SlideShare uma empresa Scribd logo
A Abordagem Cognitiva
Comportamental
Como utilizá-la no manejo a
pacientes tabagistas?
Objetivos
• Proporcionar uma breve reflexão sobre o
tabagismo;
• Compreender a abordagem cognitiva
comportamental e suas contribuições para o
acompanhamento aos tabagistas;
• Instrumentalizar os profissionais da saúde para que
possam ter uma efetividade no cuidado a esses
pacientes.
O tabaco
• Originário da América;
• Usado pelos indígenas em rituais
religiosos;
• Tinha efeito medicamentoso: era usado
para alívio para dor de dente e
cicatrização.
Mas no século XX ...
Século XX
• A mídia traz uma grande ênfase no
cigarro;
• Há a associação de que fumar é algo
considerado ‘bom’ e ‘positivo’;
• Jovens começam a fumar antes dos 19
anos, uma vez que veem nesse hábito a
possibilidade de serem aceitos em grupos;
Alguns fatores que interferem no
início do tabagismo
• Publicidade;
• Aceitação social;
• Facilidade de acesso;
• Modelo de comportamento;
• Suscetibilidade individual.
PARA ESSAS PESSOAS O CIGARRO
TORNA-SE UM REGULADOR DE
SENTIMENTOS E
COMPORTAMENTOS
Não importa o motivo pelo qual a
pessoa começou a fumar....
ENTÃO, Surgem as dependências
FÍSICA E EMOCIONAL AO
TABACO...
Dependência Física
• Forte desejo para consumir (compulsão)
• Dificuldade de controlar o uso
(condicionamento)
• Na ausência da droga : distúrbio do sono,
depressão, ansiedade (sintomas de abstinência)
• Necessidade de doses maiores (tolerância)
• Abandono progressivo de atividades de interesse
em detrimento da droga
• Persistência no uso apesar das consequências
Dependência emocional
• Melhora de níveis de ansiedade e
estresse;
• Aumento da sensação de prazer e bem
estar;
• Redução de ansiedade;
• Aumento da concentração e
rendimentos de tarefas.
Condicionamento
• Conduzem ao ato de fumar,
automaticamente, sem que haja a
elaboração deste acontecimento, por
exemplo:
– Após as refeições;
– Para ajudar a pensar;
– Após café
E A ABORDAGEM COGNITIVA
COMPORTAMENTAL?
Abordagem Cognitiva
Comportamental
• Termo genérico que engloba cerca de 20
abordagens cognitivas e cognitivo-
comportamentais para
acompanhamento a pacientes;
• Incialmente desenvolvida por Aaron
Beck, na década de 1960;
(Paulo Knapp, 2007)
Baseia-se no tripé
• Knapp (2007), aponta que ao vivenciarmos um evento,
nossa cognição fará uma ‘leitura’ do que está
acontecendo. A partir de então, sentiremos sensações
e emoções pertinentes a este evento, e teremos
determinados comportamentos para lidar com este
evento.
• Podemos pensar, deste modo, o quanto ao indivíduo
estão ligados aspectos comportamentais, fisiológicos,
emocionais, ambientais.
Deste modo...
VAMOS IMAGINAR A JOANA...
Joana sente-se sobrecarregada com seu
trabalho e os cuidados oferecidos a seu pai.
Percebe que quando fuma sente-se mais
calma. A partir de então, cada vez que se
sente muito cansada, fuma para se
tranquilizar.
PENSAMENTO É FUNDAMENTAL
PARA A ORGANIZAÇÃO
EMOCIONAL!
Como vimos, para a Abordagem Cognitiva
Comportamental o ...
Você precisa saber
O que passa aqui dentro
Eu vou falar pra você
Você vai entender
A força de um pensamento
Pra nunca mais esquecer
Pensamento é um momento
Que nos leva a emoção
Pensamento positivo
Que faz bem ao coração
O mal não
(Pensamento – Cidade Negra)
A estrutura do pensamento
• Crenças nucleares;
• Pressupostos subjacentes;
• Pensamentos automáticos.
Crenças nucleares
• São nossas ideias mais profundas que temos de nós,
das pessoas e do mundo.
• São construídas a partir de nossas primeiras
impressões sobre o mundo e podem ser cristalizadas
e vivenciadas como verdade absoluta.
Crenças nucleares
• Podem ser funcionais:
• Sou uma boa pessoa, um profissional satisfeito, um
amigo leal.
OU
• Disfuncionais:
• Sou um fracassado, um inválido, nada nunca dá certo
para mim.
Pressupostos subjacentes
• São crenças (regras, leis, condutas), que
permeiam a nossa forma de ver o mundo,
guiando nossas condutas;
• Pressupõe que desde que determinado
comportamento seja adequado à regra
social, não haverá problema.
Pressupostos subjacentes
E se Joana...
• Eu FUMO porque tenho problema. Todo
mundo diz que faz mal, mas um monte
de gente fica doente e não fuma.
Podemos pensar
• Será que Joana não esta usando o cigarro
para lidar com uma crença nuclear
disfuncional?
Pensamentos automáticos
• São pensamentos que muitas vezes
acontecem desapercebidos,
• São pensamentos mais fáceis de serem
acessados por nós:
 Ao ouvir o toque do telefone,
automaticamente, um fumante pega o
cigarro;
 Quando fica extremamente nervosa, uma
mulher procura algo para comer;
Pensamentos automáticos
• Podemos perceber que nos pensamentos
automáticos, não existe uma elaboração;
• O pensamento surge rapidamente e nos
auxilia a lidar (nem sempre de um modo
eficiente) com determinada situação.
COMO UTILIZAR ESTA
ABORDAGEM NA NOSSA PRÁTICA?
A principal contribuição da
abordagem cognitiva
comportamental é nos auxiliar a
identificar junto com os pacientes,
seu modo de agir e
consequentemente suas ações e
comportamentos.
Se nosso paciente pensar assim...
“Não vou
conseguir fazer
nada sem o
cigarro”
“ Fumar me
dá prazer e me
relaxa”
... PODEMOS, ATRAVÉS DE
TÉCNICAS ESPECÍFICAS AUXILIÁ-
LOS PARA QUE PENSEM...
Adoro cigarro, mas é algo que
me faz mal e prejudica minha
saúde, portanto, NÃO FUMO
PARA TANTO, USAMOS ALGUMAS
TÉCNICAS:
Ajude o paciente a identificar como seu pensamento
está organizado. Para isso você pode pedir para que
ele faça um registro das situações que aconteceram
e como enfrentou esses momentos:
Horário Número do
cigarro
O que eu
pensei
O que eu
senti
O que eu fiz
08:00 Primeiro Estou com
vontade de
fumar
Culpa Fumei
08:15 Segundo Esqueci de dar
o remédio para
meu pai
Estresse Corri para a
casa dele e
fumei
• Com esse registro em mãos, teremos
informações importantes sobre como
Joana sente-se nos momentos em que
fuma;
• Podemos, a partir daí, traçar estratégias
para que ela consiga enfrentar as
situações que se apresentam de um modo
saudável para ela.
Exemplificando
• O segundo cigarro que Joana fumou foi por
ter esquecido a medicação do seu pai;
• É possível acreditar que tal fato gerou um
estresse, certo?
• Quais outras ações, do repertório de Joana,
ela poderia utilizar, para lidar com esse
estresse, que não fosse fumar?
• Tais reflexões trazem uma ‘releitura’ da
vida:
– De repente, Joana se lembra que
antigamente, quando se sentia estressada
ouvia uma determinada música e se
tranquilizava;
– Essa pode ser uma estratégia para que ela
identifique os momentos nos quais fumaria e
substitua o cigarro pela música
Lembrem-se!
Mera mudança não é crescimento.
Crescimento é a síntese de mudança e
continuidade, e onde não há continuidade
não há crescimento.
(C.S.Lewis)
Referência Bibliográfica
• KNAPP, P. Princípios fundamentais da terapia cognitiva. In:
Paulo Knapp et al. Terapia cognitivo comportamental na
prática psiquiátrica. Porto Alegre: Artmed, 2007. pg 19-41.
Disponível em: http://books.google.com.br/books?hl=pt-
BR&lr=&id=UWRyYGRaCRwC&oi=fnd&pg=PR5&dq=Terapia+co
gnitivo+comportamental+na+pr%C3%A1tica+psiqui%C3%A1tri
ca+knapp&ots=U6n-
xjtj8D&sig=Bgg07s5TJEe5YbuL_V_q6wlDpuo#v=onepage&q&f=
false
Joana_Tabagismo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Demências
DemênciasDemências
Saúde do idoso
 Saúde do idoso Saúde do idoso
Saúde do idoso
Marcos Figueiredo
 
Apresentação atenção básica esf
Apresentação atenção básica   esfApresentação atenção básica   esf
Apresentação atenção básica esf
jorge luiz dos santos de souza
 
Política nacional de humanização
Política nacional de humanizaçãoPolítica nacional de humanização
Política nacional de humanização
Priscila Tenório
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
Danilo Nunes Anunciação
 
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
Natasha Louise
 
04 PROSAD_Saúde mental do adolescente (1).pptx
04 PROSAD_Saúde mental do adolescente (1).pptx04 PROSAD_Saúde mental do adolescente (1).pptx
04 PROSAD_Saúde mental do adolescente (1).pptx
Nathalialvares1
 
Saúde da criança e do adolescente.pptx
Saúde da criança e do adolescente.pptxSaúde da criança e do adolescente.pptx
Saúde da criança e do adolescente.pptx
WellingtonTeixeira24
 
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do pacienteAula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Proqualis
 
Saúde da Mulher na APS
Saúde da Mulher na APSSaúde da Mulher na APS
SUS e Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPN
SUS e  Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPNSUS e  Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPN
SUS e Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPN
Regina M F Gomes
 
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Aroldo Gavioli
 
Grupo de Cessação ao Tabagismo
Grupo de Cessação ao Tabagismo Grupo de Cessação ao Tabagismo
Grupo de Cessação ao Tabagismo
RAYANE DORNELAS
 
Ética e Bioética na enfermagem
Ética e Bioética na  enfermagemÉtica e Bioética na  enfermagem
Ética e Bioética na enfermagem
universitária
 
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasil
kellyschorro18
 
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da MulherPolítica Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Karina Pereira
 
SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA.pptx
SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA.pptxSAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA.pptx
SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA.pptx
Dionatan11
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
Alinebrauna Brauna
 
Saúde da mulher slides
Saúde da mulher  slidesSaúde da mulher  slides
Saúde da mulher slides
Carlean Oliveira
 
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
luzienne moraes
 

Mais procurados (20)

Demências
DemênciasDemências
Demências
 
Saúde do idoso
 Saúde do idoso Saúde do idoso
Saúde do idoso
 
Apresentação atenção básica esf
Apresentação atenção básica   esfApresentação atenção básica   esf
Apresentação atenção básica esf
 
Política nacional de humanização
Política nacional de humanizaçãoPolítica nacional de humanização
Política nacional de humanização
 
Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
 
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
1° AULA - SAÚDE DA MULHER - PAISM, PNAISM.pptx
 
04 PROSAD_Saúde mental do adolescente (1).pptx
04 PROSAD_Saúde mental do adolescente (1).pptx04 PROSAD_Saúde mental do adolescente (1).pptx
04 PROSAD_Saúde mental do adolescente (1).pptx
 
Saúde da criança e do adolescente.pptx
Saúde da criança e do adolescente.pptxSaúde da criança e do adolescente.pptx
Saúde da criança e do adolescente.pptx
 
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do pacienteAula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
Aula sobre cuidados paliativos e segurança do paciente
 
Saúde da Mulher na APS
Saúde da Mulher na APSSaúde da Mulher na APS
Saúde da Mulher na APS
 
SUS e Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPN
SUS e  Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPNSUS e  Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPN
SUS e Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPN
 
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
 
Grupo de Cessação ao Tabagismo
Grupo de Cessação ao Tabagismo Grupo de Cessação ao Tabagismo
Grupo de Cessação ao Tabagismo
 
Ética e Bioética na enfermagem
Ética e Bioética na  enfermagemÉtica e Bioética na  enfermagem
Ética e Bioética na enfermagem
 
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasil
 
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da MulherPolítica Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
Política Nacional de Atenção Integral á Saúde da Mulher
 
SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA.pptx
SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA.pptxSAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA.pptx
SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA.pptx
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
 
Saúde da mulher slides
Saúde da mulher  slidesSaúde da mulher  slides
Saúde da mulher slides
 
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
 

Destaque

Joana_Prevençao_quartenaria
Joana_Prevençao_quartenariaJoana_Prevençao_quartenaria
Joana_Prevençao_quartenaria
comunidadedepraticas
 
Joana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoaJoana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoa
comunidadedepraticas
 
Joana_Câncer_bucal_tabagismo
Joana_Câncer_bucal_tabagismoJoana_Câncer_bucal_tabagismo
Joana_Câncer_bucal_tabagismo
comunidadedepraticas
 
Joana_Entrevista_motivacional
Joana_Entrevista_motivacionalJoana_Entrevista_motivacional
Joana_Entrevista_motivacional
comunidadedepraticas
 
Fator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicasFator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicas
sedis-suporte
 
Joana_Grupos_terapeuticos
Joana_Grupos_terapeuticosJoana_Grupos_terapeuticos
Joana_Grupos_terapeuticos
comunidadedepraticas
 
Samuel_Saude_bucal_DM
Samuel_Saude_bucal_DMSamuel_Saude_bucal_DM
Samuel_Saude_bucal_DM
comunidadedepraticas
 
Samuel_Complicações_agudas
Samuel_Complicações_agudasSamuel_Complicações_agudas
Samuel_Complicações_agudas
comunidadedepraticas
 
Samuel_Tratamento_farmacologico_DM
Samuel_Tratamento_farmacologico_DMSamuel_Tratamento_farmacologico_DM
Samuel_Tratamento_farmacologico_DM
comunidadedepraticas
 
Samuel_Complicações_microvasculares
Samuel_Complicações_microvascularesSamuel_Complicações_microvasculares
Samuel_Complicações_microvasculares
comunidadedepraticas
 
Samuel_Programa_atividade_fisica
Samuel_Programa_atividade_fisicaSamuel_Programa_atividade_fisica
Samuel_Programa_atividade_fisica
comunidadedepraticas
 
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idosoJose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
comunidadedepraticas
 
Joana_Prescrição_AF_hipertensos
Joana_Prescrição_AF_hipertensosJoana_Prescrição_AF_hipertensos
Joana_Prescrição_AF_hipertensos
comunidadedepraticas
 
Sergio_Redes_Atencao
Sergio_Redes_AtencaoSergio_Redes_Atencao
Sergio_Redes_Atencao
comunidadedepraticas
 
Sergio_Adesao_tratamento
Sergio_Adesao_tratamentoSergio_Adesao_tratamento
Sergio_Adesao_tratamento
comunidadedepraticas
 
Jose_Clemente_Apoio_matricial
Jose_Clemente_Apoio_matricialJose_Clemente_Apoio_matricial
Jose_Clemente_Apoio_matricial
comunidadedepraticas
 
Exames de rotina_para_o_paciente_com_diabetes_tipo_2_
Exames de rotina_para_o_paciente_com_diabetes_tipo_2_Exames de rotina_para_o_paciente_com_diabetes_tipo_2_
Exames de rotina_para_o_paciente_com_diabetes_tipo_2_
sedis-suporte
 
Sergio_Componentes_rede
Sergio_Componentes_redeSergio_Componentes_rede
Sergio_Componentes_rede
comunidadedepraticas
 
Jose_Clemente_Aconselhamento
Jose_Clemente_AconselhamentoJose_Clemente_Aconselhamento
Jose_Clemente_Aconselhamento
comunidadedepraticas
 
Sergio_HAS_tratamento_medicamentoso
Sergio_HAS_tratamento_medicamentosoSergio_HAS_tratamento_medicamentoso
Sergio_HAS_tratamento_medicamentoso
comunidadedepraticas
 

Destaque (20)

Joana_Prevençao_quartenaria
Joana_Prevençao_quartenariaJoana_Prevençao_quartenaria
Joana_Prevençao_quartenaria
 
Joana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoaJoana_Atenção_centrada_pessoa
Joana_Atenção_centrada_pessoa
 
Joana_Câncer_bucal_tabagismo
Joana_Câncer_bucal_tabagismoJoana_Câncer_bucal_tabagismo
Joana_Câncer_bucal_tabagismo
 
Joana_Entrevista_motivacional
Joana_Entrevista_motivacionalJoana_Entrevista_motivacional
Joana_Entrevista_motivacional
 
Fator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicasFator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicas
 
Joana_Grupos_terapeuticos
Joana_Grupos_terapeuticosJoana_Grupos_terapeuticos
Joana_Grupos_terapeuticos
 
Samuel_Saude_bucal_DM
Samuel_Saude_bucal_DMSamuel_Saude_bucal_DM
Samuel_Saude_bucal_DM
 
Samuel_Complicações_agudas
Samuel_Complicações_agudasSamuel_Complicações_agudas
Samuel_Complicações_agudas
 
Samuel_Tratamento_farmacologico_DM
Samuel_Tratamento_farmacologico_DMSamuel_Tratamento_farmacologico_DM
Samuel_Tratamento_farmacologico_DM
 
Samuel_Complicações_microvasculares
Samuel_Complicações_microvascularesSamuel_Complicações_microvasculares
Samuel_Complicações_microvasculares
 
Samuel_Programa_atividade_fisica
Samuel_Programa_atividade_fisicaSamuel_Programa_atividade_fisica
Samuel_Programa_atividade_fisica
 
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idosoJose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
 
Joana_Prescrição_AF_hipertensos
Joana_Prescrição_AF_hipertensosJoana_Prescrição_AF_hipertensos
Joana_Prescrição_AF_hipertensos
 
Sergio_Redes_Atencao
Sergio_Redes_AtencaoSergio_Redes_Atencao
Sergio_Redes_Atencao
 
Sergio_Adesao_tratamento
Sergio_Adesao_tratamentoSergio_Adesao_tratamento
Sergio_Adesao_tratamento
 
Jose_Clemente_Apoio_matricial
Jose_Clemente_Apoio_matricialJose_Clemente_Apoio_matricial
Jose_Clemente_Apoio_matricial
 
Exames de rotina_para_o_paciente_com_diabetes_tipo_2_
Exames de rotina_para_o_paciente_com_diabetes_tipo_2_Exames de rotina_para_o_paciente_com_diabetes_tipo_2_
Exames de rotina_para_o_paciente_com_diabetes_tipo_2_
 
Sergio_Componentes_rede
Sergio_Componentes_redeSergio_Componentes_rede
Sergio_Componentes_rede
 
Jose_Clemente_Aconselhamento
Jose_Clemente_AconselhamentoJose_Clemente_Aconselhamento
Jose_Clemente_Aconselhamento
 
Sergio_HAS_tratamento_medicamentoso
Sergio_HAS_tratamento_medicamentosoSergio_HAS_tratamento_medicamentoso
Sergio_HAS_tratamento_medicamentoso
 

Semelhante a Joana_Tabagismo

Aspectos Físicos e Mentais no Tratamento do Tabagismo
Aspectos Físicos e Mentais no Tratamento do TabagismoAspectos Físicos e Mentais no Tratamento do Tabagismo
Aspectos Físicos e Mentais no Tratamento do Tabagismo
Glaucia Carvalho
 
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
josytds1
 
Ir ao psicólogo é coisa de doidos?
Ir ao psicólogo é coisa de doidos?Ir ao psicólogo é coisa de doidos?
Ir ao psicólogo é coisa de doidos?
Mentes Suspensas - Associação
 
Como proteger sua saude mental em tempos de coronavirus
Como proteger sua saude mental em tempos de coronavirusComo proteger sua saude mental em tempos de coronavirus
Como proteger sua saude mental em tempos de coronavirus
gisa_legal
 
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptx
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptxOs Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptx
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptx
Ricardo Silva
 
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptxsaude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
RaissaMarySilva1
 
Manual ho'oponopono
Manual ho'oponoponoManual ho'oponopono
Manual ho'oponopono
Sonia Dalmeida Dalmeida
 
slider para grupo de tabagismo
slider para grupo de tabagismoslider para grupo de tabagismo
slider para grupo de tabagismo
Dessa Reis
 
02 entendendo o tabagismo como dependência
02   entendendo o tabagismo como dependência02   entendendo o tabagismo como dependência
02 entendendo o tabagismo como dependência
Cínthia Lima
 
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudos
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudosMindfullness - Meditação para ajudar nos estudos
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudos
Paulo Taveira
 
Oficina
OficinaOficina
Apresentaçao ciencias ( drogas )
Apresentaçao ciencias ( drogas )Apresentaçao ciencias ( drogas )
Apresentaçao ciencias ( drogas )
Joana Sousa
 
Cure seu Corpo - Louise Hay
Cure seu Corpo - Louise Hay Cure seu Corpo - Louise Hay
Cure seu Corpo - Louise Hay
Na Silva
 
A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptxA ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
FeridoZitoJonas
 
drogas
 drogas drogas
drogas
Tomás Nini
 
Vicio em pornografia, como parar 2ª edição (2).pdf
Vicio em pornografia, como parar 2ª edição (2).pdfVicio em pornografia, como parar 2ª edição (2).pdf
Vicio em pornografia, como parar 2ª edição (2).pdf
JooVitor193658
 
Drogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de JesusDrogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
Substâncias Psicoactivas
Substâncias PsicoactivasSubstâncias Psicoactivas
Substâncias Psicoactivas
tocha_turma9a
 
Auto Hipnose
Auto HipnoseAuto Hipnose
Auto Hipnose
Mari Geuer
 
Drogas
DrogasDrogas

Semelhante a Joana_Tabagismo (20)

Aspectos Físicos e Mentais no Tratamento do Tabagismo
Aspectos Físicos e Mentais no Tratamento do TabagismoAspectos Físicos e Mentais no Tratamento do Tabagismo
Aspectos Físicos e Mentais no Tratamento do Tabagismo
 
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
 
Ir ao psicólogo é coisa de doidos?
Ir ao psicólogo é coisa de doidos?Ir ao psicólogo é coisa de doidos?
Ir ao psicólogo é coisa de doidos?
 
Como proteger sua saude mental em tempos de coronavirus
Como proteger sua saude mental em tempos de coronavirusComo proteger sua saude mental em tempos de coronavirus
Como proteger sua saude mental em tempos de coronavirus
 
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptx
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptxOs Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptx
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptx
 
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptxsaude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
saude mental Trabalho 01,02,2023.pptx
 
Manual ho'oponopono
Manual ho'oponoponoManual ho'oponopono
Manual ho'oponopono
 
slider para grupo de tabagismo
slider para grupo de tabagismoslider para grupo de tabagismo
slider para grupo de tabagismo
 
02 entendendo o tabagismo como dependência
02   entendendo o tabagismo como dependência02   entendendo o tabagismo como dependência
02 entendendo o tabagismo como dependência
 
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudos
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudosMindfullness - Meditação para ajudar nos estudos
Mindfullness - Meditação para ajudar nos estudos
 
Oficina
OficinaOficina
Oficina
 
Apresentaçao ciencias ( drogas )
Apresentaçao ciencias ( drogas )Apresentaçao ciencias ( drogas )
Apresentaçao ciencias ( drogas )
 
Cure seu Corpo - Louise Hay
Cure seu Corpo - Louise Hay Cure seu Corpo - Louise Hay
Cure seu Corpo - Louise Hay
 
A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptxA ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
A ÉTICA NA MODERNIDADE(Crise d moral e problemas atuais).pptx
 
drogas
 drogas drogas
drogas
 
Vicio em pornografia, como parar 2ª edição (2).pdf
Vicio em pornografia, como parar 2ª edição (2).pdfVicio em pornografia, como parar 2ª edição (2).pdf
Vicio em pornografia, como parar 2ª edição (2).pdf
 
Drogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de JesusDrogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de Jesus
 
Substâncias Psicoactivas
Substâncias PsicoactivasSubstâncias Psicoactivas
Substâncias Psicoactivas
 
Auto Hipnose
Auto HipnoseAuto Hipnose
Auto Hipnose
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 

Mais de comunidadedepraticas

Tutorial InovaSUS
Tutorial  InovaSUSTutorial  InovaSUS
Tutorial InovaSUS
comunidadedepraticas
 
Programa Academia da Saúde - Informações Básicas
Programa Academia da Saúde - Informações BásicasPrograma Academia da Saúde - Informações Básicas
Programa Academia da Saúde - Informações Básicas
comunidadedepraticas
 
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTCDescrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
comunidadedepraticas
 
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e MentaisConceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
comunidadedepraticas
 
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional ChinesaHistórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
comunidadedepraticas
 
Diagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTCDiagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTC
comunidadedepraticas
 
Apresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativaApresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativa
comunidadedepraticas
 
Interação: ensinando e aprendendo na CdP
Interação: ensinando e aprendendo na CdPInteração: ensinando e aprendendo na CdP
Interação: ensinando e aprendendo na CdP
comunidadedepraticas
 
Plantas medicinais usadas em infecções respiratórias
Plantas medicinais usadas em infecções respiratóriasPlantas medicinais usadas em infecções respiratórias
Plantas medicinais usadas em infecções respiratórias
comunidadedepraticas
 
Cadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUSCadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUS
comunidadedepraticas
 
Plantas tóxicas
Plantas tóxicasPlantas tóxicas
Plantas tóxicas
comunidadedepraticas
 
Plantas e gravidez
Plantas e gravidezPlantas e gravidez
Plantas e gravidez
comunidadedepraticas
 
Remédio caseiros com plantas medicinais
Remédio caseiros com plantas medicinaisRemédio caseiros com plantas medicinais
Remédio caseiros com plantas medicinais
comunidadedepraticas
 
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhosPlantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
comunidadedepraticas
 
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pelePlantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
comunidadedepraticas
 
Plantas medicinais antidiarréicas
Plantas medicinais antidiarréicasPlantas medicinais antidiarréicas
Plantas medicinais antidiarréicas
comunidadedepraticas
 
Introdução a fitoterapia - informações básicas
Introdução a fitoterapia - informações básicasIntrodução a fitoterapia - informações básicas
Introdução a fitoterapia - informações básicas
comunidadedepraticas
 
Passos para Implantação de PICs
Passos para Implantação de PICsPassos para Implantação de PICs
Passos para Implantação de PICs
comunidadedepraticas
 
Marco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTCMarco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTC
comunidadedepraticas
 
Marco Histórico Nacional da MTC
Marco Histórico Nacional da MTCMarco Histórico Nacional da MTC
Marco Histórico Nacional da MTC
comunidadedepraticas
 

Mais de comunidadedepraticas (20)

Tutorial InovaSUS
Tutorial  InovaSUSTutorial  InovaSUS
Tutorial InovaSUS
 
Programa Academia da Saúde - Informações Básicas
Programa Academia da Saúde - Informações BásicasPrograma Academia da Saúde - Informações Básicas
Programa Academia da Saúde - Informações Básicas
 
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTCDescrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
 
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e MentaisConceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
 
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional ChinesaHistórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
 
Diagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTCDiagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTC
 
Apresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativaApresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativa
 
Interação: ensinando e aprendendo na CdP
Interação: ensinando e aprendendo na CdPInteração: ensinando e aprendendo na CdP
Interação: ensinando e aprendendo na CdP
 
Plantas medicinais usadas em infecções respiratórias
Plantas medicinais usadas em infecções respiratóriasPlantas medicinais usadas em infecções respiratórias
Plantas medicinais usadas em infecções respiratórias
 
Cadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUSCadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUS
 
Plantas tóxicas
Plantas tóxicasPlantas tóxicas
Plantas tóxicas
 
Plantas e gravidez
Plantas e gravidezPlantas e gravidez
Plantas e gravidez
 
Remédio caseiros com plantas medicinais
Remédio caseiros com plantas medicinaisRemédio caseiros com plantas medicinais
Remédio caseiros com plantas medicinais
 
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhosPlantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
 
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pelePlantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
 
Plantas medicinais antidiarréicas
Plantas medicinais antidiarréicasPlantas medicinais antidiarréicas
Plantas medicinais antidiarréicas
 
Introdução a fitoterapia - informações básicas
Introdução a fitoterapia - informações básicasIntrodução a fitoterapia - informações básicas
Introdução a fitoterapia - informações básicas
 
Passos para Implantação de PICs
Passos para Implantação de PICsPassos para Implantação de PICs
Passos para Implantação de PICs
 
Marco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTCMarco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTC
 
Marco Histórico Nacional da MTC
Marco Histórico Nacional da MTCMarco Histórico Nacional da MTC
Marco Histórico Nacional da MTC
 

Joana_Tabagismo

  • 1. A Abordagem Cognitiva Comportamental Como utilizá-la no manejo a pacientes tabagistas?
  • 2. Objetivos • Proporcionar uma breve reflexão sobre o tabagismo; • Compreender a abordagem cognitiva comportamental e suas contribuições para o acompanhamento aos tabagistas; • Instrumentalizar os profissionais da saúde para que possam ter uma efetividade no cuidado a esses pacientes.
  • 3. O tabaco • Originário da América; • Usado pelos indígenas em rituais religiosos; • Tinha efeito medicamentoso: era usado para alívio para dor de dente e cicatrização.
  • 4. Mas no século XX ...
  • 5. Século XX • A mídia traz uma grande ênfase no cigarro; • Há a associação de que fumar é algo considerado ‘bom’ e ‘positivo’; • Jovens começam a fumar antes dos 19 anos, uma vez que veem nesse hábito a possibilidade de serem aceitos em grupos;
  • 6. Alguns fatores que interferem no início do tabagismo • Publicidade; • Aceitação social; • Facilidade de acesso; • Modelo de comportamento; • Suscetibilidade individual.
  • 7. PARA ESSAS PESSOAS O CIGARRO TORNA-SE UM REGULADOR DE SENTIMENTOS E COMPORTAMENTOS Não importa o motivo pelo qual a pessoa começou a fumar....
  • 8. ENTÃO, Surgem as dependências FÍSICA E EMOCIONAL AO TABACO...
  • 9. Dependência Física • Forte desejo para consumir (compulsão) • Dificuldade de controlar o uso (condicionamento) • Na ausência da droga : distúrbio do sono, depressão, ansiedade (sintomas de abstinência) • Necessidade de doses maiores (tolerância) • Abandono progressivo de atividades de interesse em detrimento da droga • Persistência no uso apesar das consequências
  • 10. Dependência emocional • Melhora de níveis de ansiedade e estresse; • Aumento da sensação de prazer e bem estar; • Redução de ansiedade; • Aumento da concentração e rendimentos de tarefas.
  • 11. Condicionamento • Conduzem ao ato de fumar, automaticamente, sem que haja a elaboração deste acontecimento, por exemplo: – Após as refeições; – Para ajudar a pensar; – Após café
  • 12. E A ABORDAGEM COGNITIVA COMPORTAMENTAL?
  • 13. Abordagem Cognitiva Comportamental • Termo genérico que engloba cerca de 20 abordagens cognitivas e cognitivo- comportamentais para acompanhamento a pacientes; • Incialmente desenvolvida por Aaron Beck, na década de 1960; (Paulo Knapp, 2007)
  • 15. • Knapp (2007), aponta que ao vivenciarmos um evento, nossa cognição fará uma ‘leitura’ do que está acontecendo. A partir de então, sentiremos sensações e emoções pertinentes a este evento, e teremos determinados comportamentos para lidar com este evento. • Podemos pensar, deste modo, o quanto ao indivíduo estão ligados aspectos comportamentais, fisiológicos, emocionais, ambientais. Deste modo...
  • 16. VAMOS IMAGINAR A JOANA...
  • 17. Joana sente-se sobrecarregada com seu trabalho e os cuidados oferecidos a seu pai. Percebe que quando fuma sente-se mais calma. A partir de então, cada vez que se sente muito cansada, fuma para se tranquilizar.
  • 18. PENSAMENTO É FUNDAMENTAL PARA A ORGANIZAÇÃO EMOCIONAL! Como vimos, para a Abordagem Cognitiva Comportamental o ...
  • 19. Você precisa saber O que passa aqui dentro Eu vou falar pra você Você vai entender A força de um pensamento Pra nunca mais esquecer Pensamento é um momento Que nos leva a emoção Pensamento positivo Que faz bem ao coração O mal não (Pensamento – Cidade Negra)
  • 20. A estrutura do pensamento • Crenças nucleares; • Pressupostos subjacentes; • Pensamentos automáticos.
  • 21. Crenças nucleares • São nossas ideias mais profundas que temos de nós, das pessoas e do mundo. • São construídas a partir de nossas primeiras impressões sobre o mundo e podem ser cristalizadas e vivenciadas como verdade absoluta.
  • 22. Crenças nucleares • Podem ser funcionais: • Sou uma boa pessoa, um profissional satisfeito, um amigo leal. OU • Disfuncionais: • Sou um fracassado, um inválido, nada nunca dá certo para mim.
  • 23. Pressupostos subjacentes • São crenças (regras, leis, condutas), que permeiam a nossa forma de ver o mundo, guiando nossas condutas; • Pressupõe que desde que determinado comportamento seja adequado à regra social, não haverá problema.
  • 24. Pressupostos subjacentes E se Joana... • Eu FUMO porque tenho problema. Todo mundo diz que faz mal, mas um monte de gente fica doente e não fuma. Podemos pensar • Será que Joana não esta usando o cigarro para lidar com uma crença nuclear disfuncional?
  • 25. Pensamentos automáticos • São pensamentos que muitas vezes acontecem desapercebidos, • São pensamentos mais fáceis de serem acessados por nós:  Ao ouvir o toque do telefone, automaticamente, um fumante pega o cigarro;  Quando fica extremamente nervosa, uma mulher procura algo para comer;
  • 26. Pensamentos automáticos • Podemos perceber que nos pensamentos automáticos, não existe uma elaboração; • O pensamento surge rapidamente e nos auxilia a lidar (nem sempre de um modo eficiente) com determinada situação.
  • 27. COMO UTILIZAR ESTA ABORDAGEM NA NOSSA PRÁTICA?
  • 28. A principal contribuição da abordagem cognitiva comportamental é nos auxiliar a identificar junto com os pacientes, seu modo de agir e consequentemente suas ações e comportamentos.
  • 29. Se nosso paciente pensar assim... “Não vou conseguir fazer nada sem o cigarro” “ Fumar me dá prazer e me relaxa”
  • 30. ... PODEMOS, ATRAVÉS DE TÉCNICAS ESPECÍFICAS AUXILIÁ- LOS PARA QUE PENSEM...
  • 31. Adoro cigarro, mas é algo que me faz mal e prejudica minha saúde, portanto, NÃO FUMO
  • 32. PARA TANTO, USAMOS ALGUMAS TÉCNICAS:
  • 33. Ajude o paciente a identificar como seu pensamento está organizado. Para isso você pode pedir para que ele faça um registro das situações que aconteceram e como enfrentou esses momentos: Horário Número do cigarro O que eu pensei O que eu senti O que eu fiz 08:00 Primeiro Estou com vontade de fumar Culpa Fumei 08:15 Segundo Esqueci de dar o remédio para meu pai Estresse Corri para a casa dele e fumei
  • 34. • Com esse registro em mãos, teremos informações importantes sobre como Joana sente-se nos momentos em que fuma; • Podemos, a partir daí, traçar estratégias para que ela consiga enfrentar as situações que se apresentam de um modo saudável para ela.
  • 35. Exemplificando • O segundo cigarro que Joana fumou foi por ter esquecido a medicação do seu pai; • É possível acreditar que tal fato gerou um estresse, certo? • Quais outras ações, do repertório de Joana, ela poderia utilizar, para lidar com esse estresse, que não fosse fumar?
  • 36. • Tais reflexões trazem uma ‘releitura’ da vida: – De repente, Joana se lembra que antigamente, quando se sentia estressada ouvia uma determinada música e se tranquilizava; – Essa pode ser uma estratégia para que ela identifique os momentos nos quais fumaria e substitua o cigarro pela música
  • 37. Lembrem-se! Mera mudança não é crescimento. Crescimento é a síntese de mudança e continuidade, e onde não há continuidade não há crescimento. (C.S.Lewis)
  • 38. Referência Bibliográfica • KNAPP, P. Princípios fundamentais da terapia cognitiva. In: Paulo Knapp et al. Terapia cognitivo comportamental na prática psiquiátrica. Porto Alegre: Artmed, 2007. pg 19-41. Disponível em: http://books.google.com.br/books?hl=pt- BR&lr=&id=UWRyYGRaCRwC&oi=fnd&pg=PR5&dq=Terapia+co gnitivo+comportamental+na+pr%C3%A1tica+psiqui%C3%A1tri ca+knapp&ots=U6n- xjtj8D&sig=Bgg07s5TJEe5YbuL_V_q6wlDpuo#v=onepage&q&f= false