SlideShare uma empresa Scribd logo
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA
Porto Velho - Fórum Cível
Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686
e-mail:
Fl.______
_________________________
Cad.
Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001.
Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227
PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc
Pág. 1 de 7
CONCLUSÃO
Aos 14 dias do mês de Agosto de 2017, faço estes autos conclusos ao Juiz de Direito Edenir Sebastião
Albuquerque da Rosa. Eu, _________ Francisco Alves de Mesquita Júnior - Escrivã(o) Judicial, escrevi
conclusos.
Vara: 2ª Vara da Fazenda Pública
Processo: 0016543-09.2011.8.22.0001
Classe: Ação Civil de Improbidade Administrativa
Requerente: Ministério Público do Estado de Rondônia
Requerido: Roberto Eduardo Sobrinho; Jair Ramires; Carlos Alberto Soccol; Erasmo
Carlos dos Santos; Construtora Marquise S/A; Município de Porto Velho; Mário Jonas
Freitas Guterres
Parte retirada do polo passivo da ação: Natanael Castro Moura; Gilberto das Dores
Morais; Joelcimar Sampaio da Silva; Francisley Carvalho Leite
Trata-se de Embargos de Declaração com efeitos infringentes
interpostos pelo MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE RONDÔNIA contra a
sentença.
Alega o embargante que intentou a presente demanda e após
regularmente processada, em alegações finais requereu a improcedência da inicial,
no entanto, sobreveio a sentença homologatório de desistência da ação.
Assim, requer seja conhecido os embargos para sanar a contradição
apontada.
Oportunizada a manifestação da embargante em contrarrazões.
Vieram os autos conclusos.
É o relatório. Decido.
É consabido que os embargos de declaração são cabíveis quando
houver na decisão obscuridade ou contradição, quando for omitido ponto sobre o
qual devia pronunciar-se o julgador ou erro material.
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA
Porto Velho - Fórum Cível
Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686
e-mail:
Fl.______
_________________________
Cad.
Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001.
Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227
PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc
Pág. 2 de 7
Sem maiores delongas, anoto que razão assiste a parte autora. Assim,
com fundamento no art. 1.022, inc. I e II, do CPC, conheço dos embargos de
declaração, e acolho para fazer a correção da contradição apontada para constar e
fazer parte da sentença o seguinte:
“...Em alegações finais, o autor aponta a decisão da 2ª Câmara do e TJRO, que deu
provimento aos apelos do requerido e de Roberto Sobrinho absolvendo-os da
prática do crime do art. 89 da Lei n. 8.666/93, tendo sido afastado o dolo na conduta
dos requeridos, e quanto ao ressarcimento de eventuais valores já consta título
executivo extrajudicial em razão da Tomada de Contas Especial julgada pelo
Tribunal de Contas, entendendo que as sanções aplicadas pela TCE são suficientes
e compatível com o princípio da razoabilidade, requerendo a improcedência da
inicial.
Com efeito, conquanto reconhecida a autonomia das instâncias - administrativa,
criminal, civil e político-administrativa - é de se reconhecer que a decisão no feito
criminal deixa ver a inexistência de condutas possiveis de serem qualificadas
improbas.
Não se reconhece existirem condutas comprovadas de dolo ou má-fé direcionada a
atentar contra os principios da moralidade.
Nesse sentido, tenho por desqualificada a necessidade de imposição de penalidade
ao agente público se não configurado desvio de conduta por atentado a princípios
essenciais à Administração. Essa visão da Instituição não é isolada, podendo
assentar:
STJ. ADMINISTRATIVO. RECURSO ESPECIAL. IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. ART.
11, I, DA LEI 8.429/92. AUSÊNCIA DE DANO AO ERÁRIO PÚBLICO. IMPROCEDÊNCIA
DA AÇÃO.
O objetivo da Lei de Improbidade é punir o administrador público desonesto, não o inábil.
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA
Porto Velho - Fórum Cível
Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686
e-mail:
Fl.______
_________________________
Cad.
Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001.
Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227
PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc
Pág. 3 de 7
Ou, em outras palavras, para que se enquadre o agente público na Lei de Improbidade é
necessário que haja o dolo, a culpa e o prejuízo ao ente público, caracterizado pela ação ou
omissão do administrador público" (Mauro Roberto Gomes de Mattos, em "O Limite da
Improbidade Administrativa". 2ª ed., América Jurídica, p. 7 e 8). 2. "A finalidade da lei de
improbidade administrativa é punir o administrador desonesto" (Alexandre de Moraes, in
"Constituição do Brasil interpretada e legislação constitucional". Atlas, 2002, p. 2611). 3. "De
fato, a lei alcança o administrador desonesto, não o inábil, despreparado, incompetente e
desastrado" (REsp 213.994-0/MG, 1ª Turma, Rel. Min. Garcia Vieira, DOU de 27.09.1999).
4. "A Lei nº 8.429/92 da Ação de Improbidade Administrativa, que explicitou o cânone do art.
37, •˜ 4º, da Constituição Federal, teve como escopo impor sanções aos agentes públicos
incursos em atos de improbidade nos casos em que: a) importem em enriquecimento ilícito
(art. 9º); b) em que causem prejuízo ao erário público (art. 10); c) que atentem contra os
princípios da Administração Pública (art. 11), aqui também compreendida a lesão à
moralidade pública" (REsp nº 480.387/SP, Rel. Min. Luiz Fux, 1ª T., DJU de 24.05.2004, p.
162). 5. O recorrente sancionou lei aprovada pela Câmara Municipal que denominou prédio
público com nome de pessoas vivas. 6. Inexistência de qualquer acusação de que o
recorrente tenha enriquecido ilicitamente em decorrência do ato administrativo que lhe é
apontado como praticado. 7. Ausência de comprovação de lesão ao patrimônio público. 8.
Não configuração do tipo definido no art. 11, I, da Lei nº 8.429 de 1992. 9. Pena de
suspensão de direitos políticos por quatro anos, sem nenhuma fundamentação. 10.
Ilegalidade que, se existir, não configura ato de improbidade administrativa. 11. Recurso
especial provido. (Recurso Especial nº 758639/PB (2005/0097394-9), 1ª Turma do STJ, Rel.
José Delgado. j. 28.03.2006, unânime, DJ 15.05.2006).
TRF. PROCESSO CIVIL. AÇÃO DE IMPROBIDADE. ATO IMORAL. ATO ÍMPROBO.
1. Nem todo ato atentador da moralidade pode ser caracterizado como ímprobo,
violador dos deveres de imparcialidade, legalidade e lealdade às instituições. 2.
Inexistência, na hipótese, de descalabro, desmando, na concessão e recebimento de
diárias. 3. "O ímprobo administrativo é o devasso da Administração Pública" (José Afonso
da Silva). 4. "O Ministério Público não é, e não pode ser um superpoder, acima da lei e da
ordem, dotado de prerrogativas especiais para ser o árbitro absoluto de todas as questões a
respeito do interesse público e da moralidade pública." (Adilson Abreu Dallari). (Apelação
Cível nº 2002.35.00.014742-4/GO, 3ª Turma do TRF da 1ª Região, Rel. Tourinho Neto. j.
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA
Porto Velho - Fórum Cível
Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686
e-mail:
Fl.______
_________________________
Cad.
Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001.
Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227
PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc
Pág. 4 de 7
26.02.2007, unânime, DJU 09.03.2007).
Assim, tenho por assentir aos fundamentos para desconhecer ocorrência de
improbidade em relação ao Requerido:
O Supremo Tribunal Federal, analisando o princípio da moralidade administrativa,
manifestou-se afirmando:
Poder-se-á dizer que apenas agora a Constituição Federal consagrou a moralidade como
principio de administração pública (art 37 da CF). isso não é verdade. Os princípios podem
estar ou não explicitados em normas. Normalmente, sequer constam de texto regrado.
Defluem no todo do ordenamento jurídico. Encontram-se ínsitos, implícitos no sistema,
permeando as diversas normas regedoras de determinada matéria. O só fato de um
princípio não figurar no texto constitucional, não significa que nunca teve relevância de
principio. A circunstância de, no texto constitucional anterior, não figurar o principio da
moralidade não significa que o administrador poderia agir de forma imoral ou mesmo
amoral. Como ensina JesusGonzales Perez •gel hecho de su consagracion em uma norma
legal no supone que com anterioridad no existiera, ni que por tal consagración legislativa
haya perdido tal carácter•h (El principio de buena fé em el derecho administrativo. Madri,
1983. p. 15). Os princípios gerais de direito existem por força própria, independentemente
de figurarem em texto legislativo. E o fato de passarem a figurar em texto constitucional ou
legal não lhes retira o caráter de principio. O agente público não só tem que ser honesto e
probo, mas tem que mostrar que possui tal qualidade. Como a mulher de César.
Na definição de Ives Gandra: é irresponsável aquele que macula,
tisna, fere, atinge, agride a moralidade pública, sendo ímprobo administrador,
favorecendo terceiros, praticando a concussão ou sendo instrumento de corrupção
(GANDRA apud DI PIETRO, 2007, p. 123).
Para DI PIETRO: os princípios moralidade e probidade significam
praticamente a mesma coisa, embora algumas leis façam referência separadamente
a cada um deles. No entanto, quando se fala em improbidade como ato ilícito, como
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA
Porto Velho - Fórum Cível
Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686
e-mail:
Fl.______
_________________________
Cad.
Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001.
Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227
PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc
Pág. 5 de 7
infração sancionada pelo ordenamento jurídico, deixa de haver sinonímia entre as
expressões imoralidade e improbidade, porque esta tem um sentido mais amplo e
mais preciso, por abranger não somente atos desonestos ou imorais, mas também
atos ilegais. Na lei de improbidade administrativa, a lesão à moralidade é apenas
uma das inúmeras hipóteses de atos de improbidade previstos em lei.
Como visto a improbidade é ato de violação à moralidade administrativa e a outros
princípios e regras da Administração Pública (expressos ou implícitos), conforme
previsão em lei específica. Em sendo assim, pode-se conceituar a improbidade
administrativa como designativo técnico para a chamada corrupção administrativa,
com o desvirtuamento da Administração Pública, ou seja, condutas do poder público
que afrontam o ordenamento jurídico, que prejudicam o bom funcionamento da
Administração.
Nessa premissa, tem que o desvirtuamento de um agente público pode se dar de
várias formas: obtenção de vantagens patrimoniais indevidas às custas do erário,
através do exercício nocivo da função pública, através do tráfico de influências, bem
como através do favorecimento de um pequeno grupo em detrimento da maioria.
Balizada a ficha funcional do Requerido e afirmação de seu superior quanto o dever
funcional, não tenho por revelado com a suficiência esperada que o mesmo agiu
com a intenção de prejudicar o bom andamento da administração e com isso
praticar ato improbo.
Repisa-se, não vejo evidências de que tenha o Requerido agido em afronta aos
princípios da administração, pois para caracterização de ato de improbidade
administrativa por violação aos princípios norteadores da Administração Pública,
indispensável que a irregularidade praticada pelo agente público seja revestida de
má-fé ou dolo especifico.
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA
Porto Velho - Fórum Cível
Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686
e-mail:
Fl.______
_________________________
Cad.
Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001.
Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227
PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc
Pág. 6 de 7
Na lição de Marino Pazzaglini Filho, improbidade administrativa mais que mera
atuação desconforme com a singela e fria letra da lei, é conduta denotativa de
subversão das finalidades administrativas, sendo assim, não se pode conceber
como moral, como honesto, como de boa-fé, o uso de serviços públicos em prol de
interesses particulares, destoando os elementos fáticos deste feito em se tratando
de ato improbo.
Assim, não há de se falar em violação aos princípios constitucionais da
Administração Pública, da legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da
publicidade, da finalidade, da eficiência e da licitação (art. 37 da CF/88), tampouco
foram violadas as disposições contidas na Lei 8.429/92.
Anota-se por fim, que ato ilegal não deve ser confundido com ato improbo, logo em
tendo o Requerido supostamente agido de modo ilegal não é possível sua
condenação em ato improbo.
O Autor, em ponderada e ciosa manifestação final, observa inexistir justa causa para
imputar conduta improba aos requeridos Roberto Sobrinho, Jair Ramires, Natanael
Castro Moura, Erasmo Carlos dos Santos, Carlos Alberto Soccol, Gilberto das Dores
Morais, Joelcimar Sampaio da Silva, Franciscley Carvalho Leite e Construtora
Marquise em relação ao Contrato n. 030/PGM/2010.
Assim, nos fundamentos expostos, e tudo mais dos autos, JULGO
IMPROCEDENTE a pretensão inicial, pois não configurados elementos
caracterizadores de condutas ímprobas pelos requeridosr Roberto Sobrinho, Jair
Ramires, Natanael Castro Moura, Erasmo Carlos dos Santos, Carlos Alberto
Soccol, Gilberto das Dores Morais, Joelcimar Sampaio da Silva, Franciscley
Carvalho Leite e Construtora Marquise, as quais comportem imputações de
sanções da Lei 8.429/1992.
RESOLVO o processo com apreciação do mérito, na forma art. 487, I, do Código de
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA
Porto Velho - Fórum Cível
Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686
e-mail:
Fl.______
_________________________
Cad.
Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001.
Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227
PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc
Pág. 7 de 7
Processo Civil. Sem honorários ou custas, considerando não comprovada a
existência efetiva de má-fé ou dolo pelo Autor. Sem custas.
P.R.I.C. Sentença sujeita ao reexame necessário. Vindo recurso voluntário,
intimem-se os recorridos para contrarrazões, certificando e encaminhado ao e.
TJRO."
Porto Velho-RO, terça-feira, 29 de agosto de 2017.
Edenir Sebastião Albuquerque da Rosa
Juiz de Direito
RECEBIMENTO
Aos ____ dias do mês de Agosto de 2017. Eu, _________ Francisco Alves de Mesquita Júnior - Escrivã(o)
Judicial, recebi estes autos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ia belmiro teixeira de jesus
Ia   belmiro teixeira de jesusIa   belmiro teixeira de jesus
Ia belmiro teixeira de jesus
julio silva
 
ADI - Ação Direta de Inconstitucionalidade (0061223-27.2015.8.19.0000)
ADI - Ação Direta de Inconstitucionalidade (0061223-27.2015.8.19.0000)ADI - Ação Direta de Inconstitucionalidade (0061223-27.2015.8.19.0000)
ADI - Ação Direta de Inconstitucionalidade (0061223-27.2015.8.19.0000)
Jerbialdo
 
Ex-deputada Ana da Oito e irmã são condenadas a cinco anos de cadeia
Ex-deputada Ana da Oito e irmã são condenadas a cinco anos de cadeiaEx-deputada Ana da Oito e irmã são condenadas a cinco anos de cadeia
Ex-deputada Ana da Oito e irmã são condenadas a cinco anos de cadeia
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Parecer mpf bruno
Parecer mpf brunoParecer mpf bruno
Parecer mpf bruno
Portal NE10
 
Acordao 2013 bordignon
Acordao 2013 bordignonAcordao 2013 bordignon
Acordao 2013 bordignon
Polibio Braga
 
Apelação Cível - 2011.095274-1
Apelação Cível - 2011.095274-1Apelação Cível - 2011.095274-1
Apelação Cível - 2011.095274-1
Ministério Público de Santa Catarina
 
Docnull (2)
Docnull (2)Docnull (2)
Docnull (2)
Carlos França
 
Sentenca 224798 2013
Sentenca 224798 2013Sentenca 224798 2013
Sentenca 224798 2013
Polibio Braga
 
Veja o agravo rejeitado pelo STJ no caso da prefeitura de Pedra
Veja o agravo rejeitado pelo STJ no caso da prefeitura de PedraVeja o agravo rejeitado pelo STJ no caso da prefeitura de Pedra
Veja o agravo rejeitado pelo STJ no caso da prefeitura de Pedra
Jamildo Melo
 
Liminar prefeito de Cacoal
Liminar prefeito de CacoalLiminar prefeito de Cacoal
Liminar prefeito de Cacoal
Vinicius Canova Pires
 
Supremo
SupremoSupremo
Janot recomenda que stf anule nomeação de lula para casa civil
Janot recomenda que stf anule nomeação de lula para casa civilJanot recomenda que stf anule nomeação de lula para casa civil
Janot recomenda que stf anule nomeação de lula para casa civil
José Ripardo
 
TRE SC - Acórdão 28301 2013
TRE SC - Acórdão 28301 2013TRE SC - Acórdão 28301 2013
TRE SC - Acórdão 28301 2013
aldosiebert
 
Juiz de são bento do sul suspende obras na casa rosa
Juiz de são bento do sul suspende obras na casa rosaJuiz de são bento do sul suspende obras na casa rosa
Juiz de são bento do sul suspende obras na casa rosa
Luis Antonio Hangai
 
Justiça condena ex-prefeito e ex-comissionados por lesarem o erário e enrique...
Justiça condena ex-prefeito e ex-comissionados por lesarem o erário e enrique...Justiça condena ex-prefeito e ex-comissionados por lesarem o erário e enrique...
Justiça condena ex-prefeito e ex-comissionados por lesarem o erário e enrique...
Leandro César
 
Jose serra e aloysio nunes
Jose serra e aloysio nunesJose serra e aloysio nunes
Jose serra e aloysio nunes
Miguel Rosario
 
Apelação Cível nº 2013.066311-8 - ex-prefeito de Iporã do Oeste Ilton Pedro Vogt
Apelação Cível nº 2013.066311-8 - ex-prefeito de Iporã do Oeste Ilton Pedro VogtApelação Cível nº 2013.066311-8 - ex-prefeito de Iporã do Oeste Ilton Pedro Vogt
Apelação Cível nº 2013.066311-8 - ex-prefeito de Iporã do Oeste Ilton Pedro Vogt
Ministério Público de Santa Catarina
 
Slide
SlideSlide
Juiz diverge de posicionamento do Tribunal de Justiça sobre segurança particu...
Juiz diverge de posicionamento do Tribunal de Justiça sobre segurança particu...Juiz diverge de posicionamento do Tribunal de Justiça sobre segurança particu...
Juiz diverge de posicionamento do Tribunal de Justiça sobre segurança particu...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 

Mais procurados (19)

Ia belmiro teixeira de jesus
Ia   belmiro teixeira de jesusIa   belmiro teixeira de jesus
Ia belmiro teixeira de jesus
 
ADI - Ação Direta de Inconstitucionalidade (0061223-27.2015.8.19.0000)
ADI - Ação Direta de Inconstitucionalidade (0061223-27.2015.8.19.0000)ADI - Ação Direta de Inconstitucionalidade (0061223-27.2015.8.19.0000)
ADI - Ação Direta de Inconstitucionalidade (0061223-27.2015.8.19.0000)
 
Ex-deputada Ana da Oito e irmã são condenadas a cinco anos de cadeia
Ex-deputada Ana da Oito e irmã são condenadas a cinco anos de cadeiaEx-deputada Ana da Oito e irmã são condenadas a cinco anos de cadeia
Ex-deputada Ana da Oito e irmã são condenadas a cinco anos de cadeia
 
Parecer mpf bruno
Parecer mpf brunoParecer mpf bruno
Parecer mpf bruno
 
Acordao 2013 bordignon
Acordao 2013 bordignonAcordao 2013 bordignon
Acordao 2013 bordignon
 
Apelação Cível - 2011.095274-1
Apelação Cível - 2011.095274-1Apelação Cível - 2011.095274-1
Apelação Cível - 2011.095274-1
 
Docnull (2)
Docnull (2)Docnull (2)
Docnull (2)
 
Sentenca 224798 2013
Sentenca 224798 2013Sentenca 224798 2013
Sentenca 224798 2013
 
Veja o agravo rejeitado pelo STJ no caso da prefeitura de Pedra
Veja o agravo rejeitado pelo STJ no caso da prefeitura de PedraVeja o agravo rejeitado pelo STJ no caso da prefeitura de Pedra
Veja o agravo rejeitado pelo STJ no caso da prefeitura de Pedra
 
Liminar prefeito de Cacoal
Liminar prefeito de CacoalLiminar prefeito de Cacoal
Liminar prefeito de Cacoal
 
Supremo
SupremoSupremo
Supremo
 
Janot recomenda que stf anule nomeação de lula para casa civil
Janot recomenda que stf anule nomeação de lula para casa civilJanot recomenda que stf anule nomeação de lula para casa civil
Janot recomenda que stf anule nomeação de lula para casa civil
 
TRE SC - Acórdão 28301 2013
TRE SC - Acórdão 28301 2013TRE SC - Acórdão 28301 2013
TRE SC - Acórdão 28301 2013
 
Juiz de são bento do sul suspende obras na casa rosa
Juiz de são bento do sul suspende obras na casa rosaJuiz de são bento do sul suspende obras na casa rosa
Juiz de são bento do sul suspende obras na casa rosa
 
Justiça condena ex-prefeito e ex-comissionados por lesarem o erário e enrique...
Justiça condena ex-prefeito e ex-comissionados por lesarem o erário e enrique...Justiça condena ex-prefeito e ex-comissionados por lesarem o erário e enrique...
Justiça condena ex-prefeito e ex-comissionados por lesarem o erário e enrique...
 
Jose serra e aloysio nunes
Jose serra e aloysio nunesJose serra e aloysio nunes
Jose serra e aloysio nunes
 
Apelação Cível nº 2013.066311-8 - ex-prefeito de Iporã do Oeste Ilton Pedro Vogt
Apelação Cível nº 2013.066311-8 - ex-prefeito de Iporã do Oeste Ilton Pedro VogtApelação Cível nº 2013.066311-8 - ex-prefeito de Iporã do Oeste Ilton Pedro Vogt
Apelação Cível nº 2013.066311-8 - ex-prefeito de Iporã do Oeste Ilton Pedro Vogt
 
Slide
SlideSlide
Slide
 
Juiz diverge de posicionamento do Tribunal de Justiça sobre segurança particu...
Juiz diverge de posicionamento do Tribunal de Justiça sobre segurança particu...Juiz diverge de posicionamento do Tribunal de Justiça sobre segurança particu...
Juiz diverge de posicionamento do Tribunal de Justiça sobre segurança particu...
 

Semelhante a Justiça de Rondônia absolve ex-prefeito Roberto Sobrinho, ex-secretário Jair Ramires, Marquise e outros seis

Condenado servidor do TJ que recebia vantagens indevidas para “aliviar” presi...
Condenado servidor do TJ que recebia vantagens indevidas para “aliviar” presi...Condenado servidor do TJ que recebia vantagens indevidas para “aliviar” presi...
Condenado servidor do TJ que recebia vantagens indevidas para “aliviar” presi...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Ines
InesInes
Ines 140730074027-phpapp01
Ines 140730074027-phpapp01Ines 140730074027-phpapp01
Ines 140730074027-phpapp01
Cristiano Will Lira
 
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidenteEstado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Milton
MiltonMilton
633013
633013633013
Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Telecom
TelecomTelecom
Oiempresa
OiempresaOiempresa
Vereador que loteou gabinete com “fantasmas” e ficava com parte do salário é ...
Vereador que loteou gabinete com “fantasmas” e ficava com parte do salário é ...Vereador que loteou gabinete com “fantasmas” e ficava com parte do salário é ...
Vereador que loteou gabinete com “fantasmas” e ficava com parte do salário é ...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Cemmil
CemmilCemmil
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Voto do relator sobre processo contra Lula Cabral
Voto do relator sobre processo contra Lula CabralVoto do relator sobre processo contra Lula Cabral
Voto do relator sobre processo contra Lula Cabral
Portal NE10
 
20110921 empregado fantasma emprel
20110921 empregado fantasma emprel20110921 empregado fantasma emprel
20110921 empregado fantasma emprel
Charles Lima
 
Itaucard
ItaucardItaucard
Embargos opostos contra sentença que condenou Zequinha Araújo
Embargos opostos contra sentença que condenou Zequinha AraújoEmbargos opostos contra sentença que condenou Zequinha Araújo
Embargos opostos contra sentença que condenou Zequinha Araújo
Portal Brasileiro Nato
 
Moacir
MoacirMoacir
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributário
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributárioTribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributário
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributário
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de RondôniaPadre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Acessibilidade – Justiça obriga Ariquemes a fazer obras e adequar praças, av...
 Acessibilidade – Justiça obriga Ariquemes a fazer obras e adequar praças, av... Acessibilidade – Justiça obriga Ariquemes a fazer obras e adequar praças, av...
Acessibilidade – Justiça obriga Ariquemes a fazer obras e adequar praças, av...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 

Semelhante a Justiça de Rondônia absolve ex-prefeito Roberto Sobrinho, ex-secretário Jair Ramires, Marquise e outros seis (20)

Condenado servidor do TJ que recebia vantagens indevidas para “aliviar” presi...
Condenado servidor do TJ que recebia vantagens indevidas para “aliviar” presi...Condenado servidor do TJ que recebia vantagens indevidas para “aliviar” presi...
Condenado servidor do TJ que recebia vantagens indevidas para “aliviar” presi...
 
Ines
InesInes
Ines
 
Ines 140730074027-phpapp01
Ines 140730074027-phpapp01Ines 140730074027-phpapp01
Ines 140730074027-phpapp01
 
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidenteEstado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
Estado de Rondônia terá de pagar mais de R$ 36 mil à vítima de acidente
 
Milton
MiltonMilton
Milton
 
633013
633013633013
633013
 
Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
Justiça de Rondônia condena ex-prefeito por simular entrega de materiais para...
 
Telecom
TelecomTelecom
Telecom
 
Oiempresa
OiempresaOiempresa
Oiempresa
 
Vereador que loteou gabinete com “fantasmas” e ficava com parte do salário é ...
Vereador que loteou gabinete com “fantasmas” e ficava com parte do salário é ...Vereador que loteou gabinete com “fantasmas” e ficava com parte do salário é ...
Vereador que loteou gabinete com “fantasmas” e ficava com parte do salário é ...
 
Cemmil
CemmilCemmil
Cemmil
 
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
Leiloeira que embolsou quase R$ 26 mil indevidamente volta a ser condenada em...
 
Voto do relator sobre processo contra Lula Cabral
Voto do relator sobre processo contra Lula CabralVoto do relator sobre processo contra Lula Cabral
Voto do relator sobre processo contra Lula Cabral
 
20110921 empregado fantasma emprel
20110921 empregado fantasma emprel20110921 empregado fantasma emprel
20110921 empregado fantasma emprel
 
Itaucard
ItaucardItaucard
Itaucard
 
Embargos opostos contra sentença que condenou Zequinha Araújo
Embargos opostos contra sentença que condenou Zequinha AraújoEmbargos opostos contra sentença que condenou Zequinha Araújo
Embargos opostos contra sentença que condenou Zequinha Araújo
 
Moacir
MoacirMoacir
Moacir
 
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributário
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributárioTribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributário
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributário
 
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de RondôniaPadre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
Padre ex-prefeito de Cacoal é condenado mais uma vez pela Justiça de Rondônia
 
Acessibilidade – Justiça obriga Ariquemes a fazer obras e adequar praças, av...
 Acessibilidade – Justiça obriga Ariquemes a fazer obras e adequar praças, av... Acessibilidade – Justiça obriga Ariquemes a fazer obras e adequar praças, av...
Acessibilidade – Justiça obriga Ariquemes a fazer obras e adequar praças, av...
 

Mais de Rondoniadinamica Jornal Eletrônico

Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exoneraçõesPrefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Decisão
DecisãoDecisão
Acórdão 2020
Acórdão 2020Acórdão 2020
SENTENÇA 2016
SENTENÇA 2016SENTENÇA 2016
CONFIRA
CONFIRACONFIRA
Lorival Amorim
Lorival AmorimLorival Amorim
AÇÃO POPULAR
AÇÃO POPULARAÇÃO POPULAR
ACÓRDÃO
ACÓRDÃOACÓRDÃO
SENTENÇA NEPOTISMO
SENTENÇA NEPOTISMOSENTENÇA NEPOTISMO
SESAU
SESAUSESAU
Extinção
ExtinçãoExtinção
LUIZ, MILIANE E HELOISA
LUIZ, MILIANE E HELOISALUIZ, MILIANE E HELOISA
LUIZ, MILIANE E HELOISA
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
OZIEL
OZIELOZIEL
DENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
DENÚNCIA EFRAIN - ANEELDENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
DENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
Rondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
CONTRATO
CONTRATOCONTRATO

Mais de Rondoniadinamica Jornal Eletrônico (20)

Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exoneraçõesPrefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
Prefeito interino de Ji-Paraná decreta dezenas de exonerações
 
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
Sentença Prefeitura Urupá 7000515-69.2015.8.22.0011
 
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
Suplente tenta assumir mandato de vereador afastado após Operação CashBack, m...
 
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
Envolvidos condenados: Investigação revela desvio de recursos em convênios pa...
 
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
Ex-prefeita acusada de causar mais de R$ 100 mil em prejuízos aos cofres públ...
 
Decisão
DecisãoDecisão
Decisão
 
Acórdão 2020
Acórdão 2020Acórdão 2020
Acórdão 2020
 
SENTENÇA 2016
SENTENÇA 2016SENTENÇA 2016
SENTENÇA 2016
 
CONFIRA
CONFIRACONFIRA
CONFIRA
 
Lorival Amorim
Lorival AmorimLorival Amorim
Lorival Amorim
 
Citação
CitaçãoCitação
Citação
 
AÇÃO POPULAR
AÇÃO POPULARAÇÃO POPULAR
AÇÃO POPULAR
 
ACÓRDÃO
ACÓRDÃOACÓRDÃO
ACÓRDÃO
 
SENTENÇA NEPOTISMO
SENTENÇA NEPOTISMOSENTENÇA NEPOTISMO
SENTENÇA NEPOTISMO
 
SESAU
SESAUSESAU
SESAU
 
Extinção
ExtinçãoExtinção
Extinção
 
LUIZ, MILIANE E HELOISA
LUIZ, MILIANE E HELOISALUIZ, MILIANE E HELOISA
LUIZ, MILIANE E HELOISA
 
OZIEL
OZIELOZIEL
OZIEL
 
DENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
DENÚNCIA EFRAIN - ANEELDENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
DENÚNCIA EFRAIN - ANEEL
 
CONTRATO
CONTRATOCONTRATO
CONTRATO
 

Justiça de Rondônia absolve ex-prefeito Roberto Sobrinho, ex-secretário Jair Ramires, Marquise e outros seis

  • 1. PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail: Fl.______ _________________________ Cad. Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001. Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227 PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc Pág. 1 de 7 CONCLUSÃO Aos 14 dias do mês de Agosto de 2017, faço estes autos conclusos ao Juiz de Direito Edenir Sebastião Albuquerque da Rosa. Eu, _________ Francisco Alves de Mesquita Júnior - Escrivã(o) Judicial, escrevi conclusos. Vara: 2ª Vara da Fazenda Pública Processo: 0016543-09.2011.8.22.0001 Classe: Ação Civil de Improbidade Administrativa Requerente: Ministério Público do Estado de Rondônia Requerido: Roberto Eduardo Sobrinho; Jair Ramires; Carlos Alberto Soccol; Erasmo Carlos dos Santos; Construtora Marquise S/A; Município de Porto Velho; Mário Jonas Freitas Guterres Parte retirada do polo passivo da ação: Natanael Castro Moura; Gilberto das Dores Morais; Joelcimar Sampaio da Silva; Francisley Carvalho Leite Trata-se de Embargos de Declaração com efeitos infringentes interpostos pelo MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE RONDÔNIA contra a sentença. Alega o embargante que intentou a presente demanda e após regularmente processada, em alegações finais requereu a improcedência da inicial, no entanto, sobreveio a sentença homologatório de desistência da ação. Assim, requer seja conhecido os embargos para sanar a contradição apontada. Oportunizada a manifestação da embargante em contrarrazões. Vieram os autos conclusos. É o relatório. Decido. É consabido que os embargos de declaração são cabíveis quando houver na decisão obscuridade ou contradição, quando for omitido ponto sobre o qual devia pronunciar-se o julgador ou erro material.
  • 2. PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail: Fl.______ _________________________ Cad. Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001. Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227 PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc Pág. 2 de 7 Sem maiores delongas, anoto que razão assiste a parte autora. Assim, com fundamento no art. 1.022, inc. I e II, do CPC, conheço dos embargos de declaração, e acolho para fazer a correção da contradição apontada para constar e fazer parte da sentença o seguinte: “...Em alegações finais, o autor aponta a decisão da 2ª Câmara do e TJRO, que deu provimento aos apelos do requerido e de Roberto Sobrinho absolvendo-os da prática do crime do art. 89 da Lei n. 8.666/93, tendo sido afastado o dolo na conduta dos requeridos, e quanto ao ressarcimento de eventuais valores já consta título executivo extrajudicial em razão da Tomada de Contas Especial julgada pelo Tribunal de Contas, entendendo que as sanções aplicadas pela TCE são suficientes e compatível com o princípio da razoabilidade, requerendo a improcedência da inicial. Com efeito, conquanto reconhecida a autonomia das instâncias - administrativa, criminal, civil e político-administrativa - é de se reconhecer que a decisão no feito criminal deixa ver a inexistência de condutas possiveis de serem qualificadas improbas. Não se reconhece existirem condutas comprovadas de dolo ou má-fé direcionada a atentar contra os principios da moralidade. Nesse sentido, tenho por desqualificada a necessidade de imposição de penalidade ao agente público se não configurado desvio de conduta por atentado a princípios essenciais à Administração. Essa visão da Instituição não é isolada, podendo assentar: STJ. ADMINISTRATIVO. RECURSO ESPECIAL. IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. ART. 11, I, DA LEI 8.429/92. AUSÊNCIA DE DANO AO ERÁRIO PÚBLICO. IMPROCEDÊNCIA DA AÇÃO. O objetivo da Lei de Improbidade é punir o administrador público desonesto, não o inábil.
  • 3. PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail: Fl.______ _________________________ Cad. Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001. Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227 PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc Pág. 3 de 7 Ou, em outras palavras, para que se enquadre o agente público na Lei de Improbidade é necessário que haja o dolo, a culpa e o prejuízo ao ente público, caracterizado pela ação ou omissão do administrador público" (Mauro Roberto Gomes de Mattos, em "O Limite da Improbidade Administrativa". 2ª ed., América Jurídica, p. 7 e 8). 2. "A finalidade da lei de improbidade administrativa é punir o administrador desonesto" (Alexandre de Moraes, in "Constituição do Brasil interpretada e legislação constitucional". Atlas, 2002, p. 2611). 3. "De fato, a lei alcança o administrador desonesto, não o inábil, despreparado, incompetente e desastrado" (REsp 213.994-0/MG, 1ª Turma, Rel. Min. Garcia Vieira, DOU de 27.09.1999). 4. "A Lei nº 8.429/92 da Ação de Improbidade Administrativa, que explicitou o cânone do art. 37, •˜ 4º, da Constituição Federal, teve como escopo impor sanções aos agentes públicos incursos em atos de improbidade nos casos em que: a) importem em enriquecimento ilícito (art. 9º); b) em que causem prejuízo ao erário público (art. 10); c) que atentem contra os princípios da Administração Pública (art. 11), aqui também compreendida a lesão à moralidade pública" (REsp nº 480.387/SP, Rel. Min. Luiz Fux, 1ª T., DJU de 24.05.2004, p. 162). 5. O recorrente sancionou lei aprovada pela Câmara Municipal que denominou prédio público com nome de pessoas vivas. 6. Inexistência de qualquer acusação de que o recorrente tenha enriquecido ilicitamente em decorrência do ato administrativo que lhe é apontado como praticado. 7. Ausência de comprovação de lesão ao patrimônio público. 8. Não configuração do tipo definido no art. 11, I, da Lei nº 8.429 de 1992. 9. Pena de suspensão de direitos políticos por quatro anos, sem nenhuma fundamentação. 10. Ilegalidade que, se existir, não configura ato de improbidade administrativa. 11. Recurso especial provido. (Recurso Especial nº 758639/PB (2005/0097394-9), 1ª Turma do STJ, Rel. José Delgado. j. 28.03.2006, unânime, DJ 15.05.2006). TRF. PROCESSO CIVIL. AÇÃO DE IMPROBIDADE. ATO IMORAL. ATO ÍMPROBO. 1. Nem todo ato atentador da moralidade pode ser caracterizado como ímprobo, violador dos deveres de imparcialidade, legalidade e lealdade às instituições. 2. Inexistência, na hipótese, de descalabro, desmando, na concessão e recebimento de diárias. 3. "O ímprobo administrativo é o devasso da Administração Pública" (José Afonso da Silva). 4. "O Ministério Público não é, e não pode ser um superpoder, acima da lei e da ordem, dotado de prerrogativas especiais para ser o árbitro absoluto de todas as questões a respeito do interesse público e da moralidade pública." (Adilson Abreu Dallari). (Apelação Cível nº 2002.35.00.014742-4/GO, 3ª Turma do TRF da 1ª Região, Rel. Tourinho Neto. j.
  • 4. PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail: Fl.______ _________________________ Cad. Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001. Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227 PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc Pág. 4 de 7 26.02.2007, unânime, DJU 09.03.2007). Assim, tenho por assentir aos fundamentos para desconhecer ocorrência de improbidade em relação ao Requerido: O Supremo Tribunal Federal, analisando o princípio da moralidade administrativa, manifestou-se afirmando: Poder-se-á dizer que apenas agora a Constituição Federal consagrou a moralidade como principio de administração pública (art 37 da CF). isso não é verdade. Os princípios podem estar ou não explicitados em normas. Normalmente, sequer constam de texto regrado. Defluem no todo do ordenamento jurídico. Encontram-se ínsitos, implícitos no sistema, permeando as diversas normas regedoras de determinada matéria. O só fato de um princípio não figurar no texto constitucional, não significa que nunca teve relevância de principio. A circunstância de, no texto constitucional anterior, não figurar o principio da moralidade não significa que o administrador poderia agir de forma imoral ou mesmo amoral. Como ensina JesusGonzales Perez •gel hecho de su consagracion em uma norma legal no supone que com anterioridad no existiera, ni que por tal consagración legislativa haya perdido tal carácter•h (El principio de buena fé em el derecho administrativo. Madri, 1983. p. 15). Os princípios gerais de direito existem por força própria, independentemente de figurarem em texto legislativo. E o fato de passarem a figurar em texto constitucional ou legal não lhes retira o caráter de principio. O agente público não só tem que ser honesto e probo, mas tem que mostrar que possui tal qualidade. Como a mulher de César. Na definição de Ives Gandra: é irresponsável aquele que macula, tisna, fere, atinge, agride a moralidade pública, sendo ímprobo administrador, favorecendo terceiros, praticando a concussão ou sendo instrumento de corrupção (GANDRA apud DI PIETRO, 2007, p. 123). Para DI PIETRO: os princípios moralidade e probidade significam praticamente a mesma coisa, embora algumas leis façam referência separadamente a cada um deles. No entanto, quando se fala em improbidade como ato ilícito, como
  • 5. PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail: Fl.______ _________________________ Cad. Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001. Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227 PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc Pág. 5 de 7 infração sancionada pelo ordenamento jurídico, deixa de haver sinonímia entre as expressões imoralidade e improbidade, porque esta tem um sentido mais amplo e mais preciso, por abranger não somente atos desonestos ou imorais, mas também atos ilegais. Na lei de improbidade administrativa, a lesão à moralidade é apenas uma das inúmeras hipóteses de atos de improbidade previstos em lei. Como visto a improbidade é ato de violação à moralidade administrativa e a outros princípios e regras da Administração Pública (expressos ou implícitos), conforme previsão em lei específica. Em sendo assim, pode-se conceituar a improbidade administrativa como designativo técnico para a chamada corrupção administrativa, com o desvirtuamento da Administração Pública, ou seja, condutas do poder público que afrontam o ordenamento jurídico, que prejudicam o bom funcionamento da Administração. Nessa premissa, tem que o desvirtuamento de um agente público pode se dar de várias formas: obtenção de vantagens patrimoniais indevidas às custas do erário, através do exercício nocivo da função pública, através do tráfico de influências, bem como através do favorecimento de um pequeno grupo em detrimento da maioria. Balizada a ficha funcional do Requerido e afirmação de seu superior quanto o dever funcional, não tenho por revelado com a suficiência esperada que o mesmo agiu com a intenção de prejudicar o bom andamento da administração e com isso praticar ato improbo. Repisa-se, não vejo evidências de que tenha o Requerido agido em afronta aos princípios da administração, pois para caracterização de ato de improbidade administrativa por violação aos princípios norteadores da Administração Pública, indispensável que a irregularidade praticada pelo agente público seja revestida de má-fé ou dolo especifico.
  • 6. PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail: Fl.______ _________________________ Cad. Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001. Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227 PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc Pág. 6 de 7 Na lição de Marino Pazzaglini Filho, improbidade administrativa mais que mera atuação desconforme com a singela e fria letra da lei, é conduta denotativa de subversão das finalidades administrativas, sendo assim, não se pode conceber como moral, como honesto, como de boa-fé, o uso de serviços públicos em prol de interesses particulares, destoando os elementos fáticos deste feito em se tratando de ato improbo. Assim, não há de se falar em violação aos princípios constitucionais da Administração Pública, da legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da publicidade, da finalidade, da eficiência e da licitação (art. 37 da CF/88), tampouco foram violadas as disposições contidas na Lei 8.429/92. Anota-se por fim, que ato ilegal não deve ser confundido com ato improbo, logo em tendo o Requerido supostamente agido de modo ilegal não é possível sua condenação em ato improbo. O Autor, em ponderada e ciosa manifestação final, observa inexistir justa causa para imputar conduta improba aos requeridos Roberto Sobrinho, Jair Ramires, Natanael Castro Moura, Erasmo Carlos dos Santos, Carlos Alberto Soccol, Gilberto das Dores Morais, Joelcimar Sampaio da Silva, Franciscley Carvalho Leite e Construtora Marquise em relação ao Contrato n. 030/PGM/2010. Assim, nos fundamentos expostos, e tudo mais dos autos, JULGO IMPROCEDENTE a pretensão inicial, pois não configurados elementos caracterizadores de condutas ímprobas pelos requeridosr Roberto Sobrinho, Jair Ramires, Natanael Castro Moura, Erasmo Carlos dos Santos, Carlos Alberto Soccol, Gilberto das Dores Morais, Joelcimar Sampaio da Silva, Franciscley Carvalho Leite e Construtora Marquise, as quais comportem imputações de sanções da Lei 8.429/1992. RESOLVO o processo com apreciação do mérito, na forma art. 487, I, do Código de
  • 7. PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail: Fl.______ _________________________ Cad. Documento assinado digitalmente em 30/08/2017 08:25:49 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 24/08/2001. Signatário: EDENIR SEBASTIAO ALBUQUERQUE DA ROSA:1011227 PVH2FAZPU-22 - Número Verificador: 1001.2011.0166.1152.160683 - Validar em www.tjro.jus.br/adoc Pág. 7 de 7 Processo Civil. Sem honorários ou custas, considerando não comprovada a existência efetiva de má-fé ou dolo pelo Autor. Sem custas. P.R.I.C. Sentença sujeita ao reexame necessário. Vindo recurso voluntário, intimem-se os recorridos para contrarrazões, certificando e encaminhado ao e. TJRO." Porto Velho-RO, terça-feira, 29 de agosto de 2017. Edenir Sebastião Albuquerque da Rosa Juiz de Direito RECEBIMENTO Aos ____ dias do mês de Agosto de 2017. Eu, _________ Francisco Alves de Mesquita Júnior - Escrivã(o) Judicial, recebi estes autos.