SlideShare uma empresa Scribd logo
PRINCÍPIOS DA ENGENHARIA DE
SOFTWARE – AULA 01
Prof.: Franklin M. Correia
E-mail:
franklin.correia@bonfim.ifbaiano.edu.br
APRESENTAÇÃO
 Franklin Matos Correia
 Bacharel em Ciência da Computação
 Faculdade Ruy Barbosa – 2009
 Especialista em Engenharia de Software
 Faculdade Ruy Barbosa 2013
OBJETIVO
Conhecer e aplicar as metodologias, ferramentas,
procedimentos e boas práticas de Engenharia
de Software.
AVALIAÇÕES
 2 Provas + Trabalho
 Prova 1 (P1)
 Prova 2 (P2)
 Trabalho (Tb)
 Nota Final = (P1 + P2 )*7 + Tb * 3
DATAS AVALIAÇÕES
 Prova 1 - 12/09/2013*
 Revisão caso tenham dúvidas na primeira aula
 Prova 2 - 10/10/2013
 Revisão caso tenham dúvidas na primeira aula
 Inclui também os assuntos da Prova 1
 Trabalho – Seminário / Estudo de Caso – 17 e
24/10/2013
 30 minutos.
 Prova final
 Assuntos do semestre inteiro.
OBSERVAÇÕES & ALERTAS
 Itens negociáveis
 Datas das provas
 Nunca no dia da prova
 Tipo de trabalho
 Nunca no dia da apresentação / entrega
 Itens inegociáveis
 Quantidade de provas
 Trabalho
 Data do trabalho
 4 aulas/dia
 2 aulas +intervalo de 10 minutos + 2 aulas.
 1 aula = 50 minutos
O QUE TEMOS PRA HOJE??
 Introdução a Engenharia de Software
 O que é software?
 O que é Engenharia de Software?
 Conceitos importantes
 Tipos de Produtos
 Processo de software
 Fazes do processo de software
 Modelos de Processo de software
CRISE DO SOFTWARE
 Termo Engenharia de software usando 1968
durante a crise do software.
 Produção de um novo hardware usando circuitos
integrados
 Aplicações inviáveis tornaram-se realizáveis
 Construção informal de software
 Atrasos exorbitantes
 Alto custo de construção de software
 Custo do hardware caindo e de software subindo
 Criação de técnicas para controle da produção do
software
ENGENHARIA DE SOFTWARE
 O que é Engenharia de Software?
 Ramo da engenharia cujo foco é o desenvolvimento
dentro de custos adequados de sistemas de software
de qualidade. Software é abstrato, intangível , não é
limitado por materiais, ou controlado por leis físicas
ou por processos de manufatura (Sommerville, 2003).
O QUE É ENGENHARIA DE SOFTWARE
Linguagens de
programação
Banco de Dados Infraestrutura
OutrosProjetos
Engenharia de Software
O QUE É SOFTWARE?
 Software não é apenas o arquivo executável /
programa
 É o Programa de computador, toda documentação
associada(arquivos de configuração, manual de
instalação e utilização) e o banco de dados.
 Podem ser desenvolvidos para um cliente
específico ou para um mercado geral
TIPO DE PRODUTO SOFTWARE
 Produto de Software de Prateleira / Genéricos
 Chamado de stand-alone
 Criados de forma genérica, para qualquer empresa.
 Controle de estoque
 Controle de farmácia
 Programas de Contabilidade
 Produtos sob encomenda / Personalizados
 Software criados com objetivo de prover uma solução
específica para um cliente específico
 Software para dispositivos eletrônicos: Geladeiras, jogões,
micro-ondas
 Sistema de controle de tráfego aéreo
PROCESSO DE SOFTWARE
 Método utilizado para desenvolver ou produzir
um software.
 Define o que faz, como será feito e quando será
feito
PROCESSO DE SOFTWARE
 Capaz de responder as perguntas:
 O que é feito? ===> Produto
 Como é feito? ===> Passos
 Por quem é feito? ===> Agente
 O que usa? ===> Insumos
 O que produz? ===> Resultados
MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE
 Deve incorporar uma estratégia de
desenvolvimento
definição do
problema
desenvolvimento técnico
integração da
solução
estado atual
MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE
 A modelagem é uma técnica de engenharia bem
aceita
 modelos de arquitetura de casas e de grandes prédios
 modelos matemáticos a fim de analisar os efeitos de
ventos e tremores de terra --> causas
MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE
MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE
 O que é?
 Simplificação da realidade
 Planos podem ser:
 Reais - Organização do sistema
 Comportamentais – dinâmica do sistema
 Porque é importante construir modelos?
 Melhor entendimento do sistema que está sendo
construído
 Especificar a estrutura e comportamento
 Guia a construção do sistema
 Documenta as decisões tomadas
MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE
 Objetivo
 Auxiliar ao gerente: controlar o processo de
desenvolvimento de sistemas de software.
 Auxiliar ao desenvolvedor: obter a base
para produzir, de maneira eficiente, software
que satisfaça os requisitos pré-estabelecidos.
MODELO X PROCESSO
 Modelo de software : documento teórico, conjunto
de possíveis ações
 Processo de software: deve determinar ações
práticas a serem realizadas pela equipe como
prazos definidos e métricas para se avaliar como
elas estão sendo realizadas
PROCESSO DE SOFTWARE
Estudo de
viabilidade
Relatório
de viabilidade
Levantamento
e análise de
requisitos
Especificação
de requisitos
Validação
de requisitos
Modelos
de sistemas
Requisitos do
usuário e do sistema
Documenta
ção
de
requisitos
PROCESSO DE SOFTWARE
 Estudo de viabilidade
 Econômica – relação custo/benefício;
 Técnica – tecnologia e capacitação;
 Jurídica – aspectos legais
 Levantamento de Análise de Requisitos
 Entrevista
 Observação
 Reuniões
PROCESSO DE SOFTWARE
 Especificação de requisitos
 Documento contendo os requisitos do usuário e do
sistema
 Funcionais e não funcionais
 Validação de requisitos
 Avaliação do documento de requisitos – consistência e
integridade
MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE
 Exemplo de modelos de processo:
 Workflow – sucessão de atividades
 Fluxo de dados – fluxo de informação
 Papel / Ação – representa os papeis das pessoas e as
atividades pelas quais elas são responsáveis
CICLO DE VIDA DE UM SOFTWARE
 Uma estratégia de desenvolvimento que englobe
processos, métodos e ferramentas, e as fases de
desenvolvimento...
CICLO DE VIDA DE UM SOFTWARE
 Modelo em Cascata - ciclo clássico
 Paradigma Evolucionário
 Prototipação
 Incremental
 Espiral
 Métodos Ágeis
 Modelos Formais
 Técnicas de 4ª Geração
 Orientado a Reuso
 Método sistemático e sequencial
 O resultado de uma fase se constitui na entrada
da outra
 Cada fase é estruturada como um conjunto de
atividades que podem ser executadas por pessoas
diferentes
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
Engenharia de
Sistemas
Análise de
Requisitos
Projeto
Codificação
Testes
Manutenção
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
Engenharia de
Sistemas
Análise de
Requisitos
Projeto
Codificação
Testes
Manutenção
 Engenharia de Sistemas
 Envolve a coleta de requisitos (nível de sistemas)
 Pequena quantidade de projetos
 Análise de alto nível
 Importante quando o sistema fizer interface
com outros elementos (hardware, pessoas e
banco de dados)
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
Engenharia de
Sistemas
Análise de
Requisitos
Projeto
Codificação
Testes
Manutenção
 Análise de Requisitos
 Envolve a coleta de requisitos (nível de usuário) de
forma intensa
 Compreensão do domínio, função, desempenho e
interface necessários
 Os requisitos são documentados e revistos com o
cliente
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
Engenharia de
Sistemas
Análise de
Requisitos
Projeto
Codificação
Testes
Manutenção
 Projeto
 Requisitos do software -> Representações
 Avaliação de qualidade
 Anterior a codificação
 Concentram em 4 atributos
 Estrutura de dados
 Arquitetura
 Detalhes de procedimentos
 Caracterização de interface
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
Engenharia de
Sistemas
Análise de
Requisitos
Projeto
Codificação
Testes
Manutenção
 Codificação
 Implementação
 Tradução do projeto em código computacional
 Instruções executáveis pelo computador
 Linguagens de programação ( alto ou baixo nível )
 Quanto mais coeso o projeto e os requisitos mais
rápida é a codificação
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
Engenharia de
Sistemas
Análise de
Requisitos
Projeto
Codificação
Testes
Manutenção
 Testes
 Concentra os aspectos lógicos internos
 Garante o teste de funcionalidade (código)
 Nos aspectos funcionais externos
 Descobrir erros (teste de funcionalidade)
 Entrada x produz saída y
 Garantir a confiabilidade
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
Engenharia de
Sistemas
Análise de
Requisitos
Projeto
Codificação
Testes
Manutenção
 Manutenção
 Alterações depois de entrega efetuada
 Mudanças ocorrem por:
 Erros
 Adaptação para acomodação de mudanças em processo
organizacional
 Exigência do cliente para acréscimo funcional
 Em decorrência do desempenho
MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
PROBLEMAS COM MODELO EM CASCATA
 Projetos raramente seguem o fluxo do modelo
 Dificuldade de estabelecer os requisitos no início
do projeto
 O cliente deve ter paciência
 Uma versão do produto só ficará disponível numa
etapa avançada de desenvolvimento
MODELO EM CASCATA – COMENTÁRIO
 Mesmo com as fragilidades, ele é
significativamente melhor que uma abordagem
aleatória de desenvolvimento.
 Embora a entrega de uma versão “beta” seja
tardia o resultado é satisfatório porem demorado.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e práticaProcessos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Ralph Rassweiler
 
Engenharia de Software Pressman
Engenharia de Software PressmanEngenharia de Software Pressman
Engenharia de Software Pressman
Simoneinfo
 
Aula 01 - Algoritmo e Programação
Aula 01 - Algoritmo e ProgramaçãoAula 01 - Algoritmo e Programação
Aula 01 - Algoritmo e Programação
Aislan Rafael
 
Computacao Movel Ubiqua
Computacao Movel UbiquaComputacao Movel Ubiqua
Computacao Movel Ubiqua
Luiz Matos
 
Aula 1 - Introdução ao Mobile
Aula 1 - Introdução ao MobileAula 1 - Introdução ao Mobile
Aula 1 - Introdução ao Mobile
Cloves da Rocha
 
Introdução ao SQL
Introdução ao SQLIntrodução ao SQL
Introdução ao SQL
Thiago Freitas
 
Informática Básica - Aula 04 - Software
Informática Básica - Aula 04 - SoftwareInformática Básica - Aula 04 - Software
Informática Básica - Aula 04 - Software
Joeldson Costa Damasceno
 
Desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis
Desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveisDesenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis
Desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis
Marcelo Quinta
 
Editores de texto
Editores de textoEditores de texto
Editores de texto
Guilherme Teixeira
 
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 02
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 02Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 02
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 02
thomasdacosta
 
Uma Introdução a Engenharia de Software
Uma Introdução a Engenharia de SoftwareUma Introdução a Engenharia de Software
Uma Introdução a Engenharia de Software
Vinicius Garcia
 
Engenharia De Software
Engenharia De SoftwareEngenharia De Software
Engenharia De Software
CursoSENAC
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionais
vini_campos
 
Metodologias Ágeis para o Desenvolvimento de Software
Metodologias Ágeis para o Desenvolvimento de SoftwareMetodologias Ágeis para o Desenvolvimento de Software
Metodologias Ágeis para o Desenvolvimento de Software
Adolfo Neto
 
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Cloves da Rocha
 
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01
thomasdacosta
 
Hardware E Software
Hardware E SoftwareHardware E Software
Hardware E Software
Daniel Matos
 
Prototipagem
PrototipagemPrototipagem
Prototipagem
Know Solutions
 
Interface Humano-Computador (IHC)
Interface Humano-Computador (IHC)Interface Humano-Computador (IHC)
Interface Humano-Computador (IHC)
Wellington Oliveira
 
Teste de Software - Introdução
Teste de Software - IntroduçãoTeste de Software - Introdução
Teste de Software - Introdução
Joeldson Costa Damasceno
 

Mais procurados (20)

Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e práticaProcessos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
 
Engenharia de Software Pressman
Engenharia de Software PressmanEngenharia de Software Pressman
Engenharia de Software Pressman
 
Aula 01 - Algoritmo e Programação
Aula 01 - Algoritmo e ProgramaçãoAula 01 - Algoritmo e Programação
Aula 01 - Algoritmo e Programação
 
Computacao Movel Ubiqua
Computacao Movel UbiquaComputacao Movel Ubiqua
Computacao Movel Ubiqua
 
Aula 1 - Introdução ao Mobile
Aula 1 - Introdução ao MobileAula 1 - Introdução ao Mobile
Aula 1 - Introdução ao Mobile
 
Introdução ao SQL
Introdução ao SQLIntrodução ao SQL
Introdução ao SQL
 
Informática Básica - Aula 04 - Software
Informática Básica - Aula 04 - SoftwareInformática Básica - Aula 04 - Software
Informática Básica - Aula 04 - Software
 
Desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis
Desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveisDesenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis
Desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis
 
Editores de texto
Editores de textoEditores de texto
Editores de texto
 
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 02
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 02Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 02
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 02
 
Uma Introdução a Engenharia de Software
Uma Introdução a Engenharia de SoftwareUma Introdução a Engenharia de Software
Uma Introdução a Engenharia de Software
 
Engenharia De Software
Engenharia De SoftwareEngenharia De Software
Engenharia De Software
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionais
 
Metodologias Ágeis para o Desenvolvimento de Software
Metodologias Ágeis para o Desenvolvimento de SoftwareMetodologias Ágeis para o Desenvolvimento de Software
Metodologias Ágeis para o Desenvolvimento de Software
 
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
Aula Modelos de Processos Tradicionais para Desenvolvimento de Software
 
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01
Algoritmos e Estrutura de Dados - Aula 01
 
Hardware E Software
Hardware E SoftwareHardware E Software
Hardware E Software
 
Prototipagem
PrototipagemPrototipagem
Prototipagem
 
Interface Humano-Computador (IHC)
Interface Humano-Computador (IHC)Interface Humano-Computador (IHC)
Interface Humano-Computador (IHC)
 
Teste de Software - Introdução
Teste de Software - IntroduçãoTeste de Software - Introdução
Teste de Software - Introdução
 

Destaque

Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 1
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 1Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 1
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 1
André Phillip Bertoletti
 
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento
Sérgio Souza Costa
 
Curso de Introdução a Engenharia de Software - CJR/UnB - Aula 1
Curso de Introdução a Engenharia de Software - CJR/UnB - Aula 1Curso de Introdução a Engenharia de Software - CJR/UnB - Aula 1
Curso de Introdução a Engenharia de Software - CJR/UnB - Aula 1
Renato Leal
 
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 2
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 2Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 2
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 2
André Phillip Bertoletti
 
Engenharia de Software I - Aula 1
Engenharia de Software I - Aula 1Engenharia de Software I - Aula 1
Engenharia de Software I - Aula 1
Alessandro Almeida
 
Introdução à Engenharia de Software
Introdução à Engenharia de SoftwareIntrodução à Engenharia de Software
Introdução à Engenharia de Software
elliando dias
 
Aula 01 Revisão
Aula 01   RevisãoAula 01   Revisão
Aula 01 Revisão
Franklin Matos Correia
 
Introdução a engenharia de software aula 02
Introdução a engenharia de software   aula 02Introdução a engenharia de software   aula 02
Introdução a engenharia de software aula 02
Franklin Matos Correia
 
Engenharia de software
Engenharia de softwareEngenharia de software
Engenharia de software
Joao Johanes
 
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 3
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 3Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 3
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 3
André Phillip Bertoletti
 
Como desenvolver e publicar aplicativos em Android no Google Play - Matheus P...
Como desenvolver e publicar aplicativos em Android no Google Play - Matheus P...Como desenvolver e publicar aplicativos em Android no Google Play - Matheus P...
Como desenvolver e publicar aplicativos em Android no Google Play - Matheus P...
Matheus Piscioneri
 
Introdução à Engenharia de Software (parte II)
Introdução à Engenharia de Software (parte II)Introdução à Engenharia de Software (parte II)
Introdução à Engenharia de Software (parte II)
Nécio de Lima Veras
 
Engenharia social
Engenharia socialEngenharia social
Engenharia social
Marlos Cesar
 
Gestão de Projetos (25/08/2014)
Gestão de Projetos (25/08/2014)Gestão de Projetos (25/08/2014)
Gestão de Projetos (25/08/2014)
Alessandro Almeida
 
Ciclo de vida de software
Ciclo de vida de softwareCiclo de vida de software
Ciclo de vida de software
diha36
 
Software Embutido
Software EmbutidoSoftware Embutido
Software Embutido
Jaime Teixeira
 
Ciclo de vida de software
Ciclo de vida de software Ciclo de vida de software
Ciclo de vida de software
caricati
 
Engenharia de Software para Jogos
Engenharia de  Software para JogosEngenharia de  Software para Jogos
Engenharia de Software para Jogos
Ricardo Leite
 
Aula2 processos sw
Aula2 processos swAula2 processos sw
Aula2 processos sw
Computação Depressão
 
Aula 3
Aula 3Aula 3

Destaque (20)

Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 1
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 1Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 1
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 1
 
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento
Engenharia de Software - Conceitos e Modelos de Desenvolvimento
 
Curso de Introdução a Engenharia de Software - CJR/UnB - Aula 1
Curso de Introdução a Engenharia de Software - CJR/UnB - Aula 1Curso de Introdução a Engenharia de Software - CJR/UnB - Aula 1
Curso de Introdução a Engenharia de Software - CJR/UnB - Aula 1
 
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 2
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 2Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 2
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 2
 
Engenharia de Software I - Aula 1
Engenharia de Software I - Aula 1Engenharia de Software I - Aula 1
Engenharia de Software I - Aula 1
 
Introdução à Engenharia de Software
Introdução à Engenharia de SoftwareIntrodução à Engenharia de Software
Introdução à Engenharia de Software
 
Aula 01 Revisão
Aula 01   RevisãoAula 01   Revisão
Aula 01 Revisão
 
Introdução a engenharia de software aula 02
Introdução a engenharia de software   aula 02Introdução a engenharia de software   aula 02
Introdução a engenharia de software aula 02
 
Engenharia de software
Engenharia de softwareEngenharia de software
Engenharia de software
 
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 3
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 3Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 3
Engenharia de Software - Unimep/Pronatec - Aula 3
 
Como desenvolver e publicar aplicativos em Android no Google Play - Matheus P...
Como desenvolver e publicar aplicativos em Android no Google Play - Matheus P...Como desenvolver e publicar aplicativos em Android no Google Play - Matheus P...
Como desenvolver e publicar aplicativos em Android no Google Play - Matheus P...
 
Introdução à Engenharia de Software (parte II)
Introdução à Engenharia de Software (parte II)Introdução à Engenharia de Software (parte II)
Introdução à Engenharia de Software (parte II)
 
Engenharia social
Engenharia socialEngenharia social
Engenharia social
 
Gestão de Projetos (25/08/2014)
Gestão de Projetos (25/08/2014)Gestão de Projetos (25/08/2014)
Gestão de Projetos (25/08/2014)
 
Ciclo de vida de software
Ciclo de vida de softwareCiclo de vida de software
Ciclo de vida de software
 
Software Embutido
Software EmbutidoSoftware Embutido
Software Embutido
 
Ciclo de vida de software
Ciclo de vida de software Ciclo de vida de software
Ciclo de vida de software
 
Engenharia de Software para Jogos
Engenharia de  Software para JogosEngenharia de  Software para Jogos
Engenharia de Software para Jogos
 
Aula2 processos sw
Aula2 processos swAula2 processos sw
Aula2 processos sw
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 

Semelhante a Introdução a engenharia de software aula 01

152191 11993
152191 11993152191 11993
152191 11993
Junior Abs
 
Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane FidelixIntrodução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
Cris Fidelix
 
Aula1 eng software
Aula1 eng softwareAula1 eng software
Aula1 eng software
Portal_do_estudante_ADS
 
Eng.ª do Software - 1. Introdução
Eng.ª do Software - 1. IntroduçãoEng.ª do Software - 1. Introdução
Eng.ª do Software - 1. Introdução
Manuel Menezes de Sequeira
 
Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)
Carlos Henrique Martins da Silva
 
Aula1 Apresentacao TEES
Aula1 Apresentacao TEESAula1 Apresentacao TEES
Aula1 Apresentacao TEES
Rogerio P C do Nascimento
 
Aula18_V&VTesteSoftware.pdf
Aula18_V&VTesteSoftware.pdfAula18_V&VTesteSoftware.pdf
Aula18_V&VTesteSoftware.pdf
MichaelArrais1
 
Aula1 introducao engsw
Aula1 introducao engswAula1 introducao engsw
Aula1 introducao engsw
Computação Depressão
 
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)
Tiago Vizoto
 
Modelos de Processo de Software Parte 1
Modelos de Processo de Software Parte 1Modelos de Processo de Software Parte 1
Modelos de Processo de Software Parte 1
Elaine Cecília Gatto
 
Processo de Software
Processo de SoftwareProcesso de Software
Processo de Software
Helio Henrique L. C. Monte-Alto
 
2 engenharia de software
2   engenharia de software2   engenharia de software
2 engenharia de software
Felipe Bugov
 
1 - APS – Iniciação Desenvolvimento Requisitos.pdf
1 - APS – Iniciação Desenvolvimento Requisitos.pdf1 - APS – Iniciação Desenvolvimento Requisitos.pdf
1 - APS – Iniciação Desenvolvimento Requisitos.pdf
a29398
 
Eng.ª do Software - 4. Processos de software
Eng.ª do Software - 4. Processos de softwareEng.ª do Software - 4. Processos de software
Eng.ª do Software - 4. Processos de software
Manuel Menezes de Sequeira
 
T@rget trust curso de introdução ao processo de teste de software
T@rget trust   curso de introdução ao processo de teste de softwareT@rget trust   curso de introdução ao processo de teste de software
T@rget trust curso de introdução ao processo de teste de software
Targettrust
 
T@rget trust curso de introdução ao processo de teste de software
T@rget trust   curso de introdução ao processo de teste de softwareT@rget trust   curso de introdução ao processo de teste de software
T@rget trust curso de introdução ao processo de teste de software
Targettrust
 
1 Qss
1 Qss1 Qss
1 Qss
lcbj
 
ES - 01
ES - 01ES - 01
Testes Funcionais
Testes FuncionaisTestes Funcionais
Testes Funcionais
Juliana Maria Lopes
 
Metodologias Ageis
Metodologias AgeisMetodologias Ageis
Metodologias Ageis
MarcosMaozinha
 

Semelhante a Introdução a engenharia de software aula 01 (20)

152191 11993
152191 11993152191 11993
152191 11993
 
Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane FidelixIntrodução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
 
Aula1 eng software
Aula1 eng softwareAula1 eng software
Aula1 eng software
 
Eng.ª do Software - 1. Introdução
Eng.ª do Software - 1. IntroduçãoEng.ª do Software - 1. Introdução
Eng.ª do Software - 1. Introdução
 
Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)
 
Aula1 Apresentacao TEES
Aula1 Apresentacao TEESAula1 Apresentacao TEES
Aula1 Apresentacao TEES
 
Aula18_V&VTesteSoftware.pdf
Aula18_V&VTesteSoftware.pdfAula18_V&VTesteSoftware.pdf
Aula18_V&VTesteSoftware.pdf
 
Aula1 introducao engsw
Aula1 introducao engswAula1 introducao engsw
Aula1 introducao engsw
 
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)
 
Modelos de Processo de Software Parte 1
Modelos de Processo de Software Parte 1Modelos de Processo de Software Parte 1
Modelos de Processo de Software Parte 1
 
Processo de Software
Processo de SoftwareProcesso de Software
Processo de Software
 
2 engenharia de software
2   engenharia de software2   engenharia de software
2 engenharia de software
 
1 - APS – Iniciação Desenvolvimento Requisitos.pdf
1 - APS – Iniciação Desenvolvimento Requisitos.pdf1 - APS – Iniciação Desenvolvimento Requisitos.pdf
1 - APS – Iniciação Desenvolvimento Requisitos.pdf
 
Eng.ª do Software - 4. Processos de software
Eng.ª do Software - 4. Processos de softwareEng.ª do Software - 4. Processos de software
Eng.ª do Software - 4. Processos de software
 
T@rget trust curso de introdução ao processo de teste de software
T@rget trust   curso de introdução ao processo de teste de softwareT@rget trust   curso de introdução ao processo de teste de software
T@rget trust curso de introdução ao processo de teste de software
 
T@rget trust curso de introdução ao processo de teste de software
T@rget trust   curso de introdução ao processo de teste de softwareT@rget trust   curso de introdução ao processo de teste de software
T@rget trust curso de introdução ao processo de teste de software
 
1 Qss
1 Qss1 Qss
1 Qss
 
ES - 01
ES - 01ES - 01
ES - 01
 
Testes Funcionais
Testes FuncionaisTestes Funcionais
Testes Funcionais
 
Metodologias Ageis
Metodologias AgeisMetodologias Ageis
Metodologias Ageis
 

Último

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 

Último (20)

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 

Introdução a engenharia de software aula 01

  • 1. PRINCÍPIOS DA ENGENHARIA DE SOFTWARE – AULA 01 Prof.: Franklin M. Correia E-mail: franklin.correia@bonfim.ifbaiano.edu.br
  • 2. APRESENTAÇÃO  Franklin Matos Correia  Bacharel em Ciência da Computação  Faculdade Ruy Barbosa – 2009  Especialista em Engenharia de Software  Faculdade Ruy Barbosa 2013
  • 3. OBJETIVO Conhecer e aplicar as metodologias, ferramentas, procedimentos e boas práticas de Engenharia de Software.
  • 4. AVALIAÇÕES  2 Provas + Trabalho  Prova 1 (P1)  Prova 2 (P2)  Trabalho (Tb)  Nota Final = (P1 + P2 )*7 + Tb * 3
  • 5. DATAS AVALIAÇÕES  Prova 1 - 12/09/2013*  Revisão caso tenham dúvidas na primeira aula  Prova 2 - 10/10/2013  Revisão caso tenham dúvidas na primeira aula  Inclui também os assuntos da Prova 1  Trabalho – Seminário / Estudo de Caso – 17 e 24/10/2013  30 minutos.  Prova final  Assuntos do semestre inteiro.
  • 6. OBSERVAÇÕES & ALERTAS  Itens negociáveis  Datas das provas  Nunca no dia da prova  Tipo de trabalho  Nunca no dia da apresentação / entrega  Itens inegociáveis  Quantidade de provas  Trabalho  Data do trabalho  4 aulas/dia  2 aulas +intervalo de 10 minutos + 2 aulas.  1 aula = 50 minutos
  • 7. O QUE TEMOS PRA HOJE??  Introdução a Engenharia de Software  O que é software?  O que é Engenharia de Software?  Conceitos importantes  Tipos de Produtos  Processo de software  Fazes do processo de software  Modelos de Processo de software
  • 8. CRISE DO SOFTWARE  Termo Engenharia de software usando 1968 durante a crise do software.  Produção de um novo hardware usando circuitos integrados  Aplicações inviáveis tornaram-se realizáveis  Construção informal de software  Atrasos exorbitantes  Alto custo de construção de software  Custo do hardware caindo e de software subindo  Criação de técnicas para controle da produção do software
  • 9. ENGENHARIA DE SOFTWARE  O que é Engenharia de Software?  Ramo da engenharia cujo foco é o desenvolvimento dentro de custos adequados de sistemas de software de qualidade. Software é abstrato, intangível , não é limitado por materiais, ou controlado por leis físicas ou por processos de manufatura (Sommerville, 2003).
  • 10. O QUE É ENGENHARIA DE SOFTWARE Linguagens de programação Banco de Dados Infraestrutura OutrosProjetos Engenharia de Software
  • 11. O QUE É SOFTWARE?  Software não é apenas o arquivo executável / programa  É o Programa de computador, toda documentação associada(arquivos de configuração, manual de instalação e utilização) e o banco de dados.  Podem ser desenvolvidos para um cliente específico ou para um mercado geral
  • 12. TIPO DE PRODUTO SOFTWARE  Produto de Software de Prateleira / Genéricos  Chamado de stand-alone  Criados de forma genérica, para qualquer empresa.  Controle de estoque  Controle de farmácia  Programas de Contabilidade  Produtos sob encomenda / Personalizados  Software criados com objetivo de prover uma solução específica para um cliente específico  Software para dispositivos eletrônicos: Geladeiras, jogões, micro-ondas  Sistema de controle de tráfego aéreo
  • 13. PROCESSO DE SOFTWARE  Método utilizado para desenvolver ou produzir um software.  Define o que faz, como será feito e quando será feito
  • 14. PROCESSO DE SOFTWARE  Capaz de responder as perguntas:  O que é feito? ===> Produto  Como é feito? ===> Passos  Por quem é feito? ===> Agente  O que usa? ===> Insumos  O que produz? ===> Resultados
  • 15. MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE  Deve incorporar uma estratégia de desenvolvimento definição do problema desenvolvimento técnico integração da solução estado atual
  • 16. MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE  A modelagem é uma técnica de engenharia bem aceita  modelos de arquitetura de casas e de grandes prédios  modelos matemáticos a fim de analisar os efeitos de ventos e tremores de terra --> causas
  • 17. MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE
  • 18. MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE  O que é?  Simplificação da realidade  Planos podem ser:  Reais - Organização do sistema  Comportamentais – dinâmica do sistema  Porque é importante construir modelos?  Melhor entendimento do sistema que está sendo construído  Especificar a estrutura e comportamento  Guia a construção do sistema  Documenta as decisões tomadas
  • 19. MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE  Objetivo  Auxiliar ao gerente: controlar o processo de desenvolvimento de sistemas de software.  Auxiliar ao desenvolvedor: obter a base para produzir, de maneira eficiente, software que satisfaça os requisitos pré-estabelecidos.
  • 20. MODELO X PROCESSO  Modelo de software : documento teórico, conjunto de possíveis ações  Processo de software: deve determinar ações práticas a serem realizadas pela equipe como prazos definidos e métricas para se avaliar como elas estão sendo realizadas
  • 21. PROCESSO DE SOFTWARE Estudo de viabilidade Relatório de viabilidade Levantamento e análise de requisitos Especificação de requisitos Validação de requisitos Modelos de sistemas Requisitos do usuário e do sistema Documenta ção de requisitos
  • 22. PROCESSO DE SOFTWARE  Estudo de viabilidade  Econômica – relação custo/benefício;  Técnica – tecnologia e capacitação;  Jurídica – aspectos legais  Levantamento de Análise de Requisitos  Entrevista  Observação  Reuniões
  • 23. PROCESSO DE SOFTWARE  Especificação de requisitos  Documento contendo os requisitos do usuário e do sistema  Funcionais e não funcionais  Validação de requisitos  Avaliação do documento de requisitos – consistência e integridade
  • 24. MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE  Exemplo de modelos de processo:  Workflow – sucessão de atividades  Fluxo de dados – fluxo de informação  Papel / Ação – representa os papeis das pessoas e as atividades pelas quais elas são responsáveis
  • 25. CICLO DE VIDA DE UM SOFTWARE  Uma estratégia de desenvolvimento que englobe processos, métodos e ferramentas, e as fases de desenvolvimento...
  • 26. CICLO DE VIDA DE UM SOFTWARE  Modelo em Cascata - ciclo clássico  Paradigma Evolucionário  Prototipação  Incremental  Espiral  Métodos Ágeis  Modelos Formais  Técnicas de 4ª Geração  Orientado a Reuso
  • 27.  Método sistemático e sequencial  O resultado de uma fase se constitui na entrada da outra  Cada fase é estruturada como um conjunto de atividades que podem ser executadas por pessoas diferentes MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
  • 28. MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO) Engenharia de Sistemas Análise de Requisitos Projeto Codificação Testes Manutenção
  • 29. MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO) Engenharia de Sistemas Análise de Requisitos Projeto Codificação Testes Manutenção
  • 30.  Engenharia de Sistemas  Envolve a coleta de requisitos (nível de sistemas)  Pequena quantidade de projetos  Análise de alto nível  Importante quando o sistema fizer interface com outros elementos (hardware, pessoas e banco de dados) MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
  • 31. MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO) Engenharia de Sistemas Análise de Requisitos Projeto Codificação Testes Manutenção
  • 32.  Análise de Requisitos  Envolve a coleta de requisitos (nível de usuário) de forma intensa  Compreensão do domínio, função, desempenho e interface necessários  Os requisitos são documentados e revistos com o cliente MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
  • 33. MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO) Engenharia de Sistemas Análise de Requisitos Projeto Codificação Testes Manutenção
  • 34.  Projeto  Requisitos do software -> Representações  Avaliação de qualidade  Anterior a codificação  Concentram em 4 atributos  Estrutura de dados  Arquitetura  Detalhes de procedimentos  Caracterização de interface MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
  • 35. MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO) Engenharia de Sistemas Análise de Requisitos Projeto Codificação Testes Manutenção
  • 36.  Codificação  Implementação  Tradução do projeto em código computacional  Instruções executáveis pelo computador  Linguagens de programação ( alto ou baixo nível )  Quanto mais coeso o projeto e os requisitos mais rápida é a codificação MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
  • 37. MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO) Engenharia de Sistemas Análise de Requisitos Projeto Codificação Testes Manutenção
  • 38.  Testes  Concentra os aspectos lógicos internos  Garante o teste de funcionalidade (código)  Nos aspectos funcionais externos  Descobrir erros (teste de funcionalidade)  Entrada x produz saída y  Garantir a confiabilidade MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
  • 39. MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO) Engenharia de Sistemas Análise de Requisitos Projeto Codificação Testes Manutenção
  • 40.  Manutenção  Alterações depois de entrega efetuada  Mudanças ocorrem por:  Erros  Adaptação para acomodação de mudanças em processo organizacional  Exigência do cliente para acréscimo funcional  Em decorrência do desempenho MODELO EM CASCATA (CICLO CLÁSSICO)
  • 41. PROBLEMAS COM MODELO EM CASCATA  Projetos raramente seguem o fluxo do modelo  Dificuldade de estabelecer os requisitos no início do projeto  O cliente deve ter paciência  Uma versão do produto só ficará disponível numa etapa avançada de desenvolvimento
  • 42. MODELO EM CASCATA – COMENTÁRIO  Mesmo com as fragilidades, ele é significativamente melhor que uma abordagem aleatória de desenvolvimento.  Embora a entrega de uma versão “beta” seja tardia o resultado é satisfatório porem demorado.