātum, āre = repreender persevēro, as, āvi, ātum, āre = perseverar do, das, dedi, datum, āre = dar fecūndo, as, āvi, ātum, āre = fecundar vitŭpero, as, āvi, ātum, āre = censurar 13.3 - Observem-se as traduções e versões abaixo, com análise sintática completa e com base nos vocabulários já estudados: 1) Traduções Filĭas et ancīllas, domĭna vocat Filĭas obj. direto. fem. plur. acus. 1ª decl. as as filhas et conjunção palavra indeclinável e ancillas obj. direto fem. plur. acus. 1ª decl. as as escravas domĭna sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a a senhora vocat pred.verbal 3ª pes. sing. p.ind. 1ª conj. at chama A senhora chama as filhas e as escravas. Poetārum sapientĭam amāmus. Poetārum c.especif. masc. plur. gen. 1ª decl. arum dos poetas sapientĭam obj. direto fem. sing. acus. 1ª decl. am a sabedoria amāmus pred. verbal 1ª pes. plur p.ind. 1ª conj. amus amamos Amamos a sabedoria dos poetas. Puēllæ rosārum corōnas paravērunt. Puēllæ sujeito fem. plur. nom. 1ª decl. æ as moças 19
  • 20. rosārum c.especif. fem. plur. gen. 1ª decl. arum de rosas coronas obj. direto fem. plur. acus. 1ª decl. as coroas paravērunt pred. verbal 3ª pes. plur. p. perf. 1ª conj. erunt prepararam As moças prepararam coroas de rosas. Magīstra scholæ discipulārum pigritĭam vituperābat. Magīstra sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a a mestra scholæ c. especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da escola discipulārum c. especif. fem. plur. gen. 1ª decl. ārum das alunas pigritĭam obj. direto fem. sing. acus. 1ª decl. am a preguiça vituperābat pred. verbal 3ª pes. plur. imp.ind. 1ª conj. ābat censurava A mestra da escola censurava a preguiça das alunas. Regīna cum puēllis ac ancīllis in insŭla ambulābit. Regīna sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a a rainha cum puēllis c.companhia fem. plur. cum+abl.1ª decl. is com as moças ac conjunção palavra indeclinável e ancīllis c.companhia fem. sing. abl. 1ª decl. is as escravas in insŭla c.lugar/onde fem. sing. in+abl. 1ª decl. a na ilha ambulābit pred.verbal 3ª pes. sing. fut.I 1ª conj. abit passeará A rainha passeará, na ilha, com as moças e as escravas. 2) Versões As águas regarão as terras da floresta. As águas sujeito fem. plur. nom. 1ª decl. æ aquæ regarão pred.verbal 3ª pes. plur. fut.I 1ª conj. ābunt rigābunt as terras obj. dir. fem. plur. acus. 1ª decl. as terras da floresta c. especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ silvæ Aquæ rigābunt terras silvæ. Louvemos as atividades dos agricultores das terras da ilha Louvemos pred.verbal 1ª pes. plur. p. ind. 1ª conj. emus laudēmus as atividades obj. dir. fem. plur. acus. 1ª decl. as industrĭas . dos agricultores c. especif. masc. plur. gen. 1ª decl. arum agricolārum das terras c. especif. fem. plur. gen. 1ª decl. arum terrārum da ilha c. especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ insŭlæ Agricolārum terrārum insŭlæ laudēmus. A filha do agricultor doou rosas e pombas à rainha A filha sujeito fem. sing. nom. 1ª decl. a filĭa do agricultor c. especif. masc. sing. gen. 1ª decl. æ agricŏlæ doou pred. verbal 3ª pes. sing. p. perf. 1ª conj. it donāvit rosas obj. dir. fem. plur. acus. 1ª decl. as rosas e conjunção palavra indeclinável ac pombas obj. dir. fem. plur. acus. 1ª decl. as colūmbas à rainha obj. Indir fem. sing. dat. 1ª decl. æ regīnæ Agricŏlæ filĭa regīnæ rosas ac colūmbas donāvit. 20
  • 21. As trombetas comunicam a batalha aos habitantes das ilhas. As trombetas sujeito fem. plur. nom. 1ª decl. æ tubæ comunicam pred.verbal 3ª pes. plur. p. ind. 1ª conj. ant nuntĭant a batalha obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am pugnam aos habitantes obj. indir masc. plur dat. 1ª decl. is incŏlis das ilhas c. especif. fem. plur. gen. 1ª decl. ārum insulārum Tubæ insulārum incŏlis pugnam nuntĭant. Louvai a prudência dos marinheiros e a amizade dos agricultores Louvai pred. verbal 2ª pes. plur. imper. 1ª conj. āte laudāte a prudência obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am prudentĭam dos marinheiros c. especif. masc. plur. gen. 1ª decl. ārum nautārum e conjunção palavra indeclinável et a amizade obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am amicitĭam dos agricultores c. especif. masc. plur. gen. 1ª decl. ārum agricolārum Nautārum prudentĭam et agricolārum amicitĭam laudāte. 13. 4 - Exercícios: (fazer a análise sintática completa, de acordo com os exemplos acima) Tradução Pugna nautārum est causa victorĭæ et glorĭæ. Sapientĭa erit glorĭa incolārum Graeciae. Lingŭa saepe est causa discordĭæ. Statŭæ deārum sunt aurĕæ. Umbra silvārum iucunda (agradável) poētis. Versão Minerva foi a deusa da sabedoria. Ó poetas, sois a glória da pátria. As filhas dos habitantes da terra são criadas da rainha. A economia é a glória dos agricultores. A audácia será freqüentes vezes (saepe) causa de discórdias. 14 - Segunda Declinação Os nomes da segunda declinação têm no genitivo singular a desinência i , como romānus, i (masc.) = romano; liber, libri (masc.) = livro; vir, i (masc.) = varão, homem; bellum, i (neutro) = guerra. Pelos exemplos acima, percebe-se que o nominativo singular tem mais de uma terminação: us, er, ir, um. Às três primeiras terminações pertencem, principalmente, nomes masculinos, salvo alguns femininos terminados em us; a um pertencem os nomes neutros. A maioria dos nomes desta declinação são terminados em us; um número menor termina em er; há uma só palavra em ir ( vir, i = varão/homem) e muitos nomes neutros em um. Os nomes neutros têm três casos iguais, no singular e no plural: nominativo, acusativo e vocativo ( um – singular; a – plural). O vocativo para os nomes em us é e; para os nomes em er, ir, um é a mesma terminação do nominativo. Segue-se o quadro das desinências da segunda declinação, em que m = masculino; f = feminino; n = neutro: Singular Plural m.f. m. vir n. m.f. m. vir n. 21
  • 22. Nominativo us er ir um i i i a Genitivo i orum Dativo o is Acusativo um os os os a Vocativo e er ir um i i i a Ablativo o is Para declinar um nome, basta saber-lhe o genitivo singular para identificar o radical (é só tirar a desinência i do genitivo singular) e acrescentar as outras desinências. Declinem-se: domĭnus, domĭni (m) = senhor - (radical = domin); liber, libri (m) = livro – (radical = libr); bellum, belli (n) = guerra – (radical = bell): Singular Plural Nom. domĭnus liber bellum domĭni libri bella Gen. domĭni libri belli dominōrum librōrum bellōrum Dat. domĭno libro bello domĭnis libris bellis Acus. domĭnum librum bellum domĭnos libros bella Voc. domĭne liber bellum domĭni libri bella Abl. domĭno libro bello domĭnis libris bellis Também, na segunda declinação, alguns nomes no plural podem ter mais de um significado: auxilĭum, i (n) = auxílio auxilĭa, ōrum = tropas auxiliares bonum, i (n) = bem bona, ōrum = propriedades, bens castrum, i (n) = castelo castra, ōrum = acampamento militar comitĭum, i (n) = lugar para comí- comitĭa, ōrum = reunião do povo cio hortus, i (m) = jardim horti, ōrum (m) = parque, jardim público ludus i (m) = jogo, divertimento ludi, ōrum (m) = espetáculo público rostrum, i (n) = bico de pássaro rostra, ōrum (n) = tribuna do orador Outros são usados só no plural: arma, ōrum (n) = armas libĕri, ōrum (m) = meninos, filhos 14.1- Particularidades: Às vezes, o genitivo singular pode apresentar dois ii, pois um já está no radical: fluvĭus, i (m) = rio radical = fluvi gen. sing. = fluvĭi filius, i (m) = filho radical = fili gen. sing. = filĭi auxilĭum, i (n) = auxílio radical = auxilĭ gen. sing. = auxilĭi Deus, Dei (m) = Deus, agnus, agni (m) = cordeiro e chorus, chori (m) = coro têm o vocativo igual ao nominativo. Meus = meu; filĭus = filho; genĭus = gênio, têm o vocativo singular terminado em i: mi, fili, geni. Os nomes próprios de pessoas, cujo nominativo termina em ius, têm também o vocativo singular com um só i. Exemplos: Vergīli (sem o macron no 1º i), vocativo de Vergilĭus (Virgílio); Antoni, vocativo de Antonĭus (Antônio). Porém o vocativo de Darīus (Dario) e de Pius (Pio) será Darīe e Pie. A palavra Deus tem a seguinte declinação: Singular Plural Nom. Deus Dei, dii ou di Gen. Dei Deōrum ou deum Dat. Deo Deis, diis ou dis Acus. Deum Deos Voc. Deus Dei, dii ou di Abl. Deo Deis, diis ou dis O dativo e o ablativo plural da 2ª declinação é igual da 1ª declinação: is. Isso traz confusão em alguns nomes, como: 22
  • 23. filĭa, æ (f) = filha - dativo e ablativo plural = filĭis Filĭus, i (m) = filho – dativo e ablativo plural = filĭis Como saber se filĭis refere-se a filhos ou a filhas? Adota-se, nesse caso, o emprego da desinência ābus para o dativo e o ablativo plural da 1ª declinação. Assim, filiābus para filhas e filĭis para filhos. A seguir, outros nomes que podem trazer dúvidas e que são resolvidos com a desinência ābus para o dativo e o ablativo plural: 1ª declinação dativo e ablativo plural anĭma, æ (f) = alma animābus dea, deæ (f) = deusa deābus famŭla, æ (f) = serva famulābus nata, æ (f) = filha natābus mula, æ (f) = mula mulābus 2ª declinação dativo e ablativo plural anĭmus, i (m) = espírito anĭmis deus, dei (m) = deus diis ou deis famŭlus, i (m) = servo famŭlis natus, i (m) = filho natis mulus, i (m) = mulo mulis 14.2 - Observem-se os vocabulários, as traduções e as versões (com análise sintática completa) a seguir: Tradução Vocabulário fugo, as, āvi, ātum, āre = afugentar hortus, i (m) = jardim alūmnus, i (m) = aluno lupus, i (m) = lobo amīcus, i (m) = amigo herus, i (m) = patrão eqŭus, i (m) = cavalo servus, i (m) = criado recūso, as, āvi, ātum, āre = recusar rivus, i (m) = riacho circūmdo, as, āvi, ātum, āre = circundar anĭmus, i (m) = disposição inquĭno, as, āvi, ātum, āre = sujar præmium, i (n) = prêmio impĭus, i (m) = ímpio ripa, æ (f) = margem magīster, magīstri (m) = mestre, professor Deus alūmnis ac magīstris anĭmum donat Deus sujeito masc. sing. nom. 2ª decl. us Deus alūmnis obj. indir. masc. plur. dat. 2ª decl. is aos alunos ac conjunção palavra indeclinável e magīstris obj. indir. masc. plur. dat. 2ª decl. is aos mestres anĭmum obj. dir. masc. sing. acus. 2ª decl. um disposição donat pred. verbal 3ª pes. sing. p. ind. 1ª conj. at dá Deus dá disposição aos alunos e aos mestres. Famŭli heri eqŭos fugant in ripa fluvĭi. Famŭli sujeito masc. plur.. nom.. 2ª decl. i os servos heri c. especif. masc. sing. gen. 2ª decl. i do patrão eqŭos obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os os cavalos fugant pred. verbal 3ª pes. plur. p. ind. 2ª conj. ant afugentam in ripa c.lugar/onde fem. sing. in+abl. 1ª decl. a na margem fluvĭi c. especif. masc. sing. gen. 2ª decl. i do rio Os servos do patrão afugentam os cavalos na margem do rio. Lupi rivōrum et fluviōrum aqŭas inquinābant. . Lupi sujeito masc. plur. nom. 2ª decl. i os lobos rivōrum c. especif. masc. plur. gen. 2ª decl. orum dos riachos 23
  • 24. et conjunção palavra indeclinável e fluviōrum c. especif. masc. plur. gen. 2ª decl. orum dos rios aqŭas obj. ddir. fem. plur. acus. 1ª decl. as as águas inquinābant pred. verbal 3ª pes. plur. imp.ind. 1ª conj. abant sujavam Os lobos sujavam as águas dos riachos e dos rios. Versão Vocabulário ornamento, enfeite = ornamentum, i (n) prata = argentum, i (n) ouro = aurum, i (n) burro = asinus, i (m) criar = creo, as, āvi, ātum, āre servo = servus, i (m) apreciar = existĭmo, as, āvi, ātum, āre prudência = prudentĭa, æ (f) gabar = prædĭco, as, āvi, ātum, āre paciência = patientĭa, æ (f) surrar = verbēro, as, āvi, ātum, āre colega = socĭus, i (m) cordeiro = agnus, i (m) romano = romānus, i (m) senhor = domĭnus, i (m) amigo = amīcus, i (m) Horácio = Horatĭus, i (m) Augusto = Augūstus, i (m) erva = herba, æ (f) Observação: romano, quando se refere ao povo, é com inicial maiúscula. Horácio, poeta romano, foi amigo de Augusto. Horácio sujeito masc. sing. nom. 2ª decl. us Horatĭus poeta aposto/suj. masc. sing. nom. 1ª decl. a poēta romano atributo/aposto masc. sing. nom. 2ª decl. us romānus foi pred. nom. 3ª pes. sing. perf.ind v.Esse it fuĭt amigo predic.suj. masc. sing. nom. 2ª decl. us amīcus de Augusto c. especif. masc. sing. gen. 2ª decl. i Augūsti Horatĭus, poēta romānus, Augūsti amicus fuit. Deus dará prudência e paciência aos filhos e às filhas dos servos. Deus sujeito masc. sing. nom. 2ª decl. us Deus dará pred. verbal 3ª pes. sing. fut. I 1ª conj. abit dabit prudência obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am prudentĭam e conjunção palavra indeclinável et paciência obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am patientĭam aos filhos obj. ind. masc. plur. dat. 2ª decl. is filĭis e conjunção palavra indeclinável et às filhas obj. ind. fem. plur. dat. 1ª decl. abus filiābus dos servos c. especif. masc. plur. gen. 2ª decl. orum servōrum Servōrum filĭis et filiābus Deus prudentĭam et patientĭam dabit. Senhor, criastes as rosas e as ervas dos jardins Senhor vocativo masc. sing. voc. 2ª decl. e Domĭne criastes pred. verbal 2ª pes. sing. perf.ind. 1ª conj. istis criavīstis as rosas obj. dir. fem. plur. acus. 1ª decl. as rosas e conjunção palavra indeclinável ac as ervas obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. as herbas dos jardins c. especif. masc. plur. gen. 2ª decl. orum hortōrum Domĭne, hortōrum rosas ac herbas criavīstis. 15 - Adjetivos de Primeira Classe 24
  • 25. Os adjetivos , em latim, estão distribuídos em dois grupos principais: primeira classe e segunda classe. Por primeira classe endendem-se os adjetivos que seguem a primeira declinação no feminino e a segunda no masculino e no neutro. Os adjetivos de segunda classe seguem a terceira declinação, como será estudado posteriormente. Declinação de bonus, a, um = bom Singular Plural m f n m f n Nominativo bonus bona bonum boni bonæ bona Genitivo boni bonæ boni bonōrum bonārum bonōrum Dativo bono bonæ bono bonis bonis bonis Acusativo bonum bonam bonum bonos bonas bona Vocativo bone bona bonum boni bonæ bona Ablativo bono bona bono bonis bonis bonis 15. 1 - Declinem-se como bonus, a, um: tuus, a, um = teu purus, a, um = puro rarus, a, um = raro insānus, a, um = louco, insano altus, a, um = alto sanus, a, um = são dignus, a, um = digno parvus, a, um = pequeno sacer, sacra, sacrum = sagrado piger, pigra, pigrum = preguiçoso multus, a, um = muito liber, libĕra, libĕrum = livre pulcher, pulchra, pulchrum = belo vafer, vafra, vafrum = astuto magnus, a, um = grande deprēssus, a, um = baixo novus, a, um = novo notus, a, um = conhecido antiqŭus, a, um = antigo pius, a, um = piedoso suus, a, um = seu meus, a, um = meu verus, a, um = verdadeiro carus, a, um = caro, querido Nota: sempre a 1ª desinência (us) é masculino – segunda declinação; a 2ª (a) é feminino – primeira declinação; a 3ª (um) é neutro – segunda declinação. Os neutros têm os três casos iguais – nom.; acus.; voc. – no singular em um e no plural em a. O adjetivo concorda com o substantivo a que se refere em gênero, número e caso. É sempre um atributo do nome. 15. 2 - Observem-se os exemplos a seguir: O prêmio do bom aluno é causa de alegria aos grandes mestres, aos verdadeiros colegas e à digna família. O prêmio sujeito neut. sing. nom. 2ª decl. um præmĭum do bom atrib./c.esp. masc. sing. gen. 2ª decl. i boni aluno c. especif. masc. sing. gen. 2ª decl. i alūmni é pred. nom. 3ª pes. sing. pres.ind. v. Esse st est causa predic./suj. fem. sing. nom. 1ª decl. a causa de alegria c. especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ lætitĭæ aos grandes atrib./c.nom. masc. plur. dat. 2ª decl. is magnis mestres compl.nom. masc. plur. dat. 2ª decl. is magīstris aos verdadeiros atrib./c.nom. masc. plur. dat. 2ª decl. is veris colegas compl.nom. masc. plur. dat. 2ª decl. is socĭis e conjunção palavra indeclinável ac à digna atrib./c.nom. fem. sing. dat. 1ª decl. æ dignæ família compl.nom. fem. sing. dat. 1ª decl. ae familĭæ Præmĭum boni alūmni magnis magīstris, veris socĭis ac dignæ familĭæ lætitĭa causa est. Multa ac sacra ornamēnta auri et argenti in pulchris templis veri Dei sunt. Multa atrib./suj. neut. plur. nom. 2ª decl. a muitos 25
  • 26. ac conjunção palavra indeclinável e sacra atrrib./suj. neut. plur. nom. 2ª decl. a sagrados ornamēnta sujeito neut. plur. nom. 2ª decl. a ornamentos auri c. especif. neut. sing. gen. 2ª decl. i de ouro et conjunção palavra indeclinável e argēnti c. especif. neut. sing. gen. 2ª decl. i de prata in pulchris atrib./c.lug. neut. plur. in+abl. 2ª decl. is nos belos templis c.lugar/onde neut. plur. abl. 2ª decl. is templos veri atrib./c.esp. masc. sing. gen. 2ª decl. i do verdadeiro Dei c. especif. masc. sing. gen. 2ª decl. i Deus sunt pred. verbal 3ª pes. plur. pres.ind. v. Esse unt estão Muitos e sagrados ornamentos de ouro e de prata estão nos belos templos do verdadeiro Deus. 16 - Complementos Adverbiais (adjuntos adverbiais) 1 ) Complemento de companhia Indica a pessoa ou a coisa com que se faz algo. Traduz-se, em latim, com o caso ablativo, precedido da preposição cum. Exemplos: Passeio com a minha professora = cum mea magīstra ambŭlo. Combatemos com os bons amigos = cum bonis amīcis pugnāmus. 2 ) Complemento de meio ou de instrumento Indica a pessoa, o animal ou a coisa por meio de quem ou por meio de que se faz alguma ação. Traduz-se pelo caso ablativo (ablativo simples – sem preposição). Exemplos: Escrevo com a caneta = scribo calămo. Trabalho com os braços = labōro brachĭis. 3 ) Complemento de modo Indica a maneira de acordo com a qual se faz alguma ação, respondendo à pergunta como? ou de que modo? Traduz-se com o caso ablativo, precedido pela preposição cum. Exemplos: Combatemos o mal com justiça = cum justitĭa malum pugnāmus. Os santos toleram as injúrias com paciência = sancti iniūras tolĕrant cum patientĭa. Não há como confundir o complemento de modo com o complemento de companhia, pois somente aquele pode converter-se em um advérbio: defendo a pátria com alegria = defendo a pátria alegremente ( cum lætitĭa patriam defĕndo). 4 ) Complemento de causa Indica a causa ou o motivo por que se faz algo, sempre respondendo a por quê? Por causa de quê? Há duas maneiras de ser traduzido: com o ablativo simples (sem preposição) ou com o acusativo precedido por ob ou propter. Exemplos: Choro por causa de tua negligência = ploro tua negligentĭa ou ploro propter (ob) tuam negligentĭam. Os romanos eram valorosos por causa das guerras = Romāni bellis strenuĭ erant ou Romāni ob (propter) bella strenuĭ erant. 5 ) Complemento de tempo: quando? Indica o tempo em que se realiza a ação. Vai para o ablativo simples (sem preposição). Exemplos: Meu amigo voltará no próximo ano = amīcus meus revertet anno ventūro. Antônio levanta-se na primeira hora = Antonĭus surgit prima hora. 6 ) Complemento de tempo: por quanto tempo? Indica o tempo que se gasta para fazer-se alguma coisa. Traduz-se com o acusativo simples ou com o acusativo precedido pela preposição per. Exemplos: Lutei por quatro horas = pugnāvi quattŭor horas ou pugnāvi per quattŭor horas. A aula continuou por muitas horas = aula continuāvit multas horas ou aula continuāvit per multas horas. 7 ) Complemento de lugar: onde? Indica onde se está ou onde se faz alguma coisa. Vai para o ablativo precedido pela preposição in. Exemplos: Estamos na sala de aula = sumus in schola. Moro num quarto pequeno = habĭto in cubĭculo parvo. Complemento de lugar: donde? 26
  • 27. Indica procedência, ou seja, lugar do qual alguém vem ou se afasta. Traduz-se com o ablativo precedido por uma das preposições: a (ab), e (ex), de.Nota: ab e ex quando a palavra seguinte começa por vogal ou h. Exemplos: Fujo da floresta = fugĭo a (ou e, de) silva. Venho da Itália: Venĭo ab (ex) Italĭa. 9 ) Complemento de lugar: por onde? Indica o lugar por meio do qual se passa, precedido, em português, pelas preposições através de ou por. Em latim, vai para o acusativo com a preposição per. Exemplos: O mestre passa pelo pátio = magīster transit per arĕam. Os caminhos atrravés das matas são difíceis = viæ per silvas ardŭæ sunt. 10 ) Complemento de lugar: para onde? Indica o lugar para o qual alguém se dirige. Este complemento só acontece com verbos que expressam movimento, havendo mudança de lugar. Em português, é precedido pelas preposições em, a, para. Em latim, vai para o acusativo com a preposição in ou ad. Exemplos: Eles vêm ao Brasil = Illi venĭunt in (ad) Brasiliam.Vou para o jardim = vado ad (in) hortum. 16. 1 A seguir, algumas traduções e versões de orações em que há complementos adverbiais. Vocabulário cubo, as, āvi, ātum, āre = descansar intro, as, āvi, ātum, āre = entrar explĭco, as, āvi, ātum, āre = explicar pratum, i (n) = prado ager, agri (m) = campo venēnum, i (n) = veneno extermĭno, as, āvi, ātu, āre = exterminar labōro, as, āvi, ātum, āre = trabalhar habĭto, as, āvi, ātum, āre = morar, habitar semper = sempre (advérbio) sed = mas, porém (conjunção) canto, as, āvi, ātum, āre = cantar longus, a, um = longo, extenso verbum, i (n) = palavra incrĕpo, as, āvi, ātum, āre = repreender durus, a, um = duro ploro, as, āvi, ātum, āre = chorar prospĕrus, a, um = próspero duro, as, āvi, ātum, āre = durar sæcŭlum, i (n) = século antiqŭus, a, um = antigo advĕna, æ (m) = estrangeiro noster, nostra, nostrum = nosso lingŭa, æ (f) = língua latinus, a, um = latino pecunĭa, æ (f) = dinheiro gener, genĕri = genro benefĭcus, a, um = benéfico præcēptum, i (n) = preceito eques, equĭtes (m) = cavaleiro incĭto, as, āvi, ātum, āre = incitar, fustigar indecōrus, a, um, = indecoroso, inconveniente inscĭus, a, um = ignorante molēstus, a, um = prejudicial perniciōsus, a, um = perigoso, pernicioso frugĭfer, frugifĕra, frugifĕrum = útil, fértil puer, i (m) = menino exspēto, as, āvi, ātum, āre = eperar orno, as, āvi, ātum, āre = enfeitar, ornar calămus, i (m) = caneta gladĭus, i (m) = espada aurum, i (n) = ouro argēntum, i (n) = prata strenŭus, a, um = valoroso multum = muito (advérbio) continŭus, a, um = contínuo bellum, i (n) = guerra territorĭum, i (n) = território expugnātus, a, um = conquistado immensus, a, um = imenso secundus, a, um = segundo tribunus, i (m) = tribuno signum, i (n) = sinal vallum, i (n) = trincheira I - a ) Petrus cum amīcis suis in pulchra prata et in longos agros insŭlæ intravērunt cum multa lætitĭa. Petrus sujeito masc. sing. nom. 2ª decl. us Pedro cum amīcis compl. comp. masc. plur. cum+ac. 2ª decl. is com amigos suis atrib./c.comp masc. plur. ablat. 2ª decl. is seus in pulchra at.c.lug.p/onde neut. plur. in+acus. 2ª decl. a nos belos prata c.lug.p/onde neut plur. acus. 2ª decl. a prados et conjunção palavra indeclinável e in longos at.c.lug.p/onde masc. plur. in+acus. 2ª decl. os extensos agros c.lug.p/onde masc. plur. acus. 2ª decl. os campos insŭlæ comp.especif. fem. sing. gen. 1ª decl. æ da ilha intravērunt pred.verbal 3ª pes. plur. perf.ind. 1ª conj. ērunt entraram cum multa atrib.c.modo fem. sing. cum+abl. 1ª decl. a com muita lætitĭa comp.modo fem. sing. ablat. 1ª decl. a alegria 27
  • 28. Pedro com seus amigos entraram nos belos prados e nos extensos campos da ilha, com muita alegria. b) Ob negligentĭam magīster cum verbis duris pigros discipŭlos increpŭit. Ob negligentĭam compl.causa fem. sing. ob+acus. 1ª decl. am por causa da negligência magīster sujeito masc. sing. nom. 2ª decl. er o mestre cum verbis compl.modo neut. plur. cum+abl. 2ª decl. is com palavras duris atrib./c.modo neut. plur. ablat. 2ª decl. is duras pigros atrib./obj.dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os preguiçosos discipŭlos obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os alunos increpŭit pred. verbal 3ª pes. sing. perf. ind. 1ª conj. it repreendeu Por causa da negligência, o mestre repreendeu os alunos preguiçosos, com palavras duras II - a) O Grande Império Romano durou muitos e prósperos séculos, no mundo antigo. O Grande atrib.sujeito neut. sing. nom. 2ª decl. um Magnum Império sujeito neut. sing. nom. 2ª decl. um Imperĭum Romano atrib.sujeito neut. sing. nom. 2ª decl. um Romānum durou pred. verbal 3ª pes. sing. perf. ind. 1ª conj. it durāvit muitos atrib./obj.dir. neut. plur. acus. 2ª decl. a multa e conjunção palavra indeclinável ac prósperos atrib./obj. dir. neut. plur. acus. 2ª decl. a prospĕra séculos obj. dir. neut. plur. acus. 2ª decl. a sæcŭla no mundo compl. tempo masc. sing. ablat. 2ª decl. o mundo antigo atrib./c. tempo masc. sing. ablat. 2ª decl. o antiqŭo Magnum Imperĭum Romānum multa ac prospĕra sæcŭla durāvit, mundo antiqŭo. b) Os estrangeiros exterminarão seus inimigos com veneno, na ilha dos agricultores. Os estrangeiros sujeito masc. plur. nom. 1ª decl. æ advĕnæ exterminarão pred. verbal 3ª pes. plur. fut. I 1ª conj. ābunt exterminābunt seus atrib. obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os suos inimigos obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os inīmicos com veneno compl. meio neut. sing. ablat. 2ª decl. o venēno na ilha c. lug.onde fem. sing. in+abl. 1ª decl. a in insŭla dos agricu.ltores compl. especif. masc. plur. gen. 1ª decl. ārum agricolārum Advĕnæ venēno suos inīmicos exterminābunt, in insŭla agricolārum. 17 - Segunda Conjugação Ativa Conjugação de delĕo, es, delēvi, ētum, ēre = destruir Modo indicativo Presente Imperfeito Futuro I destruo destruía destruirei del-ĕo del-ēbam del-ēbo del-es del-ēbas del-ēbis del-et del-ēbat del-ēbit del-ēmus del-ebāmus del-ebĭmus del-ētis del-ebātis del-ebĭtis del-ent del-ēbant del-ēbunt Perfeito Mais-que-perfeito Futuro II destruí destruíra terei destruído delē-vi delev-ĕram delev-ēro 28
  • 29. delev-īsti delev-ĕras delev-ĕris delēv-i delev-ĕrat delev-ĕrit delev-ĭmus delev-erāmus delev-erĭmus delev-īstis delev-erātis delev-erĭtis delev-ērunt delev-ĕrant delev-ĕrint Modo subjuntivo Presente Imperfeito Destrua destruísse del-ĕam del-ērem del-ĕas del-ēres del-ĕat del-ĕret del-eāmus del-erēmus del-eātis del-erētis del-ĕant del-ērent Perfeito Mais-que-perfeito tenha destruído tivesse destruído delev-ĕrim delev-īssem delev-ĕris delev-īsses delev-ĕrit delev-īsset delev-erĭmus delev-issēmus delev-erĭtis delev-issētis delev-ĕrint delev-īssent Imperativo presente - del-e = destrói (tu) - del-ēte = destruí (vós) Infinito presente - del-ēre = destruir Infinitivo perfeito - delev-īsse = ter destruído Particípio presente - del-ens, -ēntis = destruindo Supino - del-ētum = para destruir 17.1 - Verbos da 2ª conjugação replĕo, es, ēvi, ētum, ēre = encher vidĕo, es, vidi, visum, ēre = ver delĕo , es, ēvi, ētum, ēre = apagar, destruir augĕo, es, auxi, auctum, ēre = acrescentar, aumentar admonĕo, es, ŭi, ĭtum, ēre = admoestar placĕo, es, plācui, ĭtum, ēre = agradar terrĕo, es, terrŭi, terrĭtum, ēre = amedrontar fleo, es, flevi, fletum, ēre = chorar debĕo, es, debŭi, debĭtum, ēre = dever implĕo, es, ēvi, ētum, ēre = encher abolĕo, es, ēvi, ĭtum, ēre = abolir, riscar ardĕo, es, arsi, arsum, ardēre = arder cavĕo, es, cavi, cautum, cavēre = acautelar-se censĕo, es,censŭi, censum, ēre = recensear docĕo, es, docŭi, doctum, ēre = ensinar (acusativo duplo- coisa ensinada e pessoa a quem se ensina) favĕo, es, favi, fautum, ēre = favorecer habĕo, es, habŭi, habĭtum, ēre = ter iubĕo, es, iūssi, iūssum, iubēre = mandar indulgĕo, es, indulsi, indultum, ēre = perdoar 17.2 – Exercícios: fazer análise sintática completa 1 ) Tradução - In schola, lingŭæ latīnæ magīster discipŭlos bonos habēbat. - Genĕro meo pecunĭa non est benefĭca. - Cum multa lætitĭa, puēllæ ac puĕri agricolārum insŭlæ cum regina ambŭlant. - Lupus cum patientĭa agnum exspectāvit, per multas horas. 29
  • 30. - Magīstræ ac magīstri alūmnos , calămis et libris, lingŭam latinam docēbant. 2 ) Versão a) - o próximo ano, os mestres favorecerão os alunos diligentes e admoestarão os negligentes, com palavras ásperas. b) - Aboliremos os inimigos da pátria não com ouro e com prata, mas com a espada. c) - Os romanos eram muito valorosos por causa dos grandes combates e das contínuas guerras, nos imensos territórios conquistados. d) - Na segunda hora, os tribunos darão o sinal da batalha, pelos campos e estradas do território inimigo. e) - Na guerra, as mulheres, as meninas e os meninos entram nas trincheiras, nos jardins e nas florestas. 18 - Terceira Declinação O genitivo singular da 3ª declinação é sempre terminado em is, com palavras masculinas, femininas e neutras. Estes têm terminação especial; os masculinos e os femininos são declinados identicamente. Masculinos e femininos Os masculinos e os femininos da 3ª declinação podem ser parissílabos ou imparissílabos. Parissílabos são os substantivos que no genitivo singular têm o mesmo número de sílabas que no nominativo. Exemplos: nom. o-vis; gen. o-vis (f) = ovelha: nom. ci-vis; gen. ci-vis (m) = cidadão. Imparissílabos são os substantivos que no genitivo singular não têm o mesmo número de sílabas que no nominativo. Exemplos: nom. vir-tus; gen. vir-tu-tis (f) = virtude;nom. ar-bor; gen. ar-bo-ris (f) = árvore. 18.1 - Os imparissílabos têm as seguintes desinências: Casos Singular Plural Nom. várias terminações es Gen. is um Dat. i ibus Acus. em es Vocat igual ao nominativo es Ablat. e ibus Observações: a) O nominativo singular na 3ª declinação não têm uma desinência igual para todos os nomes. O dicionário traz esta terminação. b) O tema, como já foi dito, é obtido tirando-se a desinência do genitivo singular. Exemplos: homo, homĭnis (homem) - tema = homin; miles, milĭtis (soldado) - tema = milit. Declinação de virgo, virgĭnis (f) = virgem (imparrissílabo) Casos Singular Plural Nom. virgo virgĭnes Gen. virgĭnis virgĭnum Dat. virgĭni virginĭbus Acus. virgĭni virgĭnes Vocat. virgo virgĭnes Ablat. virgĭne virginĭbus Importante - Embora não sejam imparissílabos (são parissílabos), os substantivos abaixo são declinados como virgo, virgĭnis: pater, patris (m) = pai mater, matris (f) = mãe frater, fratris (m) = irmão accipĭter, accipĭtris (m) = gavião iuvĕnis, is (m) = jovem senex, senis (m) = velho canis, canis (m) = cão panis, panis (m) = pão sedes, sedis (f) = sede, morada vates, vatis (m) = profeta 30
  • 31. Vocabulário leo, leōnis (m) = leão orātor, oratōris (m) = orador mos, moris (m) = costume odor, odōris (m) = odor venātor, venatōris (m) = caçador nubes, nubis (f) = nuvem hospes, hospēdis (m) = hóspede sol, solis (m) = sol sermo, sermōnis (m) = sermão victor, victōris (m) = vencedor potēstas, potestātis (f) = poder ars, artis (f) = arte laus, laudis (f) = louvor custos, custōdis (m) = guarda lex, legis (f) = lei dux, ducis (m) = comandante actĭo, actiōnis (f) = ação obses, obsĭdis (m) = refém scriptor, scriptōris (m) = escritor rex, regis (m) = rei flos, floris (m) = flor sacērdos, sacerdōtis (m) = sacerdote homo, homĭnis (m) = homem virtus, virtūtis (f) = virtude imperātor, imperatōris (m) = imperador volūptas, voluptātis (m) = volúpia 18.2 - Genitivo plural em ium Têm o genitivo plural em ium os seguintes substantivos da 3ª declinação: • Os substantivos imparissílabos que têm duas consoantes diante da desinência: gens, gentis (gente) - gen. pl. = gentĭum nox, noctis (noite) - gen. pl. = noctĭum ars, artis (arte) - gen. pl. = artĭum urbs, urbis (cidade) - gen. pl. = urbĭum • Os substantivos parissílabos (no genitivo singular têm o mesmo número de sílabas que no nominativo): navis, navis (navio) - gen. pl. = navĭum vulpes, vulpis (raposa) - gen. pl. = vulpĭum avis, avis (ave) - gen. pl. = avĭum civis, civis (cidadão) - gen. pl. = civĭum 18.3 - Acusativo em im e ablativo em i Têm o acusativo singular em im e o ablativo singular em i: • Os nomes próprios de cidades e rios cujo nominativo acaba em is: Tibĕris, is (Tibre) - acus. sing. = Tibĕrim; abl. sing. = Tibĕri Neapŏlis, is (Nápoles) – acus. sing. = Neapŏlim; abl. sing. = Neapŏli • Estes cinco substantivos femininos: amūssis, is = nível buris, is = rabiça (do arado) ravis, is = rouquidão sitis, is = sede (sêde) tussis is = tosse 18.4 - Declinação irregular Iuppĭter (m) = Júpiter, declina-se: Iuppĭter, Iōvis, Iōvi, Iōvem, Iuppĭter, Iove Vis (f) = força, não tem nem genitivo, nem dativo singular, sendo substituída por robur, robŏris (n = força). A declinação de vis é: singular - vis, robŏris, robŏri, vim, vis, vi plural - vires, virĭum, virĭbus, vires, vires, virĭbus 18.5 - Neutros Declinação de tempus, tempōris (n) = tempo 31
  • 32. Casos Singular Plural nominativo tempus tempŏra genitivo tempŏris tempŏrum dativo tempŏri tempōribus acusativo tempus tempŏra vocativo tempus tempŏra ablativo tempŏre tempōribus Nota: Os neutros têm desinências iguais nos casos retos (nominativo, acusativo e vocativo). Exercício: Declinem-se como tempus, tempŏris os seguintes substantivos neutros: nomen, nomĭmis = nome caput, capĭtis = cabeça iēcur, iēcuris = fígado iter, itinĕris = viagem, caminho corpus, corpŏris = corpo robur, robŏris = força 18.6 - Particularidades dos neutros • cor, cordis (= coração); ius, iūris (= direito); os, ossis (= osso) têm o genitivo plural em ium: cordĭum, iurĭum, ossĭum. • Os neutros , cujo nominativo singular termina em e, al, ar têm as seguintes variantes: ablativo singular em i; casos retos do plural em ia; genitivo plural em ium Declinação de tribŭnal, tribunālis (=tribunal). Casos Singular Plural nominativo tribŭnal tribunalĭa genitivo tribunālis tribunalĭum dativo tribunāli tribunālibus acusativo tribŭnal tribunalĭa vocativo tribŭnal tribunalĭa ablativo tribunāli tribunālibus Seguem a declinação de tribŭnal, tribunālis: cochlĕar, cochleāris = colher pulvīnar, pulvināris = travesseiro calcar, calcāris = espora vectĭgal, vectigālis = imposto mare, maris = mar ovīle, ovīlis = redil rete, retis = rede 18.7 - Exercícios: Observem-se as frases analisadas abaixo e faça-se a análise sintática completa das traduções e versões que vêm em seguida: 1) - Os mares são causas das chcuvas Os mares sujeito neut. plur. nom. 3ªdecl. ia marĭa são pred. nom. 3ª pes. plur. p.ind. v. Esse nt sunt causas predic. suj. fem. plur. nom. 1ª decl. æ causæ das chuvas c. especif. fem. plur. gen. 1ª decl. arum pluviārum Marĭa pluviārum causæ sunt. As esporas dos cavaleiros incitam os grandes cavalos preguiçosos. As esporas sujeito neut. plur nom.. 3ª decl. ia calcarĭa 32
  • 33. dos cavaleiros c. especif. masc. plur. gen. 3ª decl. um equĭtum incitam pred. verbal 3ª pes. plur. p. ind. 1ª conj. ant incĭtant os grandes atrib./obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os magnos cavalos obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os eqŭos preguiçosos atrib./obj. dir. masc. plur. acus. 2ª decl. os pigros Equĭtum calcarĭa magnos eqŭos pigros incĭtant. 2)- Magīstri non amant sermōnes stultōrum ac indecorōrum discipulōrum in schola. Magīstri sujeito masc. plur. nom. 2ª decl. i os mestres non advérbio de negação palavra indeclinável não amant Pred. verbal 3ª pes. plur. p. ind. 1ª conj. ant amam (gostam) sermōnes obj. dir. masc. plur. acus. 3ª decl. os os discursos stultōrum atrib./c. esp. masc. plur. gen. 2ª decl. orum insensatos ac conjunção palavra indeclinável e indecorōrum atrib./c. esp. masc. plur. gen. 2ª decl. orum inconvenientes discipulōrum c. especif. masc. plur. gen. 2ª decl. orum dos alunos in schola c. lug.onde fem. sing. in+abl. 1ª decl. a na escola Os mestres não gostam (dos) discursos dos alunos insensatos e inconvenientes, na escola. Exempla et præcepta patris ac matris filĭis et filiābus frugĭfera sunt. Exempla sujeito neut. plur. nom. 2ª dec l a os exemplos et conjunção palavra indeclinável e præcepta sujeito neut. plur. nom. 2ª decl. a os preceitos patris c. especif. masc. sing. gen. 3ª decl. is do pai ac conjunção palavra indeclinável e matris c. especif. fem. sing. gen. 3ª decl. is da mãe filĭis compl. nom. masc. plur. dativo 2ª decl. is aos filhos et conjunção palavra indeclinável e filiābus compl. nom. fem. plur. dativo 1ª decl. ābus às filhas frugĭfera predic. sujeito neut. plur. nom. 2ª decl. a úteis sunt pred. nom. 3ª pes. plur. p. ind. v. Esse nt são Os exemplos e os preceitos do pai e da mãe são úteis aos filhos e às filhas. Vocabulário gens, gentis (f) = gente natio, natiōnis (f) = nação orīgo, origĭnis (f) = origem obscūrus, a, um = obscuro, tenĕbra, æ (f) = treva inscĭus, a, um = ignorante molēstus, a, um = prejudicial perniciōsus, a, um = perigoso historĭcus, i (m) = historiador mos, moris (m) = costume urbs, urbis (f) = cidade avis, av is (f) = ave pilum, i (n) = pêlo muto, as. āvi, ātum, āre = mudar timĕo, es, timŭi, temēre = temer poena, æ (f) = castigo, pena delīctum, i (n) = crime, delito somnus, i (m) = sono imāgo, imagĭnis (f) = imagem mors, mortis (f) = morte studiōsus, a, um = estudioso littĕra, æ (f) letra venātor, is (m) = caçador notus, a, um = conhecido astutĭa, æ (f) = astúcia paro, as, āvi, ātum, āre = causar pericŭlum, i (n) = perigo Cicĕro, Cicerōnis (m) = Cícero princeps, princĭpis (m) = príncipe orātor, oratōris (m) = orador iūdex, iudĭcis (m) = juiz severus, a, um = severo honor, honōris (m) = honra damnum, i (n) = dano, prejuízo sed = mas (conjunção) opus, opĕris (n) = obra æternus, a, um = eterno crux, crucis (f) = cruz (a) Iudĭces justi leges severas semper amant. (b) Cicĕro oratōrum romanōrum princeps fuĭt. (c) Bella semper incŏlis urbĭum magna damna paravērunt. (d) Homĭnis tempus opĕra delet, sed Dei opĕræ æternæ sunt. 33
  • 34. (e) Ducum temerĭtas sæpe magnārum cladĭum causa fuit. (a) A origem de muitas e de grandes cidades é obscura. (b) A raposa muda o pêlo, não os costumes. (c ) As astúcias de muitos animais são conhecidas aos grandes e aos bons caçadores. (d) Os prazeres são redes perigosas para os jovens. (e) Os homens malvados não temem os crimes, mas a pena dos crimes. 19 - Segunda Classe dos Adjetivos Os adjetivos cujas desinências são as da 3ª declinação pertencem à Segunda Classe (segundo grupo). Têm as três variantes dos neutros em e, al, ar, isto é: ablativo singular em i; casos retos do plural em ia; genitivo plural em ium. Importante: • Se o dicionário traz o adjetivo com três terminações, a 1ª é do masculino ; a 2ª do feminino e a 3ª do neutro. Exemplos: celer (m), celĕris (f), celĕre (n) = veloz; acer (m), acris (f), acre (n) = agudo. • Se o dicinário traz o adjetivo com duas terminações, a 1ª é do masculino e do feminino, a 2ª do neutro. Exemplos: bevis (m/f), breve (n) = breve, curto, estreito; omnis (m/f), omne (n) = todo. • Se o dicionário traz o adjetivo e a 2ª terminação é is, significa que este is é genitivo singular e a 1ª terminação serve para os três gêneros. Exemplos: velox (m/f/n), velōcis (genitivo singular) = veloz; prudens (m/f/n), prudēntis (genitivo singular) = prudente. Declinação de : acer, acris, acre = agudo omnis, omne = todo ferox, ferōcis = feroz Casos Singular Plural m f n m f n nominativo acer acris acre acres acres acrĭa genitivo acris acris acris acrĭum acrĭum acrĭum dativo acri acri acri acrĭbus acrĭbus acrĭbus acusativo acrem acrem acre acres acres acrĭa vocativo acer acris acre acres acres acrĭa ablativo acri acrfi acri acrĭbus acrĭbus acrĭbus nominativo omnis omnis omne omnes omnes omnĭa genitivo omnis omnis omnis omnĭum omnĭum omnĭum dativo omni omni omni omnĭbus omnĭbus omnĭbus acusativo omnem omnem omne omnes omnes omnĭa vocativo omnis omnis omne omnes omnes omnĭa ablativo omni omni omni omnĭbus omnĭbus omnĭbus Casos Singular Plural m f n m f n nominativo ferox ferox ferox ferōces ferōces ferocĭa genitivo ferōcis ferōcis ferōcis ferocĭum ferocĭum ferocĭum dativo ferōci ferōci ferōci ferocĭbus ferocĭbus ferocĭbus acusativo ferōcem ferōcem ferox ferōces ferōces ferocĭa vocativo ferox ferox ferox ferōces ferōces ferocĭa ablativo ferōci ferōci ferōci ferocĭbus ferocĭbus ferocĭbus 34
  • 35. 19.1 - Adjetivos irregulares Têm o ablativo singular em e e o genitivo plural em um os adjetivos: compos, compŏtis = o que é senhor de, que goza de partĭceps, particĭpis = participante quadrŭpes, quadrupĕdis = quadrúpede dives, divĭtis = rico pauper, paupĕris = pobre supplex, supplĭcis = suplicante vetus, vetĕris = velho cælebs, cælĭbis = solteiro impos, impŏstis = que não é senhor de impūbes, impubĕris = impúbere reses, resĭdis = preguiçoso sospes, sospĭdis = são e salvo supērster, superstĭtis = supérstite, sobrevivente teres, terĭtis = redondo versicŏlor, versicolōris = furtacor Já os seguintes adjetivos podem ter o ablativo singular em e ou em i: ales, alĭtis = alado cicur, cicŭris = manso, domado degĕner, degenĕris = vil, degenerado immĕmor, immemōris = esquecido inops, inŏpis = pobre memor, memŏris = que se lembra uber, ubĕris = fecundo vigel, vigĭlis = atento 19.2 - Exercícios: • Declinem-se: salūber, salūbris, salūbre = saudávl alăcer, alăcris, alăcre = álacre, esperto, pronto terrēster, terrēstris, terrēstre = terrestre palūster, palūstris, palūstre = palustre, paludoso silvēster, silvēstris, silvēstre = silvestre celĕber, celĕbris, celĕbre = célebre equēster, equēstris, equēstre = eqüestre terribĭlis, terribĭle = tgerrível fidēlis, fidēle = fiel virĭdis, virĭde = verde constans, constāntis = constante audax, audācis = audaz vehĕmens, vehemēntis = veemente prudens, prudēntis = prudente • Analisem-se as traduções e versões a seguir, observando-se os exemplos abaixo, após o vocabulário: Vocabulário carmen, carmĭnis (n) = poema sapĭens, sapiēntis = sábio miles, milĭtis (m) = soldado commūnis, commūne = comum vulnus, vulnĕris (n) = ferida civīlis, civīle = civil iuvĕnes,iuvĕnis (m) = jovem proelĭum, i (n) = combate, batalha fortitūdo, fortitudĭnis = (f) = força felix, felĭcis = feliz infēlix, infelĭcis = infeliz nobĭlis, nobĭle = nobre sæpe = muitas vezes (advérbio) tempĕstas, tempestātis (f) = tempestade custos, custōdis (m) = guarda infērmus, a, um = enfermo piscātor, piscatōris (m) = pescador piscis, piscis (m) = peixe fortitūdo, fortitudĭnis (f) = coragem ruīna, æ (f) = ruína homo, homĭnis (m) = homem mortālis, mortāle = mortal 35
  • 36. immortālis, immortāle = imortal anĭma, æ (f) = alma iūvo, as, āvi, ātum, āre = ajudar fortis, forte = forte canis, is (m) = cão utĭlis, utĭle = útil illūstris, illūstre = ilustre placĕo, es, placŭi, cĭtum, ēre = agradar dulcis, dulce = doce taurus, i (m) = touro 1 - Mens homĭnis celĕris et acris est. Mens sujeito fem. sing. nom. 3ª decl. - a mente homĭnis c. especif. masc. sing. gen. 3ª decl. is do homem celĕris predic. suj. fem. sing. nom. 3ª decl. is rápida et conjunção palavra indeclinável e acris predic. suj. fem. sing. nom. 3ª decl. is aguda est pred. nom. 3ª pes. sing. p. ind. v. Esse st é A mente do homem é rápida e aguda. a) Bella civilĭa multārum ac celebrĭum urbĭum ruīna fuērunt. b) Amicōrum fidelĭum ac constantĭum parvus numĕrus est. c) Homo corpus mortāle et animam immortālem habĕt. d) Fortūna homĭnes fortes ac audāces iŭvat. e) Numĕrus homĭnum divĭtum magnus non est; magnus est numĕrus homĭnum paupĕrum. 2 - A guarda dos cães fiéis é útil aos senhores. A guarda sujeito masc. sing. nom. 3ª decl. - custos dos cães c. especif. masc. plur. gen. 3ª decl. um canum fiéis atrib./c. esp. masc. plur. gen. 3ª decl. ium fidelĭum é pred. nom. 3ª pes. sing. p. ind. v. Esse st est útil predic. suj. masc. sing. nom. 3ª decl. is utĭlis aos senhores compl. nom. masc. plur. dat. 3ª decl. ibus hominĭbus Fidelĭum canum custos hominĭbus utĭlis est. a) Os exemplos dos homens ilustres e sábios são úteis aos jovens. b) O tempo é breve para o homem feliz, longo para o infeliz. c) Os doces poemas dos nobres poetas agradam a todos os alunos. d) A vida dos homens ricos tem grandes desejos. e) A mãe de todas as boas artes é a sabedoria. 20 - Terceira Conjugação Ativa Conjugação do verbo lego, is, legi, lectum, ĕre = ler Modo indicativo Presente Imperfeito Futuro I leio li lerei leg-o leg-ēbam leg-am leg-is leg-ēbas leg-es leg-it leg-ēbat leg-et leg-ĭmus leg-ebāmus leg-ēmus leg-ĭtis leg-ebātis leg-ētis leg-unt leg-ēbant leg-ent Perfeito Mais-que-perfeito Futuro II li lera terei lido leg-i leg-ĕram leg-ĕro leg-īsti leg-ĕras leg-ĕris leg-it leg-ĕrat leg-ĕrit leg-ĭmus leg-erāmus leg-erĭmus 36
  • 37. leg-īstis leg-erātis leg-erĭtis leg-ērunt leg-ĕrant leg-ĕrint Modo subjuntivo Presente Imperfeito leia lesse leg-am leg-ĕrem leg-as leg-ĕres leg-at leg-ĕret leg-āmus leg-erēmus leg-ātis leg-erētis leg-ant leg-ĕrent Perfeito Mais-que-perfeito tenha lido tivesse lido leg-ĕrim leg-īssem leg-ĕris leg-īsses leg-ĕrit leg-īsset leg-erĭmus leg-issēmus leg-erĭtis leg-issētis leg-ĕrint leg-īssent Imperativo presente - leg-e (lê/tu); leg-īte (lede/vós) Infinito presente - leg-ĕre (ler) Infinito perfeito - leg-īsse (ter lido) Particípio presente - leg-ens, ēntis (lendo) Supino - lect-um (para ler) 20.1 - Alguns verbos da 3ª conjugação addo, addis, addĭti, addĭtum,addĕre = acrescentar cado, cadis, cecĭdi, casum, cadĕre = cair cædo, cædis, cæcīdi, cæsum, cædĕre = matar, cortar, imolar præcīdo, præcīdis, præcīdi, præcīsum, præcidĕre = cortar cedo, cedis, cessi, cessum, cedĕre = ceder concēdo, concēdis, concēssi, concēssum, concedĕre = conceder procēdo, procēdis, procēssum, procedĕre = proceder, adiantar-se desĕro, desĕris, deserŭi,desertum, deserĕre = desertar dico, dicis, dixi, dictum, dicĕre = dizer disco, discis, didĭci, (não tem supino), discĕre = aprender addūco, addūcis, addūxi, addūctum, adducĕre = levar, conduzir erĭgo, erĭgis, erēxi, erēctum, erigĕre = erigir, erguer a prumo indŭo, indŭis, indŭi, indūtum, induĕre = vestir invādo, invādis, invādi, invāsum, invadĕre = invadir, assaltar mitto, mittis, misi, missum, mittĕre = enviar, mandar amitto, amittis, amīsi, amīssum, amittĕre = perder promītto, promīttis, promīsi, promīssum, promittĕre = prometer pono, ponis, posŭi, posĭtum, ponĕre = pôr depōno, depōnis, deponŭi, deposĭtum, deponĕre = depor impōno, impōnis, imposŭi, imposĭtum, imponĕre = impor prostērno, prostērnis, prostāvi, prostātum, prosternĕre = prostar, lançar por terra sumo, sumis, sumpsi, sumptum, sumĕre = apanhar, tomar tego, tegis, texi, tectum, tegĕre = abrigar traho, trahis, traxi, tractum, trahĕre = arrastar detrăho, detrăhis, detrāxi, detrāctum, detrahĕre = tirar Uro, uris, ussi, ustum, urĕre = queimar 37
  • 38. Verto, vertis, verti, versum, vertĕre = voltar Prodūco, prodūcis, prodūxi, prodūctum, producĕre = produzir Lædo, lædis, læssi, læssum, lædĕre = ofender 21 - Quarta Declinação A quarta declinação tem o genitivo singular terminado em us, com nomes masculinos, femininos e neutros. Os neutros têm declinação especial; os masculinos e femininos são idênticos na declinação. Masculinos e femininos Declinação de exercĭtus, us (m) = exército Casos Singular Plural nominativo exercĭt-us exercĭt-us genitivo exercĭt-us exercit-ŭum dativo exercit-ŭi exercit-ĭbus acusativo exercĭt-um exercĭt-us vocativo exercĭt-us exercĭt-us ablativo exercĭt-u exercit-ĭbus Nota: O acento desloca-se no dativo singular, no genitivo, no dativo e no ablativo plurais. Declinem-se os seguintes nomes: manus, us (f) = mão redĭtus, us (m) = volta fructus, us (m) = fruto gemĭtus, us (m) = gemido nurus, us (f) = nora spirĭtus, us (m) = espírito cantus, us (m) = canto equilātus, us (m) = cavalaria exĭtus, us (m) = êxito socrus, us (f) = sogra motus, us (m) = movimento metus, us (m) = medo 21.l - Neutros Declinação de genu, u = joelho Casos Singular Plural nominativo gen-u gen-ŭa genitivo gen-us gen-ŭum dativo gen-u gen-ĭbus acusativo gen-u gen-ŭa vocativo gen-u gen-ŭa ablativo gen-u genĭ-bus Outros nomes neutros: pecu, us = rebanho veru, us = espeto cornu, us = corno, chifre gelu, us = gelo, geada Estes nomes, às vezes, aparecem declinados como neutros da 2ª declinação (cornum, i; gelum, i), ou, ainda, como masculinos da 2ª (gelus, i; cornus, i). 21.2 - Particularidades da quarta declinação 1) O nome de Jesus – Iēsus - declina-se assim: 38
  • 39. Iēsus, Iēsu, Iēsu, Iēsum, Iēsu, Iēsu. 2) Domus, us (f) = casa, tem a seguinte declinação: Casos Singular Plural nominativo dom-us dom-us genitivo dom-us dom-ŭum dativo dom-ŭi dom-ĭbus acusativo dom-um dom-us vocativo dom-us dom-us ablativo dom-u dom-ĭbus Observação: Há as seguintes variantes em domus, us: gen. sing. domi; gen. plural domōrum; acus. plural domos ; ablativo sing. domo. 3) Alguns nomes têm o dativo e o ablativo plurais em ŭbus: nomes dativo e ablativo plurais acus, us (f) = agulha acŭbus arcus, us (m) = arco arcŭbus artus, us (m) = membro artŭbus lacus, us (m) = lago lacŭbus partus, us (m) = parto partŭbus pecu, us (n) = rebanho pecŭbus quērcus, us (f) = carvalho quercŭbus specus, us (m/f) = caverna specŭbus tribus, us (f) = tribo tribŭbus 21. 3 - Exercícios: De acordo com os exemplos abaixo, sejam analisadas as traduções e versões que vêm em seguida: 1) Insulārum incŏlæ arbōrum magnam copĭam præcidērunt, in silvis et in ripis lacŭum. Insulārum c. especif. fem. plur. gen. 1ª dec l. arum das ilhas incŏlæ sujeito masc. plur. nom. 1ª decl. æ os habitantes arbōrum c. especif. fem. plur. gen. 3ª decl. um de árvores magnam atrib. obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am grande copĭam obj. dir. fem. sing. acus. 1ª decl. am quantidade præcidērunt pred. verbal 3ª pes. plur. perf.ind. 3ª conj. erunt cortaram in silvis c. lug. onde fem. plur. in+abl. 1ª decl. is nas florestas et conjunção palavra indeclinável e in ripis c. lug. onde fem. plur. in+abl. 1ª decl. is nas margens lacŭum c. especif. masc. plur. gen. 4ª decl. uum dos lagos Os habitantes das ilhas cortaram grande quantidade de árvores, nas florestas e na margens dos lagos. 2) Nos tempos antigos, os homens, muitas vezes, moravam nas cavernas, por causa dos animais ferozes e das tempestades. Nos tempos c.tempo/qdo neut. plur. ablat. 3ª decl. ibus temporĭbus antigos atrib./c.tempo neut. plur ablat. 2ª decl. is antīquis os homens sujeito masc. plur. nom. 3ª decl. es homĭnes muitas vezes advérbio palavra indeclinável sæpe moravam pred. verbal 3ª pes. plur. imp.ind. 1ª conj. abant habitābant nas cavernas c. lug. onde fem. plur. in+abl. 4ª decl. ubus in specŭbus por caus.animais c. causa neut. plur. ob+ac. 3ª decl. ia ob animalĭa ferozes atrrib.c.causa neut. plur. acus. 3ª decl. ia ferocĭa e conjunção palavra indeclinável ac das tempestades c. causa fem. plur. ob+ac. 3ª decl. es ob tempestātes 39
  • 40. Temporĭbus anatīquis , homĭnes sæpe in specŭbus habitābant ob animalĭa ferocĭa ac ob tempestātes. 1. a. Arbŏres fructŭum magnam copĭam prodūcunt. b. Motus corpŏris semper homĭnis menti et spiritŭi vitam duxērunt. c. Genŭa infīrma equōrum exercĭtus romani milites prosternēbant in bellis periculōsis. d. Duces equitatŭum omnium populōrum Imperĭi Romāni imperatōri fidelitātem promitēbant. e. Gelu piscatōrum manus ussit in lacŭbus. 2. a. Os touros impõem medo aos habitantes das cidades, com os chifres. b. As cavernas abrigam muitos animais selvagens. c. Os pescadores tiram os peixes dos lagos, com coragem. d. Os êxitos de todas as guerras são incertos. e. Muitos povos selvagens têm sua moradas na florestas e nas cavernas. 22 - Quarta Conjugação Ativa Conjugação do verbo audĭo, is, audīvi, audītum, īre = ouvir Modo indicativo Presente Imperfeito Futuro I ouço ouvia ouvirei aud-ĭo aud-iēbam aud-ĭam aud-is aud-iēbas aud-ĭes aud-it aud-iēbat aud-ĭet aud-īmus aud-iebāmus aud-iēmus aud-ītes aud-iebātis aud-iētis aud-ĭunt aud-iēbant aud-ĭent Perfeito Mais-que-perfeito Futuro II ouvi ouvira terei ouvido audīv-i audiv-ĕram audiv-ĕro audiv-īsti audiv-ĕras audiv-ĕris audīv-it audiv-ĕrat audiv-ĕrit audiv-ĭmus audiv-erāmus audiv-erĭmus audiv-īstis audiv-erātis audiv-erĭtis audiv-ērunt audiv-ĕrant audiv-ĕrint Modo subjuntivo Presente Imperfeito ouça ouvisse aud-ĭam aud-īrem aud-ĭas aud-īres aud-ĭat aud-īret aud-iāmus aud-irēmus aud-iātis aud-irētis aud-ĭant aud-īrent Perfeito Mais-que-perfeito tenha ouvido tivesse ouvido audiv-ĕrim audiv-īssem audiv-ĕris audiv-īsses audiv-ĕrit audiv-īsset audiv-erĭmus audiv-issēmus audiv-ĕritis audiv-issētis audiv-ĕrint audiv-īssent 40
  • 41. Imperativo presente - aud-i = ouve (tu); aud-īte = ouvi (vós) Infinito presente - aud-īre = ouvir Infinito perfeito - audiv-īsse = ter ouvido Particípio presente - audiens, -iēntes = ouvindo Supino - audītum = para ouvir 22.1 - Alguns verbos da quarta conjugação aperĭo, apēris, aperŭi, apērtum, aperīre = abrir salĭo, salis, salŭi, saltum, salīre = saltar sancĭo, sancis, sanxi, sanctum, sancīre = sancionar sentĭo, sentis, sensi, sensum, sentīre = sentir sepelĭo, sepēlis, sepelīvi, sepūltum, sepelīre = sepultar venĭo, venis, veni, ventum, venīre = vir invenĭo, invēnis, invēni, invēntum, invenīre = achar, inventar, descobrir vincĭo, vincis, vinxi, vinctum, vincīre = amarrar, atar 23 - Verbos Irregulares (geral) Muitos verbos são irregulares. Essa irregularidade é conhecida quando: a) Na 1ª. conjugação, os verbos, no perfeito e no supino, não terminarem em āvi e ātum: do, das, dedi, dātum, dāre = dar, entregar poto, as, āvi, potum, āre = beber veto, as, vetŭi, āre = proibir b) Na 2ª. conjugação, os verbos, no perfeito e no supino, não terminarem em ēvi e ētum: vidĕo, vides, vidi, visum, vidēre = ver mordĕo, es, momōrdi, morsum, mordēre = morder tenĕo, es, tenŭi, tentum, tenēre = segurar b) Na 4ª. conjugação, os verbos, no perfeito e no supino, não terminarem em īvi e ītum: repĕrio, repēris, repēri, repertum, reperīre = tornar achar, descobrir, inventarr haurĭo, is, haussi, haustum, haurīre = haurir, tirar introĕo, introĭs, introĭi, introĭtum, introīre = introduzir, penetrar. Importante: Todos os verbos da 3ª conjugação são irregulares, inclusive o verbo lego, is, i, lectum, legĕre (ler). 24 - Quinta Declinação A desinência do genitivo singular da quinta declinação é ei. Só há nomes masculinos e femininos nesta declinação, com as mesmas desinências. Declinação de dies, diēi (m) = dia Casos Singular Plural Nominativo di-es di-es Genitivo di-ēi di-ērum Dativo di-ēi di-ēbus Acusativo di-em di-es Vocativo di-es di-es Ablativo di-e di-ēbus Declinem-se: 41