SlideShare uma empresa Scribd logo
Gêneros
Textuais
Gêneros textuais



 O QUE É
 ISSO???
Gêneros Textuais

  São os textos materializados
encontrados em nosso cotidiano.
Esses apresentam características
sócio-comunicativas definidas por
 seu estilo, função, composição,
        conteúdo e canal.
Gêneros textuais
       ou
Tipos textuais???
Tipos Textuais
          
                  Narração
          
              Descrição

    Dissertação/Argumentação
              
                  Injunção
          
              Exposição
NARRAÇÃO
Situa seres e objetos no tempo

    Introdução: Apresenta as personagens, localizando-as no
    tempo e no espaço.

    Desenvolvimento: Constrói-se a trama e o suspense que
    culmina no clímax.

    Conclusão: Existem várias maneiras de se concluir uma
    narração.

    Recursos: Verbos de ação, discursos direto, indireto e
    indireto livre.

    A narrativa deve tentar elucidar os acontecimentos,
    respondendo às seguintes perguntas essenciais:

    O QUÊ? - o(s) fato(s) que determina(n) a história;
    QUEM? - a personagem ou personagens;
    COMO? - o enredo, o modo como se tecem os fatos;
    ONDE? - o lugar ou lugares da ocorrência
    QUANDO? - o momento ou momentos em que se
    passam os fatos;
    POR QUÊ? - a causa do acontecimento.
DESCRIÇÃO

Situa seres e objetos no espaco

  Introdução: A perspectiva do observador
  focaliza o ser ou objeto e distingue seus
  aspectos gerais.

  Desenvolvimento: Capta os elementos numa
  ordem coerente com a disposição em que eles
  se encontram no espaço, caracterizando-os
  objetiva e subjetivamente, física e
  psicologicamente .

  Conclusão: Não há um procedimento
  específico para conclusão. Considera-se
  concluído o texto quando se completa a
  caracterização.

  Recursos: Uso dos cinco sentidos: audição,
  gustação, olfato, tato e visão que, combinados,
  produzem a sinestesia. Adjetivação farta,
DISSERTAÇÃO

 Dissertar é desenvolver ou explicar
   um assunto, discorrer sobre ele.
   O texto dissertativo é um texto
 expositivo, juntamente com o texto
     de apresentação científica, o
  relatório, o texto didático, o artigo
             enciclopédico.
Em princípio, o texto dissertativo não
 está preocupado com a persuasão e
      sim, com a transmissão de
 conhecimento, sendo, portanto, um
           texto informativo.
ARGUMENTAÇÃO
    Os textos argumentativos, ao
     contrário, têm por finalidade
 persuadir o leitor sobre o ponto de
vista do autor a respeito do assunto.
Quando o texto, além de explicar,
 também persuade o interlocutor e
modifica seu comportamento, temos
       um texto dissertativo-
          argumentativo.

O texto dissertativo argumentativo
  tem uma estrutura convencional,
formada por três partes essenciais.
DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO

    Introdução: apresenta o assunto e o
    posicionamento do autor. Formula-se uma tese.

    Desenvolvimento: Parágrafos que
    fundamentam a tese. Em cada parágrafo é
    desenvolvido um argumento. Neles podemos
    estabelecer analogias de situacoes, épocas ou
    lugares diferentes ou apoiar-nos em
    depoimentos ou citações de pessoas
    especializadas no assunto abordado, em dados
    estatísticos, pesquisas, entre outros.

    Conclusão: Retoma a tese, sintetiza idéias
    gerais do texto e apresenta o desfecho. Por
    vezes, a conclusão pode vir na forma de
    interrogação. Nesse caso, é meramente retórica
    e deve já ter sido respondida através do texto.

             INJUNÇÃO/PRESCRIÇÃO


    Envolve dever-fazer de um destinador ao
    seu destinatário.

    Destinatários: leitores-alvo ideais.

    Maior relação de interdependência no ato
    comunicativo

    Lector conhecedor do saber e poder-fazer.

    Relação de “parceria”.

    A linguagem desprovida de ironia, tecida
    com seriedade e com tom firme, certeiro.

    O destinatário tem o querer-fazer: o
    querer saber mais.
TEXTO EXPOSITIVO

    Informações sobre o objeto

    descrição, enumeração

    Discursivamente abrangente

    Instrução: apresenta instruções a seguir
    Informação: apresenta informações sobre
    o que é apresentado e/ou discutido;
    Descrição: quando apresenta
    características do que está sendo
    apresentado
    Definição: ao deixar claro para nosso
    leitor do que, exatamente, estamos
    falando;
    Enumeração: Na identificação e
    apresentação seqüencial de informações;
    Comparação:Garante que o leitor
    compreenda bem o que se quer dizer;
    O contraste: Mostra mais de um ângulo ou
Gêneros Textuais

    Carta pessoal,       
                             Aula expositiva,
    comercial, bilhete       virtual

    Diário pessoal,      
                             Debate
    agenda,              
                             Entrevista

    Romance              
                             Lista de compras

    Resenha              
                             Piada

    Blog                 
                             Cardápio

    E-mail               
                             Horóscopo

    Bate-papo (Chat)     
                             Instruções de uso

    Orkut                
                             Telefonema etc.
Alguns são bem
Tecnológicos...
Outros nem tanto!!!
CARTA
Carta Pessoal
Carta
Comercial
Bilhete
Anúncios
Anúncios classificados
Generosetipostextuais
Generosetipostextuais
Anúncios Publicitários
Outros...
Anunciando a
Tecnologia...
Anúncio com objetivo e
  conscientizar !!!!!
Outro gênero

interessantíssimo
      é a....
CHARGE
Charges
é um estilo de ilustração
 que tem por finalidade
  satirizar, por meio de
 uma caricatura, algum
acontecimento atual com
       uma ou mais
      personagens
JORNAL
Sub-gêneros do jornal
Conclusão

A formação de um gênero textual é
  influenciada pela função, pelo
público a alcançar, pela mensagem
    a transmitir e pelo contexto.
   Devemos associar o gênero às
 relações sociais que a envolvem.
Muito Obrigada pela
     atenção !
  P ro fa . A na

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticosRecursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Marcia Oliveira
 
Elementos de coesão
Elementos de coesãoElementos de coesão
Elementos de coesão
Cynthia Funchal
 
Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
ma.no.el.ne.ves
 
Gênero textual - Lei.pptx
Gênero textual  - Lei.pptxGênero textual  - Lei.pptx
Gênero textual - Lei.pptx
Aguinaldo7
 
Diferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumentoDiferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumento
cristina resende
 
Aulão de redação -Resumo de redação
Aulão de redação -Resumo de redaçãoAulão de redação -Resumo de redação
Aulão de redação -Resumo de redação
Cursos Profissionalizantes
 
Hifen
HifenHifen
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Quezia Neves
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
Fábio Guimarães
 
Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1
Maninho Walker
 
Níveis de linguagem
Níveis de linguagemNíveis de linguagem
Níveis de linguagem
Universidade de Sorocaba
 
Tipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textualTipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textual
Andriane Cursino
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Andriane Cursino
 
FATORES DA TEXTUALIDADE
FATORES DA TEXTUALIDADEFATORES DA TEXTUALIDADE
FATORES DA TEXTUALIDADE
haronheraclio
 
Compreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textosCompreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textos
welton santos
 
Gêneros textuais e tipos textuais
Gêneros textuais e tipos textuaisGêneros textuais e tipos textuais
Gêneros textuais e tipos textuais
Mirna Carvalho
 
morfologia
morfologiamorfologia
morfologia
Fernanda Câmara
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
Edna Brito
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
SEEDUC
 
Linguagem e tecnologia
Linguagem e tecnologiaLinguagem e tecnologia
Linguagem e tecnologia
Miquéias Vitorino
 

Mais procurados (20)

Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticosRecursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
 
Elementos de coesão
Elementos de coesãoElementos de coesão
Elementos de coesão
 
Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
 
Gênero textual - Lei.pptx
Gênero textual  - Lei.pptxGênero textual  - Lei.pptx
Gênero textual - Lei.pptx
 
Diferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumentoDiferença entre tese e argumento
Diferença entre tese e argumento
 
Aulão de redação -Resumo de redação
Aulão de redação -Resumo de redaçãoAulão de redação -Resumo de redação
Aulão de redação -Resumo de redação
 
Hifen
HifenHifen
Hifen
 
Romantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geraçãoRomantismo no Brasil - 1ª geração
Romantismo no Brasil - 1ª geração
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1
 
Níveis de linguagem
Níveis de linguagemNíveis de linguagem
Níveis de linguagem
 
Tipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textualTipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textual
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
FATORES DA TEXTUALIDADE
FATORES DA TEXTUALIDADEFATORES DA TEXTUALIDADE
FATORES DA TEXTUALIDADE
 
Compreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textosCompreensão e interpretação de textos
Compreensão e interpretação de textos
 
Gêneros textuais e tipos textuais
Gêneros textuais e tipos textuaisGêneros textuais e tipos textuais
Gêneros textuais e tipos textuais
 
morfologia
morfologiamorfologia
morfologia
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Linguagem e tecnologia
Linguagem e tecnologiaLinguagem e tecnologia
Linguagem e tecnologia
 

Destaque

Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
Gilberto C Porto
 
Redação: Gêneros Textuais
Redação: Gêneros Textuais Redação: Gêneros Textuais
Redação: Gêneros Textuais
CrisBiagio
 
Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
NAPNE
 
Características das sequências discursivas
Características das sequências discursivasCaracterísticas das sequências discursivas
Características das sequências discursivas
Vânia Hipólito
 
O texto didático
O texto didáticoO texto didático
O texto didático
ma.no.el.ne.ves
 
2.3.1 descrição, narração e dissertação
2.3.1 descrição, narração e dissertação2.3.1 descrição, narração e dissertação
2.3.1 descrição, narração e dissertação
keliviezzi
 
Tipos de texto
Tipos de textoTipos de texto
Tipos de texto
Paulo Iapeter
 
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃOTipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Sônia Maciel Alves
 

Destaque (8)

Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
Investigação de fraudes (ESTUDO DE CASO): A operação Lava-a-jato, 2015
 
Redação: Gêneros Textuais
Redação: Gêneros Textuais Redação: Gêneros Textuais
Redação: Gêneros Textuais
 
Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
 
Características das sequências discursivas
Características das sequências discursivasCaracterísticas das sequências discursivas
Características das sequências discursivas
 
O texto didático
O texto didáticoO texto didático
O texto didático
 
2.3.1 descrição, narração e dissertação
2.3.1 descrição, narração e dissertação2.3.1 descrição, narração e dissertação
2.3.1 descrição, narração e dissertação
 
Tipos de texto
Tipos de textoTipos de texto
Tipos de texto
 
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃOTipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
 

Semelhante a Generosetipostextuais

Aula 01 redação
Aula 01 redaçãoAula 01 redação
Aula 01 redação
Homero Alves de Lima
 
Apostila redacaodiscursiva fcc
Apostila redacaodiscursiva fccApostila redacaodiscursiva fcc
Apostila redacaodiscursiva fcc
Cleber Pereira de Sousa
 
Curso de redação
Curso de redaçãoCurso de redação
Curso de redação
teleestacao
 
Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
Clarice Escouto Santos
 
Trabalho de portugues
Trabalho de portuguesTrabalho de portugues
Trabalho de portugues
Lorena Carvalho
 
Generostextuais3serie
Generostextuais3serieGenerostextuais3serie
Generostextuais3serie
utencilio
 
Produção de Texto
Produção de TextoProdução de Texto
Produção de Texto
Editora Moderna
 
Tipos de textos moderna
Tipos de textos   modernaTipos de textos   moderna
Tipos de textos moderna
micheleluzzatto
 
Trabalho de portugues
Trabalho de portuguesTrabalho de portugues
Trabalho de portugues
Lorena Carvalho
 
2ª série - LP 20.pptx
2ª série - LP 20.pptx2ª série - LP 20.pptx
2ª série - LP 20.pptx
GoisTec
 
Estrutura mínima da carta argumentativa
Estrutura mínima da carta argumentativaEstrutura mínima da carta argumentativa
Estrutura mínima da carta argumentativa
ma.no.el.ne.ves
 
Tipos de texto
Tipos de textoTipos de texto
Tipos de texto
Lucianne Vasconcelos
 
Saresp LíNgua Portuguesa.23.11.09
Saresp   LíNgua Portuguesa.23.11.09Saresp   LíNgua Portuguesa.23.11.09
Saresp LíNgua Portuguesa.23.11.09
Milton Alvaro Menon
 
Redação: Texto dissertivo-argumentativo
Redação: Texto dissertivo-argumentativoRedação: Texto dissertivo-argumentativo
Redação: Texto dissertivo-argumentativo
7 de Setembro
 
Texto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-ArgumentativoTexto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-Argumentativo
7 de Setembro
 
Pnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritosPnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritos
Claudio Pessoa
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
Luis Carlos Santos
 
Texto e imagem
Texto e imagemTexto e imagem
Texto e imagem
ELOI DE OLIVEIRA BATISTA
 
OT Língua Portuguesa - Ensino Fundamental Ciclo II e Ensino Médio
OT Língua Portuguesa - Ensino Fundamental Ciclo II e Ensino MédioOT Língua Portuguesa - Ensino Fundamental Ciclo II e Ensino Médio
OT Língua Portuguesa - Ensino Fundamental Ciclo II e Ensino Médio
Claudia Elisabete Silva
 
Noção de Texto
Noção de TextoNoção de Texto
Noção de Texto
Adriana Ramirez Meira
 

Semelhante a Generosetipostextuais (20)

Aula 01 redação
Aula 01 redaçãoAula 01 redação
Aula 01 redação
 
Apostila redacaodiscursiva fcc
Apostila redacaodiscursiva fccApostila redacaodiscursiva fcc
Apostila redacaodiscursiva fcc
 
Curso de redação
Curso de redaçãoCurso de redação
Curso de redação
 
Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
 
Trabalho de portugues
Trabalho de portuguesTrabalho de portugues
Trabalho de portugues
 
Generostextuais3serie
Generostextuais3serieGenerostextuais3serie
Generostextuais3serie
 
Produção de Texto
Produção de TextoProdução de Texto
Produção de Texto
 
Tipos de textos moderna
Tipos de textos   modernaTipos de textos   moderna
Tipos de textos moderna
 
Trabalho de portugues
Trabalho de portuguesTrabalho de portugues
Trabalho de portugues
 
2ª série - LP 20.pptx
2ª série - LP 20.pptx2ª série - LP 20.pptx
2ª série - LP 20.pptx
 
Estrutura mínima da carta argumentativa
Estrutura mínima da carta argumentativaEstrutura mínima da carta argumentativa
Estrutura mínima da carta argumentativa
 
Tipos de texto
Tipos de textoTipos de texto
Tipos de texto
 
Saresp LíNgua Portuguesa.23.11.09
Saresp   LíNgua Portuguesa.23.11.09Saresp   LíNgua Portuguesa.23.11.09
Saresp LíNgua Portuguesa.23.11.09
 
Redação: Texto dissertivo-argumentativo
Redação: Texto dissertivo-argumentativoRedação: Texto dissertivo-argumentativo
Redação: Texto dissertivo-argumentativo
 
Texto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-ArgumentativoTexto Dissertativo-Argumentativo
Texto Dissertativo-Argumentativo
 
Pnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritosPnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritos
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
 
Texto e imagem
Texto e imagemTexto e imagem
Texto e imagem
 
OT Língua Portuguesa - Ensino Fundamental Ciclo II e Ensino Médio
OT Língua Portuguesa - Ensino Fundamental Ciclo II e Ensino MédioOT Língua Portuguesa - Ensino Fundamental Ciclo II e Ensino Médio
OT Língua Portuguesa - Ensino Fundamental Ciclo II e Ensino Médio
 
Noção de Texto
Noção de TextoNoção de Texto
Noção de Texto
 

Último

O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 

Generosetipostextuais

  • 2. Gêneros textuais O QUE É ISSO???
  • 3. Gêneros Textuais São os textos materializados encontrados em nosso cotidiano. Esses apresentam características sócio-comunicativas definidas por seu estilo, função, composição, conteúdo e canal.
  • 4. Gêneros textuais ou Tipos textuais???
  • 5. Tipos Textuais  Narração  Descrição  Dissertação/Argumentação  Injunção  Exposição
  • 6. NARRAÇÃO Situa seres e objetos no tempo  Introdução: Apresenta as personagens, localizando-as no tempo e no espaço.  Desenvolvimento: Constrói-se a trama e o suspense que culmina no clímax.  Conclusão: Existem várias maneiras de se concluir uma narração.  Recursos: Verbos de ação, discursos direto, indireto e indireto livre.  A narrativa deve tentar elucidar os acontecimentos, respondendo às seguintes perguntas essenciais:  O QUÊ? - o(s) fato(s) que determina(n) a história; QUEM? - a personagem ou personagens; COMO? - o enredo, o modo como se tecem os fatos; ONDE? - o lugar ou lugares da ocorrência QUANDO? - o momento ou momentos em que se passam os fatos; POR QUÊ? - a causa do acontecimento.
  • 7. DESCRIÇÃO Situa seres e objetos no espaco  Introdução: A perspectiva do observador focaliza o ser ou objeto e distingue seus aspectos gerais.  Desenvolvimento: Capta os elementos numa ordem coerente com a disposição em que eles se encontram no espaço, caracterizando-os objetiva e subjetivamente, física e psicologicamente .  Conclusão: Não há um procedimento específico para conclusão. Considera-se concluído o texto quando se completa a caracterização.  Recursos: Uso dos cinco sentidos: audição, gustação, olfato, tato e visão que, combinados, produzem a sinestesia. Adjetivação farta,
  • 8. DISSERTAÇÃO Dissertar é desenvolver ou explicar um assunto, discorrer sobre ele. O texto dissertativo é um texto expositivo, juntamente com o texto de apresentação científica, o relatório, o texto didático, o artigo enciclopédico. Em princípio, o texto dissertativo não está preocupado com a persuasão e sim, com a transmissão de conhecimento, sendo, portanto, um texto informativo.
  • 9. ARGUMENTAÇÃO Os textos argumentativos, ao contrário, têm por finalidade persuadir o leitor sobre o ponto de vista do autor a respeito do assunto. Quando o texto, além de explicar, também persuade o interlocutor e modifica seu comportamento, temos um texto dissertativo- argumentativo. O texto dissertativo argumentativo tem uma estrutura convencional, formada por três partes essenciais.
  • 10. DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO  Introdução: apresenta o assunto e o posicionamento do autor. Formula-se uma tese. Desenvolvimento: Parágrafos que fundamentam a tese. Em cada parágrafo é desenvolvido um argumento. Neles podemos estabelecer analogias de situacoes, épocas ou lugares diferentes ou apoiar-nos em depoimentos ou citações de pessoas especializadas no assunto abordado, em dados estatísticos, pesquisas, entre outros.  Conclusão: Retoma a tese, sintetiza idéias gerais do texto e apresenta o desfecho. Por vezes, a conclusão pode vir na forma de interrogação. Nesse caso, é meramente retórica e deve já ter sido respondida através do texto.
  • 11. INJUNÇÃO/PRESCRIÇÃO  Envolve dever-fazer de um destinador ao seu destinatário.  Destinatários: leitores-alvo ideais.  Maior relação de interdependência no ato comunicativo  Lector conhecedor do saber e poder-fazer.  Relação de “parceria”.  A linguagem desprovida de ironia, tecida com seriedade e com tom firme, certeiro.  O destinatário tem o querer-fazer: o querer saber mais.
  • 12. TEXTO EXPOSITIVO  Informações sobre o objeto  descrição, enumeração  Discursivamente abrangente  Instrução: apresenta instruções a seguir Informação: apresenta informações sobre o que é apresentado e/ou discutido; Descrição: quando apresenta características do que está sendo apresentado Definição: ao deixar claro para nosso leitor do que, exatamente, estamos falando; Enumeração: Na identificação e apresentação seqüencial de informações; Comparação:Garante que o leitor compreenda bem o que se quer dizer; O contraste: Mostra mais de um ângulo ou
  • 13. Gêneros Textuais  Carta pessoal,  Aula expositiva, comercial, bilhete virtual  Diário pessoal,  Debate agenda,  Entrevista  Romance  Lista de compras  Resenha  Piada  Blog  Cardápio  E-mail  Horóscopo  Bate-papo (Chat)  Instruções de uso  Orkut  Telefonema etc.
  • 16. CARTA
  • 27. Anúncio com objetivo e conscientizar !!!!!
  • 30. Charges é um estilo de ilustração que tem por finalidade satirizar, por meio de uma caricatura, algum acontecimento atual com uma ou mais personagens
  • 33. Conclusão A formação de um gênero textual é influenciada pela função, pelo público a alcançar, pela mensagem a transmitir e pelo contexto. Devemos associar o gênero às relações sociais que a envolvem.
  • 34. Muito Obrigada pela atenção ! P ro fa . A na