SlideShare uma empresa Scribd logo
Informações sobre o Mercado Imobiliário
                            Maio de 2010

                      RICARDO Elias Sartori
                 (11) 7607-9891 / (11) 8374-7985
             http://br.linkedin.com/in/ricardosartori
                http://twitter.com/Ricardo_Sartori


   Registrado o crescimento de 80% nas vendas de
                 imóveis em um ano
Só no 1º trimestre o número de lançamentos chegou ao patamar de 14.219
unidades, quebrado todos os recorde dos últimos 10 anos.Apesar das
previsões de que 20101 será um ano de recordes no mercado imobiliário, a
quantidade de lançamentos não está sendo suficiente para atender toda a
demanda.Acredita-se que em 2010, somente na cidade de São Paulo, serão
vendidos aproximadamente 38 mil imóveis novos, sendo esta a maior
marca dos últimos 30 anos (dados do Secovi-SP).

Os resultados das vendas no primeiro trimestre de 2010 são
surpreendentes, e foram impulsionados pelo crédito farto e longo, pelo
crescimento da renda e do emprego, pelo programa habitacional do governo
e também pela volta de investidores ao mercado imobiliário. Em
comparação com 2009, as taxas de crescimento já superam a faixa de
80%.

Considerando-se apenas o mês de fevereiro, foram vendidos 2.858 imóveis,
ou seja, 83,7% a mais do que no mesmo mês de 2009, e 89,5% acima do
que foi vendido em janeiro.

Só no primeiro bimestre, o número de unidades vendidas chegou a 4.366
unidades, representando um aumento de 63,5% ante o mesmo período de
2009, e 7% a mais se comparado com 2008 (época em que a crise
econômica global ainda não tinha se instalado).

No ano de 2009, na cidade de São Paulo, foram vendidas 35.832 unidades.

                            Lançamentos

Com a alta demanda, percebida desde o início de 2010, construtoras e
incorporadoras estão lançando mais. No que se refere à linha residencial, o
volume de lançamentos, na Região Metropolitana de São Paulo, apenas no
primeiro trimestre, já é o maior da década para o período. Entre os meses
de janeiro e março foram lançadas 14.219 unidades (pesquisa da
Embraesp). Esse volume é praticamente o triplo (4.925 unidades) do
mesmo trimestre de 2009, e 32,5% maior que o de 2008, o último período
de boom imobiliário.
Desses lançamentos no primeiro trimestre mais da metade (56,7%) são de
imóveis de dois dormitórios. Apenas 4,5% correspondem a imóveis de alto
padrão.

                                   Preço

Mesmo diante de uma grande número de lançamentos, o crescimento da
procura por imóveis menores já implicou elevação de preços; o que, sem
dúvidas, demonstra que a demanda está acima das ofertas.

A valor médio do m² dos lançamentos de dois quartos, em São Paulo, subiu
em torno de 25% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período de
2009 (dados da Embraesp). Nos lançamentos de três e quatro dormitórios
os preços aumentaram 6% e 2,4%, respectivamente.

O quadro de aquecimento de vendas e de preços em alta se repete no caso
dos imóveis prontos, usados ou novos.

   A união de juros baixos, crédito longo e farto e
  economia estável fará de 2010 o ano com o maior
    volume de vendas de imóveis das últimas três
                  décadas no Brasil




                               MULTIPLICAÇÃO
               Este ano cerca de 400 mil novas residências serão
                      construídas ou reformadas no Brasil

Poucas vezes na história recente do Brasil venderam-se tantos imóveis
quanto nesses primeiros meses de 2010. Não importa o índice que se
analise, não importa a região que se pesquise, pouco importa até o período
de comparação. Em todos os casos os números são recorde. Resultado da
combinação de juros baixos, programas de incentivo federal, crédito farto e
longo e uma confiança rara no futuro econômico, o boom imobiliário de
agora está espalhado por todo o País. Da ultra-urbanizada São Paulo à
amazônica Manaus, das áreas mais nobres da zona sul carioca até os
bairros mais simples de Salvador. Na esteira da demanda reprimida, os
preços têm subido em uma velocidade tão impressionante quanto a rapidez
com que se vende um prédio inteiro, ainda na planta. Mas, apesar disso,
especialistas do setor – tanto os privados quantos os públicos – garantem
que por enquanto não há razão para preocupar-se com uma bolha
imobiliária como a que por pouco não levou os Estados Unidos – e boa parte
das potências econômicas mundiais – à lona na mais profunda crise
financeira global desde a quebra da bolsa de Nova York, em 1929.
DISPUTA
Denise e Juan (abaixo) chegaram às 5 horas da manhã para ser um dos primeiros



Independentemente de haver riscos de um crescimento descontrolado ou
não, os números do mercado imobiliário brasileiro impressionam. Só no
primeiro trimestre deste ano a Caixa Econômica Federal liberou quase R$
10 bilhões em financiamento para a compra ou construção de casas e
apartamentos. Esse montante é quase 100% maior do que o do mesmo
período do ano passado. Na comparação com 2004, quando a indústria da
construção civil começava a sair de um período de quase duas décadas de
absoluta letargia, o aumento chega perto dos 2.000%.
Esses são números do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo, o
SBPE, gerido pela Caixa, e, com o FGTS, responsável por quase 80% dos
financiamentos imobiliários no País. Parte desses recursos também é
utilizada pela rede bancária privada, que capta o dinheiro a um custo mais
baixo no sistema. No ano passado, só o SBPE financiou mais de 300 mil
moradias – tanto para compra quanto construção e reforma –, o que
representou um volume financeiro de R$ 34 bilhões, dez vezes superior à
quantidade de dinheiro emprestada em 2004. Apesar de todo esse
crescimento registrado nos últimos seis anos, a expectativa é de que os
recordes sejam quebrados com folga. A Associação Brasileira das Entidades
de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) estima que o número de
residências financiadas com recursos do SBPE ultrapasse a casa das 400 mil
e que o volume financeiro chegue aos R$ 50 bilhões.
Muito desse crescimento é de responsabilidade do programa Minha Casa,
Minha Vida, do governo federal, que oferece subsídios para famílias que
ganham até dez salários mínimos. Desde que o programa teve início, em
maio do ano passado, a Caixa já aprovou 400 mil contratos de
financiamento no programa e tem outros 400 mil esperando para passar
por seu crivo. Antes mesmo de chegar ao número prometido do um milhão
de casas, o governo já trabalha para lançar o Minha Casa, Minha Vida 2,
com um volume total de dois milhões de residências. É indiscutível o
impacto do programa habitacional federal, mas ele não é o único
responsável pela explosão de vendas. O crescimento ocorre em todas as
camadas sociais. “É uma coisa maluca que está acontecendo no Brasil, a
demanda é muito forte”, diz Paulo Saffady, da Câmara.




                                  RECORDE
                 A empresa em que Rogério Martins trabalha
                    vai construir 25 mil imóveis este ano

A partir de 2007, quando pela primeira vez em décadas os empréstimos
começaram a chegar à casa dos 30 anos, as principais construtoras do País,
que também não conseguiam crédito para financiar suas obras, foram à
bolsa de valores. Lançaram ações no mercado financeiro e captaram mais
de R$ 10 bilhões. Ali começavam a se formar as condições para o
crescimento que está sendo visto agora: juros mais baixos, crédito de longo
prazo, segurança jurídica e uma iniciativa privada pronta para atender a
uma demanda imensa. Hoje a estimativa é de que o déficit habitacional
brasileiro chegue perto dos seis milhões de residências.
Desapropriações atingem cinco bairros do Jabaquara

Conforme noticiado pelo Jornal da Tarde, a Prefeitura de São Paulo estará
realizando a desapropriação de vários imóveis em pelo menos cinco bairros
de classe média da zona sul da capital – Parque Jabaquara, Vila Fachini, Vila
do Encontro, Cidade Vargas e Cidade Leonor. Isto em razão de um túnel
que ligará a Avenida Roberto Marinho à Rodovia dos Imigrantes. Ainda não
é possível saber quantos e quais imóveis serão atingidos, mas segundo a
Prefeitura tais dados serão divulgados ainda neste semestre.

Esses imóveis serão inseridos na lista de desapropriações pelo fato de que a
Prefeitura promoveu alterações no local por onde o túnel vai passar para
diminuir o custo da obra. Previa-se que o túnel seria construído do lado
esquerdo do córrego Água Espraiada, mas isto foi modificado, para que seja
do lado direito. Com isto muitas casas serão derrubadas com o escopo de
darem lugar às alças de acesso do túnel, poços de ventilação e áreas de
respiro da obra.

Inconformados com essa alteração e, consequentemente, com as
desapropriações que será realizadas, muitos moradores mandaram fazer
100 faixas para colocar nos imóveis em protesto. Obviamente receiam que
seus imóveis sejam avaliados abaixo do valor de mercado, o que é muito
fácil de acontecer.




    Imóvel é opção para diversificar aposentadoria

Há muito tempo investir em imóveis é uma das opções que mais agrada aos
brasileiros, e atualmente, levando-se em consideração que há um crescente
número de pessoas se preocupando com rendimentos após a aposentadoria,
os imóveis acabam aparecendo como importante alternativa para poupar no
longo prazo.

A grande vantagem oferecida por esse segmento não é a rentabilidade, vez
que normalmente fica abaixo dos rendimentos de capital investido em renda
fixa e previdência, mas sim a segurança do valor aplicado.

A título de exemplo, numa época de crise, como a que acabamos de
enfrentar, e ainda irradia alguns efeitos, a pior consequência é ficar com o
imóvel desocupado, sendo que em muitos investimentos, se mal escolhidos,
pode-se perder muito dinheiro.

Em geral os valores dos aluguéis giram em torno de 0,5% do valor s do
imóvel, e quando se consegue locar por 1% pode-se dizer que o imóvel está
muito bem alugado.

A título de investimento imobiliários, mostram-se como boas opções os
apartamentos de 2 dormitórios e conjuntos comerciais, pois além de
proporcionarem uma rentabilidade maior, ficam muito pouco tempo vazios.
Portanto, se o objetivo é poupar para dias posteriores à aposentadoria, esse
tipo de imóvel (pequeno) são os melhores. Ademais, a porcentagem de
retorno tende a se reduzir em imóveis de valor elevado.

Um fator geralmente apontado como negativo, no investimento imobiliários,
é a liquidez, pois a venda pode demorar algumas semanas ou meses,
dependendo do valor que se pede. Entretanto, se s opção por investir em
imóveis está relacionada com a aposentadoria, e até bom que não se tenha
muita liquidez, afinal nessa época da vida a pessoa – aposentada – precisa
ter um rendimento com alguma periodicidade. Além disso, por não ter tanta
liquidez é possível reduzir os efeitos de assédio de familiares e amigos.




                      RICARDO Elias Sartori
                 (11) 7607-9891 / (11) 8374-7985
             http://br.linkedin.com/in/ricardosartori
                http://twitter.com/Ricardo_Sartori

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mercado_Habitacional Brasil 2030 - Ernst&Young
Mercado_Habitacional Brasil 2030 - Ernst&YoungMercado_Habitacional Brasil 2030 - Ernst&Young
Mercado_Habitacional Brasil 2030 - Ernst&Young
marcoarchi
 
Resumo capítulo 23
Resumo capítulo 23Resumo capítulo 23
Resumo capítulo 23
Aline Schons
 
Apresentação Setrans Pernambuco 2011
Apresentação Setrans Pernambuco 2011Apresentação Setrans Pernambuco 2011
Apresentação Setrans Pernambuco 2011
pontodepauta.com.br
 
Análise do mercado de turismo no brasil
Análise do mercado de turismo no brasilAnálise do mercado de turismo no brasil
Análise do mercado de turismo no brasil
hering_ri
 
2016: O ano da recuperação?
2016: O ano da recuperação? 2016: O ano da recuperação?
2016: O ano da recuperação?
Fundação de Economia e Estatística
 
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Fundação de Economia e Estatística
 
Estratégia de CRescimento do Brasil - Novo Governo
Estratégia de CRescimento do Brasil - Novo GovernoEstratégia de CRescimento do Brasil - Novo Governo
Estratégia de CRescimento do Brasil - Novo Governo
Luis Nassif
 
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...
Macroplan
 
Conjuntura Brasileira 201108
Conjuntura Brasileira 201108Conjuntura Brasileira 201108
Conjuntura Brasileira 201108
Alexsandro Rebello Bonatto
 
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Fundação de Economia e Estatística
 
Retrospectiva: Economia 2010
Retrospectiva: Economia 2010Retrospectiva: Economia 2010
Retrospectiva: Economia 2010
Miti Inteligência
 
Nordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivasNordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivas
Macroplan
 
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
Fernando Alcoforado
 
Apresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário EconomiaApresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário Economia
Associação Comercial de São Paulo
 
Renda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar EconômicoRenda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar Econômico
Luciano Pires
 
Conjuntura e análise de cenário para o primeiro semestre de 2015
Conjuntura e análise de cenário para o primeiro semestre de 2015Conjuntura e análise de cenário para o primeiro semestre de 2015
Conjuntura e análise de cenário para o primeiro semestre de 2015
Alex Araujo
 
Apresentação - Estratégia Rossi para o Segmento Econômico 2009/2010
Apresentação - Estratégia Rossi para o Segmento Econômico 2009/2010Apresentação - Estratégia Rossi para o Segmento Econômico 2009/2010
Apresentação - Estratégia Rossi para o Segmento Econômico 2009/2010
RiRossi
 
Cenários do brasil pós eleições presidenciais
Cenários do brasil pós eleições presidenciaisCenários do brasil pós eleições presidenciais
Cenários do brasil pós eleições presidenciais
Fernando Alcoforado
 
A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015
Igor Morais
 
O fiasco econômico do governo temer
O fiasco econômico do governo temerO fiasco econômico do governo temer
O fiasco econômico do governo temer
Fernando Alcoforado
 

Mais procurados (20)

Mercado_Habitacional Brasil 2030 - Ernst&Young
Mercado_Habitacional Brasil 2030 - Ernst&YoungMercado_Habitacional Brasil 2030 - Ernst&Young
Mercado_Habitacional Brasil 2030 - Ernst&Young
 
Resumo capítulo 23
Resumo capítulo 23Resumo capítulo 23
Resumo capítulo 23
 
Apresentação Setrans Pernambuco 2011
Apresentação Setrans Pernambuco 2011Apresentação Setrans Pernambuco 2011
Apresentação Setrans Pernambuco 2011
 
Análise do mercado de turismo no brasil
Análise do mercado de turismo no brasilAnálise do mercado de turismo no brasil
Análise do mercado de turismo no brasil
 
2016: O ano da recuperação?
2016: O ano da recuperação? 2016: O ano da recuperação?
2016: O ano da recuperação?
 
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
 
Estratégia de CRescimento do Brasil - Novo Governo
Estratégia de CRescimento do Brasil - Novo GovernoEstratégia de CRescimento do Brasil - Novo Governo
Estratégia de CRescimento do Brasil - Novo Governo
 
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...
O Mundo e o Brasil: Cenários Focalizados na Crise e Pós-Crise Econômica – um ...
 
Conjuntura Brasileira 201108
Conjuntura Brasileira 201108Conjuntura Brasileira 201108
Conjuntura Brasileira 201108
 
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
 
Retrospectiva: Economia 2010
Retrospectiva: Economia 2010Retrospectiva: Economia 2010
Retrospectiva: Economia 2010
 
Nordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivasNordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivas
 
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
 
Apresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário EconomiaApresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário Economia
 
Renda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar EconômicoRenda nacional e Bem-estar Econômico
Renda nacional e Bem-estar Econômico
 
Conjuntura e análise de cenário para o primeiro semestre de 2015
Conjuntura e análise de cenário para o primeiro semestre de 2015Conjuntura e análise de cenário para o primeiro semestre de 2015
Conjuntura e análise de cenário para o primeiro semestre de 2015
 
Apresentação - Estratégia Rossi para o Segmento Econômico 2009/2010
Apresentação - Estratégia Rossi para o Segmento Econômico 2009/2010Apresentação - Estratégia Rossi para o Segmento Econômico 2009/2010
Apresentação - Estratégia Rossi para o Segmento Econômico 2009/2010
 
Cenários do brasil pós eleições presidenciais
Cenários do brasil pós eleições presidenciaisCenários do brasil pós eleições presidenciais
Cenários do brasil pós eleições presidenciais
 
A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015
 
O fiasco econômico do governo temer
O fiasco econômico do governo temerO fiasco econômico do governo temer
O fiasco econômico do governo temer
 

Destaque

Tatuajes2
Tatuajes2Tatuajes2
Tatuajes2
Julieta Alonso
 
Pabrik bronjong kawat
Pabrik bronjong kawatPabrik bronjong kawat
Pabrik bronjong kawat
Kawat Bronjong SNI
 
Medicina alternativa
Medicina alternativaMedicina alternativa
Medicina alternativa
julianasan
 
Ingeniería industrial dc
Ingeniería industrial dcIngeniería industrial dc
Ingeniería industrial dc
Danna C
 
Los valores
Los valoresLos valores
Los valores
lasneyuxan
 
N17 3
N17 3N17 3
Urban renewal and controlled gentrification 1.09.03
Urban renewal and controlled gentrification  1.09.03Urban renewal and controlled gentrification  1.09.03
Urban renewal and controlled gentrification 1.09.03
Eaenergiayarquitectura
 
Workshop de Infografia
Workshop de InfografiaWorkshop de Infografia
Workshop de Infografia
Atlas Media Lab
 
Detska gradina art_tenhiki
Detska gradina art_tenhikiDetska gradina art_tenhiki
Detska gradina art_tenhiki
LilyBankova
 

Destaque (10)

Tatuajes2
Tatuajes2Tatuajes2
Tatuajes2
 
Pabrik bronjong kawat
Pabrik bronjong kawatPabrik bronjong kawat
Pabrik bronjong kawat
 
Medicina alternativa
Medicina alternativaMedicina alternativa
Medicina alternativa
 
Ingeniería industrial dc
Ingeniería industrial dcIngeniería industrial dc
Ingeniería industrial dc
 
Tema 4 p.p (1)
Tema 4 p.p (1)Tema 4 p.p (1)
Tema 4 p.p (1)
 
Los valores
Los valoresLos valores
Los valores
 
N17 3
N17 3N17 3
N17 3
 
Urban renewal and controlled gentrification 1.09.03
Urban renewal and controlled gentrification  1.09.03Urban renewal and controlled gentrification  1.09.03
Urban renewal and controlled gentrification 1.09.03
 
Workshop de Infografia
Workshop de InfografiaWorkshop de Infografia
Workshop de Infografia
 
Detska gradina art_tenhiki
Detska gradina art_tenhikiDetska gradina art_tenhiki
Detska gradina art_tenhiki
 

Semelhante a Informações sobre o Mercado Imobiliário

Estudo mercado imobiliário - TV Aratu Digital
Estudo mercado imobiliário - TV Aratu DigitalEstudo mercado imobiliário - TV Aratu Digital
Estudo mercado imobiliário - TV Aratu Digital
Sabrina
 
Marta (1)
Marta (1)Marta (1)
Marta (1)
Fernanda Guerra
 
Imóveis no rio de janeiro são um investimento sólido
Imóveis no rio de janeiro são um investimento sólidoImóveis no rio de janeiro são um investimento sólido
Imóveis no rio de janeiro são um investimento sólido
Offer Dischon
 
Mercado imobiliário de sorocaba
Mercado imobiliário de sorocabaMercado imobiliário de sorocaba
Mercado imobiliário de sorocaba
Alberto Susumu
 
Mercado imobiliário - BUUMM OU BOLHA?
Mercado imobiliário - BUUMM OU BOLHA?Mercado imobiliário - BUUMM OU BOLHA?
Mercado imobiliário - BUUMM OU BOLHA?
Paulo Henrique da Silva
 
XII Forúm Imobiliário - 2009
XII Forúm Imobiliário - 2009XII Forúm Imobiliário - 2009
XII Forúm Imobiliário - 2009
Bruno Trindade
 
XII Forúm Imobiliário - Salvador/BA - Virginia Tanajura
XII Forúm Imobiliário - Salvador/BA - Virginia TanajuraXII Forúm Imobiliário - Salvador/BA - Virginia Tanajura
XII Forúm Imobiliário - Salvador/BA - Virginia Tanajura
Arc Engenharia
 
Indi
IndiIndi
Monografia lucas costa_santos_final
Monografia lucas costa_santos_finalMonografia lucas costa_santos_final
Monografia lucas costa_santos_final
Waldyr Nascimento
 
Revista paulicoop julho.agosto.2011
Revista paulicoop julho.agosto.2011Revista paulicoop julho.agosto.2011
Revista paulicoop julho.agosto.2011
Paulicoop
 
Palestra FABAVI - Mercado Imobiliário Oportunidades e Tendências para Advogados
Palestra FABAVI - Mercado Imobiliário Oportunidades e Tendências para AdvogadosPalestra FABAVI - Mercado Imobiliário Oportunidades e Tendências para Advogados
Palestra FABAVI - Mercado Imobiliário Oportunidades e Tendências para Advogados
Next Educação
 
Anuário do Mercado Imobiliário Brasileiro 2013 - Lopes
Anuário do Mercado Imobiliário Brasileiro 2013 - LopesAnuário do Mercado Imobiliário Brasileiro 2013 - Lopes
Anuário do Mercado Imobiliário Brasileiro 2013 - Lopes
Allan Fraga
 
Investimento imobiliário abp
Investimento imobiliário   abpInvestimento imobiliário   abp
Investimento imobiliário abp
abpcorretor
 
Depois de 79 anos da quebra
Depois de 79 anos da quebra Depois de 79 anos da quebra
Depois de 79 anos da quebra
Jesus Rios
 
Linhas de crédito imobiliário da caixa econômica federal
Linhas de crédito imobiliário da caixa econômica federalLinhas de crédito imobiliário da caixa econômica federal
Linhas de crédito imobiliário da caixa econômica federal
Pedro Fernandes De Oliveira
 
Cointimes Report Fevereiro
Cointimes Report FevereiroCointimes Report Fevereiro
Cointimes Report Fevereiro
Cointimes News
 
2º Imóvel Week
2º Imóvel Week2º Imóvel Week
2º Imóvel Week
ACIDADE ON
 
[Trabalhos Acadêmicos TECNISA] Planejamento Estratégico TECNISA, trabalho aca...
[Trabalhos Acadêmicos TECNISA] Planejamento Estratégico TECNISA, trabalho aca...[Trabalhos Acadêmicos TECNISA] Planejamento Estratégico TECNISA, trabalho aca...
[Trabalhos Acadêmicos TECNISA] Planejamento Estratégico TECNISA, trabalho aca...
TECNISA - Mais construtora por m²
 
Apresentação para novos investidores
Apresentação para novos investidoresApresentação para novos investidores
Apresentação para novos investidores
Junior Corumba
 
O cenário econômico brasileiro e o mercado imobiliário.
O cenário econômico brasileiro e o mercado imobiliário.O cenário econômico brasileiro e o mercado imobiliário.
O cenário econômico brasileiro e o mercado imobiliário.
Wellington de Paula
 

Semelhante a Informações sobre o Mercado Imobiliário (20)

Estudo mercado imobiliário - TV Aratu Digital
Estudo mercado imobiliário - TV Aratu DigitalEstudo mercado imobiliário - TV Aratu Digital
Estudo mercado imobiliário - TV Aratu Digital
 
Marta (1)
Marta (1)Marta (1)
Marta (1)
 
Imóveis no rio de janeiro são um investimento sólido
Imóveis no rio de janeiro são um investimento sólidoImóveis no rio de janeiro são um investimento sólido
Imóveis no rio de janeiro são um investimento sólido
 
Mercado imobiliário de sorocaba
Mercado imobiliário de sorocabaMercado imobiliário de sorocaba
Mercado imobiliário de sorocaba
 
Mercado imobiliário - BUUMM OU BOLHA?
Mercado imobiliário - BUUMM OU BOLHA?Mercado imobiliário - BUUMM OU BOLHA?
Mercado imobiliário - BUUMM OU BOLHA?
 
XII Forúm Imobiliário - 2009
XII Forúm Imobiliário - 2009XII Forúm Imobiliário - 2009
XII Forúm Imobiliário - 2009
 
XII Forúm Imobiliário - Salvador/BA - Virginia Tanajura
XII Forúm Imobiliário - Salvador/BA - Virginia TanajuraXII Forúm Imobiliário - Salvador/BA - Virginia Tanajura
XII Forúm Imobiliário - Salvador/BA - Virginia Tanajura
 
Indi
IndiIndi
Indi
 
Monografia lucas costa_santos_final
Monografia lucas costa_santos_finalMonografia lucas costa_santos_final
Monografia lucas costa_santos_final
 
Revista paulicoop julho.agosto.2011
Revista paulicoop julho.agosto.2011Revista paulicoop julho.agosto.2011
Revista paulicoop julho.agosto.2011
 
Palestra FABAVI - Mercado Imobiliário Oportunidades e Tendências para Advogados
Palestra FABAVI - Mercado Imobiliário Oportunidades e Tendências para AdvogadosPalestra FABAVI - Mercado Imobiliário Oportunidades e Tendências para Advogados
Palestra FABAVI - Mercado Imobiliário Oportunidades e Tendências para Advogados
 
Anuário do Mercado Imobiliário Brasileiro 2013 - Lopes
Anuário do Mercado Imobiliário Brasileiro 2013 - LopesAnuário do Mercado Imobiliário Brasileiro 2013 - Lopes
Anuário do Mercado Imobiliário Brasileiro 2013 - Lopes
 
Investimento imobiliário abp
Investimento imobiliário   abpInvestimento imobiliário   abp
Investimento imobiliário abp
 
Depois de 79 anos da quebra
Depois de 79 anos da quebra Depois de 79 anos da quebra
Depois de 79 anos da quebra
 
Linhas de crédito imobiliário da caixa econômica federal
Linhas de crédito imobiliário da caixa econômica federalLinhas de crédito imobiliário da caixa econômica federal
Linhas de crédito imobiliário da caixa econômica federal
 
Cointimes Report Fevereiro
Cointimes Report FevereiroCointimes Report Fevereiro
Cointimes Report Fevereiro
 
2º Imóvel Week
2º Imóvel Week2º Imóvel Week
2º Imóvel Week
 
[Trabalhos Acadêmicos TECNISA] Planejamento Estratégico TECNISA, trabalho aca...
[Trabalhos Acadêmicos TECNISA] Planejamento Estratégico TECNISA, trabalho aca...[Trabalhos Acadêmicos TECNISA] Planejamento Estratégico TECNISA, trabalho aca...
[Trabalhos Acadêmicos TECNISA] Planejamento Estratégico TECNISA, trabalho aca...
 
Apresentação para novos investidores
Apresentação para novos investidoresApresentação para novos investidores
Apresentação para novos investidores
 
O cenário econômico brasileiro e o mercado imobiliário.
O cenário econômico brasileiro e o mercado imobiliário.O cenário econômico brasileiro e o mercado imobiliário.
O cenário econômico brasileiro e o mercado imobiliário.
 

Informações sobre o Mercado Imobiliário

  • 1. Informações sobre o Mercado Imobiliário Maio de 2010 RICARDO Elias Sartori (11) 7607-9891 / (11) 8374-7985 http://br.linkedin.com/in/ricardosartori http://twitter.com/Ricardo_Sartori Registrado o crescimento de 80% nas vendas de imóveis em um ano Só no 1º trimestre o número de lançamentos chegou ao patamar de 14.219 unidades, quebrado todos os recorde dos últimos 10 anos.Apesar das previsões de que 20101 será um ano de recordes no mercado imobiliário, a quantidade de lançamentos não está sendo suficiente para atender toda a demanda.Acredita-se que em 2010, somente na cidade de São Paulo, serão vendidos aproximadamente 38 mil imóveis novos, sendo esta a maior marca dos últimos 30 anos (dados do Secovi-SP). Os resultados das vendas no primeiro trimestre de 2010 são surpreendentes, e foram impulsionados pelo crédito farto e longo, pelo crescimento da renda e do emprego, pelo programa habitacional do governo e também pela volta de investidores ao mercado imobiliário. Em comparação com 2009, as taxas de crescimento já superam a faixa de 80%. Considerando-se apenas o mês de fevereiro, foram vendidos 2.858 imóveis, ou seja, 83,7% a mais do que no mesmo mês de 2009, e 89,5% acima do que foi vendido em janeiro. Só no primeiro bimestre, o número de unidades vendidas chegou a 4.366 unidades, representando um aumento de 63,5% ante o mesmo período de 2009, e 7% a mais se comparado com 2008 (época em que a crise econômica global ainda não tinha se instalado). No ano de 2009, na cidade de São Paulo, foram vendidas 35.832 unidades. Lançamentos Com a alta demanda, percebida desde o início de 2010, construtoras e incorporadoras estão lançando mais. No que se refere à linha residencial, o volume de lançamentos, na Região Metropolitana de São Paulo, apenas no primeiro trimestre, já é o maior da década para o período. Entre os meses de janeiro e março foram lançadas 14.219 unidades (pesquisa da Embraesp). Esse volume é praticamente o triplo (4.925 unidades) do mesmo trimestre de 2009, e 32,5% maior que o de 2008, o último período de boom imobiliário.
  • 2. Desses lançamentos no primeiro trimestre mais da metade (56,7%) são de imóveis de dois dormitórios. Apenas 4,5% correspondem a imóveis de alto padrão. Preço Mesmo diante de uma grande número de lançamentos, o crescimento da procura por imóveis menores já implicou elevação de preços; o que, sem dúvidas, demonstra que a demanda está acima das ofertas. A valor médio do m² dos lançamentos de dois quartos, em São Paulo, subiu em torno de 25% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período de 2009 (dados da Embraesp). Nos lançamentos de três e quatro dormitórios os preços aumentaram 6% e 2,4%, respectivamente. O quadro de aquecimento de vendas e de preços em alta se repete no caso dos imóveis prontos, usados ou novos. A união de juros baixos, crédito longo e farto e economia estável fará de 2010 o ano com o maior volume de vendas de imóveis das últimas três décadas no Brasil MULTIPLICAÇÃO Este ano cerca de 400 mil novas residências serão construídas ou reformadas no Brasil Poucas vezes na história recente do Brasil venderam-se tantos imóveis quanto nesses primeiros meses de 2010. Não importa o índice que se analise, não importa a região que se pesquise, pouco importa até o período de comparação. Em todos os casos os números são recorde. Resultado da combinação de juros baixos, programas de incentivo federal, crédito farto e
  • 3. longo e uma confiança rara no futuro econômico, o boom imobiliário de agora está espalhado por todo o País. Da ultra-urbanizada São Paulo à amazônica Manaus, das áreas mais nobres da zona sul carioca até os bairros mais simples de Salvador. Na esteira da demanda reprimida, os preços têm subido em uma velocidade tão impressionante quanto a rapidez com que se vende um prédio inteiro, ainda na planta. Mas, apesar disso, especialistas do setor – tanto os privados quantos os públicos – garantem que por enquanto não há razão para preocupar-se com uma bolha imobiliária como a que por pouco não levou os Estados Unidos – e boa parte das potências econômicas mundiais – à lona na mais profunda crise financeira global desde a quebra da bolsa de Nova York, em 1929.
  • 4. DISPUTA Denise e Juan (abaixo) chegaram às 5 horas da manhã para ser um dos primeiros Independentemente de haver riscos de um crescimento descontrolado ou não, os números do mercado imobiliário brasileiro impressionam. Só no primeiro trimestre deste ano a Caixa Econômica Federal liberou quase R$ 10 bilhões em financiamento para a compra ou construção de casas e apartamentos. Esse montante é quase 100% maior do que o do mesmo período do ano passado. Na comparação com 2004, quando a indústria da construção civil começava a sair de um período de quase duas décadas de absoluta letargia, o aumento chega perto dos 2.000%.
  • 5. Esses são números do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo, o SBPE, gerido pela Caixa, e, com o FGTS, responsável por quase 80% dos financiamentos imobiliários no País. Parte desses recursos também é utilizada pela rede bancária privada, que capta o dinheiro a um custo mais baixo no sistema. No ano passado, só o SBPE financiou mais de 300 mil moradias – tanto para compra quanto construção e reforma –, o que representou um volume financeiro de R$ 34 bilhões, dez vezes superior à quantidade de dinheiro emprestada em 2004. Apesar de todo esse crescimento registrado nos últimos seis anos, a expectativa é de que os recordes sejam quebrados com folga. A Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) estima que o número de residências financiadas com recursos do SBPE ultrapasse a casa das 400 mil e que o volume financeiro chegue aos R$ 50 bilhões.
  • 6. Muito desse crescimento é de responsabilidade do programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, que oferece subsídios para famílias que ganham até dez salários mínimos. Desde que o programa teve início, em maio do ano passado, a Caixa já aprovou 400 mil contratos de financiamento no programa e tem outros 400 mil esperando para passar por seu crivo. Antes mesmo de chegar ao número prometido do um milhão de casas, o governo já trabalha para lançar o Minha Casa, Minha Vida 2, com um volume total de dois milhões de residências. É indiscutível o impacto do programa habitacional federal, mas ele não é o único responsável pela explosão de vendas. O crescimento ocorre em todas as camadas sociais. “É uma coisa maluca que está acontecendo no Brasil, a demanda é muito forte”, diz Paulo Saffady, da Câmara. RECORDE A empresa em que Rogério Martins trabalha vai construir 25 mil imóveis este ano A partir de 2007, quando pela primeira vez em décadas os empréstimos começaram a chegar à casa dos 30 anos, as principais construtoras do País, que também não conseguiam crédito para financiar suas obras, foram à bolsa de valores. Lançaram ações no mercado financeiro e captaram mais de R$ 10 bilhões. Ali começavam a se formar as condições para o crescimento que está sendo visto agora: juros mais baixos, crédito de longo prazo, segurança jurídica e uma iniciativa privada pronta para atender a uma demanda imensa. Hoje a estimativa é de que o déficit habitacional brasileiro chegue perto dos seis milhões de residências.
  • 7. Desapropriações atingem cinco bairros do Jabaquara Conforme noticiado pelo Jornal da Tarde, a Prefeitura de São Paulo estará realizando a desapropriação de vários imóveis em pelo menos cinco bairros de classe média da zona sul da capital – Parque Jabaquara, Vila Fachini, Vila do Encontro, Cidade Vargas e Cidade Leonor. Isto em razão de um túnel que ligará a Avenida Roberto Marinho à Rodovia dos Imigrantes. Ainda não é possível saber quantos e quais imóveis serão atingidos, mas segundo a Prefeitura tais dados serão divulgados ainda neste semestre. Esses imóveis serão inseridos na lista de desapropriações pelo fato de que a Prefeitura promoveu alterações no local por onde o túnel vai passar para diminuir o custo da obra. Previa-se que o túnel seria construído do lado esquerdo do córrego Água Espraiada, mas isto foi modificado, para que seja do lado direito. Com isto muitas casas serão derrubadas com o escopo de darem lugar às alças de acesso do túnel, poços de ventilação e áreas de respiro da obra. Inconformados com essa alteração e, consequentemente, com as desapropriações que será realizadas, muitos moradores mandaram fazer 100 faixas para colocar nos imóveis em protesto. Obviamente receiam que seus imóveis sejam avaliados abaixo do valor de mercado, o que é muito fácil de acontecer. Imóvel é opção para diversificar aposentadoria Há muito tempo investir em imóveis é uma das opções que mais agrada aos brasileiros, e atualmente, levando-se em consideração que há um crescente número de pessoas se preocupando com rendimentos após a aposentadoria, os imóveis acabam aparecendo como importante alternativa para poupar no longo prazo. A grande vantagem oferecida por esse segmento não é a rentabilidade, vez que normalmente fica abaixo dos rendimentos de capital investido em renda fixa e previdência, mas sim a segurança do valor aplicado. A título de exemplo, numa época de crise, como a que acabamos de enfrentar, e ainda irradia alguns efeitos, a pior consequência é ficar com o imóvel desocupado, sendo que em muitos investimentos, se mal escolhidos, pode-se perder muito dinheiro. Em geral os valores dos aluguéis giram em torno de 0,5% do valor s do imóvel, e quando se consegue locar por 1% pode-se dizer que o imóvel está muito bem alugado. A título de investimento imobiliários, mostram-se como boas opções os apartamentos de 2 dormitórios e conjuntos comerciais, pois além de
  • 8. proporcionarem uma rentabilidade maior, ficam muito pouco tempo vazios. Portanto, se o objetivo é poupar para dias posteriores à aposentadoria, esse tipo de imóvel (pequeno) são os melhores. Ademais, a porcentagem de retorno tende a se reduzir em imóveis de valor elevado. Um fator geralmente apontado como negativo, no investimento imobiliários, é a liquidez, pois a venda pode demorar algumas semanas ou meses, dependendo do valor que se pede. Entretanto, se s opção por investir em imóveis está relacionada com a aposentadoria, e até bom que não se tenha muita liquidez, afinal nessa época da vida a pessoa – aposentada – precisa ter um rendimento com alguma periodicidade. Além disso, por não ter tanta liquidez é possível reduzir os efeitos de assédio de familiares e amigos. RICARDO Elias Sartori (11) 7607-9891 / (11) 8374-7985 http://br.linkedin.com/in/ricardosartori http://twitter.com/Ricardo_Sartori