SlideShare uma empresa Scribd logo
FITOTERAPIA
BRASILEIRA
NA ESTÉTICA
Sérgio Franceschini Filho
FITOCOSMÉTICA:
Estudo e aplicação dos princípios ativos extraídos dos vegetais, em proveito da
higiene, da estética, da correção e da manutenção de um estado normal e sadio
da pele.
O emprego dos produtos vegetais para fins de embelezamento encontra referências há mais de 5000 anos.
Cleópatra, com sua conhecida vaidade, motivou a pesquisa cosmética e, um primeiro formulário “Cleopatre
gynoecirium libri” foi editado durante seu reinado. Neste formulário foram descritos cuidados higiênicos,
estéticos e tratamentos de diversas afecções da pele, através de pomadas coloridas e linimentos à base de
plantas e óleos vegetais.
Do Oriente, o uso de produtos naturais difundiu-se para o mundo grego.
O formulário "Os cosméticos de Ovídio", no qual são mencionadas receitas e
pomadas da época à base de vegetais, surge no ano IV.
Dessa época, até os dias atuais, o estudo dos vegetais e a aplicação dos seus
ativos, seja na forma de extratos ou os princípios ativos isolados, vem
ganhando cada vez mais espaço na indústria cosmética moderna.
“Tratar da saúde é mais importante do que tratar da doença”
Sérgio Franceschini Filho
AR
ÁGUA
ALIMENTO
SAÚDE = 3 As
ESPINHEIRA SANTA
Maytenus ilicifolia
Espinheira divina, Salva-vidas, Espinho de Deus, Cancerosa, Cancrosa, Cancorosa,
Congorça, Coromilho do campo, Maiteno, Sombra de Touro.
Parte utilizada: Folhas – Tanino, Flavonóides, Mucilagem, Carotenóides
Dispepsias, Azias, Úlcera gástrica
- Cicatrizante
- Antisséptico
- Acnes
- Espinhas
- Útil para peles oleosas: tônico e limpeza.

Recomendado para você

Guia completo-da-aromaterapia v1
Guia completo-da-aromaterapia v1Guia completo-da-aromaterapia v1
Guia completo-da-aromaterapia v1

1. O documento é um guia completo sobre aromaterapia para iniciantes que explica como usar óleos essenciais para melhorar a saúde e equilibrar as emoções. 2. A aromaterapia é definida como uma prática multidisciplinar que usa óleos essenciais extraídos de plantas para fins medicinais e estéticos, conforme comprovado cientificamente. 3. O guia explica a história da aromaterapia, como os óleos essenciais evoluíram nas plantas ao longo do tempo,

Peeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto KeynesPeeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto Keynes

O documento fornece uma introdução sobre os peelings, definindo-os como uma forma de esfoliação controlada que resulta na destruição e regeneração de tecidos da pele. Descreve os principais tipos de peelings: mecânicos, biológicos, físicos, químicos e mistos. Explora alguns métodos específicos como a microdermabrasão, peelings enzimáticos e a laser. Discute indicações, contraindicações e efeitos dos diferentes níveis de peelings.

peeling básicoestéticacosmetologia
Ares 2013
Ares 2013Ares 2013
Ares 2013

O documento resume as informações sobre carboxiterapia, incluindo sua história, princípios, equipamentos, aplicações e indicações. A técnica envolve a administração de dióxido de carbono para fins terapêuticos de forma segura e eficaz no tratamento de diversas condições.

CALÊNDULA
Calendula officinalis L.
Malmequer, Maravilhas, Maravilha, Maravilha do jardim, Flor de defunto,
Verrucária, Magarida dourada.
Parte utilizada: Flores - Óleo essencial, Carotenóides,
Mucilagens, Flavonóides, Resina, Saponinas, Glicosídeos.
Cicatrizante, Anti-inflamatório, Antisséptico, Queimaduras, Irritação da mucosa
- Acne
- Espinhas
- Útil para peles secas: tônico e limpeza
UVA
Vitis sp.
Parte utilizada: casca - Resveratrol
MINERAIS: Potássio, Ferro, Magnésio, Cálcio, Manganês, Cobre, Fósforo,
Zinco, Sódio, Lítio.
VITAMINAS: Vit. A, Tiamina (vitamina B1), Riboflavina (vitamina B2),
Niacina (vitamina B3), Piridoxina (vitamina B6), Acido Fólico (vitamina B9),
Ácido Pantotênico, (vitamina B5), Ácido Ascórbico (vitamina C).
AMINOÁCIDOS: Ácido Glutâmico, Alanina, Arginina, L-Glutamina
Estimula as funções hepáticas, Melhora o sistema cardiovascular,
Alcalinizante, Antioxidante, Depurativo, Eczemas
- Diminui a pigmentação.
- Protege contra raios UVB.
- Tonifica a pele.
AÇAFRÃO
Curcuma longa
Açafrão indiano, açafrão-da-terra, açafrão ou gengibre amarelo
Parte utilizada: Rizoma - Curcumina, tumerona e limoneno
Ação antibacteriana e antiparasitária
Ação anti-inflamatória
Hipoglicemiante
- Antioxidante.
- Interfere nos mecanismos de sinalização celular.
- Útil em dietas.
- Trata feridas, escaras e erisipelas.
- Facilita a eliminação de gordura.
Ananas lucidus, Ananas sativus, Ananas comosus,
Aechimea bromeliaefolia.
Parte utilizada: Casca - Bromelina
Diurético; Vermífugo; Digestivo; Doenças respiratórias; Tosse,
Expectorante; Garganta (inflamação)
- Antisséptico.
- Acne.
- Limpeza de pele.
- Elimina nódulos.

Recomendado para você

Tinturas Homeopáticas
Tinturas HomeopáticasTinturas Homeopáticas
Tinturas Homeopáticas

O documento descreve o processo de preparação de tinturas-mãe homeopáticas a partir de vegetais frescos. Primeiro, determina-se o resíduo sólido da planta através de secagem. Em seguida, calcula-se 10 vezes a quantidade de resíduo sólido para obter a quantidade final de tintura-mãe, usando um teor hidroalcoólico apropriado de acordo com o resíduo sólido. Por fim, exemplifica os cálculos para um caso com 28% de resíduo sólido.

62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia

A Bambuterapia é uma técnica de massagem que usa pedaços de bambu para melhorar a circulação, drenar líquidos e modelar o corpo. Origem da França, ela relaxa a musculatura, promove drenagem linfática e auxilia na redução de celulite de forma mais intensa do que a drenagem linfática tradicional. As sessões duram em média 50 minutos e podem ser realizadas até duas vezes por semana.

Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita CosméticosCosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos

Conteúdo da palestra sobre Cosmetologia, ministrada pela técnica em estética e diretora de treinamentos e P&D da Buona Vita Cosméticos, Isabel Luiza Piatti, no II Encontro de Coordenadores de Instituição de Ensino - Buona Vita Cosméticos.

cosmetologiaencontrobuona vita
CRAJIRU
Arrabidaea chica
Pariri, carajuru, punca-panga e chica
Parte utilizada: Folhas - Saponinas, Quininas, Flavonas, Taninos, Alcalóides
(corante vermelho).
Anti-inflamatório, Adstringente, Cólicas intestinais, Disenterias, Anemia
- Feridas e úlceras
- Espinhas
- Irritações
BABOSA
Aloe vera
Erva babosa, Erva de babosa, Erva de azebra, Azebre, Aloés,
Aloé do cabo, Caraguatá, Aboré, Amboré.
Parte utilizada: Folhas, gel mucilaginoso –
Polissacarídeos, Glicosídeos (Aloína, Aloenina),
Mucilagem, Tanino, Resinas (Aloeresina A e Aloeresina C), Ácido cumarínico,
Antraquinonas, Vitaminas (B1 e B2, B6, C e E), Sais minerais (Cálcio,
Potássio, Sódio, Manganês, Magnésio, Cobre, Zinco e Cromo).
Fortalece o bulbo capilar e protege os fios de cabelo, Tônico estomacal.; Queimaduras térmicas de 1º e 2º graus e
de radiação; Hemorroidas; Cicatrizante; Aumenta as defesas imunológicas; Laxativo.
- Regenera a pele, pois os seus princípios ativos têm a capacidade de
contrair as mucosas, vasos e tecidos promovendo a regeneração.
- Queimaduras
GINKGO
Ginkgo biloba
Parte utilizada: Folhas, partes aéreas (caule e flores) -
ginkgoflavonóides (quercetina, kaempferol, isorhamnetina, e
terpenolactonas (bilobalide, ginkgolide A,B,C,E).
Venda sob prescrição médica.
Vertigens e zumbidos (tínidos) resultantes de distúrbios
circulatórios periféricos (claudicação intermitente); Insuficiência
vascular cerebral.
- Protege contra os raios UVB
- Depois da aplicação tópica na epiderme e através da
via sistêmica, aumenta a atividade das enzimas no
fígado, coração e rim.
- Melhora a circulação
MAMÃO
Carica papaya
Papaia, Papaieira.
Parte utilizada: fruto (mamão verde) - Papaína
Tosse; Vermífugo; Laxativo, Digestivo; Antisséptico; Cicatrizante; Fraturas
- Manchas da pele
- Verrugas
- Fístulas

Recomendado para você

Aromaterapia Phitotherápica - Juliana Marchetti
Aromaterapia Phitotherápica  - Juliana MarchettiAromaterapia Phitotherápica  - Juliana Marchetti
Aromaterapia Phitotherápica - Juliana Marchetti

O documento discute a aromaterapia e como os óleos essenciais das plantas podem ser usados para melhorar a saúde e o bem-estar. Explica que a Phytoterápica divulga a aromaterapia no Brasil e busca contribuir para a qualidade de vida das pessoas de forma natural e respeitosa ao meio ambiente. Também fornece detalhes sobre como extrair óleos essenciais das plantas, suas propriedades, formas de uso e algumas precauções.

juliana marchettiaromateraphiatratamento alternativo
Massoterapia
MassoterapiaMassoterapia
Massoterapia

O documento discute a massoterapia como uma forma terapêutica utilizando técnicas de massagem. Apresenta o histórico, objetivos, componentes, técnicas e tipos de massagens, além de observações importantes sobre a prática. A massoterapia é definida como a utilização da massagem para fins terapêuticos, tendo uma carga horária menor que a fisioterapia.

massoterapiasaudemassagem
Estética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologiaEstética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologia

O documento discute os componentes básicos de formulações cosméticas, incluindo veículos, umectantes, emolientes, espessantes, tensoativos, hidratantes, conservantes e seqüestrantes. Ele explica o papel e exemplos de cada um destes componentes no desenvolvimento de produtos cosméticos seguros e eficazes.

www.casadaterracursos.com.br
www.casadaterra.pro.br
Prof. Sérgio Franceschini
Banho
Faz-se uma infusão ou decocção, mais concentrada que deve ser coada e misturada na água do banho.
Outra maneira indicada é colocar as ervas em um saco de pano firme e deixar boiando na água do banho.
Ou ainda, fazer um saco de gaze em forma de funil e prende-lo ao chuveiro
Os banhos podem ser parciais ou de corpo inteiro, e são normalmente indicados 1 vez por dia.
Cataplasma
Podem ser obtidos por diversas formas:
a) amassar as ervas frescas e limpas, aplicar diretamente sobre a parte afetada ou envolvidas em um pano
fino ou gaze;
b) as ervas secas podem ser reduzidas a pó, misturadas em água, chás ou outras preparações e aplicadas
envoltas em pano fino sobre as partes afetadas;
c) pode-se ainda utilizar farinha de mandioca ou fubá de milho e água, geralmente quente, com a planta
fresca ou seca triturada.
Compressa
Preparação de uso local (tópico) que atua pela penetração dos princípios ativos através
da pele.
Utilizam-se panos, chumaços de algodão ou gaze embebidos em um infuso, decocto,
sumo ou tintura da planta dissolvida em água.
A compressa pode ser quente ou fria.
Outra forma é molhar a ponta de uma
toalha e colocar no local afetado, cobrindo
com a outra ponta da toalha seca,
para conservar o calor.

Recomendado para você

Drenagem linfática
Drenagem linfática Drenagem linfática
Drenagem linfática

O documento descreve a drenagem linfática, incluindo sua história, estruturas, fisiologia e técnicas. A drenagem linfática é uma massagem que estimula o sistema linfático a eliminar líquidos e toxinas do corpo. Sua prática data do século XIX e envolve toques suaves para mobilizar a linfa até os gânglios linfáticos.

drenagem linfaticafisioterapiamassagem
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013

A fitoterapia tem uma longa história de uso de plantas medicinais datando de 3000 a.C. Os egípcios, chineses, índios e gregos contribuíram significativamente para o desenvolvimento inicial da fitoterapia. Apesar de períodos de declínio, a fitoterapia moderna se beneficia de métodos avançados de extração, identificação e padronização para garantir a segurança dos fitoterápicos.

Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento CutâneoCosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo

O documento discute sobre envelhecimento cutâneo e classifica-o em três graus com estratégias de tratamento correspondentes. Também aborda rugas, depressões da pele, fotodano cutâneo, procedimentos estéticos como peeling e a importância da fotoproteção.

skinsunaging
Decocção
Preparação normalmente utilizada para ervas não aromáticas
(que contém princípios estáveis ao calor) e para as drogas
vegetais constituídas por sementes, raízes, cascas e outras partes de maior resistência à ação da água
quente.
2 colheres de sopa da planta em meio litro de água fervente.
Cobre-se e deixa-se ferver em fogo baixo por 10 a 20 minutos.
Coar e espremer a erva com um pedaço de pano de ou coador.
O decocto deve ser utilizado no mesmo dia de seu preparo, em no máximo de 12 horas.
Infusão
Preparação utilizada para todas as partes de plantas
medicinais ricas em componentes voláteis, aromas
delicados e princípios ativos que se degradam pela ação combinada de água e do calor.
Normalmente, trata-se de partes das plantas tais como flores botões e folhas.
As infusões são obtidas aquecendo-se a água necessária, que é derramada sobre a erva já separada,
colocada em outro recipiente, normalmente 2 colheres de sopa da planta triturada para cada meio litro de
água.
Após a mistura, o recipiente permanece tampado por um tempo variável entre 5 e 10 minutos.
Deve-se coar o infuso, logo após o término do repouso.
O infuso deve ser ingerido no mesmo dia da preparação em no máximo 12 horas.
Pós-vegetais:
Os vegetais na forma de pó possuem uma grande
aplicação no arsenal terapêutico, podendo ser
incorporados facilmente às formas galênicas secas
como cápsulas e comprimidos e também serem utilizados diretamente, por exemplo, misturados
a água, suco, alimentos, etc..
Após a eliminação dos corpos estranhos e das partes inertes, as ervas devem ser secas a uma
temperatura de 25ºC a 45ºC, depois são trituradas em moinhos de diversos modelos e
peneiradas, tendo então a sua granulometria padronizada.
As vantagens de utilizar os vegetais na forma de pó são diversas, como: administração da droga
relativamente segura, manipulação simples, possibilitando misturas,
além de permitir o ajuste ou eventual concentração do princípio ativo.
Suco de planta fresca
O suco da planta fresca é a suspensão da planta, com
seus constituintes ativos e inativos, em álcool a 30º G.L.
Por diversos processos modernos, são estabilizados, inativando as enzimas e evitando
uma degradação rápida dos princípios ativos.
Esta forma nova de apresentação das plantas permite a utilização de todo o fitocomplexo
da planta fresca sem a perda de nenhum princípio ativo.

Recomendado para você

Trabalho farmacia
Trabalho farmaciaTrabalho farmacia
Trabalho farmacia

O documento classifica e descreve várias formas farmacêuticas, incluindo formas sólidas como cápsulas, comprimidos e supositórios, formas pastosas como pomadas e cremes, formas líquidas como soluções, elixires e xaropes, e formas especiais como aerossóis, ampolas e colírios. O objetivo das formas farmacêuticas é normalizar a dose de medicamentos e facilitar sua administração.

Clínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
Clínica de Dor no Tratamento da Dor MuscularClínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
Clínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular

Aula do Dr. Tsutomu Higashi no congresso de medicina Ortomolecular sobre Clínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular.

clinica de dortratamento da dorortomolecular
Fitoterapia
FitoterapiaFitoterapia
Fitoterapia

O documento discute o uso da fitoterapia para tratar várias desordens orgânicas. Ele fornece exemplos de fitoterápicos benéficos para a prevenção de cáries e periodontite, como cranberry e cacau. Além disso, lista fitoterápicos que podem ser usados no tratamento de obstipação, diabetes, hipertensão e outras condições.

fitoterápicospatologias
Tinturas vegetais
São preparadas à temperatura ambiente pela ação do álcool
sobre uma erva seca (tintura simples) ou sobre uma mistura
de ervas (tintura composta).
São preparadas por solução simples, maceração ou percolação.
A tintura simples corresponde a 1/5 do seu peso em erva seca, quer dizer que 200 g de erva seca
permitem preparar 1.000 g de tintura.
Na maioria das vezes se utiliza um álcool a 60º G.L.
Existem algumas exceções, como as tinturas de materiais resinosos, ou drogas ricas em essências
ou resinas como boldo, canela, eucalipto, grindélia, ou ricas em mucilagens como casca de laranja
amarga, onde o título do álcool é de 80º G.L.
As drogas muito ativas (heróicas), como o acônito e a beladona são preparadas por percolação
com álcool 70º G.L.
As tinturas de ópio e noz-vômica são preparadas
por simples dissolução do extrato correspondente
em um álcool a 70º G.L., obtendo-se um título
final de aproximadamente 10 % de planta seca.
Unguento e pomada
A pomada pode ser preparada com o sumo da erva,
com a tintura, com o pó ou com o chá misturado
com a banha animal, gordura de coco, gordura vegetal ou vaselina.
Pode-se ainda aquecer as ervas na gordura depois coar e guardar em frascos tampados.
Pode-se adicionar um pouco de cera de abelha nas preparações a quente da pomada.
As pomadas permanecem mais tempo sobre a pele, devem ser usadas a frio e renovadas 2
a 3 vezes ao dia.
Vinho medicinal
Usa-se vinho branco, tinto ou licoroso com graduação alcoólica de aproximadamente
11ºG.L.
Usar 5g de ou mais ervas para cada 100 ml de vinho.
Tampar e deixar em local escuro, ao abrigo da luz por um período de 10 a 15 dias. Filtra-se
o preparado.
Toma-se uma colher antes ou depois das refeições, ou conforme indicações.
www.casadaterracursos.com.br
www.casadaterra.pro.br
Prof. Sérgio Franceschini

Recomendado para você

Introdução à farmacologia
Introdução à farmacologiaIntrodução à farmacologia
Introdução à farmacologia

A aula de farmacologia introduz os principais conceitos da disciplina, incluindo: 1) A farmacologia estuda a interação de medicamentos com organismos vivos, examinando seu metabolismo no corpo (farmacocinética) e efeitos bioquímicos (farmacodinâmica). 2) Existem várias vias para administração de medicamentos, que afetam a taxa e extensão de absorção no corpo. 3) É importante considerar fatores do paciente e do medicamento para assegurar o uso racional de medicamentos.

farmacologíafarmacocinética
INTERAÇ
INTERAÇINTERAÇ
INTERAÇ

O documento discute reações adversas a medicamentos e interações medicamentosas. As principais ideias incluem: (1) reações adversas a medicamentos são respostas nocivas e não intencionais a medicamentos; (2) interações medicamentosas podem ocorrer quando medicamentos são tomados juntos e podem aumentar ou diminuir os efeitos dos medicamentos; (3) fatores como idade, doenças pré-existentes e uso concomitante de outros medicamentos podem influenciar as interações.

Apostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
Apostila do Curso de Fitoterapia ChinesaApostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
Apostila do Curso de Fitoterapia Chinesa

Este documento discute os fundamentos da fitoterapia chinesa, incluindo seu objetivo de ensinar terapeutas a identificar alimentos que podem desequilibrar pacientes e orientá-los a se alimentar de forma adequada para auxiliar no tratamento. Também fornece detalhes sobre a classificação fitoquímica de plantas usadas na medicina tradicional chinesa e métodos comuns de preparação de fitoterápicos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

416829085-Intradermoterapia-GORDURA-LOCALIZADA.pptx
416829085-Intradermoterapia-GORDURA-LOCALIZADA.pptx416829085-Intradermoterapia-GORDURA-LOCALIZADA.pptx
416829085-Intradermoterapia-GORDURA-LOCALIZADA.pptx
CRISTIANEFARIASROCHA1
 
Apresentação - Como Planejar suas refeições
Apresentação - Como Planejar suas refeiçõesApresentação - Como Planejar suas refeições
Apresentação - Como Planejar suas refeições
Marcos Araguê
 
Formas farmaceuticas
Formas farmaceuticasFormas farmaceuticas
Guia completo-da-aromaterapia v1
Guia completo-da-aromaterapia v1Guia completo-da-aromaterapia v1
Guia completo-da-aromaterapia v1
Gilmar Francisco Oliveira
 
Peeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto KeynesPeeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto Keynes
Instituto Keynes
 
Ares 2013
Ares 2013Ares 2013
Ares 2013
IBRAMED
 
Tinturas Homeopáticas
Tinturas HomeopáticasTinturas Homeopáticas
Tinturas Homeopáticas
Safia Naser
 
62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita CosméticosCosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Buona Vita
 
Aromaterapia Phitotherápica - Juliana Marchetti
Aromaterapia Phitotherápica  - Juliana MarchettiAromaterapia Phitotherápica  - Juliana Marchetti
Aromaterapia Phitotherápica - Juliana Marchetti
Juliana Marchetti
 
Massoterapia
MassoterapiaMassoterapia
Massoterapia
Renan Malaquias
 
Estética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologiaEstética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologia
Sueli Mazzero Polizel
 
Drenagem linfática
Drenagem linfática Drenagem linfática
Drenagem linfática
MiltonRicardodeMedei
 
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Márcio Ravazoli
 
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento CutâneoCosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Rodrigo Caixeta
 
Trabalho farmacia
Trabalho farmaciaTrabalho farmacia
Trabalho farmacia
Daniela Batista
 
Clínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
Clínica de Dor no Tratamento da Dor MuscularClínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
Clínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
Clínica Higashi
 
Fitoterapia
FitoterapiaFitoterapia
Fitoterapia
Cíntia Costa
 
Introdução à farmacologia
Introdução à farmacologiaIntrodução à farmacologia
Introdução à farmacologia
Mauro Cunha Xavier Pinto
 
INTERAÇ
INTERAÇINTERAÇ

Mais procurados (20)

416829085-Intradermoterapia-GORDURA-LOCALIZADA.pptx
416829085-Intradermoterapia-GORDURA-LOCALIZADA.pptx416829085-Intradermoterapia-GORDURA-LOCALIZADA.pptx
416829085-Intradermoterapia-GORDURA-LOCALIZADA.pptx
 
Apresentação - Como Planejar suas refeições
Apresentação - Como Planejar suas refeiçõesApresentação - Como Planejar suas refeições
Apresentação - Como Planejar suas refeições
 
Formas farmaceuticas
Formas farmaceuticasFormas farmaceuticas
Formas farmaceuticas
 
Guia completo-da-aromaterapia v1
Guia completo-da-aromaterapia v1Guia completo-da-aromaterapia v1
Guia completo-da-aromaterapia v1
 
Peeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto KeynesPeeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto Keynes
 
Ares 2013
Ares 2013Ares 2013
Ares 2013
 
Tinturas Homeopáticas
Tinturas HomeopáticasTinturas Homeopáticas
Tinturas Homeopáticas
 
62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia62058962 54663295-bambuterapia
62058962 54663295-bambuterapia
 
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita CosméticosCosmetologia - Buona Vita Cosméticos
Cosmetologia - Buona Vita Cosméticos
 
Aromaterapia Phitotherápica - Juliana Marchetti
Aromaterapia Phitotherápica  - Juliana MarchettiAromaterapia Phitotherápica  - Juliana Marchetti
Aromaterapia Phitotherápica - Juliana Marchetti
 
Massoterapia
MassoterapiaMassoterapia
Massoterapia
 
Estética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologiaEstética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologia
 
Drenagem linfática
Drenagem linfática Drenagem linfática
Drenagem linfática
 
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
 
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento CutâneoCosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
 
Trabalho farmacia
Trabalho farmaciaTrabalho farmacia
Trabalho farmacia
 
Clínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
Clínica de Dor no Tratamento da Dor MuscularClínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
Clínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
 
Fitoterapia
FitoterapiaFitoterapia
Fitoterapia
 
Introdução à farmacologia
Introdução à farmacologiaIntrodução à farmacologia
Introdução à farmacologia
 
INTERAÇ
INTERAÇINTERAÇ
INTERAÇ
 

Destaque

Apostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
Apostila do Curso de Fitoterapia ChinesaApostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
Apostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
Rogério Versolatto
 
Plantas brasileiras na mtc
Plantas brasileiras na mtcPlantas brasileiras na mtc
Plantas brasileiras na mtc
CENTRO DE ESTUDOS DA MEDICINA CHINESA
 
Fitoterapia no Controle das Diabetes Lasi 2014
Fitoterapia no Controle das Diabetes Lasi 2014Fitoterapia no Controle das Diabetes Lasi 2014
Fitoterapia no Controle das Diabetes Lasi 2014
Felipe Galdiano
 
Medicamentos fitoterápicos simplificados
Medicamentos fitoterápicos simplificadosMedicamentos fitoterápicos simplificados
Medicamentos fitoterápicos simplificados
Ítalo Arrais
 
Apostila dietetica chinesa_-_prof_tania
Apostila dietetica chinesa_-_prof_taniaApostila dietetica chinesa_-_prof_tania
Apostila dietetica chinesa_-_prof_tania
Walter Santos
 
36544490 apostila-de-fitoterapia-lista-de-preparacao-e-usos-de-ervas (1)
36544490 apostila-de-fitoterapia-lista-de-preparacao-e-usos-de-ervas (1)36544490 apostila-de-fitoterapia-lista-de-preparacao-e-usos-de-ervas (1)
36544490 apostila-de-fitoterapia-lista-de-preparacao-e-usos-de-ervas (1)
Maria Alves Silva
 
Fitoterapia no idoso
Fitoterapia no idosoFitoterapia no idoso
Fitoterapia no idoso
Leandro Medeiros
 
Horoscopo das árvores
Horoscopo das árvoresHoroscopo das árvores
Horoscopo das árvores
Faculdade Mário Schenberg
 
A simplicidade e força das plantas na manutenção
A simplicidade e força das plantas na manutençãoA simplicidade e força das plantas na manutenção
A simplicidade e força das plantas na manutenção
Faculdade Mário Schenberg
 
Como Combater os Distúrbios da Menopausa Com Remédios Naturais Caseiros
Como Combater os Distúrbios da Menopausa Com Remédios Naturais CaseirosComo Combater os Distúrbios da Menopausa Com Remédios Naturais Caseiros
Como Combater os Distúrbios da Menopausa Com Remédios Naturais Caseiros
Leide1972
 
Fitoterapia na prática clínica do nutricionista
Fitoterapia na prática clínica do nutricionistaFitoterapia na prática clínica do nutricionista
Fitoterapia na prática clínica do nutricionista
Renato Marques
 
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009 cn
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009 cnWorkshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009 cn
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009 cn
Ásia Mágica
 
Matriciamento fitoterapicos .ppt
Matriciamento fitoterapicos .ppt Matriciamento fitoterapicos .ppt
Matriciamento fitoterapicos .ppt
apemfc
 
Medicamentos Fitoterápicos
Medicamentos FitoterápicosMedicamentos Fitoterápicos
Medicamentos Fitoterápicos
Lucash Martins
 
Sueli Marques Dra. Acupuntura estética
Sueli Marques Dra. Acupuntura estéticaSueli Marques Dra. Acupuntura estética
Sueli Marques Dra. Acupuntura estética
Sueli Marques
 
Canais unitarios
Canais unitariosCanais unitarios
Canais unitarios
Luciano Francisco
 
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeacoO diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
Fisio Júnias
 
Plantas medicinais
Plantas medicinaisPlantas medicinais
Plantas medicinais
Far Cavalcante
 
Nadia Poletti
Nadia PolettiNadia Poletti
Produção de plantas bioativas - Fitoterapia e SUS
Produção de plantas bioativas - Fitoterapia e SUSProdução de plantas bioativas - Fitoterapia e SUS
Produção de plantas bioativas - Fitoterapia e SUS
Júnior Maidana
 

Destaque (20)

Apostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
Apostila do Curso de Fitoterapia ChinesaApostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
Apostila do Curso de Fitoterapia Chinesa
 
Plantas brasileiras na mtc
Plantas brasileiras na mtcPlantas brasileiras na mtc
Plantas brasileiras na mtc
 
Fitoterapia no Controle das Diabetes Lasi 2014
Fitoterapia no Controle das Diabetes Lasi 2014Fitoterapia no Controle das Diabetes Lasi 2014
Fitoterapia no Controle das Diabetes Lasi 2014
 
Medicamentos fitoterápicos simplificados
Medicamentos fitoterápicos simplificadosMedicamentos fitoterápicos simplificados
Medicamentos fitoterápicos simplificados
 
Apostila dietetica chinesa_-_prof_tania
Apostila dietetica chinesa_-_prof_taniaApostila dietetica chinesa_-_prof_tania
Apostila dietetica chinesa_-_prof_tania
 
36544490 apostila-de-fitoterapia-lista-de-preparacao-e-usos-de-ervas (1)
36544490 apostila-de-fitoterapia-lista-de-preparacao-e-usos-de-ervas (1)36544490 apostila-de-fitoterapia-lista-de-preparacao-e-usos-de-ervas (1)
36544490 apostila-de-fitoterapia-lista-de-preparacao-e-usos-de-ervas (1)
 
Fitoterapia no idoso
Fitoterapia no idosoFitoterapia no idoso
Fitoterapia no idoso
 
Horoscopo das árvores
Horoscopo das árvoresHoroscopo das árvores
Horoscopo das árvores
 
A simplicidade e força das plantas na manutenção
A simplicidade e força das plantas na manutençãoA simplicidade e força das plantas na manutenção
A simplicidade e força das plantas na manutenção
 
Como Combater os Distúrbios da Menopausa Com Remédios Naturais Caseiros
Como Combater os Distúrbios da Menopausa Com Remédios Naturais CaseirosComo Combater os Distúrbios da Menopausa Com Remédios Naturais Caseiros
Como Combater os Distúrbios da Menopausa Com Remédios Naturais Caseiros
 
Fitoterapia na prática clínica do nutricionista
Fitoterapia na prática clínica do nutricionistaFitoterapia na prática clínica do nutricionista
Fitoterapia na prática clínica do nutricionista
 
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009 cn
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009 cnWorkshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009 cn
Workshop de Medicina Tradicional Chinesa, China, julho de 2009 cn
 
Matriciamento fitoterapicos .ppt
Matriciamento fitoterapicos .ppt Matriciamento fitoterapicos .ppt
Matriciamento fitoterapicos .ppt
 
Medicamentos Fitoterápicos
Medicamentos FitoterápicosMedicamentos Fitoterápicos
Medicamentos Fitoterápicos
 
Sueli Marques Dra. Acupuntura estética
Sueli Marques Dra. Acupuntura estéticaSueli Marques Dra. Acupuntura estética
Sueli Marques Dra. Acupuntura estética
 
Canais unitarios
Canais unitariosCanais unitarios
Canais unitarios
 
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeacoO diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
O diagnóstico na medicina chinesa [auteroche, navailh]blzdeaco
 
Plantas medicinais
Plantas medicinaisPlantas medicinais
Plantas medicinais
 
Nadia Poletti
Nadia PolettiNadia Poletti
Nadia Poletti
 
Produção de plantas bioativas - Fitoterapia e SUS
Produção de plantas bioativas - Fitoterapia e SUSProdução de plantas bioativas - Fitoterapia e SUS
Produção de plantas bioativas - Fitoterapia e SUS
 

Semelhante a Fitoterapia brasileira na estética

cartilha-plantas-medicinais-247.pdf-projeto mulheres da mata
cartilha-plantas-medicinais-247.pdf-projeto mulheres da matacartilha-plantas-medicinais-247.pdf-projeto mulheres da mata
cartilha-plantas-medicinais-247.pdf-projeto mulheres da mata
ricardoferreiramirap
 
Apostila Cha
Apostila ChaApostila Cha
Apostila Cha
Medusa Fabula
 
Fitoterapia módulo ii
Fitoterapia   módulo iiFitoterapia   módulo ii
Fitoterapia módulo ii
Marcos An
 
Soluções Extrativas: princípios ativos derivados. Aplicação em fitocosmética
Soluções Extrativas: princípios ativos derivados. Aplicação em fitocosméticaSoluções Extrativas: princípios ativos derivados. Aplicação em fitocosmética
Soluções Extrativas: princípios ativos derivados. Aplicação em fitocosmética
paulosa14
 
Fitoterápicos (Farmácia Viva)
Fitoterápicos (Farmácia Viva)Fitoterápicos (Farmácia Viva)
Fitoterápicos (Farmácia Viva)
Mailson Wanessa Freitas
 
Agroecologia - Plantas Medicinais
Agroecologia - Plantas MedicinaisAgroecologia - Plantas Medicinais
Agroecologia - Plantas Medicinais
Bruno Anacleto
 
Agroecológico Fevereiro 2012
Agroecológico Fevereiro 2012Agroecológico Fevereiro 2012
Agroecológico Fevereiro 2012
sintermg
 
Plantas importantes para a cadeia alimentar no ecossistema
Plantas importantes para a cadeia alimentar no ecossistemaPlantas importantes para a cadeia alimentar no ecossistema
Plantas importantes para a cadeia alimentar no ecossistema
Eva Yunus Ornay
 
Angelica - Angelica archangelica L.
Angelica - Angelica archangelica L. Angelica - Angelica archangelica L.
Angelica - Angelica archangelica L.
Chá Fit
 
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdf
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdfAula Plantas medicinais I-2-53.pdf
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdf
MARCIARODRIGUES121891
 
Cartilha plantas medicinais
Cartilha plantas medicinaisCartilha plantas medicinais
Cartilha plantas medicinais
barbiebruxadoleste
 
Apostila de fitoterapia prof. rogério versolatto
Apostila de fitoterapia prof. rogério versolattoApostila de fitoterapia prof. rogério versolatto
Apostila de fitoterapia prof. rogério versolatto
Augusto Santana
 
Agrimonia - Agrimonia eupatoria L.
Agrimonia - Agrimonia eupatoria L.Agrimonia - Agrimonia eupatoria L.
Agrimonia - Agrimonia eupatoria L.
Chá Fit
 
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHIFICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
Scorpion Power PC
 
Terra fria
Terra friaTerra fria
Terra fria
Vitor Menas
 
PLANTAS AROMÁTICAS MEDICINAIS.pdf
PLANTAS AROMÁTICAS MEDICINAIS.pdfPLANTAS AROMÁTICAS MEDICINAIS.pdf
PLANTAS AROMÁTICAS MEDICINAIS.pdf
MARCIARODRIGUES121891
 
Abacaxi
AbacaxiAbacaxi
Abacaxi
Chá Fit
 
Farmacotécnica do Xarope Fitoterápico à base de açúcar mascavo
Farmacotécnica do Xarope Fitoterápico à base de açúcar mascavoFarmacotécnica do Xarope Fitoterápico à base de açúcar mascavo
Farmacotécnica do Xarope Fitoterápico à base de açúcar mascavo
Fernando Amaral de Calais
 
Apostila de-fitoterapia-preparacao-e-usos-de-ervas
Apostila de-fitoterapia-preparacao-e-usos-de-ervasApostila de-fitoterapia-preparacao-e-usos-de-ervas
Apostila de-fitoterapia-preparacao-e-usos-de-ervas
Gilvanda ribeiro
 
Abacaxi - Ananas comosus (L.) Merr
Abacaxi - Ananas comosus (L.) MerrAbacaxi - Ananas comosus (L.) Merr
Abacaxi - Ananas comosus (L.) Merr
Chá Fit
 

Semelhante a Fitoterapia brasileira na estética (20)

cartilha-plantas-medicinais-247.pdf-projeto mulheres da mata
cartilha-plantas-medicinais-247.pdf-projeto mulheres da matacartilha-plantas-medicinais-247.pdf-projeto mulheres da mata
cartilha-plantas-medicinais-247.pdf-projeto mulheres da mata
 
Apostila Cha
Apostila ChaApostila Cha
Apostila Cha
 
Fitoterapia módulo ii
Fitoterapia   módulo iiFitoterapia   módulo ii
Fitoterapia módulo ii
 
Soluções Extrativas: princípios ativos derivados. Aplicação em fitocosmética
Soluções Extrativas: princípios ativos derivados. Aplicação em fitocosméticaSoluções Extrativas: princípios ativos derivados. Aplicação em fitocosmética
Soluções Extrativas: princípios ativos derivados. Aplicação em fitocosmética
 
Fitoterápicos (Farmácia Viva)
Fitoterápicos (Farmácia Viva)Fitoterápicos (Farmácia Viva)
Fitoterápicos (Farmácia Viva)
 
Agroecologia - Plantas Medicinais
Agroecologia - Plantas MedicinaisAgroecologia - Plantas Medicinais
Agroecologia - Plantas Medicinais
 
Agroecológico Fevereiro 2012
Agroecológico Fevereiro 2012Agroecológico Fevereiro 2012
Agroecológico Fevereiro 2012
 
Plantas importantes para a cadeia alimentar no ecossistema
Plantas importantes para a cadeia alimentar no ecossistemaPlantas importantes para a cadeia alimentar no ecossistema
Plantas importantes para a cadeia alimentar no ecossistema
 
Angelica - Angelica archangelica L.
Angelica - Angelica archangelica L. Angelica - Angelica archangelica L.
Angelica - Angelica archangelica L.
 
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdf
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdfAula Plantas medicinais I-2-53.pdf
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdf
 
Cartilha plantas medicinais
Cartilha plantas medicinaisCartilha plantas medicinais
Cartilha plantas medicinais
 
Apostila de fitoterapia prof. rogério versolatto
Apostila de fitoterapia prof. rogério versolattoApostila de fitoterapia prof. rogério versolatto
Apostila de fitoterapia prof. rogério versolatto
 
Agrimonia - Agrimonia eupatoria L.
Agrimonia - Agrimonia eupatoria L.Agrimonia - Agrimonia eupatoria L.
Agrimonia - Agrimonia eupatoria L.
 
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHIFICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
 
Terra fria
Terra friaTerra fria
Terra fria
 
PLANTAS AROMÁTICAS MEDICINAIS.pdf
PLANTAS AROMÁTICAS MEDICINAIS.pdfPLANTAS AROMÁTICAS MEDICINAIS.pdf
PLANTAS AROMÁTICAS MEDICINAIS.pdf
 
Abacaxi
AbacaxiAbacaxi
Abacaxi
 
Farmacotécnica do Xarope Fitoterápico à base de açúcar mascavo
Farmacotécnica do Xarope Fitoterápico à base de açúcar mascavoFarmacotécnica do Xarope Fitoterápico à base de açúcar mascavo
Farmacotécnica do Xarope Fitoterápico à base de açúcar mascavo
 
Apostila de-fitoterapia-preparacao-e-usos-de-ervas
Apostila de-fitoterapia-preparacao-e-usos-de-ervasApostila de-fitoterapia-preparacao-e-usos-de-ervas
Apostila de-fitoterapia-preparacao-e-usos-de-ervas
 
Abacaxi - Ananas comosus (L.) Merr
Abacaxi - Ananas comosus (L.) MerrAbacaxi - Ananas comosus (L.) Merr
Abacaxi - Ananas comosus (L.) Merr
 

Mais de Faculdade Mário Schenberg

Fitoterapia brasileira histórico
Fitoterapia brasileira históricoFitoterapia brasileira histórico
Fitoterapia brasileira histórico
Faculdade Mário Schenberg
 
Fitoterapia: Tradição e ciência
Fitoterapia: Tradição e ciênciaFitoterapia: Tradição e ciência
Fitoterapia: Tradição e ciência
Faculdade Mário Schenberg
 
Fitoacupuntura
FitoacupunturaFitoacupuntura
Fitoterapia fitoacupuntura climaterio
Fitoterapia fitoacupuntura climaterioFitoterapia fitoacupuntura climaterio
Fitoterapia fitoacupuntura climaterio
Faculdade Mário Schenberg
 
Acupuntura vegetal
Acupuntura vegetalAcupuntura vegetal
Acupuntura vegetal
Faculdade Mário Schenberg
 
Historia mtc
Historia mtcHistoria mtc
Fitoterapia verdades e_mentiras
Fitoterapia verdades e_mentirasFitoterapia verdades e_mentiras
Fitoterapia verdades e_mentiras
Faculdade Mário Schenberg
 

Mais de Faculdade Mário Schenberg (7)

Fitoterapia brasileira histórico
Fitoterapia brasileira históricoFitoterapia brasileira histórico
Fitoterapia brasileira histórico
 
Fitoterapia: Tradição e ciência
Fitoterapia: Tradição e ciênciaFitoterapia: Tradição e ciência
Fitoterapia: Tradição e ciência
 
Fitoacupuntura
FitoacupunturaFitoacupuntura
Fitoacupuntura
 
Fitoterapia fitoacupuntura climaterio
Fitoterapia fitoacupuntura climaterioFitoterapia fitoacupuntura climaterio
Fitoterapia fitoacupuntura climaterio
 
Acupuntura vegetal
Acupuntura vegetalAcupuntura vegetal
Acupuntura vegetal
 
Historia mtc
Historia mtcHistoria mtc
Historia mtc
 
Fitoterapia verdades e_mentiras
Fitoterapia verdades e_mentirasFitoterapia verdades e_mentiras
Fitoterapia verdades e_mentiras
 

Último

Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabiConferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
FabianeOlegario2
 
Anatomofisiologia do aparelho locomotor.
Anatomofisiologia do aparelho locomotor.Anatomofisiologia do aparelho locomotor.
Anatomofisiologia do aparelho locomotor.
musicasdeteclado
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
danielecarvalho75
 
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamenteSeminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
LasAraujo12
 
Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema TegumentarSeminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
PatrciaOliveiraPat
 
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagemAula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Jssica597589
 
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
balmeida871
 
Certificado Introdução à Terapia Cognitiva.
Certificado Introdução à Terapia Cognitiva.Certificado Introdução à Terapia Cognitiva.
Certificado Introdução à Terapia Cognitiva.
LuizGustavoCiciliato
 
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
NanandorMacosso
 
Treinamento Técnico de Equipe WB Engenharia.pptx
Treinamento Técnico de Equipe  WB Engenharia.pptxTreinamento Técnico de Equipe  WB Engenharia.pptx
Treinamento Técnico de Equipe WB Engenharia.pptx
luanaazzisesmt
 

Último (10)

Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabiConferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
 
Anatomofisiologia do aparelho locomotor.
Anatomofisiologia do aparelho locomotor.Anatomofisiologia do aparelho locomotor.
Anatomofisiologia do aparelho locomotor.
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
 
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamenteSeminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
 
Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema TegumentarSeminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
 
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagemAula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
 
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
 
Certificado Introdução à Terapia Cognitiva.
Certificado Introdução à Terapia Cognitiva.Certificado Introdução à Terapia Cognitiva.
Certificado Introdução à Terapia Cognitiva.
 
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
 
Treinamento Técnico de Equipe WB Engenharia.pptx
Treinamento Técnico de Equipe  WB Engenharia.pptxTreinamento Técnico de Equipe  WB Engenharia.pptx
Treinamento Técnico de Equipe WB Engenharia.pptx
 

Fitoterapia brasileira na estética

  • 2. FITOCOSMÉTICA: Estudo e aplicação dos princípios ativos extraídos dos vegetais, em proveito da higiene, da estética, da correção e da manutenção de um estado normal e sadio da pele. O emprego dos produtos vegetais para fins de embelezamento encontra referências há mais de 5000 anos. Cleópatra, com sua conhecida vaidade, motivou a pesquisa cosmética e, um primeiro formulário “Cleopatre gynoecirium libri” foi editado durante seu reinado. Neste formulário foram descritos cuidados higiênicos, estéticos e tratamentos de diversas afecções da pele, através de pomadas coloridas e linimentos à base de plantas e óleos vegetais. Do Oriente, o uso de produtos naturais difundiu-se para o mundo grego. O formulário "Os cosméticos de Ovídio", no qual são mencionadas receitas e pomadas da época à base de vegetais, surge no ano IV. Dessa época, até os dias atuais, o estudo dos vegetais e a aplicação dos seus ativos, seja na forma de extratos ou os princípios ativos isolados, vem ganhando cada vez mais espaço na indústria cosmética moderna.
  • 3. “Tratar da saúde é mais importante do que tratar da doença” Sérgio Franceschini Filho AR ÁGUA ALIMENTO SAÚDE = 3 As
  • 4. ESPINHEIRA SANTA Maytenus ilicifolia Espinheira divina, Salva-vidas, Espinho de Deus, Cancerosa, Cancrosa, Cancorosa, Congorça, Coromilho do campo, Maiteno, Sombra de Touro. Parte utilizada: Folhas – Tanino, Flavonóides, Mucilagem, Carotenóides Dispepsias, Azias, Úlcera gástrica - Cicatrizante - Antisséptico - Acnes - Espinhas - Útil para peles oleosas: tônico e limpeza.
  • 5. CALÊNDULA Calendula officinalis L. Malmequer, Maravilhas, Maravilha, Maravilha do jardim, Flor de defunto, Verrucária, Magarida dourada. Parte utilizada: Flores - Óleo essencial, Carotenóides, Mucilagens, Flavonóides, Resina, Saponinas, Glicosídeos. Cicatrizante, Anti-inflamatório, Antisséptico, Queimaduras, Irritação da mucosa - Acne - Espinhas - Útil para peles secas: tônico e limpeza
  • 6. UVA Vitis sp. Parte utilizada: casca - Resveratrol MINERAIS: Potássio, Ferro, Magnésio, Cálcio, Manganês, Cobre, Fósforo, Zinco, Sódio, Lítio. VITAMINAS: Vit. A, Tiamina (vitamina B1), Riboflavina (vitamina B2), Niacina (vitamina B3), Piridoxina (vitamina B6), Acido Fólico (vitamina B9), Ácido Pantotênico, (vitamina B5), Ácido Ascórbico (vitamina C). AMINOÁCIDOS: Ácido Glutâmico, Alanina, Arginina, L-Glutamina Estimula as funções hepáticas, Melhora o sistema cardiovascular, Alcalinizante, Antioxidante, Depurativo, Eczemas - Diminui a pigmentação. - Protege contra raios UVB. - Tonifica a pele.
  • 7. AÇAFRÃO Curcuma longa Açafrão indiano, açafrão-da-terra, açafrão ou gengibre amarelo Parte utilizada: Rizoma - Curcumina, tumerona e limoneno Ação antibacteriana e antiparasitária Ação anti-inflamatória Hipoglicemiante - Antioxidante. - Interfere nos mecanismos de sinalização celular. - Útil em dietas. - Trata feridas, escaras e erisipelas. - Facilita a eliminação de gordura.
  • 8. Ananas lucidus, Ananas sativus, Ananas comosus, Aechimea bromeliaefolia. Parte utilizada: Casca - Bromelina Diurético; Vermífugo; Digestivo; Doenças respiratórias; Tosse, Expectorante; Garganta (inflamação) - Antisséptico. - Acne. - Limpeza de pele. - Elimina nódulos.
  • 9. CRAJIRU Arrabidaea chica Pariri, carajuru, punca-panga e chica Parte utilizada: Folhas - Saponinas, Quininas, Flavonas, Taninos, Alcalóides (corante vermelho). Anti-inflamatório, Adstringente, Cólicas intestinais, Disenterias, Anemia - Feridas e úlceras - Espinhas - Irritações
  • 10. BABOSA Aloe vera Erva babosa, Erva de babosa, Erva de azebra, Azebre, Aloés, Aloé do cabo, Caraguatá, Aboré, Amboré. Parte utilizada: Folhas, gel mucilaginoso – Polissacarídeos, Glicosídeos (Aloína, Aloenina), Mucilagem, Tanino, Resinas (Aloeresina A e Aloeresina C), Ácido cumarínico, Antraquinonas, Vitaminas (B1 e B2, B6, C e E), Sais minerais (Cálcio, Potássio, Sódio, Manganês, Magnésio, Cobre, Zinco e Cromo). Fortalece o bulbo capilar e protege os fios de cabelo, Tônico estomacal.; Queimaduras térmicas de 1º e 2º graus e de radiação; Hemorroidas; Cicatrizante; Aumenta as defesas imunológicas; Laxativo. - Regenera a pele, pois os seus princípios ativos têm a capacidade de contrair as mucosas, vasos e tecidos promovendo a regeneração. - Queimaduras
  • 11. GINKGO Ginkgo biloba Parte utilizada: Folhas, partes aéreas (caule e flores) - ginkgoflavonóides (quercetina, kaempferol, isorhamnetina, e terpenolactonas (bilobalide, ginkgolide A,B,C,E). Venda sob prescrição médica. Vertigens e zumbidos (tínidos) resultantes de distúrbios circulatórios periféricos (claudicação intermitente); Insuficiência vascular cerebral. - Protege contra os raios UVB - Depois da aplicação tópica na epiderme e através da via sistêmica, aumenta a atividade das enzimas no fígado, coração e rim. - Melhora a circulação
  • 12. MAMÃO Carica papaya Papaia, Papaieira. Parte utilizada: fruto (mamão verde) - Papaína Tosse; Vermífugo; Laxativo, Digestivo; Antisséptico; Cicatrizante; Fraturas - Manchas da pele - Verrugas - Fístulas
  • 14. Banho Faz-se uma infusão ou decocção, mais concentrada que deve ser coada e misturada na água do banho. Outra maneira indicada é colocar as ervas em um saco de pano firme e deixar boiando na água do banho. Ou ainda, fazer um saco de gaze em forma de funil e prende-lo ao chuveiro Os banhos podem ser parciais ou de corpo inteiro, e são normalmente indicados 1 vez por dia.
  • 15. Cataplasma Podem ser obtidos por diversas formas: a) amassar as ervas frescas e limpas, aplicar diretamente sobre a parte afetada ou envolvidas em um pano fino ou gaze; b) as ervas secas podem ser reduzidas a pó, misturadas em água, chás ou outras preparações e aplicadas envoltas em pano fino sobre as partes afetadas; c) pode-se ainda utilizar farinha de mandioca ou fubá de milho e água, geralmente quente, com a planta fresca ou seca triturada.
  • 16. Compressa Preparação de uso local (tópico) que atua pela penetração dos princípios ativos através da pele. Utilizam-se panos, chumaços de algodão ou gaze embebidos em um infuso, decocto, sumo ou tintura da planta dissolvida em água. A compressa pode ser quente ou fria. Outra forma é molhar a ponta de uma toalha e colocar no local afetado, cobrindo com a outra ponta da toalha seca, para conservar o calor.
  • 17. Decocção Preparação normalmente utilizada para ervas não aromáticas (que contém princípios estáveis ao calor) e para as drogas vegetais constituídas por sementes, raízes, cascas e outras partes de maior resistência à ação da água quente. 2 colheres de sopa da planta em meio litro de água fervente. Cobre-se e deixa-se ferver em fogo baixo por 10 a 20 minutos. Coar e espremer a erva com um pedaço de pano de ou coador. O decocto deve ser utilizado no mesmo dia de seu preparo, em no máximo de 12 horas.
  • 18. Infusão Preparação utilizada para todas as partes de plantas medicinais ricas em componentes voláteis, aromas delicados e princípios ativos que se degradam pela ação combinada de água e do calor. Normalmente, trata-se de partes das plantas tais como flores botões e folhas. As infusões são obtidas aquecendo-se a água necessária, que é derramada sobre a erva já separada, colocada em outro recipiente, normalmente 2 colheres de sopa da planta triturada para cada meio litro de água. Após a mistura, o recipiente permanece tampado por um tempo variável entre 5 e 10 minutos. Deve-se coar o infuso, logo após o término do repouso. O infuso deve ser ingerido no mesmo dia da preparação em no máximo 12 horas.
  • 19. Pós-vegetais: Os vegetais na forma de pó possuem uma grande aplicação no arsenal terapêutico, podendo ser incorporados facilmente às formas galênicas secas como cápsulas e comprimidos e também serem utilizados diretamente, por exemplo, misturados a água, suco, alimentos, etc.. Após a eliminação dos corpos estranhos e das partes inertes, as ervas devem ser secas a uma temperatura de 25ºC a 45ºC, depois são trituradas em moinhos de diversos modelos e peneiradas, tendo então a sua granulometria padronizada. As vantagens de utilizar os vegetais na forma de pó são diversas, como: administração da droga relativamente segura, manipulação simples, possibilitando misturas, além de permitir o ajuste ou eventual concentração do princípio ativo.
  • 20. Suco de planta fresca O suco da planta fresca é a suspensão da planta, com seus constituintes ativos e inativos, em álcool a 30º G.L. Por diversos processos modernos, são estabilizados, inativando as enzimas e evitando uma degradação rápida dos princípios ativos. Esta forma nova de apresentação das plantas permite a utilização de todo o fitocomplexo da planta fresca sem a perda de nenhum princípio ativo.
  • 21. Tinturas vegetais São preparadas à temperatura ambiente pela ação do álcool sobre uma erva seca (tintura simples) ou sobre uma mistura de ervas (tintura composta). São preparadas por solução simples, maceração ou percolação. A tintura simples corresponde a 1/5 do seu peso em erva seca, quer dizer que 200 g de erva seca permitem preparar 1.000 g de tintura. Na maioria das vezes se utiliza um álcool a 60º G.L. Existem algumas exceções, como as tinturas de materiais resinosos, ou drogas ricas em essências ou resinas como boldo, canela, eucalipto, grindélia, ou ricas em mucilagens como casca de laranja amarga, onde o título do álcool é de 80º G.L. As drogas muito ativas (heróicas), como o acônito e a beladona são preparadas por percolação com álcool 70º G.L. As tinturas de ópio e noz-vômica são preparadas por simples dissolução do extrato correspondente em um álcool a 70º G.L., obtendo-se um título final de aproximadamente 10 % de planta seca.
  • 22. Unguento e pomada A pomada pode ser preparada com o sumo da erva, com a tintura, com o pó ou com o chá misturado com a banha animal, gordura de coco, gordura vegetal ou vaselina. Pode-se ainda aquecer as ervas na gordura depois coar e guardar em frascos tampados. Pode-se adicionar um pouco de cera de abelha nas preparações a quente da pomada. As pomadas permanecem mais tempo sobre a pele, devem ser usadas a frio e renovadas 2 a 3 vezes ao dia.
  • 23. Vinho medicinal Usa-se vinho branco, tinto ou licoroso com graduação alcoólica de aproximadamente 11ºG.L. Usar 5g de ou mais ervas para cada 100 ml de vinho. Tampar e deixar em local escuro, ao abrigo da luz por um período de 10 a 15 dias. Filtra-se o preparado. Toma-se uma colher antes ou depois das refeições, ou conforme indicações.