SlideShare uma empresa Scribd logo
Informática na
Educação Infantil
• A presença da informática na educação vem assumindo o
caráter de paradigma pedagógico.
• Busca apontar para a reversão de índices considerados
indesejado e, busca contribuir de forma significativa no
trabalho docente.
• Somada a outros elementos, poderia modificar o
processo de ensino aprendizagem no sentido de produzir
uma melhor qualificação do alunado, ou mesmo a sua
autonomia na busca de aquisição do conhecimento.
• O computador pode ocupar vários lugares na escola, cabe
ao professor saber escolher a melhor forma de
capacitação para sua prática pedagógica.
• Para Valente (1993), as atividades com o computador na
escola têm se revestido em duas modalidades:
• ensino de informática: caracteriza-se por dar noções
superficiais ao aluno de conceitos de programação,
princípios de funcionamento do computador etc
• ensino pela informática: caracteriza o que se chama
Informática Educativa, pois aí o aluno, em diversas
atividades que podem ser desenvolvidas no computador,
tais como: programação, simulação, uso de softwares
educativos etc.,
• O ensino de informática contribui muito pouco para
a melhoria da qualidade de ensino, sendo na maioria das
vezes, usada pelas escolas visando atrair a atenção dos
alunos, objetivando uma procura maior destas
instituições nos momentos de matrícula.
• Nesta forma de utilização do computador, o aluno tem
suas atividades restritas a poucas horas de contato com o
computador, o que lhe possibilita aprender técnicas
rudimentares de programação.
• O ensino pela Informática poderá desenvolver
estratégias de aprendizagem que contribuam na
assimilação dos conteúdos trabalhados em sala de aula.
Entender o binômio .Computador e Educação., é
ter em vista o fato de que o computador se tornou um
instrumento, uma ferramenta para
aprendizagem, desenvolvendo habilidades intelectuais e
cognitivas, levando o indivíduo ao
desabrochar das potencialidades, de sua criatividade e de
sua inventividade.
• Discorrendo sobre o nascimento da Informática
Educativa, sua origem e aportes teóricos fundamentais
de Papert, Piaget, Vigotsky e outros, conseguem
estabelecer a relação adequada com a prática escolar
cotidiana.
• A informática tornou-se uma necessidade no mundo em
que vivemos, e a escola, na missão de preparar o
indivíduo para a vida, sente a responsabilidade de não
fechar os olhos para essa realidade.
• As crianças da atualidade já nascem mergulhadas nesse
mundo tecnológico e seus interesses e padrões de
pensamento já fazem parte desse universo.
• A reflexão sobre o equilíbrio da verdadeira .alfabetização
tecnológica. onde não significa apenas saber como
utilizar computadores e ideias computacionais, e sim
saber quando fazê-lo.
• Não são apenas as diversas formas de utilização do
computador que devem ser questionadas para que
tenhamos um processo de ensino e aprendizagem
diferente do modelo tradicional.
• Faz-se necessário também, no trabalho com o
computador, outro tipo de professor, um que conheça
profundamente o processo de aprendizagem, como ele
acontece e como intervir de maneira efetiva na relação
aluno-computador, proporcionando ao aluno condições
favoráveis para a construção do conhecimento.
• A informática educativa para crianças na educação
infantil está se desenvolvendo rapidamente e requer um
trabalho diferenciado pois pode, ou não, desenvolver
vários aspectos cognitivos do aluno.
• Na educação infantil os conteúdos pedagógicos
devem ser desenvolvidos com base nas vivências das
crianças, em suas relações afetivas e experiências de
interação do mundo.
• .As crianças entre 4 e 5 anos são mais ativas, sua
atividade mental é intensa, reconhece e diferencia
formas, cores, texturas, posições, distâncias, sons,
reconhece e diferencia quantidades, comprimento,
altura, espessura, peso, monta quebra-cabeças, ordena
fatos de uma história, realiza classificações (juntar pelas
semelhanças), seriações (ordem crescente), tem
concentração por mais ou menos 20 minutos, passa a se
interessar por letras, números e jogos (dominó,
memória...).
• É nesta etapa que estão se construindo as categorias
fundamentais que permitirão uma apropriação do
mundo.
• Na verdade o trabalho com estes conceitos vai sendo
construído desde o início da vida escolar da criança, por
isso podemos começar um trabalho na área da
informática educativa com crianças a partir dos 3 anos.
• O objetivo da informática educativa para estas crianças é
trazer o computador para o cenário das experiências
infantis, possibilitando que este seja mais uma
ferramenta na descoberta do mundo das coisas, das
pessoas, das representações e da aprendizagem.
• Para que consigamos uma concentração máxima da
criança, o ideal seria um computador para cada criança,
com duração da aula de 30 minutos.
• É muito importante que as aulas de informática também
sejam planejadas como as aulas diárias, com registro
individual do desenvolvimento da criança neste trabalho,
para posteriormente serem realizadas avaliações, de
acordo com o planejamento.
• O planejamento deve ser desenvolvido com base em
projetos seguindo uma sequencia de conceitos,
conhecimentos e desenvolvimentos da criança.
• Além dos cuidados com o planejamento e com os
softwares usados para a realização do mesmo, a atitude,
a forma de o professor atuar com o aluno em atividade
no computador, é fundamental para que todas as
crianças se beneficiem do trabalho, levando em conta
suas diferenças individuais e seu desenvolvimento
psicomotor, como mostra o quadro abaixo.
• Tendo em vista o processo educativo escolar, no qual a
informática se insere como um recurso de ensino
aprendizagem, as atividades desenvolvidas junto aos alunos
da Educação Infantil objetivam, de uma maneira geral,
atentar aos seguintes aspectos de habilidades e conteúdos,
segundo o PROINFO:
• Coordenação motora (capacidade de usar os músculos do
esqueleto)
• Coordenação motora, atenção e concentração.
• Controle visomotor (controle dos olhos ao longo da linha)
• Familiarização com o equipamento e softwares.
• Percepção visual: identificação de cor, forma, tamanho,
posição, contagem, sequência e outros elementos.
• Organização espacial: reconhecimento de posição, espaço e
lateralidade.
• Curiosidade e memória visual (capacidade de olhar para o
objeto e lembrar dele)
• Desenho, exploração de palavras e escrita e raciocínio
lógico
(Shilickmannn et al, 2006)
(Shilickmannn et al, 2006)
Informática na E.I.
• Familiarizar com
equipamento e software;
• Promover a atenção e
concentração;
• Trabalhar a coordenação
visomotora;
• Desenvolver a coordenação
motora;
• Desenvolver a percepção
visual e auditiva:
Identificação de sons, cor,
forma, tamanho, posição,
contagem e sequência.
• Lidar com a organização
espacial:
Reconhecimento de posição,
espaço e lateralidade;
Desenvolver a memória
visual e auditiva.
• Desenvolver habilidades
artísticas;
• Despertar a curiosidade;
• Aprender os símbolos gráficos:
letras, números, cores e formas;
• Desenvolver o raciocínio lógico.
Para as aulas de educação infantil, o laboratório
de Informática Educativa é um local de aprendizagem
lúdica, onde o brincar e o aprender se tornam par na
construção do conhecimento.
O computador:
• pode ser lúdico, instigante, atrativo: A criança
considera-se parte do .mundo moderno e letrado da
informática.. Ela tem a sensação de ser .inteligente.,
capaz de dominar a máquina.
• possibilita a resposta imediata: Depois da ação (que
pode ser visualizada praticamente ao mesmo tempo da
execução), há sempre uma resposta do computador, que
pode ser surpreendente.
• No computador o erro pode produzir resultados
interessante: No computador, o erro pode não ser
.fracasso. e sim exigir reflexão/busca de outro caminho;
.erro construtivo. O erro pode conduzir à produção de
uma nova situação, muitas vezes mais interessante do
que a inicialmente proposta; .erro criativo. O erro é
menos frustrante ao ser apontado pela máquina e não
pelo professor.
• O computador não é um instrumento autônomo,
não faz nada sozinho: Precisa de comandos para
poder funcionar, desenvolvendo o poder de decisão,
iniciativa e autonomia . qual ordem dar, como selecionar.
características que auxiliam, por exemplo, na
matemática em resolução de problemas.
• Desenvolve a espontaneamente e os .limites. É
necessária uma ordem, uma sequencia de comandos
para se atingir os objetivos a que se propõe; é preciso
interagir com as regras de funcionamento do
computador. A busca de uma lógica do funcionamento
da máquina desenvolve o raciocínio lógico.
• Através do uso do computador, trabalhamos com a
ansiedade e a resistência à frustração . se a criança é
muito ansiosa, dá muitos comandos ao mesmo tempo e
não obtém o produto desejado.
• Favorece a flexibilidade do pensamento: Na
execução de um programa, há a possibilidade de
descobrir várias formas, vários caminhos para se chegar
ao mesmo resultado final.
• Diante de um impasse, surge a necessidade da busca de
possíveis soluções, desenvolvendo a criatividade.
• Estimula o desenvolvimento do raciocínio lógico:
• A criança deve compreender a lógica das mensagens
apresentadas pelo computador para prosseguimento da
operação.
• Ela precisa, também, captar a lógica nas relações
parte/todo . todo/parte.
• Para atingir os objetivos propostos, diante da situação-
problema, é necessário:
• Analisar os dados apresentados;
• Descobrir o que deve ser feito;
• Levantar hipóteses;
• Estabelecer estratégias;
• Levantar dados para a solução . o que existe que pode
fornecer caminhos;
• Buscar diferentes caminhos a seguir.
• Possibilita o desenvolvimento do foco de atenção
Concentração: A criança é levada a observar os
detalhes da situação proposta e deve ler,
obrigatoriamente, o que está escrito como resposta do
computador para poder prosseguir e não perder a
continuidade.
• Deve, também, seguir as ordens na sequencia proposta
pela máquina.
• Reforça o autoconceito, quando a criança .vence
o computador., em softwares de desafios e jogos
educativos: Te peguei!. .Vou ser mais rápido do que
você!.
• A Informática Educativa favorece a expressão
emocional: As situações vivenciadas pela Informática
podem levar a criança a:
- Vivenciar o prazer com o sucesso obtido em situações
desafiadoras;
- Obter o sucesso, que levará ao desejo de novas situações;
- Demonstrar e elaborar frustrações, raivas, etc. quando o
sujeito vence o momento difícil e consegue continuar o
trabalho;
- Projetar suas emoções na escolha ou produção de textos
ou desenhos.
• Com as rápidas transformações nos meios e modos de
produção, estamos entrando em uma nova era e a
educação não apenas tem que se adaptar às novas
necessidades, mas assumir um papel de ponta nesse
processo.
• Precisamos nos utilizar dessa evolução para desenvolver
o papel principal do docente que é o de ensinar a
aprender.
Relação de sites pedagógicos
www.meninomaluquinho.com.br
www.solzinho.com.br
www.discoverykids.com.br
www.atividadeseducativas.com.br
www.brinquebook.com.br
www.tvcultura.com.br/cocorico
www.jogoseducativos.jogosja.com
www.chamequinho.com.br
www.clubinhosabesp.com.br/
www2.uol.com.br/ecokids/index.htm
www.edinfjogos.universoneo.com.br/
www.escolagames.com.br/
www.monica.com.br
www.smilinguido.com.br
www.cercifaf.org.pt/mosaico.edu/
www.abelhudos.com.br/
www.ferryhalim.com/orisinal/
www.inag.pt/jovem/index.html
www.senna.globo.com/senninha/index.asp
www.smartkids.com.br/
www.mundodositio.globo.com/
www.tribodoguarana.net/index2/index.htm
www.tvratimbum.com.br/
www.taina3.com.br/
www.elbuhoboo.com
www.contandohistória.com
Relação de sites pedagógicos
http://www.siteseducativos.com.br/
https://sites.google.com/site/eduardadc/indicando-sites-2/sites-infantil
http://www.noas.com.br/educacao-infantil/
http://www.eusou.com/crianca/
Conexão do Saber
A UNICAMP em parceria com a Secretaria de Educação de Santos,
oferece aos professores o projeto “Conexão do Saber”.
Este projeto propicia o desenvolvimento de módulos educacionais,
onde os educadores tem a possibilidade de transformar material
pedagógico em atividades virtuais, que podem ser utilizadas nas aulas.
G COMPRIS
GCompris é um software educacional que compreende
numerosas atividades para crianças na faixa etária entre 2 e
10 anos. As atividades possuem orientação lúdica com
direcionamento educacional.
GCompris dispõem de aproximadamente 100
atividades e é um software livre.
Seymour Papert
• Ele é o teórico mais conhecido
sobre o uso de computadores
na educação, um dos pioneiros
da inteligência artificial e
criador da linguagem de
programação LOGO (em 1967)
, inicialmente para crianças,
quando os computadores eram
muitos limitados, não existia a
interface gráfica e muito
menos a internet.
• Na educação, Papert cunhou o
termo construcionismo como sendo a abordagem
do construtivismo que permite ao educando construir o
seu próprio conhecimento por intermédio de alguma
ferramenta, como o computador, por exemplo.
• Desta forma, o uso do computador é defendido como
auxiliar no processo de construção de conhecimentos,
uma poderosa ferramenta educacional, adaptando os
princípios do construtivismo cognitivo de Jean Piaget a
fim de melhor aproveitar-se o uso de tecnologias.
voltar
Jean Piaget
• Através da minuciosa observação de seus filhos e
principalmente de outras crianças, Piaget impulsionou
a Teoria Cognitiva, onde propõe a existência de quatro
estágios de desenvolvimento cognitivo no ser humano:
- o estágio sensório-motor (0-2anos de vida)
- pré-operacional (pré-operatório) (2-7 anos de vida)
- operatório concreto (7-11 anos de vida)
- operatório formal (a partir dos 12 anos de vida).
voltar
• Para Piaget as crianças só podiam aprender o que estavam
preparadas a assimilar.
• Aos professores, cabia aperfeiçoar o processo de descoberta
dos alunos
voltar
Lev Vigotsky
• As obras de Vigotsky incluem alguns conceitos que se
tornaram incontornáveis na área do desenvolvimento
da aprendizagem.
• Um dos conceitos mais importantes é o de Zona de
desenvolvimento proximal, que se relaciona com a
diferença entre o que a criança consegue realizar sozinha
e aquilo que, embora não consiga realizar sozinha, é
capaz de aprender e fazer com a ajuda de uma pessoa
mais experiente (adulto, criança mais velha ou com
maior facilidade de aprendizado, etc.).
• A Zona de Desenvolvimento Proximal é, portanto, tudo o
que a criança pode adquirir em termos intelectuais
quando lhe é dado o suporte educacional devido.
voltar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula I - Introdução ao Windows
Aula I - Introdução ao WindowsAula I - Introdução ao Windows
Aula I - Introdução ao Windows
Jéssica Amaral
 
Partes do Computador
Partes do ComputadorPartes do Computador
Partes do Computador
Anabelazita
 
Aula 01 informatica basica - introducao a informatica
Aula 01   informatica basica - introducao a informaticaAula 01   informatica basica - introducao a informatica
Aula 01 informatica basica - introducao a informatica
Kassiana Marques
 
A História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos ComputadoresA História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos Computadores
Nascimentoeli
 
Informática na educação infantil
Informática na educação infantilInformática na educação infantil
Informática na educação infantil
Claudinéia da Silva
 
Curso básico de informática aprendinfor - parte 1 da aula 1
Curso básico de informática   aprendinfor - parte 1 da aula 1Curso básico de informática   aprendinfor - parte 1 da aula 1
Curso básico de informática aprendinfor - parte 1 da aula 1
Bruno Raínni
 
Introducao a informatica
Introducao a informaticaIntroducao a informatica
Introducao a informatica
Leide Sayuri Ogasawara
 
A história do computador
A história do computadorA história do computador
A história do computador
Marcos Nascimento
 
Informática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional Windows
Informática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional WindowsInformática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional Windows
Informática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional Windows
Joeldson Costa Damasceno
 
Curso básico de informática
Curso básico de informáticaCurso básico de informática
Curso básico de informática
Rony Oliveira
 
Informática Básica - Aula 04 - Software
Informática Básica - Aula 04 - SoftwareInformática Básica - Aula 04 - Software
Informática Básica - Aula 04 - Software
Joeldson Costa Damasceno
 
Apresentação partes do computador
Apresentação partes do computadorApresentação partes do computador
Apresentação partes do computador
professorajulianafigueirdocamara
 
exercicio-Organização e estrutura de Computadores
exercicio-Organização e estrutura de Computadoresexercicio-Organização e estrutura de Computadores
exercicio-Organização e estrutura de Computadores
Suzana Viana Mota
 
Introdução a Informática
Introdução a InformáticaIntrodução a Informática
Introdução a Informática
Daniel Brandão
 
Informatica basica
Informatica basicaInformatica basica
Informatica basica
guestcb69a562
 
Informática Básica - Aula 09 - Uso de E-mail
Informática Básica - Aula 09 - Uso de E-mailInformática Básica - Aula 09 - Uso de E-mail
Informática Básica - Aula 09 - Uso de E-mail
Joeldson Costa Damasceno
 
Pacote office
Pacote officePacote office
Pacote office
Eduardo Braga Jr
 
Exercicios praticos-basico-de-internet
Exercicios praticos-basico-de-internetExercicios praticos-basico-de-internet
Exercicios praticos-basico-de-internet
Filgueira Nogueira
 
Sugestões de atividades com o Paint
 Sugestões de atividades com o Paint Sugestões de atividades com o Paint
Sugestões de atividades com o Paint
Luciana
 
Aula teclado
Aula tecladoAula teclado
Aula teclado
Iuri Matos
 

Mais procurados (20)

Aula I - Introdução ao Windows
Aula I - Introdução ao WindowsAula I - Introdução ao Windows
Aula I - Introdução ao Windows
 
Partes do Computador
Partes do ComputadorPartes do Computador
Partes do Computador
 
Aula 01 informatica basica - introducao a informatica
Aula 01   informatica basica - introducao a informaticaAula 01   informatica basica - introducao a informatica
Aula 01 informatica basica - introducao a informatica
 
A História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos ComputadoresA História e Evolução dos Computadores
A História e Evolução dos Computadores
 
Informática na educação infantil
Informática na educação infantilInformática na educação infantil
Informática na educação infantil
 
Curso básico de informática aprendinfor - parte 1 da aula 1
Curso básico de informática   aprendinfor - parte 1 da aula 1Curso básico de informática   aprendinfor - parte 1 da aula 1
Curso básico de informática aprendinfor - parte 1 da aula 1
 
Introducao a informatica
Introducao a informaticaIntroducao a informatica
Introducao a informatica
 
A história do computador
A história do computadorA história do computador
A história do computador
 
Informática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional Windows
Informática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional WindowsInformática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional Windows
Informática Básica - Aula 05 - Sistema Operacional Windows
 
Curso básico de informática
Curso básico de informáticaCurso básico de informática
Curso básico de informática
 
Informática Básica - Aula 04 - Software
Informática Básica - Aula 04 - SoftwareInformática Básica - Aula 04 - Software
Informática Básica - Aula 04 - Software
 
Apresentação partes do computador
Apresentação partes do computadorApresentação partes do computador
Apresentação partes do computador
 
exercicio-Organização e estrutura de Computadores
exercicio-Organização e estrutura de Computadoresexercicio-Organização e estrutura de Computadores
exercicio-Organização e estrutura de Computadores
 
Introdução a Informática
Introdução a InformáticaIntrodução a Informática
Introdução a Informática
 
Informatica basica
Informatica basicaInformatica basica
Informatica basica
 
Informática Básica - Aula 09 - Uso de E-mail
Informática Básica - Aula 09 - Uso de E-mailInformática Básica - Aula 09 - Uso de E-mail
Informática Básica - Aula 09 - Uso de E-mail
 
Pacote office
Pacote officePacote office
Pacote office
 
Exercicios praticos-basico-de-internet
Exercicios praticos-basico-de-internetExercicios praticos-basico-de-internet
Exercicios praticos-basico-de-internet
 
Sugestões de atividades com o Paint
 Sugestões de atividades com o Paint Sugestões de atividades com o Paint
Sugestões de atividades com o Paint
 
Aula teclado
Aula tecladoAula teclado
Aula teclado
 

Semelhante a Informática na educação infantil

Michelle de oliveira crivellari
Michelle de oliveira crivellariMichelle de oliveira crivellari
Michelle de oliveira crivellari
Rafael Horta Scaldaferri
 
Linguagem Digital (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
Linguagem Digital  (Ana Flávia Colen Castelo Borges)Linguagem Digital  (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
Linguagem Digital (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
Luúh Reis
 
Ednael e duce
Ednael  e duceEdnael  e duce
Ednael e duce
Juliana Muniz
 
linguagem digital
linguagem digitallinguagem digital
linguagem digital
menezesiara
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
Luúh Reis
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
dssoliveira
 
Slide. pronto
Slide. prontoSlide. pronto
Slide. pronto
ruasbruna
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
ruasbruna
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
dssoliveira
 
Um passo para o futuro da educação: o olhar do tecnófilo.
Um passo para o futuro da educação: o olhar do tecnófilo.Um passo para o futuro da educação: o olhar do tecnófilo.
Um passo para o futuro da educação: o olhar do tecnófilo.
Diego Marinho Morais
 
Atividade 3 certa
Atividade 3 certaAtividade 3 certa
Atividade 3 certa
TMPAIVA
 
Tecnologias e praticas educativas
Tecnologias e praticas educativasTecnologias e praticas educativas
Tecnologias e praticas educativas
mairaignez
 
Educação e tecnologia
Educação e tecnologiaEducação e tecnologia
Educação e tecnologia
2801992
 
Tecnlogia ed;infanil néia
Tecnlogia ed;infanil néiaTecnlogia ed;infanil néia
Tecnlogia ed;infanil néia
Claudinéia da Silva
 
96177
9617796177
Atividade3nathanaisabeladesouzafaria
Atividade3nathanaisabeladesouzafariaAtividade3nathanaisabeladesouzafaria
Atividade3nathanaisabeladesouzafaria
nathanarossim
 
Monteiro Lobato
Monteiro LobatoMonteiro Lobato
Monteiro Lobato
guest9507b1
 
Educação e Tecnologia: computadores para educar
Educação e Tecnologia: computadores para educarEducação e Tecnologia: computadores para educar
Educação e Tecnologia: computadores para educar
diasyasmin
 
Tecnófilo a favor da educação
Tecnófilo a favor da educaçãoTecnófilo a favor da educação
Tecnófilo a favor da educação
CLEIDIANE ALVES DA SILVA
 
Monteiro Lobato
Monteiro LobatoMonteiro Lobato
Monteiro Lobato
guest9507b1
 

Semelhante a Informática na educação infantil (20)

Michelle de oliveira crivellari
Michelle de oliveira crivellariMichelle de oliveira crivellari
Michelle de oliveira crivellari
 
Linguagem Digital (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
Linguagem Digital  (Ana Flávia Colen Castelo Borges)Linguagem Digital  (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
Linguagem Digital (Ana Flávia Colen Castelo Borges)
 
Ednael e duce
Ednael  e duceEdnael  e duce
Ednael e duce
 
linguagem digital
linguagem digitallinguagem digital
linguagem digital
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
 
Slide. pronto
Slide. prontoSlide. pronto
Slide. pronto
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
 
Linguagem Digital
Linguagem DigitalLinguagem Digital
Linguagem Digital
 
Um passo para o futuro da educação: o olhar do tecnófilo.
Um passo para o futuro da educação: o olhar do tecnófilo.Um passo para o futuro da educação: o olhar do tecnófilo.
Um passo para o futuro da educação: o olhar do tecnófilo.
 
Atividade 3 certa
Atividade 3 certaAtividade 3 certa
Atividade 3 certa
 
Tecnologias e praticas educativas
Tecnologias e praticas educativasTecnologias e praticas educativas
Tecnologias e praticas educativas
 
Educação e tecnologia
Educação e tecnologiaEducação e tecnologia
Educação e tecnologia
 
Tecnlogia ed;infanil néia
Tecnlogia ed;infanil néiaTecnlogia ed;infanil néia
Tecnlogia ed;infanil néia
 
96177
9617796177
96177
 
Atividade3nathanaisabeladesouzafaria
Atividade3nathanaisabeladesouzafariaAtividade3nathanaisabeladesouzafaria
Atividade3nathanaisabeladesouzafaria
 
Monteiro Lobato
Monteiro LobatoMonteiro Lobato
Monteiro Lobato
 
Educação e Tecnologia: computadores para educar
Educação e Tecnologia: computadores para educarEducação e Tecnologia: computadores para educar
Educação e Tecnologia: computadores para educar
 
Tecnófilo a favor da educação
Tecnófilo a favor da educaçãoTecnófilo a favor da educação
Tecnófilo a favor da educação
 
Monteiro Lobato
Monteiro LobatoMonteiro Lobato
Monteiro Lobato
 

Mais de Claudinéia da Silva

Roteirobasicoplano de aula
Roteirobasicoplano de aulaRoteirobasicoplano de aula
Roteirobasicoplano de aula
Claudinéia da Silva
 
Valorização do professor do Ensino Médio
Valorização do professor do Ensino Médio Valorização do professor do Ensino Médio
Valorização do professor do Ensino Médio
Claudinéia da Silva
 
Análise filme matrix
Análise filme matrixAnálise filme matrix
Análise filme matrix
Claudinéia da Silva
 
QUEM TEM MEDO DAS NOVAS TECNOLOGIAS?
QUEM TEM MEDO DAS NOVAS TECNOLOGIAS?QUEM TEM MEDO DAS NOVAS TECNOLOGIAS?
QUEM TEM MEDO DAS NOVAS TECNOLOGIAS?
Claudinéia da Silva
 
Fordismo taylorismo
Fordismo taylorismoFordismo taylorismo
Fordismo taylorismo
Claudinéia da Silva
 
Fordismo taylorismo
Fordismo taylorismoFordismo taylorismo
Fordismo taylorismo
Claudinéia da Silva
 
Exercicio formatação-word
Exercicio formatação-wordExercicio formatação-word
Exercicio formatação-word
Claudinéia da Silva
 
Apostila como criar um blog
Apostila como criar um blogApostila como criar um blog
Apostila como criar um blog
Claudinéia da Silva
 
Computação em nuvem
Computação em nuvemComputação em nuvem
Computação em nuvem
Claudinéia da Silva
 
Tecnologia aplicada
Tecnologia aplicadaTecnologia aplicada
Tecnologia aplicada
Claudinéia da Silva
 
Tecnologia Asssitida
Tecnologia AsssitidaTecnologia Asssitida
Tecnologia Asssitida
Claudinéia da Silva
 
Apostila power-point
Apostila power-pointApostila power-point
Apostila power-point
Claudinéia da Silva
 
Ms powerpoint-2013-130305085221-phpapp02
Ms powerpoint-2013-130305085221-phpapp02Ms powerpoint-2013-130305085221-phpapp02
Ms powerpoint-2013-130305085221-phpapp02
Claudinéia da Silva
 
Tutorial MovieMaker
Tutorial MovieMakerTutorial MovieMaker
Tutorial MovieMaker
Claudinéia da Silva
 
LIVRO: Cuidando do corpo o nariz da zebrinha listradinha
LIVRO: Cuidando do corpo   o nariz da zebrinha listradinhaLIVRO: Cuidando do corpo   o nariz da zebrinha listradinha
LIVRO: Cuidando do corpo o nariz da zebrinha listradinha
Claudinéia da Silva
 
Tenho medo mas_dou_um_jeito_ruth_rocha
Tenho medo mas_dou_um_jeito_ruth_rochaTenho medo mas_dou_um_jeito_ruth_rocha
Tenho medo mas_dou_um_jeito_ruth_rocha
Claudinéia da Silva
 
Apostila Excel
Apostila ExcelApostila Excel
Apostila Excel
Claudinéia da Silva
 
Formatação trabalho acadêmico no Word
Formatação trabalho acadêmico no WordFormatação trabalho acadêmico no Word
Formatação trabalho acadêmico no Word
Claudinéia da Silva
 
Seminário sobre tecnologias dependentes
Seminário sobre tecnologias dependentesSeminário sobre tecnologias dependentes
Seminário sobre tecnologias dependentes
Claudinéia da Silva
 

Mais de Claudinéia da Silva (20)

Roteirobasicoplano de aula
Roteirobasicoplano de aulaRoteirobasicoplano de aula
Roteirobasicoplano de aula
 
Valorização do professor do Ensino Médio
Valorização do professor do Ensino Médio Valorização do professor do Ensino Médio
Valorização do professor do Ensino Médio
 
Análise filme matrix
Análise filme matrixAnálise filme matrix
Análise filme matrix
 
QUEM TEM MEDO DAS NOVAS TECNOLOGIAS?
QUEM TEM MEDO DAS NOVAS TECNOLOGIAS?QUEM TEM MEDO DAS NOVAS TECNOLOGIAS?
QUEM TEM MEDO DAS NOVAS TECNOLOGIAS?
 
Fordismo taylorismo
Fordismo taylorismoFordismo taylorismo
Fordismo taylorismo
 
Fordismo taylorismo
Fordismo taylorismoFordismo taylorismo
Fordismo taylorismo
 
Exercicio formatação-word
Exercicio formatação-wordExercicio formatação-word
Exercicio formatação-word
 
Apostila como criar um blog
Apostila como criar um blogApostila como criar um blog
Apostila como criar um blog
 
Computação em nuvem
Computação em nuvemComputação em nuvem
Computação em nuvem
 
Tecnologia aplicada
Tecnologia aplicadaTecnologia aplicada
Tecnologia aplicada
 
Tecnologia Asssitida
Tecnologia AsssitidaTecnologia Asssitida
Tecnologia Asssitida
 
Apostila power-point
Apostila power-pointApostila power-point
Apostila power-point
 
Ms powerpoint-2013-130305085221-phpapp02
Ms powerpoint-2013-130305085221-phpapp02Ms powerpoint-2013-130305085221-phpapp02
Ms powerpoint-2013-130305085221-phpapp02
 
Tutorial MovieMaker
Tutorial MovieMakerTutorial MovieMaker
Tutorial MovieMaker
 
LIVRO: Cuidando do corpo o nariz da zebrinha listradinha
LIVRO: Cuidando do corpo   o nariz da zebrinha listradinhaLIVRO: Cuidando do corpo   o nariz da zebrinha listradinha
LIVRO: Cuidando do corpo o nariz da zebrinha listradinha
 
Tenho medo mas_dou_um_jeito_ruth_rocha
Tenho medo mas_dou_um_jeito_ruth_rochaTenho medo mas_dou_um_jeito_ruth_rocha
Tenho medo mas_dou_um_jeito_ruth_rocha
 
Apostila Excel
Apostila ExcelApostila Excel
Apostila Excel
 
Formatação trabalho acadêmico no Word
Formatação trabalho acadêmico no WordFormatação trabalho acadêmico no Word
Formatação trabalho acadêmico no Word
 
Seminário sobre tecnologias dependentes
Seminário sobre tecnologias dependentesSeminário sobre tecnologias dependentes
Seminário sobre tecnologias dependentes
 
Objetos de aprendizagem
Objetos de aprendizagemObjetos de aprendizagem
Objetos de aprendizagem
 

Último

Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
marcos oliveira
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 

Informática na educação infantil

  • 2. • A presença da informática na educação vem assumindo o caráter de paradigma pedagógico. • Busca apontar para a reversão de índices considerados indesejado e, busca contribuir de forma significativa no trabalho docente. • Somada a outros elementos, poderia modificar o processo de ensino aprendizagem no sentido de produzir uma melhor qualificação do alunado, ou mesmo a sua autonomia na busca de aquisição do conhecimento.
  • 3. • O computador pode ocupar vários lugares na escola, cabe ao professor saber escolher a melhor forma de capacitação para sua prática pedagógica. • Para Valente (1993), as atividades com o computador na escola têm se revestido em duas modalidades: • ensino de informática: caracteriza-se por dar noções superficiais ao aluno de conceitos de programação, princípios de funcionamento do computador etc • ensino pela informática: caracteriza o que se chama Informática Educativa, pois aí o aluno, em diversas atividades que podem ser desenvolvidas no computador, tais como: programação, simulação, uso de softwares educativos etc.,
  • 4. • O ensino de informática contribui muito pouco para a melhoria da qualidade de ensino, sendo na maioria das vezes, usada pelas escolas visando atrair a atenção dos alunos, objetivando uma procura maior destas instituições nos momentos de matrícula. • Nesta forma de utilização do computador, o aluno tem suas atividades restritas a poucas horas de contato com o computador, o que lhe possibilita aprender técnicas rudimentares de programação. • O ensino pela Informática poderá desenvolver estratégias de aprendizagem que contribuam na assimilação dos conteúdos trabalhados em sala de aula.
  • 5. Entender o binômio .Computador e Educação., é ter em vista o fato de que o computador se tornou um instrumento, uma ferramenta para aprendizagem, desenvolvendo habilidades intelectuais e cognitivas, levando o indivíduo ao desabrochar das potencialidades, de sua criatividade e de sua inventividade.
  • 6. • Discorrendo sobre o nascimento da Informática Educativa, sua origem e aportes teóricos fundamentais de Papert, Piaget, Vigotsky e outros, conseguem estabelecer a relação adequada com a prática escolar cotidiana. • A informática tornou-se uma necessidade no mundo em que vivemos, e a escola, na missão de preparar o indivíduo para a vida, sente a responsabilidade de não fechar os olhos para essa realidade. • As crianças da atualidade já nascem mergulhadas nesse mundo tecnológico e seus interesses e padrões de pensamento já fazem parte desse universo.
  • 7. • A reflexão sobre o equilíbrio da verdadeira .alfabetização tecnológica. onde não significa apenas saber como utilizar computadores e ideias computacionais, e sim saber quando fazê-lo. • Não são apenas as diversas formas de utilização do computador que devem ser questionadas para que tenhamos um processo de ensino e aprendizagem diferente do modelo tradicional.
  • 8. • Faz-se necessário também, no trabalho com o computador, outro tipo de professor, um que conheça profundamente o processo de aprendizagem, como ele acontece e como intervir de maneira efetiva na relação aluno-computador, proporcionando ao aluno condições favoráveis para a construção do conhecimento. • A informática educativa para crianças na educação infantil está se desenvolvendo rapidamente e requer um trabalho diferenciado pois pode, ou não, desenvolver vários aspectos cognitivos do aluno. • Na educação infantil os conteúdos pedagógicos devem ser desenvolvidos com base nas vivências das crianças, em suas relações afetivas e experiências de interação do mundo.
  • 9. • .As crianças entre 4 e 5 anos são mais ativas, sua atividade mental é intensa, reconhece e diferencia formas, cores, texturas, posições, distâncias, sons, reconhece e diferencia quantidades, comprimento, altura, espessura, peso, monta quebra-cabeças, ordena fatos de uma história, realiza classificações (juntar pelas semelhanças), seriações (ordem crescente), tem concentração por mais ou menos 20 minutos, passa a se interessar por letras, números e jogos (dominó, memória...). • É nesta etapa que estão se construindo as categorias fundamentais que permitirão uma apropriação do mundo.
  • 10. • Na verdade o trabalho com estes conceitos vai sendo construído desde o início da vida escolar da criança, por isso podemos começar um trabalho na área da informática educativa com crianças a partir dos 3 anos. • O objetivo da informática educativa para estas crianças é trazer o computador para o cenário das experiências infantis, possibilitando que este seja mais uma ferramenta na descoberta do mundo das coisas, das pessoas, das representações e da aprendizagem.
  • 11. • Para que consigamos uma concentração máxima da criança, o ideal seria um computador para cada criança, com duração da aula de 30 minutos. • É muito importante que as aulas de informática também sejam planejadas como as aulas diárias, com registro individual do desenvolvimento da criança neste trabalho, para posteriormente serem realizadas avaliações, de acordo com o planejamento. • O planejamento deve ser desenvolvido com base em projetos seguindo uma sequencia de conceitos, conhecimentos e desenvolvimentos da criança.
  • 12. • Além dos cuidados com o planejamento e com os softwares usados para a realização do mesmo, a atitude, a forma de o professor atuar com o aluno em atividade no computador, é fundamental para que todas as crianças se beneficiem do trabalho, levando em conta suas diferenças individuais e seu desenvolvimento psicomotor, como mostra o quadro abaixo.
  • 13. • Tendo em vista o processo educativo escolar, no qual a informática se insere como um recurso de ensino aprendizagem, as atividades desenvolvidas junto aos alunos da Educação Infantil objetivam, de uma maneira geral, atentar aos seguintes aspectos de habilidades e conteúdos, segundo o PROINFO: • Coordenação motora (capacidade de usar os músculos do esqueleto) • Coordenação motora, atenção e concentração. • Controle visomotor (controle dos olhos ao longo da linha) • Familiarização com o equipamento e softwares. • Percepção visual: identificação de cor, forma, tamanho, posição, contagem, sequência e outros elementos.
  • 14. • Organização espacial: reconhecimento de posição, espaço e lateralidade. • Curiosidade e memória visual (capacidade de olhar para o objeto e lembrar dele) • Desenho, exploração de palavras e escrita e raciocínio lógico
  • 17. Informática na E.I. • Familiarizar com equipamento e software; • Promover a atenção e concentração; • Trabalhar a coordenação visomotora; • Desenvolver a coordenação motora;
  • 18. • Desenvolver a percepção visual e auditiva: Identificação de sons, cor, forma, tamanho, posição, contagem e sequência. • Lidar com a organização espacial: Reconhecimento de posição, espaço e lateralidade; Desenvolver a memória visual e auditiva.
  • 20. • Aprender os símbolos gráficos: letras, números, cores e formas; • Desenvolver o raciocínio lógico.
  • 21. Para as aulas de educação infantil, o laboratório de Informática Educativa é um local de aprendizagem lúdica, onde o brincar e o aprender se tornam par na construção do conhecimento.
  • 22. O computador: • pode ser lúdico, instigante, atrativo: A criança considera-se parte do .mundo moderno e letrado da informática.. Ela tem a sensação de ser .inteligente., capaz de dominar a máquina. • possibilita a resposta imediata: Depois da ação (que pode ser visualizada praticamente ao mesmo tempo da execução), há sempre uma resposta do computador, que pode ser surpreendente.
  • 23. • No computador o erro pode produzir resultados interessante: No computador, o erro pode não ser .fracasso. e sim exigir reflexão/busca de outro caminho; .erro construtivo. O erro pode conduzir à produção de uma nova situação, muitas vezes mais interessante do que a inicialmente proposta; .erro criativo. O erro é menos frustrante ao ser apontado pela máquina e não pelo professor.
  • 24. • O computador não é um instrumento autônomo, não faz nada sozinho: Precisa de comandos para poder funcionar, desenvolvendo o poder de decisão, iniciativa e autonomia . qual ordem dar, como selecionar. características que auxiliam, por exemplo, na matemática em resolução de problemas. • Desenvolve a espontaneamente e os .limites. É necessária uma ordem, uma sequencia de comandos para se atingir os objetivos a que se propõe; é preciso interagir com as regras de funcionamento do computador. A busca de uma lógica do funcionamento da máquina desenvolve o raciocínio lógico. • Através do uso do computador, trabalhamos com a ansiedade e a resistência à frustração . se a criança é muito ansiosa, dá muitos comandos ao mesmo tempo e não obtém o produto desejado.
  • 25. • Favorece a flexibilidade do pensamento: Na execução de um programa, há a possibilidade de descobrir várias formas, vários caminhos para se chegar ao mesmo resultado final. • Diante de um impasse, surge a necessidade da busca de possíveis soluções, desenvolvendo a criatividade. • Estimula o desenvolvimento do raciocínio lógico: • A criança deve compreender a lógica das mensagens apresentadas pelo computador para prosseguimento da operação. • Ela precisa, também, captar a lógica nas relações parte/todo . todo/parte. • Para atingir os objetivos propostos, diante da situação- problema, é necessário:
  • 26. • Analisar os dados apresentados; • Descobrir o que deve ser feito; • Levantar hipóteses; • Estabelecer estratégias; • Levantar dados para a solução . o que existe que pode fornecer caminhos; • Buscar diferentes caminhos a seguir. • Possibilita o desenvolvimento do foco de atenção Concentração: A criança é levada a observar os detalhes da situação proposta e deve ler, obrigatoriamente, o que está escrito como resposta do computador para poder prosseguir e não perder a continuidade. • Deve, também, seguir as ordens na sequencia proposta pela máquina.
  • 27. • Reforça o autoconceito, quando a criança .vence o computador., em softwares de desafios e jogos educativos: Te peguei!. .Vou ser mais rápido do que você!. • A Informática Educativa favorece a expressão emocional: As situações vivenciadas pela Informática podem levar a criança a: - Vivenciar o prazer com o sucesso obtido em situações desafiadoras; - Obter o sucesso, que levará ao desejo de novas situações; - Demonstrar e elaborar frustrações, raivas, etc. quando o sujeito vence o momento difícil e consegue continuar o trabalho; - Projetar suas emoções na escolha ou produção de textos ou desenhos.
  • 28. • Com as rápidas transformações nos meios e modos de produção, estamos entrando em uma nova era e a educação não apenas tem que se adaptar às novas necessidades, mas assumir um papel de ponta nesse processo. • Precisamos nos utilizar dessa evolução para desenvolver o papel principal do docente que é o de ensinar a aprender.
  • 29. Relação de sites pedagógicos www.meninomaluquinho.com.br www.solzinho.com.br www.discoverykids.com.br www.atividadeseducativas.com.br www.brinquebook.com.br www.tvcultura.com.br/cocorico www.jogoseducativos.jogosja.com www.chamequinho.com.br www.clubinhosabesp.com.br/ www2.uol.com.br/ecokids/index.htm www.edinfjogos.universoneo.com.br/ www.escolagames.com.br/ www.monica.com.br www.smilinguido.com.br www.cercifaf.org.pt/mosaico.edu/ www.abelhudos.com.br/ www.ferryhalim.com/orisinal/ www.inag.pt/jovem/index.html www.senna.globo.com/senninha/index.asp www.smartkids.com.br/ www.mundodositio.globo.com/ www.tribodoguarana.net/index2/index.htm www.tvratimbum.com.br/ www.taina3.com.br/ www.elbuhoboo.com www.contandohistória.com
  • 30. Relação de sites pedagógicos http://www.siteseducativos.com.br/ https://sites.google.com/site/eduardadc/indicando-sites-2/sites-infantil http://www.noas.com.br/educacao-infantil/ http://www.eusou.com/crianca/
  • 31. Conexão do Saber A UNICAMP em parceria com a Secretaria de Educação de Santos, oferece aos professores o projeto “Conexão do Saber”. Este projeto propicia o desenvolvimento de módulos educacionais, onde os educadores tem a possibilidade de transformar material pedagógico em atividades virtuais, que podem ser utilizadas nas aulas.
  • 32. G COMPRIS GCompris é um software educacional que compreende numerosas atividades para crianças na faixa etária entre 2 e 10 anos. As atividades possuem orientação lúdica com direcionamento educacional. GCompris dispõem de aproximadamente 100 atividades e é um software livre.
  • 33. Seymour Papert • Ele é o teórico mais conhecido sobre o uso de computadores na educação, um dos pioneiros da inteligência artificial e criador da linguagem de programação LOGO (em 1967) , inicialmente para crianças, quando os computadores eram muitos limitados, não existia a interface gráfica e muito menos a internet.
  • 34. • Na educação, Papert cunhou o termo construcionismo como sendo a abordagem do construtivismo que permite ao educando construir o seu próprio conhecimento por intermédio de alguma ferramenta, como o computador, por exemplo. • Desta forma, o uso do computador é defendido como auxiliar no processo de construção de conhecimentos, uma poderosa ferramenta educacional, adaptando os princípios do construtivismo cognitivo de Jean Piaget a fim de melhor aproveitar-se o uso de tecnologias. voltar
  • 35. Jean Piaget • Através da minuciosa observação de seus filhos e principalmente de outras crianças, Piaget impulsionou a Teoria Cognitiva, onde propõe a existência de quatro estágios de desenvolvimento cognitivo no ser humano: - o estágio sensório-motor (0-2anos de vida) - pré-operacional (pré-operatório) (2-7 anos de vida) - operatório concreto (7-11 anos de vida) - operatório formal (a partir dos 12 anos de vida). voltar
  • 36. • Para Piaget as crianças só podiam aprender o que estavam preparadas a assimilar. • Aos professores, cabia aperfeiçoar o processo de descoberta dos alunos voltar
  • 37. Lev Vigotsky • As obras de Vigotsky incluem alguns conceitos que se tornaram incontornáveis na área do desenvolvimento da aprendizagem. • Um dos conceitos mais importantes é o de Zona de desenvolvimento proximal, que se relaciona com a diferença entre o que a criança consegue realizar sozinha e aquilo que, embora não consiga realizar sozinha, é capaz de aprender e fazer com a ajuda de uma pessoa mais experiente (adulto, criança mais velha ou com maior facilidade de aprendizado, etc.). • A Zona de Desenvolvimento Proximal é, portanto, tudo o que a criança pode adquirir em termos intelectuais quando lhe é dado o suporte educacional devido. voltar