SlideShare uma empresa Scribd logo
[object Object],[object Object]
[object Object],1) Por que ainda existe a dúvida sobre a existência e sobrevivência do espírito? 2) Citar provas da existência e da sobrevivência do espírito ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],“ Cogito, ergo sum” ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],“ Cogito, ergo sum” Ao contrário dos gregos antigos e dos escolásticos, que acreditavam que as coisas existem simplesmente porque  precisam  existir, ou porque assim deve ser etc., Descartes instituiu a dúvida: só se pode dizer que existe aquilo que puder ser provado, sendo o ato de duvidar indubitável. ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Fenômeno de exteriorização da alma : ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Casas mal-assombradas e transporte de objetos: ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Fenômeno das mesas girantes: ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Manifestação dos espíritos pela escrita: ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Manifestação dos espíritos pela audição e pela palavra: ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Aparições e materializações de espíritos: os livros: de William Crookes  Fatos Espíritas  em que são estudados fenômenos de efeitos físicos e especialmente o fenômeno de materialização do Espírito de Katie King, com o auxílio, respectivamente, das mediunidades de Daniel D. Home e de Florence Cook Friedrich Zollner -  Provas Científicas sobre a Sobrevivência , em que esse sábio físico e astrônomo alemão relata suas experiências com o médium Henri Slade, inclusive o extraordinário fenômeno de desmaterialização da matéria, tornando possível a penetração de corpos materiais por outros e a escrita direta sobre uma lousa, sem intermediário material algum livro de Oliver Lodge -  Raymond  - em que esse sábio físico inglês descreve experiências com diversos médius, através das quais pôde, com toda a evidência, constatar a manifestação de seu filho Raymond Lodge, jovem engenheiro, morto em 1915, aos 26 anos, numa trincheira, em Flandres, Bélgica, durante a guerra de 1914-1918, tendo fornecido claros sinais de identificação de sua personalidade individual. Aparições e materializações de espíritos: ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Xenoglossia: ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Transcomunicação instrumental (TCI): ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Experiência de quase morte: ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Visões no leito da morte: ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Download deus,%20 um%20delirio[1]
Download deus,%20 um%20delirio[1]Download deus,%20 um%20delirio[1]
Download deus,%20 um%20delirio[1]
Wesley Mendes de Carvalho
 
Artigo 1 - Deus existe?
Artigo 1 - Deus existe?Artigo 1 - Deus existe?
Artigo 1 - Deus existe?
Portal Cristão
 
Geead 01/06/2011 - Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita.
Geead 01/06/2011 - Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita.Geead 01/06/2011 - Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita.
Geead 01/06/2011 - Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita.
Geead Abu Dhabi
 
Aula 3 as cinco vias
Aula 3 as cinco viasAula 3 as cinco vias
Aula 3 as cinco vias
Uilian Oliveira
 
Tese De Antropologia
Tese De AntropologiaTese De Antropologia
Tese De Antropologia
Márcio Trindade
 
22 mp
22 mp22 mp
As cinco vias provas - da existência de deus - santo tomás de aquino
As cinco vias   provas - da existência de deus - santo tomás de aquinoAs cinco vias   provas - da existência de deus - santo tomás de aquino
As cinco vias provas - da existência de deus - santo tomás de aquino
Leonardo Vasconcelos
 
8. ciencia e fe 1
8. ciencia e fe 18. ciencia e fe 1
Aula 5 fundamentos da teologia
Aula 5   fundamentos da teologiaAula 5   fundamentos da teologia
Aula 5 fundamentos da teologia
Arthur Monteiro
 

Mais procurados (9)

Download deus,%20 um%20delirio[1]
Download deus,%20 um%20delirio[1]Download deus,%20 um%20delirio[1]
Download deus,%20 um%20delirio[1]
 
Artigo 1 - Deus existe?
Artigo 1 - Deus existe?Artigo 1 - Deus existe?
Artigo 1 - Deus existe?
 
Geead 01/06/2011 - Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita.
Geead 01/06/2011 - Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita.Geead 01/06/2011 - Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita.
Geead 01/06/2011 - Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita.
 
Aula 3 as cinco vias
Aula 3 as cinco viasAula 3 as cinco vias
Aula 3 as cinco vias
 
Tese De Antropologia
Tese De AntropologiaTese De Antropologia
Tese De Antropologia
 
22 mp
22 mp22 mp
22 mp
 
As cinco vias provas - da existência de deus - santo tomás de aquino
As cinco vias   provas - da existência de deus - santo tomás de aquinoAs cinco vias   provas - da existência de deus - santo tomás de aquino
As cinco vias provas - da existência de deus - santo tomás de aquino
 
8. ciencia e fe 1
8. ciencia e fe 18. ciencia e fe 1
8. ciencia e fe 1
 
Aula 5 fundamentos da teologia
Aula 5   fundamentos da teologiaAula 5   fundamentos da teologia
Aula 5 fundamentos da teologia
 

Destaque

Vírus informático
Vírus informáticoVírus informático
Vírus informático
Daiana de Ávila
 
Living byhisdesign careerdirect_andrenunes
Living byhisdesign careerdirect_andrenunesLiving byhisdesign careerdirect_andrenunes
Living byhisdesign careerdirect_andrenunes
André Nunes E Clarisa
 
Slide natal biblioteca
Slide natal bibliotecaSlide natal biblioteca
Slide natal biblioteca
bibliotecacristal
 
Torres angelica aa3_poster
Torres angelica aa3_posterTorres angelica aa3_poster
Torres angelica aa3_poster
Angelica Torres
 
Codigos pse 2013
Codigos pse 2013Codigos pse 2013
Codigos pse 2013
Liceo Matovelle
 
Acuerdo 696
Acuerdo 696Acuerdo 696
Acuerdo 696
Roberto Pérez
 
Un siglo de Estadísticas Mineras en la provincia de Córdoba Por los Ingeniero...
Un siglo de Estadísticas Mineras en la provincia de Córdoba Por los Ingeniero...Un siglo de Estadísticas Mineras en la provincia de Córdoba Por los Ingeniero...
Un siglo de Estadísticas Mineras en la provincia de Córdoba Por los Ingeniero...
Soipuerta Soy-puerta
 
Apostila física
Apostila   físicaApostila   física
Apostila física
brumetzker
 
Presentacion gotitas
Presentacion gotitasPresentacion gotitas
Presentacion gotitas
Impulso Empresarial
 
Fetzner Vassouras 2015-desafios da avaliação nas escolas em ciclos
Fetzner Vassouras 2015-desafios da avaliação nas escolas em ciclosFetzner Vassouras 2015-desafios da avaliação nas escolas em ciclos
Fetzner Vassouras 2015-desafios da avaliação nas escolas em ciclos
Andréa Fetzner
 
BI&P- Indusval- Divulgação de Resultados 2T13
BI&P- Indusval- Divulgação de Resultados 2T13BI&P- Indusval- Divulgação de Resultados 2T13
BI&P- Indusval- Divulgação de Resultados 2T13
BI&P - Banco Indusval & Partners - Investor Relations
 
Sobre videos
Sobre videosSobre videos
Sobre videos
suzanaproinfo100h
 
Pete simplificado pec.xiii
Pete simplificado pec.xiiiPete simplificado pec.xiii
Pete simplificado pec.xiii
Roberto Pérez
 
Taller de lectura
Taller de lecturaTaller de lectura
Taller de lectura
Manuel Escobar De Givez
 
A costa dos murmúrios por cláudia
A costa dos murmúrios por cláudiaA costa dos murmúrios por cláudia
A costa dos murmúrios por cláudia
Liliana Venancio Ferreira
 
Meio ambiente 1
Meio ambiente 1Meio ambiente 1
Meio ambiente 1
beatrizelizabete
 
Milagres
MilagresMilagres
Milagres
Luiz Dias
 
04 sistema reprodutor masculino tema4
04 sistema reprodutor masculino tema404 sistema reprodutor masculino tema4
04 sistema reprodutor masculino tema4
Carla Gomes
 
Análise da estratégia new social media da nespresso
Análise da estratégia new social media da nespressoAnálise da estratégia new social media da nespresso
Análise da estratégia new social media da nespresso
Milene Mendes
 
Redes informatica marti y erick
Redes informatica marti y erickRedes informatica marti y erick
Redes informatica marti y erick
Marti Jofre
 

Destaque (20)

Vírus informático
Vírus informáticoVírus informático
Vírus informático
 
Living byhisdesign careerdirect_andrenunes
Living byhisdesign careerdirect_andrenunesLiving byhisdesign careerdirect_andrenunes
Living byhisdesign careerdirect_andrenunes
 
Slide natal biblioteca
Slide natal bibliotecaSlide natal biblioteca
Slide natal biblioteca
 
Torres angelica aa3_poster
Torres angelica aa3_posterTorres angelica aa3_poster
Torres angelica aa3_poster
 
Codigos pse 2013
Codigos pse 2013Codigos pse 2013
Codigos pse 2013
 
Acuerdo 696
Acuerdo 696Acuerdo 696
Acuerdo 696
 
Un siglo de Estadísticas Mineras en la provincia de Córdoba Por los Ingeniero...
Un siglo de Estadísticas Mineras en la provincia de Córdoba Por los Ingeniero...Un siglo de Estadísticas Mineras en la provincia de Córdoba Por los Ingeniero...
Un siglo de Estadísticas Mineras en la provincia de Córdoba Por los Ingeniero...
 
Apostila física
Apostila   físicaApostila   física
Apostila física
 
Presentacion gotitas
Presentacion gotitasPresentacion gotitas
Presentacion gotitas
 
Fetzner Vassouras 2015-desafios da avaliação nas escolas em ciclos
Fetzner Vassouras 2015-desafios da avaliação nas escolas em ciclosFetzner Vassouras 2015-desafios da avaliação nas escolas em ciclos
Fetzner Vassouras 2015-desafios da avaliação nas escolas em ciclos
 
BI&P- Indusval- Divulgação de Resultados 2T13
BI&P- Indusval- Divulgação de Resultados 2T13BI&P- Indusval- Divulgação de Resultados 2T13
BI&P- Indusval- Divulgação de Resultados 2T13
 
Sobre videos
Sobre videosSobre videos
Sobre videos
 
Pete simplificado pec.xiii
Pete simplificado pec.xiiiPete simplificado pec.xiii
Pete simplificado pec.xiii
 
Taller de lectura
Taller de lecturaTaller de lectura
Taller de lectura
 
A costa dos murmúrios por cláudia
A costa dos murmúrios por cláudiaA costa dos murmúrios por cláudia
A costa dos murmúrios por cláudia
 
Meio ambiente 1
Meio ambiente 1Meio ambiente 1
Meio ambiente 1
 
Milagres
MilagresMilagres
Milagres
 
04 sistema reprodutor masculino tema4
04 sistema reprodutor masculino tema404 sistema reprodutor masculino tema4
04 sistema reprodutor masculino tema4
 
Análise da estratégia new social media da nespresso
Análise da estratégia new social media da nespressoAnálise da estratégia new social media da nespresso
Análise da estratégia new social media da nespresso
 
Redes informatica marti y erick
Redes informatica marti y erickRedes informatica marti y erick
Redes informatica marti y erick
 

Semelhante a Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito

01 pbde - existência de deus
01   pbde - existência de deus01   pbde - existência de deus
01 pbde - existência de deus
Cláudio Luciano
 
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).docx
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).docxAPOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).docx
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).docx
DivinoHenriqueSantan
 
Filosofia Roberto 07 2
Filosofia Roberto 07 2Filosofia Roberto 07 2
Filosofia Roberto 07 2
estevan_andrade
 
Através de leis da física e da filosofia
Através de leis da física e da filosofiaAtravés de leis da física e da filosofia
Através de leis da física e da filosofia
Etienne Salles
 
02 pbde - existência, sobrevivência e individualidade da alma
02   pbde - existência, sobrevivência e individualidade da alma02   pbde - existência, sobrevivência e individualidade da alma
02 pbde - existência, sobrevivência e individualidade da alma
Cláudio Luciano
 
Aula02 - Metafísica
Aula02 - MetafísicaAula02 - Metafísica
Aula02 - Metafísica
William Ananias
 
Cosmovisão bíblico cristã
Cosmovisão bíblico cristã Cosmovisão bíblico cristã
Cosmovisão bíblico cristã
Derson Lopes Jr, Msc, PMP
 
Slide 02
Slide   02Slide   02
A_Doutrina_de_Deus_-_Aula_1_(Existência_.pptx
A_Doutrina_de_Deus_-_Aula_1_(Existência_.pptxA_Doutrina_de_Deus_-_Aula_1_(Existência_.pptx
A_Doutrina_de_Deus_-_Aula_1_(Existência_.pptx
Hábitos saudáveis
 
Ontologia e metafísica apresentação e plano de aula
Ontologia e metafísica   apresentação e plano de aulaOntologia e metafísica   apresentação e plano de aula
Ontologia e metafísica apresentação e plano de aula
Vitor Vieira Vasconcelos
 
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).pdf
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).pdfAPOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).pdf
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).pdf
DivinoHenriqueSantan
 
Doutrina Espírita
Doutrina EspíritaDoutrina Espírita
Doutrina Espírita
divinaluztk
 
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008   apocalipse e os problemas humanosJornada 2008   apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Norberto Tomasini Jr
 
Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01
Pastor W. Costa
 
Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos
igmateus
 
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITAESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
Almir Silva
 
Apostila de Teontologia.pdf
Apostila de Teontologia.pdfApostila de Teontologia.pdf
Apostila de Teontologia.pdf
silvioresplandes1
 
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Marta Gomes
 
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docx
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docxA_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docx
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docx
DivinoHenriqueSantan
 
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdf
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdfA_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdf
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdf
DivinoHenriqueSantan
 

Semelhante a Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito (20)

01 pbde - existência de deus
01   pbde - existência de deus01   pbde - existência de deus
01 pbde - existência de deus
 
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).docx
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).docxAPOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).docx
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).docx
 
Filosofia Roberto 07 2
Filosofia Roberto 07 2Filosofia Roberto 07 2
Filosofia Roberto 07 2
 
Através de leis da física e da filosofia
Através de leis da física e da filosofiaAtravés de leis da física e da filosofia
Através de leis da física e da filosofia
 
02 pbde - existência, sobrevivência e individualidade da alma
02   pbde - existência, sobrevivência e individualidade da alma02   pbde - existência, sobrevivência e individualidade da alma
02 pbde - existência, sobrevivência e individualidade da alma
 
Aula02 - Metafísica
Aula02 - MetafísicaAula02 - Metafísica
Aula02 - Metafísica
 
Cosmovisão bíblico cristã
Cosmovisão bíblico cristã Cosmovisão bíblico cristã
Cosmovisão bíblico cristã
 
Slide 02
Slide   02Slide   02
Slide 02
 
A_Doutrina_de_Deus_-_Aula_1_(Existência_.pptx
A_Doutrina_de_Deus_-_Aula_1_(Existência_.pptxA_Doutrina_de_Deus_-_Aula_1_(Existência_.pptx
A_Doutrina_de_Deus_-_Aula_1_(Existência_.pptx
 
Ontologia e metafísica apresentação e plano de aula
Ontologia e metafísica   apresentação e plano de aulaOntologia e metafísica   apresentação e plano de aula
Ontologia e metafísica apresentação e plano de aula
 
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).pdf
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).pdfAPOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).pdf
APOSTILA A DOUTRINA DE DEUS - TEOLOGIA(1).pdf
 
Doutrina Espírita
Doutrina EspíritaDoutrina Espírita
Doutrina Espírita
 
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008   apocalipse e os problemas humanosJornada 2008   apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
 
Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01
 
Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos
 
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITAESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
 
Apostila de Teontologia.pdf
Apostila de Teontologia.pdfApostila de Teontologia.pdf
Apostila de Teontologia.pdf
 
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
 
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docx
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docxA_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docx
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.docx
 
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdf
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdfA_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdf
A_DOUTRINA_DE_DEUS_apostila.pdf
 

Mais de Geead Abu Dhabi

GEEAD_2012_02_08
GEEAD_2012_02_08GEEAD_2012_02_08
GEEAD_2012_02_08
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2012_02_01
GEEAD_2012_02_01GEEAD_2012_02_01
GEEAD_2012_02_01
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2012_01_18
GEEAD_2012_01_18GEEAD_2012_01_18
GEEAD_2012_01_18
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2012_01_04
GEEAD_2012_01_04GEEAD_2012_01_04
GEEAD_2012_01_04
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_11_30
GEEAD_2011_11_30GEEAD_2011_11_30
GEEAD_2011_11_30
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_11_16
GEEAD_2011_11_16GEEAD_2011_11_16
GEEAD_2011_11_16
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_11_02
GEEAD_2011_11_02GEEAD_2011_11_02
GEEAD_2011_11_02
Geead Abu Dhabi
 
OqueFazesDeEspecial
OqueFazesDeEspecialOqueFazesDeEspecial
OqueFazesDeEspecial
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_11_23
GEEAD_2011_11_23GEEAD_2011_11_23
GEEAD_2011_11_23
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_10_26
GEEAD_2011_10_26GEEAD_2011_10_26
GEEAD_2011_10_26
Geead Abu Dhabi
 
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorioGEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
Geead Abu Dhabi
 
Geead 2011 10_19
Geead 2011 10_19Geead 2011 10_19
Geead 2011 10_19
Geead Abu Dhabi
 
Geead 26-10-2011: Fundamentos e utilidade da reencarnação
Geead 26-10-2011: Fundamentos e utilidade da reencarnaçãoGeead 26-10-2011: Fundamentos e utilidade da reencarnação
Geead 26-10-2011: Fundamentos e utilidade da reencarnação
Geead Abu Dhabi
 
Geead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
Geead 19-10-2011: A mediunidade com JesusGeead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
Geead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
Geead Abu Dhabi
 
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espíritoGeead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead Abu Dhabi
 
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atosGeead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
Geead Abu Dhabi
 
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritosGeead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
Geead Abu Dhabi
 

Mais de Geead Abu Dhabi (20)

GEEAD_2012_02_08
GEEAD_2012_02_08GEEAD_2012_02_08
GEEAD_2012_02_08
 
GEEAD_2012_02_01
GEEAD_2012_02_01GEEAD_2012_02_01
GEEAD_2012_02_01
 
GEEAD_2012_01_18
GEEAD_2012_01_18GEEAD_2012_01_18
GEEAD_2012_01_18
 
GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11GEEAD_2012_01_11
GEEAD_2012_01_11
 
GEEAD_2012_01_04
GEEAD_2012_01_04GEEAD_2012_01_04
GEEAD_2012_01_04
 
GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14
 
GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14GEEAD_2011_12_14
GEEAD_2011_12_14
 
GEEAD_2011_11_30
GEEAD_2011_11_30GEEAD_2011_11_30
GEEAD_2011_11_30
 
GEEAD_2011_11_16
GEEAD_2011_11_16GEEAD_2011_11_16
GEEAD_2011_11_16
 
GEEAD_2011_11_02
GEEAD_2011_11_02GEEAD_2011_11_02
GEEAD_2011_11_02
 
OqueFazesDeEspecial
OqueFazesDeEspecialOqueFazesDeEspecial
OqueFazesDeEspecial
 
GEEAD_2011_11_23
GEEAD_2011_11_23GEEAD_2011_11_23
GEEAD_2011_11_23
 
GEEAD_2011_10_26
GEEAD_2011_10_26GEEAD_2011_10_26
GEEAD_2011_10_26
 
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorioGEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
GEEAD_2011_12_07: A etapa da infancia no processo reencarnatorio
 
Geead 2011 10_19
Geead 2011 10_19Geead 2011 10_19
Geead 2011 10_19
 
Geead 26-10-2011: Fundamentos e utilidade da reencarnação
Geead 26-10-2011: Fundamentos e utilidade da reencarnaçãoGeead 26-10-2011: Fundamentos e utilidade da reencarnação
Geead 26-10-2011: Fundamentos e utilidade da reencarnação
 
Geead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
Geead 19-10-2011: A mediunidade com JesusGeead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
Geead 19-10-2011: A mediunidade com Jesus
 
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espíritoGeead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito
 
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atosGeead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
Geead 05-10-2011: Influência dos espíritosem nossos pensamentos e atos
 
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritosGeead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
Geead 28-09-2011: Progressão dos espíritos
 

Último

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 

Último (18)

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 

Geead 21-09-2011: Provas da existência e sobrevivência do espírito

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.

Notas do Editor

  1. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  2. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  3. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  4. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  5. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  6. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  7. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  8. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  9. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  10. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  11. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  12. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).
  13. Inicialmente, Kardec lançou mão da sonda da investigação para poder comprovar a veracidade dos fatos ( ciência ); em seguida, percebendo que poderia extrair conteúdo mais nobre daqueles fenômenos, formulou questões de elevado teor filosófico ( filosofia ); na seqüência, retomando as pesquisas científicas constatou que aquelas verdades, trazidas sob a coordenação dos espíritos superiores estavam entrelaçadas a conseqüências morais-religiosas para o Homem ( religião ).