SlideShare uma empresa Scribd logo
História da
Enfermagem
Enf° Gilberto de Jesus
Coren: 297647
Egito
 Os egípcios deixaram alguns documentos sobre a
medicina conhecida em sua época.
 As receitas médicas deviam ser tomadas
acompanhadas da recitação de fórmulas religiosas.
 Pratica-se o hipnotismo, a interpretação de sonhos;
acreditava-se na influência de algumas pessoas
sobre a saúde de outras.
 Havia ambulatório gratuito, onde era recomendada a
hospitalidade e o auxílio aos desamparados.
Índia
 Documentos do século VI a.C. nos dizem que os
hindus conheciam:
 ligamentos, músculos, nervos, plexos, vasos
linfáticos, antídotos para alguns tipos de
envenenamento e o processo digestivo.
 Realizavam alguns tipos de procedimentos, tais
como: suturas, amputações, trepanações e corrigiam
fraturas.
 Neste aspecto o budismo contribui para o
desenvolvimento da enfermagem e da medicina.
 Os hindus tornaram-se conhecidos pela
construção de hospitais. Foram os únicos, na
época, que citaram enfermeiros e exigiam
deles qualidades morais e conhecimentos
científicos.
 Nos hospitais eram usados músicos e
narradores de histórias para distrair os
pacientes.
 O bramanismo fez decair a medicina e a
enfermagem, pelo exagerado respeito ao
corpo humano - proibia a dissecação de
cadáveres e o derramamento de sangue. As
doenças eram consideradas castigo.
Assíria e Babilônia
 Entre os assírios e babilônios existiam
penalidades para médicos incompetentes,
tais como: amputação das mãos,
indenização, etc.
 A medicina era baseada na magia -
acreditava-se que sete demônios eram os
causadores das doenças.
 Os sacerdotes-médicos vendiam talismãs
com orações usadas contra ataques dos
demônios.
 Nos documentos assírios e babilônicos não há
menção de hospitais, nem de enfermeiros.
 Conheciam a lepra e sua cura dependia de
milagres de Deus, como no episódio bíblico do
banho no rio Jordão.
"Vai, lava-te sete vezes no Rio Jordão e tua carne
ficará limpa".(II Reis: 5, 10-11)
China
 Os doentes chineses eram cuidados por sacerdotes.
 As doenças eram classificadas da seguinte maneira:
benignas, médias e graves.
 Os sacerdotes eram divididos em três categorias que
correspondiam ao grau da doença da qual se
ocupava. Os templos eram rodeados de plantas
medicinais.
 Os chineses conheciam algumas doenças: varíola e
sífilis.
 Procedimentos: operações de lábio.
 Tratamento: anemias, indicavam ferro e fígado;
doenças da pele, aplicavam o arsênico.
 Anestesia: ópio. Construíram alguns hospitais
de isolamento e casas de repouso.
 A cirurgia não evoluiu devido a proibição da
dissecação de cadáveres.
Japão
Os japoneses aprovaram e estimularam a
eutanásia. A medicina era fetichista e a
única terapêutica era o uso de águas
termais.
Grécia
 As primeiras teorias gregas se prendiam à mitologia.
 Apolo, o deus sol, era o deus da saúde e da medicina.
Usavam sedativos, fortificantes e hemostáticos, faziam
ataduras e retiravam corpos estranhos, também tinham
casas para tratamento dos doentes.
 A medicina era exercida pelos sacerdotes-médicos, que
interpretavam os sonhos das pessoas.
Tratamento: banhos, massagens, sangrias, dietas, sol, ar
puro, água pura mineral. Dava-se valor à beleza física,
cultural e a hospitalidade.
O excesso de respeito pelo corpo
atraso o estudos anatômicos.
 O nascimento e a morte eram
considerados impuros, causando
desprezo pela obstetrícia e abandono dos
doentes graves.
 A medicina tornou-se científica, graças a
Hipócrates, que deixou de lado a crença
de que as doenças eram causadas por
maus espíritos.
 Hipócrates é considerado o Pai da
Medicina.
Roma
 A medicina não teve prestígio em Roma. Durante
muito tempo era exercida por escravos ou
estrangeiros. Os romanos eram uns povos,
essencialmente guerreiro. O indivíduo recebia
cuidados do Estado como cidadão destinado a
tornar-se bom guerreiro, audaz e vigoroso. Roma
distinguiu-se pela limpeza das ruas, ventilação das
casas, água pura e abundante e redes de esgoto. Os
mortos eram sepultados fora da cidade. O
desenvolvimento da medicina dos romanos sofreu
influência do povo grego.

 O cristianismo foi a maior revolução social de
todos os tempos. Influiu positivamente através da
reforma dos indivíduos e da família. Os cristãos
praticavam uma tal caridade, que movia os
pagãos:
"Vede como eles se amam".
Desde o início do cristianismo os pobres e
enfermos foram objeto de cuidados especiais por
parte da Igreja
Fim!!!!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

HistóRia Da Enfermagem No Brasil
HistóRia Da Enfermagem No BrasilHistóRia Da Enfermagem No Brasil
HistóRia Da Enfermagem No Brasil
Eduardo Gomes da Silva
 
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdfAULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
CASA
 
Apostila fundamentos de enfermagem
Apostila fundamentos de enfermagemApostila fundamentos de enfermagem
Apostila fundamentos de enfermagem
Aretusa Delfino
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagem
fnanda
 
Aula 1 - A HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
Aula 1 - A HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptxAula 1 - A HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
Aula 1 - A HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
FabianaAlessandro2
 
Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
Rafaela Carvalho
 
Aula 01 O Hospital
Aula 01 O HospitalAula 01 O Hospital
Aula 01 O Hospital
Nadja Martins
 
Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem
resenfe2013
 
Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3
9999894014
 
Ética e Bioética na enfermagem
Ética e Bioética na  enfermagemÉtica e Bioética na  enfermagem
Ética e Bioética na enfermagem
universitária
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
Alexandre Donha
 
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMAula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Luziane Costa
 
Estrutura Organizacional e os Serviços de Enfermagem
Estrutura Organizacional e os Serviços de EnfermagemEstrutura Organizacional e os Serviços de Enfermagem
Estrutura Organizacional e os Serviços de Enfermagem
Centro Universitário Ages
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
Vanessa Farias
 
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Humanização Na Assistencia de  EnfermagemHumanização Na Assistencia de  Enfermagem
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Charles Lima
 
Avaliação e tratamento de feridas - CBCENF
Avaliação e tratamento de feridas - CBCENFAvaliação e tratamento de feridas - CBCENF
Avaliação e tratamento de feridas - CBCENF
Janaína Lassala
 
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Karina Pereira
 
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagemPlanejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Daniel Félix dos Santos
 
Modelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagemModelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagem
Raíssa Soeiro
 
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEMBIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 

Mais procurados (20)

HistóRia Da Enfermagem No Brasil
HistóRia Da Enfermagem No BrasilHistóRia Da Enfermagem No Brasil
HistóRia Da Enfermagem No Brasil
 
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdfAULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
 
Apostila fundamentos de enfermagem
Apostila fundamentos de enfermagemApostila fundamentos de enfermagem
Apostila fundamentos de enfermagem
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagem
 
Aula 1 - A HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
Aula 1 - A HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptxAula 1 - A HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
Aula 1 - A HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
 
Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
 
Aula 01 O Hospital
Aula 01 O HospitalAula 01 O Hospital
Aula 01 O Hospital
 
Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem
 
Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3
 
Ética e Bioética na enfermagem
Ética e Bioética na  enfermagemÉtica e Bioética na  enfermagem
Ética e Bioética na enfermagem
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
 
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMAula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
 
Estrutura Organizacional e os Serviços de Enfermagem
Estrutura Organizacional e os Serviços de EnfermagemEstrutura Organizacional e os Serviços de Enfermagem
Estrutura Organizacional e os Serviços de Enfermagem
 
Aula 1 o ..
Aula 1 o ..Aula 1 o ..
Aula 1 o ..
 
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Humanização Na Assistencia de  EnfermagemHumanização Na Assistencia de  Enfermagem
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
 
Avaliação e tratamento de feridas - CBCENF
Avaliação e tratamento de feridas - CBCENFAvaliação e tratamento de feridas - CBCENF
Avaliação e tratamento de feridas - CBCENF
 
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
 
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagemPlanejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagem
 
Modelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagemModelo de evolução técnico de enfermagem
Modelo de evolução técnico de enfermagem
 
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEMBIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
 

Destaque

Histórico de enfermagem
Histórico de enfermagemHistórico de enfermagem
Histórico de enfermagem
Rodrigo Bruno
 
Enfermagem e ciência a história de florence e sua relação com a enfermagem ...
Enfermagem e ciência   a história de florence e sua relação com a enfermagem ...Enfermagem e ciência   a história de florence e sua relação com a enfermagem ...
Enfermagem e ciência a história de florence e sua relação com a enfermagem ...
Amamosaenfermagem
 
Enfermagem moderna no Brasil
Enfermagem moderna no BrasilEnfermagem moderna no Brasil
Enfermagem moderna no Brasil
Pedro Miguel
 
Práticas Antigas de Cuidados na Civilização da India
Práticas Antigas de Cuidados na Civilização da IndiaPráticas Antigas de Cuidados na Civilização da India
Práticas Antigas de Cuidados na Civilização da India
Erica Marcela
 
Introdução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do TrabalhoIntrodução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do Trabalho
Instituto Consciência GO
 
História da enfermagem do trabalho
História da enfermagem do trabalhoHistória da enfermagem do trabalho
História da enfermagem do trabalhoMarcos da Silva
 
Wanda De Aguiar Horta V Final
Wanda De Aguiar Horta V FinalWanda De Aguiar Horta V Final
Wanda De Aguiar Horta V Final
Marcos Moraes
 
Teoria de enfermagem de florence nightingale
Teoria de enfermagem de florence nightingaleTeoria de enfermagem de florence nightingale
Teoria de enfermagem de florence nightingale
enfanhanguera
 
Teoria ambientalista de florence nightingale
Teoria ambientalista de florence nightingaleTeoria ambientalista de florence nightingale
Teoria ambientalista de florence nightingale
Flávia Leonor
 
Teorias de enfermagem
Teorias de enfermagemTeorias de enfermagem
Teorias de enfermagem
Anhanguera Enfermagem A/B
 
Florence Nightingale - Impacto nos dias atuais
Florence Nightingale - Impacto nos dias atuaisFlorence Nightingale - Impacto nos dias atuais
Florence Nightingale - Impacto nos dias atuais
Célia Costa
 
Florence Nightingale
Florence NightingaleFlorence Nightingale
Florence Nightingale
Laura Baldovino
 
Teorias de Enfermagem
Teorias de EnfermagemTeorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem
Enf.Savana das G.
 
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em EnfermagemSemiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Marco Antonio
 
Profissão enfermeiro
Profissão enfermeiroProfissão enfermeiro
Profissão enfermeiro
Eduardo Gomes da Silva
 
Florence nightingale
Florence nightingaleFlorence nightingale
Florence nightingale
Caroline Gonsalves
 
Enfermagem
EnfermagemEnfermagem
Enfermagem
areadeprojectospg
 
Lei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalLei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissional
Fernando Dias
 
Humanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagemHumanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagem
Estephane ingrid Souza Pessoa
 
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemEstudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Yasmin Casini
 

Destaque (20)

Histórico de enfermagem
Histórico de enfermagemHistórico de enfermagem
Histórico de enfermagem
 
Enfermagem e ciência a história de florence e sua relação com a enfermagem ...
Enfermagem e ciência   a história de florence e sua relação com a enfermagem ...Enfermagem e ciência   a história de florence e sua relação com a enfermagem ...
Enfermagem e ciência a história de florence e sua relação com a enfermagem ...
 
Enfermagem moderna no Brasil
Enfermagem moderna no BrasilEnfermagem moderna no Brasil
Enfermagem moderna no Brasil
 
Práticas Antigas de Cuidados na Civilização da India
Práticas Antigas de Cuidados na Civilização da IndiaPráticas Antigas de Cuidados na Civilização da India
Práticas Antigas de Cuidados na Civilização da India
 
Introdução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do TrabalhoIntrodução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do Trabalho
 
História da enfermagem do trabalho
História da enfermagem do trabalhoHistória da enfermagem do trabalho
História da enfermagem do trabalho
 
Wanda De Aguiar Horta V Final
Wanda De Aguiar Horta V FinalWanda De Aguiar Horta V Final
Wanda De Aguiar Horta V Final
 
Teoria de enfermagem de florence nightingale
Teoria de enfermagem de florence nightingaleTeoria de enfermagem de florence nightingale
Teoria de enfermagem de florence nightingale
 
Teoria ambientalista de florence nightingale
Teoria ambientalista de florence nightingaleTeoria ambientalista de florence nightingale
Teoria ambientalista de florence nightingale
 
Teorias de enfermagem
Teorias de enfermagemTeorias de enfermagem
Teorias de enfermagem
 
Florence Nightingale - Impacto nos dias atuais
Florence Nightingale - Impacto nos dias atuaisFlorence Nightingale - Impacto nos dias atuais
Florence Nightingale - Impacto nos dias atuais
 
Florence Nightingale
Florence NightingaleFlorence Nightingale
Florence Nightingale
 
Teorias de Enfermagem
Teorias de EnfermagemTeorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem
 
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em EnfermagemSemiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
 
Profissão enfermeiro
Profissão enfermeiroProfissão enfermeiro
Profissão enfermeiro
 
Florence nightingale
Florence nightingaleFlorence nightingale
Florence nightingale
 
Enfermagem
EnfermagemEnfermagem
Enfermagem
 
Lei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissionalLei do exercicio profissional
Lei do exercicio profissional
 
Humanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagemHumanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagem
 
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemEstudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
 

Semelhante a Historia da enfermagem período pré-cristão

História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdfHistória da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
JandersonGeorgeGuima
 
historia da enf. PROF. CARLA SOUSA.pdf
historia da enf. PROF. CARLA SOUSA.pdfhistoria da enf. PROF. CARLA SOUSA.pdf
historia da enf. PROF. CARLA SOUSA.pdf
marcsilva22
 
Historia de-enfermagem-as-praticas-de-saude-e-enfermagem-ao-longo-da-historia
Historia de-enfermagem-as-praticas-de-saude-e-enfermagem-ao-longo-da-historiaHistoria de-enfermagem-as-praticas-de-saude-e-enfermagem-ao-longo-da-historia
Historia de-enfermagem-as-praticas-de-saude-e-enfermagem-ao-longo-da-historia
wesley augusto almeida
 
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptxAULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
lucas106085
 
HISTÓRIA DA ENFERMAGEM 2.pptx
HISTÓRIA DA ENFERMAGEM 2.pptxHISTÓRIA DA ENFERMAGEM 2.pptx
HISTÓRIA DA ENFERMAGEM 2.pptx
JessiellyGuimares
 
DESENVOLVIMENTO PRATICAS DA SAUDE MIRELLA.ppt
DESENVOLVIMENTO PRATICAS DA SAUDE MIRELLA.pptDESENVOLVIMENTO PRATICAS DA SAUDE MIRELLA.ppt
DESENVOLVIMENTO PRATICAS DA SAUDE MIRELLA.ppt
escolaFRANCISCOlucio
 
Breve_Historico_da_Evolucao_de_Enfermage.ppt
Breve_Historico_da_Evolucao_de_Enfermage.pptBreve_Historico_da_Evolucao_de_Enfermage.ppt
Breve_Historico_da_Evolucao_de_Enfermage.ppt
LuanMiguelCosta
 
Profissões na Idade Média
Profissões na Idade MédiaProfissões na Idade Média
Profissões na Idade Média
efaparaiso
 
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de SaúdeProcesso Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
feraps
 
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx
drykathay
 
Evolução Histórica no tratamento dos doentes
Evolução Histórica no tratamento dos doentesEvolução Histórica no tratamento dos doentes
Evolução Histórica no tratamento dos doentes
kadrikasecomerce
 
Introdução à história da naturopatia
Introdução à história da naturopatiaIntrodução à história da naturopatia
Introdução à história da naturopatia
Monitoria Contabil S/C
 
Medicina na Antiguidade
Medicina na AntiguidadeMedicina na Antiguidade
Medicina na Antiguidade
Brunno Rosique
 
Aula
AulaAula
Promoção a Saúde
Promoção a Saúde Promoção a Saúde
Promoção a Saúde
EvertonMonteiro19
 
INTRODUÇÃO ENFERMAGEM 2 HISTORIA DE ENFERMAGEM
INTRODUÇÃO ENFERMAGEM 2 HISTORIA DE ENFERMAGEMINTRODUÇÃO ENFERMAGEM 2 HISTORIA DE ENFERMAGEM
INTRODUÇÃO ENFERMAGEM 2 HISTORIA DE ENFERMAGEM
LuanMiguelCosta
 
Medicina áRabe
Medicina áRabeMedicina áRabe
Medicina áRabe
Ane Caroline*
 
1aulaintroducao-de-enfermagem-150901145645-lva1-app6891.pdf
1aulaintroducao-de-enfermagem-150901145645-lva1-app6891.pdf1aulaintroducao-de-enfermagem-150901145645-lva1-app6891.pdf
1aulaintroducao-de-enfermagem-150901145645-lva1-app6891.pdf
DheniseMikaelly
 
História da Cirurgia Plástica - Idade Média
História da Cirurgia Plástica - Idade MédiaHistória da Cirurgia Plástica - Idade Média
História da Cirurgia Plástica - Idade Média
Brunno Rosique
 
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempo
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempoVigilância em saúde no Brasil ao longo do tempo
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempo
feraps
 

Semelhante a Historia da enfermagem período pré-cristão (20)

História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdfHistória da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
 
historia da enf. PROF. CARLA SOUSA.pdf
historia da enf. PROF. CARLA SOUSA.pdfhistoria da enf. PROF. CARLA SOUSA.pdf
historia da enf. PROF. CARLA SOUSA.pdf
 
Historia de-enfermagem-as-praticas-de-saude-e-enfermagem-ao-longo-da-historia
Historia de-enfermagem-as-praticas-de-saude-e-enfermagem-ao-longo-da-historiaHistoria de-enfermagem-as-praticas-de-saude-e-enfermagem-ao-longo-da-historia
Historia de-enfermagem-as-praticas-de-saude-e-enfermagem-ao-longo-da-historia
 
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptxAULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
 
HISTÓRIA DA ENFERMAGEM 2.pptx
HISTÓRIA DA ENFERMAGEM 2.pptxHISTÓRIA DA ENFERMAGEM 2.pptx
HISTÓRIA DA ENFERMAGEM 2.pptx
 
DESENVOLVIMENTO PRATICAS DA SAUDE MIRELLA.ppt
DESENVOLVIMENTO PRATICAS DA SAUDE MIRELLA.pptDESENVOLVIMENTO PRATICAS DA SAUDE MIRELLA.ppt
DESENVOLVIMENTO PRATICAS DA SAUDE MIRELLA.ppt
 
Breve_Historico_da_Evolucao_de_Enfermage.ppt
Breve_Historico_da_Evolucao_de_Enfermage.pptBreve_Historico_da_Evolucao_de_Enfermage.ppt
Breve_Historico_da_Evolucao_de_Enfermage.ppt
 
Profissões na Idade Média
Profissões na Idade MédiaProfissões na Idade Média
Profissões na Idade Média
 
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de SaúdeProcesso Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
Processo Saúde-Doença e Deterninantes Sociais de Saúde
 
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx
 
Evolução Histórica no tratamento dos doentes
Evolução Histórica no tratamento dos doentesEvolução Histórica no tratamento dos doentes
Evolução Histórica no tratamento dos doentes
 
Introdução à história da naturopatia
Introdução à história da naturopatiaIntrodução à história da naturopatia
Introdução à história da naturopatia
 
Medicina na Antiguidade
Medicina na AntiguidadeMedicina na Antiguidade
Medicina na Antiguidade
 
Aula
AulaAula
Aula
 
Promoção a Saúde
Promoção a Saúde Promoção a Saúde
Promoção a Saúde
 
INTRODUÇÃO ENFERMAGEM 2 HISTORIA DE ENFERMAGEM
INTRODUÇÃO ENFERMAGEM 2 HISTORIA DE ENFERMAGEMINTRODUÇÃO ENFERMAGEM 2 HISTORIA DE ENFERMAGEM
INTRODUÇÃO ENFERMAGEM 2 HISTORIA DE ENFERMAGEM
 
Medicina áRabe
Medicina áRabeMedicina áRabe
Medicina áRabe
 
1aulaintroducao-de-enfermagem-150901145645-lva1-app6891.pdf
1aulaintroducao-de-enfermagem-150901145645-lva1-app6891.pdf1aulaintroducao-de-enfermagem-150901145645-lva1-app6891.pdf
1aulaintroducao-de-enfermagem-150901145645-lva1-app6891.pdf
 
História da Cirurgia Plástica - Idade Média
História da Cirurgia Plástica - Idade MédiaHistória da Cirurgia Plástica - Idade Média
História da Cirurgia Plástica - Idade Média
 
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempo
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempoVigilância em saúde no Brasil ao longo do tempo
Vigilância em saúde no Brasil ao longo do tempo
 

Mais de Gilberto de Jesus

Apostila de cuidador
Apostila de cuidador Apostila de cuidador
Apostila de cuidador
Gilberto de Jesus
 
Aula de microbiologia Prof. Gilberto de Jesus
Aula de  microbiologia Prof. Gilberto de JesusAula de  microbiologia Prof. Gilberto de Jesus
Aula de microbiologia Prof. Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
Cuidados de Enfermagem no Trauma abdominal
 Cuidados de Enfermagem no Trauma abdominal  Cuidados de Enfermagem no Trauma abdominal
Cuidados de Enfermagem no Trauma abdominal
Gilberto de Jesus
 
Medicação em pediatria
Medicação em pediatriaMedicação em pediatria
Medicação em pediatria
Gilberto de Jesus
 
Exame fisico cabeça e pescoço
Exame fisico cabeça e pescoçoExame fisico cabeça e pescoço
Exame fisico cabeça e pescoço
Gilberto de Jesus
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
Primeiros socorros Proº Gilberto de Jesus
Primeiros socorros  Proº Gilberto de JesusPrimeiros socorros  Proº Gilberto de Jesus
Primeiros socorros Proº Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
Calculos de medicação- Profº Gilberto de Jesus
Calculos de medicação- Profº Gilberto de JesusCalculos de medicação- Profº Gilberto de Jesus
Calculos de medicação- Profº Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
Drogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de JesusDrogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
Etica e postura profissional- Profº Gilberto de Jesus
Etica e postura profissional- Profº Gilberto de JesusEtica e postura profissional- Profº Gilberto de Jesus
Etica e postura profissional- Profº Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
Calculo de Medicação- Peofº Gilberto de Jesus
Calculo de Medicação- Peofº Gilberto de JesusCalculo de Medicação- Peofº Gilberto de Jesus
Calculo de Medicação- Peofº Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de Jesus
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de JesusÉTica e cidadania Profº Gilberto de Jesus
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 

Mais de Gilberto de Jesus (12)

Apostila de cuidador
Apostila de cuidador Apostila de cuidador
Apostila de cuidador
 
Aula de microbiologia Prof. Gilberto de Jesus
Aula de  microbiologia Prof. Gilberto de JesusAula de  microbiologia Prof. Gilberto de Jesus
Aula de microbiologia Prof. Gilberto de Jesus
 
Cuidados de Enfermagem no Trauma abdominal
 Cuidados de Enfermagem no Trauma abdominal  Cuidados de Enfermagem no Trauma abdominal
Cuidados de Enfermagem no Trauma abdominal
 
Medicação em pediatria
Medicação em pediatriaMedicação em pediatria
Medicação em pediatria
 
Exame fisico cabeça e pescoço
Exame fisico cabeça e pescoçoExame fisico cabeça e pescoço
Exame fisico cabeça e pescoço
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 
Primeiros socorros Proº Gilberto de Jesus
Primeiros socorros  Proº Gilberto de JesusPrimeiros socorros  Proº Gilberto de Jesus
Primeiros socorros Proº Gilberto de Jesus
 
Calculos de medicação- Profº Gilberto de Jesus
Calculos de medicação- Profº Gilberto de JesusCalculos de medicação- Profº Gilberto de Jesus
Calculos de medicação- Profº Gilberto de Jesus
 
Drogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de JesusDrogas - Profº Gilberto de Jesus
Drogas - Profº Gilberto de Jesus
 
Etica e postura profissional- Profº Gilberto de Jesus
Etica e postura profissional- Profº Gilberto de JesusEtica e postura profissional- Profº Gilberto de Jesus
Etica e postura profissional- Profº Gilberto de Jesus
 
Calculo de Medicação- Peofº Gilberto de Jesus
Calculo de Medicação- Peofº Gilberto de JesusCalculo de Medicação- Peofº Gilberto de Jesus
Calculo de Medicação- Peofº Gilberto de Jesus
 
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de Jesus
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de JesusÉTica e cidadania Profº Gilberto de Jesus
ÉTica e cidadania Profº Gilberto de Jesus
 

Historia da enfermagem período pré-cristão

  • 1. História da Enfermagem Enf° Gilberto de Jesus Coren: 297647
  • 2. Egito  Os egípcios deixaram alguns documentos sobre a medicina conhecida em sua época.  As receitas médicas deviam ser tomadas acompanhadas da recitação de fórmulas religiosas.  Pratica-se o hipnotismo, a interpretação de sonhos; acreditava-se na influência de algumas pessoas sobre a saúde de outras.  Havia ambulatório gratuito, onde era recomendada a hospitalidade e o auxílio aos desamparados.
  • 3. Índia  Documentos do século VI a.C. nos dizem que os hindus conheciam:  ligamentos, músculos, nervos, plexos, vasos linfáticos, antídotos para alguns tipos de envenenamento e o processo digestivo.  Realizavam alguns tipos de procedimentos, tais como: suturas, amputações, trepanações e corrigiam fraturas.  Neste aspecto o budismo contribui para o desenvolvimento da enfermagem e da medicina.
  • 4.  Os hindus tornaram-se conhecidos pela construção de hospitais. Foram os únicos, na época, que citaram enfermeiros e exigiam deles qualidades morais e conhecimentos científicos.  Nos hospitais eram usados músicos e narradores de histórias para distrair os pacientes.  O bramanismo fez decair a medicina e a enfermagem, pelo exagerado respeito ao corpo humano - proibia a dissecação de cadáveres e o derramamento de sangue. As doenças eram consideradas castigo.
  • 5. Assíria e Babilônia  Entre os assírios e babilônios existiam penalidades para médicos incompetentes, tais como: amputação das mãos, indenização, etc.  A medicina era baseada na magia - acreditava-se que sete demônios eram os causadores das doenças.  Os sacerdotes-médicos vendiam talismãs com orações usadas contra ataques dos demônios.
  • 6.  Nos documentos assírios e babilônicos não há menção de hospitais, nem de enfermeiros.  Conheciam a lepra e sua cura dependia de milagres de Deus, como no episódio bíblico do banho no rio Jordão. "Vai, lava-te sete vezes no Rio Jordão e tua carne ficará limpa".(II Reis: 5, 10-11)
  • 7. China  Os doentes chineses eram cuidados por sacerdotes.  As doenças eram classificadas da seguinte maneira: benignas, médias e graves.  Os sacerdotes eram divididos em três categorias que correspondiam ao grau da doença da qual se ocupava. Os templos eram rodeados de plantas medicinais.  Os chineses conheciam algumas doenças: varíola e sífilis.
  • 8.  Procedimentos: operações de lábio.  Tratamento: anemias, indicavam ferro e fígado; doenças da pele, aplicavam o arsênico.  Anestesia: ópio. Construíram alguns hospitais de isolamento e casas de repouso.  A cirurgia não evoluiu devido a proibição da dissecação de cadáveres.
  • 9. Japão Os japoneses aprovaram e estimularam a eutanásia. A medicina era fetichista e a única terapêutica era o uso de águas termais.
  • 10. Grécia  As primeiras teorias gregas se prendiam à mitologia.  Apolo, o deus sol, era o deus da saúde e da medicina. Usavam sedativos, fortificantes e hemostáticos, faziam ataduras e retiravam corpos estranhos, também tinham casas para tratamento dos doentes.  A medicina era exercida pelos sacerdotes-médicos, que interpretavam os sonhos das pessoas. Tratamento: banhos, massagens, sangrias, dietas, sol, ar puro, água pura mineral. Dava-se valor à beleza física, cultural e a hospitalidade.
  • 11. O excesso de respeito pelo corpo atraso o estudos anatômicos.  O nascimento e a morte eram considerados impuros, causando desprezo pela obstetrícia e abandono dos doentes graves.  A medicina tornou-se científica, graças a Hipócrates, que deixou de lado a crença de que as doenças eram causadas por maus espíritos.  Hipócrates é considerado o Pai da Medicina.
  • 12. Roma  A medicina não teve prestígio em Roma. Durante muito tempo era exercida por escravos ou estrangeiros. Os romanos eram uns povos, essencialmente guerreiro. O indivíduo recebia cuidados do Estado como cidadão destinado a tornar-se bom guerreiro, audaz e vigoroso. Roma distinguiu-se pela limpeza das ruas, ventilação das casas, água pura e abundante e redes de esgoto. Os mortos eram sepultados fora da cidade. O desenvolvimento da medicina dos romanos sofreu influência do povo grego. 
  • 13.  O cristianismo foi a maior revolução social de todos os tempos. Influiu positivamente através da reforma dos indivíduos e da família. Os cristãos praticavam uma tal caridade, que movia os pagãos: "Vede como eles se amam". Desde o início do cristianismo os pobres e enfermos foram objeto de cuidados especiais por parte da Igreja