SlideShare uma empresa Scribd logo
Investimento em capital
físico e humano
Trabalho realizado por:
• Alexandra Soares, nº 2
• João Cunha, nº 14
Antes de ligar o computador espalhei sobre a secretária as projeções dos organismos
que mais me interessavam: Governo, Banco de Portugal, INE, Eurostat e Troika. A
imagem que delas sobressai está ligada a cortes. Vamos cortar em tudo: no consumo, no
investimento e no produto; no emprego, na educação e na saúde; nos salários, nos
subsídios e nas pensões. Lembrei-me do Eça: se V.Exas. nos cortam tudo, que poderemos
nós cortar a V.Exas?
O corte que mais me preocupa é o do investimento. Medido em percentagem do PIB,
este indicador representava 27% em 2000 e era dos mais altos da Zona euro. Depois foi
caindo, caindo, e em 2010 estava reduzido a 19%. A cumprirem-se as atuais projecções, o
percurso mantém-se e chegará aos 16% em 2012, um número arrepiante. Como o
investimento é o principal motor do crescimento económico, adivinha-se o abismo para
que nos estão a empurrar.
Acresce que ao investimento está associado o emprego, um fenómeno muito sensível e
que mexe com toda a gente. Nos últimos 10 anos terminados em 2010, a taxa de
desemprego subiu seis pontos para os 10,8% da população ativa. E para 2011-12 admite-se
a destruição de mais 100 mil postos de trabalho, o que elevará aquela taxa para os 13,2%.
Consultei registos até aos anos sessenta do século passado: não há memória de um
pesadelo assim.
O problema dos salários é diferente. Ainda que muito baixos em termos absolutos, não
se pode dizer o mesmo quando os comparamos com a produtividade, já que o seu peso no
PIB tem andado pelos 50%, dos mais elevados da Europa. Mas a crise da dívida alterou
tudo: as expectativas baixaram tanto que bem poderemos dar-nos por satisfeitos se
mantivermos os salários nominais, o que só por si significa uma perda equivalente à taxa
de inflação.
O cenário é desolador. E na sua origem está a necessidade imperiosa de travar as
dívidas. O problema é que as dívidas mantêm uma trajetória de subida que parece não ter
fim. Não se pense que isto é uma crítica ao Governo; ele não tinha alternativa. O que eu
critico são as três entidades que se propuseram "ajudar-nos" e escolheram como
instrumento a asfixia. Como economista, tenho extrema dificuldade em perceber como é
que se para uma recessão profunda promovendo uma recessão ainda maior.
Que modelo é este? A VERTIGEM
Cai a economia... (Variação, 2006=100) ...disparam as dívidas (Dívidas, % PIB)
O colapso do investimento, que em apenas seis anos caiu mais de 30%, arrastou consigo
centenas de milhar de postos de trabalho e elevou a taxa de desemprego para níveis
explosivos. Mas o investimento é também um dos principais motores da economia, o que
levou a que o PIB entrasse igualmente em colapso. E as dívidas não servem de desculpa, já
que ambas continuam a crescer. Estamos a regar o fogo com gasolina...
Noticia de: Diário Económico
Sexta-feira, 29 de Julho de 2011
Daniel Amaral, Economista
Gráficos de: Banco de Portugal
“Como o investimento é o principal motor do
crescimento económico, adivinha-se o abismo
para que nos estão a empurrar.”
“Mas o investimento é também um dos
principais motores da economia, o que levou a
que o PIB entrasse igualmente em colapso.”
Inovação na gestão/
Capacidade empresarial
Investimento físico
Aumento da
produtividade
Crescimento da
produção
Crescimento
económico
“… ao investimento está associado o emprego,
um fenómeno muito sensível e que mexe com
toda a gente.”
Investimento em
recursos humanos
Educação/Formação
Investigação e
Desenvolvimento
(I&D)
Novas formas de
gestão / capacidade
empresarial
Crescimento
económico
Cai a economia...
(Variação, 2006 =100)
...disparam as dívidas
(Dívidas, % PIB)
“Que modelo é este? A VERTIGEM”
Conclusão
• A noticia é, na verdade, assustadora porque a diminuição do
investimento leva ao aumento do desemprego e à diminuição PIB pm,
o que agrava cada vez mais a recessão económica que o nosso país está
a atravessar. Por outro lado a divida pública aumenta, aumentando a
nossa dependência em relação ao Exterior.
• Somos levados a perguntar: Qual a solução?
• Gostamos de responder mas se nem os nossos Governantes a
encontram mais difícil para nós opinar.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A desindustrialização jose corval_ferraz
A desindustrialização jose corval_ferrazA desindustrialização jose corval_ferraz
A desindustrialização jose corval_ferraz
Jose Ferraz
 
Entrevista Dilma Rousseff 1
Entrevista  Dilma Rousseff 1Entrevista  Dilma Rousseff 1
Entrevista Dilma Rousseff 1
guest6f3978
 
Diferença do crescimento económico e o desenvolvimento economia famata tv
Diferença do crescimento económico e o desenvolvimento economia famata tvDiferença do crescimento económico e o desenvolvimento economia famata tv
Diferença do crescimento económico e o desenvolvimento economia famata tv
turam11tv
 
Desenvolvimento crescimento económico
Desenvolvimento crescimento económicoDesenvolvimento crescimento económico
Desenvolvimento crescimento económico
Geografias Geo
 
Desemprego no brasil
Desemprego no brasilDesemprego no brasil
Desemprego no brasil
ediposaraiva
 
Diferença entre crescimento e desenvolvimento
Diferença entre crescimento e desenvolvimentoDiferença entre crescimento e desenvolvimento
Diferença entre crescimento e desenvolvimento
turam11tv
 
O trabalho informal uma saída contra o desemprego
O trabalho informal uma saída contra o desempregoO trabalho informal uma saída contra o desemprego
O trabalho informal uma saída contra o desemprego
Interface produtora de audio e video independente
 
O desemprego
O desemprego O desemprego
O desemprego
Pedro Morais
 
Desequilibrios regionais
Desequilibrios regionaisDesequilibrios regionais
Desequilibrios regionais
Karyn XP
 
Desemprego
DesempregoDesemprego
Desemprego
thinkinze
 
O futuro do capitalismo
O futuro do capitalismoO futuro do capitalismo
O futuro do capitalismo
Fernando Alcoforado
 
Desenvolvimento humano e sustentável modulo 7 - economia
Desenvolvimento humano e sustentável modulo 7 - economiaDesenvolvimento humano e sustentável modulo 7 - economia
Desenvolvimento humano e sustentável modulo 7 - economia
Daniela Costa
 
CI - 2010 - a infraestrutura brasileira
CI - 2010 - a infraestrutura brasileiraCI - 2010 - a infraestrutura brasileira
CI - 2010 - a infraestrutura brasileira
Delta Economics & Finance
 
Atps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoAtps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economico
LiousMarths
 
Ld183
Ld183Ld183
Atps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoAtps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economico
Eduardo3379
 
Contrastesde Desenvolvimento[1]
Contrastesde Desenvolvimento[1]Contrastesde Desenvolvimento[1]
Contrastesde Desenvolvimento[1]
isabelsilveira
 
1 crescimento versus desenvolvimento
1  crescimento versus desenvolvimento1  crescimento versus desenvolvimento
1 crescimento versus desenvolvimento
Mayjö .
 
Resenha 002 2016-03
Resenha 002 2016-03Resenha 002 2016-03
Resenha 002 2016-03
Juliene Flores
 
Atualidades 2012 parte 1 3°ano
Atualidades 2012 parte 1 3°anoAtualidades 2012 parte 1 3°ano
Atualidades 2012 parte 1 3°ano
Colégio Souza Leão Positivo
 

Mais procurados (20)

A desindustrialização jose corval_ferraz
A desindustrialização jose corval_ferrazA desindustrialização jose corval_ferraz
A desindustrialização jose corval_ferraz
 
Entrevista Dilma Rousseff 1
Entrevista  Dilma Rousseff 1Entrevista  Dilma Rousseff 1
Entrevista Dilma Rousseff 1
 
Diferença do crescimento económico e o desenvolvimento economia famata tv
Diferença do crescimento económico e o desenvolvimento economia famata tvDiferença do crescimento económico e o desenvolvimento economia famata tv
Diferença do crescimento económico e o desenvolvimento economia famata tv
 
Desenvolvimento crescimento económico
Desenvolvimento crescimento económicoDesenvolvimento crescimento económico
Desenvolvimento crescimento económico
 
Desemprego no brasil
Desemprego no brasilDesemprego no brasil
Desemprego no brasil
 
Diferença entre crescimento e desenvolvimento
Diferença entre crescimento e desenvolvimentoDiferença entre crescimento e desenvolvimento
Diferença entre crescimento e desenvolvimento
 
O trabalho informal uma saída contra o desemprego
O trabalho informal uma saída contra o desempregoO trabalho informal uma saída contra o desemprego
O trabalho informal uma saída contra o desemprego
 
O desemprego
O desemprego O desemprego
O desemprego
 
Desequilibrios regionais
Desequilibrios regionaisDesequilibrios regionais
Desequilibrios regionais
 
Desemprego
DesempregoDesemprego
Desemprego
 
O futuro do capitalismo
O futuro do capitalismoO futuro do capitalismo
O futuro do capitalismo
 
Desenvolvimento humano e sustentável modulo 7 - economia
Desenvolvimento humano e sustentável modulo 7 - economiaDesenvolvimento humano e sustentável modulo 7 - economia
Desenvolvimento humano e sustentável modulo 7 - economia
 
CI - 2010 - a infraestrutura brasileira
CI - 2010 - a infraestrutura brasileiraCI - 2010 - a infraestrutura brasileira
CI - 2010 - a infraestrutura brasileira
 
Atps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoAtps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economico
 
Ld183
Ld183Ld183
Ld183
 
Atps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoAtps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economico
 
Contrastesde Desenvolvimento[1]
Contrastesde Desenvolvimento[1]Contrastesde Desenvolvimento[1]
Contrastesde Desenvolvimento[1]
 
1 crescimento versus desenvolvimento
1  crescimento versus desenvolvimento1  crescimento versus desenvolvimento
1 crescimento versus desenvolvimento
 
Resenha 002 2016-03
Resenha 002 2016-03Resenha 002 2016-03
Resenha 002 2016-03
 
Atualidades 2012 parte 1 3°ano
Atualidades 2012 parte 1 3°anoAtualidades 2012 parte 1 3°ano
Atualidades 2012 parte 1 3°ano
 

Semelhante a Fontes de crescimento economico

Economia de portugal na atualidade
Economia de portugal na atualidadeEconomia de portugal na atualidade
Economia de portugal na atualidade
Tiago Filipe
 
Trabalho sistema financeiro completo
Trabalho sistema financeiro completoTrabalho sistema financeiro completo
Trabalho sistema financeiro completo
ftrajano
 
Crise fiscal causas e alternativas uag 28 11 2016
Crise fiscal  causas e alternativas uag 28 11 2016Crise fiscal  causas e alternativas uag 28 11 2016
Crise fiscal causas e alternativas uag 28 11 2016
Deputado Paulo Rubem - PDT
 
A crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeiaA crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeia
Lamartine Biao Oberg
 
Crise financeira atinge estados e os países de maneira diferente
Crise financeira atinge estados e os países de maneira diferente  Crise financeira atinge estados e os países de maneira diferente
Crise financeira atinge estados e os países de maneira diferente
Enio Verri
 
Trabalho em grupo administração de empresas
Trabalho em grupo administração de empresasTrabalho em grupo administração de empresas
Trabalho em grupo administração de empresas
Jailton Barbosa
 
Inova em Foco - Dez/2014 - Desafios Econômicos para o Ano Novo
Inova em Foco - Dez/2014 - Desafios Econômicos para o Ano NovoInova em Foco - Dez/2014 - Desafios Econômicos para o Ano Novo
Inova em Foco - Dez/2014 - Desafios Econômicos para o Ano Novo
Inova Business School
 
A segurança do emprego na UE
A segurança do emprego na UEA segurança do emprego na UE
A segurança do emprego na UE
TNS_Portugal
 
20120605 juros o dia em que o muro caiu
20120605 juros o dia em que o muro caiu20120605 juros o dia em que o muro caiu
20120605 juros o dia em que o muro caiu
redesocialellus
 
Informe conjuntural nº 16 dezembro 2011 versão final
Informe conjuntural nº 16 dezembro 2011  versão finalInforme conjuntural nº 16 dezembro 2011  versão final
Informe conjuntural nº 16 dezembro 2011 versão final
TRAMPO Comunicação e Eventos Soares
 
Economia mundial
Economia mundialEconomia mundial
Economia mundial
Alexandre Misturini
 
Apresentação do Grupo 2 (Segunda Unidade
Apresentação do Grupo 2 (Segunda UnidadeApresentação do Grupo 2 (Segunda Unidade
Apresentação do Grupo 2 (Segunda Unidade
Isabela Mendonça
 
A crise do capitalismo
A crise do capitalismoA crise do capitalismo
A crise do capitalismo
Herculano Rebordao
 
Jn dívida e ilusão
Jn dívida e ilusãoJn dívida e ilusão
Jn dívida e ilusão
pr_afsalbergaria
 
A economia e os "profetas do apocalipse"
A economia e os "profetas do apocalipse" A economia e os "profetas do apocalipse"
A economia e os "profetas do apocalipse"
Enio Verri
 
Miguel Cadilhe
  Miguel Cadilhe  Miguel Cadilhe
Miguel Cadilhe
pr_afsalbergaria
 
Contraoterrorismoeconmico 140921092535-phpapp01
Contraoterrorismoeconmico 140921092535-phpapp01Contraoterrorismoeconmico 140921092535-phpapp01
Contraoterrorismoeconmico 140921092535-phpapp01
Norton Drongek
 
Contra o terrorismo econômico
Contra o terrorismo econômicoContra o terrorismo econômico
Contra o terrorismo econômico
Miguel Rosario
 
Coluna do senador Aécio Neves na Folha - Crescimento?
Coluna do senador Aécio Neves na Folha - Crescimento?Coluna do senador Aécio Neves na Folha - Crescimento?
Coluna do senador Aécio Neves na Folha - Crescimento?
Maria Aparecida Magalhães
 
Dqf ufpe pec 241 23 11 2016
Dqf ufpe pec 241 23 11 2016Dqf ufpe pec 241 23 11 2016
Dqf ufpe pec 241 23 11 2016
Deputado Paulo Rubem - PDT
 

Semelhante a Fontes de crescimento economico (20)

Economia de portugal na atualidade
Economia de portugal na atualidadeEconomia de portugal na atualidade
Economia de portugal na atualidade
 
Trabalho sistema financeiro completo
Trabalho sistema financeiro completoTrabalho sistema financeiro completo
Trabalho sistema financeiro completo
 
Crise fiscal causas e alternativas uag 28 11 2016
Crise fiscal  causas e alternativas uag 28 11 2016Crise fiscal  causas e alternativas uag 28 11 2016
Crise fiscal causas e alternativas uag 28 11 2016
 
A crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeiaA crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeia
 
Crise financeira atinge estados e os países de maneira diferente
Crise financeira atinge estados e os países de maneira diferente  Crise financeira atinge estados e os países de maneira diferente
Crise financeira atinge estados e os países de maneira diferente
 
Trabalho em grupo administração de empresas
Trabalho em grupo administração de empresasTrabalho em grupo administração de empresas
Trabalho em grupo administração de empresas
 
Inova em Foco - Dez/2014 - Desafios Econômicos para o Ano Novo
Inova em Foco - Dez/2014 - Desafios Econômicos para o Ano NovoInova em Foco - Dez/2014 - Desafios Econômicos para o Ano Novo
Inova em Foco - Dez/2014 - Desafios Econômicos para o Ano Novo
 
A segurança do emprego na UE
A segurança do emprego na UEA segurança do emprego na UE
A segurança do emprego na UE
 
20120605 juros o dia em que o muro caiu
20120605 juros o dia em que o muro caiu20120605 juros o dia em que o muro caiu
20120605 juros o dia em que o muro caiu
 
Informe conjuntural nº 16 dezembro 2011 versão final
Informe conjuntural nº 16 dezembro 2011  versão finalInforme conjuntural nº 16 dezembro 2011  versão final
Informe conjuntural nº 16 dezembro 2011 versão final
 
Economia mundial
Economia mundialEconomia mundial
Economia mundial
 
Apresentação do Grupo 2 (Segunda Unidade
Apresentação do Grupo 2 (Segunda UnidadeApresentação do Grupo 2 (Segunda Unidade
Apresentação do Grupo 2 (Segunda Unidade
 
A crise do capitalismo
A crise do capitalismoA crise do capitalismo
A crise do capitalismo
 
Jn dívida e ilusão
Jn dívida e ilusãoJn dívida e ilusão
Jn dívida e ilusão
 
A economia e os "profetas do apocalipse"
A economia e os "profetas do apocalipse" A economia e os "profetas do apocalipse"
A economia e os "profetas do apocalipse"
 
Miguel Cadilhe
  Miguel Cadilhe  Miguel Cadilhe
Miguel Cadilhe
 
Contraoterrorismoeconmico 140921092535-phpapp01
Contraoterrorismoeconmico 140921092535-phpapp01Contraoterrorismoeconmico 140921092535-phpapp01
Contraoterrorismoeconmico 140921092535-phpapp01
 
Contra o terrorismo econômico
Contra o terrorismo econômicoContra o terrorismo econômico
Contra o terrorismo econômico
 
Coluna do senador Aécio Neves na Folha - Crescimento?
Coluna do senador Aécio Neves na Folha - Crescimento?Coluna do senador Aécio Neves na Folha - Crescimento?
Coluna do senador Aécio Neves na Folha - Crescimento?
 
Dqf ufpe pec 241 23 11 2016
Dqf ufpe pec 241 23 11 2016Dqf ufpe pec 241 23 11 2016
Dqf ufpe pec 241 23 11 2016
 

Mais de Alexandra Soares

Em petiz de tarde (Cesário verde)
Em petiz   de tarde (Cesário verde)Em petiz   de tarde (Cesário verde)
Em petiz de tarde (Cesário verde)
Alexandra Soares
 
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
Alexandra Soares
 
Discrimination
DiscriminationDiscrimination
Discrimination
Alexandra Soares
 
Consumer rights
Consumer rightsConsumer rights
Consumer rights
Alexandra Soares
 
Horticultura, Floricultura e Fruticultura
Horticultura, Floricultura e FruticulturaHorticultura, Floricultura e Fruticultura
Horticultura, Floricultura e Fruticultura
Alexandra Soares
 
Degradação das cidades
Degradação das cidadesDegradação das cidades
Degradação das cidades
Alexandra Soares
 
Globalização cultural
Globalização culturalGlobalização cultural
Globalização cultural
Alexandra Soares
 
Apadrinhamento civil
Apadrinhamento civilApadrinhamento civil
Apadrinhamento civil
Alexandra Soares
 

Mais de Alexandra Soares (8)

Em petiz de tarde (Cesário verde)
Em petiz   de tarde (Cesário verde)Em petiz   de tarde (Cesário verde)
Em petiz de tarde (Cesário verde)
 
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
 
Discrimination
DiscriminationDiscrimination
Discrimination
 
Consumer rights
Consumer rightsConsumer rights
Consumer rights
 
Horticultura, Floricultura e Fruticultura
Horticultura, Floricultura e FruticulturaHorticultura, Floricultura e Fruticultura
Horticultura, Floricultura e Fruticultura
 
Degradação das cidades
Degradação das cidadesDegradação das cidades
Degradação das cidades
 
Globalização cultural
Globalização culturalGlobalização cultural
Globalização cultural
 
Apadrinhamento civil
Apadrinhamento civilApadrinhamento civil
Apadrinhamento civil
 

Último

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
BiancaCristina75
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 

Último (20)

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 

Fontes de crescimento economico

  • 1. Investimento em capital físico e humano Trabalho realizado por: • Alexandra Soares, nº 2 • João Cunha, nº 14
  • 2. Antes de ligar o computador espalhei sobre a secretária as projeções dos organismos que mais me interessavam: Governo, Banco de Portugal, INE, Eurostat e Troika. A imagem que delas sobressai está ligada a cortes. Vamos cortar em tudo: no consumo, no investimento e no produto; no emprego, na educação e na saúde; nos salários, nos subsídios e nas pensões. Lembrei-me do Eça: se V.Exas. nos cortam tudo, que poderemos nós cortar a V.Exas? O corte que mais me preocupa é o do investimento. Medido em percentagem do PIB, este indicador representava 27% em 2000 e era dos mais altos da Zona euro. Depois foi caindo, caindo, e em 2010 estava reduzido a 19%. A cumprirem-se as atuais projecções, o percurso mantém-se e chegará aos 16% em 2012, um número arrepiante. Como o investimento é o principal motor do crescimento económico, adivinha-se o abismo para que nos estão a empurrar. Acresce que ao investimento está associado o emprego, um fenómeno muito sensível e que mexe com toda a gente. Nos últimos 10 anos terminados em 2010, a taxa de desemprego subiu seis pontos para os 10,8% da população ativa. E para 2011-12 admite-se a destruição de mais 100 mil postos de trabalho, o que elevará aquela taxa para os 13,2%. Consultei registos até aos anos sessenta do século passado: não há memória de um pesadelo assim.
  • 3. O problema dos salários é diferente. Ainda que muito baixos em termos absolutos, não se pode dizer o mesmo quando os comparamos com a produtividade, já que o seu peso no PIB tem andado pelos 50%, dos mais elevados da Europa. Mas a crise da dívida alterou tudo: as expectativas baixaram tanto que bem poderemos dar-nos por satisfeitos se mantivermos os salários nominais, o que só por si significa uma perda equivalente à taxa de inflação. O cenário é desolador. E na sua origem está a necessidade imperiosa de travar as dívidas. O problema é que as dívidas mantêm uma trajetória de subida que parece não ter fim. Não se pense que isto é uma crítica ao Governo; ele não tinha alternativa. O que eu critico são as três entidades que se propuseram "ajudar-nos" e escolheram como instrumento a asfixia. Como economista, tenho extrema dificuldade em perceber como é que se para uma recessão profunda promovendo uma recessão ainda maior. Que modelo é este? A VERTIGEM Cai a economia... (Variação, 2006=100) ...disparam as dívidas (Dívidas, % PIB)
  • 4. O colapso do investimento, que em apenas seis anos caiu mais de 30%, arrastou consigo centenas de milhar de postos de trabalho e elevou a taxa de desemprego para níveis explosivos. Mas o investimento é também um dos principais motores da economia, o que levou a que o PIB entrasse igualmente em colapso. E as dívidas não servem de desculpa, já que ambas continuam a crescer. Estamos a regar o fogo com gasolina... Noticia de: Diário Económico Sexta-feira, 29 de Julho de 2011 Daniel Amaral, Economista Gráficos de: Banco de Portugal
  • 5. “Como o investimento é o principal motor do crescimento económico, adivinha-se o abismo para que nos estão a empurrar.” “Mas o investimento é também um dos principais motores da economia, o que levou a que o PIB entrasse igualmente em colapso.”
  • 6. Inovação na gestão/ Capacidade empresarial Investimento físico Aumento da produtividade Crescimento da produção Crescimento económico
  • 7. “… ao investimento está associado o emprego, um fenómeno muito sensível e que mexe com toda a gente.” Investimento em recursos humanos Educação/Formação Investigação e Desenvolvimento (I&D) Novas formas de gestão / capacidade empresarial Crescimento económico
  • 8. Cai a economia... (Variação, 2006 =100) ...disparam as dívidas (Dívidas, % PIB) “Que modelo é este? A VERTIGEM”
  • 9. Conclusão • A noticia é, na verdade, assustadora porque a diminuição do investimento leva ao aumento do desemprego e à diminuição PIB pm, o que agrava cada vez mais a recessão económica que o nosso país está a atravessar. Por outro lado a divida pública aumenta, aumentando a nossa dependência em relação ao Exterior. • Somos levados a perguntar: Qual a solução? • Gostamos de responder mas se nem os nossos Governantes a encontram mais difícil para nós opinar.