SlideShare uma empresa Scribd logo
Gerenciamento de Projetos para
Escritórios de Arquitetura
LAÍS CARVALHO GOMES
A R Q U I T E T A E M B A E M G E R E N C . D E P R O J E T O S
O que é?
PORTFÓLIO:
- Possui controle sobre todos os projetos de forma mais ampla.
- Escopo organizacional que muda de acordo com os objetivos da empresa.
PROGRAMAS :
- Objetivo Principal é a entrega final
- Grupo de projetos, subprogramas e atividades do programa.
- Alinha vários projetos para otimizar ou integrar recursos.
PORTFÓLIO
PROGRAMA
PROJETO
O que é?
PROJETO :
É um esforço temporário para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.
- Possui Início, meio e fim
- Pode ser finalizado por cancelamento ou por objetivo alcançado
- Tem elaboração progressiva / Desenvolvimento por etapas
PORTFÓLIO
PROGRAMA PROGRAMA
PROJETO PROJETO PROJETO PROJETO
Linear Arquitetura
Gerenciamento de melhor aplicação:
GERENCIAMENTO DE PROJETO E PORTIFÓLIO
Desenvolvimento de vários projetos diferentes ao mesmo tempo, sem ligações entre si,
mas com um objetivo final comum
Gerenciamento
DEFINIÇÃO:
É a aplicação de conhecimento, de habilidades, de ferramentas e técnicas a uma ampla
gama de atividades para atender aos requisitos de um determinado projeto.
O gerenciamento de projetos possui 10 áreas de conhecimentos.
Áreas de
Conhecimento
Áreas de
Conhecimento
Áreas de
Conhecimento
Áreas de
Conhecimento
Áreas de
Conhecimento
Áreas de
Conhecimento
Áreas de
Conhecimento
Áreas de
Conhecimento
Áreas de
Conhecimento
Áreas de
Conhecimento
Processos de Gerenciamento de
Projetos
Fases comuns as áreas de conhecimento:
- Iniciação
integração – TAP (termo de Abertura do Projeto)
partes interessadas – Identificação dos stakeholders
- Planejamento (Todas as áreas)
Definir o escopo e EAP
Planejar o gerenciamento da área em questão
Desenvolver o plano
Definir atividades
estimar e determinar recursos, custos e duração
Analisar os riscos
Processos de Gerenciamento de
Projetos
- Monitoramento e controle (Todas as áreas)
Monitorar e controlar o trabalho do projeto
Validar o escopo
- encerramento
integração – Encerrar o projeto
Aquisições – Encerrar as aquisições
1. Integração
Processo de identificar todas as pessoas, grupos e organizações que podem impactar o
projeto.
TAP (Termo de Abertura do Projeto):
- Especificação do projeto, produto, serviço ou resultado descrito pelo cliente
- Acordos: Definições dos propósitos do projeto - Qualquer documento que define as
intenções iniciais.
- Business case: Estudo documentado de viabilidade econômica usado para determinar
a validade dos benefícios – Determina se o projeto justifica ou não o investimento.
Técnicas de facilitação
- Brainstorming – Coleta de dados e exercício de criatividade que pode ser usada para
identificar riscos, ideias ou soluções, usando um grupo de membros da equipe ou
especialistas no assunto.
- Resolução de conflitos
- Solução de problemas
- Gerenciamento de reuniões
2. Escopo
Estabelece os processos necessários para garantir que o projeto seja concluído com
sucesso.
Escopo = Definição + Controle
Escopo do Produto = Características e funções que descrevem um produto, serviço ou
resultado
Escopo do Projeto = Trabalho que precisa ser realizado para a entrega do Produto.
Técnicas de coletar e controlar Requisitos:
- Entrevistas
- Grupos de discursões
- Oficinas facilitadas
2. Escopo
EAP (Estrutura Analítica do Projeto):
Projeto = Entregas + Processos
PORTFÓLIO
PROJETO
PREFEITURA
DETALHA-
MENTO
PROJETO
EXECUTIVO
ANTEPROJETO FECHAMENTO
PLANTA
HUMANIZADA
IMAGENS
AMBIENTE 01
IMAGENS
AMBIENTE 02
PLANTA
SITUAÇÃO
PLANTA
COBERTURA
PAVIMENTO
TÉRREO
CORTE AA
CORTE BB
ELEVAÇÃO 01
GRADIL
MEMORIAL DE
CÁLCULO
LISTA DE
ESPECIFICAÇÃO
PLANTA DE
ACABAMENTOS
CORTES /
ELEVAÇÕES COM
ACABAMENTOS
PONTOS
ELÉTRICOS E
HIDRÁULICOS
ÁREAS
MOLHADAS
ÁREAS SECAS
MOBILIÁRIOS
ESQUADRIAS
PAGINAÇÃO DE
PISO
PAGINAÇÃO DE
FORRO
DETALHES
CONSTRUTIVOS
CARTA DE
AVALIAÇÃO
CARTA DE
ENTREGA
CARTA DE
ACEITE
LIÇÕES
APRENDIDAS
3.Tempo
Fator de sucesso do projeto!
Inclui os processos necessários para gerenciar o término pontual do projeto.
- Planejar o cronograma
Definir a ferramenta a ser utilizada
Definir quem estará envolvido
Procedimentos organizacionais
- Técnicas Analíticas
Planejamento por ondas sucessivas, antecipação e esperas
Análise de alternativas
Métodos de avaliação de desempenho do cronograma
4. Custo
Inclui os processos envolvidos no planejamento, estimativas, orçamentos,
financiamentos, gerenciamento e controle dos custos, de modo que o projeto possa ser
terminado dentro do orçamento aprovado.
Planejamento
- Estimativa de custos
- Análise de reservas: de contingência (reserva para os riscos) e gerencial.
- Escolha do software para gerenciamento do projeto: Excel, M.S. Project, 5PM, etc.
- Análise das propostas dos fornecedores
Análise de custo benefício
<Retrabalho, >Produtividade, <Custo, >Satisfação
Custo de conformidade: (Dinheiro gasto durante o projeto)
Prevenção de custos: Fabricar um produto de qualidade
Custos de Avaliação: Avaliar / Testar / Inspecionar a qualidade do produto
Custo de falta de conformidade: (Dinheiro gasto após o projeto)
Falhas internas: Falhas encontradas pelo projeto
Falhas externas: Falhas encontradas pelo cliente
Técnicas de facilitação
- Metodologia FEL (Front-end loading)
- Linha de base dos custos
- Gerenciamento do valor agregado
- Previsão
- Índice de desempenho para término (IDPT)
- Análise de desempenho
5. Qualidade
“grau com que um conjunto de características inerentes atende aos requisitos”
Processos de identificar os requisitos e padrões de qualidade do projeto e suas
entregas, além da documentação de como o projeto demonstrará conformidade com os
requisitos e padrões de qualidade.
Precisão – Homogeneidade de medições repetidas agrupadas com pouca dispersão.
Exatidão – Correção com que o valor medido se aproxima do valor real.
Modelos de qualidade
- Kaizen
melhoria contínua
- Gerencia da Qualidade Total
total quality management (tqm) – Qualidade em toda a organização, internas e externas)
- Junt in Time
Produção por demanda (sem armazenamento)
- Gold Plating
trabalho supérfluo – entregar além do necessário
Técnicas de facilitação
7 ferramentas de qualidade básica:
- Fluxograma – Diagrama utilizado para representar a sequência dos processos
- Diagrama de Pareto – gráfico de colunas que ordena as frequências
- Folhas de verificação – Check list
- Diagrama de Ishikawa ou “Espinha de peixe” – Diagrama de causa e efeito - Relação entre
efeito e possibilidades de causa, chegando a raiz do problema.
- Histograma – Gráfico de barras usado para mostrar a distribuição de variáveis obtidos por
medições.
- Diagrama de dispersão – Relações entre variáveis de um processo e sua intensidade
- Controle de estatística de processo
6. Recursos Humanos
Processo de identificação e documentação de papéis, responsabilidades, habilidades
necessárias e relações hierárquicas do projeto.
- Estimar os recursos das atividades
- Linha de base
- Estrutura analítica dos recursos/Organizacional
Ferramentas e Técnicas
- Treinamento
- Reconhecimento e recompensas
- Ferramentas de avaliação dos funcionários - indicadores e avaliação 360º (feedback –
oral e escrita)
- Análise SWOT
- Kanban
7. Comunicações
“As equipes são formadas por pessoas com objetivos comuns, onde o desempenho
conjunto é maior que a soma dos insumos individuais.”
Processos necessários para assegurar que as informações do projeto sejam
planejadas, geradas, coletadas, distribuídas, armazenadas, recuperadas, gerenciadas,
controladas, monitoradas e organizadas de maneira oportuna e apropriada.
Ferramentas e Técnicas
- Matriz de comunicação
- Relatórios de desempenho
- Informações sobre o desempenho do trabalho
- Reuniões
Regras para reuniões
1. Definir um limite de tempo
2. Agendar reuniões recorrentes com antecedência
3. Reunir-se com a equipe regularmente
4. Ter um objetivo para cada reunião
5. Criar pauta
6. Distribuir a pauta com antecedência e limitar-se a ela
7. Informar as pessoas sobre suas responsabilidades com antecedência
8. Reunir as pessoas certas
9. Designar entregas e prazos para todas as tarefas resultantes da reunião
10. Documente e publique as atas das reuniões
8. Riscos
Risco:
Evento ou condições incertas que, se ocorrer, terá um efeito positivo ou negativo em um
ou mais objetivos do projeto.
Inclui processos de planejamento, identificação, análise, planejamento de respostas e
controle de riscos de um projeto.
- Viabilidade do projeto se baseia em cima dos riscos que ele tem.
Ferramentas e Técnicas
- Reuniões
- Técnicas de diagramas
- Análise de premissas
- Análise SWOT (foças, fraquezas, oportunidades e ameaças)
- Registro de riscos
- Análise qualitativa e quantitativa dos riscos
- Avaliação e Matriz de probabilidade e impacto dos riscos
- Categorização de riscos e avaliação de urgência dos riscos
9. Aquisições
Processo de documentação das decisões de compras do projeto, especificando
abordagem e identificando fornecedores em potencial.
- SOW (Statement of Work - Declaração de trabalho)
- Matriz de rastreabilidade dos requisitos
10. Partes Interessadas /
Stakeholders
Processo de identificar pessoas, grupos ou organizações que podem impactar ou serem
impactados por uma decisão, atividade ou resultado do projeto.
Fazer a análise e documentar informações relevantes relativas aos seus interesses e o
impacto no sucesso do projeto.
- Matriz de poder/interesse
- Registro das partes interessadas
Comparativo
Aplicações para o escritório:
1. ( ✓) Integração ( ✓) TAP – Termo de Abertura do Projeto
(Contrato/Proposta)
2. (✓) Escopo ( ✓) PQ e Contrato/Proposta
3. (+-) Tempo ( ✓) Cronograma
( X ) Controle durante a execução do projeto
(Daily Scrum Meeting)
4. (✓) Custo ( ✓) Aplicado somente em alguns projetos
5. (✓) Qualidade ( ✓) Check-list
Comparativo
6. (+-) Recursos Humanos ( X ) Treinamento
( X ) Ferramentas de avaliação dos funcionários -
indicadores e avaliação 360º (feedback – oral e escrita)
( X ) Metas X Recompensas
( ✓) Matriz RACI (adequado ao escritório)
( ✓) Kanban (adequado ao escritório)
7. ( X ) Comunicações ( X ) Matriz de comunicação
( X ) Relatórios de desempenho
( ✓) Reuniões
8. ( X ) Riscos
9. (+-) Aquisições
10. ( X ) Partes interessadas
Melhorias
1. Controle de tempo durante a execução: Incluir Project para controle dos projetos
2. Treinamento: 1º dia dos estagiários seria para explicar e passar um treinamento básico
da forma de trabalho e organização do escritório.
3. Ferramentas de avaliação: Criar avaliações interativas 360º a cada 6 meses ou quando
uma pessoa da equipe for sair, aplicando feedbacks particulares após o resultado das
avaliações.
4. Matriz de comunicação.
5. Relatórios de desempenho: Gerar relatórios mensais através da “consolidação da tabela
de atividades” existente no controle de horas.
6. Análise de causa e efeito para determinar o porque das entregas realizadas em cima do
prazo.
Solicitações de mudanças
Status Report
Relatório do resumo do andamento do projeto.
Apresenta os pontos principais do projeto:
- Escopo
- Cronograma
- Custo
- Riscos
- Qualidade
Daily Scrum Meeting
Reunião diária com a Equipe
Normalmente é realizada em 15 minutos no início do dia, com objetivo de repassar as
atividades e responsabilidades de cada integrante da equipe.
- o que fez
- o que vai fazer
- impedimentos encontrados desde a reunião anterior.
Análise de causa e efeito
Analisar as causas e razões possíveis que fazem com que um problema ocorra através
do time do projeto.
Aplicação dentro do escritório:
 Atraso na entrega dos projetos
 Prejuízo em alguns projetos
Análise SWOT
Ferramenta Administrativa para planejamento e estratégias de negócios com foco na
otimização do desempenho em relação ao mercado.
Identifica pontos fracos e fortes / Ameaças e Oportunidades.
Exemplo
 Força: Estrutura de entregas e apresentação
dos projetos
 Fraqueza: Controle durante a execução
 Oportunidade: Alteração do mercado, Mostra.
 Ameaça: Concorrente, queda na economia.
Kanban
Ferramenta relacionada a utilização post-it para indicar o andamento dos fluxos de
produção de um ou vários projetos na empresa.
Matriz Raci
A matriz RACI, ou matriz de responsabilidade, utilizada para deixar claro aos envolvidos
a atribuição de responsabilidades.
Você pode utilizar a matriz para definir responsabilidades dentro de um determinado
processo, projeto, serviço ou mesmo no contexto de um departamento ou área de sua
organização.
Matriz Raci
Atividades /
Responsáveis
Cliente
(Patrocinador)
Alyne Ferreira Laís Carvalho Daniel Lopes Clarissa Rocha
Processo 01 A R I I I
Processo 02 C I I R
Processo 03 C I R I
Processo 04 C R I I
Processo 05 C I R I
Processo 06 C I I R
Processo 07 A R R I I
R - Responsável pela execução A - Autoridade para aprovar
C - Precisa ser consultado I - Precisa ser informado/
Canvas
Utilizado para fazer o planejamento de um projeto.
Bibliografia
PUC Minas, Apostila do Curso de Gerenciamento de Projetos.
http://escritoriodeprojetos.com.br/ferramentas-e-tecnicas-do-guia-pmbok

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Etapas de um projeto de arquitetura
Etapas de um projeto de arquiteturaEtapas de um projeto de arquitetura
Etapas de um projeto de arquitetura
Mariana Azevedo
 
Proceso Arquitectonico (2da Parte)Edit
Proceso Arquitectonico (2da Parte)EditProceso Arquitectonico (2da Parte)Edit
Proceso Arquitectonico (2da Parte)Edit
Yemilhe Chavez
 
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOKGerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Claudio Barbosa
 
12 D LançAmento Do Produto
12 D   LançAmento Do Produto12 D   LançAmento Do Produto
12 D LançAmento Do Produto
Marcel Gois
 
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® 5ª Edição em Português - Versão simplificada
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® 5ª Edição em Português - Versão simplificadaFluxo de Processos do Guia PMBOK® 5ª Edição em Português - Versão simplificada
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® 5ª Edição em Português - Versão simplificada
Ricardo Viana Vargas
 
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-ConstruirPlantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
danilosaccomori
 
Gestão de projetos
Gestão de projetosGestão de projetos
Gestão de projetos
Clayton Oliveira
 
Estudo de caso faria lima
Estudo de caso faria limaEstudo de caso faria lima
Estudo de caso faria lima
Nayra Reis
 
Exemplo De Plano De Gerenciamento De Projeto
Exemplo De Plano De Gerenciamento De ProjetoExemplo De Plano De Gerenciamento De Projeto
Exemplo De Plano De Gerenciamento De Projeto
lhencar
 
Apostila técnica projeto executivo
Apostila técnica   projeto executivoApostila técnica   projeto executivo
Apostila técnica projeto executivo
Rafael Andrade
 
Gerenciamento de projetos apostila completa
Gerenciamento de projetos   apostila completaGerenciamento de projetos   apostila completa
Gerenciamento de projetos apostila completa
Paulo Junior
 
Gerenciamento de tempo em projetos
Gerenciamento de tempo em projetosGerenciamento de tempo em projetos
Gerenciamento de tempo em projetos
Sandro H. Oliveira, MBA
 
Gerenciamento do Escopo em Projetos
Gerenciamento do Escopo em ProjetosGerenciamento do Escopo em Projetos
Gerenciamento do Escopo em Projetos
Mauro Sotille, MBA, PMP
 
Modelo de Negócio do PMO
Modelo de Negócio do PMOModelo de Negócio do PMO
Modelo de Negócio do PMO
Project Builder
 
Apostila brises
Apostila brisesApostila brises
Apostila brises
Carlos Elson Cunha
 
Gerenciamento de integracao
Gerenciamento de integracaoGerenciamento de integracao
Sistemas construtivos tradicionais no brasil - arquitetura indígena.
Sistemas construtivos tradicionais no brasil - arquitetura indígena.Sistemas construtivos tradicionais no brasil - arquitetura indígena.
Sistemas construtivos tradicionais no brasil - arquitetura indígena.
Lila Donato
 
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - IniciaçãoGerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Paulo Junior
 
Nbr 6120 cargas para o cálculo de estruturas de edificações
Nbr 6120   cargas para o cálculo de estruturas de edificaçõesNbr 6120   cargas para o cálculo de estruturas de edificações
Nbr 6120 cargas para o cálculo de estruturas de edificações
mjmcreatore
 
Aula da escadas
Aula da escadasAula da escadas
Aula da escadas
lpscheibler
 

Mais procurados (20)

Etapas de um projeto de arquitetura
Etapas de um projeto de arquiteturaEtapas de um projeto de arquitetura
Etapas de um projeto de arquitetura
 
Proceso Arquitectonico (2da Parte)Edit
Proceso Arquitectonico (2da Parte)EditProceso Arquitectonico (2da Parte)Edit
Proceso Arquitectonico (2da Parte)Edit
 
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOKGerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
Gerenciamento de Projetos - Disciplinas PMBOK
 
12 D LançAmento Do Produto
12 D   LançAmento Do Produto12 D   LançAmento Do Produto
12 D LançAmento Do Produto
 
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® 5ª Edição em Português - Versão simplificada
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® 5ª Edição em Português - Versão simplificadaFluxo de Processos do Guia PMBOK® 5ª Edição em Português - Versão simplificada
Fluxo de Processos do Guia PMBOK® 5ª Edição em Português - Versão simplificada
 
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-ConstruirPlantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
 
Gestão de projetos
Gestão de projetosGestão de projetos
Gestão de projetos
 
Estudo de caso faria lima
Estudo de caso faria limaEstudo de caso faria lima
Estudo de caso faria lima
 
Exemplo De Plano De Gerenciamento De Projeto
Exemplo De Plano De Gerenciamento De ProjetoExemplo De Plano De Gerenciamento De Projeto
Exemplo De Plano De Gerenciamento De Projeto
 
Apostila técnica projeto executivo
Apostila técnica   projeto executivoApostila técnica   projeto executivo
Apostila técnica projeto executivo
 
Gerenciamento de projetos apostila completa
Gerenciamento de projetos   apostila completaGerenciamento de projetos   apostila completa
Gerenciamento de projetos apostila completa
 
Gerenciamento de tempo em projetos
Gerenciamento de tempo em projetosGerenciamento de tempo em projetos
Gerenciamento de tempo em projetos
 
Gerenciamento do Escopo em Projetos
Gerenciamento do Escopo em ProjetosGerenciamento do Escopo em Projetos
Gerenciamento do Escopo em Projetos
 
Modelo de Negócio do PMO
Modelo de Negócio do PMOModelo de Negócio do PMO
Modelo de Negócio do PMO
 
Apostila brises
Apostila brisesApostila brises
Apostila brises
 
Gerenciamento de integracao
Gerenciamento de integracaoGerenciamento de integracao
Gerenciamento de integracao
 
Sistemas construtivos tradicionais no brasil - arquitetura indígena.
Sistemas construtivos tradicionais no brasil - arquitetura indígena.Sistemas construtivos tradicionais no brasil - arquitetura indígena.
Sistemas construtivos tradicionais no brasil - arquitetura indígena.
 
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - IniciaçãoGerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - Iniciação
 
Nbr 6120 cargas para o cálculo de estruturas de edificações
Nbr 6120   cargas para o cálculo de estruturas de edificaçõesNbr 6120   cargas para o cálculo de estruturas de edificações
Nbr 6120 cargas para o cálculo de estruturas de edificações
 
Aula da escadas
Aula da escadasAula da escadas
Aula da escadas
 

Destaque

Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCII
Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCIIHumanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCII
Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCII
Lais Carvalho Gomes
 
Trabajos Diseñador Industrial
Trabajos Diseñador Industrial Trabajos Diseñador Industrial
Trabajos Diseñador Industrial
Alberto Moreno
 
Edcon n51
Edcon n51Edcon n51
Edcon n51
noah lambojo
 
Patrimonio cultural de colombia. ec
Patrimonio cultural de colombia. ecPatrimonio cultural de colombia. ec
Patrimonio cultural de colombia. ec
Eva Lucía Callejas
 
uppada_kishore_resume (1)
uppada_kishore_resume (1)uppada_kishore_resume (1)
uppada_kishore_resume (1)
kishore reddy uppada
 
Presentation34
Presentation34Presentation34
Presentation34
qolbuiqrar al hijrah
 
Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCI
Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCIHumanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCI
Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCI
Lais Carvalho Gomes
 

Destaque (8)

Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCII
Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCIIHumanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCII
Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCII
 
Trabajos Diseñador Industrial
Trabajos Diseñador Industrial Trabajos Diseñador Industrial
Trabajos Diseñador Industrial
 
Edcon n51
Edcon n51Edcon n51
Edcon n51
 
MBA A Borbolla
MBA A BorbollaMBA A Borbolla
MBA A Borbolla
 
Patrimonio cultural de colombia. ec
Patrimonio cultural de colombia. ecPatrimonio cultural de colombia. ec
Patrimonio cultural de colombia. ec
 
uppada_kishore_resume (1)
uppada_kishore_resume (1)uppada_kishore_resume (1)
uppada_kishore_resume (1)
 
Presentation34
Presentation34Presentation34
Presentation34
 
Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCI
Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCIHumanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCI
Humanização Arquitetônica em Clínicas de Oncopediatria - TCCI
 

Semelhante a Gerenciamento de projetos para escritórios de arquitetura

Aula02 gestao tradicional
Aula02 gestao tradicionalAula02 gestao tradicional
Aula02 gestao tradicional
Joaquim Lopes Júnior
 
(Transformar 16) sessão 6
(Transformar 16) sessão 6(Transformar 16) sessão 6
(Transformar 16) sessão 6
Ink_conteudos
 
PMO - Project Management Office
PMO - Project Management OfficePMO - Project Management Office
PMO - Project Management Office
Aragon Vieira
 
Processos de gerenciamento de projetos de um projeto
Processos de gerenciamento de projetos de  um projeto Processos de gerenciamento de projetos de  um projeto
Processos de gerenciamento de projetos de um projeto
Wellington Oliveira
 
Sharepoint intranet - anatomia de um projeto
Sharepoint intranet - anatomia de um projetoSharepoint intranet - anatomia de um projeto
Sharepoint intranet - anatomia de um projeto
João Beltrão
 
PMO Implementation in CDTL (Training)
PMO Implementation in CDTL (Training)PMO Implementation in CDTL (Training)
Pmbok
PmbokPmbok
Pmbok
lcbj
 
O que é um projeto
O que é um projetoO que é um projeto
O que é um projeto
Fabiano Rodrigues
 
Treinamento de Introdução ao Gerenciamento de Projetos
Treinamento de Introdução ao Gerenciamento de ProjetosTreinamento de Introdução ao Gerenciamento de Projetos
Treinamento de Introdução ao Gerenciamento de Projetos
Cleiton Gomes Xavier
 
Projetos - Plano de Projeto
Projetos - Plano de ProjetoProjetos - Plano de Projeto
Projetos - Plano de Projeto
Freelancer - Projetos
 
Aula 5 semana
Aula 5 semanaAula 5 semana
Aula 5 semana
Jorge Ávila Miranda
 
Ferramentas Qualidade e Lean Six Sigma Hospital
Ferramentas Qualidade e Lean Six Sigma HospitalFerramentas Qualidade e Lean Six Sigma Hospital
Ferramentas Qualidade e Lean Six Sigma Hospital
Rubia Soraya Rabello
 
Administração de projetos - Integração - Aula 7
Administração de projetos - Integração - Aula 7Administração de projetos - Integração - Aula 7
Administração de projetos - Integração - Aula 7
Ueliton da Costa Leonidio
 
Lecture 2 :: Planejamento do Projeto de SW
Lecture 2 :: Planejamento do Projeto de SWLecture 2 :: Planejamento do Projeto de SW
Lecture 2 :: Planejamento do Projeto de SW
Rogerio P C do Nascimento
 
Visao geraldorup 20slides
Visao geraldorup 20slidesVisao geraldorup 20slides
Visao geraldorup 20slides
horaciosila
 
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 07
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 07Gestão de Projetos e Programas - Aula # 07
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 07
Ethel Capuano
 
(ConSePS) PMD _ Dia 05
(ConSePS) PMD _ Dia 05(ConSePS) PMD _ Dia 05
(ConSePS) PMD _ Dia 05
Ink_conteudos
 
Administração de projetos Gerenciamento de projetos - Aula 3
Administração de projetos  Gerenciamento de projetos - Aula 3Administração de projetos  Gerenciamento de projetos - Aula 3
Administração de projetos Gerenciamento de projetos - Aula 3
Ueliton da Costa Leonidio
 
Gerenciamento de Projetos pmbok cap4 integracao
Gerenciamento de Projetos pmbok cap4 integracaoGerenciamento de Projetos pmbok cap4 integracao
Gerenciamento de Projetos pmbok cap4 integracao
Fernando Palma
 
Planificação do Projeto de Software
Planificação do Projeto de SoftwarePlanificação do Projeto de Software
Planificação do Projeto de Software
Rogerio P C do Nascimento
 

Semelhante a Gerenciamento de projetos para escritórios de arquitetura (20)

Aula02 gestao tradicional
Aula02 gestao tradicionalAula02 gestao tradicional
Aula02 gestao tradicional
 
(Transformar 16) sessão 6
(Transformar 16) sessão 6(Transformar 16) sessão 6
(Transformar 16) sessão 6
 
PMO - Project Management Office
PMO - Project Management OfficePMO - Project Management Office
PMO - Project Management Office
 
Processos de gerenciamento de projetos de um projeto
Processos de gerenciamento de projetos de  um projeto Processos de gerenciamento de projetos de  um projeto
Processos de gerenciamento de projetos de um projeto
 
Sharepoint intranet - anatomia de um projeto
Sharepoint intranet - anatomia de um projetoSharepoint intranet - anatomia de um projeto
Sharepoint intranet - anatomia de um projeto
 
PMO Implementation in CDTL (Training)
PMO Implementation in CDTL (Training)PMO Implementation in CDTL (Training)
PMO Implementation in CDTL (Training)
 
Pmbok
PmbokPmbok
Pmbok
 
O que é um projeto
O que é um projetoO que é um projeto
O que é um projeto
 
Treinamento de Introdução ao Gerenciamento de Projetos
Treinamento de Introdução ao Gerenciamento de ProjetosTreinamento de Introdução ao Gerenciamento de Projetos
Treinamento de Introdução ao Gerenciamento de Projetos
 
Projetos - Plano de Projeto
Projetos - Plano de ProjetoProjetos - Plano de Projeto
Projetos - Plano de Projeto
 
Aula 5 semana
Aula 5 semanaAula 5 semana
Aula 5 semana
 
Ferramentas Qualidade e Lean Six Sigma Hospital
Ferramentas Qualidade e Lean Six Sigma HospitalFerramentas Qualidade e Lean Six Sigma Hospital
Ferramentas Qualidade e Lean Six Sigma Hospital
 
Administração de projetos - Integração - Aula 7
Administração de projetos - Integração - Aula 7Administração de projetos - Integração - Aula 7
Administração de projetos - Integração - Aula 7
 
Lecture 2 :: Planejamento do Projeto de SW
Lecture 2 :: Planejamento do Projeto de SWLecture 2 :: Planejamento do Projeto de SW
Lecture 2 :: Planejamento do Projeto de SW
 
Visao geraldorup 20slides
Visao geraldorup 20slidesVisao geraldorup 20slides
Visao geraldorup 20slides
 
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 07
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 07Gestão de Projetos e Programas - Aula # 07
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 07
 
(ConSePS) PMD _ Dia 05
(ConSePS) PMD _ Dia 05(ConSePS) PMD _ Dia 05
(ConSePS) PMD _ Dia 05
 
Administração de projetos Gerenciamento de projetos - Aula 3
Administração de projetos  Gerenciamento de projetos - Aula 3Administração de projetos  Gerenciamento de projetos - Aula 3
Administração de projetos Gerenciamento de projetos - Aula 3
 
Gerenciamento de Projetos pmbok cap4 integracao
Gerenciamento de Projetos pmbok cap4 integracaoGerenciamento de Projetos pmbok cap4 integracao
Gerenciamento de Projetos pmbok cap4 integracao
 
Planificação do Projeto de Software
Planificação do Projeto de SoftwarePlanificação do Projeto de Software
Planificação do Projeto de Software
 

Gerenciamento de projetos para escritórios de arquitetura

  • 1. Gerenciamento de Projetos para Escritórios de Arquitetura LAÍS CARVALHO GOMES A R Q U I T E T A E M B A E M G E R E N C . D E P R O J E T O S
  • 2. O que é? PORTFÓLIO: - Possui controle sobre todos os projetos de forma mais ampla. - Escopo organizacional que muda de acordo com os objetivos da empresa. PROGRAMAS : - Objetivo Principal é a entrega final - Grupo de projetos, subprogramas e atividades do programa. - Alinha vários projetos para otimizar ou integrar recursos. PORTFÓLIO PROGRAMA PROJETO
  • 3. O que é? PROJETO : É um esforço temporário para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. - Possui Início, meio e fim - Pode ser finalizado por cancelamento ou por objetivo alcançado - Tem elaboração progressiva / Desenvolvimento por etapas PORTFÓLIO PROGRAMA PROGRAMA PROJETO PROJETO PROJETO PROJETO
  • 4. Linear Arquitetura Gerenciamento de melhor aplicação: GERENCIAMENTO DE PROJETO E PORTIFÓLIO Desenvolvimento de vários projetos diferentes ao mesmo tempo, sem ligações entre si, mas com um objetivo final comum
  • 5. Gerenciamento DEFINIÇÃO: É a aplicação de conhecimento, de habilidades, de ferramentas e técnicas a uma ampla gama de atividades para atender aos requisitos de um determinado projeto. O gerenciamento de projetos possui 10 áreas de conhecimentos.
  • 16. Processos de Gerenciamento de Projetos Fases comuns as áreas de conhecimento: - Iniciação integração – TAP (termo de Abertura do Projeto) partes interessadas – Identificação dos stakeholders - Planejamento (Todas as áreas) Definir o escopo e EAP Planejar o gerenciamento da área em questão Desenvolver o plano Definir atividades estimar e determinar recursos, custos e duração Analisar os riscos
  • 17. Processos de Gerenciamento de Projetos - Monitoramento e controle (Todas as áreas) Monitorar e controlar o trabalho do projeto Validar o escopo - encerramento integração – Encerrar o projeto Aquisições – Encerrar as aquisições
  • 18. 1. Integração Processo de identificar todas as pessoas, grupos e organizações que podem impactar o projeto. TAP (Termo de Abertura do Projeto): - Especificação do projeto, produto, serviço ou resultado descrito pelo cliente - Acordos: Definições dos propósitos do projeto - Qualquer documento que define as intenções iniciais. - Business case: Estudo documentado de viabilidade econômica usado para determinar a validade dos benefícios – Determina se o projeto justifica ou não o investimento.
  • 19. Técnicas de facilitação - Brainstorming – Coleta de dados e exercício de criatividade que pode ser usada para identificar riscos, ideias ou soluções, usando um grupo de membros da equipe ou especialistas no assunto. - Resolução de conflitos - Solução de problemas - Gerenciamento de reuniões
  • 20. 2. Escopo Estabelece os processos necessários para garantir que o projeto seja concluído com sucesso. Escopo = Definição + Controle Escopo do Produto = Características e funções que descrevem um produto, serviço ou resultado Escopo do Projeto = Trabalho que precisa ser realizado para a entrega do Produto. Técnicas de coletar e controlar Requisitos: - Entrevistas - Grupos de discursões - Oficinas facilitadas
  • 21. 2. Escopo EAP (Estrutura Analítica do Projeto): Projeto = Entregas + Processos PORTFÓLIO PROJETO PREFEITURA DETALHA- MENTO PROJETO EXECUTIVO ANTEPROJETO FECHAMENTO PLANTA HUMANIZADA IMAGENS AMBIENTE 01 IMAGENS AMBIENTE 02 PLANTA SITUAÇÃO PLANTA COBERTURA PAVIMENTO TÉRREO CORTE AA CORTE BB ELEVAÇÃO 01 GRADIL MEMORIAL DE CÁLCULO LISTA DE ESPECIFICAÇÃO PLANTA DE ACABAMENTOS CORTES / ELEVAÇÕES COM ACABAMENTOS PONTOS ELÉTRICOS E HIDRÁULICOS ÁREAS MOLHADAS ÁREAS SECAS MOBILIÁRIOS ESQUADRIAS PAGINAÇÃO DE PISO PAGINAÇÃO DE FORRO DETALHES CONSTRUTIVOS CARTA DE AVALIAÇÃO CARTA DE ENTREGA CARTA DE ACEITE LIÇÕES APRENDIDAS
  • 22. 3.Tempo Fator de sucesso do projeto! Inclui os processos necessários para gerenciar o término pontual do projeto. - Planejar o cronograma Definir a ferramenta a ser utilizada Definir quem estará envolvido Procedimentos organizacionais - Técnicas Analíticas Planejamento por ondas sucessivas, antecipação e esperas Análise de alternativas Métodos de avaliação de desempenho do cronograma
  • 23. 4. Custo Inclui os processos envolvidos no planejamento, estimativas, orçamentos, financiamentos, gerenciamento e controle dos custos, de modo que o projeto possa ser terminado dentro do orçamento aprovado. Planejamento - Estimativa de custos - Análise de reservas: de contingência (reserva para os riscos) e gerencial. - Escolha do software para gerenciamento do projeto: Excel, M.S. Project, 5PM, etc. - Análise das propostas dos fornecedores
  • 24. Análise de custo benefício <Retrabalho, >Produtividade, <Custo, >Satisfação Custo de conformidade: (Dinheiro gasto durante o projeto) Prevenção de custos: Fabricar um produto de qualidade Custos de Avaliação: Avaliar / Testar / Inspecionar a qualidade do produto Custo de falta de conformidade: (Dinheiro gasto após o projeto) Falhas internas: Falhas encontradas pelo projeto Falhas externas: Falhas encontradas pelo cliente
  • 25. Técnicas de facilitação - Metodologia FEL (Front-end loading) - Linha de base dos custos - Gerenciamento do valor agregado - Previsão - Índice de desempenho para término (IDPT) - Análise de desempenho
  • 26. 5. Qualidade “grau com que um conjunto de características inerentes atende aos requisitos” Processos de identificar os requisitos e padrões de qualidade do projeto e suas entregas, além da documentação de como o projeto demonstrará conformidade com os requisitos e padrões de qualidade. Precisão – Homogeneidade de medições repetidas agrupadas com pouca dispersão. Exatidão – Correção com que o valor medido se aproxima do valor real.
  • 27. Modelos de qualidade - Kaizen melhoria contínua - Gerencia da Qualidade Total total quality management (tqm) – Qualidade em toda a organização, internas e externas) - Junt in Time Produção por demanda (sem armazenamento) - Gold Plating trabalho supérfluo – entregar além do necessário
  • 28. Técnicas de facilitação 7 ferramentas de qualidade básica: - Fluxograma – Diagrama utilizado para representar a sequência dos processos - Diagrama de Pareto – gráfico de colunas que ordena as frequências - Folhas de verificação – Check list - Diagrama de Ishikawa ou “Espinha de peixe” – Diagrama de causa e efeito - Relação entre efeito e possibilidades de causa, chegando a raiz do problema. - Histograma – Gráfico de barras usado para mostrar a distribuição de variáveis obtidos por medições. - Diagrama de dispersão – Relações entre variáveis de um processo e sua intensidade - Controle de estatística de processo
  • 29. 6. Recursos Humanos Processo de identificação e documentação de papéis, responsabilidades, habilidades necessárias e relações hierárquicas do projeto. - Estimar os recursos das atividades - Linha de base - Estrutura analítica dos recursos/Organizacional
  • 30. Ferramentas e Técnicas - Treinamento - Reconhecimento e recompensas - Ferramentas de avaliação dos funcionários - indicadores e avaliação 360º (feedback – oral e escrita) - Análise SWOT - Kanban
  • 31. 7. Comunicações “As equipes são formadas por pessoas com objetivos comuns, onde o desempenho conjunto é maior que a soma dos insumos individuais.” Processos necessários para assegurar que as informações do projeto sejam planejadas, geradas, coletadas, distribuídas, armazenadas, recuperadas, gerenciadas, controladas, monitoradas e organizadas de maneira oportuna e apropriada.
  • 32. Ferramentas e Técnicas - Matriz de comunicação - Relatórios de desempenho - Informações sobre o desempenho do trabalho - Reuniões
  • 33. Regras para reuniões 1. Definir um limite de tempo 2. Agendar reuniões recorrentes com antecedência 3. Reunir-se com a equipe regularmente 4. Ter um objetivo para cada reunião 5. Criar pauta 6. Distribuir a pauta com antecedência e limitar-se a ela 7. Informar as pessoas sobre suas responsabilidades com antecedência 8. Reunir as pessoas certas 9. Designar entregas e prazos para todas as tarefas resultantes da reunião 10. Documente e publique as atas das reuniões
  • 34. 8. Riscos Risco: Evento ou condições incertas que, se ocorrer, terá um efeito positivo ou negativo em um ou mais objetivos do projeto. Inclui processos de planejamento, identificação, análise, planejamento de respostas e controle de riscos de um projeto. - Viabilidade do projeto se baseia em cima dos riscos que ele tem.
  • 35. Ferramentas e Técnicas - Reuniões - Técnicas de diagramas - Análise de premissas - Análise SWOT (foças, fraquezas, oportunidades e ameaças) - Registro de riscos - Análise qualitativa e quantitativa dos riscos - Avaliação e Matriz de probabilidade e impacto dos riscos - Categorização de riscos e avaliação de urgência dos riscos
  • 36. 9. Aquisições Processo de documentação das decisões de compras do projeto, especificando abordagem e identificando fornecedores em potencial. - SOW (Statement of Work - Declaração de trabalho) - Matriz de rastreabilidade dos requisitos
  • 37. 10. Partes Interessadas / Stakeholders Processo de identificar pessoas, grupos ou organizações que podem impactar ou serem impactados por uma decisão, atividade ou resultado do projeto. Fazer a análise e documentar informações relevantes relativas aos seus interesses e o impacto no sucesso do projeto. - Matriz de poder/interesse - Registro das partes interessadas
  • 38. Comparativo Aplicações para o escritório: 1. ( ✓) Integração ( ✓) TAP – Termo de Abertura do Projeto (Contrato/Proposta) 2. (✓) Escopo ( ✓) PQ e Contrato/Proposta 3. (+-) Tempo ( ✓) Cronograma ( X ) Controle durante a execução do projeto (Daily Scrum Meeting) 4. (✓) Custo ( ✓) Aplicado somente em alguns projetos 5. (✓) Qualidade ( ✓) Check-list
  • 39. Comparativo 6. (+-) Recursos Humanos ( X ) Treinamento ( X ) Ferramentas de avaliação dos funcionários - indicadores e avaliação 360º (feedback – oral e escrita) ( X ) Metas X Recompensas ( ✓) Matriz RACI (adequado ao escritório) ( ✓) Kanban (adequado ao escritório) 7. ( X ) Comunicações ( X ) Matriz de comunicação ( X ) Relatórios de desempenho ( ✓) Reuniões 8. ( X ) Riscos 9. (+-) Aquisições 10. ( X ) Partes interessadas
  • 40. Melhorias 1. Controle de tempo durante a execução: Incluir Project para controle dos projetos 2. Treinamento: 1º dia dos estagiários seria para explicar e passar um treinamento básico da forma de trabalho e organização do escritório. 3. Ferramentas de avaliação: Criar avaliações interativas 360º a cada 6 meses ou quando uma pessoa da equipe for sair, aplicando feedbacks particulares após o resultado das avaliações. 4. Matriz de comunicação. 5. Relatórios de desempenho: Gerar relatórios mensais através da “consolidação da tabela de atividades” existente no controle de horas. 6. Análise de causa e efeito para determinar o porque das entregas realizadas em cima do prazo.
  • 42. Status Report Relatório do resumo do andamento do projeto. Apresenta os pontos principais do projeto: - Escopo - Cronograma - Custo - Riscos - Qualidade
  • 43. Daily Scrum Meeting Reunião diária com a Equipe Normalmente é realizada em 15 minutos no início do dia, com objetivo de repassar as atividades e responsabilidades de cada integrante da equipe. - o que fez - o que vai fazer - impedimentos encontrados desde a reunião anterior.
  • 44. Análise de causa e efeito Analisar as causas e razões possíveis que fazem com que um problema ocorra através do time do projeto. Aplicação dentro do escritório:  Atraso na entrega dos projetos  Prejuízo em alguns projetos
  • 45. Análise SWOT Ferramenta Administrativa para planejamento e estratégias de negócios com foco na otimização do desempenho em relação ao mercado. Identifica pontos fracos e fortes / Ameaças e Oportunidades. Exemplo  Força: Estrutura de entregas e apresentação dos projetos  Fraqueza: Controle durante a execução  Oportunidade: Alteração do mercado, Mostra.  Ameaça: Concorrente, queda na economia.
  • 46. Kanban Ferramenta relacionada a utilização post-it para indicar o andamento dos fluxos de produção de um ou vários projetos na empresa.
  • 47. Matriz Raci A matriz RACI, ou matriz de responsabilidade, utilizada para deixar claro aos envolvidos a atribuição de responsabilidades. Você pode utilizar a matriz para definir responsabilidades dentro de um determinado processo, projeto, serviço ou mesmo no contexto de um departamento ou área de sua organização.
  • 48. Matriz Raci Atividades / Responsáveis Cliente (Patrocinador) Alyne Ferreira Laís Carvalho Daniel Lopes Clarissa Rocha Processo 01 A R I I I Processo 02 C I I R Processo 03 C I R I Processo 04 C R I I Processo 05 C I R I Processo 06 C I I R Processo 07 A R R I I R - Responsável pela execução A - Autoridade para aprovar C - Precisa ser consultado I - Precisa ser informado/
  • 49. Canvas Utilizado para fazer o planejamento de um projeto.
  • 50. Bibliografia PUC Minas, Apostila do Curso de Gerenciamento de Projetos. http://escritoriodeprojetos.com.br/ferramentas-e-tecnicas-do-guia-pmbok