SlideShare uma empresa Scribd logo
Biologia 12
Carla Carrasco
1
Problemas Genética e Hereditariedade
1. A pantera de Java é uma espécie de leopardo malhado, característica que resulta da ação de um gene recessivo.
Indique o fenótipo e o genótipo dos indivíduos de F1 e F2 resultantes de cruzamento entre um leopardo malhado e uma
pantera negra, ambos homozigóticos para a característica a cor do pelo.
2. Numa determinada espécie de gado não ter cornos (C= sem cornos) domina relativamente à presença de cornos (c=
com cornos).
Efetuam-se três cruzamentos entre touros sem cornos com três vacas.
Indique o genótipo do touro, de cada uma das vacas e cada um dos vitelos.
a) Vaca 1, com cornos.
Vitelo 1, com cornos.
b) Vaca 2, com cornos.
Vitelo 2, sem cornos.
Biologia 12
Carla Carrasco
2
c) Vaca 3, sem cornos.
Vitelo 3, com cornos.
3. Numa ave de capoeira o caracter penas sedosas é causado por um gene recessivo em relação ao caracter penas
normais.
a) Sabendo que foi 96 (noventa e seis) o número total de crias de um cruzamento entre indivíduos heterozigóticos para
este caracter, indique quantos indivíduos de penas sedosas e penas normais se esperariam.
b) A partir de uma ave de capoeira com penas normais indique qual seria o método mais fácil de determinar se essa ave
era heterozigótica ou homozigótica. Justifique.
Biologia 12
Carla Carrasco
3
4. Do cruzamento entre borboletas de asas negras e borboletas de asas cinzentas, resultou uma descendência
constituída por 82 (oitenta e duas) de asas cinzentas e 82 (oitenta e duas) de asas negras.
Do cruzamento entre uma borboleta de asas cinzentas com outra de asas brancas, resultaram 34 (trinta e quatro)
borboletas de asas brancas e 34 (trinta e quatro) borboletas de asas cinzentas. Represente ambos os cruzamentos
indicando os genótipos dos progenitores e descendência.
5. Os rabanetes podem apresentar-se sobre três formas: longa, redonda e oval. Linhagens de rabanetes de forma longa
com linhagens de rabanetes de forma redonda produzem uma descendência toda constituída por indivíduos de forma
oval. Por sua vez estes ao serem cruzados entre si, produzem uma descendência de rabanetes de forma longa, oval e
redonda na proporção de 1:2:1, respetivamente:
a) Explique os resultados obtidos.
b) Indique qual a proporção fenotípica esperada na descendência do cruzamento de rabanetes de forma oval com
rabanetes de forma redonda (apresente o xadrez mendeliano).
Biologia 12
Carla Carrasco
4
6. Alguns suínos possuem cascos indivisos (característica condicionada por um alelo dominante – F) e outros, cascos
fendidos (característica condicionada por um alelo recessivo – f), a cor dos seus pêlos pode ser branca (característica
condicionada por um alelo dominante – P) ou preta (característica condicionada por um alelo recessivo – p).
Um porco de pelo branco e de cascos indivisos, foi cruzado com porcas genotipicamente iguais entre si e
fenotipicamente iguais ao porco.
Entre as várias ninhadas foram vendidos apenas os porquinhos pretos e de cascos fendidos que eram nove.
a) Indica o número total de porquinhos que se espera que tenham nascido.
b) Indica quantos porquinhos de total nascido nas ninhadas se espera que sejam genotipicamente iguais ao pai.
7. Desejoso de empreender a criação em grande escala de coelhos, um criador compra uma ninhada destes animais os
quais eram cinzentos de pelagem normal, idênticos entre si. Ao fim de um ano estes animais, cuidadosamente isolados
dos seus descendentes após cada desmame, colocaram no mundo um total de 226 (duzentos e vinte e seis) coelhos, dos
quais somente 128 (cento e vinte e oito) são fenotipicamente iguais aos progenitores.
Dos restantes, 43 (quarenta e três) indivíduos embora cinzentos apresentam uma pelagem particular (tipo “Rex”), ao
passo que os outros coelhos são brancos. Entre estes, 15 (quinze) são de pelagem “Rex” e 40 (quarenta) de pelagem
normal.
a) Indique o/os genótipo/os prováveis dos progenitores e descendentes.
Biologia 12
Carla Carrasco
5
b) Sendo as pelagens do tipo “Rex” de maior valor comercial do que as normais, o criador resolveu escolher, de entre os
coelhos da sua criação, reprodutores capazes de lhe fornecer, o mais rapidamente possível, gerações constituídas por
coelhos do tipo “Rex”. Indique como deverá ele selecionar os produtores se desejar que:
1) Os descendentes serem unicamente de cor branca.
2) 50% dos descendentes sejam de cor branca
3) Os descendentes sejam unicamente de cor cinzenta.
Biologia 12
Carla Carrasco
6
8. Nas galinhas existem formas típicas de cristas consoante as diferentes raças de galinhas: crista ervilha, crista rosa,
crista simples e crista noz.
Considere os seguintes dados: as variedades de cristas representadas são devidas à interação de dois pares de alelos
“E”, “e” e “R”, “r”.
• O gene “E” determina a crista ervilha.
• O gene “R” determina a crista rosa.
• A presença simultânea dos genes “R” e “E” originou o aparecimento da crista nóz.
• Na ausência simultânea dos genes “R” e “E”, surge a crista simples.
a) Indique os genótipos possíveis das galinhas: - Com crista ervilha - Com crista rosa
b) Refira os tipos de cristas que podem aparecer nas galinhas resultantes do cruzamento de animais heterozigóticos de
crista rosa com animais homozigóticos de crista rosa com animais homozigóticos de crista ervilha. Fundamente a sua
resposta com xadrez mendeliano.
Biologia 12
Carla Carrasco
7
c) Do cruzamento de dois animais de crista noz resultaram alguns descendentes de crista simples. Indique o genótipo de
cada um dos progenitores.
9. Existem variedades de linho com flores brancas e flores violetas. Do cruzamento entre estas duas variedades,
resultaram plantas de cor violeta claro que cruzadas entre si originaram 25% de flores violetas, 50% de flores violeta
claro e 25% de flores brancas. Explique o tipo de herança representando o cruzamento.
10. Um agricultor pretende obter uma variedade tomate de tamanho anão e com polpa de cor escura. Para isso cruzou
uma planta de tamanho normal e com polpa de cor escura, homozigótica dominante para ambos os caracteres, com
outra de tamanho anão e com polpa de cor amarela, homozigótica recessiva para ambos os caracteres:
a) Será possível obter tal variedade?
b) Em que geração aparece a tal variedade?
Biologia 12
Carla Carrasco
8
c) Em que proporção aparece?
11. Numa família há 4 gerações onde surgem Surdos-Mudos verificam-se várias situações em diferentes cruzamentos:
1) Normal com Normal originou descendência Normal
2) Normal com Normal originou descendência Surdo-Mudo
3) Surdo-Mudo com Surdo-Mudo originou Surdo-Mudo
4) Surdo-Mudo com Normal originou Normal
5) Surdo-Mudo com Normal originou Normal
a) Classifique o gene que condicionou esta doença quanto à dominância ou recessividade. Justifique indicando o/os
cruzamento(s) que lhe permitiram chegar à sua conclusão.
b) Considere o cruzamento 5:
1) Indique os genótipos dos indivíduos
2) Indique qual a probabilidade de o casal ter descendência normal. Apresente o xadrez mendeliano.
Biologia 12
Carla Carrasco
9
12. No homem, a doença albinismo (ausência de pigmentação na pele – os indivíduos albinos possuem cabelos, pêlos e
pele brancos e olhos vermelhos) é condicionada por um alelo recessivo “a”, sendo a pigmentação normal da pele
determinada pelo alelo dominante “A”.
Um homem normal, o António, cujo pai era albino, casou-se com uma mulher normal, cujo pai era normal e a mãe albina.
A irmã do António era normal, mas, ao casar-se com um homem também normal teve um filho albino.
a) Construa a árvore genealógica desta família.
b) Dada a ocorrência destes casos de albinismo na família, indica se o Antónia e a sua esposa têm ou não possibilidades
de vir a ter algum descendeste com esta doença. Justifica.
Biologia 12
Carla Carrasco
10
13. Observe atentamente a seguinte árvore genealógica que pretende representar, ao longo de três gerações, 2
características: cor dos olhos e cor do cabelo.
a) Indique para as duas características quais os genes dominantes e quais os genes recessivos. Justifique.
b) Indique os genótipos de cada um dos indivíduos representados na árvore genealógica.
c) Justifique a afirmação “Se o indivíduo 9 se casar com uma mulher loira de olhos azuis e esta tiver um filho de cabelo
loiro de olhos castanhos, o homem pode suspeitar da fidelidade da sua esposa…”.
Biologia 12
Carla Carrasco
11
14. A Sr.ª Sousa e a Sr.ª Martins tiveram os seus filhos no mesmo hospital e ao mesmo tempo. A Sr.ª Sousa trouxe para
casa uma menina, a Sara, e a Sr.ª Martins trouxe para casa um rapaz, o Ricardo.
Contudo, a última Sr.ª estava convencida que tinha dado à luz uma menina e, por isso interpôs uma ação judicial contra
o hospital.
Os testes dos grupos sanguíneos requeridos pelo tribunal, mostravam que o Sr. Martins era do grupo 0, a Sr.ª Martins
do grupo AB e que o Sr. e a Sr.ª Sousa eram ambos do grupo B. A Sara era do grupo A e o Ricardo era do grupo 0.
Explica, apresentando o xadrez mendeliano, se de facto houve ou não trocas de bebés.
15. Observe a seguinte árvore genealógica relativa ao sistema sanguíneo AB0. características: cor dos olhos e cor do
cabelo.
a) Indica, recorrendo ao xadrez mendeliano o genótipo do indivíduo 8.
b) Indica os números que assinalam indivíduos homozigóticos.
Biologia 12
Carla Carrasco
12
c) Indica, recorrendo ao xadrez mendeliano, a probabilidade de o casal 1 e 2 vir a ter um filho do sangue do grupo 0.
d) Indica das seguintes transfusões aquelas que são contraindicadas (não aconselhadas). Justifica.
e) Num hospital existem 3 pacientes nas seguintes condições:
• Paciente 1 possui ambos os tipos de aglutininas;
• Paciente 2 possui apenas 1 tipo de aglutinogénio e aglutinina anti-B no plasma;
• Paciente 3 possui os 2 tipos de aglutinogénio e não possui nenhum tipo de aglutininas.
Indique, justificando, representados na árvore genealógica aqueles que podem dar sangue: ao paciente 1, 2 e 3.
Biologia 12
Carla Carrasco
13
16. Escreve o genótipo de um indivíduo albino (doença condicionada por um gene recessivo), que não sofreu de
eristoblastose fetal, que não pode receber transfusão de sangue do tipo B e cujo pai tem sangue do tipo AB e a mãe do
tipo 0.
Considere ainda que os irmãos mais novos sofreram de doença eristoblastose.
17. Uma mulher sofreu um acidente e recebeu várias transfusões de sangue do seu irmão, que ao nascer, tivera doença
hemolítica do recém-nascido. Quando essa mulher teve o seu primeiro filho, este também apresentou eristoblastose
fetal mas o seu segundo filho não. Indica, justificando, os genótipos do primeiro filho, do segundo filho, da mulher e do
marido, do tio e dos avós maternos.
Biologia 12
Carla Carrasco
14
18. No homem a ausência de alguns dentes incisivos e molares é um caracter devido a um gene dominante – D, e a
polidactilia é condicionada por um gene dominante – P.
A cor azul dos olhos é condicionada por um gene recessivo – a. Um homem de olhos azuis que não sofre de polidactilia e
cujo número de dentes é normal, casou-se com uma mulher de olhos castanhos, com polidactilia e sem alguns dentes.
Os nove filhos deste casal são todos de olhos castanhos e sem alguns dentes sofrendo alguns de polidactilia e outros
não. Indica o/os possíveis genótipos deste casal.
19. O daltonismo é causado por um gene recessivo “d”. Uma mulher normal, cujo pai era daltónico, casou-se com um
homem daltónico.
a) Indica os genótipos da mãe deste individuo daltónico.
b) Refira a percentagem teórica de nascerem filhas daltónicas desse casamento.
Biologia 12
Carla Carrasco
15
c) Considerando todos os filhos (femininos e masculinos), indique a percentagem teórica de crianças normais.
20. A calvice é uma característica controlada por um gene não ligado ao sexo, no entanto a sua expressão difere no sexo
masculino e no sexo feminino: o gene da calvice é dominante nos homens e recessivo nas mulheres.
Um homem daltónico e calvo (heterozigótico nesta característica) casou-se com uma mulher não daltónica nem calva,
cujo pai era daltónico mas não calvo e a mãe calva mas não daltónica.
Quais serão os fenótipos e os genótipos possíveis dos descendentes e as suas proporções.
21. O gene que determina a hemofilia é recessivo e encontra-se no cromossoma X.
a) Qual será a descendência resultante do cruzamento entre um homem hemofílico e uma mulher portadora desta
doença?
b) Qual é a probabilidade de ter filhos não hemofílicos?
Biologia 12
Carla Carrasco
16
22. Observe as árvores genealógicas.
As árvores genealógicas representam as 4 famílias em que se manifestou o daltonismo. Interprete cada caso, utilizando
os símbolos adequados e o xadrez mendeliano.
Biologia 12
Carla Carrasco
17
23. Um médico construiu uma árvore genealógica de uma família e verificou que alguns membros morreram devido à
uma doença, Miopatia de Duchenne que provoca degenerescência dos músculos.
a) Indique se o gene responsável por esta doença é recessivo ou dominante. Justifique.
b) Em que tipo de cromossoma se localiza este gene. Justifique.
c) Indique os genótipos possíveis dos indivíduos 4,5,6 e 7 da 2ª geração.
Biologia 12
Carla Carrasco
18
24. Observe a árvore genealógica:
a) Indica os genótipos dos indivíduos 1,2,10 e 15 para os dois sistemas sanguíneos.
b) Se o casal 14-15 vier a ter mais um filho (indivíduo 17), indica qual a probabilidade de ele vir a ser do grupo AB Rh-
.
c) O casal 5-6 só tem um filho, pois o segundo morreu após o parto com eritroblastose fetal. Explica qual terá sido a causa
do aparecimento dessa doença.
d) Se a senhora nº8 tivesse um acidente e precisasse com urgência de uma transfusão sanguínea, quais os elementos
desta família que lhe poderiam dar sangue, sem envolver qualquer perigo? Justifique.
Biologia 12
Carla Carrasco
19
e) Ao analisar esta árvore genealógica, um geneticista observou que havia algum engano nos exames, ou então algum
engano de paternidade. Indica qual o indivíduo que, nesta árvore, levanta essa suspeita. Justifique.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1o teste pratico_v1prof-15-16 (1)
1o teste pratico_v1prof-15-16 (1)1o teste pratico_v1prof-15-16 (1)
1o teste pratico_v1prof-15-16 (1)
ecolealcamara
 
Exercicios de exame bio11
Exercicios de exame bio11Exercicios de exame bio11
Exercicios de exame bio11
emanuelcarvalhal765
 
Ficha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedadeFicha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedade
joseeira
 
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
Ionara Urrutia Moura
 
T1 bg11 21_22_v1.docx
T1 bg11 21_22_v1.docxT1 bg11 21_22_v1.docx
FT 4 - CICLOS DE VIDA
FT 4 - CICLOS DE VIDAFT 4 - CICLOS DE VIDA
FT 4 - CICLOS DE VIDA
sandranascimento
 
ciclos de vida - exercicios
ciclos de vida - exerciciosciclos de vida - exercicios
ciclos de vida - exercicios
emanuelcarvalhal765
 
Orgulho e preconceito mª josé
Orgulho e preconceito   mª joséOrgulho e preconceito   mª josé
Orgulho e preconceito mª josé
fantas45
 
Ficha de trabalho codigo genetico2
Ficha de trabalho codigo genetico2Ficha de trabalho codigo genetico2
Ficha de trabalho codigo genetico2
gracindabento
 
Ciclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercíciosCiclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercícios
Ana Castro
 
2a lei de mendel
2a lei de mendel2a lei de mendel
2a lei de mendel
paulogrillo
 
Ficha estudo heredograma - exercícios
Ficha estudo   heredograma - exercíciosFicha estudo   heredograma - exercícios
Ficha estudo heredograma - exercícios
Paulo Coqueiro
 
Preparação 1.º teste bio11
Preparação 1.º teste bio11Preparação 1.º teste bio11
Preparação 1.º teste bio11
emanuelcarvalhal765
 
Bg 11 reprodução assexuada (exercícios)
Bg 11   reprodução assexuada (exercícios)Bg 11   reprodução assexuada (exercícios)
Bg 11 reprodução assexuada (exercícios)
Nuno Correia
 
Lista exercicios genética maio_2012
Lista  exercicios  genética maio_2012Lista  exercicios  genética maio_2012
Lista exercicios genética maio_2012
Ionara Urrutia Moura
 
Exercícios resolvidos
Exercícios resolvidosExercícios resolvidos
Exercícios resolvidos
Egas Armando
 
Lista 2 exercicios_genetica_ com resposta
Lista  2 exercicios_genetica_ com respostaLista  2 exercicios_genetica_ com resposta
Lista 2 exercicios_genetica_ com resposta
Ionara Urrutia Moura
 
Hereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhosHereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhos
isabelourenco
 
Ciclos de vida - exercicios
Ciclos de vida - exerciciosCiclos de vida - exercicios
Ciclos de vida - exercicios
emanuelcarvalhal765
 
ciclos de vida - exercicios
ciclos de vida - exerciciosciclos de vida - exercicios
ciclos de vida - exercicios
emanuelcarvalhal765
 

Mais procurados (20)

1o teste pratico_v1prof-15-16 (1)
1o teste pratico_v1prof-15-16 (1)1o teste pratico_v1prof-15-16 (1)
1o teste pratico_v1prof-15-16 (1)
 
Exercicios de exame bio11
Exercicios de exame bio11Exercicios de exame bio11
Exercicios de exame bio11
 
Ficha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedadeFicha de trabalho hereditariedade
Ficha de trabalho hereditariedade
 
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta3S   Lista  exercicios  genética maio_sem resposta
3S Lista exercicios genética maio_sem resposta
 
T1 bg11 21_22_v1.docx
T1 bg11 21_22_v1.docxT1 bg11 21_22_v1.docx
T1 bg11 21_22_v1.docx
 
FT 4 - CICLOS DE VIDA
FT 4 - CICLOS DE VIDAFT 4 - CICLOS DE VIDA
FT 4 - CICLOS DE VIDA
 
ciclos de vida - exercicios
ciclos de vida - exerciciosciclos de vida - exercicios
ciclos de vida - exercicios
 
Orgulho e preconceito mª josé
Orgulho e preconceito   mª joséOrgulho e preconceito   mª josé
Orgulho e preconceito mª josé
 
Ficha de trabalho codigo genetico2
Ficha de trabalho codigo genetico2Ficha de trabalho codigo genetico2
Ficha de trabalho codigo genetico2
 
Ciclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercíciosCiclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercícios
 
2a lei de mendel
2a lei de mendel2a lei de mendel
2a lei de mendel
 
Ficha estudo heredograma - exercícios
Ficha estudo   heredograma - exercíciosFicha estudo   heredograma - exercícios
Ficha estudo heredograma - exercícios
 
Preparação 1.º teste bio11
Preparação 1.º teste bio11Preparação 1.º teste bio11
Preparação 1.º teste bio11
 
Bg 11 reprodução assexuada (exercícios)
Bg 11   reprodução assexuada (exercícios)Bg 11   reprodução assexuada (exercícios)
Bg 11 reprodução assexuada (exercícios)
 
Lista exercicios genética maio_2012
Lista  exercicios  genética maio_2012Lista  exercicios  genética maio_2012
Lista exercicios genética maio_2012
 
Exercícios resolvidos
Exercícios resolvidosExercícios resolvidos
Exercícios resolvidos
 
Lista 2 exercicios_genetica_ com resposta
Lista  2 exercicios_genetica_ com respostaLista  2 exercicios_genetica_ com resposta
Lista 2 exercicios_genetica_ com resposta
 
Hereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhosHereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhos
 
Ciclos de vida - exercicios
Ciclos de vida - exerciciosCiclos de vida - exercicios
Ciclos de vida - exercicios
 
ciclos de vida - exercicios
ciclos de vida - exerciciosciclos de vida - exercicios
ciclos de vida - exercicios
 

Semelhante a Genética exercícios 1

Exercícios de genética – 1ª lei de mendel
Exercícios de genética – 1ª lei de mendelExercícios de genética – 1ª lei de mendel
Exercícios de genética – 1ª lei de mendel
Carla Carrasco
 
Lista2exerciciosgeneticacomresposta
Lista2exerciciosgeneticacomresposta Lista2exerciciosgeneticacomresposta
Lista2exerciciosgeneticacomresposta
CotucaAmbiental
 
Lista 2 exercicios_genetica_ com resposta
Lista  2 exercicios_genetica_ com respostaLista  2 exercicios_genetica_ com resposta
Lista 2 exercicios_genetica_ com resposta
CotucaAmbiental
 
3S_ exercicios genetica com resposta
3S_ exercicios genetica  com resposta3S_ exercicios genetica  com resposta
3S_ exercicios genetica com resposta
Ionara Urrutia Moura
 
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE  EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTAPARA 3S_ LISTA COMPLETA DE  EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
Ionara Urrutia Moura
 
Testes de genética prof. poty
Testes de genética   prof. potyTestes de genética   prof. poty
Testes de genética prof. poty
Poty Ribeiro Tubino
 
Exercícios genética 4
Exercícios genética 4Exercícios genética 4
Exercícios genética 4
Carla Carrasco
 
Exercícios complementares genética 2012
Exercícios complementares genética 2012Exercícios complementares genética 2012
Exercícios complementares genética 2012
colegioitatiba
 
Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética
Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética
Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética
ADÃO Graciano
 
alelos multiplos.pptx
alelos multiplos.pptxalelos multiplos.pptx
alelos multiplos.pptx
BrendaLimaVieira
 
Atividade 2ºano genética 2012
Atividade 2ºano   genética 2012Atividade 2ºano   genética 2012
Atividade 2ºano genética 2012
colegioitatiba
 
Biologia herança quantitativa
Biologia herança quantitativa Biologia herança quantitativa
Biologia herança quantitativa
Carlos Magno Braga
 
Lista de genética
Lista de genéticaLista de genética
Lista de genética
Caio Augusto
 
Lista de genética
Lista de genéticaLista de genética
Lista de genética
CotucaAmbiental
 
Exercícios de genética – 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – 2ª lei de mendelExercícios de genética – 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – 2ª lei de mendel
Carla Carrasco
 
Lista de genética resolvida
Lista  de genética resolvidaLista  de genética resolvida
Lista de genética resolvida
Ionara Urrutia Moura
 
Lista exercicios genética maio_respondida
Lista  exercicios  genética maio_respondidaLista  exercicios  genética maio_respondida
Lista exercicios genética maio_respondida
Ionara Urrutia Moura
 
Lista exercicios genética maio_respondida
Lista  exercicios  genética maio_respondidaLista  exercicios  genética maio_respondida
Lista exercicios genética maio_respondida
Ionara Urrutia Moura
 
Exercícios genética 5
Exercícios genética 5Exercícios genética 5
Exercícios genética 5
Carla Carrasco
 
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
Nathalia Pietrani
 

Semelhante a Genética exercícios 1 (20)

Exercícios de genética – 1ª lei de mendel
Exercícios de genética – 1ª lei de mendelExercícios de genética – 1ª lei de mendel
Exercícios de genética – 1ª lei de mendel
 
Lista2exerciciosgeneticacomresposta
Lista2exerciciosgeneticacomresposta Lista2exerciciosgeneticacomresposta
Lista2exerciciosgeneticacomresposta
 
Lista 2 exercicios_genetica_ com resposta
Lista  2 exercicios_genetica_ com respostaLista  2 exercicios_genetica_ com resposta
Lista 2 exercicios_genetica_ com resposta
 
3S_ exercicios genetica com resposta
3S_ exercicios genetica  com resposta3S_ exercicios genetica  com resposta
3S_ exercicios genetica com resposta
 
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE  EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTAPARA 3S_ LISTA COMPLETA DE  EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
PARA 3S_ LISTA COMPLETA DE EXERCÍCIOS DE GENÉTICA _ COM RESPOSTA
 
Testes de genética prof. poty
Testes de genética   prof. potyTestes de genética   prof. poty
Testes de genética prof. poty
 
Exercícios genética 4
Exercícios genética 4Exercícios genética 4
Exercícios genética 4
 
Exercícios complementares genética 2012
Exercícios complementares genética 2012Exercícios complementares genética 2012
Exercícios complementares genética 2012
 
Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética
Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética
Exercícios - 1º Lei de MENDEL - genética
 
alelos multiplos.pptx
alelos multiplos.pptxalelos multiplos.pptx
alelos multiplos.pptx
 
Atividade 2ºano genética 2012
Atividade 2ºano   genética 2012Atividade 2ºano   genética 2012
Atividade 2ºano genética 2012
 
Biologia herança quantitativa
Biologia herança quantitativa Biologia herança quantitativa
Biologia herança quantitativa
 
Lista de genética
Lista de genéticaLista de genética
Lista de genética
 
Lista de genética
Lista de genéticaLista de genética
Lista de genética
 
Exercícios de genética – 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – 2ª lei de mendelExercícios de genética – 2ª lei de mendel
Exercícios de genética – 2ª lei de mendel
 
Lista de genética resolvida
Lista  de genética resolvidaLista  de genética resolvida
Lista de genética resolvida
 
Lista exercicios genética maio_respondida
Lista  exercicios  genética maio_respondidaLista  exercicios  genética maio_respondida
Lista exercicios genética maio_respondida
 
Lista exercicios genética maio_respondida
Lista  exercicios  genética maio_respondidaLista  exercicios  genética maio_respondida
Lista exercicios genética maio_respondida
 
Exercícios genética 5
Exercícios genética 5Exercícios genética 5
Exercícios genética 5
 
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
 

Mais de Carla Carrasco

3) Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos e Autotróficos.pdf
3) Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos e Autotróficos.pdf3) Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos e Autotróficos.pdf
3) Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos e Autotróficos.pdf
Carla Carrasco
 
2)A célula-Estrutura e Função.pdf
2)A célula-Estrutura e Função.pdf2)A célula-Estrutura e Função.pdf
2)A célula-Estrutura e Função.pdf
Carla Carrasco
 
1)Diversidade na Biosfera.pdf
1)Diversidade na Biosfera.pdf1)Diversidade na Biosfera.pdf
1)Diversidade na Biosfera.pdf
Carla Carrasco
 
Regulação e alteração do material genético. fundamentos de engenharia genética
Regulação e alteração do material genético. fundamentos de engenharia genéticaRegulação e alteração do material genético. fundamentos de engenharia genética
Regulação e alteração do material genético. fundamentos de engenharia genética
Carla Carrasco
 
Exercícios de genética
Exercícios de genéticaExercícios de genética
Exercícios de genética
Carla Carrasco
 
Biologia 12
Biologia 12Biologia 12
Biologia 12
Carla Carrasco
 
Exercícios genética 7
Exercícios genética 7Exercícios genética 7
Exercícios genética 7
Carla Carrasco
 

Mais de Carla Carrasco (7)

3) Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos e Autotróficos.pdf
3) Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos e Autotróficos.pdf3) Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos e Autotróficos.pdf
3) Obtenção de Matéria pelos Seres Heterotróficos e Autotróficos.pdf
 
2)A célula-Estrutura e Função.pdf
2)A célula-Estrutura e Função.pdf2)A célula-Estrutura e Função.pdf
2)A célula-Estrutura e Função.pdf
 
1)Diversidade na Biosfera.pdf
1)Diversidade na Biosfera.pdf1)Diversidade na Biosfera.pdf
1)Diversidade na Biosfera.pdf
 
Regulação e alteração do material genético. fundamentos de engenharia genética
Regulação e alteração do material genético. fundamentos de engenharia genéticaRegulação e alteração do material genético. fundamentos de engenharia genética
Regulação e alteração do material genético. fundamentos de engenharia genética
 
Exercícios de genética
Exercícios de genéticaExercícios de genética
Exercícios de genética
 
Biologia 12
Biologia 12Biologia 12
Biologia 12
 
Exercícios genética 7
Exercícios genética 7Exercícios genética 7
Exercícios genética 7
 

Último

1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 

Último (20)

1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 

Genética exercícios 1

  • 1. Biologia 12 Carla Carrasco 1 Problemas Genética e Hereditariedade 1. A pantera de Java é uma espécie de leopardo malhado, característica que resulta da ação de um gene recessivo. Indique o fenótipo e o genótipo dos indivíduos de F1 e F2 resultantes de cruzamento entre um leopardo malhado e uma pantera negra, ambos homozigóticos para a característica a cor do pelo. 2. Numa determinada espécie de gado não ter cornos (C= sem cornos) domina relativamente à presença de cornos (c= com cornos). Efetuam-se três cruzamentos entre touros sem cornos com três vacas. Indique o genótipo do touro, de cada uma das vacas e cada um dos vitelos. a) Vaca 1, com cornos. Vitelo 1, com cornos. b) Vaca 2, com cornos. Vitelo 2, sem cornos.
  • 2. Biologia 12 Carla Carrasco 2 c) Vaca 3, sem cornos. Vitelo 3, com cornos. 3. Numa ave de capoeira o caracter penas sedosas é causado por um gene recessivo em relação ao caracter penas normais. a) Sabendo que foi 96 (noventa e seis) o número total de crias de um cruzamento entre indivíduos heterozigóticos para este caracter, indique quantos indivíduos de penas sedosas e penas normais se esperariam. b) A partir de uma ave de capoeira com penas normais indique qual seria o método mais fácil de determinar se essa ave era heterozigótica ou homozigótica. Justifique.
  • 3. Biologia 12 Carla Carrasco 3 4. Do cruzamento entre borboletas de asas negras e borboletas de asas cinzentas, resultou uma descendência constituída por 82 (oitenta e duas) de asas cinzentas e 82 (oitenta e duas) de asas negras. Do cruzamento entre uma borboleta de asas cinzentas com outra de asas brancas, resultaram 34 (trinta e quatro) borboletas de asas brancas e 34 (trinta e quatro) borboletas de asas cinzentas. Represente ambos os cruzamentos indicando os genótipos dos progenitores e descendência. 5. Os rabanetes podem apresentar-se sobre três formas: longa, redonda e oval. Linhagens de rabanetes de forma longa com linhagens de rabanetes de forma redonda produzem uma descendência toda constituída por indivíduos de forma oval. Por sua vez estes ao serem cruzados entre si, produzem uma descendência de rabanetes de forma longa, oval e redonda na proporção de 1:2:1, respetivamente: a) Explique os resultados obtidos. b) Indique qual a proporção fenotípica esperada na descendência do cruzamento de rabanetes de forma oval com rabanetes de forma redonda (apresente o xadrez mendeliano).
  • 4. Biologia 12 Carla Carrasco 4 6. Alguns suínos possuem cascos indivisos (característica condicionada por um alelo dominante – F) e outros, cascos fendidos (característica condicionada por um alelo recessivo – f), a cor dos seus pêlos pode ser branca (característica condicionada por um alelo dominante – P) ou preta (característica condicionada por um alelo recessivo – p). Um porco de pelo branco e de cascos indivisos, foi cruzado com porcas genotipicamente iguais entre si e fenotipicamente iguais ao porco. Entre as várias ninhadas foram vendidos apenas os porquinhos pretos e de cascos fendidos que eram nove. a) Indica o número total de porquinhos que se espera que tenham nascido. b) Indica quantos porquinhos de total nascido nas ninhadas se espera que sejam genotipicamente iguais ao pai. 7. Desejoso de empreender a criação em grande escala de coelhos, um criador compra uma ninhada destes animais os quais eram cinzentos de pelagem normal, idênticos entre si. Ao fim de um ano estes animais, cuidadosamente isolados dos seus descendentes após cada desmame, colocaram no mundo um total de 226 (duzentos e vinte e seis) coelhos, dos quais somente 128 (cento e vinte e oito) são fenotipicamente iguais aos progenitores. Dos restantes, 43 (quarenta e três) indivíduos embora cinzentos apresentam uma pelagem particular (tipo “Rex”), ao passo que os outros coelhos são brancos. Entre estes, 15 (quinze) são de pelagem “Rex” e 40 (quarenta) de pelagem normal. a) Indique o/os genótipo/os prováveis dos progenitores e descendentes.
  • 5. Biologia 12 Carla Carrasco 5 b) Sendo as pelagens do tipo “Rex” de maior valor comercial do que as normais, o criador resolveu escolher, de entre os coelhos da sua criação, reprodutores capazes de lhe fornecer, o mais rapidamente possível, gerações constituídas por coelhos do tipo “Rex”. Indique como deverá ele selecionar os produtores se desejar que: 1) Os descendentes serem unicamente de cor branca. 2) 50% dos descendentes sejam de cor branca 3) Os descendentes sejam unicamente de cor cinzenta.
  • 6. Biologia 12 Carla Carrasco 6 8. Nas galinhas existem formas típicas de cristas consoante as diferentes raças de galinhas: crista ervilha, crista rosa, crista simples e crista noz. Considere os seguintes dados: as variedades de cristas representadas são devidas à interação de dois pares de alelos “E”, “e” e “R”, “r”. • O gene “E” determina a crista ervilha. • O gene “R” determina a crista rosa. • A presença simultânea dos genes “R” e “E” originou o aparecimento da crista nóz. • Na ausência simultânea dos genes “R” e “E”, surge a crista simples. a) Indique os genótipos possíveis das galinhas: - Com crista ervilha - Com crista rosa b) Refira os tipos de cristas que podem aparecer nas galinhas resultantes do cruzamento de animais heterozigóticos de crista rosa com animais homozigóticos de crista rosa com animais homozigóticos de crista ervilha. Fundamente a sua resposta com xadrez mendeliano.
  • 7. Biologia 12 Carla Carrasco 7 c) Do cruzamento de dois animais de crista noz resultaram alguns descendentes de crista simples. Indique o genótipo de cada um dos progenitores. 9. Existem variedades de linho com flores brancas e flores violetas. Do cruzamento entre estas duas variedades, resultaram plantas de cor violeta claro que cruzadas entre si originaram 25% de flores violetas, 50% de flores violeta claro e 25% de flores brancas. Explique o tipo de herança representando o cruzamento. 10. Um agricultor pretende obter uma variedade tomate de tamanho anão e com polpa de cor escura. Para isso cruzou uma planta de tamanho normal e com polpa de cor escura, homozigótica dominante para ambos os caracteres, com outra de tamanho anão e com polpa de cor amarela, homozigótica recessiva para ambos os caracteres: a) Será possível obter tal variedade? b) Em que geração aparece a tal variedade?
  • 8. Biologia 12 Carla Carrasco 8 c) Em que proporção aparece? 11. Numa família há 4 gerações onde surgem Surdos-Mudos verificam-se várias situações em diferentes cruzamentos: 1) Normal com Normal originou descendência Normal 2) Normal com Normal originou descendência Surdo-Mudo 3) Surdo-Mudo com Surdo-Mudo originou Surdo-Mudo 4) Surdo-Mudo com Normal originou Normal 5) Surdo-Mudo com Normal originou Normal a) Classifique o gene que condicionou esta doença quanto à dominância ou recessividade. Justifique indicando o/os cruzamento(s) que lhe permitiram chegar à sua conclusão. b) Considere o cruzamento 5: 1) Indique os genótipos dos indivíduos 2) Indique qual a probabilidade de o casal ter descendência normal. Apresente o xadrez mendeliano.
  • 9. Biologia 12 Carla Carrasco 9 12. No homem, a doença albinismo (ausência de pigmentação na pele – os indivíduos albinos possuem cabelos, pêlos e pele brancos e olhos vermelhos) é condicionada por um alelo recessivo “a”, sendo a pigmentação normal da pele determinada pelo alelo dominante “A”. Um homem normal, o António, cujo pai era albino, casou-se com uma mulher normal, cujo pai era normal e a mãe albina. A irmã do António era normal, mas, ao casar-se com um homem também normal teve um filho albino. a) Construa a árvore genealógica desta família. b) Dada a ocorrência destes casos de albinismo na família, indica se o Antónia e a sua esposa têm ou não possibilidades de vir a ter algum descendeste com esta doença. Justifica.
  • 10. Biologia 12 Carla Carrasco 10 13. Observe atentamente a seguinte árvore genealógica que pretende representar, ao longo de três gerações, 2 características: cor dos olhos e cor do cabelo. a) Indique para as duas características quais os genes dominantes e quais os genes recessivos. Justifique. b) Indique os genótipos de cada um dos indivíduos representados na árvore genealógica. c) Justifique a afirmação “Se o indivíduo 9 se casar com uma mulher loira de olhos azuis e esta tiver um filho de cabelo loiro de olhos castanhos, o homem pode suspeitar da fidelidade da sua esposa…”.
  • 11. Biologia 12 Carla Carrasco 11 14. A Sr.ª Sousa e a Sr.ª Martins tiveram os seus filhos no mesmo hospital e ao mesmo tempo. A Sr.ª Sousa trouxe para casa uma menina, a Sara, e a Sr.ª Martins trouxe para casa um rapaz, o Ricardo. Contudo, a última Sr.ª estava convencida que tinha dado à luz uma menina e, por isso interpôs uma ação judicial contra o hospital. Os testes dos grupos sanguíneos requeridos pelo tribunal, mostravam que o Sr. Martins era do grupo 0, a Sr.ª Martins do grupo AB e que o Sr. e a Sr.ª Sousa eram ambos do grupo B. A Sara era do grupo A e o Ricardo era do grupo 0. Explica, apresentando o xadrez mendeliano, se de facto houve ou não trocas de bebés. 15. Observe a seguinte árvore genealógica relativa ao sistema sanguíneo AB0. características: cor dos olhos e cor do cabelo. a) Indica, recorrendo ao xadrez mendeliano o genótipo do indivíduo 8. b) Indica os números que assinalam indivíduos homozigóticos.
  • 12. Biologia 12 Carla Carrasco 12 c) Indica, recorrendo ao xadrez mendeliano, a probabilidade de o casal 1 e 2 vir a ter um filho do sangue do grupo 0. d) Indica das seguintes transfusões aquelas que são contraindicadas (não aconselhadas). Justifica. e) Num hospital existem 3 pacientes nas seguintes condições: • Paciente 1 possui ambos os tipos de aglutininas; • Paciente 2 possui apenas 1 tipo de aglutinogénio e aglutinina anti-B no plasma; • Paciente 3 possui os 2 tipos de aglutinogénio e não possui nenhum tipo de aglutininas. Indique, justificando, representados na árvore genealógica aqueles que podem dar sangue: ao paciente 1, 2 e 3.
  • 13. Biologia 12 Carla Carrasco 13 16. Escreve o genótipo de um indivíduo albino (doença condicionada por um gene recessivo), que não sofreu de eristoblastose fetal, que não pode receber transfusão de sangue do tipo B e cujo pai tem sangue do tipo AB e a mãe do tipo 0. Considere ainda que os irmãos mais novos sofreram de doença eristoblastose. 17. Uma mulher sofreu um acidente e recebeu várias transfusões de sangue do seu irmão, que ao nascer, tivera doença hemolítica do recém-nascido. Quando essa mulher teve o seu primeiro filho, este também apresentou eristoblastose fetal mas o seu segundo filho não. Indica, justificando, os genótipos do primeiro filho, do segundo filho, da mulher e do marido, do tio e dos avós maternos.
  • 14. Biologia 12 Carla Carrasco 14 18. No homem a ausência de alguns dentes incisivos e molares é um caracter devido a um gene dominante – D, e a polidactilia é condicionada por um gene dominante – P. A cor azul dos olhos é condicionada por um gene recessivo – a. Um homem de olhos azuis que não sofre de polidactilia e cujo número de dentes é normal, casou-se com uma mulher de olhos castanhos, com polidactilia e sem alguns dentes. Os nove filhos deste casal são todos de olhos castanhos e sem alguns dentes sofrendo alguns de polidactilia e outros não. Indica o/os possíveis genótipos deste casal. 19. O daltonismo é causado por um gene recessivo “d”. Uma mulher normal, cujo pai era daltónico, casou-se com um homem daltónico. a) Indica os genótipos da mãe deste individuo daltónico. b) Refira a percentagem teórica de nascerem filhas daltónicas desse casamento.
  • 15. Biologia 12 Carla Carrasco 15 c) Considerando todos os filhos (femininos e masculinos), indique a percentagem teórica de crianças normais. 20. A calvice é uma característica controlada por um gene não ligado ao sexo, no entanto a sua expressão difere no sexo masculino e no sexo feminino: o gene da calvice é dominante nos homens e recessivo nas mulheres. Um homem daltónico e calvo (heterozigótico nesta característica) casou-se com uma mulher não daltónica nem calva, cujo pai era daltónico mas não calvo e a mãe calva mas não daltónica. Quais serão os fenótipos e os genótipos possíveis dos descendentes e as suas proporções. 21. O gene que determina a hemofilia é recessivo e encontra-se no cromossoma X. a) Qual será a descendência resultante do cruzamento entre um homem hemofílico e uma mulher portadora desta doença? b) Qual é a probabilidade de ter filhos não hemofílicos?
  • 16. Biologia 12 Carla Carrasco 16 22. Observe as árvores genealógicas. As árvores genealógicas representam as 4 famílias em que se manifestou o daltonismo. Interprete cada caso, utilizando os símbolos adequados e o xadrez mendeliano.
  • 17. Biologia 12 Carla Carrasco 17 23. Um médico construiu uma árvore genealógica de uma família e verificou que alguns membros morreram devido à uma doença, Miopatia de Duchenne que provoca degenerescência dos músculos. a) Indique se o gene responsável por esta doença é recessivo ou dominante. Justifique. b) Em que tipo de cromossoma se localiza este gene. Justifique. c) Indique os genótipos possíveis dos indivíduos 4,5,6 e 7 da 2ª geração.
  • 18. Biologia 12 Carla Carrasco 18 24. Observe a árvore genealógica: a) Indica os genótipos dos indivíduos 1,2,10 e 15 para os dois sistemas sanguíneos. b) Se o casal 14-15 vier a ter mais um filho (indivíduo 17), indica qual a probabilidade de ele vir a ser do grupo AB Rh- . c) O casal 5-6 só tem um filho, pois o segundo morreu após o parto com eritroblastose fetal. Explica qual terá sido a causa do aparecimento dessa doença. d) Se a senhora nº8 tivesse um acidente e precisasse com urgência de uma transfusão sanguínea, quais os elementos desta família que lhe poderiam dar sangue, sem envolver qualquer perigo? Justifique.
  • 19. Biologia 12 Carla Carrasco 19 e) Ao analisar esta árvore genealógica, um geneticista observou que havia algum engano nos exames, ou então algum engano de paternidade. Indica qual o indivíduo que, nesta árvore, levanta essa suspeita. Justifique.