SlideShare uma empresa Scribd logo
Juvenis   lição 12 - 2° trimestre 2015
LEITURA DIÁRIA
SEG - (Sl 11) “..Feliz aquele que não se assenta na
roda dos escarnecedores..”
TER – (Jo 14:27) “..O verdadeiros discípulos de Jesus
tem paz..”
QUA – (Jo 13:34-35) “..O verdadeiro discípulo de Jesus
é conhecido pela prática do amor..”
QUI – (Rm 12:13) “..Atenda aos santos em suas
necessidades..”
SEX – (Hb 12:14) “..Segui a paz com todos..”
SAB – (Rm 12:14) “..Abençoai os que vos perseguem..”
TEXTO
• “...E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu
próximo como a ti mesmo...”
(Mc 12:31)
OBJETIVOS
 Entender: Que o Bullying é uma forma de violência.
 Compreender: Que o crente não pode aceitar ou
praticar o bullying.
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Mt 24:12,13
“E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.
Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.”
Is 9:4-7
Pois, tu destruíste o jugo que os oprimia, a canga que estava
sobre os seus ombros, e a vara de castigo do seu opressor,
como no dia da derrota de Midiã.
Pois, toda bota de guerreiro usada em combate e toda
veste revolvida em sangue serão queimadas, como
lenha no fogo.
Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e
o governo está sobre os seus ombros. E ele será
chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai
Eterno, Príncipe da Paz.
Ele estenderá o seu domínio, e haverá paz sem fim
sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, estabelecido
e mantido com justiça e retidão, desde agora e para
sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isso.
SINTETIZANDO
O “bullying” é um tipo de violência. O senhor Jesus é o
príncipe da paz e nós seguimos a Jesus.
INTRODUÇÃO
• Nesta lição estudaremos a respeito do “bullying”.
• Trata-se de uma prática de violência verbal, psicológica
e física que atinge milhares de pessoas no mundo todo.
I – BULLYING, O QUE É ISSO.
Esse não é um fenômeno recente.
Na verdade, os especialistas concordam que
o “bullying” sempre existiu, mas o primeiro
fenômeno foi o professor da universidade da
Noruega, chamado Dan Olweus, no final da
década de 1970.
• Ao estudar as tendências suicidas entre adolescentes, o
pesquisador descobriu que a maioria desses jovens
tinha sofrido algum tipo de ameaça e que.
• Portanto, o bullying era um mal a combater.
• A popularidade do fenômeno cresceu com a influência
dos meios eletrônicos, como a internet e as reportagens
na televisão, pois os apelidos pejorativos e as
brincadeiras ofensivas foram tomando proporções
maiores. "O fato de ter consequências trágicas - como
mortes e suicídios - e a impunidade proporcionaram a
necessidade de se discutir de forma mais séria o tema",
aponta Guilherme Schelb, procurador da República e
autor do livro Violência e Criminalidade Infanto-Juvenil
• Bullying é um termo da língua inglesa (bully =
“valentão”) que se refere a todas as formas de atitudes
agressivas, verbais ou físicas, intencionais e repetitivas,
que ocorrem sem motivação evidente e são exercidas
por um ou mais indivíduos, causando dor e angústia,
com o objetivo de intimidar ou agredir outra pessoa sem
ter a possibilidade ou capacidade de se defender, sendo
realizadas dentro de uma relação desigual de forças ou
poder.
• O bullying se divide em duas categorias:
• a) bullying direto, que é a forma mais comum entre os
agressores masculinos e
• b) bullying indireto, sendo essa a forma mais comum
entre mulheres e crianças, tendo como característica o
isolamento social da vítima.
• Em geral, a vítima teme o(a) agressor(a) em razão das
ameaças ou mesmo a concretização da violência, física
ou sexual, ou a perda dos meios de subsistência.
II – BULLYING – NA BÍBLIA
• Não vamos encontrar na bíblia a palavra “bullying”.
• No entanto encontramos algumas atitudes de pessoas
que demonstram esse termo na prática.
• 1) José: (Gn 37:18-19) Seus irmãos ao lhe verem de
longe, disseram: “eis que vem o sonhador.” Isso era um
escárnio em um termo de um ato violento.
• 2) Elizeu: (2 Rs 2:23) “Então subiu dali a betel: e,
subindo ele pelo cominho, uns rapazes pequenos
saíram da cidade, e zombando dele diziam: sobe, calvo,
sobe, calco!
• É bem verdade que o profeta Elizeu era careca, mais
isso não o direito de lhe zombarem.
III – SOFRO BULLYING, O QUE DEVO
FAZER
• Os especialistas vêm convocando a sociedade para o
combate a essa terrível violência.
• O que você pode fazer se sofrer bullying?
• Não reaja. “Eles querem saber se a provocação deu
certo”, disse uma jovem chamada Kylie. “Se você não
reagir, eles vão desistir.”
• A Bíblia diz: “Aquele que é sábio [se] mantém calmo até
o último.” — (Pv 29:11).
• Não revide. Em vez de resolver o problema, a vingança
só vai piorar a situação. A Bíblia diz: “Não paguem o mal
com o mal.” — Romanos 12:17, Bíblia Fácil de
Ler; Provérbios 24:19.
CONCLUSÃO
• O Deus que nos chamou das trevas para sua
maravilhosa luz, também nos ordena que venhamos a
viver como filhos da luz.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Dons de poder
Dons de poderDons de poder
Dons de poder
Moisés Sampaio
 
Dons de revelação
Dons de revelaçãoDons de revelação
Dons de revelação
Moisés Sampaio
 
O ministério do pastor
O ministério do pastorO ministério do pastor
O ministério do pastor
Moisés Sampaio
 
E deu dons aos homens
E deu dons aos homensE deu dons aos homens
E deu dons aos homens
Moisés Sampaio
 
O ministério do profeta
O ministério do profetaO ministério do profeta
O ministério do profeta
Moisés Sampaio
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
Moisés Sampaio
 
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
  kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus   kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
antonio ferreira
 
Família, criação de Deus
Família, criação de DeusFamília, criação de Deus
Família, criação de Deus
Moisés Sampaio
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
Moisés Sampaio
 
As bases do casamento cristão
As bases do casamento cristãoAs bases do casamento cristão
As bases do casamento cristão
Moisés Sampaio
 
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
Moisés Sampaio
 
Dons de elocução
Dons de elocuçãoDons de elocução
Dons de elocução
Moisés Sampaio
 
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoApresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Prof. Robson Santos
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 

Destaque (14)

Dons de poder
Dons de poderDons de poder
Dons de poder
 
Dons de revelação
Dons de revelaçãoDons de revelação
Dons de revelação
 
O ministério do pastor
O ministério do pastorO ministério do pastor
O ministério do pastor
 
E deu dons aos homens
E deu dons aos homensE deu dons aos homens
E deu dons aos homens
 
O ministério do profeta
O ministério do profetaO ministério do profeta
O ministério do profeta
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
 
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
  kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus   kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
 
Família, criação de Deus
Família, criação de DeusFamília, criação de Deus
Família, criação de Deus
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
 
As bases do casamento cristão
As bases do casamento cristãoAs bases do casamento cristão
As bases do casamento cristão
 
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
 
Dons de elocução
Dons de elocuçãoDons de elocução
Dons de elocução
 
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoApresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
 

Semelhante a Juvenis lição 12 - 2° trimestre 2015

Violência retrato de uma sociedade sem deus
Violência   retrato de uma sociedade sem deusViolência   retrato de uma sociedade sem deus
Violência retrato de uma sociedade sem deus
adolescenteconnectado
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 043° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
Joel de Oliveira
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 04
3º trimestre 2015 adolescentes lição 043º trimestre 2015 adolescentes lição 04
3º trimestre 2015 adolescentes lição 04
Joel Silva
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
AndreeCamilooo
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
AndreeCamilooo
 
violência escolar
violência escolarviolência escolar
violência escolar
nelidafonseca
 
violência escolar
violência escolarviolência escolar
violência escolar
nelidafonseca
 
violência escolar
violência escolarviolência escolar
violência escolar
nelidafonseca
 
I- UNIPEJ IPDA Brasília 2017- Dalvan Serpa
I- UNIPEJ IPDA Brasília 2017- Dalvan Serpa I- UNIPEJ IPDA Brasília 2017- Dalvan Serpa
I- UNIPEJ IPDA Brasília 2017- Dalvan Serpa
Dalvan Serpa
 
Redução da maioridade penal (1)
Redução da maioridade penal (1)Redução da maioridade penal (1)
Redução da maioridade penal (1)
Gislaine Ribeiro
 
Infocedi nº 24 bullying nas escolas
Infocedi nº 24 bullying nas escolasInfocedi nº 24 bullying nas escolas
Infocedi nº 24 bullying nas escolas
Ruben Pereira
 
Bullying pós fag
Bullying pós fagBullying pós fag
Bullying pós fag
Mauri Berton
 
Licao 04-superando-os-traumas-da-violencia-socia
Licao 04-superando-os-traumas-da-violencia-sociaLicao 04-superando-os-traumas-da-violencia-socia
Licao 04-superando-os-traumas-da-violencia-socia
marinamaieli
 
Sara e Leticia 6A
Sara e Leticia 6ASara e Leticia 6A
Sara e Leticia 6A
Julio Mesquita
 
cyber-bullying - qubrando o silêncio.ppt
cyber-bullying - qubrando o silêncio.pptcyber-bullying - qubrando o silêncio.ppt
cyber-bullying - qubrando o silêncio.ppt
TeresaCristina86
 
Resenha o homem deliquente
Resenha o homem deliquenteResenha o homem deliquente
Resenha o homem deliquente
Direito Fasec
 
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Leonardo Pereira
 
Bullyng
BullyngBullyng
Bullyng
Jonas Santos
 
Bullying na Escola.ppt
Bullying na Escola.pptBullying na Escola.ppt
Bullying na Escola.ppt
AntiSaint
 
Aula Especialização Prove Unifesp (25/11/14)
Aula Especialização Prove Unifesp (25/11/14)Aula Especialização Prove Unifesp (25/11/14)
Aula Especialização Prove Unifesp (25/11/14)
Francisco Rodrigues Alves
 

Semelhante a Juvenis lição 12 - 2° trimestre 2015 (20)

Violência retrato de uma sociedade sem deus
Violência   retrato de uma sociedade sem deusViolência   retrato de uma sociedade sem deus
Violência retrato de uma sociedade sem deus
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 043° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 04
3º trimestre 2015 adolescentes lição 043º trimestre 2015 adolescentes lição 04
3º trimestre 2015 adolescentes lição 04
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
violência escolar
violência escolarviolência escolar
violência escolar
 
violência escolar
violência escolarviolência escolar
violência escolar
 
violência escolar
violência escolarviolência escolar
violência escolar
 
I- UNIPEJ IPDA Brasília 2017- Dalvan Serpa
I- UNIPEJ IPDA Brasília 2017- Dalvan Serpa I- UNIPEJ IPDA Brasília 2017- Dalvan Serpa
I- UNIPEJ IPDA Brasília 2017- Dalvan Serpa
 
Redução da maioridade penal (1)
Redução da maioridade penal (1)Redução da maioridade penal (1)
Redução da maioridade penal (1)
 
Infocedi nº 24 bullying nas escolas
Infocedi nº 24 bullying nas escolasInfocedi nº 24 bullying nas escolas
Infocedi nº 24 bullying nas escolas
 
Bullying pós fag
Bullying pós fagBullying pós fag
Bullying pós fag
 
Licao 04-superando-os-traumas-da-violencia-socia
Licao 04-superando-os-traumas-da-violencia-sociaLicao 04-superando-os-traumas-da-violencia-socia
Licao 04-superando-os-traumas-da-violencia-socia
 
Sara e Leticia 6A
Sara e Leticia 6ASara e Leticia 6A
Sara e Leticia 6A
 
cyber-bullying - qubrando o silêncio.ppt
cyber-bullying - qubrando o silêncio.pptcyber-bullying - qubrando o silêncio.ppt
cyber-bullying - qubrando o silêncio.ppt
 
Resenha o homem deliquente
Resenha o homem deliquenteResenha o homem deliquente
Resenha o homem deliquente
 
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
Estudos do evangelho "Caridade com os criminosos".
 
Bullyng
BullyngBullyng
Bullyng
 
Bullying na Escola.ppt
Bullying na Escola.pptBullying na Escola.ppt
Bullying na Escola.ppt
 
Aula Especialização Prove Unifesp (25/11/14)
Aula Especialização Prove Unifesp (25/11/14)Aula Especialização Prove Unifesp (25/11/14)
Aula Especialização Prove Unifesp (25/11/14)
 

Mais de Joel Oliveira

Aviso
AvisoAviso
4º trimestre 2015 juvenis lição 02
4º trimestre 2015 juvenis lição 024º trimestre 2015 juvenis lição 02
4º trimestre 2015 juvenis lição 02
Joel Oliveira
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 13
3º trimestre 2015 juvenis lição 133º trimestre 2015 juvenis lição 13
3º trimestre 2015 juvenis lição 13
Joel Oliveira
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 12
3º trimestre 2015 juvenis lição 123º trimestre 2015 juvenis lição 12
3º trimestre 2015 juvenis lição 12
Joel Oliveira
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 113º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
Joel Oliveira
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 10
3º trimestre 2015 juvenis lição 103º trimestre 2015 juvenis lição 10
3º trimestre 2015 juvenis lição 10
Joel Oliveira
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
3º trimestre 2015 juvenis   lição 093º trimestre 2015 juvenis   lição 09
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
Joel Oliveira
 
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015
Joel Oliveira
 
Juvenis lição 07 - 3º trimestre 2015
Juvenis   lição 07 - 3º trimestre 2015Juvenis   lição 07 - 3º trimestre 2015
Juvenis lição 07 - 3º trimestre 2015
Joel Oliveira
 
Juvenis lição 06 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 06 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 06 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 06 - 3° trimestre 2015
Joel Oliveira
 
Juvenis lição 05 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 05 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 05 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 05 - 3° trimestre 2015
Joel Oliveira
 
Juvenis lição 04 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 04 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 04 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 04 - 3° trimestre 2015
Joel Oliveira
 
Juvenis lição 03 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 03 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 03 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 03 - 3° trimestre 2015
Joel Oliveira
 
Juvenis lição 13 - 2° trimestre 2015
Juvenis   lição 13 - 2° trimestre 2015Juvenis   lição 13 - 2° trimestre 2015
Juvenis lição 13 - 2° trimestre 2015
Joel Oliveira
 
Juvenis lição 09 - 2° trimestre 2015
Juvenis   lição 09 - 2° trimestre 2015Juvenis   lição 09 - 2° trimestre 2015
Juvenis lição 09 - 2° trimestre 2015
Joel Oliveira
 
Juvenis lição 01 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 01 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 01 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 01 - 3° trimestre 2015
Joel Oliveira
 

Mais de Joel Oliveira (16)

Aviso
AvisoAviso
Aviso
 
4º trimestre 2015 juvenis lição 02
4º trimestre 2015 juvenis lição 024º trimestre 2015 juvenis lição 02
4º trimestre 2015 juvenis lição 02
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 13
3º trimestre 2015 juvenis lição 133º trimestre 2015 juvenis lição 13
3º trimestre 2015 juvenis lição 13
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 12
3º trimestre 2015 juvenis lição 123º trimestre 2015 juvenis lição 12
3º trimestre 2015 juvenis lição 12
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 113º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 10
3º trimestre 2015 juvenis lição 103º trimestre 2015 juvenis lição 10
3º trimestre 2015 juvenis lição 10
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
3º trimestre 2015 juvenis   lição 093º trimestre 2015 juvenis   lição 09
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
 
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015
 
Juvenis lição 07 - 3º trimestre 2015
Juvenis   lição 07 - 3º trimestre 2015Juvenis   lição 07 - 3º trimestre 2015
Juvenis lição 07 - 3º trimestre 2015
 
Juvenis lição 06 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 06 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 06 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 06 - 3° trimestre 2015
 
Juvenis lição 05 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 05 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 05 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 05 - 3° trimestre 2015
 
Juvenis lição 04 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 04 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 04 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 04 - 3° trimestre 2015
 
Juvenis lição 03 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 03 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 03 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 03 - 3° trimestre 2015
 
Juvenis lição 13 - 2° trimestre 2015
Juvenis   lição 13 - 2° trimestre 2015Juvenis   lição 13 - 2° trimestre 2015
Juvenis lição 13 - 2° trimestre 2015
 
Juvenis lição 09 - 2° trimestre 2015
Juvenis   lição 09 - 2° trimestre 2015Juvenis   lição 09 - 2° trimestre 2015
Juvenis lição 09 - 2° trimestre 2015
 
Juvenis lição 01 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 01 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 01 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 01 - 3° trimestre 2015
 

Último

3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 

Último (20)

3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 

Juvenis lição 12 - 2° trimestre 2015

  • 2. LEITURA DIÁRIA SEG - (Sl 11) “..Feliz aquele que não se assenta na roda dos escarnecedores..” TER – (Jo 14:27) “..O verdadeiros discípulos de Jesus tem paz..” QUA – (Jo 13:34-35) “..O verdadeiro discípulo de Jesus é conhecido pela prática do amor..” QUI – (Rm 12:13) “..Atenda aos santos em suas necessidades..” SEX – (Hb 12:14) “..Segui a paz com todos..” SAB – (Rm 12:14) “..Abençoai os que vos perseguem..”
  • 3. TEXTO • “...E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...” (Mc 12:31)
  • 4. OBJETIVOS  Entender: Que o Bullying é uma forma de violência.  Compreender: Que o crente não pode aceitar ou praticar o bullying.
  • 5. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Mt 24:12,13 “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.” Is 9:4-7 Pois, tu destruíste o jugo que os oprimia, a canga que estava sobre os seus ombros, e a vara de castigo do seu opressor, como no dia da derrota de Midiã.
  • 6. Pois, toda bota de guerreiro usada em combate e toda veste revolvida em sangue serão queimadas, como lenha no fogo. Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Ele estenderá o seu domínio, e haverá paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, estabelecido e mantido com justiça e retidão, desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isso.
  • 7. SINTETIZANDO O “bullying” é um tipo de violência. O senhor Jesus é o príncipe da paz e nós seguimos a Jesus.
  • 8. INTRODUÇÃO • Nesta lição estudaremos a respeito do “bullying”. • Trata-se de uma prática de violência verbal, psicológica e física que atinge milhares de pessoas no mundo todo.
  • 9. I – BULLYING, O QUE É ISSO. Esse não é um fenômeno recente. Na verdade, os especialistas concordam que o “bullying” sempre existiu, mas o primeiro fenômeno foi o professor da universidade da Noruega, chamado Dan Olweus, no final da década de 1970.
  • 10. • Ao estudar as tendências suicidas entre adolescentes, o pesquisador descobriu que a maioria desses jovens tinha sofrido algum tipo de ameaça e que. • Portanto, o bullying era um mal a combater. • A popularidade do fenômeno cresceu com a influência dos meios eletrônicos, como a internet e as reportagens na televisão, pois os apelidos pejorativos e as brincadeiras ofensivas foram tomando proporções maiores. "O fato de ter consequências trágicas - como mortes e suicídios - e a impunidade proporcionaram a necessidade de se discutir de forma mais séria o tema", aponta Guilherme Schelb, procurador da República e autor do livro Violência e Criminalidade Infanto-Juvenil
  • 11. • Bullying é um termo da língua inglesa (bully = “valentão”) que se refere a todas as formas de atitudes agressivas, verbais ou físicas, intencionais e repetitivas, que ocorrem sem motivação evidente e são exercidas por um ou mais indivíduos, causando dor e angústia, com o objetivo de intimidar ou agredir outra pessoa sem ter a possibilidade ou capacidade de se defender, sendo realizadas dentro de uma relação desigual de forças ou poder.
  • 12. • O bullying se divide em duas categorias: • a) bullying direto, que é a forma mais comum entre os agressores masculinos e • b) bullying indireto, sendo essa a forma mais comum entre mulheres e crianças, tendo como característica o isolamento social da vítima. • Em geral, a vítima teme o(a) agressor(a) em razão das ameaças ou mesmo a concretização da violência, física ou sexual, ou a perda dos meios de subsistência.
  • 13. II – BULLYING – NA BÍBLIA • Não vamos encontrar na bíblia a palavra “bullying”. • No entanto encontramos algumas atitudes de pessoas que demonstram esse termo na prática. • 1) José: (Gn 37:18-19) Seus irmãos ao lhe verem de longe, disseram: “eis que vem o sonhador.” Isso era um escárnio em um termo de um ato violento.
  • 14. • 2) Elizeu: (2 Rs 2:23) “Então subiu dali a betel: e, subindo ele pelo cominho, uns rapazes pequenos saíram da cidade, e zombando dele diziam: sobe, calvo, sobe, calco! • É bem verdade que o profeta Elizeu era careca, mais isso não o direito de lhe zombarem.
  • 15. III – SOFRO BULLYING, O QUE DEVO FAZER • Os especialistas vêm convocando a sociedade para o combate a essa terrível violência.
  • 16. • O que você pode fazer se sofrer bullying? • Não reaja. “Eles querem saber se a provocação deu certo”, disse uma jovem chamada Kylie. “Se você não reagir, eles vão desistir.” • A Bíblia diz: “Aquele que é sábio [se] mantém calmo até o último.” — (Pv 29:11). • Não revide. Em vez de resolver o problema, a vingança só vai piorar a situação. A Bíblia diz: “Não paguem o mal com o mal.” — Romanos 12:17, Bíblia Fácil de Ler; Provérbios 24:19.
  • 17. CONCLUSÃO • O Deus que nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz, também nos ordena que venhamos a viver como filhos da luz.