SlideShare uma empresa Scribd logo
1. Foi na Grécia que o teatro nasceu enquanto
expressão literária.
1.1. As primeiras representações consistiam
num coro que reproduzia episódios da vida do
deus Dionísio, enquanto um grupo dedeus Dionísio, enquanto um grupo de
dançarinos efectuava uma dança circular.
1.2. As histórias que se seguiram falavam de
heróis míticos da História da Grécia, homens
extraordinários que foram punidos, pois
ousaram confrontar os deuses.
2. As representações que surgiram foram: a
tragédia e a comédia.
2.1. Na tragédia assistimos ao castigo ou à punição
de homens extraordinário que ousam confrontar os
deuses. Por sua vez, a comédia possuía um carácter
satírico, procurando pôr a ridículo determinadas
características da sociedade e das suas classes
sociais.sociais.
3. A finalidade do texto dramático é ser
representado.
4. Os modos de apresentação que encontramos no
texto dramático são o diálogo, o monólogo e os
apartes.
5. No texto dramático a acção decorre num
tempo presente e de curta duração.
6. Em relação à estrutura externa, a acção
organiza-se em cenas (entrada/saída de
personagens) e actos (mudança de espaço).
7. Relativamente à estrutura interna, a acção
organiza-se em três momentos fundamentais:organiza-se em três momentos fundamentais:
exposição, conflito e desenlace.
8. O responsável pela criação da peça é o
dramaturgo; o responsável pelo cenário é o
cenógrafo e o responsável pelo guarda-roupa é
o figurinista.
9. A primeira peça recitada por Gil Vicente foi o
«Monólogo do Vaqueiro».
9.1. Gil Vicente recitou esta peça para
comemorar o nascimento do príncipe, futuro D.
João III.
10. O teatro de Gil Vicente caracteriza-se por ser
essencialmente um teatro satírico, que abraça oessencialmente um teatro satírico, que abraça o
lema latino «ridendo castigat mores» (através
do riso corrigem-se os costumes).
11. Gil Vicente apresenta ao seu público um país
fascinado pelo sonho do Oriente, em que as
pessoas vivem de enganos e de aparências.
12. As obras de Gil Vicente podem ser classificadas e
agrupadas do seguinte modo: autos religiosos, farsas e
comédias.
13. Estas peças são intemporais, porque apresentam a vida
e as grandezas e misérias do ser humano.
14. Gil Vicente apresentou as suas criações na corte, nos
salões do palácio da Ribeira, nas residências reais de Évora,
Tomar, Coimbra e Almeirim e também em igrejas ou
mosteiros.mosteiros.
15. De acordo com alguns autores, Gil Vicente optou pelo
cómico devido ao ambiente palaciano em que o seu teatro
se desenvolveu. Se as peças tivessem um carácter mais
sério, poderiam não ser bem recebidas na Corte e
desagradarem ao Rei. Para além disso, as críticas que Gil
Vicente introduz nas suas peças não seriam bem recebidas
se não estivessem misturadas com momentos cómicos.
16. No tempo de Gil Vicente, Portugal
transforma-se numa das maiores potências navais
e comerciais da Europa. A corte de D. João II
aumentou consideravelmente. Multiplicaram-se
os cargos, as dignidades e ofícios mantidos pelo
Estado. A nobreza aumentou também, mas
transformou-se numa nobreza cortesã,transformou-se numa nobreza cortesã,
funcionária e dependente.
17.1. As representações teatrais realizadas antes
de Gil Vicente foram os momos e as
representações religiosas.
18. O teatro de Gil Vicente tinha uma dimensão
medieval, pois apresenta em peças como o «Auto
da Barca do Inferno» personagens alegóricas que
comandam um desfile de personagens. Para além
disso, o teatro de Gil Vicente também tinha duas
finalidades: animar festas cortesãs e,
paralelamente, moralizar a sociedade.paralelamente, moralizar a sociedade.
18.1. Apesar das semelhanças com o teatro da
Idade Média, o teatro de Gil Vicente já possuía
um espírito moderno, por influência do
Renascimento.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gil vicente e a farsa de ines pereira
Gil vicente e a farsa de ines pereiraGil vicente e a farsa de ines pereira
Gil vicente e a farsa de ines pereira
Cristina Tomé
 
O Teatro Na GréCia
O Teatro Na GréCiaO Teatro Na GréCia
O Teatro Na GréCia
Sílvia Mendonça
 
Gil vicente ok
Gil vicente okGil vicente ok
Gil vicente ok
Claudia Lazarini
 
Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédia
Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédiaApostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédia
Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédia
Isabella Silva
 
Breve História do Teatro
Breve História do TeatroBreve História do Teatro
Breve História do Teatro
e- Arquivo
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
DeaaSouza
 
Uma breve história do teatro no ocidente
Uma breve história do teatro no ocidenteUma breve história do teatro no ocidente
Uma breve história do teatro no ocidente
Rosa Vieira Guedes
 
O teatro grego
O teatro gregoO teatro grego
O teatro grego
historiaalan
 
Breve História do Teatro
Breve História do TeatroBreve História do Teatro
Breve História do Teatro
e- Arquivo
 
O Teatro Romano
O Teatro RomanoO Teatro Romano
O Teatro Romano
guestab4e5c
 
Teatro origem e evolução
Teatro  origem e evoluçãoTeatro  origem e evolução
Teatro origem e evolução
josivaldopassos
 
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia DaEvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da
mega
 
Teatro Grego
Teatro GregoTeatro Grego
Teatro Grego
Stefania Giglio
 
Texto sobre a vida e obre de gil vicente
Texto sobre a vida e obre de gil vicenteTexto sobre a vida e obre de gil vicente
Texto sobre a vida e obre de gil vicente
Lia Soares
 
Teatro Grego - Prof. Altair Aguilar
Teatro Grego - Prof. Altair AguilarTeatro Grego - Prof. Altair Aguilar
Teatro Grego - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Teatro na roma antiga
Teatro na roma antigaTeatro na roma antiga
Teatro na roma antiga
Taís Ferreira
 
Breve história do teatro
Breve história do teatroBreve história do teatro
Breve história do teatro
beonline5
 
Apostila 02 2 ano 2012 teatro romano e teatro medieval
Apostila 02 2 ano 2012 teatro romano e teatro medievalApostila 02 2 ano 2012 teatro romano e teatro medieval
Apostila 02 2 ano 2012 teatro romano e teatro medieval
Isabella Silva
 
Teatro romano
Teatro romanoTeatro romano
Teatro romano
jxuia
 
O que é teatro
O que é teatroO que é teatro

Mais procurados (20)

Gil vicente e a farsa de ines pereira
Gil vicente e a farsa de ines pereiraGil vicente e a farsa de ines pereira
Gil vicente e a farsa de ines pereira
 
O Teatro Na GréCia
O Teatro Na GréCiaO Teatro Na GréCia
O Teatro Na GréCia
 
Gil vicente ok
Gil vicente okGil vicente ok
Gil vicente ok
 
Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédia
Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédiaApostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédia
Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédia
 
Breve História do Teatro
Breve História do TeatroBreve História do Teatro
Breve História do Teatro
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Uma breve história do teatro no ocidente
Uma breve história do teatro no ocidenteUma breve história do teatro no ocidente
Uma breve história do teatro no ocidente
 
O teatro grego
O teatro gregoO teatro grego
O teatro grego
 
Breve História do Teatro
Breve História do TeatroBreve História do Teatro
Breve História do Teatro
 
O Teatro Romano
O Teatro RomanoO Teatro Romano
O Teatro Romano
 
Teatro origem e evolução
Teatro  origem e evoluçãoTeatro  origem e evolução
Teatro origem e evolução
 
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia DaEvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da
 
Teatro Grego
Teatro GregoTeatro Grego
Teatro Grego
 
Texto sobre a vida e obre de gil vicente
Texto sobre a vida e obre de gil vicenteTexto sobre a vida e obre de gil vicente
Texto sobre a vida e obre de gil vicente
 
Teatro Grego - Prof. Altair Aguilar
Teatro Grego - Prof. Altair AguilarTeatro Grego - Prof. Altair Aguilar
Teatro Grego - Prof. Altair Aguilar
 
Teatro na roma antiga
Teatro na roma antigaTeatro na roma antiga
Teatro na roma antiga
 
Breve história do teatro
Breve história do teatroBreve história do teatro
Breve história do teatro
 
Apostila 02 2 ano 2012 teatro romano e teatro medieval
Apostila 02 2 ano 2012 teatro romano e teatro medievalApostila 02 2 ano 2012 teatro romano e teatro medieval
Apostila 02 2 ano 2012 teatro romano e teatro medieval
 
Teatro romano
Teatro romanoTeatro romano
Teatro romano
 
O que é teatro
O que é teatroO que é teatro
O que é teatro
 

Semelhante a Gil Vicente

Gil Vicente2
Gil Vicente2Gil Vicente2
Gil Vicente2
Fernanda Soares
 
Simulado lit-prise 1 ok
Simulado lit-prise 1 okSimulado lit-prise 1 ok
Simulado lit-prise 1 ok
Shislaine Mary Carvalho
 
A comédia latina e a educação dos filhos
A comédia latina e a educação dos filhosA comédia latina e a educação dos filhos
A comédia latina e a educação dos filhos
Francieli Corbellini
 
Breve História do Teatro
Breve História do TeatroBreve História do Teatro
Breve História do Teatro
e- Arquivo
 
2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatro2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatro
O Ciclista
 
Panorama Do Teatro Ocidental Elisab Oro
Panorama Do Teatro Ocidental Elisab OroPanorama Do Teatro Ocidental Elisab Oro
Panorama Do Teatro Ocidental Elisab Oro
Claudia Venturi
 
Prova história do teatro
Prova   história do teatroProva   história do teatro
Prova história do teatro
Denise Compasso
 
Gêneros dramáticos
Gêneros dramáticosGêneros dramáticos
Gêneros dramáticos
Aline Raposo
 
Teatro grego
Teatro gregoTeatro grego
Teatro grego
Andrea Dressler
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
Rafael Mathias
 
Teatro grego
Teatro gregoTeatro grego
Teatro grego
Aline Raposo
 
Teatro romano.ppsx
Teatro romano.ppsxTeatro romano.ppsx
Teatro romano.ppsx
Silvana Chaves
 
farsa_ines_pereira.pptx
farsa_ines_pereira.pptxfarsa_ines_pereira.pptx
farsa_ines_pereira.pptx
gabrielmoreiracastro
 
Farsa Inês Pereira
Farsa Inês PereiraFarsa Inês Pereira
Farsa Inês Pereira
Maria da Luz Rosinha
 
451429231-farsa-inessss-pereira-ppt.pptx
451429231-farsa-inessss-pereira-ppt.pptx451429231-farsa-inessss-pereira-ppt.pptx
451429231-farsa-inessss-pereira-ppt.pptx
maurodaiana
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereira
David Caçador
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
Experiências Português
 
Diderot e a arte dramática
Diderot e a arte dramáticaDiderot e a arte dramática
Diderot e a arte dramática
Taís Ferreira
 
Panorama Do Teatro Ocidental
Panorama Do Teatro OcidentalPanorama Do Teatro Ocidental
Panorama Do Teatro Ocidental
Claudia Venturi
 
Teatro Medieval e Renacentista
Teatro Medieval e RenacentistaTeatro Medieval e Renacentista
Teatro Medieval e Renacentista
Andrea Dressler
 

Semelhante a Gil Vicente (20)

Gil Vicente2
Gil Vicente2Gil Vicente2
Gil Vicente2
 
Simulado lit-prise 1 ok
Simulado lit-prise 1 okSimulado lit-prise 1 ok
Simulado lit-prise 1 ok
 
A comédia latina e a educação dos filhos
A comédia latina e a educação dos filhosA comédia latina e a educação dos filhos
A comédia latina e a educação dos filhos
 
Breve História do Teatro
Breve História do TeatroBreve História do Teatro
Breve História do Teatro
 
2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatro2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatro
 
Panorama Do Teatro Ocidental Elisab Oro
Panorama Do Teatro Ocidental Elisab OroPanorama Do Teatro Ocidental Elisab Oro
Panorama Do Teatro Ocidental Elisab Oro
 
Prova história do teatro
Prova   história do teatroProva   história do teatro
Prova história do teatro
 
Gêneros dramáticos
Gêneros dramáticosGêneros dramáticos
Gêneros dramáticos
 
Teatro grego
Teatro gregoTeatro grego
Teatro grego
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
 
Teatro grego
Teatro gregoTeatro grego
Teatro grego
 
Teatro romano.ppsx
Teatro romano.ppsxTeatro romano.ppsx
Teatro romano.ppsx
 
farsa_ines_pereira.pptx
farsa_ines_pereira.pptxfarsa_ines_pereira.pptx
farsa_ines_pereira.pptx
 
Farsa Inês Pereira
Farsa Inês PereiraFarsa Inês Pereira
Farsa Inês Pereira
 
451429231-farsa-inessss-pereira-ppt.pptx
451429231-farsa-inessss-pereira-ppt.pptx451429231-farsa-inessss-pereira-ppt.pptx
451429231-farsa-inessss-pereira-ppt.pptx
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereira
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
 
Diderot e a arte dramática
Diderot e a arte dramáticaDiderot e a arte dramática
Diderot e a arte dramática
 
Panorama Do Teatro Ocidental
Panorama Do Teatro OcidentalPanorama Do Teatro Ocidental
Panorama Do Teatro Ocidental
 
Teatro Medieval e Renacentista
Teatro Medieval e RenacentistaTeatro Medieval e Renacentista
Teatro Medieval e Renacentista
 

Mais de Fernanda Soares

Exame 2010
Exame 2010Exame 2010
Exame 2010
Fernanda Soares
 
Exame 2010
Exame 2010Exame 2010
Exame 2010
Fernanda Soares
 
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 ElimResultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
Fernanda Soares
 
Resultados do campeonato de ortografia 8 e
Resultados do campeonato de ortografia 8 eResultados do campeonato de ortografia 8 e
Resultados do campeonato de ortografia 8 e
Fernanda Soares
 
W31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
W31 Sub Conc Cons Comp Fin CompletW31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
W31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
Fernanda Soares
 
Game Rooms House
Game Rooms HouseGame Rooms House
Game Rooms House
Fernanda Soares
 
Musical Challenge
Musical ChallengeMusical Challenge
Musical Challenge
Fernanda Soares
 
Game Types Houses
Game Types HousesGame Types Houses
Game Types Houses
Fernanda Soares
 
W8 Past Simple Further Practice
W8 Past Simple  Further PracticeW8 Past Simple  Further Practice
W8 Past Simple Further Practice
Fernanda Soares
 
W8 Past Simple Practice
W8 Past Simple  PracticeW8 Past Simple  Practice
W8 Past Simple Practice
Fernanda Soares
 
W4 Articles Indefinite And Definite
W4 Articles  Indefinite And DefiniteW4 Articles  Indefinite And Definite
W4 Articles Indefinite And Definite
Fernanda Soares
 
W6 My Happy Ending Verbo To Be Simple Past
W6 My Happy Ending   Verbo To Be Simple PastW6 My Happy Ending   Verbo To Be Simple Past
W6 My Happy Ending Verbo To Be Simple Past
Fernanda Soares
 
W5 Present Simple Pr Continuous
W5 Present Simple Pr ContinuousW5 Present Simple Pr Continuous
W5 Present Simple Pr Continuous
Fernanda Soares
 
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 BResultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
Fernanda Soares
 
Ft29 Ines De Castro
Ft29 Ines De CastroFt29 Ines De Castro
Ft29 Ines De Castro
Fernanda Soares
 
Ft28 Quadro Global Lusiadas
Ft28 Quadro Global LusiadasFt28 Quadro Global Lusiadas
Ft28 Quadro Global Lusiadas
Fernanda Soares
 
Ft26 ConsíLio Deuses
Ft26 ConsíLio DeusesFt26 ConsíLio Deuses
Ft26 ConsíLio Deuses
Fernanda Soares
 
Ft25 Relativas
Ft25 RelativasFt25 Relativas
Ft25 Relativas
Fernanda Soares
 
Ft24 Figuras Estilo Lusiadas
Ft24 Figuras Estilo LusiadasFt24 Figuras Estilo Lusiadas
Ft24 Figuras Estilo Lusiadas
Fernanda Soares
 

Mais de Fernanda Soares (20)

Exame 2010
Exame 2010Exame 2010
Exame 2010
 
Exame 2010
Exame 2010Exame 2010
Exame 2010
 
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 ElimResultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B 2 Elim
 
Resultados do campeonato de ortografia 8 e
Resultados do campeonato de ortografia 8 eResultados do campeonato de ortografia 8 e
Resultados do campeonato de ortografia 8 e
 
W31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
W31 Sub Conc Cons Comp Fin CompletW31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
W31 Sub Conc Cons Comp Fin Complet
 
Game Rooms House
Game Rooms HouseGame Rooms House
Game Rooms House
 
Musical Challenge
Musical ChallengeMusical Challenge
Musical Challenge
 
Game Types Houses
Game Types HousesGame Types Houses
Game Types Houses
 
A Special House
A Special HouseA Special House
A Special House
 
W8 Past Simple Further Practice
W8 Past Simple  Further PracticeW8 Past Simple  Further Practice
W8 Past Simple Further Practice
 
W8 Past Simple Practice
W8 Past Simple  PracticeW8 Past Simple  Practice
W8 Past Simple Practice
 
W4 Articles Indefinite And Definite
W4 Articles  Indefinite And DefiniteW4 Articles  Indefinite And Definite
W4 Articles Indefinite And Definite
 
W6 My Happy Ending Verbo To Be Simple Past
W6 My Happy Ending   Verbo To Be Simple PastW6 My Happy Ending   Verbo To Be Simple Past
W6 My Happy Ending Verbo To Be Simple Past
 
W5 Present Simple Pr Continuous
W5 Present Simple Pr ContinuousW5 Present Simple Pr Continuous
W5 Present Simple Pr Continuous
 
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 BResultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
Resultados Do Campeonato De Ortografia 9 B
 
Ft29 Ines De Castro
Ft29 Ines De CastroFt29 Ines De Castro
Ft29 Ines De Castro
 
Ft28 Quadro Global Lusiadas
Ft28 Quadro Global LusiadasFt28 Quadro Global Lusiadas
Ft28 Quadro Global Lusiadas
 
Ft26 ConsíLio Deuses
Ft26 ConsíLio DeusesFt26 ConsíLio Deuses
Ft26 ConsíLio Deuses
 
Ft25 Relativas
Ft25 RelativasFt25 Relativas
Ft25 Relativas
 
Ft24 Figuras Estilo Lusiadas
Ft24 Figuras Estilo LusiadasFt24 Figuras Estilo Lusiadas
Ft24 Figuras Estilo Lusiadas
 

Último

Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 

Último (20)

Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 

Gil Vicente

  • 1. 1. Foi na Grécia que o teatro nasceu enquanto expressão literária. 1.1. As primeiras representações consistiam num coro que reproduzia episódios da vida do deus Dionísio, enquanto um grupo dedeus Dionísio, enquanto um grupo de dançarinos efectuava uma dança circular. 1.2. As histórias que se seguiram falavam de heróis míticos da História da Grécia, homens extraordinários que foram punidos, pois ousaram confrontar os deuses.
  • 2. 2. As representações que surgiram foram: a tragédia e a comédia. 2.1. Na tragédia assistimos ao castigo ou à punição de homens extraordinário que ousam confrontar os deuses. Por sua vez, a comédia possuía um carácter satírico, procurando pôr a ridículo determinadas características da sociedade e das suas classes sociais.sociais. 3. A finalidade do texto dramático é ser representado. 4. Os modos de apresentação que encontramos no texto dramático são o diálogo, o monólogo e os apartes.
  • 3. 5. No texto dramático a acção decorre num tempo presente e de curta duração. 6. Em relação à estrutura externa, a acção organiza-se em cenas (entrada/saída de personagens) e actos (mudança de espaço). 7. Relativamente à estrutura interna, a acção organiza-se em três momentos fundamentais:organiza-se em três momentos fundamentais: exposição, conflito e desenlace. 8. O responsável pela criação da peça é o dramaturgo; o responsável pelo cenário é o cenógrafo e o responsável pelo guarda-roupa é o figurinista.
  • 4. 9. A primeira peça recitada por Gil Vicente foi o «Monólogo do Vaqueiro». 9.1. Gil Vicente recitou esta peça para comemorar o nascimento do príncipe, futuro D. João III. 10. O teatro de Gil Vicente caracteriza-se por ser essencialmente um teatro satírico, que abraça oessencialmente um teatro satírico, que abraça o lema latino «ridendo castigat mores» (através do riso corrigem-se os costumes). 11. Gil Vicente apresenta ao seu público um país fascinado pelo sonho do Oriente, em que as pessoas vivem de enganos e de aparências.
  • 5. 12. As obras de Gil Vicente podem ser classificadas e agrupadas do seguinte modo: autos religiosos, farsas e comédias. 13. Estas peças são intemporais, porque apresentam a vida e as grandezas e misérias do ser humano. 14. Gil Vicente apresentou as suas criações na corte, nos salões do palácio da Ribeira, nas residências reais de Évora, Tomar, Coimbra e Almeirim e também em igrejas ou mosteiros.mosteiros. 15. De acordo com alguns autores, Gil Vicente optou pelo cómico devido ao ambiente palaciano em que o seu teatro se desenvolveu. Se as peças tivessem um carácter mais sério, poderiam não ser bem recebidas na Corte e desagradarem ao Rei. Para além disso, as críticas que Gil Vicente introduz nas suas peças não seriam bem recebidas se não estivessem misturadas com momentos cómicos.
  • 6. 16. No tempo de Gil Vicente, Portugal transforma-se numa das maiores potências navais e comerciais da Europa. A corte de D. João II aumentou consideravelmente. Multiplicaram-se os cargos, as dignidades e ofícios mantidos pelo Estado. A nobreza aumentou também, mas transformou-se numa nobreza cortesã,transformou-se numa nobreza cortesã, funcionária e dependente. 17.1. As representações teatrais realizadas antes de Gil Vicente foram os momos e as representações religiosas.
  • 7. 18. O teatro de Gil Vicente tinha uma dimensão medieval, pois apresenta em peças como o «Auto da Barca do Inferno» personagens alegóricas que comandam um desfile de personagens. Para além disso, o teatro de Gil Vicente também tinha duas finalidades: animar festas cortesãs e, paralelamente, moralizar a sociedade.paralelamente, moralizar a sociedade. 18.1. Apesar das semelhanças com o teatro da Idade Média, o teatro de Gil Vicente já possuía um espírito moderno, por influência do Renascimento.