SlideShare uma empresa Scribd logo
PIM VI
Integração do Parque de Refino com a
Indústria Petroquímica de Primeira Geração
– Carlos Rodrigo Faria de Assis A64591-8
– Danilo Ulisses da Silva A6070B-0
– Junior Campos Ozono A697DJ-0
– Luana Santos Benfatti A5119E-3
São José dos Campos
Dezembro de 2012
1
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• O Petróleo
• A refinaria
• A Integração da Refinaria com a Indústria Petroquímica
• A Nafta Petroquímica
• A Indústria Petroquímica
• Pólos Petroquímicos
• Conclusão
• Referências
2
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• O Petróleo:
– O petróleo bruto é composto de diversos hidrocarbonetos,
com propriedades diferentes, apresentando pouca
utilidade nessa forma.
• Pode ser:
3
Tipo de óleo Grau API
Leve Acima de 30
Médio Entre 20 e 30
Pesado Abaixo de 20
API - American Petroleum Institute
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• A Refinaria:
– Refinaria é o nome para se referir as destilarias
de petróleo que realizam o processo de separação,
conversão e tratamento das frações de petróleo,
produzindo diversos derivados.
• História:
4
Início 1859
Local Titusville, Pensilvânia, EUA
Responsável Edwin Laurentine Drake
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
5
Parque de Refino Brasileiro
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Processos existentes em uma refinaria:
6
Tipo de Processo Função do Processo
Processos físicos de separação Separação das frações de
petróleo
Processos químicos de conversão Conversão das frações de
derivados
Processos químicos de
tratamento
Tratamento das frações
convertidas de petróleo
Processos auxiliares Fornecimento de insumos e
tratamento de rejeitos de outros
processos
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Integração da Refinaria com a Indústria Petroquímica:
– A integração completa das operações petroquímicas e de
refinaria fornece a oportunidade de maximizar a produção
de derivados de maior valor agregado.
7
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
8
Origem Petróleo
Coloração Incolor
Faixa de Destilação 70°
Utilização Fabricação Eteno, Propeno,
Benzeno, Tolueno e Xilenos
• A Nafta Petroquímica:
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• A Nafta Petroquímica:
– Este derivado é utilizado como matéria-prima pelas três
Centrais Petroquímicas existentes no Brasil.
• a) Pólo Petroquímico de Santo André – SP
• b) Pólo Petroquímico de Camaçari – BA
• c) Pólo Petroquímico de Triunfo – RS
9
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Indústrias Petroquímicas Nacionais:
10
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• A Indústria Petroquímica:
• A petroquímica é a atividade industrial de produção de
derivados de petróleo, normalmente a partir da separação
dos componentes do petróleo por destilação.
• No Brasil utiliza-se principalmente a nafta.
• A COPENE está capacitada para operar com frações mais
pesadas.
11COPENE - Central de Matérias Primas do Nordeste
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Origem:
• No Brasil a indústria petroquímica teve o seu
desenvolvimento nos primeiros anos da década de 50.
• Primeira fábrica petroquímica no Brasil, ALBA, iniciou sua
operação em 1948.
12
Início Década de 1920
Local EUA
Forma Resultado de pesquisas que
visavam à transformação de
produtos naturais
ALBA - Borden Incorporated
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Perspectivas da Indústria Petroquímica no Brasil:
• Segundo a ABIQUIM, o faturamento líquido dessa
indústria em 2010 foi de US$ 130,2 bilhões, participação
de 2,6% no PIB total do país.
• Participação atual devido ao pré-sal é de 12% no PIB e
deverá dobrar nos próximos 8 anos chegando à 20%.
13ABIQUIM - Associação Brasileira da Indústria Química
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Importância da Indústria Petroquímica na Economia
Brasileira:
– Em 2000 a petroquímica representava 60% da indústria
química do país;
– Produz o equivalente a 13% do PIB da indústria brasileira
de transformação;
– Gera, aproximadamente, 310 mil empregos diretos e
recolhe cerca de 15% de taxas e impostos do total dos
setores produtivos .
14
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Pólos Petroquímicos:
– A indústria petroquímica é uma indústria de capital
intensivo, em sua 1ª e 2ª geração.
– Vamos compreender a diferença entre elas no próximo
slide.
15
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Primeira Geração:
– São as produtoras de petroquímicos básicos, produtos
resultantes da primeira transformação de correntes
petrolíferas.
– Os principais produtos primários são as olefinas (eteno,
propeno e butadieno) e os aromáticos (benzeno, tolueno e
xilenos).
16
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Segunda Geração:
– São as produtoras de resinas termoplásticas (polietilenos e
polipropilenos) e de intermediários, produtos resultantes
do processamento dos produtos primários.
– Os principais produtos secundários são o acetato de vinila,
óxido de propeno, fenol, óxido de eteno, estireno e ácido
acrílico.
17
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Alguns destinos da matéria-prima da indústria petroquímica:
18
Matéria-Prima Tipo de Indústria Produto
Parafinas Alimentícia Goma de mascar
Parafinas,
compostos
aromáticos
Cosmética Batons, esmaltes,
tintas capilares
Parafinas,
compostos
aromáticos
Farmacêutica Cápsulas de
remédios, pomadas,
vaselina
Coque de Petróleo Siderúrgica Alumínio, ferro, aço
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Conclusão:
– A integração completa das operações de refino e
petroquímicas fornece a oportunidade de maximizar a
produção de derivados de valor agregado na mais
competitiva estrutura de custos, devido às oportunidades
de otimização baseadas no suprimento de matérias-
primas para a sociedade.
19
PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica
de Primeira Geração
• Referências:
SZKLO, A. S; ULLER, V. C; BONFA, M. H. P. Fundamentos do
Refino de Petróleo – Tecnologia e Economia. 3a
ed.
Interciência, 2012.
BORSCHIVER, S; SEIDL, P. R. Integração Refino-
petroquímica - Tendências e Impactos. 1a
ed. Peblit, 2012.
20

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração

Aula 11 petroquimica - prof. nelson (area 1) - 15.04.11
Aula 11   petroquimica - prof. nelson (area 1) - 15.04.11Aula 11   petroquimica - prof. nelson (area 1) - 15.04.11
Aula 11 petroquimica - prof. nelson (area 1) - 15.04.11
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
A Indústria Química no Brasil
A Indústria Química no Brasil   A Indústria Química no Brasil
A Indústria Química no Brasil
Roeli Paulucci
 
Tendências da Indústria Brasileira e o Programa Atuação Responsável
Tendências da Indústria Brasileira e o Programa Atuação ResponsávelTendências da Indústria Brasileira e o Programa Atuação Responsável
Tendências da Indústria Brasileira e o Programa Atuação Responsável
SimposioMineirodeQuimica
 
"Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro - COMPERJ"
"Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro - COMPERJ""Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro - COMPERJ"
"Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro - COMPERJ"
Petrobras
 
Palestra sobre refino e novas tecnologias
Palestra sobre refino e novas tecnologiasPalestra sobre refino e novas tecnologias
Palestra sobre refino e novas tecnologias
Cláudio Serafim
 
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
Marco Aurélio Gondim
 
Petroleo1
Petroleo1Petroleo1
Petroleo1
Cida Marconcine
 
Indústria Petrolífera.pdf
Indústria Petrolífera.pdfIndústria Petrolífera.pdf
Indústria Petrolífera.pdf
BeatrizSantos14793
 
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo BrasilPanorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
Sydney Dias
 
áCido sulfúrico projeto (2)
áCido sulfúrico projeto (2)áCido sulfúrico projeto (2)
áCido sulfúrico projeto (2)
Cacah Padoin
 
Refinarias brasileiras
Refinarias brasileirasRefinarias brasileiras
Refinarias brasileiras
Lidiane Reis
 
11 aula refino do petróleo
11  aula refino do petróleo11  aula refino do petróleo
11 aula refino do petróleo
Homero Alves de Lima
 

Semelhante a Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração (12)

Aula 11 petroquimica - prof. nelson (area 1) - 15.04.11
Aula 11   petroquimica - prof. nelson (area 1) - 15.04.11Aula 11   petroquimica - prof. nelson (area 1) - 15.04.11
Aula 11 petroquimica - prof. nelson (area 1) - 15.04.11
 
A Indústria Química no Brasil
A Indústria Química no Brasil   A Indústria Química no Brasil
A Indústria Química no Brasil
 
Tendências da Indústria Brasileira e o Programa Atuação Responsável
Tendências da Indústria Brasileira e o Programa Atuação ResponsávelTendências da Indústria Brasileira e o Programa Atuação Responsável
Tendências da Indústria Brasileira e o Programa Atuação Responsável
 
"Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro - COMPERJ"
"Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro - COMPERJ""Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro - COMPERJ"
"Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro - COMPERJ"
 
Palestra sobre refino e novas tecnologias
Palestra sobre refino e novas tecnologiasPalestra sobre refino e novas tecnologias
Palestra sobre refino e novas tecnologias
 
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
'ATUALIDADES GEOGRAFIA BRASIL BIOCOMBUSTÍVEIS Prof Marco Aurelio Gondim [www....
 
Petroleo1
Petroleo1Petroleo1
Petroleo1
 
Indústria Petrolífera.pdf
Indústria Petrolífera.pdfIndústria Petrolífera.pdf
Indústria Petrolífera.pdf
 
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo BrasilPanorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
Panorama Dos Biocombustiveis no BrasilNo Brasil
 
áCido sulfúrico projeto (2)
áCido sulfúrico projeto (2)áCido sulfúrico projeto (2)
áCido sulfúrico projeto (2)
 
Refinarias brasileiras
Refinarias brasileirasRefinarias brasileiras
Refinarias brasileiras
 
11 aula refino do petróleo
11  aula refino do petróleo11  aula refino do petróleo
11 aula refino do petróleo
 

Mais de Junior Ozono

A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA INTERNET: O EXERCÍCIO DESSE DIREITO FUNDAMENTAL F...
A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA INTERNET: O EXERCÍCIO DESSE DIREITO FUNDAMENTAL F...A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA INTERNET: O EXERCÍCIO DESSE DIREITO FUNDAMENTAL F...
A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA INTERNET: O EXERCÍCIO DESSE DIREITO FUNDAMENTAL F...
Junior Ozono
 
Intervenção de Terceiros e Assistência
Intervenção de Terceiros e AssistênciaIntervenção de Terceiros e Assistência
Intervenção de Terceiros e Assistência
Junior Ozono
 
Intervenção de Terceiros
Intervenção de TerceirosIntervenção de Terceiros
Intervenção de Terceiros
Junior Ozono
 
Responsabilidade Civil Extracontratual
Responsabilidade Civil ExtracontratualResponsabilidade Civil Extracontratual
Responsabilidade Civil Extracontratual
Junior Ozono
 
Litisconsórcio
LitisconsórcioLitisconsórcio
Litisconsórcio
Junior Ozono
 
Danos Ambientais e Nucleares, Danos aos Direitos Autorais, Responsabilidade C...
Danos Ambientais e Nucleares, Danos aos Direitos Autorais, Responsabilidade C...Danos Ambientais e Nucleares, Danos aos Direitos Autorais, Responsabilidade C...
Danos Ambientais e Nucleares, Danos aos Direitos Autorais, Responsabilidade C...
Junior Ozono
 
Das Nulidades Processuais
Das Nulidades ProcessuaisDas Nulidades Processuais
Das Nulidades Processuais
Junior Ozono
 
Dos Atos Processuais
Dos Atos ProcessuaisDos Atos Processuais
Dos Atos Processuais
Junior Ozono
 
Elementares e Circunstâncias em Aplicação da Pena
Elementares e Circunstâncias em Aplicação da PenaElementares e Circunstâncias em Aplicação da Pena
Elementares e Circunstâncias em Aplicação da Pena
Junior Ozono
 
Responsabilidade Civil Extracontratual
Responsabilidade Civil ExtracontratualResponsabilidade Civil Extracontratual
Responsabilidade Civil Extracontratual
Junior Ozono
 
Eficácia das Normas Constitucionais
Eficácia das Normas ConstitucionaisEficácia das Normas Constitucionais
Eficácia das Normas Constitucionais
Junior Ozono
 
Contratos Administrativos
Contratos AdministrativosContratos Administrativos
Contratos Administrativos
Junior Ozono
 
Das Obrigações Divisíveis e Indivisíveis
Das Obrigações Divisíveis e IndivisíveisDas Obrigações Divisíveis e Indivisíveis
Das Obrigações Divisíveis e Indivisíveis
Junior Ozono
 
Noções Gerais de Direito Administrativo
Noções Gerais de Direito AdministrativoNoções Gerais de Direito Administrativo
Noções Gerais de Direito Administrativo
Junior Ozono
 
A introjeção do racismo e a não identidade étnica e racial do negro brasileiro
A introjeção do racismo e a não identidade étnica e racial do negro brasileiroA introjeção do racismo e a não identidade étnica e racial do negro brasileiro
A introjeção do racismo e a não identidade étnica e racial do negro brasileiro
Junior Ozono
 
Relações Étnico Raciais
Relações Étnico RaciaisRelações Étnico Raciais
Relações Étnico Raciais
Junior Ozono
 
A questão de Raça e Etnia
A questão de Raça e EtniaA questão de Raça e Etnia
A questão de Raça e Etnia
Junior Ozono
 
Nota Promissória
Nota PromissóriaNota Promissória
Nota Promissória
Junior Ozono
 
Abuso de Direito
Abuso de DireitoAbuso de Direito
Abuso de Direito
Junior Ozono
 
Hermenêutica Constitucional
Hermenêutica ConstitucionalHermenêutica Constitucional
Hermenêutica Constitucional
Junior Ozono
 

Mais de Junior Ozono (20)

A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA INTERNET: O EXERCÍCIO DESSE DIREITO FUNDAMENTAL F...
A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA INTERNET: O EXERCÍCIO DESSE DIREITO FUNDAMENTAL F...A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA INTERNET: O EXERCÍCIO DESSE DIREITO FUNDAMENTAL F...
A LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA INTERNET: O EXERCÍCIO DESSE DIREITO FUNDAMENTAL F...
 
Intervenção de Terceiros e Assistência
Intervenção de Terceiros e AssistênciaIntervenção de Terceiros e Assistência
Intervenção de Terceiros e Assistência
 
Intervenção de Terceiros
Intervenção de TerceirosIntervenção de Terceiros
Intervenção de Terceiros
 
Responsabilidade Civil Extracontratual
Responsabilidade Civil ExtracontratualResponsabilidade Civil Extracontratual
Responsabilidade Civil Extracontratual
 
Litisconsórcio
LitisconsórcioLitisconsórcio
Litisconsórcio
 
Danos Ambientais e Nucleares, Danos aos Direitos Autorais, Responsabilidade C...
Danos Ambientais e Nucleares, Danos aos Direitos Autorais, Responsabilidade C...Danos Ambientais e Nucleares, Danos aos Direitos Autorais, Responsabilidade C...
Danos Ambientais e Nucleares, Danos aos Direitos Autorais, Responsabilidade C...
 
Das Nulidades Processuais
Das Nulidades ProcessuaisDas Nulidades Processuais
Das Nulidades Processuais
 
Dos Atos Processuais
Dos Atos ProcessuaisDos Atos Processuais
Dos Atos Processuais
 
Elementares e Circunstâncias em Aplicação da Pena
Elementares e Circunstâncias em Aplicação da PenaElementares e Circunstâncias em Aplicação da Pena
Elementares e Circunstâncias em Aplicação da Pena
 
Responsabilidade Civil Extracontratual
Responsabilidade Civil ExtracontratualResponsabilidade Civil Extracontratual
Responsabilidade Civil Extracontratual
 
Eficácia das Normas Constitucionais
Eficácia das Normas ConstitucionaisEficácia das Normas Constitucionais
Eficácia das Normas Constitucionais
 
Contratos Administrativos
Contratos AdministrativosContratos Administrativos
Contratos Administrativos
 
Das Obrigações Divisíveis e Indivisíveis
Das Obrigações Divisíveis e IndivisíveisDas Obrigações Divisíveis e Indivisíveis
Das Obrigações Divisíveis e Indivisíveis
 
Noções Gerais de Direito Administrativo
Noções Gerais de Direito AdministrativoNoções Gerais de Direito Administrativo
Noções Gerais de Direito Administrativo
 
A introjeção do racismo e a não identidade étnica e racial do negro brasileiro
A introjeção do racismo e a não identidade étnica e racial do negro brasileiroA introjeção do racismo e a não identidade étnica e racial do negro brasileiro
A introjeção do racismo e a não identidade étnica e racial do negro brasileiro
 
Relações Étnico Raciais
Relações Étnico RaciaisRelações Étnico Raciais
Relações Étnico Raciais
 
A questão de Raça e Etnia
A questão de Raça e EtniaA questão de Raça e Etnia
A questão de Raça e Etnia
 
Nota Promissória
Nota PromissóriaNota Promissória
Nota Promissória
 
Abuso de Direito
Abuso de DireitoAbuso de Direito
Abuso de Direito
 
Hermenêutica Constitucional
Hermenêutica ConstitucionalHermenêutica Constitucional
Hermenêutica Constitucional
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 

Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração

  • 1. PIM VI Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração – Carlos Rodrigo Faria de Assis A64591-8 – Danilo Ulisses da Silva A6070B-0 – Junior Campos Ozono A697DJ-0 – Luana Santos Benfatti A5119E-3 São José dos Campos Dezembro de 2012 1
  • 2. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • O Petróleo • A refinaria • A Integração da Refinaria com a Indústria Petroquímica • A Nafta Petroquímica • A Indústria Petroquímica • Pólos Petroquímicos • Conclusão • Referências 2
  • 3. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • O Petróleo: – O petróleo bruto é composto de diversos hidrocarbonetos, com propriedades diferentes, apresentando pouca utilidade nessa forma. • Pode ser: 3 Tipo de óleo Grau API Leve Acima de 30 Médio Entre 20 e 30 Pesado Abaixo de 20 API - American Petroleum Institute
  • 4. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • A Refinaria: – Refinaria é o nome para se referir as destilarias de petróleo que realizam o processo de separação, conversão e tratamento das frações de petróleo, produzindo diversos derivados. • História: 4 Início 1859 Local Titusville, Pensilvânia, EUA Responsável Edwin Laurentine Drake
  • 5. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração 5 Parque de Refino Brasileiro
  • 6. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Processos existentes em uma refinaria: 6 Tipo de Processo Função do Processo Processos físicos de separação Separação das frações de petróleo Processos químicos de conversão Conversão das frações de derivados Processos químicos de tratamento Tratamento das frações convertidas de petróleo Processos auxiliares Fornecimento de insumos e tratamento de rejeitos de outros processos
  • 7. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Integração da Refinaria com a Indústria Petroquímica: – A integração completa das operações petroquímicas e de refinaria fornece a oportunidade de maximizar a produção de derivados de maior valor agregado. 7
  • 8. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração 8 Origem Petróleo Coloração Incolor Faixa de Destilação 70° Utilização Fabricação Eteno, Propeno, Benzeno, Tolueno e Xilenos • A Nafta Petroquímica:
  • 9. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • A Nafta Petroquímica: – Este derivado é utilizado como matéria-prima pelas três Centrais Petroquímicas existentes no Brasil. • a) Pólo Petroquímico de Santo André – SP • b) Pólo Petroquímico de Camaçari – BA • c) Pólo Petroquímico de Triunfo – RS 9
  • 10. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Indústrias Petroquímicas Nacionais: 10
  • 11. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • A Indústria Petroquímica: • A petroquímica é a atividade industrial de produção de derivados de petróleo, normalmente a partir da separação dos componentes do petróleo por destilação. • No Brasil utiliza-se principalmente a nafta. • A COPENE está capacitada para operar com frações mais pesadas. 11COPENE - Central de Matérias Primas do Nordeste
  • 12. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Origem: • No Brasil a indústria petroquímica teve o seu desenvolvimento nos primeiros anos da década de 50. • Primeira fábrica petroquímica no Brasil, ALBA, iniciou sua operação em 1948. 12 Início Década de 1920 Local EUA Forma Resultado de pesquisas que visavam à transformação de produtos naturais ALBA - Borden Incorporated
  • 13. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Perspectivas da Indústria Petroquímica no Brasil: • Segundo a ABIQUIM, o faturamento líquido dessa indústria em 2010 foi de US$ 130,2 bilhões, participação de 2,6% no PIB total do país. • Participação atual devido ao pré-sal é de 12% no PIB e deverá dobrar nos próximos 8 anos chegando à 20%. 13ABIQUIM - Associação Brasileira da Indústria Química
  • 14. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Importância da Indústria Petroquímica na Economia Brasileira: – Em 2000 a petroquímica representava 60% da indústria química do país; – Produz o equivalente a 13% do PIB da indústria brasileira de transformação; – Gera, aproximadamente, 310 mil empregos diretos e recolhe cerca de 15% de taxas e impostos do total dos setores produtivos . 14
  • 15. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Pólos Petroquímicos: – A indústria petroquímica é uma indústria de capital intensivo, em sua 1ª e 2ª geração. – Vamos compreender a diferença entre elas no próximo slide. 15
  • 16. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Primeira Geração: – São as produtoras de petroquímicos básicos, produtos resultantes da primeira transformação de correntes petrolíferas. – Os principais produtos primários são as olefinas (eteno, propeno e butadieno) e os aromáticos (benzeno, tolueno e xilenos). 16
  • 17. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Segunda Geração: – São as produtoras de resinas termoplásticas (polietilenos e polipropilenos) e de intermediários, produtos resultantes do processamento dos produtos primários. – Os principais produtos secundários são o acetato de vinila, óxido de propeno, fenol, óxido de eteno, estireno e ácido acrílico. 17
  • 18. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Alguns destinos da matéria-prima da indústria petroquímica: 18 Matéria-Prima Tipo de Indústria Produto Parafinas Alimentícia Goma de mascar Parafinas, compostos aromáticos Cosmética Batons, esmaltes, tintas capilares Parafinas, compostos aromáticos Farmacêutica Cápsulas de remédios, pomadas, vaselina Coque de Petróleo Siderúrgica Alumínio, ferro, aço
  • 19. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Conclusão: – A integração completa das operações de refino e petroquímicas fornece a oportunidade de maximizar a produção de derivados de valor agregado na mais competitiva estrutura de custos, devido às oportunidades de otimização baseadas no suprimento de matérias- primas para a sociedade. 19
  • 20. PIM VI – Integração do Parque de Refino com a Indústria Petroquímica de Primeira Geração • Referências: SZKLO, A. S; ULLER, V. C; BONFA, M. H. P. Fundamentos do Refino de Petróleo – Tecnologia e Economia. 3a ed. Interciência, 2012. BORSCHIVER, S; SEIDL, P. R. Integração Refino- petroquímica - Tendências e Impactos. 1a ed. Peblit, 2012. 20