SlideShare uma empresa Scribd logo
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Psicogênese da língua escrita
segundo Emília Ferreiro e Ana Teberosky
        Sugestões para avanço
          Professora Anne Cunha Silveira
                    17/05/2012
Uma breve abordagem

A psicolinguista
   argentina
 desvendou os
  mecanismos
 pelos quais as
    crianças
aprendem a ler e
   escrever...
Não propõe
nenhum método
pedagógico, mas
    revela os
 processos de
   aquisição e
 elaboração de
 conhecimento
pela criança - ou
  seja, de que
    modo ela
    aprende.
Tanto as
descobertas
  de Piaget
 como as de
Emília levam
à conclusão
  de que as
crianças têm
  um papel
   ativo no
aprendizado.
Segundo Piaget, cada salto cognitivo
              depende
    de uma assimilação e de uma
reacomodação dos esquemas internos,
  que necessariamente levam tempo.
É imprescindível que o professor alfabetizador
    descubra o que cada aluno sabe sobre o
      sistema de escrita. Isto permite que as
  intervenções sejam adequadas à diversidade
        de saberes da turma. (Diagnóstico)
AS
 QUATRO
HIPÓTESE
    S
Pré-silábica
 Os alunos não percebem a escrita como uma
        representação da língua falada.

É caracterizada por dois níveis:
Nível 1
Não estabelecem vínculo
entre a fala e a escrita.
Usam desenhos, garatujas e
rabiscos para escrever.
Supõem que a escrita
representa os objetos e não
seus nomes (coisas grandes
têm nomes grandes, coisas
pequenas têm nomes
pequenos). É o que
chamamos de Realismo
Nominal.
Usam letras do próprio nome
ou letras e números nas
palavras.
Nível 2
Começam a desvincular a
escrita das imagens e números
das letras.
Utilizam letras aleatórias,
geralmente presentes em seus
próprios nomes.
Constroem dois princípios
organizadores básicos:
1º: É preciso uma quantidade
mínima de letras para que algo
esteja escrito (em torno de três).

2º: É necessário que haja uma
variedade de caracteres para que
se possa ler.
Silábica
 Já supõem que a escrita representa a fala.
 Para cada sílaba oral, atribuem uma grafia.
 Em frases, podem escrever uma letra para cada
 palavra.
Também pode ser dividida em dois níveis:
Nível 1:
Silábico sem valor sonoro
• Representam cada
    sílaba por uma
 única letra qualquer.

 • O que escrevem
    ainda não tem
   correspondência
      com o som
    convencional
   daquela sílaba.
Nível 2
Silábico com valor sonoro
Cada sílaba é
representada por
uma vogal ou
consoante que
expressa o seu som
correspondente.
Em geral
representada pela
vogal, mas não
exclusivamente.
Silábico-alfabética
 A hipótese silábico-
 alfabética
 corresponde a um
 período de transição.
 A criança trabalha
 simultaneamente com
 as hipóteses silábica
 e alfabética.
Alfabética
      O aluno já
      compreendeu o sistema
      de escrita, entendendo
      que cada um dos
      caracteres da palavra
      corresponde a um valor
      sonoro menor do que a
      sílaba.
      Domina, ou não, as
      convenções
      ortográficas.
Intervenções
HIPÓTESE
PRÉ-SILÁBICA
LISTAGEM DE
       NOMES
• Estimular os
alunos para que
    cada um
reconheça o seu
 próprio nome e
 os nomes dos
    colegas.
ASPECTO SONORO DAS
      LETRAS
         • Quando ocorre a
           identificação sonora, os
           alunos começam a
           compreender que a
           escrita contém partes
           sonoras da fala.
         • As pseudoletras são
           substituídas pela
           aquisição dos conceitos
           de grafema e fonema.
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
DISTINÇÃO DE NÚMEROS
       E LETRAS
CONTAGEM DE
      SÍLABAS
Através de
palmas,
professora e
alunos contam
o “número de
pedacinhos”
que a palavra
possui.
BOLICHE DO
 ALFABETO
      Ao derrubar a
         garrafa, a
       criança deve
       pronunciar o
      som da letra e
         falar uma
       palavra que
       inicie com a
          mesma.
ALFABETO MÓVEL
HISTÓRIAS CONTADAS
 PELA PROFESSORA
BINGO DE LETRAS
CAIXA SURPRESA
    A professora coloca dentro
    dela um objeto: brinquedo,
    material escolar, bichos de
    pelúcia...
    Os alunos tentarão adivinhar
    o que tem na caixa através
    das dicas dadas pela
    professora.
    Neste momento, vários
    aspectos podem ser
    observados: letra inicial,
    som, função do objeto...
•   Esta atividade estimula
    sobretudo a linguagem oral.
SORTEIO DE
  LETRAS
      O aluno sorteia uma
      letra e pronuncia o
      som, o nome da
      letra e alguma
      palavra iniciada por
      ela.
      Pode ser feita a
      contagem de sílabas
      através de palmas.
ATIVIDADES COM
   RÓTULOS
JOGO DAS INICIAIS
Escolher determinado
tema (animais,
brinquedos, doces,
material escolar,
personagens de
desenhos, fotos dos
colegas da turma...) e
para cada item, a
criança fará a relação
com a letra inicial.
QUEBRA-CABEÇA
MEU DICIONÁRIO
              Os alunos
       confeccionarão um
              dicionário
          ilustrado com
        nomes e gravuras
            retiradas de
             revistas ou
           desenhadas.
IDENTIFICAÇÃO DE LETRAS E
   PALAVRAS EM TEXTOS
       CONHECIDOS
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
HIPÓTESE
SILÁBICA
O aluno deve reconhecer as letras
     no contexto das sílabas.
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
JOGO DA MEMÓRIA
FIGURA / PALAVRA
CAÇA-PALAVRAS
CRUZADINHA
ATIVIDADES ANTERIORES :
•   Meu dicionário
•   Atividades com rótulos
•   Identificação de palavras em textos
•   Ouvir e compreender histórias
•   Reconhecer a letra inicial das palavras
•   Desmembrar oralmente as palavras em
    sílabas.
OUTRAS ATIVIDADES
• Contar o número de letras das palavras
• Pesquisa de palavras em jornais e revistas
• Listagem de palavras
• Reconhecer a forma e as posições dos
  dois tipos de letras: cursiva e maiúscula.
• Completar as palavras com as sílabas
  faltantes.
HIPÓTESE
  SILÁBICO-
ALFABÉTICA E
 ALFABÉTICA
JOGO DA FORCA
PALAVRA SECRETA
TEXTO FATIADO
OUTRAS ATIVIDADES
• Leitura de textos de seu nível.
• Observação da segmentação de palavras
  no texto.
• Construção de frases.
• Completar textos com palavras.
• Jogo do Stop.
• Leitura oral de histórias para a turma.
CONTATO COM VARIADOS
 PORTADORES TEXTUAIS
ALGUMAS SUGESTÕES
PORTA-LIVROS
CAIXAS ENCAPADAS PARA
ARMAZENAGEM DE JOGOS
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
DADOS
ALGUMAS FONTES DE
               PESQUISA
•   http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/alfabetizacao-inicial/conhecer-nova-turma-4312

•   http://revistaescola.abril.com.br/avulsas/teste-hipoteses-de-escrita-dos-alunos.shtml

•   http://dc122.4shared.com/doc/upV0x813/preview.html

•   http://www.slideshare.net/cmyamaral/apresentao-psicognese-da-lngua-escrita

•   http://sabidinhosdaioio.blogspot.com.br/2011/04/niveis-conceituais-da-escrita.html

•   http://revistaguiafundamental.uol.com.br/professores-atividades/94/artigo252538-2.asp
FOTOS DA SESSÃO DE
     ESTUDOS

 ESCOLA MUNICIPAL DE
 ENSINO FUNDAMENTAL
JOSÉ CARLOS FERREIRA

    EM 17/05/2012
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Erkv
 
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
SimoneHelenDrumond
 
Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
Edilania Batalha Batalha
 
Projeto dia da cidade
Projeto dia da cidadeProjeto dia da cidade
Projeto dia da cidade
Marcio Moura
 
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiroComo fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
Carilusa Branchi
 
Relatório de acompanhamento do professor de aee
Relatório de acompanhamento do professor de aeeRelatório de acompanhamento do professor de aee
Relatório de acompanhamento do professor de aee
Augusto Bertotto
 
1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinas1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinas
josivaldopassos
 
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
SimoneHelenDrumond
 
Relatórios Educação Infantil
Relatórios Educação InfantilRelatórios Educação Infantil
Relatórios Educação Infantil
Melissa Oliveira
 
Ficha descritiva 1 ano 1 trimestre
Ficha descritiva 1 ano   1 trimestreFicha descritiva 1 ano   1 trimestre
Ficha descritiva 1 ano 1 trimestre
Naysa Taboada
 
Ficha descritiva 1 ano 3 trimestre
Ficha descritiva 1 ano 3 trimestreFicha descritiva 1 ano 3 trimestre
Ficha descritiva 1 ano 3 trimestre
Naysa Taboada
 
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitadoParecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
SimoneHelenDrumond
 
Construindo PEI .pdf
Construindo PEI .pdfConstruindo PEI .pdf
Construindo PEI .pdf
LetciaCarvalhodosSan2
 
Fichas de Avaliação Ed. Infantil
Fichas de Avaliação  Ed. InfantilFichas de Avaliação  Ed. Infantil
Fichas de Avaliação Ed. Infantil
Alinemmoliveira
 
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém  que precisa de limitesParecer de um bom aluno porém  que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
SimoneHelenDrumond
 
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o RatinhoSequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
Shirley Lauria
 
Em relação à assimilação e fixação dos conteúdos
Em relação à assimilação e fixação dos conteúdosEm relação à assimilação e fixação dos conteúdos
Em relação à assimilação e fixação dos conteúdos
Davi Faria
 
Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down
Victor Said
 
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
SimoneHelenDrumond
 
Atividades libras
Atividades librasAtividades libras
Atividades libras
Isa ...
 

Mais procurados (20)

Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
Relatório descritivo de mateus amarante de aguiar.
 
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
 
Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
 
Projeto dia da cidade
Projeto dia da cidadeProjeto dia da cidade
Projeto dia da cidade
 
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiroComo fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
Como fazer o teste das quatro palavras e uma frase de emilia ferreiro
 
Relatório de acompanhamento do professor de aee
Relatório de acompanhamento do professor de aeeRelatório de acompanhamento do professor de aee
Relatório de acompanhamento do professor de aee
 
1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinas1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinas
 
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
Modelo de parecer de uma criança com necessidades especiais.
 
Relatórios Educação Infantil
Relatórios Educação InfantilRelatórios Educação Infantil
Relatórios Educação Infantil
 
Ficha descritiva 1 ano 1 trimestre
Ficha descritiva 1 ano   1 trimestreFicha descritiva 1 ano   1 trimestre
Ficha descritiva 1 ano 1 trimestre
 
Ficha descritiva 1 ano 3 trimestre
Ficha descritiva 1 ano 3 trimestreFicha descritiva 1 ano 3 trimestre
Ficha descritiva 1 ano 3 trimestre
 
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitadoParecer de um aluno inteligênte mas agitado
Parecer de um aluno inteligênte mas agitado
 
Construindo PEI .pdf
Construindo PEI .pdfConstruindo PEI .pdf
Construindo PEI .pdf
 
Fichas de Avaliação Ed. Infantil
Fichas de Avaliação  Ed. InfantilFichas de Avaliação  Ed. Infantil
Fichas de Avaliação Ed. Infantil
 
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém  que precisa de limitesParecer de um bom aluno porém  que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
 
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o RatinhoSequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
 
Em relação à assimilação e fixação dos conteúdos
Em relação à assimilação e fixação dos conteúdosEm relação à assimilação e fixação dos conteúdos
Em relação à assimilação e fixação dos conteúdos
 
Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down Relatório sindrome de down
Relatório sindrome de down
 
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
Aluna com dificuldade e baixo rendimento escolar1
 
Atividades libras
Atividades librasAtividades libras
Atividades libras
 

Destaque

Pacto nacional unidade 3 ano 1
Pacto nacional unidade 3 ano 1Pacto nacional unidade 3 ano 1
Pacto nacional unidade 3 ano 1
Andreá Perez Leinat
 
A arte de contar histórias
A arte de contar históriasA arte de contar histórias
A arte de contar histórias
Eunice Mendes de Oliveira
 
PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aula
PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aulaPNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aula
PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aula
ElieneDias
 
Eunice
EuniceEunice
PNAIC - O trabalho com ortografia na escola
PNAIC - O trabalho com ortografia na escolaPNAIC - O trabalho com ortografia na escola
PNAIC - O trabalho com ortografia na escola
ElieneDias
 
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
Eunice Mendes de Oliveira
 
Minicurso falando de alfabetizacao e letramento
Minicurso falando de alfabetizacao e letramentoMinicurso falando de alfabetizacao e letramento
Minicurso falando de alfabetizacao e letramento
Eunice Mendes de Oliveira
 
Devocional diario (1)
Devocional diario (1)Devocional diario (1)
Devocional diario (1)
Eunice Mendes de Oliveira
 
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
pedagogia para licenciados
 
Mensagem ao professor
Mensagem ao professorMensagem ao professor
Mensagem ao professor
Eunice Mendes de Oliveira
 
1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem
Alba Mate Mate
 
A Difícil Arte de Conviver
A Difícil Arte de ConviverA Difícil Arte de Conviver
A Difícil Arte de Conviver
lucianaraspa
 
Gestão Democrática Da Educação
Gestão Democrática Da EducaçãoGestão Democrática Da Educação
Gestão Democrática Da Educação
regicenci
 
Trabahando com crianças do berçário
Trabahando com crianças do berçárioTrabahando com crianças do berçário
Trabahando com crianças do berçário
Eunice Mendes de Oliveira
 
Dona Licinha conto1
Dona Licinha    conto1Dona Licinha    conto1
Dona Licinha conto1
Eunice Mendes de Oliveira
 
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2Ano 2 pnaic 3º encontro blog2
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2
miesbella
 
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e a neve c
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e  a neve   cAtividade 3 5_eunice slides a formiga e  a neve   c
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e a neve c
Eunice Mendes de Oliveira
 
1 power~1
1 power~11 power~1
PNAIC - Ano 3 unidade 3
PNAIC - Ano 3 unidade 3PNAIC - Ano 3 unidade 3
PNAIC - Ano 3 unidade 3
ElieneDias
 
Letra uber
Letra uberLetra uber

Destaque (20)

Pacto nacional unidade 3 ano 1
Pacto nacional unidade 3 ano 1Pacto nacional unidade 3 ano 1
Pacto nacional unidade 3 ano 1
 
A arte de contar histórias
A arte de contar históriasA arte de contar histórias
A arte de contar histórias
 
PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aula
PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aulaPNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aula
PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aula
 
Eunice
EuniceEunice
Eunice
 
PNAIC - O trabalho com ortografia na escola
PNAIC - O trabalho com ortografia na escolaPNAIC - O trabalho com ortografia na escola
PNAIC - O trabalho com ortografia na escola
 
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
 
Minicurso falando de alfabetizacao e letramento
Minicurso falando de alfabetizacao e letramentoMinicurso falando de alfabetizacao e letramento
Minicurso falando de alfabetizacao e letramento
 
Devocional diario (1)
Devocional diario (1)Devocional diario (1)
Devocional diario (1)
 
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
 
Mensagem ao professor
Mensagem ao professorMensagem ao professor
Mensagem ao professor
 
1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem
 
A Difícil Arte de Conviver
A Difícil Arte de ConviverA Difícil Arte de Conviver
A Difícil Arte de Conviver
 
Gestão Democrática Da Educação
Gestão Democrática Da EducaçãoGestão Democrática Da Educação
Gestão Democrática Da Educação
 
Trabahando com crianças do berçário
Trabahando com crianças do berçárioTrabahando com crianças do berçário
Trabahando com crianças do berçário
 
Dona Licinha conto1
Dona Licinha    conto1Dona Licinha    conto1
Dona Licinha conto1
 
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2Ano 2 pnaic 3º encontro blog2
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2
 
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e a neve c
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e  a neve   cAtividade 3 5_eunice slides a formiga e  a neve   c
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e a neve c
 
1 power~1
1 power~11 power~1
1 power~1
 
PNAIC - Ano 3 unidade 3
PNAIC - Ano 3 unidade 3PNAIC - Ano 3 unidade 3
PNAIC - Ano 3 unidade 3
 
Letra uber
Letra uberLetra uber
Letra uber
 

Semelhante a Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília

Hipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua EscrítaHipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Anne Cunha Silveira
 
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escrita
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escritaOrganizando o trabalho a partir dos níveis da escrita
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escrita
assessoriapedagogica
 
Socialização de prática cre orla blog
Socialização de prática   cre orla blogSocialização de prática   cre orla blog
Socialização de prática cre orla blog
Marisa Seara
 
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO  CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdfCOMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO  CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
marcos oliveira
 
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITAPSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
Terapia online
 
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01
Kreusa Martins
 
Nivel de desenvolvimento da escrita
Nivel de desenvolvimento da escritaNivel de desenvolvimento da escrita
Nivel de desenvolvimento da escrita
Edinei Messias
 
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacao
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacaoDitado para-sondagem-na-alfabetizacao
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacao
Marisa Galdi Lapa
 
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábica
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábicaComo trabalhar com a hipótese de escrita silábica
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábica
Edinei Messias
 
Alfabetização letramento
Alfabetização  letramentoAlfabetização  letramento
Alfabetização letramento
Micheli Rader
 
Relato maria jose
Relato maria joseRelato maria jose
Relato maria jose
Marisa Seara
 
Atividades de consciência fonológica
Atividades de consciência fonológica Atividades de consciência fonológica
Atividades de consciência fonológica
Ana Paula Santos
 
Actividades de consciência fonológica
Actividades de consciência fonológicaActividades de consciência fonológica
Actividades de consciência fonológica
Ana Paula Santos
 
Hipóteses da Língua Escrita
Hipóteses da Língua EscritaHipóteses da Língua Escrita
Hipóteses da Língua Escrita
Rayane Paula
 
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
Creche Escola Ladybug
 
Como trabalhar com a hipótese da escrita pré silábica
Como trabalhar com a hipótese da escrita pré silábicaComo trabalhar com a hipótese da escrita pré silábica
Como trabalhar com a hipótese da escrita pré silábica
Edinei Messias
 
Apresentacao 2012 Turma da manhã Creche Escola Ladybug
Apresentacao 2012 Turma da manhã Creche Escola Ladybug Apresentacao 2012 Turma da manhã Creche Escola Ladybug
Apresentacao 2012 Turma da manhã Creche Escola Ladybug
Creche Escola Ladybug
 
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita AlfabéticaUnidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
Elaine Cruz
 
1Ⱐe 2⺠anos
1Ⱐe 2⺠anos1Ⱐe 2⺠anos
1Ⱐe 2⺠anos
Edileusa Camargo
 
1Ⱐe 2⺠anos
1Ⱐe 2⺠anos1Ⱐe 2⺠anos
1Ⱐe 2⺠anos
Edileusa Camargo
 

Semelhante a Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília (20)

Hipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua EscrítaHipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
Hipóteses da Psicogêse da Língua Escríta
 
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escrita
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escritaOrganizando o trabalho a partir dos níveis da escrita
Organizando o trabalho a partir dos níveis da escrita
 
Socialização de prática cre orla blog
Socialização de prática   cre orla blogSocialização de prática   cre orla blog
Socialização de prática cre orla blog
 
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO  CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdfCOMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO  CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
COMO IDENTIFICAR SINAIS DE ATRASO CRIANÇAS COM DIFICULDADE NA ESCRITA .pdf
 
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITAPSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
 
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01
Atividadesparanvelpr silbico-130601023708-phpapp01
 
Nivel de desenvolvimento da escrita
Nivel de desenvolvimento da escritaNivel de desenvolvimento da escrita
Nivel de desenvolvimento da escrita
 
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacao
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacaoDitado para-sondagem-na-alfabetizacao
Ditado para-sondagem-na-alfabetizacao
 
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábica
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábicaComo trabalhar com a hipótese de escrita silábica
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábica
 
Alfabetização letramento
Alfabetização  letramentoAlfabetização  letramento
Alfabetização letramento
 
Relato maria jose
Relato maria joseRelato maria jose
Relato maria jose
 
Atividades de consciência fonológica
Atividades de consciência fonológica Atividades de consciência fonológica
Atividades de consciência fonológica
 
Actividades de consciência fonológica
Actividades de consciência fonológicaActividades de consciência fonológica
Actividades de consciência fonológica
 
Hipóteses da Língua Escrita
Hipóteses da Língua EscritaHipóteses da Língua Escrita
Hipóteses da Língua Escrita
 
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
Apresentação Pré II Creche Escola Ladybug - 2012
 
Como trabalhar com a hipótese da escrita pré silábica
Como trabalhar com a hipótese da escrita pré silábicaComo trabalhar com a hipótese da escrita pré silábica
Como trabalhar com a hipótese da escrita pré silábica
 
Apresentacao 2012 Turma da manhã Creche Escola Ladybug
Apresentacao 2012 Turma da manhã Creche Escola Ladybug Apresentacao 2012 Turma da manhã Creche Escola Ladybug
Apresentacao 2012 Turma da manhã Creche Escola Ladybug
 
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita AlfabéticaUnidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
Unidade 3 - PNAIC - Sistema de Escrita Alfabética
 
1Ⱐe 2⺠anos
1Ⱐe 2⺠anos1Ⱐe 2⺠anos
1Ⱐe 2⺠anos
 
1Ⱐe 2⺠anos
1Ⱐe 2⺠anos1Ⱐe 2⺠anos
1Ⱐe 2⺠anos
 

Último

oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 

Último (20)

oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 

Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília

  • 2. Psicogênese da língua escrita segundo Emília Ferreiro e Ana Teberosky Sugestões para avanço Professora Anne Cunha Silveira 17/05/2012
  • 3. Uma breve abordagem A psicolinguista argentina desvendou os mecanismos pelos quais as crianças aprendem a ler e escrever...
  • 4. Não propõe nenhum método pedagógico, mas revela os processos de aquisição e elaboração de conhecimento pela criança - ou seja, de que modo ela aprende.
  • 5. Tanto as descobertas de Piaget como as de Emília levam à conclusão de que as crianças têm um papel ativo no aprendizado.
  • 6. Segundo Piaget, cada salto cognitivo depende de uma assimilação e de uma reacomodação dos esquemas internos, que necessariamente levam tempo.
  • 7. É imprescindível que o professor alfabetizador descubra o que cada aluno sabe sobre o sistema de escrita. Isto permite que as intervenções sejam adequadas à diversidade de saberes da turma. (Diagnóstico)
  • 9. Pré-silábica Os alunos não percebem a escrita como uma representação da língua falada. É caracterizada por dois níveis:
  • 10. Nível 1 Não estabelecem vínculo entre a fala e a escrita. Usam desenhos, garatujas e rabiscos para escrever. Supõem que a escrita representa os objetos e não seus nomes (coisas grandes têm nomes grandes, coisas pequenas têm nomes pequenos). É o que chamamos de Realismo Nominal. Usam letras do próprio nome ou letras e números nas palavras.
  • 11. Nível 2 Começam a desvincular a escrita das imagens e números das letras. Utilizam letras aleatórias, geralmente presentes em seus próprios nomes. Constroem dois princípios organizadores básicos: 1º: É preciso uma quantidade mínima de letras para que algo esteja escrito (em torno de três). 2º: É necessário que haja uma variedade de caracteres para que se possa ler.
  • 12. Silábica Já supõem que a escrita representa a fala. Para cada sílaba oral, atribuem uma grafia. Em frases, podem escrever uma letra para cada palavra. Também pode ser dividida em dois níveis:
  • 13. Nível 1: Silábico sem valor sonoro • Representam cada sílaba por uma única letra qualquer. • O que escrevem ainda não tem correspondência com o som convencional daquela sílaba.
  • 14. Nível 2 Silábico com valor sonoro Cada sílaba é representada por uma vogal ou consoante que expressa o seu som correspondente. Em geral representada pela vogal, mas não exclusivamente.
  • 15. Silábico-alfabética A hipótese silábico- alfabética corresponde a um período de transição. A criança trabalha simultaneamente com as hipóteses silábica e alfabética.
  • 16. Alfabética O aluno já compreendeu o sistema de escrita, entendendo que cada um dos caracteres da palavra corresponde a um valor sonoro menor do que a sílaba. Domina, ou não, as convenções ortográficas.
  • 19. LISTAGEM DE NOMES • Estimular os alunos para que cada um reconheça o seu próprio nome e os nomes dos colegas.
  • 20. ASPECTO SONORO DAS LETRAS • Quando ocorre a identificação sonora, os alunos começam a compreender que a escrita contém partes sonoras da fala. • As pseudoletras são substituídas pela aquisição dos conceitos de grafema e fonema.
  • 47. CONTAGEM DE SÍLABAS Através de palmas, professora e alunos contam o “número de pedacinhos” que a palavra possui.
  • 48. BOLICHE DO ALFABETO Ao derrubar a garrafa, a criança deve pronunciar o som da letra e falar uma palavra que inicie com a mesma.
  • 52. CAIXA SURPRESA A professora coloca dentro dela um objeto: brinquedo, material escolar, bichos de pelúcia... Os alunos tentarão adivinhar o que tem na caixa através das dicas dadas pela professora. Neste momento, vários aspectos podem ser observados: letra inicial, som, função do objeto... • Esta atividade estimula sobretudo a linguagem oral.
  • 53. SORTEIO DE LETRAS O aluno sorteia uma letra e pronuncia o som, o nome da letra e alguma palavra iniciada por ela. Pode ser feita a contagem de sílabas através de palmas.
  • 54. ATIVIDADES COM RÓTULOS
  • 55. JOGO DAS INICIAIS Escolher determinado tema (animais, brinquedos, doces, material escolar, personagens de desenhos, fotos dos colegas da turma...) e para cada item, a criança fará a relação com a letra inicial.
  • 57. MEU DICIONÁRIO Os alunos confeccionarão um dicionário ilustrado com nomes e gravuras retiradas de revistas ou desenhadas.
  • 58. IDENTIFICAÇÃO DE LETRAS E PALAVRAS EM TEXTOS CONHECIDOS
  • 67. O aluno deve reconhecer as letras no contexto das sílabas.
  • 72. ATIVIDADES ANTERIORES : • Meu dicionário • Atividades com rótulos • Identificação de palavras em textos • Ouvir e compreender histórias • Reconhecer a letra inicial das palavras • Desmembrar oralmente as palavras em sílabas.
  • 73. OUTRAS ATIVIDADES • Contar o número de letras das palavras • Pesquisa de palavras em jornais e revistas • Listagem de palavras • Reconhecer a forma e as posições dos dois tipos de letras: cursiva e maiúscula. • Completar as palavras com as sílabas faltantes.
  • 78. OUTRAS ATIVIDADES • Leitura de textos de seu nível. • Observação da segmentação de palavras no texto. • Construção de frases. • Completar textos com palavras. • Jogo do Stop. • Leitura oral de histórias para a turma.
  • 79. CONTATO COM VARIADOS PORTADORES TEXTUAIS
  • 84. DADOS
  • 85. ALGUMAS FONTES DE PESQUISA • http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/alfabetizacao-inicial/conhecer-nova-turma-4312 • http://revistaescola.abril.com.br/avulsas/teste-hipoteses-de-escrita-dos-alunos.shtml • http://dc122.4shared.com/doc/upV0x813/preview.html • http://www.slideshare.net/cmyamaral/apresentao-psicognese-da-lngua-escrita • http://sabidinhosdaioio.blogspot.com.br/2011/04/niveis-conceituais-da-escrita.html • http://revistaguiafundamental.uol.com.br/professores-atividades/94/artigo252538-2.asp
  • 86. FOTOS DA SESSÃO DE ESTUDOS ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL JOSÉ CARLOS FERREIRA EM 17/05/2012