SlideShare uma empresa Scribd logo
INFÂNCIA
Trabalho Infantil

                                     Charges
Maus Tratos

  Abandono                         Mensage
                                   m
                                       Vídeos
Abuso Sexual

Direitos da                       Reflexã
Criança             Integrantes   o

     ECA       Agradecimentos
Trabalho Infantil
  O trabalho infantil no Brasil ainda é um grande problema social.
  Milhares de crianças ainda deixam de ir à escola e ter seus direitos
  preservados, e trabalham desde a mais tenra idade na lavoura,
  campo, fábrica ou casas de família, muitos deles sem receber
  remuneração alguma. Hoje em dia, em torno de 4,8 milhões de
  crianças de adolescentes entre 5 e 17 anos estão trabalhando no
  Brasil, segundo PNAD 2007. Desse total, 1,2 milhão estão na faixa
  entre 5 e 13 anos.
  Apesar de no Brasil, o trabalho infantil ser considerado ilegal para
  crianças e adolescentes entre 5 e 13 anos, a realidade continua
  sendo outra. Para adolescentes entre 14 e 15 anos, o trabalho é legal
  desde que na condição de aprendiz.

Matéria retirada do portal guiainfantil.com 06 de maio de 2011
MAUS
                                                TRATO
                                                  S
   O que vocês pensam que a criança fez para ter apanhado?
Como é que se sentem aqueles que apanham? O que a criança
  aprende quando apanha? Bater é a única forma de educar as
 crianças? O que fazer para ensinar quem errou? Vocês sabem
que toda criança tem direito à proteção contra maus-tratos e que
   esse direito é assegurado por lei? Sabem que são proibidas
 todas as formas de violência contra as crianças? Conhecem a
 Declaração dos Direitos da Criança? E o Estatuto da Criança e
                     do Adolescente – ECA?
 Portal do Professor - Ética e Infância: “Criança feliz, feliz a cantar...” SERÁ? Fatima Rezende
                                            Naves Dias
A VIOLÊNCIA DÓI




                  A
              VIOLÊNCIA
                 DÓI
ABANDONO
EXISTEM 100 MILHÕES DE
         CRIANÇAS
VIVENDO NAS RUAS DO MUNDO
     SUBDESENVOLVIDO
           OU EM
    DESENVOLVIMENTO,
         DAS QUAIS
   10 MILHÕES NO BRASIL.

    www.youtube.com/watch?v=SF1jg8llV6Y
Abuso Sexual
Consequências de quem sofre abuso

Abuso sexual intrafamiliar

Denuncie
Consequências
O comportamento das crianças abusadas sexualmente pode incluir:
Interesse excessivo ou evitarão de natureza sexual;
Problemas com o sono ou pesadelos;
Depressão ou isolamento de seus amigos e da família;
Achar que têm o corpo sujo ou contaminado;
Ter medo de que haja algo de mal com seus genitais;
Negar-se a ir à escola,
Rebeldia e Delinquência;
Agressividade excessiva;
Comportamento suicida;
Terror e medo de algumas pessoas ou alguns lugares;
Retirar-se ou não querer participar de esportes;
Respostas ilógicas (para-respostas) quando perguntamos sobre alguma ferida em
seus genitais;
Temor irracional diante do exame físico;
Mudanças súbitas de conduta.
Algumas vezes, entretanto, crianças ou adolescentes portadores de Transtorno de
Conduta severo fantasiam e criam falsas informações em relação ao abuso sexual.
              Ballone GJ - Abuso Sexual Infantil, in. PsiqWeb, Internet, disponível em <
                        http://www.virtualpsy.org/infantil/abuso.html> 2003
ABUSO SEXUAL INTRAFAMILIAR

AGRESSOR          Nº                    %

PAI               77                    52

PADRASTO          47                    32

TIO               10                    8

MÃE                4                    4

AVÔ                3                    2

PRIMO              2                    1

CUNHADO            2                    1

TOTAL             145                   100
Denuncie
     • “Mãe foi trabalhar e papai
       ficou em casa”
       Podemos caracterizar o
       abuso como: tocar a
       boca, genitais, bumbum,
       seios ou outras partes
       íntimas de uma criança
       com objetivo de
       satisfação dos desejos;
       forçar ou encorajar a
       criança a tocar um adulto
       de modo a satisfazer o
       desejo sexual. Fazer ou
       tentar fazer a criança se
       envolver em ato sexual.
       Essa é uma frase que dói
       ao falar. Por isso, se você
       saber de algo desse tipo
       denuncie.
NÃO DEIXE QUE
ACONTEÇA COM
   VOCÊ...
Direitos da Criança

Direitos da Criança

História da Criança no Brasil
Os Direitos da Criança

  Toda criança tem                              Toda criança tem
                       Todas as crianças são
direito à atenção e ao                          direito a uma boa
                              iguais
         amor                                      alimentação


  Toda criança tem
                         Toda criança tem        Toda criança tem
  direito a uma boa
                          direito ao lazer     direito de ir à escola
        saúde


 Nenhuma criança        Nenhuma criança
                                               Toda criança pode se
 deve ser vítima da     deve ser vítima de
                                               expressar livremente
       guerra             abusos sexuais
Nenhuma criança
 Toda criança pode                              Nenhuma criança
                                                                                                deve ser explorada
praticar sua religião                          deve ser maltratada
                                                                                                  pelo trabalho


Toda criança pode se                            Toda criança pode                                 Deve ser dada
   unir a outras                               receber informações                                prioridade  às
      crianças                                    para seu bem                                 crianças refugiadas


    Deve ser dada
                                                 Deve ser dada          Deve ser dada
     prioridade às
                                             prioridade às crianças prioridade às crianças
 crianças portadoras
                                               em conflitos legais       sem família
    de deficiências
Fonte: social democracia sindical - campanha nacional de direitos humano Diagramação: Sampa Online.
História da Criança no Brasil
 Antigamente, a infância – No
período que vai do nascimento
 até os 12 anos de idade – era
    bem diferente. No Brasil
colonial, por exemplo, logo que
     cresciam um pouco e
  conseguiam aguentar mais
    esforços físicos, algumas
 crianças eram escaladas para
       tarefas de adultos.
A rotina das crianças no Brasil, porém, não era moleza. Mal
fazia seis anos, as crianças índias e filhas de escravos já iam
para a lavoura, trabalhar com seus pais. Não tinham direito de
     frequentar as escolas nem podiam pagar pelo ensino.
     Seus pais valorizavam muito o trabalho e, por isso, “A
  importância da infância foi reconhecida bem mais tarde. A
  maior parte das crianças, com seis ou sete anos, já estava
    trabalhando. Não apenas os filhos de escravos, mas as
 crianças pobres brancas também”. As crianças filhas de pais
  portugueses, em geral, tinham boas condições financeiras.
   Assim, podiam viver a infância por mais tempo, estudar e
 brincar. Mesmo assim, porém, eram incentivadas a trabalhar
 desde cedo e tinham muitas tarefas escolares para cumprir.
Essa dura realidade,
                                  porém, começou a mudar
                                  na metade do século 20.
                                  Isso porque as famílias
                                  começaram a ser
                                  menores, por diferentes
                                  razões. Na época,
                                  cresceu, por exemplo, o
                                  número de mulheres que
                                  trabalhavam e, por isso,
Mesmo tendo compromisso           optavam por não ter uma
com o trabalho ou com os          família grande. Com
estudos, porém, as crianças       poucos filhos, mais
que viveram do período colonial   atenção podia ser dada
até o século 20 no Brasil         aos pequenos, como lazer,
procuravam arrumar um             educação e mais
tempinho para brincar. As ricas   brinquedos.
podiam adquirir brinquedos nas    Cathia Abreu
lojas, que importavam bonecas,    Instituto Ciência Hoje/RJ
carrinhos e outros mimos da
França.
ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente)
A gente é criança até que idade? A partir de
quando nos tornamos adolescentes? Se você já se
fez essas perguntas, saiba que, ao menos para a
justiça brasileira, a resposta está no Estatuto da
Criança e do Adolescente, também conhecido
como ECA. De acordo com essa lei, criança é toda
pessoa com até 12 anos de idade incompletos e,
adolescente, a que tem entre 12 e 18 anos. Se
você faz parte dessa turma, a boa notícia é que a
ECA – que existe para garantir os seus direitos –
está comemorando aniversário: em 2008, ele
completa 18 anos de existência.
Sancionado em 13 de julho de 1990, o ECA é a lei
8.069, que tem validade em todo o território
brasileiro e o objetivo de proteger as pessoas de
zero a dezoito anos, fazendo valer os seus direitos
desde o nascimento.
            Cathia Abreu
     Instituto Ciência Hoje/RJ
Charges
MENSAGEM
Dizes que sou o
futuro. Não me
desampares no
presente.




             Dizes que sou a
             esperança da paz.
             Não me induzas à
Dizes que sou a
 promessa do
 bem. Não me
confies ao mal.




                  Dizes que sou a
                  luz dos teus olhos.
                  Não me
                  abandones ás
                  trevas.
Não te rogo apenas
     brinquedos. Peço-te
     bons exemplos e boas
     palavras.




Não sou simples ornamento
de teu carinho. Sou alguém
que te bate à porta em
nome de Deus. (Meimei/
Psicografado por Chico Xavier
Vídeos

Abandono

Criança Vê! Criança Faz!
  Criança Vê! Criança Faz! Dê o exemplo! - YouTube
Abandono
Criança Vê! Criança Faz!
Para ser
  Criança
precisa ter
 Infância.
O futuro dependerá
   do que fizermos
       agora.

 E, certamente, há
muito por se fazer...
Integrantes




•   Jéssica E. F. Prezoto
•   Karla da Rosa
•   Luana F. C. Lima
•   Dandara M. de Oliveira
Agradecimentos

• Grupo Gestor

• Coordenadora
- Marcia Panzarin

• Suporte
- Marcelo Marocho
Referências Bibliográficas


            portal guiainfantil.com
          www.videoslegais.com.br
  Criança Vê! Criança Faz! Dê o exemplo! –
                    YouTube
    Portal do Professor - Ética e Infância:
    “Criança feliz, feliz a cantar...” SERÁ?
         Fatima Rezende Naves Dias
 Infância Roubada - (musica: Era - Ameno) -
                   YouTube
  www.youtube.com/watch?v=SF1jg8llV6Y
    Ballone GJ - Abuso Sexual Infantil, in.
      PsiqWeb, Internet, disponível em
<http://www.virtualpsy.org/infantil/abuso.htm
                     l> 2003
                 Cathia Abreu
               Instituto Ciência Hoje/RJ
     Fonte: social democracia sindical -
  campanha nacional de direitos humano
         Diagramação: Sampa Online.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteAbuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Luisa Sena
 
Matéria A Tribuna
Matéria A TribunaMatéria A Tribuna
Matéria A Tribuna
colegiopioxii
 
Relatório de Atividades 2009
Relatório de Atividades 2009Relatório de Atividades 2009
Relatório de Atividades 2009
Associação Beneficente Santa Fé
 
Sexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantilSexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantil
Mary Lopes
 
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Rosane Domingues
 
Relatório de Atividades 2009
Relatório de Atividades 2009Relatório de Atividades 2009
Relatório de Atividades 2009
Associação Beneficente Santa Fé
 
Ideologia de desconstrução familiar
Ideologia de desconstrução familiarIdeologia de desconstrução familiar
Ideologia de desconstrução familiar
inacio costa rodrigues
 
Sexualidade Infantil
Sexualidade InfantilSexualidade Infantil
Sexualidade Infantil
veronicasilva
 
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?
Marcelo Suster
 
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_paisProtecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
Cláudia Dantas
 
Adoção
AdoçãoAdoção
Adoção
Espaço Emrc
 
Declaração universal dos direitos da criança
Declaração universal dos direitos da criançaDeclaração universal dos direitos da criança
Declaração universal dos direitos da criança
eb1cambres
 
Diversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escolaDiversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escola
Louis Oliver
 
Educação Sexual - 2º Ciclo
Educação Sexual - 2º CicloEducação Sexual - 2º Ciclo
Educação Sexual - 2º Ciclo
Jorge Barbosa
 
Abuso
AbusoAbuso
S E M A N A D A C R I A N C A
S E M A N A  D A  C R I A N C AS E M A N A  D A  C R I A N C A
S E M A N A D A C R I A N C A
mararubia3
 
Evidenciar ou não, a necessidade de trabalhar a sexualidade na educação infan...
Evidenciar ou não, a necessidade de trabalhar a sexualidade na educação infan...Evidenciar ou não, a necessidade de trabalhar a sexualidade na educação infan...
Evidenciar ou não, a necessidade de trabalhar a sexualidade na educação infan...
SimoneHelenDrumond
 
Adoção tardia
Adoção tardiaAdoção tardia

Mais procurados (18)

Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteAbuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
 
Matéria A Tribuna
Matéria A TribunaMatéria A Tribuna
Matéria A Tribuna
 
Relatório de Atividades 2009
Relatório de Atividades 2009Relatório de Atividades 2009
Relatório de Atividades 2009
 
Sexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantilSexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantil
 
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
Diversidade sexual na escola (cartilha do projeto)
 
Relatório de Atividades 2009
Relatório de Atividades 2009Relatório de Atividades 2009
Relatório de Atividades 2009
 
Ideologia de desconstrução familiar
Ideologia de desconstrução familiarIdeologia de desconstrução familiar
Ideologia de desconstrução familiar
 
Sexualidade Infantil
Sexualidade InfantilSexualidade Infantil
Sexualidade Infantil
 
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?
 
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_paisProtecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
Protecao da crianca_e_do_adolecente_manual_para_pais
 
Adoção
AdoçãoAdoção
Adoção
 
Declaração universal dos direitos da criança
Declaração universal dos direitos da criançaDeclaração universal dos direitos da criança
Declaração universal dos direitos da criança
 
Diversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escolaDiversidade sexual na escola
Diversidade sexual na escola
 
Educação Sexual - 2º Ciclo
Educação Sexual - 2º CicloEducação Sexual - 2º Ciclo
Educação Sexual - 2º Ciclo
 
Abuso
AbusoAbuso
Abuso
 
S E M A N A D A C R I A N C A
S E M A N A  D A  C R I A N C AS E M A N A  D A  C R I A N C A
S E M A N A D A C R I A N C A
 
Evidenciar ou não, a necessidade de trabalhar a sexualidade na educação infan...
Evidenciar ou não, a necessidade de trabalhar a sexualidade na educação infan...Evidenciar ou não, a necessidade de trabalhar a sexualidade na educação infan...
Evidenciar ou não, a necessidade de trabalhar a sexualidade na educação infan...
 
Adoção tardia
Adoção tardiaAdoção tardia
Adoção tardia
 

Destaque

Trabalho Infantil
Trabalho InfantilTrabalho Infantil
Trabalho Infantil
Inovadores
 
Maltrato infantil
Maltrato infantilMaltrato infantil
Maltrato infantil
Flávia Carvalho
 
Historico eca
Historico ecaHistorico eca
Historico eca
Ilka Araujo
 
A violência e as crianças
A violência e as criançasA violência e as crianças
A violência e as crianças
sarajoana
 
Plano de acao_turma_29_versao_final
Plano de acao_turma_29_versao_finalPlano de acao_turma_29_versao_final
Plano de acao_turma_29_versao_final
Complexo Educacional FMU
 
Concepcoes da infancia_e_historia_social_das_criancas_no_brasil_-_professora_...
Concepcoes da infancia_e_historia_social_das_criancas_no_brasil_-_professora_...Concepcoes da infancia_e_historia_social_das_criancas_no_brasil_-_professora_...
Concepcoes da infancia_e_historia_social_das_criancas_no_brasil_-_professora_...
Educação Infantil
 
Consulta de enfermagem em puericultura segundo a visão materna
Consulta de enfermagem em puericultura segundo a visão maternaConsulta de enfermagem em puericultura segundo a visão materna
Consulta de enfermagem em puericultura segundo a visão materna
Ataide M Ferreira
 
Aula alimentação 4º período
Aula alimentação 4º períodoAula alimentação 4º período
Aula alimentação 4º período
Sheyla Amorim
 
Violência infantil
Violência infantilViolência infantil
Violência infantil
Beatriz Miranda
 
Depressão infantil
Depressão infantilDepressão infantil
Depressão infantil
guesta067b9
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
blogped1
 
Violência Infantil
Violência InfantilViolência Infantil
Violência Infantil
bryner97
 
Os pais é que são responsáveis pelo acompanhamento escolar dos filhos, afinal...
Os pais é que são responsáveis pelo acompanhamento escolar dos filhos, afinal...Os pais é que são responsáveis pelo acompanhamento escolar dos filhos, afinal...
Os pais é que são responsáveis pelo acompanhamento escolar dos filhos, afinal...
SimoneHelenDrumond
 
Concepção de infancia
Concepção de infanciaConcepção de infancia
Concepção de infancia
Fatinha Bretas
 
A importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarA importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de Educar
Claudia Dutra
 

Destaque (15)

Trabalho Infantil
Trabalho InfantilTrabalho Infantil
Trabalho Infantil
 
Maltrato infantil
Maltrato infantilMaltrato infantil
Maltrato infantil
 
Historico eca
Historico ecaHistorico eca
Historico eca
 
A violência e as crianças
A violência e as criançasA violência e as crianças
A violência e as crianças
 
Plano de acao_turma_29_versao_final
Plano de acao_turma_29_versao_finalPlano de acao_turma_29_versao_final
Plano de acao_turma_29_versao_final
 
Concepcoes da infancia_e_historia_social_das_criancas_no_brasil_-_professora_...
Concepcoes da infancia_e_historia_social_das_criancas_no_brasil_-_professora_...Concepcoes da infancia_e_historia_social_das_criancas_no_brasil_-_professora_...
Concepcoes da infancia_e_historia_social_das_criancas_no_brasil_-_professora_...
 
Consulta de enfermagem em puericultura segundo a visão materna
Consulta de enfermagem em puericultura segundo a visão maternaConsulta de enfermagem em puericultura segundo a visão materna
Consulta de enfermagem em puericultura segundo a visão materna
 
Aula alimentação 4º período
Aula alimentação 4º períodoAula alimentação 4º período
Aula alimentação 4º período
 
Violência infantil
Violência infantilViolência infantil
Violência infantil
 
Depressão infantil
Depressão infantilDepressão infantil
Depressão infantil
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
 
Violência Infantil
Violência InfantilViolência Infantil
Violência Infantil
 
Os pais é que são responsáveis pelo acompanhamento escolar dos filhos, afinal...
Os pais é que são responsáveis pelo acompanhamento escolar dos filhos, afinal...Os pais é que são responsáveis pelo acompanhamento escolar dos filhos, afinal...
Os pais é que são responsáveis pelo acompanhamento escolar dos filhos, afinal...
 
Concepção de infancia
Concepção de infanciaConcepção de infancia
Concepção de infancia
 
A importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de EducarA importância da Família no Processo de Educar
A importância da Família no Processo de Educar
 

Semelhante a Infancia2

mzupem3_direitos_da_crianca.pptx
mzupem3_direitos_da_crianca.pptxmzupem3_direitos_da_crianca.pptx
mzupem3_direitos_da_crianca.pptx
gisela959593
 
Luta contra o trabalho infantil
Luta contra o trabalho infantilLuta contra o trabalho infantil
Luta contra o trabalho infantil
leidianelopes1
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
buguinhas
 
Cartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdfCartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdf
GabrieleMachado16
 
Silvia Eca
Silvia EcaSilvia Eca
Silvia Eca
danialmenara
 
4sexualidade carlette
4sexualidade   carlette4sexualidade   carlette
4sexualidade carlette
Ricardo Silva
 
4sexualidade carlette
4sexualidade   carlette4sexualidade   carlette
4sexualidade carlette
fcolpani
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
guestbacc08
 
Pes palestra eduacacao_sexual_para-pais
Pes palestra eduacacao_sexual_para-paisPes palestra eduacacao_sexual_para-pais
Pes palestra eduacacao_sexual_para-pais
Pelo Siro
 
Declaração universal dos direitos da criança
Declaração universal dos direitos da criançaDeclaração universal dos direitos da criança
Declaração universal dos direitos da criança
eb1cambres
 
S E M A N A D A C R I A N C A
S E M A N A  D A  C R I A N C AS E M A N A  D A  C R I A N C A
S E M A N A D A C R I A N C A
mararubia3
 
faça bonito 18 de maio - Copia.pptx
faça bonito 18 de maio - Copia.pptxfaça bonito 18 de maio - Copia.pptx
faça bonito 18 de maio - Copia.pptx
FernandoPimenta19
 
Crianças do mundo
Crianças do mundoCrianças do mundo
Crianças do mundo
Rita Galrito
 
Dia da criança
Dia da criançaDia da criança
Dia da criança
Bibliotecajac
 
Direitos da criança
Direitos da criançaDireitos da criança
Direitos da criança
tdalfollo
 
Eca criancas
Eca criancasEca criancas
Eca criancas
Eliana Graça
 
Joao anselmo 6ºe nº 4
Joao anselmo 6ºe nº  4Joao anselmo 6ºe nº  4
Joao anselmo 6ºe nº 4
Zaara Miranda
 
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentesPalestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Michelle Moraes Santos
 
Inf+éncia violentada
Inf+éncia violentadaInf+éncia violentada
Inf+éncia violentada
PrLinaldo Junior
 
Sessão pais
Sessão paisSessão pais
Sessão pais
LugaraoAfecto
 

Semelhante a Infancia2 (20)

mzupem3_direitos_da_crianca.pptx
mzupem3_direitos_da_crianca.pptxmzupem3_direitos_da_crianca.pptx
mzupem3_direitos_da_crianca.pptx
 
Luta contra o trabalho infantil
Luta contra o trabalho infantilLuta contra o trabalho infantil
Luta contra o trabalho infantil
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
 
Cartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdfCartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdf
 
Silvia Eca
Silvia EcaSilvia Eca
Silvia Eca
 
4sexualidade carlette
4sexualidade   carlette4sexualidade   carlette
4sexualidade carlette
 
4sexualidade carlette
4sexualidade   carlette4sexualidade   carlette
4sexualidade carlette
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Pes palestra eduacacao_sexual_para-pais
Pes palestra eduacacao_sexual_para-paisPes palestra eduacacao_sexual_para-pais
Pes palestra eduacacao_sexual_para-pais
 
Declaração universal dos direitos da criança
Declaração universal dos direitos da criançaDeclaração universal dos direitos da criança
Declaração universal dos direitos da criança
 
S E M A N A D A C R I A N C A
S E M A N A  D A  C R I A N C AS E M A N A  D A  C R I A N C A
S E M A N A D A C R I A N C A
 
faça bonito 18 de maio - Copia.pptx
faça bonito 18 de maio - Copia.pptxfaça bonito 18 de maio - Copia.pptx
faça bonito 18 de maio - Copia.pptx
 
Crianças do mundo
Crianças do mundoCrianças do mundo
Crianças do mundo
 
Dia da criança
Dia da criançaDia da criança
Dia da criança
 
Direitos da criança
Direitos da criançaDireitos da criança
Direitos da criança
 
Eca criancas
Eca criancasEca criancas
Eca criancas
 
Joao anselmo 6ºe nº 4
Joao anselmo 6ºe nº  4Joao anselmo 6ºe nº  4
Joao anselmo 6ºe nº 4
 
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentesPalestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
 
Inf+éncia violentada
Inf+éncia violentadaInf+éncia violentada
Inf+éncia violentada
 
Sessão pais
Sessão paisSessão pais
Sessão pais
 

Mais de Marcia Panzarin

Roda cecilia meirels 2
Roda cecilia meirels 2Roda cecilia meirels 2
Roda cecilia meirels 2
Marcia Panzarin
 
Adolescnciaejuventude 120131193213-phpapp01 (1)
Adolescnciaejuventude 120131193213-phpapp01 (1)Adolescnciaejuventude 120131193213-phpapp01 (1)
Adolescnciaejuventude 120131193213-phpapp01 (1)
Marcia Panzarin
 
Adolescencia 1214198451662748-8
Adolescencia 1214198451662748-8Adolescencia 1214198451662748-8
Adolescencia 1214198451662748-8
Marcia Panzarin
 
Cartilha ti mpt_20.03.09
Cartilha ti mpt_20.03.09Cartilha ti mpt_20.03.09
Cartilha ti mpt_20.03.09
Marcia Panzarin
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
Marcia Panzarin
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
Marcia Panzarin
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
Marcia Panzarin
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
Marcia Panzarin
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
Marcia Panzarin
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
Marcia Panzarin
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
Marcia Panzarin
 
Livro mãe assim tudo começou
Livro mãe assim tudo começouLivro mãe assim tudo começou
Livro mãe assim tudo começou
Marcia Panzarin
 
Se as coisas fossem mães
Se as coisas fossem mãesSe as coisas fossem mães
Se as coisas fossem mães
Marcia Panzarin
 
Livro mãe assim tudo começou
Livro mãe assim tudo começouLivro mãe assim tudo começou
Livro mãe assim tudo começou
Marcia Panzarin
 
Consumo eu etiqueta
Consumo eu etiquetaConsumo eu etiqueta
Consumo eu etiqueta
Marcia Panzarin
 
Consumo eu etiqueta
Consumo eu etiquetaConsumo eu etiqueta
Consumo eu etiqueta
Marcia Panzarin
 
sustentabilidade
sustentabilidadesustentabilidade
sustentabilidade
Marcia Panzarin
 
Chico bento roda
Chico bento rodaChico bento roda
Chico bento roda
Marcia Panzarin
 

Mais de Marcia Panzarin (20)

Roda cecilia meirels 2
Roda cecilia meirels 2Roda cecilia meirels 2
Roda cecilia meirels 2
 
Adolescnciaejuventude 120131193213-phpapp01 (1)
Adolescnciaejuventude 120131193213-phpapp01 (1)Adolescnciaejuventude 120131193213-phpapp01 (1)
Adolescnciaejuventude 120131193213-phpapp01 (1)
 
Adolescencia 1214198451662748-8
Adolescencia 1214198451662748-8Adolescencia 1214198451662748-8
Adolescencia 1214198451662748-8
 
Cartilha ti mpt_20.03.09
Cartilha ti mpt_20.03.09Cartilha ti mpt_20.03.09
Cartilha ti mpt_20.03.09
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
 
As tres partes
As tres partesAs tres partes
As tres partes
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
 
Curiosidade premiada
Curiosidade premiadaCuriosidade premiada
Curiosidade premiada
 
Livro mãe assim tudo começou
Livro mãe assim tudo começouLivro mãe assim tudo começou
Livro mãe assim tudo começou
 
Se as coisas fossem mães
Se as coisas fossem mãesSe as coisas fossem mães
Se as coisas fossem mães
 
Livro mãe assim tudo começou
Livro mãe assim tudo começouLivro mãe assim tudo começou
Livro mãe assim tudo começou
 
Consumo eu etiqueta
Consumo eu etiquetaConsumo eu etiqueta
Consumo eu etiqueta
 
Consumo eu etiqueta
Consumo eu etiquetaConsumo eu etiqueta
Consumo eu etiqueta
 
O girassol solitario
O girassol solitarioO girassol solitario
O girassol solitario
 
sustentabilidade
sustentabilidadesustentabilidade
sustentabilidade
 
Chico bento roda
Chico bento rodaChico bento roda
Chico bento roda
 

Infancia2

  • 1.
  • 2. INFÂNCIA Trabalho Infantil Charges Maus Tratos Abandono Mensage m Vídeos Abuso Sexual Direitos da Reflexã Criança Integrantes o ECA Agradecimentos
  • 3. Trabalho Infantil O trabalho infantil no Brasil ainda é um grande problema social. Milhares de crianças ainda deixam de ir à escola e ter seus direitos preservados, e trabalham desde a mais tenra idade na lavoura, campo, fábrica ou casas de família, muitos deles sem receber remuneração alguma. Hoje em dia, em torno de 4,8 milhões de crianças de adolescentes entre 5 e 17 anos estão trabalhando no Brasil, segundo PNAD 2007. Desse total, 1,2 milhão estão na faixa entre 5 e 13 anos. Apesar de no Brasil, o trabalho infantil ser considerado ilegal para crianças e adolescentes entre 5 e 13 anos, a realidade continua sendo outra. Para adolescentes entre 14 e 15 anos, o trabalho é legal desde que na condição de aprendiz. Matéria retirada do portal guiainfantil.com 06 de maio de 2011
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8. MAUS TRATO S O que vocês pensam que a criança fez para ter apanhado? Como é que se sentem aqueles que apanham? O que a criança aprende quando apanha? Bater é a única forma de educar as crianças? O que fazer para ensinar quem errou? Vocês sabem que toda criança tem direito à proteção contra maus-tratos e que esse direito é assegurado por lei? Sabem que são proibidas todas as formas de violência contra as crianças? Conhecem a Declaração dos Direitos da Criança? E o Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA? Portal do Professor - Ética e Infância: “Criança feliz, feliz a cantar...” SERÁ? Fatima Rezende Naves Dias
  • 9. A VIOLÊNCIA DÓI A VIOLÊNCIA DÓI
  • 11. EXISTEM 100 MILHÕES DE CRIANÇAS VIVENDO NAS RUAS DO MUNDO SUBDESENVOLVIDO OU EM DESENVOLVIMENTO, DAS QUAIS 10 MILHÕES NO BRASIL. www.youtube.com/watch?v=SF1jg8llV6Y
  • 12. Abuso Sexual Consequências de quem sofre abuso Abuso sexual intrafamiliar Denuncie
  • 13. Consequências O comportamento das crianças abusadas sexualmente pode incluir: Interesse excessivo ou evitarão de natureza sexual; Problemas com o sono ou pesadelos; Depressão ou isolamento de seus amigos e da família; Achar que têm o corpo sujo ou contaminado; Ter medo de que haja algo de mal com seus genitais; Negar-se a ir à escola, Rebeldia e Delinquência; Agressividade excessiva; Comportamento suicida; Terror e medo de algumas pessoas ou alguns lugares; Retirar-se ou não querer participar de esportes; Respostas ilógicas (para-respostas) quando perguntamos sobre alguma ferida em seus genitais; Temor irracional diante do exame físico; Mudanças súbitas de conduta. Algumas vezes, entretanto, crianças ou adolescentes portadores de Transtorno de Conduta severo fantasiam e criam falsas informações em relação ao abuso sexual. Ballone GJ - Abuso Sexual Infantil, in. PsiqWeb, Internet, disponível em < http://www.virtualpsy.org/infantil/abuso.html> 2003
  • 14. ABUSO SEXUAL INTRAFAMILIAR AGRESSOR Nº % PAI 77 52 PADRASTO 47 32 TIO 10 8 MÃE 4 4 AVÔ 3 2 PRIMO 2 1 CUNHADO 2 1 TOTAL 145 100
  • 15.
  • 16. Denuncie • “Mãe foi trabalhar e papai ficou em casa” Podemos caracterizar o abuso como: tocar a boca, genitais, bumbum, seios ou outras partes íntimas de uma criança com objetivo de satisfação dos desejos; forçar ou encorajar a criança a tocar um adulto de modo a satisfazer o desejo sexual. Fazer ou tentar fazer a criança se envolver em ato sexual. Essa é uma frase que dói ao falar. Por isso, se você saber de algo desse tipo denuncie.
  • 17. NÃO DEIXE QUE ACONTEÇA COM VOCÊ...
  • 18. Direitos da Criança Direitos da Criança História da Criança no Brasil
  • 19. Os Direitos da Criança Toda criança tem Toda criança tem Todas as crianças são direito à atenção e ao direito a uma boa iguais amor alimentação Toda criança tem Toda criança tem Toda criança tem direito a uma boa direito ao lazer direito de ir à escola saúde Nenhuma criança Nenhuma criança Toda criança pode se deve ser vítima da deve ser vítima de expressar livremente guerra abusos sexuais
  • 20. Nenhuma criança Toda criança pode Nenhuma criança deve ser explorada praticar sua religião deve ser maltratada pelo trabalho Toda criança pode se Toda criança pode Deve ser dada unir a outras receber informações prioridade  às crianças para seu bem crianças refugiadas Deve ser dada Deve ser dada Deve ser dada prioridade às prioridade às crianças prioridade às crianças crianças portadoras em conflitos legais sem família de deficiências Fonte: social democracia sindical - campanha nacional de direitos humano Diagramação: Sampa Online.
  • 21. História da Criança no Brasil Antigamente, a infância – No período que vai do nascimento até os 12 anos de idade – era bem diferente. No Brasil colonial, por exemplo, logo que cresciam um pouco e conseguiam aguentar mais esforços físicos, algumas crianças eram escaladas para tarefas de adultos.
  • 22. A rotina das crianças no Brasil, porém, não era moleza. Mal fazia seis anos, as crianças índias e filhas de escravos já iam para a lavoura, trabalhar com seus pais. Não tinham direito de frequentar as escolas nem podiam pagar pelo ensino. Seus pais valorizavam muito o trabalho e, por isso, “A importância da infância foi reconhecida bem mais tarde. A maior parte das crianças, com seis ou sete anos, já estava trabalhando. Não apenas os filhos de escravos, mas as crianças pobres brancas também”. As crianças filhas de pais portugueses, em geral, tinham boas condições financeiras. Assim, podiam viver a infância por mais tempo, estudar e brincar. Mesmo assim, porém, eram incentivadas a trabalhar desde cedo e tinham muitas tarefas escolares para cumprir.
  • 23. Essa dura realidade, porém, começou a mudar na metade do século 20. Isso porque as famílias começaram a ser menores, por diferentes razões. Na época, cresceu, por exemplo, o número de mulheres que trabalhavam e, por isso, Mesmo tendo compromisso optavam por não ter uma com o trabalho ou com os família grande. Com estudos, porém, as crianças poucos filhos, mais que viveram do período colonial atenção podia ser dada até o século 20 no Brasil aos pequenos, como lazer, procuravam arrumar um educação e mais tempinho para brincar. As ricas brinquedos. podiam adquirir brinquedos nas Cathia Abreu lojas, que importavam bonecas, Instituto Ciência Hoje/RJ carrinhos e outros mimos da França.
  • 24. ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) A gente é criança até que idade? A partir de quando nos tornamos adolescentes? Se você já se fez essas perguntas, saiba que, ao menos para a justiça brasileira, a resposta está no Estatuto da Criança e do Adolescente, também conhecido como ECA. De acordo com essa lei, criança é toda pessoa com até 12 anos de idade incompletos e, adolescente, a que tem entre 12 e 18 anos. Se você faz parte dessa turma, a boa notícia é que a ECA – que existe para garantir os seus direitos – está comemorando aniversário: em 2008, ele completa 18 anos de existência. Sancionado em 13 de julho de 1990, o ECA é a lei 8.069, que tem validade em todo o território brasileiro e o objetivo de proteger as pessoas de zero a dezoito anos, fazendo valer os seus direitos desde o nascimento. Cathia Abreu Instituto Ciência Hoje/RJ
  • 26.
  • 28. Dizes que sou o futuro. Não me desampares no presente. Dizes que sou a esperança da paz. Não me induzas à
  • 29. Dizes que sou a promessa do bem. Não me confies ao mal. Dizes que sou a luz dos teus olhos. Não me abandones ás trevas.
  • 30. Não te rogo apenas brinquedos. Peço-te bons exemplos e boas palavras. Não sou simples ornamento de teu carinho. Sou alguém que te bate à porta em nome de Deus. (Meimei/ Psicografado por Chico Xavier
  • 31. Vídeos Abandono Criança Vê! Criança Faz! Criança Vê! Criança Faz! Dê o exemplo! - YouTube
  • 34. Para ser Criança precisa ter Infância.
  • 35.
  • 36.
  • 37. O futuro dependerá do que fizermos agora. E, certamente, há muito por se fazer...
  • 38. Integrantes • Jéssica E. F. Prezoto • Karla da Rosa • Luana F. C. Lima • Dandara M. de Oliveira
  • 39. Agradecimentos • Grupo Gestor • Coordenadora - Marcia Panzarin • Suporte - Marcelo Marocho
  • 40. Referências Bibliográficas portal guiainfantil.com www.videoslegais.com.br Criança Vê! Criança Faz! Dê o exemplo! – YouTube Portal do Professor - Ética e Infância: “Criança feliz, feliz a cantar...” SERÁ? Fatima Rezende Naves Dias Infância Roubada - (musica: Era - Ameno) - YouTube www.youtube.com/watch?v=SF1jg8llV6Y Ballone GJ - Abuso Sexual Infantil, in. PsiqWeb, Internet, disponível em <http://www.virtualpsy.org/infantil/abuso.htm l> 2003 Cathia Abreu Instituto Ciência Hoje/RJ Fonte: social democracia sindical - campanha nacional de direitos humano Diagramação: Sampa Online.