SlideShare uma empresa Scribd logo
INTRODUÇÃO À
ACADEMIA: O
ENSINO, A PESQUISA
E A EXTENSÃO
Valença – 2017.1
Prof. Dr. Urbano Félix Pugliese
O que é Educação?
LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação
Nacional) – Lei n. 9.394/96
Art. 1º. A educação abrange os processos
formativos que se desenvolvem na vida familiar, na
convivência humana, no trabalho, nas instituições
de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e
organizações da sociedade civil e nas
manifestações culturais.
 § 1º. Esta Lei disciplina a educação escolar, que se
desenvolve, predominantemente, por meio do ensino, em
instituições próprias; e
 § 2º. A educação escolar deverá vincular-se ao mundo do
trabalho e à prática social.
O que é Educação?
LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação
Nacional) – Lei n. 9.394/96;
Art. 2º. A educação, dever da família e do Estado,
inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais
de solidariedade humana, tem por finalidade o
pleno desenvolvimento do educando, seu preparo
para o exercício da cidadania e sua qualificação
para o trabalho.
 Emancipação intelectual;
 Entendimento da vida e do viver; e
 Mudança de comportamento para atingir
objetivos propostos.
Nomenclatura usual
• LDB (Lei de Diretrizes e Bases da
Educação Nacional) – Lei n. 9.394/96
Art. 21º. A educação escolar compõe
-se de:
• I - educação básica, formada pela
educação infantil, ensino fundamental e
ensino médio; e
• II - educação superior.
A Educação Básica:
• Art. 22º. A educação básica tem
por finalidades desenvolver o
educando, assegurar-lhe a formação
comum indispensável para o
exercício da cidadania e fornecer-
lhe meios para progredir no
trabalho e em estudos posteriores.
A Educação Infantil:
o Art. 29º. A educação infantil, primeira etapa da
educação básica, tem como finalidade o
desenvolvimento integral da criança de até 5
(cinco) anos, em seus aspectos físico, psicológico,
intelectual e social, complementando a ação da
família e da comunidade.
o Art. 30º. A educação infantil será oferecida em:
o I - creches, ou entidades equivalentes, para
crianças de até três anos de idade;
o II - pré-escolas, para as crianças de 4 (quatro) a 5
(cinco) anos de idade.
O Ensino Fundamental:
• Art. 32. O ensino fundamental obrigatório, com
duração de 9 (nove) anos, gratuito na escola
pública, iniciando-se aos 6 (seis) anos de idade,
terá por objetivo a formação básica do cidadão,
mediante:
• I - o desenvolvimento da capacidade de
aprender, tendo como meios básicos o pleno
domínio da leitura, da escrita e do cálculo;
• II - a compreensão do ambiente natural e social,
do sistema político, da tecnologia, das artes e
dos valores em que se fundamenta a sociedade;
O Ensino Fundamental:
• Art. 32.
• III - o desenvolvimento da capacidade de
aprendizagem, tendo em vista a aquisição de
conhecimentos e habilidades e a formação de
atitudes e valores;
• IV - o fortalecimento dos vínculos de família,
dos laços de solidariedade humana e de
tolerância recíproca em que se assenta a vida
social.
O Ensino Médio:
Art. 35. O ensino médio, etapa final da educação
básica, com duração mínima de três anos, terá
como finalidades:
I - a consolidação e o aprofundamento dos
conhecimentos adquiridos no ensino fundamental,
possibilitando o prosseguimento de estudos;
II - a preparação básica para o trabalho e a
cidadania do educando, para continuar
aprendendo, de modo a ser capaz de se adaptar
com flexibilidade a novas condições de ocupação
ou aperfeiçoamento posteriores;
O Ensino Médio:
Art. 35.
III - o aprimoramento do educando como pessoa
humana, incluindo a formação ética e o
desenvolvimento da autonomia intelectual e do
pensamento crítico;
IV - a compreensão dos fundamentos científico-
tecnológicos dos processos produtivos,
relacionando a teoria com a prática, no ensino de
cada disciplina.
O Ensino Superior:
• Art. 43. A educação superior tem por
finalidade:
• I - estimular a criação cultural e o
desenvolvimento do espírito científico e do
pensamento reflexivo;
• II - formar diplomados nas diferentes áreas de
conhecimento, aptos para a inserção em setores
profissionais e para a participação no
desenvolvimento da sociedade brasileira, e
colaborar na sua formação contínua;
O Ensino Superior:
• Art. 43. A educação superior tem por finalidade:
• III - incentivar o trabalho de pesquisa e
investigação científica, visando o desenvolvimento
da ciência e da tecnologia e da criação e difusão da
cultura, e, desse modo, desenvolver o
entendimento do homem e do meio em que vive;
• IV - promover a divulgação de conhecimentos
culturais, científicos e técnicos que constituem
patrimônio da humanidade e comunicar o saber
através do ensino, de publicações ou de outras
formas de comunicação;
O Ensino Superior:
• Art. 43. A educação superior tem por finalidade:
• V - suscitar o desejo permanente de
aperfeiçoamento cultural e profissional e
possibilitar a correspondente concretização,
integrando os conhecimentos que vão sendo
adquiridos numa estrutura intelectual
sistematizadora do conhecimento de cada geração;
• VI - estimular o conhecimento dos problemas do
mundo presente, em particular os nacionais e
regionais, prestar serviços especializados à
comunidade e estabelecer com esta uma relação de
reciprocidade;
O Ensino Superior:
• Art. 43. A educação superior tem por finalidade:
• VII - promover a extensão, aberta à participação da
população, visando à difusão das conquistas e
benefícios resultantes da criação cultural e da
pesquisa científica e tecnológica geradas na
instituição.
O Ensino Superior:
• Art. 44. A educação superior abrangerá os
seguintes cursos e programas:
• I - cursos sequenciais por campo de saber, de
diferentes níveis de abrangência, abertos a
candidatos que atendam aos requisitos
estabelecidos pelas instituições de ensino, desde
que tenham concluído o ensino médio ou
equivalente;
• II - de graduação, abertos a candidatos que tenham
concluído o ensino médio ou equivalente e tenham
sido classificados em processo seletivo;
O Ensino Superior:
• Art. 44. A educação superior abrangerá os
seguintes cursos e programas:
• III - de pós-graduação, compreendendo programas
de mestrado e doutorado, cursos de especialização,
aperfeiçoamento e outros, abertos a candidatos
diplomados em cursos de graduação e que atendam
às exigências das instituições de ensino;
• IV - de extensão, abertos a candidatos que atendam
aos requisitos estabelecidos em cada caso pelas
instituições de ensino.
A Universidade:
• Art. 52. As universidades são instituições pluridisciplinares
de formação dos quadros profissionais de nível superior, de
pesquisa, de extensão e de domínio e cultivo do saber
humano, que se caracterizam por:
• I - produção intelectual institucionalizada mediante o
estudo sistemático dos temas e problemas mais relevantes,
tanto do ponto de vista científico e cultural, quanto regional
e nacional;
• II - um terço do corpo docente, pelo menos, com titulação
acadêmica de mestrado ou doutorado;
• III - um terço do corpo docente em regime de tempo
integral.
• Parágrafo único. É facultada a criação de universidades
especializadas por campo do saber.
Produção Científica
 Onde está o conhecimento científico?
Distribuição de possibilidades
Livros Relatórios
Periódicos
Internet
Trabalhos de Curso Pesquisas
Eventos científicos
Confiabilidade e complexidade
Produção Científica
Periódicos científicos
 Características
 Procedimento de publicação
 Tipos
 Conteúdo e responsabilidade do Periódico
 Avaliação: Capes
 Indexação (disponibilização em uma base de
dados) Exemplo: www.scielo.br
Busca: resumo e palavras-chave
Idioma / Conteúdo parcial ou conteúdo total
Produção Científica
Periódicos científicos
 Os periódicos em Direito
Eletrônicos:
Pesquisar por Universidade (USP; UFPR;
UFMG; UFSC; FGV; UNISINOS; UERJ etc.)
Como pesquisar: Revista do Curso de Direito da
UNIFACS (www.revistas.unifacs.br); e Revista
Direito do Estado (www.direitodoestado.com.br)
Periódicos internacionais
Produção Científica
Periódicos científicos
 Os periódicos em Direito;
Impressos:
Revista do Curso de Direito da UNIFACS (anual);
Revista do Programa de Pós-graduação em Direito
da UFBA;
Revistas da RT Editora (áreas do Direito);
Revista IBDFam;
Revista IBCCrim; e
Revista IBDC, Etc.
Produção Científica
Livros  Aspectos editoriais e
mercadológicos;
 Livros:
a) monográficos;
b) coletivos; ou
c) manuais ou cursos.
 A pesquisa especializada:
a) Título e autoria; b) Sumário e
introdução; e c) Referências.
Produção Científica
Internet
Tipos de sites:
a) científicos; ou
b) não científicos.
Exemplos:
 Confiabilidade das fontes:
a) autoria; e
b) Profundidade.
 Ética em pesquisa.
Produção Científica
Trabalhos de Curso; Relatórios e Pesquisas
 Trabalhos de Curso:
Monografia;
Dissertação; ou
Tese.
 Relatórios;
 Pesquisas:
Finalidades e publicações.
Produção Científica
Eventos Científicos
Direito:
Congressos
Fórum; Encontro; Seminário
Palestra
Mesa-redonda
Participações dos discentes:
Ouvintes
Participantes (Comunicação oral; Exposição
de Poster)
Produção Científica
Eventos Científicos
 A construção do conhecimento em eventos
científicos
Atualidade
Interação acadêmica e profissional
Linhas de pesquisa
 Participação
Currículo/Lattes; Publicação dos Anais
do Congresso: Resumo eArtigo
Produção Científica: A Pós-
graduação no Brasil:
1) Pós-graduação Lato Sensu
Regras
Especialização  Profissionalizante
2) Pós-graduação Stricto Sensu
Regras
Mestrado  Acadêmico (regra)  Professor
e/ou Pesquisador
Doutorado  Acadêmico  Professor e/ou
Pesquisador
Produção Científica: O
Fomento (Bolsas) à Pesquisa:
Iniciação científica (Graduação)
Mestrado; e
Doutorado.
Federal: CNPq (www.cnpq.br) e CAPES;
Estadual: FAPESB (www.fapesb.ba.gov.br);
Nacionais e internacionais; e
Outras Bolsas de Instituições Privadas.
Pluridisciplinar:
• Disciplinar; Interdisciplinar; Multidisciplinar;
Transdisciplinar; Multi-inter-transdisciplinar?
• Causa e efeito recursiva? Circular? Incerta?
Retroativa? Consciência capaz de enfrentar
complexidades?
• CR: Art. 207. As universidades gozam de autonomia
didático-científica, administrativa e de gestão financeira
e patrimonial, e obedecerão ao princípio de
indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.
• Quais são as diferenças com os Centros Universitários,
os Institutos Superiores de Educação e as Faculdades
isoladas?
As ilusões do senso comum vs a
sistematização do conhecimento:
• Informação x Conhecimento x Consciência
• Por que ano bissexto?
• 4 em 4 anos? 366 dias? Tempo de volta da Terra
ao redor do Sol?
• Conhecem essa música? Vambora – Adriana Calcanhoto
Ainda tem o seu perfume pela casa
Ainda tem você na sala
Porque meu coração dispara
Quando tem o seu cheiro
Dentro de um livro
Dentro da noite veloz
[...] Na cinza das horas
As ilusões do senso comum vs a
sistematização do conhecimento:
• Ferreira Gullar escreveu “Dentro da noite
veloz”, em 1975;
• Manuel Bandeira escreveu “As cinzas das
horas”, em 1917.
A Universidade:
Tripé de intencionalidades educativas:
1) O Ensino (incluída a
aprendizagem) – Transmissão e
apropriação do saber;
2) A Pesquisa – Construção do saber;
e
3) A Extensão – Disseminação na
vida cotidiana do saber.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Etica e cidadania
Etica e cidadaniaEtica e cidadania
Etica e cidadania
Patrícia de Araújo
 
Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
Faculdade Metropolitanas Unidas - FMU
 
O que é ciência
O que é ciênciaO que é ciência
O que é ciência
Italo Colares
 
ETICA
ETICAETICA
Etica
EticaEtica
ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2
Mariangela Santos
 
Educação e Sociedade
Educação e SociedadeEducação e Sociedade
Educação e Sociedade
liclau
 
Educação e direitos humanos Aula 6 - educação em direitos humanos definições
Educação e direitos humanos  Aula 6 - educação em direitos humanos definiçõesEducação e direitos humanos  Aula 6 - educação em direitos humanos definições
Educação e direitos humanos Aula 6 - educação em direitos humanos definições
Cleide Magáli dos Santos
 
Aula diversidade diferença identidade
Aula diversidade diferença identidadeAula diversidade diferença identidade
Aula diversidade diferença identidade
Otavio ciências humanas
 
éTica, moral e valores
éTica, moral e valoreséTica, moral e valores
éTica, moral e valores
Over Lane
 
O porquê da ética
O porquê da éticaO porquê da ética
O porquê da ética
Rayanne Santana
 
Valores
ValoresValores
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
Marcela Marangon Ribeiro
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
Over Lane
 
Educação Superior:Ensino,Pesquisa e Extensão
Educação Superior:Ensino,Pesquisa e ExtensãoEducação Superior:Ensino,Pesquisa e Extensão
Educação Superior:Ensino,Pesquisa e Extensão
Mariangela ziede
 
Trabalho ética
Trabalho éticaTrabalho ética
Trabalho ética
thaiscristinabrandao
 
O ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológiasO ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológias
Renato De Souza Abelha
 
A Ciência, o ideal científico e a razão instrumental
A Ciência, o ideal científico e a razão instrumentalA Ciência, o ideal científico e a razão instrumental
A Ciência, o ideal científico e a razão instrumental
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Cidadania e ética
Cidadania e éticaCidadania e ética
Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.
Secretaria da Educação
 

Mais procurados (20)

Etica e cidadania
Etica e cidadaniaEtica e cidadania
Etica e cidadania
 
Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
 
O que é ciência
O que é ciênciaO que é ciência
O que é ciência
 
ETICA
ETICAETICA
ETICA
 
Etica
EticaEtica
Etica
 
ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2ÉTica e cidadania 2
ÉTica e cidadania 2
 
Educação e Sociedade
Educação e SociedadeEducação e Sociedade
Educação e Sociedade
 
Educação e direitos humanos Aula 6 - educação em direitos humanos definições
Educação e direitos humanos  Aula 6 - educação em direitos humanos definiçõesEducação e direitos humanos  Aula 6 - educação em direitos humanos definições
Educação e direitos humanos Aula 6 - educação em direitos humanos definições
 
Aula diversidade diferença identidade
Aula diversidade diferença identidadeAula diversidade diferença identidade
Aula diversidade diferença identidade
 
éTica, moral e valores
éTica, moral e valoreséTica, moral e valores
éTica, moral e valores
 
O porquê da ética
O porquê da éticaO porquê da ética
O porquê da ética
 
Valores
ValoresValores
Valores
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
 
Educação Superior:Ensino,Pesquisa e Extensão
Educação Superior:Ensino,Pesquisa e ExtensãoEducação Superior:Ensino,Pesquisa e Extensão
Educação Superior:Ensino,Pesquisa e Extensão
 
Trabalho ética
Trabalho éticaTrabalho ética
Trabalho ética
 
O ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológiasO ensino de ciências e suas metodológias
O ensino de ciências e suas metodológias
 
A Ciência, o ideal científico e a razão instrumental
A Ciência, o ideal científico e a razão instrumentalA Ciência, o ideal científico e a razão instrumental
A Ciência, o ideal científico e a razão instrumental
 
Cidadania e ética
Cidadania e éticaCidadania e ética
Cidadania e ética
 
Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.Ética Moral e Valores.
Ética Moral e Valores.
 

Destaque

Direito penal - Campus XV - U uadjkfwehilfneb - como estudar direito penal -...
Direito penal  - Campus XV - U uadjkfwehilfneb - como estudar direito penal -...Direito penal  - Campus XV - U uadjkfwehilfneb - como estudar direito penal -...
Direito penal - Campus XV - U uadjkfwehilfneb - como estudar direito penal -...
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal uneb - por quem estudar - 2017 1
Direito penal   uneb - por quem estudar - 2017 1Direito penal   uneb - por quem estudar - 2017 1
Direito penal uneb - por quem estudar - 2017 1
Urbano Felix Pugliese
 
Espiritualidade e sexualidade
Espiritualidade e sexualidadeEspiritualidade e sexualidade
Espiritualidade e sexualidade
Urbano Felix Pugliese
 
Aula 02 direito penal i - histórico e introdução ao direito penal
Aula 02   direito penal i - histórico e introdução ao direito penalAula 02   direito penal i - histórico e introdução ao direito penal
Aula 02 direito penal i - histórico e introdução ao direito penal
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal iii crimes contra a inviolabilidade dos segredos
Direito penal iii   crimes contra a inviolabilidade dos segredosDireito penal iii   crimes contra a inviolabilidade dos segredos
Direito penal iii crimes contra a inviolabilidade dos segredos
Urbano Felix Pugliese
 
Aula 03 direito penal i - fontes do direito penal
Aula 03   direito penal i - fontes do direito penalAula 03   direito penal i - fontes do direito penal
Aula 03 direito penal i - fontes do direito penal
Urbano Felix Pugliese
 
Facemp 2017 - introdução à academia
Facemp   2017 - introdução à academiaFacemp   2017 - introdução à academia
Facemp 2017 - introdução à academia
Urbano Felix Pugliese
 
Facemp 2017 - estudar e escrever
Facemp   2017 - estudar e escreverFacemp   2017 - estudar e escrever
Facemp 2017 - estudar e escrever
Urbano Felix Pugliese
 
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo iiAula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal i histórico e introdução ao direito penal
Direito penal i   histórico e introdução ao direito penalDireito penal i   histórico e introdução ao direito penal
Direito penal i histórico e introdução ao direito penal
Urbano Felix Pugliese
 
Plano da disciplina direito penal iv - 2017 1
Plano da disciplina   direito penal iv - 2017 1Plano da disciplina   direito penal iv - 2017 1
Plano da disciplina direito penal iv - 2017 1
Urbano Felix Pugliese
 
Plano da disciplina direito penal i - 2017 1
Plano da disciplina   direito penal i - 2017 1Plano da disciplina   direito penal i - 2017 1
Plano da disciplina direito penal i - 2017 1
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal iii periclitação da vida e da saúde
Direito penal iii   periclitação da vida e da saúdeDireito penal iii   periclitação da vida e da saúde
Direito penal iii periclitação da vida e da saúde
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal i lei penal no espaço
Direito penal i   lei penal no espaçoDireito penal i   lei penal no espaço
Direito penal i lei penal no espaço
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal i fontes do direito penal ii
Direito penal i   fontes do direito penal iiDireito penal i   fontes do direito penal ii
Direito penal i fontes do direito penal ii
Urbano Felix Pugliese
 
Semana juridica algemas e inocencia
Semana juridica   algemas e inocenciaSemana juridica   algemas e inocencia
Semana juridica algemas e inocencia
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal iv incolumidade - segurança
Direito penal iv   incolumidade - segurançaDireito penal iv   incolumidade - segurança
Direito penal iv incolumidade - segurança
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal iii introdução a parte especial
Direito penal iii   introdução a parte especialDireito penal iii   introdução a parte especial
Direito penal iii introdução a parte especial
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal iii crimes contra a inviolabilidade do domicílio
Direito penal iii   crimes contra a inviolabilidade do domicílioDireito penal iii   crimes contra a inviolabilidade do domicílio
Direito penal iii crimes contra a inviolabilidade do domicílio
Urbano Felix Pugliese
 
Direitos humanos introdução, histórico e nomeclaturas
Direitos humanos   introdução, histórico e nomeclaturasDireitos humanos   introdução, histórico e nomeclaturas
Direitos humanos introdução, histórico e nomeclaturas
Urbano Felix Pugliese
 

Destaque (20)

Direito penal - Campus XV - U uadjkfwehilfneb - como estudar direito penal -...
Direito penal  - Campus XV - U uadjkfwehilfneb - como estudar direito penal -...Direito penal  - Campus XV - U uadjkfwehilfneb - como estudar direito penal -...
Direito penal - Campus XV - U uadjkfwehilfneb - como estudar direito penal -...
 
Direito penal uneb - por quem estudar - 2017 1
Direito penal   uneb - por quem estudar - 2017 1Direito penal   uneb - por quem estudar - 2017 1
Direito penal uneb - por quem estudar - 2017 1
 
Espiritualidade e sexualidade
Espiritualidade e sexualidadeEspiritualidade e sexualidade
Espiritualidade e sexualidade
 
Aula 02 direito penal i - histórico e introdução ao direito penal
Aula 02   direito penal i - histórico e introdução ao direito penalAula 02   direito penal i - histórico e introdução ao direito penal
Aula 02 direito penal i - histórico e introdução ao direito penal
 
Direito penal iii crimes contra a inviolabilidade dos segredos
Direito penal iii   crimes contra a inviolabilidade dos segredosDireito penal iii   crimes contra a inviolabilidade dos segredos
Direito penal iii crimes contra a inviolabilidade dos segredos
 
Aula 03 direito penal i - fontes do direito penal
Aula 03   direito penal i - fontes do direito penalAula 03   direito penal i - fontes do direito penal
Aula 03 direito penal i - fontes do direito penal
 
Facemp 2017 - introdução à academia
Facemp   2017 - introdução à academiaFacemp   2017 - introdução à academia
Facemp 2017 - introdução à academia
 
Facemp 2017 - estudar e escrever
Facemp   2017 - estudar e escreverFacemp   2017 - estudar e escrever
Facemp 2017 - estudar e escrever
 
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo iiAula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
 
Direito penal i histórico e introdução ao direito penal
Direito penal i   histórico e introdução ao direito penalDireito penal i   histórico e introdução ao direito penal
Direito penal i histórico e introdução ao direito penal
 
Plano da disciplina direito penal iv - 2017 1
Plano da disciplina   direito penal iv - 2017 1Plano da disciplina   direito penal iv - 2017 1
Plano da disciplina direito penal iv - 2017 1
 
Plano da disciplina direito penal i - 2017 1
Plano da disciplina   direito penal i - 2017 1Plano da disciplina   direito penal i - 2017 1
Plano da disciplina direito penal i - 2017 1
 
Direito penal iii periclitação da vida e da saúde
Direito penal iii   periclitação da vida e da saúdeDireito penal iii   periclitação da vida e da saúde
Direito penal iii periclitação da vida e da saúde
 
Direito penal i lei penal no espaço
Direito penal i   lei penal no espaçoDireito penal i   lei penal no espaço
Direito penal i lei penal no espaço
 
Direito penal i fontes do direito penal ii
Direito penal i   fontes do direito penal iiDireito penal i   fontes do direito penal ii
Direito penal i fontes do direito penal ii
 
Semana juridica algemas e inocencia
Semana juridica   algemas e inocenciaSemana juridica   algemas e inocencia
Semana juridica algemas e inocencia
 
Direito penal iv incolumidade - segurança
Direito penal iv   incolumidade - segurançaDireito penal iv   incolumidade - segurança
Direito penal iv incolumidade - segurança
 
Direito penal iii introdução a parte especial
Direito penal iii   introdução a parte especialDireito penal iii   introdução a parte especial
Direito penal iii introdução a parte especial
 
Direito penal iii crimes contra a inviolabilidade do domicílio
Direito penal iii   crimes contra a inviolabilidade do domicílioDireito penal iii   crimes contra a inviolabilidade do domicílio
Direito penal iii crimes contra a inviolabilidade do domicílio
 
Direitos humanos introdução, histórico e nomeclaturas
Direitos humanos   introdução, histórico e nomeclaturasDireitos humanos   introdução, histórico e nomeclaturas
Direitos humanos introdução, histórico e nomeclaturas
 

Semelhante a Introdução à academia ensino, pesquisa e extensão - 2017 1

1 primeira aula do segundo semestre ftc - itabuna
1 primeira aula do segundo semestre   ftc - itabuna1 primeira aula do segundo semestre   ftc - itabuna
1 primeira aula do segundo semestre ftc - itabuna
Urbano Felix Pugliese
 
Estatuto da UFRJ
Estatuto da UFRJEstatuto da UFRJ
Estatuto da UFRJ
Sigabook Book
 
Educação Superior:Ensino - Pesquisa - Extensão
Educação Superior:Ensino - Pesquisa - ExtensãoEducação Superior:Ensino - Pesquisa - Extensão
Educação Superior:Ensino - Pesquisa - Extensão
Mariangela ziede
 
Estrutura e organização da educação brasileira
Estrutura e organização da educação brasileiraEstrutura e organização da educação brasileira
Estrutura e organização da educação brasileira
Aline Pivetta
 
Didática aula 03 01 10 2013
Didática aula 03 01 10 2013Didática aula 03 01 10 2013
Didática aula 03 01 10 2013
Rosineia Oliveira dos Santos
 
Anteprojeto de Lei da Reforma da Educação Universitária
Anteprojeto de Lei da Reforma da Educação UniversitáriaAnteprojeto de Lei da Reforma da Educação Universitária
Anteprojeto de Lei da Reforma da Educação Universitária
ProjetoBr
 
Parecer
ParecerParecer
Parecer
miladiasn
 
0 escolas estaduais ri-aprovado
0 escolas estaduais   ri-aprovado0 escolas estaduais   ri-aprovado
0 escolas estaduais ri-aprovado
Rejane Souza
 
Projeto político pedagógico e suas implicações sobre a prática do professor u...
Projeto político pedagógico e suas implicações sobre a prática do professor u...Projeto político pedagógico e suas implicações sobre a prática do professor u...
Projeto político pedagógico e suas implicações sobre a prática do professor u...
rosemaralopes
 
Ensino médio
Ensino médioEnsino médio
Ensino médio
Alessandra Hoft Puga
 
Lei e dietrizes de base da educação nacional
Lei e dietrizes de base da educação nacionalLei e dietrizes de base da educação nacional
Lei e dietrizes de base da educação nacional
Solange Almeida
 
MAPA CONCEITUAL - BNCC DE CIENCIAS HUMANAS DO ENSINO MEDIO - INFO HISTORIA.pdf
MAPA CONCEITUAL - BNCC DE CIENCIAS HUMANAS DO ENSINO MEDIO - INFO HISTORIA.pdfMAPA CONCEITUAL - BNCC DE CIENCIAS HUMANAS DO ENSINO MEDIO - INFO HISTORIA.pdf
MAPA CONCEITUAL - BNCC DE CIENCIAS HUMANAS DO ENSINO MEDIO - INFO HISTORIA.pdf
MelissaVicente8
 
Araucaria sidney 4
Araucaria sidney 4Araucaria sidney 4
Araucaria sidney 4
Educação Smed
 
LDB e ECA.ppt
LDB e ECA.pptLDB e ECA.ppt
LDB e ECA.ppt
CristianeChagas10
 
08 lei nº 9493-96 ldb 2ª parte
08 lei nº 9493-96  ldb 2ª parte08 lei nº 9493-96  ldb 2ª parte
08 lei nº 9493-96 ldb 2ª parte
Hernando Professor
 
Dcnef 9 anos
Dcnef 9 anosDcnef 9 anos
Dcnef 9 anos
Renata Cunha
 
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
appfoz
 
Rceb004 10
Rceb004 10Rceb004 10
Rceb004 10
afermartins
 
Metodologia da pesquisa em ciências da educação
Metodologia da pesquisa em ciências da educação Metodologia da pesquisa em ciências da educação
Metodologia da pesquisa em ciências da educação
Patrícia Éderson Dias
 
perspectivas_profissionais_2024 profissoes.pptx
perspectivas_profissionais_2024 profissoes.pptxperspectivas_profissionais_2024 profissoes.pptx
perspectivas_profissionais_2024 profissoes.pptx
JaineSoares6
 

Semelhante a Introdução à academia ensino, pesquisa e extensão - 2017 1 (20)

1 primeira aula do segundo semestre ftc - itabuna
1 primeira aula do segundo semestre   ftc - itabuna1 primeira aula do segundo semestre   ftc - itabuna
1 primeira aula do segundo semestre ftc - itabuna
 
Estatuto da UFRJ
Estatuto da UFRJEstatuto da UFRJ
Estatuto da UFRJ
 
Educação Superior:Ensino - Pesquisa - Extensão
Educação Superior:Ensino - Pesquisa - ExtensãoEducação Superior:Ensino - Pesquisa - Extensão
Educação Superior:Ensino - Pesquisa - Extensão
 
Estrutura e organização da educação brasileira
Estrutura e organização da educação brasileiraEstrutura e organização da educação brasileira
Estrutura e organização da educação brasileira
 
Didática aula 03 01 10 2013
Didática aula 03 01 10 2013Didática aula 03 01 10 2013
Didática aula 03 01 10 2013
 
Anteprojeto de Lei da Reforma da Educação Universitária
Anteprojeto de Lei da Reforma da Educação UniversitáriaAnteprojeto de Lei da Reforma da Educação Universitária
Anteprojeto de Lei da Reforma da Educação Universitária
 
Parecer
ParecerParecer
Parecer
 
0 escolas estaduais ri-aprovado
0 escolas estaduais   ri-aprovado0 escolas estaduais   ri-aprovado
0 escolas estaduais ri-aprovado
 
Projeto político pedagógico e suas implicações sobre a prática do professor u...
Projeto político pedagógico e suas implicações sobre a prática do professor u...Projeto político pedagógico e suas implicações sobre a prática do professor u...
Projeto político pedagógico e suas implicações sobre a prática do professor u...
 
Ensino médio
Ensino médioEnsino médio
Ensino médio
 
Lei e dietrizes de base da educação nacional
Lei e dietrizes de base da educação nacionalLei e dietrizes de base da educação nacional
Lei e dietrizes de base da educação nacional
 
MAPA CONCEITUAL - BNCC DE CIENCIAS HUMANAS DO ENSINO MEDIO - INFO HISTORIA.pdf
MAPA CONCEITUAL - BNCC DE CIENCIAS HUMANAS DO ENSINO MEDIO - INFO HISTORIA.pdfMAPA CONCEITUAL - BNCC DE CIENCIAS HUMANAS DO ENSINO MEDIO - INFO HISTORIA.pdf
MAPA CONCEITUAL - BNCC DE CIENCIAS HUMANAS DO ENSINO MEDIO - INFO HISTORIA.pdf
 
Araucaria sidney 4
Araucaria sidney 4Araucaria sidney 4
Araucaria sidney 4
 
LDB e ECA.ppt
LDB e ECA.pptLDB e ECA.ppt
LDB e ECA.ppt
 
08 lei nº 9493-96 ldb 2ª parte
08 lei nº 9493-96  ldb 2ª parte08 lei nº 9493-96  ldb 2ª parte
08 lei nº 9493-96 ldb 2ª parte
 
Dcnef 9 anos
Dcnef 9 anosDcnef 9 anos
Dcnef 9 anos
 
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010
 
Rceb004 10
Rceb004 10Rceb004 10
Rceb004 10
 
Metodologia da pesquisa em ciências da educação
Metodologia da pesquisa em ciências da educação Metodologia da pesquisa em ciências da educação
Metodologia da pesquisa em ciências da educação
 
perspectivas_profissionais_2024 profissoes.pptx
perspectivas_profissionais_2024 profissoes.pptxperspectivas_profissionais_2024 profissoes.pptx
perspectivas_profissionais_2024 profissoes.pptx
 

Mais de Urbano Felix Pugliese

Aula 12 direito penal i - o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Aula 12  direito penal i -  o nexo de causalidade, resultado e tipicidadeAula 12  direito penal i -  o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Aula 12 direito penal i - o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Urbano Felix Pugliese
 
Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delitoAula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delito
Urbano Felix Pugliese
 
Aula 04 direito penal iii - restante dos crimes
Aula 04   direito penal iii - restante dos crimesAula 04   direito penal iii - restante dos crimes
Aula 04 direito penal iii - restante dos crimes
Urbano Felix Pugliese
 
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo iAula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Urbano Felix Pugliese
 
Aula 02 direito penal iii - introdução a parte especial
Aula 02   direito penal iii - introdução a parte especialAula 02   direito penal iii - introdução a parte especial
Aula 02 direito penal iii - introdução a parte especial
Urbano Felix Pugliese
 
Aula 02 direito penal iii - homicídio
Aula 02   direito penal iii - homicídioAula 02   direito penal iii - homicídio
Aula 02 direito penal iii - homicídio
Urbano Felix Pugliese
 
Plano da disciplina direito penal iii - 2017 1
Plano da disciplina   direito penal iii - 2017 1Plano da disciplina   direito penal iii - 2017 1
Plano da disciplina direito penal iii - 2017 1
Urbano Felix Pugliese
 
O status sexual dos seres humanos no mundo pós humano - 2016
O status sexual dos seres humanos no mundo pós humano - 2016O status sexual dos seres humanos no mundo pós humano - 2016
O status sexual dos seres humanos no mundo pós humano - 2016
Urbano Felix Pugliese
 
Algemas
AlgemasAlgemas
Garantismo penal
Garantismo penalGarantismo penal
Garantismo penal
Urbano Felix Pugliese
 
Abolicionismo penal
Abolicionismo penalAbolicionismo penal
Abolicionismo penal
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal iii estelionato e outras fraudes
Direito penal iii   estelionato e outras fraudesDireito penal iii   estelionato e outras fraudes
Direito penal iii estelionato e outras fraudes
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal iii apropriação indébita
Direito penal iii   apropriação indébitaDireito penal iii   apropriação indébita
Direito penal iii apropriação indébita
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal iii dano
Direito penal iii   danoDireito penal iii   dano
Direito penal iii dano
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal i concurso de pessoas
Direito penal i   concurso de pessoasDireito penal i   concurso de pessoas
Direito penal i concurso de pessoas
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal i culpabilidade
Direito penal i   culpabilidadeDireito penal i   culpabilidade
Direito penal i culpabilidade
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal iii usurpação
Direito penal iii   usurpaçãoDireito penal iii   usurpação
Direito penal iii usurpação
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal III - Usurpação
Direito penal III   - UsurpaçãoDireito penal III   - Usurpação
Direito penal III - Usurpação
Urbano Felix Pugliese
 
Direito penal I - A culpabilidade
Direito penal I - A culpabilidadeDireito penal I - A culpabilidade
Direito penal I - A culpabilidade
Urbano Felix Pugliese
 

Mais de Urbano Felix Pugliese (19)

Aula 12 direito penal i - o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Aula 12  direito penal i -  o nexo de causalidade, resultado e tipicidadeAula 12  direito penal i -  o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Aula 12 direito penal i - o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
 
Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delitoAula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delito
 
Aula 04 direito penal iii - restante dos crimes
Aula 04   direito penal iii - restante dos crimesAula 04   direito penal iii - restante dos crimes
Aula 04 direito penal iii - restante dos crimes
 
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo iAula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
 
Aula 02 direito penal iii - introdução a parte especial
Aula 02   direito penal iii - introdução a parte especialAula 02   direito penal iii - introdução a parte especial
Aula 02 direito penal iii - introdução a parte especial
 
Aula 02 direito penal iii - homicídio
Aula 02   direito penal iii - homicídioAula 02   direito penal iii - homicídio
Aula 02 direito penal iii - homicídio
 
Plano da disciplina direito penal iii - 2017 1
Plano da disciplina   direito penal iii - 2017 1Plano da disciplina   direito penal iii - 2017 1
Plano da disciplina direito penal iii - 2017 1
 
O status sexual dos seres humanos no mundo pós humano - 2016
O status sexual dos seres humanos no mundo pós humano - 2016O status sexual dos seres humanos no mundo pós humano - 2016
O status sexual dos seres humanos no mundo pós humano - 2016
 
Algemas
AlgemasAlgemas
Algemas
 
Garantismo penal
Garantismo penalGarantismo penal
Garantismo penal
 
Abolicionismo penal
Abolicionismo penalAbolicionismo penal
Abolicionismo penal
 
Direito penal iii estelionato e outras fraudes
Direito penal iii   estelionato e outras fraudesDireito penal iii   estelionato e outras fraudes
Direito penal iii estelionato e outras fraudes
 
Direito penal iii apropriação indébita
Direito penal iii   apropriação indébitaDireito penal iii   apropriação indébita
Direito penal iii apropriação indébita
 
Direito penal iii dano
Direito penal iii   danoDireito penal iii   dano
Direito penal iii dano
 
Direito penal i concurso de pessoas
Direito penal i   concurso de pessoasDireito penal i   concurso de pessoas
Direito penal i concurso de pessoas
 
Direito penal i culpabilidade
Direito penal i   culpabilidadeDireito penal i   culpabilidade
Direito penal i culpabilidade
 
Direito penal iii usurpação
Direito penal iii   usurpaçãoDireito penal iii   usurpação
Direito penal iii usurpação
 
Direito penal III - Usurpação
Direito penal III   - UsurpaçãoDireito penal III   - Usurpação
Direito penal III - Usurpação
 
Direito penal I - A culpabilidade
Direito penal I - A culpabilidadeDireito penal I - A culpabilidade
Direito penal I - A culpabilidade
 

Último

Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 

Introdução à academia ensino, pesquisa e extensão - 2017 1

  • 1. INTRODUÇÃO À ACADEMIA: O ENSINO, A PESQUISA E A EXTENSÃO Valença – 2017.1 Prof. Dr. Urbano Félix Pugliese
  • 2. O que é Educação? LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional) – Lei n. 9.394/96 Art. 1º. A educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais.  § 1º. Esta Lei disciplina a educação escolar, que se desenvolve, predominantemente, por meio do ensino, em instituições próprias; e  § 2º. A educação escolar deverá vincular-se ao mundo do trabalho e à prática social.
  • 3. O que é Educação? LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional) – Lei n. 9.394/96; Art. 2º. A educação, dever da família e do Estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.  Emancipação intelectual;  Entendimento da vida e do viver; e  Mudança de comportamento para atingir objetivos propostos.
  • 4. Nomenclatura usual • LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional) – Lei n. 9.394/96 Art. 21º. A educação escolar compõe -se de: • I - educação básica, formada pela educação infantil, ensino fundamental e ensino médio; e • II - educação superior.
  • 5. A Educação Básica: • Art. 22º. A educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer- lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores.
  • 6. A Educação Infantil: o Art. 29º. A educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança de até 5 (cinco) anos, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade. o Art. 30º. A educação infantil será oferecida em: o I - creches, ou entidades equivalentes, para crianças de até três anos de idade; o II - pré-escolas, para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade.
  • 7. O Ensino Fundamental: • Art. 32. O ensino fundamental obrigatório, com duração de 9 (nove) anos, gratuito na escola pública, iniciando-se aos 6 (seis) anos de idade, terá por objetivo a formação básica do cidadão, mediante: • I - o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo; • II - a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade;
  • 8. O Ensino Fundamental: • Art. 32. • III - o desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição de conhecimentos e habilidades e a formação de atitudes e valores; • IV - o fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância recíproca em que se assenta a vida social.
  • 9. O Ensino Médio: Art. 35. O ensino médio, etapa final da educação básica, com duração mínima de três anos, terá como finalidades: I - a consolidação e o aprofundamento dos conhecimentos adquiridos no ensino fundamental, possibilitando o prosseguimento de estudos; II - a preparação básica para o trabalho e a cidadania do educando, para continuar aprendendo, de modo a ser capaz de se adaptar com flexibilidade a novas condições de ocupação ou aperfeiçoamento posteriores;
  • 10. O Ensino Médio: Art. 35. III - o aprimoramento do educando como pessoa humana, incluindo a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico; IV - a compreensão dos fundamentos científico- tecnológicos dos processos produtivos, relacionando a teoria com a prática, no ensino de cada disciplina.
  • 11. O Ensino Superior: • Art. 43. A educação superior tem por finalidade: • I - estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo; • II - formar diplomados nas diferentes áreas de conhecimento, aptos para a inserção em setores profissionais e para a participação no desenvolvimento da sociedade brasileira, e colaborar na sua formação contínua;
  • 12. O Ensino Superior: • Art. 43. A educação superior tem por finalidade: • III - incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica, visando o desenvolvimento da ciência e da tecnologia e da criação e difusão da cultura, e, desse modo, desenvolver o entendimento do homem e do meio em que vive; • IV - promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos que constituem patrimônio da humanidade e comunicar o saber através do ensino, de publicações ou de outras formas de comunicação;
  • 13. O Ensino Superior: • Art. 43. A educação superior tem por finalidade: • V - suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural e profissional e possibilitar a correspondente concretização, integrando os conhecimentos que vão sendo adquiridos numa estrutura intelectual sistematizadora do conhecimento de cada geração; • VI - estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, em particular os nacionais e regionais, prestar serviços especializados à comunidade e estabelecer com esta uma relação de reciprocidade;
  • 14. O Ensino Superior: • Art. 43. A educação superior tem por finalidade: • VII - promover a extensão, aberta à participação da população, visando à difusão das conquistas e benefícios resultantes da criação cultural e da pesquisa científica e tecnológica geradas na instituição.
  • 15. O Ensino Superior: • Art. 44. A educação superior abrangerá os seguintes cursos e programas: • I - cursos sequenciais por campo de saber, de diferentes níveis de abrangência, abertos a candidatos que atendam aos requisitos estabelecidos pelas instituições de ensino, desde que tenham concluído o ensino médio ou equivalente; • II - de graduação, abertos a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente e tenham sido classificados em processo seletivo;
  • 16. O Ensino Superior: • Art. 44. A educação superior abrangerá os seguintes cursos e programas: • III - de pós-graduação, compreendendo programas de mestrado e doutorado, cursos de especialização, aperfeiçoamento e outros, abertos a candidatos diplomados em cursos de graduação e que atendam às exigências das instituições de ensino; • IV - de extensão, abertos a candidatos que atendam aos requisitos estabelecidos em cada caso pelas instituições de ensino.
  • 17. A Universidade: • Art. 52. As universidades são instituições pluridisciplinares de formação dos quadros profissionais de nível superior, de pesquisa, de extensão e de domínio e cultivo do saber humano, que se caracterizam por: • I - produção intelectual institucionalizada mediante o estudo sistemático dos temas e problemas mais relevantes, tanto do ponto de vista científico e cultural, quanto regional e nacional; • II - um terço do corpo docente, pelo menos, com titulação acadêmica de mestrado ou doutorado; • III - um terço do corpo docente em regime de tempo integral. • Parágrafo único. É facultada a criação de universidades especializadas por campo do saber.
  • 18. Produção Científica  Onde está o conhecimento científico? Distribuição de possibilidades Livros Relatórios Periódicos Internet Trabalhos de Curso Pesquisas Eventos científicos Confiabilidade e complexidade
  • 19. Produção Científica Periódicos científicos  Características  Procedimento de publicação  Tipos  Conteúdo e responsabilidade do Periódico  Avaliação: Capes  Indexação (disponibilização em uma base de dados) Exemplo: www.scielo.br Busca: resumo e palavras-chave Idioma / Conteúdo parcial ou conteúdo total
  • 20. Produção Científica Periódicos científicos  Os periódicos em Direito Eletrônicos: Pesquisar por Universidade (USP; UFPR; UFMG; UFSC; FGV; UNISINOS; UERJ etc.) Como pesquisar: Revista do Curso de Direito da UNIFACS (www.revistas.unifacs.br); e Revista Direito do Estado (www.direitodoestado.com.br) Periódicos internacionais
  • 21. Produção Científica Periódicos científicos  Os periódicos em Direito; Impressos: Revista do Curso de Direito da UNIFACS (anual); Revista do Programa de Pós-graduação em Direito da UFBA; Revistas da RT Editora (áreas do Direito); Revista IBDFam; Revista IBCCrim; e Revista IBDC, Etc.
  • 22. Produção Científica Livros  Aspectos editoriais e mercadológicos;  Livros: a) monográficos; b) coletivos; ou c) manuais ou cursos.  A pesquisa especializada: a) Título e autoria; b) Sumário e introdução; e c) Referências.
  • 23. Produção Científica Internet Tipos de sites: a) científicos; ou b) não científicos. Exemplos:  Confiabilidade das fontes: a) autoria; e b) Profundidade.  Ética em pesquisa.
  • 24. Produção Científica Trabalhos de Curso; Relatórios e Pesquisas  Trabalhos de Curso: Monografia; Dissertação; ou Tese.  Relatórios;  Pesquisas: Finalidades e publicações.
  • 25. Produção Científica Eventos Científicos Direito: Congressos Fórum; Encontro; Seminário Palestra Mesa-redonda Participações dos discentes: Ouvintes Participantes (Comunicação oral; Exposição de Poster)
  • 26. Produção Científica Eventos Científicos  A construção do conhecimento em eventos científicos Atualidade Interação acadêmica e profissional Linhas de pesquisa  Participação Currículo/Lattes; Publicação dos Anais do Congresso: Resumo eArtigo
  • 27. Produção Científica: A Pós- graduação no Brasil: 1) Pós-graduação Lato Sensu Regras Especialização  Profissionalizante 2) Pós-graduação Stricto Sensu Regras Mestrado  Acadêmico (regra)  Professor e/ou Pesquisador Doutorado  Acadêmico  Professor e/ou Pesquisador
  • 28. Produção Científica: O Fomento (Bolsas) à Pesquisa: Iniciação científica (Graduação) Mestrado; e Doutorado. Federal: CNPq (www.cnpq.br) e CAPES; Estadual: FAPESB (www.fapesb.ba.gov.br); Nacionais e internacionais; e Outras Bolsas de Instituições Privadas.
  • 29. Pluridisciplinar: • Disciplinar; Interdisciplinar; Multidisciplinar; Transdisciplinar; Multi-inter-transdisciplinar? • Causa e efeito recursiva? Circular? Incerta? Retroativa? Consciência capaz de enfrentar complexidades? • CR: Art. 207. As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. • Quais são as diferenças com os Centros Universitários, os Institutos Superiores de Educação e as Faculdades isoladas?
  • 30. As ilusões do senso comum vs a sistematização do conhecimento: • Informação x Conhecimento x Consciência • Por que ano bissexto? • 4 em 4 anos? 366 dias? Tempo de volta da Terra ao redor do Sol? • Conhecem essa música? Vambora – Adriana Calcanhoto Ainda tem o seu perfume pela casa Ainda tem você na sala Porque meu coração dispara Quando tem o seu cheiro Dentro de um livro Dentro da noite veloz [...] Na cinza das horas
  • 31. As ilusões do senso comum vs a sistematização do conhecimento: • Ferreira Gullar escreveu “Dentro da noite veloz”, em 1975; • Manuel Bandeira escreveu “As cinzas das horas”, em 1917.
  • 32. A Universidade: Tripé de intencionalidades educativas: 1) O Ensino (incluída a aprendizagem) – Transmissão e apropriação do saber; 2) A Pesquisa – Construção do saber; e 3) A Extensão – Disseminação na vida cotidiana do saber.