SlideShare uma empresa Scribd logo
Coordenação Geral de Acreditação




ORIENTAÇÃO PARA A VERIFICAÇÃO DE
       LINHAS DE INSPEÇÃO
      Documento de Caráter Orientativo




      DOQ-CGCRE-029
          (Revisão 00 – NOV/2011)
DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011                                                 Página 01/06

SUMÁRIO

1    Objetivo
2    Campo de aplicação
3    Responsabilidades
4    Documentos de referência
5    Siglas
6    Definições
7    Periodicidade
8    Calibração de linhas de inspeção
9    Resultados e registros
10   Prazo para adequação


1 OBJETIVO

1.1 Fornecer orientações gerais aos organismos de inspeção acreditados ou solicitantes da
acreditação sobre a verificação de linhas de inspeção veicular em atendimento aos itens 14.5 e 14.7
da ABNT NBR ISO/IEC 17020:2006, NIT-Diois-002 e NIT-Diois-004.

1.2 O não cumprimento das orientações contidas neste documento implica ao organismo de
inspeção, a responsabilidade de estabelecer e implementar as ações, previamente analisadas e
aprovadas pela Dios, que venham a garantir e comprovar a adequação da linha de inspeção veicular
à estes requisitos e àqueles estabelecidos na norma ABNT NBR 14040.


2 CAMPO DE APLICAÇÃO

Este documento se aplica à Diois, aos avaliadores e especialistas credenciados, aos organismos
acreditados e aos solicitantes à acreditação.


3 RESPONSABILIDADES

A responsabilidade pela revisão deste documento é da Diois.


4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

ABNT NBR ISO/IEC 17000                    Avaliação de conformidade – Vocabulário e princípios
                                          gerais
ABNT NBR ISO/IEC 17020:2006               Avaliação de conformidade – Critérios gerais para o
                                          funcionamento de diferentes tipos de organismos que
                                          executam inspeção.
ABNT NBR ISO/IEC 17025                    Requisitos gerais para a competência de laboratórios de
                                          ensaio e calibração.
ABNT NBR 14040                            Inspeção de segurança veicular – Veículos leves e
                                          pesados.
NIT-DIOIS-002                             Critério Específico para a Acreditação de Organismo de
                                          Inspeção na Área de Segurança Veicular.
NIT-DIOIS-004                             Critérios Específicos para a Acreditação de Organismos
                                          de Inspeção na Área de Veículos e Equipamentos que
                                          transportam Produtos Perigosos.
VIM:2009                                  Vocabulário internacional de metrologia
DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011                                                  Página 02/06

5 SIGLAS

ABNT                 Associação Brasileira de Normas Técnicas
Cgcre                Coordenação-Geral de Acreditação
Diois                Divisão de Acreditação de Organismos de Inspeção
Inmetro              Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia


6 DEFINIÇÕES

6.1 Para os fins deste documento são adotadas as definições contidas na ABNT NBR ISO/IEC 17000
e ABNT NBR ISO/IEC 17020, além das adiante:

6.2 Linha de inspeção: Conjunto de equipamentos mecanizados formado por placa de desvio
lateral, banco de suspensão e frenômetro para a avaliação de desempenho de sistemas de direção,
suspensão e freios.

6.3 Placa de desvio lateral: Equipamento mecanizado para a medição de alinhamento do sistema
de direção do veículo.

6.4 Banco de suspensão: Equipamento mecanizado para a medição do índice de transferência de
peso e equilíbrio do sistema de suspensão do veículo.

6.5 Frenômetro: Equipamento mecanizado para a medição de eficiência e equilíbrio dos sistemas de
freios (serviço e estacionamento) do veículo.

6.6 Verificação: avaliação da conformidade de determinadas grandezas medidas pela linha de
inspeção a padrões calibrados, em laboratório de calibração acreditados pela Cgcre ou reconhecido
pelo Inmetro, tendo em vista o atendimento à norma NBR 14040.
Nota: Não confundir esta definição com as definições de Verificação utilizadas em metrologia
      legal(Verificação de um instrumento de medição, Verificação inicial,             Verificação
      periódica.Verificação por amostragem , Verificação subsequente e Verificação voluntária)

6.7 Fundo de ecala (FS): limite superior da faixa de medição do equipamento

6.8 Tolerância: Diferenças para mais ou para menos permitidas na aplicação da dimensão,       peso
ou da força para obtenção do valor de referência.


7 PERIODICIDADE

7.1 Realizar o procedimento de verificação, no mínimo:

a.   Após a instalação, antes do início das operações (linhas de inspeção novas ou usadas);
b.   A cada período de 1 (um) ano;
c.   A cada manutenção preventiva ou corretiva (ou atualização) do equipamento.
DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011                                                    Página 03/06

8 VERIFICAÇÃO DE LINHAS DE INSPEÇÃO

8.1 O organismo de inspeção deve comprovar a conformidade da linha de inspeção com os critérios
estabelecidos na norma ABNT NBR 14040, seguir as instruções e recomendações dos respectivos
fabricantes destes equipamentos, além das verificações definidas neste documento.

8.2 Os instrumentos de medição empregados na verificação da linha de inspeção devem possuir
certificados de calibração emitidos por laboratório de calibração acreditado pela Cgcre ou
reconhecido pelo Inmetro, (quando aplicável).

8.3 A verificação da linha de inspeção deve ser realizada pelo fabricante ou representante
autorizado. Alternativamente poderá ser adotada a sistemática estabelecida no item 1.2.

8.4 O relatório da verificação da linha de inspeção deve registrar as seguintes informações:

   a. PLACA DE DESVIO LATERAL – a partir do 0 (zero) realizar 3 (três) medidas para a direita e
      3 (três) para a esquerda, na seqüência de 5 (cinco) m/km, 10 (dez) m/km e 15 (quinze) m/km.

       Tolerância: +- 1 m/km.
       Nota: m/km relativo à dimensão da placa de desvio.

   b. BANCO DE SUSPENSÃO – a partir do 0 (zero) realizar no mínimo 3 (três) medições
      diferentes de cada lado, sendo:

        Linha leve ou mista com balança para veículos leves: 100 kg, 200 kg e 300 kg.
        Linha mista com balança para veículos pesados: 500 kg, 1000 kg e 2000 kg.

       Tolerância: 10% (dez por cento) do valor aplicado.

       Nota: A linha mista com a mesma balança para veículos leves e pesados deve contemplar
       todos os pesos acima citados.

   c. FRENÔMETRO – a partir do 0 (zero) realizar no mínimo 3 (três) medições diferentes de cada
      lado, sendo:

       c1. Verificação da célula de carga de força de frenagem:

        Linha leve: 500 N, 1000 N e 1500 N.
        Linha pesada ou mista: 1000 N, 5000 N e 10000 N.

       Tolerância: 10% (dez por cento) do valor aplicado.

       Nota: 1 kgf = 9,8 N.

       c2. Verificação da balança:

        Linha leve ou mista com balança para veículos leves: 100 kg, 200 kg e 300 kg.
        Linha mista com balança para veículos pesados: 500 kg, 1000 kg e 2000 kg.

       Tolerância: 10% (dez por cento) do valor aplicado.

       Nota: A linha mista com a mesma balança para veículos leves e pesados deve contemplar
       todos os pesos acima citados.
DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011                                                Página 04/06

9 RESULTADOS

9.1 O relatório de verificação da linha de inspeção deve rá conter no mínimo as seguintes
informações:
a.   Nome e dados da empresa responsável pela verificação;
b.   Número univocamente identificado do relatório de verificação;
c.   Data de realização e validade da verificação;
d.   Nome do técnico responsável pela execução da verificação;
e.   Nome e assinatura do responsável pela emissão do relatório da verificação;
f.   Marca, modelo e número de série do equipamento verificado;
g.   Descrição dos métodos adotados para a verificação;
h.   Identificação dos instrumentos de medição e padrões de medição empregados na verificação da
     linha de inspeção, número e cópia de seus respectivos certificados de calibração emitidos por
     laboratório de calibração acreditados pela Cgcre ou reconhecidos pelo Inmetro
i.   Nome e dados do organismo de inspeção contratante;
j.   Faixa de operação dos equipamentos verificados;
k.   Tabela de verificação com a extração dos dados;
l.   Conclusão dos resultados.

9.2 A tabela de verificação com a extração dos dados e conclusão dos resultados para cada módulo
do equipamento deve conter, no mínimo:
a.   Valor de referência;
b.   Valor medido;
c.   Diferença entre valor de referência e medido;
d.   Resultado.

9.3 É recomendável a adoção do modelo de relatório anexo.


10 PRAZO PARA ADEQUAÇÃO

10.1 Este documento produzirá efeitos 90 (noventa) dias após a data de sua publicação, prazo este
concedido para a adequação dos fabricantes e seus representantes aos novos requisitos.

10.2 Serão aceitos pelo prazo máximo de 12 (doze) meses os relatórios em vigor cujas calibrações
ou verificações tenham sido realizadas anteriormente à produção de efeitos deste documento.
DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011                                                         Página 05/06

                                 ANEXO I – MODELO DE RELATÓRIO
                        RELATÓRIO DE VERIFICAÇÃO DE LINHA DE INSPEÇÃO
NÚMERO
REFERÊNCIA
DATA VERIFICAÇÃO
DATA VALIDADE
EMPRESA
CNPJ
ENDEREÇÕ
TELEFONE/E-MAIL
ORGANISMO/OIA
CNPJ
ENDEREÇÕ
TELEFONE/E-MAIL
   INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO E PADRÕES UTILIZADOS                     NÚMERO DOS CERTIFICADOS




                                             PLACA DE DESVIO
                                                                  FUNDO DE ESCALA         ERRO MÁXIMO
       MARCA               MODELO            NÚMERO DE SÉRIE
                                                                      (m/km)            ADMISSÍVEL (m/km)
                                                                                                1
                                  MÉTODO UTILIZADO PARA A VERIFICAÇÃO


    VALOR MEDIDO (mm)     VALOR DE REFERÊNCIA (mm)          ERRO (m/km)         RESULTADO (LIMITE <= 1m/km)
                                            4 a 6 (D)
                                           9 a 11 (D)
                                          14 a 16 (D)
                                            4 a 6 (E)
                                           9 a 11 (E)
                                          14 a 16 (E)
                                          BANCO DE SUSPENSÃO
                                                                                         ERRO MÁXIMO
       MARCA               MODELO            NÚMERO DE SÉRIE     FUNDO DE ESCALA (kg)
                                                                                          ADMISSÍVEL
                                                                                            2% FS
    VALOR MEDIDO (kg)     VALOR DE REFERÊNCIA (kg)             ERRO (kg)            RESULTADO (<= 2% FS)
                                       L 90 a 110 (D)
                                      L 180 a 220 (D)
                                      L 270 a 330 (D)
                                      P 450 a 550 (D)
                                        P 900 a 1100
                                                  (D)
                                       P 1800 a 2200
                                                  (D)
                                       L 90 a 110 (E)
                                      L 180 a 220 (E)
                                      L 270 a 330 (E)
                                      P 450 a 550 (E)
                                     P 900 a 1100 (E)
                                       P 1800 a 2200
                                                  (E)
                                               FRENÔMETRO
                                                                 FUNDO DE ESCALA (N e        ERRO
       MARCA               MODELO            NÚMERO DE SÉRIE
                                                                         kg)            MÁXIMOADMISSÍVEL
                                                                                             2% FS

     VALOR MEDIDO (N)      VALOR DE REFERÊNCIA (N)             ERRO (N)             RESULTADO (<= 2% FS)
                                       L 450 a 550 (D)
                                      L 900 a 1100 (D)
                                        L 1350 a 1650
                                                   (D)
                                      P 900 a 1100 (D)
                                        P 4500 a 5500
                                                   (D)
                                       P 9000 a 11000
                                                   (D)
                                       L 450 a 550 (E)
DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011                                                   Página 06/06

    VALOR MEDIDO (N)     VALOR DE REFERÊNCIA (N)            ERRO (N)          RESULTADO (<= 2% FS)

                                     L 1350 a 1650
                                                (E)
                                   P 900 a 1100 (E)
                                     P 4500 a 5500
                                                (E)
                                    P 9000 a 11000
                                                (E)
    VALOR MEDIDO (kg)   VALOR DE REFERÊNCIA (kg)            ERRO (kg)         RESULTADO (<= 2% FS)
                                     L 90 a 110 (D)
                                    L 180 a 220 (D)
                                    L 270 a 330 (D)
                                    P 450 a 550 (D)
                                      P 900 a 1100
                                                (D)
                                     P 1800 a 2200
                                                (D)
                                     L 90 a 110 (E)
                                    L 180 a 220 (E)
                                    L 270 a 330 (E)
                                    P 450 a 550 (E)
                                   P 900 a 1100 (E)
                                     P 1800 a 2200
                                                (E)
                                          RESULTADO FINAL



           RESPONSÁVEL PELA EXECUÇÃO                           RESPONSÁVEL PELA APROVAÇÃO
Legenda:

L – Leve
P – Pesada
M - Mista
D – Direita
E – Esquerda

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Calibração dimensional e qp-ecd-087
Calibração  dimensional e qp-ecd-087Calibração  dimensional e qp-ecd-087
Calibração dimensional e qp-ecd-087
Almir Silva
 
normasss
normasssnormasss
normas de inspecao
normas de inspecaonormas de inspecao
INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO
INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃOINSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO
INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO
Mário Sérgio Mello
 
387 padronizacao e_sistemas_de_medicao
387 padronizacao e_sistemas_de_medicao387 padronizacao e_sistemas_de_medicao
387 padronizacao e_sistemas_de_medicao
ClailtonVitalDeolind
 
Programa de Planos de Amostragem
Programa de Planos de AmostragemPrograma de Planos de Amostragem
Programa de Planos de Amostragem
Grupo Treinar
 
Curso sobre Planos de Amostragem por Variaveis
Curso sobre Planos de Amostragem por VariaveisCurso sobre Planos de Amostragem por Variaveis
Curso sobre Planos de Amostragem por Variaveis
Grupo Treinar
 
Medidor de vazao tipo tubular
Medidor de vazao tipo tubularMedidor de vazao tipo tubular
Medidor de vazao tipo tubular
Jocirlei Felicio
 
normas
normasnormas
normass
normassnormass
Uso de Analisadores em Linhas em Plantas de Petróleo e Gás
Uso de Analisadores em Linhas em Plantas de Petróleo e GásUso de Analisadores em Linhas em Plantas de Petróleo e Gás
Uso de Analisadores em Linhas em Plantas de Petróleo e Gás
Junior Ozono
 
Apostila de Vida Residual - Básica
Apostila de Vida Residual - BásicaApostila de Vida Residual - Básica
Apostila de Vida Residual - Básica
Sampa2013
 
Nbr14842
Nbr14842Nbr14842
Nbr14842
Renaldo Adriano
 
inspecao
inspecaoinspecao
Doc 01 api1104
Doc 01 api1104Doc 01 api1104
Doc 01 api1104
Daniel Rodrigues
 
Infotec 005 insp_ext_tq
Infotec 005 insp_ext_tqInfotec 005 insp_ext_tq
Infotec 005 insp_ext_tq
Anderson Pupin
 
Crane brasil 54-plataformas
Crane brasil 54-plataformasCrane brasil 54-plataformas
Crane brasil 54-plataformas
SalesReis
 

Mais procurados (17)

Calibração dimensional e qp-ecd-087
Calibração  dimensional e qp-ecd-087Calibração  dimensional e qp-ecd-087
Calibração dimensional e qp-ecd-087
 
normasss
normasssnormasss
normasss
 
normas de inspecao
normas de inspecaonormas de inspecao
normas de inspecao
 
INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO
INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃOINSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO
INSPEÇÃO DE FABRICAÇÃO
 
387 padronizacao e_sistemas_de_medicao
387 padronizacao e_sistemas_de_medicao387 padronizacao e_sistemas_de_medicao
387 padronizacao e_sistemas_de_medicao
 
Programa de Planos de Amostragem
Programa de Planos de AmostragemPrograma de Planos de Amostragem
Programa de Planos de Amostragem
 
Curso sobre Planos de Amostragem por Variaveis
Curso sobre Planos de Amostragem por VariaveisCurso sobre Planos de Amostragem por Variaveis
Curso sobre Planos de Amostragem por Variaveis
 
Medidor de vazao tipo tubular
Medidor de vazao tipo tubularMedidor de vazao tipo tubular
Medidor de vazao tipo tubular
 
normas
normasnormas
normas
 
normass
normassnormass
normass
 
Uso de Analisadores em Linhas em Plantas de Petróleo e Gás
Uso de Analisadores em Linhas em Plantas de Petróleo e GásUso de Analisadores em Linhas em Plantas de Petróleo e Gás
Uso de Analisadores em Linhas em Plantas de Petróleo e Gás
 
Apostila de Vida Residual - Básica
Apostila de Vida Residual - BásicaApostila de Vida Residual - Básica
Apostila de Vida Residual - Básica
 
Nbr14842
Nbr14842Nbr14842
Nbr14842
 
inspecao
inspecaoinspecao
inspecao
 
Doc 01 api1104
Doc 01 api1104Doc 01 api1104
Doc 01 api1104
 
Infotec 005 insp_ext_tq
Infotec 005 insp_ext_tqInfotec 005 insp_ext_tq
Infotec 005 insp_ext_tq
 
Crane brasil 54-plataformas
Crane brasil 54-plataformasCrane brasil 54-plataformas
Crane brasil 54-plataformas
 

Semelhante a Imetro

Apresentacao - Calibração de Equipamentos (IPEM PR 2014).pdf
Apresentacao - Calibração de Equipamentos (IPEM PR 2014).pdfApresentacao - Calibração de Equipamentos (IPEM PR 2014).pdf
Apresentacao - Calibração de Equipamentos (IPEM PR 2014).pdf
JonathanVL
 
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramentoProcedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Universidade Federal Fluminense
 
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramentoProcedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Universidade Federal Fluminense
 
449775742-PR-002-Controle-Dos-Instrumentos-de-Medicao-e-Verificacao-Rev-02-02...
449775742-PR-002-Controle-Dos-Instrumentos-de-Medicao-e-Verificacao-Rev-02-02...449775742-PR-002-Controle-Dos-Instrumentos-de-Medicao-e-Verificacao-Rev-02-02...
449775742-PR-002-Controle-Dos-Instrumentos-de-Medicao-e-Verificacao-Rev-02-02...
Gabrielagonzaga15
 
Nbr 14040 01--_1998_-_diretrizes básicas
Nbr 14040 01--_1998_-_diretrizes básicasNbr 14040 01--_1998_-_diretrizes básicas
Nbr 14040 01--_1998_-_diretrizes básicas
Anderson Ribeiro
 
Doq Cgcre001r02
Doq Cgcre001r02Doq Cgcre001r02
Doq Cgcre001r02
guest2b559
 
Aula 03 - Metodos de Diagnosticos de Maquinas - Parte 3 (1).ppt
Aula 03 - Metodos de Diagnosticos de Maquinas - Parte 3 (1).pptAula 03 - Metodos de Diagnosticos de Maquinas - Parte 3 (1).ppt
Aula 03 - Metodos de Diagnosticos de Maquinas - Parte 3 (1).ppt
FernandoAlvesGaia
 
Portaria inmetro 259_2008_aval_conform_estanqueidade_tq_subt
Portaria inmetro 259_2008_aval_conform_estanqueidade_tq_subtPortaria inmetro 259_2008_aval_conform_estanqueidade_tq_subt
Portaria inmetro 259_2008_aval_conform_estanqueidade_tq_subt
Guilherme Muzzolon
 
NBR 14628
NBR 14628 NBR 14628
NBR 14628
Ane Costa
 
Jtfilho final
Jtfilho finalJtfilho final
Jtfilho final
abntweb
 
Metrologia e sistemas da qualidade
Metrologia e sistemas da qualidadeMetrologia e sistemas da qualidade
Metrologia e sistemas da qualidade
Ythia Karla
 
Portaria Inmetro 658 RTAC 001946 Telhas de Concreto
Portaria Inmetro 658 RTAC 001946  Telhas de ConcretoPortaria Inmetro 658 RTAC 001946  Telhas de Concreto
Portaria Inmetro 658 RTAC 001946 Telhas de Concreto
Celso Daví Rodrigues
 
Portaria nº 185, do INMETRO
Portaria nº 185, do INMETROPortaria nº 185, do INMETRO
Portaria nº 185, do INMETRO
Sandro Marques Solidario
 
inspetor Dimensional de 008
inspetor Dimensional de  008 inspetor Dimensional de  008
inspetor Dimensional de 008
Rondinelli Almeida de Oliveira
 
manutencao-aeronautica
 manutencao-aeronautica manutencao-aeronautica
manutencao-aeronautica
Natanael Carvalho
 
Seminário Avaliação da Conformidade e ISO na Metrologia
Seminário Avaliação da Conformidade e ISO na MetrologiaSeminário Avaliação da Conformidade e ISO na Metrologia
Seminário Avaliação da Conformidade e ISO na Metrologia
Renato Bafi
 
A Fresquinha
A FresquinhaA Fresquinha
A Fresquinha
guestf05dbe
 
A Fresquinha
A FresquinhaA Fresquinha
A Fresquinha
Instituto Monitor
 
is145_009c.pdf
is145_009c.pdfis145_009c.pdf
is145_009c.pdf
Ivo Silva
 
Equipamentos de monotorização
Equipamentos de monotorizaçãoEquipamentos de monotorização
Equipamentos de monotorização
Bruno Lagarto
 

Semelhante a Imetro (20)

Apresentacao - Calibração de Equipamentos (IPEM PR 2014).pdf
Apresentacao - Calibração de Equipamentos (IPEM PR 2014).pdfApresentacao - Calibração de Equipamentos (IPEM PR 2014).pdf
Apresentacao - Calibração de Equipamentos (IPEM PR 2014).pdf
 
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramentoProcedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
 
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramentoProcedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
Procedimento para controle de dispositivos de medição e monitoramento
 
449775742-PR-002-Controle-Dos-Instrumentos-de-Medicao-e-Verificacao-Rev-02-02...
449775742-PR-002-Controle-Dos-Instrumentos-de-Medicao-e-Verificacao-Rev-02-02...449775742-PR-002-Controle-Dos-Instrumentos-de-Medicao-e-Verificacao-Rev-02-02...
449775742-PR-002-Controle-Dos-Instrumentos-de-Medicao-e-Verificacao-Rev-02-02...
 
Nbr 14040 01--_1998_-_diretrizes básicas
Nbr 14040 01--_1998_-_diretrizes básicasNbr 14040 01--_1998_-_diretrizes básicas
Nbr 14040 01--_1998_-_diretrizes básicas
 
Doq Cgcre001r02
Doq Cgcre001r02Doq Cgcre001r02
Doq Cgcre001r02
 
Aula 03 - Metodos de Diagnosticos de Maquinas - Parte 3 (1).ppt
Aula 03 - Metodos de Diagnosticos de Maquinas - Parte 3 (1).pptAula 03 - Metodos de Diagnosticos de Maquinas - Parte 3 (1).ppt
Aula 03 - Metodos de Diagnosticos de Maquinas - Parte 3 (1).ppt
 
Portaria inmetro 259_2008_aval_conform_estanqueidade_tq_subt
Portaria inmetro 259_2008_aval_conform_estanqueidade_tq_subtPortaria inmetro 259_2008_aval_conform_estanqueidade_tq_subt
Portaria inmetro 259_2008_aval_conform_estanqueidade_tq_subt
 
NBR 14628
NBR 14628 NBR 14628
NBR 14628
 
Jtfilho final
Jtfilho finalJtfilho final
Jtfilho final
 
Metrologia e sistemas da qualidade
Metrologia e sistemas da qualidadeMetrologia e sistemas da qualidade
Metrologia e sistemas da qualidade
 
Portaria Inmetro 658 RTAC 001946 Telhas de Concreto
Portaria Inmetro 658 RTAC 001946  Telhas de ConcretoPortaria Inmetro 658 RTAC 001946  Telhas de Concreto
Portaria Inmetro 658 RTAC 001946 Telhas de Concreto
 
Portaria nº 185, do INMETRO
Portaria nº 185, do INMETROPortaria nº 185, do INMETRO
Portaria nº 185, do INMETRO
 
inspetor Dimensional de 008
inspetor Dimensional de  008 inspetor Dimensional de  008
inspetor Dimensional de 008
 
manutencao-aeronautica
 manutencao-aeronautica manutencao-aeronautica
manutencao-aeronautica
 
Seminário Avaliação da Conformidade e ISO na Metrologia
Seminário Avaliação da Conformidade e ISO na MetrologiaSeminário Avaliação da Conformidade e ISO na Metrologia
Seminário Avaliação da Conformidade e ISO na Metrologia
 
A Fresquinha
A FresquinhaA Fresquinha
A Fresquinha
 
A Fresquinha
A FresquinhaA Fresquinha
A Fresquinha
 
is145_009c.pdf
is145_009c.pdfis145_009c.pdf
is145_009c.pdf
 
Equipamentos de monotorização
Equipamentos de monotorizaçãoEquipamentos de monotorização
Equipamentos de monotorização
 

Imetro

  • 1. Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A VERIFICAÇÃO DE LINHAS DE INSPEÇÃO Documento de Caráter Orientativo DOQ-CGCRE-029 (Revisão 00 – NOV/2011)
  • 2. DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011 Página 01/06 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de aplicação 3 Responsabilidades 4 Documentos de referência 5 Siglas 6 Definições 7 Periodicidade 8 Calibração de linhas de inspeção 9 Resultados e registros 10 Prazo para adequação 1 OBJETIVO 1.1 Fornecer orientações gerais aos organismos de inspeção acreditados ou solicitantes da acreditação sobre a verificação de linhas de inspeção veicular em atendimento aos itens 14.5 e 14.7 da ABNT NBR ISO/IEC 17020:2006, NIT-Diois-002 e NIT-Diois-004. 1.2 O não cumprimento das orientações contidas neste documento implica ao organismo de inspeção, a responsabilidade de estabelecer e implementar as ações, previamente analisadas e aprovadas pela Dios, que venham a garantir e comprovar a adequação da linha de inspeção veicular à estes requisitos e àqueles estabelecidos na norma ABNT NBR 14040. 2 CAMPO DE APLICAÇÃO Este documento se aplica à Diois, aos avaliadores e especialistas credenciados, aos organismos acreditados e aos solicitantes à acreditação. 3 RESPONSABILIDADES A responsabilidade pela revisão deste documento é da Diois. 4 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA ABNT NBR ISO/IEC 17000 Avaliação de conformidade – Vocabulário e princípios gerais ABNT NBR ISO/IEC 17020:2006 Avaliação de conformidade – Critérios gerais para o funcionamento de diferentes tipos de organismos que executam inspeção. ABNT NBR ISO/IEC 17025 Requisitos gerais para a competência de laboratórios de ensaio e calibração. ABNT NBR 14040 Inspeção de segurança veicular – Veículos leves e pesados. NIT-DIOIS-002 Critério Específico para a Acreditação de Organismo de Inspeção na Área de Segurança Veicular. NIT-DIOIS-004 Critérios Específicos para a Acreditação de Organismos de Inspeção na Área de Veículos e Equipamentos que transportam Produtos Perigosos. VIM:2009 Vocabulário internacional de metrologia
  • 3. DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011 Página 02/06 5 SIGLAS ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Cgcre Coordenação-Geral de Acreditação Diois Divisão de Acreditação de Organismos de Inspeção Inmetro Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia 6 DEFINIÇÕES 6.1 Para os fins deste documento são adotadas as definições contidas na ABNT NBR ISO/IEC 17000 e ABNT NBR ISO/IEC 17020, além das adiante: 6.2 Linha de inspeção: Conjunto de equipamentos mecanizados formado por placa de desvio lateral, banco de suspensão e frenômetro para a avaliação de desempenho de sistemas de direção, suspensão e freios. 6.3 Placa de desvio lateral: Equipamento mecanizado para a medição de alinhamento do sistema de direção do veículo. 6.4 Banco de suspensão: Equipamento mecanizado para a medição do índice de transferência de peso e equilíbrio do sistema de suspensão do veículo. 6.5 Frenômetro: Equipamento mecanizado para a medição de eficiência e equilíbrio dos sistemas de freios (serviço e estacionamento) do veículo. 6.6 Verificação: avaliação da conformidade de determinadas grandezas medidas pela linha de inspeção a padrões calibrados, em laboratório de calibração acreditados pela Cgcre ou reconhecido pelo Inmetro, tendo em vista o atendimento à norma NBR 14040. Nota: Não confundir esta definição com as definições de Verificação utilizadas em metrologia legal(Verificação de um instrumento de medição, Verificação inicial, Verificação periódica.Verificação por amostragem , Verificação subsequente e Verificação voluntária) 6.7 Fundo de ecala (FS): limite superior da faixa de medição do equipamento 6.8 Tolerância: Diferenças para mais ou para menos permitidas na aplicação da dimensão, peso ou da força para obtenção do valor de referência. 7 PERIODICIDADE 7.1 Realizar o procedimento de verificação, no mínimo: a. Após a instalação, antes do início das operações (linhas de inspeção novas ou usadas); b. A cada período de 1 (um) ano; c. A cada manutenção preventiva ou corretiva (ou atualização) do equipamento.
  • 4. DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011 Página 03/06 8 VERIFICAÇÃO DE LINHAS DE INSPEÇÃO 8.1 O organismo de inspeção deve comprovar a conformidade da linha de inspeção com os critérios estabelecidos na norma ABNT NBR 14040, seguir as instruções e recomendações dos respectivos fabricantes destes equipamentos, além das verificações definidas neste documento. 8.2 Os instrumentos de medição empregados na verificação da linha de inspeção devem possuir certificados de calibração emitidos por laboratório de calibração acreditado pela Cgcre ou reconhecido pelo Inmetro, (quando aplicável). 8.3 A verificação da linha de inspeção deve ser realizada pelo fabricante ou representante autorizado. Alternativamente poderá ser adotada a sistemática estabelecida no item 1.2. 8.4 O relatório da verificação da linha de inspeção deve registrar as seguintes informações: a. PLACA DE DESVIO LATERAL – a partir do 0 (zero) realizar 3 (três) medidas para a direita e 3 (três) para a esquerda, na seqüência de 5 (cinco) m/km, 10 (dez) m/km e 15 (quinze) m/km. Tolerância: +- 1 m/km. Nota: m/km relativo à dimensão da placa de desvio. b. BANCO DE SUSPENSÃO – a partir do 0 (zero) realizar no mínimo 3 (três) medições diferentes de cada lado, sendo:  Linha leve ou mista com balança para veículos leves: 100 kg, 200 kg e 300 kg.  Linha mista com balança para veículos pesados: 500 kg, 1000 kg e 2000 kg. Tolerância: 10% (dez por cento) do valor aplicado. Nota: A linha mista com a mesma balança para veículos leves e pesados deve contemplar todos os pesos acima citados. c. FRENÔMETRO – a partir do 0 (zero) realizar no mínimo 3 (três) medições diferentes de cada lado, sendo: c1. Verificação da célula de carga de força de frenagem:  Linha leve: 500 N, 1000 N e 1500 N.  Linha pesada ou mista: 1000 N, 5000 N e 10000 N. Tolerância: 10% (dez por cento) do valor aplicado. Nota: 1 kgf = 9,8 N. c2. Verificação da balança:  Linha leve ou mista com balança para veículos leves: 100 kg, 200 kg e 300 kg.  Linha mista com balança para veículos pesados: 500 kg, 1000 kg e 2000 kg. Tolerância: 10% (dez por cento) do valor aplicado. Nota: A linha mista com a mesma balança para veículos leves e pesados deve contemplar todos os pesos acima citados.
  • 5. DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011 Página 04/06 9 RESULTADOS 9.1 O relatório de verificação da linha de inspeção deve rá conter no mínimo as seguintes informações: a. Nome e dados da empresa responsável pela verificação; b. Número univocamente identificado do relatório de verificação; c. Data de realização e validade da verificação; d. Nome do técnico responsável pela execução da verificação; e. Nome e assinatura do responsável pela emissão do relatório da verificação; f. Marca, modelo e número de série do equipamento verificado; g. Descrição dos métodos adotados para a verificação; h. Identificação dos instrumentos de medição e padrões de medição empregados na verificação da linha de inspeção, número e cópia de seus respectivos certificados de calibração emitidos por laboratório de calibração acreditados pela Cgcre ou reconhecidos pelo Inmetro i. Nome e dados do organismo de inspeção contratante; j. Faixa de operação dos equipamentos verificados; k. Tabela de verificação com a extração dos dados; l. Conclusão dos resultados. 9.2 A tabela de verificação com a extração dos dados e conclusão dos resultados para cada módulo do equipamento deve conter, no mínimo: a. Valor de referência; b. Valor medido; c. Diferença entre valor de referência e medido; d. Resultado. 9.3 É recomendável a adoção do modelo de relatório anexo. 10 PRAZO PARA ADEQUAÇÃO 10.1 Este documento produzirá efeitos 90 (noventa) dias após a data de sua publicação, prazo este concedido para a adequação dos fabricantes e seus representantes aos novos requisitos. 10.2 Serão aceitos pelo prazo máximo de 12 (doze) meses os relatórios em vigor cujas calibrações ou verificações tenham sido realizadas anteriormente à produção de efeitos deste documento.
  • 6. DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011 Página 05/06 ANEXO I – MODELO DE RELATÓRIO RELATÓRIO DE VERIFICAÇÃO DE LINHA DE INSPEÇÃO NÚMERO REFERÊNCIA DATA VERIFICAÇÃO DATA VALIDADE EMPRESA CNPJ ENDEREÇÕ TELEFONE/E-MAIL ORGANISMO/OIA CNPJ ENDEREÇÕ TELEFONE/E-MAIL INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO E PADRÕES UTILIZADOS NÚMERO DOS CERTIFICADOS PLACA DE DESVIO FUNDO DE ESCALA ERRO MÁXIMO MARCA MODELO NÚMERO DE SÉRIE (m/km) ADMISSÍVEL (m/km) 1 MÉTODO UTILIZADO PARA A VERIFICAÇÃO VALOR MEDIDO (mm) VALOR DE REFERÊNCIA (mm) ERRO (m/km) RESULTADO (LIMITE <= 1m/km) 4 a 6 (D) 9 a 11 (D) 14 a 16 (D) 4 a 6 (E) 9 a 11 (E) 14 a 16 (E) BANCO DE SUSPENSÃO ERRO MÁXIMO MARCA MODELO NÚMERO DE SÉRIE FUNDO DE ESCALA (kg) ADMISSÍVEL 2% FS VALOR MEDIDO (kg) VALOR DE REFERÊNCIA (kg) ERRO (kg) RESULTADO (<= 2% FS) L 90 a 110 (D) L 180 a 220 (D) L 270 a 330 (D) P 450 a 550 (D) P 900 a 1100 (D) P 1800 a 2200 (D) L 90 a 110 (E) L 180 a 220 (E) L 270 a 330 (E) P 450 a 550 (E) P 900 a 1100 (E) P 1800 a 2200 (E) FRENÔMETRO FUNDO DE ESCALA (N e ERRO MARCA MODELO NÚMERO DE SÉRIE kg) MÁXIMOADMISSÍVEL 2% FS VALOR MEDIDO (N) VALOR DE REFERÊNCIA (N) ERRO (N) RESULTADO (<= 2% FS) L 450 a 550 (D) L 900 a 1100 (D) L 1350 a 1650 (D) P 900 a 1100 (D) P 4500 a 5500 (D) P 9000 a 11000 (D) L 450 a 550 (E)
  • 7. DOQ-CGCRE-029 – Revisão 00 – NOV/2011 Página 06/06 VALOR MEDIDO (N) VALOR DE REFERÊNCIA (N) ERRO (N) RESULTADO (<= 2% FS) L 1350 a 1650 (E) P 900 a 1100 (E) P 4500 a 5500 (E) P 9000 a 11000 (E) VALOR MEDIDO (kg) VALOR DE REFERÊNCIA (kg) ERRO (kg) RESULTADO (<= 2% FS) L 90 a 110 (D) L 180 a 220 (D) L 270 a 330 (D) P 450 a 550 (D) P 900 a 1100 (D) P 1800 a 2200 (D) L 90 a 110 (E) L 180 a 220 (E) L 270 a 330 (E) P 450 a 550 (E) P 900 a 1100 (E) P 1800 a 2200 (E) RESULTADO FINAL RESPONSÁVEL PELA EXECUÇÃO RESPONSÁVEL PELA APROVAÇÃO Legenda: L – Leve P – Pesada M - Mista D – Direita E – Esquerda