SlideShare uma empresa Scribd logo
17/01/2019
Número: 0801150-04.2017.8.22.0000
Classe: DISSÍDIO COLETIVO DE GREVE
Órgão julgador colegiado: 2ª Câmara Especial
Órgão julgador: Gabinete Des. Roosevelt Queiroz
Última distribuição : 08/05/2017
Valor da causa: R$ 100.000,00
Assuntos: Liminar
Segredo de justiça? NÃO
Justiça gratuita? NÃO
Pedido de liminar ou antecipação de tutela? SIM
Processo Judicial Eletrônico - 2º Grau
PJe - Processo Judicial Eletrônico
Partes Procurador/Terceiro vinculado
ESTADO DE RONDÔNIA (SUSCITANTE) THIAGO DENGER QUEIROZ (ADVOGADO)
TAIS MACEDO DE BRITO CUNHA (ADVOGADO)
LERI ANTONIO SOUZA E SILVA (ADVOGADO)
JURACI JORGE DA SILVA (ADVOGADO)
SINDICATO DOS AGENTES PENITENCIARIOS DE
RONDONIA (SUSCITADO)
MAURICIO M FILHO (ADVOGADO)
FERNANDA NAIARA ALMEIDA DIAS (ADVOGADO)
LAYANNA MABIA MAURICIO (ADVOGADO)
MARCIA DE OLIVEIRA LIMA (ADVOGADO)
ANDREY CAVALCANTE DE CARVALHO (ADVOGADO)
ANTONIO RABELO PINHEIRO (ADVOGADO)
ADRIANA DO NASCIMENTO CORDEIRO DE ALMEIDA
(ADVOGADO)
ANA CAROLINE DIAS COCIUFFO VILLELA (ADVOGADO)
GABRIEL DE MORAES CORREIA TOMASETE (ADVOGADO)
JOHNNY DENIZ CLIMACO (ADVOGADO)
ANE CAROLINE FERREIRA DOS SANTOS (ADVOGADO)
RICHARD SOARES RIBEIRO (ADVOGADO)
JOAO ANDRE DOS SANTOS BORGES (ADVOGADO)
EMERSON SALVADOR DE LIMA (ADVOGADO)
HENRIQUE ARCOVERDE CAPICHIONE DA FONSECA
(ADVOGADO)
CASTIEL FERREIRA DE PAULA (ADVOGADO)
DENYVALDO DOS SANTOS PAIS JUNIOR (ADVOGADO)
FELIPPE ROBERTO PESTANA (ADVOGADO)
KATIA APARECIDA PULLIG DE OLIVEIRA (ADVOGADO)
VINICIUS DE ASSIS (ADVOGADO)
ELTON JOSE ASSIS (ADVOGADO)
RAUL RIBEIRO DA FONSECA FILHO (ADVOGADO)
MPRO (MINISTÉRIO PÚBLICO DE RONDÔNIA) (CUSTOS
LEGIS)
Documentos
Id. Data da
Assinatura
Documento Tipo
51961
46
17/01/2019 08:54 Decisão Decisão
ESTADO DE RONDÔNIA
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA
2ª Câmara Especial / Gabinete Des. Roosevelt Queiroz
Processo: - DISSÍDIO COLETIVO DE GREVE (988)0801150-04.2017.8.22.0000
Relator: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA
Data distribuição: 08/05/2017 13:45:05
Polo Ativo: ESTADO DE RONDÔNIA e outros
Advogados do(a) SUSCITANTE: THIAGO DENGER QUEIROZ - RO2360, TAIS MACEDO DE BRITO CUNHA - RO6142,
LERI ANTONIO SOUZA E SILVA - RO2690, JURACI JORGE DA SILVA - RO528
Polo Passivo: SINDICATO DOS AGENTES PENITENCIARIOS DE RONDONIA e outros
Advogados do(a) SUSCITADO: MAURICIO M FILHO - RO8826, FERNANDA NAIARA ALMEIDA DIAS - RO5199,
LAYANNA MABIA MAURICIO - RO3856, MARCIA DE OLIVEIRA LIMA - RO3495, ANDREY CAVALCANTE DE
CARVALHO - RO0003030A, ANTONIO RABELO PINHEIRO - RO0000659A, ADRIANA DO NASCIMENTO CORDEIRO
DE ALMEIDA - RO8275, ANA CAROLINE DIAS COCIUFFO VILLELA - RO7489, GABRIEL DE MORAES CORREIA
TOMASETE - RO0002641A, JOHNNY DENIZ CLIMACO - RO0006496A, ANE CAROLINE FERREIRA DOS SANTOS -
RO4309, RICHARD SOARES RIBEIRO - RO7879, JOAO ANDRE DOS SANTOS BORGES - RO0008052A, EMERSON
SALVADOR DE LIMA - RO8127, HENRIQUE ARCOVERDE CAPICHIONE DA FONSECA - RO5191, CASTIEL
FERREIRA DE PAULA - RO8063, DENYVALDO DOS SANTOS PAIS JUNIOR - RO7655, FELIPPE ROBERTO PESTANA
- RO0005077A, KATIA APARECIDA PULLIG DE OLIVEIRA - RO7148, VINICIUS DE ASSIS - MG47751, ELTON JOSE
ASSIS - RO631, RAUL RIBEIRO DA FONSECA FILHO - RO555
DECISÃO
Vistos.
Em decisão anterior, homologuei o acordo extrajudicial firmado pelas partes, por meio do
qual ficou ajustado que o Estado de Rondônia encaminharia o projeto de lei de realinhamento salarial dos
Num. 5196146 - Pág. 1Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04
http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844
Número do documento: 19011708535826200000005167844
agentes penitenciários no mês de feveireiro do ano de 2019, e implementação do pagamento no primeiro
quadrimestre do mesmo ano.
Apesar da homologação judicial do acordo, o feito não transitou em julgado, sendo
possível, ainda, a modificação da decisão homologatória por intermédio da interposição do recurso
previsto em lei, notadamente em razão da menção do Sindicato no sentido de que o acordo é parcial.
Na data de ontem, 16/01/2019, o Estado de Rondônia requereu tutela provisória de
urgência, postulando que o SINGEPERON se abstenha de paralisar as atividades exercida pelos agentes
penitenciários, cuja greve fora comunicada para iniciar amanhã, 18/01/2019, às 8h.
Assim, considerando a ausência de trânsito em julgado desta demanda, passo à análise do
requerimento formulado pelo ente público.
O art. 300 do NCPC elenca os requisitos para a concessão da tutela de urgência:
Art. 300. A tutela de urgência será concedida quando houver elementos que evidenciem a
probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo.
A probabilidade do direito que autoriza o emprego da técnica antecipatória para a tutela dos direitos é a probabilidade lógica – que é aquela que
surge da confrontação das alegações e das provas com os elementos disponíveis nos autos, sendo provável a hipótese que encontra maior grau de
confirmação e menor grau de refutação nesses elementos. O juiz tem que se convencer de que o direito é provável para conceder a tutela
provisória. Já o perigo de dano caracteriza-se quando a demora pode comprometer a realização imediata ou futura do direito. (Luiz Guilherme
Marinoni, Sérgio Cruz Arenhart, Daniel Mitidieiro, Novo Código de Processo Civil Comentado, ed. Revista dos Tribunais, 2015, pág. 312).
Pois bem.
Impõe-se analisar a existência dos requisitos para a concessão da tutela de urgência.
Em análise ao acordo entabulado entre as partes, observo que o Estado de Rondônia firmou
o compromisso de encaminhar à ALE/RO projeto de lei de realinhamento salarial dos agentes
penitenciário até o mês de feveireiro do ano de 2019, vale dizer, ainda não houve o advento do prazo
final. Assim, em princípio, não há que se falar em descumprimento do pacto pelo ente público.
Num. 5196146 - Pág. 2Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04
http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844
Número do documento: 19011708535826200000005167844
Além disso, constitui fato público e notório que houve alteração da cúpula diretiva do
Poder Executivo Estadual há menos de um mês, e tal circunstância, por questões de razoabilidade, deve
ser levada em consideração, não havendo notícia de uma única reunião realizada com os integrantes do
novo governo.
É bem verdade que a alteração da cúpula diretiva do Poder Executivo não justifica o
descumprimento de compromissos firmados com governos anteriores, por serem os pactos estabelecidos
com o Estado, e não com o governo.
Entretanto, a deflagração de greve no momento atual, sem a demonstração inequívoca da
violação do acordo entabulado pelo Estado, há poucos dias do início da nova gestão e, sobretudo, sem a
disponibilização de percentual mínimo de servidores para a continuidade dos serviços, em princípio,
aparenta ilegalidade, razão pela qual mostra-se verossimil as alegações do Estado.
Como já assentei em decisão anterior, o Supremo Tribunal Federal já pacificou o entendimento que apesar de a
greve dos servidores públicos ser um direito constitucionalmente previsto, há algumas categorias de servidores que, ante a
essencialidade dos serviços públicos por eles prestados, sofrem restrições ou mesmo vedações de tal direito. Neste sentido, cito
seguinte aresto:
EMENTA: RECLAMAÇÃO. SERVIDOR PÚBLICO. POLICIAIS CIVIS. DISSÍDIO
COLETIVO DE GREVE. SERVIÇOS OU ATIVIDADES PÚBLICAS ESSENCIAIS.
COMPETÊNCIA PARA CONHECER E JULGAR O DISSÍDIO. ARTIGO 114, INCISO I,
DA CONSTITUIÇÃO DO BRASIL. DIREITO DE GREVE. ARTIGO 37,INCISO VII, DA
CONSTITUIÇÃO DO BRASIL. LEI N. 7.783/89.
INAPLICABILIDADE AOS SERVIDORES PÚBLICOS. DIREITO NÃO ABSOLUTO.
RELATIVIZAÇÃO DO DIREITO DE GREVE EM RAZÃO DA ÍNDOLE DE
DETERMINADAS ATIVIDADES PÚBLICAS. AMPLITUDE DA DECISÃO
PROFERIDA NO JULGAMENTO DO MANDADO DE INJUNÇÃO N. 712. ART. 142, §
3º, INCISO IV, DA CONSTITUIÇÃO DO BRASIL. INTERPRETAÇÃO DA
CONSTITUIÇÃO. AFRONTA AO DECIDIDO NA ADI 3.395. INCOMPETÊNCIA DA
JUSTIÇA DO TRABALHO PARA DIRIMIR CONFLITOS ENTRE SERVIDORES
PÚBLICOS E ENTES DA ADMINISTRAÇÃO ÀS QUAIS ESTÃO VINCULADOS.
RECLAMAÇÃO JULGADA PROCEDENTE.
1. O Supremo Tribunal Federal, ao julgar o MI n. 712, afirmou entendimento no sentido
de que a Lei n. 7.783/89, que dispõe sobre o exercício do direito de greve dos
trabalhadores em geral, é ato normativo de início inaplicável aos servidores públicos
civis, mas ao Poder Judiciário dar concreção ao artigo 37, inciso VII, da Constituição
do Brasil, suprindo omissões do Poder Legislativo.
Num. 5196146 - Pág. 3Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04
http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844
Número do documento: 19011708535826200000005167844
2. Servidores públicos que exercem atividades relacionadas à manutenção da ordem
pública e à segurança pública, à administração da Justiça --- aí os integrados nas
chamadas carreiras de Estado, que exercem atividades indelegáveis, inclusive as de
exação tributária --- e à saúde pública. A conservação do bem comum exige que certas
categorias de servidores públicos sejam privadas do exercício do direito de greve.
Defesa dessa conservação e efetiva proteção de outros direitos igualmente
salvaguardados pela Constituição do Brasil.
3. Doutrina do duplo efeito, segundo Tomás de Aquino, na Suma Teológica (II Seção da
II Parte, Questão 64, Artigo 7). Não há dúvida quanto a serem, os servidores públicos,
titulares do direito de greve. Porém, tal e qual é lícito matar a outrem em vista do bem
comum, não será ilícita a recusa do direito de greve a tais e quais servidores públicos
em benefício do bem comum. Não há mesmo dúvida quanto a serem eles titulares do
direito de greve. A Constituição é, contudo, uma totalidade. Não um conjunto de
enunciados que se possa ler palavra por palavra, em experiência de leitura bem
comportada ou esteticamente ordenada. Dela são extraídos, pelo intérprete, sentidos
normativos, outras coisas que não somente textos. A força normativa da Constituição é
desprendida da totalidade, totalidade normativa, que a Constituição é. Os servidores
públicos são, seguramente, titulares do direito de greve. Essa é a regra. Ocorre,
contudo, que entre os serviços públicos há alguns que a coesão social impõe sejam
prestados plenamente, em sua totalidade. Atividades das quais dependam a
manutenção da ordem pública e a segurança pública, a administração da Justiça ---
onde as carreiras de Estado, cujos membros exercem atividades indelegáveis, inclusive
as de exação tributária --- e a saúde pública não estão inseridos no elenco dos
servidores alcançados por esse direito. Serviços públicos desenvolvidos por grupos
armados: as atividades desenvolvidas pela polícia civil são análogas, para esse efeito,
às dos militares, em relação aos quais a Constituição expressamente proíbe a greve
[art. 142, § 3º, IV].
4. No julgamento da ADI 3.395, o Supremo Tribunal Federal, dando interpretação
conforme ao artigo 114, inciso I, da Constituição do Brasil, na redação a ele conferida
pela EC 45/04, afastou a competência da Justiça do Trabalho para dirimir os conflitos
decorrentes das relações travadas entre servidores públicos e entes da Administração à
qual estão vinculados. Pedido julgado procedente. (Rcl 6568, Relator(a): Min. EROS
GRAU, Tribunal Pleno, julgado em 21/05/2009, DJe-181 DIVULG 24-09-2009 PUBLIC
25-09-2009 EMENT VOL-02375-02 PP-00736)
A segurança pública, que indubitavelmente atende necessidades inadiáveis da comunidade,
é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio (art. 144
da CF). A categoria representada pelo SINGEPERON exerce atividades correlatas, responsáveis pela
ordem pública dentro dos presídios e pela incolumidade das pessoas que estão sob a custódia do Estado.
Quanto ao direito de greve dos agentes penitenciários, esta Corte já ponderou noutra oportunidade, quando do
julgamento das cautelares inominadas n. 0000927-26.2013.8.22.0000 e 0002366-04.2015.8.22.0000, propostas também em face
do SINGEPERON, que não obstante os agentes não prestem a efetiva segurança da população, exercem atribuições a ela ligadas,
como serviço de vigilância e custódia de presos, dentre outras atividades que estão diretamente relacionadas com a segurança da
população.
Num. 5196146 - Pág. 4Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04
http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844
Número do documento: 19011708535826200000005167844
Nesse diapasão, embora o movimento de greve consista em exercício regular de direito
assegurado constitucionalmente, não se pode dissociar este direito de todo o restante do regramento
jurídico, bem como do interesse, bem-estar e segurança da coletividade.
Não se quer com isso negar ao servidor público, de forma geral, o direito de greve, mas sim
afirmar que alguns serviços públicos, os quais são imprescindíveis para a manutenção da ordem pública e
da segurança pública, dada a sua essencialidade, exigem que os mesmos sejam prestados plenamente, em
sua totalidade.
Também não passa desapercebido deste relator o momento político e de insegurança por
parte da população pelo qual passa o país, não favorável à redução de serviços ligados à segurança
pública, sendo este mais um fator a justificar a concessão da medida pretendida. Presente, portanto a
verossimilhança do direito.
No que se refere ao periculum in mora, este também encontra-se presente haja vista que a paralisação dos
agentes penitenciários representa um risco tanto às pessoas que estão sob a custódia do Estado, quanto aos familiares destes e toda
a sociedade.
Vale mencionar aqui, conforme bem lembrado pelo ente público, que na última paralisação
realizada pelos agentes penitenciários no Estado de Rondônia familiares de presos foram feitos de refém,
não tendo sua saída liberada pelos próprios presos, bem como a sociedade rondoniense ficou
desguarnecida, uma vez que o efetivo da Polícia Militar, que deveria permanecer nas ruas protegendo os
cidadãos rondonienses, foram deslocados para os presídios, na tentativa de conter a desordem instalada
dentro dos presídios com a paralisação dos agentes penitenciários.
Por fim, consigno que é necessário que seja estabelecido diálogo entre o novo Governo do
Estado de Rondônia e o Sindicato da categoria a fim de que possam entrar em acordo acerca das
reivindicações dos servidores.
Em face do exposto, considerando a verossimilhança dos fatos articulados e o perigo de
dano irreparável ou de difícil reparação, bem como a Reclamação Constitucional n. 6.568 do Supremo
Tribunal Federal aplicável à categoria, DEFIRO a TUTELA PROVISÓRIA DE URGÊNCIA para
impedir a realização da greve programada pelos servidores do SINGEPERON para início em 18/01/2019,
às 8h, determinando que os mesmos se abstenham de paralisar os serviços, perdurando esta ordem até
deliberação ulterior, devendo, portanto, ocorrer funcionamento completo de todas as atividades no sistema
Num. 5196146 - Pág. 5Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04
http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844
Número do documento: 19011708535826200000005167844
prisional, sob pena de multa diária de R$50.000,00 (cinquenta mil reais), até o máximo de R$800.000,00 (
oitocentos mil reais), ao demandado e multa de R$5.000,00 (diária) aos membros do Sindicato, e aos
servidores que aderirem ao movimento paredista.
Por se tratar de decisão exarada em cognição sumária, reservo-me o direito de revê-la a
qualquer tempo diante de informações que recomendem essa atitude, inclusive com a advertência de
alteração das astreites, para mais ou para menos.
Expeça-se o necessário com a urgência que o caso requer.
Sirva a cópia desta decisão como mandado.
Porto Velho - RO, 17 de janeiro de 2019.
Desembargador Roosevelt Queiroz Costa
Relator
Num. 5196146 - Pág. 6Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04
http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844
Número do documento: 19011708535826200000005167844

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Agente acusado de ameaçar e agredir presidiários é condenado à perda do cargo...
Agente acusado de ameaçar e agredir presidiários é condenado à perda do cargo...Agente acusado de ameaçar e agredir presidiários é condenado à perda do cargo...
Agente acusado de ameaçar e agredir presidiários é condenado à perda do cargo...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de RondôniaPadre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Barroso suspende pagamento de auxílios a membros do MP de MG
Barroso suspende pagamento de auxílios a membros do MP de MGBarroso suspende pagamento de auxílios a membros do MP de MG
Barroso suspende pagamento de auxílios a membros do MP de MG
Alexandre Garcia
 
Texto água em Petrolina
Texto água em PetrolinaTexto água em Petrolina
Texto água em Petrolina
Portal NE10
 
Parecer de Janot a favor de Petrolina
Parecer de Janot a favor de PetrolinaParecer de Janot a favor de Petrolina
Parecer de Janot a favor de Petrolina
Jamildo Melo
 
Decisao bloqueio bens mafia locadoras
Decisao bloqueio bens mafia locadoras Decisao bloqueio bens mafia locadoras
Decisao bloqueio bens mafia locadoras
Noelia Brito
 
Oficio de notificacao
Oficio de notificacaoOficio de notificacao
Oficio de notificacao
MarcianoBortolin
 
Recebimento carelli 2
Recebimento carelli 2Recebimento carelli 2
Recebimento carelli 2
wpaese
 
Acórdão 2020
Acórdão 2020Acórdão 2020
Voto do relator sobre processo contra Lula Cabral
Voto do relator sobre processo contra Lula CabralVoto do relator sobre processo contra Lula Cabral
Voto do relator sobre processo contra Lula Cabral
Portal NE10
 
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidenteEstado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
SENTENÇA 2016
SENTENÇA 2016SENTENÇA 2016
MPF recorre ao TSE contra prefeito eleito em Água Preta
MPF recorre ao TSE contra prefeito eleito em Água PretaMPF recorre ao TSE contra prefeito eleito em Água Preta
MPF recorre ao TSE contra prefeito eleito em Água Preta
Portal NE10
 
Sentença que condena Antonio Belinati, Antonio Carlos Belinati e outros
Sentença que condena Antonio Belinati, Antonio Carlos Belinati e outrosSentença que condena Antonio Belinati, Antonio Carlos Belinati e outros
Sentença que condena Antonio Belinati, Antonio Carlos Belinati e outros
Claudio Osti
 
Senador Ivo Cassol oferece carros de luxo e consegue liberar parte de bens bl...
Senador Ivo Cassol oferece carros de luxo e consegue liberar parte de bens bl...Senador Ivo Cassol oferece carros de luxo e consegue liberar parte de bens bl...
Senador Ivo Cassol oferece carros de luxo e consegue liberar parte de bens bl...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
1021- Ação de Obrigação de Fazer Cc Indenização e Tutela de Urgência 3212
1021- Ação de Obrigação de Fazer Cc Indenização e Tutela de Urgência 32121021- Ação de Obrigação de Fazer Cc Indenização e Tutela de Urgência 3212
1021- Ação de Obrigação de Fazer Cc Indenização e Tutela de Urgência 3212
Consultor JRSantana
 
Juiz de Rondônia condena Telexfree a restituir mais de R$ 21 mil a investidor
Juiz de Rondônia condena Telexfree a restituir mais de R$ 21 mil a investidorJuiz de Rondônia condena Telexfree a restituir mais de R$ 21 mil a investidor
Juiz de Rondônia condena Telexfree a restituir mais de R$ 21 mil a investidor
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 

Mais procurados (19)

Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
 
Agente acusado de ameaçar e agredir presidiários é condenado à perda do cargo...
Agente acusado de ameaçar e agredir presidiários é condenado à perda do cargo...Agente acusado de ameaçar e agredir presidiários é condenado à perda do cargo...
Agente acusado de ameaçar e agredir presidiários é condenado à perda do cargo...
 
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
 
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de RondôniaPadre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
 
Barroso suspende pagamento de auxílios a membros do MP de MG
Barroso suspende pagamento de auxílios a membros do MP de MGBarroso suspende pagamento de auxílios a membros do MP de MG
Barroso suspende pagamento de auxílios a membros do MP de MG
 
Texto água em Petrolina
Texto água em PetrolinaTexto água em Petrolina
Texto água em Petrolina
 
Parecer de Janot a favor de Petrolina
Parecer de Janot a favor de PetrolinaParecer de Janot a favor de Petrolina
Parecer de Janot a favor de Petrolina
 
Decisao bloqueio bens mafia locadoras
Decisao bloqueio bens mafia locadoras Decisao bloqueio bens mafia locadoras
Decisao bloqueio bens mafia locadoras
 
Oficio de notificacao
Oficio de notificacaoOficio de notificacao
Oficio de notificacao
 
Recebimento carelli 2
Recebimento carelli 2Recebimento carelli 2
Recebimento carelli 2
 
Acórdão 2020
Acórdão 2020Acórdão 2020
Acórdão 2020
 
Voto do relator sobre processo contra Lula Cabral
Voto do relator sobre processo contra Lula CabralVoto do relator sobre processo contra Lula Cabral
Voto do relator sobre processo contra Lula Cabral
 
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidenteEstado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
 
SENTENÇA 2016
SENTENÇA 2016SENTENÇA 2016
SENTENÇA 2016
 
MPF recorre ao TSE contra prefeito eleito em Água Preta
MPF recorre ao TSE contra prefeito eleito em Água PretaMPF recorre ao TSE contra prefeito eleito em Água Preta
MPF recorre ao TSE contra prefeito eleito em Água Preta
 
Sentença que condena Antonio Belinati, Antonio Carlos Belinati e outros
Sentença que condena Antonio Belinati, Antonio Carlos Belinati e outrosSentença que condena Antonio Belinati, Antonio Carlos Belinati e outros
Sentença que condena Antonio Belinati, Antonio Carlos Belinati e outros
 
Senador Ivo Cassol oferece carros de luxo e consegue liberar parte de bens bl...
Senador Ivo Cassol oferece carros de luxo e consegue liberar parte de bens bl...Senador Ivo Cassol oferece carros de luxo e consegue liberar parte de bens bl...
Senador Ivo Cassol oferece carros de luxo e consegue liberar parte de bens bl...
 
1021- Ação de Obrigação de Fazer Cc Indenização e Tutela de Urgência 3212
1021- Ação de Obrigação de Fazer Cc Indenização e Tutela de Urgência 32121021- Ação de Obrigação de Fazer Cc Indenização e Tutela de Urgência 3212
1021- Ação de Obrigação de Fazer Cc Indenização e Tutela de Urgência 3212
 
Juiz de Rondônia condena Telexfree a restituir mais de R$ 21 mil a investidor
Juiz de Rondônia condena Telexfree a restituir mais de R$ 21 mil a investidorJuiz de Rondônia condena Telexfree a restituir mais de R$ 21 mil a investidor
Juiz de Rondônia condena Telexfree a restituir mais de R$ 21 mil a investidor
 

Semelhante a Justiça determina suspensão da greve dos agentes penitenciários

Lulasentença
LulasentençaLulasentença
Lulasentença
Fabio Motta
 
Ines 140730074027-phpapp01
Ines 140730074027-phpapp01Ines 140730074027-phpapp01
Ines 140730074027-phpapp01
Cristiano Will Lira
 
Juiz da Publicano pede que processo vá pra Curitina
Juiz da Publicano pede que processo vá pra CuritinaJuiz da Publicano pede que processo vá pra Curitina
Juiz da Publicano pede que processo vá pra Curitina
Claudio Osti
 
Acordao 2013 bordignon
Acordao 2013 bordignonAcordao 2013 bordignon
Acordao 2013 bordignon
Polibio Braga
 
Justiça afasta prefeita de São Félix do Araguaia; veja a decisão judicial
Justiça afasta prefeita de São Félix do Araguaia; veja a decisão judicialJustiça afasta prefeita de São Félix do Araguaia; veja a decisão judicial
Justiça afasta prefeita de São Félix do Araguaia; veja a decisão judicial
Michel Franck
 
Tribunal rejeita pedido de empresa pivô no esquema dos R$ 30 milhões da ponte...
Tribunal rejeita pedido de empresa pivô no esquema dos R$ 30 milhões da ponte...Tribunal rejeita pedido de empresa pivô no esquema dos R$ 30 milhões da ponte...
Tribunal rejeita pedido de empresa pivô no esquema dos R$ 30 milhões da ponte...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Acordao 0005519 19-2014.4.01.4100
Acordao 0005519 19-2014.4.01.4100Acordao 0005519 19-2014.4.01.4100
Acordao 0005519 19-2014.4.01.4100
Jornal Tudorondonia
 
1124- ASSISTENCIA II
1124- ASSISTENCIA II1124- ASSISTENCIA II
1124- ASSISTENCIA II
Consultor JRSantana
 
633013
633013633013
Transporte
TransporteTransporte
Transporte
Fabio Motta
 
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativa
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativaRondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativa
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativa
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Censurada à CataCapital negada
Censurada à CataCapital negadaCensurada à CataCapital negada
Censurada à CataCapital negada
Marcelo Auler
 
Sentença reafirma decisão do TCU contra Ana Paula da Silva
Sentença reafirma decisão do TCU contra Ana Paula da SilvaSentença reafirma decisão do TCU contra Ana Paula da Silva
Sentença reafirma decisão do TCU contra Ana Paula da Silva
PCdoB Bombinhas
 
MPPE pede novo afastamento do prefeito de São Lourenço
MPPE pede novo afastamento do prefeito de São LourençoMPPE pede novo afastamento do prefeito de São Lourenço
MPPE pede novo afastamento do prefeito de São Lourenço
Portal NE10
 
CPI do Ar condicionado - Irregularidades no governo Raimundo Macedo
CPI do Ar condicionado -  Irregularidades no governo Raimundo MacedoCPI do Ar condicionado -  Irregularidades no governo Raimundo Macedo
CPI do Ar condicionado - Irregularidades no governo Raimundo Macedo
drsantananeto
 
Pedido de informações_juiza_da_ssj_de_ilhéus-ba
Pedido de informações_juiza_da_ssj_de_ilhéus-baPedido de informações_juiza_da_ssj_de_ilhéus-ba
Pedido de informações_juiza_da_ssj_de_ilhéus-ba
Leandro Santos da Silva
 
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
Cláudio Colnago
 
Recurso especial n. 1.550.053
Recurso especial n. 1.550.053Recurso especial n. 1.550.053
Recurso especial n. 1.550.053
Ministério Público de Santa Catarina
 
Parecer do MP contra o Ex presidente Lula
Parecer do MP contra o Ex presidente LulaParecer do MP contra o Ex presidente Lula
Parecer do MP contra o Ex presidente Lula
Felipe Esteves Milicio
 
Improbidade Administrativa - Lula
Improbidade Administrativa - LulaImprobidade Administrativa - Lula
Improbidade Administrativa - Lula
rvelozo
 

Semelhante a Justiça determina suspensão da greve dos agentes penitenciários (20)

Lulasentença
LulasentençaLulasentença
Lulasentença
 
Ines 140730074027-phpapp01
Ines 140730074027-phpapp01Ines 140730074027-phpapp01
Ines 140730074027-phpapp01
 
Juiz da Publicano pede que processo vá pra Curitina
Juiz da Publicano pede que processo vá pra CuritinaJuiz da Publicano pede que processo vá pra Curitina
Juiz da Publicano pede que processo vá pra Curitina
 
Acordao 2013 bordignon
Acordao 2013 bordignonAcordao 2013 bordignon
Acordao 2013 bordignon
 
Justiça afasta prefeita de São Félix do Araguaia; veja a decisão judicial
Justiça afasta prefeita de São Félix do Araguaia; veja a decisão judicialJustiça afasta prefeita de São Félix do Araguaia; veja a decisão judicial
Justiça afasta prefeita de São Félix do Araguaia; veja a decisão judicial
 
Tribunal rejeita pedido de empresa pivô no esquema dos R$ 30 milhões da ponte...
Tribunal rejeita pedido de empresa pivô no esquema dos R$ 30 milhões da ponte...Tribunal rejeita pedido de empresa pivô no esquema dos R$ 30 milhões da ponte...
Tribunal rejeita pedido de empresa pivô no esquema dos R$ 30 milhões da ponte...
 
Acordao 0005519 19-2014.4.01.4100
Acordao 0005519 19-2014.4.01.4100Acordao 0005519 19-2014.4.01.4100
Acordao 0005519 19-2014.4.01.4100
 
1124- ASSISTENCIA II
1124- ASSISTENCIA II1124- ASSISTENCIA II
1124- ASSISTENCIA II
 
633013
633013633013
633013
 
Transporte
TransporteTransporte
Transporte
 
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativa
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativaRondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativa
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativa
 
Censurada à CataCapital negada
Censurada à CataCapital negadaCensurada à CataCapital negada
Censurada à CataCapital negada
 
Sentença reafirma decisão do TCU contra Ana Paula da Silva
Sentença reafirma decisão do TCU contra Ana Paula da SilvaSentença reafirma decisão do TCU contra Ana Paula da Silva
Sentença reafirma decisão do TCU contra Ana Paula da Silva
 
MPPE pede novo afastamento do prefeito de São Lourenço
MPPE pede novo afastamento do prefeito de São LourençoMPPE pede novo afastamento do prefeito de São Lourenço
MPPE pede novo afastamento do prefeito de São Lourenço
 
CPI do Ar condicionado - Irregularidades no governo Raimundo Macedo
CPI do Ar condicionado -  Irregularidades no governo Raimundo MacedoCPI do Ar condicionado -  Irregularidades no governo Raimundo Macedo
CPI do Ar condicionado - Irregularidades no governo Raimundo Macedo
 
Pedido de informações_juiza_da_ssj_de_ilhéus-ba
Pedido de informações_juiza_da_ssj_de_ilhéus-baPedido de informações_juiza_da_ssj_de_ilhéus-ba
Pedido de informações_juiza_da_ssj_de_ilhéus-ba
 
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
Princípios constitucionais tributários (fdv 10.05.2013)
 
Recurso especial n. 1.550.053
Recurso especial n. 1.550.053Recurso especial n. 1.550.053
Recurso especial n. 1.550.053
 
Parecer do MP contra o Ex presidente Lula
Parecer do MP contra o Ex presidente LulaParecer do MP contra o Ex presidente Lula
Parecer do MP contra o Ex presidente Lula
 
Improbidade Administrativa - Lula
Improbidade Administrativa - LulaImprobidade Administrativa - Lula
Improbidade Administrativa - Lula
 

Mais de Rondoniadinamica Jornal Eletrônico

Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exoneraçõesPrefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Decisão
DecisãoDecisão
CONFIRA
CONFIRACONFIRA
Lorival Amorim
Lorival AmorimLorival Amorim
AÇÃO POPULAR
AÇÃO POPULARAÇÃO POPULAR
ACÓRDÃO
ACÓRDÃOACÓRDÃO
SENTENÇA NEPOTISMO
SENTENÇA NEPOTISMOSENTENÇA NEPOTISMO
SESAU
SESAUSESAU
Extinção
ExtinçãoExtinção
LUIZ, MILIANE E HELOISA
LUIZ, MILIANE E HELOISALUIZ, MILIANE E HELOISA
LUIZ, MILIANE E HELOISA
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
OZIEL
OZIELOZIEL
DENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
DENÚNCIA EFRAIN - ANEELDENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
DENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
CONTRATO
CONTRATOCONTRATO
Acórdão
AcórdãoAcórdão
ÍNTEGRA
ÍNTEGRAÍNTEGRA

Mais de Rondoniadinamica Jornal Eletrônico (20)

Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exoneraçõesPrefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
 
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
 
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
 
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
 
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
 
Decisão
DecisãoDecisão
Decisão
 
CONFIRA
CONFIRACONFIRA
CONFIRA
 
Lorival Amorim
Lorival AmorimLorival Amorim
Lorival Amorim
 
Citação
CitaçãoCitação
Citação
 
AÇÃO POPULAR
AÇÃO POPULARAÇÃO POPULAR
AÇÃO POPULAR
 
ACÓRDÃO
ACÓRDÃOACÓRDÃO
ACÓRDÃO
 
SENTENÇA NEPOTISMO
SENTENÇA NEPOTISMOSENTENÇA NEPOTISMO
SENTENÇA NEPOTISMO
 
SESAU
SESAUSESAU
SESAU
 
Extinção
ExtinçãoExtinção
Extinção
 
LUIZ, MILIANE E HELOISA
LUIZ, MILIANE E HELOISALUIZ, MILIANE E HELOISA
LUIZ, MILIANE E HELOISA
 
OZIEL
OZIELOZIEL
OZIEL
 
DENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
DENÚNCIA EFRAIN - ANEELDENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
DENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
 
CONTRATO
CONTRATOCONTRATO
CONTRATO
 
Acórdão
AcórdãoAcórdão
Acórdão
 
ÍNTEGRA
ÍNTEGRAÍNTEGRA
ÍNTEGRA
 

Justiça determina suspensão da greve dos agentes penitenciários

  • 1. 17/01/2019 Número: 0801150-04.2017.8.22.0000 Classe: DISSÍDIO COLETIVO DE GREVE Órgão julgador colegiado: 2ª Câmara Especial Órgão julgador: Gabinete Des. Roosevelt Queiroz Última distribuição : 08/05/2017 Valor da causa: R$ 100.000,00 Assuntos: Liminar Segredo de justiça? NÃO Justiça gratuita? NÃO Pedido de liminar ou antecipação de tutela? SIM Processo Judicial Eletrônico - 2º Grau PJe - Processo Judicial Eletrônico Partes Procurador/Terceiro vinculado ESTADO DE RONDÔNIA (SUSCITANTE) THIAGO DENGER QUEIROZ (ADVOGADO) TAIS MACEDO DE BRITO CUNHA (ADVOGADO) LERI ANTONIO SOUZA E SILVA (ADVOGADO) JURACI JORGE DA SILVA (ADVOGADO) SINDICATO DOS AGENTES PENITENCIARIOS DE RONDONIA (SUSCITADO) MAURICIO M FILHO (ADVOGADO) FERNANDA NAIARA ALMEIDA DIAS (ADVOGADO) LAYANNA MABIA MAURICIO (ADVOGADO) MARCIA DE OLIVEIRA LIMA (ADVOGADO) ANDREY CAVALCANTE DE CARVALHO (ADVOGADO) ANTONIO RABELO PINHEIRO (ADVOGADO) ADRIANA DO NASCIMENTO CORDEIRO DE ALMEIDA (ADVOGADO) ANA CAROLINE DIAS COCIUFFO VILLELA (ADVOGADO) GABRIEL DE MORAES CORREIA TOMASETE (ADVOGADO) JOHNNY DENIZ CLIMACO (ADVOGADO) ANE CAROLINE FERREIRA DOS SANTOS (ADVOGADO) RICHARD SOARES RIBEIRO (ADVOGADO) JOAO ANDRE DOS SANTOS BORGES (ADVOGADO) EMERSON SALVADOR DE LIMA (ADVOGADO) HENRIQUE ARCOVERDE CAPICHIONE DA FONSECA (ADVOGADO) CASTIEL FERREIRA DE PAULA (ADVOGADO) DENYVALDO DOS SANTOS PAIS JUNIOR (ADVOGADO) FELIPPE ROBERTO PESTANA (ADVOGADO) KATIA APARECIDA PULLIG DE OLIVEIRA (ADVOGADO) VINICIUS DE ASSIS (ADVOGADO) ELTON JOSE ASSIS (ADVOGADO) RAUL RIBEIRO DA FONSECA FILHO (ADVOGADO) MPRO (MINISTÉRIO PÚBLICO DE RONDÔNIA) (CUSTOS LEGIS) Documentos Id. Data da Assinatura Documento Tipo 51961 46 17/01/2019 08:54 Decisão Decisão
  • 2. ESTADO DE RONDÔNIA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA 2ª Câmara Especial / Gabinete Des. Roosevelt Queiroz Processo: - DISSÍDIO COLETIVO DE GREVE (988)0801150-04.2017.8.22.0000 Relator: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA Data distribuição: 08/05/2017 13:45:05 Polo Ativo: ESTADO DE RONDÔNIA e outros Advogados do(a) SUSCITANTE: THIAGO DENGER QUEIROZ - RO2360, TAIS MACEDO DE BRITO CUNHA - RO6142, LERI ANTONIO SOUZA E SILVA - RO2690, JURACI JORGE DA SILVA - RO528 Polo Passivo: SINDICATO DOS AGENTES PENITENCIARIOS DE RONDONIA e outros Advogados do(a) SUSCITADO: MAURICIO M FILHO - RO8826, FERNANDA NAIARA ALMEIDA DIAS - RO5199, LAYANNA MABIA MAURICIO - RO3856, MARCIA DE OLIVEIRA LIMA - RO3495, ANDREY CAVALCANTE DE CARVALHO - RO0003030A, ANTONIO RABELO PINHEIRO - RO0000659A, ADRIANA DO NASCIMENTO CORDEIRO DE ALMEIDA - RO8275, ANA CAROLINE DIAS COCIUFFO VILLELA - RO7489, GABRIEL DE MORAES CORREIA TOMASETE - RO0002641A, JOHNNY DENIZ CLIMACO - RO0006496A, ANE CAROLINE FERREIRA DOS SANTOS - RO4309, RICHARD SOARES RIBEIRO - RO7879, JOAO ANDRE DOS SANTOS BORGES - RO0008052A, EMERSON SALVADOR DE LIMA - RO8127, HENRIQUE ARCOVERDE CAPICHIONE DA FONSECA - RO5191, CASTIEL FERREIRA DE PAULA - RO8063, DENYVALDO DOS SANTOS PAIS JUNIOR - RO7655, FELIPPE ROBERTO PESTANA - RO0005077A, KATIA APARECIDA PULLIG DE OLIVEIRA - RO7148, VINICIUS DE ASSIS - MG47751, ELTON JOSE ASSIS - RO631, RAUL RIBEIRO DA FONSECA FILHO - RO555 DECISÃO Vistos. Em decisão anterior, homologuei o acordo extrajudicial firmado pelas partes, por meio do qual ficou ajustado que o Estado de Rondônia encaminharia o projeto de lei de realinhamento salarial dos Num. 5196146 - Pág. 1Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04 http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844 Número do documento: 19011708535826200000005167844
  • 3. agentes penitenciários no mês de feveireiro do ano de 2019, e implementação do pagamento no primeiro quadrimestre do mesmo ano. Apesar da homologação judicial do acordo, o feito não transitou em julgado, sendo possível, ainda, a modificação da decisão homologatória por intermédio da interposição do recurso previsto em lei, notadamente em razão da menção do Sindicato no sentido de que o acordo é parcial. Na data de ontem, 16/01/2019, o Estado de Rondônia requereu tutela provisória de urgência, postulando que o SINGEPERON se abstenha de paralisar as atividades exercida pelos agentes penitenciários, cuja greve fora comunicada para iniciar amanhã, 18/01/2019, às 8h. Assim, considerando a ausência de trânsito em julgado desta demanda, passo à análise do requerimento formulado pelo ente público. O art. 300 do NCPC elenca os requisitos para a concessão da tutela de urgência: Art. 300. A tutela de urgência será concedida quando houver elementos que evidenciem a probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo. A probabilidade do direito que autoriza o emprego da técnica antecipatória para a tutela dos direitos é a probabilidade lógica – que é aquela que surge da confrontação das alegações e das provas com os elementos disponíveis nos autos, sendo provável a hipótese que encontra maior grau de confirmação e menor grau de refutação nesses elementos. O juiz tem que se convencer de que o direito é provável para conceder a tutela provisória. Já o perigo de dano caracteriza-se quando a demora pode comprometer a realização imediata ou futura do direito. (Luiz Guilherme Marinoni, Sérgio Cruz Arenhart, Daniel Mitidieiro, Novo Código de Processo Civil Comentado, ed. Revista dos Tribunais, 2015, pág. 312). Pois bem. Impõe-se analisar a existência dos requisitos para a concessão da tutela de urgência. Em análise ao acordo entabulado entre as partes, observo que o Estado de Rondônia firmou o compromisso de encaminhar à ALE/RO projeto de lei de realinhamento salarial dos agentes penitenciário até o mês de feveireiro do ano de 2019, vale dizer, ainda não houve o advento do prazo final. Assim, em princípio, não há que se falar em descumprimento do pacto pelo ente público. Num. 5196146 - Pág. 2Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04 http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844 Número do documento: 19011708535826200000005167844
  • 4. Além disso, constitui fato público e notório que houve alteração da cúpula diretiva do Poder Executivo Estadual há menos de um mês, e tal circunstância, por questões de razoabilidade, deve ser levada em consideração, não havendo notícia de uma única reunião realizada com os integrantes do novo governo. É bem verdade que a alteração da cúpula diretiva do Poder Executivo não justifica o descumprimento de compromissos firmados com governos anteriores, por serem os pactos estabelecidos com o Estado, e não com o governo. Entretanto, a deflagração de greve no momento atual, sem a demonstração inequívoca da violação do acordo entabulado pelo Estado, há poucos dias do início da nova gestão e, sobretudo, sem a disponibilização de percentual mínimo de servidores para a continuidade dos serviços, em princípio, aparenta ilegalidade, razão pela qual mostra-se verossimil as alegações do Estado. Como já assentei em decisão anterior, o Supremo Tribunal Federal já pacificou o entendimento que apesar de a greve dos servidores públicos ser um direito constitucionalmente previsto, há algumas categorias de servidores que, ante a essencialidade dos serviços públicos por eles prestados, sofrem restrições ou mesmo vedações de tal direito. Neste sentido, cito seguinte aresto: EMENTA: RECLAMAÇÃO. SERVIDOR PÚBLICO. POLICIAIS CIVIS. DISSÍDIO COLETIVO DE GREVE. SERVIÇOS OU ATIVIDADES PÚBLICAS ESSENCIAIS. COMPETÊNCIA PARA CONHECER E JULGAR O DISSÍDIO. ARTIGO 114, INCISO I, DA CONSTITUIÇÃO DO BRASIL. DIREITO DE GREVE. ARTIGO 37,INCISO VII, DA CONSTITUIÇÃO DO BRASIL. LEI N. 7.783/89. INAPLICABILIDADE AOS SERVIDORES PÚBLICOS. DIREITO NÃO ABSOLUTO. RELATIVIZAÇÃO DO DIREITO DE GREVE EM RAZÃO DA ÍNDOLE DE DETERMINADAS ATIVIDADES PÚBLICAS. AMPLITUDE DA DECISÃO PROFERIDA NO JULGAMENTO DO MANDADO DE INJUNÇÃO N. 712. ART. 142, § 3º, INCISO IV, DA CONSTITUIÇÃO DO BRASIL. INTERPRETAÇÃO DA CONSTITUIÇÃO. AFRONTA AO DECIDIDO NA ADI 3.395. INCOMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO PARA DIRIMIR CONFLITOS ENTRE SERVIDORES PÚBLICOS E ENTES DA ADMINISTRAÇÃO ÀS QUAIS ESTÃO VINCULADOS. RECLAMAÇÃO JULGADA PROCEDENTE. 1. O Supremo Tribunal Federal, ao julgar o MI n. 712, afirmou entendimento no sentido de que a Lei n. 7.783/89, que dispõe sobre o exercício do direito de greve dos trabalhadores em geral, é ato normativo de início inaplicável aos servidores públicos civis, mas ao Poder Judiciário dar concreção ao artigo 37, inciso VII, da Constituição do Brasil, suprindo omissões do Poder Legislativo. Num. 5196146 - Pág. 3Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04 http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844 Número do documento: 19011708535826200000005167844
  • 5. 2. Servidores públicos que exercem atividades relacionadas à manutenção da ordem pública e à segurança pública, à administração da Justiça --- aí os integrados nas chamadas carreiras de Estado, que exercem atividades indelegáveis, inclusive as de exação tributária --- e à saúde pública. A conservação do bem comum exige que certas categorias de servidores públicos sejam privadas do exercício do direito de greve. Defesa dessa conservação e efetiva proteção de outros direitos igualmente salvaguardados pela Constituição do Brasil. 3. Doutrina do duplo efeito, segundo Tomás de Aquino, na Suma Teológica (II Seção da II Parte, Questão 64, Artigo 7). Não há dúvida quanto a serem, os servidores públicos, titulares do direito de greve. Porém, tal e qual é lícito matar a outrem em vista do bem comum, não será ilícita a recusa do direito de greve a tais e quais servidores públicos em benefício do bem comum. Não há mesmo dúvida quanto a serem eles titulares do direito de greve. A Constituição é, contudo, uma totalidade. Não um conjunto de enunciados que se possa ler palavra por palavra, em experiência de leitura bem comportada ou esteticamente ordenada. Dela são extraídos, pelo intérprete, sentidos normativos, outras coisas que não somente textos. A força normativa da Constituição é desprendida da totalidade, totalidade normativa, que a Constituição é. Os servidores públicos são, seguramente, titulares do direito de greve. Essa é a regra. Ocorre, contudo, que entre os serviços públicos há alguns que a coesão social impõe sejam prestados plenamente, em sua totalidade. Atividades das quais dependam a manutenção da ordem pública e a segurança pública, a administração da Justiça --- onde as carreiras de Estado, cujos membros exercem atividades indelegáveis, inclusive as de exação tributária --- e a saúde pública não estão inseridos no elenco dos servidores alcançados por esse direito. Serviços públicos desenvolvidos por grupos armados: as atividades desenvolvidas pela polícia civil são análogas, para esse efeito, às dos militares, em relação aos quais a Constituição expressamente proíbe a greve [art. 142, § 3º, IV]. 4. No julgamento da ADI 3.395, o Supremo Tribunal Federal, dando interpretação conforme ao artigo 114, inciso I, da Constituição do Brasil, na redação a ele conferida pela EC 45/04, afastou a competência da Justiça do Trabalho para dirimir os conflitos decorrentes das relações travadas entre servidores públicos e entes da Administração à qual estão vinculados. Pedido julgado procedente. (Rcl 6568, Relator(a): Min. EROS GRAU, Tribunal Pleno, julgado em 21/05/2009, DJe-181 DIVULG 24-09-2009 PUBLIC 25-09-2009 EMENT VOL-02375-02 PP-00736) A segurança pública, que indubitavelmente atende necessidades inadiáveis da comunidade, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio (art. 144 da CF). A categoria representada pelo SINGEPERON exerce atividades correlatas, responsáveis pela ordem pública dentro dos presídios e pela incolumidade das pessoas que estão sob a custódia do Estado. Quanto ao direito de greve dos agentes penitenciários, esta Corte já ponderou noutra oportunidade, quando do julgamento das cautelares inominadas n. 0000927-26.2013.8.22.0000 e 0002366-04.2015.8.22.0000, propostas também em face do SINGEPERON, que não obstante os agentes não prestem a efetiva segurança da população, exercem atribuições a ela ligadas, como serviço de vigilância e custódia de presos, dentre outras atividades que estão diretamente relacionadas com a segurança da população. Num. 5196146 - Pág. 4Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04 http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844 Número do documento: 19011708535826200000005167844
  • 6. Nesse diapasão, embora o movimento de greve consista em exercício regular de direito assegurado constitucionalmente, não se pode dissociar este direito de todo o restante do regramento jurídico, bem como do interesse, bem-estar e segurança da coletividade. Não se quer com isso negar ao servidor público, de forma geral, o direito de greve, mas sim afirmar que alguns serviços públicos, os quais são imprescindíveis para a manutenção da ordem pública e da segurança pública, dada a sua essencialidade, exigem que os mesmos sejam prestados plenamente, em sua totalidade. Também não passa desapercebido deste relator o momento político e de insegurança por parte da população pelo qual passa o país, não favorável à redução de serviços ligados à segurança pública, sendo este mais um fator a justificar a concessão da medida pretendida. Presente, portanto a verossimilhança do direito. No que se refere ao periculum in mora, este também encontra-se presente haja vista que a paralisação dos agentes penitenciários representa um risco tanto às pessoas que estão sob a custódia do Estado, quanto aos familiares destes e toda a sociedade. Vale mencionar aqui, conforme bem lembrado pelo ente público, que na última paralisação realizada pelos agentes penitenciários no Estado de Rondônia familiares de presos foram feitos de refém, não tendo sua saída liberada pelos próprios presos, bem como a sociedade rondoniense ficou desguarnecida, uma vez que o efetivo da Polícia Militar, que deveria permanecer nas ruas protegendo os cidadãos rondonienses, foram deslocados para os presídios, na tentativa de conter a desordem instalada dentro dos presídios com a paralisação dos agentes penitenciários. Por fim, consigno que é necessário que seja estabelecido diálogo entre o novo Governo do Estado de Rondônia e o Sindicato da categoria a fim de que possam entrar em acordo acerca das reivindicações dos servidores. Em face do exposto, considerando a verossimilhança dos fatos articulados e o perigo de dano irreparável ou de difícil reparação, bem como a Reclamação Constitucional n. 6.568 do Supremo Tribunal Federal aplicável à categoria, DEFIRO a TUTELA PROVISÓRIA DE URGÊNCIA para impedir a realização da greve programada pelos servidores do SINGEPERON para início em 18/01/2019, às 8h, determinando que os mesmos se abstenham de paralisar os serviços, perdurando esta ordem até deliberação ulterior, devendo, portanto, ocorrer funcionamento completo de todas as atividades no sistema Num. 5196146 - Pág. 5Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04 http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844 Número do documento: 19011708535826200000005167844
  • 7. prisional, sob pena de multa diária de R$50.000,00 (cinquenta mil reais), até o máximo de R$800.000,00 ( oitocentos mil reais), ao demandado e multa de R$5.000,00 (diária) aos membros do Sindicato, e aos servidores que aderirem ao movimento paredista. Por se tratar de decisão exarada em cognição sumária, reservo-me o direito de revê-la a qualquer tempo diante de informações que recomendem essa atitude, inclusive com a advertência de alteração das astreites, para mais ou para menos. Expeça-se o necessário com a urgência que o caso requer. Sirva a cópia desta decisão como mandado. Porto Velho - RO, 17 de janeiro de 2019. Desembargador Roosevelt Queiroz Costa Relator Num. 5196146 - Pág. 6Assinado eletronicamente por: ROOSEVELT QUEIROZ COSTA - 17/01/2019 08:54:04 http://pje.tjro.jus.br:80/sg/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=19011708535826200000005167844 Número do documento: 19011708535826200000005167844