SlideShare uma empresa Scribd logo
Agenda da apresentação Introdução Conceitos do sistemismo (esp. CESM) Regras metodológicas gerais Aplicação às teses de Divino e Rita Por que CESM Tempo de apresentação: 30 min Introdução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimento Por: Vinícius Kern, para orientandos UFSC/EGC, 12.mar.2009, 18:30-19:00, Auditório 2 do LED/EGCLabs OBJETIVO : Apresentar os principais conceitos e diretrizes metodológicas do sistemismo bungeano com vistas à sua aplicação no delineamento de teses e dissertações no EGC.
Introdução ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Introdução ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Conceitos do sistemismo* ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Conceitos do sistemismo ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Conceitos do sistemismo ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Conceitos do sistemismo ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Conceitos do sistemismo ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Regras metodológicas gerais ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Aplicação: proposta de tese (Divino) M1 : Sistema:  Rede de pesquisa (aplicada, modo 2, interdisciplinar) M2 : Composição : Pesquisadores seniores  P   e juniores  J , técnicos  T , estudantes de doutorado  D , estudantes de mestrado  M , estudantes de graduação  G Ambiente : agências de fomento  f , empresas  e , escritórios e órgãos de propriedade intelectual  p , infra-estrutura para pesquisa  i , instituição(ões)-sede  s , associados/parceiros (ex. labs, pesquisadores colaboradores)  a ,  journals  j ,   cultura (esp. da comunidade científico-tecnológica)  c , leis, regras e normas (ex. regimentos institucionais, Lei de Inovação, avaliação da Capes)  l Estrutura : ENDO: liderança de rede e de projeto, compartilhamento de vocabulário e comunicação propriamente dita, co-autoria, depósito de registro/patente, orientação, tutoria, mentoria, subordinação funcional, EXO: financiamento  a-P|J , contratação  e-P|J , transferência de tecnologia  e-P|J , lotação  s-PJT , matrícula  s-DMG , networking, submissão de proposta ou artigo, influência cultural, sujeição às normas, regulamentos e avaliações. M3 : Macrossistemas : sistema de avaliação da PG (Capes), sistema de fomento, sistema nacional de inovação Microssistemas : Pesquisador (indivíduo), grupos de orientação (Falta relacionar sistema a macro- e micronível, conjeturar mecanismo(s)... M3 a M7)
Aplicação: proposta de tese (Rita) M1: Sistema:  Comunidade de Prática apoiadas por tecnologia M2: Composição : Membros, moderador, ambiente CoP Ambiente : Comunidade geral na qual a CoP está inserida (inclusive cultura e normas), infra-estrutura TIC Estrutura : ENDO: autoria e leitura de mensagens, moderação, processamento s  das mensagens pelo ambiente, uso das ferramentas do ambiente, EXO: links para fora da CoP, influência de e para a comunidade geral,  technoliteracy  (ligação emocional-cognitiva entre membros e infra TICs) M3: Macrossistemas : Comunidade geral, web Microssistemas : Cliques na CoP, algoritmos do ambiente CoP (Falta relacionar sistema a macro- e micronível, conjeturar mecanismo(s)... M3 a M7)
Por que/para que desenhar o modelo CESM em uma tese ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Obrigado! Contato: Vinícius Medina Kern Pesquisador (Instituto Stela), professor (EGC/UFSC) kern.ispeople.org ,  [email_address]

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Ciencia e conhecimento2
Ciencia e conhecimento2Ciencia e conhecimento2
Ciencia e conhecimento2
João Francisca
 
Mario bunge
Mario bungeMario bunge
Mario bunge
VIVIANA Morales
 
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
Vinícius M. Kern
 
As ciências – classificação
As ciências – classificaçãoAs ciências – classificação
As ciências – classificação
Juan Batista
 
La ciencia mario bunge
La ciencia   mario bungeLa ciencia   mario bunge
La ciencia mario bunge
Luis Palacios
 
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De PesquisaAula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Jonathas Carvalho
 
La ciencia segun Bunge (1996)
La ciencia segun Bunge (1996)La ciencia segun Bunge (1996)
La ciencia segun Bunge (1996)
Universidad del Cauca
 
Ciencia y Método Científico
Ciencia y Método CientíficoCiencia y Método Científico
Ciencia y Método Científico
One Mengo
 

Destaque (8)

Ciencia e conhecimento2
Ciencia e conhecimento2Ciencia e conhecimento2
Ciencia e conhecimento2
 
Mario bunge
Mario bungeMario bunge
Mario bunge
 
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
 
As ciências – classificação
As ciências – classificaçãoAs ciências – classificação
As ciências – classificação
 
La ciencia mario bunge
La ciencia   mario bungeLa ciencia   mario bunge
La ciencia mario bunge
 
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De PesquisaAula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
 
La ciencia segun Bunge (1996)
La ciencia segun Bunge (1996)La ciencia segun Bunge (1996)
La ciencia segun Bunge (1996)
 
Ciencia y Método Científico
Ciencia y Método CientíficoCiencia y Método Científico
Ciencia y Método Científico
 

Semelhante a Introdução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimento

Conceitos de sistema de informação
Conceitos de sistema de informaçãoConceitos de sistema de informação
Conceitos de sistema de informação
Armando Rivarola
 
Abordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadmAbordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadm
Rafaelle Campelo
 
Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
Anderson Barbosa
 
Apostila fundamentos de sistemas
Apostila  fundamentos de sistemasApostila  fundamentos de sistemas
Apostila fundamentos de sistemas
Davi Kelvys Souza
 
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
Leandro de Castro
 
Teoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de SistemasTeoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de Sistemas
paulocsm
 
Sistemas administrativos
Sistemas administrativosSistemas administrativos
Sistemas administrativos
Correios
 
Reflexos sociais das organizações em rede
Reflexos sociais das organizações em redeReflexos sociais das organizações em rede
Reflexos sociais das organizações em rede
Arie Storch
 
A teoria de sistemas
A teoria de sistemasA teoria de sistemas
A teoria de sistemas
Tiago Maboni Derlan
 
Apresentação CongressoCOBEF2019.ppt. EESC
Apresentação CongressoCOBEF2019.ppt. EESCApresentação CongressoCOBEF2019.ppt. EESC
Apresentação CongressoCOBEF2019.ppt. EESC
PauloCesarCamargo3
 
System thinking
System thinkingSystem thinking
System thinking
Paulo de Carvalho
 
SISPLEX - research group
SISPLEX - research groupSISPLEX - research group
SISPLEX - research group
Mauro Faccioni Filho
 
Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212
Gian Remundini
 
As aula 1 - introdução a análise de sistemas
As   aula 1 - introdução a análise de sistemasAs   aula 1 - introdução a análise de sistemas
As aula 1 - introdução a análise de sistemas
tontotsilva
 
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos SistemasUMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
Mário Januário Filho
 
Introdução à Análise de Sistemas
Introdução à Análise de SistemasIntrodução à Análise de Sistemas
Introdução à Análise de Sistemas
Nécio de Lima Veras
 
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorialAtores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
Vinícius M. Kern
 
Teoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos SistemasTeoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos Sistemas
Correios
 
Representando a computação autonômica por meio da engenharia ontológica
Representando a computação autonômica por meio da engenharia ontológica Representando a computação autonômica por meio da engenharia ontológica
Representando a computação autonômica por meio da engenharia ontológica
Leonardo Sepulcri
 
Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
Diego Carrara
 

Semelhante a Introdução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimento (20)

Conceitos de sistema de informação
Conceitos de sistema de informaçãoConceitos de sistema de informação
Conceitos de sistema de informação
 
Abordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadmAbordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadm
 
Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
 
Apostila fundamentos de sistemas
Apostila  fundamentos de sistemasApostila  fundamentos de sistemas
Apostila fundamentos de sistemas
 
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
 
Teoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de SistemasTeoria Geral de Sistemas
Teoria Geral de Sistemas
 
Sistemas administrativos
Sistemas administrativosSistemas administrativos
Sistemas administrativos
 
Reflexos sociais das organizações em rede
Reflexos sociais das organizações em redeReflexos sociais das organizações em rede
Reflexos sociais das organizações em rede
 
A teoria de sistemas
A teoria de sistemasA teoria de sistemas
A teoria de sistemas
 
Apresentação CongressoCOBEF2019.ppt. EESC
Apresentação CongressoCOBEF2019.ppt. EESCApresentação CongressoCOBEF2019.ppt. EESC
Apresentação CongressoCOBEF2019.ppt. EESC
 
System thinking
System thinkingSystem thinking
System thinking
 
SISPLEX - research group
SISPLEX - research groupSISPLEX - research group
SISPLEX - research group
 
Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212
 
As aula 1 - introdução a análise de sistemas
As   aula 1 - introdução a análise de sistemasAs   aula 1 - introdução a análise de sistemas
As aula 1 - introdução a análise de sistemas
 
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos SistemasUMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA: Teoria dos Sistemas
 
Introdução à Análise de Sistemas
Introdução à Análise de SistemasIntrodução à Análise de Sistemas
Introdução à Análise de Sistemas
 
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorialAtores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
 
Teoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos SistemasTeoria Geral dos Sistemas
Teoria Geral dos Sistemas
 
Representando a computação autonômica por meio da engenharia ontológica
Representando a computação autonômica por meio da engenharia ontológica Representando a computação autonômica por meio da engenharia ontológica
Representando a computação autonômica por meio da engenharia ontológica
 
Teoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemasTeoria geral de sistemas
Teoria geral de sistemas
 

Mais de Vinícius M. Kern

Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
Vinícius M. Kern
 
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
Vinícius M. Kern
 
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
Vinícius M. Kern
 
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
Vinícius M. Kern
 
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
Vinícius M. Kern
 
El sistema de revisión por pares
El sistema de revisión por paresEl sistema de revisión por pares
El sistema de revisión por pares
Vinícius M. Kern
 
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto ParRevisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
Vinícius M. Kern
 
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
Vinícius M. Kern
 
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no temaRevisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
Vinícius M. Kern
 
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
Vinícius M. Kern
 
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
Vinícius M. Kern
 
Painel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
Painel Científico EGC/UFSC 2012: AberturaPainel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
Painel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
Vinícius M. Kern
 
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovaçãoCurrículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
Vinícius M. Kern
 
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicosPlataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
Vinícius M. Kern
 
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
Vinícius M. Kern
 
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
Vinícius M. Kern
 
Convergência Tecnológica
Convergência TecnológicaConvergência Tecnológica
Convergência Tecnológica
Vinícius M. Kern
 
Ciência e métodos para a interdisciplinaridade (5o Workshop EGC/UFSC)
Ciência e métodos para a interdisciplinaridade (5o Workshop EGC/UFSC)Ciência e métodos para a interdisciplinaridade (5o Workshop EGC/UFSC)
Ciência e métodos para a interdisciplinaridade (5o Workshop EGC/UFSC)
Vinícius M. Kern
 
O que Martinho da Vila entende de BD? (sobre abstrações de abstrações e model...
O que Martinho da Vila entende de BD? (sobre abstrações de abstrações e model...O que Martinho da Vila entende de BD? (sobre abstrações de abstrações e model...
O que Martinho da Vila entende de BD? (sobre abstrações de abstrações e model...
Vinícius M. Kern
 

Mais de Vinícius M. Kern (19)

Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
 
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
 
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
 
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
 
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
 
El sistema de revisión por pares
El sistema de revisión por paresEl sistema de revisión por pares
El sistema de revisión por pares
 
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto ParRevisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
 
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
 
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no temaRevisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
 
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
 
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
 
Painel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
Painel Científico EGC/UFSC 2012: AberturaPainel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
Painel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
 
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovaçãoCurrículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
 
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicosPlataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
 
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
 
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
 
Convergência Tecnológica
Convergência TecnológicaConvergência Tecnológica
Convergência Tecnológica
 
Ciência e métodos para a interdisciplinaridade (5o Workshop EGC/UFSC)
Ciência e métodos para a interdisciplinaridade (5o Workshop EGC/UFSC)Ciência e métodos para a interdisciplinaridade (5o Workshop EGC/UFSC)
Ciência e métodos para a interdisciplinaridade (5o Workshop EGC/UFSC)
 
O que Martinho da Vila entende de BD? (sobre abstrações de abstrações e model...
O que Martinho da Vila entende de BD? (sobre abstrações de abstrações e model...O que Martinho da Vila entende de BD? (sobre abstrações de abstrações e model...
O que Martinho da Vila entende de BD? (sobre abstrações de abstrações e model...
 

Último

Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 

Último (20)

Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 

Introdução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimento

  • 1. Agenda da apresentação Introdução Conceitos do sistemismo (esp. CESM) Regras metodológicas gerais Aplicação às teses de Divino e Rita Por que CESM Tempo de apresentação: 30 min Introdução ao sistemismo bungeano aplicado à engenharia do conhecimento Por: Vinícius Kern, para orientandos UFSC/EGC, 12.mar.2009, 18:30-19:00, Auditório 2 do LED/EGCLabs OBJETIVO : Apresentar os principais conceitos e diretrizes metodológicas do sistemismo bungeano com vistas à sua aplicação no delineamento de teses e dissertações no EGC.
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10. Aplicação: proposta de tese (Divino) M1 : Sistema: Rede de pesquisa (aplicada, modo 2, interdisciplinar) M2 : Composição : Pesquisadores seniores P e juniores J , técnicos T , estudantes de doutorado D , estudantes de mestrado M , estudantes de graduação G Ambiente : agências de fomento f , empresas e , escritórios e órgãos de propriedade intelectual p , infra-estrutura para pesquisa i , instituição(ões)-sede s , associados/parceiros (ex. labs, pesquisadores colaboradores) a , journals j , cultura (esp. da comunidade científico-tecnológica) c , leis, regras e normas (ex. regimentos institucionais, Lei de Inovação, avaliação da Capes) l Estrutura : ENDO: liderança de rede e de projeto, compartilhamento de vocabulário e comunicação propriamente dita, co-autoria, depósito de registro/patente, orientação, tutoria, mentoria, subordinação funcional, EXO: financiamento a-P|J , contratação e-P|J , transferência de tecnologia e-P|J , lotação s-PJT , matrícula s-DMG , networking, submissão de proposta ou artigo, influência cultural, sujeição às normas, regulamentos e avaliações. M3 : Macrossistemas : sistema de avaliação da PG (Capes), sistema de fomento, sistema nacional de inovação Microssistemas : Pesquisador (indivíduo), grupos de orientação (Falta relacionar sistema a macro- e micronível, conjeturar mecanismo(s)... M3 a M7)
  • 11. Aplicação: proposta de tese (Rita) M1: Sistema: Comunidade de Prática apoiadas por tecnologia M2: Composição : Membros, moderador, ambiente CoP Ambiente : Comunidade geral na qual a CoP está inserida (inclusive cultura e normas), infra-estrutura TIC Estrutura : ENDO: autoria e leitura de mensagens, moderação, processamento s das mensagens pelo ambiente, uso das ferramentas do ambiente, EXO: links para fora da CoP, influência de e para a comunidade geral, technoliteracy (ligação emocional-cognitiva entre membros e infra TICs) M3: Macrossistemas : Comunidade geral, web Microssistemas : Cliques na CoP, algoritmos do ambiente CoP (Falta relacionar sistema a macro- e micronível, conjeturar mecanismo(s)... M3 a M7)
  • 12.
  • 13. Obrigado! Contato: Vinícius Medina Kern Pesquisador (Instituto Stela), professor (EGC/UFSC) kern.ispeople.org , [email_address]