SlideShare uma empresa Scribd logo
INCLUSÃO SOCIAL
Sistema de Ensino Presencial Conectado
Serviço Social
Gutembergue do Nascimento Gomes
Isabela Antonia Rodrigues Ferreira
Joana Cristina de Castro Sousa
João Wesley Rezende Bezerra
Russilanne Alves de Moura Rodrigues
2017.2
O que é Inclusão Social?
 É o conjunto de meios e ações que combatem a exclusão aos
benefícios da vida em sociedade, provocadas pelas diferenças de
classe social, educação, idade, deficiência , gêneros, preconceito
social ou preconceito racial. Um termo amplo, utilizado em
contextos diferentes, em referência a questões sociais variadas.
 Nesse sentido, para estabelecer uma ação de inclusão social,
primeiramente é necessário observar e identificar quais seriam
aqueles que estariam sistematicamente excluídos da sociedade, ou
seja, que não gozam dos seus benefícios e direitos básicos, como
saúde, educação, emprego, renda, lazer, cultura, entre outros.
Inclusão Social é oferecer oportunidades de acesso a bens e
serviços a todos.
Exemplo de Inclusão Social
Jogos Paraolímpicos
 As Paraolimpíadas são o equivalente das Olimpíadas tradicionais. Porém ocorre a
participação somente de atletas com deficiências físicas e sensoriais (exemplos:
amputações, cegueira e paralisia cerebral) e deficientes mentais. As modalidades
são adaptadas (tempo, quadras, equipamentos, pistas) às necessidades físicas dos
atletas. Estes jogos mostram que, apesar da deficiência física, estas pessoas
conseguem se dedicar aos esportes em nível profissional. É um exemplo de
integração e inclusão social e esportiva para os portadores de necessidades
especiais. Os Jogos Paraolímpicos são organizados pelo Comitê Paraolímpico
Internacional com sede em Bonn (Alemanha)
 Dentre os esportes no evento, encontram-se: voleibol, vela, tiro com arco,
tiro, tênis de mesa, tênis, rúgbi, natação, judô, levantamento de peso,
futebol de 5 e de 7, esgrima, hipismo, ciclismo, bocha, basquetebol e
atletismo.
 As Paraolimpíadas foram organizadas pela primeira vez em 1960 e
aconteceram na cidade de Roma (Itália). Organizada pelo COI (Comitê
Olímpico Internacional), esta primeira edição teve competições dos
seguintes esportes: esgrima, basquete, atletismo, tênis de mesa e arco-e-
flecha. Um exemplo de força de vontade e perseverança para todos nós.
Barreiras da Inclusão Social
 Em um mundo cheio de incertezas, o homem está sempre em busca de sua
identidade e almeja se integrar à sociedade na qual está inserido. Há, no entanto,
muitas barreiras para aqueles que são portadores de deficiência, em relação a este
processo de inclusão. Geralmente, as pessoas com deficiência ficam à margem do
convívio com grupos sociais, sendo privados de uma convivência cidadã.
 Apesar de atualmente a maioria dos países apresentar alguma legislação que
assegura os direitos de todos os cidadãos igualmente, poucas sociedades estão
preparadas para exercer a inclusão social em plenitude. Pessoas com dificuldades
de locomoção enfrentam barreiras para utilizar os transportes públicos e para ter
acesso a prédios públicos, inclusive escolas e hospitais.
 No Brasil, a Lei Federal n° 7853, de 24 de outubro de 1989, assegura os direitos
básicos dos portadores de deficiência. Em seu artigo 8º constitui como crime
punível com reclusão (prisão) de 1 a 4 anos e multa, quem:
1. Recusar, suspender, cancelar ou fazer cessar, sem justa causa, a inscrição de aluno
em estabelecimento de ensino de qualquer curso ou grau, público ou privado,
porque é portador de deficiência.
2. Impedir o acesso a qualquer cargo público porque é portador de deficiência.
3. Negar trabalho ou emprego, porque é portador de deficiência.
4. Recusar, retardar ou dificultar a internação hospitalar ou deixar de prestar
assistência médico-hospitalar ou ambulatória, quando possível, a pessoa
portadora de deficiência.
Inclusão Social de pessoas com deficiência
no Brasil
 Através da Lei 839, de 1857, dom Pedro II fundou o "Imperial Instituto dos Surdos-
mudos". Em 1957, passou a denominar-se Instituto Nacional de Educação de Surdos. E
assim sendo necessária a inclusão de portadores de deficiência em escolas regulares.
 A inclusão social orientou a elaboração de políticas e leis na criação de programas e
serviços voltados ao atendimento das necessidades especiais de deficientes nos últimos
50 anos. Este parâmetro consiste em criar mecanismos que adaptem os deficientes aos
sistemas sociais comuns e, em caso de incapacidade por parte de alguns deles, criar-
lhes sistemas especiais em que possa participar ou tentar acompanhar o ritmo dos que
não tenham alguma deficiência específica. Tem sido prática comum deliberar e discutir
acerca da inclusão de pessoas com algum tipo de deficiência
mencionando direitos inerentes a uma deficiência específica, ou então abrangendo-os
de forma generalizada, sem distinguir entre os diferentes tipos de deficiência.
Papel do Professor na Inclusão Social
 Para o professor desenvolver boas práticas inclusivas, devem se fazer algumas
perguntas:
1. As aulas são acessíveis a todos os estudantes? Os materiais curriculares
contemplam os diferentes contextos e culturas do alunos? A linguagem usada em
sala de aula é acessível a todos?
2. Os alunos são estimulados a ouvir opiniões diferentes? O currículo estimula o
entendimento das diferenças de cultura, gênero, deficiência, religiões, etc?
3. Os professores preocupam-se em apoiar a aprendizagem e participação de todos
os alunos? Eles reconhecem a importância de tratar a todos os alunos com
equidade? Os professores procuram desenvolver nos alunos a independência e
autonomia?
4. Os profissionais de apoio preocupam-se com a participação de todos?
Possíveis respostas para alguns dos
questionamentos acima
 A instituição escolar inclusiva tem o papel de adaptar-se ao aluno e não o oposto.
Entende-se, por educação inclusiva, a adaptação do currículo escolar regular para
crianças com necessidades educacionais especiais (NEE). Esse processo de
educação inclusiva escolar deve ser compartilhado por todos: educadores,
familiares, políticos e comunidade em conjunto para o sucesso efetivo.
 A nossa sociedade é formada por diversas pessoas com diferentes crenças, culturas
e valores. É perfeitamente normal, no âmbito escolar, a diversidade, então é
exigido, do professor, que saiba lidar com a mesma, reconhecendo, no aluno,
suas virtudes e facilidades e não as dificuldades, dando ao aluno com necessidades
educacionais especiais as mesmas responsabilidades que os demais alunos a fim
de construir um conhecimento único entre todos, tornando, assim, a educação
igual para todos.
Conclusão
 Infelizmente estamos em uma sociedade em que, apesar de ser democrática, segue
sim a ditadura. A ditadura da beleza, da magreza, da moda, do estereótipo. Com
isso as pessoas que não são exatamente como esses padrões exigem, são
descriminadas da sociedade. Se não for bonito, bem arrumado, magro, sem
nenhuma deficiência, a maioria das pessoas olhará com olhos de nojo, deboche,
raiva, orgulho. Por esses motivos a inclusão social se dificulta. Sem contar a falta de
acesso e suporte para as pessoas com necessidades especiais. É preciso deixar de
lado essas ditaturas, e abrir o coração para o seu lado humano, o lado coração.
Devemos demonstrar afeto e simpatia para todos aqueles que precisam. O
deficiente não é limitado, o que o limita é o espaço onde ele está.
Referências
 http://brasilescola.uol.com.br/educacao/inclusao-social.htm
 http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/educacao/inclusao-social.htm
 https://www.infoescola.com/sociologia/inclusao-social/
 https://pt.slideshare.net/rprota/incluso-social
 https://pt.wikipedia.org/wiki/Inclus%C3%A3o_social
 http://clubederedacao.com.br/inclusao-social-no-brasil-realidade-ou-teoria/
 http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Preconceito e intolerência
Preconceito e intolerênciaPreconceito e intolerência
Preconceito e intolerência
Victor Claudio
 
Pluralidade cultural
Pluralidade culturalPluralidade cultural
Pluralidade cultural
Ana Lúcia
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
Thaisduarte
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Jogos e Dinâmicas de Grupo - Pessoa com Deficiência
Jogos e Dinâmicas de Grupo - Pessoa com DeficiênciaJogos e Dinâmicas de Grupo - Pessoa com Deficiência
Jogos e Dinâmicas de Grupo - Pessoa com Deficiência
Rosane Domingues
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
Priscila Gomes
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
Edson Salgado Ávella
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
Ulisses Vakirtzis
 
Visão geral sobre o ECA
Visão geral sobre o ECAVisão geral sobre o ECA
Visão geral sobre o ECA
claudiadmaia
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
Edilene Sampaio
 
18 de maio
18 de maio18 de maio
18 de maio
Ivanílson Santos
 
Bullying
Bullying Bullying
Suas 13 estudos de caso para debate
Suas  13 estudos de caso para debateSuas  13 estudos de caso para debate
Suas 13 estudos de caso para debate
Rosane Domingues
 
Risco e Vulnerabilidade
Risco e VulnerabilidadeRisco e Vulnerabilidade
Risco e Vulnerabilidade
feraps
 
Respeito
RespeitoRespeito
Respeito
DeaaSouza
 
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitosEducação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Thiago de Almeida
 
Dinâmica das emoções
Dinâmica das emoçõesDinâmica das emoções
Dinâmica das emoções
Thais Fraga
 
Juventudes
Juventudes Juventudes
Juventudes
Henrique Dias
 
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
Editora Moderna
 
Aula Cidadania
Aula CidadaniaAula Cidadania
Aula Cidadania
Ana Márcia
 

Mais procurados (20)

Preconceito e intolerência
Preconceito e intolerênciaPreconceito e intolerência
Preconceito e intolerência
 
Pluralidade cultural
Pluralidade culturalPluralidade cultural
Pluralidade cultural
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
 
Cidadania
CidadaniaCidadania
Cidadania
 
Jogos e Dinâmicas de Grupo - Pessoa com Deficiência
Jogos e Dinâmicas de Grupo - Pessoa com DeficiênciaJogos e Dinâmicas de Grupo - Pessoa com Deficiência
Jogos e Dinâmicas de Grupo - Pessoa com Deficiência
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
 
Visão geral sobre o ECA
Visão geral sobre o ECAVisão geral sobre o ECA
Visão geral sobre o ECA
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
 
18 de maio
18 de maio18 de maio
18 de maio
 
Bullying
Bullying Bullying
Bullying
 
Suas 13 estudos de caso para debate
Suas  13 estudos de caso para debateSuas  13 estudos de caso para debate
Suas 13 estudos de caso para debate
 
Risco e Vulnerabilidade
Risco e VulnerabilidadeRisco e Vulnerabilidade
Risco e Vulnerabilidade
 
Respeito
RespeitoRespeito
Respeito
 
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitosEducação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitos
 
Dinâmica das emoções
Dinâmica das emoçõesDinâmica das emoções
Dinâmica das emoções
 
Juventudes
Juventudes Juventudes
Juventudes
 
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
“Educação socioemocional em sala de aula: o que é, como fazer e em que medida...
 
Aula Cidadania
Aula CidadaniaAula Cidadania
Aula Cidadania
 

Semelhante a Inclusão Social

Os tipos de inclusões e exclusões brasileiras
Os tipos de inclusões e exclusões brasileirasOs tipos de inclusões e exclusões brasileiras
Os tipos de inclusões e exclusões brasileiras
Matheus Alves
 
Projeto de pesquisa Inclusão social na educação.
Projeto de pesquisa Inclusão social na educação.Projeto de pesquisa Inclusão social na educação.
Projeto de pesquisa Inclusão social na educação.
gilvan junior santiago santos
 
inclusão social das pessoas com deficiência
inclusão social das pessoas com deficiência inclusão social das pessoas com deficiência
inclusão social das pessoas com deficiência
RenataKelly25
 
Transtornodedesenvolvimento
TranstornodedesenvolvimentoTranstornodedesenvolvimento
Transtornodedesenvolvimento
Crislaine Aguiar
 
Ppi educaãƒâ§ãƒâ£o inclusiva-2
Ppi  educaãƒâ§ãƒâ£o inclusiva-2Ppi  educaãƒâ§ãƒâ£o inclusiva-2
Ppi educaãƒâ§ãƒâ£o inclusiva-2
Sannarah Pinheiro
 
Tcc pos ok educação especial
Tcc pos ok   educação especialTcc pos ok   educação especial
Tcc pos ok educação especial
Carla Camilo
 
Tcc pos ok educação especial
Tcc pos ok   educação especialTcc pos ok   educação especial
Tcc pos ok educação especial
Carla Camilo
 
Decreto De Madri - 2002
Decreto De Madri - 2002Decreto De Madri - 2002
Decreto De Madri - 2002
asustecnologia
 
Crianças e Adolescentes com Deficiência: Atualização - Sociedade Brasileira d...
Crianças e Adolescentes com Deficiência: Atualização - Sociedade Brasileira d...Crianças e Adolescentes com Deficiência: Atualização - Sociedade Brasileira d...
Crianças e Adolescentes com Deficiência: Atualização - Sociedade Brasileira d...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
metodologia_do_ensino_da_educacao_especial___apostila_unidade_01.pdf
metodologia_do_ensino_da_educacao_especial___apostila_unidade_01.pdfmetodologia_do_ensino_da_educacao_especial___apostila_unidade_01.pdf
metodologia_do_ensino_da_educacao_especial___apostila_unidade_01.pdf
romaofreire
 
Convenção comentada art
Convenção comentada artConvenção comentada art
Convenção comentada art
Valeria de Oliveira
 
3psicologia objetos-metodos-e-implicacoes-para-a-educacao
3psicologia objetos-metodos-e-implicacoes-para-a-educacao3psicologia objetos-metodos-e-implicacoes-para-a-educacao
3psicologia objetos-metodos-e-implicacoes-para-a-educacao
William Silva
 
PORTIFÓLIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA 1º PERÍODO.
PORTIFÓLIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA 1º PERÍODO.PORTIFÓLIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA 1º PERÍODO.
PORTIFÓLIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA 1º PERÍODO.
João Luís Custódio
 
Educação inclusiva compreende a educação especial
Educação inclusiva compreende a educação  especialEducação inclusiva compreende a educação  especial
Educação inclusiva compreende a educação especial
dilaina maria araujo maria
 
Bases legais educação inclusiva
Bases legais educação inclusivaBases legais educação inclusiva
Bases legais educação inclusiva
Helena Libardi
 
Breve reflexão sobre a escola e os alunos com diferenças
Breve reflexão sobre a escola e os alunos com diferençasBreve reflexão sobre a escola e os alunos com diferenças
Breve reflexão sobre a escola e os alunos com diferenças
Eduardo Pizarro
 
Educação especial e inclusiva
Educação  especial e inclusivaEducação  especial e inclusiva
Educação especial e inclusiva
Michelle Lima
 
APOSTILA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
APOSTILA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdfAPOSTILA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
APOSTILA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
Andrea491870
 
História da Educação Especial no Brasil.pptx
História da Educação Especial no Brasil.pptxHistória da Educação Especial no Brasil.pptx
História da Educação Especial no Brasil.pptx
Lúcia Helena Gonçãlves MARTINS
 
Mantoan, maria tereza égler, integracao de pessoas com defi
Mantoan, maria tereza égler, integracao  de pessoas com defiMantoan, maria tereza égler, integracao  de pessoas com defi
Mantoan, maria tereza égler, integracao de pessoas com defi
marcaocampos
 

Semelhante a Inclusão Social (20)

Os tipos de inclusões e exclusões brasileiras
Os tipos de inclusões e exclusões brasileirasOs tipos de inclusões e exclusões brasileiras
Os tipos de inclusões e exclusões brasileiras
 
Projeto de pesquisa Inclusão social na educação.
Projeto de pesquisa Inclusão social na educação.Projeto de pesquisa Inclusão social na educação.
Projeto de pesquisa Inclusão social na educação.
 
inclusão social das pessoas com deficiência
inclusão social das pessoas com deficiência inclusão social das pessoas com deficiência
inclusão social das pessoas com deficiência
 
Transtornodedesenvolvimento
TranstornodedesenvolvimentoTranstornodedesenvolvimento
Transtornodedesenvolvimento
 
Ppi educaãƒâ§ãƒâ£o inclusiva-2
Ppi  educaãƒâ§ãƒâ£o inclusiva-2Ppi  educaãƒâ§ãƒâ£o inclusiva-2
Ppi educaãƒâ§ãƒâ£o inclusiva-2
 
Tcc pos ok educação especial
Tcc pos ok   educação especialTcc pos ok   educação especial
Tcc pos ok educação especial
 
Tcc pos ok educação especial
Tcc pos ok   educação especialTcc pos ok   educação especial
Tcc pos ok educação especial
 
Decreto De Madri - 2002
Decreto De Madri - 2002Decreto De Madri - 2002
Decreto De Madri - 2002
 
Crianças e Adolescentes com Deficiência: Atualização - Sociedade Brasileira d...
Crianças e Adolescentes com Deficiência: Atualização - Sociedade Brasileira d...Crianças e Adolescentes com Deficiência: Atualização - Sociedade Brasileira d...
Crianças e Adolescentes com Deficiência: Atualização - Sociedade Brasileira d...
 
metodologia_do_ensino_da_educacao_especial___apostila_unidade_01.pdf
metodologia_do_ensino_da_educacao_especial___apostila_unidade_01.pdfmetodologia_do_ensino_da_educacao_especial___apostila_unidade_01.pdf
metodologia_do_ensino_da_educacao_especial___apostila_unidade_01.pdf
 
Convenção comentada art
Convenção comentada artConvenção comentada art
Convenção comentada art
 
3psicologia objetos-metodos-e-implicacoes-para-a-educacao
3psicologia objetos-metodos-e-implicacoes-para-a-educacao3psicologia objetos-metodos-e-implicacoes-para-a-educacao
3psicologia objetos-metodos-e-implicacoes-para-a-educacao
 
PORTIFÓLIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA 1º PERÍODO.
PORTIFÓLIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA 1º PERÍODO.PORTIFÓLIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA 1º PERÍODO.
PORTIFÓLIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA 1º PERÍODO.
 
Educação inclusiva compreende a educação especial
Educação inclusiva compreende a educação  especialEducação inclusiva compreende a educação  especial
Educação inclusiva compreende a educação especial
 
Bases legais educação inclusiva
Bases legais educação inclusivaBases legais educação inclusiva
Bases legais educação inclusiva
 
Breve reflexão sobre a escola e os alunos com diferenças
Breve reflexão sobre a escola e os alunos com diferençasBreve reflexão sobre a escola e os alunos com diferenças
Breve reflexão sobre a escola e os alunos com diferenças
 
Educação especial e inclusiva
Educação  especial e inclusivaEducação  especial e inclusiva
Educação especial e inclusiva
 
APOSTILA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
APOSTILA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdfAPOSTILA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
APOSTILA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
 
História da Educação Especial no Brasil.pptx
História da Educação Especial no Brasil.pptxHistória da Educação Especial no Brasil.pptx
História da Educação Especial no Brasil.pptx
 
Mantoan, maria tereza égler, integracao de pessoas com defi
Mantoan, maria tereza égler, integracao  de pessoas com defiMantoan, maria tereza égler, integracao  de pessoas com defi
Mantoan, maria tereza égler, integracao de pessoas com defi
 

Inclusão Social

  • 2. Sistema de Ensino Presencial Conectado Serviço Social Gutembergue do Nascimento Gomes Isabela Antonia Rodrigues Ferreira Joana Cristina de Castro Sousa João Wesley Rezende Bezerra Russilanne Alves de Moura Rodrigues 2017.2
  • 3. O que é Inclusão Social?  É o conjunto de meios e ações que combatem a exclusão aos benefícios da vida em sociedade, provocadas pelas diferenças de classe social, educação, idade, deficiência , gêneros, preconceito social ou preconceito racial. Um termo amplo, utilizado em contextos diferentes, em referência a questões sociais variadas.  Nesse sentido, para estabelecer uma ação de inclusão social, primeiramente é necessário observar e identificar quais seriam aqueles que estariam sistematicamente excluídos da sociedade, ou seja, que não gozam dos seus benefícios e direitos básicos, como saúde, educação, emprego, renda, lazer, cultura, entre outros. Inclusão Social é oferecer oportunidades de acesso a bens e serviços a todos.
  • 5. Jogos Paraolímpicos  As Paraolimpíadas são o equivalente das Olimpíadas tradicionais. Porém ocorre a participação somente de atletas com deficiências físicas e sensoriais (exemplos: amputações, cegueira e paralisia cerebral) e deficientes mentais. As modalidades são adaptadas (tempo, quadras, equipamentos, pistas) às necessidades físicas dos atletas. Estes jogos mostram que, apesar da deficiência física, estas pessoas conseguem se dedicar aos esportes em nível profissional. É um exemplo de integração e inclusão social e esportiva para os portadores de necessidades especiais. Os Jogos Paraolímpicos são organizados pelo Comitê Paraolímpico Internacional com sede em Bonn (Alemanha)
  • 6.  Dentre os esportes no evento, encontram-se: voleibol, vela, tiro com arco, tiro, tênis de mesa, tênis, rúgbi, natação, judô, levantamento de peso, futebol de 5 e de 7, esgrima, hipismo, ciclismo, bocha, basquetebol e atletismo.  As Paraolimpíadas foram organizadas pela primeira vez em 1960 e aconteceram na cidade de Roma (Itália). Organizada pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), esta primeira edição teve competições dos seguintes esportes: esgrima, basquete, atletismo, tênis de mesa e arco-e- flecha. Um exemplo de força de vontade e perseverança para todos nós.
  • 7. Barreiras da Inclusão Social  Em um mundo cheio de incertezas, o homem está sempre em busca de sua identidade e almeja se integrar à sociedade na qual está inserido. Há, no entanto, muitas barreiras para aqueles que são portadores de deficiência, em relação a este processo de inclusão. Geralmente, as pessoas com deficiência ficam à margem do convívio com grupos sociais, sendo privados de uma convivência cidadã.  Apesar de atualmente a maioria dos países apresentar alguma legislação que assegura os direitos de todos os cidadãos igualmente, poucas sociedades estão preparadas para exercer a inclusão social em plenitude. Pessoas com dificuldades de locomoção enfrentam barreiras para utilizar os transportes públicos e para ter acesso a prédios públicos, inclusive escolas e hospitais.
  • 8.  No Brasil, a Lei Federal n° 7853, de 24 de outubro de 1989, assegura os direitos básicos dos portadores de deficiência. Em seu artigo 8º constitui como crime punível com reclusão (prisão) de 1 a 4 anos e multa, quem: 1. Recusar, suspender, cancelar ou fazer cessar, sem justa causa, a inscrição de aluno em estabelecimento de ensino de qualquer curso ou grau, público ou privado, porque é portador de deficiência. 2. Impedir o acesso a qualquer cargo público porque é portador de deficiência. 3. Negar trabalho ou emprego, porque é portador de deficiência. 4. Recusar, retardar ou dificultar a internação hospitalar ou deixar de prestar assistência médico-hospitalar ou ambulatória, quando possível, a pessoa portadora de deficiência.
  • 9. Inclusão Social de pessoas com deficiência no Brasil  Através da Lei 839, de 1857, dom Pedro II fundou o "Imperial Instituto dos Surdos- mudos". Em 1957, passou a denominar-se Instituto Nacional de Educação de Surdos. E assim sendo necessária a inclusão de portadores de deficiência em escolas regulares.  A inclusão social orientou a elaboração de políticas e leis na criação de programas e serviços voltados ao atendimento das necessidades especiais de deficientes nos últimos 50 anos. Este parâmetro consiste em criar mecanismos que adaptem os deficientes aos sistemas sociais comuns e, em caso de incapacidade por parte de alguns deles, criar- lhes sistemas especiais em que possa participar ou tentar acompanhar o ritmo dos que não tenham alguma deficiência específica. Tem sido prática comum deliberar e discutir acerca da inclusão de pessoas com algum tipo de deficiência mencionando direitos inerentes a uma deficiência específica, ou então abrangendo-os de forma generalizada, sem distinguir entre os diferentes tipos de deficiência.
  • 10. Papel do Professor na Inclusão Social  Para o professor desenvolver boas práticas inclusivas, devem se fazer algumas perguntas: 1. As aulas são acessíveis a todos os estudantes? Os materiais curriculares contemplam os diferentes contextos e culturas do alunos? A linguagem usada em sala de aula é acessível a todos? 2. Os alunos são estimulados a ouvir opiniões diferentes? O currículo estimula o entendimento das diferenças de cultura, gênero, deficiência, religiões, etc? 3. Os professores preocupam-se em apoiar a aprendizagem e participação de todos os alunos? Eles reconhecem a importância de tratar a todos os alunos com equidade? Os professores procuram desenvolver nos alunos a independência e autonomia? 4. Os profissionais de apoio preocupam-se com a participação de todos?
  • 11. Possíveis respostas para alguns dos questionamentos acima  A instituição escolar inclusiva tem o papel de adaptar-se ao aluno e não o oposto. Entende-se, por educação inclusiva, a adaptação do currículo escolar regular para crianças com necessidades educacionais especiais (NEE). Esse processo de educação inclusiva escolar deve ser compartilhado por todos: educadores, familiares, políticos e comunidade em conjunto para o sucesso efetivo.  A nossa sociedade é formada por diversas pessoas com diferentes crenças, culturas e valores. É perfeitamente normal, no âmbito escolar, a diversidade, então é exigido, do professor, que saiba lidar com a mesma, reconhecendo, no aluno, suas virtudes e facilidades e não as dificuldades, dando ao aluno com necessidades educacionais especiais as mesmas responsabilidades que os demais alunos a fim de construir um conhecimento único entre todos, tornando, assim, a educação igual para todos.
  • 12. Conclusão  Infelizmente estamos em uma sociedade em que, apesar de ser democrática, segue sim a ditadura. A ditadura da beleza, da magreza, da moda, do estereótipo. Com isso as pessoas que não são exatamente como esses padrões exigem, são descriminadas da sociedade. Se não for bonito, bem arrumado, magro, sem nenhuma deficiência, a maioria das pessoas olhará com olhos de nojo, deboche, raiva, orgulho. Por esses motivos a inclusão social se dificulta. Sem contar a falta de acesso e suporte para as pessoas com necessidades especiais. É preciso deixar de lado essas ditaturas, e abrir o coração para o seu lado humano, o lado coração. Devemos demonstrar afeto e simpatia para todos aqueles que precisam. O deficiente não é limitado, o que o limita é o espaço onde ele está.
  • 13. Referências  http://brasilescola.uol.com.br/educacao/inclusao-social.htm  http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/educacao/inclusao-social.htm  https://www.infoescola.com/sociologia/inclusao-social/  https://pt.slideshare.net/rprota/incluso-social  https://pt.wikipedia.org/wiki/Inclus%C3%A3o_social  http://clubederedacao.com.br/inclusao-social-no-brasil-realidade-ou-teoria/  http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm