SlideShare uma empresa Scribd logo
Especial
Os maiores escândalos corporativos do
século 21
09-11-2015 Gilberto C. Porto
Maio, 2016
Desde que o homem começou constituir e armazenar as riquezas e
frutos de suas conquistas, sempre foi assediado de forma direta
(guerras, confrontos e usurpação), ou de forma “sorrateira”, através de
esquemas de fraudes e golpes.
Nas organizações empresariais, face aos inúmeros mecanismos
necessários para a gestão dos negócios, a larga escala de delegação
de poderes e atividades, aliadas a legislação ou controles internos
ineficientes, sempre permitiram e permitirão a ação de oportunistas.
O jornal ESTADÃO de SP, elencou 11 grandes casos de fraudes
corporativas no Brasil e no exterior da nossa história recente, a fim de
ilustrar a constante necessidade de implementação de bons controles
e mecanismos de prevenção às fraudes corporativas.
Em setembro de
2015, denúncias
revelaram que a
Volkswagen
instalava
softwares em
seus carros
movidos a diesel
para manipular
resultados de
testes de emissão
de poluentes.
O esquema de corrupção
na Petrobrás, revelado
pela Operação Lava Jato,
já é considerado o maior
escândalo corporativo da
história do Brasil por sua
dimensão e pelas partes
envolvidas, que vão
desde partidos políticos
até as principais
construtoras do País.
Tudo começou com a
Polícia Federal
investigando o doleiro
Alberto Youssef, que
movimentou bilhões de
dólares em empresas de
fachada no exterior. Logo
foi feita a ligação com o
agora ex-diretor da
Petrobrás, Paulo Roberto
Costa. Após um ano e
meio, o caso não dá sinais
de fim.
O império de Eike Batista
começou a ruir em 2012,
quando suas empresas
deixaram de cumprir
metas. No ano seguinte, a
petroleira OGX comunicou
ao mercado que cessaria a
exploração de algumas
áreas da bacia de Campos,
o que derreteu o preço das
ações. Em 1º de outubro, a
OGX confirmou um calote
de US$ 44,5 milhões a
credores estrangeiros.
Hoje, a maior parte do que
restou das empresas X está
nas mãos de credores.
Protagonista da crise mundial
de 2008,o Lehman Brothers era
o quarto maior banco de
investimento dos EUA e
concedia empréstimos
hipotecários de alto risco. Em
2007,começou a ter prejuízo,e
em 2008 pediu concordata,
causando um efeito dominó:a
falência de várias instituições
financeiras derrubou o índice
Dow Jones. O Barclays assumiu a
operação norte-americana do
banco e o Nomura Holdings as
atividades da instituição na
Ásia.
Um dos maiores escândalos de
fraude no mundo, o caso Madoff
foi descoberto em dezembro de
2008.A empresa do investidor
Bernard Madoff atraía
investidores oferecendo níveis
de rentabilidade que chegavam
a 1% ao mês. Ele, então, usava o
dinheiro dos novos investidores
para pagar clientes antigos que
queriam resgatar os recursos
aplicados,num exemplo de
esquema Ponzi de alto escalão.
O montante desviado por
Madoff chegou a US$ 17,5
bilhões e ele foi condenado a
150 anos de prisão.
O Banco Panamericano
começou a praticar fraudes
fiscais em meados de 2006,
quando passou a inflar seus
balanços por meio do registro
de carteiras de crédito - elas
eram descritas como ativos nos
documentos.No ano seguinte,
o banco abriu capital,mas o
escândalo só veio a público em
2010,quando o Banco Central
identificou a fraude.Como
consequência,os executivos da
instituição foram demitidos e o
Panamericano foi vendido ao
BTG Pactual em janeiro de
2011.
Multinacional alemã,a
Siemens está envolvida em
escândalos fiscais desde 1998,
quando uma força-tarefa
formada por 200 policiais na
Alemanha investigou desvio
de dinheiro para comprar
contratos de infraestrutura na
Nigéria.O montante desviado
chegava a € 200 milhões. Mais
recentemente,a empresa virou
ré no Brasil em ação do
Ministério Público que
investiga o cartel de trens de
São Paulo.
Em 2004,a Shell
supervalorizou suas reservas
de petróleo em 23%, o que
resultou em lucros inflados em
US$ 276 milhões. A divulgação
dos dados corrigidos
derrubou o preço de suas
ações nas bolsas de Londres e
Amsterdã. Como multa,a Shell
desembolsou US$ 150 milhões
e investiu mais US$ 5 milhões
em um programa de
compliance.
A ausência de práticas de boa
governança já era evidente na
Parmalat em um item básico: o
principal representante da
companhia ocupava,ao
mesmo tempo,os cargos de
presidente do conselho de
administração e diretor-
presidente,algo que os
manuais de governança
corporativa condenam. Em
2002,a Pricewaterhouse
Coopers (PwC) foi contratada
para auditar os balanços da
empresa e concluiu que o
valor de seus ativos líquidos
era insignificante.As dívidas
também foram subestimadas e
ultrapassavam os € 14,5
bilhões.
Segunda maior operadora de
chamadas de longa distância
nos EUA, a WorldCom teve
suas irregularidades contábeis
descobertas durante uma
auditoria interna realizada em
2002.A empresa inflou
artificialmente seu rendimento
líquido,lançando os custos das
linhas nos balanços como
dispêndio com ativos fixos. A
SEC (a CVM americana)
acusou a empresa de fraude e,
como a concordata já era dada
como certa, suas ações
fecharam a US$ 0,10 em julho
daquele ano. As perdas
estimadas para os acionistas
chegaram a US$ 186 bilhões..
Gigante do setor elétrico,a Enron se
envolveu em um escândalo que
resultou em sua quebra em 2001.
Durante anos, diretores da empresa
maquiaram balancetes,enxugaram
prejuízos e chegaram a lucros
impressionantes.A mágica funcionou
até que veio à tona a informação de
que a companhia havia escondido
débitos de bilhões de dólares. A SEC
(a CVM americana) iniciou uma
investigação e os papéis da
companhia foram rebaixados à
categoria de títulos podres no
mercado de ações. O valor dos papéis
chegou a poucos centavos de dólar. O
escândalo também gerou 42 ações
civis por reguladores e processos
criminais contra 33 pessoas.
 1977 – USA: A FCPA foi a legislação percursora, emitida após os escândalos Lockheed, Watergate,
Bananasgate,no início da década de 70.
 2002 – USA: assinada a lei Sarbanes Oxley, implementando a necessidade de validação de todos
os processos e controles internos para os registros contábeis para SEC.
 2003 – global: A ONU, OCDE e a Transparência Internacional emitem suas edições sobre os Princípios
de Combate a Corrupção e seus desdobramentos.
 2007 – Brasil: IFRS – A Lei nº 11.638 é sancionada, um avanço à Lei das S.A.´s de 1976. Desta forma,
as empresas brasileiras passam a seguir os padrões internacionais de registros e informes
financeiros e contábeis (IASB),validados pelos PCPs.
 2008 – Brasil: as agências reguladoras estipularam mecanismos de avaliação e autorregulação, tais
como: BACEN resolução 2.256 – Controles Internos, 3.380 – Riscos Operacionais e
Compliance; SUSEP com as circulares 344 e 517; CVM-558 – Assets e Gestores de
Recursos,além das ferramentas de Prevenção à Lavagem de Dinheiro.
 2010 – UK: lei anticorrupção do Reino Unido - Anti-bribery Act 11, criminalizando práticas ilícitas
de corrupção, fraudes e subornos,no país e exterior.
 2014 – Brasil: entrou em vigor a lei AntiCorrupção nº 12.468, que teve como seu “batismo de fogo” a
operação Lava-Jato.
linha do tempo: importantes eventos
Governança Corporativa
escândalos Lockheed,
Bananagate, Watergate (EUA)
Lei Anticorrupção nos EUA: FCPA
Escândalos Enron, WorldCom, Tyco,
Andersen, etc (EUA)
Lei Sarbanes Oxley (SOx, EUA)
Crise financeira mundial (sub-primes,
EUA)
fraudes Lehman Brothers e B. Madoff
(EUA)
BACEN - controles internos, gestão de
riscos e compliance nas IFs
Lei Anticorrupção Inglaterra - UK
Bribery act
Transparência Internacional: estrutura
de programa de integridade
Colapso grupo EBX, circulares Susep
(risco e compliance),novas sansões
da CVM
Lei 12.468 AntiCorrupção Brasil
deflagrada a Operação Lava-Jato
CGU - iniciativa Empresa Pró Ética
(reestruturação)
CGU - Programas de Integridade:
empresas privadas,públicas,
estatais e PMEs
dez-1972 dez-1977 dez-2001 jul-2002 jan-2008 abr-2008 jun-2008 jul-2011 out-2013 nov-2013 dez-2013 jan-2014 jul-2014 jul-2015
• “Follow the
money...”
The Deaph-Throath,
informante do
Whashingtpn Post
(Watergate), 1972
• "Como eu poderia
ter feito isso? Eu
estava fazendo um
monte de dinheiro.
Eu não preciso do
dinheiro... Sou um
caráter falho? "
Bernard Madoff,
banqueiro americano,
responsável pelo
maior esquema de
fraude da história.
• “A corrupção
rouba a comida,
remédio e a
escola do
brasileiro”
Deltan Dallagnol, 36
anos, mestrado por
Harvard, procurador
do MPF, Curitiba.
• “Nunca pensei
que pudesse
acontecer nada
comigo.”
Delcídio do Amaral,
senador licenciado,
2016 em sua delação
premiada.
Corrupção vs Impunidade: duas variáveis centrais para a decisão são, o montante da punição e a
probabilidade de punição. A probabilidade da punição está diretamente vinculada ao tema da
impunidade e,assim, é um fator decisivo para o volume da corrupção no país.
www.lavajato.mpf.mp.br/perguntas-e-respostas.html
Boa sorte & sucesso!
Fraudes Corporativas - Estudo de casos III: os maiores escandalos corporativos do seculo 21 ESTADAO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
Mauro Sobrenome
 
Código das Melhores Práticas - IBGC
Código das Melhores Práticas - IBGCCódigo das Melhores Práticas - IBGC
Código das Melhores Práticas - IBGC
ceiestudos
 
AULA DE MATRIZ SWOT
AULA DE MATRIZ SWOTAULA DE MATRIZ SWOT
AULA DE MATRIZ SWOT
André Sandiêgo Falcão
 
GOVERNANÇA CORPORATIVA
GOVERNANÇA CORPORATIVAGOVERNANÇA CORPORATIVA
GOVERNANÇA CORPORATIVA
Fernanda Zambon M. Oliveira
 
Governança Corporativa
Governança CorporativaGovernança Corporativa
Governança Corporativa
Edmilson Palermo Soares
 
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Professora Patricia Lima
 
Sistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da QualidadeSistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da Qualidade
Sergio Dias
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
Celso Alfaia Barbosa
 
Fluxo de caixa
Fluxo de caixaFluxo de caixa
Fluxo de caixa
alunocontabil
 
Treinamento Organizacional
Treinamento OrganizacionalTreinamento Organizacional
Treinamento Organizacional
Daniela Gomes dos Santos
 
Capítulo 4 - Análise e Solução de Problemas
Capítulo 4  - Análise e Solução de ProblemasCapítulo 4  - Análise e Solução de Problemas
Capítulo 4 - Análise e Solução de Problemas
Saulo Oliveira
 
Aula 2 - Organizações e Organização
Aula 2 - Organizações e OrganizaçãoAula 2 - Organizações e Organização
Aula 2 - Organizações e Organização
Prof. Leonardo Rocha
 
Indicadores de Desempenho
Indicadores de Desempenho Indicadores de Desempenho
Contabilidade fundamentos
Contabilidade fundamentosContabilidade fundamentos
Contabilidade fundamentos
apostilacontabil
 
Introdução a administração financeira Professor Danilo Pires
Introdução a administração financeira  Professor Danilo PiresIntrodução a administração financeira  Professor Danilo Pires
Introdução a administração financeira Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Fundamentos de contabilidade i
Fundamentos de contabilidade iFundamentos de contabilidade i
Fundamentos de contabilidade i
Kleber Mantovanelli
 
Gestão De Processos
Gestão De ProcessosGestão De Processos
Gestão De Processos
Nilton Goulart
 
Fundamentos do comércio exterior
Fundamentos do comércio exteriorFundamentos do comércio exterior
Fundamentos do comércio exterior
Henrique Vieira
 
Fundamentos da Administração
Fundamentos da AdministraçãoFundamentos da Administração
Fundamentos da Administração
alemartins10
 
Passo a passo para abertura de empresa
Passo a passo para abertura de empresaPasso a passo para abertura de empresa
Passo a passo para abertura de empresa
Guilherme Carvalho
 

Mais procurados (20)

Ferramentas da Qualidade
Ferramentas da QualidadeFerramentas da Qualidade
Ferramentas da Qualidade
 
Código das Melhores Práticas - IBGC
Código das Melhores Práticas - IBGCCódigo das Melhores Práticas - IBGC
Código das Melhores Práticas - IBGC
 
AULA DE MATRIZ SWOT
AULA DE MATRIZ SWOTAULA DE MATRIZ SWOT
AULA DE MATRIZ SWOT
 
GOVERNANÇA CORPORATIVA
GOVERNANÇA CORPORATIVAGOVERNANÇA CORPORATIVA
GOVERNANÇA CORPORATIVA
 
Governança Corporativa
Governança CorporativaGovernança Corporativa
Governança Corporativa
 
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
 
Sistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da QualidadeSistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da Qualidade
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
 
Fluxo de caixa
Fluxo de caixaFluxo de caixa
Fluxo de caixa
 
Treinamento Organizacional
Treinamento OrganizacionalTreinamento Organizacional
Treinamento Organizacional
 
Capítulo 4 - Análise e Solução de Problemas
Capítulo 4  - Análise e Solução de ProblemasCapítulo 4  - Análise e Solução de Problemas
Capítulo 4 - Análise e Solução de Problemas
 
Aula 2 - Organizações e Organização
Aula 2 - Organizações e OrganizaçãoAula 2 - Organizações e Organização
Aula 2 - Organizações e Organização
 
Indicadores de Desempenho
Indicadores de Desempenho Indicadores de Desempenho
Indicadores de Desempenho
 
Contabilidade fundamentos
Contabilidade fundamentosContabilidade fundamentos
Contabilidade fundamentos
 
Introdução a administração financeira Professor Danilo Pires
Introdução a administração financeira  Professor Danilo PiresIntrodução a administração financeira  Professor Danilo Pires
Introdução a administração financeira Professor Danilo Pires
 
Fundamentos de contabilidade i
Fundamentos de contabilidade iFundamentos de contabilidade i
Fundamentos de contabilidade i
 
Gestão De Processos
Gestão De ProcessosGestão De Processos
Gestão De Processos
 
Fundamentos do comércio exterior
Fundamentos do comércio exteriorFundamentos do comércio exterior
Fundamentos do comércio exterior
 
Fundamentos da Administração
Fundamentos da AdministraçãoFundamentos da Administração
Fundamentos da Administração
 
Passo a passo para abertura de empresa
Passo a passo para abertura de empresaPasso a passo para abertura de empresa
Passo a passo para abertura de empresa
 

Semelhante a Fraudes Corporativas - Estudo de casos III: os maiores escandalos corporativos do seculo 21 ESTADAO

workshop GRC & prevenção às fraudes, UVA Centro, Rio - 12-5-2016
workshop GRC & prevenção às fraudes, UVA Centro, Rio - 12-5-2016workshop GRC & prevenção às fraudes, UVA Centro, Rio - 12-5-2016
workshop GRC & prevenção às fraudes, UVA Centro, Rio - 12-5-2016
Gilberto C Porto
 
++Governança corporativa aula 4++ cont inter
++Governança corporativa aula  4++ cont inter++Governança corporativa aula  4++ cont inter
++Governança corporativa aula 4++ cont inter
C2 Consultoria e Gestão de Projetos
 
GV-executivo, vol. 18, n. 3, maio-junho 2019
GV-executivo, vol. 18, n. 3, maio-junho 2019GV-executivo, vol. 18, n. 3, maio-junho 2019
GV-executivo, vol. 18, n. 3, maio-junho 2019
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
101705 Derivativos e Governança Corporativa.pdf
101705 Derivativos e Governança Corporativa.pdf101705 Derivativos e Governança Corporativa.pdf
101705 Derivativos e Governança Corporativa.pdf
P. Carmona
 
O Caso Stanford 260209
O Caso Stanford 260209O Caso Stanford 260209
O Caso Stanford 260209
Alexsandro Rebello Bonatto
 
Alexandre PóVoa 1645 Sala D
Alexandre PóVoa 1645 Sala DAlexandre PóVoa 1645 Sala D
Alexandre PóVoa 1645 Sala D
apimec
 
Brasil Economico Banco do Brasil Global Acqua 2011 11-22
Brasil Economico Banco do Brasil Global Acqua 2011 11-22Brasil Economico Banco do Brasil Global Acqua 2011 11-22
Brasil Economico Banco do Brasil Global Acqua 2011 11-22
Amancio Perez
 
Transparência de Processos e Software
Transparência de Processos e SoftwareTransparência de Processos e Software
Transparência de Processos e Software
transparenciadesoftware
 
Gerenciamento de Riscos na Cosern - Lei Sarbanes Oxley (SOX)
Gerenciamento de Riscos na Cosern - Lei Sarbanes Oxley (SOX)Gerenciamento de Riscos na Cosern - Lei Sarbanes Oxley (SOX)
Gerenciamento de Riscos na Cosern - Lei Sarbanes Oxley (SOX)
Marcus Vinícius
 
Requerimento para criação da CPI do BNDES
Requerimento para criação da CPI do BNDESRequerimento para criação da CPI do BNDES
Requerimento para criação da CPI do BNDES
Giovanni Sandes
 
Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
Gilberto C Porto
 
CA 30-05-12 Tudo+por+empregos (1)
CA 30-05-12 Tudo+por+empregos (1)CA 30-05-12 Tudo+por+empregos (1)
CA 30-05-12 Tudo+por+empregos (1)
Arthur Farache
 
Curso a criminalidade e tecnologia 2017 parte a
Curso a criminalidade e tecnologia 2017 parte aCurso a criminalidade e tecnologia 2017 parte a
Curso a criminalidade e tecnologia 2017 parte a
Celso Calazans
 
Compliance Anticorrupção: Atuação e Responsabilidades do Contabilista
Compliance Anticorrupção: Atuação e Responsabilidades do ContabilistaCompliance Anticorrupção: Atuação e Responsabilidades do Contabilista
Compliance Anticorrupção: Atuação e Responsabilidades do Contabilista
Miguel Teixeira Filho
 
Powerpoints cooperacao financeira int'l
Powerpoints cooperacao financeira int'lPowerpoints cooperacao financeira int'l
Powerpoints cooperacao financeira int'l
Bruce Zagaris
 
Demetrio brasil privatizações
Demetrio brasil privatizaçõesDemetrio brasil privatizações
Demetrio brasil privatizações
Deto - Geografia
 
Anexo 7
Anexo 7Anexo 7
8ª CONSEGURO - RENATA GIL
8ª CONSEGURO - RENATA GIL8ª CONSEGURO - RENATA GIL
8ª CONSEGURO - RENATA GIL
CNseg
 
2013 paulo lopes
2013 paulo lopes2013 paulo lopes
2013 paulo lopes
Vinícius Cordeiro
 
Por uma política pública de combate à corrupção
Por uma política pública de combate à corrupçãoPor uma política pública de combate à corrupção
Por uma política pública de combate à corrupção
Marco Acco
 

Semelhante a Fraudes Corporativas - Estudo de casos III: os maiores escandalos corporativos do seculo 21 ESTADAO (20)

workshop GRC & prevenção às fraudes, UVA Centro, Rio - 12-5-2016
workshop GRC & prevenção às fraudes, UVA Centro, Rio - 12-5-2016workshop GRC & prevenção às fraudes, UVA Centro, Rio - 12-5-2016
workshop GRC & prevenção às fraudes, UVA Centro, Rio - 12-5-2016
 
++Governança corporativa aula 4++ cont inter
++Governança corporativa aula  4++ cont inter++Governança corporativa aula  4++ cont inter
++Governança corporativa aula 4++ cont inter
 
GV-executivo, vol. 18, n. 3, maio-junho 2019
GV-executivo, vol. 18, n. 3, maio-junho 2019GV-executivo, vol. 18, n. 3, maio-junho 2019
GV-executivo, vol. 18, n. 3, maio-junho 2019
 
101705 Derivativos e Governança Corporativa.pdf
101705 Derivativos e Governança Corporativa.pdf101705 Derivativos e Governança Corporativa.pdf
101705 Derivativos e Governança Corporativa.pdf
 
O Caso Stanford 260209
O Caso Stanford 260209O Caso Stanford 260209
O Caso Stanford 260209
 
Alexandre PóVoa 1645 Sala D
Alexandre PóVoa 1645 Sala DAlexandre PóVoa 1645 Sala D
Alexandre PóVoa 1645 Sala D
 
Brasil Economico Banco do Brasil Global Acqua 2011 11-22
Brasil Economico Banco do Brasil Global Acqua 2011 11-22Brasil Economico Banco do Brasil Global Acqua 2011 11-22
Brasil Economico Banco do Brasil Global Acqua 2011 11-22
 
Transparência de Processos e Software
Transparência de Processos e SoftwareTransparência de Processos e Software
Transparência de Processos e Software
 
Gerenciamento de Riscos na Cosern - Lei Sarbanes Oxley (SOX)
Gerenciamento de Riscos na Cosern - Lei Sarbanes Oxley (SOX)Gerenciamento de Riscos na Cosern - Lei Sarbanes Oxley (SOX)
Gerenciamento de Riscos na Cosern - Lei Sarbanes Oxley (SOX)
 
Requerimento para criação da CPI do BNDES
Requerimento para criação da CPI do BNDESRequerimento para criação da CPI do BNDES
Requerimento para criação da CPI do BNDES
 
Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
 
CA 30-05-12 Tudo+por+empregos (1)
CA 30-05-12 Tudo+por+empregos (1)CA 30-05-12 Tudo+por+empregos (1)
CA 30-05-12 Tudo+por+empregos (1)
 
Curso a criminalidade e tecnologia 2017 parte a
Curso a criminalidade e tecnologia 2017 parte aCurso a criminalidade e tecnologia 2017 parte a
Curso a criminalidade e tecnologia 2017 parte a
 
Compliance Anticorrupção: Atuação e Responsabilidades do Contabilista
Compliance Anticorrupção: Atuação e Responsabilidades do ContabilistaCompliance Anticorrupção: Atuação e Responsabilidades do Contabilista
Compliance Anticorrupção: Atuação e Responsabilidades do Contabilista
 
Powerpoints cooperacao financeira int'l
Powerpoints cooperacao financeira int'lPowerpoints cooperacao financeira int'l
Powerpoints cooperacao financeira int'l
 
Demetrio brasil privatizações
Demetrio brasil privatizaçõesDemetrio brasil privatizações
Demetrio brasil privatizações
 
Anexo 7
Anexo 7Anexo 7
Anexo 7
 
8ª CONSEGURO - RENATA GIL
8ª CONSEGURO - RENATA GIL8ª CONSEGURO - RENATA GIL
8ª CONSEGURO - RENATA GIL
 
2013 paulo lopes
2013 paulo lopes2013 paulo lopes
2013 paulo lopes
 
Por uma política pública de combate à corrupção
Por uma política pública de combate à corrupçãoPor uma política pública de combate à corrupção
Por uma política pública de combate à corrupção
 

Mais de Gilberto C Porto

Monitoramento e Avaliacao de Programas de Conformidade APOSTILA
Monitoramento e Avaliacao de Programas de Conformidade APOSTILAMonitoramento e Avaliacao de Programas de Conformidade APOSTILA
Monitoramento e Avaliacao de Programas de Conformidade APOSTILA
Gilberto C Porto
 
201210 Fraudes & Corrupcao
201210 Fraudes & Corrupcao 201210 Fraudes & Corrupcao
201210 Fraudes & Corrupcao
Gilberto C Porto
 
Cyber experts certificado - G Porto 19-11-2020
Cyber experts   certificado - G Porto 19-11-2020Cyber experts   certificado - G Porto 19-11-2020
Cyber experts certificado - G Porto 19-11-2020
Gilberto C Porto
 
CONFERENZA Auditoria & Conformidade
CONFERENZA Auditoria & ConformidadeCONFERENZA Auditoria & Conformidade
CONFERENZA Auditoria & Conformidade
Gilberto C Porto
 
200531 Compliance em Inovação
200531 Compliance em Inovação200531 Compliance em Inovação
200531 Compliance em Inovação
Gilberto C Porto
 
200311 Programas de Integridade em projetos de inovacao e start ups 2x1
200311 Programas de Integridade em projetos de inovacao e start ups 2x1200311 Programas de Integridade em projetos de inovacao e start ups 2x1
200311 Programas de Integridade em projetos de inovacao e start ups 2x1
Gilberto C Porto
 
191114 palestra Protocolos para Investigacao Forense
191114 palestra Protocolos para Investigacao Forense191114 palestra Protocolos para Investigacao Forense
191114 palestra Protocolos para Investigacao Forense
Gilberto C Porto
 
Conferenza Auditoria e Conformidade
Conferenza Auditoria e ConformidadeConferenza Auditoria e Conformidade
Conferenza Auditoria e Conformidade
Gilberto C Porto
 
Conferenza Compliance Audit Services 2019
Conferenza Compliance Audit Services 2019Conferenza Compliance Audit Services 2019
Conferenza Compliance Audit Services 2019
Gilberto C Porto
 
Investigacao Forense - seminario 14-6-2019
Investigacao Forense - seminario 14-6-2019Investigacao Forense - seminario 14-6-2019
Investigacao Forense - seminario 14-6-2019
Gilberto C Porto
 
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017
Gilberto C Porto
 
Palestra IBEF Rio - Otavio de Barros 28-4-2016
Palestra IBEF Rio - Otavio de Barros 28-4-2016Palestra IBEF Rio - Otavio de Barros 28-4-2016
Palestra IBEF Rio - Otavio de Barros 28-4-2016
Gilberto C Porto
 
Integridade para pequenos negócios
Integridade para pequenos negóciosIntegridade para pequenos negócios
Integridade para pequenos negócios
Gilberto C Porto
 
Pulse Linked-In: guia Programa de Integridade CGU
Pulse Linked-In: guia Programa de Integridade CGUPulse Linked-In: guia Programa de Integridade CGU
Pulse Linked-In: guia Programa de Integridade CGU
Gilberto C Porto
 
CGU - cartilha Programa de Integridade: diretrizes para empresas privadas
CGU - cartilha Programa de Integridade: diretrizes para empresas privadasCGU - cartilha Programa de Integridade: diretrizes para empresas privadas
CGU - cartilha Programa de Integridade: diretrizes para empresas privadas
Gilberto C Porto
 
Pulse Linked In: IBGE divulga pesquisa sobre a sobrevivência de empresas no B...
Pulse Linked In: IBGE divulga pesquisa sobre a sobrevivência de empresas no B...Pulse Linked In: IBGE divulga pesquisa sobre a sobrevivência de empresas no B...
Pulse Linked In: IBGE divulga pesquisa sobre a sobrevivência de empresas no B...
Gilberto C Porto
 
CONFERENZA programas in-Company e extensão
CONFERENZA	programas in-Company e extensãoCONFERENZA	programas in-Company e extensão
CONFERENZA programas in-Company e extensão
Gilberto C Porto
 
Randon historia - estudo de caso
Randon historia - estudo de casoRandon historia - estudo de caso
Randon historia - estudo de caso
Gilberto C Porto
 
GOVERNANÇA CORPORATIVA: estudo de caso Senior Solution - julho 2015
GOVERNANÇA CORPORATIVA: estudo de caso Senior Solution - julho 2015GOVERNANÇA CORPORATIVA: estudo de caso Senior Solution - julho 2015
GOVERNANÇA CORPORATIVA: estudo de caso Senior Solution - julho 2015
Gilberto C Porto
 
Guia para prevenção de fraudes e pequenos golpes, maio 2015
Guia para prevenção de fraudes e pequenos golpes, maio 2015Guia para prevenção de fraudes e pequenos golpes, maio 2015
Guia para prevenção de fraudes e pequenos golpes, maio 2015
Gilberto C Porto
 

Mais de Gilberto C Porto (20)

Monitoramento e Avaliacao de Programas de Conformidade APOSTILA
Monitoramento e Avaliacao de Programas de Conformidade APOSTILAMonitoramento e Avaliacao de Programas de Conformidade APOSTILA
Monitoramento e Avaliacao de Programas de Conformidade APOSTILA
 
201210 Fraudes & Corrupcao
201210 Fraudes & Corrupcao 201210 Fraudes & Corrupcao
201210 Fraudes & Corrupcao
 
Cyber experts certificado - G Porto 19-11-2020
Cyber experts   certificado - G Porto 19-11-2020Cyber experts   certificado - G Porto 19-11-2020
Cyber experts certificado - G Porto 19-11-2020
 
CONFERENZA Auditoria & Conformidade
CONFERENZA Auditoria & ConformidadeCONFERENZA Auditoria & Conformidade
CONFERENZA Auditoria & Conformidade
 
200531 Compliance em Inovação
200531 Compliance em Inovação200531 Compliance em Inovação
200531 Compliance em Inovação
 
200311 Programas de Integridade em projetos de inovacao e start ups 2x1
200311 Programas de Integridade em projetos de inovacao e start ups 2x1200311 Programas de Integridade em projetos de inovacao e start ups 2x1
200311 Programas de Integridade em projetos de inovacao e start ups 2x1
 
191114 palestra Protocolos para Investigacao Forense
191114 palestra Protocolos para Investigacao Forense191114 palestra Protocolos para Investigacao Forense
191114 palestra Protocolos para Investigacao Forense
 
Conferenza Auditoria e Conformidade
Conferenza Auditoria e ConformidadeConferenza Auditoria e Conformidade
Conferenza Auditoria e Conformidade
 
Conferenza Compliance Audit Services 2019
Conferenza Compliance Audit Services 2019Conferenza Compliance Audit Services 2019
Conferenza Compliance Audit Services 2019
 
Investigacao Forense - seminario 14-6-2019
Investigacao Forense - seminario 14-6-2019Investigacao Forense - seminario 14-6-2019
Investigacao Forense - seminario 14-6-2019
 
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017
CONFERENZA - temas, ementas e programas para treinamentos corporativos 2017
 
Palestra IBEF Rio - Otavio de Barros 28-4-2016
Palestra IBEF Rio - Otavio de Barros 28-4-2016Palestra IBEF Rio - Otavio de Barros 28-4-2016
Palestra IBEF Rio - Otavio de Barros 28-4-2016
 
Integridade para pequenos negócios
Integridade para pequenos negóciosIntegridade para pequenos negócios
Integridade para pequenos negócios
 
Pulse Linked-In: guia Programa de Integridade CGU
Pulse Linked-In: guia Programa de Integridade CGUPulse Linked-In: guia Programa de Integridade CGU
Pulse Linked-In: guia Programa de Integridade CGU
 
CGU - cartilha Programa de Integridade: diretrizes para empresas privadas
CGU - cartilha Programa de Integridade: diretrizes para empresas privadasCGU - cartilha Programa de Integridade: diretrizes para empresas privadas
CGU - cartilha Programa de Integridade: diretrizes para empresas privadas
 
Pulse Linked In: IBGE divulga pesquisa sobre a sobrevivência de empresas no B...
Pulse Linked In: IBGE divulga pesquisa sobre a sobrevivência de empresas no B...Pulse Linked In: IBGE divulga pesquisa sobre a sobrevivência de empresas no B...
Pulse Linked In: IBGE divulga pesquisa sobre a sobrevivência de empresas no B...
 
CONFERENZA programas in-Company e extensão
CONFERENZA	programas in-Company e extensãoCONFERENZA	programas in-Company e extensão
CONFERENZA programas in-Company e extensão
 
Randon historia - estudo de caso
Randon historia - estudo de casoRandon historia - estudo de caso
Randon historia - estudo de caso
 
GOVERNANÇA CORPORATIVA: estudo de caso Senior Solution - julho 2015
GOVERNANÇA CORPORATIVA: estudo de caso Senior Solution - julho 2015GOVERNANÇA CORPORATIVA: estudo de caso Senior Solution - julho 2015
GOVERNANÇA CORPORATIVA: estudo de caso Senior Solution - julho 2015
 
Guia para prevenção de fraudes e pequenos golpes, maio 2015
Guia para prevenção de fraudes e pequenos golpes, maio 2015Guia para prevenção de fraudes e pequenos golpes, maio 2015
Guia para prevenção de fraudes e pequenos golpes, maio 2015
 

Último

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 

Último (20)

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 

Fraudes Corporativas - Estudo de casos III: os maiores escandalos corporativos do seculo 21 ESTADAO

  • 1. Especial Os maiores escândalos corporativos do século 21 09-11-2015 Gilberto C. Porto Maio, 2016
  • 2. Desde que o homem começou constituir e armazenar as riquezas e frutos de suas conquistas, sempre foi assediado de forma direta (guerras, confrontos e usurpação), ou de forma “sorrateira”, através de esquemas de fraudes e golpes. Nas organizações empresariais, face aos inúmeros mecanismos necessários para a gestão dos negócios, a larga escala de delegação de poderes e atividades, aliadas a legislação ou controles internos ineficientes, sempre permitiram e permitirão a ação de oportunistas. O jornal ESTADÃO de SP, elencou 11 grandes casos de fraudes corporativas no Brasil e no exterior da nossa história recente, a fim de ilustrar a constante necessidade de implementação de bons controles e mecanismos de prevenção às fraudes corporativas.
  • 3. Em setembro de 2015, denúncias revelaram que a Volkswagen instalava softwares em seus carros movidos a diesel para manipular resultados de testes de emissão de poluentes.
  • 4. O esquema de corrupção na Petrobrás, revelado pela Operação Lava Jato, já é considerado o maior escândalo corporativo da história do Brasil por sua dimensão e pelas partes envolvidas, que vão desde partidos políticos até as principais construtoras do País. Tudo começou com a Polícia Federal investigando o doleiro Alberto Youssef, que movimentou bilhões de dólares em empresas de fachada no exterior. Logo foi feita a ligação com o agora ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa. Após um ano e meio, o caso não dá sinais de fim.
  • 5. O império de Eike Batista começou a ruir em 2012, quando suas empresas deixaram de cumprir metas. No ano seguinte, a petroleira OGX comunicou ao mercado que cessaria a exploração de algumas áreas da bacia de Campos, o que derreteu o preço das ações. Em 1º de outubro, a OGX confirmou um calote de US$ 44,5 milhões a credores estrangeiros. Hoje, a maior parte do que restou das empresas X está nas mãos de credores.
  • 6. Protagonista da crise mundial de 2008,o Lehman Brothers era o quarto maior banco de investimento dos EUA e concedia empréstimos hipotecários de alto risco. Em 2007,começou a ter prejuízo,e em 2008 pediu concordata, causando um efeito dominó:a falência de várias instituições financeiras derrubou o índice Dow Jones. O Barclays assumiu a operação norte-americana do banco e o Nomura Holdings as atividades da instituição na Ásia.
  • 7. Um dos maiores escândalos de fraude no mundo, o caso Madoff foi descoberto em dezembro de 2008.A empresa do investidor Bernard Madoff atraía investidores oferecendo níveis de rentabilidade que chegavam a 1% ao mês. Ele, então, usava o dinheiro dos novos investidores para pagar clientes antigos que queriam resgatar os recursos aplicados,num exemplo de esquema Ponzi de alto escalão. O montante desviado por Madoff chegou a US$ 17,5 bilhões e ele foi condenado a 150 anos de prisão.
  • 8. O Banco Panamericano começou a praticar fraudes fiscais em meados de 2006, quando passou a inflar seus balanços por meio do registro de carteiras de crédito - elas eram descritas como ativos nos documentos.No ano seguinte, o banco abriu capital,mas o escândalo só veio a público em 2010,quando o Banco Central identificou a fraude.Como consequência,os executivos da instituição foram demitidos e o Panamericano foi vendido ao BTG Pactual em janeiro de 2011.
  • 9. Multinacional alemã,a Siemens está envolvida em escândalos fiscais desde 1998, quando uma força-tarefa formada por 200 policiais na Alemanha investigou desvio de dinheiro para comprar contratos de infraestrutura na Nigéria.O montante desviado chegava a € 200 milhões. Mais recentemente,a empresa virou ré no Brasil em ação do Ministério Público que investiga o cartel de trens de São Paulo.
  • 10. Em 2004,a Shell supervalorizou suas reservas de petróleo em 23%, o que resultou em lucros inflados em US$ 276 milhões. A divulgação dos dados corrigidos derrubou o preço de suas ações nas bolsas de Londres e Amsterdã. Como multa,a Shell desembolsou US$ 150 milhões e investiu mais US$ 5 milhões em um programa de compliance.
  • 11. A ausência de práticas de boa governança já era evidente na Parmalat em um item básico: o principal representante da companhia ocupava,ao mesmo tempo,os cargos de presidente do conselho de administração e diretor- presidente,algo que os manuais de governança corporativa condenam. Em 2002,a Pricewaterhouse Coopers (PwC) foi contratada para auditar os balanços da empresa e concluiu que o valor de seus ativos líquidos era insignificante.As dívidas também foram subestimadas e ultrapassavam os € 14,5 bilhões.
  • 12. Segunda maior operadora de chamadas de longa distância nos EUA, a WorldCom teve suas irregularidades contábeis descobertas durante uma auditoria interna realizada em 2002.A empresa inflou artificialmente seu rendimento líquido,lançando os custos das linhas nos balanços como dispêndio com ativos fixos. A SEC (a CVM americana) acusou a empresa de fraude e, como a concordata já era dada como certa, suas ações fecharam a US$ 0,10 em julho daquele ano. As perdas estimadas para os acionistas chegaram a US$ 186 bilhões..
  • 13. Gigante do setor elétrico,a Enron se envolveu em um escândalo que resultou em sua quebra em 2001. Durante anos, diretores da empresa maquiaram balancetes,enxugaram prejuízos e chegaram a lucros impressionantes.A mágica funcionou até que veio à tona a informação de que a companhia havia escondido débitos de bilhões de dólares. A SEC (a CVM americana) iniciou uma investigação e os papéis da companhia foram rebaixados à categoria de títulos podres no mercado de ações. O valor dos papéis chegou a poucos centavos de dólar. O escândalo também gerou 42 ações civis por reguladores e processos criminais contra 33 pessoas.
  • 14.  1977 – USA: A FCPA foi a legislação percursora, emitida após os escândalos Lockheed, Watergate, Bananasgate,no início da década de 70.  2002 – USA: assinada a lei Sarbanes Oxley, implementando a necessidade de validação de todos os processos e controles internos para os registros contábeis para SEC.  2003 – global: A ONU, OCDE e a Transparência Internacional emitem suas edições sobre os Princípios de Combate a Corrupção e seus desdobramentos.  2007 – Brasil: IFRS – A Lei nº 11.638 é sancionada, um avanço à Lei das S.A.´s de 1976. Desta forma, as empresas brasileiras passam a seguir os padrões internacionais de registros e informes financeiros e contábeis (IASB),validados pelos PCPs.  2008 – Brasil: as agências reguladoras estipularam mecanismos de avaliação e autorregulação, tais como: BACEN resolução 2.256 – Controles Internos, 3.380 – Riscos Operacionais e Compliance; SUSEP com as circulares 344 e 517; CVM-558 – Assets e Gestores de Recursos,além das ferramentas de Prevenção à Lavagem de Dinheiro.  2010 – UK: lei anticorrupção do Reino Unido - Anti-bribery Act 11, criminalizando práticas ilícitas de corrupção, fraudes e subornos,no país e exterior.  2014 – Brasil: entrou em vigor a lei AntiCorrupção nº 12.468, que teve como seu “batismo de fogo” a operação Lava-Jato.
  • 15. linha do tempo: importantes eventos Governança Corporativa escândalos Lockheed, Bananagate, Watergate (EUA) Lei Anticorrupção nos EUA: FCPA Escândalos Enron, WorldCom, Tyco, Andersen, etc (EUA) Lei Sarbanes Oxley (SOx, EUA) Crise financeira mundial (sub-primes, EUA) fraudes Lehman Brothers e B. Madoff (EUA) BACEN - controles internos, gestão de riscos e compliance nas IFs Lei Anticorrupção Inglaterra - UK Bribery act Transparência Internacional: estrutura de programa de integridade Colapso grupo EBX, circulares Susep (risco e compliance),novas sansões da CVM Lei 12.468 AntiCorrupção Brasil deflagrada a Operação Lava-Jato CGU - iniciativa Empresa Pró Ética (reestruturação) CGU - Programas de Integridade: empresas privadas,públicas, estatais e PMEs dez-1972 dez-1977 dez-2001 jul-2002 jan-2008 abr-2008 jun-2008 jul-2011 out-2013 nov-2013 dez-2013 jan-2014 jul-2014 jul-2015
  • 16.
  • 17.
  • 18. • “Follow the money...” The Deaph-Throath, informante do Whashingtpn Post (Watergate), 1972 • "Como eu poderia ter feito isso? Eu estava fazendo um monte de dinheiro. Eu não preciso do dinheiro... Sou um caráter falho? " Bernard Madoff, banqueiro americano, responsável pelo maior esquema de fraude da história. • “A corrupção rouba a comida, remédio e a escola do brasileiro” Deltan Dallagnol, 36 anos, mestrado por Harvard, procurador do MPF, Curitiba. • “Nunca pensei que pudesse acontecer nada comigo.” Delcídio do Amaral, senador licenciado, 2016 em sua delação premiada. Corrupção vs Impunidade: duas variáveis centrais para a decisão são, o montante da punição e a probabilidade de punição. A probabilidade da punição está diretamente vinculada ao tema da impunidade e,assim, é um fator decisivo para o volume da corrupção no país. www.lavajato.mpf.mp.br/perguntas-e-respostas.html
  • 19. Boa sorte & sucesso!