SlideShare uma empresa Scribd logo
ILUMINISMO II
(As Revoluções Inglesas)
Profº Viegas Fernandes da Costa
LIBERALISMO ECONÔMICO (SÉCULO XVIII)
“Deixai fazer, deixai passar e o mundo marcha sozinho”.
Fisiocratas: criticam o mercantilismo (que previa a intervenção do Estado) e
defendiam as atividades econômicas naturais (agricultura, mineração e
extrativismo) como as principais fontes de riqueza.
Adam Smith afirmava que o trabalho produtivo, e não a agricultura, era a
verdadeira fonte de riqueza.
David Ricardo, Thomas Malthus, John Stuart Mill etc...
REVOLUÇÕES BURGUESAS:
Revoluções que romperam com o Antigo Regime, eliminando o absolutismo e o
mercantilismo.
REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII
-burguesia e pequena nobreza uniram-se para assumir o poder.
-consolidação do parlamentarismo.
- Revolução Puritana (1640) – República de Cromwell
Causas:
Crise de sucessão após a morte de Elisabeth I (1603)
Políticas autoritárias de Carlos I
Tentativa de impor aos escoceses o anglicanismo
Cobrança de novos impostos
Oliver Cromwell e Carlos I morto,
tela de Paul Delaroche (1797-1856)
Insatisfação generalizada obriga o rei a convocar o Parlamento em 1640.
-Parlamento inglês era composto por duas Câmaras: Câmaras dos Lordes e Câmara dos
comuns.
- Câmara dos Lordes: nobreza clerical e nobreza temporal, que eram proprietários da maior
parte das terras, e controlavam boa parte da administração pública e da justiça.
- Câmara dos comuns: grande burguesia e pequena nobreza rural.
-Surgimento do Exército de Novo Tipo, liderado por Oliver Cromwell e que reunia
combatentes da pequena burguesia e da plebe (puritanos). Setores deste exército
defendiam a distribuição de terras (reforma agrária). Estes setores foramduramente
perseguidos por Cromwell.
- Em 1649 foi ordenada a decapitação de Carlos I por traição e fundada a República. A
Câmara dos Lordes foi extinta e Cromwell assume a presidência do Conselho de Estado.
-A guerra civil gera pobreza, falta de alimentos e insatisfação popular.
- Cromwell elimina as resistências, e passa a ser visto como um tirano. Dissolveu o
Parlamento. Logo após sua morte, em 1658, é sucedido pelo filho e a República Puritana
chega ao fim.
A execução de Carlos I.
National Galleries of Scotland
Cromwell, autointitulado Lorde Protetor.
Revolução Gloriosa (1680)
-Após Carlos II tentar isentar católicos de taxas e indicar líderes destes para cargos no
governo, é deposto e substituído por Guilherme de Orange da Holanda (Revolução
Gloriosa)
-Novas Leis:
- Toleraction Act concedeu liberdade religiosa aos cristãos (exceto
católicos).
- Bill of Rights: conjunto de leis que submetia o julgamento dos indivíduos a
um júri, condenou punições cruéis e multas exageradas e submeteu o poder
do rei ao parlamento.
INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA
Campus São José
ILUMINISMO II: As revoluções inglesas
Professor Viegas Fernandes da Costa
14/04/2014.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Sara Ferreira Pires
 
Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)
Norma Almeida
 
9. revolução inglesa
9. revolução inglesa9. revolução inglesa
9. revolução inglesa
José Augusto Fiorin
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
Guilherme Drumond
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
profdu
 
Revolução Puritana
Revolução PuritanaRevolução Puritana
Revolução Puritana
Leonardo Caputo
 
As Revoluções Inglesas do século XVII
As Revoluções Inglesas do século XVIIAs Revoluções Inglesas do século XVII
As Revoluções Inglesas do século XVII
Professor Marcelo
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
AleckVictor
 
Revoluçao inglesa
Revoluçao inglesaRevoluçao inglesa
Revoluçao inglesa
Vinicius Pereira
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Paulo Alexandre
 
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair AguilarRevolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Revolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filéRevolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filé
mundica broda
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
Janayna Lira
 
Revolução inglesa industrial
Revolução inglesa industrialRevolução inglesa industrial
Revolução inglesa industrial
Simone Borges
 
Revolução Inglesa
Revolução Inglesa Revolução Inglesa
Revolução Inglesa
Hugo Araujo
 
Revolução inglesa 8 ano
Revolução inglesa   8 anoRevolução inglesa   8 ano
Revolução inglesa 8 ano
Alcidon Cunha
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Thamires Bragança
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Professor de História
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
Nelia Salles Nantes
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
martinha10
 

Mais procurados (20)

Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)Revolucao inglesa (1)
Revolucao inglesa (1)
 
9. revolução inglesa
9. revolução inglesa9. revolução inglesa
9. revolução inglesa
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
Revolução Puritana
Revolução PuritanaRevolução Puritana
Revolução Puritana
 
As Revoluções Inglesas do século XVII
As Revoluções Inglesas do século XVIIAs Revoluções Inglesas do século XVII
As Revoluções Inglesas do século XVII
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Revoluçao inglesa
Revoluçao inglesaRevoluçao inglesa
Revoluçao inglesa
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair AguilarRevolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
 
Revolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filéRevolucao inglesa.filé
Revolucao inglesa.filé
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
 
Revolução inglesa industrial
Revolução inglesa industrialRevolução inglesa industrial
Revolução inglesa industrial
 
Revolução Inglesa
Revolução Inglesa Revolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Revolução inglesa 8 ano
Revolução inglesa   8 anoRevolução inglesa   8 ano
Revolução inglesa 8 ano
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosaA república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
A república puritana de oliver cromwell e a revolução gloriosa
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 

Destaque

2014 africa-america-questões
2014 africa-america-questões2014 africa-america-questões
2014 africa-america-questões
Jorge Marcos Oliveira
 
Sociologia no Ensino Médio, e agora
Sociologia no Ensino Médio, e agoraSociologia no Ensino Médio, e agora
Sociologia no Ensino Médio, e agora
pibidcsoufrgs
 
Diaspora Africana
Diaspora AfricanaDiaspora Africana
Diaspora Africana
Alexandre Protásio
 
AS REVOLUÇÕES séculos XVIII e XIX
AS REVOLUÇÕES séculos XVIII e XIXAS REVOLUÇÕES séculos XVIII e XIX
AS REVOLUÇÕES séculos XVIII e XIX
duartcr
 
Historia da Africa
Historia da AfricaHistoria da Africa
Historia da Africa
Historia_da_Africa
 
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIIIIdeias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
eduardodemiranda
 
O impacto da conquista da américa
O impacto da conquista da américaO impacto da conquista da américa
O impacto da conquista da américa
Carlos Teles de Menezes Junior
 
Indios
IndiosIndios
História da África e escravidão africana
História da África e escravidão africanaHistória da África e escravidão africana
História da África e escravidão africana
Paulo Alexandre
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
martinha10
 
Revolução inglesa 2º. ano
Revolução inglesa   2º. anoRevolução inglesa   2º. ano
Revolução inglesa 2º. ano
Fatima Freitas
 
Escravidão e Resistência
Escravidão e ResistênciaEscravidão e Resistência
Escravidão e Resistência
Profª Bruna Morrana
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Douglas Barraqui
 
África - sístese histórica
África - sístese históricaÁfrica - sístese histórica
África - sístese histórica
Portal do Vestibulando
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
Isabel Aguiar
 

Destaque (15)

2014 africa-america-questões
2014 africa-america-questões2014 africa-america-questões
2014 africa-america-questões
 
Sociologia no Ensino Médio, e agora
Sociologia no Ensino Médio, e agoraSociologia no Ensino Médio, e agora
Sociologia no Ensino Médio, e agora
 
Diaspora Africana
Diaspora AfricanaDiaspora Africana
Diaspora Africana
 
AS REVOLUÇÕES séculos XVIII e XIX
AS REVOLUÇÕES séculos XVIII e XIXAS REVOLUÇÕES séculos XVIII e XIX
AS REVOLUÇÕES séculos XVIII e XIX
 
Historia da Africa
Historia da AfricaHistoria da Africa
Historia da Africa
 
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIIIIdeias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
 
O impacto da conquista da américa
O impacto da conquista da américaO impacto da conquista da américa
O impacto da conquista da américa
 
Indios
IndiosIndios
Indios
 
História da África e escravidão africana
História da África e escravidão africanaHistória da África e escravidão africana
História da África e escravidão africana
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Revolução inglesa 2º. ano
Revolução inglesa   2º. anoRevolução inglesa   2º. ano
Revolução inglesa 2º. ano
 
Escravidão e Resistência
Escravidão e ResistênciaEscravidão e Resistência
Escravidão e Resistência
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
 
África - sístese histórica
África - sístese históricaÁfrica - sístese histórica
África - sístese histórica
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
 

Semelhante a Iluminismo II: as Revoluções inglesas

Aulas finais ps II
Aulas finais ps IIAulas finais ps II
Aulas finais ps II
Carlos Glufke
 
Apostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - SagradoApostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - Sagrado
jorgeccpeixoto
 
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_iiModerna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
Julia Selistre
 
A revolução puritana e a revolução gloriosa
A revolução puritana e a revolução gloriosaA revolução puritana e a revolução gloriosa
A revolução puritana e a revolução gloriosa
Glauce Marques
 
Revolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e IluminismoRevolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e Iluminismo
eiprofessor
 
3ão - Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão - Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão - Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão - Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
Daniel Alves Bronstrup
 
Revolucao inglesa
Revolucao inglesaRevolucao inglesa
Revolucao inglesa
MargarethFranklim
 
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa11 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
flaviaLION
 
A revolucao inglesa
A revolucao inglesaA revolucao inglesa
A revolucao inglesa
Lucas pk'
 
Revolução inglesa ii
Revolução inglesa iiRevolução inglesa ii
Capitulo 04 revolucoes na inglaterra
Capitulo 04  revolucoes na inglaterraCapitulo 04  revolucoes na inglaterra
Capitulo 04 revolucoes na inglaterra
Educandário Imaculada Conceição
 
Revolução inglesa- 7ª série - Profª Ivanoska
Revolução inglesa- 7ª série - Profª IvanoskaRevolução inglesa- 7ª série - Profª Ivanoska
Revolução inglesa- 7ª série - Profª Ivanoska
elaineoliver12
 
Aula 10 revoluções burguesas
Aula 10   revoluções burguesasAula 10   revoluções burguesas
Aula 10 revoluções burguesas
Jonatas Carlos
 
História Geral: revolução inglesa
História Geral: revolução inglesaHistória Geral: revolução inglesa
História Geral: revolução inglesa
Rafael Lucas da Silva
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
joana71
 
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptxHSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
BENILDEDENAZARELAMEI
 
Resumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesasResumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesas
Claudenilson da Silva
 
Revolução inglesa e industrial
Revolução inglesa e industrialRevolução inglesa e industrial
Revolução inglesa e industrial
Jefferson Barroso
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
Valkuiria Andrade
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial

Semelhante a Iluminismo II: as Revoluções inglesas (20)

Aulas finais ps II
Aulas finais ps IIAulas finais ps II
Aulas finais ps II
 
Apostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - SagradoApostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - Sagrado
 
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_iiModerna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
 
A revolução puritana e a revolução gloriosa
A revolução puritana e a revolução gloriosaA revolução puritana e a revolução gloriosa
A revolução puritana e a revolução gloriosa
 
Revolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e IluminismoRevolucao Inglesa e Iluminismo
Revolucao Inglesa e Iluminismo
 
3ão - Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão - Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa3ão - Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
3ão - Resumão - Iluminismo - Rev Inglesa
 
Revolucao inglesa
Revolucao inglesaRevolucao inglesa
Revolucao inglesa
 
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa11 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
1 216-ensino-fundamental-7a-serie-historia-jadilson-silveira-revolucao-inglesa1
 
A revolucao inglesa
A revolucao inglesaA revolucao inglesa
A revolucao inglesa
 
Revolução inglesa ii
Revolução inglesa iiRevolução inglesa ii
Revolução inglesa ii
 
Capitulo 04 revolucoes na inglaterra
Capitulo 04  revolucoes na inglaterraCapitulo 04  revolucoes na inglaterra
Capitulo 04 revolucoes na inglaterra
 
Revolução inglesa- 7ª série - Profª Ivanoska
Revolução inglesa- 7ª série - Profª IvanoskaRevolução inglesa- 7ª série - Profª Ivanoska
Revolução inglesa- 7ª série - Profª Ivanoska
 
Aula 10 revoluções burguesas
Aula 10   revoluções burguesasAula 10   revoluções burguesas
Aula 10 revoluções burguesas
 
História Geral: revolução inglesa
História Geral: revolução inglesaHistória Geral: revolução inglesa
História Geral: revolução inglesa
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptxHSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
HSC-ILUMINISMO-REVOLUCOES-INDUST-E-BURGUESAS.pptx
 
Resumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesasResumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesas
 
Revolução inglesa e industrial
Revolução inglesa e industrialRevolução inglesa e industrial
Revolução inglesa e industrial
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 

Mais de Viegas Fernandes da Costa

Tombamento das Dunas da Ribanceira do Município de Imbituba (SC): parecer téc...
Tombamento das Dunas da Ribanceira do Município de Imbituba (SC): parecer téc...Tombamento das Dunas da Ribanceira do Município de Imbituba (SC): parecer téc...
Tombamento das Dunas da Ribanceira do Município de Imbituba (SC): parecer téc...
Viegas Fernandes da Costa
 
Antigos reinos africanos
Antigos reinos africanosAntigos reinos africanos
Antigos reinos africanos
Viegas Fernandes da Costa
 
Hemeroteca Digital Catarinense
Hemeroteca Digital CatarinenseHemeroteca Digital Catarinense
Hemeroteca Digital Catarinense
Viegas Fernandes da Costa
 
Território em disputa: o reconhecimento das Dunas da Ribanceira (Imbituba, SC...
Território em disputa: o reconhecimento das Dunas da Ribanceira (Imbituba, SC...Território em disputa: o reconhecimento das Dunas da Ribanceira (Imbituba, SC...
Território em disputa: o reconhecimento das Dunas da Ribanceira (Imbituba, SC...
Viegas Fernandes da Costa
 
Tarde.
Tarde. Tarde.
A INCLUSÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO DE GAROPABA (SC) NO PROJETO DE FORTALEC...
A INCLUSÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO DE GAROPABA (SC) NO PROJETO DE FORTALEC...A INCLUSÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO DE GAROPABA (SC) NO PROJETO DE FORTALEC...
A INCLUSÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO DE GAROPABA (SC) NO PROJETO DE FORTALEC...
Viegas Fernandes da Costa
 
Centro histórico de Garopaba: relações entre patrimônio e identidade
Centro histórico de Garopaba: relações entre patrimônio e identidadeCentro histórico de Garopaba: relações entre patrimônio e identidade
Centro histórico de Garopaba: relações entre patrimônio e identidade
Viegas Fernandes da Costa
 
Educação Patrimonial_Aulas 1 e 2
Educação Patrimonial_Aulas 1 e 2Educação Patrimonial_Aulas 1 e 2
Educação Patrimonial_Aulas 1 e 2
Viegas Fernandes da Costa
 
Turismo e paisagens históricas nas vilas litorâneas catarinenses
Turismo e paisagens históricas nas vilas litorâneas catarinensesTurismo e paisagens históricas nas vilas litorâneas catarinenses
Turismo e paisagens históricas nas vilas litorâneas catarinenses
Viegas Fernandes da Costa
 
TURISMO ARQUEOLÓGICO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: A possibilidade de aprov...
 TURISMO ARQUEOLÓGICO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: A possibilidade de aprov... TURISMO ARQUEOLÓGICO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: A possibilidade de aprov...
TURISMO ARQUEOLÓGICO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: A possibilidade de aprov...
Viegas Fernandes da Costa
 
História de Santa Catarina
História de Santa CatarinaHistória de Santa Catarina
História de Santa Catarina
Viegas Fernandes da Costa
 
Turismo, vestígios arqueológicos e perspectivas de desenvolvimento em garopab...
Turismo, vestígios arqueológicos e perspectivas de desenvolvimento em garopab...Turismo, vestígios arqueológicos e perspectivas de desenvolvimento em garopab...
Turismo, vestígios arqueológicos e perspectivas de desenvolvimento em garopab...
Viegas Fernandes da Costa
 
Historia da arte 1
Historia da arte 1Historia da arte 1
Historia da arte 1
Viegas Fernandes da Costa
 
História de Garopaba, Imbituba e Imaruí
História de Garopaba, Imbituba e ImaruíHistória de Garopaba, Imbituba e Imaruí
História de Garopaba, Imbituba e Imaruí
Viegas Fernandes da Costa
 
Patrimônio pré colonial de Garopaba e Imbituba
Patrimônio pré colonial de Garopaba e ImbitubaPatrimônio pré colonial de Garopaba e Imbituba
Patrimônio pré colonial de Garopaba e Imbituba
Viegas Fernandes da Costa
 
Cultura, Memória, Identidade e Desenvolvimento
Cultura, Memória, Identidade e DesenvolvimentoCultura, Memória, Identidade e Desenvolvimento
Cultura, Memória, Identidade e Desenvolvimento
Viegas Fernandes da Costa
 
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnicaHistória de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
Viegas Fernandes da Costa
 
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)
Viegas Fernandes da Costa
 
Catálogo da Exposição Fotográfica O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTOR...
Catálogo da Exposição Fotográfica O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTOR...Catálogo da Exposição Fotográfica O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTOR...
Catálogo da Exposição Fotográfica O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTOR...
Viegas Fernandes da Costa
 
A redução sociológica de Guerreiro Ramos
A redução sociológica de Guerreiro RamosA redução sociológica de Guerreiro Ramos
A redução sociológica de Guerreiro Ramos
Viegas Fernandes da Costa
 

Mais de Viegas Fernandes da Costa (20)

Tombamento das Dunas da Ribanceira do Município de Imbituba (SC): parecer téc...
Tombamento das Dunas da Ribanceira do Município de Imbituba (SC): parecer téc...Tombamento das Dunas da Ribanceira do Município de Imbituba (SC): parecer téc...
Tombamento das Dunas da Ribanceira do Município de Imbituba (SC): parecer téc...
 
Antigos reinos africanos
Antigos reinos africanosAntigos reinos africanos
Antigos reinos africanos
 
Hemeroteca Digital Catarinense
Hemeroteca Digital CatarinenseHemeroteca Digital Catarinense
Hemeroteca Digital Catarinense
 
Território em disputa: o reconhecimento das Dunas da Ribanceira (Imbituba, SC...
Território em disputa: o reconhecimento das Dunas da Ribanceira (Imbituba, SC...Território em disputa: o reconhecimento das Dunas da Ribanceira (Imbituba, SC...
Território em disputa: o reconhecimento das Dunas da Ribanceira (Imbituba, SC...
 
Tarde.
Tarde. Tarde.
Tarde.
 
A INCLUSÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO DE GAROPABA (SC) NO PROJETO DE FORTALEC...
A INCLUSÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO DE GAROPABA (SC) NO PROJETO DE FORTALEC...A INCLUSÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO DE GAROPABA (SC) NO PROJETO DE FORTALEC...
A INCLUSÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO DE GAROPABA (SC) NO PROJETO DE FORTALEC...
 
Centro histórico de Garopaba: relações entre patrimônio e identidade
Centro histórico de Garopaba: relações entre patrimônio e identidadeCentro histórico de Garopaba: relações entre patrimônio e identidade
Centro histórico de Garopaba: relações entre patrimônio e identidade
 
Educação Patrimonial_Aulas 1 e 2
Educação Patrimonial_Aulas 1 e 2Educação Patrimonial_Aulas 1 e 2
Educação Patrimonial_Aulas 1 e 2
 
Turismo e paisagens históricas nas vilas litorâneas catarinenses
Turismo e paisagens históricas nas vilas litorâneas catarinensesTurismo e paisagens históricas nas vilas litorâneas catarinenses
Turismo e paisagens históricas nas vilas litorâneas catarinenses
 
TURISMO ARQUEOLÓGICO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: A possibilidade de aprov...
 TURISMO ARQUEOLÓGICO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: A possibilidade de aprov... TURISMO ARQUEOLÓGICO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: A possibilidade de aprov...
TURISMO ARQUEOLÓGICO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: A possibilidade de aprov...
 
História de Santa Catarina
História de Santa CatarinaHistória de Santa Catarina
História de Santa Catarina
 
Turismo, vestígios arqueológicos e perspectivas de desenvolvimento em garopab...
Turismo, vestígios arqueológicos e perspectivas de desenvolvimento em garopab...Turismo, vestígios arqueológicos e perspectivas de desenvolvimento em garopab...
Turismo, vestígios arqueológicos e perspectivas de desenvolvimento em garopab...
 
Historia da arte 1
Historia da arte 1Historia da arte 1
Historia da arte 1
 
História de Garopaba, Imbituba e Imaruí
História de Garopaba, Imbituba e ImaruíHistória de Garopaba, Imbituba e Imaruí
História de Garopaba, Imbituba e Imaruí
 
Patrimônio pré colonial de Garopaba e Imbituba
Patrimônio pré colonial de Garopaba e ImbitubaPatrimônio pré colonial de Garopaba e Imbituba
Patrimônio pré colonial de Garopaba e Imbituba
 
Cultura, Memória, Identidade e Desenvolvimento
Cultura, Memória, Identidade e DesenvolvimentoCultura, Memória, Identidade e Desenvolvimento
Cultura, Memória, Identidade e Desenvolvimento
 
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnicaHistória de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
História de Santa Catarina: imigração e pluralidade étnica
 
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)
Aula Patrimônio material e imaterial (com foco em Santa Catarina)
 
Catálogo da Exposição Fotográfica O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTOR...
Catálogo da Exposição Fotográfica O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTOR...Catálogo da Exposição Fotográfica O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTOR...
Catálogo da Exposição Fotográfica O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTOR...
 
A redução sociológica de Guerreiro Ramos
A redução sociológica de Guerreiro RamosA redução sociológica de Guerreiro Ramos
A redução sociológica de Guerreiro Ramos
 

Último

DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 

Último (20)

DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 

Iluminismo II: as Revoluções inglesas

  • 1. ILUMINISMO II (As Revoluções Inglesas) Profº Viegas Fernandes da Costa
  • 2. LIBERALISMO ECONÔMICO (SÉCULO XVIII) “Deixai fazer, deixai passar e o mundo marcha sozinho”. Fisiocratas: criticam o mercantilismo (que previa a intervenção do Estado) e defendiam as atividades econômicas naturais (agricultura, mineração e extrativismo) como as principais fontes de riqueza. Adam Smith afirmava que o trabalho produtivo, e não a agricultura, era a verdadeira fonte de riqueza. David Ricardo, Thomas Malthus, John Stuart Mill etc...
  • 3.
  • 4. REVOLUÇÕES BURGUESAS: Revoluções que romperam com o Antigo Regime, eliminando o absolutismo e o mercantilismo.
  • 5. REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII -burguesia e pequena nobreza uniram-se para assumir o poder. -consolidação do parlamentarismo. - Revolução Puritana (1640) – República de Cromwell Causas: Crise de sucessão após a morte de Elisabeth I (1603) Políticas autoritárias de Carlos I Tentativa de impor aos escoceses o anglicanismo Cobrança de novos impostos Oliver Cromwell e Carlos I morto, tela de Paul Delaroche (1797-1856)
  • 6. Insatisfação generalizada obriga o rei a convocar o Parlamento em 1640. -Parlamento inglês era composto por duas Câmaras: Câmaras dos Lordes e Câmara dos comuns. - Câmara dos Lordes: nobreza clerical e nobreza temporal, que eram proprietários da maior parte das terras, e controlavam boa parte da administração pública e da justiça. - Câmara dos comuns: grande burguesia e pequena nobreza rural.
  • 7. -Surgimento do Exército de Novo Tipo, liderado por Oliver Cromwell e que reunia combatentes da pequena burguesia e da plebe (puritanos). Setores deste exército defendiam a distribuição de terras (reforma agrária). Estes setores foramduramente perseguidos por Cromwell. - Em 1649 foi ordenada a decapitação de Carlos I por traição e fundada a República. A Câmara dos Lordes foi extinta e Cromwell assume a presidência do Conselho de Estado. -A guerra civil gera pobreza, falta de alimentos e insatisfação popular. - Cromwell elimina as resistências, e passa a ser visto como um tirano. Dissolveu o Parlamento. Logo após sua morte, em 1658, é sucedido pelo filho e a República Puritana chega ao fim.
  • 8. A execução de Carlos I. National Galleries of Scotland
  • 10. Revolução Gloriosa (1680) -Após Carlos II tentar isentar católicos de taxas e indicar líderes destes para cargos no governo, é deposto e substituído por Guilherme de Orange da Holanda (Revolução Gloriosa) -Novas Leis: - Toleraction Act concedeu liberdade religiosa aos cristãos (exceto católicos). - Bill of Rights: conjunto de leis que submetia o julgamento dos indivíduos a um júri, condenou punições cruéis e multas exageradas e submeteu o poder do rei ao parlamento.
  • 11. INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA Campus São José ILUMINISMO II: As revoluções inglesas Professor Viegas Fernandes da Costa 14/04/2014.