SlideShare uma empresa Scribd logo
Ida ao show da Ivete versão resumida
De Karl Valentin tradução e adaptação de Silvio Selva
Personagens
As irmãs
ATO ÚNICO
Uma, na mesa arrumando coisas da casa, chega a outra.
1- Adivinha só, quando eu tava chegando, eis que a nossa vizinha deu uma
coisa que ganhou no sorteio da rádio. Adivinha?
2- Deixe de ser criança. Diz logo.
1- Dois ingressos da Expo pra ver a Ivete.
2- Muito obrigado, mas por que não vai ela mesma, essa velha rabugenta?
1- Ah, sem dúvida ela não tem tempo.
2- Ah, é? Ela não tem tempo e nós temos de ter tempo?
1 Não seja mal agradecida.
2 Você sabe muito bem que essa mulher tem uma bronca com a gente, senão,
não teria dado os ingressos pra nós.
1 Mas ela só queria nos fazer uma gentileza.
2 Ela? Para nós? E por acaso nós já lhe fizemos alguma gentileza?
1 Então, você vai comigo?
2 E quando é que isso começa?
1 Eu não sei. Vou perguntar pra ela.
2 Tá bom, começa às dez horas.
1 Já são quinze pras nove. As dez horas a gente nunca vai estar pronta, mas,
geralmente, os shows da Expo só começam mais tarde, às onze horas.
2 Começam entre nove e dez horas..
1 Antes das dez horas, não.
2 Bom, então, o que a gente faz?
1 Não tem o que ficar pensando, vamos.
2 Mas nós ainda não jantamos.
1 A janta está pronta.
2 A gente come lanche no Recinto!!!
1 É pode ser (Ela sai, a outra pega um espelho e o põe à mesa: o espelho
cai sempre.). Bom, agora não vamos mais perder tempo. (Vê o espelho
caindo.) Ah, mais essa! Põe ele direito! (Ela consegue fazer o espelho ficar
em pé, mas ao contrário.)
2 Mas eu não posso olhar nele assim.
1 Pois bem, vire ele. (ela vira o espelho, mas ele continua caindo. A outra
conserta, ela se penteia). Eu gostaria de saber o que você tem pra pentear?
Você não consegue nem repartir esse cabelinho que você tem.
2 É um hábito que eu tenho e mantenho.
1 Como você pode ser tão vaidosa? Pra quem que você quer ficar bonita?
Você não precisa agradar ninguém.
2 Pode ser que na Expo, um moço bonito fica do meu lado.
1 E você acha que ele vai te olhar? É pra Ivete que ela vai olhar que ele vai
olhar.
2 Eu quis dizer antes de começar, ué.
Uma se lembra da afilhada
2 E a menina? O que a gente faz com o menino quando ela voltar da escola?
1 Já pensei nisso. A gente já deixa o jantar quente e antes de sair escrevemos
um bilhete. Você continua só a comer; eu vou escrever (Pega papel e lápis).
Bem, vou escrever que nós não estamos em casa.
2 Não precisa escrever isso; ela vai ver. Tem que escrever que nós saímos.
1 Mas é isso que eu queria dizer. Eu vou escrever que nós não estamos aqui,
porque saímos.
2 Escreva: “Bauru 24 de julho...”
1 Não, eu vou escrever: “Querida...”
As duas – Mas como é que ela se chama mesmo?
1 Você, devia saber como é que se chama a menina, você que é madrinha
dela.
2 Você é a minha irmã e é mais esperta e também é madrinha. Você é que
deveria saber.
1 É que a gente sempre chama ela de “minina”, minha filha. Mas, como é que
ela se chama?
2 Espera, eu vou perguntar à vizinha.
1 Não. Nós vamos conseguir lembrar (faz uma pequena oração); Jesus...
Maria... José...Ah. é lembrei, é Maria José de Jesus. Bom... (Volta escrever)
“Minha cara Maria...”
2 Você não pode escrever isso porque ela é minha também.
1 Nesse caso eu vou escrever: “Nossa querida Maria José...”
2 “Muito honrada senhora nossa querida Maria José”
1 “Sua janta está no forno. Aqueça novamente porque pode esfriar.”
2 Pode esfriar porque já estamos no inverno.
1 Mas eu estou falando do jantar, que pode esfriar e que nós temos de ir na
Ivete.
2 Mas se não temos vontade não temos de ir.
1 Então eu vou escrever: que nós podemos... Temos a oportunidade...
Queremos... Devemos...
2 Escreve; nós vamos.
1 Mas quando ela ler esse bilhete nós já teremos saído.
2 Então escreve: “nós fomos...”
1 “No caso da expo não abrir ou estar fechada, nós voltaremos, pra casa.
Receba as saudações...”
2 “As mais respeitosas...”
1 “... das suas madrinha que saíram, assim como as minha”
2 Você já está incluída nas madrinha.
1 E agora bota um ponto final, senão aquela tonta vai continuar lendo.
2 Eu vou escrever: “ No caso de você preferir sua janta fria, você não precisa
esquentar”
1 “Porque senão ficará muito quente.” Agora vamos deixar o bilhete na mesa...
Mas, pode ser que na mesa ela não veja, normalmente, ela entra pela porta...
Bem, vamos deixar o bilhete no chão... Mas se ela estiver com os sapatos
sujos ele não vai poder mais ler. (Ela põe o bilhete na mesa e coloca o vaso
por cima). Ai, não pode. Com o jarro de flores ele vai pensar que é o
aniversário dela.
2 Mas não é o aniversário dela.
1 Mas isso vai confundir ela. Ela é lesadinha
(põe a carta no espelho).
2 É sensacional, olha: ela entra, vai até ali, se olha no espelho pra se pentear
e diz: o que será esse bilhete? E então o vê.
1 Nós, é claro, vemos porque nós sabemos que ali tem um bilhete, mas ela não
tem a menor ideia. E se ela não olhar no espelho?
2 Mas é necessário que ela olhe.
1 Mas se ela não olhar, você terá posto o bilhete à toa.
2 Bem, espera... Eu continuo... Agora você escreve outro bilhete: “Quando
você chegar olha logo no espelho”
1 Eu vou escrever: “Quando você chegar, olhe logo no espelho que você vai
ver uma coisa.” Bem, agora que nós perdemos tanto tempo com esses
bilhetes, já vão dar quase nove e meia . Felizmente o a Ivete só começa às
onze horas.
2 Começa às dez.
1 Eu acho que vou lavar a louça só amanhã de manhã, senão vai ficar muito
tarde. (Tira a mesa. A outra procura por todos os lugares, abre as gavetas,
procura por todos os lugares.) Pronto vai começar a caçada na presilha de
cabelo, eu já dei mil presilha procê.
2 É muito mil presilha. Eu só preciso de duas.
Acha uma presilha e mostra feliz para outra
1 Bem, então eu vou me preparar. Ah, eu preciso ir de novo à cozinha. (Ela
sai.)
2 (Gritando para fora.) Onde você colocou a outra presilha?
1 (Off.) No mesmo lugar que você deixou ontem.
tenta desesperadamente colocar a presilha, mas não se acerta
2 (Para fora.) Irmã, me ajuda a por minhas presilha, pelo amor de Deus, antes
que eu fique louca.
A outra volta.
1 (Apertando as presilhas) Eu vou me vestir. Assim pelo menos uma vai ficar
pronto na hora. Ponho meu vestido preto?
2 Pode ser.
1 Ou será que eu boto o marrom?
2 Pode ser.
1 Eu não posso botar os dois ao mesmo tempo. É perda de tempo lhe
perguntar alguma coisa. Bem eu vou botar o marrom mesmo. Numa outra
oportunidade eu uso o preto. (Ela sai. E volta com o vestido marrom). Será
que dava pra você fechar meu vestido que eu não posso fazer isso sozinha.
2 Ah, meu Deus, de novo os quinhentos botão. Quando a gente consegue
botar um maldito botão, o outro solta.
1 Para de resmungar e acaba logo com isso.
2 Isso não é roupa que se faça.
(com dois chapéus de caubói na mão, experimenta um).
1 Acho que esse chapéu não combina com meu vestido marrom.
2 Anda logo, agora vai se fantasiar de vaqueira?
1 (Faz que vai, mas não vai) Ai, antes de sair ainda tenho que dar um jeito na
casa.
2 No seu lugar eu ainda levaria a escada e limparia o chão da cozinha para
bancar a empregadinha caprichosa!
1 Não seja mal agradecida. Na próxima vez, que essa vizinha vá ela mesma na
Ivete e não venha encher o saco dos outros. É assim... Toda vez que aparece
alguma coisa que pode me dar um pouco de distração, é assim. Eu só sirvo
para trabalhar o ano inteiro.
2 E eu para trabalhar pra fora.
1 Pronto! Vai começar tudo de novo... Já conheço essa história... Você não vai
mais parar por nada... Vamos discutir até a Ivete... Na Ivete vamos continuar
discutindo... Até o fim da noite não vamos fazer outra coisas a não ser discutir.
Quer saber de uma coisa, eu fico em casa e você vai sozinha na Ivete.
senta e chora.
2 Como é que vou sozinha com dois ingressos?
1 Que culpa eu tenho, meu Deus, se me deram dois ingressos?
2 Eu já esperava por essa. Vamos!
1 Eu estou irritada... Não suporto essas discussões. Eu não quero mais sair...
Não posso mais sair. Você pode ir na Ivete com quem você quiser. Agora eu
vou tirar minha roupa e vou para a cama. Ai, que enxaqueca infernal.
2 (Dando um remédio para ela) Ora, toma esse comprimido pra dor de
cabeça.
1 Para isso não preciso de você. (Pega o comprimido.) Vai embora, já que
você quer ir.
Ela toma o comprimido e sai. A irmã vê que comprimido deu.
2 Você já tomou o comprimido? Cospe ele de volta!
1 Já tomei. Você não me deu comprimido certo?
2 Você engole qualquer coisa que a gente dá para você.
1 Pelo amor de Deus, o que você me deu?
2 Remédio de prisão de ventre, mas essas homeopatias tem tudo vidrinho igual
1 Você me deu purgante? Deixa eu ver essa porcaria. Está escrito: efeito
imediato. Ação em uma hora. Agora são nove e meia e às dez e meia a gente
vai estar exatamente na Ivete. Aí, então vai começar dor de barriga.
2 Não começa às dez e meia. Vamos logo.
1 Mas ainda você está vestida dessa maneira. Quando é que você vai perder
essa mania de andar toda desarrumada. Que roupa é essa?
2 É roupa de trabalhar.
1 Você não vai na Ivete com essa roupa de jeito nenhum. É a mais velha que
você tem. Tem mais de quinze dias que você não tira.
2 Mas isso ninguém vai notar.
1 Mas eu não saio com você com essa roupa de forma alguma. O que as
pessoas vão pensar de nós... Que somos pobres?.
2 Ah, não tem importância. Nóis é pobre mesmo
1 Não senhora, você vai tirar essa roupa já e botar outra. Eu vou lá pegar (Sai).
2 Eu nunca vou esquecer essa noite... Nunca mais, nunca mais vou na Expo.
Ela volta com um vestido
2 (Pega. Ao pegar vê que é tamanho pequeno) – Aí, meu Deus... Aí, meu
Deus...
1 Mas é um vestido da menina. É a única que havia dentro do guarda-roupa.
Você é engraçada, deixa suas roupas sujas e não bota pra lavar. Faz o
seguinte: um casaco por cima, tá frio mesmo. Olhe, aqui tem um limpo.
2 Mas esse é muito grande.
1 Bem, então faz uma barra (começa dobrar a barra)
2 Anda logo senão vamos perder a hora. (A irmã continua dobrando).
1 Desse jeito a gente vai chegar atrasado. Vamos ter de pegar dois mototaxi se
quisermos pegar o começo da Ivete.. Ih, a gente ia esquecer os binóculos que
eu comprei no bazar da igreja.
(Ela pára de ajudá-la e vai pegar o binóculo. Bota na mão da irmã e volta a
ajudar. O binóculo cai).
2 Quebrou...
1 Pra mim é o chega. (Abre a caixa, está vazia). Ainda bem que eles não
estão aqui, senão estariam em pedaços. Vamos assim mesmo. Você pegou as
chaves da casa? Ah, não se esqueça de fechar as janelas, nunca se sabe
quando vai cair um temporal.
2 Anda, anda.
1 Apague as luzes.
2(No escuro) - Os ingressos estão com você?
1 Não, estão com você.
2 Comigo? Deixa eu acender as luzes. (Começa a procurar).
1 Eu dei pra você logo que eu vim da rua.
2 Vai ver que caíram no chão.
1 Eu vou dizer uma coisa: na próxima vez que alguém me convidar para ir na
Ivete, vou ter um chilique. Se ao menos a gente achasse os ingressos... Como
vamos entrar sem eles?
2 Estão aqui.
1 Até que enfim. Vou botá-los na minha bolsa senão é capaz de você perde-los
de novo. Eu só queria saber se as outras pessoas, quando saem, é
exatamente como nós.
2 Exatamente igual.
1 Eu não acredito que possa ser assim em nenhum lugar do mundo.
2 É que ninguém diz, só isso.
1 Deixa eu conferir a hora que começa. Está aqui: começa as onze. Quem
tinha razão, mas uma vez? Eu sempre tenho razão. Está escrito aqui no
ingresso: o espetáculo tem início as onze em ponto.
2 (Conferindo.) É, você tem razão. Início às onze em ponto, sexta-feira, 25 de
julho.
1 Como? Sexta-feira? Mas hoje é quinta!!!
(Os duas se entreolham petrificadas, começa tocar “A festa” de Ivete
Sangalo).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vampire knigth - " Um dia de São Valentim um tanto...complicado!"
Vampire knigth - " Um dia de São Valentim um tanto...complicado!"Vampire knigth - " Um dia de São Valentim um tanto...complicado!"
Vampire knigth - " Um dia de São Valentim um tanto...complicado!"
Cantinho_Sayra
 
A tal noite
A tal noiteA tal noite
A tal noite
thais_domingues
 
Um amor cego
Um amor cegoUm amor cego
Um amor cego
Donizete Soares
 
O ASSASSINO X
O ASSASSINO XO ASSASSINO X
O ASSASSINO X
rosana28
 
Bida na Bila - Dossier de produção
Bida na Bila -  Dossier de produção Bida na Bila -  Dossier de produção
Bida na Bila - Dossier de produção
Arménio Pimenta
 
Pegadas de sangue
Pegadas de sanguePegadas de sangue
Pegadas de sangue
Lucas Zanella
 
A minha história de vida abreviada
A minha história de vida abreviadaA minha história de vida abreviada
A minha história de vida abreviada
Patricia de Portugal
 
Por detrás das paredes...
Por detrás das paredes...Por detrás das paredes...
Por detrás das paredes...
joaoalmeiida
 
Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
 Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
tecnicasaccaoeducativa
 
Bida na bila
Bida na bilaBida na bila
Bida na bila
Arménio Pimenta
 
As preces sao_imutavis_tuna_kiremitci
As preces sao_imutavis_tuna_kiremitciAs preces sao_imutavis_tuna_kiremitci
As preces sao_imutavis_tuna_kiremitci
Sá Editora
 
Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
 Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
tecnicasaccaoeducativa
 
Verônica Romances - CAP.01 O morro dos ventos uivantes
Verônica Romances - CAP.01 O morro dos ventos uivantesVerônica Romances - CAP.01 O morro dos ventos uivantes
Verônica Romances - CAP.01 O morro dos ventos uivantes
Jean Souza
 
Fotonovela[1]
Fotonovela[1]Fotonovela[1]
Se essa rua fosse minha
Se essa rua fosse minhaSe essa rua fosse minha
Se essa rua fosse minha
Adélia Nicolete
 
Supernatural.diario.de.john.winchester.by.brazilseries
Supernatural.diario.de.john.winchester.by.brazilseriesSupernatural.diario.de.john.winchester.by.brazilseries
Supernatural.diario.de.john.winchester.by.brazilseries
purgatoriospn
 
Balneário
BalneárioBalneário
Balneário
Constantino Alves
 
Anorexia - Dominique Brand
Anorexia - Dominique BrandAnorexia - Dominique Brand
Anorexia - Dominique Brand
Moradores do Ype
 
Fic fe - o rompimento
Fic  fe - o rompimentoFic  fe - o rompimento
Fic fe - o rompimento
EmilyFE2011
 

Mais procurados (19)

Vampire knigth - " Um dia de São Valentim um tanto...complicado!"
Vampire knigth - " Um dia de São Valentim um tanto...complicado!"Vampire knigth - " Um dia de São Valentim um tanto...complicado!"
Vampire knigth - " Um dia de São Valentim um tanto...complicado!"
 
A tal noite
A tal noiteA tal noite
A tal noite
 
Um amor cego
Um amor cegoUm amor cego
Um amor cego
 
O ASSASSINO X
O ASSASSINO XO ASSASSINO X
O ASSASSINO X
 
Bida na Bila - Dossier de produção
Bida na Bila -  Dossier de produção Bida na Bila -  Dossier de produção
Bida na Bila - Dossier de produção
 
Pegadas de sangue
Pegadas de sanguePegadas de sangue
Pegadas de sangue
 
A minha história de vida abreviada
A minha história de vida abreviadaA minha história de vida abreviada
A minha história de vida abreviada
 
Por detrás das paredes...
Por detrás das paredes...Por detrás das paredes...
Por detrás das paredes...
 
Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
 Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
 
Bida na bila
Bida na bilaBida na bila
Bida na bila
 
As preces sao_imutavis_tuna_kiremitci
As preces sao_imutavis_tuna_kiremitciAs preces sao_imutavis_tuna_kiremitci
As preces sao_imutavis_tuna_kiremitci
 
Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
 Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
Os Dez Anõezinhos da Tia Verde Água
 
Verônica Romances - CAP.01 O morro dos ventos uivantes
Verônica Romances - CAP.01 O morro dos ventos uivantesVerônica Romances - CAP.01 O morro dos ventos uivantes
Verônica Romances - CAP.01 O morro dos ventos uivantes
 
Fotonovela[1]
Fotonovela[1]Fotonovela[1]
Fotonovela[1]
 
Se essa rua fosse minha
Se essa rua fosse minhaSe essa rua fosse minha
Se essa rua fosse minha
 
Supernatural.diario.de.john.winchester.by.brazilseries
Supernatural.diario.de.john.winchester.by.brazilseriesSupernatural.diario.de.john.winchester.by.brazilseries
Supernatural.diario.de.john.winchester.by.brazilseries
 
Balneário
BalneárioBalneário
Balneário
 
Anorexia - Dominique Brand
Anorexia - Dominique BrandAnorexia - Dominique Brand
Anorexia - Dominique Brand
 
Fic fe - o rompimento
Fic  fe - o rompimentoFic  fe - o rompimento
Fic fe - o rompimento
 

Destaque

C:\fakepath\licensing 071210
C:\fakepath\licensing 071210C:\fakepath\licensing 071210
C:\fakepath\licensing 071210
mfprotts
 
Retirement0430
Retirement0430Retirement0430
Retirement0430
mfprotts
 
Codex seraphinianus
Codex seraphinianusCodex seraphinianus
Codex seraphinianus
Lorian
 
Fotos Bar Dardo
Fotos Bar DardoFotos Bar Dardo
Fotos Bar Dardo
guest69c055
 
Presentation1
Presentation1Presentation1
Presentation1
Lydia111
 
Unión Europea - Jesus, David, Ana, Aroa
Unión Europea - Jesus, David, Ana, AroaUnión Europea - Jesus, David, Ana, Aroa
Unión Europea - Jesus, David, Ana, Aroa
Manuel Segura
 
32 Ways a Digital Marketing Consultant Can Help Grow Your Business
32 Ways a Digital Marketing Consultant Can Help Grow Your Business32 Ways a Digital Marketing Consultant Can Help Grow Your Business
32 Ways a Digital Marketing Consultant Can Help Grow Your Business
Barry Feldman
 

Destaque (7)

C:\fakepath\licensing 071210
C:\fakepath\licensing 071210C:\fakepath\licensing 071210
C:\fakepath\licensing 071210
 
Retirement0430
Retirement0430Retirement0430
Retirement0430
 
Codex seraphinianus
Codex seraphinianusCodex seraphinianus
Codex seraphinianus
 
Fotos Bar Dardo
Fotos Bar DardoFotos Bar Dardo
Fotos Bar Dardo
 
Presentation1
Presentation1Presentation1
Presentation1
 
Unión Europea - Jesus, David, Ana, Aroa
Unión Europea - Jesus, David, Ana, AroaUnión Europea - Jesus, David, Ana, Aroa
Unión Europea - Jesus, David, Ana, Aroa
 
32 Ways a Digital Marketing Consultant Can Help Grow Your Business
32 Ways a Digital Marketing Consultant Can Help Grow Your Business32 Ways a Digital Marketing Consultant Can Help Grow Your Business
32 Ways a Digital Marketing Consultant Can Help Grow Your Business
 

Semelhante a Ida ao Show da Ivete, segunda versão

CLARICE
CLARICECLARICE
CLARICE
WeslleyWyzz
 
Uma palavra pode mudar uma vida
Uma palavra pode mudar uma vidaUma palavra pode mudar uma vida
Uma palavra pode mudar uma vida
Donizete Soares
 
O Sapo Apaixonado
O Sapo ApaixonadoO Sapo Apaixonado
O Sapo Apaixonado
Oscar Maluche
 
-------- 2° capítulo
 -------- 2° capítulo -------- 2° capítulo
-------- 2° capítulo
Andressa Mendes
 
A separação de dois esposos
A separação de dois espososA separação de dois esposos
A separação de dois esposos
Gladis Maia
 
Conto de Natal 7ºC
Conto de Natal 7ºCConto de Natal 7ºC
Conto de Natal 7ºC
Ana Lúcia Freilão Água
 
Cordélia brasil pronto
Cordélia brasil prontoCordélia brasil pronto
Cordélia brasil pronto
Joana Schnitman
 
Peças para dia das mães
Peças para dia das mães Peças para dia das mães
Peças para dia das mães
Anedina Izabel
 
304 boneca rosa-branca
304   boneca rosa-branca304   boneca rosa-branca
304 boneca rosa-branca
mariaeduardadias
 
304 boneca rosa-branca
304   boneca rosa-branca304   boneca rosa-branca
304 boneca rosa-branca
EFEvelyn
 
O pai natal verde
O  pai natal verdeO  pai natal verde
O pai natal verde
Constantino Alves
 
Rotina
RotinaRotina
Rotina
RotinaRotina
Rotina
QSEJAETERNO
 
Rotina...
Rotina...Rotina...
Rotina...
CARLOS CAVALLINI
 
Rotina
Rotina Rotina
Rotina
guest7163ebe5
 
Crónicas[1]
Crónicas[1]Crónicas[1]
Crónicas[1]
escola
 
O Diário de Juliana
O Diário de JulianaO Diário de Juliana
O Diário de Juliana
Cybele Meyer
 
Uma Estrela Atrás Da Porta
Uma Estrela Atrás Da PortaUma Estrela Atrás Da Porta
Uma Estrela Atrás Da Porta
Maria Borges
 
304 boneca rosa-branca
304   boneca rosa-branca304   boneca rosa-branca
304 boneca rosa-branca
Manu Silveira
 
O Espírito Natalino - Beth Martins
O Espírito Natalino -  Beth MartinsO Espírito Natalino -  Beth Martins
O Espírito Natalino - Beth Martins
Irene Aguiar
 

Semelhante a Ida ao Show da Ivete, segunda versão (20)

CLARICE
CLARICECLARICE
CLARICE
 
Uma palavra pode mudar uma vida
Uma palavra pode mudar uma vidaUma palavra pode mudar uma vida
Uma palavra pode mudar uma vida
 
O Sapo Apaixonado
O Sapo ApaixonadoO Sapo Apaixonado
O Sapo Apaixonado
 
-------- 2° capítulo
 -------- 2° capítulo -------- 2° capítulo
-------- 2° capítulo
 
A separação de dois esposos
A separação de dois espososA separação de dois esposos
A separação de dois esposos
 
Conto de Natal 7ºC
Conto de Natal 7ºCConto de Natal 7ºC
Conto de Natal 7ºC
 
Cordélia brasil pronto
Cordélia brasil prontoCordélia brasil pronto
Cordélia brasil pronto
 
Peças para dia das mães
Peças para dia das mães Peças para dia das mães
Peças para dia das mães
 
304 boneca rosa-branca
304   boneca rosa-branca304   boneca rosa-branca
304 boneca rosa-branca
 
304 boneca rosa-branca
304   boneca rosa-branca304   boneca rosa-branca
304 boneca rosa-branca
 
O pai natal verde
O  pai natal verdeO  pai natal verde
O pai natal verde
 
Rotina
RotinaRotina
Rotina
 
Rotina
RotinaRotina
Rotina
 
Rotina...
Rotina...Rotina...
Rotina...
 
Rotina
Rotina Rotina
Rotina
 
Crónicas[1]
Crónicas[1]Crónicas[1]
Crónicas[1]
 
O Diário de Juliana
O Diário de JulianaO Diário de Juliana
O Diário de Juliana
 
Uma Estrela Atrás Da Porta
Uma Estrela Atrás Da PortaUma Estrela Atrás Da Porta
Uma Estrela Atrás Da Porta
 
304 boneca rosa-branca
304   boneca rosa-branca304   boneca rosa-branca
304 boneca rosa-branca
 
O Espírito Natalino - Beth Martins
O Espírito Natalino -  Beth MartinsO Espírito Natalino -  Beth Martins
O Espírito Natalino - Beth Martins
 

Mais de studio silvio selva

Lei 1574 71- Estatuto dos Servidores Municipais de Bauru
Lei 1574 71- Estatuto dos Servidores Municipais de BauruLei 1574 71- Estatuto dos Servidores Municipais de Bauru
Lei 1574 71- Estatuto dos Servidores Municipais de Bauru
studio silvio selva
 
Cenotécnicos do Brasil
Cenotécnicos do BrasilCenotécnicos do Brasil
Cenotécnicos do Brasil
studio silvio selva
 
Vamos sair da chuva quando a bomba cair mario bortolotto
Vamos sair da chuva quando a bomba cair  mario bortolotto Vamos sair da chuva quando a bomba cair  mario bortolotto
Vamos sair da chuva quando a bomba cair mario bortolotto
studio silvio selva
 
Gabriel garcia marques ninguém escreve ao coronel
Gabriel garcia marques   ninguém escreve ao coronelGabriel garcia marques   ninguém escreve ao coronel
Gabriel garcia marques ninguém escreve ao coronel
studio silvio selva
 
As alegres matronas de windsor W. Shakespeare
As alegres matronas de windsor W. ShakespeareAs alegres matronas de windsor W. Shakespeare
As alegres matronas de windsor W. Shakespeare
studio silvio selva
 
"Alegres senhoras de Windsor" William Shakespeare,
"Alegres senhoras de Windsor"  William Shakespeare, "Alegres senhoras de Windsor"  William Shakespeare,
"Alegres senhoras de Windsor" William Shakespeare,
studio silvio selva
 
'O casamento do pequeno burgues' bertolt brecht
'O casamento do pequeno burgues'   bertolt brecht'O casamento do pequeno burgues'   bertolt brecht
'O casamento do pequeno burgues' bertolt brecht
studio silvio selva
 
Fulana, Sicrana e Beltrana- Paulo Sacaldassy
Fulana, Sicrana e Beltrana- Paulo SacaldassyFulana, Sicrana e Beltrana- Paulo Sacaldassy
Fulana, Sicrana e Beltrana- Paulo Sacaldassy
studio silvio selva
 
Pastelão 1
Pastelão 1Pastelão 1
Pastelão 1
studio silvio selva
 
O pastel e a torta
O pastel e a tortaO pastel e a torta
O pastel e a torta
studio silvio selva
 
O pastelao e a torta
O pastelao e a tortaO pastelao e a torta
O pastelao e a torta
studio silvio selva
 
máscara cinematográfica de látex
máscara cinematográfica de látexmáscara cinematográfica de látex
máscara cinematográfica de látex
studio silvio selva
 
"Esperando godot" de Beckett
"Esperando godot" de Beckett"Esperando godot" de Beckett
"Esperando godot" de Beckett
studio silvio selva
 
Molière o tartufo
Molière o tartufoMolière o tartufo
Molière o tartufo
studio silvio selva
 
O 18 de Brumário de Luís Bonaparte
O 18 de Brumário de Luís BonaparteO 18 de Brumário de Luís Bonaparte
O 18 de Brumário de Luís Bonaparte
studio silvio selva
 
Mário Bortolotto "HOMENS, SANTOS E DESERTORES"
Mário Bortolotto "HOMENS, SANTOS E DESERTORES"Mário Bortolotto "HOMENS, SANTOS E DESERTORES"
Mário Bortolotto "HOMENS, SANTOS E DESERTORES"
studio silvio selva
 
Luigi pirandello "O Homem da Flor na Boca"
Luigi pirandello "O Homem da Flor na Boca"Luigi pirandello "O Homem da Flor na Boca"
Luigi pirandello "O Homem da Flor na Boca"
studio silvio selva
 
Luigi pirandello
Luigi pirandello Luigi pirandello
Luigi pirandello
studio silvio selva
 
Gonçalves dias leonor de mendonça
Gonçalves dias leonor de mendonçaGonçalves dias leonor de mendonça
Gonçalves dias leonor de mendonça
studio silvio selva
 
Anton tchekov os maleficios do tabaco
Anton tchekov os maleficios do tabacoAnton tchekov os maleficios do tabaco
Anton tchekov os maleficios do tabaco
studio silvio selva
 

Mais de studio silvio selva (20)

Lei 1574 71- Estatuto dos Servidores Municipais de Bauru
Lei 1574 71- Estatuto dos Servidores Municipais de BauruLei 1574 71- Estatuto dos Servidores Municipais de Bauru
Lei 1574 71- Estatuto dos Servidores Municipais de Bauru
 
Cenotécnicos do Brasil
Cenotécnicos do BrasilCenotécnicos do Brasil
Cenotécnicos do Brasil
 
Vamos sair da chuva quando a bomba cair mario bortolotto
Vamos sair da chuva quando a bomba cair  mario bortolotto Vamos sair da chuva quando a bomba cair  mario bortolotto
Vamos sair da chuva quando a bomba cair mario bortolotto
 
Gabriel garcia marques ninguém escreve ao coronel
Gabriel garcia marques   ninguém escreve ao coronelGabriel garcia marques   ninguém escreve ao coronel
Gabriel garcia marques ninguém escreve ao coronel
 
As alegres matronas de windsor W. Shakespeare
As alegres matronas de windsor W. ShakespeareAs alegres matronas de windsor W. Shakespeare
As alegres matronas de windsor W. Shakespeare
 
"Alegres senhoras de Windsor" William Shakespeare,
"Alegres senhoras de Windsor"  William Shakespeare, "Alegres senhoras de Windsor"  William Shakespeare,
"Alegres senhoras de Windsor" William Shakespeare,
 
'O casamento do pequeno burgues' bertolt brecht
'O casamento do pequeno burgues'   bertolt brecht'O casamento do pequeno burgues'   bertolt brecht
'O casamento do pequeno burgues' bertolt brecht
 
Fulana, Sicrana e Beltrana- Paulo Sacaldassy
Fulana, Sicrana e Beltrana- Paulo SacaldassyFulana, Sicrana e Beltrana- Paulo Sacaldassy
Fulana, Sicrana e Beltrana- Paulo Sacaldassy
 
Pastelão 1
Pastelão 1Pastelão 1
Pastelão 1
 
O pastel e a torta
O pastel e a tortaO pastel e a torta
O pastel e a torta
 
O pastelao e a torta
O pastelao e a tortaO pastelao e a torta
O pastelao e a torta
 
máscara cinematográfica de látex
máscara cinematográfica de látexmáscara cinematográfica de látex
máscara cinematográfica de látex
 
"Esperando godot" de Beckett
"Esperando godot" de Beckett"Esperando godot" de Beckett
"Esperando godot" de Beckett
 
Molière o tartufo
Molière o tartufoMolière o tartufo
Molière o tartufo
 
O 18 de Brumário de Luís Bonaparte
O 18 de Brumário de Luís BonaparteO 18 de Brumário de Luís Bonaparte
O 18 de Brumário de Luís Bonaparte
 
Mário Bortolotto "HOMENS, SANTOS E DESERTORES"
Mário Bortolotto "HOMENS, SANTOS E DESERTORES"Mário Bortolotto "HOMENS, SANTOS E DESERTORES"
Mário Bortolotto "HOMENS, SANTOS E DESERTORES"
 
Luigi pirandello "O Homem da Flor na Boca"
Luigi pirandello "O Homem da Flor na Boca"Luigi pirandello "O Homem da Flor na Boca"
Luigi pirandello "O Homem da Flor na Boca"
 
Luigi pirandello
Luigi pirandello Luigi pirandello
Luigi pirandello
 
Gonçalves dias leonor de mendonça
Gonçalves dias leonor de mendonçaGonçalves dias leonor de mendonça
Gonçalves dias leonor de mendonça
 
Anton tchekov os maleficios do tabaco
Anton tchekov os maleficios do tabacoAnton tchekov os maleficios do tabaco
Anton tchekov os maleficios do tabaco
 

Último

Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
Daniel273024
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 

Ida ao Show da Ivete, segunda versão

  • 1. Ida ao show da Ivete versão resumida De Karl Valentin tradução e adaptação de Silvio Selva Personagens As irmãs ATO ÚNICO Uma, na mesa arrumando coisas da casa, chega a outra. 1- Adivinha só, quando eu tava chegando, eis que a nossa vizinha deu uma coisa que ganhou no sorteio da rádio. Adivinha? 2- Deixe de ser criança. Diz logo. 1- Dois ingressos da Expo pra ver a Ivete. 2- Muito obrigado, mas por que não vai ela mesma, essa velha rabugenta? 1- Ah, sem dúvida ela não tem tempo. 2- Ah, é? Ela não tem tempo e nós temos de ter tempo? 1 Não seja mal agradecida. 2 Você sabe muito bem que essa mulher tem uma bronca com a gente, senão, não teria dado os ingressos pra nós. 1 Mas ela só queria nos fazer uma gentileza. 2 Ela? Para nós? E por acaso nós já lhe fizemos alguma gentileza? 1 Então, você vai comigo? 2 E quando é que isso começa? 1 Eu não sei. Vou perguntar pra ela. 2 Tá bom, começa às dez horas. 1 Já são quinze pras nove. As dez horas a gente nunca vai estar pronta, mas, geralmente, os shows da Expo só começam mais tarde, às onze horas. 2 Começam entre nove e dez horas.. 1 Antes das dez horas, não. 2 Bom, então, o que a gente faz? 1 Não tem o que ficar pensando, vamos. 2 Mas nós ainda não jantamos. 1 A janta está pronta. 2 A gente come lanche no Recinto!!! 1 É pode ser (Ela sai, a outra pega um espelho e o põe à mesa: o espelho cai sempre.). Bom, agora não vamos mais perder tempo. (Vê o espelho caindo.) Ah, mais essa! Põe ele direito! (Ela consegue fazer o espelho ficar em pé, mas ao contrário.) 2 Mas eu não posso olhar nele assim. 1 Pois bem, vire ele. (ela vira o espelho, mas ele continua caindo. A outra conserta, ela se penteia). Eu gostaria de saber o que você tem pra pentear? Você não consegue nem repartir esse cabelinho que você tem. 2 É um hábito que eu tenho e mantenho. 1 Como você pode ser tão vaidosa? Pra quem que você quer ficar bonita? Você não precisa agradar ninguém. 2 Pode ser que na Expo, um moço bonito fica do meu lado. 1 E você acha que ele vai te olhar? É pra Ivete que ela vai olhar que ele vai olhar. 2 Eu quis dizer antes de começar, ué. Uma se lembra da afilhada 2 E a menina? O que a gente faz com o menino quando ela voltar da escola?
  • 2. 1 Já pensei nisso. A gente já deixa o jantar quente e antes de sair escrevemos um bilhete. Você continua só a comer; eu vou escrever (Pega papel e lápis). Bem, vou escrever que nós não estamos em casa. 2 Não precisa escrever isso; ela vai ver. Tem que escrever que nós saímos. 1 Mas é isso que eu queria dizer. Eu vou escrever que nós não estamos aqui, porque saímos. 2 Escreva: “Bauru 24 de julho...” 1 Não, eu vou escrever: “Querida...” As duas – Mas como é que ela se chama mesmo? 1 Você, devia saber como é que se chama a menina, você que é madrinha dela. 2 Você é a minha irmã e é mais esperta e também é madrinha. Você é que deveria saber. 1 É que a gente sempre chama ela de “minina”, minha filha. Mas, como é que ela se chama? 2 Espera, eu vou perguntar à vizinha. 1 Não. Nós vamos conseguir lembrar (faz uma pequena oração); Jesus... Maria... José...Ah. é lembrei, é Maria José de Jesus. Bom... (Volta escrever) “Minha cara Maria...” 2 Você não pode escrever isso porque ela é minha também. 1 Nesse caso eu vou escrever: “Nossa querida Maria José...” 2 “Muito honrada senhora nossa querida Maria José” 1 “Sua janta está no forno. Aqueça novamente porque pode esfriar.” 2 Pode esfriar porque já estamos no inverno. 1 Mas eu estou falando do jantar, que pode esfriar e que nós temos de ir na Ivete. 2 Mas se não temos vontade não temos de ir. 1 Então eu vou escrever: que nós podemos... Temos a oportunidade... Queremos... Devemos... 2 Escreve; nós vamos. 1 Mas quando ela ler esse bilhete nós já teremos saído. 2 Então escreve: “nós fomos...” 1 “No caso da expo não abrir ou estar fechada, nós voltaremos, pra casa. Receba as saudações...” 2 “As mais respeitosas...” 1 “... das suas madrinha que saíram, assim como as minha” 2 Você já está incluída nas madrinha. 1 E agora bota um ponto final, senão aquela tonta vai continuar lendo. 2 Eu vou escrever: “ No caso de você preferir sua janta fria, você não precisa esquentar” 1 “Porque senão ficará muito quente.” Agora vamos deixar o bilhete na mesa... Mas, pode ser que na mesa ela não veja, normalmente, ela entra pela porta... Bem, vamos deixar o bilhete no chão... Mas se ela estiver com os sapatos sujos ele não vai poder mais ler. (Ela põe o bilhete na mesa e coloca o vaso por cima). Ai, não pode. Com o jarro de flores ele vai pensar que é o aniversário dela. 2 Mas não é o aniversário dela. 1 Mas isso vai confundir ela. Ela é lesadinha (põe a carta no espelho).
  • 3. 2 É sensacional, olha: ela entra, vai até ali, se olha no espelho pra se pentear e diz: o que será esse bilhete? E então o vê. 1 Nós, é claro, vemos porque nós sabemos que ali tem um bilhete, mas ela não tem a menor ideia. E se ela não olhar no espelho? 2 Mas é necessário que ela olhe. 1 Mas se ela não olhar, você terá posto o bilhete à toa. 2 Bem, espera... Eu continuo... Agora você escreve outro bilhete: “Quando você chegar olha logo no espelho” 1 Eu vou escrever: “Quando você chegar, olhe logo no espelho que você vai ver uma coisa.” Bem, agora que nós perdemos tanto tempo com esses bilhetes, já vão dar quase nove e meia . Felizmente o a Ivete só começa às onze horas. 2 Começa às dez. 1 Eu acho que vou lavar a louça só amanhã de manhã, senão vai ficar muito tarde. (Tira a mesa. A outra procura por todos os lugares, abre as gavetas, procura por todos os lugares.) Pronto vai começar a caçada na presilha de cabelo, eu já dei mil presilha procê. 2 É muito mil presilha. Eu só preciso de duas. Acha uma presilha e mostra feliz para outra 1 Bem, então eu vou me preparar. Ah, eu preciso ir de novo à cozinha. (Ela sai.) 2 (Gritando para fora.) Onde você colocou a outra presilha? 1 (Off.) No mesmo lugar que você deixou ontem. tenta desesperadamente colocar a presilha, mas não se acerta 2 (Para fora.) Irmã, me ajuda a por minhas presilha, pelo amor de Deus, antes que eu fique louca. A outra volta. 1 (Apertando as presilhas) Eu vou me vestir. Assim pelo menos uma vai ficar pronto na hora. Ponho meu vestido preto? 2 Pode ser. 1 Ou será que eu boto o marrom? 2 Pode ser. 1 Eu não posso botar os dois ao mesmo tempo. É perda de tempo lhe perguntar alguma coisa. Bem eu vou botar o marrom mesmo. Numa outra oportunidade eu uso o preto. (Ela sai. E volta com o vestido marrom). Será que dava pra você fechar meu vestido que eu não posso fazer isso sozinha. 2 Ah, meu Deus, de novo os quinhentos botão. Quando a gente consegue botar um maldito botão, o outro solta. 1 Para de resmungar e acaba logo com isso. 2 Isso não é roupa que se faça. (com dois chapéus de caubói na mão, experimenta um). 1 Acho que esse chapéu não combina com meu vestido marrom. 2 Anda logo, agora vai se fantasiar de vaqueira? 1 (Faz que vai, mas não vai) Ai, antes de sair ainda tenho que dar um jeito na casa. 2 No seu lugar eu ainda levaria a escada e limparia o chão da cozinha para bancar a empregadinha caprichosa! 1 Não seja mal agradecida. Na próxima vez, que essa vizinha vá ela mesma na Ivete e não venha encher o saco dos outros. É assim... Toda vez que aparece
  • 4. alguma coisa que pode me dar um pouco de distração, é assim. Eu só sirvo para trabalhar o ano inteiro. 2 E eu para trabalhar pra fora. 1 Pronto! Vai começar tudo de novo... Já conheço essa história... Você não vai mais parar por nada... Vamos discutir até a Ivete... Na Ivete vamos continuar discutindo... Até o fim da noite não vamos fazer outra coisas a não ser discutir. Quer saber de uma coisa, eu fico em casa e você vai sozinha na Ivete. senta e chora. 2 Como é que vou sozinha com dois ingressos? 1 Que culpa eu tenho, meu Deus, se me deram dois ingressos? 2 Eu já esperava por essa. Vamos! 1 Eu estou irritada... Não suporto essas discussões. Eu não quero mais sair... Não posso mais sair. Você pode ir na Ivete com quem você quiser. Agora eu vou tirar minha roupa e vou para a cama. Ai, que enxaqueca infernal. 2 (Dando um remédio para ela) Ora, toma esse comprimido pra dor de cabeça. 1 Para isso não preciso de você. (Pega o comprimido.) Vai embora, já que você quer ir. Ela toma o comprimido e sai. A irmã vê que comprimido deu. 2 Você já tomou o comprimido? Cospe ele de volta! 1 Já tomei. Você não me deu comprimido certo? 2 Você engole qualquer coisa que a gente dá para você. 1 Pelo amor de Deus, o que você me deu? 2 Remédio de prisão de ventre, mas essas homeopatias tem tudo vidrinho igual 1 Você me deu purgante? Deixa eu ver essa porcaria. Está escrito: efeito imediato. Ação em uma hora. Agora são nove e meia e às dez e meia a gente vai estar exatamente na Ivete. Aí, então vai começar dor de barriga. 2 Não começa às dez e meia. Vamos logo. 1 Mas ainda você está vestida dessa maneira. Quando é que você vai perder essa mania de andar toda desarrumada. Que roupa é essa? 2 É roupa de trabalhar. 1 Você não vai na Ivete com essa roupa de jeito nenhum. É a mais velha que você tem. Tem mais de quinze dias que você não tira. 2 Mas isso ninguém vai notar. 1 Mas eu não saio com você com essa roupa de forma alguma. O que as pessoas vão pensar de nós... Que somos pobres?. 2 Ah, não tem importância. Nóis é pobre mesmo 1 Não senhora, você vai tirar essa roupa já e botar outra. Eu vou lá pegar (Sai). 2 Eu nunca vou esquecer essa noite... Nunca mais, nunca mais vou na Expo. Ela volta com um vestido 2 (Pega. Ao pegar vê que é tamanho pequeno) – Aí, meu Deus... Aí, meu Deus... 1 Mas é um vestido da menina. É a única que havia dentro do guarda-roupa. Você é engraçada, deixa suas roupas sujas e não bota pra lavar. Faz o seguinte: um casaco por cima, tá frio mesmo. Olhe, aqui tem um limpo. 2 Mas esse é muito grande. 1 Bem, então faz uma barra (começa dobrar a barra) 2 Anda logo senão vamos perder a hora. (A irmã continua dobrando).
  • 5. 1 Desse jeito a gente vai chegar atrasado. Vamos ter de pegar dois mototaxi se quisermos pegar o começo da Ivete.. Ih, a gente ia esquecer os binóculos que eu comprei no bazar da igreja. (Ela pára de ajudá-la e vai pegar o binóculo. Bota na mão da irmã e volta a ajudar. O binóculo cai). 2 Quebrou... 1 Pra mim é o chega. (Abre a caixa, está vazia). Ainda bem que eles não estão aqui, senão estariam em pedaços. Vamos assim mesmo. Você pegou as chaves da casa? Ah, não se esqueça de fechar as janelas, nunca se sabe quando vai cair um temporal. 2 Anda, anda. 1 Apague as luzes. 2(No escuro) - Os ingressos estão com você? 1 Não, estão com você. 2 Comigo? Deixa eu acender as luzes. (Começa a procurar). 1 Eu dei pra você logo que eu vim da rua. 2 Vai ver que caíram no chão. 1 Eu vou dizer uma coisa: na próxima vez que alguém me convidar para ir na Ivete, vou ter um chilique. Se ao menos a gente achasse os ingressos... Como vamos entrar sem eles? 2 Estão aqui. 1 Até que enfim. Vou botá-los na minha bolsa senão é capaz de você perde-los de novo. Eu só queria saber se as outras pessoas, quando saem, é exatamente como nós. 2 Exatamente igual. 1 Eu não acredito que possa ser assim em nenhum lugar do mundo. 2 É que ninguém diz, só isso. 1 Deixa eu conferir a hora que começa. Está aqui: começa as onze. Quem tinha razão, mas uma vez? Eu sempre tenho razão. Está escrito aqui no ingresso: o espetáculo tem início as onze em ponto. 2 (Conferindo.) É, você tem razão. Início às onze em ponto, sexta-feira, 25 de julho. 1 Como? Sexta-feira? Mas hoje é quinta!!! (Os duas se entreolham petrificadas, começa tocar “A festa” de Ivete Sangalo).