SlideShare uma empresa Scribd logo
Introdução à mídia digital e multimídia para jornalistas
Do analógico ao digital                             
Comunicação Conversa Telegrama Transmissão de rádio Conversa telefônica Programa  de televisão Apresentação multimídia Jornal Online
O que muda ? O meio de transmissão ou mídia Telégrafo Telefone Rádio Televisão Computador
Analógico = átomos =  mundo físico  (ondas sonoras, ondas eletromagnéticas) Os sons e as cores do mundo chegam até nós como  energia,  na forma de  ondas eletromagnéticas, de áudio e luz
 
 
 
Digital = bits =  mundo virtual (números binários) Já os  computadores , trabalham com base na  entrada ou bloqueio  de energia.
No computador, quando o interruptor está desligado, ele lê o Zero.  Quando ligado, lê o Um
Bits Cada 0 ou 1 é chamado bit Bit =  BI nary digi T É chamado binário porque deriva do sistema binário (estamos acostumados a lidar com o sistema decimal porque temos dez dedos nas mãos)
Sistema Binário Sistema Decimal 1 2 3 4 5 6 7 8 ... Sistema Binário 0001 0010 0011 0100 0101 0111 1000 1000...
Igualzinho ao antigo telegrama: Escrevendo  comunicação: Código Morse “ -.-.- - - - -..- -...-.-..- -.-...- - - -..... Em Código Binário 1010111110011000101001101000111100000
Analógico = átomos =  mundo físico  (ondas sonoras, ondas eletromagnéticas) Digital = bits =  mundo virtual (números binários)
Vantagens e desvantagens Analógico Equipamentos específicos para cada mídia Difícil de manipular Difícil transmissão Grande volume de informação Sujeito a intempéries Digital Mídias falam a mesma linguagem Fácil de manipular Fácil de transmitir sem alteração na qualidade Ocupa pouco espaço Não sofre distorções
Processo de digitalização ?
 
Digitalização de texto/Impresso
Imagem/foto
Áudio/rádio
Vídeo/TV
Digitalização do Áudio
Ondas de áudio analógico
Ondas de áudio digital
Representação áudio digital
Digitalização
Correção de erros
Correção de erros
Aumento volume dados para correção de erros
 
Convergência e Jornalismo
Comunicação de Massa – modelo analógico Fragmentado/linear pouco interativo linguagens distintas conteúdo massificado  - Ibope/hits um  todos
Comunicação – modelo digital hipertextual interativo multimídia conteúdo personalizado - nichos/cauda longa todos  todos
 
Individualista Preconceito contra o marketing “ Duas culturas” Espírito negativo Preconceito entre as mídias Preconceito contra chefia Averso às tecnologias Questionador, informado, crítico Trabalho em equipe Integração com demais departamentos (visão de negócio) Produção para as várias mídias Fim das hierarquias (assumir responsabilidades) Aberto a inovações Superficial, desinformado, generalista Novas exigências profissionais:
Mudança nas redações
Rádio analógico
Estúdio Digital
Tv analógica
Edição linear
Edição não-linear/digital
Impresso analógico
Impresso digital
Redações convergentes
 
 
 
 
 
 
O FUTURO
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Agentes online poderão atuar também como repórteres virtuais que perambulam pela rede, em busca das notícias de interesse,  colocando-as no formato mais apropriado para divulgação. Muitos sites de notícias já alimentam sites da web dessa maneira.
 
Agente de Interface Logo você poderá estar conversando com o  seu avatar que também irá circular na internet em seu benefício.  Com o reconhecimento da fala e a tecnologia gráfica ficando cada vez melhores, o uso destes agentes pode ser uma boa maneira de livrá-lo do paradigma do teclado .
 
A evolução dos computadores
 
O computador Processador: é o cérebro do computador. Controla todas as outras partes do micro Trabalha utilizando linguagem binária Pentium, k6, celerom Quanto mais sofisticado, mais funções realiza e com maior velocidade
HD Hard Disk, Disco Rígido ou Winchester: responsável pelo armazenamento de informações permanente no PC
HD 5 MB - 1985 HD  4 GB 2004
O cabeçote transforma energia elétrica em impulsos magnéticos – gravação Transforma magnéticos  Em elétricos - leitura  A distância entre o cabeçote e o disco é menor que de um fio de cabelo. Por isso deve-se ter cuidado ao transportar um computador ou “bater” nele porque o disco rígido pode ser danificado permanentemente
Primeiros computadores Os primeiros computa- dores foram comercializa- dos após a Segunda  Guerra Mundial;
Redes A princípio computadores trabalhavam sozinhos (PCs) Logo passaram a ser conectados formando redes Com o protocolo TCP/IP,  as redes passaram a conversar entre si
Internet E surgiu a internet, a grande rede de redes que liga computadores do mundo inteiro
A internet: o que é e como funciona
                                                
Navegador: Você pede uma página a um servidor Web digitando o endereço dela num programa chamado navegador (browser – Netscape e Internet explorer, pe)) Seu computador: de seu PC, vc acessa a Web por meio de um modem (que transforma sinais binários em som) e de um provedor de serviços da Internet (ISP) Linha Telefônica ou Cabo: a Internet usa a rede telefônica e os cabos de TV para transportar informação entre computadores espalhados pelo planeta. Provedor de serviços:  seu ISP traduz os endereços da Web e envia seu pedido ao servidor certo na internet Servidor da Web: Servidor da Web é um grande computador que armazena páginas da Web e deixa-as disponíveis na Internet. Ele recebe seu pedido e envia os dados da página solicita a seu PC
 
 
 
 
Site, home, homepage
Algumas definições Site:  conjunto de páginas publicadas na web Home Page:  página de abertura do site Portal:  conjunto de sites e hot sites Hot site:  site temporário, em formato especial, geralmente a cobertura de um evento ou lançamento de um filme
A linguagem HTML
<img height=&quot;323&quot; src=&quot;reportercharge.gif&quot; width=&quot;194&quot; border=&quot;0&quot;>
As conexões
 
Largura de Banda Banda estreita:  conexão realizada através da linha telefônica analógica (cerca de 80% dos usuários residenciais) Banda Larga:  que permite o tráfego de dados em alta velocidade utilizando diversos meios de comunicação.  Usuários no Brasil: 2.890.000
 
 
Tipos de conexão: ADSL ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line), tecnologia que utiliza centrais telefônicas digitais para tráfego de dados.  Telefonica, Telemar e Brasil Telecom,  velocidade de até 256 kbps a 512 kbps ou 2 Mbps, conforme a operadora. Ex: Velox e  Speedy
 
Tipos de conexão: cabo ou cable modem velocidades de 256 kbps (versão 2.0), 512 kbps (versão 4.0) e 2 Mbps (versão 6.0).  Utilizam estrutura da TV a cabo. Ex: Vírtua
Tipos de conexão: satélite usa uma antena parabólica, um transmissor e um receptor principal vantagem é a penetração
Tipos de conexão:  radiofreqüência antena para transmissão é fixada em cima de um prédio e o local é cabeado, de forma que a estrutura seja distribuída para todo o edifício.
Conexão wireless: wi fi Conexão sem fio
Quando mudar ? Corporativo: mais de 50 horas por Residencial: média 30 horas por mês
Por que a internet é lenta ? Fatores que determinam a velocidade da conexão: Modem lento – 56 kbps  (56 200 bits por segundo). Custa no Brasil em torno de R$ 100,00.   Linha ruim – cobre x fibra ótica Mau provedor: 1 linha/15 usuários – Ótimo 1 linha/30 usuários – Razoável velocidade da conexão do provedor com a Interne t
horário de maior uso da rede é das 20h às 0h ; O melhor horário para acessar  sites brasileiros é  de madrugada ; Atenção ao fuso horário.
 
One thing about the CD's sampling rate and precision is that it produces a lot of data. On a CD, the digital numbers produced by the ADC are stored as  bytes , and it takes 2 bytes to represent 65,536 gradations. There are two sound streams being recorded (one for each of the speakers on a stereo system). A CD can store up to 74 minutes of music, so the total amount of digital data that must be stored on a CD is:  44,100 samples/(channel*second) * 2 bytes/sample * 2 channels * 74 minutes * 60 seconds/minute = 783,216,000 bytes   That is a lot of bytes! To store that many bytes on a cheap piece of plastic that is tough enough to survive the abuse most people put a CD through is no small task, especially when you consider that the first CDs came out in 1980.
Digital signals propagate more efficiently than analog signals, largely because digital impulses, which are well-defined and orderly, are easier for electronic circuits to distinguish from noise, which is chaotic. This is the chief advantage of digital modes in communications. Computers &quot;talk&quot; and &quot;think&quot; in terms of binary digital data; while a  microprocessor  can analyze analog data, it must be converted into digital form for the computer to make sense of it.
 
 
 
 
 
Mídias para armazenagem
Mídias Disquetes CDs DVDs Pen Drives
CD Rom Plástico Saliências microscópicas Fina cama da alumínio Camada de acrílico para proteção Impressão feita no acrílico
CD Rom Fino aspiral de dados Do centro para as extremidades Faixas de dados tem cerca de 0,5 microns, com 1,6 microns separando as faixas 1 micron  = 1 milionésio de metro (algo como um milionésimo da espessura de um fio de cabelo)
CD-Rom Saliências muito estreitas Se esticar a trilha de um CD, ela terá 0,5 microns de largura, e 5 km de comprimento !
CD player
Tipos de CD CD de áudio CD-Rom de dados CD-R: gravável CD-RW: regravável
DVDs Similar ao CD, mas com maior capacidade de armazenagem de dados; Cerca de 7 vezes mais que o CD; 133 min vídeo/8 horas de música Curiosidade: O primeiro DVD chegou ao mercado em Março de 1997
48 km ! 12 km
O que diferencia o computador dos outros meios de comunicação ? A capacidade de unir todas as outras mídias = convergência Animação Texto
 
 
 
 
                                                                                                                                                                         
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Audio Digital
Audio DigitalAudio Digital
Audio Digital
Elaine Cecília Gatto
 
Capítulo 5 e 4 transmissão analógica e digital (2º unidade)
Capítulo 5 e 4   transmissão analógica e digital (2º unidade)Capítulo 5 e 4   transmissão analógica e digital (2º unidade)
Capítulo 5 e 4 transmissão analógica e digital (2º unidade)
Faculdade Mater Christi
 
Hvsdhgvjgvsgdvfjksfh !
Hvsdhgvjgvsgdvfjksfh !Hvsdhgvjgvsgdvfjksfh !
Hvsdhgvjgvsgdvfjksfh !
DASDFSDFS
 
equipe xxt
equipe xxt equipe xxt
equipe xxt
lukaassilva7
 
Redes I - 2.2 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
Redes I - 2.2 - Camada Física e Tecnologias de TransmissãoRedes I - 2.2 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
Redes I - 2.2 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
Mauro Tapajós
 
Redes I - 2.1 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
Redes I - 2.1 - Camada Física e Tecnologias de TransmissãoRedes I - 2.1 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
Redes I - 2.1 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
Mauro Tapajós
 
Detalhes do computador
Detalhes do computadorDetalhes do computador
Detalhes do computador
JulianaCorreatl
 
O que é bit e byte
O que é bit e byteO que é bit e byte
O que é bit e byte
nikepassos
 
bit byte
bit bytebit byte
bit byte
lucaskitos599
 
Relatório banda larga
Relatório banda largaRelatório banda larga
Relatório banda larga
Verônica Veiga
 
Multimidia continuar...
Multimidia continuar...Multimidia continuar...
Multimidia continuar...
Marcosnex
 
P1.3.1 introdução à internet
P1.3.1   introdução à internetP1.3.1   introdução à internet
P1.3.1 introdução à internet
Almerinda Nunes
 
Linguagem de computador
Linguagem de computadorLinguagem de computador
Linguagem de computador
llalasilv20
 
Largura de banda
Largura de bandaLargura de banda
Largura de banda
Fraan Bittencourt
 
Capítulo 6 e 8 comutação e multiplexação (3º unidade)
Capítulo 6 e 8   comutação e multiplexação (3º unidade)Capítulo 6 e 8   comutação e multiplexação (3º unidade)
Capítulo 6 e 8 comutação e multiplexação (3º unidade)
Faculdade Mater Christi
 
STC NG5 DR4 Natércia
STC NG5 DR4 NatérciaSTC NG5 DR4 Natércia
STC NG5 DR4 Natércia
Alberto Casaca
 
Codecs - Comparacao - G.723 e G.729
Codecs - Comparacao - G.723 e G.729Codecs - Comparacao - G.723 e G.729
Codecs - Comparacao - G.723 e G.729
Leonardo Pimenta
 
Dispositivos sem fio
Dispositivos sem fioDispositivos sem fio
Dispositivos sem fio
Tiago
 
Trabalhoart
TrabalhoartTrabalhoart
Trabalhoart
Henrique Lopes
 
Apresentação TPSI - ISEC (Edição de Som)
Apresentação TPSI - ISEC (Edição de Som)Apresentação TPSI - ISEC (Edição de Som)
Apresentação TPSI - ISEC (Edição de Som)
João Leal
 

Mais procurados (20)

Audio Digital
Audio DigitalAudio Digital
Audio Digital
 
Capítulo 5 e 4 transmissão analógica e digital (2º unidade)
Capítulo 5 e 4   transmissão analógica e digital (2º unidade)Capítulo 5 e 4   transmissão analógica e digital (2º unidade)
Capítulo 5 e 4 transmissão analógica e digital (2º unidade)
 
Hvsdhgvjgvsgdvfjksfh !
Hvsdhgvjgvsgdvfjksfh !Hvsdhgvjgvsgdvfjksfh !
Hvsdhgvjgvsgdvfjksfh !
 
equipe xxt
equipe xxt equipe xxt
equipe xxt
 
Redes I - 2.2 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
Redes I - 2.2 - Camada Física e Tecnologias de TransmissãoRedes I - 2.2 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
Redes I - 2.2 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
 
Redes I - 2.1 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
Redes I - 2.1 - Camada Física e Tecnologias de TransmissãoRedes I - 2.1 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
Redes I - 2.1 - Camada Física e Tecnologias de Transmissão
 
Detalhes do computador
Detalhes do computadorDetalhes do computador
Detalhes do computador
 
O que é bit e byte
O que é bit e byteO que é bit e byte
O que é bit e byte
 
bit byte
bit bytebit byte
bit byte
 
Relatório banda larga
Relatório banda largaRelatório banda larga
Relatório banda larga
 
Multimidia continuar...
Multimidia continuar...Multimidia continuar...
Multimidia continuar...
 
P1.3.1 introdução à internet
P1.3.1   introdução à internetP1.3.1   introdução à internet
P1.3.1 introdução à internet
 
Linguagem de computador
Linguagem de computadorLinguagem de computador
Linguagem de computador
 
Largura de banda
Largura de bandaLargura de banda
Largura de banda
 
Capítulo 6 e 8 comutação e multiplexação (3º unidade)
Capítulo 6 e 8   comutação e multiplexação (3º unidade)Capítulo 6 e 8   comutação e multiplexação (3º unidade)
Capítulo 6 e 8 comutação e multiplexação (3º unidade)
 
STC NG5 DR4 Natércia
STC NG5 DR4 NatérciaSTC NG5 DR4 Natércia
STC NG5 DR4 Natércia
 
Codecs - Comparacao - G.723 e G.729
Codecs - Comparacao - G.723 e G.729Codecs - Comparacao - G.723 e G.729
Codecs - Comparacao - G.723 e G.729
 
Dispositivos sem fio
Dispositivos sem fioDispositivos sem fio
Dispositivos sem fio
 
Trabalhoart
TrabalhoartTrabalhoart
Trabalhoart
 
Apresentação TPSI - ISEC (Edição de Som)
Apresentação TPSI - ISEC (Edição de Som)Apresentação TPSI - ISEC (Edição de Som)
Apresentação TPSI - ISEC (Edição de Som)
 

Destaque

Midias Sociais e Jornalismo
Midias Sociais e JornalismoMidias Sociais e Jornalismo
Midias Sociais e Jornalismo
Fábio Bito Teles
 
Viceroy Riviera Maya English
Viceroy Riviera Maya EnglishViceroy Riviera Maya English
Viceroy Riviera Maya English
TaniaArcos
 
Inclusão Social - Formação Continuada Navegantes
Inclusão Social - Formação Continuada NavegantesInclusão Social - Formação Continuada Navegantes
Inclusão Social - Formação Continuada Navegantes
Marco Pinheiro
 
Dgcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
Dgcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentosDgcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
Dgcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
Marcus Vinicius Santos Kucharski
 
Relacionamento Apresentacao
Relacionamento ApresentacaoRelacionamento Apresentacao
Relacionamento Apresentacao
Fábio Bito Teles
 
Ppcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
Ppcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentosPpcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
Ppcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
Marcus Vinicius Santos Kucharski
 
Oficina de Mídias Sociais para o Mercado Cultural
Oficina de Mídias Sociais para o Mercado CulturalOficina de Mídias Sociais para o Mercado Cultural
Oficina de Mídias Sociais para o Mercado Cultural
articuladf
 
A era da informação
A era da informaçãoA era da informação
Aula1 2012-2
Aula1   2012-2Aula1   2012-2
Aula1 2012-2
Marco Pinheiro
 
A cultura-da-convergencia-e-o-novo-papel-da-audiencia
A cultura-da-convergencia-e-o-novo-papel-da-audienciaA cultura-da-convergencia-e-o-novo-papel-da-audiencia
A cultura-da-convergencia-e-o-novo-papel-da-audiencia
Cíntia Lopes
 
Apostila disciplina: Sociedade da Informação e Cultura Digital
Apostila disciplina: Sociedade da Informação e Cultura DigitalApostila disciplina: Sociedade da Informação e Cultura Digital
Apostila disciplina: Sociedade da Informação e Cultura Digital
Fausto Coimbra
 
O que é virtual? (Pierre Lévy) (Capitúlos 7 e 8)
O que é virtual? (Pierre Lévy)  (Capitúlos 7 e 8)O que é virtual? (Pierre Lévy)  (Capitúlos 7 e 8)
O que é virtual? (Pierre Lévy) (Capitúlos 7 e 8)
Edenilton Santos
 
Cultura da Convergência
Cultura da ConvergênciaCultura da Convergência
Cultura da Convergência
Rodrigo Cunha
 
Pierre Lévy - O que é o virtual?
Pierre Lévy - O que é o virtual?Pierre Lévy - O que é o virtual?
Pierre Lévy - O que é o virtual?
Beto Rando
 
Apresentação inteligência coletiva
Apresentação inteligência coletivaApresentação inteligência coletiva
Apresentação inteligência coletiva
comunidadedepraticas
 

Destaque (15)

Midias Sociais e Jornalismo
Midias Sociais e JornalismoMidias Sociais e Jornalismo
Midias Sociais e Jornalismo
 
Viceroy Riviera Maya English
Viceroy Riviera Maya EnglishViceroy Riviera Maya English
Viceroy Riviera Maya English
 
Inclusão Social - Formação Continuada Navegantes
Inclusão Social - Formação Continuada NavegantesInclusão Social - Formação Continuada Navegantes
Inclusão Social - Formação Continuada Navegantes
 
Dgcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
Dgcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentosDgcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
Dgcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
 
Relacionamento Apresentacao
Relacionamento ApresentacaoRelacionamento Apresentacao
Relacionamento Apresentacao
 
Ppcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
Ppcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentosPpcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
Ppcyb2 t1 alunos_apresentacao_e_fundamentos
 
Oficina de Mídias Sociais para o Mercado Cultural
Oficina de Mídias Sociais para o Mercado CulturalOficina de Mídias Sociais para o Mercado Cultural
Oficina de Mídias Sociais para o Mercado Cultural
 
A era da informação
A era da informaçãoA era da informação
A era da informação
 
Aula1 2012-2
Aula1   2012-2Aula1   2012-2
Aula1 2012-2
 
A cultura-da-convergencia-e-o-novo-papel-da-audiencia
A cultura-da-convergencia-e-o-novo-papel-da-audienciaA cultura-da-convergencia-e-o-novo-papel-da-audiencia
A cultura-da-convergencia-e-o-novo-papel-da-audiencia
 
Apostila disciplina: Sociedade da Informação e Cultura Digital
Apostila disciplina: Sociedade da Informação e Cultura DigitalApostila disciplina: Sociedade da Informação e Cultura Digital
Apostila disciplina: Sociedade da Informação e Cultura Digital
 
O que é virtual? (Pierre Lévy) (Capitúlos 7 e 8)
O que é virtual? (Pierre Lévy)  (Capitúlos 7 e 8)O que é virtual? (Pierre Lévy)  (Capitúlos 7 e 8)
O que é virtual? (Pierre Lévy) (Capitúlos 7 e 8)
 
Cultura da Convergência
Cultura da ConvergênciaCultura da Convergência
Cultura da Convergência
 
Pierre Lévy - O que é o virtual?
Pierre Lévy - O que é o virtual?Pierre Lévy - O que é o virtual?
Pierre Lévy - O que é o virtual?
 
Apresentação inteligência coletiva
Apresentação inteligência coletivaApresentação inteligência coletiva
Apresentação inteligência coletiva
 

Semelhante a IntroduçãO à MíDia Digital Para Jornalistas2

Internet 1
Internet 1Internet 1
Internet 1
arturramisio
 
Internet
InternetInternet
Internet
guest46b930
 
RC - Módulo 1
RC - Módulo 1RC - Módulo 1
RC - Módulo 1
Marco Martins
 
STC NG5 DR4 Paulo
STC NG5 DR4 PauloSTC NG5 DR4 Paulo
STC NG5 DR4 Paulo
Alberto Casaca
 
Módulo 1 - Comunicação de Dados.pptx
Módulo 1 - Comunicação de Dados.pptxMódulo 1 - Comunicação de Dados.pptx
Módulo 1 - Comunicação de Dados.pptx
riodurval
 
Evolução da Informática - Resumo
Evolução da Informática - ResumoEvolução da Informática - Resumo
Evolução da Informática - Resumo
prapina
 
Transparências Redes e Internet
Transparências Redes e InternetTransparências Redes e Internet
Transparências Redes e Internet
Roblira
 
Transpa Redes, Internet
Transpa Redes, InternetTranspa Redes, Internet
Transpa Redes, Internet
guest65cc2bd
 
Fsi 05 - capitulo 6
Fsi  05 -  capitulo 6Fsi  05 -  capitulo 6
Fsi 05 - capitulo 6
Caroline Raquel Rodrigues
 
Solisc 2010 centrais de telefonia IP
Solisc 2010   centrais de telefonia IPSolisc 2010   centrais de telefonia IP
Solisc 2010 centrais de telefonia IP
marleigrolli
 
Solisc 2010 centrais de telefonia ip - jeremias neves da silva
Solisc 2010   centrais de telefonia ip - jeremias neves da silvaSolisc 2010   centrais de telefonia ip - jeremias neves da silva
Solisc 2010 centrais de telefonia ip - jeremias neves da silva
marleigrolli
 
Aulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
Aulas 6 e 7 - Redes e TelecomunicaçõesAulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
Aulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
Jocelma Rios
 
Capitulo 1 redes de computadores e Internet do Prof Jose Augusto
Capitulo 1 redes de computadores e Internet do Prof Jose AugustoCapitulo 1 redes de computadores e Internet do Prof Jose Augusto
Capitulo 1 redes de computadores e Internet do Prof Jose Augusto
scviegas1
 
folha N1.ppt
folha N1.pptfolha N1.ppt
folha N1.ppt
CarlaCampos137256
 
Aula 2 - Conceitos básicos de comunicação de dados.pdf
Aula 2 - Conceitos básicos de comunicação de dados.pdfAula 2 - Conceitos básicos de comunicação de dados.pdf
Aula 2 - Conceitos básicos de comunicação de dados.pdf
MaraLuizaGonalvesFre
 
Direitos de ator
Direitos de atorDireitos de ator
Direitos de ator
verasilvavasconcelos
 
Unidade 2 apontamentos
Unidade 2 apontamentosUnidade 2 apontamentos
Unidade 2 apontamentos
sandrinhalopes
 
Introdução a Informática
Introdução a InformáticaIntrodução a Informática
Introdução a Informática
Breno Damasceno
 
ConvergêNcia Digital (Interativa.Blogspot.Com)
ConvergêNcia Digital (Interativa.Blogspot.Com)ConvergêNcia Digital (Interativa.Blogspot.Com)
ConvergêNcia Digital (Interativa.Blogspot.Com)
Mmm
 
Redes comunicacao de_dados_pr
Redes comunicacao de_dados_prRedes comunicacao de_dados_pr
Redes comunicacao de_dados_pr
redesinforma
 

Semelhante a IntroduçãO à MíDia Digital Para Jornalistas2 (20)

Internet 1
Internet 1Internet 1
Internet 1
 
Internet
InternetInternet
Internet
 
RC - Módulo 1
RC - Módulo 1RC - Módulo 1
RC - Módulo 1
 
STC NG5 DR4 Paulo
STC NG5 DR4 PauloSTC NG5 DR4 Paulo
STC NG5 DR4 Paulo
 
Módulo 1 - Comunicação de Dados.pptx
Módulo 1 - Comunicação de Dados.pptxMódulo 1 - Comunicação de Dados.pptx
Módulo 1 - Comunicação de Dados.pptx
 
Evolução da Informática - Resumo
Evolução da Informática - ResumoEvolução da Informática - Resumo
Evolução da Informática - Resumo
 
Transparências Redes e Internet
Transparências Redes e InternetTransparências Redes e Internet
Transparências Redes e Internet
 
Transpa Redes, Internet
Transpa Redes, InternetTranspa Redes, Internet
Transpa Redes, Internet
 
Fsi 05 - capitulo 6
Fsi  05 -  capitulo 6Fsi  05 -  capitulo 6
Fsi 05 - capitulo 6
 
Solisc 2010 centrais de telefonia IP
Solisc 2010   centrais de telefonia IPSolisc 2010   centrais de telefonia IP
Solisc 2010 centrais de telefonia IP
 
Solisc 2010 centrais de telefonia ip - jeremias neves da silva
Solisc 2010   centrais de telefonia ip - jeremias neves da silvaSolisc 2010   centrais de telefonia ip - jeremias neves da silva
Solisc 2010 centrais de telefonia ip - jeremias neves da silva
 
Aulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
Aulas 6 e 7 - Redes e TelecomunicaçõesAulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
Aulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
 
Capitulo 1 redes de computadores e Internet do Prof Jose Augusto
Capitulo 1 redes de computadores e Internet do Prof Jose AugustoCapitulo 1 redes de computadores e Internet do Prof Jose Augusto
Capitulo 1 redes de computadores e Internet do Prof Jose Augusto
 
folha N1.ppt
folha N1.pptfolha N1.ppt
folha N1.ppt
 
Aula 2 - Conceitos básicos de comunicação de dados.pdf
Aula 2 - Conceitos básicos de comunicação de dados.pdfAula 2 - Conceitos básicos de comunicação de dados.pdf
Aula 2 - Conceitos básicos de comunicação de dados.pdf
 
Direitos de ator
Direitos de atorDireitos de ator
Direitos de ator
 
Unidade 2 apontamentos
Unidade 2 apontamentosUnidade 2 apontamentos
Unidade 2 apontamentos
 
Introdução a Informática
Introdução a InformáticaIntrodução a Informática
Introdução a Informática
 
ConvergêNcia Digital (Interativa.Blogspot.Com)
ConvergêNcia Digital (Interativa.Blogspot.Com)ConvergêNcia Digital (Interativa.Blogspot.Com)
ConvergêNcia Digital (Interativa.Blogspot.Com)
 
Redes comunicacao de_dados_pr
Redes comunicacao de_dados_prRedes comunicacao de_dados_pr
Redes comunicacao de_dados_pr
 

Mais de L T

Encontro de Assessores de Imprensa
Encontro de Assessores de ImprensaEncontro de Assessores de Imprensa
Encontro de Assessores de Imprensa
L T
 
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. PauloApresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
L T
 
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. PauloApresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
L T
 
Convergência de Mídias nos Diários Associados
Convergência de Mídias nos Diários AssociadosConvergência de Mídias nos Diários Associados
Convergência de Mídias nos Diários Associados
L T
 
Eyetrackpol
EyetrackpolEyetrackpol
Eyetrackpol
L T
 
Programa Do Curso 2010
Programa Do Curso 2010Programa Do Curso 2010
Programa Do Curso 2010
L T
 
Programa Do Curso 2009
Programa Do Curso 2009Programa Do Curso 2009
Programa Do Curso 2009
L T
 
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização SocialTerceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
L T
 
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica
Terceiro Setor e Comunicação EstratégicaTerceiro Setor e Comunicação Estratégica
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica
L T
 
Características do Jornalismo Online
Características do Jornalismo OnlineCaracterísticas do Jornalismo Online
Características do Jornalismo Online
L T
 
Pesquisa08 02
Pesquisa08 02Pesquisa08 02
Pesquisa08 02
L T
 
Programa de Jornalismo Online Programa
Programa de Jornalismo Online ProgramaPrograma de Jornalismo Online Programa
Programa de Jornalismo Online Programa
L T
 
Pesquisa Eyetrack 2007
Pesquisa Eyetrack 2007Pesquisa Eyetrack 2007
Pesquisa Eyetrack 2007
L T
 
OLIMPÍADAS NA CONVERGÊNCIA
OLIMPÍADAS NA CONVERGÊNCIAOLIMPÍADAS NA CONVERGÊNCIA
OLIMPÍADAS NA CONVERGÊNCIA
L T
 

Mais de L T (14)

Encontro de Assessores de Imprensa
Encontro de Assessores de ImprensaEncontro de Assessores de Imprensa
Encontro de Assessores de Imprensa
 
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. PauloApresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
 
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. PauloApresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
Apresentação da editora de Treinamento da Folha de S. Paulo
 
Convergência de Mídias nos Diários Associados
Convergência de Mídias nos Diários AssociadosConvergência de Mídias nos Diários Associados
Convergência de Mídias nos Diários Associados
 
Eyetrackpol
EyetrackpolEyetrackpol
Eyetrackpol
 
Programa Do Curso 2010
Programa Do Curso 2010Programa Do Curso 2010
Programa Do Curso 2010
 
Programa Do Curso 2009
Programa Do Curso 2009Programa Do Curso 2009
Programa Do Curso 2009
 
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização SocialTerceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
 
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica
Terceiro Setor e Comunicação EstratégicaTerceiro Setor e Comunicação Estratégica
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica
 
Características do Jornalismo Online
Características do Jornalismo OnlineCaracterísticas do Jornalismo Online
Características do Jornalismo Online
 
Pesquisa08 02
Pesquisa08 02Pesquisa08 02
Pesquisa08 02
 
Programa de Jornalismo Online Programa
Programa de Jornalismo Online ProgramaPrograma de Jornalismo Online Programa
Programa de Jornalismo Online Programa
 
Pesquisa Eyetrack 2007
Pesquisa Eyetrack 2007Pesquisa Eyetrack 2007
Pesquisa Eyetrack 2007
 
OLIMPÍADAS NA CONVERGÊNCIA
OLIMPÍADAS NA CONVERGÊNCIAOLIMPÍADAS NA CONVERGÊNCIA
OLIMPÍADAS NA CONVERGÊNCIA
 

Último

Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ismael Ash
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Ismael Ash
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
Faga1939
 
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebuliçãoExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
ronaldos10
 
ExpoGestão 2024 - Inteligência Artificial – A revolução no mundo dos negócios
ExpoGestão 2024 - Inteligência Artificial – A revolução no mundo dos negóciosExpoGestão 2024 - Inteligência Artificial – A revolução no mundo dos negócios
ExpoGestão 2024 - Inteligência Artificial – A revolução no mundo dos negócios
ExpoGestão
 

Último (6)

Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
 
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebuliçãoExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
 
ExpoGestão 2024 - Inteligência Artificial – A revolução no mundo dos negócios
ExpoGestão 2024 - Inteligência Artificial – A revolução no mundo dos negóciosExpoGestão 2024 - Inteligência Artificial – A revolução no mundo dos negócios
ExpoGestão 2024 - Inteligência Artificial – A revolução no mundo dos negócios
 

IntroduçãO à MíDia Digital Para Jornalistas2

  • 1. Introdução à mídia digital e multimídia para jornalistas
  • 2. Do analógico ao digital                             
  • 3. Comunicação Conversa Telegrama Transmissão de rádio Conversa telefônica Programa de televisão Apresentação multimídia Jornal Online
  • 4. O que muda ? O meio de transmissão ou mídia Telégrafo Telefone Rádio Televisão Computador
  • 5. Analógico = átomos = mundo físico (ondas sonoras, ondas eletromagnéticas) Os sons e as cores do mundo chegam até nós como energia, na forma de ondas eletromagnéticas, de áudio e luz
  • 6.  
  • 7.  
  • 8.  
  • 9. Digital = bits = mundo virtual (números binários) Já os computadores , trabalham com base na entrada ou bloqueio de energia.
  • 10. No computador, quando o interruptor está desligado, ele lê o Zero. Quando ligado, lê o Um
  • 11. Bits Cada 0 ou 1 é chamado bit Bit = BI nary digi T É chamado binário porque deriva do sistema binário (estamos acostumados a lidar com o sistema decimal porque temos dez dedos nas mãos)
  • 12. Sistema Binário Sistema Decimal 1 2 3 4 5 6 7 8 ... Sistema Binário 0001 0010 0011 0100 0101 0111 1000 1000...
  • 13. Igualzinho ao antigo telegrama: Escrevendo comunicação: Código Morse “ -.-.- - - - -..- -...-.-..- -.-...- - - -..... Em Código Binário 1010111110011000101001101000111100000
  • 14. Analógico = átomos = mundo físico (ondas sonoras, ondas eletromagnéticas) Digital = bits = mundo virtual (números binários)
  • 15. Vantagens e desvantagens Analógico Equipamentos específicos para cada mídia Difícil de manipular Difícil transmissão Grande volume de informação Sujeito a intempéries Digital Mídias falam a mesma linguagem Fácil de manipular Fácil de transmitir sem alteração na qualidade Ocupa pouco espaço Não sofre distorções
  • 17.  
  • 23. Ondas de áudio analógico
  • 24. Ondas de áudio digital
  • 29. Aumento volume dados para correção de erros
  • 30.  
  • 32. Comunicação de Massa – modelo analógico Fragmentado/linear pouco interativo linguagens distintas conteúdo massificado - Ibope/hits um todos
  • 33. Comunicação – modelo digital hipertextual interativo multimídia conteúdo personalizado - nichos/cauda longa todos todos
  • 34.  
  • 35. Individualista Preconceito contra o marketing “ Duas culturas” Espírito negativo Preconceito entre as mídias Preconceito contra chefia Averso às tecnologias Questionador, informado, crítico Trabalho em equipe Integração com demais departamentos (visão de negócio) Produção para as várias mídias Fim das hierarquias (assumir responsabilidades) Aberto a inovações Superficial, desinformado, generalista Novas exigências profissionais:
  • 45.  
  • 46.  
  • 47.  
  • 48.  
  • 49.  
  • 50.  
  • 52.  
  • 53.  
  • 54.  
  • 55.  
  • 56.  
  • 57.  
  • 58.  
  • 59.  
  • 60.  
  • 61. Agentes online poderão atuar também como repórteres virtuais que perambulam pela rede, em busca das notícias de interesse, colocando-as no formato mais apropriado para divulgação. Muitos sites de notícias já alimentam sites da web dessa maneira.
  • 62.  
  • 63. Agente de Interface Logo você poderá estar conversando com o seu avatar que também irá circular na internet em seu benefício. Com o reconhecimento da fala e a tecnologia gráfica ficando cada vez melhores, o uso destes agentes pode ser uma boa maneira de livrá-lo do paradigma do teclado .
  • 64.  
  • 65. A evolução dos computadores
  • 66.  
  • 67. O computador Processador: é o cérebro do computador. Controla todas as outras partes do micro Trabalha utilizando linguagem binária Pentium, k6, celerom Quanto mais sofisticado, mais funções realiza e com maior velocidade
  • 68. HD Hard Disk, Disco Rígido ou Winchester: responsável pelo armazenamento de informações permanente no PC
  • 69. HD 5 MB - 1985 HD 4 GB 2004
  • 70. O cabeçote transforma energia elétrica em impulsos magnéticos – gravação Transforma magnéticos Em elétricos - leitura A distância entre o cabeçote e o disco é menor que de um fio de cabelo. Por isso deve-se ter cuidado ao transportar um computador ou “bater” nele porque o disco rígido pode ser danificado permanentemente
  • 71. Primeiros computadores Os primeiros computa- dores foram comercializa- dos após a Segunda Guerra Mundial;
  • 72. Redes A princípio computadores trabalhavam sozinhos (PCs) Logo passaram a ser conectados formando redes Com o protocolo TCP/IP, as redes passaram a conversar entre si
  • 73. Internet E surgiu a internet, a grande rede de redes que liga computadores do mundo inteiro
  • 74. A internet: o que é e como funciona
  • 76. Navegador: Você pede uma página a um servidor Web digitando o endereço dela num programa chamado navegador (browser – Netscape e Internet explorer, pe)) Seu computador: de seu PC, vc acessa a Web por meio de um modem (que transforma sinais binários em som) e de um provedor de serviços da Internet (ISP) Linha Telefônica ou Cabo: a Internet usa a rede telefônica e os cabos de TV para transportar informação entre computadores espalhados pelo planeta. Provedor de serviços: seu ISP traduz os endereços da Web e envia seu pedido ao servidor certo na internet Servidor da Web: Servidor da Web é um grande computador que armazena páginas da Web e deixa-as disponíveis na Internet. Ele recebe seu pedido e envia os dados da página solicita a seu PC
  • 77.  
  • 78.  
  • 79.  
  • 80.  
  • 82. Algumas definições Site: conjunto de páginas publicadas na web Home Page: página de abertura do site Portal: conjunto de sites e hot sites Hot site: site temporário, em formato especial, geralmente a cobertura de um evento ou lançamento de um filme
  • 84. <img height=&quot;323&quot; src=&quot;reportercharge.gif&quot; width=&quot;194&quot; border=&quot;0&quot;>
  • 86.  
  • 87. Largura de Banda Banda estreita: conexão realizada através da linha telefônica analógica (cerca de 80% dos usuários residenciais) Banda Larga: que permite o tráfego de dados em alta velocidade utilizando diversos meios de comunicação. Usuários no Brasil: 2.890.000
  • 88.  
  • 89.  
  • 90. Tipos de conexão: ADSL ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line), tecnologia que utiliza centrais telefônicas digitais para tráfego de dados. Telefonica, Telemar e Brasil Telecom, velocidade de até 256 kbps a 512 kbps ou 2 Mbps, conforme a operadora. Ex: Velox e Speedy
  • 91.  
  • 92. Tipos de conexão: cabo ou cable modem velocidades de 256 kbps (versão 2.0), 512 kbps (versão 4.0) e 2 Mbps (versão 6.0). Utilizam estrutura da TV a cabo. Ex: Vírtua
  • 93. Tipos de conexão: satélite usa uma antena parabólica, um transmissor e um receptor principal vantagem é a penetração
  • 94. Tipos de conexão: radiofreqüência antena para transmissão é fixada em cima de um prédio e o local é cabeado, de forma que a estrutura seja distribuída para todo o edifício.
  • 95. Conexão wireless: wi fi Conexão sem fio
  • 96. Quando mudar ? Corporativo: mais de 50 horas por Residencial: média 30 horas por mês
  • 97. Por que a internet é lenta ? Fatores que determinam a velocidade da conexão: Modem lento – 56 kbps (56 200 bits por segundo). Custa no Brasil em torno de R$ 100,00. Linha ruim – cobre x fibra ótica Mau provedor: 1 linha/15 usuários – Ótimo 1 linha/30 usuários – Razoável velocidade da conexão do provedor com a Interne t
  • 98. horário de maior uso da rede é das 20h às 0h ; O melhor horário para acessar sites brasileiros é de madrugada ; Atenção ao fuso horário.
  • 99.  
  • 100. One thing about the CD's sampling rate and precision is that it produces a lot of data. On a CD, the digital numbers produced by the ADC are stored as bytes , and it takes 2 bytes to represent 65,536 gradations. There are two sound streams being recorded (one for each of the speakers on a stereo system). A CD can store up to 74 minutes of music, so the total amount of digital data that must be stored on a CD is: 44,100 samples/(channel*second) * 2 bytes/sample * 2 channels * 74 minutes * 60 seconds/minute = 783,216,000 bytes That is a lot of bytes! To store that many bytes on a cheap piece of plastic that is tough enough to survive the abuse most people put a CD through is no small task, especially when you consider that the first CDs came out in 1980.
  • 101. Digital signals propagate more efficiently than analog signals, largely because digital impulses, which are well-defined and orderly, are easier for electronic circuits to distinguish from noise, which is chaotic. This is the chief advantage of digital modes in communications. Computers &quot;talk&quot; and &quot;think&quot; in terms of binary digital data; while a microprocessor can analyze analog data, it must be converted into digital form for the computer to make sense of it.
  • 102.  
  • 103.  
  • 104.  
  • 105.  
  • 106.  
  • 108. Mídias Disquetes CDs DVDs Pen Drives
  • 109. CD Rom Plástico Saliências microscópicas Fina cama da alumínio Camada de acrílico para proteção Impressão feita no acrílico
  • 110. CD Rom Fino aspiral de dados Do centro para as extremidades Faixas de dados tem cerca de 0,5 microns, com 1,6 microns separando as faixas 1 micron = 1 milionésio de metro (algo como um milionésimo da espessura de um fio de cabelo)
  • 111. CD-Rom Saliências muito estreitas Se esticar a trilha de um CD, ela terá 0,5 microns de largura, e 5 km de comprimento !
  • 113. Tipos de CD CD de áudio CD-Rom de dados CD-R: gravável CD-RW: regravável
  • 114. DVDs Similar ao CD, mas com maior capacidade de armazenagem de dados; Cerca de 7 vezes mais que o CD; 133 min vídeo/8 horas de música Curiosidade: O primeiro DVD chegou ao mercado em Março de 1997
  • 115. 48 km ! 12 km
  • 116. O que diferencia o computador dos outros meios de comunicação ? A capacidade de unir todas as outras mídias = convergência Animação Texto
  • 117.  
  • 118.  
  • 119.  
  • 120.  
  • 121.                                                                                                                                                                          
  • 122.