SlideShare uma empresa Scribd logo
IntroduçãoaGeologia–GED101
Docente:Prof.Wanderlei
unidade1
INTRODUÇÃOÀASTRONOMIA
É muito fácil acreditar no fato de que desde sempre, nós, seres humanos, admiramos o céu. Vamos deixar de lado as divagações
sobre fatos remotos sem comprovação científica e vamos aos estudos;
Vamos com um breve contexto histórico;
• Na Grécia Antiga, o período entre 600 a.C. e 400 a.C. foi de grande desenvolvimento da astronomia, contando com as
contribuições de Tales de Mileto (624-546 a.C.), que era matemático, astrônomo e levou muitos conhecimentos babilônicos
do Egito para a Grécia;
• Pitágoras (572-497 a.C.), apesar das polêmicas atuais que debatem sobre ele ser uma pessoa ou um grupo de estudos daquela
época, o que todos concordam é sobre o fato de que ele (ou eles) já acreditava na esfericidade da Terra;
Veja que a astronomia já é estudada a bastante tempo
• Já lá pelos anos 310 a.C, Aristarco propôs pela primeira vez que a Terra se move em torno do Sol. Isso foi quase há 2000 anos
antes de Copérnico propor o geocentrismo. Aristarco também desenvolveu um método para calcular a distância e o tamanho
relativo do Sol, da Lua e da Terra;
• que foi bibliotecário e diretor da Biblioteca de Alexandria, conseguiu desenvolver um método para medir a circunferência da
Terra a partir do estudo das sombras em duas cidades diferentes, Alexandria e Siena, na mesma data e hora.
ClaudioPtolomeu...
Mais adiante Ptolomeu, lá por 80 -165 anos d. C. O
último nome importante da astronomia na Grécia
Antiga, fez uma excelente representação geométrica
do sistema solar. O modelo geocêntrico de Ptolomeu
apresentou um complexo movimento dos planetas.
Na visão antropocêntrica dominante naquela época,
os seres humanos e o planeta Terra eram o centro de
tudo o que havia, o universo girava em torno dos
homens.
Assim, na concepção antropocêntrica, o homem era o
centro da “criação”. O modelo geocêntrico de
Ptolomeu colocou a Terra no centro do sistema,
explicando de forma bastante complexa o movimento
dos planetas no céu.
https://www.estudopratico.com.br/ronomia-e-astrologia/
GEOCÊNTRICO DE PTOLOMEU
Com o declínio da civilização greco-romana e avanço
das populações mulçumanas para a Europa, as
investigações mais importantes em astronomia
passaram a ser realizadas em Bagdá.
A obra de Ptolomeu foi revisada, traduzida e adaptada
para o árabe por Al-Sufi, por volta do ano 1000 d.C., era
um popular livro árabe de astronomia intitulado
“Almagesto”, que significa “O Maior” (RIDPATH, 2008).
A Astrologia é considerada uma pseudociência ou
crença pseudocientífica, uma vez que segue um sistema
de crenças não comprovada. Estuda a influência do
movimento dos corpos celestes nos comportamentos e
interações dos seres humanos.
https://www.estudopratico.com.br/ronomia-e-astrologia/
Séculosmaistarde
Entre os séculos XII e XVI a astronomia na Europa
passou por uma grande perseguição devido à
intolerância religiosa. Mesmo assim, Copérnico
(1473- 1543), de forma anônima por medo da
intolerância religiosa, lançou escritos que resgatavam
a teoria heliocêntrica (Sol no centro) de Aristarco,
estimulando novas investigações.
Conhecendo o modelo heliocêntrico de Copérnico,
que explica de forma razoável o movimento dos
planetas, mas apresenta discrepâncias e não
consegue explicar os movimentos planetários com
precisão, e ainda utilizando os trabalhos das
observações de seu mestre, Kepler desenvolveu as
três leis do movimento planetário. Vejamos a seguir
https://www.estudopratico.com.br/ronomia-e-astrologia/
AstrêsleisdeKepler
As três leis do movimento planetário de Kepler
descrevem as características do movimento dos
planetas ao redor do Sol. Também conhecida como
leis das órbitas. O movimento de um planeta em
volta do Sol é chamado de translação. Uma volta em
torno do Sol equivale a um ano.
• A primeira lei de Kepler demonstrou que a órbita
dos planetas ao redor do Sol é elíptica;
• A segunda lei de Kepler diz que quanto mais
próximo um planeta estiver do Sol, maior será sua
velocidade, e quanto mais distante do Sol, menor
será sua velocidade, ou seja, a velocidade de um
planeta em sua translação ao redor do Sol não é
constante;
• A terceira lei de Kepler aponta uma relação
constante, que considera a distância média do
planeta até o Sol com o tempo da translação
desse planeta.
https://blogdoenem.com.br/leis-de-gravitacao-de-kepler-fisica
Galileu Galilei
Com muita discussão o modelo do sistema solar é
ajustado. Com isso, o movimento dos planetas são
vistos com um pouco mais de clareza.
Observe que nesse período poucos planetas eram
reconhecidos, a final eram vistos a olho nu, os
planetas reconhecidos eram:
• Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno.
Foi só mais tarde com a utilização de telescópios que
foi possível avançar nesse conhecimento.
No ano de 1610 Galileu observou outros planetas,
com o telescópio foi possível novas experiências e
avanços nos estudos sobre os astros. Porém as
teorias de galileu não eram aceitas por aqueles que
defendia o heliocentrismo.
https://blogdoenem.com.br/leis-de-gravitacao-de-kepler-fisica
Astronomia
Observou com essa pequena contextualização histórica o quão vasta e inexplorada é a astronomia, com esse
resumo de parte da unidade 1, esperamos que sintam-se motivados a pesquisar mais.
Desejamos e temos certeza de que você vai buscar outros entendimento sobre este e outros temas que
abordaremos ao longo desta disciplina.
Sucesso em sua jornada e bons estudos.
Atenciosamente; Prof. Wanderlei
Canais de contato:
Plataforma virtual (omniChet) Ambiente Virtual de Aprendizagem e-mail AVA (MENSAGEM) Professor de Plantão

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a introdução_a_geologia_unidade_1.pptx

A origem do universo
A origem do universoA origem do universo
A origem do universo
Gonçalo Tavares
 
A terra e o universo
A terra e o universoA terra e o universo
A terra e o universo
Kethlin Ruas
 
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
Antonio Claudio Lage Buffara
 
Física gravitação
Física   gravitaçãoFísica   gravitação
Física gravitação
Washington Soares Alves
 
História da astronomia
História da astronomiaHistória da astronomia
História da astronomia
Alison Martins
 
Modelos do Universo
Modelos do UniversoModelos do Universo
Modelos do Universo
fbsantos
 
Cienciatecnologiasociedadeeambiente
CienciatecnologiasociedadeeambienteCienciatecnologiasociedadeeambiente
Cienciatecnologiasociedadeeambiente
Articula_a_ciencia
 
Origem e evolução do Universo
Origem e evolução do UniversoOrigem e evolução do Universo
Origem e evolução do Universo
Virgilio Nt
 
Teorias para a organização do Universo
Teorias para a organização do UniversoTeorias para a organização do Universo
Teorias para a organização do Universo
Catir
 
Madison.pptx
Madison.pptxMadison.pptx
Madison.pptx
MateusMota30
 
O universo [só de leitura]
O universo [só de leitura]O universo [só de leitura]
O universo [só de leitura]
sandradomingues29
 
Astronomia 1 - A astronomia na Antigüidade
Astronomia 1 - A astronomia na AntigüidadeAstronomia 1 - A astronomia na Antigüidade
Astronomia 1 - A astronomia na Antigüidade
Nuricel Aguilera
 
evolução histórica da Astronomia
evolução histórica da Astronomiaevolução histórica da Astronomia
evolução histórica da Astronomia
geologia 12
 
Astronomia.pptx
Astronomia.pptxAstronomia.pptx
Astronomia.pptx
stenio medeiros
 
O modelo de cosmo
O modelo de cosmoO modelo de cosmo
O modelo de cosmo
dudulopescrd
 
FT2 - Exploração Espacial
FT2 - Exploração EspacialFT2 - Exploração Espacial
FT2 - Exploração Espacial
Gabriela Bruno
 
Cláudio Ptolomeu
 Cláudio Ptolomeu Cláudio Ptolomeu
Cláudio Ptolomeu
ssuser1bf4d3
 
Claudio Ptolomeu
Claudio PtolomeuClaudio Ptolomeu
Claudio Ptolomeu
Milena Castro
 
Módulo IIB - Cosmologia Grega
Módulo IIB - Cosmologia GregaMódulo IIB - Cosmologia Grega
Módulo IIB - Cosmologia Grega
Bernardo Motta
 
Gravitação universal
Gravitação universalGravitação universal
Gravitação universal
jorgevieiraa
 

Semelhante a introdução_a_geologia_unidade_1.pptx (20)

A origem do universo
A origem do universoA origem do universo
A origem do universo
 
A terra e o universo
A terra e o universoA terra e o universo
A terra e o universo
 
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
 
Física gravitação
Física   gravitaçãoFísica   gravitação
Física gravitação
 
História da astronomia
História da astronomiaHistória da astronomia
História da astronomia
 
Modelos do Universo
Modelos do UniversoModelos do Universo
Modelos do Universo
 
Cienciatecnologiasociedadeeambiente
CienciatecnologiasociedadeeambienteCienciatecnologiasociedadeeambiente
Cienciatecnologiasociedadeeambiente
 
Origem e evolução do Universo
Origem e evolução do UniversoOrigem e evolução do Universo
Origem e evolução do Universo
 
Teorias para a organização do Universo
Teorias para a organização do UniversoTeorias para a organização do Universo
Teorias para a organização do Universo
 
Madison.pptx
Madison.pptxMadison.pptx
Madison.pptx
 
O universo [só de leitura]
O universo [só de leitura]O universo [só de leitura]
O universo [só de leitura]
 
Astronomia 1 - A astronomia na Antigüidade
Astronomia 1 - A astronomia na AntigüidadeAstronomia 1 - A astronomia na Antigüidade
Astronomia 1 - A astronomia na Antigüidade
 
evolução histórica da Astronomia
evolução histórica da Astronomiaevolução histórica da Astronomia
evolução histórica da Astronomia
 
Astronomia.pptx
Astronomia.pptxAstronomia.pptx
Astronomia.pptx
 
O modelo de cosmo
O modelo de cosmoO modelo de cosmo
O modelo de cosmo
 
FT2 - Exploração Espacial
FT2 - Exploração EspacialFT2 - Exploração Espacial
FT2 - Exploração Espacial
 
Cláudio Ptolomeu
 Cláudio Ptolomeu Cláudio Ptolomeu
Cláudio Ptolomeu
 
Claudio Ptolomeu
Claudio PtolomeuClaudio Ptolomeu
Claudio Ptolomeu
 
Módulo IIB - Cosmologia Grega
Módulo IIB - Cosmologia GregaMódulo IIB - Cosmologia Grega
Módulo IIB - Cosmologia Grega
 
Gravitação universal
Gravitação universalGravitação universal
Gravitação universal
 

Último

Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 

introdução_a_geologia_unidade_1.pptx

  • 2. É muito fácil acreditar no fato de que desde sempre, nós, seres humanos, admiramos o céu. Vamos deixar de lado as divagações sobre fatos remotos sem comprovação científica e vamos aos estudos; Vamos com um breve contexto histórico; • Na Grécia Antiga, o período entre 600 a.C. e 400 a.C. foi de grande desenvolvimento da astronomia, contando com as contribuições de Tales de Mileto (624-546 a.C.), que era matemático, astrônomo e levou muitos conhecimentos babilônicos do Egito para a Grécia; • Pitágoras (572-497 a.C.), apesar das polêmicas atuais que debatem sobre ele ser uma pessoa ou um grupo de estudos daquela época, o que todos concordam é sobre o fato de que ele (ou eles) já acreditava na esfericidade da Terra; Veja que a astronomia já é estudada a bastante tempo • Já lá pelos anos 310 a.C, Aristarco propôs pela primeira vez que a Terra se move em torno do Sol. Isso foi quase há 2000 anos antes de Copérnico propor o geocentrismo. Aristarco também desenvolveu um método para calcular a distância e o tamanho relativo do Sol, da Lua e da Terra; • que foi bibliotecário e diretor da Biblioteca de Alexandria, conseguiu desenvolver um método para medir a circunferência da Terra a partir do estudo das sombras em duas cidades diferentes, Alexandria e Siena, na mesma data e hora.
  • 3. ClaudioPtolomeu... Mais adiante Ptolomeu, lá por 80 -165 anos d. C. O último nome importante da astronomia na Grécia Antiga, fez uma excelente representação geométrica do sistema solar. O modelo geocêntrico de Ptolomeu apresentou um complexo movimento dos planetas. Na visão antropocêntrica dominante naquela época, os seres humanos e o planeta Terra eram o centro de tudo o que havia, o universo girava em torno dos homens. Assim, na concepção antropocêntrica, o homem era o centro da “criação”. O modelo geocêntrico de Ptolomeu colocou a Terra no centro do sistema, explicando de forma bastante complexa o movimento dos planetas no céu. https://www.estudopratico.com.br/ronomia-e-astrologia/
  • 4. GEOCÊNTRICO DE PTOLOMEU Com o declínio da civilização greco-romana e avanço das populações mulçumanas para a Europa, as investigações mais importantes em astronomia passaram a ser realizadas em Bagdá. A obra de Ptolomeu foi revisada, traduzida e adaptada para o árabe por Al-Sufi, por volta do ano 1000 d.C., era um popular livro árabe de astronomia intitulado “Almagesto”, que significa “O Maior” (RIDPATH, 2008). A Astrologia é considerada uma pseudociência ou crença pseudocientífica, uma vez que segue um sistema de crenças não comprovada. Estuda a influência do movimento dos corpos celestes nos comportamentos e interações dos seres humanos. https://www.estudopratico.com.br/ronomia-e-astrologia/
  • 5. Séculosmaistarde Entre os séculos XII e XVI a astronomia na Europa passou por uma grande perseguição devido à intolerância religiosa. Mesmo assim, Copérnico (1473- 1543), de forma anônima por medo da intolerância religiosa, lançou escritos que resgatavam a teoria heliocêntrica (Sol no centro) de Aristarco, estimulando novas investigações. Conhecendo o modelo heliocêntrico de Copérnico, que explica de forma razoável o movimento dos planetas, mas apresenta discrepâncias e não consegue explicar os movimentos planetários com precisão, e ainda utilizando os trabalhos das observações de seu mestre, Kepler desenvolveu as três leis do movimento planetário. Vejamos a seguir https://www.estudopratico.com.br/ronomia-e-astrologia/
  • 6. AstrêsleisdeKepler As três leis do movimento planetário de Kepler descrevem as características do movimento dos planetas ao redor do Sol. Também conhecida como leis das órbitas. O movimento de um planeta em volta do Sol é chamado de translação. Uma volta em torno do Sol equivale a um ano. • A primeira lei de Kepler demonstrou que a órbita dos planetas ao redor do Sol é elíptica; • A segunda lei de Kepler diz que quanto mais próximo um planeta estiver do Sol, maior será sua velocidade, e quanto mais distante do Sol, menor será sua velocidade, ou seja, a velocidade de um planeta em sua translação ao redor do Sol não é constante; • A terceira lei de Kepler aponta uma relação constante, que considera a distância média do planeta até o Sol com o tempo da translação desse planeta. https://blogdoenem.com.br/leis-de-gravitacao-de-kepler-fisica
  • 7. Galileu Galilei Com muita discussão o modelo do sistema solar é ajustado. Com isso, o movimento dos planetas são vistos com um pouco mais de clareza. Observe que nesse período poucos planetas eram reconhecidos, a final eram vistos a olho nu, os planetas reconhecidos eram: • Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno. Foi só mais tarde com a utilização de telescópios que foi possível avançar nesse conhecimento. No ano de 1610 Galileu observou outros planetas, com o telescópio foi possível novas experiências e avanços nos estudos sobre os astros. Porém as teorias de galileu não eram aceitas por aqueles que defendia o heliocentrismo. https://blogdoenem.com.br/leis-de-gravitacao-de-kepler-fisica
  • 8. Astronomia Observou com essa pequena contextualização histórica o quão vasta e inexplorada é a astronomia, com esse resumo de parte da unidade 1, esperamos que sintam-se motivados a pesquisar mais. Desejamos e temos certeza de que você vai buscar outros entendimento sobre este e outros temas que abordaremos ao longo desta disciplina. Sucesso em sua jornada e bons estudos. Atenciosamente; Prof. Wanderlei
  • 9. Canais de contato: Plataforma virtual (omniChet) Ambiente Virtual de Aprendizagem e-mail AVA (MENSAGEM) Professor de Plantão

Notas do Editor

  1. https://www.resumoescolar.com.br/geografia/relevo/