SlideShare uma empresa Scribd logo
A PORTA PARA A
OBSESSÃO
OBSESSÃO E DESOBSESSÃO - SUELY CALDAS SCHUBERT
‘Estai de sobreaviso,
“Olhai, vigiai e orai;
porque não sabeis
quando será o tempo.
Marcos, capítulo 13,
(versículo 33.)
A existência dos fatores
predisponentes
—causas cármicas —
facilitam a aproximação dos
obsessores, que, entretanto,
necessitam descobrir o
momento propicio para a
efetivação da sintonia completa
que almejam.
Este momento tem o nome de .
É a porta que se abre para o mundo
intimo, facilitando a incursão de
pensamentos estranhos, cuja finalidade é
sempre o conúbio degradante entre
mentes desequilibradas,
o inevitável encontro
entre credor e devedor,
os quais não conseguiram
resolver suas divergências
pelos caminhos do
perdão e do amor.
É o instante em que o
cobrador, finalmente, bate às
portas da alma de quem lhe
deve.
E, sempre o faz, nessas
circunstâncias, pela agressão,
que poderá vir vestida de
sutilezas, obedecendo a um
plano habilmente traçado ou
de maneira frontal para
atordoar e desequilibrar de vez
a vitima de hoje.
Momentos de
invigilância existem
muitos. Todos os
temos em incontáveis
ocasiões.
Citaremos alguns dos estados emocionais que representam
invigilância em nossa vida:
revolta, ódio, ideias negativas de
qualquer espécie, depressão, tristeza,
desânimo, pessimismo, medo, ciúme,
avareza, egoísmo, ociosidade,
irritação, impaciência, maledicência,
calúnia, desregramentos sexuais, vícios
— fumo, álcool, tóxicos, etc.
invigilanciaa.pptx
Adverte-nos Scheilla:
“Toda vez que um destes sinais venha
a surgir no trânsito de nossas ideias, a
Lei Divina está presente,
recomendando-nos a prudência de
parar no socorro da prece ou na luz
do discernimento.” (7)
Um momento de invigilância
pode ocasionar sérios
problemas, se este for o
instante em que o obsessor
tentar conseguir a sintonia de
que necessita para levar
avante os seus planos de
vingança.
Convém ressaltar que um minuto ou um instante de
medo, revolta, impaciência, etc., não significa
necessariamente que a pessoa esteja obsidiada.
Mas, sim, que uma ocasião destas poderá ser
utilizada pelo obsessor como ensejo que ele
aguarda para insuflar na vítima as suas ideias
conturbadas.
Vamos atentar ao seguinte:
Influência não é obsessão!
Portanto, temos o livre arbítrio de acolher
ou não essa influência, vai depender do
nível da minha condição moral, se me
esforço pra melhorar, terei mais chance de
não cair na armadilha, mas se sou
displicente e não me importo com minha
melhoria moral, serei um alvo fácil.
Os três obsessores em sua
vida
Um homem chegou a um centro espírita muito desconfiado
de que estava com vários obsessores. Ele contou sua
história para o médium do centro. Revelou sua crença de
que os obsessores haviam convencido sua esposa a
terminar com ele.
Revelou que os obsessores estavam travando sua vida e
que ele não conseguia mais seguir em frente pois estava
sentindo muito medo. Revelou também que não queria
mudar, pois sua vida estava confortável do jeito que
estava, e que os obsessores estavam fazendo de tudo
para desestabilizá-lo.
O médium resolveu iniciar os trabalhos. Fechou
os olhos e ficou alguns minutos concentrado.
Depois abriu os olhos, olhou para o homem e
disse:
– De fato, há três obsessores com você, mas eles
são muito poderosos e não posso tirá-los.
O homem ficou com medo e pensou que estava
arruinado, pois se nem o médium conseguia
tirá-los, sua vida seria arrasada pelos
espíritos negativos.
– “Quem são esses obsessores?” , perguntou o
homem.
O médium respondeu: – São três os seus
obsessores:
– O primeiro obsessor é o
apego.
Sim, o apego que você tem em relação a sua
esposa. Ela já terminou com você e mesmo
assim você fica insistindo num casamento
que já deu claros sinais de término. O
apego é um grande obsessor, um dos maiores
– O segundo obsessor é o medo.
Esse é um obsessor fortíssimo, pois paralisa nossa vida
e não nos deixa caminhar. É outro grande obsessor do
ser humano.
– O terceiro obsessor que está em você é a
acomodação.
Sim, a acomodação vem da preguiça ou de uma fuga dos
problemas, e a acomodação nos faz estagnar, parar e até
mesmo morrer por dentro. Uma pessoa acomodada costuma
abdicar de suas forças para lutar e fica presa dentro
do próprio conformismo que criou.
Esses são os seus três obsessores.
Eles não são espíritos e não havia nenhum desencarnado
com você.
Esses e outros obsessores vivem no coração do ser
humano, e somente ele pode dissolvê-los para sempre. Se
vier algum espírito sombrio, ele só poderá agir em você
ativando alguns desses obsessores internos.
Por isso que eu disse que nada posso fazer para remove-
los, pois somente você é capaz de gerar essa
transformação em ti mesmo.
KARDEC RIO PRETO | Hugo Lapa
Desde que estes estados de
invigilância passem a ser
constantes, repetindo-se e
tornando-se uma atitude
habitual, aí obviamente estará
configurada a predisposição
para o processo obsessivo.
Recordemo-nos de que qualquer ideia fixa negativa que
venha nos perturbar emocionalmente, é sempre sinal de
alarme, ante o qual deveremos fazer valer em nossa vida o
sábio ensinamento do Mestre:
“Estai de sobreaviso, vigiai e orai; porque não sabeis
quando será o tempo.” (7)
Ideal Espírita, Autores Diversos, psicografia de Francisco Cândido Xavier, capítulo 27, 7ª
edição CEC.
Muitas pessoas religiosas acreditam em Espíritos malignos, demônios e
obsessores. Essas seriam Entidades Espirituais que podem nos prejudicar
e sugar nossas energias.
No entanto, muitas vezes
“Nós Mesmos Somos os Obsessores”
das outras pessoas.
Reflitamos:
Somos os Obsessores quando desejamos fazer prevalecer nossas ideias e impor
nossas verdades a outrem.
Somos os Obsessores quando criticamos, julgamos o condenamos o outro
sem pleno conhecimento de causa.
Somos os Obsessores quando temos ciúme e queremos obter a posse do
outro.
Somos os Obsessores quando batemos o pé e forçamos o outro
a seguir a nossa vontade.
Somos os Obsessores quando exigimos que o outro faça por nós algo que nos
cabe fazer.
Somos os Obsessores quando desejamos vencer uma discussão, instituir nossas
verdades e firmar nosso ponto de vista.
Somos os Obsessores quando burlamos o livre arbítrio alheio e o fazemos
trilhar o caminho que nós julgamos correto.
Somos os Obsessores quando tentamos ajudar sem nos preocupar no que é
melhor para o outro, mas sim seguindo apenas o que nós acreditamos ser o
melhor.
Somos os Obsessores quando desejamos comprar o afeto das pessoas com
presentes, regalias, benesses e mimos, esperando sempre algo em troca.
Somos os Obsessores quando não permitimos que o outro cresça, se
desenvolva, para não se tornar melhor do que nós.
Somos os Obsessores quando fazemos tudo pelo outro e não permitimos que
ele faça, erre e aprenda sozinho.
Somos os Obsessores quando vomitamos um longo falatório desordenado e
fútil acreditando que o outro tem obrigação de nos ouvir.
Somos os Obsessores quando não damos espaço para o outro, o prendemos, o
sufocamos, podamos seus movimentos, cobramos, oprimimos, sem permitir
sua independência.
Somos os Obsessores quando acreditamos que o outro deve corresponder aos
nossos padrões, nossos modelos, nossa religião, nossos costumes, nossas
crenças e nosso ideal de ser.
Somos os Obsessores quando geramos milhares de conflitos, discórdias e
desunião, quando criamos confusão, intrigas, fofocas e distorcemos a realidade
para prejudicar o outro.
Somos os Obsessores quando dissemos uma coisa ao outro e fazemos
outra, enganando, omitindo e dissimulando.
Somos os Obsessores quando vivemos reclamando e acreditamos que o
outro tem obrigação de aguentar nossas lamúrias.
Somos os Obsessores quando elogiamos para manipular, louvamos para
enganar, enchemos o ego do outro para confundi-lo a fazer o que
queremos.
Somos os Obsessores quando fazemos do outro a
nossa vida e depois ficamos magoados quando ele se
afasta deixando um buraco em nosso peito, um vazio
existencial e uma profunda infelicidade.
Procure a vida em ti mesmo. Não seja mais um
Obsessor do outro.
Não dependa de ninguém para ser feliz.
Não acredite que o Obsessor é sempre o outro…
Há sempre algo de Obsessor em nós mesmos.
Autor: HUGO LAPA https://gecasadocaminhosv.blogspot.com/
O problema não é termos adversários,
porque não iremos agradar todo mundo,
há quem nos deteste apenas pelo fato de
não conseguirem fazer o que fazemos, não
por não serem capazes, mas por
acomodação.
O problema é sermos inimigos dos outros!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Missão dos Espíritas
Missão dos EspíritasMissão dos Espíritas
Missão dos Espíritas
Antonino Silva
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃOLIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
Francisco de Assis Alencar
 
Fluido Cósmico ou Universal
Fluido Cósmico ou UniversalFluido Cósmico ou Universal
Fluido Cósmico ou Universal
Rivaldo Guedes Corrêa. Jr
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Bruno Cechinel Filho
 
Mecanismo da mediunidade
Mecanismo da mediunidade Mecanismo da mediunidade
Mecanismo da mediunidade
Graça Maciel
 
Magnetismo - Espiritísmo
Magnetismo - EspiritísmoMagnetismo - Espiritísmo
Magnetismo - Espiritísmo
Luan Góes Rocha de Lima
 
Pluralidade Dos Mundos Habitados
Pluralidade Dos Mundos HabitadosPluralidade Dos Mundos Habitados
Pluralidade Dos Mundos Habitados
Fórum Espírita
 
A vida futura
A vida futuraA vida futura
A vida futura
Marcos Accioly
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Denise Aguiar
 
A importância da palestra espirita
A importância da palestra espiritaA importância da palestra espirita
A importância da palestra espirita
carlos freire
 
Mundos Transitórios
Mundos TransitóriosMundos Transitórios
Mundos Transitórios
igmateus
 
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpoRoteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Bruno Cechinel Filho
 
Perispírito
PerispíritoPerispírito
Perispírito
Denise Aguiar
 
2.8.1 O sono e os sonhos
2.8.1   O sono e os sonhos2.8.1   O sono e os sonhos
2.8.1 O sono e os sonhos
Marta Gomes
 
O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !
Leonardo Pereira
 
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
Marta Gomes
 
Curso de Educação Mediúnica - aula 3
Curso de Educação Mediúnica - aula 3Curso de Educação Mediúnica - aula 3
Curso de Educação Mediúnica - aula 3
Percilia
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
Rodrigo Leite
 
Sintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoSintonia e vibração
Sintonia e vibração
Louis Oliver
 

Mais procurados (20)

Missão dos Espíritas
Missão dos EspíritasMissão dos Espíritas
Missão dos Espíritas
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃOLIMITES DA REENCARNAÇÃO
LIMITES DA REENCARNAÇÃO
 
Fluido Cósmico ou Universal
Fluido Cósmico ou UniversalFluido Cósmico ou Universal
Fluido Cósmico ou Universal
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
 
Mecanismo da mediunidade
Mecanismo da mediunidade Mecanismo da mediunidade
Mecanismo da mediunidade
 
Magnetismo - Espiritísmo
Magnetismo - EspiritísmoMagnetismo - Espiritísmo
Magnetismo - Espiritísmo
 
Pluralidade Dos Mundos Habitados
Pluralidade Dos Mundos HabitadosPluralidade Dos Mundos Habitados
Pluralidade Dos Mundos Habitados
 
A vida futura
A vida futuraA vida futura
A vida futura
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
 
A importância da palestra espirita
A importância da palestra espiritaA importância da palestra espirita
A importância da palestra espirita
 
Mundos Transitórios
Mundos TransitóriosMundos Transitórios
Mundos Transitórios
 
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpoRoteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
 
Perispírito
PerispíritoPerispírito
Perispírito
 
2.8.1 O sono e os sonhos
2.8.1   O sono e os sonhos2.8.1   O sono e os sonhos
2.8.1 O sono e os sonhos
 
O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !
 
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
 
Curso de Educação Mediúnica - aula 3
Curso de Educação Mediúnica - aula 3Curso de Educação Mediúnica - aula 3
Curso de Educação Mediúnica - aula 3
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
 
Sintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoSintonia e vibração
Sintonia e vibração
 

Semelhante a invigilanciaa.pptx

O que pode destruir a nossa vida
O que pode destruir a nossa vidaO que pode destruir a nossa vida
O que pode destruir a nossa vida
Eduardo Henrique Marçal
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
Ponte de Luz ASEC
 
O que pode destruir a nossa vida
O que pode destruir a nossa vida O que pode destruir a nossa vida
O que pode destruir a nossa vida
Eduardo Henrique Marçal
 
Ser livre
Ser livreSer livre
Ser livre
Ser livreSer livre
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Ser livre adry araújo
Ser livre   adry araújoSer livre   adry araújo
Ser livre adry araújo
PrCelio Silva
 
A INVEJA E O CIÚMES NA VISÃO ESPIRITA
A INVEJA E O CIÚMES NA VISÃO ESPIRITAA INVEJA E O CIÚMES NA VISÃO ESPIRITA
A INVEJA E O CIÚMES NA VISÃO ESPIRITA
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Edgar allan poe o demônio da perversidade
Edgar allan poe   o demônio da perversidadeEdgar allan poe   o demônio da perversidade
Edgar allan poe o demônio da perversidade
Fort Service Company e Construtora Ltda
 
O demônio da perversidade
O demônio da perversidadeO demônio da perversidade
O demônio da perversidade
SUICIDE GALLERY
 
18.edgar allan poe ficção completa - contos de terror, mistério e morte - o...
18.edgar allan poe   ficção completa - contos de terror, mistério e morte - o...18.edgar allan poe   ficção completa - contos de terror, mistério e morte - o...
18.edgar allan poe ficção completa - contos de terror, mistério e morte - o...
Talles Lisboa
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediados
Leonardo Pereira
 
Attachment 2608819178 (3)
Attachment 2608819178 (3)Attachment 2608819178 (3)
Attachment 2608819178 (3)
Alice Lirio
 
02_Fevereiro/17
02_Fevereiro/1702_Fevereiro/17
Comoosespritospodempenetrarnossospensamentos
ComoosespritospodempenetrarnossospensamentosComoosespritospodempenetrarnossospensamentos
Comoosespritospodempenetrarnossospensamentos
DeborahARodolfo
 
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos PensamentosComo Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Sergio Menezes
 
( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
Wagner Quadros
 
As cinco pessoas que habitam dentro do nosso ser
As cinco pessoas que habitam dentro do nosso serAs cinco pessoas que habitam dentro do nosso ser
As cinco pessoas que habitam dentro do nosso ser
Kátia Rumbelsperger
 
Sexo e obsessão
Sexo e obsessãoSexo e obsessão

Semelhante a invigilanciaa.pptx (20)

O que pode destruir a nossa vida
O que pode destruir a nossa vidaO que pode destruir a nossa vida
O que pode destruir a nossa vida
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
O que pode destruir a nossa vida
O que pode destruir a nossa vida O que pode destruir a nossa vida
O que pode destruir a nossa vida
 
Ser livre
Ser livreSer livre
Ser livre
 
Ser livre
Ser livreSer livre
Ser livre
 
Obsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessãoObsessão e desobsessão
Obsessão e desobsessão
 
Ser livre adry araújo
Ser livre   adry araújoSer livre   adry araújo
Ser livre adry araújo
 
A INVEJA E O CIÚMES NA VISÃO ESPIRITA
A INVEJA E O CIÚMES NA VISÃO ESPIRITAA INVEJA E O CIÚMES NA VISÃO ESPIRITA
A INVEJA E O CIÚMES NA VISÃO ESPIRITA
 
Edgar allan poe o demônio da perversidade
Edgar allan poe   o demônio da perversidadeEdgar allan poe   o demônio da perversidade
Edgar allan poe o demônio da perversidade
 
O demônio da perversidade
O demônio da perversidadeO demônio da perversidade
O demônio da perversidade
 
18.edgar allan poe ficção completa - contos de terror, mistério e morte - o...
18.edgar allan poe   ficção completa - contos de terror, mistério e morte - o...18.edgar allan poe   ficção completa - contos de terror, mistério e morte - o...
18.edgar allan poe ficção completa - contos de terror, mistério e morte - o...
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediados
 
Attachment 2608819178 (3)
Attachment 2608819178 (3)Attachment 2608819178 (3)
Attachment 2608819178 (3)
 
02_Fevereiro/17
02_Fevereiro/1702_Fevereiro/17
02_Fevereiro/17
 
Comoosespritospodempenetrarnossospensamentos
ComoosespritospodempenetrarnossospensamentosComoosespritospodempenetrarnossospensamentos
Comoosespritospodempenetrarnossospensamentos
 
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos PensamentosComo Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
 
( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
 
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
 
As cinco pessoas que habitam dentro do nosso ser
As cinco pessoas que habitam dentro do nosso serAs cinco pessoas que habitam dentro do nosso ser
As cinco pessoas que habitam dentro do nosso ser
 
Sexo e obsessão
Sexo e obsessãoSexo e obsessão
Sexo e obsessão
 

Mais de M.R.L

Tempo ou Oportunidade? Estamos sabemos lidar com eles?
Tempo ou Oportunidade? Estamos sabemos lidar com eles?Tempo ou Oportunidade? Estamos sabemos lidar com eles?
Tempo ou Oportunidade? Estamos sabemos lidar com eles?
M.R.L
 
Fluidificação da Água e sua Importância.....
Fluidificação da Água e sua Importância.....Fluidificação da Água e sua Importância.....
Fluidificação da Água e sua Importância.....
M.R.L
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
M.R.L
 
Arrependimento e expiação... como se define
Arrependimento e expiação... como se defineArrependimento e expiação... como se define
Arrependimento e expiação... como se define
M.R.L
 
Olhos de ver.pptx
Olhos de ver.pptxOlhos de ver.pptx
Olhos de ver.pptx
M.R.L
 
Reflexões para o ano novo.pptx
Reflexões para o ano novo.pptxReflexões para o ano novo.pptx
Reflexões para o ano novo.pptx
M.R.L
 
A Mulher Hemorroíssa.pptx
A Mulher Hemorroíssa.pptxA Mulher Hemorroíssa.pptx
A Mulher Hemorroíssa.pptx
M.R.L
 
Parabola da Grande Ceia.pptx
Parabola da Grande Ceia.pptxParabola da Grande Ceia.pptx
Parabola da Grande Ceia.pptx
M.R.L
 
Quem me segue não anda nas trevas.pdf
Quem  me segue não anda nas trevas.pdfQuem  me segue não anda nas trevas.pdf
Quem me segue não anda nas trevas.pdf
M.R.L
 
Sermão do Monte.pdf
Sermão do Monte.pdfSermão do Monte.pdf
Sermão do Monte.pdf
M.R.L
 
Os primeiros lugares.pptx
Os primeiros lugares.pptxOs primeiros lugares.pptx
Os primeiros lugares.pptx
M.R.L
 
codigo penal da vida futura.pptx
codigo penal da vida futura.pptxcodigo penal da vida futura.pptx
codigo penal da vida futura.pptx
M.R.L
 
Afinidade e sintonia.pptx
Afinidade e sintonia.pptxAfinidade e sintonia.pptx
Afinidade e sintonia.pptx
M.R.L
 
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptxAparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
M.R.L
 
Mulheres que seguiram Jesus.pptx
Mulheres que seguiram Jesus.pptxMulheres que seguiram Jesus.pptx
Mulheres que seguiram Jesus.pptx
M.R.L
 
Organizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptx
Organizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptxOrganizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptx
Organizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptx
M.R.L
 
Ataques a centros espiritas.pptx
Ataques a centros espiritas.pptxAtaques a centros espiritas.pptx
Ataques a centros espiritas.pptx
M.R.L
 
O bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptxO bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptx
M.R.L
 
Porque o bem que quero esse não faço.pptx
Porque o bem que quero esse não faço.pptxPorque o bem que quero esse não faço.pptx
Porque o bem que quero esse não faço.pptx
M.R.L
 
aparelhos reunião mediunicaa.pptx
aparelhos reunião mediunicaa.pptxaparelhos reunião mediunicaa.pptx
aparelhos reunião mediunicaa.pptx
M.R.L
 

Mais de M.R.L (20)

Tempo ou Oportunidade? Estamos sabemos lidar com eles?
Tempo ou Oportunidade? Estamos sabemos lidar com eles?Tempo ou Oportunidade? Estamos sabemos lidar com eles?
Tempo ou Oportunidade? Estamos sabemos lidar com eles?
 
Fluidificação da Água e sua Importância.....
Fluidificação da Água e sua Importância.....Fluidificação da Água e sua Importância.....
Fluidificação da Água e sua Importância.....
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Arrependimento e expiação... como se define
Arrependimento e expiação... como se defineArrependimento e expiação... como se define
Arrependimento e expiação... como se define
 
Olhos de ver.pptx
Olhos de ver.pptxOlhos de ver.pptx
Olhos de ver.pptx
 
Reflexões para o ano novo.pptx
Reflexões para o ano novo.pptxReflexões para o ano novo.pptx
Reflexões para o ano novo.pptx
 
A Mulher Hemorroíssa.pptx
A Mulher Hemorroíssa.pptxA Mulher Hemorroíssa.pptx
A Mulher Hemorroíssa.pptx
 
Parabola da Grande Ceia.pptx
Parabola da Grande Ceia.pptxParabola da Grande Ceia.pptx
Parabola da Grande Ceia.pptx
 
Quem me segue não anda nas trevas.pdf
Quem  me segue não anda nas trevas.pdfQuem  me segue não anda nas trevas.pdf
Quem me segue não anda nas trevas.pdf
 
Sermão do Monte.pdf
Sermão do Monte.pdfSermão do Monte.pdf
Sermão do Monte.pdf
 
Os primeiros lugares.pptx
Os primeiros lugares.pptxOs primeiros lugares.pptx
Os primeiros lugares.pptx
 
codigo penal da vida futura.pptx
codigo penal da vida futura.pptxcodigo penal da vida futura.pptx
codigo penal da vida futura.pptx
 
Afinidade e sintonia.pptx
Afinidade e sintonia.pptxAfinidade e sintonia.pptx
Afinidade e sintonia.pptx
 
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptxAparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
 
Mulheres que seguiram Jesus.pptx
Mulheres que seguiram Jesus.pptxMulheres que seguiram Jesus.pptx
Mulheres que seguiram Jesus.pptx
 
Organizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptx
Organizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptxOrganizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptx
Organizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptx
 
Ataques a centros espiritas.pptx
Ataques a centros espiritas.pptxAtaques a centros espiritas.pptx
Ataques a centros espiritas.pptx
 
O bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptxO bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptx
 
Porque o bem que quero esse não faço.pptx
Porque o bem que quero esse não faço.pptxPorque o bem que quero esse não faço.pptx
Porque o bem que quero esse não faço.pptx
 
aparelhos reunião mediunicaa.pptx
aparelhos reunião mediunicaa.pptxaparelhos reunião mediunicaa.pptx
aparelhos reunião mediunicaa.pptx
 

Último

15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
Sammis Reachers
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 

Último (14)

15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 

invigilanciaa.pptx

  • 1. A PORTA PARA A OBSESSÃO OBSESSÃO E DESOBSESSÃO - SUELY CALDAS SCHUBERT
  • 2. ‘Estai de sobreaviso, “Olhai, vigiai e orai; porque não sabeis quando será o tempo. Marcos, capítulo 13, (versículo 33.)
  • 3. A existência dos fatores predisponentes —causas cármicas — facilitam a aproximação dos obsessores, que, entretanto, necessitam descobrir o momento propicio para a efetivação da sintonia completa que almejam.
  • 4. Este momento tem o nome de . É a porta que se abre para o mundo intimo, facilitando a incursão de pensamentos estranhos, cuja finalidade é sempre o conúbio degradante entre mentes desequilibradas,
  • 5. o inevitável encontro entre credor e devedor, os quais não conseguiram resolver suas divergências pelos caminhos do perdão e do amor.
  • 6. É o instante em que o cobrador, finalmente, bate às portas da alma de quem lhe deve.
  • 7. E, sempre o faz, nessas circunstâncias, pela agressão, que poderá vir vestida de sutilezas, obedecendo a um plano habilmente traçado ou de maneira frontal para atordoar e desequilibrar de vez a vitima de hoje.
  • 8. Momentos de invigilância existem muitos. Todos os temos em incontáveis ocasiões.
  • 9. Citaremos alguns dos estados emocionais que representam invigilância em nossa vida: revolta, ódio, ideias negativas de qualquer espécie, depressão, tristeza, desânimo, pessimismo, medo, ciúme, avareza, egoísmo, ociosidade, irritação, impaciência, maledicência, calúnia, desregramentos sexuais, vícios — fumo, álcool, tóxicos, etc.
  • 11. Adverte-nos Scheilla: “Toda vez que um destes sinais venha a surgir no trânsito de nossas ideias, a Lei Divina está presente, recomendando-nos a prudência de parar no socorro da prece ou na luz do discernimento.” (7)
  • 12. Um momento de invigilância pode ocasionar sérios problemas, se este for o instante em que o obsessor tentar conseguir a sintonia de que necessita para levar avante os seus planos de vingança.
  • 13. Convém ressaltar que um minuto ou um instante de medo, revolta, impaciência, etc., não significa necessariamente que a pessoa esteja obsidiada. Mas, sim, que uma ocasião destas poderá ser utilizada pelo obsessor como ensejo que ele aguarda para insuflar na vítima as suas ideias conturbadas.
  • 14. Vamos atentar ao seguinte: Influência não é obsessão! Portanto, temos o livre arbítrio de acolher ou não essa influência, vai depender do nível da minha condição moral, se me esforço pra melhorar, terei mais chance de não cair na armadilha, mas se sou displicente e não me importo com minha melhoria moral, serei um alvo fácil.
  • 15. Os três obsessores em sua vida Um homem chegou a um centro espírita muito desconfiado de que estava com vários obsessores. Ele contou sua história para o médium do centro. Revelou sua crença de que os obsessores haviam convencido sua esposa a terminar com ele. Revelou que os obsessores estavam travando sua vida e que ele não conseguia mais seguir em frente pois estava sentindo muito medo. Revelou também que não queria mudar, pois sua vida estava confortável do jeito que estava, e que os obsessores estavam fazendo de tudo para desestabilizá-lo.
  • 16. O médium resolveu iniciar os trabalhos. Fechou os olhos e ficou alguns minutos concentrado. Depois abriu os olhos, olhou para o homem e disse: – De fato, há três obsessores com você, mas eles são muito poderosos e não posso tirá-los. O homem ficou com medo e pensou que estava arruinado, pois se nem o médium conseguia tirá-los, sua vida seria arrasada pelos espíritos negativos.
  • 17. – “Quem são esses obsessores?” , perguntou o homem. O médium respondeu: – São três os seus obsessores: – O primeiro obsessor é o apego. Sim, o apego que você tem em relação a sua esposa. Ela já terminou com você e mesmo assim você fica insistindo num casamento que já deu claros sinais de término. O apego é um grande obsessor, um dos maiores
  • 18. – O segundo obsessor é o medo. Esse é um obsessor fortíssimo, pois paralisa nossa vida e não nos deixa caminhar. É outro grande obsessor do ser humano. – O terceiro obsessor que está em você é a acomodação. Sim, a acomodação vem da preguiça ou de uma fuga dos problemas, e a acomodação nos faz estagnar, parar e até mesmo morrer por dentro. Uma pessoa acomodada costuma abdicar de suas forças para lutar e fica presa dentro do próprio conformismo que criou.
  • 19. Esses são os seus três obsessores. Eles não são espíritos e não havia nenhum desencarnado com você. Esses e outros obsessores vivem no coração do ser humano, e somente ele pode dissolvê-los para sempre. Se vier algum espírito sombrio, ele só poderá agir em você ativando alguns desses obsessores internos. Por isso que eu disse que nada posso fazer para remove- los, pois somente você é capaz de gerar essa transformação em ti mesmo. KARDEC RIO PRETO | Hugo Lapa
  • 20. Desde que estes estados de invigilância passem a ser constantes, repetindo-se e tornando-se uma atitude habitual, aí obviamente estará configurada a predisposição para o processo obsessivo.
  • 21. Recordemo-nos de que qualquer ideia fixa negativa que venha nos perturbar emocionalmente, é sempre sinal de alarme, ante o qual deveremos fazer valer em nossa vida o sábio ensinamento do Mestre: “Estai de sobreaviso, vigiai e orai; porque não sabeis quando será o tempo.” (7) Ideal Espírita, Autores Diversos, psicografia de Francisco Cândido Xavier, capítulo 27, 7ª edição CEC.
  • 22. Muitas pessoas religiosas acreditam em Espíritos malignos, demônios e obsessores. Essas seriam Entidades Espirituais que podem nos prejudicar e sugar nossas energias. No entanto, muitas vezes “Nós Mesmos Somos os Obsessores” das outras pessoas. Reflitamos:
  • 23. Somos os Obsessores quando desejamos fazer prevalecer nossas ideias e impor nossas verdades a outrem. Somos os Obsessores quando criticamos, julgamos o condenamos o outro sem pleno conhecimento de causa. Somos os Obsessores quando temos ciúme e queremos obter a posse do outro. Somos os Obsessores quando batemos o pé e forçamos o outro a seguir a nossa vontade.
  • 24. Somos os Obsessores quando exigimos que o outro faça por nós algo que nos cabe fazer. Somos os Obsessores quando desejamos vencer uma discussão, instituir nossas verdades e firmar nosso ponto de vista. Somos os Obsessores quando burlamos o livre arbítrio alheio e o fazemos trilhar o caminho que nós julgamos correto. Somos os Obsessores quando tentamos ajudar sem nos preocupar no que é melhor para o outro, mas sim seguindo apenas o que nós acreditamos ser o melhor.
  • 25. Somos os Obsessores quando desejamos comprar o afeto das pessoas com presentes, regalias, benesses e mimos, esperando sempre algo em troca. Somos os Obsessores quando não permitimos que o outro cresça, se desenvolva, para não se tornar melhor do que nós. Somos os Obsessores quando fazemos tudo pelo outro e não permitimos que ele faça, erre e aprenda sozinho. Somos os Obsessores quando vomitamos um longo falatório desordenado e fútil acreditando que o outro tem obrigação de nos ouvir.
  • 26. Somos os Obsessores quando não damos espaço para o outro, o prendemos, o sufocamos, podamos seus movimentos, cobramos, oprimimos, sem permitir sua independência. Somos os Obsessores quando acreditamos que o outro deve corresponder aos nossos padrões, nossos modelos, nossa religião, nossos costumes, nossas crenças e nosso ideal de ser. Somos os Obsessores quando geramos milhares de conflitos, discórdias e desunião, quando criamos confusão, intrigas, fofocas e distorcemos a realidade para prejudicar o outro.
  • 27. Somos os Obsessores quando dissemos uma coisa ao outro e fazemos outra, enganando, omitindo e dissimulando. Somos os Obsessores quando vivemos reclamando e acreditamos que o outro tem obrigação de aguentar nossas lamúrias. Somos os Obsessores quando elogiamos para manipular, louvamos para enganar, enchemos o ego do outro para confundi-lo a fazer o que queremos.
  • 28. Somos os Obsessores quando fazemos do outro a nossa vida e depois ficamos magoados quando ele se afasta deixando um buraco em nosso peito, um vazio existencial e uma profunda infelicidade.
  • 29. Procure a vida em ti mesmo. Não seja mais um Obsessor do outro. Não dependa de ninguém para ser feliz. Não acredite que o Obsessor é sempre o outro… Há sempre algo de Obsessor em nós mesmos. Autor: HUGO LAPA https://gecasadocaminhosv.blogspot.com/
  • 30. O problema não é termos adversários, porque não iremos agradar todo mundo, há quem nos deteste apenas pelo fato de não conseguirem fazer o que fazemos, não por não serem capazes, mas por acomodação. O problema é sermos inimigos dos outros!

Notas do Editor

  1. O QUE É A OBSESSÃO “A obsessão é a ação persistente que um Espírito mau exerce sobre um Indivíduo. Apresenta caracteres muito diversos, desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais.” (O Evangelho segundo o Espiritismo, Allan Kardec, capítulo 28º, Item 81.)
  2. Olhai: examinando, ponderando, refletindo Vigiai: não é um estado de atenção, consciente Orai: é estar em sintonia com o criador A que tempo o Mestre se referiu? A qualquer hora
  3. Essa palavra CARMA, tem origem no sânscrito. Corresponde à Lei de Causa e Efeito Se é considerado como causa e efeito, ele só existirá a partir de alguma causa que eu engendrei, de alguma atitude que eu desenvolvi, de alguma aventura da qual participei. Enfim, de uma má escolha que fiz.   Desse modo, quando nós falamos em carma, em Lei de Causa e Efeito, isso não é uma coisa aleatória, a Divindade não nos impõe um carma. O carma é sempre consequência da nossa liberdade de ação.   O carma será sempre consequência do nosso livre-arbítrio, essa capacidade que temos de arbitrar a respeito da nossa própria existência. O que eu faço ou deixo de fazer com minha própria vontade está na conta do meu livre-arbítrio.    
  4. Conúbio: a união de mentes
  5. Essas sutilezas podem vir em forma de uma tristeza repentina, de um pensamento repentino e persistente que induza a pessoa a realizar algo que não vai ser positivo a ela, porque a entidade vai encontrar na pessoa os plugues necessários das imperfeições e das tendências negativas que essa pessoa tem.
  6. Quando não sabemos usar nosso tempo disponível para coisas uteis e dignificantes, estaremos sendo alvo fácil de sermos influenciados.
  7. Quando se baixa a vibração, as entidades que provavelmente já estão a espreita esperando esse momento, acha uma brecha para começar a influenciação, ou dependendo da situação acha condições para prejudicar seu alvo, criando situações que a levem a algum prejuízo, seja emocional, físico, ou material.
  8. Insuflar: encher, penetrar