SlideShare uma empresa Scribd logo
Professor André Caiado A Catedral de São Basílio, é uma catedral ortodoxa russa erguida na Praça Vermelha em
Moscou, Rússia, entre 1555 e 1561
• Depois da Revolução de Outubro, o antônimo ideológico do vermelho passou a
ser o branco. Foram os exércitos Vermelho e Branco que travaram, entre 1918 e
1920, a guerra civil, durante a qual o Exército Branco, ou seja, o Exército regular
russo, foi vencido e expulso para além das fronteiras do país. - Fé Cristã.
• Pelas associações feitas na língua russa, o azul claro passou a ser uma tonalidade
autônoma e ganhou até mesmo uma palavra própria: “golubói”.
Tradicionalmente, estava ligada à aristocracia, cujos representantes tinham
“sangue azul”.
• Para os russos, a cor mais viva e positiva é o vermelho. Tanto é que a palavra
russa “krássni” (vermelho) tem a mesma raiz de “krassívi” (bonito). Como se
sabe, o ponto mais importante de Moscou é a Praça Vermelha (“Krássnaia”, em
russo), embora não tenha sido batizada assim pela sua cor, mas por sua inegável
beleza – motivo pelo que seria mais justo chamá-la de “Praça Bonita”. - Sangue
Império Russo, URSS e Rússia
Era de Ouro de Kiev
• Nos séculos X e XI, o Principado de Kiev tornou-se um dos maiores e
mais prósperos Estados da Europa. Os reinados de Vladimir, o Grande
(980-1015), e de seu filho, Yaroslav I, o Sábio (1019-1054),
constituíram a "Era de Ouro de Kiev", quando o cristianismo ortodoxo
de Bizâncio foi assimilado pelo povo e quando o primeiro código legal
escrito dos eslavos do leste foi criado, o Russkaya Pravda.
O Fim do Principado
Por fim, o Principado de Kiev se desintegrou com o golpe final que foi a
invasão mongol de 1237-1240, que resultou na destruição de Kiev e na
morte de cerca de metade da população do Principado. A elite mongol
invasora, juntamente com seus súditos turcos conquistados.
Dmitry Donskoy
Liderado pelo príncipe Dmitry
Donskoy de Moscou e ajudado pela
Igreja Ortodoxa Russa, um exército
unido dos principados russos
infligiram uma derrota marcante
contra os mongóis-tártaros na
Batalha de Kulikovo, em 1380.
Moscóvia gradativamente absorveu
os principados circundantes,
incluindo antigos e fortes rivais, como
Tver e Novgorod.
Ivã III
Ivã III , finalmente se livrou do
controle da Horda de Ouro,
consolidou todo o centro e norte
do Russia sob o domínio de
Moscóvia e foi o primeiro a
assumir o título de "Grão-
Duque da Rússias". Depois da
queda de Constantinopla em
1453, Moscóvia reivindicou
sucessão ao legado do Império
Romano do Oriente. Ivã III casou
com Sofia Paleóloga, a sobrinha
do último imperador bizantino.
O Fim da Dinastia
No desenvolvimento das ideias da Terceira Roma, o Grão-Duque Ivã IV
"Terrível" foi oficialmente coroado o primeiro czar ("César") da Rússia em
1547. O czar promulgou um novo código de leis (Sudebnik), estabeleceu o
primeiro órgão representativo feudal russo (o Zemsky Sobor) e introduziu a
auto-gestão local nas regiões rurais. A morte dos filhos de Ivã marcou o fim da
antiga Dinastia Rurikovitch em 1598, combinada com a fome, levou a nação a
uma guerra civil.
Império Russo
Sob o governo de Pedro, o Grande, a Rússia foi proclamada um império em
1721 e passou a ser reconhecido como uma potência mundial. Durante seu
governo entre 1682 e 1725, Pedro derrotou a Suécia na Grande Guerra do
Norte, forçando-a a ceder a Carélia e a Íngria (duas regiões que os russos
perderam durante o Tempo das Dificuldades).
Catarina a Grande
A czarina Catarina, a Grande
continuou o trabalho de
Pedro, derrotando a Polônia e
anexando a Bielorrússia e a
Ucrânia, outrora a nação
fundadora daquele Império.
Catarina assina um acordo
com o reino da Geórgia de
modo a evitar invasões do
Império Otomano, e a
Geórgia passa a ser protegida
militarmente pela Rússia.
Catarina, A grande.
• Dividiu o território russo em 44 províncias e foram criados distritos em cada uma
delas, nos quais a nobreza formava uma assembleia para governá-los, além de obter
vários privilégios.
• Trocava constantemente correspondências com os filósofos franceses Diderot e
Voltaire, e buscou incentivar o conhecimento, como a construção da Universidade de
Moscou, em 1783.
• Ainda criou leis diminuindo o uso da tortura e da pena de morte, permitiu a
liberdade de culto, secularizou ainda algumas propriedades eclesiásticas em proveito
do Estado e passou a manter conventos e igrejas.
• No âmbito militar, conduziu guerras com vários reinos para conseguir acesso ao mar,
o que conseguiu em 1772, resultando na conquista de territórios e na aproximação
com a Europa Central. Contra o Império Turco-Otomano realizou duas guerras, entre
1768 e 1785, nas quais incorporou às fronteiras do Império Russo a costa
setentrional do Mar Negro e a península da Criméia.
A Derrota de Napoleão
• Em 1812, a grande armada de Napoleão entra em
Moscovo, mas vê-se forçada a abandoná-la, já que a
cidade havia sido evacuada e estava vazia. Os russos
(Alexandre I) tinham preparado uma armadilha contra o
imperador francês. O frio e a falta de recursos foram
responsáveis pela morte de 95% das tropas francesas.
Nicolau I e Alexandre II
O atraso da Rússia na ascensão de Nicolau I (1825-1855) - Irmão de Alexandre
I - em relação a Europa foi estarrecedor, mais Alexandre II (filho) no
comandando do País (1855-1881) cria reformas que vão fazer com que a
Rússia consiga um maior desenvolvimento.
Alexandre III e Nicolau II
O final do século XIX viu o surgimento de vários movimentos socialistas na
Rússia. Alexandre II foi assassinado em 1881 por terroristas revolucionários e o
filho, Alexandre III (1881-1894), foi mais tranquilo. O último imperador russo,
Nicolau II (1894-1917), foi incapaz de evitar que os acontecimentos da
Revolução Russa de 1905, desencadeada pela derrota na Guerra Russo-
Japonesa.
Domingo Sangrento
Foi um massacre que aconteceu em 22 de janeiro (de acordo com o antigo
calendário, 9 de janeiro) de 1905 na cidade de São Petersburgo, no Império
Russo, onde manifestantes pacíficos marcharam até o Palácio de Inverno para
apresentar uma petição ao czar Nicolau II e foram baleados pela Guarda Imperial.
O levante surte efeito
O levante foi controlado, mas o governo foi forçado a admitir grandes
reformas, incluindo a concessão das liberdades de expressão e de
reunião, a legalização dos partidos políticos, bem como a criação de um
órgão legislativo eleito, a Duma do Império Russo.
Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918)
Império russo (Tríplice Entente) x Tríplice Aliança.
1917 – Revolução Russa.
Mencheviques e os Bolcheviques
As sucessivas derrotas durante a Primeira Guerra
Mundial e o descontentamento geral da população
fizeram com que a economia interna começasse a
deteriorar-se. Nesta ocasião, emergem os Sovietes
(do russo: сове́т) - são colegiados, ou corpos
deliberativos, constituídos de operários ou membros
da classe trabalhadora que regulam e organizam a
produção material de um determinado território, ou
mesmo indústria - e o Partido Operário
Socialdemocrata Russo, fundado em 1898, e
posteriormente dividido entre os mencheviques e os
bolcheviques, dois termos análogos a minoria
(меньше) e maioria (больше), em russo.
Revolução de Fevereiro
Este quadro político-social foi profundamente alterado pela deflagração da
Primeira Guerra Mundial. A Revolução de Fevereiro de 1917 caracterizou a
primeira fase da Revolução Russa. A consequência imediata foi a abdicação do
czar Nicolau II. Ela ocorreu como resultado da insatisfação popular com a
autocracia czarista e com a participação negativa do país na Primeira Guerra
Mundial.
Revolução de Outubro
A Revolução de Outubro na Rússia, também conhecida como Revolução
Bolchevique ou Revolução Vermelha, foi a segunda fase da Revolução Russa de
1917, depois da Revolução de Fevereiro do mesmo ano. Começou com o golpe
de estado, liderado por Vladimir Lenin e pelos bolcheviques, contra o governo
provisório, em 25 de outubro de 1917.
Saída da 1º guerra mundial
Após a Revolução de Outubro, uma guerra
civil eclodiu entre o Exército Branco, que
era anticomunista, e o novo regime
soviético com o seu Exército Vermelho. A
Rússia bolchevista perdeu seus territórios
ucranianos, poloneses, bálticos e
finlandeses ao assinar o Tratado de Brest-
Litovsk, que acabou com as hostilidades
com as Potências Centrais da Primeira
Guerra Mundial.
URSS - 1922
A República Socialista Federativa Soviética Russa em
conjunto com as Repúblicas Socialistas Soviéticas da
Ucrânia, Bielorrússia e Transcaucásia, formaram a
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS),
ou simplesmente União Soviética, em 30 de
dezembro de 1922. A República Socialista Russa era
a maior e mais populosa das 15 repúblicas que
compunham a URSS.
Josef Stalin
Após a morte de Lenin, em 1924, uma troca foi designada para
governar a União Soviética. No entanto, Josef Stalin, o então secretário-
geral do Partido Comunista, conseguiu suprimir todos os grupos de
oposição dentro do partido e consolidar o poder em suas mãos. Leon
Trotsky, foi exilado da União Soviética em 1929 e a ideia de Stalin de
"socialismo em um só país".
Era Stalin
Sob a liderança de Stalin, o governo lançou promoveu uma economia
planificada, a industrialização do país. Durante este período de rápida
mudança econômica e social, milhões de pessoas foram enviadas para
campos de trabalho forçado, incluindo muitos presos políticos que se
opunham ao governo de Stalin.
A paz Provisória
A política de apaziguamento promovida pelo Reino Unido e França
sobre a anexação da Áustria e a invasão da Tchecoslováquia ampliou
o poder da Alemanha nazista e colocou uma ameaça de guerra entre
o regime de Adolf Hitler e a União Soviética. Na mesma época, o
Terceiro Reich aliou-se ao Império do Japão, um rival dos soviéticos
no Extremo Oriente e um inimigo declarado da URSS.
A invasão da URSS
Em 22 de junho de 1941, a Alemanha nazista rompeu o tratado de não-
agressão e invadiu a União Soviética, com a maior e mais poderosa força de
invasão na história humana e a abertura do maior teatro da Segunda Guerra
Mundial. o ataque foi interrompido na Batalha de Moscou, seu exercito
duramente derrotado pelo frio e a fome.
URSS toma Berlim
Sob a administração de Stalin e a liderança de comandantes como Georgy
Zhukov e Konstantin Rokossovsky, as forças soviéticas chegaram à Europa
Oriental entre 1944 e 1945 e tomaram Berlim em maio de 1945.
GUERRA FRIA
FINAL DA SEGUNDA GUERRA:
- enfraquecimento das grandes potências européias
- emergência de duas grandes potências (Bipolaridade):
EUA/Capitalista X URSS/Comunista
Conferência de Bretton Woods
• Essa conferência ocorreu em 1944, nos Estados Unidos,
• instauração do dólar como moeda mundial, definindo uma nova ordem
econômica.
• Poder Norte Americano
• Nessa mesma conferência, foram criados o FMI (Fundo Monetário
Internacional), Bird (Banco Mundial) e o Gatt que em 1995 foi substituído
pela OMC (Organização Mundial do Comércio).
CONFERÊNCIAS:
→ YALTA = EUA (Roosevelt) – URSS (Stalin) – Inglaterra (Churchill)
- consolidação do domínio da URSS sobre o leste europeu
→ POTSDAM = divisão da Alemanha e de Berlim em quatro zonas de ocupação
(URSS, EUA, França, Inglaterra)
→ SÃO FRANCISCO = Organização das Nações Unidas (ONU) substitui a fracassada
Liga das Nações, visando garantir a paz mundial e lutar pelo fim das misérias do
mundo...
(FMI, FAO, UNICEF, BIRD, OTI, UNESCO)
• FMI = Fundo Monetário Internacional
• FAO = Food and Agriculture Organization
• UNICEF = Fundo das nações unidas para a infância
• BIRD = Banco Internacional para Reconstrução e
Desenvolvimento
• OIT = Organização Internacional do Trabalho
• UNESCO = Organização das N.U. para a Educação, a
ciência e a Cultura
Império Russo, URSS e Rússia
ANOS 1940 – 1950 – “Guerra Fria Clássica”
→ Plano Marshall = reconstrução da Europa e Japão, barrar o
avanço comunista
→ Doutrina Truman = EUA como defensores do “mundo livre” –
OTAN 1949
→ Pacto de Varsóvia = URSS
→ URSS destruída, com sérias dificuldades internas + pressão
das potências capitalistas = fechamento da URSS ao mundo
capitalista (isolamento)
→ “Estado de Bem Estar Social” no mundo capitalista,
principalmente na Europa
Império Russo, URSS e Rússia
CORRIDA ARMAMENTISTA
1949 – URSS = bomba atômica
1952 – EUA = bomba de Hidrogênio
1953 – URSS = bomba de Hidrogênio
Império Russo, URSS e Rússia
CORRIDA ESPACIAL
• 1957 – URSS = 1° satélite artificial no espaço (Sputnik),
• Sputnik II - 1° ser vivo (Laika)
• 1958 – EUA = E X P L O R E R I
• 1961 – URSS = 1° homem no espaço (Yuri Gagarin)
• 1969 – EUA = chegada do homem à lua (Apolo XI)
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
→ MacCarthysmo nos EUA = “Caça às Bruxas” – anos
50...
→ Guerra da Coréia = divisão do país (Norte comunista,
Sul capitalista) – 1950/53...
→ 1953 = morte de Stálin, ascensão ao poder de NIKITA
KRUSCHEV, que passou a atacar o período stalinista,
levando a URSS a um processo de “desestalinização” e
aproximação diplomática com os EUA
Império Russo, URSS e Rússia
Divisão da Coréia
• Divisão da Coréia entre as duas superpotências, em 1945 (o Norte
pró-socialista, e o Sul pró-capitalista), esse fato acabou gerando uma
guerra nesse país entre 1950 e 1953.
• Resultado foi uma grande quantidade de coreanos mortos e a região
dividida
Império Russo, URSS e Rússia
ANOS 1960 – 1970 = “Coexistência
Pacífica” (Distensão / Détente)
→ possibilidade de auto-aniquilação...
1961 – Construção do Muro de Berlim...
1962 – Crise dos Mísseis (Cuba)
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
→ Guerra do Vietnã (1964-1975) – vitória do Norte
Comunista
→ Protestos contra a Guerra, contra-cultura (EUA)
→ Protestos nas repúblicas da URSS, reprimidos
→ Questão Racial nos EUA
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
ANOS 1980 – CRISE DO BLOCO SOVIÉTICO -
REFORMAS
1985 – chega ao poder Mikhail Gorbatchev
→ PERESTROIKA – abertura econômica
→ GLASNOST – “transparência de atitudes”,
reforma política
→ movimentos reformistas e separatistas em diversos
países
1989 – queda do Muro de Berlim
1990/91 – regimes pluripartidários, eleições livres,
desmembramento, fim da URSS
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
Comunidade dos estados independentes
CEI (COMUNIDADES DOS ESTADOS INDEPENDENTES)
• Criada em 1991, a Comunidade dos Estados Independentes (CEI)
constitui-se num bloco político-econômico que reúne 12 das 15
repúblicas que formavam a antiga União das Repúblicas Socialistas
Soviéticas (URSS).
PAISES MEMBROS
• Países-Membros da CEI: Armênia, Belarus, Cazaquistão, Federação
Russa, Moldávia, Quirquistão, Tadjiquistão, Turcomenistão, Ucrânia,
Uzbequistão, desde 1991, e Geórgia e Azerbaidjão, a partir 1993.
CARACTERISTICAS
• A CEI, com uma população de 273,7 milhões de habitantes, está
organizada em uma confederação de Estados, que preserva a
soberania de cada um. A Comunidade prevê a centralização de Forças
Armadas e o uso de uma moeda comum: o Rublo. Seu PIB é estimado
em US$ 587,8 bilhões.
OBJETIVOS
• Criar uma federação no lugar do antigo regime autoritário-soviético,
centralizado pelo governo de Moscou.
• Desde sua fundação, a CEI tem se caracterizado pelas disputas entre
os estados membros e o não cumprimento dos acordos escritos.
Segundo os primeiros acordos, as repúblicas tinham o direito de
possuir suas próprias forças armadas ou unidades de guarda
nacional.
MAPA LOCALIZANDO A CEI
CURIOSIDADES DA CEI - JOGOS OLIMPICOS DE VERÃO
• Com o desmembramento da URSS em 1991, as ex-repúblicas soviéticas
(exceto Lituânia, Estônia e Letônia) participaram dos Jogos Olímpicos de
1992 como Equipe Unificada (Comunidade dos Estados Independentes).
A CEI ficou em primeiro lugar no quadro de medalhas em sua primeira e
única participação nos Jogos Olímpicos de Verão. Os atletas da Equipe
Unificada conquistaram 112 medalhas (45 medalhas de ouro, 38
medalhas de prata e 29 medalhas de bronze). Nas olimpíadas de 1996
as 12 nações competiram em separado.
• A Equipe Unificada competiu com a bandeira olímpica e não a bandeira
da CEI.
• A ex-república da Geórgia competiu pela Equipe Unificada antes de
ingressar na CEI, que ocorreu apenas em 1993.
Analise as informações do quadro.
Fonte: Veja. São Paulo: Abril, 12 jan. 2000. p. 52. / L’état du monde, 2007/ André Gamblin (dir.). Images economiques du monde. Paris: Armand Colin, 2004.
Rússia – potência geopolítica
Federação Russa nome oficial da Rússia
Colcha de retalhos herdada do império czarista e da
antiga União Soviética.
Em seu território convivem 80
grupos étnicos distintos.
É formada por:
• 21 repúblicas;
• 1 região autônoma;
• 49 regiões administrativas;
• 6 províncias;
• 10 distritos autônomos;
• 2 cidades com status administrativo especial – Moscou e
São Petersburgo.
Detém o segundo maior arsenal nuclear do mundo.
• Dispõe de enorme área territorial.
• Concentra grande quantidade de recursos minerais.
Tem ainda, um peso geopolítico e histórico importante.
Reforçados pela expansão econômica.
Um dos fatores fudamentais são as enormes
receitas obtidas com as exportações de petróleo.
Verificada a
partir do início
deste século.
Fonte: Folha de S.Paulo. São Paulo, 8 out. 2006. p. A-39.
Porcentagem de gás importado da Rússia (2005)
Veja na tabela a dependência de alguns países
europeus em relação à importação do gás russo.
Diversas potências europeias e mesmo os EUA
dependem do petróleo e do gás natural russos.
Os fornecedores de petróleo e de gás
natural para a Europa são países da CEI
que estão na esfera de influência
política e econômica da Rússia.
O gás natural tem um papel
fundamental nos países onde
o inverno é rigoroso.
Por seu peso político-militar e pela influência que exerce na
geopolítica mundial, a Rússia passou a integrar:
o grupo dos países mais ricos do
mundo (G-7) como membro pleno,
formando, assim, o G-8.
Desde meados
de 2002.
As principais rotas de fornecimento de gás natural
da Rússia e da CEI para a Europa
Fonte: Folha de S.Paulo. São Paulo, 3 jan. 2006. p.A-9.
Os problemas da transição na Rússia
A transição da economia planejada para a economia de
mercado proporcionou uma série de mudanças.
Esse caminho rumo ao capitalismo ocasionou
uma queda na produção industrial e
o aumento da inflação, que atingiu o
índice de 36,5% em 1999.
Nos anos 1990.
Mendigos na cidade de Moscou, na Rússia
(2006).
NikolskyAlexei/ITAR-TASS/Corbis/LatinStock
O crescimento econômico, nos
anos de intensas
transformações nas estruturas
política, social e econômica do
país, foi muito baixo.
Entre 1992 e 2002, a média
anual de crescimento do PIB foi
negativa (-0,9%).
Tal situação, associada à concentração de riquezas nas mãos de
poucas pessoas, contribuiu para uma piora nas condições de vida da
maior parte da população.
Uma série de fatores acentuou a crise nesses anos:
• o crescente déficit público;
• a incapacidade de aumentar a arrecadação de impostos;
• a queda do preço do petróleo no mercado internacional durante a maior
parte da década de 1990;
• a grande corrupção da administração pública e o crescimento dos negócios
controlados pelo crime organizado.
Essa frase culminou com a declaração da suspensão momentânea do
pagamento da dívida externa do país, em 1998.
Anos 1990
Marcados pelo prolongamento da crise econômica na Rússia.
Shopping center de luxo, em Moscou (2001).
DaveG.Houser/Corbis/LatinStock
A transição para o capitalismo transformou a Rússia em uma nova fronteira para
a expansão do capital financeiro e em um mercado emergente.
Situação que provocou a dependência de capitais externos.
Os preços do petróleo e do gás natural subiram
significativamente em boa parte dos anos da primeira
década do século XXI.
Cerca de 80% das exportações russas referem-se a quatro itens:
• alguns metais;
• madeira;
• petróleo;
• gás natural.
Entre 2001 e 2007, o crescimento do PIB superou a
marca dos 6,5%, em média, por ano.
Com isso, a economia também apresentou expressiva
recuperação.
A sociedade russa também passou por uma grande transformação
devido:
• ao aumento das desigualdades econômicas;
• ao acúmulo de riquezas por parte de uma pequena elite.
Em 2005, o Banco Mundial estimava que
20% da população russa viviam abaixo
da linha oficial de pobreza.
Em 2007, as reservas internacionais da Rússia atingiram a marca dos
410 bilhões de dólares.
Devido aos saldos amplamente favoráveis na balança
comercial.
A Comunidade dos Estados Independentes
A estrutura da CEI tem se revelado frágil. O que pode ser
comprovado pela análise:
• de seus problemas econômicos e sociais;
• dos conflitos nacionalistas;
• das disputas étnicas;
• do receio causado pela supremacia russa.
Indicadores sociais dos países da CEI - 2005
Fontes: L’état du monde, 2007 / Pnud. Relatório de Desenvolvimento Humano, 2007/2008.
Comunidade dos Estados Independentes (CEI) – Divisão política
Fonte: André Gamblin (dir.). Images economiques du monde. Paris: Armand Collin, 2004 (adaptado).
Obs: a Geórgia deixou a CEI em 2008 e o Turcomenistão participa
como membro-associado, desde 2005
fazendo com que as repúblicas recebessem pessoas
de diversas nacionalidades, é em parte, a causa
desses problemas étnicos.
As rivalidades étnicas nos países da CEI constituem um grande foco de
instabilidade política e social. Sobretudo na Rússia, que conta com dezenas
de grupos étnicos em seu território.
A questão dos nacionalismos tem causado violentos combates
no interior das ex-repúblicas.
A migração forçada promovida por Stálin nas décadas de 1930
e 1940.
Há sérios empecilhos à concretização da cooperação entre os
países:
• o baixo nível de desenvolvimento econômico e social;
• o número reduzido de regimes democráticos de governo;
• as disparidades entre o nível de desenvolvimento
econômico e o volume de comércio exterior de cada um desses
países;
• a preocupação da Rússia em conter o avanço do
fundamentalismo islâmico na região da Ásia Central.
SergeiSupinsky/AFP/GettyImages
A.Farnsworth/AgeFotoStock/Keystone
Kiev, capital da Ucrânia (2008).
Kiev, capital da
Ucrânia, às
margens do rio
Dnieper.
W. Robert Moore/ National Geographic/Getty Images
Pat O’Hara/Corbis
Tbilise, capital da Geórgia,
às margens do rio Kura.
Moscou, Rússia, no
inverno de 2002.
Yann Arthus-Bertrand/Corbis
Cedoc
Catedral de São Basílio, Moscou. Trata-se
de uma igreja católica ortodoxa, religião
predominante na Rússia.
Vista área de taiga, próximo à
cidade de Tjumen, na Rússia.
Rússia Natureza
A maior parte desse imenso território localiza-se ao norte do paralelo de
45 °N, o que lhe proporciona um clima bastante rigoroso, com médias
térmicas sempre abaixo de 0 ºC no inverno.
O espaço geográfico ocupado é de aproximadamente 17
milhões de km², o que corresponde a mais de 10% das terras
emersas.
É o país mais extenso do globo, sendo cortado por onze
fusos horários.
Rússia – divisão política
Fonte: World Atlas. Londres: Dorling Kindersley, 1999. p. 175 (adaptado).
Do norte ao sul da Rússia, é encontrada uma variedade de
formações vegetais.
• Na região ártica, floresce no verão a tundra, formação vegetal
descontínua e rasteira, representada por líquens e algumas
gramíneas.
A tundra vai sendo gradualmente substituída por árvores
de grande porte, que constituem a taiga, cuja espécie
principal é o pinheiro.
As florestas que cobrem grande parte da Rússia são utilizadas como fonte de
energia, nos locais onde há dificuldade para o abastecimento de gás.
Rússia - Físico
Fonte: World Atlas. Londres: Dorling Kindersley, 1999. p. 175 (adaptado).
A população russa e as questões étnicas
Há também:
• 3,8% de tártaros;
• 3% de ucranianos;
• 0,8% de bielo-russos;
• 0,6% de alemães;
• e outros em menor número.
A grande diversidade étnica e os
desejos de independência por
parte de algumas repúblicas,
sobretudo no norte do Cáucaso têm
provocado conflitos internos na
Federação Russa.
• O grupo étnico mais representativo da Rússia é o dos russos, que
correspondem a 82% da população.
Acabaram conquistando autonomia para a Tchetchênia, sem, no
entanto, atingir seus objetivos separatistas.
A região do Cáucaso, atravessada por diversos oleodutos, é rica
em petróleo e possui importância estratégica para o poder
central em Moscou.
Meados da década de 1990
Guerrilheiros separatistas da República da
Tchetchênia travaram uma guerra contra o exército
russo para obter a independência.
• Cerca de três quartos da produção de petróleo é
extraída dos poços existentes na Sibéria. O restante provém
da região caucasiana.
• Duas das maiores usinas hidrelétricas do mundo,
Krasnoyarsk (6°) e Bratsk, localizam-se na Rússia, o que reflete o
seu alto potencial energético.
• A produção de carvão concentra-se em Kuzbass, na
Sibéria.
Rússia – Distribuição da população e principais cidades
Fonte: Atlas 2000. La France et le monde. Paris: Nathan, 1999. p. 71 / Leda Ísola; Vera Caldini. Atlas geográfico Saraiva. São Paulo: Saraiva,
2005. p. 78.
A agropecuária e o extrativismo
Os produtos agrícolas mais importantes da Rússia são:
• a beterraba branca, com a qual é produzido o açúcar;
• o trigo, cultivado principalmente nas terras negras, que
ocorrem no sudoeste da parte europeia.
A Rússia é um dos primeiros produtores mundiais de
cevada. Merecem destaque, ainda, as produções de
batata e de linho, do qual se extraem excelentes fibras
têxteis.
O país também é produtor
de um grande volume de
pescado de água doce.
No extrativismo mineral,
sobressaem o minério de
ferro, o carvão e o petróleo,
além do urânio, do níquel e
do diamante.
Na pecuária russa, destacam-se os rebanhos de bovinos e de
ovinos, criados nas regiões de índices pluviométricos mais
baixos.
Há ainda na pesca em alto-mar, onde atuam os “navios-
fábricas”, nos quais o pescado passa por um processo de
industrialização.
Rússia – Regiões industriais
Fonte: Christian Bouvet (or). Géographie. Paris: Hachette Éducation, 1998. p. 299 (adaptado).
Dentre as principais áreas industriais destaca-se:
• São Petersburgo, cujo desenvolvimento industrial é muito
antigo;
• Moscou.
Outros centros industriais que merecem destaque são:
• o de Kuzbass;
• o siderúrgico, em estruturação ao redor do lago Baikal;
• o automobilístico, de Togliatti.
Em razão de problemas de ordem natural
Entre os portos de maior expressão, podemos citar:
• o de Vladivostok, no mar do Japão;
• o de São Petersburgo, no mar Báltico.
Como litorais pouco
recortados e baixos e
mares com águas
congeladas a maior
parte do ano.
A Rússia não dispõe de
grandes portos marítimos.
Observe o cartum.
Santiago
O que o cartunista quis expressar?
ParteintegrantedaobraGeografiahomem&espaço,EditoraSaraiva

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj
Rafael Noronha
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
Joana Melo
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
cattonia
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
José Augusto Fiorin
 
O fim da urss
O fim da urssO fim da urss
O fim da urss
Carlos Vieira
 
Fim da União Soviética
Fim da União SoviéticaFim da União Soviética
Fim da União Soviética
Valéria Shoujofan
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Valéria Shoujofan
 
Rússia
RússiaRússia
Rússia
Jhonatan Max
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Aulas de História
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
Valéria Shoujofan
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
Privada
 
3° ano hebreus, fenícios e persas - antiguidade oriental 3
3° ano   hebreus, fenícios e persas - antiguidade oriental 33° ano   hebreus, fenícios e persas - antiguidade oriental 3
3° ano hebreus, fenícios e persas - antiguidade oriental 3
Daniel Alves Bronstrup
 
A Corrida Espacial
A Corrida EspacialA Corrida Espacial
A Corrida Espacial
Gleidson Luis
 
Guerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolarGuerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolar
Thamires Bragança
 
Revolução Chinesa
Revolução ChinesaRevolução Chinesa
Revolução Chinesa
eiprofessor
 
Fenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasFenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persas
Douglas Barraqui
 
Organizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiaisOrganizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiais
Jane Mary Lima Castro
 
Islamismo
IslamismoIslamismo
Islamismo
Privada
 
O fim da guerra fria e o mundo final
O fim da guerra fria e o mundo finalO fim da guerra fria e o mundo final
O fim da guerra fria e o mundo final
Paulo Gomes
 
Guerra fria aula ppt 9º ano
Guerra fria aula ppt 9º anoGuerra fria aula ppt 9º ano
Guerra fria aula ppt 9º ano
Daniel Rocha Junior
 

Mais procurados (20)

00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
 
O fim da urss
O fim da urssO fim da urss
O fim da urss
 
Fim da União Soviética
Fim da União SoviéticaFim da União Soviética
Fim da União Soviética
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Rússia
RússiaRússia
Rússia
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
 
3° ano hebreus, fenícios e persas - antiguidade oriental 3
3° ano   hebreus, fenícios e persas - antiguidade oriental 33° ano   hebreus, fenícios e persas - antiguidade oriental 3
3° ano hebreus, fenícios e persas - antiguidade oriental 3
 
A Corrida Espacial
A Corrida EspacialA Corrida Espacial
A Corrida Espacial
 
Guerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolarGuerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolar
 
Revolução Chinesa
Revolução ChinesaRevolução Chinesa
Revolução Chinesa
 
Fenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasFenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persas
 
Organizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiaisOrganizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiais
 
Islamismo
IslamismoIslamismo
Islamismo
 
O fim da guerra fria e o mundo final
O fim da guerra fria e o mundo finalO fim da guerra fria e o mundo final
O fim da guerra fria e o mundo final
 
Guerra fria aula ppt 9º ano
Guerra fria aula ppt 9º anoGuerra fria aula ppt 9º ano
Guerra fria aula ppt 9º ano
 

Destaque

Estados Unidos: população e sociedade.
Estados Unidos: população e sociedade.Estados Unidos: população e sociedade.
Estados Unidos: população e sociedade.
Rodrigo Andrade
 
A imigração na Europa
A imigração na EuropaA imigração na Europa
A imigração na Europa
Tiago Araujo Campos
 
Megalópole
MegalópoleMegalópole
Imigração e xenofobia
Imigração e xenofobiaImigração e xenofobia
Imigração e xenofobia
fernandesrafael
 
Imigração nos estados unidos
Imigração nos estados unidosImigração nos estados unidos
Imigração nos estados unidos
jordanmedeiros5
 
Cei e rússia
Cei e rússiaCei e rússia
Cei e rússia
profacacio
 
Slide De Geografia
Slide De GeografiaSlide De Geografia
Slide De Geografia
Rodrigo Garcia
 
Urbanização, rede urbana e metrópoles
Urbanização, rede urbana e metrópolesUrbanização, rede urbana e metrópoles
Urbanização, rede urbana e metrópoles
Professor
 
Rússia e Comunidade dos Estados Independentes -CEI
Rússia e Comunidade dos Estados Independentes -CEIRússia e Comunidade dos Estados Independentes -CEI
Rússia e Comunidade dos Estados Independentes -CEI
Portal do Vestibulando
 
CEI (Comunidade dos Estados Independentes) Trabalho completo
CEI (Comunidade dos Estados Independentes) Trabalho completoCEI (Comunidade dos Estados Independentes) Trabalho completo
CEI (Comunidade dos Estados Independentes) Trabalho completo
Claudinha_Elisa
 
Trabalho sobre os Estados Unidos
Trabalho sobre os Estados UnidosTrabalho sobre os Estados Unidos
Trabalho sobre os Estados Unidos
stronggerlane
 
Urbanizacao
UrbanizacaoUrbanizacao
Urbanizacao
Almir
 

Destaque (12)

Estados Unidos: população e sociedade.
Estados Unidos: população e sociedade.Estados Unidos: população e sociedade.
Estados Unidos: população e sociedade.
 
A imigração na Europa
A imigração na EuropaA imigração na Europa
A imigração na Europa
 
Megalópole
MegalópoleMegalópole
Megalópole
 
Imigração e xenofobia
Imigração e xenofobiaImigração e xenofobia
Imigração e xenofobia
 
Imigração nos estados unidos
Imigração nos estados unidosImigração nos estados unidos
Imigração nos estados unidos
 
Cei e rússia
Cei e rússiaCei e rússia
Cei e rússia
 
Slide De Geografia
Slide De GeografiaSlide De Geografia
Slide De Geografia
 
Urbanização, rede urbana e metrópoles
Urbanização, rede urbana e metrópolesUrbanização, rede urbana e metrópoles
Urbanização, rede urbana e metrópoles
 
Rússia e Comunidade dos Estados Independentes -CEI
Rússia e Comunidade dos Estados Independentes -CEIRússia e Comunidade dos Estados Independentes -CEI
Rússia e Comunidade dos Estados Independentes -CEI
 
CEI (Comunidade dos Estados Independentes) Trabalho completo
CEI (Comunidade dos Estados Independentes) Trabalho completoCEI (Comunidade dos Estados Independentes) Trabalho completo
CEI (Comunidade dos Estados Independentes) Trabalho completo
 
Trabalho sobre os Estados Unidos
Trabalho sobre os Estados UnidosTrabalho sobre os Estados Unidos
Trabalho sobre os Estados Unidos
 
Urbanizacao
UrbanizacaoUrbanizacao
Urbanizacao
 

Semelhante a Império Russo, URSS e Rússia

Rússia
Rússia Rússia
Rússia
Robson Oliveira
 
Da Rússia dos czares à Rússia dos sovietes
Da Rússia dos czares à Rússia dos sovietesDa Rússia dos czares à Rússia dos sovietes
Da Rússia dos czares à Rússia dos sovietes
João Camacho
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
Luciano Emanuel Silva
 
A Rússia e o Leste Europeu
A Rússia e o Leste EuropeuA Rússia e o Leste Europeu
A Rússia e o Leste Europeu
Alisson Alves
 
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacionalA revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
Evonaldo Gonçalves Vanny
 
REVOLUÇÃO RUSSA mudou o curso da história
REVOLUÇÃO RUSSA mudou o curso da históriaREVOLUÇÃO RUSSA mudou o curso da história
REVOLUÇÃO RUSSA mudou o curso da história
Ricardo Diniz campos
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
luizinhovlr
 
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
josafaslima
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
Portal do Vestibulando
 
07 revolucao russa
07   revolucao russa07   revolucao russa
07 revolucao russa
Portal do Vestibulando
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
Portal do Vestibulando
 
Revolução russa 9º anos e 3º anos
Revolução russa 9º anos e 3º anosRevolução russa 9º anos e 3º anos
Revolução russa 9º anos e 3º anos
Íris Ferreira
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
luizinhovlr
 
A revolução russa
A revolução russaA revolução russa
A revolução russa
Martileny Vieira
 
Urss do império russo à desintegração da união soviética
Urss   do império russo à desintegração da união soviéticaUrss   do império russo à desintegração da união soviética
Urss do império russo à desintegração da união soviética
Auder Dias
 
Federação Russa
Federação RussaFederação Russa
Federação Russa
Mauro Friedrich
 
Revolução Russa 1917
Revolução Russa 1917Revolução Russa 1917
Revolução Russa 1917
jp091226
 
História: Revolução russa
História: Revolução russaHistória: Revolução russa
História: Revolução russa
WandersonHP222
 
A Revolução Russa
A Revolução RussaA Revolução Russa
A revolução russa de 1917.em
A revolução russa de 1917.emA revolução russa de 1917.em
A revolução russa de 1917.em
Marco Vinícius Moreira Lamarão'
 

Semelhante a Império Russo, URSS e Rússia (20)

Rússia
Rússia Rússia
Rússia
 
Da Rússia dos czares à Rússia dos sovietes
Da Rússia dos czares à Rússia dos sovietesDa Rússia dos czares à Rússia dos sovietes
Da Rússia dos czares à Rússia dos sovietes
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
A Rússia e o Leste Europeu
A Rússia e o Leste EuropeuA Rússia e o Leste Europeu
A Rússia e o Leste Europeu
 
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacionalA revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
 
REVOLUÇÃO RUSSA mudou o curso da história
REVOLUÇÃO RUSSA mudou o curso da históriaREVOLUÇÃO RUSSA mudou o curso da história
REVOLUÇÃO RUSSA mudou o curso da história
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
07 revolucao russa
07   revolucao russa07   revolucao russa
07 revolucao russa
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Revolução russa 9º anos e 3º anos
Revolução russa 9º anos e 3º anosRevolução russa 9º anos e 3º anos
Revolução russa 9º anos e 3º anos
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
A revolução russa
A revolução russaA revolução russa
A revolução russa
 
Urss do império russo à desintegração da união soviética
Urss   do império russo à desintegração da união soviéticaUrss   do império russo à desintegração da união soviética
Urss do império russo à desintegração da união soviética
 
Federação Russa
Federação RussaFederação Russa
Federação Russa
 
Revolução Russa 1917
Revolução Russa 1917Revolução Russa 1917
Revolução Russa 1917
 
História: Revolução russa
História: Revolução russaHistória: Revolução russa
História: Revolução russa
 
A Revolução Russa
A Revolução RussaA Revolução Russa
A Revolução Russa
 
A revolução russa de 1917.em
A revolução russa de 1917.emA revolução russa de 1917.em
A revolução russa de 1917.em
 

Mais de Andre Caiado

Oriente Médio e alguns confrontos.
Oriente Médio e alguns confrontos.Oriente Médio e alguns confrontos.
Oriente Médio e alguns confrontos.
Andre Caiado
 
China dragão asiático
China   dragão asiáticoChina   dragão asiático
China dragão asiático
Andre Caiado
 
Japão final
Japão finalJapão final
Japão final
Andre Caiado
 
Europa Físico
Europa FísicoEuropa Físico
Europa Físico
Andre Caiado
 
Ásia
Ásia Ásia
Ásia
Andre Caiado
 
Ossetia do sul 9 a Sesc 2016
Ossetia do sul 9 a Sesc 2016Ossetia do sul 9 a Sesc 2016
Ossetia do sul 9 a Sesc 2016
Andre Caiado
 
Catalunha 9 ano A Sesc 2016
Catalunha 9 ano A Sesc 2016Catalunha 9 ano A Sesc 2016
Catalunha 9 ano A Sesc 2016
Andre Caiado
 
Kosovo 9 ano A Sesc 2016
Kosovo 9 ano A Sesc 2016Kosovo 9 ano A Sesc 2016
Kosovo 9 ano A Sesc 2016
Andre Caiado
 
Irlanda do norte 9 ano A Sesc 2016
Irlanda do norte 9 ano A Sesc 2016Irlanda do norte 9 ano A Sesc 2016
Irlanda do norte 9 ano A Sesc 2016
Andre Caiado
 
Flandres 9 ano A Sesc 2016
Flandres 9 ano A Sesc 2016Flandres 9 ano A Sesc 2016
Flandres 9 ano A Sesc 2016
Andre Caiado
 
Crimeia 9 ano A Sesc 2016
Crimeia 9 ano A Sesc 2016Crimeia 9 ano A Sesc 2016
Crimeia 9 ano A Sesc 2016
Andre Caiado
 
Chechênia 9 A Sesc 2016
Chechênia 9 A Sesc 2016Chechênia 9 A Sesc 2016
Chechênia 9 A Sesc 2016
Andre Caiado
 
Bascos 9 a sesc 2016
Bascos 9 a sesc 2016Bascos 9 a sesc 2016
Bascos 9 a sesc 2016
Andre Caiado
 

Mais de Andre Caiado (13)

Oriente Médio e alguns confrontos.
Oriente Médio e alguns confrontos.Oriente Médio e alguns confrontos.
Oriente Médio e alguns confrontos.
 
China dragão asiático
China   dragão asiáticoChina   dragão asiático
China dragão asiático
 
Japão final
Japão finalJapão final
Japão final
 
Europa Físico
Europa FísicoEuropa Físico
Europa Físico
 
Ásia
Ásia Ásia
Ásia
 
Ossetia do sul 9 a Sesc 2016
Ossetia do sul 9 a Sesc 2016Ossetia do sul 9 a Sesc 2016
Ossetia do sul 9 a Sesc 2016
 
Catalunha 9 ano A Sesc 2016
Catalunha 9 ano A Sesc 2016Catalunha 9 ano A Sesc 2016
Catalunha 9 ano A Sesc 2016
 
Kosovo 9 ano A Sesc 2016
Kosovo 9 ano A Sesc 2016Kosovo 9 ano A Sesc 2016
Kosovo 9 ano A Sesc 2016
 
Irlanda do norte 9 ano A Sesc 2016
Irlanda do norte 9 ano A Sesc 2016Irlanda do norte 9 ano A Sesc 2016
Irlanda do norte 9 ano A Sesc 2016
 
Flandres 9 ano A Sesc 2016
Flandres 9 ano A Sesc 2016Flandres 9 ano A Sesc 2016
Flandres 9 ano A Sesc 2016
 
Crimeia 9 ano A Sesc 2016
Crimeia 9 ano A Sesc 2016Crimeia 9 ano A Sesc 2016
Crimeia 9 ano A Sesc 2016
 
Chechênia 9 A Sesc 2016
Chechênia 9 A Sesc 2016Chechênia 9 A Sesc 2016
Chechênia 9 A Sesc 2016
 
Bascos 9 a sesc 2016
Bascos 9 a sesc 2016Bascos 9 a sesc 2016
Bascos 9 a sesc 2016
 

Último

Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 

Último (20)

Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 

Império Russo, URSS e Rússia

  • 1. Professor André Caiado A Catedral de São Basílio, é uma catedral ortodoxa russa erguida na Praça Vermelha em Moscou, Rússia, entre 1555 e 1561
  • 2. • Depois da Revolução de Outubro, o antônimo ideológico do vermelho passou a ser o branco. Foram os exércitos Vermelho e Branco que travaram, entre 1918 e 1920, a guerra civil, durante a qual o Exército Branco, ou seja, o Exército regular russo, foi vencido e expulso para além das fronteiras do país. - Fé Cristã. • Pelas associações feitas na língua russa, o azul claro passou a ser uma tonalidade autônoma e ganhou até mesmo uma palavra própria: “golubói”. Tradicionalmente, estava ligada à aristocracia, cujos representantes tinham “sangue azul”. • Para os russos, a cor mais viva e positiva é o vermelho. Tanto é que a palavra russa “krássni” (vermelho) tem a mesma raiz de “krassívi” (bonito). Como se sabe, o ponto mais importante de Moscou é a Praça Vermelha (“Krássnaia”, em russo), embora não tenha sido batizada assim pela sua cor, mas por sua inegável beleza – motivo pelo que seria mais justo chamá-la de “Praça Bonita”. - Sangue
  • 4. Era de Ouro de Kiev • Nos séculos X e XI, o Principado de Kiev tornou-se um dos maiores e mais prósperos Estados da Europa. Os reinados de Vladimir, o Grande (980-1015), e de seu filho, Yaroslav I, o Sábio (1019-1054), constituíram a "Era de Ouro de Kiev", quando o cristianismo ortodoxo de Bizâncio foi assimilado pelo povo e quando o primeiro código legal escrito dos eslavos do leste foi criado, o Russkaya Pravda.
  • 5. O Fim do Principado Por fim, o Principado de Kiev se desintegrou com o golpe final que foi a invasão mongol de 1237-1240, que resultou na destruição de Kiev e na morte de cerca de metade da população do Principado. A elite mongol invasora, juntamente com seus súditos turcos conquistados.
  • 6. Dmitry Donskoy Liderado pelo príncipe Dmitry Donskoy de Moscou e ajudado pela Igreja Ortodoxa Russa, um exército unido dos principados russos infligiram uma derrota marcante contra os mongóis-tártaros na Batalha de Kulikovo, em 1380. Moscóvia gradativamente absorveu os principados circundantes, incluindo antigos e fortes rivais, como Tver e Novgorod.
  • 7. Ivã III Ivã III , finalmente se livrou do controle da Horda de Ouro, consolidou todo o centro e norte do Russia sob o domínio de Moscóvia e foi o primeiro a assumir o título de "Grão- Duque da Rússias". Depois da queda de Constantinopla em 1453, Moscóvia reivindicou sucessão ao legado do Império Romano do Oriente. Ivã III casou com Sofia Paleóloga, a sobrinha do último imperador bizantino.
  • 8. O Fim da Dinastia No desenvolvimento das ideias da Terceira Roma, o Grão-Duque Ivã IV "Terrível" foi oficialmente coroado o primeiro czar ("César") da Rússia em 1547. O czar promulgou um novo código de leis (Sudebnik), estabeleceu o primeiro órgão representativo feudal russo (o Zemsky Sobor) e introduziu a auto-gestão local nas regiões rurais. A morte dos filhos de Ivã marcou o fim da antiga Dinastia Rurikovitch em 1598, combinada com a fome, levou a nação a uma guerra civil.
  • 9. Império Russo Sob o governo de Pedro, o Grande, a Rússia foi proclamada um império em 1721 e passou a ser reconhecido como uma potência mundial. Durante seu governo entre 1682 e 1725, Pedro derrotou a Suécia na Grande Guerra do Norte, forçando-a a ceder a Carélia e a Íngria (duas regiões que os russos perderam durante o Tempo das Dificuldades).
  • 10. Catarina a Grande A czarina Catarina, a Grande continuou o trabalho de Pedro, derrotando a Polônia e anexando a Bielorrússia e a Ucrânia, outrora a nação fundadora daquele Império. Catarina assina um acordo com o reino da Geórgia de modo a evitar invasões do Império Otomano, e a Geórgia passa a ser protegida militarmente pela Rússia.
  • 11. Catarina, A grande. • Dividiu o território russo em 44 províncias e foram criados distritos em cada uma delas, nos quais a nobreza formava uma assembleia para governá-los, além de obter vários privilégios. • Trocava constantemente correspondências com os filósofos franceses Diderot e Voltaire, e buscou incentivar o conhecimento, como a construção da Universidade de Moscou, em 1783. • Ainda criou leis diminuindo o uso da tortura e da pena de morte, permitiu a liberdade de culto, secularizou ainda algumas propriedades eclesiásticas em proveito do Estado e passou a manter conventos e igrejas. • No âmbito militar, conduziu guerras com vários reinos para conseguir acesso ao mar, o que conseguiu em 1772, resultando na conquista de territórios e na aproximação com a Europa Central. Contra o Império Turco-Otomano realizou duas guerras, entre 1768 e 1785, nas quais incorporou às fronteiras do Império Russo a costa setentrional do Mar Negro e a península da Criméia.
  • 12. A Derrota de Napoleão • Em 1812, a grande armada de Napoleão entra em Moscovo, mas vê-se forçada a abandoná-la, já que a cidade havia sido evacuada e estava vazia. Os russos (Alexandre I) tinham preparado uma armadilha contra o imperador francês. O frio e a falta de recursos foram responsáveis pela morte de 95% das tropas francesas.
  • 13. Nicolau I e Alexandre II O atraso da Rússia na ascensão de Nicolau I (1825-1855) - Irmão de Alexandre I - em relação a Europa foi estarrecedor, mais Alexandre II (filho) no comandando do País (1855-1881) cria reformas que vão fazer com que a Rússia consiga um maior desenvolvimento.
  • 14. Alexandre III e Nicolau II O final do século XIX viu o surgimento de vários movimentos socialistas na Rússia. Alexandre II foi assassinado em 1881 por terroristas revolucionários e o filho, Alexandre III (1881-1894), foi mais tranquilo. O último imperador russo, Nicolau II (1894-1917), foi incapaz de evitar que os acontecimentos da Revolução Russa de 1905, desencadeada pela derrota na Guerra Russo- Japonesa.
  • 15. Domingo Sangrento Foi um massacre que aconteceu em 22 de janeiro (de acordo com o antigo calendário, 9 de janeiro) de 1905 na cidade de São Petersburgo, no Império Russo, onde manifestantes pacíficos marcharam até o Palácio de Inverno para apresentar uma petição ao czar Nicolau II e foram baleados pela Guarda Imperial.
  • 16. O levante surte efeito O levante foi controlado, mas o governo foi forçado a admitir grandes reformas, incluindo a concessão das liberdades de expressão e de reunião, a legalização dos partidos políticos, bem como a criação de um órgão legislativo eleito, a Duma do Império Russo.
  • 17. Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918) Império russo (Tríplice Entente) x Tríplice Aliança. 1917 – Revolução Russa.
  • 18. Mencheviques e os Bolcheviques As sucessivas derrotas durante a Primeira Guerra Mundial e o descontentamento geral da população fizeram com que a economia interna começasse a deteriorar-se. Nesta ocasião, emergem os Sovietes (do russo: сове́т) - são colegiados, ou corpos deliberativos, constituídos de operários ou membros da classe trabalhadora que regulam e organizam a produção material de um determinado território, ou mesmo indústria - e o Partido Operário Socialdemocrata Russo, fundado em 1898, e posteriormente dividido entre os mencheviques e os bolcheviques, dois termos análogos a minoria (меньше) e maioria (больше), em russo.
  • 19. Revolução de Fevereiro Este quadro político-social foi profundamente alterado pela deflagração da Primeira Guerra Mundial. A Revolução de Fevereiro de 1917 caracterizou a primeira fase da Revolução Russa. A consequência imediata foi a abdicação do czar Nicolau II. Ela ocorreu como resultado da insatisfação popular com a autocracia czarista e com a participação negativa do país na Primeira Guerra Mundial.
  • 20. Revolução de Outubro A Revolução de Outubro na Rússia, também conhecida como Revolução Bolchevique ou Revolução Vermelha, foi a segunda fase da Revolução Russa de 1917, depois da Revolução de Fevereiro do mesmo ano. Começou com o golpe de estado, liderado por Vladimir Lenin e pelos bolcheviques, contra o governo provisório, em 25 de outubro de 1917.
  • 21. Saída da 1º guerra mundial Após a Revolução de Outubro, uma guerra civil eclodiu entre o Exército Branco, que era anticomunista, e o novo regime soviético com o seu Exército Vermelho. A Rússia bolchevista perdeu seus territórios ucranianos, poloneses, bálticos e finlandeses ao assinar o Tratado de Brest- Litovsk, que acabou com as hostilidades com as Potências Centrais da Primeira Guerra Mundial.
  • 22. URSS - 1922 A República Socialista Federativa Soviética Russa em conjunto com as Repúblicas Socialistas Soviéticas da Ucrânia, Bielorrússia e Transcaucásia, formaram a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), ou simplesmente União Soviética, em 30 de dezembro de 1922. A República Socialista Russa era a maior e mais populosa das 15 repúblicas que compunham a URSS.
  • 23. Josef Stalin Após a morte de Lenin, em 1924, uma troca foi designada para governar a União Soviética. No entanto, Josef Stalin, o então secretário- geral do Partido Comunista, conseguiu suprimir todos os grupos de oposição dentro do partido e consolidar o poder em suas mãos. Leon Trotsky, foi exilado da União Soviética em 1929 e a ideia de Stalin de "socialismo em um só país".
  • 24. Era Stalin Sob a liderança de Stalin, o governo lançou promoveu uma economia planificada, a industrialização do país. Durante este período de rápida mudança econômica e social, milhões de pessoas foram enviadas para campos de trabalho forçado, incluindo muitos presos políticos que se opunham ao governo de Stalin.
  • 25. A paz Provisória A política de apaziguamento promovida pelo Reino Unido e França sobre a anexação da Áustria e a invasão da Tchecoslováquia ampliou o poder da Alemanha nazista e colocou uma ameaça de guerra entre o regime de Adolf Hitler e a União Soviética. Na mesma época, o Terceiro Reich aliou-se ao Império do Japão, um rival dos soviéticos no Extremo Oriente e um inimigo declarado da URSS.
  • 26. A invasão da URSS Em 22 de junho de 1941, a Alemanha nazista rompeu o tratado de não- agressão e invadiu a União Soviética, com a maior e mais poderosa força de invasão na história humana e a abertura do maior teatro da Segunda Guerra Mundial. o ataque foi interrompido na Batalha de Moscou, seu exercito duramente derrotado pelo frio e a fome.
  • 27. URSS toma Berlim Sob a administração de Stalin e a liderança de comandantes como Georgy Zhukov e Konstantin Rokossovsky, as forças soviéticas chegaram à Europa Oriental entre 1944 e 1945 e tomaram Berlim em maio de 1945.
  • 29. FINAL DA SEGUNDA GUERRA: - enfraquecimento das grandes potências européias - emergência de duas grandes potências (Bipolaridade): EUA/Capitalista X URSS/Comunista
  • 30. Conferência de Bretton Woods • Essa conferência ocorreu em 1944, nos Estados Unidos, • instauração do dólar como moeda mundial, definindo uma nova ordem econômica. • Poder Norte Americano • Nessa mesma conferência, foram criados o FMI (Fundo Monetário Internacional), Bird (Banco Mundial) e o Gatt que em 1995 foi substituído pela OMC (Organização Mundial do Comércio).
  • 31. CONFERÊNCIAS: → YALTA = EUA (Roosevelt) – URSS (Stalin) – Inglaterra (Churchill) - consolidação do domínio da URSS sobre o leste europeu → POTSDAM = divisão da Alemanha e de Berlim em quatro zonas de ocupação (URSS, EUA, França, Inglaterra) → SÃO FRANCISCO = Organização das Nações Unidas (ONU) substitui a fracassada Liga das Nações, visando garantir a paz mundial e lutar pelo fim das misérias do mundo... (FMI, FAO, UNICEF, BIRD, OTI, UNESCO)
  • 32. • FMI = Fundo Monetário Internacional • FAO = Food and Agriculture Organization • UNICEF = Fundo das nações unidas para a infância • BIRD = Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento • OIT = Organização Internacional do Trabalho • UNESCO = Organização das N.U. para a Educação, a ciência e a Cultura
  • 34. ANOS 1940 – 1950 – “Guerra Fria Clássica” → Plano Marshall = reconstrução da Europa e Japão, barrar o avanço comunista → Doutrina Truman = EUA como defensores do “mundo livre” – OTAN 1949 → Pacto de Varsóvia = URSS → URSS destruída, com sérias dificuldades internas + pressão das potências capitalistas = fechamento da URSS ao mundo capitalista (isolamento) → “Estado de Bem Estar Social” no mundo capitalista, principalmente na Europa
  • 36. CORRIDA ARMAMENTISTA 1949 – URSS = bomba atômica 1952 – EUA = bomba de Hidrogênio 1953 – URSS = bomba de Hidrogênio
  • 38. CORRIDA ESPACIAL • 1957 – URSS = 1° satélite artificial no espaço (Sputnik), • Sputnik II - 1° ser vivo (Laika) • 1958 – EUA = E X P L O R E R I • 1961 – URSS = 1° homem no espaço (Yuri Gagarin) • 1969 – EUA = chegada do homem à lua (Apolo XI)
  • 42. → MacCarthysmo nos EUA = “Caça às Bruxas” – anos 50... → Guerra da Coréia = divisão do país (Norte comunista, Sul capitalista) – 1950/53... → 1953 = morte de Stálin, ascensão ao poder de NIKITA KRUSCHEV, que passou a atacar o período stalinista, levando a URSS a um processo de “desestalinização” e aproximação diplomática com os EUA
  • 44. Divisão da Coréia • Divisão da Coréia entre as duas superpotências, em 1945 (o Norte pró-socialista, e o Sul pró-capitalista), esse fato acabou gerando uma guerra nesse país entre 1950 e 1953. • Resultado foi uma grande quantidade de coreanos mortos e a região dividida
  • 46. ANOS 1960 – 1970 = “Coexistência Pacífica” (Distensão / Détente) → possibilidade de auto-aniquilação... 1961 – Construção do Muro de Berlim... 1962 – Crise dos Mísseis (Cuba)
  • 52. → Guerra do Vietnã (1964-1975) – vitória do Norte Comunista → Protestos contra a Guerra, contra-cultura (EUA) → Protestos nas repúblicas da URSS, reprimidos → Questão Racial nos EUA
  • 64. ANOS 1980 – CRISE DO BLOCO SOVIÉTICO - REFORMAS 1985 – chega ao poder Mikhail Gorbatchev → PERESTROIKA – abertura econômica → GLASNOST – “transparência de atitudes”, reforma política → movimentos reformistas e separatistas em diversos países 1989 – queda do Muro de Berlim 1990/91 – regimes pluripartidários, eleições livres, desmembramento, fim da URSS
  • 72. Comunidade dos estados independentes
  • 73. CEI (COMUNIDADES DOS ESTADOS INDEPENDENTES) • Criada em 1991, a Comunidade dos Estados Independentes (CEI) constitui-se num bloco político-econômico que reúne 12 das 15 repúblicas que formavam a antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).
  • 74. PAISES MEMBROS • Países-Membros da CEI: Armênia, Belarus, Cazaquistão, Federação Russa, Moldávia, Quirquistão, Tadjiquistão, Turcomenistão, Ucrânia, Uzbequistão, desde 1991, e Geórgia e Azerbaidjão, a partir 1993.
  • 75. CARACTERISTICAS • A CEI, com uma população de 273,7 milhões de habitantes, está organizada em uma confederação de Estados, que preserva a soberania de cada um. A Comunidade prevê a centralização de Forças Armadas e o uso de uma moeda comum: o Rublo. Seu PIB é estimado em US$ 587,8 bilhões.
  • 76. OBJETIVOS • Criar uma federação no lugar do antigo regime autoritário-soviético, centralizado pelo governo de Moscou. • Desde sua fundação, a CEI tem se caracterizado pelas disputas entre os estados membros e o não cumprimento dos acordos escritos. Segundo os primeiros acordos, as repúblicas tinham o direito de possuir suas próprias forças armadas ou unidades de guarda nacional.
  • 78. CURIOSIDADES DA CEI - JOGOS OLIMPICOS DE VERÃO • Com o desmembramento da URSS em 1991, as ex-repúblicas soviéticas (exceto Lituânia, Estônia e Letônia) participaram dos Jogos Olímpicos de 1992 como Equipe Unificada (Comunidade dos Estados Independentes). A CEI ficou em primeiro lugar no quadro de medalhas em sua primeira e única participação nos Jogos Olímpicos de Verão. Os atletas da Equipe Unificada conquistaram 112 medalhas (45 medalhas de ouro, 38 medalhas de prata e 29 medalhas de bronze). Nas olimpíadas de 1996 as 12 nações competiram em separado. • A Equipe Unificada competiu com a bandeira olímpica e não a bandeira da CEI. • A ex-república da Geórgia competiu pela Equipe Unificada antes de ingressar na CEI, que ocorreu apenas em 1993.
  • 79. Analise as informações do quadro. Fonte: Veja. São Paulo: Abril, 12 jan. 2000. p. 52. / L’état du monde, 2007/ André Gamblin (dir.). Images economiques du monde. Paris: Armand Colin, 2004.
  • 80. Rússia – potência geopolítica Federação Russa nome oficial da Rússia Colcha de retalhos herdada do império czarista e da antiga União Soviética. Em seu território convivem 80 grupos étnicos distintos.
  • 81. É formada por: • 21 repúblicas; • 1 região autônoma; • 49 regiões administrativas; • 6 províncias; • 10 distritos autônomos; • 2 cidades com status administrativo especial – Moscou e São Petersburgo. Detém o segundo maior arsenal nuclear do mundo.
  • 82. • Dispõe de enorme área territorial. • Concentra grande quantidade de recursos minerais. Tem ainda, um peso geopolítico e histórico importante. Reforçados pela expansão econômica. Um dos fatores fudamentais são as enormes receitas obtidas com as exportações de petróleo. Verificada a partir do início deste século.
  • 83. Fonte: Folha de S.Paulo. São Paulo, 8 out. 2006. p. A-39. Porcentagem de gás importado da Rússia (2005) Veja na tabela a dependência de alguns países europeus em relação à importação do gás russo.
  • 84. Diversas potências europeias e mesmo os EUA dependem do petróleo e do gás natural russos. Os fornecedores de petróleo e de gás natural para a Europa são países da CEI que estão na esfera de influência política e econômica da Rússia. O gás natural tem um papel fundamental nos países onde o inverno é rigoroso. Por seu peso político-militar e pela influência que exerce na geopolítica mundial, a Rússia passou a integrar: o grupo dos países mais ricos do mundo (G-7) como membro pleno, formando, assim, o G-8. Desde meados de 2002.
  • 85. As principais rotas de fornecimento de gás natural da Rússia e da CEI para a Europa Fonte: Folha de S.Paulo. São Paulo, 3 jan. 2006. p.A-9.
  • 86. Os problemas da transição na Rússia A transição da economia planejada para a economia de mercado proporcionou uma série de mudanças. Esse caminho rumo ao capitalismo ocasionou uma queda na produção industrial e o aumento da inflação, que atingiu o índice de 36,5% em 1999. Nos anos 1990.
  • 87. Mendigos na cidade de Moscou, na Rússia (2006). NikolskyAlexei/ITAR-TASS/Corbis/LatinStock O crescimento econômico, nos anos de intensas transformações nas estruturas política, social e econômica do país, foi muito baixo. Entre 1992 e 2002, a média anual de crescimento do PIB foi negativa (-0,9%). Tal situação, associada à concentração de riquezas nas mãos de poucas pessoas, contribuiu para uma piora nas condições de vida da maior parte da população.
  • 88. Uma série de fatores acentuou a crise nesses anos: • o crescente déficit público; • a incapacidade de aumentar a arrecadação de impostos; • a queda do preço do petróleo no mercado internacional durante a maior parte da década de 1990; • a grande corrupção da administração pública e o crescimento dos negócios controlados pelo crime organizado. Essa frase culminou com a declaração da suspensão momentânea do pagamento da dívida externa do país, em 1998. Anos 1990 Marcados pelo prolongamento da crise econômica na Rússia.
  • 89. Shopping center de luxo, em Moscou (2001). DaveG.Houser/Corbis/LatinStock A transição para o capitalismo transformou a Rússia em uma nova fronteira para a expansão do capital financeiro e em um mercado emergente. Situação que provocou a dependência de capitais externos.
  • 90. Os preços do petróleo e do gás natural subiram significativamente em boa parte dos anos da primeira década do século XXI. Cerca de 80% das exportações russas referem-se a quatro itens: • alguns metais; • madeira; • petróleo; • gás natural. Entre 2001 e 2007, o crescimento do PIB superou a marca dos 6,5%, em média, por ano. Com isso, a economia também apresentou expressiva recuperação.
  • 91. A sociedade russa também passou por uma grande transformação devido: • ao aumento das desigualdades econômicas; • ao acúmulo de riquezas por parte de uma pequena elite. Em 2005, o Banco Mundial estimava que 20% da população russa viviam abaixo da linha oficial de pobreza. Em 2007, as reservas internacionais da Rússia atingiram a marca dos 410 bilhões de dólares. Devido aos saldos amplamente favoráveis na balança comercial.
  • 92. A Comunidade dos Estados Independentes A estrutura da CEI tem se revelado frágil. O que pode ser comprovado pela análise: • de seus problemas econômicos e sociais; • dos conflitos nacionalistas; • das disputas étnicas; • do receio causado pela supremacia russa.
  • 93. Indicadores sociais dos países da CEI - 2005 Fontes: L’état du monde, 2007 / Pnud. Relatório de Desenvolvimento Humano, 2007/2008.
  • 94. Comunidade dos Estados Independentes (CEI) – Divisão política Fonte: André Gamblin (dir.). Images economiques du monde. Paris: Armand Collin, 2004 (adaptado). Obs: a Geórgia deixou a CEI em 2008 e o Turcomenistão participa como membro-associado, desde 2005
  • 95. fazendo com que as repúblicas recebessem pessoas de diversas nacionalidades, é em parte, a causa desses problemas étnicos. As rivalidades étnicas nos países da CEI constituem um grande foco de instabilidade política e social. Sobretudo na Rússia, que conta com dezenas de grupos étnicos em seu território. A questão dos nacionalismos tem causado violentos combates no interior das ex-repúblicas. A migração forçada promovida por Stálin nas décadas de 1930 e 1940.
  • 96. Há sérios empecilhos à concretização da cooperação entre os países: • o baixo nível de desenvolvimento econômico e social; • o número reduzido de regimes democráticos de governo; • as disparidades entre o nível de desenvolvimento econômico e o volume de comércio exterior de cada um desses países; • a preocupação da Rússia em conter o avanço do fundamentalismo islâmico na região da Ásia Central.
  • 97. SergeiSupinsky/AFP/GettyImages A.Farnsworth/AgeFotoStock/Keystone Kiev, capital da Ucrânia (2008). Kiev, capital da Ucrânia, às margens do rio Dnieper.
  • 98. W. Robert Moore/ National Geographic/Getty Images Pat O’Hara/Corbis Tbilise, capital da Geórgia, às margens do rio Kura. Moscou, Rússia, no inverno de 2002.
  • 99. Yann Arthus-Bertrand/Corbis Cedoc Catedral de São Basílio, Moscou. Trata-se de uma igreja católica ortodoxa, religião predominante na Rússia. Vista área de taiga, próximo à cidade de Tjumen, na Rússia.
  • 100. Rússia Natureza A maior parte desse imenso território localiza-se ao norte do paralelo de 45 °N, o que lhe proporciona um clima bastante rigoroso, com médias térmicas sempre abaixo de 0 ºC no inverno. O espaço geográfico ocupado é de aproximadamente 17 milhões de km², o que corresponde a mais de 10% das terras emersas. É o país mais extenso do globo, sendo cortado por onze fusos horários.
  • 101. Rússia – divisão política Fonte: World Atlas. Londres: Dorling Kindersley, 1999. p. 175 (adaptado).
  • 102. Do norte ao sul da Rússia, é encontrada uma variedade de formações vegetais. • Na região ártica, floresce no verão a tundra, formação vegetal descontínua e rasteira, representada por líquens e algumas gramíneas. A tundra vai sendo gradualmente substituída por árvores de grande porte, que constituem a taiga, cuja espécie principal é o pinheiro. As florestas que cobrem grande parte da Rússia são utilizadas como fonte de energia, nos locais onde há dificuldade para o abastecimento de gás.
  • 103. Rússia - Físico Fonte: World Atlas. Londres: Dorling Kindersley, 1999. p. 175 (adaptado).
  • 104. A população russa e as questões étnicas Há também: • 3,8% de tártaros; • 3% de ucranianos; • 0,8% de bielo-russos; • 0,6% de alemães; • e outros em menor número. A grande diversidade étnica e os desejos de independência por parte de algumas repúblicas, sobretudo no norte do Cáucaso têm provocado conflitos internos na Federação Russa. • O grupo étnico mais representativo da Rússia é o dos russos, que correspondem a 82% da população.
  • 105. Acabaram conquistando autonomia para a Tchetchênia, sem, no entanto, atingir seus objetivos separatistas. A região do Cáucaso, atravessada por diversos oleodutos, é rica em petróleo e possui importância estratégica para o poder central em Moscou. Meados da década de 1990 Guerrilheiros separatistas da República da Tchetchênia travaram uma guerra contra o exército russo para obter a independência.
  • 106. • Cerca de três quartos da produção de petróleo é extraída dos poços existentes na Sibéria. O restante provém da região caucasiana. • Duas das maiores usinas hidrelétricas do mundo, Krasnoyarsk (6°) e Bratsk, localizam-se na Rússia, o que reflete o seu alto potencial energético. • A produção de carvão concentra-se em Kuzbass, na Sibéria.
  • 107. Rússia – Distribuição da população e principais cidades Fonte: Atlas 2000. La France et le monde. Paris: Nathan, 1999. p. 71 / Leda Ísola; Vera Caldini. Atlas geográfico Saraiva. São Paulo: Saraiva, 2005. p. 78.
  • 108. A agropecuária e o extrativismo Os produtos agrícolas mais importantes da Rússia são: • a beterraba branca, com a qual é produzido o açúcar; • o trigo, cultivado principalmente nas terras negras, que ocorrem no sudoeste da parte europeia. A Rússia é um dos primeiros produtores mundiais de cevada. Merecem destaque, ainda, as produções de batata e de linho, do qual se extraem excelentes fibras têxteis.
  • 109. O país também é produtor de um grande volume de pescado de água doce. No extrativismo mineral, sobressaem o minério de ferro, o carvão e o petróleo, além do urânio, do níquel e do diamante. Na pecuária russa, destacam-se os rebanhos de bovinos e de ovinos, criados nas regiões de índices pluviométricos mais baixos. Há ainda na pesca em alto-mar, onde atuam os “navios- fábricas”, nos quais o pescado passa por um processo de industrialização.
  • 110. Rússia – Regiões industriais Fonte: Christian Bouvet (or). Géographie. Paris: Hachette Éducation, 1998. p. 299 (adaptado).
  • 111. Dentre as principais áreas industriais destaca-se: • São Petersburgo, cujo desenvolvimento industrial é muito antigo; • Moscou. Outros centros industriais que merecem destaque são: • o de Kuzbass; • o siderúrgico, em estruturação ao redor do lago Baikal; • o automobilístico, de Togliatti.
  • 112. Em razão de problemas de ordem natural Entre os portos de maior expressão, podemos citar: • o de Vladivostok, no mar do Japão; • o de São Petersburgo, no mar Báltico. Como litorais pouco recortados e baixos e mares com águas congeladas a maior parte do ano. A Rússia não dispõe de grandes portos marítimos.
  • 113. Observe o cartum. Santiago O que o cartunista quis expressar? ParteintegrantedaobraGeografiahomem&espaço,EditoraSaraiva