SlideShare uma empresa Scribd logo
Indivíduo, identidade e socialização
Indivíduo, identidade e socialização
 O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO
Indivíduo, identidade e socialização
      O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO
• De acordo com Durkheim, existem dois seres:
- um individual, cuja base é o organismo e cuja
  consciência é caracterizada pelos estados
  pessoais, sentimentos e sensações;
- outro, social, que representa a alta realidade de
  ordem intelectual e moral;
Indivíduo, identidade e socialização
       O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO
• Perspectiva da solidariedade mecânica:
- a consciência individual é invadida pela consciência
   coletiva (soma de crenças e sentimentos comuns à
   média dos membros da comunidade, formando um
   sistema autônomo, isto é, uma realidade distinta que
   persiste no tempo e une gerações);
• Na perspectiva da solidariedade orgânica:
- devido ao elevado grau de divisão do trabalho, é
   preciso haver uma esfera individual própria da ação,
   uma preponderância da individualidade;
- os indivíduos são produzidos pela sociedade.
Indivíduo, identidade e socialização
      O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO
• Marx, quando se refere ao indivíduo, não o
  considera isolado, apenas como um ser social.
- sua manifestação de vida é uma manifestação
  comum, praticada na companhia dos outros e,
  por isso mesmo, é uma manifestação da vida
  social, tem necessidades só realizadas em
  sociedade e não é autossuficiente.
- o que o indivíduo é depende das condições
  materiais de produção (o modo de produção e
  os meios de produção).
Indivíduo, identidade e socialização
       O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO
- os indivíduos são ativos produtivamente de modo
   determinado porque são dependentes das condições
   econômicas existente no momento histórico.
- o indivíduo é simultaneamente um produto e um
   produtor das relações sociais nas quais se integra;
- na sociedade burguesa, o poder da produção, alheio
   ao trabalhador, tem, de forma exacerbada, um caráter
   exterior coercitivo (alienação), mas que é relativo a
   uma etapa historicamente determinada.
Indivíduo, identidade e socialização
      O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO
• Para Weber, é essencial captar o sentido das ações
  individuais, o que não implica uma valorização
  individualista.
• Weber se preocupa com o sentido subjetivo da ação,
  e somente o indivíduo pode dar tal sentido à ação.
• Os indivíduos são entendidos como a “sede” empírica
  da atribuição de sentido ao real.
• A ação individual é entendida como ação estratégica
  que persegue finalidades (que são definidas
  subjetivamente), significando uma recusa a qualquer
  referência a uma realidade superior coletiva.
Indivíduo, identidade e socialização
   O QUE SE REFERE À FAMÍLIA
Indivíduo, identidade e socialização
        O QUE SE REFERE À FAMÍLIA
• Segundo Durkheim a família:
- independentemente de sua modernidade, deve
   ser sempre considerada instituição;
- implica normas e regras exteriores ao indivíduo;
- tem uma função integradora decisiva na
   manutenção da ordem social.
• Marx e Weber não se referem à família como
   objetos de análise em seus estudos
Indivíduo, identidade e socialização
  O QUE SE REFERE À RELIGIÃO
Indivíduo, identidade e socialização
        O QUE SE REFERE À RELIGIÃO
• Para Durkheiem, as representações religiosas:
- são manifestações coletivas e expressam “estados de
   coletividade”.
- possibilita a reflexão do homem para dentro de si
   mesmo;
- seu principal valor é conferir regularidade à sociedade,
   sem a qual a existência social está destinada ao fim;
- os indivíduos buscam na religião a sensação de sair
   de si, pela imersão no coletivo;
Indivíduo, identidade e socialização
        O QUE SE REFERE À RELIGIÃO
• Para Marx:
- o sofrimento religioso é, a um único e ao mesmo
   tempo, a expressão do sofrimento real e um protesto
   contra o sofrimento real.
- a religião é um suspiro da criatura oprimida;
- é o ópio do povo;
• Marx critica a condição de uma sociedade que levaria
   as pessoas a um entorpecimento.
- a religião reflete o que falta na sociedade;
- é uma idealização das aspirações do povo que não
   podem ser satisfeitas de imediato.
Indivíduo, identidade e socialização
        O QUE SE REFERE À RELIGIÃO
• Na ótica de Weber, a religião possui uma importância
   significativa.
• Através da obra: “A ética protestante e o espírito do
   capitalismo”
- demonstrou a efetivação do moderno sistema
   econômico;
- apresenta uma gênese da base irracional que se
   constituirá em argamassa para a racionalidade
   moderna;
- observa a unidade das práticas religiosas como
   primordialmente racionais, pelo menos relativamente;
- tem necessidades ou propósitos sociais ligados a um
   fim, cujo desenvolvimento, em sua grande maioria,
   tem alcance político e econômico.
Indivíduo, identidade e socialização
   O QUE SE REFERE À ESCOLA
Indivíduo, identidade e socialização
         O QUE SE REFERE À ESCOLA
• Para Durkheim, a escola:
- é a mais importante e poderosa instituição;
- é capaz de preparar as crianças e os jovens para a
   sociedade;
- impõe o comportamento mais correto e a visão da
   consciência coletiva;
- é o local onde a criança se relaciona com os seus
   semelhantes.
- internaliza a sociedade no indivíduo;
- é responsável pela imposição de padrões de conduta;
- prepara as futuras gerações para seguir a moral social
   mais correta e mais aceita, sabendo que sua
   transgressão e sua contestação implicam punições.
Indivíduo, identidade e socialização
         O QUE SE REFERE À ESCOLA
• Para Marx, o tema da educação não ocupou um lugar
   central.
• Não se encontra em sua obra nenhuma referência
   direta ao tema escola ou educação;
• Pode-se compreender que a escola e a educação
   fazem parte da superestrutura que condiciona os
   indivíduos aos desejos dos donos dos meios de
   produção;
• A educação, no sistema capitalista, segundo Marx é:
- um elemento da manutenção da hierarquia social;
- um instrumento da hegemonia ideológica burguesa;
Indivíduo, identidade e socialização
        O QUE SE REFERE À ESCOLA
• Weber não trata das instituições.
• Para ele, cada indivíduo age levado por
  motivos que resultam da influência da tradição,
  dos interesses racionais e da emotividade.
• O caráter social da ação individual decorre da
  interdependência dos indivíduos.
• Podemos entender a escola ou a educação,
  em Weber, como relação social, em que o
  objetivo da ação dos vários sujeitos é
  compartilhado.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOSINTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
Isabela Espíndola
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1
Over Lane
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
Beatriz cerqueira frança
 
Desigualdade Social
Desigualdade SocialDesigualdade Social
Desigualdade Social
Marcos Alencar
 
INDIVÍDUO E SOCIEDADE
INDIVÍDUO E SOCIEDADEINDIVÍDUO E SOCIEDADE
Indivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedadeIndivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedade
Silvia Cintra
 
Pierre bourdieu
Pierre bourdieuPierre bourdieu
Pierre bourdieu
sociofilo2012
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
Paulo Alexandre
 
Direitos humanos e cidadania
Direitos humanos e cidadaniaDireitos humanos e cidadania
Direitos humanos e cidadania
Fillipe Lobo
 
As origens e os principais teóricos da sociologia
As origens e os principais teóricos  da sociologiaAs origens e os principais teóricos  da sociologia
As origens e os principais teóricos da sociologia
Lucio Oliveira
 
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de MudançasAula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Preconceito e intolerência
Preconceito e intolerênciaPreconceito e intolerência
Preconceito e intolerência
Victor Claudio
 
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofiaDinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Severina Maria Vieira
 
Tribos urbanas
Tribos urbanasTribos urbanas
Tribos urbanas
Ludmila Moura
 
O Homem é Um Ser Social
O Homem é Um Ser SocialO Homem é Um Ser Social
O Homem é Um Ser Social
Patrícia Ventura
 
Processo de socialização
Processo de socializaçãoProcesso de socialização
Processo de socialização
homago
 
Ideologia - karl marx
Ideologia - karl marxIdeologia - karl marx
Ideologia - karl marx
IzabellaSouzaDosSant
 
Cap. 1 a sociedade dos indivíduos
Cap. 1   a sociedade dos indivíduosCap. 1   a sociedade dos indivíduos
Cap. 1 a sociedade dos indivíduos
Tiago Lacerda
 
Identidade cultural no Mundo
Identidade cultural no MundoIdentidade cultural no Mundo
Identidade cultural no Mundo
Escola Estadual Alonso de Morais Andrade
 
Política e poder
Política e poderPolítica e poder

Mais procurados (20)

INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOSINTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
INTRODUÇÃO AOS DIREITOS HUMANOS
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
Desigualdade Social
Desigualdade SocialDesigualdade Social
Desigualdade Social
 
INDIVÍDUO E SOCIEDADE
INDIVÍDUO E SOCIEDADEINDIVÍDUO E SOCIEDADE
INDIVÍDUO E SOCIEDADE
 
Indivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedadeIndivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedade
 
Pierre bourdieu
Pierre bourdieuPierre bourdieu
Pierre bourdieu
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
Direitos humanos e cidadania
Direitos humanos e cidadaniaDireitos humanos e cidadania
Direitos humanos e cidadania
 
As origens e os principais teóricos da sociologia
As origens e os principais teóricos  da sociologiaAs origens e os principais teóricos  da sociologia
As origens e os principais teóricos da sociologia
 
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de MudançasAula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
Aula 03 - Instituições Sociais Num Mundo de Mudanças
 
Preconceito e intolerência
Preconceito e intolerênciaPreconceito e intolerência
Preconceito e intolerência
 
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofiaDinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
 
Tribos urbanas
Tribos urbanasTribos urbanas
Tribos urbanas
 
O Homem é Um Ser Social
O Homem é Um Ser SocialO Homem é Um Ser Social
O Homem é Um Ser Social
 
Processo de socialização
Processo de socializaçãoProcesso de socialização
Processo de socialização
 
Ideologia - karl marx
Ideologia - karl marxIdeologia - karl marx
Ideologia - karl marx
 
Cap. 1 a sociedade dos indivíduos
Cap. 1   a sociedade dos indivíduosCap. 1   a sociedade dos indivíduos
Cap. 1 a sociedade dos indivíduos
 
Identidade cultural no Mundo
Identidade cultural no MundoIdentidade cultural no Mundo
Identidade cultural no Mundo
 
Política e poder
Política e poderPolítica e poder
Política e poder
 

Destaque

A arte na Pré-História
A arte na Pré-HistóriaA arte na Pré-História
A arte na Pré-História
Edenilson Morais
 
Culturas jovens
Culturas jovensCulturas jovens
Culturas jovens
Edenilson Morais
 
A Comuna de Paris (1871)
A Comuna de Paris (1871)A Comuna de Paris (1871)
A Comuna de Paris (1871)
Edenilson Morais
 
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundo
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundoIngleses, franceses e holandeses no novo mundo
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundo
Edenilson Morais
 
As constituições brasileiras
As constituições brasileiras As constituições brasileiras
As constituições brasileiras
Edenilson Morais
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
Edenilson Morais
 
Origens da vida
Origens da vidaOrigens da vida
Origens da vida
Edenilson Morais
 
A ancestralidade mato-grossense
A ancestralidade mato-grossenseA ancestralidade mato-grossense
A ancestralidade mato-grossense
Edenilson Morais
 
Autoridade, poder, democracia, trabalho e sociedade
Autoridade, poder, democracia, trabalho e sociedadeAutoridade, poder, democracia, trabalho e sociedade
Autoridade, poder, democracia, trabalho e sociedade
Edenilson Morais
 
Questões abolicionistas
Questões abolicionistasQuestões abolicionistas
Questões abolicionistas
Edenilson Morais
 
Questões ambientais globais
Questões ambientais globaisQuestões ambientais globais
Questões ambientais globais
Edenilson Morais
 
Produção de alimentos x fome
Produção de alimentos x fomeProdução de alimentos x fome
Produção de alimentos x fome
Edenilson Morais
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
Edenilson Morais
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Edenilson Morais
 
A política colonizadora
A política colonizadoraA política colonizadora
A política colonizadora
Edenilson Morais
 
Brasil colonial: O processo de independência
Brasil colonial:   O processo de independênciaBrasil colonial:   O processo de independência
Brasil colonial: O processo de independência
Edenilson Morais
 
1968
19681968
História, ciência e consciência histórica
História, ciência e consciência históricaHistória, ciência e consciência histórica
História, ciência e consciência histórica
Edenilson Morais
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Edenilson Morais
 
Revisão: Século XX
Revisão: Século XXRevisão: Século XX
Revisão: Século XX
Edenilson Morais
 

Destaque (20)

A arte na Pré-História
A arte na Pré-HistóriaA arte na Pré-História
A arte na Pré-História
 
Culturas jovens
Culturas jovensCulturas jovens
Culturas jovens
 
A Comuna de Paris (1871)
A Comuna de Paris (1871)A Comuna de Paris (1871)
A Comuna de Paris (1871)
 
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundo
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundoIngleses, franceses e holandeses no novo mundo
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundo
 
As constituições brasileiras
As constituições brasileiras As constituições brasileiras
As constituições brasileiras
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
 
Origens da vida
Origens da vidaOrigens da vida
Origens da vida
 
A ancestralidade mato-grossense
A ancestralidade mato-grossenseA ancestralidade mato-grossense
A ancestralidade mato-grossense
 
Autoridade, poder, democracia, trabalho e sociedade
Autoridade, poder, democracia, trabalho e sociedadeAutoridade, poder, democracia, trabalho e sociedade
Autoridade, poder, democracia, trabalho e sociedade
 
Questões abolicionistas
Questões abolicionistasQuestões abolicionistas
Questões abolicionistas
 
Questões ambientais globais
Questões ambientais globaisQuestões ambientais globais
Questões ambientais globais
 
Produção de alimentos x fome
Produção de alimentos x fomeProdução de alimentos x fome
Produção de alimentos x fome
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
A política colonizadora
A política colonizadoraA política colonizadora
A política colonizadora
 
Brasil colonial: O processo de independência
Brasil colonial:   O processo de independênciaBrasil colonial:   O processo de independência
Brasil colonial: O processo de independência
 
1968
19681968
1968
 
História, ciência e consciência histórica
História, ciência e consciência históricaHistória, ciência e consciência histórica
História, ciência e consciência histórica
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Revisão: Século XX
Revisão: Século XXRevisão: Século XX
Revisão: Século XX
 

Semelhante a Indivíduo, identidade e socialização

40. aula 1 e 2 sociologia
40. aula 1 e 2  sociologia 40. aula 1 e 2  sociologia
40. aula 1 e 2 sociologia
Cristiane Pantoja
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
homago
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
homago
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
homago
 
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIA
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIARevisão Conceitual de SOCIOLOGIA
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIA
Carlos Benjoino Bidu
 
Apostila classicos-sociologia-131031092141-phpapp01
Apostila classicos-sociologia-131031092141-phpapp01Apostila classicos-sociologia-131031092141-phpapp01
Apostila classicos-sociologia-131031092141-phpapp01
anaely13
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
HisrelBlog
 
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIACLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA
HisrelBlog
 
Apostila classicos-sociologia
Apostila classicos-sociologiaApostila classicos-sociologia
Apostila classicos-sociologia
Cristina Bentes
 
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicasas relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
Dennis De Oliveira Sinnedos
 
max weber.pptx
max weber.pptxmax weber.pptx
max weber.pptx
AntnioCsarBurnat
 
Módulo 1 1.2.
Módulo 1   1.2.Módulo 1   1.2.
Módulo 1 1.2.
cattonia
 
EMILE DURKHEIM988887gjfjgfbfycyvyyccbhjh
EMILE DURKHEIM988887gjfjgfbfycyvyyccbhjhEMILE DURKHEIM988887gjfjgfbfycyvyyccbhjh
EMILE DURKHEIM988887gjfjgfbfycyvyyccbhjh
SabrynaMariaLima
 
Material de sociologia i
Material de sociologia iMaterial de sociologia i
Material de sociologia i
gabriela_eiras
 
Norbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieuNorbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieu
roberto mosca junior
 
Os clássicos da sociologia
Os clássicos da sociologiaOs clássicos da sociologia
Os clássicos da sociologia
Carmem Rocha
 
Durkheim, marx, weber
Durkheim, marx, weberDurkheim, marx, weber
Durkheim, marx, weber
Arinaldo Martins
 
éMile durkheim
éMile durkheiméMile durkheim
éMile durkheim
Fatima Freitas
 
Sociologia último
Sociologia últimoSociologia último
Sociologia último
segioslz
 
Sociologia iii
Sociologia iiiSociologia iii
Sociologia iii
andrea almeida
 

Semelhante a Indivíduo, identidade e socialização (20)

40. aula 1 e 2 sociologia
40. aula 1 e 2  sociologia 40. aula 1 e 2  sociologia
40. aula 1 e 2 sociologia
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
 
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIA
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIARevisão Conceitual de SOCIOLOGIA
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIA
 
Apostila classicos-sociologia-131031092141-phpapp01
Apostila classicos-sociologia-131031092141-phpapp01Apostila classicos-sociologia-131031092141-phpapp01
Apostila classicos-sociologia-131031092141-phpapp01
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
 
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIACLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA
 
Apostila classicos-sociologia
Apostila classicos-sociologiaApostila classicos-sociologia
Apostila classicos-sociologia
 
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicasas relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
 
max weber.pptx
max weber.pptxmax weber.pptx
max weber.pptx
 
Módulo 1 1.2.
Módulo 1   1.2.Módulo 1   1.2.
Módulo 1 1.2.
 
EMILE DURKHEIM988887gjfjgfbfycyvyyccbhjh
EMILE DURKHEIM988887gjfjgfbfycyvyyccbhjhEMILE DURKHEIM988887gjfjgfbfycyvyyccbhjh
EMILE DURKHEIM988887gjfjgfbfycyvyyccbhjh
 
Material de sociologia i
Material de sociologia iMaterial de sociologia i
Material de sociologia i
 
Norbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieuNorbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieu
 
Os clássicos da sociologia
Os clássicos da sociologiaOs clássicos da sociologia
Os clássicos da sociologia
 
Durkheim, marx, weber
Durkheim, marx, weberDurkheim, marx, weber
Durkheim, marx, weber
 
éMile durkheim
éMile durkheiméMile durkheim
éMile durkheim
 
Sociologia último
Sociologia últimoSociologia último
Sociologia último
 
Sociologia iii
Sociologia iiiSociologia iii
Sociologia iii
 

Mais de Edenilson Morais

Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do MaranhãoSimulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Edenilson Morais
 
Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem
Edenilson Morais
 
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
Edenilson Morais
 
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade culturalHistória do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
Edenilson Morais
 
História de mato grosso período colonial
História de mato grosso   período colonialHistória de mato grosso   período colonial
História de mato grosso período colonial
Edenilson Morais
 
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Edenilson Morais
 
Sociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel FoucaltSociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel Foucalt
Edenilson Morais
 
A nova historia cultural
A nova historia culturalA nova historia cultural
A nova historia cultural
Edenilson Morais
 
Guerraspunicas
GuerraspunicasGuerraspunicas
Guerraspunicas
Edenilson Morais
 
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Edenilson Morais
 
As origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendtAs origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendt
Edenilson Morais
 
Durkheim suicidio
Durkheim suicidioDurkheim suicidio
Durkheim suicidio
Edenilson Morais
 
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernosA crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
Edenilson Morais
 
Sociologia globalização
Sociologia globalizaçãoSociologia globalização
Sociologia globalização
Edenilson Morais
 
A visão da afro
A visão da afroA visão da afro
A visão da afro
Edenilson Morais
 
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociaisSociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Edenilson Morais
 
Cartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerraCartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerra
Edenilson Morais
 
Sociologia resumo
Sociologia resumoSociologia resumo
Sociologia resumo
Edenilson Morais
 
Artigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidadeArtigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidade
Edenilson Morais
 
Weber e o capitalismo
Weber e o capitalismoWeber e o capitalismo
Weber e o capitalismo
Edenilson Morais
 

Mais de Edenilson Morais (20)

Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do MaranhãoSimulado História do Brasil e do História do Maranhão
Simulado História do Brasil e do História do Maranhão
 
Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem Soluções para otimização de resultados no enem
Soluções para otimização de resultados no enem
 
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
HISTÓRIA DE MATO GROSSO PERÍODO IMPERIAL (DETRAN-MT 2015)
 
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade culturalHistória do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
História do brasil enem cultura, patrimônio e diversidade cultural
 
História de mato grosso período colonial
História de mato grosso   período colonialHistória de mato grosso   período colonial
História de mato grosso período colonial
 
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
Período colonial de Mato Grosso (Atividades)
 
Sociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel FoucaltSociologia - Michel Foucalt
Sociologia - Michel Foucalt
 
A nova historia cultural
A nova historia culturalA nova historia cultural
A nova historia cultural
 
Guerraspunicas
GuerraspunicasGuerraspunicas
Guerraspunicas
 
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
 
As origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendtAs origens do totalitarismo de hannah arendt
As origens do totalitarismo de hannah arendt
 
Durkheim suicidio
Durkheim suicidioDurkheim suicidio
Durkheim suicidio
 
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernosA crise feudal e a ascensão dos estados modernos
A crise feudal e a ascensão dos estados modernos
 
Sociologia globalização
Sociologia globalizaçãoSociologia globalização
Sociologia globalização
 
A visão da afro
A visão da afroA visão da afro
A visão da afro
 
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociaisSociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
Sociologia aula16 os novos_movimentos_sociais
 
Cartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerraCartazes da 1ª guerra
Cartazes da 1ª guerra
 
Sociologia resumo
Sociologia resumoSociologia resumo
Sociologia resumo
 
Artigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidadeArtigos de história da sexualidade
Artigos de história da sexualidade
 
Weber e o capitalismo
Weber e o capitalismoWeber e o capitalismo
Weber e o capitalismo
 

Último

UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 

Último (20)

UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 

Indivíduo, identidade e socialização

  • 1. Indivíduo, identidade e socialização
  • 2. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO
  • 3. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO • De acordo com Durkheim, existem dois seres: - um individual, cuja base é o organismo e cuja consciência é caracterizada pelos estados pessoais, sentimentos e sensações; - outro, social, que representa a alta realidade de ordem intelectual e moral;
  • 4. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO • Perspectiva da solidariedade mecânica: - a consciência individual é invadida pela consciência coletiva (soma de crenças e sentimentos comuns à média dos membros da comunidade, formando um sistema autônomo, isto é, uma realidade distinta que persiste no tempo e une gerações); • Na perspectiva da solidariedade orgânica: - devido ao elevado grau de divisão do trabalho, é preciso haver uma esfera individual própria da ação, uma preponderância da individualidade; - os indivíduos são produzidos pela sociedade.
  • 5. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO • Marx, quando se refere ao indivíduo, não o considera isolado, apenas como um ser social. - sua manifestação de vida é uma manifestação comum, praticada na companhia dos outros e, por isso mesmo, é uma manifestação da vida social, tem necessidades só realizadas em sociedade e não é autossuficiente. - o que o indivíduo é depende das condições materiais de produção (o modo de produção e os meios de produção).
  • 6. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO - os indivíduos são ativos produtivamente de modo determinado porque são dependentes das condições econômicas existente no momento histórico. - o indivíduo é simultaneamente um produto e um produtor das relações sociais nas quais se integra; - na sociedade burguesa, o poder da produção, alheio ao trabalhador, tem, de forma exacerbada, um caráter exterior coercitivo (alienação), mas que é relativo a uma etapa historicamente determinada.
  • 7. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE AO INDIVÍDUO • Para Weber, é essencial captar o sentido das ações individuais, o que não implica uma valorização individualista. • Weber se preocupa com o sentido subjetivo da ação, e somente o indivíduo pode dar tal sentido à ação. • Os indivíduos são entendidos como a “sede” empírica da atribuição de sentido ao real. • A ação individual é entendida como ação estratégica que persegue finalidades (que são definidas subjetivamente), significando uma recusa a qualquer referência a uma realidade superior coletiva.
  • 8. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE À FAMÍLIA
  • 9. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE À FAMÍLIA • Segundo Durkheim a família: - independentemente de sua modernidade, deve ser sempre considerada instituição; - implica normas e regras exteriores ao indivíduo; - tem uma função integradora decisiva na manutenção da ordem social. • Marx e Weber não se referem à família como objetos de análise em seus estudos
  • 10. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE À RELIGIÃO
  • 11. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE À RELIGIÃO • Para Durkheiem, as representações religiosas: - são manifestações coletivas e expressam “estados de coletividade”. - possibilita a reflexão do homem para dentro de si mesmo; - seu principal valor é conferir regularidade à sociedade, sem a qual a existência social está destinada ao fim; - os indivíduos buscam na religião a sensação de sair de si, pela imersão no coletivo;
  • 12. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE À RELIGIÃO • Para Marx: - o sofrimento religioso é, a um único e ao mesmo tempo, a expressão do sofrimento real e um protesto contra o sofrimento real. - a religião é um suspiro da criatura oprimida; - é o ópio do povo; • Marx critica a condição de uma sociedade que levaria as pessoas a um entorpecimento. - a religião reflete o que falta na sociedade; - é uma idealização das aspirações do povo que não podem ser satisfeitas de imediato.
  • 13. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE À RELIGIÃO • Na ótica de Weber, a religião possui uma importância significativa. • Através da obra: “A ética protestante e o espírito do capitalismo” - demonstrou a efetivação do moderno sistema econômico; - apresenta uma gênese da base irracional que se constituirá em argamassa para a racionalidade moderna; - observa a unidade das práticas religiosas como primordialmente racionais, pelo menos relativamente; - tem necessidades ou propósitos sociais ligados a um fim, cujo desenvolvimento, em sua grande maioria, tem alcance político e econômico.
  • 14. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE À ESCOLA
  • 15. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE À ESCOLA • Para Durkheim, a escola: - é a mais importante e poderosa instituição; - é capaz de preparar as crianças e os jovens para a sociedade; - impõe o comportamento mais correto e a visão da consciência coletiva; - é o local onde a criança se relaciona com os seus semelhantes. - internaliza a sociedade no indivíduo; - é responsável pela imposição de padrões de conduta; - prepara as futuras gerações para seguir a moral social mais correta e mais aceita, sabendo que sua transgressão e sua contestação implicam punições.
  • 16. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE À ESCOLA • Para Marx, o tema da educação não ocupou um lugar central. • Não se encontra em sua obra nenhuma referência direta ao tema escola ou educação; • Pode-se compreender que a escola e a educação fazem parte da superestrutura que condiciona os indivíduos aos desejos dos donos dos meios de produção; • A educação, no sistema capitalista, segundo Marx é: - um elemento da manutenção da hierarquia social; - um instrumento da hegemonia ideológica burguesa;
  • 17. Indivíduo, identidade e socialização O QUE SE REFERE À ESCOLA • Weber não trata das instituições. • Para ele, cada indivíduo age levado por motivos que resultam da influência da tradição, dos interesses racionais e da emotividade. • O caráter social da ação individual decorre da interdependência dos indivíduos. • Podemos entender a escola ou a educação, em Weber, como relação social, em que o objetivo da ação dos vários sujeitos é compartilhado.