SlideShare uma empresa Scribd logo
GESTÃO AMBIENTAL
Contraponto à degradação
Prof. Osvaldo Viégas
Gestão Ambiental
Março/2013
DEGRADAÇÃO AMBIENTAL - APROPRIAÇÃO

ATIVIDADES
HUMANAS

AGENTE DA
DEGRADAÇÃO

DEGRADAÇÃO

CARACTERÍSTICAS

DEGRADAÇÃO
- 2º nível

1. INDÚSTRIAS
2. URBANIZAÇÃO
3. TRANSPORTE
4.AGROPECUÁRI
A
5. EXTRAÇÃO
MINERAL
6. PESCA e CAÇA
7. EXPLORAÇÃO
MADEIREIRA
8.
COLETA/FLORA
8. TURISMO
9. SERVIÇOS

EXPLORAÇÃO
EXCESSIVA DOS
RECURSOS BIÓTICOS

COMPROMETIMENTO DOS
ESTOQUES
(POPULAÇÕES)

Retirada de indivíduos
além da capacidade de
suporte. P.ex.:
sobrepesca

EXTINÇÃO DE
ESPÉCIES
PERDA DA BIODIVERSIDADE

DESMATAMENTOS,
QUEIMADAS,
DRENAGENS e ATERROS PARA
EXPANSÃO DE
ATIVIDADES
INTRODUÇÃO DE
ESPÉCIES EXÓTICAS
TRÁFICO DE
ESPÉCIES
BARRAGENS
(supressão de
sedimentos; obstáculo à
piracema)
OUTRAS PRÁTICAS
IMPACTANTES

PERDA DA
COBERTURA
VEGETAL

Degradação dos
ecossis temas;
destruição de habitats;
aumento de T

EROSÃO e
ASSOREAMENTO

Laminar, voçorocas,
erosão de margens.....

DEGRADAÇÃO
DOS SOLOS

Mecanização
excessiva, uso abusivo
de fertilizantes e
agrotóxicos

COMPROMETIMENTO DE:
- Ciclo hidrológico
- Ecossitemas –
habitat, nicho, relações
inter-específicas,...
- Paisagem
- Espécies e biodivers.
DESERTIFICAÇÃO

DEGRADAÇÃO
DOS RECIFES DE
CORAL

Por exploração,
pisoteio e ancoragem

HOSPITALARES
10. GERAÇÃO DE
ENERGIA
11. PESQUISA
C&T

SUPRESSÃO DE
MANGUEZAIS,
VÁRZEAS e
CORPOS D’ÁGUA
COMPROMETIMENTO DO CICLO NATURAL
DAS ESPÉCIES

COMPROMETIMENTO DA PAISAGEM

- luminosidade e
postura de tartarugas
- deslocamento de
espécies nativas

Natalidade, mortalidade, fecundidade, morbidade, fertilidade
DEGRADAÇÃO AMBIENTAL - DISPOSIÇÃO
ATIVIDADES
HUMANAS

AGENTE DA
DEGRADAÇÃO

DEGRADAÇÃO

CARACTERÍSTICAS

DEGRADAÇÃO
- 2º nível

1. INDÚSTRIAS
2. URBANIZAÇÃO
3. TRANSPORTE
4.AGROPECUÁRIA
5. EXTRAÇÃO
MINERAL
6. PESCA
7. EXPLORAÇÃO
MADEIREIRA
8. TURISMO
9. HOSPITAIS
10. GERAÇÃO DE
ENERGIA
11. PESQUISA C&T

EMISSÕES GASOSAS
(fontes móveis ou
fixas), E.L. e R.S.

POLUIÇÃO DO AR

CO2, C0, SOX,
NOX, HC, O3
particulados,
odores,
temperatura.....

EFLUENTES LÍQUIDOS
(residenciais,
industriais, chorume,
água de lastro,.....)
RESÍDUOS SÓLIDOS
e E.G. (chuva ácida)

POLUIÇÃO DAS
ÁGUAS
SUPERFI-CIAIS
(rios, lagos,..)

M.O., nutrientes,
produtos
tóxicos
(metais
pesados,
agrotóxicos,
clorados,...),
materiais
radioativos,
calor

ILHAS DE CALOR;
BURACO DA CAMADA
DE OZÔNIO;
AQUECIMENTO
GLOBAL;
Efeitos na saúde e no
patrimônio;
Interferência na fecundidade, natalidade,
morta-lidade e
morbidade. Efeitos
teratogênicos,
carcinogênicos e
mutagênicos

POLUIÇÃO DOS
AQÜÍFEROS

POLUIÇÃO DO
SOLO

Produtos tóxicos

RUÍDOS

POLUIÇÃO SONORA

Stress e perda de
audição por
animais

EXCESSO DE PROPAGANDA (outdoors,
carta-zes,.........)

POLUIÇÃO VISUAL

Deficiência no
ordenamento
do uso do
espaço

POLUIÇÃO DOS
AQÜIFEROS
Formas de degradação ambiental
Comprometimento dos estoques
 Perda da cobertura vegetal
 Degradação dos solos (erosão,...desertif.)
 Degradação dos recifes de coral
 Supressão de manguezais, várzeas e
corpos d´água
 Comprometimento do ciclo natural das spp
 Extinção das espécies
 Perda da biodiversidade
 Comprometimento da paisagem

Formas de degradação ambiental
Poluição do ar
 Poluição das águas superficiais (oceanos,
mares, rios, lagos, lagoas, estuários)
 Poluição dos aquíferos
 Poluição do solo
 Poluição sonora
 Poluição visual
 Buraco da camada de ozônio
 Aquecimento global

O contraponto !!!!


No caso do “comprometimento dos
estoques” é necessário:






Conhecer a dinâmica da população:
números, natalidade, curva de
crescimento,.....
Definir o estoque máximo sustentável
Tubarões no NE !!
Estabelecer o plano de manejo sustentável
Controlar a exploração: licenciamento,
fiscalização e monitoramento do processo
O contraponto !!!!


No caso da poluição hídrica:








Estabelecimento da qualidade do corpo
receptor
Estabelecimento dos padrões de emissão
Licenciamento da fonte poluidora
Localização de acordo com zoneamento
Fiscalização da fonte poluidora
Monitoramento do corpo receptor
Avaliação de impacto ambiental, caso o
projeto seja de grande envergadura
No contraponto à degradação
Estudos/diagnósticos ambientais
 Sistemas de informações ambientais
 Zoneamentos: PDs, ZEE, em UCs,...
 Padrões de qualidade ambiental
 Padrões de emissão
 ..................
 LEGISLAÇÃO AMBIENTAL
 EDUCAÇÃO AMBIENTAL

No contraponto à degradação
Licenciamento e Fiscalização
 Monitoramento ambiental
 Avaliação de impacto ambiental – AIA
 ..................
 LEGISLAÇÃO AMBIENTAL
 EDUCAÇÃO AMBIENTAL

No contraponto à degradação
Unidades de conservação
 Manejo sustentável dos recursos
renováveis
 Manejo dos solos
 Controle integrado de pragas
 Gestão de Resíduos Sólidos
 Gestão dos Recursos Hídricos
 ..................
 LEGISLAÇÃO AMBIENTAL
 EDUCAÇÃO AMBIENTAL

No contraponto à degradação
Certificação: ISO 14.000,.....
 Análise de risco
 Auditoria ambiental
 Instrumentos econômicos:






Incentivos a P&D, subsídios,...
Valoração ambiental
Contabilização dos recursos naturais

..................
 LEGISLAÇÃO AMBIENTAL
 EDUCAÇÃO AMBIENTAL

No contraponto à degradação
Eficiência energética
 3 Rs – reduzir, reutilizar, reciclar
 Controle da poluição
 P+L – produção mais limpa
 Logística reversa
 MDL
 ..................
 LEGISLAÇÃO AMBIENTAL
 EDUCAÇÃO AMBIENTAL

GESTÃO AMBIENTAL




Processo permanente de gestão da dinâmica de
apropriação dos recursos ambientais e disposição de resíduos e efluentes , integrando um
conjunto de atores sociais. Visa o desenvolvimento sustentável e faz uso de um, ou mais,
instrumentos de gestão ambiental (Viégas,
1997)
Processo de articulação das ações dos diferentes atores sociais que interagem em um dado
espaço com vistas a garantir a adequação dos
meios de exploração dos recursos ambientais ...
às especificidades do meio ambiente, com base
em princípios e diretrizes previamente acordados/definidos (Lana, 1995)
Objetivos da Gestão Ambiental
Reduzir o consumo de matériasprimas, água e energia, bem como a
geração de resíduos
 Garantir a sustentabilidade dos
estoques florestais e pesqueiros
 Assegurar a cobertura vegetal nas
áreas de preservação permanente e
reflorestar (revegetar) as áreas
degradadas
 Implantar sistemas de unidades de
conservação e corredores ecológicos
 Assegurar o manejo adequado do solo

Objetivos da Gestão Ambiental
Preservar os recifes de corais
 Assegurar o ciclo natural das espécies
 Garantir a boa qualidade do ar
 Garantir a boa qualidade das águas
superficiais e subterrâneas e
assegurar o seu uso sustentável
 Conservar a biodiversidade
 Conservar a estrutura e a dinâmica
dos ecossistemas
 Valorizar a paisagem

Objetivos da Gestão Ambiental
Recuperar os passivos ambientais
 Fechar os ciclos da matéria e otimizar
a eficiência energética
 Manter ou aumentar o capital natural
(estoques e serviços ambientais)
 Reduzir a geração e reutilizar e
reciclar os resíduos
 Tratar e dispor os resíduos de acordo
com a melhor tecnologia e a capacidade de assimilação do meio ambiente
 ...................


Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Impacto ambiental
Impacto ambientalImpacto ambiental
Impacto ambiental
Jaqueline Fernandes
 
A degradação ambiental é a degeneração do meio ambiente
A degradação ambiental é a degeneração do meio ambienteA degradação ambiental é a degeneração do meio ambiente
A degradação ambiental é a degeneração do meio ambiente
Sara Silva
 
Degradação ambiental
Degradação ambientalDegradação ambiental
Degradação ambiental
eliane0404
 
Degradação Ambiental no Brasil
Degradação Ambiental no BrasilDegradação Ambiental no Brasil
Degradação Ambiental no Brasil
Valdira Ribeiro Jorge
 
C.P. 5 - Principais problemas ambientais
C.P. 5 - Principais problemas ambientaisC.P. 5 - Principais problemas ambientais
C.P. 5 - Principais problemas ambientais
I.Braz Slideshares
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
Rodrigo Carvalho
 
6º ano cap 7 o homem e o meio ambiente
6º ano cap 7  o homem e o meio ambiente6º ano cap 7  o homem e o meio ambiente
6º ano cap 7 o homem e o meio ambiente
ISJ
 
Influência do Homem no Ambiente e vice-versa
Influência do Homem no Ambiente e vice-versaInfluência do Homem no Ambiente e vice-versa
Influência do Homem no Ambiente e vice-versa
Juliana Costa
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
coldplay
 
Impactos antrópicos nos ecossistemas
Impactos antrópicos nos ecossistemasImpactos antrópicos nos ecossistemas
Impactos antrópicos nos ecossistemas
solanicandido
 
Problemas Ambientais
Problemas AmbientaisProblemas Ambientais
Problemas Ambientais
Emília Cabral
 
Desenvolvimento sustentável e impactos ambientais
Desenvolvimento sustentável e impactos ambientaisDesenvolvimento sustentável e impactos ambientais
Desenvolvimento sustentável e impactos ambientais
Clécio Bubela
 
Alterações no meio ambiente
Alterações no meio ambienteAlterações no meio ambiente
Alterações no meio ambiente
escola Argentina Pereira Feitosa
 
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
CARLOS MORAES
 
Ações humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientaisAções humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientais
Prof. Francesco Torres
 
Fontes de poluição
Fontes de poluiçãoFontes de poluição
Fontes de poluição
evaz1
 
Impactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivoImpactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivo
BIOLOGIA Associação Pré-FEDERAL
 
A interferência do homem no meio ambiente
A interferência do homem no meio ambienteA interferência do homem no meio ambiente
A interferência do homem no meio ambiente
joaofontes
 
consequências ambientais
consequências ambientais consequências ambientais
consequências ambientais
111997
 
Alterações Ambientais
Alterações AmbientaisAlterações Ambientais
Alterações Ambientais
marco :)
 

Mais procurados (20)

Impacto ambiental
Impacto ambientalImpacto ambiental
Impacto ambiental
 
A degradação ambiental é a degeneração do meio ambiente
A degradação ambiental é a degeneração do meio ambienteA degradação ambiental é a degeneração do meio ambiente
A degradação ambiental é a degeneração do meio ambiente
 
Degradação ambiental
Degradação ambientalDegradação ambiental
Degradação ambiental
 
Degradação Ambiental no Brasil
Degradação Ambiental no BrasilDegradação Ambiental no Brasil
Degradação Ambiental no Brasil
 
C.P. 5 - Principais problemas ambientais
C.P. 5 - Principais problemas ambientaisC.P. 5 - Principais problemas ambientais
C.P. 5 - Principais problemas ambientais
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
6º ano cap 7 o homem e o meio ambiente
6º ano cap 7  o homem e o meio ambiente6º ano cap 7  o homem e o meio ambiente
6º ano cap 7 o homem e o meio ambiente
 
Influência do Homem no Ambiente e vice-versa
Influência do Homem no Ambiente e vice-versaInfluência do Homem no Ambiente e vice-versa
Influência do Homem no Ambiente e vice-versa
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Impactos antrópicos nos ecossistemas
Impactos antrópicos nos ecossistemasImpactos antrópicos nos ecossistemas
Impactos antrópicos nos ecossistemas
 
Problemas Ambientais
Problemas AmbientaisProblemas Ambientais
Problemas Ambientais
 
Desenvolvimento sustentável e impactos ambientais
Desenvolvimento sustentável e impactos ambientaisDesenvolvimento sustentável e impactos ambientais
Desenvolvimento sustentável e impactos ambientais
 
Alterações no meio ambiente
Alterações no meio ambienteAlterações no meio ambiente
Alterações no meio ambiente
 
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
 
Ações humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientaisAções humanas e alteracoes ambientais
Ações humanas e alteracoes ambientais
 
Fontes de poluição
Fontes de poluiçãoFontes de poluição
Fontes de poluição
 
Impactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivoImpactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivo
 
A interferência do homem no meio ambiente
A interferência do homem no meio ambienteA interferência do homem no meio ambiente
A interferência do homem no meio ambiente
 
consequências ambientais
consequências ambientais consequências ambientais
consequências ambientais
 
Alterações Ambientais
Alterações AmbientaisAlterações Ambientais
Alterações Ambientais
 

Destaque

Degradação do meio ambiente
Degradação do meio ambienteDegradação do meio ambiente
Degradação do meio ambiente
iRedel
 
Hidrografia Geral e do Brasil
Hidrografia Geral e do BrasilHidrografia Geral e do Brasil
Hidrografia Geral e do Brasil
Dário Melo
 
Degradação do meio ambiente
Degradação do meio ambienteDegradação do meio ambiente
Degradação do meio ambiente
Rodrigo Moraes
 
impactos ambientais
impactos ambientaisimpactos ambientais
impactos ambientais
luana15
 
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição AmbientalControle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
UN Joint Office of UNDP, UNFPA and UNICEF (Environment Energy and Disaster Prevention Unit)
 
Ação do homem no meio ambiente
Ação do homem no meio ambienteAção do homem no meio ambiente
Ação do homem no meio ambiente
Wedson Nascimento Santos
 
Grandes Problemas Ambientais
Grandes Problemas AmbientaisGrandes Problemas Ambientais
Grandes Problemas Ambientais
lidia76
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequências
Charlles Moreira
 

Destaque (8)

Degradação do meio ambiente
Degradação do meio ambienteDegradação do meio ambiente
Degradação do meio ambiente
 
Hidrografia Geral e do Brasil
Hidrografia Geral e do BrasilHidrografia Geral e do Brasil
Hidrografia Geral e do Brasil
 
Degradação do meio ambiente
Degradação do meio ambienteDegradação do meio ambiente
Degradação do meio ambiente
 
impactos ambientais
impactos ambientaisimpactos ambientais
impactos ambientais
 
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição AmbientalControle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
Controle e Prevenção dos Processos de Poluição Ambiental
 
Ação do homem no meio ambiente
Ação do homem no meio ambienteAção do homem no meio ambiente
Ação do homem no meio ambiente
 
Grandes Problemas Ambientais
Grandes Problemas AmbientaisGrandes Problemas Ambientais
Grandes Problemas Ambientais
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequências
 

Semelhante a Ge amb

2 e 3 aulas
2 e 3 aulas2 e 3 aulas
2 e 3 aulas
amisonsantana
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Trabalho+2013
Trabalho+2013Trabalho+2013
Trabalho+2013
Giovanna Ortiz
 
Aula 2 Parte1.pdf
Aula 2 Parte1.pdfAula 2 Parte1.pdf
Aula 2 Parte1.pdf
RodrigoSilva112215
 
Mar-claudiasantos
Mar-claudiasantosMar-claudiasantos
Mar-claudiasantos
Biblioteca_Aver
 
CARACTERIZAÇÃO DO AMBIENTE CILIAR
CARACTERIZAÇÃO DO AMBIENTE CILIARCARACTERIZAÇÃO DO AMBIENTE CILIAR
CARACTERIZAÇÃO DO AMBIENTE CILIAR
Moacir Medrado
 
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveisPonte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Camila Bittar
 
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveisPonte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Camila Bittar
 
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveisPonte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Camila Bittar
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
Leonor Vaz Pereira
 
mangais_versao2014 (1).pdf ghghfhghjgjhjhj
mangais_versao2014 (1).pdf ghghfhghjgjhjhjmangais_versao2014 (1).pdf ghghfhghjgjhjhj
mangais_versao2014 (1).pdf ghghfhghjgjhjhj
DESCULPE Por partilhar
 
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01
Licenciamento
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentávelDesenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentável
tirsense
 
Informações e dados ambientais
Informações e dados ambientaisInformações e dados ambientais
Informações e dados ambientais
Alex Santiago Nina
 
O RODOANEL e a RBCV
O RODOANEL e  a RBCVO RODOANEL e  a RBCV
O RODOANEL e a RBCV
Adriano Diogo
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
Sandra Semedo
 
Slides do livro Eletrônico
Slides do livro EletrônicoSlides do livro Eletrônico
Slides do livro Eletrônico
Flavia Carvalho
 
Cursos
CursosCursos
Cursos
lupaMZ
 
PES COURSE - RECIFE (Payment for ecosystem services / FERNANDO VEIGA)
PES COURSE - RECIFE (Payment for ecosystem services / FERNANDO VEIGA)PES COURSE - RECIFE (Payment for ecosystem services / FERNANDO VEIGA)
PES COURSE - RECIFE (Payment for ecosystem services / FERNANDO VEIGA)
Environmental Leadership and Training Initiative (ELTI), Yale University
 

Semelhante a Ge amb (20)

2 e 3 aulas
2 e 3 aulas2 e 3 aulas
2 e 3 aulas
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Trabalho+2013
Trabalho+2013Trabalho+2013
Trabalho+2013
 
Aula 2 Parte1.pdf
Aula 2 Parte1.pdfAula 2 Parte1.pdf
Aula 2 Parte1.pdf
 
Mar-claudiasantos
Mar-claudiasantosMar-claudiasantos
Mar-claudiasantos
 
CARACTERIZAÇÃO DO AMBIENTE CILIAR
CARACTERIZAÇÃO DO AMBIENTE CILIARCARACTERIZAÇÃO DO AMBIENTE CILIAR
CARACTERIZAÇÃO DO AMBIENTE CILIAR
 
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveisPonte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
 
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveisPonte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
 
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveisPonte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
Ponte terra apresentaçao eia e usos sustentáveis
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do Solo
 
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
 
mangais_versao2014 (1).pdf ghghfhghjgjhjhj
mangais_versao2014 (1).pdf ghghfhghjgjhjhjmangais_versao2014 (1).pdf ghghfhghjgjhjhj
mangais_versao2014 (1).pdf ghghfhghjgjhjhj
 
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentávelDesenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentável
 
Informações e dados ambientais
Informações e dados ambientaisInformações e dados ambientais
Informações e dados ambientais
 
O RODOANEL e a RBCV
O RODOANEL e  a RBCVO RODOANEL e  a RBCV
O RODOANEL e a RBCV
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Slides do livro Eletrônico
Slides do livro EletrônicoSlides do livro Eletrônico
Slides do livro Eletrônico
 
Cursos
CursosCursos
Cursos
 
PES COURSE - RECIFE (Payment for ecosystem services / FERNANDO VEIGA)
PES COURSE - RECIFE (Payment for ecosystem services / FERNANDO VEIGA)PES COURSE - RECIFE (Payment for ecosystem services / FERNANDO VEIGA)
PES COURSE - RECIFE (Payment for ecosystem services / FERNANDO VEIGA)
 

Mais de Viviane Porto

AIES-AINES aula PDF.pdf
AIES-AINES aula PDF.pdfAIES-AINES aula PDF.pdf
AIES-AINES aula PDF.pdf
Viviane Porto
 
Antiinflamatórios AINES.pdf
Antiinflamatórios AINES.pdfAntiinflamatórios AINES.pdf
Antiinflamatórios AINES.pdf
Viviane Porto
 
Ge amb 2 sustentabilidade 11
Ge amb   2 sustentabilidade 11Ge amb   2 sustentabilidade 11
Ge amb 2 sustentabilidade 11
Viviane Porto
 
Crise ambiental 2012
Crise ambiental 2012Crise ambiental 2012
Crise ambiental 2012
Viviane Porto
 
Morte celular bio l
Morte celular bio lMorte celular bio l
Morte celular bio l
Viviane Porto
 
Cancer bio l
Cancer bio lCancer bio l
Cancer bio l
Viviane Porto
 
Apoptose monografia
Apoptose monografiaApoptose monografia
Apoptose monografia
Viviane Porto
 
Polissacarídeos da parede celular fúngica
Polissacarídeos da parede celular fúngicaPolissacarídeos da parede celular fúngica
Polissacarídeos da parede celular fúngica
Viviane Porto
 
Anatomia vegetal
Anatomia vegetalAnatomia vegetal
Anatomia vegetal
Viviane Porto
 
Aula4 epiderme
Aula4 epidermeAula4 epiderme
Aula4 epiderme
Viviane Porto
 

Mais de Viviane Porto (10)

AIES-AINES aula PDF.pdf
AIES-AINES aula PDF.pdfAIES-AINES aula PDF.pdf
AIES-AINES aula PDF.pdf
 
Antiinflamatórios AINES.pdf
Antiinflamatórios AINES.pdfAntiinflamatórios AINES.pdf
Antiinflamatórios AINES.pdf
 
Ge amb 2 sustentabilidade 11
Ge amb   2 sustentabilidade 11Ge amb   2 sustentabilidade 11
Ge amb 2 sustentabilidade 11
 
Crise ambiental 2012
Crise ambiental 2012Crise ambiental 2012
Crise ambiental 2012
 
Morte celular bio l
Morte celular bio lMorte celular bio l
Morte celular bio l
 
Cancer bio l
Cancer bio lCancer bio l
Cancer bio l
 
Apoptose monografia
Apoptose monografiaApoptose monografia
Apoptose monografia
 
Polissacarídeos da parede celular fúngica
Polissacarídeos da parede celular fúngicaPolissacarídeos da parede celular fúngica
Polissacarídeos da parede celular fúngica
 
Anatomia vegetal
Anatomia vegetalAnatomia vegetal
Anatomia vegetal
 
Aula4 epiderme
Aula4 epidermeAula4 epiderme
Aula4 epiderme
 

Último

Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 

Ge amb

  • 1. GESTÃO AMBIENTAL Contraponto à degradação Prof. Osvaldo Viégas Gestão Ambiental Março/2013
  • 2. DEGRADAÇÃO AMBIENTAL - APROPRIAÇÃO ATIVIDADES HUMANAS AGENTE DA DEGRADAÇÃO DEGRADAÇÃO CARACTERÍSTICAS DEGRADAÇÃO - 2º nível 1. INDÚSTRIAS 2. URBANIZAÇÃO 3. TRANSPORTE 4.AGROPECUÁRI A 5. EXTRAÇÃO MINERAL 6. PESCA e CAÇA 7. EXPLORAÇÃO MADEIREIRA 8. COLETA/FLORA 8. TURISMO 9. SERVIÇOS EXPLORAÇÃO EXCESSIVA DOS RECURSOS BIÓTICOS COMPROMETIMENTO DOS ESTOQUES (POPULAÇÕES) Retirada de indivíduos além da capacidade de suporte. P.ex.: sobrepesca EXTINÇÃO DE ESPÉCIES PERDA DA BIODIVERSIDADE DESMATAMENTOS, QUEIMADAS, DRENAGENS e ATERROS PARA EXPANSÃO DE ATIVIDADES INTRODUÇÃO DE ESPÉCIES EXÓTICAS TRÁFICO DE ESPÉCIES BARRAGENS (supressão de sedimentos; obstáculo à piracema) OUTRAS PRÁTICAS IMPACTANTES PERDA DA COBERTURA VEGETAL Degradação dos ecossis temas; destruição de habitats; aumento de T EROSÃO e ASSOREAMENTO Laminar, voçorocas, erosão de margens..... DEGRADAÇÃO DOS SOLOS Mecanização excessiva, uso abusivo de fertilizantes e agrotóxicos COMPROMETIMENTO DE: - Ciclo hidrológico - Ecossitemas – habitat, nicho, relações inter-específicas,... - Paisagem - Espécies e biodivers. DESERTIFICAÇÃO DEGRADAÇÃO DOS RECIFES DE CORAL Por exploração, pisoteio e ancoragem HOSPITALARES 10. GERAÇÃO DE ENERGIA 11. PESQUISA C&T SUPRESSÃO DE MANGUEZAIS, VÁRZEAS e CORPOS D’ÁGUA COMPROMETIMENTO DO CICLO NATURAL DAS ESPÉCIES COMPROMETIMENTO DA PAISAGEM - luminosidade e postura de tartarugas - deslocamento de espécies nativas Natalidade, mortalidade, fecundidade, morbidade, fertilidade
  • 3. DEGRADAÇÃO AMBIENTAL - DISPOSIÇÃO ATIVIDADES HUMANAS AGENTE DA DEGRADAÇÃO DEGRADAÇÃO CARACTERÍSTICAS DEGRADAÇÃO - 2º nível 1. INDÚSTRIAS 2. URBANIZAÇÃO 3. TRANSPORTE 4.AGROPECUÁRIA 5. EXTRAÇÃO MINERAL 6. PESCA 7. EXPLORAÇÃO MADEIREIRA 8. TURISMO 9. HOSPITAIS 10. GERAÇÃO DE ENERGIA 11. PESQUISA C&T EMISSÕES GASOSAS (fontes móveis ou fixas), E.L. e R.S. POLUIÇÃO DO AR CO2, C0, SOX, NOX, HC, O3 particulados, odores, temperatura..... EFLUENTES LÍQUIDOS (residenciais, industriais, chorume, água de lastro,.....) RESÍDUOS SÓLIDOS e E.G. (chuva ácida) POLUIÇÃO DAS ÁGUAS SUPERFI-CIAIS (rios, lagos,..) M.O., nutrientes, produtos tóxicos (metais pesados, agrotóxicos, clorados,...), materiais radioativos, calor ILHAS DE CALOR; BURACO DA CAMADA DE OZÔNIO; AQUECIMENTO GLOBAL; Efeitos na saúde e no patrimônio; Interferência na fecundidade, natalidade, morta-lidade e morbidade. Efeitos teratogênicos, carcinogênicos e mutagênicos POLUIÇÃO DOS AQÜÍFEROS POLUIÇÃO DO SOLO Produtos tóxicos RUÍDOS POLUIÇÃO SONORA Stress e perda de audição por animais EXCESSO DE PROPAGANDA (outdoors, carta-zes,.........) POLUIÇÃO VISUAL Deficiência no ordenamento do uso do espaço POLUIÇÃO DOS AQÜIFEROS
  • 4. Formas de degradação ambiental Comprometimento dos estoques  Perda da cobertura vegetal  Degradação dos solos (erosão,...desertif.)  Degradação dos recifes de coral  Supressão de manguezais, várzeas e corpos d´água  Comprometimento do ciclo natural das spp  Extinção das espécies  Perda da biodiversidade  Comprometimento da paisagem 
  • 5. Formas de degradação ambiental Poluição do ar  Poluição das águas superficiais (oceanos, mares, rios, lagos, lagoas, estuários)  Poluição dos aquíferos  Poluição do solo  Poluição sonora  Poluição visual  Buraco da camada de ozônio  Aquecimento global 
  • 6. O contraponto !!!!  No caso do “comprometimento dos estoques” é necessário:     Conhecer a dinâmica da população: números, natalidade, curva de crescimento,..... Definir o estoque máximo sustentável Tubarões no NE !! Estabelecer o plano de manejo sustentável Controlar a exploração: licenciamento, fiscalização e monitoramento do processo
  • 7. O contraponto !!!!  No caso da poluição hídrica:        Estabelecimento da qualidade do corpo receptor Estabelecimento dos padrões de emissão Licenciamento da fonte poluidora Localização de acordo com zoneamento Fiscalização da fonte poluidora Monitoramento do corpo receptor Avaliação de impacto ambiental, caso o projeto seja de grande envergadura
  • 8. No contraponto à degradação Estudos/diagnósticos ambientais  Sistemas de informações ambientais  Zoneamentos: PDs, ZEE, em UCs,...  Padrões de qualidade ambiental  Padrões de emissão  ..................  LEGISLAÇÃO AMBIENTAL  EDUCAÇÃO AMBIENTAL 
  • 9. No contraponto à degradação Licenciamento e Fiscalização  Monitoramento ambiental  Avaliação de impacto ambiental – AIA  ..................  LEGISLAÇÃO AMBIENTAL  EDUCAÇÃO AMBIENTAL 
  • 10. No contraponto à degradação Unidades de conservação  Manejo sustentável dos recursos renováveis  Manejo dos solos  Controle integrado de pragas  Gestão de Resíduos Sólidos  Gestão dos Recursos Hídricos  ..................  LEGISLAÇÃO AMBIENTAL  EDUCAÇÃO AMBIENTAL 
  • 11. No contraponto à degradação Certificação: ISO 14.000,.....  Análise de risco  Auditoria ambiental  Instrumentos econômicos:     Incentivos a P&D, subsídios,... Valoração ambiental Contabilização dos recursos naturais ..................  LEGISLAÇÃO AMBIENTAL  EDUCAÇÃO AMBIENTAL 
  • 12. No contraponto à degradação Eficiência energética  3 Rs – reduzir, reutilizar, reciclar  Controle da poluição  P+L – produção mais limpa  Logística reversa  MDL  ..................  LEGISLAÇÃO AMBIENTAL  EDUCAÇÃO AMBIENTAL 
  • 13. GESTÃO AMBIENTAL   Processo permanente de gestão da dinâmica de apropriação dos recursos ambientais e disposição de resíduos e efluentes , integrando um conjunto de atores sociais. Visa o desenvolvimento sustentável e faz uso de um, ou mais, instrumentos de gestão ambiental (Viégas, 1997) Processo de articulação das ações dos diferentes atores sociais que interagem em um dado espaço com vistas a garantir a adequação dos meios de exploração dos recursos ambientais ... às especificidades do meio ambiente, com base em princípios e diretrizes previamente acordados/definidos (Lana, 1995)
  • 14. Objetivos da Gestão Ambiental Reduzir o consumo de matériasprimas, água e energia, bem como a geração de resíduos  Garantir a sustentabilidade dos estoques florestais e pesqueiros  Assegurar a cobertura vegetal nas áreas de preservação permanente e reflorestar (revegetar) as áreas degradadas  Implantar sistemas de unidades de conservação e corredores ecológicos  Assegurar o manejo adequado do solo 
  • 15. Objetivos da Gestão Ambiental Preservar os recifes de corais  Assegurar o ciclo natural das espécies  Garantir a boa qualidade do ar  Garantir a boa qualidade das águas superficiais e subterrâneas e assegurar o seu uso sustentável  Conservar a biodiversidade  Conservar a estrutura e a dinâmica dos ecossistemas  Valorizar a paisagem 
  • 16. Objetivos da Gestão Ambiental Recuperar os passivos ambientais  Fechar os ciclos da matéria e otimizar a eficiência energética  Manter ou aumentar o capital natural (estoques e serviços ambientais)  Reduzir a geração e reutilizar e reciclar os resíduos  Tratar e dispor os resíduos de acordo com a melhor tecnologia e a capacidade de assimilação do meio ambiente  ................... 