SlideShare uma empresa Scribd logo
[object Object],[object Object]
[object Object],A reencarnação é uma invenção do Espiritismo? ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Passagens dos Evangelhos de Mateus e de Marcos, nos quais Jesus afirma que João Batista era a reencarnação do profeta Elias e no trecho do Evangelho de João em que Jesus conversa com Nicodemos sobre a necessidade de "nascer de novo".  CIÊNCIA CONVENCIONAL - PESQUISAS ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Por que reencarnamos? A questão 540 de  O Livro dos Espíritos : “ É assim que tudo serve, que tudo se encadeia na Natureza, desde o átomo primitivo até o arcanjo, que também começou por ser átomo”. Como ter uma reencarnação de sucesso? Diretrizes para o Êxito (Joanna de Angelis) AMOR ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Acreditar na possibilidade da reencarnação afeta diretamente nossa vida diária? Como? ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Por que não recordamos de vidas passadas? ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],E a compreensão do mecanismo da reencarnação afeta diretamente nossa vida diária? Como? ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],DINÂMICA ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Palavras de Anete Guimarães Link: http://www.youtube.com/watch?v=u4iNo8ZfRTM&feature=related ,[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Boletim 204 (31 03-2013)
Boletim 204 (31 03-2013)Boletim 204 (31 03-2013)
Boletim 204 (31 03-2013)
Lucas Guimarães
 
Pilatos e a verdade
Pilatos e a verdadePilatos e a verdade
Entusiasmo e animação vocacional
Entusiasmo e  animação vocacionalEntusiasmo e  animação vocacional
Entusiasmo e animação vocacional
Osvaldo de Oliveira
 
Entusiasmo e animação vocacional cópia
Entusiasmo e  animação vocacional   cópiaEntusiasmo e  animação vocacional   cópia
Entusiasmo e animação vocacional cópia
Osvaldo de Oliveira
 
Ceuinferno 020 1a. parte capítulo x- intervençao dos demônios nas modernas ma...
Ceuinferno 020 1a. parte capítulo x- intervençao dos demônios nas modernas ma...Ceuinferno 020 1a. parte capítulo x- intervençao dos demônios nas modernas ma...
Ceuinferno 020 1a. parte capítulo x- intervençao dos demônios nas modernas ma...
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Religiao e espiritualidade1
Religiao e espiritualidade1Religiao e espiritualidade1
Religiao e espiritualidade1
Paulo Bachur
 
Religião e espiritualidade
Religião e espiritualidadeReligião e espiritualidade
Religião e espiritualidade
Amadeu Wolff
 
Religiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidadeReligiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidade
Marcelo Freitas
 
Outro
OutroOutro
Outro
vrmsfu
 
Religiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidadeReligiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidade
elizacouto
 
Religio e espiritualidade.
Religio e espiritualidade.Religio e espiritualidade.
Religio e espiritualidade.
cursotomorrow
 
Religiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidadeReligiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidade
João Lamim
 
Religião e espiritualidade
Religião e espiritualidadeReligião e espiritualidade
Religião e espiritualidade
Amadeu Wolff
 
A prece
A prece A prece
A prece
Graça Maciel
 
1 - Por que sou cristão?
1 - Por que sou cristão?1 - Por que sou cristão?
1 - Por que sou cristão?
Pibatef Primeira Igreja Batista
 
Heresias
HeresiasHeresias

Mais procurados (16)

Boletim 204 (31 03-2013)
Boletim 204 (31 03-2013)Boletim 204 (31 03-2013)
Boletim 204 (31 03-2013)
 
Pilatos e a verdade
Pilatos e a verdadePilatos e a verdade
Pilatos e a verdade
 
Entusiasmo e animação vocacional
Entusiasmo e  animação vocacionalEntusiasmo e  animação vocacional
Entusiasmo e animação vocacional
 
Entusiasmo e animação vocacional cópia
Entusiasmo e  animação vocacional   cópiaEntusiasmo e  animação vocacional   cópia
Entusiasmo e animação vocacional cópia
 
Ceuinferno 020 1a. parte capítulo x- intervençao dos demônios nas modernas ma...
Ceuinferno 020 1a. parte capítulo x- intervençao dos demônios nas modernas ma...Ceuinferno 020 1a. parte capítulo x- intervençao dos demônios nas modernas ma...
Ceuinferno 020 1a. parte capítulo x- intervençao dos demônios nas modernas ma...
 
Religiao e espiritualidade1
Religiao e espiritualidade1Religiao e espiritualidade1
Religiao e espiritualidade1
 
Religião e espiritualidade
Religião e espiritualidadeReligião e espiritualidade
Religião e espiritualidade
 
Religiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidadeReligiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidade
 
Outro
OutroOutro
Outro
 
Religiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidadeReligiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidade
 
Religio e espiritualidade.
Religio e espiritualidade.Religio e espiritualidade.
Religio e espiritualidade.
 
Religiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidadeReligiao e espiritualidade
Religiao e espiritualidade
 
Religião e espiritualidade
Religião e espiritualidadeReligião e espiritualidade
Religião e espiritualidade
 
A prece
A prece A prece
A prece
 
1 - Por que sou cristão?
1 - Por que sou cristão?1 - Por que sou cristão?
1 - Por que sou cristão?
 
Heresias
HeresiasHeresias
Heresias
 

Destaque

Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2
sndteixeira
 
Finalidade Da EncarnaçãO
Finalidade Da EncarnaçãOFinalidade Da EncarnaçãO
Finalidade Da EncarnaçãO
Grupo Espírita Cristão
 
Dgcyb2 t3 alunos_conhecimento_trabalhovalores
Dgcyb2 t3 alunos_conhecimento_trabalhovaloresDgcyb2 t3 alunos_conhecimento_trabalhovalores
Dgcyb2 t3 alunos_conhecimento_trabalhovalores
Marcus Vinicius Santos Kucharski
 
Entrevista semc ao jl
Entrevista semc ao jlEntrevista semc ao jl
Entrevista semc ao jl
Diogo Miguéns
 
Construindo sobre a Rocha
Construindo sobre a RochaConstruindo sobre a Rocha
Construindo sobre a Rocha
Arcoterra
 
Mais educação
Mais educaçãoMais educação
Mais educação
Dionatan Gb
 
Estandares pec 2014 2015
Estandares pec 2014 2015Estandares pec 2014 2015
Estandares pec 2014 2015
Roberto Pérez
 
El caracol y el rosal- Cuento de Europa
El caracol y el rosal- Cuento de Europa El caracol y el rosal- Cuento de Europa
El caracol y el rosal- Cuento de Europa
amg0728
 
Callejero+real+de+peñarroya pueblonuevo
Callejero+real+de+peñarroya pueblonuevoCallejero+real+de+peñarroya pueblonuevo
Callejero+real+de+peñarroya pueblonuevo
Soipuerta Soy-puerta
 
Periodo bizantino[1]
Periodo bizantino[1]Periodo bizantino[1]
Periodo bizantino[1]
dennis gutierrez
 
Expo de trauma
Expo de traumaExpo de trauma
Expo de trauma
CARLOS PAREDES
 
Mocidade Herois em cristo
Mocidade Herois em cristo Mocidade Herois em cristo
Mocidade Herois em cristo
Mocidadeheroisemcristo
 
Adio de-nmeros-inteiros-1195410570619216-1
Adio de-nmeros-inteiros-1195410570619216-1Adio de-nmeros-inteiros-1195410570619216-1
Adio de-nmeros-inteiros-1195410570619216-1
Carla Gomes
 
Importancia de los valores de una convivencia social
Importancia de los valores de una convivencia socialImportancia de los valores de una convivencia social
Importancia de los valores de una convivencia social
Liliana Murcia
 
Edital 1 pedra sobre pedra
Edital 1   pedra sobre pedraEdital 1   pedra sobre pedra
Edital 1 pedra sobre pedra
Petgeologia
 
A célula
A célula A célula
A célula
Maria Santos
 
Las alas robadas- Cuento de África
Las alas robadas- Cuento de ÁfricaLas alas robadas- Cuento de África
Las alas robadas- Cuento de África
amg0728
 
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificial
DEIBIS JAVIER ACOSTA CIFUENTES
 
Experiencias exitosas
Experiencias exitosasExperiencias exitosas
Experiencias exitosas
jane_ruth_llanos
 
Apresentação Universal Private Banking
Apresentação Universal Private BankingApresentação Universal Private Banking
Apresentação Universal Private Banking
Eliseu Pires
 

Destaque (20)

Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2
 
Finalidade Da EncarnaçãO
Finalidade Da EncarnaçãOFinalidade Da EncarnaçãO
Finalidade Da EncarnaçãO
 
Dgcyb2 t3 alunos_conhecimento_trabalhovalores
Dgcyb2 t3 alunos_conhecimento_trabalhovaloresDgcyb2 t3 alunos_conhecimento_trabalhovalores
Dgcyb2 t3 alunos_conhecimento_trabalhovalores
 
Entrevista semc ao jl
Entrevista semc ao jlEntrevista semc ao jl
Entrevista semc ao jl
 
Construindo sobre a Rocha
Construindo sobre a RochaConstruindo sobre a Rocha
Construindo sobre a Rocha
 
Mais educação
Mais educaçãoMais educação
Mais educação
 
Estandares pec 2014 2015
Estandares pec 2014 2015Estandares pec 2014 2015
Estandares pec 2014 2015
 
El caracol y el rosal- Cuento de Europa
El caracol y el rosal- Cuento de Europa El caracol y el rosal- Cuento de Europa
El caracol y el rosal- Cuento de Europa
 
Callejero+real+de+peñarroya pueblonuevo
Callejero+real+de+peñarroya pueblonuevoCallejero+real+de+peñarroya pueblonuevo
Callejero+real+de+peñarroya pueblonuevo
 
Periodo bizantino[1]
Periodo bizantino[1]Periodo bizantino[1]
Periodo bizantino[1]
 
Expo de trauma
Expo de traumaExpo de trauma
Expo de trauma
 
Mocidade Herois em cristo
Mocidade Herois em cristo Mocidade Herois em cristo
Mocidade Herois em cristo
 
Adio de-nmeros-inteiros-1195410570619216-1
Adio de-nmeros-inteiros-1195410570619216-1Adio de-nmeros-inteiros-1195410570619216-1
Adio de-nmeros-inteiros-1195410570619216-1
 
Importancia de los valores de una convivencia social
Importancia de los valores de una convivencia socialImportancia de los valores de una convivencia social
Importancia de los valores de una convivencia social
 
Edital 1 pedra sobre pedra
Edital 1   pedra sobre pedraEdital 1   pedra sobre pedra
Edital 1 pedra sobre pedra
 
A célula
A célula A célula
A célula
 
Las alas robadas- Cuento de África
Las alas robadas- Cuento de ÁfricaLas alas robadas- Cuento de África
Las alas robadas- Cuento de África
 
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificial
 
Experiencias exitosas
Experiencias exitosasExperiencias exitosas
Experiencias exitosas
 
Apresentação Universal Private Banking
Apresentação Universal Private BankingApresentação Universal Private Banking
Apresentação Universal Private Banking
 

Semelhante a Geead 26-10-2011: Fundamentos e utilidade da reencarnação

IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR - TABERNACULO.pptx
IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR - TABERNACULO.pptxIGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR - TABERNACULO.pptx
IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR - TABERNACULO.pptx
GustavoCarvalhoDoNas1
 
IDENTIDADE -RCC-
IDENTIDADE -RCC-IDENTIDADE -RCC-
Ev efetivo 001
Ev efetivo 001Ev efetivo 001
Ev efetivo 001
Vinicio Pacifico
 
Importancia da Evangelizacao Espírita
Importancia da Evangelizacao EspíritaImportancia da Evangelizacao Espírita
Importancia da Evangelizacao Espírita
Angelo Baptista
 
Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)
guest9c2db2e
 
Juventude!
Juventude!Juventude!
Juventude!
Dalila Melo
 
Juventude!
Juventude!Juventude!
Juventude!
guest8d197b
 
Juventude!
Juventude!Juventude!
Juventude!
guest8d197b
 
Ev efetivo 002
Ev efetivo 002Ev efetivo 002
Ev efetivo 002
Vinicio Pacifico
 
aimportanciadaevangelizacao-parteii-oexerciciodoamor-151104225856-lva1-app689...
aimportanciadaevangelizacao-parteii-oexerciciodoamor-151104225856-lva1-app689...aimportanciadaevangelizacao-parteii-oexerciciodoamor-151104225856-lva1-app689...
aimportanciadaevangelizacao-parteii-oexerciciodoamor-151104225856-lva1-app689...
fatimadamasceno8
 
Lição 8 - Ministério de Evangelista
Lição 8 - Ministério de EvangelistaLição 8 - Ministério de Evangelista
Lição 8 - Ministério de Evangelista
Nildo Junior
 
A importancia da evangelizacao parte ii - o exercicio do amor
A importancia da evangelizacao   parte ii - o exercicio do amorA importancia da evangelizacao   parte ii - o exercicio do amor
A importancia da evangelizacao parte ii - o exercicio do amor
Alice Lirio
 
Palestra 14 o evangelho no lar
Palestra 14 o evangelho no larPalestra 14 o evangelho no lar
Palestra 14 o evangelho no lar
Jose Ferreira Almeida
 
Orientação à ação evangelizadora espírita da infância: subsídios e di...
Orientação à ação evangelizadora espírita da infância: subsídios e di...Orientação à ação evangelizadora espírita da infância: subsídios e di...
Orientação à ação evangelizadora espírita da infância: subsídios e di...
Daniane Bornea Friedl
 
Porquê evangelizar?
Porquê evangelizar?Porquê evangelizar?
Porquê evangelizar?
conceicaoborges
 
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
José Vieira Dos Santos
 
Folheto batismo
Folheto batismoFolheto batismo
Folheto batismo
torrasko
 
Evangelização Espirita Infanto juvenil
Evangelização Espirita Infanto juvenilEvangelização Espirita Infanto juvenil
Evangelização Espirita Infanto juvenil
FEEAK
 
Evangelização espirita
Evangelização espiritaEvangelização espirita
Evangelização espirita
FEEAK
 
Ev efetivo 002
Ev efetivo 002Ev efetivo 002
Ev efetivo 002
Vinicio Pacifico
 

Semelhante a Geead 26-10-2011: Fundamentos e utilidade da reencarnação (20)

IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR - TABERNACULO.pptx
IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR - TABERNACULO.pptxIGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR - TABERNACULO.pptx
IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR - TABERNACULO.pptx
 
IDENTIDADE -RCC-
IDENTIDADE -RCC-IDENTIDADE -RCC-
IDENTIDADE -RCC-
 
Ev efetivo 001
Ev efetivo 001Ev efetivo 001
Ev efetivo 001
 
Importancia da Evangelizacao Espírita
Importancia da Evangelizacao EspíritaImportancia da Evangelizacao Espírita
Importancia da Evangelizacao Espírita
 
Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)Aula 01 evangelismo (etcam)
Aula 01 evangelismo (etcam)
 
Juventude!
Juventude!Juventude!
Juventude!
 
Juventude!
Juventude!Juventude!
Juventude!
 
Juventude!
Juventude!Juventude!
Juventude!
 
Ev efetivo 002
Ev efetivo 002Ev efetivo 002
Ev efetivo 002
 
aimportanciadaevangelizacao-parteii-oexerciciodoamor-151104225856-lva1-app689...
aimportanciadaevangelizacao-parteii-oexerciciodoamor-151104225856-lva1-app689...aimportanciadaevangelizacao-parteii-oexerciciodoamor-151104225856-lva1-app689...
aimportanciadaevangelizacao-parteii-oexerciciodoamor-151104225856-lva1-app689...
 
Lição 8 - Ministério de Evangelista
Lição 8 - Ministério de EvangelistaLição 8 - Ministério de Evangelista
Lição 8 - Ministério de Evangelista
 
A importancia da evangelizacao parte ii - o exercicio do amor
A importancia da evangelizacao   parte ii - o exercicio do amorA importancia da evangelizacao   parte ii - o exercicio do amor
A importancia da evangelizacao parte ii - o exercicio do amor
 
Palestra 14 o evangelho no lar
Palestra 14 o evangelho no larPalestra 14 o evangelho no lar
Palestra 14 o evangelho no lar
 
Orientação à ação evangelizadora espírita da infância: subsídios e di...
Orientação à ação evangelizadora espírita da infância: subsídios e di...Orientação à ação evangelizadora espírita da infância: subsídios e di...
Orientação à ação evangelizadora espírita da infância: subsídios e di...
 
Porquê evangelizar?
Porquê evangelizar?Porquê evangelizar?
Porquê evangelizar?
 
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
 
Folheto batismo
Folheto batismoFolheto batismo
Folheto batismo
 
Evangelização Espirita Infanto juvenil
Evangelização Espirita Infanto juvenilEvangelização Espirita Infanto juvenil
Evangelização Espirita Infanto juvenil
 
Evangelização espirita
Evangelização espiritaEvangelização espirita
Evangelização espirita
 
Ev efetivo 002
Ev efetivo 002Ev efetivo 002
Ev efetivo 002
 

Mais de Geead Abu Dhabi

GEEAD_2012_02_08
GEEAD_2012_02_08GEEAD_2012_02_08
GEEAD_2012_02_08
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2012_02_01
GEEAD_2012_02_01GEEAD_2012_02_01
GEEAD_2012_02_01
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2012_01_18
GEEAD_2012_01_18GEEAD_2012_01_18
GEEAD_2012_01_18
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2012_01_04
GEEAD_2012_01_04GEEAD_2012_01_04
GEEAD_2012_01_04
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_11_30
GEEAD_2011_11_30GEEAD_2011_11_30
GEEAD_2011_11_30
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_11_16
GEEAD_2011_11_16GEEAD_2011_11_16
GEEAD_2011_11_16
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_11_02
GEEAD_2011_11_02GEEAD_2011_11_02
GEEAD_2011_11_02
Geead Abu Dhabi
 
OqueFazesDeEspecial
OqueFazesDeEspecialOqueFazesDeEspecial
OqueFazesDeEspecial
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_11_23
GEEAD_2011_11_23GEEAD_2011_11_23
GEEAD_2011_11_23
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorioGEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
Geead Abu Dhabi
 
Geead 2011 10_19
Geead 2011 10_19Geead 2011 10_19
Geead 2011 10_19
Geead Abu Dhabi
 
Geead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
Geead 19-10-2011: A mediunidade com JesusGeead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
Geead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
Geead Abu Dhabi
 
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espíritoGeead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead Abu Dhabi
 
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espíritoGeead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead Abu Dhabi
 
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atosGeead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
Geead Abu Dhabi
 
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritosGeead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
Geead Abu Dhabi
 
Geead 14-09-2011: Origem e natureza do espírito
Geead 14-09-2011: Origem e natureza do espíritoGeead 14-09-2011: Origem e natureza do espírito
Geead 14-09-2011: Origem e natureza do espírito
Geead Abu Dhabi
 

Mais de Geead Abu Dhabi (20)

GEEAD_2012_02_08
GEEAD_2012_02_08GEEAD_2012_02_08
GEEAD_2012_02_08
 
GEEAD_2012_02_01
GEEAD_2012_02_01GEEAD_2012_02_01
GEEAD_2012_02_01
 
GEEAD_2012_01_18
GEEAD_2012_01_18GEEAD_2012_01_18
GEEAD_2012_01_18
 
GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11
 
GEEAD_2012_01_04
GEEAD_2012_01_04GEEAD_2012_01_04
GEEAD_2012_01_04
 
GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14
 
GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14
 
GEEAD_2011_11_30
GEEAD_2011_11_30GEEAD_2011_11_30
GEEAD_2011_11_30
 
GEEAD_2011_11_16
GEEAD_2011_11_16GEEAD_2011_11_16
GEEAD_2011_11_16
 
GEEAD_2011_11_02
GEEAD_2011_11_02GEEAD_2011_11_02
GEEAD_2011_11_02
 
OqueFazesDeEspecial
OqueFazesDeEspecialOqueFazesDeEspecial
OqueFazesDeEspecial
 
GEEAD_2011_11_23
GEEAD_2011_11_23GEEAD_2011_11_23
GEEAD_2011_11_23
 
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorioGEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
 
Geead 2011 10_19
Geead 2011 10_19Geead 2011 10_19
Geead 2011 10_19
 
Geead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
Geead 19-10-2011: A mediunidade com JesusGeead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
Geead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
 
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espíritoGeead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
 
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espíritoGeead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
 
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atosGeead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
 
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritosGeead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
 
Geead 14-09-2011: Origem e natureza do espírito
Geead 14-09-2011: Origem e natureza do espíritoGeead 14-09-2011: Origem e natureza do espírito
Geead 14-09-2011: Origem e natureza do espírito
 

Último

A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
Nilson Almeida
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
JaquelineSantosBasto
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
André Luiz Marques
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 

Último (15)

A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 

Geead 26-10-2011: Fundamentos e utilidade da reencarnação

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.

Notas do Editor

  1. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  2. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  3. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  4. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  5. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  6. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  7. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  8. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  9. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  10. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).