SlideShare uma empresa Scribd logo
1
Resoluções
2a
série – Ensino Médio
Gramática
01. D
Como o verbo assistir, no contexto da tira, tem sentido
de ver ou presenciar algo, ele é regido pela preposição a,
logo, é transitivo indireto.
02. E
A oração “você parar com essas coisas” funciona como
sujeito do verbo ser, uma vez que “bem melhor” é pre-
dicativo do sujeito. Além disso, a oração é substantiva,
pois a função de sujeito normalmente tem como núcleo
um substantivo.
03. A
A locução mas também apresenta uma ideia de adição
em relação à oração anterior, o que justifica sua classifica-
ção como coordenada sindética aditiva.
04. E
As orações iniciadas pelo pronome relativo que – pro-
nome que, por excelência, introduz orações subordina-
das adjetivas – funcionam como adjetivo, pois caracteri-
zam cada uma das personagens do texto. Essas orações
são restritivas pelo fato de apresentarem informações
que particularizam cada uma das personagens, sendo
essenciais para a progressão do poema.
05. A
No poema, o pronome relativo que retoma cada uma das
personagens do texto, por isso funciona como sujeito do
verbo amar. Na última estrofe, funciona como sujeito da
locução tinha entrado.
Literatura
06. C
O trecho do romance de Jorge Amado reflete a temática
do coronelismo, pois descreve como era feita a política
no local retratado, em que se verifica a concentração do
poder nas mãos do coronel, que detinha influência sobre
os governantes e, portanto, sobre todas as decisões
tomadas.
07. B
O fluxo de consciência consiste em um relato contínuo,
que flui de acordo com a situação apresentada, sem pau-
sas ou intervalos que permitam ao leitor identificar clara-
mente a ordem dos acontecimentos. Esse recurso ocorre
no trecho, pois é como se o narrador acompanhasse
os pensamentos da personagem vivendo a situação de
queda dentro do bonde.
08. D
Para o eu lírico, a morte não era mais um medo, mas algo
que ele estava esperando acontecer a qualquer momento,
tanto que estava preparado para ela (Encontrará lavrado o
campo, a casa limpa, / A mesa posta, / Com cada coisa em
seu lugar.). Ele considera que sua vida foi boa, mas sabe
que o momento da morte vai chegar.
09. C
A efemeridade da vida é uma das temáticas mais recor-
rentes na obra de Cecília Meireles. No poema em ques-
tão, isso fica evidente quando o eu lírico faz uma autoava-
liação, percebendo que perdeu o movimento das mãos e
o sorriso do rosto, conforme o tempo foi passando.
10. D
“No meio do caminho” é um dos poemas mais impor-
tantes da obra de Drummond e um exemplo notável da
poesia modernista. O poema traz importantes caracterís-
ticas do Modernismo, como versos livres e vocabulário
coloquial, mas se destaca pelo uso da metáfora da pedra
para tecer uma crítica sutil ao fazer poético formal parna-
sianista.
Interpretação textual
11. D
O termo em destaque insere a ideia de condição, pois,
para receber sobremesa, Hagar precisa comer toda a
refeição, ou seja, outro acontecimento será determinante
para o objetivo da personagem.
12. B
Entende-se que “correr atrás do prejuízo” é uma expres-
são incoerente, uma vez que sua interpretação literal dá
a entender que o prejuízo é algo almejado, o que vai de
encontro ao objetivo de um time de futebol em um jogo,
que, ao estar em desvantagem, deve se empenhar em
virar o placar a seu favor.
13. A
As aspas conferidas ao verbo no título de matéria deno-
tam uma opinião do autor da notícia, a qual pode ser
interpretada como descrença a respeito do que o astro-
nauta quer provar. Assim, ele ironiza o fato, uma vez que
não acredita na veracidade da afirmação.
14. C
Em decorria, o pretérito imperfeito do indicativo aponta
uma ação do passado que estava em continuidade em
relação a outras ações, também do passado, ou ações
que não foram concluídas.
15. E
O conectivo apesar introduz uma ressalva para a boa
notícia, pois, se por um lado choveu acima da média no
estado, por outro, a situação como um todo ainda não é
confortável, pois os açudes ainda estão com uma capaci-
dade muito baixa.
16. D
O autor da charge coloca, ao lado de um jovem moderno,
que acha que sabe de tudo, a célebre frase de Sócrates,
que fundou o pensamento filosófico ocidental. Nessa
máxima, Sócrates se refere ao fato de que é impossível
saber tudo e que sempre haverá conhecimento a ser
estudado e adquirido, apesar de a atitude de alguns
internautas levar a crer que eles acreditam no contrário.
2 2a
série – Ensino Médio
Espanhol
20. B
O vocábulo bueno deve ser apocopado diante de subs-
tantivo masculino no singular, como no caso de buen
humor, obrigando o uso da apócope, que é buen. Já o
vocábulo grande somente pode ser apocopado quando
vier antes de um substantivo no singular, não importando
se este é masculino ou feminino.
21. C
De acordo com a notícia, a FIFA proibiu os torcedores de
levar instrumentos ruidosos para os estádios de futebol
no Mundial de 2018, na Rússia. Assim, Manolo não poderá
levar seu bombo aos jogos como costumava fazer.
22. B
De acordo com a notícia, o novo serviço ofertado pelo
Facebook consiste em notificar o usuário sempre que sua
imagem for usada na rede social, seja em vídeo ou foto, a
fim de evitar que desconhecidos a usem sem autorização.
23. B
O verbo de câmbio que preenche adequadamente a
lacuna é se puso (Lucía se puso súper malita…), pois se
trata de uma mudança de estado temporário, que pode
se reverter. Normalmente, é utilizado para cores, estado
mental ou de saúde que não seja permanente.
24. D
O verbo haber foi utilizado corretamente em sua forma
impessoal na sentença “Había muchas personas en paro
el año pasado”. Vale lembrar que o verbo haber impes-
soal se apresenta sempre na terceira pessoa do singular
em cada tempo verbal.
17. B
O gráfico demonstra a composição da população mais
pobre e da mais rica no Brasil. Considerando-se que
negros e pardos ocupam a maior parte da população
mais pobre, mas que, quando considerada a população
mais rica, os números se invertem, o gráfico pretende
mostrar a situação de desigualdade racial existente no
Brasil.
18. C
As reticências, em geral, indicam uma pausa longa no dis-
curso, como ocorre quando alguém está falando e inter-
rompe para retomar um tempo depois. Como o poema
conta uma pequena história sobre uma cidade em que
tudo vai devagar, essa pontuação também reforça a vaga-
reza com que os fatos acontecem.
19. E
A medicina é uma área não apenas do conhecimento,
mas também da vida de todas as pessoas, uma vez que
os seres humanos são amparados por ela desde o nasci-
mento até a morte. A cobra, que representa uma conexão
do mundo físico com o desconhecido, além de represen-
tar a sagacidade e a inteligência, se relaciona com a ideia
do ciclo de vida e morte, como expresso no texto.
Inglês
20. B
As relative clauses são utilizadas para oferecer mais infor-
mações sobre algo já mencionado, evitando a repeti-
ção de palavras. Nesse caso, o pronome relativo which
se refere às placas ósseas que cobriam o corpo do
Ankylosaurus (The bony plates, which were embedded
in their skin).
21. C
As question tags são sentenças no formato de pequenas
perguntas, utilizadas no final das frases para confirmar
informações. Na tira, Linus pergunta “are you?” com o
objetivo de confirmar que Lucy ainda não está satisfeita.
22. B
O termo em destaque na canção é o conectivo because,
que tem sentido de “porque”, sendo um conectivo
de causa.
23. B
A alternativa B está correta, pois, no contexto da frase na
qual está contido, o verbo identify pode assumir tanto a
forma no infinitivo quanto no gerúndio. Já o verbo capture
possui forma no gerúndio, mas no texto não pode assu-
mir essa forma, pois já há um verbo no gerúndio que o
precede (overlapping).
24. D
Os advérbios são utilizados para modificar verbos, adje-
tivos ou até mesmo outros advérbios. Eles podem estar
inseridos em diferentes locais em uma frase, dependendo
do seu tipo e do que estão modificando. Os advérbios
em destaque no texto (almost never, always e rarely) indi-
cam a frequência com que algo acontece ou irá aconte-
cer, por isso recebem essa denominação.
32a
série – Ensino Médio
Álgebra
25. B
Analisando o determinante, pode-se perceber que a
última coluna é igual à soma das outras três. Logo, o valor
do determinante é igual a zero.
26. E
Monta-se o sistema de acordo com as informações:
c m
c m
c m
c m
+ =
+ =



⇔
+ =
+ =



60
5 2 210
2 2 120
5 2 210
(I)
(II)
Fazendo (II) – (I), segue que:
5c – 2c = 210 – 120 ⇒ 3c = 90 ⇒ c = 30
27. E
( )! !
( )!( )!
n n
n n
−
− −
=
3
1 1
( )! ( )!
( ) ( ) ( )! ( )!
n n n
n n n n
− ⋅ ⋅ −
− ⋅ − ⋅ − −
=
3 1
1 2 3 1
n
n n( ) ( )− ⋅ −1 2
28. C
Considerando apenas os algarismos ímpares, o primeiro
dígito tem apenas as possibilidades 5, 7 e 9, pois os
números devem ser maiores que 500000. Logo, pelo Prin-
cípio Fundamental da Contagem, tem-se:
3 · 5 · 5 · 5 · 5 · 5 = 3 · 55
= 9375 possibilidades.
29. B
A5,4
+ A4,3
– A3,2
– A2,1
=
5
5 4
4
4 3
3
3 2
2
2 1
!
( )!
!
( )!
!
( )!
!
( )!−
+
−
−
−
−
−
=
5! + 4! – 3! – 2! = 120 + 24 – 6 – 2 = 136
30. E
Para contar as possibilidades de escolha do ranking, utili-
za-se a fórmula do arranjo simples:
A12 5
12
12 5
12
7
12 11 10 9 8 95040,
!
( )!
!
!
=
−
= = ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ =
31. D
A palavra CEREJA possui 6 letras, sendo duas delas a
letra E. Assim, calcula-se o número de permutações com
repetição:
P6
2 6
2
6 5 4 3 360= = ⋅ ⋅ ⋅ =
!
!
32. D
Considerando uma permutação circular de 6 elementos,
tem-se (6 – 1)! = 5! = 120 posições diferentes para os
jogadores.
33. B
Serão escolhidos 4 homens entre 6 e 5 mulheres entre 10.
Assim, calcula-se o produto das combinações:
C C6 4 10 5
6
4 2
10
5 5
, ,
!
! !
!
! !
⋅ = ⋅ =
6 5
2
10 9 8 7 6
5 4 3 2
3780
⋅
⋅
⋅ ⋅ ⋅ ⋅
⋅ ⋅ ⋅
=
34. A
Pela igualdade de números binomiais, tem-se:
10
1
10
2
10
8n+



 =



 =




n + 1 = 2 ⇒ n = 1
ou
n + 1 = 8 ⇒ n = 7
Logo, a soma dos valores de n que satisfazem a equação
é 1 + 7 = 8.
35. C
Para um dos dados, não importa o valor a ser obtido,
já que o outro apenas deve repetir o valor do primeiro.
Assim, tem-se:
6
6
1
6
1
6
⋅ =
36. A
Para garantir a retirada de ao menos uma bola de número
par, basta excluir a possibilidade de que as três bolas
sejam de número ímpar (evento complementar). A pro-
babilidade de retirada de três bolas de número ímpar é:
10
20
9
19
8
18
720
19 360
2
19
⋅ ⋅ =
⋅
=
Subtraindo essa probabilidade do total, tem-se:
P = − =1
2
19
17
19
Geometria
37. D
A medida  do lado de um triângulo equilátero inscrito em
uma circunferência de raio R é dada por  = R 3. Como
o raio da circunferência é R cm= 5 3 , então a medida do
lado da peça triangular inscrita é dada por:
 = = ⋅ =R cm3 5 3 3 15 .
38. C
O diâmetro do aquário mede 4 m, então o raio mede
2 m. Sendo a altura igual a 2 m, calcula-se a capacidade
máxima do aquário (volume do cilindro):
V = πr2
h = 3 · 22
· 2 = 24 m3
Como a recomendação é colocar, no máximo, 6 peixes
para cada metro cúbico de água, então a quantidade
máxima de peixes recomendada é 6 · 24 = 144.
39. B
Como a área da base do cilindro mede 9π m2
, a área da
base do cone também mede 9π m2
. Assim, o raio da base
do cone é dado por:
AB
= πr2
⇒ πr2
= 9π ⇒ r = 3 m
Como o cone é equilátero, a sua geratriz mede o dobro
do raio da base: g = 6 m.
Logo, a área lateral do cone é:
AL
= πrg ⇒ 3,14 · 3 · 6 = 56,52 m2
40. B
Para encontrar a área lateral, faz-se:
A
= π(R + r)g
A
= 3 · (7 + 5) · 16
A
= 3 · 12 · 16
4 2a
série – Ensino Médio
A
= 576 cm2
Como o balde de pipoca tem uma cavidade no lugar da
base maior, calcula-se apenas a área da base menor:
Ab
= πr2
Ab
= 3 · 25
Ab
= 75 cm2
Assim, somam-se as duas áreas para obter-se a área total:
AT
= A
+ Ab
AT
= 576 + 75
AT
= 651 cm2
41. C
A medida da aresta do cubo é 12 cm. Pela figura, obser-
va-se que o diâmetro de cada esfera é 4 cm (raio = 2 cm).
Calculando o volume de cada esfera, tem-se:
V r= = ⋅ =
4
3
4 2 323 3
π cm3
Assim, o volume do espaço vazio no recipiente corres-
ponde ao volume do cubo subtraído do volume das 27
esferas:
Vágua
= Vcubo
– 27 · Vesfera
= 123
– 27 · 32 =
1728 – 864 = 864 cm3
42. D
O volume da bola é 972π cm3
. A partir dessa informação,
calcula-se o raio da bola:
V rbola = =
4
3
9723
π π
r3
= 729
r = 9 cm
Como a bola está inscrita na embalagem cilíndrica, o raio
da base do cilindro é r = 9 cm, e sua altura é h = 18 cm.
Logo, a área total da embalagem é:
Aembalagem
= 2πr(h + r) = 486π = 1506,6 cm2
43. A
Observe que há quatro triângulos retângulos cujas hipo-
tenusas são os lados do quadrado ABCD, conforme mos-
tra a figura a seguir.
y
x
D(x, y)
4
4
4
4
3
3
3
3
A(1, 4)
C(8, 3)
B(4, 0)
Portanto, para encontrar a abscissa do ponto D, basta
somar 4 unidades à abscissa do ponto A, obtendo-se
x = 5. Para a ordenada, somam-se 3 unidades à ordenada
do ponto A, obtendo-se y = 7. Logo, D = (5, 7).
44. A
Como a largura da caixa é 0,5 cm, o diâmetro de cada
lápis é 0,5 cm. Logo, o raio do lápis é 0,25 cm =
1
4
cm.
Além disso, a altura de cada lápis é igual à altura da caixa
(16 cm). Assim, o volume do lápis é:
V r h= = ⋅



 ⋅ =π 2
2
3
3
1
4
16 3 cm
45. D
Como o diâmetro mede 20 cm, o raio do bolo é igual
a 10 cm. O ângulo α de cada cunha mede
360
20
°
= 18º,
em que 20 é o número de pedaços em que a esfera será
dividida. Portanto, o volume de cada fatia do bolo (cunha
esférica) é dado por:
V
R
V
V
cunha
cunha
cunha
=
=
⋅ ⋅
=
π α3
3
3
270
3 10 18
270
200
º
º
º
cm
46. B
A área da esfera é 4πR2
= 2500π cm2
, portanto, seu raio
é R = 25 cm. Como a distância entre o centro da esfera e
a seção é d = 7 cm, pelo Teorema de Pitágoras, tem-se:
R2
= d2
+ r2
⇒ 252
= 72
+ r2
⇒ r2
= 576
r = 24 cm
47. E
As coordenadas do baricentro são dadas por:
G
x x x y y yA B c A B c+ + + +



3 3
,
Portanto, G = (5, 4).
48. C
O coeficiente angular da reta s é m = tg 60 =º 3. Como
r é paralela à s, então o coeficiente angular de r também
é m = 3. Como o ponto (6, 8) pertence à reta r, ele deve
satisfazer a equação de r. Logo, pela equação fundamen-
tal da reta, tem-se:
y – y0
= m · (x – x0
)
y – 8 = 3 · (x – 6)
r y x: = − +3 6 3 8
52a
série – Ensino Médio
Biologia
49. E
O DNA viral está associado ao gene modificado e, ao se
incorporar ao DNA do menino, garante o funcionamento
correto das células. Os vírus utilizados na terapia gênica
são de DNA, uma vez que a molécula de RNA viral não
conseguiria se incorporar à molécula de DNA. O DNA
viral deverá se incorporar ao DNA nuclear do menino.
50. D
Algumas bactérias têm conseguido resistir a antibióticos
utilizados em infecções, o que está associado a mutações
aleatórias no seu material genético. Nesse caso, há uma
seleção em que as bactérias sensíveis são mortas pelos
antibióticos, mas as que resistem conseguem se multi-
plicar, podendo ocasionar graves problemas de saúde
pública. As mutações são eventos aleatórios que podem
ser induzidos por fatores ambientais, como radiação e
raios X, além de substâncias químicas, como o gás mos-
tarda, as substâncias colchicina e talidomida, e metais
pesados. No entanto, os antibióticos não apresentam
esse efeito. O processo adaptativo consiste na seleção
de características pré-existentes que garantem ao seu
portador maior sucesso evolutivo. A recombinação gené-
tica é um processo característico dos seres de reprodução
sexuada.
51. B
O sapo é um consumidor secundário. A cobra ocupa o
quarto nível trófico e é um consumidor terciário. As gra-
míneas são produtoras e ocupam o primeiro nível trófico.
O nível trófico da águia é o menos energético. Os fungos
são os decompositores de toda a matéria orgânica.
52. D
Os dois grupos de hormônios envolvidos no desenvolvi-
mento de frutos partenocárpicos são as auxinas e as gibe-
relinas. As auxinas relacionam-se ao crescimento vegetal,
dominância apical, tropismos, queda de folhas velhas,
formação de raízes e produção e desenvolvimento dos
frutos. As giberelinas estão associadas ao alongamento,
à divisão celular, à floração, ao desenvolvimento de folhas
e frutos e à germinação das sementes. Já as citocininas
agem no desenvolvimento das raízes e das gemas late-
rais e na prevenção do envelhecimento vegetal. O etileno
atua no amadurecimento dos frutos e na senescência das
folhas.
53. A
A relação de amensalismo é interespecífica desarmônica,
na qual uma espécie libera toxinas no ambiente que impe-
dem o desenvolvimento de outras espécies com nicho
ecológico semelhante. No comensalismo, tem-se uma
relação interespecífica harmônica, em que uma espécie
obtém alimento a partir de outra, sem prejudicá-la. O escla-
vagismo é uma relação em que um indivíduo se aproveita
das atividades, do trabalho ou de produtos produzidos
por outros indivíduos. O inquilinismo é uma relação inte-
respecífica harmônica, na qual uma espécie obtém abrigo
e proteção a partir de outra sem prejudicá-la. O mutua-
lismo consiste em uma relação interespecífica harmô-
nica em que ambas as espécies se beneficiam, havendo
dependência entre elas.
54. D
O mimetismo é um fenômeno adaptativo em que um
organismo se assemelha às cores e às formas de outro. A
protocooperação representa uma relação interespecífica
benéfica para as espécies envolvidas. A camuflagem é um
fenômeno adaptativo na qual os organismos apresentam
características que lhes permitem fundir-se ao ambiente,
podendo ser dividida em homotipia e homocromia. A
homotipia é a adaptação (cromática e estrutural) do orga-
nismo ao ambiente. A homocromia é a adaptação (cro-
mática) às cores e desenhos do ambiente.
55. A
A Caatinga é marcada por uma vegetação caducifólia. As
plantas caducas (caducifólias) perdem suas folhas quando
o ambiente apresenta condições adversas. Plantas haló-
fitas são típicas de regiões de mangue, sendo adaptadas
a ambientes com maior umidade e salinidade. Plantas
higrófitas são características de ambientes de grande
umidade. As plantas latifoliadas são comuns em regiões
com muita umidade e apresentam folhas largas e gran-
des. A vegetação perenifólia é caracterizada por mante-
rem suas folhas durante todo o ano.
56. E
A partir do processo de clonagem, são produzidas cópias
geneticamente iguais ao organismo original, denomi-
nadas clones. Os organismos híbridos são resultado do
cruzamento de organismos de espécies distintas. Um
organismo mutante é aquele que sofreu uma modificação
casual ou induzida em seu material genético. Por meio do
processo de seleção, seja natural ou artificial, os organis-
mos que apresentarem as características mais adequadas
à sobrevivência em determinado ambiente serão selecio-
nados, sendo esses considerados adaptados. Os organis-
mos transgênicos recebem genes de outras espécies em
seu DNA.
Química
57. B
O composto I apresenta um grupo —OH ligado a um anel
aromático, sendo, assim, um fenol. O composto II apre-
senta um grupo —OH ligado a um carbono alifático que
está ligado a um anel aromático, representando, assim,
um álcool. O terceiro composto possui um anel aromá-
tico e um carbono alifático, ambos ligados entre si por
um átomo de oxigênio, sendo classificado como um éter.
58. A
O composto I é um ácido carboxílico com seis átomos
de carbono na cadeia principal. Por regra, a contagem
ocorre a partir do grupo carboxila. Assim, há, no carbono
2, um grupo etila ligado, e, no carbono 4, há dois grupos
metila ligados. Sendo assim, seu nome correto é ácido
2-etil-4,4-dimetil-hexanóico. O composto II é um éster
com três átomos de carbono na cadeia carbônica princi-
pal. O grupo substituinte possui dois carbonos, portanto,
pela nomenclatura IUPAC, seu nome é propanoato de
etila.
59. C
O primeiro par (I) apresenta dois compostos de funções
orgânicas diferentes, um ácido carboxílico e um éster,
portanto, apresentam isomeria funcional. O segundo
par (II) apresenta dois compostos de mesma função
orgânica, éteres, que se diferenciam pela posição do
átomo de oxigênio na cadeia, portanto, são metâmeros.
6 2a
série – Ensino Médio
O terceiro par (III) apresenta dois compostos de mesma
função orgânica, alcenos, que se diferenciam pela posi-
ção da ligação dupla entre eles, portanto, são isômeros
de posição.
60. D
Na reação I, o alceno adiciona haleto de hidrogênio (HBr),
resultando em um produto com ligações simples, com a
adição de um átomo de bromo e um átomo de hidro-
gênio, e não dois átomos de bromo. A reação II é uma
hidrogenação catalítica de um alcino, resultando em um
alcano de cadeia aberta como produto, e não um alceno
ou um alcano de cadeia fechada.
61. A
Para se calcular a entalpia de reação basta somar a ental-
pia de reação das três equações dadas, pois a junção des-
sas três reações equivale termodinamicamente à reação
da conversão da hidroquinona em quinona apresentada.
Assim:
C6
H4
(OH)2(aq)
→ C6
H4
O2(aq)
+ H g2( )
H2
O2(aq)
→ H2
O()
+
1
2
2( )O g
H g2( ) +
1
2
2O g( ) → H2
O()
Assim:
∆H = –286 + (–177) + (–94,6)
∆H = –557,6 kJ
62. D
A energia de ativação da reação com catalisador cor-
responde ao valor de 72 kJ, e sem catalisador, a 111 kJ.
Portanto, a diferença entre as duas energias pode ser cal-
culada:
111 – 72 = 39 kJ
63. B
De acordo com o enunciado, sabe-se que o número de
hidrogênios ionizáveis é 1 (ácido monoprótico), que a
concentração da solução é 0,5 mol/L e que o grau de ioni-
zação é de 0,69%. Assim, elencando os dados:
x = 1
M = 0,5 mol/L
α = 0,69% = 0,0069
Pela fórmula, calcula-se a concentração de íons H+
:
[H+
] = x · M · α
[H+
] = 1 · 0,5 · 0,0069
[H+
] = 3,45 · 10–3
mol/L
Sabe-se que o pH = –log[H+
], assim, pode-se calcular:
pH = –log[H+
]
pH = –log[3,45 · 10–3
] = –[log 3,45 + log 10–3
]
pH = –0,54 + 3 = 2,46
64. C
O valor de Kps
pode ser calculado da seguinte forma:
Kps
= [Ba2+
] · [CO3
2−
]
Kps
= [5 · 10–5
] · [5 · 10–5
]
Kps
= 2,5 · 10–9
Física
65. D
O movimento de um pêndulo depende exclusivamente
do seu comprimento e da aceleração da gravidade.
Dessa forma, o fator capaz de alterar o funcionamento de
um relógio desse tipo é a dilatação (ou contração) cau-
sada pela variação da temperatura.
66. B
As qualidades fisiológicas do som são intensidade sonora,
altura e timbre. Assim, sons fortes ou fracos referem-se à
qualidade intensidade sonora, também relacionada ao
nível sonoro. Já os sons graves ou agudos estão relacio-
nados à qualidade altura, determinada pela grandeza fre-
quência sonora.
67. B
A resistência equivalente, nesse caso, será de Req
= 2 Ω.
Assim, para que exista uma corrente de 3 A, a bateria
deve ter uma d.d.p. de 6 V.
V R i V V= ⋅ ⇒ = ⋅ ⇒ =2 3 6 V
Outra possibilidade é considerar que a corrente, ao
chegar ao nó, é igualmente dividida entre os resistores
de 4 Ω, e isso ocorre somente porque ambos são iguais.
Assim, tem-se a tensão em cada um dos resistores:
V R i V V= ⋅ ⇒ = ⋅ ⇒ =4 1 5 6, V
68. B
Ondas com a mesma frequência propagando-se no
mesmo meio (o ar) apresentam comprimentos de onda
semelhantes. Assim, é possível que, em determinadas cir-
cunstâncias, ocorra interferência entre elas, o que causa
um mau funcionamento dos aparelhos que operam tec-
nologias sem fio.
69. E
A carga armazenada no power bank será dada por:
4000 · 3600 · 10–3
= 14400 C
De acordo com a equação da carga do capacitor, tem-se:
Q = CV
Assim, para uma diferença de potencial de 5 V, a capaci-
tância do capacitor deve ser:
14400
5
2880= F
70. D
A velocidade de propagação de uma onda depende
exclusivamente do meio no qual ela se propaga. Dessa
forma, não pode haver alteração na velocidade das ondas
no caso demonstrado na questão. Como ocorreu um
aumento na frequência da queda dos pingos de água, há
uma diminuição do comprimento de onda, o que ficará
evidente pela aproximação das frentes de ondas.
72a
série – Ensino Médio
71. C
A única lente capaz de formar uma imagem maior que o
objeto é a convergente. Para isso, o objeto deve ser posi-
cionado entre o vértice e o foco da lente, como mostrado
no esquema a seguir.
Lupa
Objeto
F
F'
Imagem
72. E
Segundo o texto, o multímetro incorpora as funções do
voltímetro, que é o instrumento utilizado para realizar a
medida de diferença de potencial. Também possui fun-
ção de amperímetro, que é o instrumento utilizado para
medir corrente elétrica. O ohmímetro, por sua vez, é utili-
zado na medição de resistência elétrica.
8 2a
série – Ensino Médio
História
73. B
Na imagem da revista, os dois coronéis ao lado da cadeira
da presidência representam a alternância de poder entre
representantes das cidades de São Paulo e Minas Gerais,
prática que ficou conhecida como política do café com
leite, ocorrida entre os anos de 1889 e 1930, no Brasil.
74. A
O Brasil, que era um país dependente da produção
agrícola e importador dos demais produtos, no período
apresentado, deveria gradativamente substituir as impor-
tações por produções nacionais. O Governo Provisório,
regido por Vargas, marcou o início da industrialização
brasileira, sendo caracterizado sobretudo pelo estabele-
cimento das indústrias de base e pela substituição das
importações.
75. C
O Dia D é um marco histórico da Segunda Guerra Mundial
por ter possibilitado o fim do conflito com o ataque naval
na ocupação do território francês pelas tropas americanas
e inglesas, por meio do Canal da Mancha e a ocupação
de posições alemãs, ficando conhecido como Batalha da
Normandia.
76. E
Durante os decênios de 1940 e 1950, surgiu um novo fenô-
meno político em parte dos países latino-americanos. O
populismo, fenômeno também percebido no Brasil, tem
como características principais a ligação com o processo
de industrialização e urbanização desses países, assim
como a intenção de atender às demandas das classes ope-
rárias que desejavam maior atenção por parte dos gover-
nantes. Assim, o populismo aglutinava esses dois anseios,
além de sempre ter à frente um governante carismático
que conquistava o povo por meio de discursos e atos.
77. E
Com o golpe de abril de 1964, instaurou-se um novo
momento na história brasileira, caracterizado pela ação
militar, mudança de ideal político com a ausência de
democracia, cancelamento de direitos constitucionais,
censura, perseguição e repressão aos que eram contra o
governo militar. Apesar de todas essas características, o
governo era legitimado por setores da sociedade civil de
caráter conservador.
78. B
Durante a Primeira República, ocorreu uma espécie
de sistema político informal, a chamada política dos
governadores, executada pelo então presidente Campos
Sales. Essa prática baseava-se no jogo de trocas de favo-
res entre o chefe do Executivo nacional e os chefes esta-
duais, consistindo, primordialmente, na não interferência
mútua nas decisões do presidente e dos governadores
e no apoio destes em relação aos projetos de Campos
Sales.
79. B
A Conferência de Berlim foi uma reunião entre as princi-
pais potências mundiais da época (final do século XIX), as
quais visavam à partilha do continente africano. Embora
tenha logrado êxito em seu intento, essa divisão acabou
acirrando as divergências já existentes entre as nações
participantes, sobretudo entre Alemanha, França, Ingla-
terra e Rússia, culminando na Primeira Guerra Mundial.
80. B
Uma das principais características dos regimes totalitários
é a utilização, com muita propriedade, da oratória, para,
além de exaltar e tornar positivas as ações governamen-
tais, alienar a população para que esta esteja alinhada
ideologicamente ao comando central.
81. A
Após o fim das batalhas ocorridas na Segunda Guerra
Mundial, o mundo experimentou o início de uma ordem
bipolarizada, marcada pela tomada de frente de uma das
nações que teve pouco prejuízo nos embates da Grande
Guerra (Estados Unidos, capitalista) e da União Sovié-
tica (socialista), a qual viria a se fortalecer rapidamente,
mesmo tendo atuado intensivamente nos combates.
Isso era o embrião do que mais tarde seria chamado de
Guerra Fria.
Geografia
82. C
Os domínios morfoclimáticos são ambientes naturais
definidos com base em suas características climáticas,
geomorfológicas, pedológicas, hidrológicas e fitogeo-
gráficas. Os domínios no Brasil são: Amazônia, Caatinga,
Cerrado, Mares e Morros, Araucárias e áreas de transição.
Cada domínio possui uma paisagem natural caracteri-
zada pela atuação específica dos elementos naturais. No
domínio da Caatinga, quanto aos aspectos topográfico e
climático, estão presentes na imagem da questão áreas
de depressões e clima semiárido.
83. E
A origem do desmatamento no Brasil ocorreu com a
exploração comercial de recursos da Mata Atlântica,
como o pau-brasil, após 1530, e a implantação da ativi-
dade canavieira, também na região da Mata Atlântica.
Atualmente, as áreas preservadas dessa vegetação cor-
respondem a apenas 7% do total original.
84. A
No Período Colonial, destacaram-se três movimentos
expansionistas: a expansão oficial, a expansão da pecuá-
ria e, principalmente, a expansão bandeirante. O expan-
sionismo dos bandeirantes não foi oficial, e seus princi-
pais objetivos eram procurar metais preciosos e escravizar
indígenas. Esse movimento se consolidou no século XVII
e contribuiu significativamente para a expansão do domí-
nio português no Brasil.
85. D
Após a criação do Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística (IBGE) em 1930, iniciou-se a preparação de
uma regionalização oficial do território brasileiro, con-
siderando os critérios físicos e socioeconômicos, sendo
esta divulgada em 1940. Com o passar do tempo, essa
regionalização sofreu várias mudanças decorrentes de
momentos políticos distintos. As últimas mudanças ocor-
reram principalmente após a Constituição Federal de
1988, a qual criou o estado de Tocantins, transformou os
territórios de Roraima e Amapá em estados e incorpo-
rou o arquipélago de Fernando de Noronha ao estado de
Pernambuco.
86. B
Na regionalização proposta pelo geógrafo Pedro Pinchas,
o território brasileiro foi dividido em três macrorregiões
sob os critérios econômicos, históricos e geográficos. Na
sua configuração, é possível notar que os limites das
92a
série – Ensino Médio
regiões desconsideram a delimitação político-adminis-
trativa da regionalização oficial do IBGE, pois considera
que, nos critérios estabelecidos, um estado pode possuir
características de mais de uma região.
87. A
A partir dos anos de 1970, é iniciado o processo de des-
centralização industrial brasileira, que se intensifica na
década de 1990. Essa descentralização expandiu a indús-
tria para outras regiões, sobretudo, para as regiões Sul e
Nordeste. Os motivadores foram o incentivo fiscal, a mão
de obra barata, a matéria-prima disponível, a posição
geográfica, as políticas públicas de desenvolvimento etc.
No entanto, ocorreu um processo diferenciado em cada
região para instalação industrial, mas, de forma geral,
esses processos tiveram como motivadores o incentivo
fiscal e a mão de obra abundante e barata para a Região
Nordeste, conforme destacado no texto de referência.
88. C
Há vários tipos de atividades no meio rural, dentre elas
a agricultura familiar, que é realizada pelo próprio agri-
cultor com o apoio do trabalho familiar em pequenas e
médias propriedades e é responsável pela produção de
70% dos alimentos consumidos pela população brasileira.
89. C
OrompimentodabarragemdaSamarcoemMariana(MG),
em 2015, cobriu uma vasta área com dejetos de minério
de ferro, incluindo vários rios que compõem a Bacia do
Rio Doce. As consequências dessa tragédia ambiental
e social são imensuráveis, pois atingiu os rios, a vege-
tação, o solo, a agricultura, a moradia da população, o
abastecimento de água etc. Nos rios, foram despejados
milhões de metros cúbicos de dejetos, assoreando-os,
prejudicando o abastecimento de água e desabrigando
a população.
90. B
O crescimento da capacidade eólica no país decorre da
instalação de parques eólicos, sobretudo no litoral da
Região Nordeste, onde há ocorrência de intenso regime
de ventos durante um longo período do ano. Como é
possível perceber no gráfico, os estados do Rio Grande
do Norte, Bahia e Ceará possuem a maior capacidade de
geração de energia eólica no Brasil. Atualmente, a gera-
ção a partir da fonte eólica já é suficiente para abastecer
cerca de 22 milhões de casas por mês no país, segundo a
Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica).
Filosofia/Sociologia
91. D
A ideia da democracia racial é um mito que foi suplan-
tado por diferentes correntes de pensadores, o qual se
baseava na ideia de que, por haver uma heterogeneidade
na formação do povo brasileiro, as pessoas não teriam
um caráter ancestral puro devido às inúmeras ligações
entre as diferentes “raças” (outro conceito que também
caiu em desuso).
92. C
A partir da tirinha é possível perceber o estranhamento
de uma das personagens em relação aos conceitos for-
necidos pela outra, uma analogia possível para o que se
conhece por etnocentrismo, ou seja, a crença de que a
cultura de determinado local é superior à de outros.
93. A
Ao discorrer sobre a integração de várias esferas sociais
que se conectam e interagem, o texto alude ao processo
de globalização. Por sua vez, a multiplicidade de informa-
ções e realidades, bem como a explicação destas, se rela-
cionam à pós-modernidade, que emerge desse cenário,
quebrando o pensamento de que há um padrão e uma
equidade por conta da aproximação gerada pela globa-
lização.
94. B
Uma das principais causas negativas decorrentes da
expansão da comunicação é a questão das notícias falsas,
ou fake news, tendo em vista a quantidade e a velocidade
com que as informações se espalham e a ocorrência, mui-
tas vezes, de uma propagação de ideais sem a reflexão e
o aprofundamento necessário para garantir a veracidade
das informações.
95. A
O conceito de beleza de uma forma geral é baseado no
ideário dos gregos antigos, tendo as formas simétricas
relação direta com o que poderia ou não ser considerado
belo. Platão, Aristóteles e Sócrates possuíam elucubra-
ções acerca do tema, definindo-o de maneiras específicas
em seus pensamentos.
96. C
Foucault foi um intelectual que produziu vasta obra sobre
diferentes temas, entre eles, o poder. Mas de acordo com
sua visão, o poder é algo inexistente, não podendo ser
apreendido, conquistado, tomado ou conseguido, pois
há apenas relações de poder.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lista 01- 8º Série (Transformação de Unidades)
Lista 01- 8º Série (Transformação de Unidades)Lista 01- 8º Série (Transformação de Unidades)
Lista 01- 8º Série (Transformação de Unidades)
Joaquim Cecei
 
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoGabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Edson Marcos Silva
 
Atividade Sociologia
Atividade Sociologia Atividade Sociologia
Atividade Sociologia
Maira Conde
 
100 EXERCÍCIOS DE REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL
100 EXERCÍCIOS DE REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL100 EXERCÍCIOS DE REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL
100 EXERCÍCIOS DE REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL
maria edineuma marreira
 
ATIVIDADE - INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção
ATIVIDADE - INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe AssunçãoATIVIDADE - INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção
ATIVIDADE - INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
8 ano - Exercícios - Ângulos
8 ano - Exercícios - Ângulos8 ano - Exercícios - Ângulos
8 ano - Exercícios - Ângulos
Andréia Rodrigues
 
ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé Assunção
ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé AssunçãoATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé Assunção
ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Atividades feudalismo na idade média
Atividades   feudalismo na idade médiaAtividades   feudalismo na idade média
Atividades feudalismo na idade média
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
Prova filosofia 1º ano /  I bimestreProva filosofia 1º ano /  I bimestre
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
Mary Alvarenga
 
ATIVIDADE 8° ANO REVOLTAS COLONIAIS.docx
ATIVIDADE 8° ANO REVOLTAS COLONIAIS.docxATIVIDADE 8° ANO REVOLTAS COLONIAIS.docx
ATIVIDADE 8° ANO REVOLTAS COLONIAIS.docx
Aparecida Maia
 
Números inteiros diversos exercícios 2 2014 gabarito
Números inteiros   diversos exercícios 2 2014 gabaritoNúmeros inteiros   diversos exercícios 2 2014 gabarito
Números inteiros diversos exercícios 2 2014 gabarito
CIEP 456 - E.M. Milcah de Sousa
 
Cultura e práticas culturais
Cultura e práticas culturaisCultura e práticas culturais
Cultura e práticas culturais
Márcio Borges Moreira
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
Prof. Noe Assunção
 
AVALIAÇÃO SOBRE O CONCEITO DE MITO - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO SOBRE O CONCEITO DE MITO - Prof. Noe AssunçãoAVALIAÇÃO SOBRE O CONCEITO DE MITO - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO SOBRE O CONCEITO DE MITO - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Provas anteriores ( de 2008 a 2012) IFCE - Integrado
Provas anteriores ( de 2008 a 2012) IFCE - IntegradoProvas anteriores ( de 2008 a 2012) IFCE - Integrado
Provas anteriores ( de 2008 a 2012) IFCE - Integrado
Eliasdelimaneto Educação
 
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - ObjetivaQuestões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Darlan Campos
 
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Lista de Exercícios – Juros Simples
Lista de Exercícios – Juros Simples Lista de Exercícios – Juros Simples
Lista de Exercícios – Juros Simples
Everton Moraes
 
atividades sobre a Primeira Guerra Mundial
atividades sobre a Primeira Guerra Mundialatividades sobre a Primeira Guerra Mundial
atividades sobre a Primeira Guerra Mundial
Jean Carlos Nunes Paixão
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
Prof. Noe Assunção
 

Mais procurados (20)

Lista 01- 8º Série (Transformação de Unidades)
Lista 01- 8º Série (Transformação de Unidades)Lista 01- 8º Série (Transformação de Unidades)
Lista 01- 8º Série (Transformação de Unidades)
 
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoGabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
 
Atividade Sociologia
Atividade Sociologia Atividade Sociologia
Atividade Sociologia
 
100 EXERCÍCIOS DE REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL
100 EXERCÍCIOS DE REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL100 EXERCÍCIOS DE REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL
100 EXERCÍCIOS DE REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL
 
ATIVIDADE - INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção
ATIVIDADE - INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe AssunçãoATIVIDADE - INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção
ATIVIDADE - INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção
 
8 ano - Exercícios - Ângulos
8 ano - Exercícios - Ângulos8 ano - Exercícios - Ângulos
8 ano - Exercícios - Ângulos
 
ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé Assunção
ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé AssunçãoATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé Assunção
ATIVIDADE - VIOLÊNCIA DOMÉSTICA - Prof. Noé Assunção
 
Atividades feudalismo na idade média
Atividades   feudalismo na idade médiaAtividades   feudalismo na idade média
Atividades feudalismo na idade média
 
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
Prova filosofia 1º ano /  I bimestreProva filosofia 1º ano /  I bimestre
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
 
ATIVIDADE 8° ANO REVOLTAS COLONIAIS.docx
ATIVIDADE 8° ANO REVOLTAS COLONIAIS.docxATIVIDADE 8° ANO REVOLTAS COLONIAIS.docx
ATIVIDADE 8° ANO REVOLTAS COLONIAIS.docx
 
Números inteiros diversos exercícios 2 2014 gabarito
Números inteiros   diversos exercícios 2 2014 gabaritoNúmeros inteiros   diversos exercícios 2 2014 gabarito
Números inteiros diversos exercícios 2 2014 gabarito
 
Cultura e práticas culturais
Cultura e práticas culturaisCultura e práticas culturais
Cultura e práticas culturais
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
 
AVALIAÇÃO SOBRE O CONCEITO DE MITO - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO SOBRE O CONCEITO DE MITO - Prof. Noe AssunçãoAVALIAÇÃO SOBRE O CONCEITO DE MITO - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO SOBRE O CONCEITO DE MITO - Prof. Noe Assunção
 
Provas anteriores ( de 2008 a 2012) IFCE - Integrado
Provas anteriores ( de 2008 a 2012) IFCE - IntegradoProvas anteriores ( de 2008 a 2012) IFCE - Integrado
Provas anteriores ( de 2008 a 2012) IFCE - Integrado
 
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - ObjetivaQuestões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Filosofia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
 
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
Lista de Exercícios – Juros Simples
Lista de Exercícios – Juros Simples Lista de Exercícios – Juros Simples
Lista de Exercícios – Juros Simples
 
atividades sobre a Primeira Guerra Mundial
atividades sobre a Primeira Guerra Mundialatividades sobre a Primeira Guerra Mundial
atividades sobre a Primeira Guerra Mundial
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
 

Semelhante a Gabarito SAS 2018 da 2a Série - Colégio Universitário de Londrina

conjunes-150628200339-lva1-app6891.pptx
conjunes-150628200339-lva1-app6891.pptxconjunes-150628200339-lva1-app6891.pptx
conjunes-150628200339-lva1-app6891.pptx
Geimisoncosta1
 
Valor morfológico da palavra e sintaxe
Valor morfológico da palavra e sintaxeValor morfológico da palavra e sintaxe
Valor morfológico da palavra e sintaxe
Lucas Paixão
 
1ª série - LP 26.pptx
1ª série - LP 26.pptx1ª série - LP 26.pptx
1ª série - LP 26.pptx
GoisTec
 
Gabarito SAS 2018 do 9o Ano - Colégio Universitário de Londrina
Gabarito SAS 2018 do 9o Ano - Colégio Universitário de LondrinaGabarito SAS 2018 do 9o Ano - Colégio Universitário de Londrina
Gabarito SAS 2018 do 9o Ano - Colégio Universitário de Londrina
wsiegalliano
 
Aula 10 sintaxe de regência
Aula 10   sintaxe de regênciaAula 10   sintaxe de regência
Aula 10 sintaxe de regência
Jonatas Carlos
 
leonardoportal-caderno-do-fututo-ano7 (3).pdf
leonardoportal-caderno-do-fututo-ano7 (3).pdfleonardoportal-caderno-do-fututo-ano7 (3).pdf
leonardoportal-caderno-do-fututo-ano7 (3).pdf
ValdireneSilveira6
 
Exercícios sobre pronomes 2
Exercícios sobre pronomes 2Exercícios sobre pronomes 2
Exercícios sobre pronomes 2
ma.no.el.ne.ves
 
Pontuação
PontuaçãoPontuação
Pontuação
Thiago Jose Gueiros
 
1º gramática
1º gramática1º gramática
1º gramática
newtonbonfim
 
Aula 8 preposição e conjunção
Aula 8   preposição e conjunçãoAula 8   preposição e conjunção
Aula 8 preposição e conjunção
J M
 
Hora da Verdade TJ SP capital 17.05. Alunos.pdf
Hora da Verdade TJ SP capital 17.05. Alunos.pdfHora da Verdade TJ SP capital 17.05. Alunos.pdf
Hora da Verdade TJ SP capital 17.05. Alunos.pdf
Manuela Alves
 
Aula 01 portugu  ¦ês - aula 01
Aula 01   portugu  ¦ês - aula 01Aula 01   portugu  ¦ês - aula 01
Aula 01 portugu  ¦ês - aula 01
Rafael Camilo
 
Lista 05 - lingua portuguesa - mat e vesp pronta daniela fran a
Lista 05    - lingua portuguesa - mat e vesp pronta daniela fran aLista 05    - lingua portuguesa - mat e vesp pronta daniela fran a
Lista 05 - lingua portuguesa - mat e vesp pronta daniela fran a
Breno Lacerda
 
Advérbios PPT.ppt
Advérbios PPT.pptAdvérbios PPT.ppt
Advérbios PPT.ppt
SANDRACARVALHODOSSAN
 
Xiv questoes comentadas do cespe - so concordancia
Xiv   questoes comentadas do cespe - so concordanciaXiv   questoes comentadas do cespe - so concordancia
Xiv questoes comentadas do cespe - so concordancia
Isabelly Sarmento
 
Rta aula 6 - 2010
Rta   aula 6 - 2010Rta   aula 6 - 2010
Rta aula 6 - 2010
LeYa
 
Gramática aula 14 - concordância nominal i
Gramática   aula 14 - concordância nominal iGramática   aula 14 - concordância nominal i
Gramática aula 14 - concordância nominal i
mfmpafatima
 
1º SIMULADO LINGUA PORTUGUESA - COM GABARITO.pdf
1º SIMULADO LINGUA PORTUGUESA - COM GABARITO.pdf1º SIMULADO LINGUA PORTUGUESA - COM GABARITO.pdf
1º SIMULADO LINGUA PORTUGUESA - COM GABARITO.pdf
FranciscoGaleno3
 
3º ano cap 1 hexa respostas
3º ano cap 1 hexa respostas3º ano cap 1 hexa respostas
3º ano cap 1 hexa respostas
Fátima Lima
 
Coerencia e coesão
Coerencia e coesãoCoerencia e coesão
Coerencia e coesão
Rosana Mayer
 

Semelhante a Gabarito SAS 2018 da 2a Série - Colégio Universitário de Londrina (20)

conjunes-150628200339-lva1-app6891.pptx
conjunes-150628200339-lva1-app6891.pptxconjunes-150628200339-lva1-app6891.pptx
conjunes-150628200339-lva1-app6891.pptx
 
Valor morfológico da palavra e sintaxe
Valor morfológico da palavra e sintaxeValor morfológico da palavra e sintaxe
Valor morfológico da palavra e sintaxe
 
1ª série - LP 26.pptx
1ª série - LP 26.pptx1ª série - LP 26.pptx
1ª série - LP 26.pptx
 
Gabarito SAS 2018 do 9o Ano - Colégio Universitário de Londrina
Gabarito SAS 2018 do 9o Ano - Colégio Universitário de LondrinaGabarito SAS 2018 do 9o Ano - Colégio Universitário de Londrina
Gabarito SAS 2018 do 9o Ano - Colégio Universitário de Londrina
 
Aula 10 sintaxe de regência
Aula 10   sintaxe de regênciaAula 10   sintaxe de regência
Aula 10 sintaxe de regência
 
leonardoportal-caderno-do-fututo-ano7 (3).pdf
leonardoportal-caderno-do-fututo-ano7 (3).pdfleonardoportal-caderno-do-fututo-ano7 (3).pdf
leonardoportal-caderno-do-fututo-ano7 (3).pdf
 
Exercícios sobre pronomes 2
Exercícios sobre pronomes 2Exercícios sobre pronomes 2
Exercícios sobre pronomes 2
 
Pontuação
PontuaçãoPontuação
Pontuação
 
1º gramática
1º gramática1º gramática
1º gramática
 
Aula 8 preposição e conjunção
Aula 8   preposição e conjunçãoAula 8   preposição e conjunção
Aula 8 preposição e conjunção
 
Hora da Verdade TJ SP capital 17.05. Alunos.pdf
Hora da Verdade TJ SP capital 17.05. Alunos.pdfHora da Verdade TJ SP capital 17.05. Alunos.pdf
Hora da Verdade TJ SP capital 17.05. Alunos.pdf
 
Aula 01 portugu  ¦ês - aula 01
Aula 01   portugu  ¦ês - aula 01Aula 01   portugu  ¦ês - aula 01
Aula 01 portugu  ¦ês - aula 01
 
Lista 05 - lingua portuguesa - mat e vesp pronta daniela fran a
Lista 05    - lingua portuguesa - mat e vesp pronta daniela fran aLista 05    - lingua portuguesa - mat e vesp pronta daniela fran a
Lista 05 - lingua portuguesa - mat e vesp pronta daniela fran a
 
Advérbios PPT.ppt
Advérbios PPT.pptAdvérbios PPT.ppt
Advérbios PPT.ppt
 
Xiv questoes comentadas do cespe - so concordancia
Xiv   questoes comentadas do cespe - so concordanciaXiv   questoes comentadas do cespe - so concordancia
Xiv questoes comentadas do cespe - so concordancia
 
Rta aula 6 - 2010
Rta   aula 6 - 2010Rta   aula 6 - 2010
Rta aula 6 - 2010
 
Gramática aula 14 - concordância nominal i
Gramática   aula 14 - concordância nominal iGramática   aula 14 - concordância nominal i
Gramática aula 14 - concordância nominal i
 
1º SIMULADO LINGUA PORTUGUESA - COM GABARITO.pdf
1º SIMULADO LINGUA PORTUGUESA - COM GABARITO.pdf1º SIMULADO LINGUA PORTUGUESA - COM GABARITO.pdf
1º SIMULADO LINGUA PORTUGUESA - COM GABARITO.pdf
 
3º ano cap 1 hexa respostas
3º ano cap 1 hexa respostas3º ano cap 1 hexa respostas
3º ano cap 1 hexa respostas
 
Coerencia e coesão
Coerencia e coesãoCoerencia e coesão
Coerencia e coesão
 

Último

TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 

Último (20)

TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 

Gabarito SAS 2018 da 2a Série - Colégio Universitário de Londrina

  • 1. 1 Resoluções 2a série – Ensino Médio Gramática 01. D Como o verbo assistir, no contexto da tira, tem sentido de ver ou presenciar algo, ele é regido pela preposição a, logo, é transitivo indireto. 02. E A oração “você parar com essas coisas” funciona como sujeito do verbo ser, uma vez que “bem melhor” é pre- dicativo do sujeito. Além disso, a oração é substantiva, pois a função de sujeito normalmente tem como núcleo um substantivo. 03. A A locução mas também apresenta uma ideia de adição em relação à oração anterior, o que justifica sua classifica- ção como coordenada sindética aditiva. 04. E As orações iniciadas pelo pronome relativo que – pro- nome que, por excelência, introduz orações subordina- das adjetivas – funcionam como adjetivo, pois caracteri- zam cada uma das personagens do texto. Essas orações são restritivas pelo fato de apresentarem informações que particularizam cada uma das personagens, sendo essenciais para a progressão do poema. 05. A No poema, o pronome relativo que retoma cada uma das personagens do texto, por isso funciona como sujeito do verbo amar. Na última estrofe, funciona como sujeito da locução tinha entrado. Literatura 06. C O trecho do romance de Jorge Amado reflete a temática do coronelismo, pois descreve como era feita a política no local retratado, em que se verifica a concentração do poder nas mãos do coronel, que detinha influência sobre os governantes e, portanto, sobre todas as decisões tomadas. 07. B O fluxo de consciência consiste em um relato contínuo, que flui de acordo com a situação apresentada, sem pau- sas ou intervalos que permitam ao leitor identificar clara- mente a ordem dos acontecimentos. Esse recurso ocorre no trecho, pois é como se o narrador acompanhasse os pensamentos da personagem vivendo a situação de queda dentro do bonde. 08. D Para o eu lírico, a morte não era mais um medo, mas algo que ele estava esperando acontecer a qualquer momento, tanto que estava preparado para ela (Encontrará lavrado o campo, a casa limpa, / A mesa posta, / Com cada coisa em seu lugar.). Ele considera que sua vida foi boa, mas sabe que o momento da morte vai chegar. 09. C A efemeridade da vida é uma das temáticas mais recor- rentes na obra de Cecília Meireles. No poema em ques- tão, isso fica evidente quando o eu lírico faz uma autoava- liação, percebendo que perdeu o movimento das mãos e o sorriso do rosto, conforme o tempo foi passando. 10. D “No meio do caminho” é um dos poemas mais impor- tantes da obra de Drummond e um exemplo notável da poesia modernista. O poema traz importantes caracterís- ticas do Modernismo, como versos livres e vocabulário coloquial, mas se destaca pelo uso da metáfora da pedra para tecer uma crítica sutil ao fazer poético formal parna- sianista. Interpretação textual 11. D O termo em destaque insere a ideia de condição, pois, para receber sobremesa, Hagar precisa comer toda a refeição, ou seja, outro acontecimento será determinante para o objetivo da personagem. 12. B Entende-se que “correr atrás do prejuízo” é uma expres- são incoerente, uma vez que sua interpretação literal dá a entender que o prejuízo é algo almejado, o que vai de encontro ao objetivo de um time de futebol em um jogo, que, ao estar em desvantagem, deve se empenhar em virar o placar a seu favor. 13. A As aspas conferidas ao verbo no título de matéria deno- tam uma opinião do autor da notícia, a qual pode ser interpretada como descrença a respeito do que o astro- nauta quer provar. Assim, ele ironiza o fato, uma vez que não acredita na veracidade da afirmação. 14. C Em decorria, o pretérito imperfeito do indicativo aponta uma ação do passado que estava em continuidade em relação a outras ações, também do passado, ou ações que não foram concluídas. 15. E O conectivo apesar introduz uma ressalva para a boa notícia, pois, se por um lado choveu acima da média no estado, por outro, a situação como um todo ainda não é confortável, pois os açudes ainda estão com uma capaci- dade muito baixa. 16. D O autor da charge coloca, ao lado de um jovem moderno, que acha que sabe de tudo, a célebre frase de Sócrates, que fundou o pensamento filosófico ocidental. Nessa máxima, Sócrates se refere ao fato de que é impossível saber tudo e que sempre haverá conhecimento a ser estudado e adquirido, apesar de a atitude de alguns internautas levar a crer que eles acreditam no contrário.
  • 2. 2 2a série – Ensino Médio Espanhol 20. B O vocábulo bueno deve ser apocopado diante de subs- tantivo masculino no singular, como no caso de buen humor, obrigando o uso da apócope, que é buen. Já o vocábulo grande somente pode ser apocopado quando vier antes de um substantivo no singular, não importando se este é masculino ou feminino. 21. C De acordo com a notícia, a FIFA proibiu os torcedores de levar instrumentos ruidosos para os estádios de futebol no Mundial de 2018, na Rússia. Assim, Manolo não poderá levar seu bombo aos jogos como costumava fazer. 22. B De acordo com a notícia, o novo serviço ofertado pelo Facebook consiste em notificar o usuário sempre que sua imagem for usada na rede social, seja em vídeo ou foto, a fim de evitar que desconhecidos a usem sem autorização. 23. B O verbo de câmbio que preenche adequadamente a lacuna é se puso (Lucía se puso súper malita…), pois se trata de uma mudança de estado temporário, que pode se reverter. Normalmente, é utilizado para cores, estado mental ou de saúde que não seja permanente. 24. D O verbo haber foi utilizado corretamente em sua forma impessoal na sentença “Había muchas personas en paro el año pasado”. Vale lembrar que o verbo haber impes- soal se apresenta sempre na terceira pessoa do singular em cada tempo verbal. 17. B O gráfico demonstra a composição da população mais pobre e da mais rica no Brasil. Considerando-se que negros e pardos ocupam a maior parte da população mais pobre, mas que, quando considerada a população mais rica, os números se invertem, o gráfico pretende mostrar a situação de desigualdade racial existente no Brasil. 18. C As reticências, em geral, indicam uma pausa longa no dis- curso, como ocorre quando alguém está falando e inter- rompe para retomar um tempo depois. Como o poema conta uma pequena história sobre uma cidade em que tudo vai devagar, essa pontuação também reforça a vaga- reza com que os fatos acontecem. 19. E A medicina é uma área não apenas do conhecimento, mas também da vida de todas as pessoas, uma vez que os seres humanos são amparados por ela desde o nasci- mento até a morte. A cobra, que representa uma conexão do mundo físico com o desconhecido, além de represen- tar a sagacidade e a inteligência, se relaciona com a ideia do ciclo de vida e morte, como expresso no texto. Inglês 20. B As relative clauses são utilizadas para oferecer mais infor- mações sobre algo já mencionado, evitando a repeti- ção de palavras. Nesse caso, o pronome relativo which se refere às placas ósseas que cobriam o corpo do Ankylosaurus (The bony plates, which were embedded in their skin). 21. C As question tags são sentenças no formato de pequenas perguntas, utilizadas no final das frases para confirmar informações. Na tira, Linus pergunta “are you?” com o objetivo de confirmar que Lucy ainda não está satisfeita. 22. B O termo em destaque na canção é o conectivo because, que tem sentido de “porque”, sendo um conectivo de causa. 23. B A alternativa B está correta, pois, no contexto da frase na qual está contido, o verbo identify pode assumir tanto a forma no infinitivo quanto no gerúndio. Já o verbo capture possui forma no gerúndio, mas no texto não pode assu- mir essa forma, pois já há um verbo no gerúndio que o precede (overlapping). 24. D Os advérbios são utilizados para modificar verbos, adje- tivos ou até mesmo outros advérbios. Eles podem estar inseridos em diferentes locais em uma frase, dependendo do seu tipo e do que estão modificando. Os advérbios em destaque no texto (almost never, always e rarely) indi- cam a frequência com que algo acontece ou irá aconte- cer, por isso recebem essa denominação.
  • 3. 32a série – Ensino Médio Álgebra 25. B Analisando o determinante, pode-se perceber que a última coluna é igual à soma das outras três. Logo, o valor do determinante é igual a zero. 26. E Monta-se o sistema de acordo com as informações: c m c m c m c m + = + =    ⇔ + = + =    60 5 2 210 2 2 120 5 2 210 (I) (II) Fazendo (II) – (I), segue que: 5c – 2c = 210 – 120 ⇒ 3c = 90 ⇒ c = 30 27. E ( )! ! ( )!( )! n n n n − − − = 3 1 1 ( )! ( )! ( ) ( ) ( )! ( )! n n n n n n n − ⋅ ⋅ − − ⋅ − ⋅ − − = 3 1 1 2 3 1 n n n( ) ( )− ⋅ −1 2 28. C Considerando apenas os algarismos ímpares, o primeiro dígito tem apenas as possibilidades 5, 7 e 9, pois os números devem ser maiores que 500000. Logo, pelo Prin- cípio Fundamental da Contagem, tem-se: 3 · 5 · 5 · 5 · 5 · 5 = 3 · 55 = 9375 possibilidades. 29. B A5,4 + A4,3 – A3,2 – A2,1 = 5 5 4 4 4 3 3 3 2 2 2 1 ! ( )! ! ( )! ! ( )! ! ( )!− + − − − − − = 5! + 4! – 3! – 2! = 120 + 24 – 6 – 2 = 136 30. E Para contar as possibilidades de escolha do ranking, utili- za-se a fórmula do arranjo simples: A12 5 12 12 5 12 7 12 11 10 9 8 95040, ! ( )! ! ! = − = = ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ = 31. D A palavra CEREJA possui 6 letras, sendo duas delas a letra E. Assim, calcula-se o número de permutações com repetição: P6 2 6 2 6 5 4 3 360= = ⋅ ⋅ ⋅ = ! ! 32. D Considerando uma permutação circular de 6 elementos, tem-se (6 – 1)! = 5! = 120 posições diferentes para os jogadores. 33. B Serão escolhidos 4 homens entre 6 e 5 mulheres entre 10. Assim, calcula-se o produto das combinações: C C6 4 10 5 6 4 2 10 5 5 , , ! ! ! ! ! ! ⋅ = ⋅ = 6 5 2 10 9 8 7 6 5 4 3 2 3780 ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ ⋅ = 34. A Pela igualdade de números binomiais, tem-se: 10 1 10 2 10 8n+     =     =     n + 1 = 2 ⇒ n = 1 ou n + 1 = 8 ⇒ n = 7 Logo, a soma dos valores de n que satisfazem a equação é 1 + 7 = 8. 35. C Para um dos dados, não importa o valor a ser obtido, já que o outro apenas deve repetir o valor do primeiro. Assim, tem-se: 6 6 1 6 1 6 ⋅ = 36. A Para garantir a retirada de ao menos uma bola de número par, basta excluir a possibilidade de que as três bolas sejam de número ímpar (evento complementar). A pro- babilidade de retirada de três bolas de número ímpar é: 10 20 9 19 8 18 720 19 360 2 19 ⋅ ⋅ = ⋅ = Subtraindo essa probabilidade do total, tem-se: P = − =1 2 19 17 19 Geometria 37. D A medida  do lado de um triângulo equilátero inscrito em uma circunferência de raio R é dada por  = R 3. Como o raio da circunferência é R cm= 5 3 , então a medida do lado da peça triangular inscrita é dada por:  = = ⋅ =R cm3 5 3 3 15 . 38. C O diâmetro do aquário mede 4 m, então o raio mede 2 m. Sendo a altura igual a 2 m, calcula-se a capacidade máxima do aquário (volume do cilindro): V = πr2 h = 3 · 22 · 2 = 24 m3 Como a recomendação é colocar, no máximo, 6 peixes para cada metro cúbico de água, então a quantidade máxima de peixes recomendada é 6 · 24 = 144. 39. B Como a área da base do cilindro mede 9π m2 , a área da base do cone também mede 9π m2 . Assim, o raio da base do cone é dado por: AB = πr2 ⇒ πr2 = 9π ⇒ r = 3 m Como o cone é equilátero, a sua geratriz mede o dobro do raio da base: g = 6 m. Logo, a área lateral do cone é: AL = πrg ⇒ 3,14 · 3 · 6 = 56,52 m2 40. B Para encontrar a área lateral, faz-se: A = π(R + r)g A = 3 · (7 + 5) · 16 A = 3 · 12 · 16
  • 4. 4 2a série – Ensino Médio A = 576 cm2 Como o balde de pipoca tem uma cavidade no lugar da base maior, calcula-se apenas a área da base menor: Ab = πr2 Ab = 3 · 25 Ab = 75 cm2 Assim, somam-se as duas áreas para obter-se a área total: AT = A + Ab AT = 576 + 75 AT = 651 cm2 41. C A medida da aresta do cubo é 12 cm. Pela figura, obser- va-se que o diâmetro de cada esfera é 4 cm (raio = 2 cm). Calculando o volume de cada esfera, tem-se: V r= = ⋅ = 4 3 4 2 323 3 π cm3 Assim, o volume do espaço vazio no recipiente corres- ponde ao volume do cubo subtraído do volume das 27 esferas: Vágua = Vcubo – 27 · Vesfera = 123 – 27 · 32 = 1728 – 864 = 864 cm3 42. D O volume da bola é 972π cm3 . A partir dessa informação, calcula-se o raio da bola: V rbola = = 4 3 9723 π π r3 = 729 r = 9 cm Como a bola está inscrita na embalagem cilíndrica, o raio da base do cilindro é r = 9 cm, e sua altura é h = 18 cm. Logo, a área total da embalagem é: Aembalagem = 2πr(h + r) = 486π = 1506,6 cm2 43. A Observe que há quatro triângulos retângulos cujas hipo- tenusas são os lados do quadrado ABCD, conforme mos- tra a figura a seguir. y x D(x, y) 4 4 4 4 3 3 3 3 A(1, 4) C(8, 3) B(4, 0) Portanto, para encontrar a abscissa do ponto D, basta somar 4 unidades à abscissa do ponto A, obtendo-se x = 5. Para a ordenada, somam-se 3 unidades à ordenada do ponto A, obtendo-se y = 7. Logo, D = (5, 7). 44. A Como a largura da caixa é 0,5 cm, o diâmetro de cada lápis é 0,5 cm. Logo, o raio do lápis é 0,25 cm = 1 4 cm. Além disso, a altura de cada lápis é igual à altura da caixa (16 cm). Assim, o volume do lápis é: V r h= = ⋅     ⋅ =π 2 2 3 3 1 4 16 3 cm 45. D Como o diâmetro mede 20 cm, o raio do bolo é igual a 10 cm. O ângulo α de cada cunha mede 360 20 ° = 18º, em que 20 é o número de pedaços em que a esfera será dividida. Portanto, o volume de cada fatia do bolo (cunha esférica) é dado por: V R V V cunha cunha cunha = = ⋅ ⋅ = π α3 3 3 270 3 10 18 270 200 º º º cm 46. B A área da esfera é 4πR2 = 2500π cm2 , portanto, seu raio é R = 25 cm. Como a distância entre o centro da esfera e a seção é d = 7 cm, pelo Teorema de Pitágoras, tem-se: R2 = d2 + r2 ⇒ 252 = 72 + r2 ⇒ r2 = 576 r = 24 cm 47. E As coordenadas do baricentro são dadas por: G x x x y y yA B c A B c+ + + +    3 3 , Portanto, G = (5, 4). 48. C O coeficiente angular da reta s é m = tg 60 =º 3. Como r é paralela à s, então o coeficiente angular de r também é m = 3. Como o ponto (6, 8) pertence à reta r, ele deve satisfazer a equação de r. Logo, pela equação fundamen- tal da reta, tem-se: y – y0 = m · (x – x0 ) y – 8 = 3 · (x – 6) r y x: = − +3 6 3 8
  • 5. 52a série – Ensino Médio Biologia 49. E O DNA viral está associado ao gene modificado e, ao se incorporar ao DNA do menino, garante o funcionamento correto das células. Os vírus utilizados na terapia gênica são de DNA, uma vez que a molécula de RNA viral não conseguiria se incorporar à molécula de DNA. O DNA viral deverá se incorporar ao DNA nuclear do menino. 50. D Algumas bactérias têm conseguido resistir a antibióticos utilizados em infecções, o que está associado a mutações aleatórias no seu material genético. Nesse caso, há uma seleção em que as bactérias sensíveis são mortas pelos antibióticos, mas as que resistem conseguem se multi- plicar, podendo ocasionar graves problemas de saúde pública. As mutações são eventos aleatórios que podem ser induzidos por fatores ambientais, como radiação e raios X, além de substâncias químicas, como o gás mos- tarda, as substâncias colchicina e talidomida, e metais pesados. No entanto, os antibióticos não apresentam esse efeito. O processo adaptativo consiste na seleção de características pré-existentes que garantem ao seu portador maior sucesso evolutivo. A recombinação gené- tica é um processo característico dos seres de reprodução sexuada. 51. B O sapo é um consumidor secundário. A cobra ocupa o quarto nível trófico e é um consumidor terciário. As gra- míneas são produtoras e ocupam o primeiro nível trófico. O nível trófico da águia é o menos energético. Os fungos são os decompositores de toda a matéria orgânica. 52. D Os dois grupos de hormônios envolvidos no desenvolvi- mento de frutos partenocárpicos são as auxinas e as gibe- relinas. As auxinas relacionam-se ao crescimento vegetal, dominância apical, tropismos, queda de folhas velhas, formação de raízes e produção e desenvolvimento dos frutos. As giberelinas estão associadas ao alongamento, à divisão celular, à floração, ao desenvolvimento de folhas e frutos e à germinação das sementes. Já as citocininas agem no desenvolvimento das raízes e das gemas late- rais e na prevenção do envelhecimento vegetal. O etileno atua no amadurecimento dos frutos e na senescência das folhas. 53. A A relação de amensalismo é interespecífica desarmônica, na qual uma espécie libera toxinas no ambiente que impe- dem o desenvolvimento de outras espécies com nicho ecológico semelhante. No comensalismo, tem-se uma relação interespecífica harmônica, em que uma espécie obtém alimento a partir de outra, sem prejudicá-la. O escla- vagismo é uma relação em que um indivíduo se aproveita das atividades, do trabalho ou de produtos produzidos por outros indivíduos. O inquilinismo é uma relação inte- respecífica harmônica, na qual uma espécie obtém abrigo e proteção a partir de outra sem prejudicá-la. O mutua- lismo consiste em uma relação interespecífica harmô- nica em que ambas as espécies se beneficiam, havendo dependência entre elas. 54. D O mimetismo é um fenômeno adaptativo em que um organismo se assemelha às cores e às formas de outro. A protocooperação representa uma relação interespecífica benéfica para as espécies envolvidas. A camuflagem é um fenômeno adaptativo na qual os organismos apresentam características que lhes permitem fundir-se ao ambiente, podendo ser dividida em homotipia e homocromia. A homotipia é a adaptação (cromática e estrutural) do orga- nismo ao ambiente. A homocromia é a adaptação (cro- mática) às cores e desenhos do ambiente. 55. A A Caatinga é marcada por uma vegetação caducifólia. As plantas caducas (caducifólias) perdem suas folhas quando o ambiente apresenta condições adversas. Plantas haló- fitas são típicas de regiões de mangue, sendo adaptadas a ambientes com maior umidade e salinidade. Plantas higrófitas são características de ambientes de grande umidade. As plantas latifoliadas são comuns em regiões com muita umidade e apresentam folhas largas e gran- des. A vegetação perenifólia é caracterizada por mante- rem suas folhas durante todo o ano. 56. E A partir do processo de clonagem, são produzidas cópias geneticamente iguais ao organismo original, denomi- nadas clones. Os organismos híbridos são resultado do cruzamento de organismos de espécies distintas. Um organismo mutante é aquele que sofreu uma modificação casual ou induzida em seu material genético. Por meio do processo de seleção, seja natural ou artificial, os organis- mos que apresentarem as características mais adequadas à sobrevivência em determinado ambiente serão selecio- nados, sendo esses considerados adaptados. Os organis- mos transgênicos recebem genes de outras espécies em seu DNA. Química 57. B O composto I apresenta um grupo —OH ligado a um anel aromático, sendo, assim, um fenol. O composto II apre- senta um grupo —OH ligado a um carbono alifático que está ligado a um anel aromático, representando, assim, um álcool. O terceiro composto possui um anel aromá- tico e um carbono alifático, ambos ligados entre si por um átomo de oxigênio, sendo classificado como um éter. 58. A O composto I é um ácido carboxílico com seis átomos de carbono na cadeia principal. Por regra, a contagem ocorre a partir do grupo carboxila. Assim, há, no carbono 2, um grupo etila ligado, e, no carbono 4, há dois grupos metila ligados. Sendo assim, seu nome correto é ácido 2-etil-4,4-dimetil-hexanóico. O composto II é um éster com três átomos de carbono na cadeia carbônica princi- pal. O grupo substituinte possui dois carbonos, portanto, pela nomenclatura IUPAC, seu nome é propanoato de etila. 59. C O primeiro par (I) apresenta dois compostos de funções orgânicas diferentes, um ácido carboxílico e um éster, portanto, apresentam isomeria funcional. O segundo par (II) apresenta dois compostos de mesma função orgânica, éteres, que se diferenciam pela posição do átomo de oxigênio na cadeia, portanto, são metâmeros.
  • 6. 6 2a série – Ensino Médio O terceiro par (III) apresenta dois compostos de mesma função orgânica, alcenos, que se diferenciam pela posi- ção da ligação dupla entre eles, portanto, são isômeros de posição. 60. D Na reação I, o alceno adiciona haleto de hidrogênio (HBr), resultando em um produto com ligações simples, com a adição de um átomo de bromo e um átomo de hidro- gênio, e não dois átomos de bromo. A reação II é uma hidrogenação catalítica de um alcino, resultando em um alcano de cadeia aberta como produto, e não um alceno ou um alcano de cadeia fechada. 61. A Para se calcular a entalpia de reação basta somar a ental- pia de reação das três equações dadas, pois a junção des- sas três reações equivale termodinamicamente à reação da conversão da hidroquinona em quinona apresentada. Assim: C6 H4 (OH)2(aq) → C6 H4 O2(aq) + H g2( ) H2 O2(aq) → H2 O() + 1 2 2( )O g H g2( ) + 1 2 2O g( ) → H2 O() Assim: ∆H = –286 + (–177) + (–94,6) ∆H = –557,6 kJ 62. D A energia de ativação da reação com catalisador cor- responde ao valor de 72 kJ, e sem catalisador, a 111 kJ. Portanto, a diferença entre as duas energias pode ser cal- culada: 111 – 72 = 39 kJ 63. B De acordo com o enunciado, sabe-se que o número de hidrogênios ionizáveis é 1 (ácido monoprótico), que a concentração da solução é 0,5 mol/L e que o grau de ioni- zação é de 0,69%. Assim, elencando os dados: x = 1 M = 0,5 mol/L α = 0,69% = 0,0069 Pela fórmula, calcula-se a concentração de íons H+ : [H+ ] = x · M · α [H+ ] = 1 · 0,5 · 0,0069 [H+ ] = 3,45 · 10–3 mol/L Sabe-se que o pH = –log[H+ ], assim, pode-se calcular: pH = –log[H+ ] pH = –log[3,45 · 10–3 ] = –[log 3,45 + log 10–3 ] pH = –0,54 + 3 = 2,46 64. C O valor de Kps pode ser calculado da seguinte forma: Kps = [Ba2+ ] · [CO3 2− ] Kps = [5 · 10–5 ] · [5 · 10–5 ] Kps = 2,5 · 10–9 Física 65. D O movimento de um pêndulo depende exclusivamente do seu comprimento e da aceleração da gravidade. Dessa forma, o fator capaz de alterar o funcionamento de um relógio desse tipo é a dilatação (ou contração) cau- sada pela variação da temperatura. 66. B As qualidades fisiológicas do som são intensidade sonora, altura e timbre. Assim, sons fortes ou fracos referem-se à qualidade intensidade sonora, também relacionada ao nível sonoro. Já os sons graves ou agudos estão relacio- nados à qualidade altura, determinada pela grandeza fre- quência sonora. 67. B A resistência equivalente, nesse caso, será de Req = 2 Ω. Assim, para que exista uma corrente de 3 A, a bateria deve ter uma d.d.p. de 6 V. V R i V V= ⋅ ⇒ = ⋅ ⇒ =2 3 6 V Outra possibilidade é considerar que a corrente, ao chegar ao nó, é igualmente dividida entre os resistores de 4 Ω, e isso ocorre somente porque ambos são iguais. Assim, tem-se a tensão em cada um dos resistores: V R i V V= ⋅ ⇒ = ⋅ ⇒ =4 1 5 6, V 68. B Ondas com a mesma frequência propagando-se no mesmo meio (o ar) apresentam comprimentos de onda semelhantes. Assim, é possível que, em determinadas cir- cunstâncias, ocorra interferência entre elas, o que causa um mau funcionamento dos aparelhos que operam tec- nologias sem fio. 69. E A carga armazenada no power bank será dada por: 4000 · 3600 · 10–3 = 14400 C De acordo com a equação da carga do capacitor, tem-se: Q = CV Assim, para uma diferença de potencial de 5 V, a capaci- tância do capacitor deve ser: 14400 5 2880= F 70. D A velocidade de propagação de uma onda depende exclusivamente do meio no qual ela se propaga. Dessa forma, não pode haver alteração na velocidade das ondas no caso demonstrado na questão. Como ocorreu um aumento na frequência da queda dos pingos de água, há uma diminuição do comprimento de onda, o que ficará evidente pela aproximação das frentes de ondas.
  • 7. 72a série – Ensino Médio 71. C A única lente capaz de formar uma imagem maior que o objeto é a convergente. Para isso, o objeto deve ser posi- cionado entre o vértice e o foco da lente, como mostrado no esquema a seguir. Lupa Objeto F F' Imagem 72. E Segundo o texto, o multímetro incorpora as funções do voltímetro, que é o instrumento utilizado para realizar a medida de diferença de potencial. Também possui fun- ção de amperímetro, que é o instrumento utilizado para medir corrente elétrica. O ohmímetro, por sua vez, é utili- zado na medição de resistência elétrica.
  • 8. 8 2a série – Ensino Médio História 73. B Na imagem da revista, os dois coronéis ao lado da cadeira da presidência representam a alternância de poder entre representantes das cidades de São Paulo e Minas Gerais, prática que ficou conhecida como política do café com leite, ocorrida entre os anos de 1889 e 1930, no Brasil. 74. A O Brasil, que era um país dependente da produção agrícola e importador dos demais produtos, no período apresentado, deveria gradativamente substituir as impor- tações por produções nacionais. O Governo Provisório, regido por Vargas, marcou o início da industrialização brasileira, sendo caracterizado sobretudo pelo estabele- cimento das indústrias de base e pela substituição das importações. 75. C O Dia D é um marco histórico da Segunda Guerra Mundial por ter possibilitado o fim do conflito com o ataque naval na ocupação do território francês pelas tropas americanas e inglesas, por meio do Canal da Mancha e a ocupação de posições alemãs, ficando conhecido como Batalha da Normandia. 76. E Durante os decênios de 1940 e 1950, surgiu um novo fenô- meno político em parte dos países latino-americanos. O populismo, fenômeno também percebido no Brasil, tem como características principais a ligação com o processo de industrialização e urbanização desses países, assim como a intenção de atender às demandas das classes ope- rárias que desejavam maior atenção por parte dos gover- nantes. Assim, o populismo aglutinava esses dois anseios, além de sempre ter à frente um governante carismático que conquistava o povo por meio de discursos e atos. 77. E Com o golpe de abril de 1964, instaurou-se um novo momento na história brasileira, caracterizado pela ação militar, mudança de ideal político com a ausência de democracia, cancelamento de direitos constitucionais, censura, perseguição e repressão aos que eram contra o governo militar. Apesar de todas essas características, o governo era legitimado por setores da sociedade civil de caráter conservador. 78. B Durante a Primeira República, ocorreu uma espécie de sistema político informal, a chamada política dos governadores, executada pelo então presidente Campos Sales. Essa prática baseava-se no jogo de trocas de favo- res entre o chefe do Executivo nacional e os chefes esta- duais, consistindo, primordialmente, na não interferência mútua nas decisões do presidente e dos governadores e no apoio destes em relação aos projetos de Campos Sales. 79. B A Conferência de Berlim foi uma reunião entre as princi- pais potências mundiais da época (final do século XIX), as quais visavam à partilha do continente africano. Embora tenha logrado êxito em seu intento, essa divisão acabou acirrando as divergências já existentes entre as nações participantes, sobretudo entre Alemanha, França, Ingla- terra e Rússia, culminando na Primeira Guerra Mundial. 80. B Uma das principais características dos regimes totalitários é a utilização, com muita propriedade, da oratória, para, além de exaltar e tornar positivas as ações governamen- tais, alienar a população para que esta esteja alinhada ideologicamente ao comando central. 81. A Após o fim das batalhas ocorridas na Segunda Guerra Mundial, o mundo experimentou o início de uma ordem bipolarizada, marcada pela tomada de frente de uma das nações que teve pouco prejuízo nos embates da Grande Guerra (Estados Unidos, capitalista) e da União Sovié- tica (socialista), a qual viria a se fortalecer rapidamente, mesmo tendo atuado intensivamente nos combates. Isso era o embrião do que mais tarde seria chamado de Guerra Fria. Geografia 82. C Os domínios morfoclimáticos são ambientes naturais definidos com base em suas características climáticas, geomorfológicas, pedológicas, hidrológicas e fitogeo- gráficas. Os domínios no Brasil são: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mares e Morros, Araucárias e áreas de transição. Cada domínio possui uma paisagem natural caracteri- zada pela atuação específica dos elementos naturais. No domínio da Caatinga, quanto aos aspectos topográfico e climático, estão presentes na imagem da questão áreas de depressões e clima semiárido. 83. E A origem do desmatamento no Brasil ocorreu com a exploração comercial de recursos da Mata Atlântica, como o pau-brasil, após 1530, e a implantação da ativi- dade canavieira, também na região da Mata Atlântica. Atualmente, as áreas preservadas dessa vegetação cor- respondem a apenas 7% do total original. 84. A No Período Colonial, destacaram-se três movimentos expansionistas: a expansão oficial, a expansão da pecuá- ria e, principalmente, a expansão bandeirante. O expan- sionismo dos bandeirantes não foi oficial, e seus princi- pais objetivos eram procurar metais preciosos e escravizar indígenas. Esse movimento se consolidou no século XVII e contribuiu significativamente para a expansão do domí- nio português no Brasil. 85. D Após a criação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 1930, iniciou-se a preparação de uma regionalização oficial do território brasileiro, con- siderando os critérios físicos e socioeconômicos, sendo esta divulgada em 1940. Com o passar do tempo, essa regionalização sofreu várias mudanças decorrentes de momentos políticos distintos. As últimas mudanças ocor- reram principalmente após a Constituição Federal de 1988, a qual criou o estado de Tocantins, transformou os territórios de Roraima e Amapá em estados e incorpo- rou o arquipélago de Fernando de Noronha ao estado de Pernambuco. 86. B Na regionalização proposta pelo geógrafo Pedro Pinchas, o território brasileiro foi dividido em três macrorregiões sob os critérios econômicos, históricos e geográficos. Na sua configuração, é possível notar que os limites das
  • 9. 92a série – Ensino Médio regiões desconsideram a delimitação político-adminis- trativa da regionalização oficial do IBGE, pois considera que, nos critérios estabelecidos, um estado pode possuir características de mais de uma região. 87. A A partir dos anos de 1970, é iniciado o processo de des- centralização industrial brasileira, que se intensifica na década de 1990. Essa descentralização expandiu a indús- tria para outras regiões, sobretudo, para as regiões Sul e Nordeste. Os motivadores foram o incentivo fiscal, a mão de obra barata, a matéria-prima disponível, a posição geográfica, as políticas públicas de desenvolvimento etc. No entanto, ocorreu um processo diferenciado em cada região para instalação industrial, mas, de forma geral, esses processos tiveram como motivadores o incentivo fiscal e a mão de obra abundante e barata para a Região Nordeste, conforme destacado no texto de referência. 88. C Há vários tipos de atividades no meio rural, dentre elas a agricultura familiar, que é realizada pelo próprio agri- cultor com o apoio do trabalho familiar em pequenas e médias propriedades e é responsável pela produção de 70% dos alimentos consumidos pela população brasileira. 89. C OrompimentodabarragemdaSamarcoemMariana(MG), em 2015, cobriu uma vasta área com dejetos de minério de ferro, incluindo vários rios que compõem a Bacia do Rio Doce. As consequências dessa tragédia ambiental e social são imensuráveis, pois atingiu os rios, a vege- tação, o solo, a agricultura, a moradia da população, o abastecimento de água etc. Nos rios, foram despejados milhões de metros cúbicos de dejetos, assoreando-os, prejudicando o abastecimento de água e desabrigando a população. 90. B O crescimento da capacidade eólica no país decorre da instalação de parques eólicos, sobretudo no litoral da Região Nordeste, onde há ocorrência de intenso regime de ventos durante um longo período do ano. Como é possível perceber no gráfico, os estados do Rio Grande do Norte, Bahia e Ceará possuem a maior capacidade de geração de energia eólica no Brasil. Atualmente, a gera- ção a partir da fonte eólica já é suficiente para abastecer cerca de 22 milhões de casas por mês no país, segundo a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica). Filosofia/Sociologia 91. D A ideia da democracia racial é um mito que foi suplan- tado por diferentes correntes de pensadores, o qual se baseava na ideia de que, por haver uma heterogeneidade na formação do povo brasileiro, as pessoas não teriam um caráter ancestral puro devido às inúmeras ligações entre as diferentes “raças” (outro conceito que também caiu em desuso). 92. C A partir da tirinha é possível perceber o estranhamento de uma das personagens em relação aos conceitos for- necidos pela outra, uma analogia possível para o que se conhece por etnocentrismo, ou seja, a crença de que a cultura de determinado local é superior à de outros. 93. A Ao discorrer sobre a integração de várias esferas sociais que se conectam e interagem, o texto alude ao processo de globalização. Por sua vez, a multiplicidade de informa- ções e realidades, bem como a explicação destas, se rela- cionam à pós-modernidade, que emerge desse cenário, quebrando o pensamento de que há um padrão e uma equidade por conta da aproximação gerada pela globa- lização. 94. B Uma das principais causas negativas decorrentes da expansão da comunicação é a questão das notícias falsas, ou fake news, tendo em vista a quantidade e a velocidade com que as informações se espalham e a ocorrência, mui- tas vezes, de uma propagação de ideais sem a reflexão e o aprofundamento necessário para garantir a veracidade das informações. 95. A O conceito de beleza de uma forma geral é baseado no ideário dos gregos antigos, tendo as formas simétricas relação direta com o que poderia ou não ser considerado belo. Platão, Aristóteles e Sócrates possuíam elucubra- ções acerca do tema, definindo-o de maneiras específicas em seus pensamentos. 96. C Foucault foi um intelectual que produziu vasta obra sobre diferentes temas, entre eles, o poder. Mas de acordo com sua visão, o poder é algo inexistente, não podendo ser apreendido, conquistado, tomado ou conseguido, pois há apenas relações de poder.