SlideShare uma empresa Scribd logo
Interface homem maquina - introdução Prof.:Marlon Vinicius Da Silva Disciplina: Interface Homem Maquina
Sumario O que é IHM Ergonomia Cognição & Engenharia Cognitiva Modelo Mental & Mapa Mental Teoria de Gestalt Percepção Engenharia Semiótica Interface e Interação
O que é IHM É o canal de comunicação entre o homem e o computador, através do qual interagem, visando atingir um objetivo comum  É parte de um sistema computacional com a qual uma pessoa entra em contato física, perceptual e conceitualmente.
Ergonomia científica relacionada ao entendimento das interações entre seres humanos e outros elementos de um sistema,  aplica teoria, princípios, dados e métodos para projetar a fim de otimizar o bem-estar humano e o desempenho geral de um sistema
Ergonomia (cont.) Ergonomia Física: Estuda a respostas do corpo humano à carga física e psicológica. Como carga de trabalho ou esforço repetitivo Ergonomia Cognitiva: Também conhecida engenharia psicológica, refere-se aos processos mentais, tais como percepção, atenção, cognição e armazenamento e recuperação de memória. Ergonomia Organizacional: Relacionada com a otimização dos sistemas socio-técnicos, incluindo sua estrutura organizacional, políticas e processos.
Cognição  Processos  desenvolvidos pelo cérebro no dia-a-dia Atenção Percepção e Reconhecimento Memória   Aprendizagem Leitura, Fala e Audição Resolução de problemas, raciocínio, planejamento e tomada de decisão
Engenharia Cognitiva Relacionada a sistemas computacionais é baseia-se no pensamento, ou seja, na forma que o usuário irá interpretar e interagir com um sistema. O objetivo do Designer é desenvolver uma aplicação em que o usuário crie um modelo mental parecido com o qual foi projetado pelo designer.
Modelo Mental São modelos que as pessoas constroem para representar estados físicos (ou de coisas abstratas).  Não precisam ser tecnicamente perfeitos mas devem ser funcionais.
Mapa Mental Tipo de diagrama voltado para a gestão de informações, de conhecimento e de capital intelectual para a compreensão e solução de problemas; na memorização e aprendizado;
Teoria de Gestalt Segundo a Gestalt o cérebro é um sistema dinâmico no qual se produz uma integração entre os elementos, em determinado momento, através de princípios de organização perceptual. É uma teoria da psicologia que considera os fenômenos psicológicos como um conjunto autônomo, indivisível e articulado na sua configuração, organização e lei interna.
Percepção Tomando como referência análises estruturais, os estudiosos da Gestalt,descobriram que certos princípios que regem a percepção humana das formas,facilitam a compreensão de imagens e ideias.
Percepção (Cont.) Anomalia A anomalia provoca interrupção brusca e localizada no estado de regularidade e monotonia da interface, buscando a atenção dos sujeitos Alinhamento Todo material deve ter alinhamento dentre os três mais utilizados na edição de textos – centralizado, à direita e à esquerda. Balanço O balanço é um fator que se caracteriza por distribuir os elementos da interface para que o conjunto da imagem
Percepção (Cont.) Concentração O nível de aproximação entre os vários elementos num plano, sendo possível gerar ênfase e/ou dirigir a atenção Continuidade preferência pelos contornos contínuos e sem quebra ao invés de combinações mais complexas, mas igualmente plausíveis de figuras mais irregulares. Contraste O contraste melhora a percepção do objeto e acentua a diferença entre ele e seu entorno. É ele o fator que mais seduz o usuário
Percepção (Cont.) Direção A direção controla o padrão de busca, conduzindo a leitura para uma região específica da tela. Na diagonal, do canto superior esquerdo da tela ao canto inferior direito é a área onde a percepção mais se concentra. Fechamento ou clausura O conceito de clausura relaciona-se com o fechamento visual, como se completássemos, visualmente, um objeto inacabado. Gradação e radiação Referem à mudança nas formas, advinda de um critério de ordenação.
Percepção (Cont.) Harmonia Disposição bem proporcionada entre as partes de um todo. É a unidade sem violações, com correspondência das partes e proporção conveniente. Movimento, tempo e velocidade O movimento é utilizado para atrair atenção, dirigir a leitura ou demonstrar crescimento e evolução do processamento (real ou ilusório). Tempo e velocidade estão diretamente relacionados com o movimento. Pregnância Por lei da pregnância entende-se uma organização psicológica que pode sempre ser tão boa quanto as condições o permitirem
Percepção (Cont.) Proximidade Elementos bastante próximos entre si tendem a formar grupos percebidos pelo usuário como bloco único, acarretando a perda de individualidade dos elementos. Repetição Trata-se de fator adotado para criar movimento e direção, graças à repetição de elementos, e que também pode gerar a sensação de harmonia e de ritmo.
Percepção (Cont.) Simetria e assimetria É o agrupamento baseado nas propriedades emergentes da forma, ao invés das características das partes que a constituem. Similaridade ou semelhança Alguns elementos são associados com mais intensidade quando compartilham de características visuais básicas. Tamanho e escala  Tamanho e escalas afetam a percepção das características físicas dos objetos, criando efeitos óticos e ilusões no observador
Engenharia Semiótica Está relacionada com tudo que possa ser “assumido” como “signo”. Teoria de Códigos: Orientada para descrição estrutural do sistemas de comunicação, isto é, Contribuindo para o fenômeno relacionado com o significado Teoria de Produção de Signos: Orientada para uma serie de condições sobre as quais os comunicadores geram sinais ou mensagens, isto é, contribuindo para o fenômeno relacionado com toda a comunicação
Engenharia Semiótica (Cont.) Signo é tudo aquilo que significa algo para alguém A interface do  sistema é considerada um mensagem do designer para o usuário  Numa relação entre a Eng. Cognitiva e Eng. Semiótica, seria traçada pelo quanto o usuário consegue aprender do sistema apenas interagindo com a interface em relação ao tempo e esforço empregado
Interface e Interação Interface é o meio  de relação entre usuário e o sistema A interação pela interface se dá quando ao interligar dois sistemas esses reajam de forma a comandos conseguindo estimular a percepção do usuário. As interface inteligentes tendem a utilizar conhecimentos retóricos e pragmáticos para melhor prover informação e interação ao usuário
Interface e Interação A interface de usuário deve ser considerado como sendo à parte de um sistema computacional com a qual uma pessoa entra em contato físico, perceptiva e conceitualmente. A interação pode ser definida como um processo onde o usuário exerce uma ação  sobre interface do sistema logo em seguida o sistema fará a decodificação dessa ação
Interface e Interação A Engenharia Semiótica enfatiza a capacidade dos projetistas de comunicar suas intenções através do discurso interativo da interface À propriedade do transmitir eficaz e eficientemente ao usuário as intenções e os princípios de interação que norteiam a criação de um sistema dá-se o nome de comunicabilidade
Interface e Interação Tipos de interação Linguagem natural Linguagem de comandos Menu Preenchimento de Formulário WIMP (Windows, Incons, Menus e Pointers) Manipulação Direta

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Interface homem maquina introdução

Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
Eliane Souza
 
Conhecimento e interação: fronteiras entre o agir humano e inteligência artif...
Conhecimento e interação: fronteiras entre o agir humano e inteligência artif...Conhecimento e interação: fronteiras entre o agir humano e inteligência artif...
Conhecimento e interação: fronteiras entre o agir humano e inteligência artif...
Alex Primo
 
Teoria dos sistemas
Teoria dos sistemasTeoria dos sistemas
Teoria dos sistemas
MariannaGalindo
 
Design e usabilidade - Fundamentos
Design e usabilidade - FundamentosDesign e usabilidade - Fundamentos
Design e usabilidade - Fundamentos
Matheus Inácio
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Teoria da cognição situada
Teoria da cognição situadaTeoria da cognição situada
Teoria da cognição situada
Márcio Martins
 
Abordagem sistêmica da administração
Abordagem sistêmica da administração Abordagem sistêmica da administração
Abordagem sistêmica da administração
admetz01
 
Abordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadmAbordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadm
Rafaelle Campelo
 
Percepcao e processamento de informacoes
Percepcao e processamento de informacoesPercepcao e processamento de informacoes
Percepcao e processamento de informacoes
marioedsonminillo
 
Fatores Humanos (IHC)
Fatores Humanos (IHC)Fatores Humanos (IHC)
Fatores Humanos (IHC)
Wellington Oliveira
 
Percepção das Tecnologias
Percepção das TecnologiasPercepção das Tecnologias
Percepção das Tecnologias
Erico Fileno
 
Cérebro x Mente
Cérebro x MenteCérebro x Mente
Cérebro x Mente
Mayara Mônica
 
Estruturação de Unidades Didáticas de Química integrando o uso de softwares d...
Estruturação de Unidades Didáticas de Química integrando o uso de softwares d...Estruturação de Unidades Didáticas de Química integrando o uso de softwares d...
Estruturação de Unidades Didáticas de Química integrando o uso de softwares d...
Adriana Ramos
 
ConcepçãO%20 Racionalista[1]
ConcepçãO%20 Racionalista[1]ConcepçãO%20 Racionalista[1]
ConcepçãO%20 Racionalista[1]
paulorodrigomiranda
 
Cognitivismo Franciscopadilha
Cognitivismo FranciscopadilhaCognitivismo Franciscopadilha
Cognitivismo Franciscopadilha
Jéssica
 
Pensamento e imaginacao
Pensamento e imaginacaoPensamento e imaginacao
Pensamento e imaginacao
CaitoJorgeMurabiua2
 
A Neurociência e os Transtornos de Aprendizagem
A Neurociência e os Transtornos de AprendizagemA Neurociência e os Transtornos de Aprendizagem
A Neurociência e os Transtornos de Aprendizagem
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Pensamento e imaginacao
Pensamento e imaginacaoPensamento e imaginacao
Pensamento e imaginacao
CaitoJorgeMurabiua2
 
Trabalho de pares correçao
Trabalho de pares correçaoTrabalho de pares correçao
Trabalho de pares correçao
psicologiaazambuja
 
Aula14
Aula14Aula14

Semelhante a Interface homem maquina introdução (20)

Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 
Conhecimento e interação: fronteiras entre o agir humano e inteligência artif...
Conhecimento e interação: fronteiras entre o agir humano e inteligência artif...Conhecimento e interação: fronteiras entre o agir humano e inteligência artif...
Conhecimento e interação: fronteiras entre o agir humano e inteligência artif...
 
Teoria dos sistemas
Teoria dos sistemasTeoria dos sistemas
Teoria dos sistemas
 
Design e usabilidade - Fundamentos
Design e usabilidade - FundamentosDesign e usabilidade - Fundamentos
Design e usabilidade - Fundamentos
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Teoria da cognição situada
Teoria da cognição situadaTeoria da cognição situada
Teoria da cognição situada
 
Abordagem sistêmica da administração
Abordagem sistêmica da administração Abordagem sistêmica da administração
Abordagem sistêmica da administração
 
Abordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadmAbordagem sistemicaadm
Abordagem sistemicaadm
 
Percepcao e processamento de informacoes
Percepcao e processamento de informacoesPercepcao e processamento de informacoes
Percepcao e processamento de informacoes
 
Fatores Humanos (IHC)
Fatores Humanos (IHC)Fatores Humanos (IHC)
Fatores Humanos (IHC)
 
Percepção das Tecnologias
Percepção das TecnologiasPercepção das Tecnologias
Percepção das Tecnologias
 
Cérebro x Mente
Cérebro x MenteCérebro x Mente
Cérebro x Mente
 
Estruturação de Unidades Didáticas de Química integrando o uso de softwares d...
Estruturação de Unidades Didáticas de Química integrando o uso de softwares d...Estruturação de Unidades Didáticas de Química integrando o uso de softwares d...
Estruturação de Unidades Didáticas de Química integrando o uso de softwares d...
 
ConcepçãO%20 Racionalista[1]
ConcepçãO%20 Racionalista[1]ConcepçãO%20 Racionalista[1]
ConcepçãO%20 Racionalista[1]
 
Cognitivismo Franciscopadilha
Cognitivismo FranciscopadilhaCognitivismo Franciscopadilha
Cognitivismo Franciscopadilha
 
Pensamento e imaginacao
Pensamento e imaginacaoPensamento e imaginacao
Pensamento e imaginacao
 
A Neurociência e os Transtornos de Aprendizagem
A Neurociência e os Transtornos de AprendizagemA Neurociência e os Transtornos de Aprendizagem
A Neurociência e os Transtornos de Aprendizagem
 
Pensamento e imaginacao
Pensamento e imaginacaoPensamento e imaginacao
Pensamento e imaginacao
 
Trabalho de pares correçao
Trabalho de pares correçaoTrabalho de pares correçao
Trabalho de pares correçao
 
Aula14
Aula14Aula14
Aula14
 

Mais de Marlon Vinicius da Silva

06 complexidade de problemas
06   complexidade de problemas06   complexidade de problemas
06 complexidade de problemas
Marlon Vinicius da Silva
 
05 circuitos logicos
05   circuitos logicos05   circuitos logicos
05 circuitos logicos
Marlon Vinicius da Silva
 
07 exercícios
07   exercícios07   exercícios
07 exercícios
Marlon Vinicius da Silva
 
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo i
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo iModelo de plano de ensino computação e algoritmo i
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo i
Marlon Vinicius da Silva
 
03 bases numericas
03   bases numericas03   bases numericas
03 bases numericas
Marlon Vinicius da Silva
 
02 historia da programação
02   historia da programação02   historia da programação
02 historia da programação
Marlon Vinicius da Silva
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
Marlon Vinicius da Silva
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
Marlon Vinicius da Silva
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
Marlon Vinicius da Silva
 
08 video digital
08   video digital08   video digital
08 video digital
Marlon Vinicius da Silva
 
07 animação
07   animação07   animação
06 áudio
06   áudio06   áudio
09 texto e hipertexto
09   texto e hipertexto09   texto e hipertexto
09 texto e hipertexto
Marlon Vinicius da Silva
 
07 - Atividade III
07 - Atividade III07 - Atividade III
07 - Atividade III
Marlon Vinicius da Silva
 
06 - Servidor Apache
06 - Servidor Apache06 - Servidor Apache
06 - Servidor Apache
Marlon Vinicius da Silva
 
05 - Aervidor DHCP
05 - Aervidor DHCP05 - Aervidor DHCP
05 - Aervidor DHCP
Marlon Vinicius da Silva
 
05 servidor dhcp
05   servidor dhcp05   servidor dhcp
05 servidor dhcp
Marlon Vinicius da Silva
 
03 testando a configuração de uma rede
03   testando a configuração de uma rede03   testando a configuração de uma rede
03 testando a configuração de uma rede
Marlon Vinicius da Silva
 
05 imagem digital
05   imagem digital05   imagem digital
05 imagem digital
Marlon Vinicius da Silva
 
04 produto hipermidia
04   produto hipermidia04   produto hipermidia
04 produto hipermidia
Marlon Vinicius da Silva
 

Mais de Marlon Vinicius da Silva (20)

06 complexidade de problemas
06   complexidade de problemas06   complexidade de problemas
06 complexidade de problemas
 
05 circuitos logicos
05   circuitos logicos05   circuitos logicos
05 circuitos logicos
 
07 exercícios
07   exercícios07   exercícios
07 exercícios
 
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo i
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo iModelo de plano de ensino computação e algoritmo i
Modelo de plano de ensino computação e algoritmo i
 
03 bases numericas
03   bases numericas03   bases numericas
03 bases numericas
 
02 historia da programação
02   historia da programação02   historia da programação
02 historia da programação
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
 
01 aula inicial apresentação
01   aula inicial  apresentação01   aula inicial  apresentação
01 aula inicial apresentação
 
08 video digital
08   video digital08   video digital
08 video digital
 
07 animação
07   animação07   animação
07 animação
 
06 áudio
06   áudio06   áudio
06 áudio
 
09 texto e hipertexto
09   texto e hipertexto09   texto e hipertexto
09 texto e hipertexto
 
07 - Atividade III
07 - Atividade III07 - Atividade III
07 - Atividade III
 
06 - Servidor Apache
06 - Servidor Apache06 - Servidor Apache
06 - Servidor Apache
 
05 - Aervidor DHCP
05 - Aervidor DHCP05 - Aervidor DHCP
05 - Aervidor DHCP
 
05 servidor dhcp
05   servidor dhcp05   servidor dhcp
05 servidor dhcp
 
03 testando a configuração de uma rede
03   testando a configuração de uma rede03   testando a configuração de uma rede
03 testando a configuração de uma rede
 
05 imagem digital
05   imagem digital05   imagem digital
05 imagem digital
 
04 produto hipermidia
04   produto hipermidia04   produto hipermidia
04 produto hipermidia
 

Interface homem maquina introdução

  • 1. Interface homem maquina - introdução Prof.:Marlon Vinicius Da Silva Disciplina: Interface Homem Maquina
  • 2. Sumario O que é IHM Ergonomia Cognição & Engenharia Cognitiva Modelo Mental & Mapa Mental Teoria de Gestalt Percepção Engenharia Semiótica Interface e Interação
  • 3. O que é IHM É o canal de comunicação entre o homem e o computador, através do qual interagem, visando atingir um objetivo comum É parte de um sistema computacional com a qual uma pessoa entra em contato física, perceptual e conceitualmente.
  • 4. Ergonomia científica relacionada ao entendimento das interações entre seres humanos e outros elementos de um sistema, aplica teoria, princípios, dados e métodos para projetar a fim de otimizar o bem-estar humano e o desempenho geral de um sistema
  • 5. Ergonomia (cont.) Ergonomia Física: Estuda a respostas do corpo humano à carga física e psicológica. Como carga de trabalho ou esforço repetitivo Ergonomia Cognitiva: Também conhecida engenharia psicológica, refere-se aos processos mentais, tais como percepção, atenção, cognição e armazenamento e recuperação de memória. Ergonomia Organizacional: Relacionada com a otimização dos sistemas socio-técnicos, incluindo sua estrutura organizacional, políticas e processos.
  • 6. Cognição Processos desenvolvidos pelo cérebro no dia-a-dia Atenção Percepção e Reconhecimento Memória Aprendizagem Leitura, Fala e Audição Resolução de problemas, raciocínio, planejamento e tomada de decisão
  • 7. Engenharia Cognitiva Relacionada a sistemas computacionais é baseia-se no pensamento, ou seja, na forma que o usuário irá interpretar e interagir com um sistema. O objetivo do Designer é desenvolver uma aplicação em que o usuário crie um modelo mental parecido com o qual foi projetado pelo designer.
  • 8. Modelo Mental São modelos que as pessoas constroem para representar estados físicos (ou de coisas abstratas). Não precisam ser tecnicamente perfeitos mas devem ser funcionais.
  • 9. Mapa Mental Tipo de diagrama voltado para a gestão de informações, de conhecimento e de capital intelectual para a compreensão e solução de problemas; na memorização e aprendizado;
  • 10. Teoria de Gestalt Segundo a Gestalt o cérebro é um sistema dinâmico no qual se produz uma integração entre os elementos, em determinado momento, através de princípios de organização perceptual. É uma teoria da psicologia que considera os fenômenos psicológicos como um conjunto autônomo, indivisível e articulado na sua configuração, organização e lei interna.
  • 11. Percepção Tomando como referência análises estruturais, os estudiosos da Gestalt,descobriram que certos princípios que regem a percepção humana das formas,facilitam a compreensão de imagens e ideias.
  • 12. Percepção (Cont.) Anomalia A anomalia provoca interrupção brusca e localizada no estado de regularidade e monotonia da interface, buscando a atenção dos sujeitos Alinhamento Todo material deve ter alinhamento dentre os três mais utilizados na edição de textos – centralizado, à direita e à esquerda. Balanço O balanço é um fator que se caracteriza por distribuir os elementos da interface para que o conjunto da imagem
  • 13. Percepção (Cont.) Concentração O nível de aproximação entre os vários elementos num plano, sendo possível gerar ênfase e/ou dirigir a atenção Continuidade preferência pelos contornos contínuos e sem quebra ao invés de combinações mais complexas, mas igualmente plausíveis de figuras mais irregulares. Contraste O contraste melhora a percepção do objeto e acentua a diferença entre ele e seu entorno. É ele o fator que mais seduz o usuário
  • 14. Percepção (Cont.) Direção A direção controla o padrão de busca, conduzindo a leitura para uma região específica da tela. Na diagonal, do canto superior esquerdo da tela ao canto inferior direito é a área onde a percepção mais se concentra. Fechamento ou clausura O conceito de clausura relaciona-se com o fechamento visual, como se completássemos, visualmente, um objeto inacabado. Gradação e radiação Referem à mudança nas formas, advinda de um critério de ordenação.
  • 15. Percepção (Cont.) Harmonia Disposição bem proporcionada entre as partes de um todo. É a unidade sem violações, com correspondência das partes e proporção conveniente. Movimento, tempo e velocidade O movimento é utilizado para atrair atenção, dirigir a leitura ou demonstrar crescimento e evolução do processamento (real ou ilusório). Tempo e velocidade estão diretamente relacionados com o movimento. Pregnância Por lei da pregnância entende-se uma organização psicológica que pode sempre ser tão boa quanto as condições o permitirem
  • 16. Percepção (Cont.) Proximidade Elementos bastante próximos entre si tendem a formar grupos percebidos pelo usuário como bloco único, acarretando a perda de individualidade dos elementos. Repetição Trata-se de fator adotado para criar movimento e direção, graças à repetição de elementos, e que também pode gerar a sensação de harmonia e de ritmo.
  • 17. Percepção (Cont.) Simetria e assimetria É o agrupamento baseado nas propriedades emergentes da forma, ao invés das características das partes que a constituem. Similaridade ou semelhança Alguns elementos são associados com mais intensidade quando compartilham de características visuais básicas. Tamanho e escala Tamanho e escalas afetam a percepção das características físicas dos objetos, criando efeitos óticos e ilusões no observador
  • 18. Engenharia Semiótica Está relacionada com tudo que possa ser “assumido” como “signo”. Teoria de Códigos: Orientada para descrição estrutural do sistemas de comunicação, isto é, Contribuindo para o fenômeno relacionado com o significado Teoria de Produção de Signos: Orientada para uma serie de condições sobre as quais os comunicadores geram sinais ou mensagens, isto é, contribuindo para o fenômeno relacionado com toda a comunicação
  • 19. Engenharia Semiótica (Cont.) Signo é tudo aquilo que significa algo para alguém A interface do sistema é considerada um mensagem do designer para o usuário Numa relação entre a Eng. Cognitiva e Eng. Semiótica, seria traçada pelo quanto o usuário consegue aprender do sistema apenas interagindo com a interface em relação ao tempo e esforço empregado
  • 20. Interface e Interação Interface é o meio de relação entre usuário e o sistema A interação pela interface se dá quando ao interligar dois sistemas esses reajam de forma a comandos conseguindo estimular a percepção do usuário. As interface inteligentes tendem a utilizar conhecimentos retóricos e pragmáticos para melhor prover informação e interação ao usuário
  • 21. Interface e Interação A interface de usuário deve ser considerado como sendo à parte de um sistema computacional com a qual uma pessoa entra em contato físico, perceptiva e conceitualmente. A interação pode ser definida como um processo onde o usuário exerce uma ação sobre interface do sistema logo em seguida o sistema fará a decodificação dessa ação
  • 22. Interface e Interação A Engenharia Semiótica enfatiza a capacidade dos projetistas de comunicar suas intenções através do discurso interativo da interface À propriedade do transmitir eficaz e eficientemente ao usuário as intenções e os princípios de interação que norteiam a criação de um sistema dá-se o nome de comunicabilidade
  • 23. Interface e Interação Tipos de interação Linguagem natural Linguagem de comandos Menu Preenchimento de Formulário WIMP (Windows, Incons, Menus e Pointers) Manipulação Direta